Você está na página 1de 18

A GUERRA DE TODOS NÓS

A carne, o mundo e o diabo.

Todos nós estamos engajados em uma guerra, mas como é bom saber que a
vitória já está garantida. A mais de 2.000 anos atrás, Jesus na cruz do Calvário, pagou
o preço da nossa redenção, da nossa libertação. E hoje apesar de Satanás desferir
seus golpes contra nós, sabemos pela palavra de Deus, que, maior é o que está em
nós do que aquele que está no mundo. E por isso em todas as coisas somos mais que
vencedores. Não significa que não haverá mais lutas, significa, que no meio das lutas,
Ele nos dará a vitória.

E nesta luta, temos que vencer: a carne, o mundo, e o diabo.

Estamos no mundo para implantar o reino de Deus, mas não é só proclamar o


reino, mas acima de tudo, viver o reino. O cristianismo não é só uma teoria, é um
relacionamento com Deus em Cristo Jesus por intermédio do Espírito Santo, que
resulta numa qualidade de vida semelhante à de Jesus.

A nossa carne milita contra o espírito, por isso ela é nossa inimiga. Portanto,
até que Jesus volte, estaremos em uma constante batalha onde temos que vencer três
inimigos: a carne, o mundo e o diabo.

Cada vez que vencemos estes inimigos, nos qualificamos para vitórias em
níveis cada vez mais elevados. E quanto mais vencemos estas ofensivas e tentativas
de sermos retirados da nossa jornada, mais somos qualificados por Deus como
guerreiros para lutar em níveis estratégicos, porque já conquistamos vitória no primeiro
nível, que é a da batalha pessoal.

Estamos envolvidos em batalhas para libertar vidas, e para mudar a história


das pessoas.

Mas para que tenhamos condições de chegar a exigir de Satanás que solte a
nossa cidade, ou, solte a nossa família, temos que ser alguém que esteja vencendo a
carne, vencendo o mundo e vencendo o diabo, pelo sangue do Cordeiro e a Palavra
do Seu Testemunho.

Precisamos sondar o nosso coração, e humildemente dizer: Deus, quanto da


carne ainda há em mim?!? Quanto do mundo?!? Quantas áreas o diabo tem
conseguido aprisionar na minha vida?

Jesus espera que sejamos vencedores. “Ao vencedor dar-lhe-ei assentar-se


comigo no meu trono, assim como eu venci...” (Apocalipse 3:21)

Que a palavra de hoje seja um incentivo para que você compreenda que
precisa vencer a carne, o mundo e o diabo. E que nesta batalha, deseje sair como
vencedor.

VENCENDO A CARNE

O 1º NÍVEL DE BATALHA É O NÍVEL PESSOAL.


Deus quer nos dar vitória pessoal. Nosso maior problema somos nós mesmos. O
primeiro nível de batalha se trava em nós, e é o nível raso de batalha.

O primeiro inimigo que impede a santificação é a carne.


A carne foi instrumento que Satanás usou para queda do homem. Disse Jesus:
“Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está
pronto, mas a carne é fraca.” (Mateus 26.41)

Quando Satanás projeta uma imagem, um pensamento, o que devemos fazer?

Devemos retirar a nossa mente daquilo que ele está projetando e, olhar para
Deus, olhar para a Sua Palavra e criar outra imagem, de acordo com esta Palavra.

“Não só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra de Deus” (Mateus 4:4).
Jesus tirou os olhos das circunstâncias, que era a fome, e transportou para a palavra
de Deus.

“Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se de fato o Espírito de Deus
habita em vós. E se alguém não tem o Espírito de Deus, esse tal não é dele”.
(Romanos 8:9)

Se vencermos a batalha contra a carne, poderemos ser um canal de libertação


para muita gente.

“Andai no Espírito e jamais satisfareis a concupiscência da carne.” (Gálatas


5:16)

Nós somos a imagem do Deus que adoramos. Para que possamos entrar em
confronto, em níveis mais elevados, precisamos aprender a vencer a batalha dos
níveis mais baixos. Cada um de nós tem uma luta, uma batalha a ser vencida. E se
não vencermos a batalha neste nível, não seremos bem sucedidos em outros níveis.
Nosso maior problema somos nós mesmos. Por isso, a primeira batalha é contra a
nossa carne. A carne luta contra o espírito, pois é sua inimiga.

Jesus venceu a carne e nós também temos que vencê-la, usando as mesmas
armas que Ele usou: O Espírito de Deus e a Palavra de Deus.

Nossa natureza caída e pecaminosa, caracteriza-se pela sutileza e hipocrisia.


Todos temos dificuldades de enxergar nossa própria carnalidade. Vivemos atrás de
‘’máscaras’’ que nos esconde de nós mesmos.

Nascemos com uma inimiga que se chama carne, e que deve ser colocada em
disciplina. A carne opera pela concupiscência (desejo, instinto).

Podemos definir carne como:

1. Elemento humano não regenerado;


2. Apetites da natureza humana terrena que contrariam a palavra de Deus.

Deus fez o homem um ser trino:

1. Espírito - consciência de Deus;


2. Alma - personalidade, pensamentos;

3. Corpo - contato com as coisas da terra;

A carne foi o instrumento que Satanás usou para derrotar o homem. (Gálatas 5:21
Mateus 26:36-41).

As Obras Da Carne – Gálatas 5: 19-21


1. Prostituição e adultério – Estas obras da carne substituem o amor pelo
egoísmo. Na prostituição o corpo se vende como objeto, em vez de formar no
casamento a tão perfeita unidade que Deus chama de “uma só carne”.
(Gêneses 2:24, Mateus 19:5, Efésios 5:31)

A paixão sexual ilícita satisfeita, cria vergonha e antipatia, inveja e ciúmes.

A Bíblia diz que o nosso corpo não é para a impureza, mas para o Senhor.
(Coríntios 6:12-20)

O adultério destrói lares e despedaça famílias. O adultério de Davi trouxe maldição


em sua família. O incesto por parte do seu filho Amon, a desgraça de sua filha Tamar,
o assassinato praticado por seu filho Absalão, e ainda sua rebelião contra o próprio
Davi, que culminou com sua morte e o desespero de seu pai. (II Samuel 18:33; 19:4)

Quando se cede a carne envenena-se a família e sofrimentos incalculáveis são o


preço de uma satisfação momentânea.

2. Impureza e lascívia - paixão e desejo maligno (Colossenses 3:5)

Os pecados sexuais se limitam a atos. A carne mostra sua natureza ruim também
nos pensamentos e desejos. Jesus ensinou que “qualquer que olhar para uma
mulher com intenção impura, no coração já adulterou com ela” ( Mateus 5:28).

A lei de Deus não governa apenas as ações, mas também as imaginações que
provocam a Sua ira. (Gêneses 6:3-5). A carne sempre pensa em seu próprio prazer.
(Ex.: Ver fotografias ou filmes pornográficos, ou pensamentos impuros.) Andar
segundo as “inclinações da carne” e fazer a vontade dos pensamentos, certamente
indica uma estreita relação entre a mente e ato.

3. Idolatria e feitiçaria - A carne não se contenta com um Deus real, onipresente,


infinito e invisível. Prefere um deus palpável, criado por mãos humanas,
suscetível aos valores e qualidades a ele atribuídos (Isaías 40:19).

Idolatria e espiritismo são condenados de modo veemente, por causa da


prostituição espiritual. Ainda que o ídolo não seja nada, é um elemento demoníaco que
desafia frontalmente a Deus. O culto idólatra invoca demônios, e cria um veículo de
comunhão entre o adorador e esses anjos que se rebelaram contra Deus. (I Coríntios
10:20 e II Pedro 2:4)

4. Inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissenções, facções, invejas

OBS.: A porfia é uma briga que acontece quando as pessoas são teimosas e insistem
em ganhar a discussão

A dissensão significa comportamento adverso, estar à parte e não querer se unir. No


mundo existem várias coisas que nos separam, como partido político, time de futebol,
gosto musical, etc. Mas isso não pode ser motivo para divisão.

As facções na igreja coríntia eram o resultado de comportamentos carnais de


pessoas que estavam mais preocupadas com suas próprias reputações e influências
do que estavam com o povo de Deus. Esta palavra verdadeiramente significa o vício
de um partido criado para o seu próprio orgulho, o querer ser mais que os outros,
criando facções.

Esta é a maior lista de obras da carne, e todas se relacionam com a falta de amor.
A origem das obras da carne está no orgulho. Defender seu terreno, seu partido, suas
ideias. Mansidão e benignidade são as qualidades que caracterizam Jesus. (II
Coríntios10:1) A politicagem, a rivalidade, as intrigas e a traição, encorajam a
formação de facções e partidarismo.
5. Bebedices e glutonarias - A bebedice prejudica especialmente a mente, e
traz sérios estragos físicos e espirituais.

Paulo chamou os “glutões”, de inimigos da cruz de Cristo, que caminham para a


perdição, porque adoram o deus ventre ‘’Porque muitos há, dos quais muitas vezes
vos disse, e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo,
cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles,
que só pensam nas coisas terrenas’’ (Filipenses 3:18,19).

A glutonaria parece não preocupar os cristãos do século XXI (Século 21), mas ela
é considerada uma obra da carne, e aqueles que a praticarem não herdarão o Reino
de Deus. Lembre-se: A glutonaria substitui a adoração.

Marcas da carne

1. Auto justificação - Esta marca da carne faz com que cubramos nossos erros
com desculpas, defendamos as nossas ações, e coloquemos sempre as
nossas boas intenções.

A tendência de sempre avaliarmos positivamente nossas próprias ações,


exaltando nossa pessoa como digna de louvor, e tratando os outros como se fossem
merecedores de críticas e censuras, revela a carne em seu estado natural.

2. Prazer nas falhas dos irmãos - Um sinal da carne é também aquele gosto
perverso de receber notícias de falhas de outros. Agrada a carne saber que o
irmão que caiu era mais fraco; que nossa luz brilha mais, quando os luzeiros ao
nosso redor se apagam.

A inveja, tão mal identificada no íntimo, orgulha-se em saber que é melhor do


que o outro.

O Mestre adverte que nós devíamos nos preservar do fermento dos fariseus.
(Mateus16:6, Marcos 8:15, Lucas12:1) Eles podiam até dar graças a Deus pela sua
piedade conseguida pelo cumprimento rigoroso da lei. Esta marca da natureza
Adâmica revela que a inveja e o orgulho são irmãos gêmeos, e habitam na mesma
galeria escura do fundo do nosso coração.

3. Independência, individualismo e presunção - Mais uma característica da


carne. A independência e o individualismo, tão naturais e necessários ao
desenvolvimento daqueles que ainda são novos na fé, podem conduzir até
mesmo ao caos, quando os sucessos na vida cristã criam um sentimento de
maturidade e firmeza.

A desgraça de Sansão, foi imaginar que poderia vencer os filisteus como de


costume, quando não tinha mais força do que um homem comum. Ele achava que a
força e a unção estavam com ele, mas elas já tinham ido embora. Isto deve ser um
aviso para todo filho de Deus.

Se almejamos os dons para servir o corpo de Cristo, é preciso não pensar que
nada vem de nós mesmos, mas tudo vem de Deus. (Romanos12:3)

4. A fuga da culpa - A fuga da culpa, seria o método pelo qual a carne, evita
dores provindas da humilhação. A carne detesta sentimento de culpa, quer
sempre se defender e fugir. A carne quer transferir a repreensão que pesa
sobre a sua alma a outro culpado qualquer. Ela luta contra a ordem bíblica de
confessar os pecados. (I João.1:9)

A derrota da carne nesta área está e reconhecer e admitir a culpa. Certamente


esta é a mais eficiente de combater a carne.
5. Rebelião contra Deus - A inimizade contra Deus, cria desgosto por cultos a
Deus, a oração e a comunhão prolongada na presença do dEle. “O pendor da
carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem
mesmo pode estar”. (Romanos 8:7)

Pedro informa que as paixões da carne fazem guerra contra a alma. Enquanto
o Espírito se inclina para Deus e sua vontade, a carne, sempre puxa para seu lado
pecaminoso. Por isso, o Espírito e a carne são opostos entre si. (Gálatas 5:17)

Para vencer o pecado que se aproveita dos desejos da carne, precisamos nos
considerar mortos para o pecado e vivos para Deus em Cristo Jesus (Romanos 6:11).
Em vez de oferecer nossos membros ao pecado, o caminho da vitória segue em
sacrificar cada membro do corpo como instrumento para servir a Deus (Romanos
6:13). O crescimento para a maturidade cristã, depende da mortificação do pecado na
carne (Colossenses 3:5).

COMO VENCER A CARNE

O apóstolo Paulo nos ensina quatro estratégias para vencer este inimigo.

1. A destruição das fontes de sustento - em primeiro lugar, devemos tomar medidas


para sufocar a carne, privando-a de tudo o que a sustenta. (Romanos 13:14)

Devemos sufocar os desejos da carne. Satanás sempre lida com imagens. Se


queremos vencer, a vitória na carne, devemos vigiar a mente. Não use da liberdade
para dar ocasião à carne. (Gálatas 5:13).

2. Mortificação da carne - Devemos “matar” a nossa natureza terrena. “Fazei pois


morrer a vossa natureza terrena: a prostituição, a impureza, a paixão, a vil
concupiscência, e a avareza, que é idolatria.” (Colossenses 3:5) “A cada dia
morro” diz Paulo. Se você não morrer todo dia na carne, ela vai te dominar. “Pois se
viverdes segundo a carne, morrereis; mas se pelo Espírito, mortificardes as
obras do corpo, vivereis.” (Romanos 8:13) Com auxílio do Espírito Santo que habita
em nós e que nos capacita a vencer, afastaremos uma por uma, as fontes que incitam
a carne: se for sexo, devemos cortar os incentivos tais como filmes, revistas, leituras,
lugares onde pessoas usam roupas que excitem a carne, enfim, todo e qualquer
relacionamento, atividade ou local que alimente a concupiscência ou lascívia; se for
maledicência, evitar a roda de pessoas que também tenham esta tendência, ainda que
seja preciso reformular a suas amizades. Isto pode parecer severo demais, mas Jesus
disse claramente: “Melhor você entrar no Reino de Deus, coxo ou cego, do que tendo
os dois olhos, duas pernas’’ “e suas mesmas amizades”, e ser lançado no fogo do
inferno, onde o seu verme não morre e o fogo não se apaga.” Marcos 9. 47-48
parafraseado.

3. O afastamento das paixões - A vitória sobre a força maligna em nós demanda, ou


requer, fuga. (I Timóteo 6:11) “Filho meu, se os pecadores (ou o pecado) te
quiserem seduzir, não o consintas...Não te ponha a caminho com eles, desvia o
teu pé das suas veredas.” (Provérbios 1: 10 e 15)

A fuga das atrações da carne e a dedicada busca de comunhão com o Senhor são
mais alguns passos na vitória sobre a carne.

4. O despojamento da carne - Paulo exorta, a nos despojarmos do “velho homem”


e nos revestirmos “do novo homem” (Efésios 4:22,24) (Romanos 13:12-14) “Agora
porém, despojai-vos de tudo: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das
palavras torpes da vossa boca (palavrões). Não mintais uns aos outros, pois já
vos despistes do velho homem com os seus feitos, e vos vestistes do “novo”
que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou.”
Colossenses 3: 8-10 Tg.1:21 I Pe 2:1 Este novo homem criado de acordo com o
padrão de Deus em verdadeira justiça e santidade deve manifestar o fruto do Espírito.
A GUERRA DE TODOS NÓS
A carne, o mundo e o diabo.

VENCENDO O MUNDO

O segundo inimigo que temos que vencer é o mundo.

“Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se vier a perder-se ou


causar dano a si mesmo?” Lc.9:25

À medida que amamos ou valorizamos o mundo nos tornamos inimigos de


Deus.

“Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus?


Aquele que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.” Tg.4:4 .

O mundo é um canal de tentação e provação. Na sua oposição à Deus, o


mundo mantém-se sempre debaixo da condenação divina. (Jo. 9:39)

O mundo é o local onde os poderes demoníacos se manifestam, mas também


é o local onde a redenção de Deus se realiza.

1. O mundo não conhece o Deus verdadeiro - Jesus disse : “...não conhecem


aquele que me enviou. (Jo.15:21) O mundo só ouve os que são seus. (I Jo.
4:5) Jesus queria que o mundo soubesse que Ele amava o Pai e fazia tudo o
que o Pai lhe ordenara . (Jo.14:31)

2. Quanto ao amor, o mundo falha – O mundo odeia os filhos de Deus


(Jo.15:19).

3. O mundo passa - disse Jesus : “Ora o mundo passa , bem como a sua
concupiscência; aquele , porém , que faz a vontade de Deus permanece
eternamente”(I Jo.2: 17) . O mundo jaz no maligno. (I Jo.5:19).

4. O mundo é vencido por Jesus (Jo16:33 I Jo. 5:4s).

“Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo,
o amor do Pai não está nele; (I Jo.2:15) Não devemos amar as coisas que estão no
mundo. (Jo12:25)

Sinais e manifestações do mundanismo


1. Testemunhos dado em público ou em particular, em que se destacam,
“espiritualidade”e o poder do “servo”de Deus. A auto exaltação que eleva o
instrumento humano acima do único Senhor que efetua a maravilha da
transformação espiritual é mundana. (Rm15:18).

2. Exclusão de Deus como o centro, deixando de fazê-Lo o alvo e a meta da


existência. O resultado inevitável será, ser levado pela correnteza do
mundanismo. No contexto da ambição e preocupação com a carreira, é
impossível evitar a tentativa de unir Deus e o mundo (Fl.2:19).

Concupiscência da carne significa: sensualidade, gratificação excessiva e egoísta

da nossa natureza física.

Concupiscência dos olhos significa: materialismo. O desejo de ter, ter, ter.

A soberba da vida significa: querer governar nosso próprio mundo, ser nosso próprio
deus. A tentação da soberba da vida é desviar- nos da adoração a Deus.

3. Fascinação pelas riquezas. Viver para as coisas deste mundo. Tais pessoas
são consumidas pelos cuidados deste século. Para elas, prestígio, aparência, e
riquezas são tudo na vida.

As pessoas mundanas aparecem por algum tempo na igreja com os demais


crentes.

Identificam-se com o povo de Deus, e mostram até sinais de crescimento, mas


nunca

produzem fruto espiritual. Estas pessoas não se comprometem, e estão sempre


preocupadas com os prazeres do mundo, dinheiro, trabalho, fama, prosperidade ou
com os desejos da carne.

Dizem-se crentes, mas não se preocupam nem um pouco em viver um vida pura. Tais
pessoas podem ter o desejo de receber a Cristo como Salvador, mas não o farão, se
isso significar elas terem de abandonar o mundo. Isso não é salvação. Jesus disse :
“Não podeis servir a Deus e às riquezas”( Mt.6:24).

Vitória sobre o mundo

O mundo de acordo com o novo Testamento, é um sistema que pensa e age de


acordo com os alvos de Satanás, por isso para vencê-lo é imprescindível levar a sério
alguns princípios bíblicos:

1. Não seguirás a multidão para fazer o mal. (Ex.23:2) Curvamo-nos facilmente


ante o argumento de que “todos estão fazendo”, quando devíamos estar nos
curvando diante da vontade de Deus expressa em sua palavra.
“E não vos conformeis com este século...” (Rm.12:2) Precisamos tomar a decisão de

evitar o conformar-se com a cultura pagã do secularismo. “....guarda-te, não te enlaces

com imitá-los...” (Dt.12:29-30) Não poderemos Ter vitória sobre o mundo, a menos

que, deixemos de imitar os habitantes da terra .


A GUERRA DE TODOS NÓS
A carne, o mundo e o diabo.

VENCENDO O DIABO

Estamos em guerra onde Satanás e seus exércitos são nossos inimigos, mas
Deus está conosco como um poderoso guerreiro. (Jr.20:11)

As guerras do diabo para nós são pressões. Deus só nos deixa enfrentar um nível de
batalha, quanto temos estrutura para aquele nível.

“Combate o bom combate da fé, toma posse da vida eterna.” (I Tm.6:12)

Satanás age no sistema mundial, e de todos os lados podemos ver as forças


organizadas do mal militando, para tomar posse da situação. Tanto nas famílias, como
nas escolas, nos comércios, nas igrejas etc. podemos ver o efeito deste exército do
mal.

Havia uma hierarquia de poder e autoridade no céu, dividida em três partes, que
após a queda dos anjos permaneceu intacta. (Is.14, Ez.28) Ainda hoje, a ação dos
demônios sobre a terra e sobre os homens obedece uma hierarquia de autoridade e
de poder que se perpetua. Essa hierarquia segundo a Bíblia é assim formada:

1- LÚCIFER

Operação de Lúcifer - A Bíblia nos diz que “O mundo está no maligno” ( I


Jo.5:19), o que vale dizer que o sistema do mundo (político, filosófico, social,
eclesiástico, educacional, econômico e artístico) é concebido , criado e controlado por
“Lúcifer”. Sua ação é de buscar influenciar as nações e afastá-las de Deus.

 Político - Tentando oprimir ainda mais os povos com o medo de uma 3ª guerra
mundial, com dívidas das nações.

 Filosófico – Inspirando idéias que afastam, de uma forma ou de outra, o


homem de sua resposta: Cristo.

 Social – Produzindo uma estrutura injusta de exploração aos pobres,


miseráveis e assaliariados, pelos ricos capitalistas, produzindo segregações
raciais, revoltas, roubos, assassinatos, sequestros etc....

 Eclesiástico – Pondo em evidência no mundo uma “Igreja oficial” falsa, seja


católica ou protestante, sem nenhum peso espiritual. A sinagoga de Satanás,
que não liberta, não salga, não serve prá nada, e que é serva dos propósitos
do diabo.

 Educacional – Inculcando idéias materialistas, modismos, princípios contrários


á palavra, enfim, formando e doutrinando cada criança para ser e comportar-se
de forma NORMAL, isto é : de acordo com os padrões do sistema governado
por ele.

 Econômico – Gerando uma estrutura em determinados países, onde a maioria


das pessoas passam fome, morrem à mingua, não tem acesso às escolas, à
assistência médica e odontológica, não tem moradia decente, vivem na
dependência de outros, maiores, mais poderosos e mais ricos.

 Artístico – Onde as músicas são compostas em função da exaltação de suas


obras: sexo livre, rebelião, materialismo, consumismo e violência. Nas artes
plásticas modernas, desfigurndo completamente a beleza e a criação de Deus,
em favor de formas geográficas, disformes, frias e às vezes monstruosas.

Assim, o trabalho de Lúcifer é o de gerir todo este estado de decadência influindo


em governos, instituições, líderes, artistas, intelectuais e pensadores.

Só em uma igreja cheia do Espírito Santo, livre de religião, que está debaixo da
influência do Reino de Deus, ele não pode ter acesso.

2- PRINCIPADOS E POTESTADES

Os principados e potestades atuam em todos os escalões dos governos e nos


movimentos de massa coordenando a ação de demônios. Produzem destruição, morte
generalizada e roubam do homem suas características divinas. Eles resistem às
orações dos santos e buscam impedir o avanço do Reino de Deus. Tentam dividir a
Igreja de Cristo e impedir o surgimento de ministérios vivos e fortes. Vemos
claramente esses principados agindo contra Daniel quando Deus buscava restaurar
Jerusalém, Israel e o Templo. (Dn.9:25)

3- DOMINADORES E HOSTES ESPIRITUAIS DA MALDADE

Finalmente chegamos ao nível de demônios com os quais mais diretamente travamos


luta. Os dominadores são normalmente os responsáveis por vícios que escravizam as
pessoas e que os levam a certas práticas, das quais se vêem impossibilitados de se
livrarem. Podemos classificá-los em :

 Dominadores de prostituição e homossexualismo,


 Dominadores do suicídio e violência;
 Dominadores das enfermidades e misérias;

 Dominadores do álcool e das drogas.

Desde que não haja um compromisso com Cristo, esses dominadores podem ter
outras formas de escravizar as pessoas.

As hostes são demônios com menor poder. São aqueles demônios de nível baixo
que infestam ambientes onde o pecado reina. Normalmente essa classe, quando
possui uma pessoa, ao se manifestar , não oferece resistência à expulsão. São estas
duas últimas classes, as responsáveis por ataques na mente, por acusações aos
santos e por pressões espirituais sobre os servos de Deus.

COMO VENCER CADA CLASSE

Os Dominadores e as Hostes

 Podemos vencê-los, consagrando-nos a Deus e usando as seguintes armas: O


nome de Jesus, a Fé e a Proclamação da Palavra. Estando protegidos pelo
Sangue do Cordeiro e cobertos com a Sua autoridade.
 Se o caso é de possessão e domínio sobre pessoas ou situações, Jesus
ensina a permanecer mais tempo recebendo e ouvindo de Deus em jejum e
oração a fim de que nossas armas tenham mais eficácia e força.

As Potestades

 Normalmente os líderes de Igreja são os que recebem resistência pesada


dessas

classes, contra a obra de Deus, impedindo que a Igreja conquiste novos níveis e
novas

posições. São vencidas apenas por líderes; pois a luta não é contra um membro

individual, mas contra toda uma Igreja ou obra. As Igrejas que crescem são Igrejas

onde os pastores e líderes enfrentam e vencem esses demônios. São vencidos


apenas,

como dissemos, por líderes em jejum, oração e intercessão.

 Se algum crente começa a orar buscando de Deus um ministério Ungido,


também terá que vencer a pressão e resistência dessas potestades em oração
e jejum, perseverantemente.
Os principados

Essa classe, por agir a nível de países, só é vencida pela Igreja como um todo, e por
seu corpo de líderes em unidade. Por que é tão importante que toda a Igreja ore por
um avivamento no Brasil? Porque só com essa carga pesada de oração os
principados serão vencidos e o avivamento virá. Sempre quando Deus levanta um
grupo de homens unidos, para orar e clamar por uma visitação , o objetivo é destruir o
empecilho dos principados.

Um crente sozinho não tem autoridade para derrubá-lo, mas um corpo de


ministério unido com uma Igreja que ora, possui essa autoridade.

Lúcifer

O mundo jaz sob o maligno, e nós estamos no mundo. Jesus orou ao Pai pedindo: Pai,
não peço que os tires do mundo, mas que os livre do mal. Enquanto estivermos na
terra, teremos que lutar contra este inimigo nas suas diferentes formas de agir, com as
armas poderosas que Deus nos deu. No entanto haverá um dia onde “do céu se
manifestará o Senhor Jesus com os anjos do seu poder em chamas de fogo. Ele
tomará vingança....”.

I Tss. 1: 7-8

“Será revelado o iníquo, a quem o Senhor Jesus desfará pelo sopro da sua boca, e
aniquilará pelo esplendor da sua vinda.” II Tss. 2: 8

“ Satanás será solto depois dos mil anos e sairá a seduzir as nações da terra e ajuntá-
las para a batalha ... Mas desceu fogo do céu, e os consumiu. E o diabo que os
enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre onde estão a besta e o falso
profeta, de dia e de noite serão atormentados para todo sempre.” Ap. 20: 9-10

As Heranças Familiares

Em muitas situações, crentes convertidos descobrem certa coincidência de um mesmo


vício em vários membros da família, ou a morte por uma mesma enfermidade, ou um
ataque generalizado numa mesma área. É freqüente também descobrirmos que o
nosso tipo de estrutura familiar nos levaria a ter tal fim: alcoolismo, prostituição,
drogas, homossexualismo ou ateísmo. É necessário orarmos contra esses demônios
familiares destruindo sua influência sobre nossas famílias, ou mesmo quebrando suas
tentativas sobre nós mesmos. É muito freqüente descobrirmos espíritos familiares que
acompanham nossas linhagens por séculos, até se verem destruídos por algum
“sacerdote”de família que cumpre seu papel trazendo a arca de Deus para seu lar.

As Armas de Defesa

Estudaremos agora as armas de defesa pelas quais “... mil cairão à esquerda e
dez mil à direita mas nós não seremos atingidos”.
 O Sangue de Jesus

Antes de falarmos sobre o Sangue, como arma de defesa, é preciso mostrar que
sua principal função é nos lavar de nossos pecados diante de Deus. Pelo Sangue,
nos aproximamos confiadamente diante do trono da graça”. (Rm 3:25; Rm 5:9; I Jo
1:7;

Mt 26:28; Ef 2:13; Hb 9: 22; Ap 1:5).

Devemos então lançar mão do precioso Sangue para : Nos purificar dos
pecados e lavar as nossas vestes. Este lavar é feito por fé. Devo crer que todo
meu ser torna-se limpo diante de Deus e todos os meus pecados esquecidos.

Por que o Sangue é arma de defesa? Porque o Sangue nos livra de toda
acusação do diabo. Se temos a marca do Sangue do Cordeiro nos umbrais de
nossas vidas, o anjo da morte não nos enxerga. (Ex. 12:13).

O Sangue de Jesus cega o diabo e oculta dele nossa vida, por isso a Bíblia diz:
“Bem-aventurados os que lavam suas vestes no SANGUE do Cordeiro”. Ap. 7:14

O Sangue é garantia de caminho seguro até o trono da graça.

 Submisão a Deus

Só estamos seguros se estivermos em obediência, debaixo dos princípios da


Palavra. Não adianta colocarmos as nossas vidas sob a proteção do Sangue se
entrarmos em contradição tentando a Deus.

Quando é que estamos insubmissos a Deus?

- Quando quebramos princípios de submissão aos pais ou ao marido;

- Quando quebramos leis humanas: Velocidade, segurança ou leis escritas;

- Quando não aceitamos a autoridade espiritual estabelecida sobre nós;

- Quando somos complacentes com o pecado...

Se agimos assim, temos uma enorme brecha aberta em nossas vidas para a
infiltração de demônios. Pois tudo que Satanás almeja é que andemos contrários à
vontade de Deus, pois assim estaremos andando nos seu princípio, que é o da
rebeldia.

 Submissão à Liderança
Da mesma forma que Deus quer que estejamos protegidos por estarmos debaixo
da cobertura de seus princípios, Ele quer que tenhamos outro nível de proteção contra
demônios : é o nível da “cobertura da liderança”da Igreja.

Eu só posso fazer alguma coisa na Igreja se estou debaixo da autoridade de


alguém.

É uma bênção termos líderes que nos cobrem. O diabo tenta por todas as formas nos
convencer que a autoridade não é boa. Daí a razão pela qual surgem na história todos
os tipos de movimento questionando o princípio da autoridade. O Anarquismo, os
Beatles, o movimento Hippie, o Feminismo e as rebeliões de modo geral nasceram
com a serpente.

Toda autoridade é constituída por Deus para nossa proteção, por isso, cuidado com
suas resistências, e com “profetas” que não têm igreja nem pastor. Cuidado com os
que não se submetem à autoridade da Igreja. Estes têm um futuro certo: a morte
espiritual.

Sabe porque a Bíblia diz que o pecado da rebeldia é como o pecado da


feitiçaria?

Porque ambos são maneiras de invocar e atrair demônios.

A submissão deve se dar nos níveis:

 De coração – Obedecendo sinceramente, mesmo contra a vontade da alma.


 Entendendo – Que um líder sofre e padece mais pressão que o liderado.

 Entendendo – Que por princípio, Deus falará primeiro com o líder e em seguida
com o liderado, por isso devemos estar atentos a cada expressão dos nossos
líderes.

 Servindo – Procurando servir o líder, poupando-o e abençoando-o. Agindo


assim, seremos irrepreensíveis e cheios de intrepidez espiritual.

Onde encontraremos exemplos disso?

 No relacionamento entre os profetas e os seus discípulos no Velho


Testamento.
 No relacionamento dos discípulos com o Senhor Jesus Cristo.

 No relacionamento entre o apóstolo Paulo e seus discípulos Tito,Timóteo,


João, Marcos, Epafrodito e os demais.

Sabemos que Deus está restaurando esse nível de relacionamento que protege , evita
erros, traz unidade e coesão.
Armas de Ataque

A Palavra de Deus – A palavra de Deus nos liberta de todo o engano de


Satanás. Ele trabalha em cima de mentiras, e se nós colocarmos a palavra de
Deus que é a verdade, suas mentiras cairão por terra, e frustrarão seus
desígnios.

Nós estamos livres em Cristo, mas se o diabo puder nos enganar, e levarnos a
crer que estamos presos, não experimentaremos a liberdade que é nossa herança.
Por isso temos uma arma de ataque contra ele: a palavra de Deus que é a verdade .

O nome de Jesus - A autoridade que foi conquistada por Jesus nos foi
transferida, e por isso podemos usar o NOME DE JESUS no qual todas as coisas
devem se sujeitar, e assim sendo, temos à nossa disposição esta poderosa arma de
ataque.

A oração tanto é uma arma de defesa como de ataque.

Nossa posição na liberdade

As seguintes declarações resumem sua identidade e posição em Cristo, e


constituem a base de sua liberdade em Cristo. Leia estas declarações em voz alta,
com frequência. Se atualmente você estiver envolvido num conflito espiritual, leia
estas declarações em voz alta pelo menos uma vez por dia, durante um mês.

Quem sou eu?

Eu sou ...

- Sal da terra. (Mt.5:13)

 Luz do mundo ( Mt.5:14)


 Filho de Deus (Jo.1:12)

 Parte da videira verdadeira. ( Jo.15:1)

 Escolhido e nomeado por Cristo para dar seus frutos. ( Jo.15:16)

 Servo da justiça (Rm.6:18)

 Servo de Deus ( Rm.6:22)

 Co-herdeiro com Cristo (Rm.8:17)


 Templo de Deus , uma habitação de Deus (I Co.3:16)

 Unido ao Senhor e um espírito com Ele ( I Co.6:17)

 Membro do corpo de Cristo ( I Co.12:27; Ef. 5:30)

 Uma nova criação (II Co5:17)

 Reconciliado com Deus e ministro da reconciliação ( II Co.5:18,19)

 Feitura de Deus- obra de suas mãos, nascido de novo em Cristo para fazer
boas obras ( Ef.2:10)

 Concidadão com os demais membros da família de Deus (Ef.2:19)

 Prisioneiro de Cristo (Ef.3:1)

 Justo e santo (Ef.4:24)

 Cidadão do céus, assentado no céu agora mesmo ( Fl.3:20)

 Escondido com Cristo em Deus (Cl.3:3)

 Expressão da vida de Cristo, porque Ele é a minha vida.(Cl 3:4)

 Um escolhido de Deus, santo e amado de Deus (Cl.3:12)

 Filho da luz e não das trevas (I Tss.5:5)

 Participante da vocação celestial (Hb.3:1)

 Uma das pedras vivas de Deus, edificado em Cristo e casa espiritual.(I Pe.2:5)

 Membro da raça escolhida, do sacerdócio real, da nação santa, do povo da


possessão do próprio Deus ( I Pe. 2: 9-10 )

 Estrangeiro neste mundo, em que vivo temporariamente. ( I Pe. 2: 11)

 Um inimigo do diabo. ( I Pe. 5: 8 )

 Nascido de Deus, e por isso o maligno não pode me tocar. ( I Jo. 5: 18 )

Visto que estou em Cristo, pela graça de Deus....

 Fui justificado – totalmente perdoado, e feito justo. (Rm. 5: 1)


 Morri com Cristo, e morri para o poder do pecado, que não exerce autoridade
sobre a minha vida. (Rm. 6: 1-6 )

 Estou livre da condenação , eternamente. ( Rm. 8:1 )

 Fui colocado em Cristo pela mão de Deus. ( I Co. 1:30 )


 Recebi a mente de Cristo. ( I Co. 2:6 )

 Fui comprado por um preço; eu não me pertenço; pertenço a Deus. I Co.6:19-


20

 Fui estabelecido , ungido e selado por Deus em Cristo. ( Ef. 1: 13-14)

 Visto que morri, já não vivo mais para mim mesmo, mas para Cristo.

 Fui criado com Cristo, e eu não vivo mais , mas Cristo vive em mim. A vida que
estou vivendo agora, é a vida de Cristo. ( Gl. 2:20 )

 Fui abençoado com todas as bençãos espirituais. ( Ef. 1:3 )

 Fui escolhido em Cristo antes da fundação do mundo para ser santo, e não
tenho culpa diante do Senhor. ( Ef. 1: 4 )

 Fui redimido e perdoado, e recebo a graça abundante do Senhor. ( Ef. 1: 6-8 )

 Eu ressuscitei e me assentei com Cristo no céu. ( Ef. 2:6 )

 Tenho acesso direto a Deus, mediante o Espírito. ( Ef. 2:18 )

 Posso aproximar-me de Deus com ousadia, liberdade e confiança. ( Ef. 3: 12 )

 Fui liberto do domínio de Satanás, e transferido para o reino de Cristo.Cl. 1:13

 Fui redimido e perdoado de todos os meus pecados, meu débito foi cancelado

 O Senhor Jesus Cristo vive em mim. ( Cl. 1:27 )

 Estou firmemente enraizado em Cristo, e nele estou sendo edificado. ( Cl. 2:7)

 Fui feito completo, em Cristo. ( Cl. 2:10)

 Fui sepultado, ressurgi, e agora vivo com Cristo. Minha vida está escondida
com Cristo, em Deus. Agora Cristo é a minha vida. Cl. 3: 1-4 )

 Eu recebi um Espírito de poder, de amor e de moderação. ( II Tm. 1:7 ).

 Eu fui salvo e separado, de acordo com a vontade de Deus. ( Tito 3:5 )

Você também pode gostar