Você está na página 1de 5

RESUMO – FÍSICA – 2º TRIM

Prof. James – 1º ano

VELOCIDADE INSTANTÂNEA (VA): é a velocidade que o corpo possui em um determinado


instante (tA). Calcula-se a velocidade Instantânea usando a fórmula abaixo, usada no MRU,
fazendo o tempo ser o menor possível ou usando o gráfico “d x t”, onde a inclinação (i) é igual
a velocidade.

Ex.: O velocímetro de um carro sempre indica a velocidade instantânea.

𝐝 Inclinação (i) = V Inclinação (i) = V


Inclinação (i) = V
d d d B C D
𝐕𝐀 = 𝐭 A
Menor possível VA > VD > VB  VC
t
t t
Mov. Acelerado Mov. Retardado Mov. Qualquer

Onde d = distância percorrida; V = velocidade e t = tempo.

VELOCIDADE MÉDIA (VM): é igual a uma “velocidade constante” que o corpo deve possuir para
percorrer “novamente” a mesma trajetória e gastar o mesmo tempo. Calcula-se a velocidade
média (VM) usando a equação abaixo.

𝐝
Onde d = distância percorrida; V = velocidade e t = tempo.
𝐕𝐌
=𝐭
MRUV: Movimento Retilíneo Uniformemente variado.
1) CONCEITO: MRUV é o movimento em que a “trajetória é uma reta” e a velocidade
“varia uniformemente”.
Exs.: Um corpo quando “cai” verticalmente ou quando é atirado verticalmente para cima,
em “Queda-Livre”, executa o MRUV.

2) UNIFORMEMENTE VARIADO (UV): é uma forma especial de estar variando a velocidade.


Existem 3 formas de exprimir esta ideia:
A) “Uniformemente Variado” significa que o gráfico “V x t” é uma reta inclinada.

V V Área (A) = d
ou
Área (A) = d
t t
Movimento acelerado Movimento Retardado

B) “Uniformemente Variado” significa que em tempos iguais a “velocidade varia sempre o


mesmo valor”.

C) “Uniformemente Variado” significa que a “aceleração é constante” e “Não Nula”.

1
3) ACELERAÇÃO é uma grandeza que mede como a velocidade varia com o tempo. Por
exemplo, uma aceleração igual a “10 m/s2” significa que em “1 s” a velocidade varia “10
m/s”. Veja a equação 1 (definição de aceleração) logo abaixo.

4) EQUAÇÕES BÁSICAS:

Equações(MRUV) Onde:
1) 𝐚 = ∆𝐕 ou 𝐚 = 𝐕−𝑽a𝟎 = aceleração;
∆𝐭 𝐭− 𝒕𝟎
V = velocidade final; V0 = Velocidade inicial; t = tempo;
d = distância percorrida
2) 𝐕 = 𝐕𝐨 + 𝐚𝐭
𝐚𝐭𝟐
3) 𝐝 = 𝐕𝐨𝐭 + 𝟐

4) 𝑽𝟐 = 𝑽𝟐
𝒐 + 𝟐𝒂𝒅

5) GRÁFICO V x t: como a velocidade (V) se relaciona com o tempo (t) segundo uma
equação de primeiro grau, então o gráfico será uma reta:

Inclinação (i) = a Inclinação (i) = a


V V
ou Área (A) = d
Área (A) = d
t t
Movimento acelerado Movimento Retardado

6) GRÁFICO d x t: como a distância percorrida (d) se relaciona com o tempo (t) segundo
uma equação de segundo grau, então o gráfico será uma curva chamada “parábola”.

Inclinação (i) = V Inclinação (i) = V


d
ou
d

t t
Mov. Acelerado Mov. Retardado

7) CLASSIFICAÇÃO:

O MRUV se divide em MRUA (MOVIMENTO RETILÍNEO UNIFORMEMENTE ACELERADO)


e MRUR (MOVIMENTO RETILÍNEO UNIFORMEMENTE RETARDADO).

Movimento Acelerado é aquele em que a velocidade aumenta em módulo.


Movimento Retardado é aquele em que a velocidade dimimui em módulo.
QUEDA LIVRE: é o movimento de queda de um corpo próximo a um planeta, “desprezando
os efeitos do ar”, ou seja, a “força de resistência do ar é NULA”.

HISTÓRICO: muitos cientistas, ao longo do tempo, emitiram ideias sobre a queda dos
corpos. Por exemplo:

ARISTÓTELES (384 – 322 a.C.): dizia que se dois corpos de massas diferentes caírem de
uma mesma altura, então, o mais pesado chegaria primeiro ao solo. Isto significa que o
mais pesado teria uma aceleração MAIOR (diferente) do que o mais leve.

GALILEU (1564 – 1642): dizia que se dois corpos de massas diferentes caírem de uma
mesma altura, desprezando a resistência do ar, então, os dois chegam juntos ao solo.
Isto significa que as acelerações dos dois corpos são iguais. Galileu fez inúmeras
experiências e mostrou que o movimento de Queda Livre é o MRUV.

QUEDA LIVRE (RESUMO):

- É o movimento de queda de um corpo próximo a um planeta, “DESPREZANDO OS


EFEITOS DO AR”, ou seja, “SEM A FORÇA DE RESISTÊNCIA DO AR”.

- É o MRUV (Movimento Retilíneo Uniformemente Variado).

- A aceleração é “CONSTANTE E NÃO NULA” e é chamada “ACELERAÇÃO DA


GRAVIDADE”, cujo símbolo é “g”.

- No planeta Terra o valor da aceleração da gravidade é “g = 10 m/s2”,


aproximadamente.

- Se um corpo é atirado verticalmente para cima e em seguida ele sobe e depois desce,
então, tanto na subida quanto na descida o movimento é chamado de “QUEDA
LIVRE”. Na subida o movimento é chamado de “RETARDADO” (velocidade diminui, g
= –10 m/s2) e na descida é chamado “ACELERADO” (velocidade aumenta, g =
+10m/s2).
VETORES
a) NOÇÕES GERAIS

- GRANDEZA: é tudo aquilo que conseguimos medir. Medir é o ato de compararmos


“alguma coisa” com um “padrão”, por exemplo: quando dizemos que o tamanho de
uma mesa possui “2 metros”, isto significa que o tamanho da mesa é equivalente a 2
vezes o padrão chamado “1 metro”. As grandezas se dividem em:

 GRANDEZA ESCALAR: aquela que para ser perfeitamente entendida basta que
se diga o seu módulo.
ex.: comprimento, área, volume, massa, tempo, temperatura, densidade,
pressão, trabalho, energia ...

 GRANDEZA VETORIAL: aquela que só fica perfeitamente definida quando, além


do “módulo” , se diz uma direção e um sentido .
ex.: Força, velocidade, aceleração, deslocamento, campo elétrico, campo
magnético...

- VETOR: é uma “flechinha” que usamos para representar as grandezas vetoriais. A


“ponta” desta flecha indica o sentido, a “linha” dela indica a direção e o seu
“tamanho”, para uma dada escala, indica o “módulo”.

b) ADIÇÃO DE VETORES:
Adicionar vetores significa encontrar um único vetor, chamado vetor resultante, que
é aquele que traduz o mesmo efeito de todos os vetores dados. Existem vários
métodos para encontrar o vetor resultante:

- MÉTODO DO POLÍGONO

exemplos:

- MÉTODO DO PARALELOGRAMO:

1º CASO - Vetores com mesma direção e sentido.

Fr = F1 + F2

2º CASO - Vetores perpendiculares.

2 2 2
Fr = F1 + F2
3º CASO - Vetores com mesma direção e sentidos contrários.

Fr = F2 – F1

CASO GERAL - Vetores com um ângulo () qualquer entre eles.

Fr2 = F12+ F2 2+ 2F1F2cos


c) PROJEÇÕES DE UM VETOR SOBRE EIXOS

  
No desenho abaixo, os vetores FX e Fy são as projeções do vetor F sobre os eixos “X” e
“Y”, respectivamente. E as equações ao lado permite calcular seus módulos.

Y Fx = F cos

 Fy = F sen
X

TABELA DE VALORES – FUNÇÕES TRIGONOMÉTRICAS


o
0 30o 45o 60o 90o 120o 135o 150o 180o
seno 0 1/2 𝟐/𝟐 𝟑/𝟐 1 𝟑/𝟐 𝟐/𝟐 1/2 0
cosseno 1 𝟑/𝟐 𝟐/𝟐 1/2 0 – 𝟏/𝟐 – 𝟐/𝟐 − 𝟑/𝟐 –1
tangente 0 𝟑/𝟑 1 𝟑 ∄ –𝟑 –1 – 𝟑/𝟑 0

𝟐 ≅ 𝟏, 𝟒𝟏𝟒 𝟐 ≅ 𝟎, 𝟕𝟎𝟕 𝟑 ≅ 𝟎, 𝟖𝟔𝟔


𝟑 ≅ 𝟏, 𝟕𝟑𝟐
𝟐 𝟐

Você também pode gostar