Você está na página 1de 269

CONTROLE DE REVISÃO SÚMULAS

RESUMAPAS
OAB XXXII
COM ALTERAÇÕES DO
PACOTE ANTICRIME

ORDEM BASEADA NO CRONOGRAMA


DA @VICIODEUMAESTUDANTE

@contemdireito_
Sumário
1 INTRODUÇÃO
2 CONTROLE DE REVISÃO
13 RESUMAPAS DE DIREITO CONSTITUCIONAL
37 RESUMAPAS DE PROCESSO DO TRABALHO
49 SÚMULAS DE PROCESSO DO TRABALHO
56 RESUMAPAS DE DIREITO EMPRESARIAL
76 SÚMULAS DE DIREITO EMPRESARIAL
78 RESUMAPAS DE DIREITO PENAL
79 ARTIGOS MODIFICADOS PELO PACOTE ANTICRIME
106 SÚMULAS DE DIREITO PENAL
108 RESUMAPAS DE DIREITO TRIBUTÁRIO
120 RESUMAPAS DE PROCESSO PENAL
143 SÚMULAS DE PROCESSO PENAL
145 RESUMAPAS DE DIREITO DO TRABALHO
156 SÚMULAS DE DIREITO DO TRABALHO
162 RESUMAPAS DE DIREITO ADMINISTRATIVO
182 SÚMULAS DE DIREITO ADMINISTRATIVO
189 RESUMAPAS DE DIREITO CIVIL
216 SÚMULAS DE DIREITO CIVIL
217 RESUMAPAS DE PROCESSO CIVIL
235 SÚMULAS DE PROCESSO CIVIL
237 RESUMAPAS DE ÉTICA
251 RESUMAPAS DE DIREITO DO CONSUMIDOR
255 SÚMULAS DE DIREITO DO CONSUMIDOR
256 RESUMAPAS DE DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE
266 CONSIDERAÇÕES FINAIS
267 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

@contemdireito_
Introdução
"Em seu coração, o homem planeja o seu caminho,
mas o Senhor determina os seus passos."
Provérbios 16:9

Olá, oabeiros. Tudo bem? Prazer, sou a Bruna Monteiro, criadora do @contemdireito_ e a pessoa que criou esse
material de revisão porque sentiu uma necessidade enorme de fazer revisões mais eficientes ao estudar para a
OAB. E, antes de te explicar sobre o material que preparei, gostaria de agradecer pela sua confiança em mim e
no meu material. É um prazer poder compartilhar essa trajetória com vocês. Agradeço de coração a cada um
que dedicou seu tempo e seu dinheiro para caminhar junto comigo. Contem comigo sempre que precisarem!

Esse material possui um controle de revisão, resumapas (que são minhas anotações em formato de resumos -
por serem super completos - mas, no tamanho de um mapa mental, para que possamos recortar e colar no livro
de questões), e o conteúdo das súmulas mais cobradas nas últimas provas que estão presentes ao final de cada
matéria!

Fiz esse material pensando nas revisões, que são de indispensáveis durante os nossos estudos ao longo do
cronograma e, também, ao finalizarmos. Inicialmente, a estratégia que recomendo a todos vocês ao usarem
esse material é a seguinte:

1) Use o controle para programar e dar o check nas matérias e assuntos que você revisou.
2) Os resumapas podem servir tanto para as revisões, como para dar uma pincelada na teoria antes de fazer
questões.
3) As súmulas servem para que você leia sempre que finalizar os assuntos de uma matéria, ou até antes, mas é
importante que você releia várias vezes, pois elas costumam cair na sua literalidade.

4) Terminou o cronograma e está com dificuldade de revisar?


No meu Drive, tem um "Controle de Rendimentos" gratuito, que vai te ajudar a mapear todos os seus
rendimentos no cronograma. Os que ficarem abaixo de 60%, você pode sinalizar e marcar direto no Controle de
Revisões. Assim, você pode fazer mais questões sobre esses temas, relendo os resumapas e os comentários das
questões do livro. E, após, reler as súmulas para completar.

5) Lembrando que: muitos dos resumapas já vem com a literalidade da lei, assim como o destrinchamento de
muitas "decorebas". Referenciei os assuntos, para caso queiram dar uma lida na lei seca também.

6) Os post-its servem para que vocês possam adicionar macetes e observações extras de próprio punho, e
assim, firmar os assuntos ainda mais na cabeça de vocês.

E é isso, galera! Meu desejo é que os dias improdutivos diminuam e que a gente se sinta cada vez mais no
caminho certo rumo à nossa aprovação! Então, espero que esse material ajude você de uma forma gigante.
Abraços da Bru <3

"Você nunca será ótimo antes de ser frequente." - Caio Carneiro

@contemdireito_
1
Controle
de
Revisão

@contemdireito_
2
Controle de Revisão
DIREITO CONSTITUCIONAL

ASSUNTOS RESUMAPAS QUESTÕES SÚMULAS DATA DA REVISÃO OBSERVAÇÕES OK!


1. Teoria da Constituição
2. Direitos e Garantias Fundamentais
3. Remédios Constitucionais
4. Nacionalidade
5. Direitos Políticos
6. Organização do Estado
7. Repartição de competência
8. Entes Federados e Intervenção
9. Administração Pública
10. Organização dos Poderes
11. Poder Legislativo
12. Processo Legislativo
13. Prerrogativas e imunidades parlamentares

14. Fiscalização contábil, financeira e


orçamentária
15. Poder Executivo
16. Poder Judiciário
17. Defesa do Estado
18. Da ordem social
19. Controle de Constitucionalidade

MATERIAL DE USO INDIVIDUAL FEITO POR BRUNA MONTEIRO @CONTEMDIREITO_


PROIBIDO O REPASSE
3
DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO

ASSUNTOS RESUMAPAS QUESTÕES SÚMULAS DATA DA REVISÃO OBSERVAÇÕES OK!


1. Competência
2. Condições da ação e pressupostos
processuais
3. Dos atos, termos e prazos processuais
4. Das despesas processuais
5. Ação Trabalhista
6. Defesa do réu
7. Da audiência
8. Provas
9. Da execução
10. Recursos
11. Do acordo
12. Procedimento Sumaríssimo

DIREITO EMPRESARIAL

ASSUNTOS RESUMAPAS QUESTÕES SÚMULAS DATA DA REVISÃO OBSERVAÇÕES OK!


1. Teoria Geral do Direito Empresarial
2. Empresário
3. Estabelecimento Empresarial
4. Registro e Escrituração
5. Direito Societário
6. Desconsideração da Personalidade
Jurídica
7. Títulos de Crédito
8. Falência
9. Recuperação Judicial

MATERIAL DE USO INDIVIDUAL FEITO POR BRUNA MONTEIRO @CONTEMDIREITO_


PROIBIDO O REPASSE 4
DIREITO PENAL

ASSUNTOS RESUMAPAS QUESTÕES SÚMULAS DATA DA REVISÃO OBSERVAÇÕES OK!


1. Princípios
2. Classificação de crimes
3. Eficácia da lei penal no tempo e
espaço
4. Fato típico
5. Ilicitude
6. Culpabilidade
7. Da Extinção da Punibilidade
8. Do Concurso de Pessoas
9. Das Penas
10. Concurso de Crimes
11. Crimes contra a pessoa (VIDA)
12. Crimes contra a pessoa (LESÕES)
13. Crimes contra a honra
14. Crimes contra a liberdade individual
15. Crimes contra o patrimônio
16. Crimes contra a dignidade sexual
17. Crimes contra a fé pública
18. Crimes contra a administração
pública
19. Leis especiais e de Crimes
Hediondos

MATERIAL DE USO INDIVIDUAL FEITO POR BRUNA MONTEIRO @CONTEMDIREITO_


PROIBIDO O REPASSE 5
DIREITO TRIBUTÁRIO

ASSUNTOS RESUMAPAS QUESTÕES SÚMULAS DATA DA REVISÃO OBSERVAÇÕES OK!


1. Competência Tributária
2. Limites constitucionais ao poder de
tributar (princípios)
3. Imunidades Tributárias
4. Conceito de tributo e espécies
tributárias
5. Vigência, aplicação, interpretação e
integração da legislação tributária
6. Obrigação Tributária
7. Responsabilidade tributária
8. Crédito Tributário: extinção,
suspensão e exclusão
9. Espécies Tributárias

MATERIAL DE USO INDIVIDUAL FEITO POR BRUNA MONTEIRO @CONTEMDIREITO_


PROIBIDO O REPASSE

6
DIREITO PROCESSUAL PENAL

ASSUNTOS RESUMAPAS QUESTÕES SÚMULAS DATA DA REVISÃO OBSERVAÇÕES OK!


1. Princípios
2. Inquérito Policial
3. Ação Penal
4. Competência
5. Questões e Processos Incidentes
6. Prova
7. Prisão, medidas cautelares e
liberdade provisória
8. Procedimentos do CPP
9. Citações e Intimações
10. Recursos
11. Ações Autônomas de Impugnação
12. Leis Especiais: Interceptação
Telefônica, Organização Criminosa, Lei
Maria da Penha e Lei das Drogas
13. Procedimentos da execução penal

MATERIAL DE USO INDIVIDUAL FEITO POR BRUNA MONTEIRO @CONTEMDIREITO_


PROIBIDO O REPASSE 7
DIREITO DO TRABALHO

ASSUNTOS RESUMAPAS QUESTÕES SÚMULAS DATA DA REVISÃO OBSERVAÇÕES OK!


1. Relação de Trabalho
2. Contrato de Emprego
3. Empregado
4. Empregador
5. Interrupção e suspensão do contrato
de trabalho
6. Alteração do contrato de trabalho
7. Duração do Trabalho
8. Férias
9. Estabilidade
10. Remuneração
11. Extinção do contrato de trabalho
12. Aviso Prévio
13. Direito Coletivo do Trabalho
14. Prescrição e Decadência

MATERIAL DE USO INDIVIDUAL FEITO POR BRUNA MONTEIRO @CONTEMDIREITO_


PROIBIDO O REPASSE 8
DIREITO ADMINISTRATIVO

ASSUNTOS RESUMAPAS QUESTÕES SÚMULAS DATA DA REVISÃO OBSERVAÇÕES OK!


1. Princípios da administração pública
2. Administração pública e terceiro setor
3. Poderes da Administração
4. Organização da Administração Pública
5. Atos Administrativos
6. Agentes Públicos
7. Improbidade Administrativa
8. Intervenção do Estado na
Propriedade
9. Responsabilidade Civil do Estado
10. Licitações e Contratos
Administrativos
11. Serviços Públicos
12. Consórcios Públicos
13. Parceria Público Privada
14. Controle da Administração Pública

MATERIAL DE USO INDIVIDUAL FEITO POR BRUNA MONTEIRO @CONTEMDIREITO_


PROIBIDO O REPASSE
9
DIREITO CIVIL

ASSUNTOS RESUMAPAS QUESTÕES SÚMULAS DATA DA REVISÃO OBSERVAÇÕES OK!


1. Pessoas Naturais, Jurídicas e
Domicílio
2. Fatos Jurídicos (Negócios Jurídicos)
3. Prescrição e Decadência
4. Obrigações
5. Contratos
6. Contratos em Espécie
7. Responsabilidade Civil
8. Direito das Coisas
9. Direito de Família
10. Direito das Sucessões

DIREITO PROCESSUAL CIVIL

ASSUNTOS RESUMAPAS QUESTÕES SÚMULAS DATA DA REVISÃO OBSERVAÇÕES OK!


1. Arbitragem e Mediação
2. Atos Processuais
3. Partes e Procuradores
4. Jurisdição e Competência
5. Tutelas Provisórias
6. Formação, suspensão e extinção do
processo
7. Procedimento Comum
8. Sentença e Coisa Julgada
9. Processo de Execução
10. Processo nos Tribunais e dos
Recursos
11. Legislação Especial: Lei dos Juizados
Especiais Cíveis, M.S. e Ação Popular
10
MATERIAL DE USO INDIVIDUAL FEITO POR BRUNA MONTEIRO @CONTEMDIREITO_
PROIBIDO O REPASSE
ÉTICA

ASSUNTOS RESUMAPAS QUESTÕES SÚMULAS DATA DA REVISÃO OBSERVAÇÕES OK!


1. Atividades da Advocacia
2. Mandato Judicial
3. Direitos e Prerrogativas dos
Advogados
4. Inscrição da OAB
5. Sociedade de Advogados
6. Honorários Advocatícios
7. Incompatibilidades e Impedimentos
8. Ética do Advogado
9. Publicidade Profissional
10. Infrações e Sanções Disciplinares
11. Processo Administrativo Disciplinar
12. Relações com o cliente
13. Estrutura da OAB e Eleições
14. Sigilo Profissional
15. Competência do Tribunal de Ética e
Disciplina

MATERIAL DE USO INDIVIDUAL FEITO POR BRUNA MONTEIRO @CONTEMDIREITO_


PROIBIDO O REPASSE 11
DIREITO DO CONSUMIDOR

ASSUNTOS RESUMAPAS QUESTÕES SÚMULAS DATA DA REVISÃO OBSERVAÇÕES OK!


1. Princípios e Direitos Básicos
2. Proteção Contratual no CDC
3. Responsabilidade pelo fato do
produto e serviço
4. Responsabilidade pelo vício do
produto e do serviço
5. Práticas Abusivas

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

ASSUNTOS RESUMAPAS QUESTÕES SÚMULAS DATA DA REVISÃO OBSERVAÇÕES OK!


1. Família Natural e Substituta
2. Medidas de Proteção e
Socioeducativas
3. Direitos Fundamentais
4. Apuração de irregularidades em
entidade de atendimento
5. Crimes e Infrações Administrativas

MATERIAL DE USO INDIVIDUAL FEITO POR BRUNA MONTEIRO @CONTEMDIREITO_ 12


PROIBIDO O REPASSE
1.
DIREITO
CONSTITUCIONAL

@contemdireito_

13
Teoria da Constituição
Democrática Cesarista
⤷ Com representantes ⤷ Ditador ou Império.

legítimos do povo. ⤷ Aprovação mediante

⤷ Assembleia Constituinte Plebiscito ou referendo.

Outorgada Pactuada
⤷ Não possui representante ⤷ Compromisso instável.
legítimo do povo. ⤷ Duas forças políticas
⤷ Regime totalitarista ou rivais.
Absolutista,
NÃO DEMOCRÁTICO.

Classificação da Constituição/88

Origem: Promulgada por Assembleia Constituinte, realizada por


representantes do povo.
Forma: Escrita. *A doutrina majoritária entende que a Constituição é
nominal, por suas leis não serem em sua maioria, eficazes.
Conteúdo: Formalmente constitucional.
Estabilidade: Rígida (é mais difícil alterar uma lei do que criá-la).
Congresso Nacional » 3/5 dos votos dos membros em 2 turnos.
Modo de elaboração: Dogmática.

14
Direitos Fundamentais e suas dimensões
Art. 5º da CF

1ª dimensão: PC 3ª dimensão: CD
Direitos POLÍTICOS E CIVIS Direitos DIFUSOS e COLETIVOS
» Menor interferência do Estado » Origem comum
» Valor LIBERDADE/NEGATIVOS » Valor FRATERNIDADE/UNIVERSAIS

2ª dimensão: ESC 4ª dimensão: DIP


Direitos ECONÔMICOS, SOCIAIS DEMOCRACIA, INFORMAÇÃO e
e CULTURAIS. PLURALISMO.
» Ação interventiva do Estado

» Valor IGUALDADE/
PRESTAÇÃO POSITIVA

Remédios Constitucionais

3. Habeas Corpus 2. Mandado de injunção 1. Ação Popular


Art. 5º, LXVIII Art. 5º, LXXI Art. 5º, LXXIII
⤷ Defesa de direitos difusos.
⤷ Liberdade de ir e vir (por ⤷ Falta de normas que torne
ilegalidade ou abuso de poder. inviável o exercício de direitos ⤷ Proposta por qualquer cidadão.
e liberdades constitucionais. ⤷ Competência: juízo comum de 1º grau.
⤷ HC individual (qualquer
pessoa) ou HC coletivo. ⤷ M. I. Individual: pessoal, natural
e jurídica.
4. Mandado de Segurança
.
⤷ M.I. Coletivo: M.P., D.P., Partido Art. 5º, LXIX, LXX
5. Habeas Data
Político, Sindicato, Entidade ou ⤷ Quando direito líquido e certo, não
Art. 5º, LXXII Associação. amparado por HC e HD, for violado
ilegalmente ou abuso de poder por
⤷ Assegurar o conhecimento autoridade.
de dados pessoais.
⤷ M.S. individual e coletivo.
⤷ Impetrante (é um remédio
⤷ Competência: depende da autoridade
personalíssimo). coautora.
15
Direitos Políticos
Art. 14, CF.

Direitos Positivos: Direitos Negativos:


1. a) ALISTÁVEIS: + 18 anos (obrigatório)
3. INELEGIBILIDADES:
Analfabetos
+ 60 anos Perda e suspensão (art. 15)
+ 16 – 18 (facultativos) a) Relativas (art. 14, §5º a §9º)
b) Plebiscito e referendo: art. 49, XV
1) Motivos funcionais
c) Iniciativa popular: art. 61, §2º
2) Cônjuge e parentesco
d) Ação Popular: art. 5º, LXXIII
3) Militares
4) Legais
2.. ELEGIBILIDADE:
b) Absolutas (art. 14, §4º)
I – Nacionalidade brasileira
1) Inalistáveis
I – Pleno exercício dos direitos políticos 2) Analfabetos
I I – Alistamento eleitoral
IV – Domicílio eleitoral na circunscrição
V – Filiação partidária
VI – Idade mínima Presidente da República e Vice-Presidente: 35
anos
Senador: 35 anos
Governador e Vice do E e DF: 30 anos

Deputado, Prefeitos, Vice-Prefeito e Juiz de paz:


21 anos
Vereador: 18 anos

16
Nacionalidade
Brasileiro NATO:
Cargos privativos ao Brasileiro Nato:
Art. 12, I, a, b, c, CF.
a) Nascidos no Brasil, ainda que de pais a) Presidente e Vice-Presidente
estrangeiros, desde que não estejam a serviço do seu país. b) Presidente da Câmara dos Deputados
b) Nascidos no estrangeiro, mas com pais brasileiros a c) Presidente do Senado
serviço do Brasil. d) Ministro do STF
c) Nascidos no estrangeiro, de pais brasileiros, registrados e) Carreira Diplomática
em repartição brasileira competente e vim morar no f) Oficial das Forças Armadas
Brasil antes da maioridade. g) Ministro de Estado de Defesa

NATURALIZADO: NATURALIZADO EXTRADITADO:

a) Adquiram nacionalidade brasileira. a) Crime comum, praticado antes da


b) Estrangeiros residentes no Brasil há mais de 15 naturalização.
anos ininterruptos e sem condenação penal, b) Comprovado envolvimento em tráfico
desde que peçam a nacionalidade brasileira. ilícito de entorpecentes e drogas afins.

OBS: O BRASILEIRO NATO NÃO SERÁ EXTRADITADO


EM NENHUMA HIPÓTESE!

Hipóteses de tratamento NACIONALIDADE ADQUIRIDA:

Diferenciado entre brasileiros: a) NATURALIZAÇÃO ORDINÁRIA: art. 12, II,a.


b) NATURALIZAÇÃO EXTRAORDINÁRIA OU
 Cargos: art. 12, §3º, CF QUINZENÁRIA: art. 12, II, b.
 Função: art. 89, VII, CF
 Extradição: art. 5º, LI, CF
 Propriedade: art. 222, CF.

Organização do Estado

Características da Federação: 1. Impossibilidade de secessão » art. 1


2. Entes autônomos e independentes » art. 18
3. Competências » art. 21 ao 24
4. Intervenção Federal » art. 34 ao 36
5. Senado Federal » art. 46
6. Cláusula Pétrea » art. 60, §4º, I
17
Repartição de Competências
Arts. 21 ao 24, CF.

I. Núcleo do federalismo
II. A autonomia presume a repartição de competências, que podem ser:
Administrativas (art. 21), Tributárias (art. 145) e Legislativas (art. 22).
III. As competências podem ser alteradas por Emenda Constitucional, mas NÃO
PODEM COMPROMETER A FORMA FEDERATIVA DO ESTADO.
EXCLUSIVA DA UNIÃO PRIVATIVA DA UNIÃO
Art. 21 Art. 22 + cobrada
MACETE: PARA LEGISLAR (se a questão perguntar sobre
MACETE: PARA FAZER legislar, está falando sobre as competências privativas).
» Apenas a União pode LEGISLAR sobre.
» Apenas a União pode fazer. » Delegável, mas nem todas.
» LC pode delegar aos E e DF, mas não ao M.
» Indelegável. » Competência Legislativa.
» Competência Administrativa.
» Não confundir com iniciativa » CAPACETE PM
» Desapropriação
exclusiva/reservada/privativa de lei.

COMUM CONCORRENTE
Art. 23 Art. 24
» Todos os entes: U, E, DF e M. União, E e DF.
» O Município NÃO tem competência
» Memorizar o art. 23, pois é o menor, concorrente!
com 12 artigos. » Memorizar esse artigo porque é o menor,
» Outros nomes: paralela e cumulativa. com 16 artigos.
» Não há subordinação. » .REGRAS DA COMPETÊNCIA
» Competências NÃO LEGISLATIVAS. CONCORRENTE:
» Interesse da coletividade/difusos 1) União fixa regras gerais
» Leis Complementares fixarão normas 2) Os E suplementam e a U
para a cooperação entre U, E, DF e M, complementa.
visando o equilíbrio do bem estar nacional. 3) Se a U não se manifesta sobre, os E
podem falar se manifestar.
4) Se a U não falou nada e o E legislou,
e a U percebeu e legislou depois
sobre a mesma coisa, a lei FEDERAL
superveniente suspende a eficácia da
ESTADUAL no que for
contrário/divergente.
18
COMPETÊNCIA DOS ESTADOS COMPETÊNCIA DOS MUNICÍPIOS
» RESIDUAL E REMANESCENTE 1) EXCLUSIVA (art. 30, I):
» Criação. Incorporação, desmembramento Legislar sobre assuntos de interesse local.
e fusão de Municípios: art. 18, §3º e §4º. 2) SUPLEMENTAR (art. 30, II):
1) CRIAÇÃO: LC Federal » Congresso Completar a legislação federal e estadual,
Nacional no que couber.
2) INCORPORAÇÃO: Plebiscito.
3) DESMEMBRAMENTO: Plebiscito ou
LC » Congresso Nacional.
4) FUSÃO: idem.
» Exploração de gás canalizado: art. 25,
§2º.
» Instituição de regiões metropolitanas,
aglomerações urbanas e microrregiões: art.
25, §3º.
» Organização de sua própria justiça.: art.
125.
» Serviço de transporte intermunicipal.

Observações:
1) Deputado dos Territórios é da União.
2) Deputado dos Municípios são do DF.
3) Polícia Civil e Militar do DF é servidor federal
4) Poder Judiciário, MP, PM, PC e Bombeiro Militar são da União, não do DF. Seguem leis
federais.
5) As Privativas da União podem delegar ao DF? SIM, o DF possui competência híbrida.
MACETES:
PRIVATIVA: CONCORRENTE:
C ivil DE desapropriação P rocessual TRI butário
A eronáutico M arítimo FI nanceiro
P enal P enintenciário
A grário EC onômico
C omercial UR banístico
E leitoral
T rabalhista
E spacial 19
Intervenção
Art. 34 ao 36, CF.

HIPÓTESES:  ESTADOS: REQUISITOS:


 UNIÃO (pode de ofício): I- Quando a dívida fundada deixar
:I- No caso do art. 34, IV:
de ser paga por 2 anos
I- Manter a integridade nacional.;
consecutivos, sem motivo de Solicitado pelo Poder Legislativo ou do
II- Repelir invasão estrangeira ou de uma unidade
força maior. Poder Executivo coacto ou impedido.
da Federação em outra;
III- Pôr termo a grave comprometimento da I - Não forem prestadas contas Requisição do STF, se a coação for feita
ordem pública; devidas, a forma da lei. contra o Poder Judiciário.
IV- Garantir o livre exercício de qualquer dos
I I- Não tiver sido aplicado o I - Desobediência a ordem ou decisão
poderes nas unidades de Federação;
mínimo exigido da receita judiciária.
V- Reorganizar as finanças da Federação;
municipal.
VI- Prover a execução de lei federal, ordem ou Requisição do STF, STJ ou TSE.
decisão judicial; IV- O Tribunal der provimento a
I I- No caso do art. 34, VII e de recusa à
VII- Assegurar a observância dos princípios representação para assegurar a
execução de lei federal:
constitucionais: Forma republicana observância de princípios
Sistema representativo indicados na Constituição Estadual, Provimento pelo STF
Regime democrático ou para prover execução da lei,
Direitos da pessoa humana de ordem ou de decisão judicial. Representação do Procurador-Geral da
Autonomia municipal República.
Prestação de contas da Adm. Pública
Aplicação do mínimo exigido na receita.

Administração Pública
Art. 37, CF 4. EC 77/2014

1. Princípios LIMPE Estendida aos profissionais da saúde das Forças


Armadas a possibilidade de acumulação
2. Concurso público e o princípio remunerada de cargos Públicos.
» Militares dos E, DF e T.
da igualdade
» Aplica-se essa regra, com prevalência da
Pode ocorrer: atividade militar.

a) Fixação de limites etários máximos de acordo 5. Funções de confiança


com o cargo.
Exclusivas de servidores de cargo público efetivo e
b) Limites mínimos de altura de candidatos. os cargos em comissão, destinam-se apenas às
c) Distinção de raça (cotas). atribuições de direção, chefia e assessoramento.
6. Direito de greve
3. Cumulação de cargos ou
concursos públicos Assegurado ao servidor público, devendo ser
exercido de acordo com lei ESPECÍFICA, não
VEDADA, exceto se houver compatibilidade de horários. complementar. 20
Poder Legislativo
Art. 44, CF.
» Imunidades: » Atividade Legislativa do Congresso Nacional
⤷ Formal: membros do Congresso NÃO
⤷ LEGISLATURA: 4 anos de atividade legislativa.
Poderão ser presos, salvo em flagrante de crime
⤷ SESSÃO LEGISLATIVA: Períodos
Inafiançável (autos são enviados à Casa em 24h).
NÃO SE APLICA AOS VEREADORES. 2 de fevereiro a 17 de julho

⤷ Material: Deputados e Senadores são 1 de agosto a 22 de dezembro


⤷ SESSÃO CONJUNTA: Reunião da Câmara + Senado
INVIOLÁVEIS, civil e penalmente por suas
opiniões, palavras e votos. Para conhecer do veto presidencial e deliberar sobre ele.

Vereadores também gozam dessa imunidade! ⤷ SESSÃO EXTRAORDINÁRIA: Convocação do

(no exercício do mandato e no Município vinculado). Presidente do Senado ou

» Deputados Estaduais possuem as mesmas imunidades Presidente da Câmara ou

dos parlamentares federais. Presidente da República.

» Restrição do foro de prerrogativa funcional Urgência ou interesse público, será por requerimento da
maioria das Casas acima.
» STF não precisa de licença da Casa Legislativa para
processar um de seus membros.

Processo Legislativo
1. Fase INICIAL: 3. Fase COMPLEMENTAR: Promulgação Publicação

⤷ Iniciativa legislativa (REGRA (art. 61, CF)


48h *Se P.R. não
TÁCITA EXPRESSA Cabe ao P.R
⤷ Membros: (Sanção) fizer*
Câmara dos Deputados
Senado Federal
Congresso Nacional Presidente da República Pres. do Senado
Presidente da República 48h
Aprova Projeto de Lei
Procurador Geral da República Vice-Pres. do Senado
STF e Tribunais Superiores ☛ Casa inicial ☛ rejeitado ☛ ARQUIVA (art. 67)
Cidadãos (iniciativa popular) Emenda Aprova
☛ Casa revisora ☛ rejeitado ☛ ARQUIVA (art. 67)

2. Fase CONSTITUTIVA: VETO ☛ 1. Político ☛ 48h para comunicar ☛ Presidente do Senado


Deliberação parlamentar 2. Jurídico motivos
(discussão e votação) 3. Total Congresso Nacional
4. Parcial ☛ Rejeita veto ☛ FASE COMPLEMENTAR
☛ Mantém veto ☛ ARQUIVA 21
Emenda à Constituição
Aprovação: Art. 60, CF. Proposta:

Discutida e votada em cada ⤷ 1/3 no mínimo dos membros da Câmara


Casa do Congresso Nacional em Dos Deputados ou Senado Federal.
2 turnos e se obtiver 3/5 dos votos. ⤷ Presidente da República
⤷ Assembleias Legislativas, mais da metade
OBS: Matéria rejeitada ou havida por prejudicada (maioria RELATIVA)
NÃO PODE ser objeto de nova proposta na
NÃO PODE ABOLIR:
mesma sessão legislativa.
1. Forma federativa de Estado
⤷ Será arquivada e só pode ser proposta
2. Voto direto, secreto, universal e
novamente na próxima sessão do outro ano. periódico.
3. Separação de Poderes
Promulgada:
4. Direitos e garantias fundamentais
Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado.
(não pelo Presidente da República)! ☛ Em caso de relevância e urgência, adota Medidas Provisórias
⤷ perdem a eficácia, se não
convertidas em lei em 60 dias.

Medidas Provisórias
VEDAÇÕES
Em caso de relevância e urgência,
Serão adotadas pelo Presidente da STF: 1. Sobre matéria relativa à nacionalidade,
República., com força de lei.. cidadania, direitos políticos e direito ambiental.
Revogação de MP por outra MP
⤷ Devem ser submetidas ao Congresso. 2. Matéria já disciplinada em projeto de lei
⬇ em projeto de lei já aprovado pelo Congresso,
Perderão eficácia se: pendente sanção ou veto do Presidente.
Suspende a eficácia da norma
Não forem convertidas em lei ab-rogada, mas pode voltar a 3. Reedição, na mesma sessão legislativa de
no prazo de 60 dias. Prorrogáveis vigorar. MP já rejeitada ou sem eficácia pelo tempo
decorrido.
por mais 60 dias.
⤷ Congresso Nacional disciplina por Aumento de despesa:
Decreto legislativo. NÃO É VEDADA:
⤷ Não permitido em projeto de
Regime de urgência: Iniciativa exclusiva do Presidente e ⤷ Abertura de crédito extraordinário,
A não apreciação pela Câmara dos Nos de organização da Câmara, criação de normas de licitações e
deputados e após, pelo Senado Senado, Tribunais Federais e contratos administrativos ou aumento
Federal, em 45 dias da publicação. Ministério Público. de alíquota de impostos.

22
.
Lei Medida

Delegada & Provisória


Art. 62
Art. 68, §1º
⤷ Ato normativo primário
⤷ Elaborada pelo Presidente da República
⤷ Requisitos: Relevância e urgência
⤷ Autorizado e limitado pelo Poder ⤷ Presidente pode editar com força de lei
Legislativo. e submeter ao Congresso.
⤷ Prazo: 60 dias, prorrogáveis por mais 60.
⤷ Procedimento: ⤷ Aprovada: Converte em LEI ORDINÁRIA,
P.R. » Congresso Nacional » Votado pelas Promulgada pelo Presidente do Senado »
2 casas » Sessão conjunta ou separadamente Remete ao Presidente para publicação.
» se aprovada por maioria simples » resolução ⤷ Rejeitada:
(especifica atos do Presidente) » Congresso (se 1. EXPRESSA: arquivada » Presidente do
necessário) » se extrapolar os limites » Decreto Senado declara ineficaz.
(susta os efeitos) » não afasta ADIn. 2. TÁCITA: se não terminar em 120 dias,
perda da ineficácia.
⤷ Modalidades de delegação do C.N: ⤷ Não podem regulamentar assuntos
1. Atípica ou imprópria: com reservados à L.C. » Emenda 32.
RETORNO ⤷ M.P. nos E e M: previsão na CE e LI do
2. Típica ou própria: sem Município.
RETORNO.

Lei Lei
x
Complementar Ordinária

⤷ O seu campo material é alcançado por


⤷ Legislador Constituinte entende que algumas
exclusão, se a CF não exigir LC, será, então,
matérias, ainda que importantes, não devem ser
por lei ordinária.
tratadas na Constituição (no texto dela).
⤷ Processo Legislativo: Ordinário ou Comum.
⤷ OBJETO: Matéria expressamente prevista na
CF. FASES
INTRODUTÓRIA COMPLEMENTAR
⤷ Processo Legislativo na fase de votação: ⬇ ⤷ Promulgação
Iniciativa CONSTITUTIVA ⤷ Publicação
Quórum de maioria ABSOLUTA. ⤷ Debate
⤷ Votação
⤷ Sanção/Veto
Quórum de maioria RELATIVA ou SIMPLES. 23
Imunidades Parlamentares

MATERIAL FORMAL FORO POR AFASTAMENTO DO


» Deputados e (PROCESSUAL) PRERROGATIVA PODER LEGISLATIVO
Senadores são
invioláveis CIVIL e
» Direito de não ser ou não DE FUNÇÃO » NÃO PERDERÃO O MANDATO:
permanecer preso e  Ministro de Estado
PENALMENTE. STF
possibilidade de suspensão do  Governador do Território
⤷Opiniões/Palavras/ ⬇
processo penal.  Secretário do E, DF, T e
Votos. Desde a
1. PRISÃO: NÃO PODE. Prefeitura da Capital
» Obrigatória DIPLOMAÇÃO
- exceção:
vinculação:  Chefe de Missão
Flagrante delito inafiançável ⬇
⤷ Manifestação Diplomática temporária.
Sentença judicial transitada Deputados e
Parlamentar » PARLAMENTAR AFASTADO
em julgado. Senadores
⤷ Exercício do PARA EXERCÍCIO DE CARGO NO
- Crime praticado: EXECUTIVO:
mandato eletivo
Diplomação (os autos
» Desde a  Não leva consigo qualquer
enviados em 24h à Casa).
DIPLOMAÇÃO: imunidade.
2. PROCESSO:
⤷ Vereadores:  Mantém o FORO para
Crime praticado: Diplomação.
imunidades no prerrogativa de função.
ANTES: NÃO IMUNIDADE.
limite do Município.
APÓS: HÁ IMUNIDADE.
- STF: processa e julga sem
autorização/ciência da casa
legislativa.
- Partido Político: pode sustar
ação, sem prorrogar, em 45
dias após a ciência.

Sanção Veto
» Aprovação da lei: faz o Projeto de » Rejeição do Projeto de Lei pelo Presidente » Derrubada do veto:
Lei virar Lei. da República. - O Congresso pode derrubar
» Prazo: 15 dia úteis (comunicar ao Presidente o veto do Presidente.
» Prazo: 15 dias úteis. - Parte vetada é apreciada em
do Senado Federal em 48h as razões do
» Sanção tácita: ocorre quando o sessão conjunta do CN em 30
veto).
Presidente não se manifesta no prazo. dias.
 Expresso
» Sanção ☛ Promulgação e  Irretratável
- Veto é afastado por maioria
publicação ABSOLUTA (voto secreto).
 Supressivo: total ou parcial. - CN pode derrubar apenas
OBS: NÃO supre o vício de iniciativa  Motivado parte do veto.
ou de emenda parlamentar.  Superável ou relativo 24
Tribunal de Contas da União
T.C.U. (ART. 71)
» Órgão independente/autônomo que » Art. 73: Composto por
presta auxílio ao Congresso Nacional. 9 ministros.
 + de 35 anos
» COMPETÊNCIAS:  - de 65 anos
⤷ Elaborar parecer prévio em ⤷ Julga as contas dos administradores  1/3 pelo P.R.
sessenta dias, após o recebimento das e demais responsáveis por dinheiros,  2/3 pelo C.N.
contas do Presidente da República. (art. bens e valores públicos da
71, I, CF). administração direta e indireta,
⤷ Representar ao Poder competente incluídas as fundações e sociedades
sobre irregularidades ou abusos instituídas e mantidas pelo Poder
apurados. (art. 71, XI, CF). Público Federal, e as contas daqueles
⤷ Fiscalizar a aplicação de quaisquer que derem causa a perda, extravio ou
recursos repassados pela União outra irregularidade de que resulte
mediante convênio, acordo, ajuste ou prejuízo ao erário público.
outros instrumentos congêneres, a ⤷ Aplicar aos responsáveis, em caso
Estado, ao Distrito Federal ou a de ilegalidade de despesa ou
Município. (art. 71, VI, CF). irregularidade de contas, as sanções
previstas em lei, que estabelecerá,
entre outras cominações, multa
proporcional ao dano causado ao
erário.

Poder Executivo
ART. 80, 81, 83 a 86, CF.
1) QUEM EXERCE? 4) ELEGIBILIDADE DO PRESIDENTE:
Federal ☛ Presidente da República
(auxiliado pelos Ministros de Estado)
 Ser brasileiro NATO.
Estadual ☛ Governadores  Pleno exercício de direitos
Municipal ☛ Prefeitos políticos.
 Alistamento eleitoral.
2) FUNÇÃO:  Filiação partidária.
☛ Típica: administrar  Idade mínima: 35 anos.
☛ Atípica: julgar processo administrativo e legislar medida provisória.  Não estar entre as hipóteses de
inelegibilidade.
3) SISTEMA DE GOVERNO: Presidencialista
☛ Executivo monocrático ⤷ Chefe de Estado (internacional) Presidente da
República
☛ Representa a República Federativa Brasileira nas
⤷ Chefe de Governo (interno)
Relações internacionais.
☛ Prática de atos internos de adm. e política. 25
Competências do Presidente da República
ART. 84, CF.
COMPETE PRIVATIVAMENTE:
I - Nomear e exonerar os Ministros de Estado;
II - Exercer, com o auxílio dos Ministros de Estado, a direção superior da administração federal;
III - iniciar o processo legislativo, na forma e nos casos previstos nesta Constituição;
IV - Sancionar, promulgar e fazer publicar as leis, bem como expedir decretos e regulamentos para sua fiel execução;
V - Vetar projetos de lei, total ou parcialmente;
VI - Dispor, mediante decreto, sobre:
a) Organização e funcionamento da administração federal, quando não implicar aumento de despesa nem criação ou
extinção de órgãos públicos;
b) Extinção de funções ou cargos públicos, quando vagos;
VII - Manter relações com Estados estrangeiros e acreditar seus representantes diplomáticos;
VIII - Celebrar tratados, convenções e atos internacionais, sujeitos a referendo do Congresso Nacional;
IX - Decretar o estado de defesa e o estado de sítio;
X - Decretar e executar a intervenção federal;
XI - Remeter mensagem e plano de governo ao Congresso Nacional por ocasião da abertura da sessão legislativa, expondo
a situação do País e solicitando as providências que julgar necessárias;

XII - Conceder indulto e comutar penas, com audiência, se necessário, dos órgãos instituídos em lei;
XIII - Exercer o comando supremo das Forças Armadas, nomear os Comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica,
promover seus oficiais-generais e nomeá-los para os cargos que lhes são privativos;
XIV - Nomear, após aprovação pelo Senado Federal, os Ministros do Supremo Tribunal Federal e dos Tribunais Superiores,
os Governadores de Territórios, o Procurador-Geral da República, o presidente e os diretores do banco central e outros
servidores, quando determinado em lei;
XV - Nomear, observado o disposto no art. 73, os Ministros do Tribunal de Contas da União;
XVI - Nomear os magistrados, nos casos previstos nesta Constituição, e o Advogado-Geral da União;
XVII - Nomear membros do Conselho da República, nos termos do art. 89, VII;
XVIII - Convocar e presidir o Conselho da República e o Conselho de Defesa Nacional;
XIX - Declarar guerra, no caso de agressão estrangeira, autorizado pelo Congresso Nacional ou referendado por ele, quando
ocorrida no intervalo das sessões legislativas, e, nas mesmas condições, decretar, total ou parcialmente, a mobilização nacional;
XX - Celebrar a paz, autorizado ou com o referendo do Congresso Nacional;
XXI - Conferir condecorações e distinções honoríficas;
XXII - Permitir, nos casos previstos em lei complementar, que forças estrangeiras transitem pelo território nacional ou nele
permaneçam temporariamente;
XXIII - Enviar ao Congresso Nacional o plano plurianual, o projeto de lei de diretrizes orçamentárias e as propostas de
orçamento previstos nesta Constituição;
XXIV - Prestar, anualmente, ao Congresso Nacional, dentro de sessenta dias após a abertura da sessão legislativa, as contas
referentes ao exercício anterior;
XXV - Prover e extinguir os cargos públicos federais, na forma da lei;
XXVI - Editar medidas provisórias com força de lei, nos termos do art. 62;
XXVII - Exercer outras atribuições previstas nesta Constituição.

» P.R. PODE DELEGAR ALGUMA? SIM! A VI, X I I E XXV, primeira parte, aos Ministros de Estado, ao
Procurador-Geral da República ou ao Advogado-Geral da União.
» PODE O P.R. EDITAR MEDIDA PROVISÓRIA CONTRÁRIA À SÚMULA VINCULANTE EDITADA PELO
STF? SIM! Ele estaria exercendo a função atípica legislativa.

26
Leis de iniciativa do Presidente da República
ART. 61, CF.

INICIATIVA PRIVATIVA

1) fixem ou modifiquem os efetivos das Forças Armadas;


2) disponham sobre:

a) criação de cargos, funções ou empregos públicos na administração direta e autárquica ou aumento de sua remuneração;
b) organização administrativa e judiciária, matéria tributária e orçamentária, serviços públicos e pessoal da administração dos
Territórios;
c) servidores públicos da União e Territórios, seu regime jurídico, provimento de cargos, estabilidade e aposentadoria;
d) organização do Ministério Público e da Defensoria Pública da União, bem como normas gerais para a organização do
Ministério Público e da Defensoria Pública dos Estados, do Distrito Federal e dos Territórios;
e) criação e extinção de Ministérios e órgãos da administração pública, observado o disposto no art. 84, VI;
f) militares das Forças Armadas, seu regime jurídico, provimento de cargos, promoções, estabilidade, remuneração, reforma
e transferência para a reserva.

Vacância Crimes de
ART. 81, CF.
Responsabilidade
» É o afastamento definitivo do Presidente.
» Decorre de: 1. Morte ART. 85, CF.
2. Renúncia CRIMES DE RESPONSABILIDADE PELO PRESIDENTE:
I - a existência da União;
3. Perda do cargo
I - o livre exercício do Poder Legislativo, do Poder Judiciário,
» Vice-Presidente sucede o Presidente. do Ministério Público e dos Poderes constitucionais das
» Vacância dos cargos de Presidente e Vice-Presidente: unidades da Federação;
I – Nos 2 primeiros anos do mandato: I I - o exercício dos direitos políticos, individuais e sociais;
IV - a segurança interna do País;
Eleição direta ☛ 90 dias depois de aberta a ÚLTIMA vaga.
V - a probidade na administração;
I – Nos 2 últimos anos do mandato: VI - a lei orçamentária;
Eleição indireta ☛ pelo Congresso Nacional, na forma da lei, 30 VII - o cumprimento das leis e das decisões judiciais.
dias depois da ÚLTIMA vaga.
⤷ Acusação recebida pela Câmara dos Deputados:
SE PROCEDENTE:
» LINHA SUCESSÓRIA DO PRESIDENTE:
(2/3 DA C.D. autoriza instauração do processo)
1 – Vice-Presidente; 1) Remete para o Senado Federal (se for infração penal comum, vai
2 – Presidente da Câmara dos Deputados; para o STF).
3 – Presidente do Senado Federal; 2) SF instaura processo (presidido pelo Presidente do STF;
4 – Presidente do STF. Presidente suspenso de suas funções por 180 dias, mesmo que
renuncie, processo continua.
» DUPLA VACÂNCIA:
3) Votação pelo SF (2/3)
1) Vagando o cargo de Pres. e Vice nos 2 PRIMEIROS anos  ABSOLVIDO
do mandato, será feita eleição 90 dias depois de aberta  CONDENADO (2/3 votos): Perda do cargo; Inabilitação de
a última vaga. função pública por 8 anos.
2) Se ocorrer nos 2 ÚLTIMOS anos, a eleição será feita Sentença: Resolução do Senado.
SE IMPROCEDENTE: Arquivamento. 27
no Congresso Nacional, para os 2 cargos 30 dias depois
de aberta a última vaga.
Poder Judiciário
GARANTIAS FUNCIONAIS: ESTRUTURA: (art. 92) COMPETÊNCIAS DO STF: (art.102)

1) De independência: DECORAR COMPETÊNCIAS


» STF, STJ, TRF’s e Juízes
1) ORIGINÁRIA: quando a causa se inicia
» Vitaliciedade (art. 95, I) Federais, Tribunais e juízes do perante juízo ou Tribunal.
» Inamovibilidade (art. 95, II) Trabalho, Tribunais e juízes a) Guarda a CF (ADI e ADC)
» Irredutibilidade de subsídio eleitorais, militares, dos E, DF, T e o b) Crime comum (P.R.)
CNJ. c) Crime de responsabilidade: ministros.
2) De imparcialidade: 2) RECURSAL: quando a causa se iniciou
COMPETÊNCIAS: em um juízo inferior e o exame do recurso
» Exercer ainda que em disponibilidade,
outro cargo ou função, salvo uma de » Em razão da pessoa (art. 109, I, CF): cabe a outro superior.
magistério (art. 95, p.u., I). Juízes Federais: processar e julgar causas a) ORDINÁRIA
» Receber, a qualquer título ou pretexto, da União, unidade autárquica ou empresa b) EXTRAORDNÁRIA: Decisão recorrida;
custas ou participação em processo (art. 95, pública federal forem interessadas Crime político; HC, MS, HD, MI e decisão
p.u. II). (SÚMULA 150, STJ). única instância.
» Dedicar-se à atividade político-partidária » Em razão da matéria:
(art. 95, p.u., I I I). Não se tratando de competência em COMPETÊNCIA DO STJ:
» Receber auxílios ou contribuições (art.95, razão de matéria específica, será
DECORAR COMPETÊNCIAS
p.u. IV). residualmente da JUSTIÇA ESTADUAL
» Crime comum;
» A “quarentena” (art. 95, p.u., V). OU COMUM.
» Crime de responsabilidade:
» Em razão do lugar:
desembargadores, TC, TRF, TER, TRT,
Juízes de Direito: Comarca que atuam.
MPU.
Tribunais de Justiça Estaduais: Território
» Habeas Data, MS, HC, Revisões Criminais,
do Estado.
Conflitos, M.I., Homologação de sentenças
TRF: Regiões.
estrangeiras.

Conselho Nacional de Justiça


ART. 103-B; EC 45/04

 Órgão do Poder Judiciário, desprovido de atividade jurisdicional.


 COMPETÊNCIAS (art. 103-B, §4º)
1) Zelar pela autonomia da Poder Judiciário
2) Zelar pelo controle da atuação administrativa e financeira do Judiciário, dentre outros.
 COMPOSIÇÃO: 15 membros / Mandato de 2 anos / Admitida 1 recondução.

9 membros do PJ 6 ☛ 2 advogados; 2 cidadãos; 2 membros do MP (MPU e MPE)

28
Índios:
Ordem Social
(art. 231, §5º, CF)
Princípio da irremovibilidade dos ART. 193, CF. Objetivo:
índios de suas terras, salvo em Bem-estar e justiças sociais.
caso de catástrofe ou epidemia A base é:
ou no interesse da soberania do PRIMADO DO TRABALHO.
país, devendo após, Educação:
retornarem. Segurança Social:
Direito de todos e dever do
(Compete à União demarcar). Art. 194 Estado e da família. (art. 208)
⤷ As terras tradicionalmente 1) SAÚDE ☛ Dever de todos e Cultura:
ocupadas pelos índios dever do Estado. (art. 196) O E garantirá o pleno
destinam-se à sua posse.
exercício dos direitos culturais
⤷ Cabendo-lhes o usufruto 2) PREVIDÊNCIA ☛ Caráter e acesso às fontes da cultura
exclusivo das riquezas do solo, contributivo (art. 201) nacional. (art. 215)
rios e lagos nelas existentes Meio Ambiente:
(UNIÃO NÃO PARTICIPA).
3) ASSISTÊNCIA ☛ A quem dela “Todos têm direito ao meio
necessitar (art. 203) ambiente bem equilibrado.. . . .”
(art. 225)

Estado de Defesa
ART. 136, CF

O Presidente decreta e ouve o Conselho da República (C.R.) e o Conselho da Defesa Nacional (C.D.N.)

» O QUE ACONTECE SE FOR DECRETADO OU » OBJETIVO:


PRORROGADO? 1) Preservar ou restabelecer a ordem pública ou paz social
1) O Presidente submeterá ao C.N. em 24h. AMEAÇADA por grave ou iminente instabilidade institucional
ou em caso de calamidades de grandes proporções na
2) C.N. decidirá por maioria absoluta no prazo de
natureza.
10 dias, contados do recebimento.
» O QUE O DECRETO IRÁ DETERMINAR?
3) CN em recesso: convocação extraordinária
em 5 dias (feita pelo Presidente do SF).  Tempo de duração: 30 dias MÁX. + 30 dias.
 Áreas abrangidas
4) CN rejeita: cessa imediatamente o Estado de  Medidas coercitivas:
Defesa.
⤷ Ocupação e uso temporário de bens e serviços públicos.
* C.N.: Congresso Nacional.
⤷ Restrições aos direitos: de reunião, sigilo de correspondência e sigilo
de comunicações telegráficas e telefônicas.
29
Estado de Sítio
ART. 137
O Presidente solicita autorização ao C.N. e ouve
o C.R. e C.D.N.
» Recesso Parlamentar: convocação extraordinária em » HIPÓTESES:
5 dias (feita pelo Presidente do SF).
1) Comoção GRAVE de repercussão nacional.
» MEDIDAS CONTRA A PESSOA:
2) Ineficácia das medidas no Estado de Defesa.
 Requisição de bens 3) Declaração do Estado de Guerra.
 Suspensão da liberdade de reunião
 Busca e apreensão em domicílio 4) Resposta à agressão armada estrangeira..
 Restrição à prestação de informação » O QUE IRÁ DETERMINAR O DECRETO?
 Intervenção nas empresas de serviços
 Tempo de duração
públicos.
 Permanência em localidade determinada. Casos 1 e 2 ☛ 30 dias MÁX. a cada vez.
 DETENÇÃO em edifício não destinado a
Casos 3 e 4 ☛ Enquanto durar a guerra ou a agressão
acusados ou condenados por crimes
comuns. armada.
 Restrição à inviolabilidades de  Normas necessárias à sua execução
correspondência e sigilo de comunicações.  Garantias constitucionais que ficarão SUSPENSA.

Estado de Defesa x Estado de Sítio

SEMELHANÇAS DIFERENÇAS

 Decreto Presidencial (art. 84, IX)  Prazo:


 Oitiva do Conselho da República e do Estado de Defesa: 30 + 30 (art. 136, §2º)
Conselho de Defesa Nacional (art. 90, I e Estado de Sítio: 30 + 30 (art. 137, I)
91, §1º, II). Admitidas várias prorrogações (art 137, II, não
 Impedem a aprovação de emenda há prazo extra).
constitucional (art. 60, §1º)  Abrangência: ED » localizado
ES » localizado e todo
território nacional.
 Autorização C.N.: ED » NÃO.
ES » SIM.

30
Controle de Constitucionalidade
1. IMPORTANTE: 3. REQUISITOS:
» Inconstitucional: deve haver dolo ou culpa, ou não » A Constituição é rígida e escrita.
há fato típico. » Supremacia constitucional
» Não há hierarquia entre normas da CF. » Órgão responsável pelo controle
» Não há inconstitucionalidade entre normas » As leis são presumidamente constitucionais.
constitucionais.
» Não são objetos de controle: 4. INCONSTITUCIONALIDADE:
a) Normas constitucionais originárias » Normas constitucionais derivadas:
b) Normas pré-constitucionais (anterior à Const. Não I- Emendas de Revisão
sofre controle e sim processo de recepção. II- EC
2. FORMAS: III- Tratados Internacionais
⤷ Por omissão: ausência de edição de norma por » Leis e atos normativos primários:
INÉRCIA do legislador. I- Normas legais
⤷ Por ação: lei ou do normativo contrário à CF. II- Normas supralegais/Tratados internacionais
I- Inconstitucionalidade material: conteúdo (nomoestática) sobre Direitos Humanos.
II- Inconstitucionalidade formal: não observância do
devido processo legislativo (nomodinâmica) 5. ILEGALIDADE: leis e atos normativos
⤷ Por arrastamento: dispositivo que não foi objeto de secundários.
impugnação, mas se relaciona com as normas » STF entende que NÃO se aplica a
declaradas inconstitucionais. inconstitucionalidade indireta e sim a ilegalidade.

» Ocorre a fiscalização da insconst. ANTES da norma entrar em vigor.


» Não é só o P. J. que faz o controle inconstitucional.
Preventivo Legislativo: analisado pelo Poder legislativo, pela CCJ ( na Câmara ou
no Senado).
Executivo: veto jurídico, pelo chefe do Executivo (por inconstitucionalidade).
No Judiciário: M.S. por parlamentar no STF com direito líquido e certo.
OBS: Controle concreto ☛ realizado a partir de caso concreto, onde há partes. É incidental e necessário para
solucionar o caso concreto (proteção de direitos SUBJETIVOS).
Ocorre a fiscalização da insconst. DEPOIS da norma entrar
REGRA (Jurídico): em vigor.
Repressivo
⤷ Difuso: via de exceção/via de defesa (qualquer órgão exerce o controle)
Lei 9.868/99: ADI, ADC, ADO ⤷ Concentrado: STF ou no TJ, através de: ADI, ADC, ADO, ADI Imperativa (art.
Lei 9.882/99: ADPF 36, III, CF), ADPF, RI (art. 125, §2º, CF), essa última, é julgada do STF. 1 órgão
concentra o controle.
EXCEÇÃO: Legislativo (Susta os atos do Presidente que exorbitaram o poder regulamentar (art. 62, §5º, CF) e controle constante
pelo CN (art. 49, V, CF). Executivo: Se recusa a cumprir uma norma que declara inconstitucional.
OBS: Controle abstrato: declara a inconstitucionalidade da norma em tese. Não há partes. A declaração de
inconstitucionalidade é objeto principal da ação. 31
Controle Difuso
» Nasceu na CF de 1891. Cláusula do Plenário
» A inconstitucionalidade compõe a Art. 97, CF.
fundamentação, não é o objeto da ação.
» Apenas com voto da maioria ABSOLUTA dos
» REALIZADO POR QUALQUER JUIZ OU membros (Tribunal, Pleno e Órgão Especial) poderão
TRIBUNAL. os Tribunais declarar a inconstitucionalidade de lei ou
» INFORMATIVO 848, STF:
ato normativo do Poder Público.
Uma norma que não se aplica ao caso não
 NÃO SE APLICA:
é a mesma coisa de afastá-la de incidência
» Se houver pronúncia prévia de inconstitucionalidade
por incompatibilidade com CF.
pelo próprio Tribunal ou STF.
» OBS: Câmaras, Turmas, Seções não
» Se houver pronúncia de constitucionalidade.
podem julgar inconstitucionalidade.
» Nos casos julgados por juiz singular.
» SÚMULA VINCULANTE 10.
» Em decisões de Turma Recursal de Juizados
Especiais.
» Para as normas pré-1988, porque seriam declaradas
» Essa cláusula se aplica às Turmas
não recepcionadas.
do STF?
» Quando julgar sobre a técnica da interpretação
Jurisprudência 2010, 2017. conforme a CF. ⤷ julgador define qual é
O controle difuso pelo STF não está sujeito constitucional.
à essa cláusula, é uma decisão de aspecto
prático.

Controle Concentrado
» ADI em face de norma do DF só cabe naquelas proferidas com
» Realizada pelo STF (parâmetro CF) ou
base em competência estadual (art. 32, CF).
pelo TJ (parâmetro por Constituição » Em regra, só cabe ADI contra normas pós-1988 e estejam em
Estadual). vigor.
» Normas: » Se for ação contra normas revogada?
1) Federais STF não conhece.
(controle STF/parâmetro » Se a norma perde vigor no curso do processo?
CF/impugnadas por ADI) STF declara perda do objeto.
2)Estaduais » Normas pré-1988, SE FOREM INCOMPATÍVEIS, são ditas não
recepcionadas pela CF.
(controle TJ/ parâmetro
» Se incompatíveis? Será controlado por ADPF, regida pelo princípio
CE/impugnadas por RI:
vedada atribuição de da subsidiariedade.
legitimação para atingir » ATOS NORMATIVOS: 1) Cabe ADI contra decreto que
órgão (art. 125, §2º, CF). invadiu matéria reservada à lei e contra decreto autônomo,
3) Municipais. que tem fundamento direto na CF.
2) Não cabe contra CCT, respostas do TSE ou contra
súmulas e não cabe contra constitu. originárias.
32
Ações de controle concentrado

ADI ADC ADO ADPF


Ação Direta de Ação Direta de Ação Direta de Arguição de
Inconstitucionalidade Constitucionalidade Inconstitucionalidade por Descumprimento de
Omissão Preceito Fundamental
» Art. 102, I, a, CF. » Art. 102, I, a, CF.
» Não há prazo decadencial » Existência de » Art. 103, §2º, CF. » Art. 102, §1º, CF.
» Atuação da AGU controvérsia judicial, não » Art. 12, Lei 9.868/99 » Lei 9.882 e art. 2
» Efeitos erga omnes; ex basta controvérsia » Omissão total ou » Ação residual
tunc; vinculantes; doutrinária. parcial. » Somente cabível
repristinatórios. » Busca declarar a » Oitiva da AGU é quando o objeto não
» Só cabe amicus curiae constitucionalidade de lei ou facultativa. for abrangido por
» Quórum: ato normativo, » Permite o exercício do outra ação.
Instauração: 8 ministros transformando a direito previsto na » OBJETO: leis
Decisão: 6 ministros presunção de Constituição que não municipais e normas
» Não cabe recurso, salvo constitucionalidade relativa pode ser usufruído por anteriores à CF.
embargos de declaração. em ABSOLUTA (efeito falta da lei
» Não cabe ação rescisória. vinculante e cabe regulamentadora.
» Basta declarar a reclamação pelo » OBJETO: normas
inconstitucionalidade de lei ou descumprimento). constitucionais de
ato normativo. » OBJETO: lei ou ato eficácia limitada.
» OBJETO: lei ou ato normativo FEDERAL.
normativo FEDERAL e
ESTADUAL.

Legitimados
1. Universais: 2. Especiais:
ART. 103, CF.
» Podem impugnar qualquer norma. 3 autoridades
» Precisam comprovar pertinência
temática (“o que isso tem a ver com
 Presidente da República 3 mesas
isso?”
 Mesa do Senado Federal 3 entidades
 Mesa da Câmara dos Deputados  Mesa da Assembleia
Legislativa ou da Câmara
 Procurador-Geral da República
Legislativa do DF.
 Conselho Federal da OAB
 Governador de Estado ou
 Partido Político com representação do DF.
no Congresso Nacional.
 Confederação sindical ou
entidade de classe de
âmbito nacional 33
Tratados Internacionais

Sobre Direitos Humanos Outros assuntos

» Antes da Emenda 45: Status de lei ordinária;

STF decidiu que esses tratados devem


ter
Status de norma SUPRALEGAL (abaixo da
CF
e acima da legislação).
» Depois da Emenda 45:
Status de Emenda Constitucional, caso
sejam
Aprovados, em cada Casa do Congresso
Nacional,
em 2 turnos, por 3/5 dos votos
respectivos dos membros.

+ detalhes do Poder Judiciário


Organograma
Órgãos Colegiados: todos, menos os TJ
STF

CNJ Tribunais
STJ TST TSE STM Superiores

TJ TRF TRT Tribunais Militares 2º grau


TRE
TJDFT
Juízes do 1º grau
Juízes Juízes Juízes Eleitorais Juízes Militares
Trabalho
de Federais
Direito

» TJ’s não pertencem ao poder judiciário da União (Exceção: TJDFT (Todos do DF = União)
» Juiz do trabalho e juiz de paz são órgãos do Poder Judiciário.
» Sede da capital federal: STF; CNJ; TST; TSE e STM
» Quem tem jurisdição no território nacional é o STF, STJ, TST, TSE e STM. O CNJ não tem jurisdição.
» Órgãos que parecem ser do Judiciário, MAS NÃO SÃO:
Ministério da Justiça, Ministério do Trabalho, Justiça desportiva, Tribunal Arbitral, Tribunal Marítimo, Tribunal de Contas, TFR (Tribunal
Federal de recursos), Conselhos, Funções essenciais à Justiça.
34
Quinto Constitucional
» Forma de ser juiz.
Em regra, para ser membro do Poder Judiciário, é necessário ter função jurisdicional: juiz (magistrado). Os requisitos são: ser bacharel
em Direito, ter 3 anos de atividade jurídica e passar em concurso.
» O Quinto Constitucional é outra forma de ser juiz, que pode acontecer de acordo com as regras do art. 94
⤷ 1/5 das vagas de alguns tribunais são reservados a: MP ou Advogado (com + de 10 anos de experiência) que é INDICADO pelo MP
ou OAB.
⤷ Órgãos que podem entrar: TJ, TRF, TST e TRT.

» STJ: Terço Constitucional: 1/3 das vagas para MP e Advogado com + de 10 anos de experiência.

Garantias dos membros do PJ


» Art. 95, CF » IMPARCIALIDADE (vedações):
» INDEPENDÊNCIA: ⤷ Juiz do P.J. não pode cumular sua função com juiz
⤷ Vitaliciedade (2 anos) desportivo.
⤷ Inamovibilidade ⤷ CNJ proibiu os juízes de exercerem a função de coach
⤷ Irredutibilidade dos subsídios para concurso.
⤷ Juiz não pode receber custas de processo
Obs: Para ser juiz, precisa ser advogado? Não ⤷ Juiz não pode se envolver com partido político
Juiz se aposenta e não foi advogado antes, para exercer ⤷ Juiz não pode exercer advocacia de que se afastou
advocacia tem que fazer OAB? NÃO PRECISA. antigo pelos primeiros 3 anos.
Obs: A Vitaliciedade é requisito apenas para o 1º grau e quem
entra pelo Quinto Constitucional não precisa adquirir por ela já
é adquirida na POSSE.

Competência do STF
Guardião da CF

COMPOSIÇÃO COMPETÊNCIA
» Art. 101, CF » Art. 102, CF
» 11 ministros » Originária (STF é origem)
» Cidadãos NATOS » Recurso Ordinário (se denegatória a decisão,
» > 35 < 65 crime político)
» Notável saber jurídico » Recurso Extraordinário:
» Reputação ilibada 1) Pré-questionamento de constitucional
» Nomeado para Presidente 2) Tema de repercussão geral
» Aprovado para Senado
» Originária: Estadual NÃO cabe, cabe ADIM
» Art. 103, cai muito.
» ADPF supre lacunas da ADIN e ADC

35
Competência do STJ
Guardião da legislação federal
COMPOSIÇÃO COMPETÊNCIA
» Art. 104, CF » Originária (art. 105)
» 33 ministros (1/3 do juiz TRF; 1/3 do » Recurso Ordinário (mandado de segurança
Desembargador TJ e 1/3 do MP e ADV). denegado)
» Cidadãos » Recurso Especial: legislação federal não
» > 35 < 65 compreendida.
» Notável saber jurídico
» Reputação jurídica » Extraordinário: STF e Especial: STJ
» Nomeado para Presidente
» Aprovado para Senado

Competência do CNJ
COMPOSIÇÃO COMPETÊNCIA
» Art. 103, “b”, CF » Administrativa
» 15 membros (não são vitalícios) » Fiscalização do PJ
» Mandado de 2 anos + 2 anos de recondução » Natureza jurídica: Controle interno do PJ
» NÃO tem idade mínima, nem máxima
» I = quem faz parte que indica.
Presidente do STF: não é indicado porque já é
membro NATO (quando assume como
Presidente do STF, também assume como
membro do CNJ).
STF: Desembargador TJ, Juiz de direito
CFOAB: 2 advogados
STJ: Ministro STJ, Juiz TRF e Juiz Federal
TST: Ministro TST, Juiz TRT e Juiz do
Trabalho
Procurador Geral da República: 1 MPU e 1 MPE

36
2.
PROCESSO
DO
TRABALHO

@contemdireito_ 37
Competências do Processo do Trabalho

MATERIAL TERRITORIAL CONFLITO DE


LOCAL DA PRESTAÇÃO DE COMPETÊNCIA
CAUSA DE PEDIR E PEDIDO SERVIÇOS
» AÇÕES QUE ENVOLVEM: » EXCEÇÕES: 2 competentes: conflito positivo
 Relações de trabalho  Agente ou viajante Ambos incompetentes: conflito
 Direito de greve comercial negativo.
 Representação sindical  Empregado brasileiro que
» 2 órgãos:
 MS, HC e HD trabalha no exterior
 Jurisdição trabalhista  Empregador que realiza Presidente do Tribunal pelo
atividades fora do lugar do interessado (Juiz, MPT, parte).
 Indenização de dano moral
decorrentes de relação de contrato de trabalho. » 1 órgão: STJ
trabalho. » NÃO SÃO DE COMPETÊNCIA
DA JUSTIÇA DO TRABALHO: » 1 órgão do Tribunal Superior:
 Atividade fiscalizatória do
Ministério do Trabalho.  Ação de cobrança de STF
 Execução de ofício das honorários
TRT » Conflito entre Varas da
contribuições sociais.  Ação de relação de
mesma jurisdição
consumo
 Representação comercial TST » Conflito entre Varas de +
 Complementação da 1 TRT, TRT e Vara de jurisdição
aposentadoria diferente.
 Autorização para trabalho
artístico de menor.

1. Competências específicas: 2. Incompetência Territorial:

Trabalho artístico ☛ JUSTIÇA COMUM REFORMA TRABALHISTA ☛ agora deve ser alegada em autos
apartados.
Benefícios previdenciários ☛ JUSTIÇA
FEDERAL 3. Duplo arquivamento: ART. 732, CLT.

Honorários advocatícios ☛ JUSTIÇA Caso o reclamante dê causa a 2 arquivamentos seguidos, sofrerá


COMUM ESTADUAL o “duplo arquivamento”, e passará 6 meses sem poder litigar.

Ação Rescisória ☛ Tribunal que proferiu


a decisão de mérito.
38
Condições da ação e Pressupostos
Existência: Validade:
Processuais  Capacidade Postulatória
 Capacidade de ser parte  Petição Inicial Apta
 Petição inicial  Competência do juízo
 Jurisdição  Imparcialidade do juiz
 Citação  Capacidade processual
 Citação válida
 Legitimação para agir
 Interesse de agir

Prazos e Despesas Processuais


PRAZOS: DESPESAS PROCESSUAIS:

REFORMA TRABALHISTA: 1. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS


Contados em dias ÚTEIS. Contratante em razão de contrato de
prestação de serviços.
EXCEÇÕES DE INCOMPETÊNCIA 2. HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS
TERRITORIAL (ART. 800, CLT): » REFORMA TRABALHISTA
» SUSPENSÃO DO FEITO ⤷ Mínimo: 5%
⤷ Máximo: 15%, sobre o valor
» Para os processos cujo
atualizado da causa.
recebimento da notificação seja
3. HONORÁRIOS PERICIAIS
posterior à Reforma Trabalhista.
» Pagas ao fim do processo.
» Responsabilidade da parte sucumbente
1. Apresentar em 5 dias.
na pretensão do objeto da perícia, ainda
2. Processo suspenso, sem
que beneficiário da justiça.
audiência.
4. JUSTIÇA GRATUITA
3. Autos conclusos ao juiz
» Pode ser concedida em qualquer
4. Intimação do reclamante, se tiver,
momento do processo, ofício ou
litisconsortes.
requerimento.
5. Prazo de 5 dias para ISENTOS DE CUSTAS?
» Quem percebeu até 40% do limite
manifestação (pode pedir prova » U, E, DF E M. máximo dos RGPS.
oral). » MPT » Comprovar insuficiência de recursos.
6. Decidida a exação » CORREIOS
7. Segue o processo, com audiência. » MASSA FALIDA
» HERANÇA JACENTE
» ASSOCIAÇÕES/SINDICATOS
39
Ação Trabalhista
3. ÔNUS DA PROVA:
1. AUDIÊNCIA INAUGURAL:
Art. 818, CLT.
» Nos casos de NÃO-
COMPARECIMENTO: I- Ao reclamante, quanto ao fato
constitutivo de seu direito.
 RECLAMANTE:
arquivamento da reclamação, II- Ao reclamado, quanto à
paga custas. inexistência de fato impeditivo,
 RECLAMADO: revelia, além modificativo ou extintivo de
da confissão quanto à direito.
matéria de fato.
2. PEREMPÇÃO:

» 6 meses para ajuizar a ação.


» HIPÓTESES:
A) Reclamação verbal, se o autor não apresentar em 5 dias, ao juízo para reduzir a termo (art. 731, CLT).
B) Autor que, duas vezes seguidas, der causa de arquivamento da reclamação por ausência injustificada em
cada uma das audiências (art. 732 c/c art. 844, CLT).

Defesa do réu
Após tentativa de conciliação, o réu apresenta defesa.
» A defesa é inserida no PJE, até a audiência com os documentos, sob pena de revelia e preclusão para juntada
dos documentos.
» Se a parte não apresentar no sistema ☛ Defesa oral ☛ 20 minutos.

Contestação: !) Reclamado deve alegar matérias de defesa e razões de fato e de direito.


(art. 847) 2) Reclamado deve apresentar documentos que provem as alegações.
3) A juntada posterior de documentos só é possível mediante justo impedimento e se
referir a fato posterior à contestação.

Reconvenção: 1) Demanda do réu contra o autor no mesmo processo que está sendo demandado.
2) Pode ser ajuizada: réu + terceiro contra autor ou réu contra autor e terceiro.
*PEÇA 3) Deve arguir requisitos e pressupostos para a P.I.: conexão e competência.
40
AUTÔNOMA
Da audiência
⤷ PROSSEGUIMENTO DA AUDIÊNCIA:
⤷ Designação automática com protocolo » Não tendo acordo, recebida contestação, terá a
da Petição Inicial. audiência de instrução e julgamento (intimação das
⤷ Notificação do reclamado para audiência partes).
⤷ Realizada 5 dias após notificação » Ausência da parte: confissão ficta
⤷ Fazenda Pública: 20 dias » Ausência das partes: confissão ficta para os 2.
⤷ TESTEMUNHAS:
⤷ AUDIÊNCIA UNA/INICIAL: 1) RITO ORDINÁRIO: 3 por parte, independente de
1) Necessidade de comparecimento PESSOAL. notificação, liberdade de apresentação.
2) Facultativa a presença de advogado 2) RITO SUMARÍSSIMO: 2 por parte, notificação.
3) Se o reclamante for ausente: AÇÃO 3) RECUSA DA TESTEMUNHA: Juiz faz intimação
ARQUIVADA pessoal.
4) Se o reclamado for ausente: REVELIA E ⤷ REVELIA:
CONFISSÃO FICTA
REFORMA
TRABALHISTA » Ausente o reclamado + » EFEITOS: » INAPLICABILIDADE:
presente o advogado » Os documentos e 1) Confissão ficta 1) Pluralidade de réus
contestação serão aceitos. 2) Não pode alterar pedido 2) Direitos indisponíveis
3) Prazo independe de 3) P.I. sem instrumentos
intimação indispensáveis
⤷ PREPOSTO: Representa o reclamado em juízo. 4) Intervenção a qualquer 4) Alegações inverossímeis
tempo do autor.
REFORMA TRABALHISTA: NÃO é mais 5) Notificação do réu revel 5) Matéria de ordem
obrigatório que o preposto seja empregado do via postal. pública.
reclamado.

Provas
⤷ ÔNUS DA PROVA: ⤷ INVERSÃO DO ÔNUS DA PROVA:
» Juiz determina.
» Incumbe ao autor provar fato constitutivo.
» Hipóteses: Previsão em lei e impossibilidade ou maior
» Incumbe ao réu provar fatos impeditivos, modificativos
dificuldade de cumprir encargo ou maior facilidade de obtenção
e extintivos.
de prova.
A) FATO CONSTITUTIVO: origina o direito pretendido.
B) FATO IMPEDITIVO: obstaculiza efeitos da relação ⤷ ÔNUS E JORNADA DE TRABALHO:
jurídica alegada. » Ônus do empregador com + de 20 empregados
C) FATO MODIFICATIVO: altera o negócio jurídico » Se o empregador não apresentar, injustificadamente:
entre autor e réu. presunção relativa dos fatos.
D) FATO EXTINTIVO: réu reconhece o fato, mas alega OBS 1: Obrigatório o registro do horário de trabalho do
que já cumpriu a obrigação. empregado doméstico.
OBS 2: Cartões de ponto NÃO valem como meio de prova.
41
Execução
Fase do processo em que se impõe o cumprimento do título executivo judicial ou
extrajudicial. 3. EXECUÇÃO PROVISÓRIA:
1. TÍTULO EXECUTIVO:
Ordem de aplicação:
Judicial; Extrajudicial; Direito líquido e exigível. » Art. 899, CLT.
1. CLT » Fase de conhecimento não acabou.
I) Judiciais: decisões passadas em julgado ou das
2. LEF » Recurso pendente
quais não tenha recurso com efeito suspensivo.
3. CPC » Penhora em dinheiro: POSSÍVEL.
 Acordos não cumpridos.
II) Extrajudiciais: 4. ACORDO EM EXECUÇÃO:
TAC’s: termos de ajustes de conduta, perante A existência de cálculo de liquidação do título,
o MPT. anteriormente ao acordo entabulado, NÃO
2. RELATIVIZAÇÃO DA COISA JULGADA: OBSTA, a homologação judicial, mesmo que da
Instituto que considera inexigível os títulos avença conste renúncia ou desistência de parte
fundados em leis/atos inconstitucionais. do crédito.
5. EXECUÇÃO POR QUANTIA CERTA
CONTRA DEVEDOR INSOLVENTE:
!) Citação pelo Oficial de Justiça.
2) 48h para o executado pagar ou indicar bens
à penhora.
3. NÃO aplica REVELIA.

Liquidação
Procedimento incidental para tornar líquido o crédito.
1. ESPÉCIES: NÃO PODE: 3. IMPUGNAÇÃO:
1) Modificar sentença
I) Cálculos » Através da interposição de
2) Discutir matéria pertinente
II) Arbitramento embargos à execução.
à causa principal.
III) Artigos » No caso do exequente e da
União: irresignação por meio de
2. PROCEDIMENTO: impugnação à sentença de
» Art. 879, §2º, CLT. liquidação.
» Após liquidada, juízo abre para » Revisão da sentença de
partes. liquidação ou dos embargos à
» 8 dias para impugnação execução é efetivada: agravo de
» Indicação de itens e valores petição.
objeto de discordância.
» Pena de preclusão. 42
Embargos
1. Devedor (Embargos à execução)

» Medida judicial autônoma, incidental.


» Finalidade: desconstituir os títulos judiciais e extrajudiciais.
» A oposição é suspensiva.
a) PRAZO: 5 dias (contados da ciência da penhora)
30 dias para a Fazenda Pública (citação)
b) MATÉRIAS ALEGADAS:
I- Falta ou nulidade da citação (Fase de conhecimento; Revelia)
II- Ilegitimidade da parte
III- Inexequibilidade do título ou inexigibilidade da obrigação.
IV- Penhora incorreta ou avaliação errônea.
V- Excesso de execução ou cumulação indevida de execuções
VI- Incompetência absoluta ou relativa do juízo
VII- Causa modificativa ou extintiva da obrigação

2. Terceiro
» Ação autônoma e incidental
» Terceiro pretende manter ou restituir a posse do bem que indevidamente encontra-se sob constrição
judicial.
» PRAZO:
a) Processo de conhecimento: qualquer tempo ANTES do trânsito.
b) Processo de execução: 5 dias DEPOIS da arrematação/adjudicação/remição.
ANTES da assinatura do auto ou carta.
c) Prazo para contestar: 15 dias
» REJEIÇÃO DOS EMBARGOS:
1- Intempestivos
II- Inicial inepta
III- Manifestamente protelatório
IV- Juízo não estiver seguro.
» PROCEDIMENTO:
I- Juiz recebe
II- Prazo de defesa: 5 dias
III- Audiência de instrução
IV- Sentença em 5 dias
43
3. Embargos à execução por Carta Precatória

» Oferecidos no juízo deprecado, salvo: indicado pelo deprecante ou devolvida a carta.


» PROTESTO E INSCRIÇÃO DO DÉBITO (BNDT):
⤷ Decisão transitada em julgado
⤷ PRAZO: 45 dias (citação do executado, SEM garantia do juízo).

4. Exceção de pré-executividade » O executado pode opor se:


a) Houver nulidades insanáveis
» CARACTERÍSTICA:
b) Matérias de ordem pública
Dispensa da necessidade de garantia do juízo.
c) Extinção da obrigação
» PROCEDIMENTO:
a) Petição (qualquer tempo)
b) Intimação da parte contrária para impugnar
» SE ACOLHER:
O recurso é o AGRAVO DE PETIÇÃO.
» SE REJEITAR:
Não pode recorrer de imediato (natureza
interlocutória).

Recursos
» Instrumento para garantir à parte insatisfeita com a decisão, sua insurgência com a tentativa de alterar a decisão
proferida.
» REQUISITOS:
a) Objetivos: 1. Recorribilidade b) Subjetivos: 1. Legitimidade
2. Adequação 2. Sucumbência
3. Preparo
4. Tempestividade
5. Representação
» EFEITOS: a) Devolutivo b) Obstativo c) Translativo d) Regressivo e) Extensivo f) Substitutivo
» PREPARO: Recorrente deve recolher as custas e realizar o depósito recursal (Prazo: 5 dias), sob pena de
deserção.
» CUSTAS: título recolhido pelo sucumbente. 44
Depósito Recursal
» INSENÇÃO:
» Singularidade do Processo do
Trabalho. » REDUZIDO PELA ⤷ Art. 899, §9, 10, 11, CLT.
» Visa garantir uma possível futura METADE: ⤷ REFORMA TRABALHISTA:
execução, devido quando a ⤷ Entidades sem fins ☛ Beneficiários da justiça gratuita (art.
lucrativos; 790, §3º e §4º, CLT.
condenação for pecuniária.
⤷ Empregadores
» REFORMA TRABALHISTA: ☛ Entidades filantrópicas
domésticos;
Pode ser substituído por fiança
⤷ Microempreendedores ☛ Empresas em recuperação judicial
bancária ou seguro de garantia individuais; (art. 899, § 10º, CLT).
judicial. ⤷ Microempresas e ☛ Multa por litigância de má-fé (art. 81,
OBS: O litisconsórcio passivo com empresas de pequeno CPC).
condenação solidária (o depósito porte. ☛ Irrecorribilidade das decisões
recursal feito por um, aproveita os
interlocutórias (art 899, §1º, CLT).
demais.

Recursos Trabalhistas
1. Embargos de Declaração (art. 879, A, CLT)

PRAZO: 5 dias.
CABIMENTO: Decisão omissa, contraditória, obscura de qualquer grau ou para questionar requisito extrínseco
de recurso Extraordinário Revista.
ENDEREÇAMENTO: Juízo prolator da Decisão.

2. Recurso Ordinário (art. 895, CLT)

PRAZO: 8 dias
CABIMENTO: Contra sentença em conhecimento (1º grau) / Acórdão originário do TRT.
ENDEREÇAMENTO: TRT / TST.

3. Agravo de Petição (art. 897, CLT)

PRAZO: 8 dias
CABIMENTO: Contra sentença em Execução
ENDEREÇAMENTO: TRT.

45
4. Recurso de Revista (art. 896, CLT)

» REFORMA TRABALHISTA
PRAZO: 8 dias
CABIMENTO: Contra Acórdão de recurso ordinário ou de Agravo de Petição.
ENDEREÇAMENTO: Turma do TST.

5. Embargos (art. 894, CLT)

PRAZO: 8 dias
CABIMENTO: Contra Acórdão de recurso de revista que julga recurso ordinário ou agravo de petição, ou
agravo e agravo de instrumento de recurso de revista (SÚMULA 353).
ENDEREÇAMENTO: SBDI - 1 do TST.

OU

CABIMENTO: Contra decisão/acordão originário e não unânime do TST em dissídio coletivo.


ENDEREÇAMENTO: SDC do TST.

6. Recurso Extraordinário (art. 102, III, CF)

PRAZO: 15 dias
CABIMENTO: Contra decisão de última instância do TST.
ENDEREÇAMENTO: STF.

7. Agravo (art. 557, §1º A, CPC – IN 17 do TST e art. 896 da CLT).

PRAZO: 8 dias
CABIMENTO: Contra decisão monocrática de relator.
ENDEREÇAMENTO: Colegiado.

8. Agravo de Instrumento (art. 897, CLT e IN 16)

» REFORMA TRABALHISTA
PRAZO: 8 dias
CABIMENTO: Contra decisão que tranca recurso.
ENDEREÇAMENTO: Órgão ad quem do recurso trancado.

46
Acordo
» Partes podem alterar em qualquer fase do processo (art. 832, §6º, CLT)
» Súmulas importantes:
1) Súmula 418, TST: é incabível mandado de segurança contra ato do juiz que se recusa a homologa o acordo.
2) Súmula 100, V, TST: o trânsito em julgado ocorre na data da homologação do acordo.
3) Súmula 259, TST: a sentença homologatória de acordo é impugnável por AÇÃO RESCISÓRIA.
4) OJ. 376, SDI – 1, TST: é devida a contribuição previdenciária sobre o valor do acordo celebrado e homologado
após o trânsito em julgado de decisão judicial, respeitada a proporcionalidade de valores entre as parcelas de
natureza salarial e indenizatória deferidas na decisão condenatória e as parcelas objeto do acordo.

Homologação do Acordo Extrajudicial


» É faculdade do juiz.
» A petição é conjunta ☛ suspende o prazo prescricional da ação quanto aos direitos existentes.
» Obrigatória a representação das partes por advogados diferentes (art. 855 – B, caput e §1º, da CLT)
» Não homologação do acordo por sentença que extinguir o processo sem resolução do mérito (cabe RECURSO
ORDINÁRIO).

Procedimento Sumaríssimo
» Aplicado aos dissídios individuais, cujo valor não » NÃO LIQUIDAÇÃO PELO AUTOR:
exceda 40x o salário mínimo vigente na data do
ajuizamento da ação de reclamação (art. 852 – a, ☛ No procedimento sumaríssimo, o pedido deve ser
certo ou determinado e indicará o valor correspondente.
CLT).
Se o reclamante não atender a essa exigência, a
 São excluídas a administração pública direta, reclamação será ARQUIVADA e será proferida a
autárquica e fundacional. CONDENAÇÃO do reclamante ao pagamento de
 Número máximo de testemunhas: 2 CUSTAS sobre o valor da causa.
 Não há citação por edital
 Haverá prova pericial:
a) Decorrer de imposição da lei.
b) For necessária para a prova do fato
 Audiência UNA
 Sentença não precisa de relatório
 Petição inicial deve indiciar obrigatoriedade de cada
pedido na ação
 Audiência deve ser marcada em no máximo 45
dias 47
Procedimento

Ordinário Sumaríssimo
Art. 825 e 845, CLT Art. 852 – H, §2º e §3º, CLT

» Testemunhas: 3, no máximo. » Testemunhas: 2, no máximo.


» Aparecem INDEPENDENTE de intimação. » Aparecem na audiência INDEPENDENTE de
» Se não comparecerem de forma intimação.
espontânea: » Se não comparecerem:
1) Juiz adia audiência 1) Juiz adia audiência
2) Determina intimação das testemunhas. 2) Determina intimação, se comprovado o
convite.

» Se após intimação, não comparecerem, o juiz:


1) Adiará a audiência
2) Determina a sua condução coercitiva e pagamento de multa.

48
VI - Presentes os pressupostos do art. 461 da
Súmulas do TST CLT, é irrelevante a circunstância de que o
desnível salarial tenha origem em decisão
OAB judicial que beneficiou o paradigma, exceto: a)
se decorrente de vantagem pessoal ou de
tese jurídica superada pela jurisprudência de
Súmula 6: EQUIPARAÇÃO SALARIAL. ART. Corte Superior; b) na hipótese de
461 DA CLT (redação do item VI alterada) – equiparação salarial em cadeia, suscitada em
Res. 198/2015, republicada em razão de erro defesa, se o empregador produzir prova do
material – DEJT divulgado em 12, 15 e alegado fato modificativo, impeditivo ou
16.06.2015 extintivo do direito à equiparação salarial em
relação ao paradigma remoto, considerada
I - Para os fins previstos no § 2º do art. 461 irrelevante, para esse efeito, a existência de
da CLT, só é válido o quadro de pessoal diferença de tempo de serviço na função
organizado em carreira quando homologado superior a dois anos entre o reclamante e os
pelo Ministério do Trabalho, excluindo-se, empregados paradigmas componentes da
apenas, dessa exigência o quadro de carreira cadeia equiparatória, à exceção do paradigma
das entidades de direito público da imediato.
administração direta, autárquica e fundacional
aprovado por ato administrativo da autoridade VII - Desde que atendidos os requisitos do art.
competente. (ex-Súmula nº 06 – alterada pela 461 da CLT, é possível a equiparação salarial
Res. 104/2000, DJ 20.12.2000) de trabalho intelectual, que pode ser avaliado
por sua perfeição técnica, cuja aferição terá
II - Para efeito de equiparação de salários em critérios objetivos. (ex-OJ da SBDI-1 nº 298 -
caso de trabalho igual, conta-se o tempo de DJ 11.08.2003)
serviço na função e não no emprego. (ex-
Súmula nº 135 - RA 102/1982, DJ 11.10.1982 e DJ VIII - É do empregador o ônus da prova do
15.10.1982) fato impeditivo, modificativo ou extintivo da
equiparação salarial. (ex-Súmula nº 68 - RA
III - A equiparação salarial só é possível se o 9/1977, DJ 11.02.1977)
empregado e o paradigma exercerem a
mesma função, desempenhando as mesmas IX - Na ação de equiparação salarial, a
tarefas, não importando se os cargos têm, ou prescrição é parcial e só alcança as diferenças
não, a mesma denominação. (ex-OJ da SBDI- salariais vencidas no período de 5 (cinco) anos
1 nº 328 - DJ 09.12.2003) que precedeu o ajuizamento. (ex-Súmula nº
274 - alterada pela Res. 121/2003, DJ 21.11.2003)
IV - É desnecessário que, ao tempo da
reclamação sobre equiparação salarial, X - O conceito de "mesma localidade" de que
reclamante e paradigma estejam a serviço do trata o art. 461 da CLT refere-se, em
estabelecimento, desde que o pedido se princípio, ao mesmo município, ou a
relacione com situação pretérita. (ex-Súmula municípios distintos que, comprovadamente,
nº 22 - RA 57/1970, DO-GB 27.11.1970) pertençam à mesma região metropolitana.
(ex-OJ da SBDI-1 nº 252 - inserida em
V - A cessão de empregados não exclui a 13.03.2002)
equiparação salarial, embora exercida a
função em órgão governamental estranho à Súmula 8: A juntada de documentos na fase
cedente, se esta responde pelos salários do recursal só se justifica quando provado o justo
paradigma e do reclamante. (ex-Súmula nº 111 impedimento para sua oportuna
- RA 102/1980, DJ 25.09.1980)

49
apresentação ou se referir a fato posterior à Súmula 86: Não ocorre deserção de recurso
sentença. da massa falida por falta de pagamento de
custas ou de depósito do valor da
Súmula 9: A ausência do reclamante, quando condenação. Esse privilégio, todavia, não se
adiada a instrução após contestada a ação em aplica à empresa em liquidação extrajudicial.
audiência, não importa arquivamento do
processo. Súmula 100: I - O prazo de decadência, na
ação rescisória, conta-se do dia
Súmula 12: As anotações apostas pelo imediatamente subseqüente ao trânsito em
empregador na carteira profissional do julgado da última decisão proferida na causa,
empregado não geram presunção "juris et seja de mérito ou não.
de jure", mas apenas "juris tantum".
I - Havendo recurso parcial no processo
principal, o trânsito em julgado dá-se em
Súmula 16: Presume-se recebida a notificação momentos e em tribunais diferentes,
48 (quarenta e oito) horas depois de sua contando-se o prazo decadencial para a ação
postagem. O seu não-recebimento ou a rescisória do trânsito em julgado de cada
entrega após o decurso desse prazo constitui decisão, salvo se o recurso tratar de
ônus de prova do destinatário. preliminar ou prejudicial que possa tornar
insubsistente a decisão recorrida, hipótese em
Súmula 18: A compensação, na Justiça do que flui a decadência a partir do trânsito em
Trabalho, está restrita a dívidas de natureza julgado da decisão que julgar o recurso
trabalhista. parcial.

I I - Salvo se houver dúvida razoável, a


Súmula 48: A compensação só poderá ser
interposição de recurso intempestivo ou a
argüida com a contestação.
interposição de recurso incabível não protrai
o termo inicial do prazo decadencial.
Súmula 74: I - Aplica-se a confissão à parte
que, expressamente intimada com aquela IV - O juízo rescindente não está adstrito à
cominação, não comparecer à audiência em certidão de trânsito em julgado juntada com
prosseguimento, na qual deveria depor. (ex- a ação rescisória, podendo formar sua
Súmula nº 74 - RA 69/1978, DJ 26.09.1978) convicção através de outros elementos dos
autos quanto à antecipação ou postergação
II - A prova pré-constituída nos autos pode
do "dies a quo" do prazo decadencial.
ser levada em conta para confronto com a
confissão ficta (arts. 442 e 443, do CPC de V - O acordo homologado judicialmente tem
2015 - art. 400, I, do CPC de 1973), não força de decisão irrecorrível, na forma do art.
implicando cerceamento de defesa o 831 da CLT. Assim sendo, o termo
indeferimento de provas posteriores. (ex-OJ
conciliatório transita em julgado na data da sua
nº 184 da SBDI-1 - inserida em 08.11.2000) homologação judicial.
III- A vedação à produção de prova posterior VI - Na hipótese de colusão das partes, o
pela parte confessa somente a ela se aplica, prazo decadencial da ação rescisória somente
não afetando o exercício, pelo magistrado, do começa a fluir para o Ministério Público, que
poder/dever de conduzir o processo. não interveio no processo principal, a partir
do momento em que tem ciência da fraude.

50
VII - Não ofende o princípio do duplo grau de I - Garantido o juízo, na fase executória, a
jurisdição a decisão do TST que, após afastar exigência de depósito para recorrer de
a decadência em sede de recurso ordinário, qualquer decisão viola os incisos II e LV do art.
aprecia desde logo a lide, se a causa versar 5º da CF/1988. Havendo, porém, elevação do
questão exclusivamente de direito e estiver valor do débito, exige-se a complementação
em condições de imediato julgamento. da garantia do juízo.

VIII - A exceção de incompetência, ainda que I I - Havendo condenação solidária de duas ou


oposta no prazo recursal, sem ter sido aviado mais empresas, o depósito recursal efetuado
o recurso próprio, não tem o condão de por uma delas aproveita as demais, quando a
afastar a consumação da coisa julgada e, empresa que efetuou o depósito não pleiteia
assim, postergar o termo inicial do prazo sua exclusão da lide.
decadencial para a ação rescisória.

IX - Prorroga-se até o primeiro dia útil, Súmula 161: Se não há condenação a


imediatamente subseqüente, o prazo pagamento em pecúnia, descabe o depósito
decadencial para ajuizamento de ação de que tratam os §§ 1º e 2º do art. 899 da
rescisória quando expira em férias forenses, CLT.
feriados, finais de semana ou em dia em que Súmula 192: I - Se não houver o
não houver expediente forense. Aplicação do
conhecimento de recurso de revista ou de
art. 775 da CLT.
embargos, a competência para julgar ação
X - Conta-se o prazo decadencial da ação que vise a rescindir a decisão de mérito é do
rescisória, após o decurso do prazo legal Tribunal Regional do Trabalho, ressalvado o
previsto para a interposição do recurso disposto no item II.
extraordinário, apenas quando esgotadas I - Acórdão rescindendo do Tribunal Superior
todas as vias recursais ordinárias. do Trabalho que não conhece de recurso de
embargos ou de revista, analisando arguição
Súmula 122: A reclamada, ausente à audiência de violação de dispositivo de lei material ou
em que deveria apresentar defesa, é revel, decidindo em consonância com súmula de
ainda que presente seu advogado munido de direito material ou com iterativa, notória e
procuração, podendo ser ilidida a revelia atual jurisprudência de direito material da
mediante a apresentação de atestado Seção de Dissídios Individuais (Súmula nº
médico, que deverá declarar, expressamente, 333), examina o mérito da causa, cabendo
a impossibilidade de locomoção do ação rescisória da competência do Tribunal
empregador ou do seu preposto no dia da Superior do Trabalho.
audiência. I I – Sob a égide do art. 512 do CPC de 1973,
é juridicamente impossível o pedido explícito
Súmula 126: Incabível o recurso de revista ou de desconstituição de sentença quando
de embargos (arts. 896 e 894, "b", da CLT) substituída por acórdão do Tribunal Regional
para reexame de fatos e provas. ou superveniente sentença homologatória de
acordo que puser fim ao litígio.
Súmula 128: I - É ônus da parte recorrente
IV – Na vigência do CPC de 1973, é manifesta
efetuar o depósito legal, integralmente, em
a impossibilidade jurídica do pedido de
relação a cada novo recurso interposto, sob
pena de deserção. Atingido o valor da rescisão de julgado proferido em agravo de
condenação, nenhum depósito mais é exigido instrumento que, limitando-se a aferir o
para qualquer recurso. eventual desacerto do juízo negativo de
admissibilidade do recurso de revista, não

51
substitui o acórdão regional, na forma do art. Súmula 266: A admissibilidade do recurso de
512 do CPC. revista interposto de acórdão proferido em
V- A decisão proferida pela SBDI, em agravo agravo de petição, na liquidação de sentença
regimental, calcada na Súmula nº 333, ou em processo incidente na execução,
substitui acórdão de Turma do TST, porque inclusive os embargos de terceiro, depende
emite juízo de mérito, comportando, em de demonstração inequívoca de violência
tese, o corte rescisório. direta à Constituição Federal.
Súmula 212: O ônus de provar o término do
contrato de trabalho, quando negados a Súmula 283: O recurso adesivo é compatível
prestação de serviço e o despedimento, é do com o processo do trabalho e cabe, no prazo
empregador, pois o princípio da continuidade de 8 (oito) dias, nas hipóteses de interposição
da relação de emprego constitui presunção de recurso ordinário, de agravo de petição,
favorável ao empregado. de revista e de embargos, sendo
Súmula 214: Na Justiça do Trabalho, nos desnecessário que a matéria nele veiculada
termos do art. 893, § 1º, da CLT, as decisões esteja relacionada com a do recurso
interlocutórias não ensejam recurso imediato, interposto pela parte contrária.
salvo nas hipóteses de decisão: a) de Tribunal
Regional do Trabalho contrária à Súmula ou Súmula 293: A verificação mediante perícia
Orientação Jurisprudencial do Tribunal de prestação de serviços em condições
Superior do Trabalho; b) suscetível de nocivas, considerado agente insalubre diverso
impugnação mediante recurso para o do apontado na inicial, não prejudica o pedido
mesmo Tribunal; c) que acolhe exceção de de adicional de insalubridade.
incompetência territorial, com a remessa dos
autos para Tribunal Regional distinto daquele
a que se vincula o juízo excepcionado, Súmula 297: I. Diz-se prequestionada a
consoante o disposto no art. 799, § 2º, da matéria ou questão quando na decisão
CLT. impugnada haja sido adotada, explicitamente,
tese a respeito.
Súmula 245: O depósito recursal deve ser
feito e comprovado no prazo alusivo ao II. Incumbe à parte interessada, desde que a
recurso. A interposição antecipada deste não matéria haja sido invocada no recurso
prejudica a dilação legal. principal, opor embargos declaratórios
objetivando o pronunciamento sobre o tema,
Súmula 259: Só por ação rescisória é sob pena de preclusão.
impugnável o termo de conciliação previsto
III. Considera-se prequestionada a questão
no parágrafo único do art. 831 da CLT.
jurídica invocada no recurso principal sobre a
qual se omite o Tribunal de pronunciar tese,
Súmula 262: I - Intimada ou notificada a parte
não obstante opostos embargos de
no sábado, o início do prazo se dará no
declaração.
primeiro dia útil imediato e a contagem, no
subsequente. Súmula 300: Compete à Justiça do Trabalho
processar e julgar ações ajuizadas por
II - O recesso forense e as férias coletivas
empregados em face de empregadores
dos Ministros do Tribunal Superior do
relativas ao cadastramento no Programa de
Trabalho suspendem os prazos recursais.
Integração Social (PIS).

52
Súmula 338: I - É ônus do empregador que contribuição. (ex-OJ nº 141 da SBDI-1 - inserida
conta com mais de 10 (dez) empregados o em 27.11.1998).
registro da jornada de trabalho na forma do
art. 74, § 2º, da CLT. A não-apresentação Súmula 377: Exceto quanto à reclamação de
injustificada dos controles de frequência gera empregado doméstico, ou contra micro ou
presunção relativa de veracidade da jornada pequeno empresário, o preposto deve ser
de trabalho, a qual pode ser elidida por prova necessariamente empregado do reclamado.
em contrário.
Inteligência do art. 843, § 1º, da CLT e do art.
54 da Lei Complementar nº 123, de 14 de
II - A presunção de veracidade da jornada de
trabalho, ainda que prevista em instrumento dezembro de 2006.
normativo, pode ser elidida por prova em
contrário. Súmula 387: I - A Lei nº 9.800, de 26.05.1999,
é aplicável somente a recursos interpostos
III - Os cartões de ponto que demonstram após o início de sua vigência.
horários de entrada e saída uniformes são I - A contagem do quinquidio para
inválidos como meio de prova, invertendo-se apresentação dos originais de recurso
o ônus da prova, relativo às horas extras, que interposto por intermédio de fac-símile
passa a ser do empregador, prevalecendo a começa a fluir do dia subsequente ao término
jornada da inicial se dele não se desincumbir. do prazo recursal, nos termos do art. 2º da
Lei nº 9.800, de 26.05.1999, e não do dia
Súmula 339: I - O suplente da CIPA goza da
seguinte à interposição do recurso, se esta
garantia de emprego prevista no art. 10, II, "a",
do ADCT a partir da promulgação da se deu antes do termo final do prazo.
Constituição Federal de 1988. I I - Não se tratando a juntada dos originais de
ato que dependa de notificação, pois a parte,
II - A estabilidade provisória do cipeiro não ao interpor o recurso, já tem ciência de seu
constitui vantagem pessoal, mas garantia para ônus processual, não se aplica a regra do art.
as atividades dos membros da CIPA, que 224 do CPC de 2015 (art. 184 do CPC de
somente tem razão de ser quando em 1973) quanto ao "dies a quo", podendo
atividade a empresa. Extinto o coincidir com sábado, domingo ou feriado.
estabelecimento, não se verifica a despedida IV – A autorização para utilização do fac-
arbitrária, sendo impossível a reintegração e símile, constante do art. 1º da Lei n.º 9.800, de
indevida a indenização do período estabilitário. 26.05.1999, somente alcança as hipóteses em
que o documento é dirigido diretamente ao
Súmula 341: A indicação do perito assistente
órgão jurisdicional, não se aplicando à
é faculdade da parte, a qual deve responder
transmissão ocorrida entre particulares.
pelos respectivos honorários, ainda que
vencedora no objeto da perícia.
Súmula 389: I - Inscreve-se na competência
material da Justiça do Trabalho a lide entre
Súmula 368, I: I - A Justiça do Trabalho é empregado e empregador tendo por objeto
competente para determinar o recolhimento indenização pelo não-fornecimento das guias
das contribuições fiscais. A competência da do seguro-desemprego.
Justiça do Trabalho, quanto à execução das
contribuições previdenciárias, limita-se às I - O não-fornecimento pelo empregador da
sentenças condenatórias em pecúnia que guia necessária para o recebimento do
proferir e aos valores, objeto de acordo seguro-desemprego dá origem ao direito à
homologado, que integrem o salário de indenização.

53
Súmula 400: Em se tratando de rescisória de de autuação administrativa como pressuposto
rescisória, o vício apontado deve nascer na de admissibilidade de recurso administrativo,
decisão rescindenda, não se admitindo a não foi recepcionado pela Constituição
rediscussão do acerto do julgamento da Federal de 1988, ante a sua incompatibilidade
rescisória anterior. Assim, não procede com o inciso LV do art. 5º.
rescisória calcada no inciso V do art. 966 do
CPC de 2015 (art. 485, V, do CPC de 1973) Súmula 425: O jus postulandi das partes,
para discussão, por má aplicação da mesma estabelecido no art. 791 da CLT, limita-se às
norma jurídica, tida por violada na rescisória Varas do Trabalho e aos Tribunais Regionais
anterior, bem como para arguição de do Trabalho, não alcançando a ação
questões inerentes à ação rescisória primitiva. rescisória, a ação cautelar, o mandado de
segurança e os recursos de competência do
Súmula 414: I – A tutela provisória concedida Tribunal Superior do Trabalho.
na sentença não comporta impugnação pela
via do mandado de segurança, por ser Súmula 434: I) É extemporâneo recurso
impugnável mediante recurso ordinário. É interposto antes de publicado o acórdão
admissível a obtenção de efeito suspensivo impugnado.(ex-OJ nº 357 da SBDI-1 – inserida
ao recurso ordinário mediante requerimento em 14.03.2008)
dirigido ao tribunal, ao relator ou ao presidente I ) A interrupção do prazo recursal em razão
ou ao vice-presidente do da interposição de embargos de declaração
tribunal recorrido, por aplicação subsidiária ao pela parte adversa não acarreta qualquer
processo do trabalho do artigo 1.029, § 5º, do prejuízo àquele que apresentou seu recurso
CPC de 2015. tempestivamente.
II – No caso de a tutela provisória haver sido
concedida ou indeferida antes da sentença, Súmula 442: Nas causas sujeitas ao
cabe mandado de segurança, em face da procedimento sumaríssimo, a admissibilidade
inexistência de recurso próprio. de recurso de revista está limitada à
III – A superveniência da sentença, nos autos demonstração de violação direta a dispositivo
originários, faz perder o objeto do mandado da Constituição Federal ou contrariedade a
de segurança que impugnava a concessão ou Súmula do Tribunal Superior do Trabalho,
o indeferimento da tutela provisória. não se admitindo o recurso por contrariedade
a Orientação Jurisprudencial deste Tribunal
Súmula 418: A homologação de acordo (Livro II, Título II, Capítulo III, do RITST), ante a
constitui faculdade do juiz, inexistindo direito ausência de previsão no art. 896, § 6º, da
líquido e certo tutelável pela via do mandado CLT.
de segurança.
OJ 89: CANCELADA. Incorporada à Súmula
Súmula 419: Na execução por carta 376/TST.
precatória, os embargos de terceiro serão OJ 363: Cancelada em decorrência da
oferecidos no juízo deprecado, salvo se aglutinação da sua parte final ao item II da
indicado pelo juízo deprecante o bem Súmula nº 368 do TST.
constrito ou se já devolvida a carta. 143 SDI 1: É direta a execução por crédito
trabalhista contra empresa em liquidação
Súmula 424: O § 1º do art. 636 da CLT, que extrajudicial.
estabelece a exigência de prova do depósito 376 SBDI - 1: É devida a contribuição
prévio do valor da multa cominada em razão previdenciária sobre o valor do acordo

54
celebrado e homologado após o trânsito em
julgado de decisão judicial, respeitada a
proporcionalidade de valores entre as
parcelas de natureza salarial e indenizatória
deferidas na decisão condenatória e as
parcelas objeto do acordo.

Súmulas do STJ
OAB
Súmula 363: Compete à Justiça estadual
processar e julgar a ação de cobrança
ajuizada por profissional liberal contra cliente.

Súmula 458: A contribuição previdenciária


incide sobre a comissão paga ao corretor de
seguros.

Súmulas do STF
OAB
Súmula 458: O processo da execução
trabalhista não exclui a remição pelo
executado.

55
3.
DIREITO
EMPRESARIAL

@contemdireito_
56
Teoria Geral do Direito Empresarial
1. CONCEITO DE EMPRESA I- CAPACIDADE:
» Atividade econômica » EXCEÇÃO:
» Organizada (mão-de-obra + matéria prima + 1) Incapaz pode (sem idade mínima)
capital + tecnologia) a) Necessária autorização judicial (alvará - Junta);
» Empresário (sócio NÃO é empresário) b) Pode ser revogado;
c) Sem prejuízo dos direitos adquiridos por terceiros (sem
2. CONCEITO DE EMPRESÁRIO publicação na imprensa).
» Pessoa privada ou jurídica 2) Herdeiro
» Circulação de bens e de serviços 3) Capacidade superveniente (Interdição)
» Atividade econômica » Para as pessoas acima mencionadas, existem REGRAS:
» REQUISITOS: profissionalmente, atividade a) NÃO pode administrar empresa;
econômica e organizada. b) Capital social totalmente integralizado;
3. INSCRIÇÃO c) Assistidos ou representados;
d) Deve alterar o contrato.
» Obrigatória
⤷ NÃO ficam sujeitos ao resultado da empresa.
4. CONSEQUÊNCIAS DA AUSÊNCIA DO REGISTRO
⤷ Os bens que já possuía ao tempo da sucessão,
» Impossibilidade de declarar falência de terceiros (a desde que estranhos ao acervo, deve constar no alvará.
sua é possível).
» Responsabilidade ilimitada.
» REQUISITOS: Registro não é requisito.

Empresário
II- AUSÊNCIA DE IMPEDIMENTOS (pode ser III – NÃO É EMPRESÁRIO QUEM EXERCE:
sócio): I- Atividade intelectual; » EXCETO se constituir
a) Se o representante do incapaz for impedido? II- Natureza científica; elemento de empresa.
III- Literária; » Ainda que em concurso
Será nomeado com autorização do juiz, um ou mais de auxiliar ou
gerentes (a autorização não exime pelos atos IV- Artística.
colaboradores.
praticados pelos gerentes).
» Servidores, falidos, estrangeiros: se exercer, IV- CÔNJUGES:
responde pelas obrigações contraídas. I) Faculdade de contratar sociedade entre si ou
» Pode ser declarada falida ≠ Recuperada judicialmente terceiro.
DESDE QUE NÃO SEJA:
III- INSCRIÇÃO NA JUNTA ANTES DE INICIAR AS a) Regime comunhão universal
ATIVIDADES: b) Separação obrigatória
» É P.F., se não registrar, é empresário irregular.
II) Sem outorga conjugal
⤷ Não há desconsideração da personalidade
a) Qualquer regime de bens
jurídica.
b) Alinhar os imóveis ou gravar de ônus real.
⤷ Não cabe ao empresário individual.
57
EMPRESÁRIO INDIVIDUAL:
EMPRESÁRIO RURAL:
» Pessoa física (individualmente e
» Inscrição facultativa
profissionalmente)
» Principal função
» Realiza atividade econômica organizada para
» REGISTRO é FACULTATIVO
produção ou circulação de bens.
⤷ Se registrar equipara ao empresário comum
REQUISITOS:
» Pode requerer:
RECUPERAÇÃO JUDICIAL ≠ EMPRESÁRIO COMUM QUE: Pleno gozo da capacidade civil
Não ter impedimento legal
I- 2 anos regular; CAPACIDADE:
II- igual ou + de 2 anos de Àquele que goze plenamente dos direitos civis e
atividade. não seja legalmente impedido.
OBS: O incapaz, NÃO pode ser empresário
RURAL SÓ PRECISA DO individual, mas PODE ser SÓCIO de sociedade.
REGISTRO PARA PEDIR EXCEÇÕES: Sucessão hereditária e incapacidade
RECUPERAÇÃO JUDICIAL. superveniente.
MENOR EMANCIPADO:
Pode. No caso de prática ilícita segue as regras do
ECA.

Estabelecimento Empresarial
» Fundo de comércio a) CORPÓREOS OU b) INCORPÓREOS OU
» Não é sujeito de direitos e obrigações
MATERIAIS IMATERIAIS
» Não possui personalidade jurídica
» É objeto de direito, possui proteção legal
» Bens móveis: STJ » Propriedade industrial;
» ELEMENTOS: (ex: mercadorias em
» Registro de marca;
a) Corpóreos » Nome empresarial;
estoque)
b) Incorpóreos » Ponto empresarial;
» Bens imóveis: » Nome de domínio: nome
(ex: imóvel usado como indicativo do website do
» ATRIBUTOS: armazém, etc). empresário.
c) Aviamento
d) Clientela
OBS: c) Aviamento: potencialidade do estabelecimento
» NATUREZA JURÍDICA: gerar LUCROS.
Universalidade de fato.
d) Clientela: conjunto de pessoas que mantém relação de
» PENHORA DO ESTABELECIMENTO: fidelidade com o empresário, adquirindo produtos e serviços
É legítima. dele.

58
Registro
1. REGISTRO:
» Registro Público de Empresas Mercantis.
» Nome empresarial: ESTADUAL (Registro dos atos do empresário na
Junta Comercial).
NÃO PODE ALIENAR.
» Marca: FEDERAL.
(Registro no Instituto Nacional de Propriedade Industrial).
PODE ALIENAR.
» TÍTULO DE ESTABELECIMENTO:
Não precisa de registro
PODE ALIENAR. 1) O adquirente responder
2. ALIENAÇÃO DO ESTABELECIMENTO EMPRESARIAL OU pelas obrigações do
TRESPASSE: negócio.
» Art. 1.144, CC. 2) O empresário alienante
» Contrato de compra e venda permanece responsável
» Negócio jurídico translativo solidariamente com o
» EFEITOS: só produz depois de averbação do empresário ou da empresário adquirente por 1
sociedade empresária, no RPEM e publicado na imprensa oficial. ano.
⤷ Exceção: microempresas e empresas de pequeno » Créditos vencidos;
porte estão desobrigadas da publicação. » Dívidas vincendas.

Escrituração
» Todo empresário (salvo pequeno empresário), tem 3. SIGILOSIDADE:
o dever de escriturar os livros empresariais. » Os livros empresariais são sigilosos.
1. REQUISITOS: » Súmula 260, STF.
a) Intrínsecos: idioma nacional; moeda corrente; forma
contábil; ordem cronológica e sem rasura. 4. FALSIFICAÇÃO DE LIVRO MERCANTIL:
b) Extrínsecos: segurança e autenticidade. » Crime de falsificação de documento público.
I- Livro obrigatório: Livro Diário (Datilografado) » Art. 297, CP.

2. CONSEQUÊNCIAS DA NÃO ESCRITURAÇÃO:


a) Ineficácia probatória dos livros comerciais;
b) Ilegitimidade ativa para requerer a recuperação
judicial.
c) Configuração de crime falimentar.
59
Direito Societário
Para ser sociedade não é necessário/essencial ter a aquisição de personalidade jurídica, portanto,
existem sociedades PERSONIFICADAS e DESPERSONIFICADAS.
1. SOCIEDADES DESPERSONIFICADAS: 2. SOCIEDADES PERSONIFICADAS:
I) Sociedade em comum I) Sociedades simples
II) Sociedade em conta de participação II) Sociedade em nome coletivo
III) Sociedade em comandita simples ou por ações
a) Sociedades ilimitadas: IV) Sociedade limitada
Os sócios respondem de forma subsidiária e ilimitada V) Sociedade anônima
com seu patrimônio pessoal pelas obrigações da VI) Sociedade cooperativa
sociedade se o da empresa não for suficiente para a) Sociedades empresárias:
honrar dívidas. » Junta comercial.
b) Sociedades limitadas: » Aplicam-se normas do Direito Empresarial.
» Sócios se obrigam até determinada quantia. » Realizam atividades econômicas organizadas para
» Sociedade limitada; a anônima e a cooperativa. produção ou circulação de bens ou serviços.
c) Sociedades mistas: Ex: restaurantes.
» Há sócios com responsabilidade limitada e os com b) Sociedades simples:
ilimitada. » Registro Civil de Pessoas Jurídicas
» Sociedades: em comandita simples » Não se aplicam normas do Direito Empresarial
em comandita por ações » Realizam uma atividade de natureza específica, com
em conta de participação auxiliares e colaboradores (salvo se contribuir elemento
de empresa » sociedade de advogados).

Lei Complementar 123

Art. 3º. Microempresas ou E.P.P. são:


» Sociedade empresária;
» Sociedade simples;
» Empresa individual de responsabilidade limitada;
» Empresário (Art. 966)

Exerce profissionalmente atividade econômica organizada, produção ou circulação de bens ou serviços

» São registradas no Registro de Empresas Mercantis ou Registro de Pessoas Jurídicas.

60
§4º NÃO podem se beneficiar desta lei, a pessoa jurídica:
X. Constituída sob a forma de cooperativas;
VI. Constituída sob a forma de sociedade por ações;
VIII. Atividade de banco comercial, investimentos » de caixa econômica
» sociedade de crédito
» crédito imobiliário
» corretora ou distribuidora de títulos
» títulos, valores imobiliários e câmbio
» empresa de arrendamento mercantil
» seguros privados e capitalização
» previdência complementar

Lei 5.764/71
Art. 18: Verificada a existência de condição de funcionamento e a regularidade da documentação:

PRAZO: 60 dias no MÁXIMO a contar da data de entrada pelo órgão executivo federal de controle.
⤷ Deverá devolver 2 vias autenticadas à cooperativa + documentação à Junta comercial do
Estado.
⤷ Onde a entidade sediar
⤷ Arquivado na Junta e
§6º: publicado (cooperativa adquire personalidade jurídica).

» CRIAÇÃO DA COOPERATIVA:
⤷ INDEPENDE de autorização;
⤷ Não é necessário a interferência estatal para seu funcionamento.

Empresa Individual de Responsabilidade

Limitada
Art. 980-A: A empresa individual de RESPONSABILIDADE LIMITADA será constituída por UMA ÚNICA
´PESSOA
⤷ Titular da TOTALIDADE do CAPITAL SOCIAL INTEGRALIZADO
Não inferior a 100x o
MAIOR salário-mínimo vigente.
§1º: NOME EMPRESARIAL: formado com “EIRELI” após FIRMA ou DENOMINAÇÃO SOCIAL.

§2º: a pessoa natural que a constituir SOMENTE poderá figurar em UMA ÚNICA empresa dessa modalidade.

§3º: PODE RESULTAR da CONCENTRAÇÃO de QUOTAS de OUTRA modalidade societária em UM ÚNICO


SÓCIO, INDEPENDENTE das razões que motivaram tal concentração. 61
§5º: poderá ser atribuída à empresa.. .
Constituída para prestação (de qualquer natureza) de serviços.
» REMUNERAÇÃO decorrente da cessão de direitos patrimoniais.

De que seja detentor o titular da P.J. autor, imagem, nome, marca, voz.
⤷ Vinculados à atividade profissional.

§6º: Aplicasse as regras das SOCIEDADES LIMITADAS.

§7º: SOMENTE o PATRIMÔNIO SOCIAL da empresa RESPONDERÁ pelas DÍVIDAS.


⤷ NÃO CONFUNDE em PATRIMÔNIO DO TITULAR “NUNCA”
⤷ Exceção: FRAUDE!

Da sociedade
Art. 982: Salvo exceções:

SOCIEDADE EMPRESÁRIA é: objeto o exercício de atividade PRÓPRIA de EMPRESÁRIO sujeito à REGISTRO.


⤷ AÇÕES

SOCIEDADE SIMPLES: as demais


⤷ COOPERATIVA

Art. 985: A sociedade adquire PERSONALIDADE JURÍDICA INSCRIÇÃO no registro próprio e na forma da lei.
⤷ ATOS CONSTITUTIVOS.

Sociedade em comum
Art. 986: Enquanto NÃO INSCRITOS (SEM PERSONALIDADE JURÍDICA) os ATOS CONSTITUTIVOS serão
SOCIEDADES em COMUM quando compatível EXCETO: AÇÕES em organização.

⤷ SUBSIDIARIAMENTE quando compatível será baseado em SOCIEDADE SIMPLES.

Art. 987: Os sócios relações ENTRE SI e com TERCEIROS


Podem PROVAR SOMENTE POR ESCRITO (a existência da sociedade)

TERCEIROS PROVAM de QUALQUER FORMA.

Art. 988: BENS e DÍVIDAS SOCIAIS constituem PATRIMÔNIO ESPECIAL do qual os sócios são TITULARES em
COMUM. 62
Art. 989: BENS SOCIAIS RESPONDEM pelos ATOS de GESTÃO praticados por QUALQUER SÓCIO.

EXCEÇÃO: PACTO EXPRESSO LIMITADO PODERES


⤷ EFICÁCIA contra TERCEIRO que CONHEÇA ou deva CONHECER.

Art. 990: TODOS SÓCIOS respondem pelas OBRIGAÇÕES SOCIAIS SOLIDÁRIA e ILIMITADAMENTE.
⤷ EXCLUÍDO do BENEFÍCIO de ORDEM.
⤷ Quem contratou pra sociedade.

Sociedade por conta de participação


Art. 991: A atividade constitutiva do objeto social é exercida UNICAMENTE pelo SÓCIO OSTENSIVO.
⤷ em seu nome empresarial
» OS DEMAIS: participam dos RESULTADOS. sob sua responsabilidade.
» SÓCIO PARTICIPANTE: obriga-se perante o SÓCIO OSTENSIVO. ⤷ Obriga-se perante
TERCEIRO.
Art. 993: CONTRATO SOCIAL produz efeito SOMENTE ENTRE SÓCIOS.
» A INSCRIÇÃO de seu instrumento NÃO CONFERE PERSONALIDADE JURÍDICA.
p.ú.: SÓCIO PARTICIPANTE NÃO PODE tomar parte nas relações dos SÓCIOS OSTENSIVOS com terceiros.
⤷ Podem fiscalizar. ⤷ PENA: responde SOLIDARIAMENTE no que intervir.

Art. 994: A contribuição do SÓCIO PARTICIPANTE constitui com SÓCIO OSTENSIVO.


⤷ patrimônio especial: objeto da conta de participação relativa à
negócios sociais.

§1º: ESPECIALIZAÇÃO PATRIMONIAL produz efeito em relação aos sócios..

§2º: FALÊNCIA do SÓCIO OSTENSIVO


⤷ dissolução da sociedade
⤷ liquidação da conta (SALDO constitui CRÉDITO QUIROGRAFÁRIO).
§3º: FALÊNCIA do SÓCIO PARTICIPANTE:
⤷ contrato social fica sujeito às normas de falência nos contratos bilaterais.

Art. 1.162: NÃO PODE TER FIRMA OU DENOMINAÇÃO porque não tem personalidade jurídica.

Art. 945: Salvo estipulação contrária, o SÓCIO OSTENSIVO NÃO PODE admitir NOVO SÓCIO SEM
CONSENTIMENTO EXPRESSO dos demais.

» PODE HAVER PLURALIDADE DE SÓCIOS OSTENSIVOS. 63


Sociedade Simples
Art. 998: Nos 30 dias subsequentes a sua constituição DEVERÁ requerer INSCRIÇÃO do CONTRATO SOCIAL.
⤷ REGISTRO CIVIL das P.J. do local da sua
sede.
§1º: Pedido de inscrição acompanhado de INSTRUMENTO AUTENTICADO do CONTRATO e SÓCIO representado
por PROCURADOR.
⤷ Acompanha PROCURAÇÃO e PROVA de AUTORIZAÇÃO da autoridade.

§2º: INSCRIÇÃO será tomada TERMO no LIVRO de REGISTRO PRÓPRIO.


⤷ Obedece a número de ordem.

Dos direitos e obrigações dos sócios


Art. 1002: SÓCIO NÃO PODE ser SUBSTITUTO no EXERCÍCIO de suas FUNÇÕES SEM CONSENTIMENTO dos
demais sócios EXPRESSO em MODIFICAÇÃO no CONTRATO SOCIAL.

Art. 1003: CESSÃO TOTAL ou PARCIAL da QUOTA sem modificação no contrato com consentimento
NÃO TERÁ eficácia quanto aos sem consentimento e sociedade.

P.Ú.: Até 2 anos depois de AVERBADA a modificação RESPONDE o CEDENTE SOLIDARIAMENTE com o
CESSIONÁRIO perante a SOCIEDADE e TERCEIROS.
⤷ pelas obrigações que tenha como sócio.

Art. 1008: NULA estipulação contratual.


⤷ que EXCLUA QUALQUER SÓCIO de participar dos LUCROS e PERDAS.

Art. 1009: distribuição de LUCROS ILÍCITOS ou FICTÍCIOS acarreta RESPONSABILIDADE SOLIDÁRIA dos adm. E
sócios CONHECENDO ou DEVENDO CONHECER a ilegitimidade.

Da administração
Art. 1016: ADMINISTRADORES RESPONDEM SOLIDARIAMENTE perante a SOCIEDADE e TERCEIROS prejudicados
por CULPA no desempenho de suas funções.

64
Relações com terceiros
Art. 1024: BENS PARTICULARES (2) dos SÓCIOS:
» NÃO PODEM ser executados por dívidas da sociedade se não DEPOIS de executados os bens sociais (1).

Art. 1025: SÓCIOS, admitido em sociedade JÁ constituída NÃO SE EXIME das DÍVIDAS SOCIAIS.
⤷ ANTERIORES à ADMISSÃO.
Art. 1027: HERDEIROS do CÔNJUGE de SÓCIO ou CÔNJUGE que se SEPAROU JUDICIALMENTE.
» NÃO PODE EXIGIR a parte que lhes couber na quota social
⤷ VAI CONCORRER à divisão periódica dos lucros até que se LIQUIDE a sociedade.

Da dissolução
Art. 1033: a sociedade dissolve-se:
I- Vencimento prazo de duração;
» EXCEÇÃO: vencido e sem oposição não entrar a sociedade em liquidação PRORROGA por TEMPO
INDETERMINADO.
II- Consenso unânime dos sócios;
III- Deliberação por MAIORIA ABSOLUTA da sociedade de prazo indeterminado;
IV- Falta de pluralidade de sócios não reconstituída em 180 dias;
V- Extinção da autorização de funcionar;
VI- Pela decretação da falência, se empresária.

Resolução da sociedade em relação a um sócio


Art. 1029: Qualquer sócio pode se retirar da sociedade se:
a) Prazo indeterminado:
» Mediante notificação aos demais sócios;
» Antecedência mínima 60 dias;
b) Prazo determinado:
» Provando judicialmente à JUSTA CAUSA.
P.Ú.: Nos 30 dias subsequentes à notificação podem os demais sócios optar pela dissolução.

Art. 1030: PODE SÓCIO ser EXCLUÍDO JUDICIALMENTE com iniciativa MAIORIA dos demais sócios por falta grave
no cumprimento de obrigações ou por incapacidade superveniente.

P.Ú.: SÓCIO DECLARADO FALIDO excluído de pleno direito (SÓCIO com QUOTA LIQUIDADA).
65
Art. 1031: SOCIEDADE se RESOLVER relação a UM SÓCIO o R$ da sua quota (valor) LIQUIDAR-SE-Á considerada
Pelo montante efetivamente realizado.
» EXCEÇÃO: disposição contratual contrária com base na situação patrimonial da sociedade à data da resolução.
» Verificada em BALANÇO ESPECIALMENTE LEVANTADO.
» SÓCIO EXCLUÍDO NÃO PERDE O VALOR PATRIMONIAL DE SUA PARTICIPAÇÃO.

§1º: CAPATIAL SOCIAL irá REDUZIR EXCETO: se os sócios SUPRIREM O VALOR.

§2º: Quota liquidada paga em R$ em 90 dias a partir da LIQUIDAÇÃO salvo acordo ou estipulação em contrário.

Art. 1032: RETIRADA Pelas irresponsabilidades POSTERIORES até 2 anos após AVERBADA a
EXCLUSÃO RESOLUÇÃO da SOCIEDADE.
MORTE
» NÃO RETIRA: HERDEIROS (até 2 anos) da responsabilidade pelas obrigações sociais anteriores.
» Obrigações ANTERIORES e POSTERIORES.

Art. 1028: No caso de morte do sócio: DISSOLUÇÃO NÃO É REGRA.


» LIQUIDAR-SE-Á sua quota

EXCETO: I) Se contrato dispuser ≠


.SUCESSÃO DOS
II) Se sócios remanescentes optarem
pela dissolução da sociedade HERDEIROS
III) Se, por acaso com herdeiros SOMENTE
regular-se a substituição do falecido. OCORRERÁ I/II/III.

Sociedade em nome coletivo


Art. 1039: SOMENTE constitutiva por PESSOA FÍSICA os sócios respondem SOLIDÁRIA e ILIMITADAMENTE.

P.Ú.: PODEM OS SÓCIOS por ato constitutivo ou unânime convenção posterior.

LIMITAR entre si a
RESPONSABILIDADE de cada um Isso não pode prejudicar terceiros.

Art. 1042: Administração da sociedade COMPETE EXCLUSIVAMENTE a SÓCIOS.


» FIRMA: uso nos limites do contrato.
⤷ PRIVATIVO dos que tem necessários poderes.

66
Sociedade em comandita simples
Art. 1045: Sócios de duas categorias:

1) COMANDITADOS: Pessoa Física (SOLIDÁRIO e ILIMITADO)


2) COMANDITÁRIOS: Obrigados SOMENTE pelo VALOR de sua QUOTA.

Art. 1049: NÃO É OBRIGADO à REPOSIÇÃO de LUCROS RECEBIDOS de boa-fé e de acordo com balanço.

P.Ú.: DIMINUINDO O CAPITAL SOCIAL por perdas supervenientes NÃO PODE O COMANDITÁRIO receber qualquer
LUCRO.
⤷ ANTES de REINTEGRADA àquele.

Sociedade limitada
Art. 1052: RESPONSABILIDADE dos sócios RESTRITA ao VALOR de SUAS QUOTAS.
⤷ TODOS respondem SOLIDARIAMENTE pela INTEGRALIZAÇÃO do CAPITAL SOCIAL.
§1º: Constituída por 1 ou + pessoas.
§2º: Se UNIPESSOAL aplica-se ao doc. de constituição do sócio único: disposições sobre CONTRATO SOCIAL.

Art. 1053: Rege-se, quando casos omissos, normas da sociedade simples.


P.Ú.: O contrato social pode prever à regência pelas normas do Sociedade Simples.

Art. 1063: O exercício do cargo de adm. cessa pela DESTITUIÇÃO, a qualquer tempo, do titular ou término do
prazo se não houver RECONDUÇÃO.

§1º: SÓCIO NOMEADO ADM Aprovação de titulares de quotas de + da metade do capital social.
§3º: RENÚNCIA do ADM EFICÁCIA à sociedade (quando toma conhecimento da comunicação escrita).

Art. 1081: Integralizado as quotas pode o capital ser alimentado com modificação no contrato.
§1º: Até 30 dias após deliberação terão os sócios preferenciais para participar do aumento, nas proporções que
sejam titulares.

§3º: Decorrido o prazo e assumido pelos sócios ou 3º:


» A totalidade do aumento
SÓCIO MAJORITÁRIO NÃO
» Haverá reunião dou assembleia dos sócios
TEM PRIORIDADE 67
» Para aprovação do contrato
Art. 1082: Pode a sociedade REDUZIR O CAPITAL mediante modificação contratual.
I) Depois de integralizado, se houver perdas irreparáveis.
II) Excessivo em relação a sociedade

Art. 1083: A redução será realizada com DIMINUIÇÃO PROPORCIONAL do VALOR NOMINAL das quotas tornando-
se efetiva a partir da AVERBAÇÃO, no REGISTRO PÚBLICO de EMPRESAS MERCANTIS.
⤷ Da ata da assembleia que tenha aprovado.

Das quotas
Art. 1055: O capital social divide-se em:
⤷ Quotas iguais ou desiguais cabendo uma ou diversas a cada sócio.
§1º: Respondem SOLIDARIAMENTE os sócios
⤷ Pela EXATA estimação de bens conferidos ao capital social
⤷ PRAZO: 5 ANOS da DATA do REGISTRO da sociedade
§2º: VEDADO contribuir com PRESTAÇÃO de SERVIÇOS.
sem oposição de + de ¼
Art. 1057: OMISSO o CONTRATO: o sócio pode CEDER quotas do capital social de
⤷ TOTAL ou PARCIAL titulares.
⤷ A quem seja sócio ou estranho INDEPENDETE de audiência
do outro.
P.Ú.: CESSÃO terá eficácia sociedade e terceiros
⤷ APÓS ⤷ da AVERBAÇÃO do INSTRUMENTO subscrito pelos sócios anuentes.
INDEPENDENTE DE AVERBAÇÃO? Entre CEDENTE e CESSIONÁRIO.

Art. 1058: NÃO INTEGRALIZADA a quota do SÓCIO REMISSO


⤷ Os outros sócios: tomá-la para si
Excluindo o titular e devolvendo o
transfere à terceiro
que foi pago.

Da administração
Art. 1060: Sociedade limitada é administrada por 1 ou + pessoas designadas no contrato social/ato separado.

P.Ú.: A administração atribuída no contrato a todos os sócios NÃO ESTENDE aos que POSTERIORMENTE adquiram
essa qualidade.
Art. 1061: DESIGNAR ADM. NÃO SÓCIO? Depende!

a) APROVAÇÃO da UNANIMIDADE dos sócios: enquanto o capital não estiver integralizado. 68

b) APROVAÇÃO de 2/3 MÍNIMO: após integralizado.


Conselho Fiscal
(Contrato)
Art. 1066: Composição: » 3 ou + membros e suplentes;
» SÓCIO ou NÃO sócio;
» RESIDENTE no país;
» Eleitos na assembleia anual dos sócios.
§1º: Quem NÃO pode fazer parte?
» Inelegíveis;
» Membros dos outros órgãos da sociedade;
» Administradores
» Cônjuge;
» Parente de até 3 grau.
§2º: SÓCIO MINORITÁRIO que tiverem pelo mens 1/5 do C.S.
⤷ Direito de eleger, separadamente
⤷ Quem? Um dos membros do C.F. e suplentes

Deliberações dos Sócios

Art. 1080: Deliberações infungíveis do contrato ou da lei


⤷ Torna-se ILIMTADA a responsabilidade dos que aprovaram

Resolução da sociedade em relação ao sócio


minoritário

Art. 1085: MAIORIA dos sócios representantes de + da metade do capital social


» PODE EXCLUIR da sociedade:
⤷ Mediante ALTERAÇÃO DO CONTRATO SOCIAL (DESDE QUE previsto a exclusão por justa causa).
⤷ Quando entende que 1 ou + sócios colocam risco a continuidade da sociedade.
⤷ Atos INEGÁVEL gravidade.
P.Ú.: EXCLUSÃO SOMENTE em REUNIÃO ou ASSEMBLEIA especialmente convocada
⤷ Quando existir + 2 sócios
⤷ O acusado tem que estar ciente e pode se defender. 69
Cooperativa
Art. 1094: Características:
a) VARIABILIDADE ou DISPENSA do capital social; (NÃO EXISTE CAPITAL MÍNIMO)
b) CONCURSO de sócios em número mínimo;
c) Limitação do valor da soma de quotas;
d) Intransferibilidade das quotas a 3º estranhos, ainda que herança;
e) Quórum, para a assembleia geral funcionar (número de sócios presentes)
f) Direito de cada sócio a 1 VOTO nas deliberações (qualquer que seja o R$ de sua participação)
g) Distribuição de resultados proporcional ao R$ efetuado pelo sócio;
h) Indivisibilidade fundo de reserva

Art. 1095: RESPONSABILIDADE dos sócios:


§1º: LIMITADA: responde pelo valor de sua quota pelo prejuízo nas operações sociais.
⤷ Guardada a proporção de sua participação.
§2º: ILIMITADA: responde SOLIDÁRIA e ILIMITADAMENTE pelas OBRIGAÇÕES SOCIAIS.

Art. 1096: Quando OMISSO Regras da sociedade simples.

Mei/Me/Epp
1. Microempreendedor Individual (MEI):

Empresário individual / Receita bruta anual de até 81 mil


2. Microempresa (ME):

Empresário individual; Sociedade empresária; EIRELI; Sociedade Simples / Receita bruta anual igual ou
inferior a R$ 360.000,00.
3. Empresa de pequeno porte (EPP):

Empresário individual; Sociedade empresarial; EIRELI; Sociedade simples / Receita bruta anual superior a
R$ 360.000,00 e igual ou inferior a R$ 4.800.000,00.
70
Desconsideração da Personalidade Jurídica
Art. 50, CC.
1) TEORIA: 2) ELEMENTOS:
» MAIOR: exige DESVIO DE FINALIDADE ⤷ Abuso da Personalidade Jurídica
ou ⤷ Desvio de finalidade
CONFUSÃO PATRIMONIAL ⤷ Confusão patrimonial
» MENOR: exige insolvência NÃO exige abuso » REQUISITOS:
» AFASTAMENTO DA P.J. TEMPORÁRIO (“expor o ⤷ Descumprimento de obrigação (insolvência)
sócio”) +
Permitir que o credor consiga o seu direito, a sua ⤷ Abuso cometido pelo sócio (desvio de finalidade ou
SATISFAÇÃO, no patrimônio pessoal. confusão patrimonial).
⤷ Sócio ou Administrador (Deve ser quem cometeu o
ato abusivo). » DECISÃO JUDICIAL
» NÂO é extinção ⤷ Através de requerimento (não pode de ofício / No
Depois, pode chegar, no máximo, a despersonificação. CDC pode).
» PRINCÍPIO DA CONTINUIDADE DA EMPRESA ⤷ Da parte
⤷ Do MP (quando couber).
OBS: É uma modalidade de intervenção de terceiro.
OBS: Juiz pode decretar a desconsideração da P.J.
“inaudita altera pars” sem prévia citação dos sócios
atingidos.

Títulos de Crédito
Crédito gerado por operações de compra e venda a prazo, de empréstimos e de pagamentos por
cheques.
» Documentos que representam obrigação em pecúnia e
1) SUJEITOS:
são emitidos conforme lei específica.
a) Sacador: emite o título.
Sacado: contra quem se emite o título. 2) OBJETIVO: representar um crédito relativo a uma
b) Tomador: credor.
transação específica de mercado, facilitando a sua circulação
Endossador: coobrigado ao devedor, transfere a
entre diversos titulares, substituindo, a moeda e garantindo a
titularidade.
segurança da transação.
c) Endossatário: recebe a titularidade por endosso.
3) ELEMENTOS CONSTITUTIVOS:
d) Adente: transfere por cessão civil
Assionário: recebe por cessão civil a) Tempo: o sentido do crédito é o pagamento futuro.
e) Avalista: obriga-se como garantidor do crédito b) Confiança: o crédito se assegura em promessa de
Avalizado: recebe garantia afetada pelo avalista pagamento. 71
Classificação
MODELO: EMISSÃO: LEGITIMAÇÃO OU
1) LIVRES 1) CAUSAIS PARTICIPAÇÃO:
A lei não institui ESTRUTURA: Quando a lei exigir PRÓPRIOS OU 1) LEGITIMAÇÃO
modelo a ser 1) ORDEM DE causa específica IMPRÓPRIOS: Impróprios e sem
seguido para PAGAMENTO para emissão. 1) PRÓPRIOS valor financeiro
confecção. A pessoa Ex: Duplicata. Utilizados em expresso,
Ex: Nota responsável pelo operação de crédito outorgando direito
promissória; Letra pagamento é 2) NÃO CAUSAIS ou pecuniária. exaurível ao
de câmbio. diferente da que Quando não houver Ex: Cheque; Nota portador.
emite o título. exigência legal promissória; Letra Ex: Bilhete de metrô.
2) VINCULADOS vinculada à sua de câmbio;
Lei dispõe modelo 2) PROMESSA DE emissão. Duplicatas. 2) PARTICIPAÇÃO
Ex: Cheque; PAGAMENTO Ex: Cheque; Nota Outorgam direito de
Duplicata. O título é emitido pela promissória; Letra 2) IMPRÓPRIOS participação não
mesma pessoa que de câmbio. Não ligados à exaurível ao
fará o pagamento. operação de crédito. portador.
Ex: Vale-refeição; Ex: Carteira de
Vale-transporte. clube ou biblioteca.

CARACTERÍSTICAS: ESPÉCIES:
C 1) LETRA DE CÂMBIO: Ordem de pagamento à vista ou a prazo.
E xecutividade ⤷ Saque.
N egociabilidade 2) NOTA PROMISSÓRIA: Documento formal de uma promessa de
A bstração pagamento.
3) CHEQUE: Ordem de pagamento à vista, expedida contra um banco
sobre fundos depositados na conta do emitente para pagamento do
F ormalismo beneficiário.
A utonomia 4) DUPLICATA: Espécie de título de crédito, criado pelo ordenamento
C artularidade jurídico brasileiro, que constitui instrumento de prova do contrato de
I independência compra e venda mercantil ou prestação de serviços.
L iteralidade

72
ESPÉCIES: AVAL X FIANÇA
5) ACEITE: manifestação de concordância com a ordem
de pagamento dada. Ele é ato PROVATIVO do SACADO, » Garantia cambial; » Garantia civil;
que passa a ser devedor principal. » Obrigação principal; » Obrigaçã acessória;
» Princípio da » Segue a obrigação
» Parcial: PODE ser LIMITATIVO ou MODIFICATIVO.
autonomia; principal a que está
» Letra de câmbio e Duplicata (é OBRIGATÓRIO)
» Assinatura do sacado no ANVERSO (frente) do título. relacionada;
» Declaração
unilateral de vontade; » Declaração bilateral
6) ENDOSSO: a manifestação de vontade do credor de vontade
(endossante) que transmite o direito ao valor constante » Não há benefício de
(contrato);
no título a outra pessoa (endossatário), ficando, em ordem (solidariedade);
» Há benefício de
regra, responsável pela EXISTÊNCIA e pelo » Prestado no próprio
ordem
PAGAMENTO do tributo. título (princípio da
(subsidiariedade);
» Parcial: É NULO. literalidade).
» Letra de câmbio; Nota promissória; Duplicata e » Pode ser prestada
Cheque. em instrumento
» Assinatura no VERSO (atrás) do endossante. separado.

7) AVAL: Uma pessoa (avalista) assume uma obrigação


cambiária autônoma e incondicional do título.
» Não há benefício de ordem.
» Parcial: O Código Civil VEDA / A LUG PERMITE.
» Letra de câmbio; Nota promissória; Duplicata; Cheque;
» Assinatura do avalista no ANVERSO (frente) do título.

Prescrição dos títulos de crédito


DEVEDOR DUPLICATA CHEQUE
LETRA DE CÂMBIO NOTA PROMISSÓRIA
PRINCIPAL/
» Sacado/Aceitante » Emitente. » Sacado » Emitente
AVALISTA
3 anos, da data do 3 anos, a contar do 3 anos, da data do » 6 meses, contado
vencimento. vencimento. vencimento. do fim do prazo de
CO-DEVEDORES. apresentação.
ENDOSSANTES/ » Sacador » 1 ano, do protesto. » 1 ano, do protesto.
AVALISTAS 1 ano da data do » 6 meses, do
Protesto. Protesto.

DIREITO DE
REGRESSO » 6 meses, a contar » 6 meses, a contar » 1 ano, da data que » 6 meses, do
(ENTRE CO- da data em que foi da data em que foi foi feito o pagamento ou
DEVEDORES) pago ou demandado. pago ou demandado. pagamento. demandado.
73
Protesto
LETRA DE CÂMBIO NOTA PROMISSÓRIA DUPLICATA CHEQUE
» Ação de regresso » Contra endossantes » Contra os » Contra os
contra o SACADOR, e seus avalistas. endossantes e Endossantes e
OBRIGATÓRIO endossantes e avalistas. avalistas, exceto por
avalistas. declaração do SACADO,
escrita e datada sobre o
cheque, com indicação do
dia da apresentação.

» Contra o SACADO. » Contra o EMITENTE » Contra o SACADO. » Contra o


FACULTATIVO e seus avalistas. Exceção: falta de aceite. EMITENTE e seus
Se não tiver o aceite é avalistas.
necessário para executar
protesto e comprovante
do recebimento da
mercadoria.

Falência
1) REQUISITOS: 3) COMPETÊNCIA:
.
» Um comerciante, para requerer a falência de outrem, » Art. 3º, Lei nº 11.101/05
deve provar ter firma inserida, ou contrato social » É competente para homologar o plano de recuperação
registrado na Junta Comercial correspondente. extrajudicial. Deferir a recuperação judicial ou decretar falência:
O Juízo do local do ´PRINCIPAL ESTABELECIMENTO do
» Título líquido e certo protestado devidamente, CPC.
devedor ou da filial.
» Qualquer credor pode requerer a falência do devedor
4) EFEITOS:
comerciante.
» Ao decretar falência, o falido e seus credores entram no » Massa falida subjetiva
» Suspensão das atividades individuais
regime jurídico-falimentar.
» Suspensão condicional da fluência dos juros.
2) ADMINISTRADOR JUDICIAL:
» Exigibilidade antecipada dos créditos contra o devedor.
» Figura responsável por auxiliar na recuperação judicial » Sócios ilimitadamente responsáveis e administradores
e falência. solidários.
I) Na recuperação judicial: auxilia na manutenção da » Suspensão da pretensão.
atividade econômica. » Arrecadação dos bens do devedor.
II) Na falência: dirige os processos para minimizar os » O empresário individual falido e os sócios ilimitadamente
efeitos de uma possível extinção empresarial. Substituiu responsáveis perdem a administração e disponibilidade de seus
o síndico. bens.
» Fiscaliza a atividade do devedor e o cumprimento do 5) BENS DO DEVEDOR: Serão entregues a massa, no caso
plano judicial. de sociedade falida. (Sócios NÃO).
» E se descumprir? Deve requerer a falência, e se sua Sócios solidários responsáveis: podem ter seus bens
conta não for aprovada pelo juiz, não receberá. arrecadados.
74
Recuperação Judicial
1) ADMINISTRADOR JUDICIAL: 3) RECUPERAÇÃO JUDICIAL E EXTRAJUDICIAL:
» Profissional idôneo, preferencialmente » Falência do empresário e da sociedade empresária.
ADVOGADO, economista, administrador de empresa
ou contador. 4) LEI NÃO SE APLICA:
» O nome do profissional responsável pela condução » Instituição financeira pública e provada;
do processo. » Cooperativa de crédito;
» Não pode ser substituído sem autorização do juiz. » Consórcio;
» Entidade plano de saúde;
2) ASSEMBLEIA JUDICIAL: » Seguradora;
I) Convocada pelo juiz por edital (aprovação, rejeição » Sociedade de capitalização;
ou modificação do plano de recuperação judicial » Sociedade de previdência complementar;
apresentado pele devedor).
II) Composta por administrador judicial e pelo comitê 5) VERIFICAÇÃO E HABILITAÇÃO DE CRÉDITOS:
de credores. » Realizada pelo Administrador Judicial, com base em
III) O valor do voto do credor seja proporcional ao Documentos fiscais e contábeis.
valor do seu crédito. » PRAZO: 15 dias.
⤷ Credor apresentar ao administrador judicial as
Habilitações e divergenciais aos créditos relacionados.

75
Alterações legislativas Súmulas do STJ
Lei 13.874/19 alterou o Código Civil Súmula 26: O avalista do título de credito
sobre Desconsideração da vinculado a contrato de mútuo também
Personalidade Jurídica: responde pelas obrigações pactuadas, quando
no contrato figurar como devedor solidário.
Art. 50. Em caso de abuso da personalidade
Súmula 60: É nula a obrigação cambial
jurídica, caracterizado pelo desvio de
finalidade ou pela confusão patrimonial, pode assumida por procurador do mutuário
o juiz, a requerimento da parte, ou do vinculado ao mutuante, no exclusivo interesse
Ministério Público quando lhe couber intervir deste.
no processo, desconsiderá-la para que os
Súmula 233: O contrato de abertura de
efeitos de certas e determinadas relações de
obrigações sejam estendidos aos bens crédito, ainda que acompanhado de extrato
particulares de administradores ou de sócios da contracorrente, não é título executivo.
da pessoa jurídica beneficiados direta ou
Súmula 247: O contrato de abertura de
indiretamente pelo abuso. (Redação dada pela
Lei nº 13.874, de 2019) crédito em contracorrente, acompanhado do
demonstrativo de débito, constitui documento
§ 1º Para os fins do disposto neste artigo, hábil para o ajuizamento da ação monitória.
desvio de finalidade é a utilização da pessoa
jurídica com o propósito de lesar credores e Súmula 248: Comprovada a prestação dos
para a prática de atos ilícitos de qualquer serviços, a duplicata não aceita, mas
natureza. protestada, é título hábil para instruir pedido
§ 2º Entende-se por confusão patrimonial a
de falência.
ausência de separação de fato entre os
patrimônios, caracterizada por: Súmula 258: A nota promissória vinculada a
I - cumprimento repetitivo pela sociedade de contrato de abertura de crédito não goza de
obrigações do sócio ou do administrador ou
autonomia em razão da iliquidez do título que
vice-versa;
a originou.
II - transferência de ativos ou de passivos sem
efetivas contraprestações, exceto os de valor Súmula 370: Caracteriza dano moral a
proporcionalmente insignificante; e
apresentação antecipada de cheque pré-
III - outros atos de descumprimento da
datado.
autonomia patrimonial.
§ 3º O disposto no caput e nos § 1º e 2º Súmula 475: Responde pelos danos
deste artigo também se aplica à extensão das
decorrentes de protesto indevido o
obrigações de sócios ou de administradores à
endossatário que recebe por endosso
pessoa jurídica.
§ 4º A mera existência de grupo econômico translativo título de crédito contendo vício
sem a presença dos requisitos de que trata o formal extrínseco ou intrínseco, ficando
caput deste artigo não autoriza a ressalvado seu direito de regresso contra os
desconsideração da personalidade da pessoa endossantes e avalistas.
jurídica. Súmula 476: O endossatário de título de
§ 5º Não constitui desvio de finalidade a mera
expansão ou a alteração da finalidade original crédito por endosso-mandato só responde
da atividade econômica específica da pessoa por danos decorrentes de protesto indevido
jurídica. se extrapolar os poderes de mandatário.

76
Súmulas do STF
Súmula 189: Avais em branco e
superpostos consideram-se simultâneos e
não sucessivos.
Súmula 387: A Cambial emitida ou aceita
com omissões, ou em branco, pode ser
completada pelo credor de boa-fé antes da
cobrança ou do protesto.
Súmula 600: Cabe ação executiva contra o
emitente e seus avalistas, ainda que não
apresentado o cheque ao sacado no prazo
legal, desde que não prescrita a ação
cambiária.

77
4.
DIREITO PENAL

@contemdireito_
78
Artigos Modificados LEI DE EXECUÇÃO PENAL
pelo Pacote Anticrime  Art. 9º-A e 50
 Art. 52
 Art. 112
CÓDIGO PENAL  Art. 122
 Art. 25
 Art. 51 LEI DE DROGAS
 Art. 75  Art. 33
 Art. 83
 Art. 91-A ESTATUTO DO DESARMAMENTO
 Art. 116  Art. 16
 Art. 122  Art. 17
 Art. 157  Art. 18
 Art. 171  Art. 20
 Art. 316  Art. 34-A

CÓDIGO DE PROCESSO PENAL CRIMES HEDIONDOS


 Art. 1
 Art. 3 e 3-A (suspenso)
 Art. 14-A INTERCEPTAÇÃO TELEFÔNICA
 Art. 28 (suspenso) e art. 28-A  Art. 8-A
 Art. 122 e 124-A
 Art. 157 (suspenso) IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA
 Art. 158  Art. 17
 Art. 282
 Art. 283 LAVAGEM DE DINHEIRO
 Art. 287 (suspenso)  Art. 1
 Art. 310 IDENTIFICAÇÃO CRIMINAL
 Art. 311
 Art. 7-A e C
 Art. 312
 Art. 315 ORGANIZAÇÕES CRIMINOSAS
 Art. 316
 Art. 3-A, B e C
 Art. 492
 Art. 4
 Art. 564
 Art. 7
 Art. 581
 Art. 10-A
 Art. 638
79
Princípios do Direito Penal
1) LEGALIDADE: 7) OFENSIVIDADE DO FATO:
Não há crime sem: » Lei e lei necessária Do fato decorre lesão ou perigo de lesão ao bem jurídico
» Lei anterior tutelado.
» Lei escrita 8) RESPONSABILIDADE PESSOAL:
» Lei estrita Proíbe-se castigo penal pelo fato de outrem.
» Lei certa 9) RESPONSABILIDADE SUBJETIVA:
2) PRESUNÇÃO DE INOCÊNCIA: Dolo ou culpa.
Ninguém é culpado até o trânsito em julgado da 10) CULPABILIDADE:
sentença condenatória. O Estado só pode impor sanção penal ao agente imputável.
3) INDIVIDUALIZAÇÃO DA PENA: 11) HUMANIDADE:
Para cada crime, uma pena. Observância da dignidade da pessoa humana.
4) VEDAÇÃO DO “BIS IN IDEM”: 12) PROPORCIONALIDADE
Proibido responder 2x pelo mesmo crime. Indesejado excesso assim como a insuficiência do Estado
5) EXCLUSIVA PROTEÇÃO DOS BENS JURÍDICOS: punitivo.
Proibição da aplicação de pena para bens jurídicos 13) PROBIÇÃO DA PENA INDIGNA:
protegidos. Não pode ser imposta pena que ofenda a dignidade.
6) INTERVENÇÃO MÍNIMA:
O Direito Penal só será aplicado quando for estritamente
necessário.

Classificação dos Crimes

1) CRIME OMISSIVO PRÓPRIO: 3) CRIMES PRÓPRIOS:


» Omissão de um dever de agir. » Realizados por indivíduos que estão em
» Dispensa a investigação da relação situação específica.
sobre a causalidade naturalística. Ex: Peculato.
» São delitos de mera conduta. » BIPRÓPRIOS: Polo ativo ou passivo.
Ex: Mãe (ativo) que mata filho (passivo) no
2) CRIME OMISSIVO IMPRÓPRIO: estado puerperal ☛ Infanticídio.
» O dever de agir é para evitar um 2) CRIMES DE MÃO PRÓPRIA:
resultado concreto. » Só podem ser praticados por pessoas
expressamente classificadas na lei.
Ex: falso testemunho.
⤷ É específico pois não admitem coautoria, só
participação.
80
Lei Penal no Tempo
» É PROIBIDA a aplicação da lei penal no período Como funciona?
de vacatio.
» A lei penal produz efeitos a partir da data que Publicação da lei Vacatio legis Entrada
entra em VIGOR. ⬇
em vigor
» Lei penal SÓ retroage para BENEFICIAR o réu. Não se aplica
⤷ ≠ do Processo Penal, que retroage para
beneficiar ou prejudicar.

NORMA PENAL Própria: complementada por espécie normativa diversa.


EM BRANCO Imprópria: complementada pela mesma espécie normativa.
⤷ São normas ⤷ Homovitelina: mesmo documento legal.
que dependem ⤷ Heterovitelina: documento legal diverso.
de complemento.

Lei Penal no Espaço


TERRITORIALIDADE: EXTRATERRITORIALIDADE:
» Art. 5º, CP. » Art. 7º, CP.
1) Aplica a lei brasileira a crimes cometidos no 1) Aplica-se lei brasileira a crimes cometidos no
território nacional: exterior.
 Extensão do território nacional; » Os crimes:
 Embarcações e aeronaves brasileiras;  Tratados ou convenção o Brasil se obriga a
reprimir;
 De natureza pública ou a serviço do governo;
 Em qualquer lugar;  Praticados por brasileiro;
 Marcantes ou de propriedade privada no espaço  Em embarcações ou aeronaves brasileiras,
marcante ou privada em território estrangeiro e
aéreo em alto-mar.
não sejam julgados.
2) Também se aplica a lei brasileira:
» Aplicação da lei brasileira depende do concurso
 Embarcações e aeronaves estrangeiras privadas,
desde que: de:
» Um pouco no Brasil;  Agente entrar no território nacional;
» No espaço aéreo brasileiro;  Fato punível em outro país;
» Em porto do Brasil;  Lei brasileira permite extradição pro crime
» No mar territorial. praticado;
 Agente não absolvido no estrangeiro ou não ter
cumprido a pena.
 Não ter sido perdoado no estrangeiro ou não
» Crimes contra: estar extinta a punibilidade.
81
Vida ou liberdade do Presidente
Patrimônio ou fé pública
Adm. pública por quem está a seu serviço. Nessas 4 situações, ainda que absolvido ou condenado no
Crime de genocídio: agente brasileiro ou domiciliado no BR. estrangeiro, o agente é punido segundo a lei brasileira.
Fato típico
1) TEORIA DA IMPUTAÇÃO OBJETIVA: 4) CULPA CONSCIENTE (Art. 18, II, CP e Art.
» Não se preocupa apenas com os fatos, mas 33, II, CPM):
também com os bens jurídicos que o Direito » Prevê o resultado, mas acha que não vai
Penal quer proteger. acontecer.
» Imputar a uma pessoa a realização de uma
conduta criadora de um risco ou perigo proibido 5) CULPA INCONSCIENTE (Art. 18, II, CP e Art. 33,
ou de provocação de resultado.
II COM):
2) DOLO DIREITO (Art. 18, I, CP):
» O agente não prevê o resultado, apesar de
Agente prevê resultado doloso, e age para ser previsível.
realiza-lo.
3) DOLO EVENTUAL (Art. 18, I, CP):
6) CRIME TENTADO (Art. 14, II, CP):
» Prevê o resultado.
» Tendo sido iniciada sua execução, não se
» Apesar de não querer um resultado doloso,
consumou por circunstâncias alheias à sua
prevê que pode acontecer e aceita essa
vontade.
possibilidade.
» DOLO ALTERNATIVO: agente prevê o
resultado e aceita os possíveis resultados.

DESISTÊNCIA VOLUNTÁRIA ARREPENDIMENTO EFICAZ ARREPENDIMENTO


POSTERIOR
» Art. 15, CP. » Art. 15, CP.
» Art. 16, CP.
» O agente já INICIOU os fatos. » O agente já ACABOU os
fatos. » O agente CONSUMOU o
» Interrompe por VONTADE crime.
PRÓPRIA. » Interrompe por VONTADE
PRÓPRIA. » Reparou o dano ou restituiu a
» Impede a consumação. coisa antes da denúncia ou
» Impede a consumação. queixa.
» Responde pelos crimes já
praticados. » Responde pelos crimes já » Restitui a coisa de forma
praticados. INTEGRAL.

» Não existir VIOLÊNCIA ou


GRAVE AMEAÇA na
consumação.
82
Teoria do Erro

Erro Essencial
ERRO DE TIPO ERRO DE PROIBIÇÃO
(Erro sobre o elemento do tipo) (Erro sobre a ilicitude do fato)

» O agente não sabe que pratica um fato descrito » O agente sabe que está fazendo, mas falta
na lei como crime. potencial consciência que aquela conduta é ilícita.
» Falta percepção da realidade
» Ex: Quando a pessoa, numa caçada, crê que mata » Ex: Estrangeiro de país em que a maconha é
um animal, mas acaba por atingir um ser humano autorizada livremente carrega maconha para o Brasil.
agachado na mata.
» EFEITOS: » EFEITOS:
⤷ INVENCÍVEL: exclusão do dolo e da culpa (FATO ⤷ INEVITÁVEL: isento de pena (exclusão da
ATÍPICO). culpabilidade).

⤷ VENCÍVEL: exclusão do dolo e pune-se a culpa, ⤷ EVITÁVEL: Responde pelo delito com redução de
se tiver previsão na lei. pena 1/6 a 1/3.

Erro Acidental
ERRO SOBRE A PESSOA RESULTADO DIVERSO DO PRETENDIDO
(“error in persona”) (“aberratio delicti” ou “aberratio criminis”)
» O agente queria praticar um determinado crime,
» O agente confunde a pessoa que queria atingir com mas por erro, acabou praticando crime diverso
uma pessoa diversa (PESSOA X PESSOA). (CRIME X CRIME).
» ESPÉCIES:
» A vítima virtual NÃO corre perigo. ⤷ Unidade simples:
» O agente pratica somente o crime diverso do
» Consideram-se, na dosimetria da pena, as condições e desejado.
qualidades da vítima contra qual o agente queria praticar o » O agente responde por CULPA, se o fato for previsto
crime (vítima virtual). como crime.
⤷ Unidade complexa:
» O agente pratica o crime desejado + crime diverso,
por culpa.
» Responde pelo crime em CONCURSO FORMAL.

83
ERRO NA EXECUÇÃO
(“aberratio ictus”)

» O agente, por acidente ou erro no uso dos meios de execução, ao invés de atingir a pessoa que pretendia
ofender, atinge pessoa diversa (PESSOA X PESSOA).

» A vítima virtual corre perigo.

» Consideram-se, na dosimetria da pena, as condições e qualidades da vítima contra qual o agente queria praticar o
crime (vítima virtual).

» ESPÉCIES:
⤷ Unidade simples: somente atinge a pessoa diversa da desejada. A solução será idêntica ao erro quanto a pessoa.
⤷ Unidade complexa: atinge as duas vítimas (real e virtual). Nesse caso, o agente responde pelos crimes em
CONCURSO FORMAL IMPERFEITO.

Ilicitude Tipicidade
Elementos: indireto, direto e
1) Previsão legal eventual.
(Excludentes de Ilicitude) Espécies: comissiva e
2) Conduta
omissiva (consciente e
» CONSENTIMENTO DO OFENDIDO 3) Nexo causal inconsciente).
⤷ Doutrina e Jurisprudência. 4) Resultado
Relação de causalidade +
⤷ Inter Criminis conduta + resultado.
» O agente atuar em:
Art. 23, 24 e 25, CP.
1) Legítima Defesa Iter Criminis
2) Estado de Necessidade
3) Estrito cumprimento legal Cogitação Preparação Execução Consumação
⤷ Atos ⤷ O fato só passa ⤷ Art. 14, I, CP.
4) Exercício regular do direito ⤷ Intenção
necessários p/ a ser punido com
de praticar o
iniciar a o início da
delito.
execução. execução.
Excludentes de Tipicidade Teorias de passagem dos atos preparatórios para os atos
executórios:
⤷ Teorias objetivas: o agente deve iniciar, objetivamente, a
1) Erro do tipo INEVITÁVEL
praticar o verbo nuclear do tipo.
2) Coação física IRRESISTÍVEL 1) Objetivo-Material: Haverá início da execução tanto com a prática
3) Insignificância da lesão ao bem jurídico. do verbo nuclear quanto a prática de atos imediatamente anteriores,
segundo critérios de um terceiro observador.
⤷ Teorias subjetivas: pune-se 2) Da hostilidade ao bem jurídico: com o início da execução, o
preparação e a execução. agente começa a ofender o bem jurídico.
3) Objetivo-formal: a execução inicia quando começa a conduta
típica.
4) Objetivo-individual: considera o plano delitivo do agente.

84
Excludentes de Culpabilidade
Art. 26, CP.
1) ANOMALIA PSÍQUICA (Art. 26): 4) ERRO DE PROIBIÇÃO (Art. 21):
Aquela pessoa que apresenta essa anomalia é Erro do agente que recai sobre a ilicitude do fato.
sempre inimputável. O agente pensa que é lícito, mas é ilícito.
» Escusável
2) MENORIDADE (Art. 27): » Inescusável
Menor de 18 anos.
5) COAÇÃO MORAL IRRESISTÍVEL (Art. 22):
3) EMBRIAGUEZ: » REQUISITOS:
» Causada por fato fortuito ou força maior. ⤷ Coação moral: ameaça (não pode ser física, que exclui
» Se incompleta, não exclui a culpabilidade. a própria conduta).
» EMBRIAGUEZ PATOLÓGICA: anomalia ⤷ Irresistibilidade da coação: o oprimido não pode retirar-
psíquica. se, mas sucumbir a violência moral, cometendo o crime
para fazer a vontade do autor.
6) OBEDIÊNCIA HIERÁRQUICA (Art. 22):
» REQUISITOS:
1) Ordem de superior hierárquico
2) Ordem não seja manifestamente ilegal
3) Estrita observância da ordem.

Extinção da punibilidade
Art. 107, CP.
5) PRESCRIÇÃO:
1) MORTE DO AGENTE:
» Perda, pelo decurso do tempo, do direito do Estado punir
» Princípio “mors omnia solvit” (a morte tudo apaga)
ou executar punição.
» Princípio constitucional da pessoalidade da pena.
» Espécies: a) Pretensão punitiva e b) Pretensão
2) GRAÇA E INDULTO:
executória.
» Concedidos pelo Presidente por decreto presidencial. 6) PEREMPÇÃO:
» Súmula 631, STJ.
» Sanção ao querelante inerte ou negligente.
3) ANISTIA:
» Só incide na ação penal privada exclusiva ou
» Esquece um fato criminoso, apagando seus efeitos personalíssima.
penais. » Não subsidiária da pública.
» Efeitos extrapenais são mantidos. 7) RENÚNCIA:
4) DECADÊNCIA:
» Ato unilateral do ofendido abdicando do direito de
» Perda do direito de ação para oferecimento da queixa promover ação penal privada.
ou representação, diante da inércia do titular. » É possível na ação pública condicionada a representação.
85
8) PERDÃO DO OFENDIDO: 10) PERDÃO JUDICIAL:
» O ofendido desiste “no curso do » Juiz deixa de aplicar punição.
processo, bilateral » Estado perde interesse de punir.
(o acusado precisa aceitar para ter » Não precisa ser aceito para ter efeitos.
efeitos). 11) ABOLITIO CRIMINIS (Art. 2º, CP):
» Ação penal de iniciativa privada. » Supressão da figura criminosa (não há interesse em tratar o fato
9) RETRATAÇÃO: como criminoso).
» Retratação é retirar o que disse. » Cessam os efeitos penais.
» Admitida: calúnia e difamação; Falso » Não cessam os efeitos extrapenais
testemunho e falsa perícia (antes da » Revogação formal (retirada do tipo penal do código) + Revogação
sentença). material (perda do interesse de tipificar a conduta).
Ex: Art. 217: Sedução
Art. 240: Adultério

Concurso de Pessoas
2 ou mais pessoas concorrem para a prática de infração penal (CRIME: consumado e tentado =
infração penal).
1) COAUTORIA: 5) TEORIA DO DOMÍNIO FINAL DO FATO:
» Moral » Adotada pelos Tribunais
» Induzir, criar a ideia -2 ou + pessoas, com mesmo » O autor do fato é que teve o poder de consumação
objetivo, praticam conduta (comissiva ou omissiva) que e desistência do delito.
caracteriza o crime.
2) PARTICIPAÇÃO: » Porém, o art. 29 do Código Penal adota a:
» Material
» Auxílio; Instigação; Induzimento. 6) TEORIA OBJETIVO-FORMAL:
» Reforçar a ideia; realizar atos que concorrem para o » O autor é quem realiza a ação e partícipe é quem
crime, sem que o agente ingresse na ação. concorre DO MESMO JEITO para o crime.
» Auxílio Cúmplice
7) TEORIA RESTRITIVA:
3) PARTICIPAÇÃO DE MENOR IMPORTÂNCIA:
» Somente o coautor é quem pratica o verbo núcleo
» Art. 29, §1º, CP. do tipo.
» Pouca relevância causal
» Para diminuída de 1/6 a 1/3.

4) COOPERAÇÃO DOLOSAMENTE DISTINTA:


» Desvio subjetivo de condutas ou desvio entre os
agentes.

86
Das Penas
1) PENAS PRIVATIVAS DE LIBERDADE
O regime inicial pode ser: O regime inicial pode ser:
FECHADO RECLUSÃO DETENÇÃO
SEMIABERTO
(Art. 34, CP) OU
Pena: + 8 anos
OU ABERTO
O regime pode ser:
SEMIABERTO Obs: salvo necessária a
Progressivo ou Regressivo Transferência para fechado.
(Art. 35, CP)
Pena: + 4 -8 anos (Art. 33, §2º, CP)
OU Obs: não pode iniciar em
OBS: PRISÃO SIMPLES fechado, mas é possível a
ABERTO regressão.
» Semiaberto ou Aberto
(Art. 36, CP)
Pena: =/-4 anos 1) Não cabe fechado, não é
permitifo a regressão.
2) Cumprida em local diverso, sem
rigor penitenciário.

2. PENAS RESTRITIVAS DE DIREITO (Art. 43 e 44, CP)

O juiz poderá realizar a substituição da pena privativa de liberdade (Art. 44, I, II, III, CPP).

1) PRESTAÇÃO PECUNIÁRIA: 4) INTERDIÇÃO TEMPORÁRIA DE DIREITOS:

Pagamento em dinheiro à vítima, seus dependentes I- Proibição de exercício de cargo, função ou atividade
ou a entidade pública ou privada com destinação social. pública e do mandato eletivo.
⤷ Fixado pelo juiz: II- Proibição do exercício de proibição, atividade ou
» Maior que 1 salário mínimo. ofício dependentes de habilitação especial, licença ou
» Menor que 360 salários mínimo. autorização do Poder Público.
III- Suspensão da habilitação para dirigir (REVOGADO
2) PERDA DE BENS E VALORES: PELO CTB. Lei nº 9.503/97)
A favor do Fundo Penitenciário Nacional, tendo valor, IV- Proibição de frequentar lugares.
um teto. V- Proibição de inscrição em concursos.

3) PRESTAÇÃO DE SERVIÇO À COMUNIDADE: 5) LIMITAÇÃO DE FIM DE SEMANA:


Aplica-se às condenação superiores a 6 meses de Obrigação de permanecer aos: sábados e domingos
privação de liberdade. (5h diárias) em casa de albergado ou outro
estabelecimentos adequado (pode cursos e palestras
ou atividades educativas).
87
Infração Penal CONTRAVENÇÃO PENAL
CRIME

Penas privativas de liberdade


» Regime inicial Prisão Simples
Sanção Penal » Efeitos extrapenais de condenação Art. 1º, da LICP.
» Interceptação telefônica
⤷ Medidas de Penas restritivas de direito Reclusão
segurança
» Autonomia Detenção
» Substitutividade ALTERADO PELO PACOTE ANTICRIME
Multa
(Art. 51):
» Isolada A multa não paga é considerada sanção penal,
PENAS » Alternativa ou cumulativa portanto. Será executada pelo MP perante o
Art. 32, CP juiz da EXECUÇÃO penal. Em direito
processual, irá prevalecer o rito da execução
penal. No material, prevalece o da execução
fiscal, considerad acomo dívida de valor.

Reincidência
Quando o agente comete novo crime, depois de transitar em julgado a sentença que, no Brasil ou no
REQUISITOS: estrangeiro, o tenha condenado por crime anterior. IMPORTANTE!

1) Cometimento de novo crime 1) ANISTIA e ABOLITIO CRIMINIS:


depois de transitar em julgado a » Cessam os efeitos penais da sentença
sentença condenatória por crime condenatória
anterior. » Se o agente vier a praticar novo delito
2) Sentença condenatória não será reincidente..
transitada em julgado
⤷ Prazo para considerar 2) PERDÃO JUDICIAL:
reincidência: 5 anos (1º crime). » Art. 120, CP.
3) Prática de crime anterior no » A sentença que autoriza não gera
Brasil ou no estrangeiro: reincidência.
» Crimes dolosos
» Culposos
» Tentados
» Consumados

88
Sursis

(Suspensão Condicional da Pena)


REQUISITOS: REVOGAÇÕES: CONDIÇÕES DO JUIZ:
1) OBJETIVOS: Súmula 499, STF. 1) OBRIGATÓRIA: A) 1º ano deverá prestar serviços à
Condenado à pena não superior » Se condenado em sentença comunicação ou limitação de fim de
a 2 anos (= ou -) irrecorrível por crime doloso. semana:
Não reincidente em crime doloso » Frustra a execução da multa ou » Comparecimento
não repara o dano. » Mensal e obrigatório ao juízo
2) SUBJETIVOS: » No 1º ano não presta serviços à
Culpabilidade, os antecedentes, a comunidade, nem se submete a B) Se reparado a dano (salvo
conduta social e personalidade do limitação de fim de semana. impossibilidade) e se as
agente. 2) FACULTATIVA: circunstâncias do art. 59 forem
Motivos e circunstâncias » Descumpre qualquer outra favoráveis.
autorizam o benefício. condição. .» Proibição de frequentar lugares.
Não for cabível o art. 44, CP. » Se condenado por sentença » Proibição de sair da comarca sem
irrecorrível por crime culposo ou autorização do juiz.
PRAZO EXPIRADO SEM contravenção a PPL ou PRD.
REVOGAÇÃO B substitui A

EXTINÇÃO DA PPL.

Livramento Condicional
Quando o condenado é posto em liberdade caso preencha determinados condições impostas por lei,
ao invés de cumprir toda a pena encarceirado.

*REQUISITOS ALTERADOS PELO PACOTE ANTICRIME (Art. 83)


OBJETIVOS: Livramento Condicional X Sursis
⤷ o preso é liberto ⤷ a pena deixa de ser aplicada
1) PPL;
2) Penal igual ou superior a 2 anos; OBJETIVOS: Comprovado:
3) Reparação do dano
4) CUMPRIMENTO DA PENA: 1) Bom comportamento durante execução da pena;.
» + de 1/3 se não reincidente em crime doloso e bons antecedentes. *2) Não cometimento de falta grave nos últimos 12
» + de ½ se reincidente em crime doloso meses;
» Entre 1/3 e ½ se não reincidente em doloso com maus 3) Bom desempenho no trabalho que lhe foi atribuído;
antecedentes. 4) Aptidão para prover à própria subsistência
» Crimes hediondos – cumprir 2/3 da pena. mediante trabalho honesto. 89
Dosimetria da Pena
1ª FASE (Art. 59) CIRCUNSTÂNCIAS JUDICIAIS
FIXAÇÃO DA PENA-BASE:
(O juiz deve fundamentar, sob pena de nulidade)
1) O juiz estabelecerá:
1) Culpabilidade: grau de censuralidade da conduta
 Penas aplicáveis dentre as cominadas;
2) Antecedentes: fatos da vida pregressa do agente
 A quantidade de pena aplicável, dentro
3) Conduta social: comportamento do réu no ambiente
dos limites previstos;
familiar, no trabalho e na convivência com os outros.
 O regime inicial da PPL;
4) Personalidade do agente: retrato psíquico
 A substituição da PPL por outra espécie
5) Motivos: o “porquê” da conduta criminosa
 De pena, se cabível. 6) Circunstâncias: MODUS OPERANDI do agente
OBS: Juiz está atrelado aos limites mínimos e 7) Consequências do crime: maior ou menor intensidade da
máximos lesão jurídica causada.
Previstos no preceito secundário da infração penal. 8) Comportamento da vítima: nexo entre o comportamento
» PPL = Pena Privativa de Liberdade da vítima e a prática do crime.
*Súmula 444, STJ: É VEDADA a utilização de inquéritos
policiais e ações penais em curso para agravar a pena-base.

2ª FASE (Art. 61 e 65)

Fixação da pena intermediária (Agravantes e Atenuantes)


AGRAVANTES:
» Sempre agravam, exceto se já constituem ou qualificam o crime, se a pena-base fixada no máximo e se tiver atenuante
preponderante.
1) REINCIDÊNCIA:
Ou se o crime for cometido:
2) Por motivo fútil ou torpe: motivo insignificante e supérfluo;
3) Para facilitar ou assegurar a execução ou ocultação, a impunidade ou vantagem de outro crime.
⤷ Teleológica: assegurar execução de crime futuro.
⤷ Consequencial: assegurar a ocultação, a impunidade ou vantagem de crime passado.
4) Traição, emboscada ou dissimulação, ou ainda, ou recurso que dificultou ou tornou impossível a defesa do ofendido.
5) Veneno, Fogo, Explosivo, Tortura, ou outro meio insidioso ou cruel, ou de que possa resultar perigo comum.
6) Descendente, Ascendente, Cônjuge ou Irmão
7) Abuso de autoridade (excesso nas relações privadas) ou prevalecendo-se de relações domésticas de coabitação ou de
hospitalidade ou com violência contra a mulher (Relação de poder e submissão NÃO INCIDE no homicídio no âmbito doméstico
e familiar por configurar “bis in idem”.
8) Abuso de poder ou violação de dever inerente a Cargo, Ofício, Ministério ou Profissão
9) Contra Mulher Grávida, Criança, Enfermo e maior de 60 anos.
10) Quando o ofendido estava sob imediata proteção da autoridade
11) Em ocasião de Incêndio, Naufrágio, Inundação ou qualquer Calamidade Pública ou Desgraça Particular do ofendido;
12) Estado de Embriaguez Preordenada
90
ATENUANTES:
» Incidem nos crimes dolosos, culposos e preterdolosos.
» Geralmente, sempre atenuam a pena.
» Doutrina apresenta as exceções, que são:
⤷ Circunstância já constitui ou privilegia o crime (A doutrina diverge)
⤷ Súmula 231, STJ: Circunstância atenuante NÃO pode conduzir à redução da pena ABAIXO do mínimo legal.
⤷ No concurso entre agravantes e atenuantes, as agravantes NÃO INCIDEM quando atenuantes forem PREPONDERANTES.
1) Menoridade: agente, à época do fato, era menor de 21 anos;
2) Senilidade: agente, à época da sentença, era maior de 70 anos;
3) Desconhecimento da lei = Atenuante GENÉRICA;
4) Motivo relevante = Valor (Interesses individuais e particulares do agente) Moral ou Social (Coletividade, nobre e altruístico);
5) Agente, arrependido, espontaneamente, procura evitar ou minorar as consequências;
6) Agente, antes do julgamento, repara integralmente o dano;
7) Coação, física ou moral, RESISTÍVEL (Na coação IRRESISTÍVEL, se FÍSICA: exclui conduta, se MORAL: exclui CULPAB.);
8) Obediência Hierárquica de ordem ILEGAL (Se a ilegalidade NÃO for clara: exclui culpabilidade);
9) Violenta emoção provocada por ato injusto da vítima (DISPENSA REAÇÃO IMEDIATA);
10) Confissão, desde que ESPONTÂNEA: sem interferência e PERANTE AUTORIDADE: Juiz de direito ou Delegado de Polícia);

3ª FASE:
Fixação da pena definitiva (Causas de aumento e diminuição)
» As causas podem ser:
⤷ Genéricas: Previstas no Código Penal PARTE GERAL.
⤷ Específicas: Previstas no Código Penall PARTE ESPECIAL e LEGISLAÇÃO ESPECIAL;

⤷ CONCURSO DE CAUSAS DE AUMENTO X CAUSAS DE DIMINUIÇÃO:


1) 2 CDA’s GENÉRICAS = Juiz aplica ambos, ISOLADAMENTE.;
2) 2 CDD’s GENÉRICAS = Juiz aplica ambas, CUMULATIVAMENTE;
3) 1 CDA GENÉRICA x 1 CDD GENÉRICA (Juiz aplica ambas, CUMULATIVAMENTE, primeiro AUMENTANDO e após,
DIMINUINDO;
4) CDA’s ESPECÍFICAS = Juiz pode se limitar a 1 só aumento, prevalecendo a que MAIS AUMENTE;
5) CDD’s ESPECÍFICAS = Juiz pode se limitar a 1 só diminuição, prevalecendo a que MAIS DIMINUA;
6) 1 CDA ESPECÍFICA Z 1 CDD ESPECÍFICA:
Juiz aplica ambas, CUMULATIVAMENTE, primeiro AUMENTANDO, e após, DIMINUINDO.
7) CDA GENÉRICAS X CDA ESPECÍFICA:
Juiz aplica ambos os aumentos, ISOLADAMENTE.;
8) CDD GENÉRICA X CDD ESPECÍFICA:
Juiz aplica ambas as diminuições, CUMULATIVAMENTE;

» Podem levar a pena a ser fixada ACIMA DO MÁXIMO ou ABAIXO DO MÍNIMO LEGAL

ALTERADO PELO PACOTE ANTICRIME:


Art. 75: TEMPO DE CUMPRIMENTO DE PENA
O tempo de cumprimento da PPL aumento de 30 anos para 40 anos! Trata-se de “novatio in pejus” (maléfica ao
réu), então, só pode ser aplicada para crimes ocorridos após a vigência desta lei.
.
91
Concurso de Crimes
1) CONCURSO MATERIAL (Art. 69, CP):
» Pluralidade de condutas + Pluralidade de crimes
» + de 1 ação ou omissão pratica 2 ou + crimes IDÊNTICOS ou NÃO.
» Sentença fixa as penas SEPARADAMENTE e depois, SOMAM-SE.

⤷ SISTEMA DO CÚMULO MATERIAL: Soma das penas de TODOS os crimes praticados pelo agente.

» Havendo penas privativas de liberdade DISTINTAS, a execução começa pela MAIS GRAVE.
» PENAS DE MULTA: Serão aplicadas DISTINTA e INTEGRALMENTE.

2) CONCURSO FORMAL (Art. 70, CP):


» Unidade de conduta + Pluralidade de crimes
» 1 só ação ou omissão pratica 2 ou + crimes IDÊNTICOS ou NÃO.
» PENAS:
1) DISTINTAS: aplica + grave
2) IDÊNTICAS: qualquer uma
3) QUALQUER CASO: 1/6 até ½
» Homogêneo: crimes idênticos
» Heterogêneo: crimes distintos
⤷ PERFEITO OU PRÓPRIO: NÃO há desígnios autônomos SISTEMA DA EXASPERAÇÃO (aplica-se a pena
mais grave, aumentando de 1/6 até ½.). DOLO + CULPA ou CULPA + CULPA.

⤷ IMPERFEITO OU IMPRÓPRIO: HÁ desígnios autônomos. A ação é necessariamente DOLOSA.


SISTEMA DO CÚMULO MATERIAL (soma das penas). DOLO + DOLO (Há dolo na produção de
TODOS os resultados).
3) CRIME CONTINUADO (Art. 71, CP):
» + de 1 ação ou omissão pratica 2 ou + crimes da mesma espécie em que os:
1) Circunstâncias de tempo
2) Lugar
3) Modo de execução
Sejam SEMELHANTES, da MESMA ESPÉCIE, sendo considerados como ÚNICOS.
» PENAS:
1) DISTINTAS: + grave aplicada
2) IDÊNTICAS: qualquer uma
3) QUALQUER CASO: +1/6 até 2/3.
» ESPECÍFICO: crimes DOLOSOS, praticados com VIOLÊNCIA E GRAVE AMEAÇA e vítimas DIFERENTES:
A pena poderá ser aumentada até o TRIPLO!

92
Crimes contra a Pessoa (Crimes contra a vida)
1) SIMPLES: 4) CULPOSO:
Homicídio
» Reclusão, 6 a 20 anos. » Detenção 1 a 3 ano.
» Previsto no caput. » Sem o “animus necandi”
Art. 121, CP.
» Circunstâncias resultam menor » Pena aumentada de 1/3.
reprovação na conduta (atenuação 3) QUALIFICADO: » §4º:
da pena: incide na 3º fase). » Reclusão 12 a 30 anos. a) Inobservância de regra técnica de
» Circunstâncias agravantes que profissão, arte ou ofício;
2) PRIVILEGIADO: b) Deixar de prestar socorro à vítima, não
majoram a pena.
diminui as consequências do seu ato.
» §1º » Maior grau de periculosidade
c) Foge para evitar flagrante.
» Juiz pode reduzir a pena de 1/3 até » §2º: » DOLOSO: +1/3, contra – 14 anos e + 60
1/6, quando o crime for de: a) Paga ou promessa de anos.
a) Motivo de relevante valor social recompensa ou motivo torpe; » CULPOSO: Pode diminuir, quando a
b) Domínio de violenta emoção, b) Motivo fútil; sanção é desnecessária.
seguida de injusta provocação da
c) Emprego de veneno, fogo, » MILÍCIA PRIVADA: 1/3 até a metade.
vítima.
explosivo, asfixia, tortura, etc;
» MEIOS DE EXECUÇÃO: emprego
de veneno, fogo, etc. d) Traição, emboscada,
» FORMAS DE EXECUÇÃO: traição, dissimulação;
emboscada, dissimulação ou outro e) Assegurar execução, ocultação,
recurso que torne impossível a impunidade ou vantagem de outro
defesa do ofendido. crime;

5) FEMICINÍDIO:
» §2º: É QUALIFICADO, se cometido contra: VI) a mulher por razões da condição de sexo feminino.
» §2º-A: Considera-se que há razões dessa condição se envolver: I- violência doméstica e familiar; II- menosprezo ou
discriminação à condição de mulher;
§7º: PENAS: É aumentada de 1/3 até a metade se o crime for praticado durante: gestação ou nos 3 meses posteriores ao
parto, contra pessoa menor de 14 anos, maior de 60 anos ou com deficiência e se na presença de descendente ou
ascendente da vítima.

Infanticídio
» Homicídio doloso privilegiado: influência do estado » NÃO HÁ CULPA. A TENATIVA É POSSÍVEL.
puerperal. » PENA: Detenção de 2 a 6 anos.
⤷ Vai do desprendimento da placenta até a involução total. » Ação Penal Pública Incondicionada
» O estado pode acarretar distúrbios psíquicos na genitora, » Concurso de pessoas no infanticídio é possível? De
diminuindo seu entendimento. acordo coma doutrina, é possível, sendo elementar do
⤷ Comissivo ou Omissivo; delito, comunica-se, ex vi do art. 30, aos coautores ou
⤷ Crime PRÓPRIO: apenas a mãe puérpera pode praticá-lo. coparticipes, salvo se desconhecer a existência.
» Não incidem as agravantes do art. 61: “crime contra » Consumação: apenas quando o feto nascente estava
descendente e contra criança. vivo.
93
Induzir ou instigar alguém a suicidar-se ou a praticar
automutilação ou prestar-lhe auxílio material para que
o faça:
ALTERAÇÃO DO PACOTE ANTICRIME (Art. 122, CP)
» PENA: Reclusão, 6 meses a 2 anos.
§1º: Se dá automutilação ou tentativa de suicídio resulta: lesão corporal grave ou gravíssima (PENA: Reclusão, 1 a 3
anos);
§2º: Se o suicídio se consuma ou da automutilação resulta morte (PENA: Reclusão, 2 a 6 anos).
§3º: PENA DUPLICADA:
1) Crime praticado por motivo egoístico;
2) Vítima menor ou tem diminuída, por qualquer causa, a capacidade de resistência;
» A LEI Nº 13.968/19 incluiu:
§4º: Meio de computador/rede social (AUMENTADA ATÉ O DOBRO).
§5º: Líder ou coordenador de grupo ou rede virtual (AUMENTA METADE)
§6º: Lesão corporal gravíssima / - 14 anos / deficiente (RESPONDE PELO ART. 129, §2º, CP)
§7º: - 14 anos ou quem não tem discernimento (RESPONDE POR HOMICÍDIO).

Aborto
1) ABORTO PROVOCADO Art. 124 ao 127, CP. 4) ABORTO PRATICADO
PELA 2) ABORTO PRATICADO 3) Art. 127: POR MÉDICO NÃO SERÁ
POR TERCEIRO: 1) Penas do 125 e
GESTANTE OU COM SEU PUNIDO QUANDO:
(Art. 125): 126 serão
CONSENTIMENTO (Art. 124, I) Aborto necessário, para
AUMENTADAS
CP): » “Provocar aborto, SEM o salvar gestante;
em 1/3 se, em
consentimento da II- Gravidez resultante de
» Detenção, 1 a 3 anos, consequência do
gestante. estupro (consentimento da
» “Provocar aborto em si aborto ou dos
RECLUSÃO, 3 a 10 anos. gestante ou
mesma meios:
(Art. 126): representante);
ou consentir que outrem lhe ⤷ A gestante
provoque.” “Provocar aborto, COM o sofre: III- Feto anencefálico;
consentimento da Lesão corporal ⤷ Governo oferece o SUS
OBS: Aborto praticado fora do gestante”. grave. para isso.
Território brasileiro, em países RECLUSÃO, 1 a 4 anos. ⤷ Gestante morre:
que » Gestante: - 14 anos; Serão duplicadas. ⤷ ESCUSA ABOLUTÓRIA.
Permitem a prática, Retardada; Consentimento
NÃO É CONSIDERADO CRIME! é FRAUDE.
RECLUSÃO, 3 a 10 anos. 94
Lesões corporais
1) PRIVILÉGIOS: 5) MAJORANTES:
» Se impelido por motivo de relevante valor social ou » Aumenta a pena 1/3
moral. » Se: inobservância de regra técnica profissional, arte ou
» Sob o domínio de violenta emoção, logo em seguida ofício;
a injusta provocação da vítima. Deixar de prestar socorro à vítima;
2) CULPOSA: Não procura diminuir as consequências dos atos;
⤷ Requisitos: Fugir para evitar prisão em flagrante;
» Comportamento humano voluntário; Praticado por milícia privada ou por grupo de extermínio;
» Descumprimento do dever de cuidado objetivo; 6) CARACTERÍSTICAS:
» Previsibilidade objetiva do resultado; » Bem jurídico protegido: integridade (corporal e saúde);
» Lesão corporal involuntária. » Sujeito ativo e passivo (mulher grávida): qualquer pessoa
3) ISENÇÃO DE PENA OU PERDÃO JUDICIAL: » Elemento subjetivo: animus necandi.
» Na culposa: causa extintiva de punibilidade, deixa de » Tentativa: admitida.
aplicar a pena. 7) PENA / AÇÃO PENAL:
» Direito público subjetivo de liberdade do indivíduo. » Ação Penal Pública Condicionada
4) VIOLÊNCIA DOMÉSTICA: ⤷ Lesão leve (Detenção 3 meses a 1 ano)
1) Lesão grave ⤷ Lesão culposa (Detenção 2 meses a 1 ano)
2) Gravíssima » Ação Penal Pública Incondicionada
3) Seguida de morte ⤷ Lesão grave (Reclusão, 1 a 5 anos)
AUMENTA A PENA EM 1/3. ⤷ Lesão gravíssima (Reclusão, 2 a 8 anos)
⤷ Seguida de morte (Reclusão, 4 a 12 anos)

Dolosa
1) LEVE: 4) SEGUIDA DE MORTE:
2) GRAVE: 3) GRAVÍSSIMA:
» Art. 129, caput, §9º, CP. » Art. 129, §3º
» Por exclusão: » Art. 129, §1º » Art. 129, §2º » O evento morte não deve
⤷Contra ascendente, a) Incapacidade para as a) Incapacidade ser querido nem
descendente, irmão, ocupações habituais, permanente para o eventualmente, ou seja, não
cônjuge, companheiro ou por mais de 30 dias. trabalho. deve ser compreendido
com quem conviva ou tenha b) Perigo de vida b) Enfermidade incurável pelo dolo do agente, senão
convivido, ou ainda, c) Debilidade c) Perda ou inutilização do será de homicídio.
prevalecendo-se o agente permanente de membro ou função » Tentativa:
das relações domésticas, de membro, sentido ou d) Deformidade INADMISSÍVEL, pois o
função permanente crime preterdoloso só
coabitação ou de
d) Aceleração de parto e) Aborto envolve a forma culposa que
hospitalidade.
é incompatível com a
⤷Contra mulher: Lei 11.340/06 tentativa.
(Lei Maria da Penha) 95
Periclitação da vida e da saúde
1) EXPOSIÇÃO OU ABANDONO 4) PERIGO DE CONTÁGIO VENÉRIO:
DE RECÉM-NASCIDO: » Art. 130, CP.
» Art. 134, CP. » “Expor alguém, por meio de relações sexuais ou
» “Expor ou abandonar recém-nascido para ocultar qualquer ato libidinoso, a contágio de moléstia venérea
desonra própria”. de que se sabe ou deve saber que está contaminado”.
2) OMISSÃO DE SOCORRO: 5) PERIGO DE CONTÁGIO DE MOLÉSTIA GRAVE:
» Art. 135, CP » Art. 131, CP
» “Deixar de prestar assistência quando possível fazê-lo » “Praticar, com o fim de transmitir a outrem, moléstia
sem risco pessoal, à criança abandonada ou extraviada, grave de que está contaminado, ato capaz de produzir
ou à pessoa inválida ou ferida, a desamparo ou em grave o contágio”.
e iminente perigo; ou não pedir, nesses casos, o socorro 6) PERIGO PARA A VIDA OU SAÚDE DE OUTREM:
da autoridade pública”. » Art. 132, CP.
3) MAUS-TRATOS: » “Expor a vida ou a saúde de outrem a perigo direito e
» Art. 136, CP. iminente”.
» “Expor a perigo de vida ou a saúde de pessoa sob sua 7) ABANDONO DE INCAPAZ:
autoridade, guarda ou vigilância, para fim de educação, » Art. 133, CP.
ensino, tratamento ou custódia, que privando-a de » “Abandonar pessoa que está sob seu cuidado, guarda,
alimentação ou cuidados indispensáveis, que sujeitando-a vigilância ou autoridade e, por qualquer motivo, incapaz
a trabalho excessivo ou inadequado, quer abusando de de defender-se dos riscos resultantes do abandono”.
meios de correção ou disciplina”.

Crimes contra a Honra


1) CALÚNIA: Caracterizam ofensa 3) INJÚRIA:
» Art. 138 à honra OBJETIVA! 2) DIFAMAÇÃO: » Art. 140
» Imputação falsa de fato » Art. 139 » Ofensa à dignidade ou decoro.
definido dano crime, » Imputação de fato » Sem imputação de fato
dessa forma, o fato ofensivo à reputação do
imputado PRECISA ser ofendido (pode ser XINGAMENTO
um crime. contravenção penal ou de (pode configurar injúria)
» CALÚNIA VERBAL: não qualquer fato ofensivo que
admite tentativa. NÃO seja criminoso). » Caracteriza ofensa à honra
» CALÚNIA ESCRITA: » Tentativa é inadmissível SUBJETIVA.
admite tentativa. (anal/verbal)
Remete à
ACONTECIMENTO » Tentativa é admissível
96
(sem xingamento) (escrita).
DIFERENÇAS ENTRE A calúnia não se confunde com a
denunciação caluniosa:
EXCEÇÃO DA VERDADE RETRATAÇÃO
CALÚNIA DENUNCIAÇÃO
⤷ Cabe na difamação (exceção) ⤷ Art. 143, CP
⤷ Calúnia: regra ⤷ Art. 138, CP CALUNIOSA
⤷ Difamação e
⤷ Injúria: incabível calúnia: isenção ⤷ Crime contra a honra ⤷ Art. 339, CP
de pena ⤷ Imputação falsa de fato ⤷ Crime contra a
⤷ Injúria: incabível definido como crime. administração da Justiça.
⤷ Quando o agente,
mesmo sabendo que é
mentira, imputa crime a
alguém de maneira a dar
causa à investigação
policial.

Crimes contra a Liberdade Individual


Perda da liberdade de automutilação, locomoção e livre disposição do indivíduo (ocasionada por ação
de terceiro).
1) CRIMES CONTRA A 3) CRIMES CONTRA A
LIBERDADE PESSOAL: INVIOLABILIDADE DA 4) CRIMES CONTRA A
2) CRIMES CONTRA A
a) Constrangimento ilegal INVIOLABILIDADE DO CORRESPONDÊNCIA: INVIOLABILIDADE DOS
(Art. 146, CP); DOMICÍLIO: a) Violação de SEGREDOS:
b) Ameaça (Art. 147, CP) correspondência (Art. 151,
a) Violação de domicílio a) Divulgação de segredo
c) Sequestro e cárcere (Art. CP)
(Art. 150, CP). (Art. 153, CP).
148); ⤷ Sonegação ou b) Violação do segredo
d) Redução a condição destruição da
profissional (Art. 154, CP).
análogo à de escravo (Art. correspondência;
149, CP). ⤷ Violação de
comunicação telegráfica,
radioelétrica e telefônica.
b) Correspondência
comercial (Art. 152, CP).

97
Crimes contra o Patrimônio
1) ROUBO: DIFERENÇAS: 2) EXTORSÃO:
» Art. 157, Crime MATERIAL (precisa » Art. 158, Crime FORMAL.
» Na extorsão, exige-se a
existir a inversão da posse) » Constranger alguém, mediante
participação ativa da vítima
» Subtração com violência, grave violência ou grave ameaça, com intuito
fazendo algo, tolerando algo
ameaça e redução da capacidade de de obter para si ou outrem vantagem
ou deixando de fazer em
resistência. econômica.
virtude de ameaça ou
⤷ Conduta da vítima é insignificante. » CONSUMAÇÃO: a vítima cede ao
violência.
» Espécies: AGRESSÃO constrangimento imposto e faz ou deixa
PRÓPRIO: antes ou durante de fazer algo.
IMPRÓPRIO: depois (substração) » SÚMULA 96, STJ: “O crime de
extorsão consuma-se
ALTERADO PELO PACOTE Qualificações: independentemente da obtenção da
ANTICRIME ⤷ Sequestro por: + vantagem indevida.
24h. » Tentativa: admissível.
⤷ Art. 157, §2º, VII e §2º-B » Extorsão qualificada (art. 158, §2º)
⤷ De menor de 18 e
» Roubo com arma branca ⤷ Resultar lesão grave ou morte.
+ 60
Pena aumentada de 1/3 a metade » Extorsão mediante sequestro (art. 159):
⤷ Praticado por ⤷ Crime hediondo
» Roubo com arma de fogo
banda ou partilha. ⤷ Privação de liberdade da vítima
Pena aumentada de 2/3
⤷ Crime permanente, consumação com
» Roubo com emprego de arma de uso
tempo.
proibido ou restrito
Pena dobrada
OBS: Novatio legis in pejus (não
3) ESTELIONATO: 4) FURTO MEDIANTE FRAUDE:

» Art. 171. » Art. 155, §4º


» Utiliza-se da fraude para poder
» Induzir ou manter alguém em erro, mediante artifício, ardil ou qualquer outro
subtrair a coisa.
meio fraudulento, a fim de obter para si ou outrem, vantagem ilícita em prejuízo
alheio. » Vítima tem objeto SUBTRAÍDO
» Crime MATERIAL » É o ardil, artifício, meio enganoso
» Vítima ENTREGA a coisa, agindo em erro. empregado pelo agente para diminuir,
⤷ Vantagem iludir a vigilância da vítima e realizar a
⤷ Prejuízo vítima subtração.
⤷ Fraude induzir ou manter erro » Exemplos: agente disfarça de
ALTERADO PELO PACOTE ANTICRIME:
emprego de empresa telefônica e logra
» Art. 171, §5º, se procede mediante representação, salvo se a vítima for: entrar em residência alheia para furtar,
Adm. Púb. Direta ou Indireta Pessoa com deficiência mental ou agente que, a pretexto de realizar
Criança ou adolescente + 70 anos ou incapaz
compras em uma loja, distrai a
» Antes do pacote era ação pública incondicionada, agora é ação penal pública
vendedora, de modo a lograr apodera-
CONDICIONADA a representação, salvo hipóteses acima.
» Só retroage para beneficiar o réu. se dos objetos.
98
PROGRESSÃO CRIMINOSA: CRIME PROGRESSIVO:

» É aquela realizada mediante dois atos, dois » É aquele realizado mediante um único ato ou atos que
movimentos, ou seja, quando o agente inicia um compõem único contexto. Em outras palavras, ocorre
comportamento que configura um crime menos grave, quando o agente, para alcançar um resultado mais grave,
porém, ainda dentro do mesmo “iter criminis”, resolve passa por uma conduta inicial que produz um evento
praticar uma infração mais grave, que pressupõe a menos grave.
primeira. » Aqui o agente, para alcançar resultado mais grave,
» Aqui o agente DURANTE A EXECUÇÃO de um pratico outra natureza menos grave, que fica absorvido
crime, decide cometer outro crime mais grave. por ele.
» HÁ MUDANÇA DE DOLO DO AGENTE. » O dolo do agente não muda (é voltado desde o início
para o resultado mais grave).

5) USURPAÇÃO: 7) DANO:
» Alteração de limites (Art. 161): » Art. 163 a 167
Suprimir ou deslocar tapume, marco ou qualquer » Destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia.
outro sinal indicativo de linha divisória, para apropriar- PENA: Detenção, 1 a 6 meses, ou multa.
se, no todo ou em parte. de coisa imóvel alheia:
PENA: Detenção, 1 a 6 meses, e multa. 8) RECEPTAÇÃO:
» Supressão ou alteração de marca em animais » Art. 180
» Art. 162: » Adquirir, receber, transportar, conduzir ou ocultar,
Suprimir ou alterar, indevidamente, em gado ou em proveito próprio ou alheio, coisa que sabe ser
rebanho alheio, marco ou sinal indicativo de produto de crime, ou influir para que terceiro, de boa-
propriedade. fé, a adquira, receba ou oculte:
PENA: Detenção, 6 meses a 3 anos, e multa. PENA: Reclusão, 1 a 4 anos.

6) APROPRIAÇÃO INDÉBITA:
» Art. 168 A 170
» Art. 168: Apropriar-se de coisa alheia móvel, de que
tem a posse ou detenção:
PENA: Reclusão, 1 a 4 anos, e multa.

99
Crimes contra a Dignidade Sexual
2) VIOLAÇÃO SEXUAL 3) ASSÉDIO SEXUAL:
1) ESTUPRO:
MEDIANTE FRAUDE: » Art. 216-A, CP.
» Art. 213, CP.
» Pressão
» Violência ou grave ameaça » Art. 215, CP.
» Constranger alguém com objetivo de
» Se resulta lesão corporal grave » Fraude
obter vantagem sexual, prevalecendo da
» Se a vítima é menor de 18 anos » Ter conjunção carnal ou
condição de superior hierárquico ou
e maior que 14 anos. praticar outro ato libidinoso com
ascendência inerentes ao emprego.”
PENA: Reclusão, 8 a 12 anos. alguém, mediante fraude ou
PENA: Detenção, 1 a 2 anos.
» Se resulta morte outro meio que impeça ou
PENA: Reclusão, 12 a 30 anos. dificulte a livre manifestação de
vontade da vítima”.
PENA: Reclusão, 2 a 6 anos.
» Quando a pessoa aceita fazer
sexo com a outra, porém foi
enganada com relação a
identidade ou circunstâncias do
ato, e só consentiu por isso.

Crimes contra a Fé Pública


1) FALSIDADE IDEOLÓGICA: 2) FALSIDADE MATERIAL:

» Falsidade de ideia, subst.ância, essência do » Forma do documento:


documento. Art. 297, CP
» Atos humanos que ferem a autenticidade e a Documento Público
soberania do Estado de Direito, pois existe a Ex: Cheque
necessidade de crença na legitimidade dos Art. 298. CP
documentos. Documento Particular
1. Conduta típica
2. Antijurídica OBS: Gera resultado danoso a bem jurídico público ou
3. Culpável privado.
4. Crime doloso » FINALIDADE: prejudicar direito, criar obrigação ou alterar
verdade sobre fato juridicamente relevante.
» BEM JURÍDICO ATINGIDO: fé pública.

100
Diferenças
⤷ REAL:
Favorecimento:
» Crime anterior não pode ser na forma tentada.
» Não admite escusa absolutória
» Não deixa de subsistir por existir causa de exclusão da culpabilidade ou
extinção da punibilidade.
» Assegura o proveito do crime
x ⤷ PESSOAL:
» Pode dar na forma tentada.
» Admite escusa absolutória
» Deixe de substituir: causa de exclusão da antijuridicidade, culpabilidade,
punibilidade e extinção da punibilidade.
» Assegura a fuga do autor: auxílio ao autor e não ao crime.

Receptação
⤷ Na receptação (art. 180, CP), o agente adquire ou oculta a coisa produto de crime em benefício próprio ou de
outrem (pessoa diversa do autor do crime procedente) e no favorecimento real (art. 349, CP), o agente oculta a
coisa em proveito do próprio autor do crime antecedente.

Corrupção ativa
» OFERECER ou prometer vantagem indevida a
funcionário público, para determiná-lo a praticar,
omitir ou retardar ato de ofício.

≠ Corrupção passiva
» SOLICITAR ou receber, para si ou para
outrem, direta ou indiretamente, ainda que fora
da função ou antes da assumi-la, mas em razão
Concussão dela, vantagem indevida, ou ACEITAR
PROMESSA de tal vantagem.
» EXIGIR, para si ou outrem, direta ou
indiretamente, ainda que fora da função ou antes
de assumi-la, mas em razão dela, vantagem
indevida.
101
Corrupção Passiva Prevaricação
≠ » Art. 319, CP.
Privilegiada. » Ocorre quando o agente RETARDA, DEIXA DE
PRATICAR OU PRATICA ATO DE OFÍCIO, infringindo
» Art. 317, §2º, CP.
o seu dever.
» Ocorre quando o agente RETARDA, DEIXA DE
» Para satisfazer SENTIMENTO ou INTERESSE
PRATICAR OU PRATICA ATO DE OFÍCIO, infringindo
PESSOAL.
seu dever.
» Cedendo a um PEDIDO ou INFLUÊNCIA DE Peculato
ALGUÉM.
» Apropriar-se ou desviar bem móvel público ou
Funcionário Público particular.
» PENA: Reclusão, 2 a 12 anos + multa.
» Para efeitos penais, mesmo transitoriamente ou
» Peculato culposo: Reparação do dano, se for:
sem remuneração: cargo, emprego e função.
ANTES da sentença ☛ Extingue punibilidade
» Equipara-se funcionário de paraestatal e prestadora
de serviço (atividade típica de adm.). DEPOIS da sentença ☛ - ½; PENA: 3 meses a 1 ano.
» PENA: +1/3 (Cargos de comissão; Direção e » Peculato mediante erro de outrem:
Assessoramento). PENA: 1 a 4 anos, + multa.

Leis Penais Especiais

Lei de Drogas (Lei 11.343/2006)


» Art. 28 e 33 ART. 28
» O primeiro ato da audiência de instrução é o » Caput: CONSUMO PESSOAL
INTERROGATÓRIO DO ACUSADO. » §1º: SEMEIA para USO PESSOAL
» Considerado crime equiparado a hediondo. ⤷ Adquirir, guardar, ter em depósito, transportar, trazer
» USUÁRIO: é a pessoa que USA alguma substância consigo (crimes permanentes)
caracterizada como droga, mas NÃO É » Houve a despenalização ou descarcerização, mas não a
DEPENDENTE dela (existe o DOMÍNIO DA SUA descriminalização.
VONTADE); » PENAS:
» DEPENDENTE: usa drogas de forma HABITUAL E 1) Advertência sobre os efeitos das drogas
FREQUENTE, sendo possível visualizar mudanças no 2) Prestação de serviços à comunidade
comportamento da pessoa. 3) Comparecimento à programa ou curso educativo
» O usuário ou dependente que cumprir a PPL ou ⤷ Prazo máx.: 5 meses l Reincidente: 10 meses
M.S. tem como GARANTIA os serviços de atenção à ⤷ Desobediência ao comparecimento: 1º) Admoestação verbal e
sua saúde. 2º) Multa
⤷ neste caso, possuindo REPROVABILIDADE da conduta, o juiz
» Quem é o sujeito ativo? Qualquer pessoa
pode fixar o nº de dias-multa de 40 a 100 ou encontra o valor de cada
» Quem é sujeito passivo? A coletividade dia-multa de 1/30 até 3x o valor do maior salário-mínimo.
102
Prescrição Tráfico ilícito de drogas
» A imposição e a execução das penas prescrevem Art. 33 ao 39
em 2 anos.
» INTERRUPÇÃO: 1) EQUIPARADOS:
Hipóteses do art. 117, CP. » Art. 33, §1º, de I a III
Erro material da Lei ao mencionar o art. 107 e ⤷ Mesma pena do art. 33, caput
seguintes do CP. PENA: Reclusão, 5 a 15, + multa.
» SUSPENSÃO DO PRAZO: ⤷ Semeia, cultiva
Não está previsto na Lei de Drogas, mas a suspensão » Art. 34 a 37
do prazo prescricional é possível com base no art. 116, ⤷ Tem relação DIRETA com o art. 33, caput
CP. ⤷ MACETE: M-A-F-I (máfia):
Maquinário l Associação l Financiamento l Informante
Competência 2) SUBJACENTES:
» Não tem as mesmas penas, mas tem alguma relação e
» REGRA: JUSTIÇA COMUM ESTADUAL (inclusive penas diferentes.
quando o crime ultrapassar os limites dos Estados) » Art. 33, §2º e §3º
» EXCEÇÃO: JUSTIÇA FEDERAL, se comprovada a ⤷ Induzir, instigar, auxiliar/oferecer (compartilhamento no
transnacionalidade do crime: uso)
⤷ Tráfico de drogas INTERNACIONAL, tendo sido as » Art. 38 e 39
drogas apreendidas na alfândega.
⤷ Prescrever / conduzir embarcação

Lei Maria da Penha


Lei nº 11.340/2006 – Violência doméstica e familiar
contra a mulher
» Os delitos praticados com violência doméstica e FORMAS DE VIOLÊNCIA
familiar contra a mulher não são considerados de 1) MORAL: calúnia, injúria e difamação.
Menor Potencial Ofensivo, portanto, não se aplica a 2) PATRIMONIAL: qualquer conduta que configure retenção,
Lei nº 9.099/95. subtração, destruição parcial ou total de seus objetos, instrumentos
» ALTERAÇÃO NA LEI de trabalho, documentos pessoais, bens, valores e recursos
econômicos, incluindo os destinados a satisfazer suas necessidades.
A Lei Maria da Penha é alterada para OBRIGAR o
3) SEXUAL: qualquer conduta que constranja a presenciar,
agressor a frequentar centro de educação e de
manter ou participar de relação sexual não desejada, mediante
reabilitação e a ter acompanhamento psicossocial. intimidação, ameaça, coação ou uso da força; que impeça o uso de
Art. 22 [.. ] VI- comparecimento do agressor a programas de método contraceptivo; que force gravidez, aborto, prostituição, etc.
recuperação e reeducação;
4) PSICOLÓGICA: qualquer conduta que cause dano emocional
VII- acompanhamento psicossocial do agressor, por meio de
e diminuição da autoestima ou que prejudique/perturbe o seu
atendimento individual e/ou em grupo de apoio.
desenvolvimento ou controle suas ações.
» Unidade doméstica: com ou sem vínculo familiar
5) FÍSICA: qualquer conduta que ofenda sua integridade ou saúde
» Família: aparentados ou se consideram
corporal.
» Relação íntima de afeto: convivência, independe de
coabitação. 103
Medidas protetivas
» Obrigam o agressor
» Não pode ser punido com pena alternativa NOTIFICAÇÃO DA OFENDIDA:
» Hipóteses: ⤷ Deve ser notificada de todos os atos processuais
⤷ Suspensão da posse ou restrição do porte de armas; relativos ao agressor.
⤷ Afastamento do lar, domicílio ou local de convivência com a » Cabe prisão preventiva do agressor, de ofício
ofendida; pelo juiz, a requerimento do MP ou representado
⤷ Restrição ou suspensão de visitas aos dependentes menores; pela autoridade policial, em qualquer fase do
⤷ Prestação de alimentos provisionais ou provisórios; inquérito ou instrução criminal.
⤷ Proibição de aproximar-se da ofendida, de seus familiares e das » Art. 16, da Lei: Vítima NÃO PODE retirar a queixa
testemunhas; da agressão, salvo se feita perante juiz na audiência,
⤷ Proibição de manter contato com a ofendida, com seus
antes do recebimento da denúncia e ouvido o MP.
familiares e com as testemunhas.
COMPETÊNCIA:
O QUE CABE AO MINISTÉRIO PÚBLICO?
» A ofendida escolhe
» Intervir quando não for parte
⤷ Juizado de domicílio ou residência da ofendida
» Requisitar força policial e serviços públicos de saúde, ⤷ Lugar do fato
educação, assistência social e segurança ⤷ Domicílio do agressor
» Fiscalizar os estabelecimentos públicos e particulares de » As Varas Criminais acumularão as competências
atendimento à mulher na situação de violência e adotar cível e criminal para conhecer e julgar as causas
medidas administrativas e judiciais cabíveis. decorrentes de violência doméstica e familiar contra
» Cadastrar os casos de violência doméstica e familiar contra a mulher.
a mulher.

Crimes Hediondos (Lei nº 8.072/90)


1) ROL DE CRIMES HEDIONDOS:
» Art. 1º:
⤷ Homicídio (art. 121), quando praticado em atividade típica de ⤷ Estupro ou estupro de vulnerável
grupo de extermínio, ainda que cometido por um só agente, e ⤷ Epidemia com resultado morte
homicídio qualificado; ⤷ Falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de
⤷ Lesão corporal dolosa de natureza gravíssima e lesão corporal produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais
seguida de morte quando praticadas contra autoridade ou agente ⤷ Favorecimento da prostituição ou de outra forma de
integrantes do sistema prisional e da Força Nacional de Segurança exploração sexual de criança ou adolescente ou de
Pública, no exercício da função ou em decorrência dela, ou contra vulnerável
seu cônjuge, companheiro ou parente consanguíneo até terceiro ⤷ Furto qualificado pelo emprego de explosivo ou de
grau, em razão dessa condição; artefato posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso
⤷ Roubo: a) circunstanciado pela restrição de liberdade da vítima; proibido
b) circunstanciado pelo emprego de arma de fogo ou pelo ⤷ O crime de comércio ilegal de armas de fogo
emprego de arma de fogo de uso proibido ou restrito c) ⤷ O crime de tráfico internacional de arma de fogo,
qualificado pelo resultado lesão corporal grave ou morte; acessório ou munição
⤷ Extorsão qualificada pela restrição da liberdade da vítima, ⤷ Organização criminosa, quando direcionado à prática
ocorrência de lesão corporal ou morte; de crime hediondo ou equiparado.
⤷ Extorsão mediante sequestro e na forma qualificada. 104
ROL TAXATIVO: 7) FALSIFICAÇÃO, ADULTERAÇÃO, CORRUPÇÃO,
⤷ Tentado ou consumado ALTERAÇÃO:
1) HOMICÍDIO: Qualificado ou SIMPLES (quando praticado em
De produtos destinados a fins terapêuticos e/ou
atividade física de GRUPO DE EXTERMÍNIO, ainda que cometido
medicinais.
por apenas 1 AGENTE. 8) EPIDEMIA COM RESULTADO MORTE
HOMICÍDIO QUALIFICADO: privilegiado NÃO é hediondo;
2) LESÃO CORPORAL: 9) GENOCÍDIO
DOLOSA de natureza GRAVÍSSIMA. 10) PORTE OU POSSE ILEGAL de arma de fogo de
Seguida de MORTE, praticada contra AUTORIDADE ou USO RESTRITO
AGENTE DAS FORÇAS ARMADAS ou DA SEGURANÇA
PÚBLICA, integrantes do SISTEMA PRISIONAL e da FORÇA
NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA, no exercício da função 2) EQUIPARADOS:
ou em decorrência dela, ou contra CÔNJUGE, COMPANHEIRO » Tráfico de drogas
ou PARENTE CONSANGUÍNEO até 3º grau, em razão dessa » Tortura
condição. » Terrorismo
3) LATROCÍNIO:
Roubo agravado pelo resultado MORTE
4) EXTORSÃO:
3) CONSEQUÊNCIAS:
Qualificada pelo resultado MORTE mediante SEQUESTRO e na
forma QUALIFICADA. » Progressão de regime diferenciada
5) ESTUPRO: » Prazo maior na prisão temporária
Simples (art. 213, §1º e §2º, do CP) e de vulnerável (art. 217-A, » Insuscetível de anistia, graça e indulto
CP) » Inafiançável
6) FAVORECIMENTO DA PROSTITUIÇÃO ou outra forma
de EXPLORAÇÃO SEXUAL:
De criança, adolescente ou de vulnerável.

PRISÃO TEMPORÁRIA: PROGRESSÃO CRIMINOSA:


» CABIMENTO: » É aquela realizada mediante 2 atos, 2 dois movimentos,
⤷ Deve ser um dos crimes do art. 1º, III da Lei 7.960/89 ou ou seja, quando o agente inicia um comportamento que
crime hediondo configura um crime menos grave, porém, ainda dentro
⤷ Deve estar presente uma das situações: do mesmo iter criminis, resolve praticar uma infração
a) As investigações do inquérito serem imprescindíveis mais grave, que pressupõe a primeira.
» Aqui o agente DURANTE A EXECUÇÃO de um crime,
b) Indiciado não tem residência fixa ou não fornece
decide cometer ouro crime + grave.
elementos necessários para esclarecer sua identidade. » HÁ mudança de DOLO do agente.
» PRAZO: CRIME PROGRESSIVO:
⤷ REGRA: 5 dias + 5 dias » É aquele realizado mediante 1 único ato ou atos que
⤷ HEDIONDOS OU EQUIPARADOS: 30 dias, prorrogável por compõem único contexto. Em outras palavras, ocorre
igual período em caso de extrema necessidade. quando o agente, para alcançar um resultado + grave,
PROGRESSÃO DE REGIME: passa por uma conduta inicial que produz um evento –
» Primário: 2/5 da pena grave.
» Reincidente: 3/5 da pena » Aqui o agente, para alcançar resultado + grave, pratica
outro de natureza – menos, que fica absorvido por ele.
» Pode recorrer em LIBERDADE se o juiz assim decidir de
» O DOLO do agente NÃO MUDA (é voltado desde
forma fundamentada.
o início para resultado + grave).
105
Súmulas do STF Alterações
Súmula 611: Transitada em julgado a sentença Legislativas:
condenatória, compete ao juízo das
execuções a aplicação de lei mais benigna. Lei nº 13.641/2018: que torna crime a conduta
do autor da violência que descumpre as
Súmula 711: A lei penal mais grave aplica-se ao medidas protetivas de urgência impostas pelo
crime continuado ou ao crime permanente, juiz.
se a sua vigência é anterior à cessação da
continuidade ou da permanência. Lei nº 13.772/2018: que reconhece que a
violação da intimidade da mulher configura
violência doméstica e familiar e para
Súmulas do STJ criminalizar o registro não autorizado de
conteúdo com cena de nudez ou ato sexual
Súmula 442: É inadmissível aplicar, no furto
ou libidinoso de caráter íntimo e privado.
qualificado, pelo concurso de agentes, a
majorante do roubo. Lei nº 13.827/2019: autoriza, em algumas
hipóteses, a aplicação, pela autoridade policial,
Súmula 443: O aumento na terceira fase de
de medida protetiva de urgência em favor da
aplicação da pena no crime de roubo
mulher em situação de violência doméstica e
circunstanciado exige fundamentação
familiar, ou a seus dependentes, e para
concreta, não sendo suficiente para a sua
determinar o registro da medida protética de
exasperação a mera indicação do número de
urgência em banco de dados mantido pelo
majorantes.
CNJ.
Súmula 493: É inadmissível a fixação de pena
Lei nº 13.836/2019: promoveu alteração para
substitutiva (art. 44 do CP) como condição
dizer que o Delegado de Polícia deverá
especial ao regime aberto.
informar à autoridade judicial caso a mulher
Súmula 511: É possível o reconhecimento do vítima da violência seja pessoa com
privilégio previsto no § 2º do art. 155 do CP deficiência.
nos casos de crime de furto qualificado, se
Lei nº. 13.871/2019: prevê que o autor de
estiverem presentes a primariedade do
violência doméstica praticada contra mulher
agente, o pequeno valor da coisa e a
terá que ressarcir os custos relacionados com
qualificadora for de ordem objetiva.
os serviços de saúde prestados pelo SUS às
Súmula 542: A ação penal relativa ao crime vítimas de violência doméstica e familiar e
de lesão corporal resultante de violência com os dispositivos de segurança utilizados
doméstica contra a mulher é pública pelas vítimas para evitar nova violência.
incondicionada.
Lei nº. 13.880/2019: determina que, se o autor
Súmula 617: A ausência de suspensão ou da violência doméstica tiver uma arma de
revogação do livramento condicional antes do fogo (ainda que em casa ou no trabalho), ela
término do período de prova enseja a deverá ser apreendida.
extinção da punibilidade pelo integral
Lei nº. 13.882/2019: garante a matrícula dos
cumprimento da pena.
dependentes da mulher vítima de violência
doméstica e familiar em instituição de

106
educação básica mais próxima de seu
domicílio.
Lei nº. 13.894/2019: prevê a competência dos
Juizados de Violência Doméstica e Familiar
contra a Mulher para ação de divórcio,
separação, anulação de casamento ou
dissolução de união estável nos casos de
violência.
⤷ Também alterou o CPC, para prever a
competência do foro de domicílio da vítima
de violência doméstica e familiar para ação de
divórcio, separação judicial, anulação de
casamento ou reconhecimento de união
estável a ser dissolvida.

⤷ Artigos alterados:
Art. 53, I, d;
Art. 698, parágrafo único;
Art. 1048, III.
⤷ Além disso, determinou que os processos
que tenham como parte a vítima de violência
doméstica deverão ter PRIORIDADE.

107
5.
DIREITO
TRIBUTÁRIO

@contemdireito_ 108
Competência Tributária
1) UNIÃO (Federal): 2) ESTADOS:
II (Imposto de Importação); ICMS (Imposto sobre circulação de Mercadorias e
IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados); Serviços);
IOF (Imposto sobre Operações Financeiros); ITCMD (Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e
IRPJ (Imposto de Renda de Pessoa Jurídica); Doação);
IRPF (Imposto de Renda de Pessoa Física); IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos
ITR (Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural); Automotores).
COFINS (Contribuição para o Financiamento da
Seguridade Social); 3) MUNICÍPIOS:
CIDE (Contribuição de Intervenção no Domínio ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Inter
Econômico); Vivos);
CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido); ISS (Imposto sobre serviços);
INSS (Instituto Nacional do Seguro Social); IPTU (Imposto sobre a Propriedade Predial e
FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço); Territorial Urbana).
PIS (Programa de Integração Social) ou
PASEP (Programa de Formação do Patrimônio do
Servidor Público).

» É a atribuição dada pela CF à União, Estados e aos » CARACTERÍSTICAS:


Municípios e ao DF para instituírem, alterarem e ⤷ Indelegabilidade
extinguirem tributos por meio de lei. ⤷ Irrenunciabilidade
⤷ Incaducabilidade
» A CF não institui tributos, apenas fixa as ⤷ Inalterabilidade
competências. ⤷ Facultativa
» Compreende a competência legislativa plena para ⤷ Exclusividade
criar, alterar e exigir tributos.
» Somente entes políticos têm competência » CAPACIDADE TRIBUTÁRIA ATIVA:
tributária.
⤷ É o poder de cobrar, exigir e fiscalizar o TRIBUTO.
⤷ NÃO detém capacidade tributária: autarquias,
⤷ Atribuição administrativa.
fundações e territórios.
⤷ É delegável a outra pessoa jurídica de Direito
⤷ Não se confunde com sujeição ativa.
Público.

» DIFERENÇAS:
⤷ COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA: Indelegável
⤷ CAPACIDADE TRIBUTÁRIA: Delegável

109
1) COMPETÊNCIA CUMULATIVA: 3) COMPETÊNCIA RESIDUAL:
» Em território federal, a União tem competência » União instituir novos impostos, com fato gerador e
para impostos estaduais e municipais (se território base de cálculo diferentes dos já existentes na CF.
não tiver municípios).
» DF tem competência para impostos municipais. 4) EMPRÉSTIMO COMPULSÓRIO:
» União pode instituir, mediante lei complementar:
2) IMPOSTO EXTRAORDINÁRIO: ⤷ Para atender despesas extraordinárias,
» União pode instituir impostos extraordinários, em decorrentes de calamidade pública, guerra externa
caso de IMINÊNCIA ou GUERRA EXTERNA. ou sua iminência;
⤷ No caso de investimento público de caráter
urgente e de relevante interesse social.

Limites ao poder de tributar *Quando um tributo é exceção


aos dois princípios, sua cobrança
pode ser imediata.
» PRINCÍPIO DA LEGALIDADE: » PRINCÍPIO DA ANTERIORIDADE:
Deve haver uma lei para criar e cobrar o tributo, ⤷ COMUM (Art. 150, III, b, CF):
impedindo abusos por partes das autoridades. Os entes só podem cobrar o tributo a partir do primeiro
⤷ EXCEÇÕES: dia do exercício financeiro seguinte àquele que foi
1) O ente municipal, por meio de um decreto, atualiza os publicada lei que o institui ou aumentou.
valores venais dos imóveis corroídos pela inflação, para ⤷ EXCEÇÕES:
que fiquem compatíveis com a realidade 1) Empréstimo Compulsório;
2) Quando for prescindível majorar as alíquotas dos 2) II, IE e IOF;
tributos extrafiscais, bastando ato do Poder Executivo 3) IEG;
Federal. 4) IPI;
5) Contribuição para Seguridade Social.
⤷ NONAGESIMAL OU NOVENTENA (Art. 150, III, c, CF):
Entes cobrem tributo só depois de 90 dias da
publicação da lei.
⤷ EXCEÇÕES:
1) Empréstimo Compulsório;
2) II, IE e IOF;
3) IEG;
4) IR;
5) Alteração na base de cálculo do IPTU e IPVA.
110
Imunidades Tributárias
» Desenvolvidas para que direitos sociais e ⤷ ESPÉCIES:
fundamentais sejam respeitados. 1) Imunidade Recíproca; *CAI MUITO NA OAB.
» Determinadas pela Constituição Federal. 2) Imunidade religiosa;
» TIPOS: 3) Imunidade dos Partidos Políticos, Entidades Sindicais
⤷ OBJETIVA: objeto dos Trabalhadores e das Entidades sem fins lucrativos.
Quanto atinge um objeto, bens ou situações, apesar 4) Imunidade dos livros, jornais e periódicos destinado
de também beneficiarem as pessoas. à sua impressão;
Ex: imunidade musical, dos livros e periódicos. 5) Imunidade das Receitas de Exportação;
⤷ SUBJETIVA: características do sujeito. 6) Imunidade referente ao IPI de produtos
É a imunidade conferida em razão da condição de industrializados;
determinada pessoa. 7) Imunidade do TIR sobre pequenas glebas;
Ex: imunidade aos partidos políticos, sindicatos dos 8) Imunidade de taxas.
empregados e educacionais sem fins lucrativos.
⤷ MISTA: ambos.

IMUNIDADE RECÍPROCA:
» Veda, por exemplo, que Estados-membros cobrem IPVA de veículos pertencentes a Municípios, que Municípios
cobrem IPTU relativamente à propriedade de prédio pertencente à União, etc.
» Art. 150. Sem prejuízo de outras garantias asseguradas ao contribuinte, é vedado à União, aos Estados, ao Distrito
Federal e aos Municípios: VI- Instituir impostos sobre: a) patrimônio, renda ou serviços, uns aos outros.

» Se estende às autarquias e fundações públicas desde que atendam a 4 requisitos:


a) Cumpram suas finalidades essenciais ou qualquer uma delas decorrentes;
b) Sejam instituídas ou mantidas pelo Poder Público;
c) Não cobrem preços e nem tarifas;
d) Não entrem na concorrência privada.

» Ler também:
Art. 150, §2º, CF: a vedação do inciso VI, “a”, é extensiva às autarquias e às fundações instituídas e mantidas pelo
Poder Público, no que se refere ao patrimônio, à renda e aos serviços, vinculados a suas finalidades essenciais ou às
delas decorrentes.
⤷ A NÃO incidência, para o STF:
1) Infraero
2) CAERD
3) Entidades hospitalares (Soc. Economia e mista)
4) Correios.
» Vetor Axiológico: pacto federativo; isonomia entre as pessoas políticas; ausência de capacidade contributiva;

111
IMUNIDADE PARA A MÚSICA:
» Etapa 1: PRODUÇÃO
⤷ Estúdio: Gravação (sempre houve ISS, mas agora é SEM ISS);

» Etapa 2: INDUSTRIALIZAÇÃO
⤷ Indústria: Replicação da “matriz” (sempre houve IPI, e AINDA é COM IPI);

» Etapa 3: COMERCIALIZAÇÃO
⤷ Comércio: Distribuição e venda (sempre houve ICMS, mas agora é SEM ICMS).

Tributo
Relação jurídica entre Estado e o contribuinte, prevista em lei, tendo como objeto uma prestação
pecuniária, não sendo sanção.

ESPÉCIES TRIBUTÁRIAS: IMPOSTOS:


Corrente Pentapartide Competência: Privativa de cada ente da Federação.
Fato gerador: situação que independe de atividade estatal específica
TAXAS:
Competência: todos os Entes de Federação
Fato gerador: exercício regular do poder de polícia.

CONTRIBUIÇÕES DE MELHORIA:
Competência: U, E, DF e M.
Fato gerador: valorização imobiliária em decorrência de obra pública.

CONTRIBUIÇÕES ESPECIAIS:
Competência: U (principal), M e DF.
Fato gerador: foge dessa teoria.
1) Contribuições Sociais
2) Contribuições de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE)
3) Contribuições de interesse de categorias profissionais ou econômicas
(corporativas).
4) Contribuição para custeio do serviço de iluminação pública (COSIP)

EMPRÉSTIMOS COMPULSÓRIOS:
Competência: União
Fato gerador: Guerra externa, calamidade pública e investimento público
urgente e de relevante interesse nacional.
112
Cosip
(Contribuição para o serviço de iluminação pública)
» Súmula 670, STF (O serviço de iluminação pública não pode ser remunerado mediante taxa), ratificada pela
Súmula Vinculante nº. 41, STF (“Não pode haver taxa de iluminação pública no Brasil, uma vez sendo geral tal serviço.
» Com a derrota dos Municípios no Judiciário, conseguiram politicamente alterar a CF (EC 39/2002).
» Contribuição para o Serviço de Iluminação Pública (COSIP ou CIP, art. 149-a, CF)
» É uma contribuição municipal, de competência dos M e DF, cuja cobrança pode ser feita na conta de luz (art.
149-a, parágrafo único, CF).

Legislação Tributária
VIGÊNCIA: INTERPRETAÇÃO:
Art. 97, 98, 100, 106, 108 e 111, CTN.
⤷ A validade formal da norma, ⤷ Busca de solução para o caso
INTEGRAÇÃO: concreto, ou do verdadeiro
que poderá ser imposta e
exigida. ⤷ Utilizada quando há significado da norma em si.
⤷ Toda lei tributária que omissão da legislação, em ↳ Fonte
instituir ou aumentar tributos, face de lacuna, para supri- ↳ Meios adequados para sua
terá sua eficácia subordinada APLICAÇÃO: la. Exegese.
ao: ⤷ Na ausência de lei ↳ Os resultados da exegese*
⤷ A norma incide
expressa, utiliza-se: * Método Gramatical; Lógico;
Princípio da anterioridade automaticamente
I- Analogia Histórico; Teleológico;
quando da
ocorrência do fato II- Princípios Gerais de Direito Sistemático; Declarativo;
Tributário Extensivo; Restritivo.
gerador do tributo.
III- Os princípios gerais do
Público
IV- Equidade

» Art. 96, CTN: a legislação tributária compreende: leis, tratados e convenções internacionais; decretos e normas
complementares.

» LEI ORDINÁRIA: Em regra, é ela que irá discorrer sobre matérias tributárias.
113

» LEI COMPLEMENTAR: existem 4 tributos que SÓ PODEM SER INSTITUÍDOS POR ELA:
Contribuição Social Residual; Empréstimo Compulsório; IGF e Imposto Residual.
Além destes, a CF aborda outros no art. 146.
Obrigação Tributária
13% das questões da
OAB são sobre!
Relação jurídica existente entre o FISCO e PARTICULAR.

» Cabe a LEI COMPLEMENTAR. 3) OBRIGAÇÃO PRINCIPAL ou patrimonial:


1) SUJEITOS: » Art. 113, §3º, CTN.
a) ATIVO: o Estado. » Obrigação de dar (pagar tributos)
(em atividade econômica) » Caráter pecuniário:
b) PASSIVO: Particular. ⤷ Surge com a ocorrência de um fato gerador
(contribuinte ou responsável tributário) ⤷ Pagamentos de tributos e de multas.

2) OBJETO: 4) OBRIGAÇÃO ACESSÓRIA ou não patrimonial:


a) Obrigação de dar (pagar tributo); » OBRIGAÇÃO DE FAZER E DE NÃO FAZER
b) Obrigação de fazer (ex: emitir nota fiscal) (escriturações de livros contábeis; emissão de notas fiscais).
c) Obrigação de não fazer (ex: não exigir » Caráter não pecuniário
impostos). ⤷ Obrigações instrumentais, são deveres que facilitam o
cumprimento das obrigações principais.
⤷ Se o sujeito passivo descumprir a obrigação acessória, será
convertida em principal e ocorrerá o pagamento de multa.

Responsabilidade Tributária
» Instituída por lei (Art. 128, CTN); 3) EFEITOS:
1) FORMAS: a) Solidária (art. 134, CTN)
a) Sucessão (art. 129 e 133, CTN) ⤷ Sem benefício de Ordem
Causa mortis; Imobiliária e Empresarial. ⤷ Pode cobrar de ambos
b) De terceiros (art. 134 e 135, CTN) b) Pessoal (art. 121, I, CTN): exclusiva
c) Tabeliões ou/e escrivães (art. 134, CTN) c) Subsidiária (art. 134, CTN)
d) Por infração (art. 136 a 138, CTN) ⤷ Tenta receber do contribuinte
⤷ Depois do responsável (caso não consiga 1)
2) ATRIBUIÇÃO (art. 128, CTN) 4) OBJETO:
a) Substituição: exclui a responsabilidade do a) Tributos
contribuinte. b) CT genérica (art. 135, CTN)
b) Transferência: atribuindo o ente em caráter ⤷ Constituído de vez
supletivo. ⤷ Em curso de constituição
» Não retorna para o contribuinte original c) CT específica (art. 135, CTN)
Ex: IR retido na fonte – Responsável é a parte pagadora. ⤷ Impostos
⤷ Taxa e Contribuição de Melhoria
Relativo à Propriedade I Domínio útil I Posse
114
Crédito Tributário
FG OT
Lançamento*
HI CT

Hipótese de Fato Gerador Obrigação Obrigação


incidência Tributária Tributária

» O lançamento separa a prescrição da decadência


» Modalidades: Direto, Declaração e Homologação
» Alterações
» CONCEITO: surge com a obrigação tributária o Fisco só poderá exigir tributo com a existência do crédito tributário.
A sua exigência de sua constituição (fato).
⤷ por meio do lançamento.

SUSPENSÃO EXTINÇÃO EXCLUSÃO


1) Moratória 1) Pagamento 1) Isenção
2) Depósito integral 2) Compensação 2) Anistia
3) Reclamação e recursos 3) Transação
4) Concessão liminar em MS 4) Remissão
5) Parcelamento 5) Pagamento antecipado e Homologação
6) Tutela antecipada 6) Prescrição e Decadência
7) Conversão Depósito em Renda
8) Consignação em Pagamento * Mais importantes para a
9) Decisão Administração irreformável OAB!
10) Decisão judicial passado em julgado

Alteração do Lançamento
ART. 145, CTN.
SUSPENSÃO
1) LC notificado regularmente

2) Recurso de Ofício Autoridade de 1º instância Limite definido


⤷ PAF (Procedimento Administrativo Julgamento contra Fazenda Pública
Fiscal)
Submissão da decisão ao duplo Próprio julgado
3) Iniciativa de ofício grau de jurisdição recorre
Art. 149, VIII, CTN Novo lançamento

4) Impugnação do SP Faz surgir o PAF


Abrange até o próprio recurso voluntário 115
Moratória
» Aumento do prazo para pagar tributo.
» Sempre por LEI (Art. 152 e 153, CTN):
⤷ Lei Estadual não pode para IPTU
⤷ Pode ordinária, contemplados por complementar.
1) Prazo 2) Tributos 3) Tipo: geral e individual: Condições 4) Nº de prestações e vencimentos
Garantias
Exigidas
» Postergação do prazo de vencimento: reconhece a dívida
» Alcance (Art. 154, CTN)
1) Só CT Constituído lançado ou Fase de Constituição
2) Referência: data da lei que a conceder
3) Excluídos casos de Dolo, fraude e simulação
» Circunscrição:
1) Tanto geral como individual
2) Lei concessiva circunscreve
3) Limitado à região de Pessoa Jurídica de Direito Público ou Classe/Categoria
* Abrange créditos já definitivamente constituídos (já lançados)

Parcelamento
» Art. 155-A, CTN.
» É a dilatação (aumento) do prazo legal para pagamento, sendo possibilitado o pagamento em parcelas.

» Lei específica: editada pelo Ente Federativo competente para instituir o tributo.

» Pode juros e multa, e também pode a exclusão deles, parcial ou total.

» Exigibilidade do crédito: suspensa enquanto for adimplido

» Lei 10.522/2002, Art. 14-B: O não pagamento de 3 parcelas é considerado FATOR DE RESCISÃO AUTOMÁTICA.

116
Decadência
Prescrição x Decadência
» Termo inicial: REGRA
⤷ Prazo para ajuizar ⤷ Prazo para a Primeiro exercício financeiro subsequente.
ação de execução Administração
» Termo inicial do lançamento por homologação:
fiscal. Pública Tributária,
⤷ Impossibilitado o
Coincide com precisão com data do F.G.
por autoridade,
manejo da execução promova o
fiscal. lançamento.
⤷ Extinto o direito
de lançar.
» Prazo decadencial: 5 anos.
» Regras:
1) Regra Geral do Prazo decadencial
2) Regra da Antecipação da Contagem do Prazo Decadencial
3) Regra da Anulação de Lançamento (Vício Formal – Decadência)
4) Regra do Lançamento por Homologação
*A FGV COBRA MUITO o prazo decadencial para realização do lançamento das contribuições para financiamento
da seguridade social. Lei: 10 anos l STJ (2007) e STF (2008): 5 anos ☛ Súmula vinculante nº 8

Remissão
Remissão ≠ Anistia
» Dispensa gratuita da dívida, feita pelo credor
» Extinção do CT já » Exclusão do CT
ao devedor.
» Lei específica: Dispensa tributos, juros e constituído. » Impede o
multa. » Multa, juros e lançamento da multa.
tributo.

Prescrição
» Quando a Fazenda Pública não propõe no prazo legal, a ação de execução fiscal para obter a satisfação coativa
do CT.
» PRAZO: 5 anos
⤷ da data da constituição do CT (NÃO é com a constituição).
» Contagem: não havendo pagamento ou impugnação (ou após processo administrativo), e ultrapassado o prazo
para pagamento do CT sem o pagamento, começa a fluir o prazo.

» Interrupção:
1) Despacho do juiz ordenando citação em execução
2) Protesto judicial ou ato judicial que constitua o devedor em mora
3) Ato inequívoco (pode extrajudicial) de reconhecimento de débito do devedor.
117
Isenção
» Dispensa legal do pagamento do tributo devido.
» Lei específica de ente competente: condições e requisitos para concessão.
» Pode ser revogada a qualquer tempo, salvo se concedida por prazo certo.
⤷ EXCEÇÃO A ISENÇÃO ONEROSA.
» Isenção INDIVIDUAL: deficientes físicos.
⤷ analisada caso a caso por autoridade administrativa
» Isenção GERAL: o contrário.

Anistia
» Art. 175
» Perdão de uma infração: perdão da penalidade (regularizar o atraso dos inadimplentes)
» Gera DIREITO ADQUIRIDO (despacho da autoridade administrativa gera sim)
» Dispensa a multa:
⤷ NÃO alcança: Crimes, contravenções e infrações de conluio.
» FG Anterior:
⤷ Para trás
⤷ FG já ocorreu, o lançamento tributário é impedido. Anistia
» NUNCA alcança: Lançamento
⤷ Crime ou Contravenção
⤷ Dolo, fraude ou simulação FG OT
HI OT
⤷ Infrações posteriores
⤷ Conluio, salvo autorização expressa.

2) Poder de Polícia:
Taxas
» Art. 145, II, CF. ⤷ Exercício regular
» COMPETÊNCIA: ⤷ OBS: Não pode ser calculada em
Todos os entes da Federação » Utilização efetiva ou função do Capital da Empresa.
» FATO GERADOR: potencial
I- Poder de polícia: fiscalizar » Irregular a cobrança
II- Serviço público: Efetivo ou potencial, feita com base em
específico e divisível simples amostragens.
» Se não for serviço
específico e divisível TAXA/PREÇO:
SERVIÇO:
deve ser custeado 1) Atividade estatal:
1) Atividade estatal:
pelos impostos. A taxa não decorre de relação
⤷ Específica: unidades autônomas
Ex: Água e esgoto. .estabelecida entre Consumidor ou
⤷ Divisível: utilização de cada um
usuário e o fornecedor, se é entidade
separadamente.
de Direito Público ou Privado.
118
Contribuição de Melhoria
» COMPETÊNCIA: » Decorre de obras públicas.
U, E, DF e M ART. 145, III, CF e ART. 81, CTN.
» Princípio ético-jurídico:
» FATO GERADOR: ⤷ “Não enriquecimento sem causa”
Obra pública » Limites:
Valorização imobiliária ⤷ Total: Valor da Obra
» Tributo não pode ser ⤷ Individual: Valorização
cobrado se não houver (o que for primeiro)
valoração.
» Lançamento é de ofício: só » Sujeito ativo: ente que fez a obra.
acontece quando a obra é » Sujeito passivo: proprietário do
concluída. imóvel.

119
6.
PROCESSO
PENAL

@contemdireito_
120
Princípios do Processo Penal
1) Presunção de inocência 9) Duplo grau de jurisdição

2) Ampla Defesa 10) Oficialidade

3) Nemo tenetur se detegere 11) Obrigatoriedade


“O direito não pode produzir prova contra si mesmo”.
4) Contraditório 12) Duração razoável do processo

5) Paridades de armas 13) Devido processo legal

6) Juiz imparcial e natural 14) Promotor Natural

7) Motivação 15) Verdade Real

8) Publicidade 16) Identidade física do juiz

17) Proporcionalidade

Partes se contrapõem e atuam em


1) Sistema processual: ACUSATÓRIO igualdade
Oralidade e publicidade
2) Eficácia da lei processual penal no espaço: Contraditório
⤷ Territorialidade Vigor a presunção de inocência
⤷ prisão provisória (cautelar é a exceção)
3) Eficácia da lei processual penal no tempo: Juiz tem limitada inciativa probatória.
⤷ Aplica-se desde logo, sem prejuízo de validade dos atos
realizados sob vigência da lei anterior.
⤷ Alterada a lei processual, a nova deve ser aplicada.

4) Interpretação: extensiva.

5) Analogia: o CPC pode ser aplicado ao processo penal


por analogia.

121
» Conduzido por: » Processo Administrativo
» Vícios presentes não o anulam por
⤷ Estados: Polícia Civil
inteiro.
⤷ União: Polícia Federal
» Finalidade de dar ao órgão acusatório
uma opinio delicti (probatório) para o
oferecimento da denúncia.
» Indiciamento:
Deve ser feito durante o IP, não cabe
quando já há denúncia oferecida. Inquérito » CARACTERÍSTICAS:
1) Inquisitório
» Garantias do investigado:
2) Escrito
⤷ Vedada a incomunicabilidade do preso Policial 3) Sigiloso
⤷ MP pode ter acesso 4) Indisponível
⤷ Advogado deve acompanhá-lo 5) Dispensável
6) Discricionário
» Identificação criminal: possível. 7) Oficial
8) Oficioso
9) Temporário

Instauração do Inquérito Policial


Ação
Ação Penal Pública Art. 5º » De ofício pela AUTORIDADE POLICIAL (Portaria
Incondicionada caput e Inaugural)
8º, CPP » Por requerimento do ofendido
» Por requisição do MP
» Por auto de prisão em flagrante
Ação Penal Pública Art. 5º, » Representação do ofendido ou procurador
Condicionada §4º, CPP » Requisição do Ministro de Justiça
Art. 5º, » Requerimento do ofendido
Ação Penal Privada §5º, CPP
Foro por Prerrogativa de » Depende de autorização do Tribunal competente.
Função

122
Prazos para encerramento do Inquérito Policial

SOLTO PRESO
Regra Geral (CPP) 30 dias, prorrogáveis 10 dias
Polícia Federal (Art. 66, Lei 30 dias, prorrogáveis 15 dias
5.010/66)
Lei 10.343/06 (Lei de Drogas) 90 dias, podendo duplicar 30 dias, pode duplicar
IPM 40 dias, prorroga-se por +20 20 dias
Crimes contra economia
popular 10 dias
(Lei 1.521/1951; Art. 10 §1º)

Notitia Criminis Delatio Criminis


⤷ É o conhecimento espontâneo ou ⤷ É a combinação de um fato feito
provocado por parte da autoridade pela vítima ou qualquer do povo com
policial, de um fato aparentemente identificação.
criminoso.

ARTIGOS SUSPENSOS DO PACOTE ANTICRIME


Art. 3-A E 3-B: Suspenso pelo STF, Ministro Luiz Fux suspende criação de juiz das garantias por
tempo indeterminado.
Art. 28: Suspenso pelo STF, Ministro Luiz Fux suspende mudanças no arquivamento do inquérito por
tempo indeterminado.
Art. 287: Suspenso pelo STF, Ministro Luiz Fux suspende a soltura automática de presos que não
passarem por uma audiência da custódia em 24 horas após a prisão em flagrante.
Art. 157: Suspenso pelo STF, Ministro Luiz Fux suspende a regra que definiu que o juiz do caso não
pode proferir a sentença se declarar uma das provas inadmissíveis.
A suspensão vale até o julgamento de mérito da ação pelo plenário da Corte, que não tem data para
ocorrer.
Fonte: Site da Agência Brasil 123
Direito de Defesa
Art. 14-A (INSERIDO PELO PACOTE ANTICRIME)

SERVIDORES
INVESTIGADOS
EM INQUÉRITOS por fatos praticados pelo uso da força letal praticados no exercício profissional.
OBS 1: EXCEÇÃO à regra de não existência do contraditório e ampla defesa no inquérito policial.
OBS 2: Conferir mais proteção aos agentes de segurança pública e agentes das forças armadas.
OBS 3: Após citado, o indiciado terá o prazo de 48h para constituir defensor, a contar do recebimento da citação.
Se esgotado o prazo sem defensor, a autoridade intima a instituição do indiciado para indicar defensor.

Ação Penal
Direito que ofendido/querelante ou MP tem de exigir do Estado, a aplicação do direito penal no caso
concreto.
AÇÃO PENAL PÚBLICA AÇÃO PENAL PRIVADA
» Titular: MP Denúncia 15 dias (réu solto) » Titular:
5 dias (réu preso) ⤷ Ofendido ou CADI só ofendido se for personalíssima.
1) INCONDICIONADA: ⤷ Oferecimento da queixa-crime: prazo decadencial de
Em regra, salvo quando a lei expressamente dispor 6 meses do conhecimento.
diferente.
1) EXCLUSIVAMENTE PRIVADA:
2) CONDICIONADA: ⤷ Regra.
⤷ à REQUISIÇÃO do Ministro da Justiça 2) PERSONALÍSSIMA:
⤷ à REPRESENTAÇÃO do ofendido OU CADI (cônjuge, ⤷ Só o ofendido pode prestar queixa.
ascendente, descendente, irmão); ⤷ É exclusivo
6 meses do conhecimento. ⤷ Se o ofendido morre, extingue a punibilidade.
3) SUBSIDIÁRIA DA PÚBLICA:
ALTERADO PELO PACOTE ANTICRIME: ⤷ Omissão do MP
⤷ Art. 28, arquivamento do inquérito (suspenso pelo STF) ⤷ 6 meses do término do prazo do MP.
⤷ Art. 28-A: ACORDO DE NÃO PERSECUÇÃO PENAL

124
Acordo de não persecução penal

Art. 28-A. Não sendo caso de arquivamento e tendo o investigado confessado formal e circunstancialmente a prática
de infração penal sem violência ou grave ameaça e com pena mínima inferior a 4 (quatro) anos, o Ministério Público
poderá propor acordo de não persecução penal, desde que necessário e suficiente para reprovação e prevenção
do crime, mediante
CONDIÇÕES CUMULATIVAS E ALTERNADAS:
§1º Serão consideradas causas de aumento e diminuição ao caso concreto, para aferição da pena máxima.
§2º O ACORDO NÃO SE APLICA:
§3º O ACORDO DEVE SER FORMALIZADO POR ESCRITO
§4º PROCEDIMENTO DO ACORDO
HOMOLOGAÇÃO DO ACORDO -> Feita em AUDIÊNCIA: Oitiva do investigado (Presença do defensor)

RECUSAS DO ACORDO PELO JUIZ:


1) Se o juiz considerar INADEQUADAS, INSUFICIENTES OU ABUSIVAS as condições do acordo
DEVOLVE OS AUTOS PRO MP -> REFORMULAR A PROPOSTA
2) Se não atender os REQUISITOS LEGAIS ou não realizada a ADEQUAÇÃO, DEVOLVE OS AUTOS PRO MP,
para a ANÁLISE DA NECESSIDADE DE COMPLEMENTAÇÃO DAS INVESTIGAÇÕES OU OFERECIMENTO DA
DENÚNCIA..
OBS: A NÃO CELEBRAÇÃO DO ACORDO NÃO PERMITE AÇÃO PENAL PRIVADA SUBSIDIÁRIA DA PÚBLICA
PORQUE, NESTE CASO, O MP NÃO FOI INERTE, ELE OFERECEU O ACORDO.
RECUSAS DO ACORDO PELO MP:
O INVESTIGADO PODE REQUERER A REMESSA DOS AUTOS AO ÓRGÃO SUPERIOR. RECURSO CABÍVEL: RESE
EM CASO DE HOMOLOGAÇÃO:
JUIZ DEVOLVE OS AUTOS AO MP PARA INICIAR A EXECUÇÃO NO JUÍZO DE EXECUÇÃO PENAL. E A VÍTIMA
SERÁ INTIMADA
CUMPRIMENTO DO ACORDO:
DESCUMPRIMENTO DO ACORDO:
MP COMUNICA AO JUÍZO O JUÍZO COMPETENTE DECRETA A EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE.

RESCISÃO OU POSTERIOR
OFERECIMENTO DA DENÚNCIA

Competências
EM RAZÃO DA MATÉRIA FUNCIONAL
TERRITORIAL
» Ratione materiae » Prerrogativa de foro
» Ratione loci (relativa)
» Está relacionada à natureza do » Ratione personae (absoluta)
» No Processo Penal, a
crime praticado, ou a titularidade » Regulada pela CF.
competência é fixada em razão
do bem, valor ou interesse » Em razão da pessoa
do local de consumação do delito
jurídico. » Casos previstos na CF e
ou do domicílio territorial.
1) JUSTIÇAS COMUNS: superam as outras consequências
» Teoria do resultado
Federal e Estadual » Regras aplicadas segundo o
STF. 125
Foro de prerrogativa de função
Competências por crimes comuns

CF EXECUTIVO LEGISLATIVO JUDICIÁRIO OUTRO


STF Presidente da Senadores Ministros dos Procurador-Geral
República Deputados Tribunais Superiores da República
Vice-Presidente Federais STF/STJ/STE/STM Ministros do TCU
Ministros Comandantes das
Forças Armadas
Chefes de missão
diplomática
permanente
STJ Governadores Membros dos Membros do M.P.U.
Tribunais Estaduais que atuam em 2º
Membros dos grau
Tribunais Regionais Conselheiros dos
Tribunais de
Contas Estaduais e
Municípios
TJ’s Prefeitos Deputados Juízes Estaduais de 1º Todos os
Estaduais grau, mesmo que membros do M.P.
pratiquem crime Estadual
federal
TRF’s Prefeitos quando Deputados Juízes Federais de 1º Membros do M.P.U.
praticam crime Estaduais quando grau que atuam no 1º
federal praticam crime grau
federal
TRE’s Todos aqueles . . pelos TRF’s e . .o crime seja
julgados.. TJ’s, desde que.. ELEITORAL.

ALTERAÇÕES PACOTE ANTICRIME » Art. 133-A:


» Art. 122: MEDIDAS ASSECURATÓRIAS ⤷ O juiz poderá autorizar, DIANTE DE INTERESSE
⤷ As coisas que serão apreendidas, agora serão alienadas PÚBLICO, a utilização de bem sequestrado, apreendido
de acordo com o art. 133. ou sujeito a medida assecuratória pelos órgãos públicos
⤷ O prazo de 90 dias foi retirado e o parágrafo único foi previstos no art. 144 da CF, p/ atividades.
REVOGADO! ⤷ §1º: Ógão participante das investigações tem prioridade.
⤷ §2º: Fora isso, juiz pode autorizar para demais órgãos.
» Art. 133: Agora diz que transitada em julgado a ⤷ §3°: Registro e licenciamento em favor de órgão
beneficiário em caso de bem que for veículo,
sentença condenatória, o juiz determinará de:
embarcação ou aeronava.
⤷ Ofício; Requerimento do interessado e requerimento
⤷ §4º: Transitado em julgado, juiz pode liberar a
do MP;
transferência definitiva da propriedade ao órgão público.
⤷ §1º: O dinheiro apurado, que não couber ao lesado ou
» Art. 124-A: Perdimento de obras de arte outros bens
terceiro de boa-fé, será recolhido ao Tesouro Nacional.
⤷ §2º: O valor recolhido agora vai para o TESOURO de valor cultural, sendo crime sem vítima determinada,
PENITENCIÁRIO NACIONAL. pode haver a destinação dos bens a MUSEUS PÚBLICOS.
126
Prorrogação da Competência
1) Conexão e Continência 3) Federalização dos crimes em que ocorre
2) Desaforamento grave violação a direitos humanos
4) Crimes de menor potencial ofensivo (MPO
CONTINÊNCIA
CONEXÃO
» Ocorre quando um fato criminoso contém outros, o que
» Substantiva ou Material: várias infrações ligadas por
impõe que o julgamento de todos seja realizado em
laços circunstâncias, havendo conexão entre os
conjunto.
próprios delitos.
⤷ Objetiva: quando os crimes são cometidos em
⤷ Objetiva: quando o crime é praticado para facilitar a
CONCURSO FORMAL.
execução de outro, ocultar-lhe ou garantir a
⤷ Subjetiva: quando duas ou mais pessoas forem acusadas
manutenção da sua vantagem.
da mesma infração penal.
⤷ Subjetiva:
FORO PREVALECENTE NOS CASOS DE:
1) Por concurso
2) Por reciprocidade CONEXÃO OU CONTINÊNCIA
3) Por simultaneidade ⤷ As causas serão reunidas em um só processo, o foro
» Processual ou Instrumental: não há nexo entre as competente para julgar será de acordo com as regras do
infrações, mas a prova de uma infração ou de art. 78, do CPP: “no concurso entre a competência do júri e a de
qualquer circunstância elementar influi na outra. outro órgão da jurisdição comum, prevalecerá a competência do júri”.
Súmula nº 721, STF.

Provas
» MEIOS DE PROVA:
» Prova ilícita: viola o direito material
1) Ferramentas jurídicas utilizadas para que a prova seja conhecida pelo
» Prova ilegítima: viola o direito processual julgador.
» Teorias: 2) NÃO tem caráter taxativo no CPP.
⤷ Teoria da fonte independente: 3) Podem ser:
A fonte que não possui ligação causal e ⤷ Provas nominadas: previstas em lei.
cronol.ógica com a ilícita prova já produzida, ⤷ Provas inominadas: não estão previstas, mas não são ilícitas.
» ÔNUS DA PROVA:
estando LIVRE de vícios. Pode ser usada no
processo. » Incumbe a quem fixar a alegação.
» Distribuição: 1) Acusação e 2) Defesa
⤷ Teoria da descoberta inevitável:
1) Demonstrar autoria, materialidade, causas de exasperação da pena,
Aproveita-se a prova derivada da ilícita se for
dolo e culpa.
obtida de qualquer matéria/maneira por meio 2) Excludentes da ilicitude, culpabilidade, elementos de mitigação da
de diligências. VÁLIDAS. Afasta-se a pena, além de causas de extinção de punibilidade.
contaminação. » Iniciativa probatória do juiz de ofício
⤷ Teoria dos frutos da árvore envenenada: ⤷ Ordenar produção de prova antecipada, quando forem urgentes e
As provas derivadas de outras ilícitas também relevantes (necessidade, adequação e proporcionalidade).
terão tal “status”. ⤷ Determinar a realização de diligências para dirimir dúvidas sobre
Fato relevante (na instrução ou antes da sentença).

127
PROVA DOCUMENTAL RECONHECIMENTO DE PESSOAS E
» Documento escrito COISAS
» Juntada de documentos para ACAREAÇÃO
» Quem for fazer deve descrever a
comprovar fato ou alegação. » Colocar frente a frente
pessoa ou objeto.
» Produção pode ser: pessoas que possuem
» Colocada ao lado de outras suspeitas
1) Espontânea: produzida pela versões conflitantes no
para ser reconhecida.
parte. processo.
» Se houver receio, a pessoa que irá
2) Provocada: providenciada pelo » Possível para todos os
reconhecer não verá a reconhecida.
juiz sujeitos do processo.
» Neste ato, lavrar-se-á auto
» O documento tem aspectos: » Serão questionados a fim
pormenorizado + 2 testemunhas.
1) Impositivo: necessária de explicar a divergência
» Se o reconhecimento for em + de 1
comprovação do ato. (reduzido a termo o ato de
pessoa, serão separadas, pois não poderá
2) Constitutivo: meio para acareação).
haver comunicação entre eles.
constituir e validar o ato.
3) Probatório: meio de prova.

PROVA TESTEMUNHAL INDÍCIOS BUSCA E APREENSÃO


» Testemunha que reside em » Circunstâncias conhecidas e » Preserva as provas do crime
outra jurisdição: carta precatória. provadas, tendo relações com o para que não desapareçam e
⤷ cumprimento não suspende fato. tornem difícil seu aproveitamento
instrução. » Devem ser somadas com outras para instrução do processo.
» Toda pessoa pode ser e provas, pois sozinhos não ⤷ BUSCA: encontrar coisas ou
ninguém pode ser eximir de sustentam a sentença pessoas.
depor, salvo: condenatória. ⤷ APREENSÃO: apreender o bem
Cônjuge; Ascendente; » Presunções: não admitem que foi encontrado.
Descendente; Filho adotivo; provas em contrário. ⤷ DOMICILIAR: a autoridade policial,
irmão; pai e mãe. com mandado, apreenderá algo
a não ser que seja impossível ALTERAÇÕES DO PACOTE na casa/domicílio.
obter provas de outra maneira. ANTICRIME: ⤷ PESSOAL: quando existem
» PROIBIDAS DE DEPOR: ⤷ Art. 157 (suspenso pelo STF) suspeitas suficientes de alguém
Em razão de função, devam guardar possui arma de fogo, drogas ou
⤷ Art. 158, A ao F (cadeia de
segredo, salvo se forem outros objetos.
custódia).
desobrigadas. » As buscas domiciliares devem
Ex: médico, advogado. ser:
» COMPROMISSO DE FALAR A ⤷ Durante o dia, salvo
VERDADE: consentimento do morador.
Salvo: doentes e deficientes mentais;
⤷ O mandado deve ser lido antes
Menores de 14 anos; Cônjuge; Irmão;
de entrar na casa.
Pai; Mãe; Filho adotivo.

» Escuta especializada
» Depoimento especial
128
Prisão em Flagrante
Quando o agente está PRATICANDO ou ACABOU DE PRATICAR a infração penal.
ESPÉCIES DE FLAGRANTE » QUALQUER DO POVO pode efetuar tal prisão.
1) Próprio ou real (art. 302, I e II, CPP): ⤷ Flagrante facultativo.
Agente está praticando ou acabou de praticar a infração, » Autoridades policiais e seus agentes têm a
sendo encontrado no local dos fatos. obrigação de prender o imputado em situação de
2) Impróprio, irreal ou quase flagrante (art. 302, III, CPP): flagrância.
Agente é perseguido logo após a prática. ⤷ Flagrante obrigatório.
3) Presumido ou ficto (Art. 302, IV, CPP): » Art. 304, §4º, CPP
Agente não é perseguido, mas é encontrado com armas Deve constar no APF informações sobre a existência
de fogo. de filhos, com sua idade, se possuem deficiência,
4) Provocado ou preparado nomes e contato de responsável.
Agente é inválido.
É inválido. » O APF será encaminhado ao juiz no prazo de 24
Súmula 145, STF. horas, contadas da captura (a obrigatoriedade inserida
5) Esperado: é válido. O agente é investigado. pelo Pacote Anticrime se encontra suspensa pelo
6) Forjado: ilícito. O agente é vítima de abuso de
STF)
autoridade.
7) Retardado: protele-se o flagrante para que se opere no
» O juiz deverá promover a AUDIÊNCIA DE
momento considerado ideal
CUSTÓDIA com advogado ou membro do DP e
PRISÃO ILÍCITA = RELAXAMENTO membro do MP.

Prisão Preventiva (Art. 311, CPP)


REQUISITOS E CONDIÇÕES » É a medida excepcional, prisão de natureza cautelar que pode
ser decretada durante toda persecução penal.
1) Garantia da ordem pública:
» Cabível em qualquer fase da investigação policial ou do
⤷ Risco da prática de novas infrações.
processo penal (decretada pelo juiz a requerimento do MP, do
⤷ Gravidade da infração + repercussão social +
querelante ou do assistente, ou por representação da
periculosidade do agente.
autoridade policial).
2) Garantia da ordem econômica
» NÃO É MAIS POSSÍVEL A DECRETAÇÃO DE OFÍCIO
⤷ Acrescentada pela Lei Antitruste (Lei nº 8884/94)
PELO JUIZ.
3) Conveniência da instrução criminal
» OBS. 1: A decisão que decretar a prisão preventiva deve ser
4) Assegurar a aplicação da lei penal
motivada e fundamentada.
5) Perigo gerado pelo estado de liberdade do imputado » OBS. 2: Não será admitida a decretação da prisão preventiva
PRESSUPOSTOS com a finalidade de decorrência imediata de investigação,
1) Prova da existência do crime antecipação de cumprimento de pena e da apresentação ou
2) Indícios suficientes de autoria recebimento da denúncia.
3) Perigo gerado pelo estado de liberdade do imputado. » OBS. 3: O juiz pode revogar de ofício ou a pedido das partes,
» Substituição da preventiva pela domiciliar: no processo ou investigação. (Revisão da manutenção – 90 dias).
129
Hipóteses de substituição da prisão preventiva em domiciliar:

⤷ Maior de 80 (oitenta) anos


⤷ Extremamente debilitado por motivo de doença grave
⤷ Imprescindível aos cuidados especiais de pessoa menor de 6 (seis) anos de idade ou com deficiência
⤷ Gestante
⤷ Mulher com filho de até 12 (doze) anos de idade incompletos
⤷ Homem, caso seja o único responsável pelos cuidados do filho de até 12 (doze) anos de idade incompletos

Prisão Temporária
(Lei nº 7.960/89)
» Antes do deferimento, o juiz deve ouvir o MP. CABIMENTO
QUEM DECRETA? 1) Quando for imprescritível para as investigações
» Juiz: não pode de ofício. durante o inquérito.
» 24h: partir do recebimento da representação ou » A liberdade do indiciado deve oferecer risco concreto
requerimento. à investigação.
QUEM FAZ PEDIDO? 2) Quando o indiciado não tiver residência fixa ou não
1) Autoridade Policial: representação fornecer elementos necessários ao esclarecimento de
2) Ministério Público: requerimento sua identidade.
PRAZOS 3) Quando houver indícios de autoria ou da participação
1) GERAL: 5 dias (prorrogável, +5 dias) nos crimes (ROL TAXATIVO):
2) Crime hediondo ou equiparado: 30 dias, prorrogável » Homicídio doloso, sequestro ou cárcere privado;
+ 30 dias) » Roubo, extorsão ou extorsão mediante sequestro;
» Estupro, epidemia ou envenenamento de água ou
T T T = Tráfico; Tortura; Terrorismo alimento;
» Quadrilha, genocídio, tráfico;
» Só pode ser decretada durante o INQUÉRITO » Crimes contra o sistema financeiro;
POLICIAL. » Crimes previstos na Lei de Terrorismo.

Medidas Cautelares (Art. 282, CPP)


ALTERADO PELO PACOTE ANTICRIME DESCUMPRIMENTO
» §2º: Decretadas pelo juiz a requerimento das » §4º: O juiz a requerimento do MP, assistente ou querelante,
partes ou, se for na investigação, por representação PODE substituir a medida, impor outra cumulação ou decretar
da autoridade policial ou requerimento do MP. a prisão preventiva.
NÃO É POSSÍVEL DECRETAÇÃI DE OFÍCIO PELO JUIZ. REVOGAÇÃO ou SUBSTITUIÇÃO
» §3º: Recebida a intimação da parte contrária: 5 » §5º: de ofício ou a pedido das partes, verificar falta de
dias p/ manifestar, em casos de urgência ou de motivo para que subsista e pode voltar a decretá-la, se
perigo, deve haver a justificação e fundamentação sobrevierem razões que a justifiquem.
em decisão que contenha elementos do caso » §6º: a prisão preventiva será determinada quando NÃO for cabível
concreto que a justifiquem. a sua substituição por uma cautelar e o não cabimento da substituição
por outra medida será JUSTIFICADO, de forma INDIVIDUAL.
130
ALTERADOS PELO PACOTE ANTICRIME

» Art. 283: Ninguém poderá ser preso senão em flagrante delito ou por ordem escrita e fundamentada da autoridade
judiciária competente, em decorrência de prisão cautelar ou em virtude de condenação criminal transitada em
julgado.
» Art. 287 e 310: Quem realiza a audiência de custódia é o juiz das garantias e sobre a obrigatoriedade (verificar
suspensão do STF)
» Art. 311: Em qualquer fase da investigação policial ou do processo penal, caberá a prisão preventiva decretada pelo
juiz, a requerimento do Ministério Público, do querelante ou do assistente, ou por representação da autoridade
policial.
» Art. 312: Aumentou os requisitos para a decretação da prisão preventiva: perigo gerado pelo estado de liberdade
do imputado.
» Art. 313: Admissão da Prisão Preventiva.
» Art. 315: Motivação e fundamentação das decisões que decretem, substituam ou deneguem a prisão preventiva.
» Art. 316: Revogação da prisão preventiva.

Procedimentos do CPP
Procedimento Pena Privativa de Liberdade
Ordinário Máxima = ou > 4 anos
Sumário Máxima < 4 anos
Sumaríssimo Infrações de menor potencial ofensivo

DIFERENÇAS

Ordinário Sumário

Prazo para audiência 60 dias 30 dias

Nº de testemunhas 8 5

Pode pedir diligências


DEPOIS da audiência? Sim Não

Memoriais, substitui
debates? Sim Não
131
Procedimento bifásico
1ª FASE: Fase da acusação (Judicium Accusationis)
» Oferecimento Recebimento (citação do réu) Resposta à acusação Vista à
acusação (art. 409, CPP)

Audiência de instrução e julgamento:


- Ofendido, se for possível;
- Testemunhas de acusação/defesa; » Pronúncia (art. 413, CPP)
- Peritos, acareações, reconhecimento; » Impronúncia (art. 414, CPP)
- Interrogatório; » Desclassificação (art. 419, CPP)
- Debates orais (Art. 411, §3º, CPP) » Absolvição Sumária (art. 415, CPP)

2ª FASE: Fase da causa (Judicium Causae)

Oitiva do ofendido, e se tiver, testemunhas A/D,


acareações, reconhecimento, peritos, interrogatório
Intimação: 5 dias, arrolar testemunhas (art. 422, CPP)
do réu
Diligências: relatório (art. 423, CPP)
Debates Orais: 1h30 pra cada e 1 hora pra
réplica/tréplica (art. 476)
Processo em ordem: intimação:
(art. 431, CPP)
Juiz pergunta se os jurados estão preparados para
decidir (art. 480, §1º, CPP
Instalada a sessão (art. 447 e 463, CPP)
Sala especial (art. 485, CPP) Votação (art. 491,
CPP)
Jurados prestam compromisso: inicia a instrução
(art. 473)
SENTENÇA

132
IMPRONÚNCIA DESCLASSIFICAÇÃO ABSOLVIÇÃO SUMÁRIA PRONÚNCIA
» Juiz não reconhece: » Juiz não reconhece a » No final da instrução, após » Juiz faz o Juízo de
⤷ Materialidade existência de crime alegações finais. Admissibilidade
⤷ Indícios de autoria e doloso contra a vida. » Vista como SENTENÇA! Juízo de Prelibação: admite a
participação » Remetido ao juízo FAZ COISA JULGADA acusação sem análise do
» NATUREZA JURÍDICA: FORMAL E MATERIAL mérito, nem valorando.
competente:
Decisão Interlocutória » Hipóteses: art. 415, CPP ⤷ Verifica presença de
1 vara: remete
Mista Terminativa ⤷ Provada a existência do FUMUS BONI IURIS
+ de 1 vara: distribuição
» Prática de crime doloso contra
FAZ COISA JULGADA » Faz a capitulação fato a vida.
FORMAL desclassificando sem⤷ Provado que não é o autor, » Indícios de autoria e
» Pode nova denúncia ou julgar o mérito. nem partícipe participação.
nova queixa com NOVAS ⤷ O fato não é infração penal » Pronúncia fundamentando isso.
PROVAS, se não ocorrer » EMENDATIO LIBELLI: ⤷ Causa de isenção de pena » NATUREZA JURÍDICA:
extinção da punibilidade. Tipificação errada ou exclusão do crime Decisão Interlocutória Mista
» Reinicia o processo com Juiz aponta a certa (Art. » Isenção de pena Não Terminativa
nova peça acusatória 383) Excludentes de culpabilidade FAZ COISA JULGADA
» CRIME CONEXO: Ex: Inimputabilidade, FORMAL
Impronuncia o crime doloso » MUTATIO LIBELLI: inexigibilidade de conduta, » REQUISITOS:
contra a vida Fatos narrados na inicial coação e erro de proibição. 1) Demonstrar juízo de
Remete ao juízo diferentes da instrução ⤷ EXCEÇÃO DE certeza (tentado ou
competente o conexo. Remete ao MP para INIMPUTABILIDADE: consumado)
» DESPRONÚNCIA: 2) Indícios suficientes: prova
editar a peça inaugural. Absolvição sumária imprópria
semiplena. Não precisa
revogação da pronúncia » Conflito negativo: Anomalia psíquica: M.S.
Semi-imputabilidade: pronúncia certeza.
Impronúncia: 1º grau Tribunal decide.
e pena reduzida » Eloquência acusatória:
Despronúncia: 2º grau
» Exclusão do crime Juiz pronuncia com excesso
» RECURSO: » RECURSO: de linguagem (nulidade da
APELAÇÃO RESE Excludentes de ilicitude
pronúncia) ou argumento de
» Possibilidade de recurso » Indícios de autoria ou Ex: Estado de necessidade,
autoridade (nulidade do
pelo acusado por interesse participação de pessoas Legítima Defesa, Aborto julgamento)
em ser absolvida que não estão na permitido. » Pronuncia sobre:
sumariamente. acusação. Volta pro MP » Absolvição sumária QUALIFICADORAS
para retornar em 15 dias. imprópria CAUSAS DE AUMENTO
Anomalia psíquica: MS » Jurados recebem:
» Semi-imputabilidade: pena 1) Cópia da denúncia,
reduzida pronúncia, relatório e
» CRIME CONEXO: decisões posteriores (juiz
Recai sobre o doloso. sumariante)
Conexo: remetido ao juízo » RECURSO:
competente. RESE
» RECURSO: APELAÇÃO » Não houver ou for
Acusado não pode recorrer provido » PRECLUSÃO »
Acabou o recurso de ofício JULGAMENTO
OBS. PRONÚNCIA: Em regra, não se pode
modificar a preclusão.
EXCEÇÂO circunstância superveniente » vai para
o MP » MUTATIO LIBELLI ANTES DA 133
SENTENÇA
ALTERADO PELO PACOTE ANTICRIME
Procedimento do júri (Art. 492)
Execução provisória da pena privativa de liberdade
⤷ Permite essa execução em julgamentos do júri
⤷ §3º: Excepcionalmente o Presidente pode deixar de autorizar a execução provisória das penas
⤷ §4º: A apelação contra decisão do júri a uma pena = ou > 15 anos de reclusão NÃO TERÁ EFEITO SUSPENSIVO
⤷ §5º: Hipóteses de atribuição do efeito suspensivo ao recurso de apelação
⤷ §6º: O pedido de concessão de afeto suspensivo poderá ser feito INCIDENTALMENTE NA APELAÇÃO OU POR
MEIO DE PETIÇÃO EM SEPARADO.

Citações e Intimações
Por Mandado: pessoalmente, acusado no território da
*NÃO PODE VIA POSTAL
1) CITAÇÃO: jurisdição do juiz processante. » Réu preso.
Por Carta Precatória: acusado em território de outra
a) Real ou Pessoal
comarca.
Oficial de Justiça
Não suspense/interrompe o prazo prescricional.
Realizada diretamente na pessoa
Por Carta Rogatória: suspende o prazo prescricional até
do acusado
o cumprimento.
Por Requisição: Acusado MILITAR.
b) Ficta ou Presumida:
⤷ Por edital: se o réu não for
encontrado no prazo de 15 dias. Militar: feita por intermédio do chefe do respectivo
Hipóteses: serviço.
I- Lugar inacessível (epidemia, guerra): 15 a 90 dias.
II- Pessoa incerta: 30 dias Funcionário Público: citado indicando o dia do
Se o causado não comparecer: processo e prazo comparecimento em juízo. O chefe da repartição receberá
prescricional suspensos, juiz pode pedir produção notificação do dia e hora designados.
antecipada de provas e decretar prisão preventiva.
III- Réu se oculta: 5 dias.
⤷ Por hora certa
» Revelia: processo segue sem a presença do
acusado se mesmo citado, não comparecer.

2) INTIMAÇÃO: Dá conhecimento às partes de ato processual


que já aconteceu no processo.

3) NOTIFICAÇÃO: É o chamamento para realizar ato processual.


134
1) REEXAME: Recursos 5) EFEITOS:
Decisão proferida pelo juiz pode ser submetida a 1) Devolutivo
reexame para Tribunal, salvo na absolvição sumária. 2) Suspensivo
2) FUNGIBILIDADE RECURSAL: 3) Extensivo
O juiz pode conhecer um recurso pelo outro, caso a 4) Regressivo
parte ingresse com o recurso errado. 6) FORMAS DE INTERPOSIÇÃO:
O magistrado ou Tribunal pode conhecer o recurso 1) Por termo nos autos (assinado pelo recorrente ou
interposto e determinar seu processamento de por seu representante).
acordo com o rito correto. 2) Por petição
3) MINISTÉRIO PÚBLICO: 7) PRAZOS:
Pode recorrer de todas as decisões proferidas pelo 1) Correm em cartório
juiz, porém, após manifestar-se, não pode desistir. 2) São contínuos
4) EXTINÇÃO: 3) São peremptórios
1) Deserção: o réu apela e foge antes do Tribunal 4) Exclui o 1º dia e inclui o último
julgar a apelação. 5) Defensoria possui prazo em dobro para interpor
Réu apela e não efetiva o pagamento das custas. recurso.
2) Desistência: só o réu ou o querelante podem
desistir.

1) AGRAVO DE INSTRUMENTO 4) APELAÇÃO COMUM OU DO JÚRI:


» Art. 28, Lei nº 8.038/90 » Art. 593
» CABIMENTO: quando for denegado o recurso » CABIMENTO: sentenças definitivas condenatórias,
extraordinário ou recurso especial. absolutórias ou desclassificatórias de 1º grau.
» ENDEREÇAMENTO: STF ou STJ, a petição irá para a » PRAZO: 5 dias para interposição, a contar da intimação e 8
presidência do tribunal de origem. dias para razões e contrarrazões.
» PRAZO: 5 dias. 5) APELAÇÃO DA LEI 9.099/95:
2) AGRAVO EM EXECUÇÃO: » Art. 82
» Art. 197, LEP » CABIMENTO: Sentenças definitivas condenatórias;
» CABIMENTO: decisões proferidas pelo juiz da vara de Transação penal; Decisão que não receber denúncia ou
execuções criminais. queixa-crime.
» PRAZOS: 5 dias para interposição e 2 para razões e » PRAZO: 10 dias da intimação, interposição e razões juntas.
contrarrazões 6) CARTA TESTEMUNHÁVEL:
3) AGRAVO REGIMENTAL: » CABIMENTO: decisão que denegar recurso ou mesmo
» Art. 204, RI do Tacrim admito, não vai à instância superior.
» CABIMENTO: despacho do relator que deixar de receber » PRAZO: 48 horas.
embargos infringentes, de nulidade, declaratórios e de 7) CORREIÇÃO PARCIAL:
revisão criminal. » Art. 118, RI do Tacrim
» PRAZO: 5 dias » CABIMENTO: decisões de juízes de 1º grau que importem
em erro, abuso de poder ou inversão tumultuária do processo.
» ENDEREÇAMENTO: 5 dias
135
8) EMBARGOS DE DECLARAÇÃO: 14) RECURSO ESPECIAL:
» Art. 619 » Art. 105, III, a até c, CF
» CABIMENTO: acórdão ambíguo, contraditório, » CABIMENTO: decisões que forem contrárias à lei
omisso ou obscuro. ou tratado federal.
» PRAZO: 2 dias, 1 peça. » PRAZO: 15 dias
9) EMBARGOS INFRIGENTES E DE NULIDADE: 15) RECURSO EXTRAORDINÁRIO:
» Art. 609, p.ú. » Art. 102, III, a até c, CF
» CABIMENTO: não for unânime a decisão de 2º » CABIMENTO: decisões que contrariem dispositivo
instância desfavorável ao réu e a divergência versar constitucional.
sobre o mérito ou sobre matéria processual. » PRAZO: 5 dias. 2 peças.
OBS: privativos de defesa; embargos infringentes ou 16) RECURSO ORDINÁRIO CONSTITUCIONAL:
de nulidade serão restritos à matéria divergente. » Art. 105, II, a, CF
» PRAZO: 10 dias, 2 peças. » CABIMENTO: decisões denegatórias de habeas
10) HABEAS DATA: corpus proferidas em 2º instância.
» Art. 5, LXXII, CF » PRAZO: 5 dias. 2 peças.
» Liberdade de dados.
» PRAZO: não tem prazo.

11) MANDADO DE INJUNÇÃO:


» Art. 5, LXXI, CF
» CABIMENTO: falta de norma reguladora que torne
inviável o exercício de direitos. 17) RECURSO ORDINÁRIO CONSTITUCIONAL:
» PRAZO: não tem prazo. » Art. 102, II, a, CF
12) PROTESTO POR NOVO JÚRI: » CABIMENTO: decisões denegatórias de habeas
» Art. 607 corpus proferidas pelo STJ.
» CABIMENTO: privativo de defesa, decisões » ENDEREÇAMENTO: STF.
condenatórias do Tribunal do Júri, a uma pena = ou > » PRAZO: 5 dias. 2 peças.
20 anos por 1 só crime.
» PRAZO: 5 dias, 1 peça. ALTERADO PELO PACOTE ANTICRIME
13) RESE: Art. 581: Caberá recurso, no sentido estrito, da
» Art. 581 decisão, despacho ou sentença:
» CABIMENTO: despacho, decisão ou sentença XXV - que recusar homologação à proposta de
acordo de não persecução penal, previsto no art. 28-
interlocutória.
A desta Lei.
Taxativo.
» PRAZO: 5 dias para interposição e 2 dias para razões
Art. 638: O recurso extraordinário e o recurso
e contrarrazões.
especial serão processados e julgados no STF e no
STJ na forma estabelecida por leis especiais, pela lei
processual civil e pelos respectivos regimentos
internos.

136
Ações autônomas de impugnação
HABEAS CORPUS MANDADO DE SEGURANÇA
» Art. 647 a 667 » Art. 5, LXIX, CF
» CABIMENTO: alguém » CABIMENTO: proteger direito líquido e certo, não amparado por HC e HD.
estiver sofrendo, ou se » HIPÓTESES:
achar na iminência de ⤷ Negado requerimento para instauração de IP; Negado direito ao adv. Se comunicar com o
sofrer, constrangimento preso; Determinada a incomunicabilidade; Negado ao adv. O acesso aos autos do IP sigiloso;
ilegal em sua liberdade de Nova realização de diligências acoimadas de ilegitimidade; indeferimento de exame pericial ou
locomoção. sua renovação requerida pelo interessado; Obter efeito suspensivo em recursos; Contra
decisão preclusa e a coisa julgada; Situação de extrema excepcionalidade, em substituição de
⤷ Não é cabível em
recurso que deveria ter sido regularmente interposto por M.S.
punição disciplinar.
» PRAZO: 120 dias, a contas do ato coator.
⤷ Pode ser impetrado
por qualquer pessoa,
inclusive pelo MP em REVISÃO CRIMINAL
favor do réu, mesmo » Art. 621
sem procuração. » Não é recurso; Ação de natureza constitutiva complementar; Privativa de defesa.
» PRAZO: não tem prazo. » CABIMENTO: sentença condenatória transitada em julgado.
» EX: surgirem novas provas, quando a sentença se fundar em depoimento falso, etc.
» PRAZO: não tem prazo. 1 peça.

Interceptação telefônica
Lei nº 9.296/96
REQUISITOS
» É a captação da comunicação telefônica por uma 1) Ordem judicial fundamentada
terceira pessoa, SEM o consentimento dos ⤷ Prévio; Será nulo se o juiz for incompetente;
interlocutores. ⤷ Decretação inviável para iniciar investigação
» Modalidades: telefônica ou ambiental. 2) Tipos de infração
» Deve ser clara a situação do objeto da investigação, ⤷ Só é cabível a decretação para delitos com reclusão
inclusive com a indicação e qualificação dos ⤷ NÃO é cabível em crimes de responsabilidade
investigados, salvo impossibilidade manifesta e
justificada. » EXCEPCIONAL, só cabe no âmbito criminal
» AUTORIZAÇÃO JUDICIAL: » Conversas entre cliente e advogado são
⤷ A interceptação depende de ordem do juiz admissíveis?
competente, sob segredo de justiça. Não, salvo se o advogado estiver envolvido em crime
QUANDO NÃO É ADMISSÍVEL? investigado.
1) NÃO houver indícios razoáveis de autoria ou REQUERIMENTO:
participação em infração penal. ⤷ Durante o inquérito: delegado ou MP
2) A prova puder ser feita por outros meios ⤷ Durante a instrução: MP
disponíveis 137
3) O fato investigado constituir, infração penal punida,
no máximo, com pena de detenção.
» Pode ser determinada pelo juiz de ofício ou a GRAVAÇÕES RELEVANTES
requerimento. ⤷ São transcritas e irão integrar o resultado da
PRAZOS interceptação a ser enviado ao magistrado, em
» 24h: é o prazo para o juiz decidir sobre o pedido da conjunto com auto circunstanciado elaborada pela
interceptação autoridade judicial.
» 15 dias: prazo máximo de duração da interceptação. GRAVAÇÕES IRRELEVANTES
» PODE SER PRORROGADO? ⤷ A gravação que não interessar à prova deve ser
⤷ Sim, por igual período. inutilizada por decisão judicial (durante o inquérito
⤷ STF: esse prazo pode ser renovado policial, durante a instrução processual ou após esta),
INDEFINIDAMENTE, desde que comprovada a através de requerimento do MP ou da parte
INDISPENSABILIDADE. interessada.
COMPETÊNCIA INTERCEPTAÇÃO: captação por 3º pessoa, SEM
Regra: competência da Justiça ESTADUAL conhecimento dos interlocutores.
Exceção: da Justiça FEDEREAL, se perpetrada por
funcionário público federal no exercício do cargo. ESCUTA: captação por 3º pessoa COM o
CRIME conhecimento de UM dos interlocutores
Art. 10: Ação Penal Pública Incondicionada
GRAVAÇÃO: gravação da comunicação realizada
diretamente por UM dos interlocutores.

Organização Criminosa
Lei nº 12.850/13
» Associação de 4 ou mais pessoas
» Ordenadas e com tarefas divididas Aumenta de 1/6 a 2/3 se:
» Infrações com penas máximas > 4 anos ou infrações ⤷ Participação de criança ou adolescente
⤷ Concurso de funcionário público, valendo-se
transnacionais
a organização criminosa dessa condição
» Infrações penais previstas em tratados ou
⤷ Produto ou proveito destina-se ao exterior,
convenções quando iniciada a execução no país, o
no todo ou em parte
resultado ocorra ou deva ocorrer no estrangeiro, e ⤷ Conexão com outras organizações
vice-versa criminosas independentes
» Organizações terroristas ⤷ Circunstâncias de fato evidenciam a
transnacionalidade.
» Promover, constituir, financiar, integrar organização
criminosa e/ou impedir ou embaraçar investigação. » FUNCIONÁRIO PÚBLICO?
⤷ PENA: 3 a 8 anos + multa ⤷ Juiz pode determinar afastamento cautelar
⤷ Se for com arma de fogo, pode ser aumentada até SEM prejuízo da remuneração.
a metade. ⤷ Transitada em julgado a condenação, perde
⤷ Agravada para quem comanda o cargo e é interditado para exercer função
ou cargo público de 8 anos após cumprimento
da pena.
138
Lei de drogas
DENÚNCIA

Art. 55, caput, Lei de Tóxicos


Notificação para oferecer Defesa Prévia (Defesa
Preliminar).
Prazo: 10 dias

Defesa Preliminar Se for indispensável, o juiz poderá, no prazo máximo de


Conclusão do Juiz (decidirá em 5 dias) 10 dias, determinar a apresentação do preso, diligências,
exames e perícias.

No caso de condutas do art. 33, caput, §1º, 34 e 37 desta lei, o juiz


Recebimento da denúncia poderá, após receber a denúncia, decretar o afastamento cautelar
do denunciado de suas atividades, se for funcionário público,
comunicando ao órgão respectivo.

Audiência de instrução e julgamento


Interrogatório
Oitiva das testemunhas (5)
MP e Defesa Oral (20min +10min)
Sentença

Procedimentos da Execução Penal


PROGRESSÃO REGRESSÃO

» Fechado » Aberto
» Semiaberto » Semiaberto
» Aberto » Fechado

» Art. 112, LEP » Art. 118, LEP


» NÃO admite progressão em saltos » Admite regressão em saltos

139
ALTERADO PELO PACOTE ANTICRIME:

PROGRESSÃO DE REGIME (Art. 112)

» Caput: A PPL pode ser executada com transferência para regime menos rigoroso, determinado pelo juiz, quando
o preso cumprir:
I- 16% (primário e crime sem violência e grave ameaça);
II- 20% (reincidente e crime sem violência e grave ameaça);
III- 25% (primário e crime com violência e grave ameaça);
IV- 30% (reincidente com violência e grave ameaça);
V- 40% (primário e crime hediondo/equiparado);
VI- 50% (a) primário e crime hediondo/equiparado, VEDADO livramento condicional / b) Comando de organização
criminosa / c) Milícia privada);
VII- 60% (reincidente e crime hediondo/equiparado);
VIII- 70% (reincidente e crime hediondo/equiparado com resultado morte, VEDADO livramento condicional).
» O apenado só terá direito a progressão, se tiver boa conduta.
» A decisão do juiz que a determinar deve ser sempre motivada e precedida de manifestação do MP e Defensor.
» NÃO É CONSIDERADO HEDIONDO O CRIME DE TRÁFICO PRIVILEGIADO!
» Cometida falta grave: interrupção do prazo para progressão, o reinício será baseado na pena remanescente.

Saída Temporária
» Art. 122, LEP CONDIÇÕES
» Condenados em regime semiaberto 1) Endereço da família ou onde poderá ser
» SEM vigilância direta encontrado.
» Em caso de: 2) Recolhimento noturno à residência visitada
1) Visita à família; 3) Proibição de frequentar bares, casas noturnas e
2) Para frequentar curso supletivo profissionalizante, congêneres
2º ou 3º grau; ALTERADO PELO PACOTE ANTICRIME
3) Atividades que concorram para o retorno ao
» Art. 122, §2º: Não terá direito à saída temporária
convívio social.
que se refere o caput deste artigo o condenado
QUEM CONCEDE?
que cumpre pena por praticar crime hediondo com
O juiz, por ato motivado. Ouvido o MP e a resultado morte.
Administração Penitenciária CANCELAMENTO AUTOMÁTICO
REQUISITOS
1) Prática de crime doloso
1) Comportamento adequado 2) Punição por falta grave
2) Cumprimento mínimo de 1/6, se primário 3) NÃO observância de condição imposta ou baixo grau
3) Cumprimento mínimo de ¼, se reincidente de aproveitamento no curso
4) Compatibilidade do benefício com os objetivos PODE RECUPERAR SE:
da pena Absolvição no Processo Penal; Cancelamento da
punição e demonstração de merecimento. 140
Saída Temporária x Permissão de Saída
Art. 122, LEP Art. 120 e 121, LEP
1) A ausência será autorizada por tempo 1) Não há tempo determinado
determinado (tempo máximo de 7 dias.); 2) Regime fechado e semiaberto
2) Regime semiaberto 3) Para presos provisórios
3) Não tem essa previsão 4) Mediante ESCOLTA
4) SEM vigilância direta 5) Em casos de falecimento, doença grave
5) Em casos de visita à família, curso do CCADI ou necessidade de tratamento
profissionalizante ou atividades que concorram médico
para o retorno ao convívio social 6) Concedida pelo Diretor do
6) Concedida pelo Juiz da Execução estabelecimento
7) Prazo: Até 7 dias e 5x por ano (exceto: 7) Prazo: o necessário à finalidade da saída
tempo necessário do curso)

ALTERADO PELO PACOTE ANTICRIME


LEI DE EXECUÇÃO PENAL
» IDENTIFICAÇÃO DO PERFIL GENÉTICO
Art. 9-A: Vetou o caput e os §5, 6 e 7.
Modificou o §1º, §3 e §4 e principalmente o §8º: afirma constituir FALTA GRAVE a RECUSA do condenado em
submeter-se ao procedimento de identificação do perfil genético.
» RDD
Art. 52: o caput afirma que pode ser submetido a nacional ou estrangeiro agora.
I- Duração máxima aumentou para 2 anos
II- Recolhimento em cela individual
III- As visitas passaram a ser QUINZENAIS, em lugar que impeça contato físico e passagem de objetos.
IV- Direito à saída permanece de 2h mas agora em grupos de até 4 presos.
V- Entrevistas monitoradas
VI- Fiscalização do conteúdo da correspondência
VII- Audiências por videoconferência
§1º: O RDD será aplicado a presos de alto risco para ordem a segurança da prisão, envolvidos em organizações
criminosas ou milícia privada (INDEPENDE de falta grave);
§3º: Em caso de preso que lidere as organizações, deve cumprir o RDD OBRIGATORIAMENTE em prisão federal.
§4º: Prorrogação sucessiva por períodos de 1 ano, existindo indícios.
§5º: RDD deve ter segurança interna e externa
§6º: Visitas serão gravadas em áudio ou vídeo, com autorização judicial;
§7º: Após 6 meses de RDD, se o preso não receber visita, deve agendar previamente uma ligação (que será
gravada), com familiar, 2 vezes por mês durante 10 minutos.

141
Prisão Domiciliar
Art.317, CPP.
» A prisão domiciliar consiste no recolhimento do » HIPÓTESES DE APLICAÇÃO:
indiciado ou acusado em sua residência, só ⤷ Medida de prevenção judicial: o réu fica proibido de sair de
podendo dela ausentar-se com autorização judicial. casa até ser julgado (substitui a prisão preventiva);
» SUBSTITUIÇÃO DA PREVENTIVA PELA ⤷ Como medida de pena: em casos já julgados, após o réu
DOMICILIAR ter cumprido parte da pena na cadeia (substitui a casa do
(Juiz EXIGE prova idônea desses requisitos): albergado).
⤷ Maior de 80 (oitenta) anos
⤷ Extremamente debilitado por motivo de doença » O condenado não pode continuar em regime mais grave
grave se a lei garantir um regime menos rigoroso.
⤷ Imprescindível aos cuidados especiais de pessoa ⤷ Entendimento dos Tribunais: conceder o cumprimento nos
menor de 6 (seis) anos de idade ou com regimes abertos e semiabertos em regime domiciliar nas
deficiência hipóteses em que não existe local adequado para o
⤷ Gestante cumprimento da pena em razão de omissão ou inépcia do
⤷ Mulher com filho de até 12 (doze) anos de idade Estado.
incompletos
⤷ Homem, caso seja o único responsável pelos » O condenado pode ser obrigado a usar aparelho de
cuidados do filho de até 12 (doze) anos de idade monitoração eletrônica.
incompletos

Anistia Graça Indulto


» Caráter coletivo
» Competência: União, portanto, do Congresso » Benefício individual
Nacional (art. 22, I, CF)
» NÃO pode ser concedida por medida provisória » Concedido espontaneamente pelo
» Concedido mediante Estado.
» Pode ser: provocação da parte
1) Especial (crimes políticos); interessada. » A graça e o indulto são de
2) Comum (crimes não políticos); competência PRIVATIVA do Presidente
3) Própria (concedida antes do trânsito em da República (art. 84, XII, CF).
julgado); ⤷ Pode delegar para os ministros do
4) Imprópria (concedida depois do trânsito em
Estado, ao Procurador-Geral da República
julgado);
ou ao Advogado-Geral da União (art. 84,
5) Geral ou plena (menciona os fatos e atinge a
todos que os cometeram); parágrafo único, CF).
6) Parcial ou restrita (menciona fatos, mas exige
o preenchimento de alguma condição pessoal do » Súmula 631, do STJ: O indulto extingue
criminoso, como a primariedade); apenas os efeitos PRIMÁRIOS da
7) Incondicionada ou irrestrita (não exige o condenação (pretensão de execução) e
atendimento de nenhum requisito); NÃO extingue os efeitos SECUNDÁRIOS,
8) Condicionada ou restrita (exige o atendimento penais e extrapenais.
a certos requisitos, pode ser recusada pelo
anistiado).
» Se concedida, NÃO pode ser revogada. 142
Súmula 90: Compete à Justiça Estadual Militar processar
Súmulas do STF e julgar o policial militar pela prática do crime militar, e à
Comum pela prática do crime comum simultâneo àquele.
Súmula 145: Não há crime, quando a preparação do Súmula 107: Compete à Justiça Comum Estadual
flagrante pela polícia torna impossível a sua consumação. processar e julgar crime de estelionato praticado
Súmula 146: A prescrição da ação penal regula-se pela mediante falsificação das guias de recolhimento das
pena concretizada na sentença, quando não há recurso contribuições previdenciárias, quando não ocorrente
da acusação. lesão à autarquia federal.

Súmula 556: É competente a justiça comum para julgar Súmula 122: Compete à Justiça Federal o processo e
as causas em que é parte sociedade de economia mista. julgamento unificado dos crimes conexos de
competência federal e estadual, não se aplicando a regra
Súmula 594: Os direitos de queixa e de representação do art. 78, I , a, do CPP.
podem ser exercidos, independentemente, pelo
ofendido ou por seu representante legal. Súmula 151: A competência para o processo e julgamento
por crime de contrabando ou descaminho define-se pela
Súmula 702: A competência do Tribunal de Justiça para prevenção do Juízo Federal do lugar da apreensão dos
julgar Prefeitos restringe-se aos crimes de competência bens.
da Justiça comum estadual; nos demais casos, a
competência originária caberá ao respectivo tribunal de Súmula 172: Compete à Justiça Comum processar e
segundo grau. julgar militar por crime de abuso de autoridade, ainda que
praticado em serviço.
Súmula 707: Constitui nulidade a falta de intimação do
denunciado para oferecer contrarrazões ao recurso Súmula 200: O Juízo Federal competente para
interposto da rejeição da denúncia, não a suprindo a processar e julgar acusado de crime de uso de
nomeação de defensor dativo. passaporte falso é o do lugar onde o delito se consumou.

Súmula 710: No processo penal, contam-se os prazos da Súmula 244: Compete ao foro do local da recusa
data da intimação, e não da juntada aos autos do processar e julgar o crime de estelionato mediante
mandado ou da carta precatória ou de ordem. cheque sem provisão de fundos.

Súmula 711: A lei penal mais grave aplica-se ao crime Súmula 542: A ação penal relativa ao crime de lesão
continuado ou ao crime permanente, se a sua vigência é corporal resultante de violência doméstica contra a
anterior à cessação da continuidade ou da permanência. mulher é pública incondicionada.

Súmulas do STJ
Súmula 38: Compete à Justiça Estadual Comum, na
vigência da CF/88, o processo por contravenção penal, Alterações Legislativas
ainda que praticada em detrimento de bens, serviços ou
interesse da União ou de suas entidades. Lei 13.721/2018: estabelece que será dada prioridade à
realização do exame do corpo de delito quando se tratar
Súmula 42: Compete à Justiça Comum Estadual
de crime que envolva violência doméstica e familiar
processar e julgar as causas cíveis em que é parte
contra a mulher ou violência contra criança, adolescente,
sociedade de economia mista e os crimes praticados em
idoso ou pessoa com deficiência.
seu detrimento.
Lei 13.769/2018: estabelece a substituição da prisão
Súmula 73: A utilização de papel moeda grosseiramente
preventiva por prisão domiciliar da mulher gestante ou
falsificado configura, em tese, o crime de estelionato, da
que for mãe ou responsável por crianças ou pessoas
competência da Justiça Estadual.
com deficiência e para disciplinar o regime de
cumprimento de pena privativa de liberdade de
condenadas na mesma situação.
143
Art. 318-A: A prisão preventiva imposta à mulher
gestante ou que for mãe ou responsável por crianças
ou pessoas com deficiência será substituída por prisão
domiciliar, desde que:
I- Não tenha ocorrido crime com violência ou grave
ameaça a pessoa;
I - Não tenha cometido o crime contra seu filho ou
dependente.
Art. 318-B: A substituição de que tratam os arts. 318 e 318-
A, poderá ser efetuada sem prejuízo da aplicação
concomitante das medidas alternativas previstas no art.
319 deste Código.

Jurisprudências:
Compete à Justiça Eleitoral julgar os crimes eleitorais e
os comuns que lhes forem conexos.
Cabe à Justiça Eleitoral analisar, caso a caso, a existência
de conexão de delitos comuns aos delitos eleitorais e,
não havendo, remeter os casos à Justiça competente.
STF. Plenário. In q. 4435 AgR-quarto/DF, Rel. Min. Marco
Aurélio, julgado em 13 e 14/3/2019 (Info 933).
É inconstitucional dispositivo da Constituição Estadual que
confere foro por prerrogativa de função, no Tribunal de
Justiça, para Procuradores do Estado, Procuradores da
ALE, Defensores Públicos e Delegados de Polícia.
STF. Plenário. ADI 2553/MA, Rel. Min. Gilmar Mendes, red.
p/ o ac. Min. Alexandre de Moraes, julgado em 15/5/2019
(Info 940).

144
7.
DIREITO
DO
TRABALHO

@contemdireito_
145
Contrato Individual de Trabalho
1) CONCEITO: 3) CARACTERÍSTICAS:
» Acordo tácito ou expresso correspondente a ⤷ Consensual
relação de emprego. ⤷ Bilateral
» Prestação de serviços de pessoa física ou jurídica ⤷ Trato sucessivo
» Vínculo empregatício (elementos): ⤷ Sinalagmático
1) Pessoalidade ⤷ Oneroso
2) Habitualidade 1) Por prazo indeterminado:
3) Subordinação ⤷ É a regra
4) Objeto lícito ⤷ Em função do princípio da continuidade da relação
5) Onerosidade de emprego.
2) DURAÇÃO DO CONTRATO: 2) Por prazo determinado:
» É acordado no contrato ⤷ Possui prazo máximo de 2 anos
» Tácita ou expressa ⤷ Permite uma única prorrogação desde que a soma
» Verbal ou escrita dos períodos não ultrapasse 2 anos.
» Art. 443, CLT: ⤷ Extrapolado: prazo ou prorrogado mais de uma vez,
a) Prazo determinado torna automaticamente por prazo indeterminado.
b) Prazo indeterminado ⤷Na rescisão ao término do prazo não tem aviso
c) Trabalho intermitente prévio, nem multa de 40% do FGTS.

Contrato de experiência
» Art. 443, §2º: O contrato por prazo determinado só será válido se tratando de: c) Contrato de experiência
» Art. 443, parágrafo único: O contrato de experiência NÃO poderá exceder 90 dias.
» Permite uma única prorrogação desde que a soma dos períodos não ultrapasse 90 dias.
» Na rescisão ao último não há aviso prévio, nem multa de 40% do FGTS.
» Não é regra, fica a critério da empresa.

IDADE MÍNIMA: IDADE MÍNIMA: IDADE MÍNIMA:


» Empregada doméstica: 18 anos » Empresa-mãe e empresas-irmãs » Sai da sociedade da pessoa jurídica
» Aprendiz: 14 anos » P.J. próprias; » Responde subsidiariamente
» Trabalho no subsolo: 21 anos. » CNPJ próprias » Responsabilidade limitada até 2
» Único contrato de trabalho anos da averbação da modificação
(Responsabilidade SOLIDÁRIA ativa). do contrato
» Fraude: Responsabilidade solidária

146
TRABALHO TEMPORÁRIO TRABALHO TERCEIRIZADO
» Pessoa física » Transferência da execução de
» Empresa de trabalho temporário Terceirização serviços.
(ETT) SUJEITOS
CARACTERÍSTICAS: Lei 6.019/74 1) EPS; 2) Trabalhador; 3) Contratante
1) Não substitui trabalhadores em » É o processo de descentralização CARACTERÍSTICAS
greve das atividades da empresa. 1) Permite a quarteirização;
» Contratação de serviços por
2) Meio urbano ou rural 2) Impede a caracterização e o vínculo
meio de uma empresa
3) Contrato formal intermediária. empregatício com o tomador;
4) Prazo: 270 dias (REGRA: 180, Responsabilidade: 3) Permite pagamento de salários
prorrogável por 90). ⤷ ETT: subsidiário inferiores aos empregadores;
HIPÓTESES Falência: solidária 4) Proibida a contratação de
⤷ EPS: lícita: subsidiária terceirizada com sócios que tenham
1) Necessidade de substituição
Ilícita: solidária
transitória prestado serviços a contratante nos
2) Demanda complementar de últimos 18 meses, salvo se aposentado.
serviços Súmula 331, IV, TST 5) Não é permitido o trabalho como
SUJEITOS Terceirização lícita: terceirizado, de ex-empregador pelo
1) ETT; 2) Trabalhador 3) Contratante responsabilidade SUBSIDIÁRIA prazo de 18 meses da demissão.
OBS: Os temporários recebem o Terceirização ilícita: » EPS: Empresa prestadora de serviço.
mesmo salário dos outros Responsabilidade SOLIDÁRIA.
empregadores (Art. 12, a, Lei
6.019/74)

Teletrabalho
Empregado Presencial para Lei nº 13.467/17 (Reforma Trabalhista) JORNADA:
Teletrabalhador Art. 75-A a 75-E Os teletrabalhadores NÃO têm
» Requisitos: direito a:
» É o trabalhador que desenvolve seus
1) Mútuo consentimento 1) Remuneração além das 44h
serviços preponderantemente fora da
2) Aditivo contratual semanais.
sede da empresa.
Teletrabalhador para Empregado 2) Adicional noturno
Presencial 3) Repouso semanal remunerado
OBS: O comparecimento na empresa
» Requisitos: 4) Intervalos intrajornada e
para realização de atividades específicas
1) Determinação do empregador interjornada.
não descaracteriza o regime de trabalho.
2) Prazo de transição de no
» São devidos:
mínimo 15 dias. TRABALHADORES RURAIS
1) Férias com 1/3
3) Aditivo contratual
2) Folga semanal remunerada » Trabalho noturno
» Segurança:
3) 13º salário ⤷ 21h às 5h: Lavoura
⤷ Instruções pelo empregador
4) Aviso prévio ⤷ 20h às 4h: Pecuária
assinadas no termo de
5) Licença-maternidade/paternidade, etc.
responsabilidade.

147
Interrupção Alteração Suspensão

S em salário
em tempo de serviço
» Não é admitida se prejudicar o
trabalhador. I nclui salário
nclui tempo de serviço
» Os trabalhadores contratados após
» Cessação temporária pelo alteração, não podem arguir prejuízo » Cessação temporária
empregado. com relação a normas contratuais » Vínculo empregatício se mantem
» Mantem-se o pagamento de salário. anteriores. » Não ocorre pagamento de salário e
EXEMPLOS: » Requisitos: prestação de serviços.
1) Faltas justificadas 1) Consentimento do empregado Ex: auxílio-doença acidentário ou
2) Férias 2) Ausência de prejuízo aposentadoria por invalidez.
3) Licenças » REVERSÃO: ⤷ Mantem plano de saúde.
4) Eleições Ex: prestação de serviço militar
Possível retorno do cargo de
5) Aborto obrigatório e licença por acidente de
confiança a cargo anterior (sem
6) Jurado
gratificação). trabalho.
» Faltas justificadas (art. 473, CLT):
» TRANSFERÊNCIA: ⤷ Tem direito ao FGTS.
OBS: A Lei nº 13.257 ampliou de 5
Adicional de transferência de 25% » Suspensão por +30 dias
para 20 os dias que o pai (licença-
para transferência PROVISÓRIA. consecutivos.
paternidade) recebe se a empresa for
Se DEFINITIVA: direito as despesas da ⤷ RESCISÃO INJUSTA
parte do Programa Empresa Cidadã.
transferência. » EXEMPLOS de suspensão
» JUS VARIANDI: o empregador pode
» Quem tem garantia de emprego: contratual:
fazer alterações, porém, dentro dos 1) Doença/acidente de trabalho
NÃO pode transferir.
limites legais. 2) Faltas injustificadas
» Transferência unilateral: vedada,
EXEMPLO: O pagamento por mês 3) Inquérito (falta grave)
precisa de consentimento, salvo:
pode tardar até, no máximo, o 5º dia 4) Participação
cargo de confiança; Extinção do lugar
útil. 5) Exercício de cargo de dirigente
da natureza do serviço; Real
sindical
necessidade. 6) Aposentadoria por invalidez
7) Prisão provisória
8) Serviço militar
9) Força maior, etc.
» PERDE o adicional noturno se passar
para o diurno.

148
Duração do Trabalho
Lapso temporal de trabalho ou disponibilidade do empregado perante o empregador,
em virtude do contrato.
1) Duração diária Escala 12 x 36
Limites:
2) Duração semanal: art. 59, §6º, CLT ⤷ Jornada de 6h
» Máxima de 8h e 44h semanais.
3) Duração mensal: art. 59, §5º. CLT. ⤷ Jornada de 8h (com negociação
⤷ Advogados: 4h diárias e 20h
4) Duração anual: art. 59, §2º, CLT. semanais. coletiva)

Turnos ininterruptos de Exceção: negociação coletiva de ⤷ RSR e intervalo (para alimentação


dedicação exclusiva. não descaracteriza).
revezamento ⤷ Engenheiros e médicos: 8h
⤷ Jornada de 6h diárias. Escala 12 x 36
⤷ Jornada de 8h (com negociação ⤷ Jornalistas: 5h, prorrogáveis por ⤷ Jornada de 6h
coletiva) +7h. ⤷ Jornada de 8h (com negociação
⤷ RSR e intervalo (para alimentação ⤷ Operador cinematográfico: 6h.
coletiva)
não descaracteriza). ⤷ Minas de subsolo: 6h diárias e
⤷ RSR e intervalo (para alimentação não
36h semanais.
descaracteriza).
Jornada Noturna ⤷ Telefonistas: 6h x 36h
⤷ Adicional noturno de 25% (sem ⤷ Artistas profissionais: 6h x 30h
⤷ Músicos: 5h, não pode exceder
hora noturna reduzida)
6h.
⤷ Adicional noturno de 20%
⤷ Técnicos em radiologia: 24h
(trabalhador urbano de 22h às 5h) semanais
⤷ Pecuária: 20h às 4h. ⤷ Bancários: 6h diárias (sábado não
⤷ Lavoura: 21h às 5h. pode).
OBS: Se for para o diurno, perde.

1) PROPORCIONAIS: 4) VENDA DE FÉRIAS:


Férias
Art. 146, p. ú. Da CLT. Art. 143, CLT.
1/12 por mês de serviço ou fração + 14 dias. O empregado pode converter 1/3 das férias em abono
pecuniário.
2) PRAZO PARA PAGAMENTO: 5) FALTAS JUSTIFICADAS:
Art. 145, CLT. Art. 131, CLT.
2 dias antes do início do período de férias.
1) Causas do art. 473 4) Justificada para empresa
2) Licença-maternidade 5) Suspensão preventiva
3) FRACIONADA:
3) Acidente de trabalho 6) Não tenha serviço no dia
Art. 134, CLT.
6) EM DOBRO:
12 meses subsequentes à data que o empregado
adquiriu o dinheiro. Art. 137, CLT.
Quando as férias forem convertidas após o prazo, o
empregador pagará em dobro. 149
Justa Causa
Art. 482, CLT.

O ônus da prova é do empregador


IMPROBIDADE: INDISCIPLINA:
Desonestidade INCONTINÊNCIA DE Descumprimento de regra INSUBORDINAÇÃO:
CONDUTA: geral. Descumprimento de regra
geral.
Atitudes de cunho sexual.

Entre outros, como:


1) Negociação por conta própria 5) Violação de segredo da empresa 9) Prática constante de jogos de azar.
2) Condenação criminal 6) Abandono do emprego 10) Perda de habilitação para a profissão.
3) Desídia 7) Ato lesivo contra qualquer pessoa
4) Embriaguez habitual ou em serviço. 8) Ato lesivo contra o empregador

Estabilidade
1) DIRIGENTE SINDICAL: 5) MEMBRO DO CONSELHO
Art. 543, §3º, CLT. CURADOR DO FGTS:
Súmula 369 do TST Art. 3, §9º da Lei nº 8.036/90
1 ano após o final do mandato. Até 1 ano após o final do mandato.

2) GESTANTE: 6) MEMBRO DA CCP:


Art. 10, II, alínea “b”, ADCT. Art. 625-B, §1º, CLT.
Súmula 244 do TST Até 1 ano após o final do mandato.
Após 5 meses da gravidez após o
parto. 7) MEMBRO DA C.N.P.S.:
Art. 3º, §7º, da Lei nº 8.213/91.
3) MEMBRO DA CIPA: Até 1 ano após o término dos
Art. 10, II, alínea “a”, ADCT. mandatos.
Até 1 ano após o final do mandato
8) ACIDENTADOS:
do membro.
Art. 118º, da Lei nº 8.213/91.
4) PORTADOR DE DOENÇA Garantia de 12 meses do contrato de
GRAVE: trabalho.
Súmula 443 do TST
Dispensa ao final do contrato
superior a 90 dias. 150
Remuneração
DESCONTOS SALARIAIS: SALÁRIO E GORJETAS:
⤷ Pelo empregador. Toda importância devida é » Pagas por clientes
⤷ VEDADO, salvo: paga. » Integram base de cálculo: FGTS; IR;
1) Adiantamento Férias; 13º salário.
2) Lei Contraprestação ao serviço INTEGRAM O SALÁRIO:
3) Contrato coletivo prestado. Art. 457, §1º, CLT.
4) Dano doloso ou culposo ⤷ Em moeda corrente. NÃO TAXATIVO
5) Autorização prévia e por escrito 1) Importância fixa
ISONOMIA 2) Comissões e porcentagens
(Equiparação Salarial) 3) Gratificações ajustadas
NÃO INTEGRAM O SALÁRIO:
⤷ Função idêntica:
Empregador INDENIZAÇÃO
Localidade 1) Ajuda de custo
⤷ Trabalho de igual valor: 2) Diárias até 50% do salário
Produtividade 3) Auxílio-alimentação
Perfeição técnica ≠ mín. 30 dias 4) Diárias de viagem e abonos
Tempo de serviço máx. 2 anos

» Sem distinção de: sexo, idade ou


nacionalidade.
SALÁRIO-UTILIDADE
Art. 458, CLT.
Compreendido no salário.

Salário “in natura”: Vantagem concedida ao » Limitações:


Ou salário-utilidade empregado (caráter retributivo) ⤷ Trabalhador Urbano: 25% habilitação
» Vedações: Súmula 367, II, TST 20% alimentação
e art. 458, caput, §2º e §5º Observado o salário contratual e limitado ao
valor real da utilidade.
Verbas que não possuem natureza ⤷ Trabalhador Rural: 20% habilitação
25% alimentação
Salarial » Exceções: art. 457, §2º, CLT. Observado o salário mínimo.

Adicionais: Parcelas devidas ao empregado em razão de circunstâncias que tornem o trabalho mais gravoso.
⤷ Insalubridade:
⤷ Periculosidade
151
⤷ Diárias de viagem
Extinção do Contrato de Trabalho
CULPA RECÍPROCA: DISTRATO:
Art. 484, CLT. Art. 484-A, CLT.
⤷ Empregado e empregador contribuem para a ⤷ “ACORDO MÚTUO” (interesse mútuo)
rescisão. ⤷ Possibilidade do empregador e o empregado
⤷ Justiça do Trabalho costuma reduzir a indenização rescindirem o contrato sem a participação da justiça.
pela metade.
FACTUM PRINCIPIS:
FORÇA MAIOR: Art. 468, CLT.
Art. 501, CLT. ⤷ Ato de autoridade pública.
⤷ Empregador não concorreu. ⤷ Indenização do empregado paga pelo órgão
⤷ não fica liberado de suas obrigações governamental.
⤷ indenização para o empregado. ⤷ Desapropriação: impossibilita a continuidade da
relação do emprego.
PEDIDO DE DEMISSÃO: .
Art. 501, CLT. DISPENSA SEM JUSTA CAUSA:
⤷ Empregado + 1 ano. ⤷ Sem motivos aparentes
⤷ Deve ser feito: Assistência do Sindicato, perante ⤷ Direito a todas as verbas rescisórias.
autoridade do TEM (sem ônus).
⤷ Recibo de quitação: natureza de cada parcela paga . MORTE:
e discriminar valor. ⤷ Empregador: Rescisão automática, sem
indenização
RESCISÃO INDIRETA DO CONTRATO:
⤷ Empregado: caduca o contrato.
Art. 483, CLT.
⤷ Falta grave que o empregador comete com funcionário.
⤷ Demissão por justa causa INVERSA.

Aviso Prévio
Arts. 487 a 491, CLT.
» Quem dá causa paga ou concede TRABALHADO:
» O registro da candidatura do empregado a cargo » Redução de 2h da jornada
de dirigente sindical durante o período de aviso » Faltar 7 dias
prévio, ainda que indenizado, não lhe assegura a
estabilidade. INDENIZADO:

PROPORCIONAL:
» LEI nº. 12.506/11 » OBS: Se o empregado cometer faltas consideradas
» Estabilidade provisória justas pela lei, perderá o direito ao restante do
» Prazo máximo de 30 dias (art. 7º, XXI, CF). respectivo prazo.
152
Direito Coletivo de Trabalho
» Direito do Trabalho = Direito Coletivo do Trabalho + Direito Individual do Trabalho
» Regula a relação entre seres coletivos na seara trabalhista
» Segmento que regula a organização sindical, a negociação coletiva e os instrumentos normativos decorrentes, a
representação dos trabalhadores na empresa e a greve.
» Poderá ser firmado termo de quitação anual de obrigatoriedade trabalhista, perante o sindicato da categoria dos
empregados.
LEI DA GREVE » É VEDADA a rescisão do contrato durante a greve, assim como
Lei nº. 7. 783/89 contratar SUBSTITUTOS.
» Atividades essenciais (art. 10) ⤷ EXCEÇÕES:
» Contratos suspensos (não há pagamento 1) Quando o empregador não conseguir formar acordo com entidade
sindical para assegurar serviços que evitem prejuízo irreparável dos bens
de salário durante a greve, salvo acordo
da empresa.
contrário).
2) Ausência de ajuste capaz de dar manutenção aos serviços essenciais
à retomada das atividades da empresa quando acabar a greve
3) Quando a greve for considerada abusiva pelo judiciário.

Dissídios Coletivos
São ações propostas à Justiça do Trabalho por pessoas ⤷ LEGITIMADOS: os SINDICATOS são os legitimados
jurídicas para solucionar questões que não puderam ser ativos por excelência. Na ausência dele, a federação
solucionadas pela negociação direta entre trabalhadores poderá suscitar o dissídio e, na falta desta, a
e empregadores. confederação.
⤷ Ajuizamento: ⤷ Poderão ser legitimadas ativas as empresas
Pressupostos processuais específicos: envolvidas num conflito a elas limitado ou quando da
⤷ Tentativa de negociação prévia ausência de entidade sindical que as represente.
⤷ Autorização da assembleia ⤷ POR QUEM É INSTAURADO?
⤷ Inexistência de norma coletiva em vigor Pelo Ministério Público do Trabalho em casa de
⤷ Observância de época própria para o ajuizamento (60 GREVE em atividade essencial, com possibilidade de
dias anteriores ao termo final da norma coletiva vigente). lesão do interesse público.

⤷ Natureza:
Econômica: criam normas que regulamentam os » Súmula 364, TST
contratos individuais de trabalho. Normas Coletivas
Jurídica: dissídios coletivos de direito, visam a » A Reforma Trabalhista VEDOU a estipulação de
interpretação de uma norma legal preexistente que, é duração superior a 2 anos e a ultratividade da norma
costumeira ou resultante de acordo, convenção ou coletiva, que significa a possibilidades de integração da
dissídio coletivo. norma aos contratos individuais.
⤷ COMPETÊNCIA ORIGINÁRIA: Tribunais Regionais do ⤷ Art. 614, §3º, CLT.
Trabalho.
153
Acordos e Convenções Coletivas
ACORDOS COLETIVOS X CONVENÇÕES COLETIVAS » A Lei da Reforma Trabalhista (art. 620, CLT) adotou
Art. 611-B, CLT Art. 611-A, CLT a teoria:
Cláusulas NÃO Cláusulas possíveis O acordo coletivo, por ser mais específico, SEMPRE
permitidas. deve PREVALECER sobre a convenção coletiva,
independentemente de ser mais favorável ao
Art. 611-A, CLT trabalhador.
» ROL EXEMPLIFICATIVO
» A convenção coletiva e o acordo coletivo de PDV ou PDI
trabalho têm PREVALÊNCIA sobre a LEI, quando (Programa de Demissão Voluntária ou
dispuserem sobre:
Incentivada)
1) Pacto quanto à jornada de trabalho, observados os
limites constitucionais; » O empregador estimula o próprio empregado a
2) Banco de horas anual; pedir sua demissão oferecendo uma quantia financeira.
3) Intervalo intrajornada, respeitado o limite mínimo de » Forma de cessação do contrato de trabalho por
30min. para jornadas superiores a 6h; mútuo consentimento.
4) Adesão ao Programa Seguro-Emprego (PSE); » Ocorre mediante convenção ou acordo coletivo.
5) Plano de cargos, salários e funções compatíveis
com a condição pessoal do empregado, bem como » Art. 477-B, CLT:
identificação dos cargos que se enquadram como
funções de confiança; A quitação mediante adesão do empregado ao PDV
6) Regulamento empresarial; alcança TODAS AS VERBAS devidas em decorrência
7) Representante dos trabalhadores no local de da execução e extinção do contrato de trabalho.
trabalho;
8) Teletrabalho, regime de sobreaviso, e trabalho Ao aderir o PDV, o empregado dará QUITAÇÃO
intermitente; AMPLA e IRRETRATÁVEL de todos os créditos
9) Remuneração por produtividade, incluídas as decorrentes do contrato de trabalho, exceto
gorjetas percebidas pelo empregado, e remuneração disposição em contrário estipulada pelas partes.
por desempenho individual;
10) Modalidade de registro de jornada de trabalho;
11) Troca do dia de feriado;
12) Enquadramento do grau de insalubridade;
13) Prorrogação de jornada em ambientes insalubres,
sem licença prévia das autoridades competentes do
Ministério do Trabalho;
14) Prêmios de incentivo em bens ou serviços,
eventualmente concedidos em programas de
incentivo;
15) Participação nos lucros ou resultados da empresa;

154
Prescrição x Decadência
» Exigência do Direito » Perda do Direito
» Previsão legal: a) Inquérito para apuração de falta grave:
Art. 7º, XXIX, CF Suspende o empregado, que tem o prazo de 30
Art. 11, CLT dias para ajuizar a ação.
» Relações de trabalho: » Art. 853, CLT
Prazo prescricional: 5 anos = Trabalhadores » Súmula 403, STF
urbanos e rurais b) Mandado de Segurança: 120 dias
Até 2 anos após extinção do contrato de trabalho. c) Ação Rescisória: 2 anos.
» Interrupção da prescrição:
Ajuizamento de reclamação trabalhista, mesmo em » Dispensa Coletiva:
juízo incompetente e extinta sem resolução do Art. 477-A, CLT: As dispensas imotivadas individuais,
mérito. plúrimas ou coletivas equiparam-se para todos os
» Prescrição intercorrente: 2 anos. fins, não havendo necessidade de autorização
Quando exequente não cumpre decisão na prévia de entidade sindical ou de celebração de
execução: requerida ou de ofício. convenção coletiva ou acordo coletivo de trabalho
» Prescrição da ação de acidente de trabalho: para sua efetivação.
Conta-se do exame pericial.
» Súmula nº 153 e 156 do TST » Art. 11, §1º, CLT:
O direito de ação judicial para anotação da CTPS,
para fins de prova com Previdência, é
IMPRESCRITÍVEL.

155
simples ou em dobro, não exclui, por si só, o
Súmulas do TST direito do empregado ao aviso prévio.
Súmula 51: I - As cláusulas regulamentares,
OAB que revoguem ou alterem vantagens
deferidas anteriormente, só atingirão os
trabalhadores admitidos após a revogação ou
Súmula 7: A indenização pelo não- alteração do regulamento.
deferimento das férias no tempo oportuno
I - Havendo a coexistência de dois
será calculada com base na remuneração
regulamentos da empresa, a opção do
devida ao empregado na época da
empregado por um deles tem efeito jurídico
reclamação ou, se for o caso, na da extinção
de renúncia às regras do sistema do outro.
do contrato.
Súmula 60: I - O adicional noturno, pago com
Súmula 10: O direito aos salários do período habitualidade, integra o salário do empregado
de férias escolares assegurado aos para todos os efeitos.
professores (art. 322, caput e § 3º, da CLT) a jornada no período noturno e prorrogada
não exclui o direito ao aviso prévio, na esta, devido é também o adicional quanto às
hipótese de dispensa sem justa causa ao horas prorrogadas. Exegese do art. 73, § 5º,
término do ano letivo ou no curso das férias da CLT.
escolares.
Súmula 73: A ocorrência de justa causa, salvo
Súmula 14: Reconhecida a culpa recíproca na a de abandono de emprego, no decurso do
rescisão do contrato de trabalho (art. 484 da prazo do aviso prévio dado pelo empregador,
CLT), o empregado tem direito a 50% retira do empregado qualquer direito às
(cinqüenta por cento) do valor do aviso verbas rescisórias de natureza indenizatória.
prévio, do décimo terceiro salário e das férias
proporcionais. Súmula 81: Os dias de férias gozados após o
período legal de concessão deverão ser
Súmula 15: A justificação da ausência do remunerados em dobro.
empregado motivada por doença, para a
percepção do salário-enfermidade e da Súmula 89: Se as faltas já são justificadas pela
remuneração do repouso semanal, deve lei, consideram-se como ausências legais e
observar a ordem preferencial dos atestados não serão descontadas para o cálculo do
médicos estabelecida em lei. período de férias.

Súmula 29: Empregado transferido, por ato Súmula 93: Integra a remuneração do
unilateral do empregador, para local mais bancário a vantagem pecuniária por ele
distante de sua residência, tem direito a auferida na colocação ou na venda de papéis
suplemento salarial correspondente ao ou valores mobiliários de empresas
acréscimo da despesa de transporte. pertencentes ao mesmo grupo econômico,
se exercida essa atividade no horário e no
Súmula 32: Presume-se o abandono de local de trabalho e com o consentimento,
emprego se o trabalhador não retornar ao tácito ou expresso, do banco empregador.
serviço no prazo de 30 (trinta) dias após a Súmula 128: I - É ônus da parte recorrente
cessação do benefício previdenciário nem efetuar o depósito legal, integralmente, em
justificar o motivo de não o fazer. relação a cada novo recurso interposto, sob
pena de deserção. Atingido o valor da
Súmula 44: A cessação da atividade da condenação, nenhum depósito mais é exigido
empresa, com o pagamento da indenização, para qualquer recurso.

156
II - Garantido o juízo, na fase executória, a prévio, pelo pagamento das horas
exigência de depósito para recorrer de correspondentes.
qualquer decisão viola os incisos II e LV do art. Súmula 244: I - O desconhecimento do
5º da CF/1988. Havendo, porém, elevação do estado gravídico pelo empregador não afasta
valor do débito, exige-se a complementação o direito ao pagamento da indenização
da garantia do juízo. decorrente da estabilidade.
III - Havendo condenação solidária de duas ou
mais empresas, o depósito recursal efetuado I - A garantia de emprego à gestante só
por uma delas aproveita as demais, quando a autoriza a reintegração se esta se der
empresa que efetuou o depósito não pleiteia durante o período de estabilidade. Do
sua exclusão da lide. contrário, a garantia restringe-se aos salários
e demais direitos correspondentes ao
Súmula 146: O trabalho prestado em período de estabilidade.
domingos e feriados, não compensado, deve I I - A empregada gestante tem direito à
ser pago em dobro, sem prejuízo da estabilidade provisória prevista no art. 10, inciso
remuneração relativa ao repouso semanal. II, alínea “b”, do Ato das Disposições
Constitucionais Transitórias, mesmo na
Súmula 149: A remuneração das férias do
hipótese de admissão mediante contrato por
tarefeiro deve ser calculada com base na
tempo determinado.
média da produção do período aquisitivo,
aplicando-se-lhe a tarifa da data da concessão.
Súmula 248: A reclassificação ou a
Súmula 159: I - Enquanto perdurar a descaracterização da insalubridade, por ato da
substituição que não tenha caráter autoridade competente, repercute na
meramente eventual, inclusive nas férias, o satisfação do respectivo adicional, sem ofensa
empregado substituto fará jus ao salário a direito adquirido ou ao princípio da
contratual do substituído. irredutibilidade salarial.
II - Vago o cargo em definitivo, o empregado Súmula 253: A gratificação semestral não
que passa a ocupá-lo não tem direito a salário repercute no cálculo das horas extras, das
igual ao do antecessor. férias e do aviso prévio, ainda que indenizados.
Repercute, contudo, pelo seu duodécimo na
Súmula 163: Cabe aviso prévio nas rescisões indenização por antigüidade e na gratificação
antecipadas dos contratos de experiência, na natalina.
forma do art. 481 da CLT.
Súmula 257: O vigilante, contratado
Súmula 171: Salvo na hipótese de dispensa do diretamente por banco ou por intermédio de
empregado por justa causa, a extinção do empresas especializadas, não é bancário.
contrato de trabalho sujeita o empregador ao
pagamento da remuneração das férias Súmula 261: O empregado que se demite
proporcionais, ainda que incompleto o antes de complementar 12 (doze) meses de
período aquisitivo de 12 (doze) meses (art. 147 serviço tem direito a férias proporcionais.
da CLT).
Súmula 265: A transferência para o período
Súmula 182: O tempo do aviso prévio, mesmo diurno de trabalho implica a perda do direito
indenizado, conta-se para efeito da ao adicional noturno.
indenização adicional prevista no art. 9º da Lei
nº 6.708, de 30.10.1979. Súmula 276: O direito ao aviso prévio é
irrenunciável pelo empregado. O pedido de
Súmula 230: É ilegal substituir o período que dispensa de cumprimento não exime o
se reduz da jornada de trabalho, no aviso empregador de pagar o respectivo valor,

157
salvo comprovação de haver o prestador dos segurança do trabalho, garantida por norma
serviços obtido novo emprego. de ordem pública.
Súmula 367: I - A habitação, a energia elétrica
Súmula 305: O pagamento relativo ao e veículo fornecidos pelo empregador ao
período de aviso prévio, trabalhado ou não, empregado, quando indispensáveis para a
está sujeito a contribuição para o FGTS. realização do trabalho, não têm natureza
Súmula 348: É inválida a concessão do aviso salarial, ainda que, no caso de veículo, seja ele
prévio na fluência da garantia de emprego, utilizado pelo empregado também em
ante a incompatibilidade dos dois institutos. atividades particulares.
Súmula 352: O prazo para comprovação do I - O cigarro não se considera salário utilidade
pagamento das custas, sempre a cargo da em face de sua nocividade à saúde.
parte, é de 5 (cinco) dias contados do seu
recolhimento (CLT art. 789, § 4º - CPC, art.
185). Súmula 369: I - É assegurada a estabilidade
provisória ao empregado dirigente sindical,
ainda que a comunicação do registro da
Súmula 354: As gorjetas, cobradas pelo
empregador na nota de serviço ou oferecidas candidatura ou da eleição e da posse seja
espontaneamente pelos clientes, integram a realizada fora do prazo previsto no art. 543,
remuneração do empregado, não servindo § 5º, da CLT, desde que a ciência ao
de base de cálculo para as parcelas de aviso- empregador, por qualquer meio, ocorra na
prévio, adicional noturno, horas extras e vigência do contrato de trabalho.
repouso semanal remunerado.
I - O art. 522 da CLT foi recepcionado pela
Constituição Federal de 1988. Fica limitada,
Súmula 363: A contratação de servidor assim, a estabilidade a que alude o art. 543, §
público, após a CF/1988, sem prévia 3.º, da CLT a sete dirigentes sindicais e igual
aprovação em concurso público, encontra número de suplentes.
óbice no respectivo art. 37, II e § 2º, somente
I I - O empregado de categoria diferenciada
lhe conferindo direito ao pagamento da eleito dirigente sindical só goza de estabilidade
contraprestação pactuada, em relação ao se exercer na empresa atividade pertinente
número de horas trabalhadas, respeitado o à categoria profissional do sindicato para o
valor da hora do salário mínimo, e dos valores qual foi eleito dirigente.
referentes aos depósitos do FGTS. IV - Havendo extinção da atividade
empresarial no âmbito da base territorial do
sindicato, não há razão para subsistir a
Súmula 364: I - Tem direito ao adicional de estabilidade.
periculosidade o empregado exposto V - O registro da candidatura do empregado
permanentemente ou que, de forma a cargo de dirigente sindical durante o
intermitente, sujeita-se a condições de risco. período de aviso prévio, ainda que indenizado,
Indevido, apenas, quando o contato dá-se de não lhe assegura a estabilidade, visto que
forma eventual, assim considerado o fortuito, inaplicável a regra do § 3º do art. 543 da
ou o que, sendo habitual, dá-se por tempo Consolidação das Leis do Trabalho.
extremamente reduzido.
II - Não é válida a cláusula de acordo ou Súmula 371: A projeção do contrato de
convenção coletiva de trabalho fixando o trabalho para o futuro, pela concessão do
adicional de periculosidade em percentual
aviso prévio indenizado, tem efeitos limitados
inferior ao estabelecido em lei e proporcional às vantagens econômicas obtidas no período
ao tempo de exposição ao risco, pois tal de pré-aviso, ou seja, salários, reflexos e
parcela constitui medida de higiene, saúde e verbas rescisórias. No caso de concessão de
158
auxílio-doença no curso do aviso prévio, Súmula 386: Preenchidos os requisitos do art.
todavia, só se concretizam os efeitos da 3º da CLT, é legítimo o reconhecimento de
dispensa depois de expirado o benefício relação de emprego entre policial militar e
previdenciário. empresa privada, independentemente do
Súmula 378: auxílio-doença ao empregado eventual cabimento de penalidade disciplinar
acidentado. prevista no Estatuto do Policial Militar.
II - São pressupostos para a concessão da Súmula 399: I - É incabível ação rescisória
estabilidade o afastamento superior a 15 dias para impugnar decisão homologatória de
e a conseqüente percepção do auxílio- adjudicação ou arrematação.
doença acidentário, salvo se constatada, após I - A decisão homologatória de cálculos
a despedida, doença profissional que guarde apenas comporta rescisão quando enfrentar
relação de causalidade com a execução do as questões envolvidas na elaboração da
contrato de emprego. conta de liquidação, quer solvendo a
III - O empregado submetido a contrato de controvérsia das partes quer explicitando, de
trabalho por tempo determinado goza da ofício, os motivos pelos quais acolheu os
garantia provisória de emprego decorrente cálculos oferecidos por uma das partes ou
de acidente de trabalho prevista no art. 118 da pelo setor de cálculos, e não contestados pela
Lei nº 8.213/91. outra.

Súmula 379: O dirigente sindical somente Súmula 423: Estabelecida jornada superior a
poderá ser dispensado por falta grave seis horas e limitada a oito horas por meio de
mediante a apuração em inquérito judicial, regular negociação coletiva, os empregados
inteligência dos arts. 494 e 543, §3º, da CLT. submetidos a turnos ininterruptos de
revezamento não têm direito ao pagamento
Súmula 380: Aplica-se a regra prevista no da 7ª e 8ª horas como extras.
"caput" do art. 132 do Código Civil de 2002 à Súmula 428: I - O uso de instrumentos
contagem do prazo do aviso prévio, telemáticos ou informatizados fornecidos pela
excluindo-se o dia do começo e incluindo o empresa ao empregado, por si só, não
do vencimento.
caracteriza o regime de sobreaviso.
Súmula 382: A transferência do regime I - Considera-se em sobreaviso o empregado
jurídico de celetista para estatutário implica que, à distância e submetido a controle
extinção do contrato de trabalho, fluindo o patronal por instrumentos telemáticos ou
prazo da prescrição bienal a partir da informatizados, permanecer em regime de
mudança de regime. plantão ou equivalente, aguardando a
Súmula 384: I - O descumprimento de qualquer momento o chamado para o serviço
qualquer cláusula constante de instrumentos durante o período de descanso.
normativos diversos não submete o
empregado a ajuizar várias ações, pleiteando Súmula 429: Considera-se à disposição do
em cada uma o pagamento da multa empregador, na forma do art. 4º da CLT, o
referente ao descumprimento de obrigações tempo necessário ao deslocamento do
previstas nas cláusulas respectivas. trabalhador entre a portaria da empresa e o
II - É aplicável multa prevista em instrumento local de trabalho, desde que supere o limite
normativo (sentença normativa, convenção de 10 (dez) minutos diários.
ou acordo coletivo) em caso de Súmula 437: I - Após a edição da Lei nº
descumprimento de obrigação prevista em 8.923/94, a não-concessão ou a concessão
lei, mesmo que a norma coletiva seja mera parcial do intervalo intrajornada mínimo, para
repetição de texto legal. repouso e alimentação, a empregados
urbanos e rurais, implica o pagamento total

159
do período correspondente, e não apenas periculosidade a que aludem o art. 193 da CLT
daquele suprimido, com acréscimo de, no e o Anexo 2, item 1, "c", da NR 16 do MTE.
mínimo, 50% sobre o valor da remuneração
da hora normal de trabalho (art. 71 da CLT), MP 905/2019: Contrato de Trabalho Verde e
sem prejuízo do cômputo da efetiva jornada Amarelo (Revogada em 20 de Abril de 2020).
de labor para efeito de remuneração.
OJ 153 SDI - 2, TST: MANDADO DE
II - É inválida cláusula de acordo ou SEGURANÇA. EXECUÇÃO. ORDEM DE
convenção coletiva de trabalho PENHORA SOBREVALORES EXISTENTES
contemplando a supressão ou redução do EM CONTA SALÁRIO. ART. 649, IV, DO CPC
intervalo intrajornada porque este constitui DE 1973. ILEGALIDADE. (atualizada em
medida de higiene, saúde e segurança do decorrência do CPC de 2015) - Res. 220/2017,
trabalho, garantido por norma de ordem
DEJT divulgado em 21, 22 e 25.09.2017Ofende
pública (art. 71 da CLT e art. 7º, XXII, da
direito líquido e certo decisão que determina
CF/1988), infenso à negociação coletiva.
o bloqueio de numerário existente em conta
III - Possui natureza salarial a parcela prevista
no art. 71, § 4º, da CLT, com redação salário, para satisfação de crédito trabalhista,
introduzida pela Lei nº 8.923, de 27 de julho ainda que seja limitado a determinado
de 1994, quando não concedido ou reduzido percentual dos valores recebidos ou valor
pelo empregador o intervalo mínimo revertido para fundo de aplicação ou
intrajornada para repouso e alimentação, poupança, visto que o art. 649, IV, do CPC de
repercutindo, assim, no cálculo de outras 1973 contém norma imperativa que não
parcelas salariais. admite interpretação ampliativa, sendo a
IV - Ultrapassada habitualmente a jornada de exceção prevista no art. 649, § 2º, do CPC
seis horas de trabalho, é devido o gozo do de 1973 espécie e não gênero de crédito de
intervalo intrajornada mínimo de uma hora, natureza alimentícia, não englobando o
obrigando o empregador a remunerar o
crédito trabalhista.
período para descanso e alimentação não
usufruído como extra, acrescido do
OJ 365 SDI - 1, TST: OJ-SDI1-365
respectivo adicional, na forma prevista no art.
ESTABILIDADE PROVISÓRIA. MEMBRO DE
71, caput e § 4º da CLT.
CONSELHO FISCAL DE SINDICATO.
INEXISTÊNCIA (DJ 20, 21 E 23.05.2008)
Súmula 441: O direito ao aviso prévio
proporcional ao tempo de serviço somente é
Membro de conselho fiscal de sindicato não
assegurado nas rescisões de contrato de
tem direito à estabilidade prevista nos arts.
trabalho ocorridas a partir da publicação da
543, § 3º, da CLT e 8º, VIII, da CF/1988,
Lei nº 12.506, em 13 de outubro de 2011.
porquanto não representa ou atua na defesa
de direitos da categoria respectiva, tendo sua
Súmula 443: Presume-se discriminatória a
competência limitada à fiscalização da gestão
despedida de empregado portador do vírus
financeira do sindicato (art. 522, § 2º, da
HIV ou de outra doença grave que suscite
CLT).
estigma ou preconceito. Inválido o ato, o
empregado tem direito à reintegração no
emprego.

Súmula 447: Os tripulantes e demais OJ 369 SDI - 1,TST: OJ-SDI1-369


empregados em serviços auxiliares de ESTABILIDADE PROVISÓRIA. DELEGADO
transporte aéreo que, no momento do SINDICAL. INAPLICÁVEL (DEJT divulgado em
abastecimento da aeronave, permanecem a 03, 04 e 05.12.2008)
bordo não têm direito ao adicional de

160
O delegado sindical não é beneficiário da
estabilidade provisória prevista no art. 8º, VIII,
da CF/1988, a qual é dirigida, exclusivamente,
àqueles que exerçam ou ocupem cargos de
direção nos sindicatos, submetidos a
processo eletivo.

Súmulas do STF
OAB
Súmula 198: As ausências motivadas por
acidente do trabalho não são descontáveis do
período aquisitivo das férias.
Súmula 199: O salário das férias do
empregado horista corresponde a média do
período aquisitivo, não podendo ser inferior
ao mínimo.
Súmula 200: Não é inconstitucional a Lei 1.530,
de 26/12/51, que manda incluir na indenização
por despedida injusta parcela correspondente
à férias proporcionais.

161
8.
DIREITO
ADMINISTRATIVO

@contemdireito_
162
Administração Pública
Princípios
IMPLÍCITOS:
EXPLÍCITOS:
1) Supremacia do interesse público
L = Legalidade
2) Indisponibilidade do serviço público
I = Impessoalidade
3) Continuidade do serviço público
M = Moralidade
4) Autotutela
P = Publicidade
5) Tutela ou controle
E = Eficiência
6) Especialidade
7) Presunção de legitimidade
8) Controle judicial dos atos administrativos
9) Segurança jurídica
10) Motivação
11) Razoabilidade
12) Hierarquia

Formas de desempenho da atividade administrativa


☛ CONCENTRADA: Atividade feita por 1 órgão (pessoa jurídica sem divisão interna).
(concentração)

☛ DESCONCENTRADA: Atividade feita por vários órgãos (pessoa jurídica com divisão interna)
(desconcentração) Distribuição interna de competência

☛ CENTRALIZADA: Atividade feita diretamente pela pessoa política, por meio de seus órgãos.
(centralização)
☛ DESCENTRALIZADA: Atividade feita por outra pessoa jurídica
(descentralização) Distribuição externa de competência

163
Administração Direta e Indireta
☛ DIRETA: U Autonomia:
Entes federados Relação de: Entre eles NÃO há:
E Política
Independência Hierarquia
DF Pessoas políticas Administrativa
Colaboração Subordinação
M Financeira

» Órgãos Públicos: Não tem personalidade jurídica (é despersonalizado)


Não tem patrimônio próprio
Não tem capacidade processual

☛ INDIRETA: F undações Públicas


A utarquias Públicas Pessoas ou entes administrativos
S ociedades de economia mista
E mpresas Públicas

Poder executivo federal


☛ UNIÃO:
Poder legislativo federal (Câmara, Senado)
Poder judiciário federal da União

☛ ESTADOS: Poder executivo estadual (Governo do Estado)


Poder legislativo estadual (Assembleia)
Poder judiciário estadual (Tribunais de Justiça)

☛ MUNICÍPIOS: Poder executivo (Prefeitura Municipal)


Poder legislativo (Câmara dos vereadores: órgãos públicos)
Poder judiciário: NÃO TEM

Poder executivo
☛ DISTRITO FEDERAL:
Poder legislativo
Poder judiciário

164
OBS 1: CONSÓRCIO PÚBLICO OBS 2: Todos os entes do quadro OBS 3: Empregados Públicos são
⤷ Direito Público (Associação Pública) possuem patrimônio própria e celetistas (CLT)
⤷ Direito Privado autonomia administrativa. Cargo comissionado: não são
concursados.
Livre nomeação e exoneração
Servidores estatutários

CAPITAL SOCIAL FORMA SOCIETÁRIA

EMPRESAS 100% PÚBLICO Qualquer forma


PÚBLICAS *COFRES PÚBLICOS
Público: controle acionário
SOCIEDADES DE ECONOMIA + S/ anônima
MISTA Privado

Organização do Terceiro Setor


» Conceito: Também chamadas de ONG’s, que são as » Onde se encontram?
organizações não governamentais, atuam em vários Art. 44, CC
setores com o objetivo de aumentar e garantir os direitos Pessoas jurídicas de direito privado que possuem plena
que amparam a sociedade, que dizem respeito a todos capacidade de direito e de fato.
os cidadãos, com a finalidade de promover uma vida mais
digna e justa. » Quais são as características?
Não possuem fins lucrativos
» Natureza: privada (sem fins lucrativos) para com Mudar a sociedade para melhor
interesses sociais diversos. É de organização privada, com pessoas voluntárias
Buscam recursos para distribuição
» Onde atuam? Possuem imunidade tributária (geralmente, são livres de
Geralmente, onde possui pessoas de baixa renda. aspectos fiscais e tributários).

Terceiro Setor
Associação » Quem são? Pessoas jurídicas:
OSCIP UPM UPF Legalmente constituídas, privadas, sem fins lucrativos,
e
OS UPE CEBAS autoadministradas e voluntárias
Fundação

» Normas principais: » Podem ser constituídas em forma de:


⤷ Art. 5º, XVII a XXI, CF ASSOCIAÇÃO ou FUNDAÇÃO.
Princípios das associações
⤷ Arts. 53-61 e 62-69, CC Criação ☛ Ato constitutivo ☛ Registro ☛ Existência legal
Diretrizes e estrutura das associações e fundações ☛ Personalidade, capacidade, etc.
165
Os 3 setores
» Governo ou primeiro setor:
⤷ Direito Público
⤷ Pessoa jurídica
⤷ Funções públicas INDELEGÁVEIS
⤷ Legislar, fiscalizar, aplicar justiça, dar segurança geral, etc.
» Mercado ou segundo setor:
⤷ Direito privado
⤷ Pessoa física e jurídica
⤷ Com fim econômico (produção e comercialização)
⤷ Lucro
» Organização da sociedade livre sem fim lucrativo ou terceiro setor:
⤷ Direito privado
⤷ Pessoa jurídica
⤷ Sem fins lucrativos
⤷ Prestam serviços de interesse coletivo

» Lei nº. 9.790/99 » REQUISITOS:


» Podem constituir um vínculo jurídico com a ⤷ Pessoas jurídicas de direito privado
administração direta, por meio de termo de parceria. ⤷ Sem fins lucrativos e devem ser constituídas
» Art. 2º: NÃO PODEM SER OSCIP (critérios ⤷ Funcionando regularmente há 3 anos
negativos) ⤷ Atendimento para objetivos sociais e com normas
» Art. 3º: PODEM SER OSCIP (critérios positivos) estatutárias aos requisitos instituídos pela lei.
» Art. 4º: Pessoas jurídicas regidas por estatuto
(critérios administrativos)

Oscip’s
Organizações da sociedade civil de interesse público

» São instituições de direito privado, que são » Art. 5º: Como fazer o requerimento? Junto ao MP.
constituídas para prestar serviços sociais e NÃO » Art. 6º: O ato de qualificação das OSCIP’s é
integram o Poder Público, mas RECEBEM incentivos VINCULADO.
e são FISCALIZADAS por ele. » Art. 7º e 8º: Perda da qualificação

» Quais são as vantagens?


» Acesso ao recurso público (Termo de parceria)
» Acesso ao recurso privado (Empresa desconta de incentivos fiscais)
» Pode receber móveis da União e mercadorias apreendidas pela Receita Federal 166
» Créditos com juros baixos
» Art. 3º: Pessoas do Poder Público » Realizam atividades dirigidas ao ensino, à pesquisa
» Art. 12, §3º: Dispensada licitação científica, ao desenvolvimento tecnológico, etc.
» Art. 22: A cessão de servidor » As OS’s PODEM ser monopolizadas pela Poder
Público.
OBJETIVOS (Art. 1º): » Não possibilidade de simultaneidade de títulos (há
⤷ Ensino exclusividade)
⤷ Pesquisa
⤷ Desenvolvimento Tecnológico
⤷ Meio Ambiente
⤷ Cultura
⤷ Saúde OS’s
Organização Social (Lei nº. 9.637/98)

CARACTERÍSTICAS: Art. 2º: Ato de concessão: qualificação


⤷ Forma de descentralização por colaboração Art. 3º: critérios básicos
através de contrato de gestão. ⤷ Art. 5º ao 7º:Contrato de Gestão,
⤷ É ato DISCRICIONÁRIO, diferente das OSCIP’s, que diferente da OSCIP, que é termo de parceria.
são vinculados. ⤷ Art. 16º: se descumprir, gera desqualificação,
Conveniência diferente da OSCIP, que gera proc. Adm. ou judicial.
Oportunidade

Poderes Administrativos
VINCULADO: DISCRICIONÁRIO: HIERÁRQUICO:

» Obedece a lei » Mais liberdade ao agir » Superior hierárquico


» Obrigação de agir » Conveniência » Fiscalização
» Não é possível omissão » Oportunidade » Controle
» O agente não escolhe » Razoabilidade » Sanção
» Distribui e escala as funções de
seus órgãos.
REGULAMENTAR:
PODER DE POLÍCIA:
» Cria normas
» Restringir direitos DISCIPLINAR:
» Chefes do executivo
» Código tributário » Sanção
» Decretos
» Benefício da coletividade » Pune servidores públicos
» Regulamentos
» Benefício do Estado » Deriva do hierárquico
*ATRIBUTOS: » Infração administrativa
⤷ Discricionariedade » Apura as infrações e aplica as
⤷ Auto executoriedade penalidades aos infratores.
⤷ Coercibilidade

167
Atos Administrativos
Elementos

Os atos administrativos são compostos por: MOTIVO X MOTIVAÇÃO


1) Competência: quem? » Todo ato rem motivo e devem ter também motivação.
2) Finalidade: pra quê? » Há situação que o ato poderá dispensar a motivação.
3) Forma: como? » Motivação é a exposição dos motivos que justificam a
4) Motivo: por quê? prática do ato.
5) Objeto: o quê? » Se o ato não precisar de motivação e for realizado,
MOTIVO vinculará o ato.
1) Situação pela qual o ato está sendo (Teoria dos Motivos Determinantes)
praticado. Causa: não é sinônimo de motivo
2) Situação de fato e de direito. relação lógica entre motivo e conteúdo do ato, em
função da finalidade pública.

Motivo do ato: situação material


x Objeto: ato incide
Motivo Legal: previsão abstrata Motivo: situação real x
da situação fática. x Conteúdo: próprio ato
Móvel: situação psicológica
AMBOS DEVEM COINCIDIR. NÃO SÃO SINÔNIMOS

CARACTERÍSTICAS: PRESSUPOSTOS:
1) Presunção de legitimidade: 1) Existência:
⤷ Presume-se que todo ato adm. está na lei ⤷ Objeto
⤷ Pode ser praticado imediatamente ⤷ Função administrativa
⤷ Produz efeitos até que seja anulado 2) Validade:
⤷ Ônus da prova do interessado ⤷ Sujeito ⤷ Finalidade Pública
⤷ Nulidade só é apreciada a pedido pelo Judiciário ⤷ Motivo ⤷ Causa
⤷ Existe em todos os atos administrativos ⤷ Requisitos procedimentais ⤷ Formalização
2) Imperatividade:
⤷ Ato administrativo é imposto ao destinatário *a) Autorização: ato discricionário e precário
⤷ Não está presente em todos os atos
administrativos
*b) Permissão: ato administrativo vinculado e definitivo
3) Autoexecutoriedade:
*Diferença: interesses visados na atividade relacionada
⤷ Administração executa o ato por seus próprios
meios
⤷ Não existe em todos os atos administrativos, c) Licença: ato administrativo discricionário e precário
SALVO:
Urgência e se previsto em lei. d) Concessão: contrato administrativo bilateral
168
1) Quanto ao DESTINATÁRIO: 5) Quanto à formação da VONTADE:
⤷ Geral: sem destinatário definido; fim Simples: vontade de 1 órgão só.
normativo
Classificação ⤷ Complexo:⤷ vontade de 2 órgãos e 1 ato só.
⤷ Individual: com destinatário definido ⤷ Composto: 2 órgãos e 2 atos (principal e acessório)

2) Quanto ao ALCANCE: 6) Quanto ao CONTEÚDO:


⤷ Interno: efeitos somente dentro da Administração ⤷ Constitutivo: cria situação jurídica individual
⤷ Externo: efeitos para FORA da Administração ⤷ Extintivo: encerra situação jurídica individual
⤷ Declaratório: declara situação já existente
3) Quanto ao OBJETO: ⤷ Alienativo: transfere bens ou direitos
⤷ Império: Posição de superioridade ⤷ Modificativo: altera situação jurídica, sem encerrá-la
⤷ Abdicativo: renúncia a um direito.
⤷ Gestão: Posição de igualdade
⤷ Expediente: Rotina interna, sem poder decisório
7) Quanto à EFICÁCIA:
4) Quanto ao REGRAMENTO: ⤷ Válido: em conformidade com o direito
⤷ Nulo: vício insanável
⤷ Vinculado: Não pode escolher no caso concreto.
⤷ Anulável: vício sanável
⤷ Discricionário: Pode escolher no caso concreto.
⤷ Inexistente: parece ato, mas não é.

8) Quanto à EXEQUIBILIDADE:
⤷ Perfeito: completou ciclo de formação
⤷ Imperfeito: não completou o ciclo de formação
⤷ Pendente: não está apto para produzir efeitos
⤷ Consumado: já produziu efeitos; Definitivo.

Extinção dos atos administrativos

ANULAÇÃO: CADUCIDADE:
» Ilegalidade » Extinção do ato administrativo pelo
» Ex tunc (ato restritivo) surgimento de lei posterior incompatível com
» Ex nunc (ato ampliativo e boa-fé) o anteriormente praticado.
» Poder judiciário e administração
» Qualquer ato (vinculado e discricionário)

REVOGAÇÃO: CASSAÇÃO:
» Interesse público (conveniência e oportunidade) » Extinção do ato válido em função do
» Ex nunc descumprimento das condições de
» Somente a Administração manutenção.
» Atos irrevogáveis (vinculados; integrantes de procedimento; » Ex nunc.
Enunciativos; geraram direito adquirido) » Se dá pelo beneficiário, que deixa de
cumprir os requisitos.
169
Concurso Público
Realização para provimento de cargo efetivo

» Contratação temporária
» Cargo em comissão
» Agentes públicos da saúde e agentes de combate a endemias
» Prazo: 2 anos, prorrogáveis por + 2 anos.
» Provas: só provas ou provas e títulos
» Reserva de vagas: deficientes (Decreto nº 9.508/18)

Agentes Públicos
Toda pessoa física vinculada, definitiva ou transitoriamente, ao exercício de função
pública.
ADMINISTRATIVOS: POLÍTICOS:
» Vinculados à administração por relações de emprego. » Titulares de cargos localizados na cúpula
» Vinculados ao Estado e suas entidades governamental.
⤷ Servidores Públicos (temporarários, celetistas e » Políticos eleitos por voto popular
estatutários) » Membros do MP se enquadram aqui
⤷ Lei nº. 8.112
⤷ Regime próprio de previdência social » FORMAS DE PROVIMENTO:
⤷ Se enquadra nesse regime o servidor público. ⤷ Originário: Nomeação
⤷ Derivado: Promoção; Aproveitamento;
⤷ Empregados Públicos Readaptação; Reintegração; Recondução e Reversão.
⤷ Servidores Temporários

DELEGADOS: CREDENCIADOS:
» Particulares que recebem » Recebem poderes de
HONORÍFICOS:
responsabilidade de execução de representação do ente estatal para
» Exercem função pública determinados atos.
atividade, obra ou serviço público e o
transitoriamente.
realizam por conta própria, em nome
próprio e assumindo o risco, mas » Credenciado pela administração
» São convocados, designados quando o servidor que deveria atuar
seguindo as normas do Estado e sob
ou nomeados para cumprir enocntra-se impossibilitado.
fiscalização.
objetivos cívicos, culturais,
educacionais, recreativos ou
OBS: não são servidores públicos,
de assistência social.
apenas colaboradores do Poder
Públicos.
170
Acumulação de cargos públicos
» Em regra, é vedado, salvo, se haver EXCEÇÕES:
compatibilidade de horários. » EC nº 101/2019: militar do Estado e DF podem cumular:
» Deve ser respeitado: a) Professor
Art. 37, XI, CF b) Cargo da saúde
⤷ Teto remuneratório c) Técnico ou científico
⤷ É analisado em cada cargo, não » MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS: + cargo da saúde
ocorre a soma dos valores dos
cargos acumulados. 1) 2 cargos de Professor
2) 2 cargos de profissional da saúde com profissão regulamentada
» Em regra, a CF veda a acumulação 3) Cargo técnico = formação técnica ou científica = formação superior +
de cargos ou empregos públicos nos Professor
entes e, também, na Administração 4) Cargo efetivo + Vereador
Direta e Indireta. 5) Juiz + Professor
6) Membro do MP + Professor

Cargo em comissão x Função de confiança


Ocupante Qualquer pessoa, observados os Cargo efetivo
percentuais mínimos previstos no
Decreto nº. 9.021.
Ingresso Sem concurso público, observado o Previamente aprovado em concurso público
percentual mínimo para os servidores de
carreira.
Atribuições De responsabilidade do cargo que irá São conferidas atribuições e responsabilidades
ocupar
Funções Direção – Chefia -Assessoramento Direção – Chefia – Assessoramento
(STF entende que a direção não faz
parte)
Nomeação Livre nomeação e exoneração Livre designação e dispensa
e
exoneração

171
Improbidade Administrativa
» Ato ilegal cometido por Agente Público durante » ATOS:
o exercício da função pública. 1) Lesão ao patrimônio público:
» CONDUTAS: ⤷ Perda de função e dos bens
Ilegal ⤷ Ressarcimento
Desonesta ⤷ Multa até 2x o valor
Abusiva ⤷ Suspensão dos direitos políticos de 5 a 8 anos.
Incorreta ⤷ Proibição de contratar com o Poder Público por 5 anos.
NOVA HIPÓTESE (Lei nº. 13.650/18 no art. 11, X da 2) Enriquecimento ilícito:
Lei nº. 8.429/92: ⤷ Perda de função e dos bens
⤷ Prática de transferir recursos para instituições ⤷ Ressarcimento
provadas de saúde sem prévio contrato ou ⤷ Multa até 3x o valor
convênio. ⤷ Suspensão dos direitos políticos por 8 a 10 anos.
» GERAM: ⤷ Proibição de contratar com o Poder Público por 10 anos
Enriquecimento ilícito 3) Atos que atentam contra os princípios da Adm.
Prejuízo ao erário Pública:
Infringência aos princípios administrativos. . ⤷ Perda de função
» CONSEQUÊNCIA: ⤷ Ressarcimento
Punição do agente de acordo com a lei de ⤷ Multa até 100x o valor da remuneração
improbidade administrativa. ⤷ Suspensão dos direitos políticos por 3 a 5 anos.
SEM prejuízo das sanções penais cabíveis, ou seja, ⤷ Proibição de contratar com o Poder Público por 3 anos.
responde administrativamente e penalmente.

PENALIDADES: (art. 37, CF) PRESCRIÇÃO:


1) Ressarcimento do dano a) Em 5 anos, após o término do exercício do mandato (cargo em
2) Multa comissão ou função de confiança)
3) Perda da função pública
4) Perda do obtido ilicitamente b) Dentro do prazo previsto por legislação especial (faltas com demissão
5) Suspensão dos direitos políticos de cargo efetivo ou emprego).
6) Proibição de contratar com o Poder STF
Público. » As ações de ressarcimento ao erário fundadas na prática de ato de
improbidade administrativa somente são IMPRESCRITÍVEIS, se forem
MACETE DOLOSAS.
P erda da função pública ALTERAÇÃO DO PACOTE ANTICRIME:
A ção penal cabível » Art. 17. §1º: As ações de que trata este artigo admitem a celebração
R essarcimento do erário de acordo de não persecução cível (antes era vedado), nos termos
I ndisponibilidade dos bens desta Lei.
S uspensão dos direitos políticos » §10-A: Havendo a possibilidade de solução consensual, poderão as partes
requerer ao juiz a interrupção do prazo para a contestação, por prazo não
superior a 90 (noventa) dias.
172
Intervenção do Estado na Propriedade
TOMBAMENTO: SERVIDÃO ADMINISTRATIVA:
» Proteção do patrimônio: histórico e » Ônus real de uso (imposto pela Administração)
artístico » Realização e conservação (obras e serviços públicos)
» Bens: móveis e imóveis » Indenização (se houver prejuízo)
» Restrição parcial: fica no patrimônio » Registro de imóveis
do proprietário.
» Se mantido pelo proprietário: REQUISIÇÃO:
1) Pode pedir cancelamento » Necessidades coletivas (urgentes e transitórias)
2) Se não tiver condições financeiras » Utilização coativa de bens ou serviços particulares
» Indenização POSTERIOR.
LIMITAÇÃO ADMINISTRATIVA:
OCUPAÇÃO PROVISÓRIA
» Imposição geral: gratuita, unilateral e
de ordem pública. » Utilização temporária, remunerada e gratuita.
» Condiciona: direitos particulares e » Bens particulares
exigência do bem-estar social » Para a execução (obras, serviços, atividades públicas
e interesse público).
Ex: altura dos prédios na orla

1) COMUM (imóvel cumpre função *Modalidade SUPRESSIVA de » CONCEITO: Procedimento de


social): intervenção, pois provoca a PERDA Direito Público pelo qual o Poder
» Pressupostos: DA PROPRIEDADE. Público TRANSFERE para si a
⤷ Necessidade ou utilidade pública *NATUREZA JURÍDICA: propriedade de terceiros, por utilidade
⤷ Interesse social Procedimento Administrativo, quase pública ou interesse social, em regra,
⤷ Pagamento de forma PRÉVIA e sempre judicial também. mediante pagamento de indenização.
JUSTA de indenização em
DINHEIRO!
Desapropriação
1.1) De quem é a COMPETÊNCIA?
TODOS os ENTES federativos. 2) SANCIONATÓRIA: (não cumpre função social do imóvel):
⤷ A execução PODE ser delegada 2.1) Desapropriação URBANA:
aos entes da adm. indireta ou ⤷ Competência? MUNICÍPIO!
concessionária de serviços públicos ⤷ INDENIZAÇÃO: em títulos de dívida pública.
(Lei ou contrato) 2.2) Desapropriação RURAL (Reforma Agrária):
⤷ Competência? UNIÃO!
⤷ INDENIZAÇÃO: em títulos de dívida agrária, EXCETO benfeitorias úteis e
necessárias.
2.3.) Desapropriação EXPROPRIATÓRIA (confisco):
⤷ Competência? UNIÃO!
173
⤷ INDENIZAÇÃO: não há pagamento.
Responsabilidade Civil do Estado
» Obrigação de reparar danos patrimoniais
» Também chamada de responsabilidade extracontratual do Estado.
⤷ não decorre de descumprimento de contrato.
» TEORIAS:
1) Irresponsabilidade: não há RCE; Estado Absolutista.

2) Responsabilidade Subjetiva (Civilista): Administração = Particular; Prejudicado demonstrar dolo/ culpa do


agente; Responsabilidade do Direito Privado aplicado ao Direito Público.

3) Culpa administrativa (Subjetiva): Serviço público não funciona, funciona mal ou a destempo.
O ES é responsável pela prestação adequada do serviço.
Aplica-se a atos omissivos, o ônus da prova é do lesado.

4) Risco administrativo: Ato lesivo; Dano injusto; Nexo causal; Admitido atenuante e excludente.

5) Risco integral (Objetiva): SEM atenuante ou excludente.

» Art. 37, §6º, CF.


» O Estado responde pelos seus agentes de forma objetiva (exceto no caso de omissão), e terá direito de regresso
quanto ao agente causador do dano, caso provado seu dolo/culpa.

» Administração Pública = Responsabilidade Objetiva


» Agente = Responsabilidade Subjetiva em ação de regresso

» Responsabilidade Civil do Estado vai além do Estado, pois aborda todas as Pessoas Jurídicas de Direito Privado qye
atuem na prestação de serviço público (concessionárias e permissionárias)

» STF: a responsabilidade do Estado é objetiva independente se o terceiro lesionado seja ou não usuário do serviço
público que lhe causou dano.

» Para que haja a Responsabilidade do Estado, tem que ter: conduta, dano e nexo causal entre eles.

» Toda ação decorre da Teoria do Risco Administrativo, que é a adotada pelo Brasil.
OBS 1: Vai haver a responsabilidade independente da ilicitude ou elemento subjetivo.
OBS 2: Excludentes da Responsabilidade, que afastam a conduta, dano e nexo causal.

» Exclusão do nexo causal: caso fortuito, força maior e culpa exclusiva de terceiro. 174
OBJETO DE LICITAÇÃO:
» Obras » Permissões
» Alienações » Locações
» Compras » Serviços, inclusive de publicidade
» Concessões

VALORES: OBRIGADOS A LICITAR: » Princípio da Isonomia


1) Obras e engenharia: » União; E; DF; M; Empresas Públicas; » Proposta mais vantajosa para
a) Concorrência: até 3.300.000 Sociedades de economia mista; administração.
b) Tomada de preço: até 3.300.000 Autarquias e Fundações Públicas.
c) Convite: até 330.000,00
2) Compras e serviços: PRINCÍPIOS:
a) Concorrência: até 1.430.000,00 1) Explícitos: LIMPIPVIJO
b) Tomada de preço: até 1.430.000,00 Licitações » Legalidade » Igualdade
c) Convite: até 176.000,00 » Impessoalidade » Probidade
Lei nº. 8.666/93
» Moralidade » Julgamento
TIPOS DE LICITAÇÃO: » Publicidade Objetivo
MODALIDADES:
» Menor preço » Vinculação ao convocatório.
» Concorrência
» Melhor técnica 2) Implícitos:
» Tomada de Preço
» Técnica e preço » Sigilo das propostas
» Convite
» Maior lance ou oferta » Obrigatoriedade
» Concurso
NÃO PRECISA DE LICITAÇÃO: » Competitividade
» Leilão
» Dispensada » Procedimento formal
» Pregão
» Dispensável » Ampla defesa e contraditório
» Consultor
» Inexigível » Adjudicação Compulsória
» Consórcio

Dispensa
1) Em razão da pessoa: 1I) Permuta: entre adm. pública
» Organização sindical III) Venda:
» Instituição científica e tecnológica a) Ações: poder ser negociado na bolsa
» Programa b) Títulos
c) Bens produzidos ou comercializados pelas entidades
2) Alienação (art. 17, LLC) d) Materiais e equipamentos inservíveis.
» Imóveis
» Móveis: avaliação prévia » Contratação de instituição ou organização
⤷ Casos: » Bens e serviços para militares das Forças Singulares
I) Doação: » Cooperativa/Associação
a) Pelo interesso social
b) Após avaliação (oportunidade e conveniência
socioeconômica
175
c) Relativo à escolha de outra forma de alienação
Inexigibilidade da Licitação
HIPÓTESES
» A dispensa e a inexigibilidade de licitação são 1) Por ausência de pluralidades alternativas
situações que a administração pode contratar sem a 2) Por ausência de mercado concorrencial
necessidade de realização do procedimento licitatório. 3) Por impossibilidade de julgamento objetivo
4) Por ausência de definição objetiva da prestação;
» Deriva da inviabilidade de competição pelo Poder » Sempre que a competição for impossível, a
Público. licitação será inexigível.

Cláusulas Exorbitantes
» Lei 8.666/93 » OBS 1: são comuns em contratos administrativos, mas
» Art. 58 consideradas ilícitas em contratos entre particulares.
MACETE
F iscalização do contrato » OBS 2: são benefícios que a administração pública tem sobre o
A lteração unilateral particular e que se justificam na supremacia do interesse público
R escisão unilateral sobre o privado.
A plicação direta de sanção
O cupação temporária » OBS 3: é prerrogativa da administração pública, colocando-a em
posição superior à outra parte.

Extinção do Contrato Administrativo


MACETE: É FFRACA *Alteração legislativa:
» Decreto nº. 9.412/2018: atualizou os valores previstos
E ncampação no art. 23 da Lei de Licitações!
F alecimento
F alência
R escisão
A nulação
C aducidade
A dvento do termo contratual

176
Serviços Públicos
A competência é distribuída pela CF, assegurando que um ente federado não tem
autoridade sobre os outros por não existir hierarquia entre União, Estados, Municípios
e DF.

As esferas dos entes não se confundem nesse sentido.

Art. 20 e 21, CF Art. 25, §Iº, §2º e §3º, CF


Competências da UNIÂO Competências do ESTADO:
As demais que não estão listadas
Art. 30, I e V, CF expressamente na CF, que não estão
Competências do MUNICÍPIO: vedadas e que não tenham sido
Organizar e prestar, diretamente ou atribuídas à União ou aos Municípios.
sob regime de concessão ou
permissão, os serviços públicos de Os Estados tem competência
interesse local, incluído o de transporte remanescente (o que sobra)
coletivo (público). EXCETO a distribuição de serviço de
gás canalizado
É QUEM PRESTA A MAIOR PARTE
DOS SERVIÇOS PÚBLICOS

Concessão:
⤷ Forma de contrato » Licitação: concorrência
⤷ Tarifas (não é tributo) ⤷ Com PJ e Consórcios
⤷ Precedida de execução de obra, primeiro constrói, ⤷ Pode ser de uso de bem público e de serviços
reforma, amplia e melhora as obras públicas (por sua públicos
conta o risco) e depois explora (prazo e autorização do ⤷ Delegam a transferência de execução e a titularidade
investimento). continua com concedente.
⤷ Exige autorização legislativa » Formas de extinção:
⤷ Prazo: determinado
⤷ Advento do tempo contratual: fim do prazo
⤷ Predominante interesse público
⤷ Encampação: por interesse público
⤷ + estável
⤷ Caducidade: descumprimento pela empresa
⤷ Subconcessão: só com autorização
⤷ Rescisão pela concessionária: ação judicial
(descumprimento pela concedente)
⤷ Anulação: Ilegalidade
⤷ Falência: extinção ou falecimento
⤷ Indenização: bens não depreciados 177
Permissão:

⤷ Formalização por:
Contrato de adesão (serviço público) ou Ato
administrativo (uso de bem público)
⤷ Com pessoa física ou jurídica
⤷ Em regra, NÃO exige autorização legislativa
⤷ Prazo: Indeterminado
⤷ Delegam:
Precário
Titularidade continua com concedente
Conta e risco (permissionárias)
⤷ Licitação: qualquer modalidade

Consórcios Públicos
Lei nº. 11.107/2005
» Conceito:
» Consórcio administrativo é o acordo de vontades » Correspondem ao ajuste de vontades firmados
entre duas ou mais pessoas jurídicas públicas da por entidades estatais da MESMA ESPÉCIE
mesma natureza e mesmo nível de governo ou (Municípios e estados-Membros), visando
entre entidades da administração indireta para a interesses comuns, na execução haverá emprego
consecução de objetivos comuns (MARIA SYLVIA de RECURSOS PÚBLICOS (fiscalizado pelo Tribunal
DI PIETRO) de Contas)

» Estabelece-se a criação de uma comissão


executiva encarregada de sua administração e a
responsabilidade recairá em TODOS os partícipes
do consórcio.

178
Parceria Público Privada
Lei Federal nº. 11.079/2004

» Conceito: » Modalidades:
» É o contrato administrativo de concessão na 1) PATROCINADA:
modalidade patrocinada ou administrativa, instituído ⤷ Tipo de concessão cujos serviços são desfrutados
pela Lei Federal nº. 11.079/2004. diretamente por PARTICULARES, através de TARIFAS, mas
» É um tipo de concessão. com parte do serviço entregue para a POPULAÇÃO PAGA
pelo PARCEIRO PÚBLICO.
⤷ Ex: Metrô.

2) ADMINISTRATIVA:
⤷ Tipo de concessão em que a administração pública é
USUÁRIA direta ou indireta do serviço público concedido.
⤷ O parceiro privado será remunerado pelos recursos
públicos orçamentários após a entrega do contratado.
⤷ Ex: Concessão para remoção do lixo, construção de
presídio, etc.

Controle da Administração Pública


» Conceito: » Como é regulamentado?
» Faculdade de vigilância, orientação e correção Através de vários atos normativos, que trazem
que um poder. Órgão ou autoridade exerce sobre regras, modalidades e instrumentos para a
a conduta funcional de outro. organização desse controle.

» Maria Sylvia di Pietro: » Art. 37, CF


A finalidade do controle é “assegurar que a Assegura a atuação da adm. de acordo com os
administração atue em consonância com os princípios jurídicos, abrangendo os poderes
princípios que lhe são impostos pelo ordenamento legislativo, executivo e judiciário.
jurídico, como os da finalidade pública, moralidade,
legalidade, publicidade motivação, impessoalidade;
em determinadas circunstâncias, abrange também » O controle da adm. é exercitável em todos os
o controle chamado de mérito e que diz respeito Poderes do Estado, devendo-se estender à toda
aos aspectos discricionários da atuação atividade administrativa e todos seus agentes.
administrativa”.
179
Classificação das formas de controle
Quanto ao fundamento: Quanto ao momento do exercício:
» Hierárquico: Relacionado aos órgãos do Poder » Controle prévio ou preventivo:
Executivo. ⤷ Praticado ANTES do início ou da conclusão do ato
⤷ Os órgãos inferiores estão subordinados aos administrativo
superiores. ⤷ Verificada a eficácia e validade.
⤷ Dele decorrem as faculdades de supervisão, » Controle concomitante:
coordenação, orientação, fiscalização, aprovação, ⤷ Praticado DURANTE o ato, acompanhando a realização
revisão e avocação das atividades administrativas. dele.
⤷ As autoridades fazem o acompanhamento, ⤷ É verificada a regularidade de sua formação.
orientação e reveem as atividades dos servidores. » Controle subsequente ou corretivo:
» Finalístico: ⤷ Exercido APÓS a conclusão do ato.
⤷ É o controle da administração direta sobre a indireta ⤷ Deve corrigir eventuais defeitos;
⤷ Controle de legalidade da atuação administrativa ⤷ Deve declarar a sua nulidade;
⤷ Apuração do cumprimento do programa geral do ⤷ Deve possuir eficácia.
Governo determinado em lei ⤷ Ex: A homologação na licitação
⤷ Não tem fundamento hierárquico, porque não há ⤷ O controle judicial dos atos administrativos, por via de
subordinação entre a órgão controlador e controlado. REGRA, é um controle subsequente.
⤷ Ex: A administração Indireta controlada pela Direta,
ausente a hierarquia entre elas.

» Quanto ao órgão que o exerce: Meios de controle do P. Judiciário:


HC; HD; M. de S. Individual; M. de S. Coletivo;
Ação Popular e Ação Civil Pública
» Controle Administrativo:
É o controle que o Poder Executivo e os órgãos de administração dos outros poderes quando praticam suas próprias atividades, sob
os pilares da legalidade e do mérito, para conservá-las dentro da lei, por iniciativa própria ou por provocação.
1) Fiscalização hierárquica: efetuada pelos órgãos superiores sobre os inferiores da mesma administração.
2) Recursos administrativos: Meios que oportunizam a provocação do reexame de decisões internas tomadas pela administração. É
possível a intervenção de terceiros e pode a interposição “ex officio” ou pelas partes. Também podem ter efeito devolutivo ou
suspensivo.

» Controle Legislativo:
Atinge os órgãos do Poder Executivo, as entidades da administração indireta e o poder judiciário, quando executada a função
administrativa.
1) Controle político: Congresso Nacional, Assembleia legislativa e Câmaras Municipais ou por comissões parlamentares.
2) Controle financeiro: Fiscalização financeira e orçamentária. A TCU auxilia no controle externo, buscando confirmar a probidade da
administração, a regularidade da guarda e do emprego dos bens, valores e dinheiro público e a fiel execução do orçamento.

» Controle Judiciário:
Praticado pelos órgãos do Poder Judiciário sobre os atos administrativos dos poderes Executivo, Legislativo e do próprio Judiciário,
quando efetivadas as atividades administrativas.
⤷ Os atos da Adm. Pública podem ser examinados, no aspecto da legalidade e legitimidade do impugnado.
⤷ Averiguada a conformidade do ato com a norma legal que o guia
180
⤷ CF prevê ações específicas de controle da adm. púb.: REMÉDIOS CONSTITUCIONAIS (garantem os direitos fundamentais).
Personalidade Criação Finalidades Responsabilidade Imunidade Vínculo de Competência
Jurídica Civil Tributária Trabalho Jurisdicional
Autarquias PÚBLICO LEI CRIA Atividades OBJETIVA SIM ESTATUTO Justiça
por: Típicas 8.102/90 Comum:
» Concurso Do JEF
Público
Estado JE
» Licitação
» Contrato
adm.
» Bens
públicos
Fundações PRIVADO LEI SEM OBJETIVA SIM ESTATUTO Justiça
Públicas Pública: AUTORIZA FINS Comum:
Autarquia + LUCRATIVOS JF
REGISTRO Lei JE
Complementar
Empresas Públicas PRIVADO LEI PSP OBJETIVA SIM J. do Trabalho
ORDINÁRIA Prestadora de
LICITAÇÃO + Serviço Público JC:
(Normas de Dir.
REGISTRO JF
Público)
Regime CLT JE
ou
Híbrido =
normas EAE
públicas e Exploradora de
privadas atv. Econômica SUBJETIVA NÃO
(Normas de Dir.
Privado)
Sociedades PRIVADO LEI J. do
De ORDINÁRIA PSP OBJETIVA SIM Trabalho
LICITAÇÃO Regime ou CLT JC: JE
Economia
Híbrido = EAE SUBJETIVA NÃO
Mista normas
públicas e
privadas

181
Súmula 15: O cálculo de gratificações e outras
Súmulas vantagens do servidor público não incide
sobre o abono utilizado para se atingir o
salário mínimo.
Vinculantes
Súmula 16: Os artigos 7º, IV, e 39, § 3º
(redação da EC 19/98), da Constituição,
Súmula 3: Nos processos perante o Tribunal referem-se ao total da remuneração
de Contas da União asseguram-se o percebida pelo servidor público.
contraditório e a ampla defesa quando da
decisão puder resultar anulação ou Súmula 20: A Gratificação de Desempenho
revogação de ato administrativo que de Atividade Técnico-Administrativa -
GDATA, instituída pela Lei nº 10.404/2002,
beneficie o interessado, excetuada a
deve ser deferida aos inativos nos valores
apreciação da legalidade do ato de concessão
correspondentes a 37,5 (trinta e sete vírgula
inicial de aposentadoria, reforma e pensão. cinco) pontos no período de fevereiro a maio
de 2002 e, nos termos do artigo 5º,
Súmula 4: Salvo nos casos previstos na parágrafo único, da Lei nº 10.404/2002, no
Constituição, o salário mínimo não pode ser período de junho de 2002 até a conclusão
usado como indexador de base de cálculo de dos efeitos do último ciclo de avaliação a que
vantagem de servidor público ou de se refere o artigo 1º da Medida Provisória no
empregado, nem ser substituído por decisão 198/2004, a partir da qual passa a ser de 60
judicial. (sessenta) pontos.

Súmula 5: A falta de defesa técnica por Súmula 21: É inconstitucional a exigência de


depósito ou arrolamento prévios de dinheiro
advogado no processo administrativo
ou bens para admissibilidade de recurso
disciplinar não ofende a Constituição.
administrativo.
Súmula 6: Não viola a Constituição o Súmula 33: Aplicam-se ao servidor público, no
estabelecimento de remuneração inferior ao que couber, as regras do regime geral da
salário mínimo para as praças prestadoras de previdência social sobre aposentadoria
serviço militar inicial. especial de que trata o artigo 40, § 4º, inciso
III da Constituição Federal, até a edição de lei
Súmula 13: A nomeação de cônjuge, complementar específica.
companheiro ou parente em linha reta,
colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, Súmula 37: Não cabe ao Poder Judiciário, que
inclusive, da autoridade nomeante ou de não tem função legislativa, aumentar
servidor da mesma pessoa jurídica investido vencimentos de servidores públicos sob o
em cargo de direção, chefia ou fundamento de isonomia.
assessoramento, para o exercício de cargo
em comissão ou de confiança ou, ainda, de Súmula 42: É inconstitucional a vinculação do
função gratificada na administração pública reajuste de vencimentos de servidores
direta e indireta em qualquer dos poderes da estaduais ou municipais a índices federais de
União, dos Estados, do Distrito Federal e dos correção monetária.
Municípios, compreendido o ajuste mediante
designações recíprocas, viola a Constituição Súmula 43: É inconstitucional toda modalidade
Federal. de provimento que propicie ao servidor
investir-se, sem prévia aprovação em
concurso público destinado ao seu

182
provimento, em cargo que não integra a
carreira na qual anteriormente investido. Súmula 20: É necessário processo
administrativo com ampla defesa, para
Súmula 44: Só por lei se pode sujeitar a demissão de funcionário admitido por
exame psicotécnico a habilitação de candidato concurso.
a cargo público.
Súmula 21: Funcionário em estágio probatório
Súmula 49: Ofende o princípio da livre
não pode ser exonerado nem demitido sem
concorrência lei municipal que impede a
instalação de estabelecimentos comerciais do inquérito ou sem as formalidades legais de
mesmo ramo em determinada área. apuração de sua capacidade.

Súmula 55: O direito ao auxílio-alimentação Súmula 22: O estágio probatório não protege
não se estende aos servidores inativos. o funcionário contra a extinção do cargo.

Súmulas do STF Súmula 23: Verificados os pressupostos legais


para o licenciamento da obra, não o impede
OAB a declaração de utilidade pública para
desapropriação do imóvel, mas o valor da
Súmula 8: Diretor de sociedade de economia obra não se incluirá na indenização, quando a
mista pode ser destituído no curso do desapropriação for efetivada.
mandato.
Súmula 25: É ilícita a prisão civil de
Súmula 15: Dentro do prazo de validade do depositário infiel, qualquer que seja a
concurso, o candidato aprovado tem direito à modalidade de depósito.
nomeação, quando o cargo for preenchido
sem observância da classificação. Súmula 36: Compete à Justiça Federal
comum processar e julgar civil denunciado
Súmula 16: Funcionário nomeado por pelos crimes de falsificação e de uso de
concurso tem direito à posse. documento falso quando se tratar de
falsificação da Caderneta de Inscrição e
Súmula 16: Funcionário nomeado por Registro (CIR) ou de Carteira de Habilitação de
concurso tem direito à posse. Amador (CHA), ainda que expedidas pela
Marinha do Brasil.
Súmula 17: A nomeação de funcionário sem
concurso pode ser desfeita antes da posse. Súmula 39: Compete privativamente à União
legislar sobre vencimentos dos membros das
Súmula 18: Pela falta residual, não polícias civil e militar e do corpo de bombeiros
compreendida na absolvição pelo juízo militar do Distrito Federal.
criminal, é admissível a punição administrativa
do servidor público. Súmula 46: A definição dos crimes de
responsabilidade e o estabelecimento das
Súmula 19: A taxa cobrada exclusivamente em respectivas normas de processo e
razão dos serviços públicos de coleta, julgamento são de competência legislativa
remoção e tratamento ou destinação de lixo privativa da União.
ou resíduos provenientes de imóveis não
viola o artigo 145, II, da Constituição Federal.

183
Súmula 47: Os honorários advocatícios Súmula 397: O poder de polícia da Câmara
incluídos na condenação ou destacados do dos Deputados e do Senado Federal, em
montante principal devido ao credor caso de crime cometido nas suas
consubstanciam verba de natureza alimentar dependências, compreende, consoante o
cuja satisfação ocorrerá com a expedição de regimento, a prisão em flagrante do acusado
precatório ou requisição de pequeno valor, e a realização do inquérito.
observada ordem especial restrita aos
créditos dessa natureza. Súmula 416: Pela demora no pagamento do
preço da desapropriação não cabe
Súmula 157: É necessária prévia autorização indenização complementar além dos juros.
do Presidente da República para
desapropriação, pelos Estados, de empresa Súmula 419: Os municípios têm competência
de energia elétrica. para regular o horário do comércio local,
desde que não infrinjam leis estaduais ou
Súmula 164: No processo de desapropriação, federais válidas.
são devidos juros compensatórios desde a
antecipada imissão de posse, ordenada pelo Súmula 473: A administração pode anular
juiz, por motivo de urgência. seus próprios atos, quando eivados de vícios
que os tornam ilegais, porque deles não se
Súmula 238: Em caso de acidente do originam direitos; ou revogá-los, por motivo
trabalho, a multa pelo retardamento da de conveniência ou oportunidade, respeitados
liquidação é exigível do segurador sub- os direitos adquiridos, e ressalvada, em todos
rogado, ainda que autarquia. os casos, a apreciação judicial.

Súmula 266: Não cabe mandado de Súmula 475: A Lei 4.686, de 21-6-1965, tem
segurança contra lei em tese. aplicação imediata aos processos em curso,
inclusive em grau de recurso extraordinário.
Súmula 346: A Administração Pública pode
declarar a nulidade dos seus próprios atos. Súmula 476: Desapropriadas as ações de
uma sociedade, o Poder desapropriante,
Súmula 339: Não cabe ao Poder Judiciário, imitido na posse, pode exercer, desde logo,
que não tem função legislativa, aumentar todos os direitos inerentes aos respectivos
vencimentos de servidores públicos sob títulos.
fundamento de isonomia.
Súmula 477: As concessões de terras
Súmula 359: Ressalvada a revisão prevista em devolutas situadas na faixa de fronteira, feitas
lei, os proventos da inatividade regulam-se pelos Estados, autorizam, apenas, o uso,
pela lei vigente ao tempo em que o militar, permanecendo o domínio com a União, ainda
ou o servidor civil, reuniu os requisitos que se mantenha inerte ou tolerante, em
necessários. (alterada) relação aos possuidores.

Súmula 378: Na indenização por Súmula 479: As margens dos rios navegáveis
desapropriação incluem-se honorários do são de domínio público, insuscetíveis de
advogado do expropriado. expropriação e, por isso mesmo, excluídas de
indenização.

184
Súmula 480: Pertencem ao domínio e Súmula 652: Não contraria a Constituição o
administração da União, nos termos dos arts. art. 15, § 1º, do Decreto-lei 3365/1941 (Lei da
4º, IV, e 186, da Constituição Federal de 1967, desapropriação por utilidade pública).
as terras ocupadas por silvículas.
Súmula 671: Os servidores públicos e os
Súmula 496: São válidos, porque trabalhadores em geral têm direito, no que
salvaguardados pelas Disposições concerne à URP de abril/maio de 1988, apenas
Constitucionais Transitórias da Constituição ao valor correspondente a 7/30 de 16,19%
Federal de 1967, os decretos-leis expedidos sobre os vencimentos e salários pertinentes
entre 24 de janeiro e 15 de março de 1967. aos meses de abril e maio de 1988, não
cumulativamente, devidamente corrigido até
Súmula 561: Em desapropriação, é devida a o efetivo pagamento.
correção monetária até a data do efetivo
pagamento da indenização, devendo Súmula 672: O reajuste de 28,86%,
proceder-se à atualização do cálculo, ainda concedido aos servidores militares pelas leis
que por mais de uma vez. 8622/1993 e 8627/1993, estende-se aos
servidores civis do Poder Executivo,
Súmula 567: A Constituição, ao assegurar, no observadas as eventuais compensações
§ 3º do art. 102, a contagem integral do tempo decorrentes dos reajustes diferenciados
de serviço público federal, estadual ou concedidos pelos mesmos diplomas legais.
municipal para os efeitos de aposentadoria e
disponibilidade não proíbe à União, aos Súmula 682: Não ofende a Constituição a
Estados e aos Municípios mandarem contar, correção monetária no pagamento com
mediante lei, para efeito diverso, tempo de atraso dos vencimentos dos servidores
serviço prestado a outra pessoa de direito públicos.
público interno.
Súmula 683: O limite de idade para a inscrição
Súmula 617: A base de cálculo dos honorários em concurso público só se legitima em face
de advogado em desapropriação é a do art. 7º, XXX, da Constituição, quando
diferença entre a oferta e a indenização, possa ser justificado pela natureza das
corrigidas ambas monetariamente. atribuições do cargo a ser preenchido.

Súmula 618: Na desapropriação, direta ou Súmula 684: É inconstitucional o veto não


indireta, a taxa dos juros compensatórios é de motivado à participação de candidato a
12% (doze por cento) ao ano. concurso público.

Súmula 645: É competente o município para Súmula 726: Para efeito de aposentadoria
fixar o horário de funcionamento de especial de professores, não se computa o
estabelecimento comercial. tempo de serviço prestado fora da sala de
aula.
Súmula 650: Os incisos I e XI do art. 20 da
Constituição Federal não alcançam terras de Súmulas do STJ
aldeamentos extintos, ainda que ocupadas por
indígenas em passado remoto. OAB

185
Súmula 12: Em desapropriação, são Súmula 114: Os juros compensatórios, na
cumuláveis juros compensatórios e desapropriação indireta, incidem a partir da
moratórios. ocupação, calculados sobre o valor da
indenização, corrigido monetariamente.
Súmula 56: Na desapropriação para instituir
servidão administrativa são devidos os juros Súmula 131: Nas ações de desapropriação
compensatórios pela limitação de uso da incluem-se no cálculo da verba advocatícia as
propriedade. parcelas relativas aos juros compensatórios e
moratórios, devidamente corrigidas.
Súmula 67: Na desapropriação, cabe a
atualização monetária, ainda que por mais de Súmula 137: Compete à Justiça Comum
uma vez, independe do decurso de prazo Estadual processar e julgar ação de servidor
superior a um ano entre o cálculo e o efetivo público municipal, pleiteando direitos relativos
pagamento da indenização. ao vínculo estatutário.

Súmula 69: Na desapropriação direta, os juros Súmula 141: Os honorários de advogado em


compensatórios são devidos desde a desapropriação direta são calculados sobre a
antecipada imissão na posse e, na diferença entre a indenização e a oferta,
desapropriação indireta, a partir da efetiva corrigidas monetariamente.
ocupação do imóvel.
Súmula 170: Compete ao juízo onde primeiro
Súmula 70: Os juros moratórios, na for intentada a ação envolvendo acumulação
desapropriação direta ou indireta, contam-se de pedidos, trabalhista e estatutário, decidi-la
desde o trânsito em julgado da sentença. nos limites da sua jurisdição, sem prejuízo do
ajuizamento de nova causa, com o pedido
Súmula 97: Compete à Justiça do Trabalho remanescente, no juízo próprio.
processar e julgar reclamação de servidor
público relativamente a vantagens trabalhistas Súmula 173: Compete à Justiça Federal
anteriores à instituição do regime jurídico processar e julgar o pedido de reintegração
único. em cargo público federal, ainda que o
servidor tenha sido dispensado antes da
Súmula 102: A incidência dos juros moratórios instituição do Regime Jurídico Único.
sobre os compensatórios, nas ações
expropriatórias, não constitui anatocismo Súmula 218: Compete à Justiça dos Estados
vedado em lei. processar e julgar ação de servidor estadual
decorrente de direitos e vantagens
Súmula 103: Incluem-se entre os imóveis estatutárias no exercício de cargo em
funcionais que podem ser vendidos os comissão.
administrados pelas Forças Armadas e
ocupados pelos servidores civis. Súmula 266: O diploma ou habilitação legal
para o exercício do cargo deve ser exigido
Súmula 113: Os juros compensatórios, na na posse e não na inscrição para o concurso
desapropriação direta, incidem a partir da público.
imissão na posse, calculados sobre o valor da
indenização, corrigido monetariamente.

186
Súmula 354: A invasão do imóvel é causa de Súmula 611: Desde que devidamente motivada
suspensão do processo expropriatório para e com amparo em investigação ou
fins de reforma agrária. sindicância, é permitida a instauração de
processo administrativo disciplinar com base
Súmula 373: É ilegítima a exigência de em denúncia anônima, em face do poder-
depósito prévio para admissibilidade de dever de autotutela imposto à Administração.
recurso administrativo.
Súmula 615: Não pode ocorrer ou
Súmula 377: O portador de visão monocular permanecer a inscrição do município em
tem direito de concorrer, em concurso cadastros restritivos fundada em
público, às vagas reservadas aos deficientes. irregularidades na gestão anterior quando, na
gestão sucessora, são tomadas as
Súmula 378: Reconhecido o desvio de providências cabíveis à reparação dos danos
função, o servidor faz jus às diferenças eventualmente cometidos.
salariais decorrentes.
Súmula 633: A Lei 9.784/1999, especialmente
Súmula 408: Nas ações de desapropriação, no que diz respeito ao prazo decadencial para
os juros compensatórios incidentes após a revisão de atos administrativos no âmbito
a Medida Provisória 1.577, de 11/06/1997, devem da Administração Pública federal, pode ser
ser fixados em 6% ao ano até 13/09/2001 e, a aplicada, de forma subsidiária, aos estados e
partir de então, em 12% ao ano, na forma municípios, se inexistente norma local e
da Súmula 618/STF. específica que regule a matéria.

Súmula 467: Prescreve em cinco anos, Súmula 634: Ao particular aplica-se o mesmo
contados do término do processo regime prescricional previsto na Lei de
administrativo, a pretensão da Administração Improbidade Administrativa para o agente
Pública de promover a execução da multa público.
por infração ambiental.
Súmula 635: Os prazos prescricionais
Súmula 591: É permitida a prova emprestada previstos na Lei 8.112/1990, art. 142 iniciam-se na
no processo administrativo disciplinar, desde data em que a autoridade competente para
que devidamente autorizada pelo juízo a abertura do procedimento administrativo
competente e respeitados o contraditório e a toma conhecimento do fato, interrompem-se
ampla defesa. com o primeiro ato de instauração válido -
sindicância de caráter punitivo ou processo
Súmula 592: O excesso de prazo para a disciplinar - e voltam a fluir por inteiro, após
conclusão do processo administrativo decorridos 140 dias desde a interrupção.
disciplinar só causa nulidade se houver
demonstração de prejuízo à defesa. Súmula 636: A folha de antecedentes
criminais é documento suficiente a
Súmula 601: O Ministério Público tem comprovar os maus antecedentes e a
legitimidade ativa para atuar na defesa de reincidência.
direitos difusos, coletivos e individuais
homogêneos dos consumidores, ainda que
decorrentes da prestação de serviço público.

187
STF. Plenário. Pet 3240 AgR/DF, rel. Min.
Teori Zavascki, red. p/ o ac. Min. Roberto
Barroso, julgado em 10/5/2018 (Info 901).
São imprescritíveis as ações de
Alterações ressarcimento ao erário fundadas na prática
de ato doloso tipificado na Lei de Improbidade
Legislativas Administrativa.
STF. Plenário. RE 852475/SP, Rel. orig. Min.
Lei nº 13. 650/2018: acrescenta nova hipótese Alexandre de Moraes, Rel para acórdão Min.
de improbidade administrativa (art. 11, X da Lei Edson Fachin, julgado em 08/08/2018
8.429/92): prática de transferir recursos para (repercussão geral) (Info 910).
instituições privadas de saúde sem prévio
contrato ou convênio.
Lei nº. 9.412/2018: atualizou os valores previsto
no art. 23. da Lei de Licitações.
Lei nº. 13.821/2019: limita as exigências legais de
regularidade, por ocasião da celebração de
convênios com a União, ao próprio consórcio
público envolvido, sem estendê-las aos entes
federativos nele consorciados.
Lei nº. 13.822/2019: estabelece que, no
consórcio público com personalidade jurídica
de direito público, o pessoal será regido pela
Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Jurisprudências
Os agentes políticos, com exceção do
Presidente da República, encontram-se
sujeitos a duplo regime sancionatório, de
modo que se submetem tanto à
responsabilização civil pelos atos de
improbidade administrativa quanto à
responsabilização político-administrativa por
crimes de responsabilidade.
O foro especial por prerrogativa de função
previsto na Constituição federal em relação
às infrações penais comuns não é extensível
às ações de improbidade administrativa.

188
9.
DIREITO
CIVIL

@contemdireito_ 189
Das pessoas naturais e jurídicas
» Personalidade Jurídica: » Capacidade: Direito e Fato
1) Personalizados: pessoa física e jurídica
2) Entes despersonalizados: capacidade judiciária » Outorga (Vênia conjugal):
(massa falida, herança jacente e herança vacante). 1) Uxória: autorização feita pela esposa
2) Marital: autorização feita pelo marido
» Pessoa física: teoria NATALISTA
A personalidade começa com o nascimento com vida » Súmula 332, STJ:
Registro: ato declaratório, eficácia “ex tunc”: A ausência de outorga no contrato de fiança ocasionará
Retroage à data do nascimento. a ineficácia total da garantia.

» Nascituro: » Venda de ascendente para descendente:


1) Formal: adquirida desde a concepção. Depende de autorização expressa de todos sob pena
Possui direitos de fundo extrapatrimoniais (VIDA) de anulabilidade.
2) Material: aguardando o nascimento com vida Salvo casados no regime de separação obrigatória
Fundo patrimonial (PROPRIEDADE)
RELATIVAMENTE CAPAZ ASSISTIDO
ABSOLUTAMENTE INCAPAZ REPRESENTADO

» Cessação da incapacidade: » Corporações:


1) Objetiva: maioridade
2) Subjetiva: revisão do processo de interdição ASSOCIAÇÕES SOCIEDADE
Ato constitutivo: Ato constitutivo:
*Emancipação é outra forma Estatuto Contrato Social
Associados Sócios
» Emancipação (não precisa de declaração judicial Não tem direitos e Tem direitos e deveres
(automática): deveres entre si entre si
1) Voluntária: concedido pelos pais ou 1 deles, por Finalidade ideal Finalidade lucrativa
instrumento público.
2) Judicial: por meio de processo judicial, com parecer
do MP.
3) Legal:
a) Pelo casamento
b) Exercício de emprego público efetivo
c) Colação de grau em ensino superior
d) O estabelecimento civil ou comercial ou a existência
de relação de emprego.

190
Extinção da pessoa física
Sem procedimento de ausência
⤷ No caso de desaparecimento por causa de campanha ou prisão (se não for
encontrado após 2 anos).
⤷ Quando extremamente provável a morte
Real
Morte presumida ou morte civil ou ficta mortis
Morte
Com procedimento de ausência
Ficta ou ⤷ 1ª fase: curadoria de bens do ausente (1 ano, prorrogável +3)
presumida ⤷ 2ª fase: sucessão provisória (prazo no edital)
⤷ 3ª fase: sucessão definitiva (10 anos após o trânsito em julgado da sentença)

Comoriência: declaração de morte simultânea.

Pessoa Jurídica
Conjunto de pessoas ou bens, dotados de personalidade jurídica própria e constituído
na forma da lei, para realização de fins comuns.
Art. 2º, CC.

Pessoa Jurídica de Direito Público Pessoa Jurídica de Direito Privado


» Direito Público Interno: » Associações; Sociedades; Fundações;
1) União; Organizações religiosas; Partidos Políticos e
2) Estados; Distrito Federal e Territórios; empresas individuais de responsabilidade limitada.
3) Municípios;
4) Autarquias, inclusive as associações públicas; » A existência da pessoa jurídica começa na
5) Demais entidades de caráter público criadas por INSCRIÇÃO do ato constitutivo sem registro,
lei. realizando também, quando necessário, aprovação
» Direito Público Externo: do Poder Executivo
Estados estrangeiros e todas as pessoas que » Decadência?
forem regidas pelo direito internacional público. Decai em 3 anos o direito de anular a constituição
das pessoas jurídicas de direito privado a partir do
dia realizado sua inscrição no registro.

191
Domicílio
1) NECESSÁRIO OU LEGAL 2) VOLUNTÁRIO 3) ELEIÇÃO
» Originário: do recém-nascido » Ato de livre vontade com » Fixado em contrato escrito
» Legal: determinado por lei ânimo definitivo. » A eleição do foro só pode ser
RESIDÊNCIA invocada quando prevalece o
» Arts. 76 e 77, CC:
princípio da igualdade (quando
1) Incapaz: do seu representante ou » Lugar que a pessoa habita com se celebra um contrato e elege-
assistente. intenção de PERMANECER,
se um foro) entre as partes.
mesmo que se ausente por um
2) Servidor: é o lugar que exerce tempo. » Foro de eleição (art. 63, CC):
permanentemente suas funções.
DOMICÍLIO Local escolhido em cláusula
3) Militar: onde servir, sendo da Marinha ou negocial, pelas partes do
da Aeronáutica, a sede do comando a que » Lugar que a pessoa estabelece negócio jurídico, para julgar
se encontrar imediatamente subordinado. residência com ânimo definitivo. litígios a ele relacionados.
4) Marítimo: onde o navio estiver MORADIA OU HABITAÇÃO
matriculado.
» Local onde a pessoa permanece ⤷ Se for o caso de não possuir
5) Preso: lugar onde cumprir sentença (não ACIDENTALMENTE, residência habitual, seu domicílio
onde foi condenado); temporariamente, SEM o intuito será o local onde for encontrada.
6) Agente Diplomático do Brasil: quando de ficar. ⤷ Com relação à profissão, o
citado no estrangeiro, alegar ⤷ Caso a pessoa viva em várias local onde a pessoa exerce suas
extraterritorialidade, sem designar, onde tem, residências, cada uma delas será atividades também é domicílio
no país, o seu domicílio, poderá ser considerada seu domicílio.
(se exercer em vários, cada um
demandado no DF ou no último ponto do
será domicílio).
território brasileiro onde o teve.

Negócios Jurídicos
1) Vícios da vontade ou consentimento: NULO:
» ERRO VÍCIO NA » Art. 166
» DOLO FORMAÇÃO DA VONTADE » Celebrado por pessoa absolutamente incapaz.
» COAÇÃO Ilícito
» LESÃO PREJUDICADO É UM DOS Impossível ou indeterminado
» ESTADO DE PERIGO CONTRATANTES Motivo ilícito
Fraude como objeto
2) Vícios sociais: Lei taxar nulo
VÍCIO NA ANULÁVEL:
» FRAUDE CONTRA CREDORES
VONTADE EXTERIORIZADA
» SIMULAÇÃO Incapacidade relativa do agente
Vício resultante de erro, dolo, coação, estado de
PREJUDICADO É UM
perigo, lesão ou fraude contra credores.
TERCEIRO
192
Prescrição x Decadência
Regulam a perda de um direito pelo decurso de tempo em função da inércia ou
desinteresse do titular do direito

» Perde/interrompe a possibilidade de exigir » Perda do direito pelo decurso do prazo: PERDEU O


judicialmente um direito por causa da inércia do PRAZO, EXTINGUIU O DIREITO.
titular durante lapso de tempo.
EXTINGUE O DIREITO
EXTINGUE A PRETENSÃO
1) Decadência LEGAL:
1) Prescrição EXTINTIVA: Prazo fixado em lei, reconhecido pelo juiz, de ofício.
Perda da reinvindicação do direito, faz desaparecer IRRENUNCIÁVEL.
os direitos. 2) Decadência CONVENCIONAL:
2) Prescrição INTERCORRENTE: Prazo eleito e fixado pelas partes.
O processo fica parado no decurso, sem justa Não pode ser alegado pelo juiz
causa, caracterizando o desinteresse do autor RENUNCIÁVEL
3) Prescrição AQUISITIVA:
Corresponde à usucapião (necessária a posse do
novo dono)
4) Prescrição ORDINÁRIA:
Art. 205, CC.
10 anos quando a lei não fixar outro prazo
5) Prescrição BIENAL:
Art. 206, CC
O prazo prescricional é previsto pontualmente em
lei.
Pode ser arguida: Pelas partes, Juiz, MP ou curador.

Diferenças
PRESCRIÇÃO DECADÊNCIA

⤷ Interesse PRIVADO ⤷ Interesse PÚBLICO


⤷ RENUNCIÁVEL ⤷ Não admite renúncia
⤷ Pode ser alegada em qualquer grau de jurisdição ⤷ Conhecida a qualquer tempo
⤷ Juiz PODE conhecer de ofício ⤷ Juiz DEVE conhecer de ofício
⤷ Prazos admitem suspensão e interrupção ⤷ Não admitem suspensão e interrupção

193
Obrigações

Modalidades
» FONTES:
a) Imediatas = lei
b) Mediatas = negócio jurídico bilateral (contrato), unilateral (promessa de recompensa) e atos ilícitos

» CLASSIFICAÇÃO:
a) Positivas: DAR Coisa Certa = coisa individualizada = entrega (tradição)
Coisa Incerta = coisa indeterminada
FAZER Fungível = Ex: obrigação de pintar um muro
Infungível = Ex: contratar cirurgião famoso para fazer uma cirurgia
b) Negativas:
NÃO FAZER Ex: inquilina se obriga a não trazer animais domésticos para o cômodo do alugado.

1) Obrigação de dar coisa certa: 2) Coisa incerta = gênero + quantidade


Perecimento sem culpa: resolução Coisa certa = gênero + quantidade + qualidade
com culpa: equivalente + perdas e danos
Deterioração sem culpa: resolução ou abatimento 3) Fazer infungível sem culpa: resolução
Proporcional com culpa: tutela específica +
com culpa: resolução + perdas e danos perdas e danos ou perdas e danos
ou 4) Não fazer
abatimento propor. + perdas ⤷ sem culpa: resolve
e danos. ⤷ com culpa: desfazimento + perdas e danos ou perdas
e danos.

CESSÃO DE CRÉDITO: Transmissão CESSÃO DE CONTRATO:


Negócio jurídico bilateral, o É a transferência da inteira posição
ASSUNÇÃO DE DÍVIDA:
credor transfere a outrem ATIVA e PASSIVA, do conjunto de
seus direitos da obrigação. Negócio jurídico bilateral, o devedor, com direitos e obrigações de que uma
Partes: consentimento expresso ou tácito de credor, pessoa é titular, vindos de um
1) Cedente: credor que transfere a um terceiro os encargos da contrato não executado.
transfere obrigação.
2) Cessionário: terceiro SUBSTITUIÇÃO DO DEVEDOR: Cedente transfere ao cessionário
que recebe Casos: créditos e débitos
3) Cedido: devedor 1) Por expromissão:
Espécies: O novo devedor assume a dívida por vontade » Circulação do contrato
1) Convencional própria, o devedor originário não fica sabendo. » Estranho ingressa na relação
2) Legal 2) Por delegação: contratual
3) Judicial O devedor primitivo transfere o débito a » Substituição dos primeiros
terceiro, mediante consentimento do credor. contratantes.
194
PAGAMENTO EM CONSIGNAÇÃO: DAÇÃO EM PAGAMENTO:
Depósito, pelo devedor, da coisa devida, Acordo de vontades.
para liberar-se da obrigação. Adimplemento Credor concorda em receber
⤷ Dinheiro / Depósito extrajudicial / quantia diversa do devedor.
IMPUTAÇÃO AO
Ajuizamento da ação. ⤷ Extingue a obrigação
PAGAMENTO: ⤷ Substituição poder ser:
Um devedor obrigado por 2 ou I) Dinheiro por bem móvel ou imóvel
mais débitos a um só credor, II) Uma coisa por outra
PAGAMENTO COM SUB-ROGAÇÃO: puder indicar a qual deles III) Dinheiro por título de crédito
Substituição de uma pessoa ou de coisa oferece pagamento. IV) Coisa por obrigação de fazer
por outra a relação jurídica. 1) Por indicação do devedor COMPENSAÇÃO:
⤷Espécies: 2) Vontade do credor Duas ou mais pessoas forem, ao
Pessoal/Real/Legal/Convencional 3) Legal mesmo tempo, credoras e
⤷ Efeitos: Liberatório/Translativo *O pagamento cobre um dos devedoras ou mais das outras.
⤷ Sub-rogação parcial: crédito dividido débitos Forma: Total ou Parcial
em 2 partes. ⤷ Requisitos:
⤷ Paga ou não paga I) Pluralidade de débitos Espécies: Legal, Convencional ou
II) Identidade de partes Judicial.
III) Natureza igual das dívidas
IV) Débitos líquidos e vencidos

NOVAÇÃO: CONFUSÃO:
REMISSÃO DA DÍVIDA:
Criação de obrigação nova para Quando em uma mesma pessoa se
extinguir uma anterior. ⤷ Perdão do débito confundam as qualidades de credor
I) Extingue obrigação antiga ⤷ Direito exclusivo do credor e devedor.
II) Cria uma nova obrigação ⤷ Ato bilateral, depende de ⤷ Extinção do crédito
aceitação do devedor
⤷ Requisitos: ⤷ Espécies: Total ou Parcial
Existência de obrigação anterior ⤷ Espécies:
Constituição de nova obrigação Objeto: Total ou Parcial ⤷ Características:
Acordo de vontades ⤷ Forma: Expressa, tácita ou Ato inter vivos: cessão de crédito
presumida. Causa mortis: herdeiro é, ao
⤷ Espécies: mesmo tempo, credor e devedor
Objetiva ou real ⤷ É possível a remissão em caso do falecido.
Subjetiva ou pessoal de solidariedade passiva, que é
Mista concedida a um dos codevedores.

195
⤷ Formas: 4. CLÁUSULA PENAL:
a) Culposo
Obrigação acessória, reforça o
b) Fortuito
⤷ Espécies:
Inadimplemento cumprimento por acarretar punição ao
inadimplente.
a) Absoluto 2. PERDAS E DANOS: ⤷ Multa contratual ou pena
b) Relativo ou mora
O equivalente em dinheiro referente ao convencional
dano suportado pelo credor, em virtude ⤷ Funções: coercitiva ou ressarcitória
1. MORA:
do descumprimento da obrigação. ⤷ Espécies: compensatória ou moratória
Atraso do cumprimento da ⤷ Limite: não pode ultrapassar o valor
obrigação. I) Dano positivo ou emergente da obrigação.
II) Lucros cessantes 5. ARRAS:
⤷ Espécies:
Quantia ou coisa entregue por um dos
» Mora ex re ⤷ Nexo de causalidade: inexecução da contraentes ao outro para:
» Mora ex persona (mora obrigação e prejuízo ao credor. I) Arras confirmatórios
do devedor) 3. JUROS: II) Arras penitenciais
Frutos ou rendimentos do capital ⤷ Funções:
Mora solvendi
empregado. » Garantir o cumprimento do contrato
Mora accipiendi (mora do
⤷ Espécies: Juros compensatórios (I)
credor)
Juros moratórios » Pré-estipulação das perdas e danos (II)
Convencionais » Atuar como começo de pagamento
⤷ Purgação da norma:
Legais (ambos os feitos).
purgar a mora é neutralizar
Simples
os seus efeitos.
Compostos

Contratos (Parte geral)


Negócio jurídico, que por acordo de vontades, tem a finalidade de adquirir, resguardar,
modificar ou extinguir relações jurídicas.
VALIDADE
» Requisitos:
1) Capacidade das partes: Genérica: capacidade plena entre partes de contratar
Especial: capacidade exigida por lei em certos casos

2) Objeto: 1) Lícito
2) Possibilidade física ou jurídica do objeto
3) Determinação de seu objeto
4) Economicamente apreciável
3) Forma: Regra livre
Quando a lei exigir solene

4) Consentimento: recíproco entre partes (2 ou mais pessoas) isentas de vícios


196
1) AUTONOMIA DE VONTADE: 5) RELATIVIDADE DOS EFEITOS DOS
» Liberdade de contratar CONTRATOS:
» Liberdade contratual: estipular conteúdo Princípios » O contrato não produz efeitos contra todos.
e características. » Não beneficia e nem prejudica TERCEIROS.
INTERPRETAÇÃO ⤷ Exceções: interpartes e eficácia erga
2) SUPREMACIA DA ORDEM omnes.
DO CONTRATO:
PÚBLICA:
Precisar o sentido e
O interesse privado NÃO pode prevalecer 6) REVISÃO DOS CONTRATOS:
alcance das cláusulas
sobre o interesse público. » Exceção a obrigatoriedade
pactuadas.
» Admitida nos casos de execução continuada
3) CONSENSUALISMO: ou diferida em ração de imprevistos ou
I) Declaratória:
Acordo de vontades intenção comum acontecimentos extraordinários.

4) OBRIGATORIEDADE: II) 7) BOA-FÉ:


Uma vez firmado, se torna obrigatório. Construtiva/integrativ 1) Subjetiva: concepção psicológica
a: Atos conforme regras do direito
Aproveitamento do 2) Objetiva: comportamento socialmente
contrato. esperado
⤷ Lealdade/Honestidade, etc..

1) EFEITOS: Classificação dos contratos 4) FORMA:


I) Unilaterais: não há I) Solenes: forma especial, prevista em lei.
contraprestação 3) RISCOS: II) Não solenes: livre formação
II) Bilaterais: obrigações para 1) Comutativos: III) Consensuais (não solenes):
ambos Todas as obrigações são certas e Formam-se unicamente pelo acordo de
III) Plurilaterais: mais de duas determinadas. vontades.
partes Ex: compra e venda ⤷ Independem de entrega da coisa ou
IV) Gratuitos: benéficos (Ex: 2) Aleatórias: forma especial.
doação, depósito, comodato). Não há certeza quanto ao valor da IV) Reais:
V) Onerosos: contraentes obrigação. Apenas se aperfeiçoam com a entrega da
obtêm proveito (Ex: compra e Ex: Seguro. coisa.
venda; Locação). 4) EXECUÇÃO: Ex: Depósito; Comodato; Mútuo e Penhor.
I) Instantâneo: 5) VÍNCULO:
2) FORMAÇÃO: Contratos de execução única. I) Principais: existem por si.
I) Paritários: igualdade de forças II) Diferidos: Ex: Locação imobiliária; Compra e venda.
entre os contratantes Cumpridos em um só ato, mas II) Acessórios: existência é subordinada à
II) Adesão: preponderância de futuro. do principal.
vontade de um dos III) Trato sucessivo: Ex: Fiança para garantir a locação.
contratantes. Contratos de execução III) Derivados: subcontratos.
continuada. Ex: Contratos de sublocação.
Ex: Locação. 197
Formação dos contratos
Pressupõe a ocorrência de duas manifestações de vontades
1) PROPOSTA: 3) ACEITAÇÃO:
» Oferta, policitação ou oblação Concordância com os termos da proposta.
» Negócio jurídico unilateral » Expressa ou tácita.
⤷ Receptícia: só produz efeitos ao ser recebida. » Inexistência de força vinculante de aceitação.
⤷ Vinculação das partes: vincula o proponente. » Contraproposta: art. 431, CC.
⤷ Proposta não obrigatória: sujeita a confirmação.
⤷ Oferta ao público: art. 429, CC. 4) CELEBRAÇÃO:
» Art. 435, CC.
2) CONCLUSÃO: » Considera-se celebrado o contrato no lugar em que
I) Entre presentes: foi proposto.
Com ou sem prazo. ⤷ As partes podem dispor de modo diverso.

II) Entre ausentes: teoria da expedição. » Partes podem eleger foro competente.
Adotada pelo Código Civil, prevê que é necessário
que a resposta seja expedida.

Vícios Redibitórios
» Defeito oculto na coisa recebida em razão de contrato comutativo que (art. 441, CC):
1) Torna a coisa imprópria ao uso que se destina
2) Diminui-lhe o valor
» Requisitos:
1) Coisa recebida por contratos comutativos ou doação onerosa
2) O defeito seja oculto
3) O vício exista no momento da celebração do contrato
4) Desconhecidos do adquirente
5) O vício seja grave
» Efeitos (art. 442, CC): devolver coisa defeituosa ou abatimento do preço.
⤷ Ação redibitória ou estimatória
» Prazos (art. 445, CC):
1) Ações edilícias decadenciais bem móvel: 30 dias e bem imóvel: 1 ano
2) Contados da entrega da coisa Tradição adquirente na posse reduz metade
3) Vício reconhecido após, conta-se da ciência bem móvel: 180 dias e bem imóvel: 1 ano
4) Os prazos não correrão na constância de cláusula de garantia (art. 446, CC)
» Responsabilidade do alienante:
1) Boa-fé (art. 443, CC)
2) Perecimento da coisa (art. 444. CC) 198
Evicção
» Perda da coisa por força de decisão judicial que » Direitos do evicto:
atribui a terceiro direito sobre a coisa, em virtude de 1) Restituição integral do preço
causa jurídica preexistente ao contrato. 2) Indenização dos frutos
» Partes: alienante, evicto ou evictor. 3) Indenização das despesas dos contratos
» Requisitos: 4) Ressarcimento de custas e honorários
1) Perda total ou parcial da propriedade 5) Demais prejuízos ressarcidos ou indenizados.
2) Onerosidade na aquisição da coisa
3) Ignorância pelo adquirente, de que a coisa era » Responsabilidade pela evicção:
alheia ⤷ Ausência de cláusula de exclusão de garantia.
4) Anterioridade do direito do terceiro ⤷ Cláusula expressa de exclusão de garantia.
5) Diminuição da lide ao alienante
6) Perda da coisa em virtude de sentença judicial
transitada em julgado
» Espécies:
Total: Perda total do bem
Parcial: considerável (rescisão ou restituição da parte)
ou não considerável (indenização)

Extinção dos contratos


Normal: o cumprimento libera o devedor e satisfaz o credor.
Anormal: os contratos são extintos sem o cumprimento.

1) RESILIÇÃO: 2) RESOLUÇÃO: 3) RESCISÃO: 4) SEM CUMPRIMENTO:


Dissolução do vínculo Inadimplemento culposo Dissolução de contratos Causas anteriores ou durante:
contratual por acordo de por um dos em que: ⤷ Nulidades
vontades dos contratantes que gere ⤷ Cláusula resolutiva
contratantes. prejuízo à contraparte. I) Ocorreu lesão ⤷ Direito do arrependimento
⤷ Bilateral: distrato II) Foram celebrados em
⤷ Unilateral: denúncia estado de perigo. Causas supervenientes:
⤷ Resilição
*Em caso de óbito, se for ⤷ Morte de um dos
personalíssima, também contratantes
é causa de extinção. ⤷ Rescisão

199
Contratos em espécie
1) COMPRA E VENDA (art. 481 a 532, CC): Responsabilidade até a entrega
Coisa Despesas ⤷ Risco da coisa: vendedor
Preço ⤷ Entrega: vendedor ⤷ Risco do preço: comprador
Consenso ⤷ Escritura/registro: comprador ⤷ Débitos que agravam a coisa: vendedor, exceto acordo.

2) DOAÇÃO: (art. 538 a 554, CC)


⤷ Transferência gratuita de bens e vantagens
⤷ Não condicionada ao aceite, a aceitação pode ser tácita.
⤷ Gratuito, unilateral, comutativo, formal e instantâneo

3) LOCAÇÃO DE COISAS (art. 565/578, CC + Legislação extravagante)


Oneroso, comutativo, consensual e instantâneo
Objeto: bens infungíveis
Preço: sério, indicado pelas partes.

4) EMPRÉSTIMO (art. 579 a 592, CC)


Informal, gratuito, temporário, unilateral, comutativo e real l Comodato: bens infungíveis l Mútuo: bens fungíveis

5) DEPÓSITO (art. 627, CC):


A obrigação existente será de guarda de bem móvel e corpóreo
⤷ Real, gratuito, personalíssimo
⤷ Regular e irregular

6) PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS: (art. 593/609, CC)


Contrato pelo qual uma pessoa se obriga a realizar certas atividades a uma outra, mediante remuneração.
⤷ Típico, nominado, consensual, não solene, informal, sinalagmático, comutativo, personalíssimo, de trato sucessivo.

7) EMPREITADA (art. 610 A 626, CC)


Uma das partes (empreiteiro ou prestador): obriga-se a fazer ou a mandar fazer determinada obra, mediante
remuneração, a favor de outrem (dono da obra ou tomador).
⤷ Típico, nominado, bilateral ou sinalagmático, comutativo, oneroso, bilateral, consensual, diferido no tempo, impessoal.
a) Mista: o empreiteiro dá material e participa com SUA mão de obra.
b) De lavor ou de trabalho: empreiteira participa só executando, NÃO fornece material.
8) MANDATO (art. 653, CC)
Ajuste no qual uma pessoa (mandatário ou outorgado) recebe poderes de outra pessoa (mandante ou outorgante)
para, em nome desta, praticar um ato (ou conjunto de atos) ou administrar interesses.
⤷ Instrumento: procuração
⤷ Mandato legal, judicial e convencional.
200
Responsabilidade Civil
» Conceito: transgressão de norma pré-existente, com a » Responsabilidade Civil Objetiva:
consequente imposição ao causador do dano do dever de Ato antijurídico, não sendo exigida a presença do
indenizar. elemento culpa.
» Princípio do imperador ou reparação integral: » Responsabilidade Civil Subjetiva:
Quando não for possível restituir a vítima de situação anterior, Ato ilícito culposo, a culpa é ampla, que envolve
a responsabilidade civil terá natureza compensatória, como tanto o dolo quanto à culpa stricto sensu.
ocorre na indenização por danos morais. » Hipóteses: (CAI MUITO NA OAB)
*A conduta é voluntária. I) Lei ambiental; Normas da CF; Dano Nuclear;
» Espécies: CDC; DPVAT; Responsabilidade Civil do
1) Norma jurídica violada: Contratual e extracontratual ou Transportador.
aquiliana. II) Atividade de Risco: quando a atv. normalmente
2) Presença de culpa desenvolvida pelo autor do dano implica, risco para
» Nexo de causalidade: liame entre a conduta e o dano (um outrem.
é consequência do outro). III) Abuso de direito: excesso de exercício do direito.
» Dano ou prejuízo: lesão patrimonial ou extrapatrimonial, IV) Responsabilidade objetiva pelos riscos do
desenvolvimento
causado por ação ou omissão.
V) Responsabilidade pelo fato da coisa ou de animal:
⤷ Requisitos:
a) Resp. pelos animais
Violação de interesse patrimonial e/ou extrapatrimonial
b) Resp. por ruína de edf. ou construção
Certeza do dano
c) Resp. por objetos lançados ou caídos
Subsistência do dano
d) Resp. por ato de 3º (indireta ou complexa)
Nexo causal direto e imediato
⤷ Espécies:
Patrimonial e Moral

Causas Excludentes de Responsabilidade Civil 4) Culpa exclusiva da vítima:


Rompe o nexo causal, excluindo a resp. civil do agente.
1) Caso fortuito e força maior: Só a vítima foi responsável
Inevitável evento da natureza, sendo fortuito o imprevisível
5) Fato de terceiro:
evento humano.
Terceiro rompe o nexo causal, entre o agente do dano
» Fortuito externo: exclui o dever de reparar o dano
e a vítima.
» O fato gerador do dano não deve ser conexo à atividade
desenvolvida. Outras hipóteses:
2) Estado de necessidade (agressão ao direito alheio; Perigo I) Responsabilidade por homicídio
atual ou iminente) ou legítima defesa (O agente reage a uma II) Resp. civil por lesão ou ofensa a saúde
agressão injusta, atual ou iminente, utilizando meios necessários III) Resp. civil por incapacidade laboral
e proporcionais). IV) Resp. civil por esbulho
3) Estrito cumprimento do dever legal e exercício regular V) Resp. civil por injúria, calúnia e difamação
de direito VI) Resp. civil por ofensa a liberdade pessoal
Agente é mero executor de ordem. VII) Resp. civil por cobrança indevida
Agente atua autorizando por lei. VIII) Transmissibilidade da obrigação de indenizar.
201
Obs1: O STJ entende que a vítima deve demandar diretamente Obs 5: Art. 928 prevê a possibilidade de que o incapaz
o verdadeiro causador do dano, não aquele que, venha a responder subsidiariamente caso seus
involuntariamente, a atingiu. responsáveis não tenham condições de fazê-lo (ou não
tenham o dever). Deve-se recordar que a responsabilidade
Obs 2: No caso de homicídio, a indenização consiste, sem excluir civil do incapaz não poderá prejudicar a sua sobrevivência.
outras reparações:
I) No pagamento das despesas com o tratamento da vítima, seu Obs 6: Ao atuar em estado de necessidade, este deverá
funeral e o luto da família; ser indenizado, cabendo ação regressiva em face daquele
II) Na prestação de alimentos às pessoas a quem o morto os que causou o perigo.
devia, levando-se em conta a duração provável da vida da vítima.

Obs 3: Art. 938, CC: A responsabilidade civil de objetos lançados


ou caídos é objetiva e será do habitante do imóvel.
Se a vítima do dano não souber de qual unidade habitacional será
de todo o condomínio, aplicando a teoria da causalidade
alternativa.

Obs 4: Súmula 54, STJ: Os juros moratórios fluem a partir do


evento danoso, em caso de responsabilidades extracontratual.

Direito das Coisas


Art. 1.225. São direitos reais:
Propriedade; Superfície; Servidões; Usufruto; Uso; Habitação; Direito do promitente comprador do imóvel;
Penhor; Hipoteca; Anticrese; Concessão de uso especial para fins de moradia; Concessão de direito real de
uso; Laje.

Posse
Art. 1196. Considera-se possuidor todo aquele que 3) Atos de mera permissão ou tolerância (art. 1.208):
tem de fato o exercício, pleno ou não, de algum dos O legítimo possuidor ou proprietário é titular de um
poderes inerentes à propriedade. direito potestativo, podendo revogar a qualquer
Conceito: exteriorização da propriedade por meio tempo a autorização de ocupação que fora dada.
do exercício fático de uma das faculdades. 4) Ocupação de bens insuscetíveis de posse:
“Todo aquele que ocupa um bem, é possuidor.” Para o STJ e STF, o ocupante de bem público é
mero detentor e não faz jus aos efeitos da posse.
Detenção:
Teoria de Lhering:
A posse juridicamente desqualificada.
Hipóteses legais: 1) Permite o desdobramento da posse
1) Servidor da posse (art. 1.198): ocupantes são meros 2) Possibilidades de composses (art. 1199).
instrumentos da vontade alheia. Art. 1.199. Se duas ou mais pessoas possuírem coisa
2) Atos de violência e clandestinidade (art. 1.208): os indivisa, poderá cada uma exercer sobre ela atos
ocupantes são meros detentores. possessórios, contando que não excluam os dos
outros compossuidores.
202
Classificação da Posse
Objetivos: 2) Quanto aos vícios subjetivos:
Forma pela qual a posse foi adquirida – justa ou Posse de boa-fé ou de má-fé
injusta. » Boa-fé: quando o possuidor ignorar os vícios que lhe
Subjetivos: impedem a aquisição da coisa.
Estado anímico frente à coisa que se possui – boa- ⤷ Possuidor com justo título (tem a presunção de boa-fé).
fé ou má-fé. » Má-fé:
1) Quanto aos vícios objetivos: ⤷ Art. 1.201, CC.
Posse justa ou injusta ⤷ O possuidor tem conhecimento da ilegitimidade da sua
» Justa: quando não for adquirida pela violência, posse.
clandestinidade ou precariedade. 3) Quanto ao tempo da posse
» Injusta: ⤷ Posse nova: tem até 1 ano.
⤷ Violência: a posse adquirida com atos de agressão ⤷ Posse velha: tem 1 ano e um dia ou mais.
à pessoa do antigo possuidor. 4) Quanto à presença de título
⤷ Clandestinidade: a adquirida às escondidas do ⤷ Posse com título: o possuidor tem um documento.
verdadeiro possuidor. ⤷ Posse sem título: o possuidor NÃO tem uma causa
⤷ Precária: posse derivada do abuso de confiança. representativa da transmissão do domínio.

Efeitos da Posse
1) Proteção Possessória (defesa da posse): 2) Direito aos frutos:
» A posse, se lesada, ensejará o nascimento de » Arts. 1.214 e seguintes
pretensão a seu titular, no sentido de retomá-la, inibir » Boa-fé: tem direito aos frutos percebidos, enquanto ela durar. Deve
indevidas intervenções ou ameaças. restituir:
» Possuidor pode reagir contra indevidas lesões, como ⤷ Frutos pendentes quando cessar a boa-fé (despesas de
esbulho, turbação ou ameaça destes. produção/custeio)
» Esbulho: possuidor é privado do bem, total ou ⤷ Frutos colhidos por antecipação.
parcialmente. » Má-fé: responde por todos os frutos colhidos/percebidos + pelos
Qual será a proteção possessória? A ação de que deixou de perceber por culpa sua. Tem direito às despesas de
reintegração de posse ou a autotutela através do produção e custeio.
desforça imediato. 3) Direito às benfeitorias:
» Turbação: terceiro prejudica a normal utilização do » Art. 1.219 e seguintes
bem por seu possuidor. » Boa-fé: benfeitorias NECESSÁRIAS e ÚTEIS:
Qual será a proteção possessória? A ação de Tem direito à indenização (valor atual)
manutenção de posse ou autotutela a partir de atos de Pode retê-las se não indenizados.
legítima defesa. Benfeitorias VOLUPTUÁRIAS:
» E se houver mera ameaça? Direito à indenização (valor atual)
Busca proteção via Judiciário, através de ação de Pode levantá-las, se não forem pagas.
interdito proibitório, na qual pode inclusive haver fixação » Má-fé: NÃO tem direito de retenção.
de multa cominatória. Tem direito a indenização e somos pelas benfeitorias necessárias.
203
Propriedade
» Conceito (art. 1.228, CC): direito de usar, gozar, dispor e reivindicar um bem.
CARACTERÍSTICAS:
» Presença obrigatória, caráter genético ou caráter originário.
» Elasticidade
» Exclusividade
» Perpetuidade
Qual a diferença entre frutos e produtos?
Frutos: capacidade renovatória
Produtos: quando extraídos, esgotam o bem principal, não havendo, portanto, capacidade renovatória.

Atos materiais Abandono Res Derelicta


(Animus)
Atos de
disposição Destruição

Gratuita Doação
Atos jurídicos Alienação Total
Onerosa Compra e Venda

Parcial Ônus Reais Garantias Reais

Ação Reivindicatória
» A causa de pedir (fundamento fático e jurídico do pedido), REQUISITOS:
será o direito de propriedade e a violação a esse direito. 1) Comprovação da condição de proprietário
» O pedido na ação reivindicatória será a posse (direito que (apresentação de um título de propriedade).
decorre do direito de propriedade e que foi retirado do
proprietário). 2) Individualização do bem reivindicado (o bem
reivindicado deve ser perfeitamente especificado).
Petitórias Possessórias
(jus possidendi) (jus possessionis)
3) Demonstração da posse injusta do réu.
Causa de pedir: Causa de pedir:
PROPRIEDADE POSSE
VIOLAÇÃO VIOLAÇÃO 4) Demonstração de cumprimento da função social
Pedido: Pedido: da propriedade.
POSSE POSSE
5) Não estar em curso uma ação possessória
(pressuposto processual negativo).

204
Formas de aquisição da propriedade
1) Originárias: quando não houver relação jurídica entre REGISTRO (derivada):
o atual proprietário e seu antecessor. Os vícios existentes » Compra e venda não é forma de aquisição da
naquela propriedade pretérita NÃO são transmitidos aos propriedade.
novos proprietários. » A aquisição da propriedade imóvel só se opera
Ex: Usucapião. com o registro do título no cartório de registro de
imóveis (enquanto não se registrar o título, o
2) Derivadas: relação jurídica entre o atual proprietário e alienante continua como dono do imóvel).
» O registro gera presunção RELATIVA de
seu antecessor. Os vícios existentes na propriedade serão
propriedade.
transmitidos para o restante da cadeia dominial (cadeia de
TRADIÇÃO (derivada):
proprietários).
Ex: tradição e registro. » Entrega da coisa
» Espécies:
Real: entrega efetiva do bem.
Imóveis Móveis Presumida (ou simbólica): entrega de algo que
Registro Tradição simboliza o bem móvel.
Usucapião Usucapião Ficta: transmissão do direito de propriedade do bem,
Acessão Ocupação sem que haja alteração da posse, ou seja, há apenas
uma cláusula contratual alterando a propriedade do
bem, sem modificação no âmbito da posse da coisa.

Usucapião
EXTRAORDINÁRIA ORDINÁRIA RURAL URBANA URBANA FAMÍLIA
INDIVIDUAL COLETIVA
Art. 1.238, CC Art. 1.242, CC Art. 1.239, CC Art. 1.240, CC Arts. 10 a 14 Art. 1.240-A, CC
Lei n. 6.969/81 Lei nº 10.257/2001 Lei nº; 10.257/2001
Art. 191 da CF Art. 9º (Estatuto das
Art. 183, da CF Cidades)
» Animus domini » Justo título e » Moradia ou » Moradia » Moradia » Moradia
» 15 anos (caput) boa-fé trabalho » Urbana » Urbana » Imóvel urbano
» Função social (subjetiva) » Área rural » Até 250m² » Mais de 250m² » Até 250m²
» 10 anos » 10 anos » Até 50 há » Não ser » Não ser » Não ser
(parágrafo único) (caput) » Não ser proprietário de proprietário de outro proprietário de
» Função social proprietário de outro bem bem imóvel urbano outro bem imóvel
» Aquisição outro bem imóvel urbano ou ou rural urbana ou rural
onerosa imóvel urbano rural » 5 anos » 2 anos de
» 5 anos ou rural » 5 anos » Não ser possível a posse
(parágrafo » 5 anos individualização » Posse exclusiva
único) » Ocupação por » Proprietário em
famílias de baixa regime de
renda (CJI) condomínio
» Abandono do lar
pelo ex-cônjuge
205
Acessão (originária): Ocupação
» Forma de aquisição da propriedade imóvel por » Modalidade de aquisição de bens móveis, pela apropriação de
aplicação direta do princípio da gravitação bens abandonados (res derelicta) ou de bens que nunca
jurídica, ou seja, tudo que adere ao imóvel já pertenceram a ninguém (res nullius), nos termos do art. 1.263, CC.
pertencente a alguém será da propriedade » Considerada aquisição originária, por não terem um dono.
deste. » O ocupante só não será considerado dono do bem se alguma
» Acessões naturais: acrescidos ou surgidos em lei especial proibir o assenhoreamento deste.
terrenos rurais que margeiam um rio. Ex: Apropriação de um animal de espécie em extinção (vedações
» Acessões artificiais: construções e plantações das leis ambientais).
feitas em um terreno presumem-se pertencer Aquisição da propriedade móvel:
ao proprietário desse bem. ⤷ Usucapião (originária):
» Por formação de ilhas Posse mansa e pacífica por > 3 anos + justo título e boa-fé.
» Por aluvião Posse mansa e pacífica por > 5 anos, independentemente de
» Por avulsão justo título e boa-fé.
» Por abandono de álveo ⤷ Especificação (derivada):
» Por plantações ou construções A matéria prima (alheia) com o trabalho, torna-se nova espécie,
que pertencerá a quem trabalhou e é irreversível.

Direitos Reais sobre Coisas Alheias

Superfície Uso
» Concessão pelo PROPRIETÁRIO a terceiro » Concessão a 3º de DIREITO DE USAR a coisa e dela retirar
(tempo determinado ou indeterminado) para todas as atividades para atender a suas necessidades e de sua
que utilize a propriedade para construir ou FAMÍLIA.
plantar. » Cônjuge, filhos solteiros, pessoas de seu serviço doméstico.
» GRATUITA ou ONEROSA. » O PROPRIETÁRIO concede o uso ao USUÁRIO.
» Através de ESCRITURA PÚBLICA registrada » Mais limitado que o usufruto.
no cartório de registro de imóveis. » Aplicam-se (no que não for contrário) as disposições relativas
» Em regra, NÃO admite obras no subsolo. ao USUFRUTO.

Servidões
» Direito de GOZO, entre 2 prédios.
» O DOMINANTE impõe um encargo ao SERVIENTE.
» Ex: Servidão de passagem.
» Pode ser resultado de VONTADE, CONTRATO ou TESTAMENTO.
» Necessita de REGISTRO (extinção com relação à terceiro só existe quando cancelada).
» O dono da servidão pode fazer TODAS as OBRAS necessárias (pelo dono do prédio dominante).

206
Habitação Usufruto
» Concessão a 3º de direito de usar e USUFRUIR das
» Direito PERSONALÍSSIMO, de morar UTILIDADES e FRUTOS de forma TEMPORÁRIA, com
gratuitamente em imóvel. OBRIGAÇÃO DE CONSERVAR a substância do bem.
» Seu exercício NÃO pode ser TRANSFERIDO. » Nu-proprietário (posse indireta) CONCEDE USO e GOZO a
» O PROPRIETÁRIO concede uso HABITANTE. usufrutuário (tem direito à posse, uso, administração e
» Constituído mediante REGISTRO no cartório percepção dos frutos).
de registro de imóveis. » Pode em bens móveis ou imóveis e sobre patrimônio inteiro
» Aplicam-se (no que não for contrário) as ou em parte.
disposições relativas ao USUFRUTO. » NÃO pode transferir o usufruto por alienação, mas seu
exercício pode ceder-se por título gratuito ou oneroso.

Direitos Reais de Garantia


» VINCULAM UMA COISA A UMA OBRIGAÇÃO.
Anticrese
» SÓ BENS ALIENÁVEIS (e só por quem pode alienar
» Transfere a posse do imóvel ao credor para que haja
o bem).
a compensação da dívida, dos frutos e rendimentos.
⤷ Direito da retenção: extingue-se após 15 anos da
» A garantia total só pode ser dada com o
constituição;
consentimento de todos.
⤷ por instrumento público ou particular + registro.
» Cada um pode alienar e dar garantia apenas a sua
» Pouco utilizado.
parte de forma individual.
Penhor
» O pagamento de + de 1 prestação da dívida NÃO
gera exoneração da garantia. » Direito REAL sobre coisa móvel ou imóvel.
» E se vencer? ⤷ Devedor pignorático DÁ a coisa em garantia ao Credor
O devedor poderá dar a coisa em pagamento da dívida. Pignorático.
» A cláusula COMISSÓRIA é NULA (autorização para o ⤷ Tutela acessória.
credor ficar com o objeto garantida, devido mora da ⤷ Constituição: TRADIÇÃO (transferência efetiva da
dívida após o vencimento). posse).
⤷ Se o penhor for rural, industrial, mercantil ou de
veículos, as coisas ficam com o devedor.

Hipoteca
» Direito REAL é sobre: » Características: » Demais regras:
⤷ Coisa IMÓVEL e acessórios ⤷ Acessorialidade ⤷ NULA é a cláusula que faz a
⤷ Recursos Naturais
⤷ Domínio direto e útil PROIBIÇÃO do proprietário alienar o
⤷ Direito de uso ⤷ Indivisibilidade
⤷ Estradas de ferro especial para moradia ⤷ Especialidade imóvel hipotecado.
⤷ Direito real de uso ⤷ Navios e Aeronaves ⤷ Publicidade ⤷ NÃO pode haver transmissão da
⤷ Propriedade superficiária posse da coisa. 207
2 Avô 3

1 Mãe 2 Tio 4

Você Irmão
2º grau
Primo
4º grau
Direito de Família
Filiação:
Relação entre pais e filhos.
Parentesco Tipos de parentesco:
⤷ Têm os mesmos direitos, os filhos dentro do casamento ou fora dele, 1) Consanguíneo ou natura: vínculo de sangue
assim como os adotados. 2) Afinidade: Casamento ou união estável
⤷ Os considerados concebidos no casamento, são: ⤷ é limitado aos ascendentes, descendentes
1) Nascidos após 180 dias do casamento ou 300 dias após a dissolução do e irmãos do cônjuge ou companheiro.
casamento. Reconhecimento dos filhos:
2) Por fecundação artificial homóloga ⤷ Filho fora do casamento pode ser reconhecido
3) Por embriões excedentários de concepção artificial homóloga pelos pais de forma conjunta ou separada.
4) Por inseminação artificial heteróloga com autorização do marido. ⤷ Tipos: voluntária ou judicial
» O direito do marido de contestar a paternidade dos filhos é ⤷ A REVOGAÇÃO é proibida.
IMPRESCRITÍVEL. ⤷ Qualquer condição ou termo será INEFICAZ (é
» A confissão materna NÃO é suficiente para EXCLUIR a paternidade. incondicional).
Adoção: Reconhecimento JUDICIAL da
⤷ Concede condição de filho do adotado, havendo o desligamento de paternidade:
qualquer vínculo com pais e parentes.
⤷ Ação de investigação de paternidade ou
Linha reta e colateral: maternidade
⤷ Reta: ascendentes ou descendentes. ⤷ Caráter PESSOAL
⤷ Colateral ou transversal: um só tronco, ou seja, sem ⤷ A contestação pode ocorrer por QUALQUER
descenderem uma da outra. PESSOA com justo interesse.

Suspensão:
Casamento Invalidade:
» Finalidade inibitória (não proibição)
Impedimentos: » Espécies:
» Pode ser arguida por parente em linha
1) Inexistente: sem os requisitos
reta ou colaterais até 2º grau NÃO podem casar:
essenciais (pode ser reconhecida a
» Impedimentos e suspensões serão 1) Ascendentes e descendentes
qualquer tempo)
opostos em declaração ESCRITA e 2) Afins em linha reta
2) Nulo: infringência dos impedimentos
assinada + provas do fato. 3) Adotante com ex-cônjuge do
(através de ação direta por qualquer
» INDIVÍDUO: adotado ou adotado com ex-cônjuge
interessado ou MP).
⤷ Viúvo(a) com filho do cônjuge falecido do adotante
3) Anulável:
⤷ Viúva ou mulher cujo casamento se 4) Adotado com filho do adotante
I: Quem não completou idade mínima
desfez por ser NULO ou ANULÁVEL. 5) Irmãos e demais colaterais abaixo de
II: Menor de idade sem autorização
⤷ DIVORDIADO 3º grau
III: Vício de vontade
⤷Tutor; Curador com tutelado; Curatelado. 6) Pessoas casadas
IV: Incapaz de consentir
» SITUAÇÃO: 7) Cônjuge sobrevivente com o
V: Por mandatário sem que ele ou outro
Enquanto não fizer inventário + Partilha condenado por homicídio ou tentativa
saiba da revogação do mandato
Até 10 meses após a viuvez/dissolução de homicídio d consorte.
VI: Por incompetência da autoridade
Enquanto não homologar ou decidir partilha » A oposição pode ocorrer por qualquer
celebrante.
ou não cessada a tutela/curatela e não pessoa que seja capaz, até a celebração.
OBS: Casamento putativo: nulo ou anulável
saldadas as contas. » Se o juiz souber da nulidade, é obrigado
Produz efeitos até sentença anulatória!
a declarar.
208
Regime de Bens
» Direito patrimonial 1) COMUNHÃO UNIVERSAL DE Participação final dos aquestos:
» Regras da entidade familiar relativas BENS: Durante o casamento: separação
aos interesses patrimoniais e
Todos os bens presentes e futuros + convencional de bens
econômicos. Dissolução: os cônjuges tem direito de
dívidas passivas.
» Princípios: participar dos bens nos quais colaboraram
» Excluem-se da comunhão:
⤷ Autonomia Privada
1) Obrigações provenientes de atos para adquirir.
⤷ Indivisibilidade Aquestos: bens adquiridos de forma
ilícitos
⤷ Variedade
2) Bens de uso pessoal + livros + individual pelos cônjuges que NÃO estão
⤷ Mutabilidade relacionados com doações, herança ou
instrumentos profissionais
» Não tendo nenhum regime definido, legado.
3) Proventos do trabalho pessoal
o regime parcial de bens irá vigorar. 2) SEPARAÇÃO DE BENS:
4) Pensões, meio-soldos, montepios
5) Bens doados/ Herdados com Bens permanecem com os cônjuges
PACTO ANTENUPCIAL
cláusula de incomunicabilidade. individualmente.
» NULO: sem escritura pública (após 6) Bens gravados de fideicomisso É OBRIGATÓRIO:
registro, tem efeito perante 3º) 7) Dívidas anteriores ao casamento I) Sem observar suas causas suspensivas
» INEFICAZ: se não ocorrer o 8) Doações antenupciais de um II) Pessoa + 70 anos
casamento. cônjuge ao outro c/ cláusula de III) Todos que dependem de suprimento
» NULA: se houver convenção ou incomunicabilidade. judicial para casar
cláusula que contraponha a lei.

Comunhão Parcial de Bens


» Bens que sobrevierem o casal (que 1) QUAIS BENS ENTRAM NA COMUNHÃO?
possuírem após o casamento).
1) Bens adquiridos na constância do casamento
» Os bens móveis presumem-se adquiridos.
2) Por título oneroso
» A administração do patrimônio compete
3) Bens adquiridos por fato eventual
a qualquer um dos cônjuges.
4) Bens adquiridos por doação/herança/legado em favor de ambos
» INDISPENSÁVEL a AUTORIZAÇÃO do
5) Benfeitorias em bens particulares
cônjuge para atos que dispões sobre os
6) Frutos dos bens comuns + dos particulares de cada cônjuge (podem ser
bens imóveis deles.
» E NO CASO DAS DÍVIDAS? os percebidos na constância do casamento e pendentes quando cessar a
comunhão).
» No caso de bens particulares: NÃO
obrigam os bens comuns e no caso de
bens comuns: 1) QUAIS BENS EXCLUEM-SE DA COMUNHÃO?
⤷ OBRIGAM os bens + particulares que os 1) Obrigações provenientes de atos ilícitos
administra + particulares do outro na razão 2) Bens de uso pessoal + livros + instrumentos profissionais
do proveito 3) Proventos do trabalho pessoal
⤷ BENS COMUNS RESPONDEM por 4) Pensões, meio-soldos, montepios
obrigações contraídas pelos 2 para atender 5) Obrigações anteriores ao casamento
aos encargos da família, despesas da 6) Os bens que cada cônjuge possuir ao casar + os que lhe sobrevierem na
administração e decorrentes de imposição constância do casamento por sucessão/doação.
legal 7) Os bens adquiridos com valores exclusivamente pertencentes a um dos
cônjuges em sub-rogação dos bens particulares.
209
Alimentos
» São prestações que existem para CLASSIFICAÇÃO:
satisfazem as necessidades pessoais de
» Fontes:
indivíduos que NÃO podem se sustentar com
1) Legais (permitem prisão civil)
seu esforço.
2) Convencionais e indenizatórias (prática de atos ilícitos)
» Atendem as necessidades vitais da pessoa
» Extensão:
para que ocorra a sua manutenção básica.
Civis ou côngruos / Indispensáveis ou naturais
» ALIMENTANTE (devedor) fornece
» Tempo:
alimentos para o ALIMENTANDO (credor)
Pretéritos, presentes e futuros
» Parentes + cônjuges/companheiros
» Forma de pagamento (fixada pelo juiz):
PODEM PEDIR uns aos outros casos
1) Próprios ou in natura: hospedagem e sustento
necessitem, inclusive se for para sua
1) Impróprios: pagamento de pensão
educação.
» Finalidade:
» Cabe alimentos aos ASCENDENTES
1) Definitivos ou regulares
⤷ Se não puder: aos DESCENDENTES
2) Provisórios: fixados antes da sentença em ação de alimentos)
⤷ Se não puder: aos IRMÃOS
3) Transitórios: fixados por tempo determinado)
» Quando ocorre a EXTINÇÃO?
CARACTERÍSTICAS:
1) Morte do credor
2) Casamento, união estável ou concubinato » Personalíssimo quanto ao credor.
do credor » Irrenunciável e recíproca
» Divisível, incessível, incompensável, inalienável e impenhorável
3) Procedimento indigno do credor em
» Não pode ser objeto de transação, compromisso ou arbitragem
relação ao devedor.
» Transmissível (transmissibilidade é limitada às forças da herança)

União Estável
» Reconhecida como entidade familiar » O que se aplica à União estável?
» Lei facilita sua conversão em casamento Os impedimentos matrimoniais, NÃO os de
» Como ocorre essa conversão? suspensão do casamento.
Pedido dos companheiros ao juiz + assento
no registro civil. » Deveres das relações pessoais:
» RELAÇÕES HOMOAFETIVAS: Lealdade, respeito, assistência, guarda,
Aplicam-se as mesmas regras da união sustento e educação dos filhos
estável.
» Concubinato: sociedade de fato. » Aplica-se o regime de comunhão parcial
QUAIS SÃO OS REQUISITOS? de bens às relações patrimoniais, SALVO
» Convivência pública, contínua e duradoura contrato escrito.
+ objetivo de constituir família
» SEM exigência de prazo mínimo
» Residam no mesmo domicílio
» Filhos em comum

210
Poder Familiar
» Exercido pelos pais aos filhos: EXTINÇÃO: EXERCÍCIO:
Família democrática » Morte dos pais ou do filho » Durante o casamento/União
Regime de colaboração familiar » Emancipação estável, a competência do poder
Relações baseadas no afeto » Adoção familiar é dos pais.
» Envolve o consentimento para: » Maioridade » Divergências: recorrer ao juiz
Viajar para exterior » Decisão judicial » NÃO lateram as relações entre pais
Casamento » PERDERÁ, se: e filhos a separação judicial, o divórcio
Mudança de residência para outro » Castigar imoderadamente o filho e a dissolução da união estável.
município » Deixar o filho em abandono
» Usufruto e administração de seus bens. » Praticar atos contrários à moral e aos » O filho NÃO reconhecido pelo pai
SUSPENSÃO: bons costumes fica sob poder familiar exclusivo da
» Pai ou mãe condenados por sentença » Incidir reiteradamente nas faltas MÃE.
irrecorrível, por crime cuja pena exceda 2 previstas em lei (abuso de autoridade).
anos de prisão.
» Pai ou mãe que abusar de sua autoridade
(faltando com seus deveres ou arruinando
os bens dos filhos).

Tutela X Curatela
» Proteção de – 18 anos.
» Proteção de maiores incapazes.
» TUTOR para TUTELADO
» CURADOR para CURATELADO
» Hipóteses:
» Tipos:
1) Falecimento dos pais
1) Ordinária:
2) Pais julgados ausentes
Quem não puder exprimir sua vontade, ébrios habituais + viciados
3) Pais decaídos do poder familiar
em tóxico e pródigos
» Irmãos órfãos tem 1 tutor só
2) Especial:
» Espécies:
Ao nascituro, se o pai falecer estando grávida a mulher e não tendo
1) Testamentária: determinada por ambos os pais.
o poder familiar.
2) Legítima: na falta de tutor nomeado pelos pais,
» Espécies:
serão os parentes consanguíneos.
1) Legítima:
3) Dativa: nomeada pelo juiz.
Cônjuge/companheiro / pai e mãe / descendente
» Quando a tutela cessa para o menor?
No casamento com comunhão universal, NÃO é obrigatória a
1) Maioridade ou antecipação
prestação de contas.
2) Reconhecimento ou adoção
2) Dativa: nomeada pelo juiz.
» Quando cessam as funções do tutor?
» Finalidade:
1) Expirar o termo
Representação legal + Administração dos bens, em virtude da
2) Sobrevir escusa legítima incapacidade da 1ª de gerenciar sua vida e seus próprios interesses.
3) Ser removido (destituído se for negligente,
prevaricador ou incurso em incapacidade).

211
Direito das Sucessões

Sucessões em geral
» Transmissão do patrimônio de uma TIPOS DE HERDEIROS:
Pessoa que faleceu (parente) para seus » NECESSÁRIOS: descendentes e ascendentes; cônjuge.
sucessores. ⤷ METADE dos bens da herança pertencem a eles (Legítima)
» A sucessão deve ser aberta no LOCAL do ⤷ Se houver os herdeiros necessários, o testador só pode fazer a
ÚLTIMO DOMICÍLIO do falecido. distribuição de METADE da herança.
» A herança é UNITÁRIA, com herdeiros diversos. ⤷ Se não houver, pode dispor livremente.
» Antes da PARTILHA, os coerdeiros tem direitos » COLATERAIS: irmãos; tios; primos (facultativo)
INDIVISÍVEIS. ⤷ Só poderão herdar se:
⤷ NÃO TIVER os necessários ou eles RENUNCIAREM a herança ou forem
EXCLUÍDOS, caso forem deserdados ou por indignidade.
» Como ocorre a exclusão da sucessão?
⤷ O testador pode simplesmente não os contemplar.

Aceitação ou Renúncia da Herança


ACEITAÇÃO: RENÚNCIA:
» Após aceita, a transmissão da herança se torna » A transmissão fica NÃO VERIFICADA.
DEFINITIVA, desde a ABERTURA da sucessão. » DEVE CONSTAR de forma expressa:
» Espécies: 1) Por instrumento público
1) EXPRESSA: declaração escrita. 2) Por termo judicial
2) TÁCITA: atos próprios do herdeiro. » Herdeiro renunciante NÃO pode ser sucedido por
» NÃO precisa de aceitação: representante.
1) Atos oficiosos
2) Atos conservatórios » E se for o único legítimo ou todos renunciarem?
3) Atos de administração/Guarda provisória Os FILHOS poderão vir à sucessão por direito próprio ou por
4) Cessão gratuita, pura e simples da herança aos outros cabeça.
coerdeiros. » Os atos de aceitação ou renúncia são IRREVOGÁVEIS.
» E no caso de herdeiro falecer? » NÃO pode aceitar ou renunciar a herança:
Se ocorrer antes dele aceitar a herança, o poder de 1) Em parte
aceitá-la SE TRANSFERE aos herdeiros. 2) Sob condição ou a termo

212
Sucessão Legítima
Qual é a ordem? » A herança será dividida em partes iguais entre filhos da quota sucessória,
que podem ser ou não do casamento ou serem adotados (todos tem os
1) Descendentes + cônjuge sobrevivente
mesmos direitos).
1.1. Se não tiverem direito de representação,
» Os demais descendentes participam da sucessão por cabeça ou por estirpe.
os descendentes mais próximos excluem os
» E o companheiro?
demais.
Terá 1/3 da herança
1.2. Cônjuge: o quinhão será igual aos que
» E o cônjuge?
sucederem
Terá 1/3 da herança: concorrendo com ascendente (pais)
Mais de ¼ da herança se for ascendente
Metade: se tiver um ascendente ou for o grau for maior.
dos herdeiros
» E se não tiver ascendente/descendente?
2) Ascendentes + Cônjuge
Toda a herança cabe ao cônjuge sobrevivente.
Os de grau mais perto excluem os demais
» E se não tiver cônjuge/companheiro sobrevivente?
3) Cônjuge sobrevivente
Os colaterais até 4º grau sucederão.
4) Colaterais, EXCETO: comunhão universal
» Imãos bilaterais do falecido: direito ao dobro do que cabe aos irmãos
ou separação obrigatória de bens ou
unilaterais.
comunhão parcial (autor não deixou bens
» E se não tiver irmãos? Os filhos herdam.
particulares).
» E se não tiver filhos? Os tios herdam.

Deserdação e Exclusão da Sucessão


DESERDAÇÃO: EXCLUSÃO:
» Quando o testador, por ato UNILATERAL, » Podem ser excluídos os herdeiros ou
exclui da sucessão um herdeiro necessário. legatários:
⤷ Para isso, deve haver declaração expressa ⤷ Autores, coautores, participes de homicídio
de causa doloso ou tentativa contra pessoa de cuja
sucessão se tratar + seu cônjuge + ascendentes
» AUTORIZA A DESERDAÇÃO: e descendentes.
⤷ DESCENDENTE para ASCENDENTE: » Que acusarem de forma CALUNIOSA ou
Ofensa física; Injúria grave; Relações ilícitas praticarem crime CONTRA A HONRA do autor
com madrasta/padrasto; Desamparo do da herança + seu cônjuge.
ascendente em alienação mental ou grave » Que por violência ou meios fraudulentos,
enfermidade. INIBIREM o autor a dispor livremente de seus
bens.
⤷ ASCENDENTE para DESCENDENTE: » Terá EFEITOS PESSOAIS.
Ofensa física; Injúria grave; Relações ilícitas » Será declarada por SENTENÇA.
com mulher/marido/companheiro do » O direito de demandar a exclusão se extingue
filho/neto; Desamparo do filho/neto com em 4 anos, contados da abertura da sucessão.
deficiência mental ou grave enfermidade.

213
Direito de Representação da Sucessão
» Se dará na linha de DESCENDENTE e
» Sucessão legítima:
nunca na ascendente.
Entre DESCENDENTES: os de graus mais
perto excluem os demais, SALVO DIREITO
» Linha transversal: somente em favor dos
DE REPRESENTAÇÃO.
filhos de irmãos do falecido, se concorrerem.
» COLATERAIS: os de graus mais perto
» O renunciante à herança de uma pessoa
excluem os demais, SALVO DIREITO DE
PODE representá-la na sucessão de outra.
REPRESENTAÇÃO, se concedidos aos filhos
de irmãos.
» A lei chama certos parentes do falecido
para suceder na totalidade dos direitos em
que ele sucederia se estivesse vivo.

» O que herdaria o representado se


estivesse vivo, pode herdar como tal.
⤷ O quinhão será repartido igualmente
entre os representados.

Sucessão Testamentária
» O testamento é um ato PERSONALÍSSIMO. » CODICILO:
Pode modificar em qualquer tempo. ⤷ É um ato de última vontade através do qual se dispõe sobre seu
» EXTINÇÃO da validade do testamento: 5 anos, enterro, esmolas de pouca monta a determinadas pessoas ou de forma
da data de seu registro. indeterminada aos pobres de algum lugar.
⤷ Lugar de móveis, roupas ou joias de pouco valor e de uso pessoal.
» QUEM TEM CAPACIDADE?
⤷ ATIVA: qualquer pessoa que não seja incapaz » TIPOS DE TESTAMENTO:
e que esteja de posse de suas capacidades ⤷ PÚBLICO: feito por tabelião em seu livro de notas (declarações do
mentais (+ 16 anos). testador)
⤷ PASSIVA: qualquer pessoa física ou jurídica. ⤷ CERRADO: feito pelo testador ou outra pessoa que ele mande fazer,
observadas as regras do art. 1.868.
☛ Quando o testador falecer, o responsável por abri-lo será o juiz, que
logo após irá ordenar que seja cumprido.
⤷ PARTICULAR: feito pelo testador de punho próprio ou por meio
eletrônico.
☛ Quando o testador falece, seu testamento será publicado em juízo.

214
Legado
» Recai sobre coisa CERTA e DETERMINADA. » DETALHES SOBRE A HERANÇA:
.» A disposição testamentária A TÍTULO SINGULAR.
.» LEGATÁRIO: ⤷ Tudo aquilo que pode se considerar PATRIMÔNIO da
⤷ Pessoa que pertence ou não à sucessão legítima. pessoa, e isso vai de bens, até as dívidas de créditos e
⤷ Pode fazer a renúncia de maneira expressa ou tácita. débitos, etc.
» Pode ser coisa corpórea ou incorpórea, alimentos,
renda, pensão periódica, etc. ⤷ Será transmitido LOGO, com a abertura da sucessão,
» O legado pode CADUCAR? SIM! Art. 1939 aos herdeiros legítimos e testamentários.
» Se, de forma alternativa, o legado for de 2 ou mais
coisas:
1) Se algumas delas PERECEREM, subsistirá quanto às
restantes.
2) Perecendo PARTE DE UMA, valerá quanto seu
remanescente.

Revogação e Rompimento do Testamento


REVOGAÇÃO: ROMPIMENTO:
» Só pode ocorrer a revogação de um testamento, por » Hipóteses:
outro testamento, ainda que de outra forma. 1) Sobrevindo DESCENDENTE sucessível ao testador
que não possuía ou não o conhecia quando testou.
» Ato consciente do testador para tornar INEFICAZ o
testamento feito anteriormente. 2) Na falta de conhecimento da existência de outros
herdeiros NECESSÁRIOS.
» Existe REPRISTINAÇÃO testamentária? NÃO!
3) NÃO deve ser rompido o testamento se o testador
» A revogação pode ser: fizer a disposição de sua metade, e NÃO CONTEMPLAR
1) Total ou Parcial os herdeiros necessários de que saiba da existência, ou
2) Expressa ou tácita (incompatibilidades entre as que os EXCLUA dessa parte.
disposições dos testamentos).

215
mínimo vigente ao tempo da sentença e
Súmulas do STF ajustar-se-á às variações ulteriores.

OAB Súmula 494: A ação para anular venda de


ascendente a descendente, sem
consentimento dos demais, prescreve em
Súmula 151: Prescreve em um ano a ação do
segurador sub-rogado para haver indenização vinte anos, contados da data do ato, revogada
por extravio ou perda de carga transportada a Súmula 152/STF.
por navio.
Súmula 562: Na indenização de danos
Súmula 158: Salvo estipulação contratual materiais decorrentes de ato ilícito cabe a
averbada no registro imobiliário, não atualização de seu valor, utilizando-se, para
responde o adquirente pelas benfeitorias do esse fim, dentre outros critérios, os índices
locatário. de correção monetária.

Súmula 161: Em contrato de transporte, é


inoperante a cláusula de não indenizar.
Súmulas do STJ
Súmula 187: A responsabilidade contratual do
transportador, pelo acidente com o
passageiro, não é elidida por culpa de OAB
terceiro, contra o qual tem ação regressiva. Súmula 385: Da anotação irregular em
cadastro de proteção ao crédito, não cabe
Súmula 188: O segurador tem ação regressiva indenização por dano moral, quando
contra o causador do dano, pelo que preexistente legítima inscrição, ressalvado o
efetivamente pagou, até ao limite previsto no direito ao cancelamento.
contrato de seguro.
Súmula 387: É lícita a cumulação das
Súmula 257: São cabíveis honorários de indenizações de dano estético e dano moral.
advogado na ação regressiva do segurador
contra o causador do dano. Súmula 388: A simples devolução indevida de
cheque caracteriza dano moral.
Súmula 413: O compromisso de compra e
venda de imóveis, ainda que não loteados, dá Súmula 403: Independe de prova do prejuízo
direito a execução compulsória, quando a indenização pela publicação não autorizada
reunidos os requisitos legais. de imagem de pessoa com fins econômicos
ou comerciais.
Súmula 489: A compra e venda de
automóvel não prevalece contra terceiros, de Súmula 479: As instituições financeiras
boa-fé, se o contrato não foi transcrito no respondem objetivamente pelos danos
registro de títulos e documentos. gerados por fortuito interno relativo a fraudes
e delitos praticados por terceiros no âmbito
Súmula 490: A pensão correspondente a de operações bancárias.
indenização oriunda de responsabilidade civil
deve ser calculada com base no salário-

216
10.
PROCESSO
CIVIL

@contemdireito_ 217
Princípios do Processo Civil

1. Devido Processo Legal 6. Boa-fé processual

2. Impulso Oficial 7. Cooperação Processual

3. Acesso à Justiça 8. Isonomia

4. Primazia do julgamento do mérito 9. Publicidade dos atos processuais

5. Duração razoável do processo 10. Contraditório dinâmico


11. Fundamentação analítica

Atos Processuais

Prazos
1. Regra: 4. Começo dos prazos:
Dias úteis I. Correios: juntada do AR;
II. Oficial de justiça: juntada do cumprimento do mandado.
III. Escrivão/Chefe de secretaria: data de ocorrência da
2. Juizados especiais:
citação/intimação.
Dia úteis IV. Edital: dia útil seguinte do fim da dilação.
V. Meio eletrônico: dia útil seguinte da consulta ou fim do processo.
3. Vara da infância: VI. Cartas:
Dias corridos » Precatória Juntada do comunicado
» Rogatória ou
» Ordem do cumprimento da carta nos autos de origem.

VII. Diária da justiça: data da publicação.


VIII. Processo físico: dia da carga.

218
Arbitragem e mediação
1) ARBITRAGEM: 2) CONCILIAÇÃO: 3) MEDIAÇÃO:
» Lei nº. 9.307/96 » Art. 334, CPC. » Lei nº. 13.140/15
» Art. 3, §1º. » O conciliador busca o consenso » O mediador busca o
» As partes estabelecem que a entre os litigantes e tem uma consenso entre os litigantes
decisão da lide será proferida postura propositiva, sugerindo e tem uma postura de
por um ÁRBITRO privado, e soluções para as partes. induzir que as próprias
não um juiz do Poder Judiciário. » O conciliador é um terceiro que partes encontrem a
» A decisão arbitral é busca o acordo entre as partes, solução.
considerada um título executivo sendo a conciliação mais adequada » Busca o acordo entre as
JUDICIAL. para situações em que não havia partes, mas sem sugerir a
» O arbitro é o terceiro que prévio contato entre as partes. solução.
decide a lide, cuja decisão » Destinada a situações em
independerá da vontade das há prévio contato entre as
partes em acolhê-la. partes.

Partes e Procuradores

Litisconsórcio

» Pluralidade de partes
» Litisconsortes possuem autonomia quando atuam, EXCETO: no litisconsórcio unitário, os atos
benéficos estendem-se a TODOS os litisconsortes.
» PRAZO EM DOBRO:
1) Procuradores distintos
2) Escritórios distintos
3) Autos físicos
» NÃO existe a figura do litisconsórcio ativo necessário.
» NÃO se admite litisconsórcio ativo facultativo ulterior.
219
Quanto aos Quanto aos Quanto ao Quanto à
EFEITOS: SUJEITOS: MOMENTO: OBRIGATORIEDADE:
Simples Litisconsórcio ativo: Inicial: Facultativo:
pluralidade de Formação é a critério do autor.
autores pleiteada na petição
inicial
Unitário Litisconsórcio Ulterior: Necessário:
passivo: O litisconsorte não é Imposição legal
indicado na petição
pluralidade de réus inicial, podendo se
formar com
intervenção de
terceiro.
Litisconsórcio misto:
pluralidade de
autores e réus

Intervenção de Terceiros
1) ASSISTÊNCIA: 2) DENUNCIAÇÃO À LIDE: 3) CHAMAMENTO AO
» Um terceiro auxilia a parte » Art. 125 a 129, CPC PROCESSO:
em uma causa em que tenha » Intervenção provocada por autor » Art. 130 a 132, CPC
INTERESSE JURÍDICO. e réu que pretendem resolver » Direito do réu de chamar,
⤷ ASSISTÊNCIA SIMPLES: demanda regressiva contra um para ingressar no polo passivo
art. 121 a 123, CPC. terceiro. da demanda, os
Apenas auxilia a parte para ⤷ CABIMENTO: corresponsáveis por
vitória do feito. 1) Alienante imediato determinada obrigação.
⤷ ASSISTÊNCIA 2) Quem estiver obrigado por lei, a ⤷ CABIMENTO:
LITISCONSORCIAL: art. 124 indenizar. 1) Do afiançado, na ação em que
Terceiro intervém com ⤷ CONSEQUÊNCIAS: o fiador for o réu.
intenção de formar 1) Denunciado contestar pedido do 2) Demais fiadores, em ação
litisconsórcio ulterior no autor. proposta contra algum.
processo. 2) Denunciado revel 3) Demais devedores solidários.
3) Denunciado confessar os fatos ⤷ CITAÇÃO:
alegados pelo autor. 30 dias, sob pena de preclusão.

220
4) INCIDENTE DE DESCONSIDERAÇÃO DA 5) AMICUS CURIAE:
PERSONALIDADE JURÍDICA: » Intervenção que pode ser espontânea
» Art. 28, CDC e art. 50, CC. ou provocada, onde o terceiro, sem
» Requerimento da parte ou MP. interesse jurídico, instrui o Poder
» Autoriza imputar ao patrimônio particular dos sócios, Judiciário para que a decisão proferida
obrigações assumidas pela sociedade. seja mais qualificada, motivada.
⤷ Exemplo: ⤷ Aplicada em todos os graus de
1) Desvio de finalidade jurisdição.
2) Confusão patrimonial ⤷ NÃO pode ter interesse jurídico na
3) Liquidação irregular causa.
» DESCONSIDERAÇÃO INVERSA: ⤷ Cabe ao juiz definir os poderes do
Se imputa ao patrimônio da sociedade o cumprimento Amicus Curiae.
das obrigações pessoais do sócio.
⤷ CABIMENTO: processo de conhecimento,
cumprimento de sentença e execução de título
extrajudicial.
⤷ PRAZO: instaurado o incidente, o sócio ou p.j. serão
citados para manifestação em 15 dias.

Jurisdição
» É o poder que detém o Estado de fazer 1) EXCLUSIVA:
atuar as regras jurídicas de forma concreta. » Só pode ser decididas pela jurisdição brasileira.
» Secundária; Instrumental; Declarativa; » Decisões estrangeiras NÃO SERÃO homologadas
Desinteressada; Provocada. pelo STJ.

PRINCÍPIOS: 2) CONCORRENTE:
1) Princípio do juiz natural: execução por » Só podem ser decididas pelo tribunal estrangeiro
devidamente investido pela CF. assim como, pela jurisdição brasileira, salvo
2) A jurisdição é improrrogável: os limites disposição contrária de: tratados internacionais e
do poder jurisdicional são tratados pela CF. acordos bilaterais.
3) A jurisdição é indeclinável: o Poder » Decisões estrangeiras DEVEM ser homologadas
Judiciário NÃO pode se recusar a cumprir pelo STJ.
sua função e NÃO pode delegar a ninguém. » A ação proposta no tribunal estrangeiro NÃO
induz litispendência.

221
Competência
» Art. 46 a 64, CPC.
Competência X Competência INCOMPETÊNCIA RELATIVA:
Absoluta Relativa » Só pode ser alegada na
1) OBJETIVO: primeira oportunidade na parte,
M: Matéria T: território
Matéria; Pessoa; Valor. P: Pessoa V: valor sob pena de prorrogação de
2) FUNCIONAL: F: Função competência.
Originária; Derivada.
3) TERRITORIAL: INCOMPETÊNCIA
Lugar/Foro ABSOLUTA:
Regra geral: art. 46, CPC » Pode ser alegada em qualquer
Regra especial: art. 47 e 53, momento do processo.
CPC.

Tutela Provisória
Proferida por cognição sumária, o magistrado antecipa a uma das partes algum
provimento judicial de mérito ou acautelatório, antes da sentença judicial.
ANTECEDENTE: antes do início do processo l INCIDENTAL: durante o processo.
URGÊNCIA EVIDÊNCIA
Art. 300, CPC Art. 311, CPC
1) Antecipada É satisfativa do direito
(natureza satisfativa do direito): Alta probabilidade
Requisitos: NÃO há urgência (sem “periculum in mora”)
i) Probabilidade do direito + Reversibilidade Ex: Abuso do direito de culpa.
da medida
ii) Perigo do dano
⤷ “periculum in mora”
Ex: Cirurgia urgente Características:
2) Cautelar 1) Tutela inibitória: evita que a conduta seja
(natureza protetiva ou conservativa): praticada.
Requisitos: 2) Tutela reintegratória: continuidade do ato ilícito.
i) Probabilidade do direito (“fumus boni iuris”) 3) Tutela reparatória: dano já consumado
ii) Risco ao resultado útil do processo (obrigações)
⤷ “periculum in mora”
Ex: Penhora dos bens do devedor.
222
FORMAÇÃO: SUSPENSÃO: EXTINÇÃO:
» Processo nasce com a » Durante o andamento, o » Todo processo tem um fim.
demanda da parte. processo pode passar por crises.
⤷ Petição inicial protocolada (art. 1) Com resolução do mérito
240). 1) Crise quanto aos sujeitos ⤷ Art. 487
⤷ Réu citado processuais (art. 313); 2) Sem resolução do mérito
» Ao receber a petição inicial, o 2) Crises quanto ao objeto do ⤷ Art. 485
escrivão ou chefe de secretaria processo (art. 313);
autuará a petição: 3) Atos urgentes (art. 314)
1) Mencionar o juízo
2) Natureza do processo » Própria: não permite a prática
3) Número do registro de nenhum ato, salvo urgentes.
4) Nome das partes » Impróprias: apenas proíbe
5) Data de início alguns atos, até que se julgue a
6) Procedimento (art. 240) questão incidente.
» Modificação no processo
⤷ Art. 329, CPC.

Procedimento Comum
1. Petição Inicial:
Requisitos (art. 319, CPC):
» Instrumento para formalizar o pedido do juiz.
1) Juízo a que é dirigida
» Deve conter todos os pedidos e causas de pedir.
2) Qualificação das partes
3) Causa de pedir
» Fases do Procedimento Comum:
⤷ Pedido remoto ou próximo
1) Fase Postulatória: partes requerem pretensões
4) Pedido
2) Fase Saneatória: juiz põe ordem no processo
⤷ Deve ser certo
3) Fase Instrutória: realização de provas e alegações
⤷ Mediato (bem da vida) ou imediato
4) Fase Decisória: juiz profere sentença
(sentença).
5) Valor da causa (art. 291 e 292)
» Após:
6) Indicação genérica dos meios de
5) Fase recursal: interposição de recursos
prova
6) Fase de liquidação e cumprimento de sentença: partes
7) Opção da audiência de conciliação e
cumprem a sentença.
mediação
⤷ Autocomposição
⤷ Extinção do processo
223
2. Contestação:
Incumbe ao réu alegar, sob pena de preclusão.
» Defesas processuais: alegações relacionadas aos ritos processuais.
» Defesas materiais:
1) Direta: réu nega o fato
2) Indireta: réu apresenta fato impeditivo, modificativo ou extintivo ao direito do autor.
» Reconvenção: pedido formulado pelo réu em face do autor.
» Revelia: inatividade do réu que não apresenta defesa.
⤷ Efeitos ☛ material: presunção da veracidade dos fatos alegados pelo autor (art. 344)
☛ processuais: fluência dos prazos contra o revel.

» Fase Postulatória:
⤷ Propositura da ação
⤷ Citação do réu
⤷ Contestação/Possível réplica
⤷ Partes apresentam alegações para convencer o juiz.

1.1. Emenda da inicial:


» Caso haja defeito na inicial (não preencha os requisitos do art. 319 e 320).
⤷ Juiz determina que o autor emende no prazo de 15 dias.

1.2. Indeferimento da inicial: art. 330


⤷ Inépcia da inicial 1) Faltar pedido ou causa de pedir
⤷ Parte manifestamente ilegítima 2) Pedido for indeterminado, salvo lei permite
3) Pedidos incompatíveis
⤷ Ausência de interesse processual do autor
4) Fatos não tiverem sentido lógico
⤷ Quando não atendido os arts.. 106 e 321.

1.3. Improcedência liminar do pedido: art. 332


⤷ Decisão que resolve o mérito da demanda quando a improcedência pode ser verificada antes da
citação do réu.
⤷ Antes de julgar como liminar, juiz deve abrir prazo ao autor para contraditório.
⤷ Recurso cabível: Apelação, o juiz pode se retratar em 5 dias após interposição do recurso.

224
» Fase Saneadora: » Extinção do processo (art. 354)
1) Correção de eventuais defeitos » Julgamento antecipado do mérito
2) Julgamento: se for caso de extinção do processo (art. 355)
⤷ Causa pronta para julgamento.
⤷ Com resolução do mérito (art. 487): » Julgamento antecipado parcial do
I) Acolher ou rejeitar o pedido na ação ou reconvenção. mérito (art. 356)
II) Decadência ou prescrição Parte tem 5 dias para suprir
III) Homologar: Partes pagam custas e honorários
a) Reconhecimento de procedência do pedido na ação ou reconvenção
b) Transação
c) Renúncia
⤷ Sem resolução de mérito (art. 485):
I) Indeferir a P.I.
II) Processo parado por mais de 1 ano por negligência das partes. Depois da constestação,
III) Autor abandonar a causa por mais de 30 dias. não pode sem
IV) Ausência dos pressupostos consentimento do réu.
» Pode até a sentença.
V) Perempção, litispendência ou coisa julgada
VI) Ausência de legitimidade ou interesse processual
VII) Convenção de arbitragem ou juízo arbitral reconhecer sua competência
VIII) Desistência da ação
IX) Morte da parte, ação intransmissível » Recurso cabível: apelação
X) Casos previstos em lei ⤷ Juiz retrata-se em 5 dias, se for o caso.

Sentença
» Art. 203, §1º, CPC.
» Decisão final em 1ª grau
1) Sentença declaratória: declara existência, inexistência ou o modo de ser de uma relação jurídica.
» A improcedência de qualquer pedido gera uma sentença declaratória
2) Sentença constitutiva: o pronunciamento criará, modificará ou extinguirá um estado ou uma relação
jurídica. Ex: sentença de divórcio.

» A sentença deverá refletir o que consta do pedido, sob pena de VÍCIO:


I) Extra Petita (fora do pedido); » Elementos da sentença:
II) Ultra Petita (além do pedido); I) Relatório;
III) Infra ou Citra Petita (abaixo do pedido). II) Fundamentos;
225
III) Dispositivo.
Coisa Julgada

1. Coisa Julgada Formal 2. Coisa Julgada Material


» Imutabilidade da decisão no próprio processo » Imutabilidade da decisão não só no processo
em que foi proferida. em que foi proferida, mas em qualquer outro
» Atinge qualquer sentença, inclusive terminativas. processo.
» Assim, cabe a propositura, salvo no caso de » Atinge apenas as decisões definitivas.
litispendência – e desde que ocorra a correção
da falha (art. 486, §1º, CPC).

Limites da Coisa Julgada:

1. Objetivos: 2. Subjetivos:
» O que é atingido para coisa julgada » Quem será atingido pela coisa julgada
» O dispositivo é coberto pela coisa julgada » Exceções: C.J.: ultra partes e erga omnes
(art. 503, CPC). » A rigor, apenas as partes litigantes é que
» A verdade dos fatos e fundamentação não são atingidas pela coisa julgada, e não
(art. 504, CPC) terceiros
» A questão prejudicial será coberta pela » O art. 506 não repete, que a coisa julgada
coisa julgada se: NÃO beneficiará terceiros, como no CPC/73.
I) For expressamente decidida pelo juiz » Art. 506: A sentença faz coisa julgada às
II) Com contraditório prévio partes entre as quais é dada, não
III) Se o juiz for competente de forma absoluta prejudicando terceiros.
para a questão prejudicial (art. 503, §1º)

226
Processo de Execução
Competência: Títulos Executivos
⤷ Tribunais Superiores, nas causas de competência 1. Judicial (cumprimento de
originária sentença):
⤷ O juízo que decidiu em 1º grau I) Sentença condenatória proferida do
⤷ Juízo que homologou a sentença arbitral processo de conhecimento
⤷ Juízo cível competente, quando a título executivo II) Sentença condenatória penal, transitada em
por sentença penal condenatória. julgado.
Espécies: III) Sentença arbitral e sentença
1) Execução para entrega de coisa certa homologatória de transação ou de
2) Execução para entrega de coisa incerta conciliação
3) Execução das obrigações de fazer e de não fazer IV) Sentença estrangeira, homologada pelo
4) Execução das obrigações por quantia certa contra STJ
devedor solvente
V) O Formal e a certidão de partilha (tem
5) Execução das obrigações por quantia certa contra
devedor insolvente força executiva exclusivamente em relação
6) Execução contra a Fazenda Pública ao inventariante, aos herdeiros e aos
7) Execução de prestação alimentícia sucessores.

Extrajudiciais - processo de execução (processo autônomo):


1) Letra de câmbio, nota promissória, duplicata, debênture e cheque;
2) Escritura pública ou outro documento público assinado pelo devedor;
3) Documento particular assinado pelo devedor mais duas testemunhas;
4) Instrumento de transação referendado pelo Ministério Público, D.P. ou advogados;
5) Contrato de hipoteca, penhor, anticrese ou caução;
6) Segura de vida ou de acidentes pessoais de que resulte morte ou incapacidade;
7) Crédito decorrente de foro, laudêmio, aluguel ou renda de imóvel;
8) Encargo de condomínio, desde que comprovado por contrato escrito.
9) Crédito de serventuário da justiça, de perito, intérprete ou tradutor, quando as custas, emolumentos
ou honorários forem aprovados por decisão judicial.
10) Certidão de dívida ativa da Fazenda Pública da U, E, DF, T e M, correspondentes aos créditos
inscritos;
11) Todos os demais títulos a que, expressamente, a lei atribuir força executiva.
⤷ Pode a criação de leis especiais de títulos executivos extrajudiciais.
Ex: Contrato de honorários advocatícios. 227
Processo nos Tribunais
» Nos Tribunais, há trâmite de incidentes e 3. HOMOLOGAÇÃO DE DECISÃO ESTRANGEIRA:
ações, sem natureza recursal. São eles: » Art. 960, CPC.
1. INCIDENTE DE ARGUIÇÃO DE » Para a decisão estrangeira ingressar no sistema
INCONSTITUCIONALIDADE: processual, depende de prévia homologação,
» Art. 948, CPC perante o STJ.
» Qualquer juiz pode declarar a » Não se admite em caso de competência exclusiva
inconstitucionalidade de um diploma legal, do juiz brasileiro.
incidentalmente no processo (como questão » A decisão interlocutória estrangeira pode ser
prejudicial) homologada, via carga rogatória.
» Decisão de maioria dos membros do tribunal, » Decisão arbitral estrangeira
obedecendo a cláusula de reversa de plenário. » Decisão estrangeira de divórcio consensual não
» Súmula Vinculante 10 e art. 97, CF. precisa ser homologada no STJ, cabendo a qualquer
2. CONFLITO DE COMPETÊNCIA: juiz apreciar a validade da decisão.
» Art. 951, CPC. ⤷ Requisitos para homologação de dec. Estrangeira:
» Quando 2 ou + juízes se considerarem 1) Ser proferida por autoridade competente;
2) Ser precedida de citação regular, ainda que verificada a
competentes ou incompetentes para julgar
revelia;
uma mesma causa. 3) Ser eficaz no país em que foi proferida;
» Será suscitado no Tribunal e o relator 4) Não ofender a coisa julgada brasileira;
determina a manifestação dos juízos 5) Estar acompanhada de tradução oficial, salvo disposição
envolvidos. que a dispense prevista em tratado;
6) Não conter manifesta ofensa à ordem pública..

4. INCIDENTE DE RESOLUÇÃO DE » NÃO CABIMENTO:


DEMANDAS REPETITIVAS: Quando um dos tribunais superiores (STF ou STJ), já tiver
afetado recurso repetitivo para definição de tese sobre
» Art. 976, CPC. direito material ou processual.
» Busca a racionalidade e igualdade na
apreciação de processos de massa, em que se » ADMITIDO O INCIDENTE:
debata o mesmo tema repetitivo. Busca maior 1) Suspenderá os processos pendentes, individuais ou
agilidade e rapidez em causas repetitivas. coletivos, que tramitam no Estado ou na região;
» Será instaurado quando houver: 2) Pode requisitar informações a órgãos em cujo juízo
1) Efetiva repetição de processos que contenham tramita processo no qual se discute o incidente = 15 dias.
controvérsia sobre a mesma questão unicamente de 3) Intimará o MP para, manifesta-se em 15 dias.
direito; » O julgamento deve ocorrer em até 1 ano
II) Risco de ofensa à isonomia e à segurança jurídica; 228
4. INCIDENTE DE 5. RECLAMAÇÃO:
ASSUNÇÃO DE » Art. 988, CPC.
» Cabível para:
COMPETÊNCIAS:
1) Preservar aa competência do tribunal;
» Art. 947, CPC. 2) Garantir a autoridade das decisões do tribunal;
» É cabível quando o 3) Garantir a observância de decisão do STF em controle concentrado de
julgamento de recurso, de constitucionalidade e súmula vinculante;
remessa necessária ou de 4) Garantir a observância de acórdão proferido em julgamento de IRDR ou
em incidente de assunção de competência.
processo de competência
originária envolver relevante » Utilização é possível para qualquer tribunal intermediário ou
questão de direito, com superior:
a) Se a competência ou decisão de tribunal não for observada;
grande repercussão social, b) Se a decisão de ADIN, ADC, ADPF, súmula vinculante, IRDR e IAC não
sem repetição em múltiplos forem observadas;
processos. c) Se a decisão proferida em RE ou REsp repetitivo ou RE com repercussão
» Aplica-se o IAC quando geral, desde que esgotadas as instâncias ordinárias.
ocorrer relevante questão de » NÃO SERÁ ADMITIDA (art. 988):
direito a respeito da qual seja 1) Proposta após o trânsito em julgado da decisão reclamada, de modo que,
conveniente a prevenção ou além da reclamação, deverá ser utilizado o recurso cabível;
2) Proposta para garantir a observância de acórdão de recurso extraordinário
a composição de divergência
com repercussão geral reconhecida ou de acórdão proferido em RE ou REsp
entre câmaras ou turmas do repetitivos, quando NÃO ESGOTADAS AS INSTÂNCIAS ORDINÁRIAS.
tribunal.

6. AÇÃO RESCISÓRIA: 8) Fundadas em erro de fato verificável do


» Art. 966, CPC. exame dos autos;
» A finalidade da AR é rescindir decisão de mérito transitada » Deixa de ser cabível AR fundada na
invalidação de confissão, desistência ou
em julgado. transação.
» A revisão da coisa julgada em hipóteses expressamente » Admite-se AR para impugnar decisão
previstas na legislação. processual que impeça nova propositura
» Cabimento: da demanda ou a admissibilidade de
1) Proferidas por juiz corrupto (prevaricação, concussão ou recurso.
corrupção); » É possível a AR fundada em um capítulo
2) Proferidas por juiz impedido ou juízo absolutamente incompetente; da decisão.
3) Resultarem de dolo ou coação da parte vencedora ou de colusão » Procedimento especial do AR:
entre as partes; 1) Inicial diretamente no Tribunal
4) Que ofenderem coisa julgada anteriormente formada; 2) Citação (cabe tutela provisória)
5) Que violem manifestação norma jurídico; 3) Contestação (15 a 30 dias)
6) Fundadas em prova falsa 4) Instrução (pode carta de ordem)
7) Quando o autor, após trânsito em julgado, obtiver prova nova; 5) Após a instrução, memoriais (10 dias)
6) Decisão (acórdão)
229
Recursos
» Art. 994, CPC. 6) Recurso Especial (art. 1.029 e art. 105, III, CF):
1) Apelação (art. 1009)
7) Recurso Extraordinário (art. 1.029 e art. 102,
2) Agravo de instrumento (art. 1.015) III, CF):

3) Agravo interno (art. 1.021) 8) Agravo em recurso especial ou


extraordinário (art. 1.042):
4) Embargos de declaração (art. 1.022):
9) Embargos de Divergência (art. 1.043):
5) Recurso Ordinário Constitucional
(art. 1.027 e art. 102, II, e 105, II): 10) Recurso Adesivo (art. 997, §1º):
» Apelação adesiva
» RE Adesivo
» REsp adesivo

DESISTÊNCIA: PREPARO:
» Qualquer tempo e SEM anuência » Deve ser comprovado no ato da interposição.
» NÃO impede análise de questão com » São dispensados = MP, União, DF e Estados,
repercussão geral já reconhecida, nem daquele Municípios, suas autarquias e os isentos na forma
objeto de julgamento em RE ou Resp. repetitivo. da lei.
» Erro no preenchimento da guia NÃO implica
Recurso Adesivo em deserção!
» Admissível na apelação, no recurso » INSUFICIÊNCIA DO VALOR:
extraordinário e no recurso especial ⤷ Intimação para suprir em 5 dias
» Fica subordinado ao recurso independente ⤷ Se não supriu = DESERÇÃO
» NÂO será conhecido pela desistência do » SEM PREPARO:
principal ou pela inadmissibilidade do principal. ⤷ Intimação para pagar em dobro
⤷ Não pagou ou pagou em parte = DESERÇÃO
» Prova de justo impedimento:
⤷ Não deserção e concessão do prazo de 5 dias
para efetuar o preparo.

230
Apelação
» Art. 1.009, CPC. » E se o resultado for NÃO UNÂNIME?
» Prazo: 15 dias O julgamento vai prosseguir na MESMA
» Se interposta ANTES da publicação será SESSÃO, ou em sessão designada, com outros
TEMPESTIVA. julgadores que irão garantir a possibilidade de
» Cabível contra SENTENÇA: ato do juiz que inversão do resultado inicial.
FINALIZA a fase cognitiva do procedimento
comum que pode ser COM ou SEM a resolução » Questão que já foi resolvida na fase de
do mérito. conhecimento que não cabe agravo de
instrumento?
» CABIMENTO: NÃO preclui e é suscitada em preliminar de
⤷ Indeferimento da Petição Inicial: retratação em apelação ou nas contrarrazões.
5 dias
⤷ Indeferimento/Revogação de gratuidade
resolvida na sentença
⤷ Improcedência liminar do pedido: retratação em
5 dias

Efeitos da Apelação
SUSPENSIVO: DEVOLUTIVO:
» Em regra, suspende, EXCETO se a sentença » Quando o tribunal aprecia e julga todas as
que: questões devidas no processo, mesmo as que
1) Homologa divisão ou demarcação de terra não foram solucionadas e relativas ao capítulo
2) Condena a pagar alimentos impugnado.
3) Extingue sem resolução do mérito ou julga » E se a sentença impugnada teve prescrição
improcedente os embargos do executado ou decadência?
4) Julga procedente pedido de instituição de Se possível, o tribunal julgará o mérito sem
arbitragem determinar o retorno ao juízo de 1º grau.
5) Confirma, concede ou revoga tutela provisória » E as questões de fato não propostas no
6) Decreta a interdição juízo inferior?
Cabe a parte provar força maior, pois depois
disso, poderá suscitar na apelação.
231
Agravo de Instrumento
» Art. 1.015, CPC. 2. NÃO CABIMENTO:
» Prazo: 15 dias contados da INTIMAÇÃO.
» Decisão que determina emenda à inicial;
1. CABIMENTO:
» Sobre competência absoluta ou relativa;
» Contra DECISÃO INTERLOCUTÓRIA sobre: » Rejeição de prova pericial;
1) Indeferimento ou revogação de gratuidade de » Quebra de sigilo bancário;
justiça; 3. SERÁ INSTRUÍDA:
2) Incidente de desconsideração da pessoa jurídica;
3) Rejeição da alegação de convenção de » Na falta ou no vício, o relator concede 5 dias
arbitragem; para sanar.
4) Tutelas Provisórias mérito do processo; » Será OBRIGATÓRIA:
5) Exclusão do litisconsorte; 1) Petição Inicial
6) Rejeição do pedido de limitação do litisconsorte; 2) Contestação
7) Exibição ou posse de documento ou coisa; 3) Petição que ensejou agravo
8) Admissão ou inadmissão de intervenção de 4) Decisão agravada
terceiros; 5) Certidão de intimação ou outro que ateste
9) Efeito suspensivo dos embargos à execução; tempestividade
10) Redistribuição do ônus da prova; 6) Procuração
11) Na liquidação ou cumprimento de sentença; » Será FACULTATIVA: outras peças.
12) Nos processos de execução e inventários;

Agravo Interno
» Art. 1.021, CPC. 2. Impugnação pelo recorrente:
» Dirigido ao RELATOR » Os fundamentos da decisão agravada devem ser
» Recorrido será intimado para manifestação específicos.
em 15 dias. ⤷ Art. 942, I I. O relator pode não conhecer de recurso
» Findo os 15 dias, o relator pode se inadmissível, prejudicado ou que não tenha sido
RETRATAR. impugnado especificadamente os seus fundamentos da
» Se não se retratar = enviado para decisão recorrida.
julgamento pelo órgão colegiado. 3. Se for declarado em votação unânime
manifestamente inadmissível ou improcedente:
1. CABIMENTO: » O agravante pode ser condenado a pagar MULTA entre
» Contra DECISÃO proferida pelo RELATOR. 1% a 5% do valor da causa.
⤷ É vedado ao relator limitar-se à » A interposição de qualquer outro recurso é
reprodução dos fundamentos da decisão CONDICIONADA ao depósito da multa.
⤷ EXCEÇÃO: A Fazendo Pública e beneficiários da
agravada.
gratuidade pagam no final.
232
Legislação Especial

Lei dos Juizados Especiais Cíveis


» QUEM PODE SER AUTOR: Lei 9.099/95 » QUEM PODE SER RÉU:
⤷ Pessoas físicas e capazes ⤷ Pessoas físicas capazes
⤷ Microempresas ⤷ Qualquer empresa privada
⤷ Microempreendedores individuais – MEI ⤷ Condomínios
⤷ Empresas de pequeno porte » PEQUENAS CAUSAS:
⤷ Sociedades de crédito ao ⤷ Assistência de advogado:
microempreendedor ☛ Na demanda de até 20 salários mínimos, é
⤷ Pessoas jurídicas qualificadas como OSCIP FACULTATIVA.
» QUEM NÃO PODE SER PARTE: ☛ Na demanda de até 40 salários mínimos, é
⤷ Incapaz OBRIGATÓRIA.
⤷ Preso SALÁRIOS MÍNIMOS:
⤷ Pessoa jurídica de Direito Público 1) Até 60 = Justiça Federal
⤷ Empresas Públicas da União 2) Se 20 até 40 = Advogado obrigatório
⤷ Massa Falida 3) Até 20 = Advogado opcional
⤷ Insolvente Civil

PROCEDIMENTO:
1) Entrada no JEC competente *OBS: Gratuitos os serviços de intimação, penhora e
2) Protocola o pedido e apresenta provas avaliação dos bens do devedor.
3) A demanda é distribuída
4) Designação de sessão de conciliação em 15 dias
5) As partes são intimadas para comparecer pessoalmente e tentar acordo
6) Se não houver acordo = Marca audiência de instrução e julgamento
7) Nela, juiz tenta nova conciliação.
8) Sem acordo = Juiz colhe as provas na audiência e profere sentença
9) Sentença Recurso para órgão colegiado em 1º grau
⤷ Processo não é mais gratuito e advogado ou defensor são obrigatórios
⤷ Parte pode pedir gratuidade, mas se negada, deve recolher as custas.
10) Em 10 dias = Acórdão.
11) Recursos: Cabe embargos de declaração ou recurso extraordinário, mas não cabe em relação a sentença
que homologa a conciliação ou juízo arbitral.
12) E se o recorrente perder? Fica condenado a pagar custas e honorários da outra parte.
13) Após o trânsito em julgado, encerra a fase cognitiva e começa a execução. 233
Mandado de Segurança
» Ação destinada a resguardar direito líquido e certo não » OBJETIVOS:
amparado por Habeas Corpus ou Habeas Data, que seja ⤷ Invalidar atos de autoridades
negado ou mesmo ameaçado, por autoridade pública ou ⤷ Suprimir efeitos de omissões administrativas
agentes particulares no exercício de atribuições do Poder capazes de lesar direito individual próprio líquido
Público. e certo.
» PRAZOS: » LEGITIMIDADE:
⤷ Decadencial; ⤷ Pessoa física ou jurídica ou órgão público
⤷ 120 dias da ação ou omissão causadora do dano; » COMPETÊNCIA:
⤷ Contados da ciência do ato impugnado pelo
⤷ Definida pela categoria da autoridade coatora
interessado;
ou da sua sede funcional
⤷ Se o prazo caducar ou o direito não for líquido e certo,
⤷ Não interessa a natureza do ato impugnado
cabe AÇÃO JUDICIAL ORDINÁRIA;
⤷ Autoridades federais
⤷ Em casos de urgência, a petição inicial pode ser
⤷ Autoridades estaduais e municipais
encaminhada por telegrama, radiograma, fax ou outro
meio eletrônico de autenticidade. comprovada.

Ação Popular
» Qualquer cidadão pode propor para:

ANULAR ato lesivo ao PAPA MEIO MORAL:

PA trimônio Histórico Cultural


PA trimônio Público ou de Entidade a qual o Estado participa
MEIO Ambiente
MORAL idade Administrativa

234
Súmula 247: O contrato de abertura de
Súmulas do STF crédito em conta corrente, acompanhado do
demonstrativo de débito, constitui documento
OAB hábil para o ajuizamento da ação monitória.

Súmula 258: A nota promissória vinculada a


Súmula 600: Cabe ação executiva contra o
emitente e seus avalistas, ainda que não contrato de abertura de crédito não goza de
apresentado o cheque ao sacado no prazo autonomia em razão da iliquidez do título que
legal, desde que não prescrita a ação a originou.
cambiária.
Súmula 268: O fiador que não integrou a
relação processual na ação de despejo não
responde pela execução do julgado.
Súmulas do STJ Súmula 279: É cabível execução por título
OAB extrajudicial contra a Fazenda Pública.

Súmula 27: Pode a execução fundar-se em Súmula 300: O instrumento de confissão de


mais de um título extrajudicial relativos ao dívida, ainda que originário de contrato de
mesmo negócio. abertura de crédito, constitui título executivo
extrajudicial.
Súmula 46: Na execução por carta, os
embargos do devedor serão decididos no Súmula 309: O débito alimentar que autoriza
Juízo deprecante, salvo se versarem a prisão civil do alimentante é o que
unicamente vícios ou defeitos da penhora, compreende as três prestações anteriores ao
avaliação ou alienação dos bens. ajuizamento da execução e as que se
vencerem no curso do processo.
Súmula 60: É nula a obrigação cambial
assumida por procurador do mutuário Súmula 317: É definitiva a execução de título
vinculado ao mutuante, no exclusivo interesse extrajudicial, ainda que pendente apelação
deste. contra sentença que julgue improcedentes
os embargos.
Súmula 153: A desistência da execução fiscal,
após o oferecimento dos embargos, não Súmula 319: O encargo de depositário de
exime o exequente dos encargos da bens penhorados pode ser expressamente
sucumbência. recusado.

Súmula 196: Ao executado que, citado por Súmula 392: A Fazenda Pública pode
edital ou por hora certa, permanecer revel, substituir a certidão de dívida ativa (CDA) até
será nomeado curador especial, com a prolação da sentença de embargos, quando
legitimidade para apresentação de embargos. se tratar de correção de erro material ou
formal, vedada a modificação do sujeito
Súmula 233: O contrato de abertura de passivo da execução.
crédito, ainda que acompanhado de extrato
da conta corrente, não é título executivo. Súmula 410: A prévia intimação pessoal do
devedor constitui condição necessária para a

235
cobrança de multa pelo descumprimento de
obrigação de fazer ou não fazer.

Súmula 517: São devidos honorários


advocatícios no cumprimento de sentença,
haja ou não impugnação, depois de escoado
o prazo para pagamento voluntário, que se
inicia após a intimação do advogado da parte
executada.

Súmula 519: Na hipótese de rejeição da


impugnação ao cumprimento de sentença,
não são cabíveis honorários advocatícios.

236
11.
ÉTICA

@contemdireito_
237
Atividades da Advocacia
Atos Privativos do Estagiário: Atos Privativos do Advogado:
» Art. 9º, do Estatuto. » Art. 1º ao 5º do Estatuto
» COM um advogado, pode: 1) Consultoria e Assessoria Jurídica
⤷ Se o estagiário tiver inscrição na OAB, paga 2) Direção e gerência Jurídica
anuidade (não pode votar) e pode praticar 3) Visar atos constitutivos (contratos sociais de
todos os atos privativos da advocacia. pessoa jurídica)
» SEM um advogado, pode: 4) Postular em juízo
⤷ Obter carga dos autos (com autorização e » EXCEÇÕES:
sob supervisão do adv.) ⤷ Habeas Corpus: em qualquer instância
⤷ Obter certidões ⤷ JUS POSTULANDI TRABALHISTA
⤷ Petição de juntada (assina sozinho) ⤷ JEC (limitação do valor)
*DICA: ⤷ JEF/JEFP
Para o estagiário atuar no processo, deve ter » Atos judiciais:
poderes (procuração ou substabelecimento). Postulação no Judiciário (exceto: JEC, HC e Justiça do
Trabalho)
» Atos Extrajudiciais:
Consultoria, assessoria e direção jurídicas.

1. NATUREZA JURÍDICA DA OAB:

» Serviço Público (federal, não equiparável à autarquia nem à entidade paraestatal).


Não equiparável
» Personalidade jurídica (“sui generes”)
Pessoa jurídica de direito público interno.
» Forma federativa
» Sem vínculo com a Adm. Pública
» Imunidade Tributária (bens, rendas e serviços)
» Membro da Diretoria ou Conselheiro – atividade gratuita (não são remunerados)
» Pode criar seu próprio título executivo (CDA)

238
Dos direitos e prerrogativas dos Advogados
1. Direitos dos Advogados: 2. Direitos da Advogada:
» Art. 7º, EOAB. » Art. 7º, EOAB.
1) Prisão em Flagrante: 1) Adotante ou que der à luz:
⤷ Por motivo ligado ao exercício da advocacia ⤷ Possui PREFERÊNCIA na ordem das:
⤷ Presença de representante da OAB • Sustentações Orais
⤷ Comunicação expressa à Seccional da OAB • Audiências
2) Inviolabilidade: ⤷ Acesso à CRECHE ou local adequado às necessidades
⤷ Escritório ou local de trabalho da criança.
⤷ Instrumentos de trabalho 2) Suspensão dos Prazos Processuais:
⤷ Correspondência • Quando for única patrona da causa
• NOTIFICAÇÃO por ESCRITO ao cliente
3) Prisão:
3) Gestante:
⤷ Não pode ser preso antes do trânsito em
⤷ Possui PREFERÊNCIA na ordem das:
julgado
• Sustentações Orais
⤷ Só se for em:
• Audiências
• Sala de Estado Maior
⤷ Reserva de GARAGEM
⤷ Se não tiver: ⤷ NÃO ser submetida a:
• Prisão Domicílio •Detector de metal
4) Comunicação: • Raio X
⤷ Pessoal e Reservada 4) Lactante:
⤷ Cliente PRESO: ⤷ Possui PREFERÊNCIA na ordem das:
• Mesmo que incomunicável • Sustentações Orais
• Mesmo sem procuração • Audiências
⤷ Acesso à CRECHE ou local adequado às necessidades
da criança

Alterações Legislativas
1. Regulamento Geral da OAB:
» DESAGRAVO PÚBLICO:
» Art. 18: O inscrito na OAB, quando ofendido comprovadamente em razão do exercício profissional ou de cargo
ou função da OAB, tem direito ao desagravo público promovido pelo Conselho competente, de ofício, a seu pedido
ou de qualquer pessoa. (MANTIDO).
§ 1º O pedido será submetido à Diretoria do Conselho competente, que poderá, nos casos de urgência e notoriedade,
conceder imediatamente o desagravo, ad referendum do órgão competente do Conselho, conforme definido em
regimento interno. (ALTERADO, novidade)
§ 2º Nos demais casos, a Diretoria remeterá o pedido de desagravo ao órgão competente para instrução e decisão,
podendo o relator, convencendo-se da existência de prova ou indício de ofensa relacionada ao exercício da profissão
ou de cargo da OAB, solicitar informações da pessoa ou autoridade ofensora, no prazo de 15 (quinze) dias, sem que
isso configure condição para a concessão do desagravo. (ALTERADO, antigo §1º com modificações) 239
§ 3º O relator pode propor o arquivamento do pedido se a ofensa for pessoal, se não estiver relacionada com o
exercício profissional ou com as prerrogativas gerais do advogado ou se configurar crítica de caráter doutrinário,
político ou religioso. (Antigo §3º)
§ 4º Recebidas ou não as informações e convencendo-se da procedência da ofensa, o relator emite parecer
que é submetido ao órgão competente do Conselho, conforme definido em regimento interno. (ALTERADO,
antigo §3º com modificações)
§ 5º Os desagravos deverão ser decididos no prazo máximo de 60 (sessenta) dias. (ALTERADO, novidade)
§ 6º Em caso de acolhimento do parecer, é designada a sessão de desagravo, amplamente divulgada, devendo
ocorrer, no prazo máximo de 30 (trinta) dias, preferencialmente, no local onde a ofensa foi sofrida ou onde se
encontre a autoridade ofensora. (ALTERADO, antigo §4º com modificações)
§ 7º Na sessão de desagravo o Presidente lê a nota a ser publicada na imprensa, encaminhada ao ofensor e às
autoridades, e registrada nos assentamentos do inscrito e no Registro Nacional de Violações de
Prerrogativas. (Antigo §5º)
§ 8º Ocorrendo a ofensa no território da Subseção a que se vincule o inscrito, a sessão de desagravo pode ser
promovida pela diretoria ou conselho da Subseção, com representação do Conselho Seccional. (Antigo §6º)
§ 9º O desagravo público, como instrumento de defesa dos direitos e prerrogativas da advocacia, não depende
de concordância do ofendido, que não pode dispensá-lo, devendo ser promovido a critério do Conselho. (Antigo
§7º)
PRINCIPAIS MUDANÇAS:
⤷ A Diretoria do Conselho poderá, em casos de urgência e notoriedade, conceder o desagravo ad referendum do
órgão competente do Conselho.

⤷ Nos demais casos, a Diretoria remeterá o pedido a um relator, que poderá diretamente solicitar esclarecimentos
da pessoa envolvida, em 15 dias.

⤷ O novo § 4º introduz novidades: os desagravos devem ser julgados no prazo máximo de 60 dias, no local onde
a ofensa foi sofrida ou onde se encontre a ofensora.
Também foi introduzido um prazo para realização da sessão pública de desagravo: 30 dias (§6º).

2. Crimes de Abuso de Autoridade:


» Lei nº. 13.869/19
» Art. 15; Art. 20 e art. 32
» A lei adicionou novo dispositivo no EAOAB
» Art. 7º-B
» Podem cair na prova, por terem a ver com função do advogado!
» Art. 15: Constranger a depor, sob ameaça de prisão, pessoa que, em razão da função, ministério, ofício ou profissão, deva
guardar segredo ou resguardar sigilo:
Pena: detenção, de 1 a 4 anos e multa.
Parágrafo único: Incorre na mesma pena quem prossegue com interrogatório:
I- De pessoa que tenha decidido exercer o direito ao silêncio; ou
II- De pessoa que tenha optado por ser assistida por advogado ou defensor público, sem a presença de seu patrono.
» Art. 20: Impedir, sem justa causa, a entrevista pessoal e reservada do preso com seu advogado:
Pena - detenção, de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos, e multa.
Parágrafo único. Incorre na mesma pena quem impede o preso, o réu solto ou o investigado de entrevistar-se pessoal e
reservadamente com seu advogado ou defensor, por prazo razoável, antes de audiência judicial, e de sentar-se ao seu
lado e com ele comunicar-se durante a audiência, salvo no curso de interrogatório ou no caso de audiência realizada por
videoconferência.
240
» Art. 32: Negar ao interessado, seu defensor ou advogado acesso aos autos de investigação preliminar, ao termo
circunstanciado, ao inquérito ou a qualquer outro procedimento investigatório de infração penal, civil ou administrativa, assim
como impedir a obtenção de cópias, ressalvado o acesso a peças relativas a diligências em curso, ou que indiquem a
realização de diligências futuras, cujo sigilo seja imprescindível:
Pena - detenção, de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos, e multa.
3. Lei de Abuso de Autoridade acrescentou no EOAB:
» Art. 7º-B: Constitui crime violar direito ou prerrogativa de advogado previstos nos incisos I , III e V do caput do art. 7º desta
Lei:
Pena: detenção, de 3 meses a 1 ano, e multa.

Requisitos (art. 8, EAOAB): Inscrição na Oab


» Capacidade civil
» Diploma/Certidão de conclusão » Deferida inscrição, a Carteira será 3. POR TRANSFERÊNCIA:
» Título de eleitor/Serviço militar recebida após prestar compromisso » Feita pelo advogado quando
» Aprovação OAB perante o Conselho Seccional
» Não exercício de atividade houver:
(Juramento – art. 20, RGOAB).
incompatível (art. 28, EAOAB)  Mudança efetiva do
⤷ Solene, formal e PERSONALÍSSIMO.
» Idoneidade moral (decidida pelo domicílio profissional para
Conselho – 2/3)
2. SUPLEMENTAR:
outro Estado.
1. PRINCIPAL: » Feita pelo advogado que passa a  O advogado NÃO
» No Conselho Seccional do exercer habitualmente advocacia em permanece com a
domicílio profissional. outro Estado. Fica com a principal, inscrição principal, ela é
» Sede principal da atividade da » EAOAB: é habitualidade a cancelada.
advocacia. intervenção judicial que exceder 5
causas por ano.

Sociedade de Advogados
1) Pode ter filiais
2) Sociedade Simples
3) Somente advogados podem ser sócios
4) Registro no Conselho Seccional da OAB
» OBS: Nas sociedades de advogados, o mandato deve ser outorgado individualmente ao advogado e indicar
a sociedade.

1. SOCIEDADE SIMPLES:
» Atividade intelectual e financeira 2. SOCIEDADE UNIPESSOAL:
» Registro na OAB » O advogado trabalha por conta própria
» 2 ou mais profissionais » Razão social com seu próprio nome
» Razão social no nome de um dos » Não pode ter sócios
advogados » CNPJ individual (Lei nº. 13.247/2016)
» CNPJ 241
Honorários Advocatícios
1. CONTRATADOS/
2. SUCUMBENCIAIS: 3. ARBITRADOS:
CONVENCIONADOS:
» Fixado pelo Poder Judiciário » Fixados pelo Poder Judiciário
» Advogado e cliente (pago em no processo. mediante postulação (ação do
dinheiro e não em bens) » Condena parte vencida advogado contra o cliente);
» Quando não for fixada forma de » Percentual de 10% e 20% » Ausente contrato escrito.
pagamento, o Estatuto sugere: (art. 85, CPC)
⤷ 1/3 no início » Não excluem os contratados
⤷ 1/3 até a decisão 1º » Justiça Gratuita não exclui * PRESCRIÇÃO: 5 anos
⤷ 1/3 no final
» Honorários COTA LITIS: art. 50, ⤷ Exceções dos cargos públicos *ADVOCACIA PRO BONO
CED. ao exercício da advocacia COM
» ASSISTENCIAIS (art. 22, EAOAB) poder de mando:
» Possível dentro dos seus limites
⤷ São honorários de sucumbência, » Procurador Geral do Estado
» Não é possível exercer em causa
fixados na Justiça do Trabalho » Defensor Público Geral
própria.
⤷ Ações coletivas » Advogado Geral da União

Incompatibilidades Impedimentos
» Art. 28, EAOAB » Art. 30, EAOAB
» PROIBIÇÃO TOTAL DO EXERCÍCIO DA » PROIBIÇÃO PARCIAL (LIMITAÇÃO) DO EXERCÍCIO
ADVOCACIA DA ADVOCACIA
» Definitiva: cancelamento da inscrição » Não gera licenciamento, nem cancelamento, o advogado pode
» Temporária: licenciamento da inscrição advogar (não perde carteira OAB)
1) Membros da mesa do Poder Legislativo 1) Funcionário Público: contra Fazenda Pública que o paga
2) Juízes/MP/Tribunal de contas (existem exceções)
⤷ Com poder de mando = incompatível
3) Funcionário Público com cargo de direção
⤷ Sem poder de mando = impedido (advogar contra quem
4) Serventuário do Poder Judiciário
o paga)
5) Atividade Policial
2) Membros do Poder Legislativo
6) Militar na ativa
(Municipal/Estadual/Federal):
7) Responsáveis por lançamento, arrecadação
⤷ Impedidos de advogar contra ou a favor do Serviço Púbico
e fiscalização de tributos. em geral.
8) Gerente/Diretor de banco público ou privado » Membro que faz parte da MESA DIRETORA
9) Cargo ou função na administração pública = Faz parte da MESA (incompatível)
direta ou indireta (poder de mando em terceiro) = Não faz parte da MESA (impedimento)
» Art. 28, §2º: Diretor ou coordenador do curso de » O impedimento aparece na carteira da OAB
Direito pode e gerente de banco não pode » A incompatibilidade não cessa quando o ocupante deixa
advogar. de exercer o cargo que a gerou temporariamente. 242
Ética do Advogado
» Art. 31 a 33, EAOAB
» Dever de proceder de forma que o torne merecedor de
respeito e que contribua para o prestígio da classe e da
advocacia.
» No exercício da profissão, deve manter independência em
qualquer circunstância.
» É responsável pelos atos que, no exercício profissional,
praticar com dolo ou culpa, sendo certo que, em caso de lide
temerária, o advogado será solidariamente responsável com
seu cliente, desde que coligado com este para lesar a parte
contrária, o que será apenado em ação própria.
» Obriga-se a cumprir rigorosamente os deveres consignados
no Código de Ética e Disciplina.

Publicidade Profissional
» Art. 39 a 47, CED. » É PROIBIDA a PROPAGANDA dos serviços e
» Moderação: A publicidade não pode ter um viés atividades do advogado.
mercantilista, empresarial, industrial ou comercial.
O ADVOGADO NÃO PODE:
O ADVOGADO PODE: a) Indicar o preço do trabalho;
a) Divulgação em jornal, revista e periódicos; b) Divulgar que trabalha de graça, sem cobrança de
b) Áreas de interesse e atuação; honorários;
c) Títulos acadêmicos; c) Referir que ostenta ou ostentou cargo ou função
d) Endereço, número de telefone, e-mail e site. pública;
d) Veicular publicidade na rádio e na televisão;
e) Relacionar, na publicidade do advogado, com
outra atividade não advocatícia.
f) Divulgar o serviço em carros de som ou outdoor.

243
Infrações e Sanções Disciplinares
INFRAÇÕES: SANÇÕES:
» Art. 34, EAOAB. » Art. 35 A 43, EAOAB.
» São condutas negativas ou » Para aplicação, é exigido o devido processo legal (contraditório
comportamentos indesejados do e ampla defesa); Processo disciplinar válido.
advogado, definidas no Estatuto. » Dividido em: Censura - atenuante pode substituir para
⤷ Não podem ser objeto de advertência.
interpretação extensiva ou analógica Suspensão
» Apenas os inscritos na OAB podem Exclusão
cometer infração disciplinar. Multa: acessória. É agravante, não existe sozinha e
⤷ Não pode responsabilizar um não é aplicada na Exclusão. É aplicada em conjunto com a censura
terceiro que não é inscrito. e suspensão.

1. CENSURA: 2. SUSPENSÃO: 3. EXCLUSÃO:


» Art. 36, EAOAB » Art. 37, EAOAB » Art. 38, EAOAB
» Aplicada quando o » Advogado proibido de exercer » Pena + grave, pública.
advogado comete atos advocacia no Brasil. » Gera cancelamento da
contrários ao CED. » Tem que continuar pagando inscrição na OAB.
» Não é pública. anuidade. » Causas:
» Registrar no prontuário do » Pena pública. Prova falsa de requisito da
advogado a pena. » Causas: Todas que envolvam inscrição
» Circunstâncias atenuantes: dinheiro (mantida até a devolução Falta de idoneidade moral
Advertência, será remetido ao cliente); para advocacia
ofício reservado ao advogado ⤷ Erros reiterados; Inépcia; Conduta Prática crime infamante
Não precisa de registro no inadequada; Relação abusiva de Terceira suspensão
prontuário autos.
» A pena é aplicada após trânsito » Aplicação:
em julgado. 2/3 do Conselho
» Exceção: Suspensão Preventiva
(art. 70, §3º, EAOAB)
» Repercussão prejudicial a
dignidade da advocacia
»Sessão especial:
⤷ Notificação
⤷ Defesa (15 min.)
⤷ Julgamento (90 dias)
244
Infrações
1. Leves 2. Graves 3. Gravíssimas
⤷ Punidas com CENSURA Punidas com SUSPENSÃO Punidas com EXCLUSÃO
⤷ Art. 36, EAOAB Art. 37, EAOAB Art. 38, EAOAB
a) Infrações dos incisos I a XVI e XXIX do art. 34. a) Infrações dos incisos XVII a XXV a) na aplicação por 3 vezes de
b) violação ao CED do art. 34 suspensão: o advogado que for
c) violação da lei, se infração não tem sanção grave.
b) Reincidência suspenso pela 3 vez, seja qual for a
Art. 34: I- Exercer a profissão, quando impedido de fazê-
lo, ou facilitar, por qualquer meio, o seu exercício aos Art. 34: XVII - prestar concurso a infração cometida. Após o trânsito
não inscritos, proibidos ou impedidos; clientes ou a terceiros para em julgado da decisão que a fixou,
I - Manter sociedade profissional fora das normas e realização de ato contrário à lei ou será excluído dos quadros da OAB.
preceitos estabelecidos nesta lei; destinado a fraudá-la; Exige quórum de 2/3 dos membros
III - valer-se de agenciador de causas, mediante XVIII - solicitar ou receber de do Conselho competente.
participação nos honorários a receber; constituinte qualquer importância
IV - Angariar ou captar causas, com ou sem a b) nas infrações dos incisos XXVI a
para aplicação ilícita ou desonesta; XXVIII do art. 34:
intervenção de terceiros; XIX - receber valores, da parte
V - Assinar qualquer escrito destinado a processo judicial XXVI - fazer falsa prova de qualquer
contrária ou de terceiros,
ou para fim extrajudicial que não tenha feito, ou em que dos requisitos para inscrição na
relacionados com o objeto do
não tenha colaborado; OAB;
mandato, sem expressa autorização
VI - Advogar contra literal disposição de lei, presumindo- XXVII - tornar-se moralmente
do constituinte;
se a boa-fé quando fundamentado na inidôneo para o exercício da
XX - Locupletar-se, por qualquer
inconstitucionalidade, na injustiça da lei ou em advocacia;
forma, à custa do cliente ou da parte
pronunciamento judicial anterior; XXVIII - praticar crime infamante;
adversa, por si ou interposta pessoa;
VII - violar, sem justa causa, sigilo profissional; XXI - recusar-se, injustificadamente,
VIII - estabelecer entendimento com a parte adversa a prestar contas ao cliente de
sem autorização do cliente ou ciência do advogado quantias recebidas dele ou de
contrário; terceiros por conta dele;
IX - Prejudicar, por culpa grave, interesse confiado ao XXII - reter, abusivamente, ou
seu patrocínio; extraviar autos recebidos com vista
X - Acarretar, conscientemente, por ato próprio, a ou em confiança;
anulação ou a nulidade do processo em que funcione; XXIII - deixar de pagar as
XI - abandonar a causa sem justo motivo ou antes de contribuições, multas e preços de
decorridos dez dias da comunicação da renúncia; serviços devidos à OAB, depois de
XII - recusar-se a prestar, sem justo motivo, assistência regularmente notificado a fazê-lo;
jurídica, quando nomeado em virtude de impossibilidade XXIV - incidir em erros reiterados
da Defensoria Pública; que evidenciem inépcia profissional;
XIII - fazer publicar na imprensa, desnecessária e XXV - manter conduta incompatível
habitualmente, alegações forenses ou relativas a causas com a advocacia;
pendentes;
XIV - deturpar o teor de dispositivo de lei, de citação
Reincidência:
doutrinária ou de julgado, bem como de depoimentos,
documentos e alegações da parte contrária, para Advogado anteriormente punido
confundir o adversário ou iludir o juiz da causa; com censura e condenado por
XV - Fazer, em nome do constituinte, sem autorização infração, é reincidente e será
escrita deste, imputação a terceiro de fato definido suspenso de 30 dias a 12 meses.
como crime; Parágrafo único. Inclui-se na conduta
XVI - deixar de cumprir, no prazo estabelecido, incompatível:
determinação emanada do órgão ou de autoridade da a) prática reiterada de jogo de azar,
Ordem, em matéria da competência desta, depois de não autorizado por lei;
regularmente notificado; b) incontinência pública e
XXIX - praticar, o estagiário, ato excedente de sua escandalosa; 245
habilitação. c) embriaguez ou toxicomania
habituais.
MULTA: REABILITAÇÃO:
» Art. 39, EAOAB: A multa, variável entre o » Art. 41, EAOAB: É permitido ao que tenha sofrido qualquer
mínimo correspondente ao valor de uma sanção disciplinar requerer, um ano após seu cumprimento, a
anuidade e o máximo de seu décuplo, é reabilitação, em face de provas efetivas de bom
aplicável cumulativamente com a censura ou comportamento.
suspensão, em havendo circunstâncias Parágrafo único. Quando a sanção disciplinar resultar da prática
agravantes. de crime, o pedido de reabilitação depende também da
correspondente reabilitação criminal.
ATENUANTES:
PRESCRIÇÃO:
» Art. 40, EAOAB:
1) Falta cometida na defesa de prerrogativa » Art. 43, EAOAB: A pretensão à punibilidade das infrações
disciplinares prescreve em cinco anos, contados da data da
profissional
constatação oficial do fato.
2) Ausência de punição disciplinar anterior
(primariedade) § 1º Aplica-se a prescrição a todo processo disciplinar
3) Exercício assíduo e proficiente de mandado paralisado por mais de três anos, pendente de despacho ou
ou cargo em qualquer órgão da OAB julgamento, devendo ser arquivado de ofício, ou a
requerimento da parte interessada, sem prejuízo de serem
4) Prestação de relevantes serviços à apuradas as responsabilidades pela paralisação.
advocacia ou à causa pública. § 2º A prescrição interrompe-se:
I - Pela instauração de processo disciplinar ou pela notificação
válida feita diretamente ao representado;
II - Pela decisão condenatória recorrível de qualquer órgão
julgador da OAB.

Processo Administrativo Disciplinar


» O recurso contra decisão do TED: » Será instaurado de ofício ou mediante
Competência do Conselho Seccional, por um de representação (essa não pode ser anônima)
suas Câmaras Julgadores.
» A atribuição para conduzir o processo, na primeira
» Os recursos terão, como regra, o duplo efeito instância, será do Tribunal de Ética e Disciplina, o
(devolutivo e suspensivo) qual é o órgão subordinado ao Conselho Seccional.

» O efeito devolutivo APENAS nos casos: » Será garantido o sigilo do processo até a decisão
a) Processo/recurso referente a eleição da OAB final, proporcionando-se ao acusado a mais ampla e
b) Exclusão do advogado que produziu prova falsa constitucional defesa.
para inscrição nos quadros da OAB;
c) Suspensão preventiva. » O julgamento do TED, apesar de ser 1ª instância,
será colegiado (não existe decisão monocromática).

246
Das Relações com o Cliente
1. MANDATO JUDICIAL: 3. SUBSTABELECIMENTO:
» Outorga da PROCURAÇÃO (não se extingue ou perder » Advogado transfere poderes para outro.
valor pelo decurso do tempo) » COM RESERVA DE PODERES:
» Adv não pode aceitar procuração de quem já tenha ⤷ Compartilhamento de poderes
patrono constituído ⤷ Os dois advogados atuam
» Adv. pode atuar sem procuração em caso de urgência » SEM RESERVA DE PODERES:
(15 dias, prorrogáveis por + 15 dias). ⤷ A adv. Que substabelece se afasta do
» Poderes gerais e especiais processo
» Constituinte (outorgante) e Advogado (outorgado). ⤷ Necessária a concordância do cliente

2. RENÚNCIA: 4. REVOGAÇÃO:
» Extinção da procuração e dos poderes » Extinção da procuração e poderes
» ADVOGADO RENUNCIA » INICIATIVA DO CLIENTE
» Não precisa ser motivada » Não existe prazo de responsabilidade por 10
» Notificado o cliente, o advogado que renunciou fica dias
responsável pelos atos processuais por 10 dias, até o * DICA: A renúncia e a revogação não
antigo cliente achar novo advogado. desobrigam o cliente de pagar os honorários
*ATOS E CONTRATOS: só são admitidos nos órgãos advocatícios (inclusive verba sucumbência – de
competentes (Juntas Comerciais/Cartórios) após visados por forma proporcional ao trabalho substabelecido).
advogado).

Estrutura da Oab
1. CONSELHO FEDERAL: » O voto dos conselheiros não é individual, deve
» Art. 51 a 55, EAOAB prevalecer o voto da MAIORIA (Por delegação).
» Composição: 3 conselheiros federais dos » O Presidente NÃO precisa ser Conselheiro Federal!
conselhos Seccional.
» Os ex-presidentes são considerados membros, 2. CONSELHOS SECCIONAIS:
mas nas deliberações só possuem direito de VOZ » Art. 56 a 59, EAOAB (Um por Estado)
e não de voto. » Composição: Presidente, Diretoria e Conselheiros
» Órgãos: Estaduais (tem direito de voto).
1) Conselho Pleno » Quem pode participar das reuniões?
2) Órgão Especial do Conselho Pleno 1) Presidente da CAA 2) Conselheiros Federais
3) Câmaras Julgadoras 3) Presidente do Cons. Federal 3) Presidente das subseções
4) Diretoria 4) Pres. do Instituto dos Adv. 5) Ex-Presidentes do Conselho
5) Presidente
» Estes, tem direito de voz, o de voto será apenas dos
Conselheiros e da Diretoria. 247
3. SUBSEÇÃO: 5. CONFERÊNCIA NACIONAL DO ADVOGADO:
» Art. 60 e 61, EAOAB. » Art. 145 a 149, RGOAB.
» Abrange um ou + municípios (deve ter 15 » Órgão consultivo do Conselho federal, reunindo-se
advogados vinculados a ela) trienalmente (a cada três anos)
» Com + de 100 advogados inscritos e vinculados,
pode criar seu Conselho. 6. TRIBUNAL DE ÉTICA E DISCIPLINA - TED:
» Julga o processo disciplinar.
4. CAA – CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS
ADVOGADOS:
» Art. 62, EAOAB
» Vinculada ao Conselho Seccional
» Objetivo: prestar assistência aos advogados
inscritos (órgão assistencial).
» Personalidade jurídica: quando seu Estatuto é
aprovado e registrado com o Conselho Seccional.
» Pode possuir patrimônio próprio, e se for
extinto, será incorporado ao Conselho.

Eleições na Oab
» Eleições diretas (para o Conselho Seccional, PROIBIDOS DE VOTAR:
Subseção e CAA);
» Advogados inadimplentes
» Mandato: 3 anos
» Estagiários (se inscritos na OAB, pagam
» Voto: secreto e em chapas (não pessoa de
anuidade, mas não podem votar)
maneira individual)
» A eleição para o Conselho Federal: indireta
» Eleições DIRETAS:
Quem elege a diretoria são os Conselheiros
Voto obrigatório para advogados inscritos
Federais (São 3 e são eleitos junto com a chapa
(inscrição principal)
do Conselho Seccional)
Se não votar, é multado em 20% sobre o valor
da anuidade.
Se a inscrição for suplementar, o voto será
facultativo
Deve avisar com antecedência para votar

248
Alterações Legislativas
» Lei nº. 13. 875/19: altera o EAOAB, reduzindo de » Art. 63, §2º: O candidato deve comprovar
5 para 3 anos o tempo de exercício profissional situação regular perante a OAB, não ocupar
necessário para que advogados se candidatem cargo exonerável ad nutum, não ter sido
ao cargo de conselheiro seccional da OAB. condenado por infração disciplinar, salvo
reabilitação, e exercer efetivamente a profissão
» O texto alterou o parágrafo 2º do art. 63 da lei há mais de 3 anos, mas eleições para os cargos
8.906/19 e também diminui, para 3 anos, o tempo de Conselheiro Seccional e das Subseções,
de exercício profissional necessário para os quando houver, e há mais de 5 anos, nas eleições
candidatos aos conselhos das subseções. para os demais cargos.

Sigilo Profissional
» O sigilo do advogado é inerente a profissão e IMUNIDADE PROFISSIONAL:
não depende de cláusula de confidencialidade.
» Garante ao advogado, no exercício da
profissão, que as suas atitudes ou posturas ao
» Abrange todas as comunicações do cliente
defender seus clientes, não tipificam fatos
com o advogado.
delituosos.
⤷ Incide a AUSÊNCIA DE CRIME (cível e
» E se o advogado for arrolado como
disciplinar).
testemunha?
Se as perguntas forem correspondentes a fatos
» Atinge (exclui) os crimes de injúria e difamação.
que ele sabe, mas abarca o sigilo profissional, será
autorizado e reconhecido o direito de não depor.
» NÃO EXCLUI calúnia, desacato ou
EXCEÇÕES (Quebra do sigilo):
tergiversação.
» Art. 37, CED.
» Grave ameaça ao direito à vida, à honra, ou
» Quando o advogado se veja afrontado pelo
próprio cliente
» Em defesa própria, tenha que revelar segredo,
porém sempre restrito ao interesse da causa.

249
Competência do Tribunal de Ética e Disciplina
» Atribuição: julgar o processo disciplinar.
» Seria a 1ª instância
» A segunda instância é uma das Câmaras vinculadas
ao Conselho Seccional (recurso contra decisão do
TED).

2. LICENCIAMENTO DA INCRIÇÃO: 3. CANCELAMENTO DA INSCRIÇÃO:


» Interrupção temporária da inscrição » Interrupção definitiva do exercício da advocacia.
» O advogado não perde e nem tem » Com o cancelamento, a pessoa deixa de ser advogado e
cancelado o número perde a capacidade postulatória.
» Forma de suspender a capacidade
postulatória, pois o advogado não pode » Hipóteses:
advogar e nem paga anuidade. 1) A pedido (personalíssimo): não precisa ser fundamentado,
» Hipóteses: mas deve ser assinado pelo advogado postulante;
1) Requerimento justificado 2) Exclusão (pena + grave do Estatuto): a punição com a
2) Exercício temporário – Atividade exclusão vai gerar o cancelamento da inscrição;
incompatível 3) O exercício de atividade incompatível (forma definitiva)
3) Doença mental curável 4) Perda dos requisitos da inscrição (art. 8º, EAOAB)
5) Falecimento do advogado
» Pode ser requerida nova inscrição, com requisitos (não
precisa fazer prova da OAB novamente)
» Também acontece após a 3ª suspensão, que gera a
exclusão e acarreta esse cancelamento.

250
12.
DIREITO
DO
CONSUMIDOR

@contemdireito_ 251
Princípios das relações de consumo
1. Princípio da Vulnerabilidade 2. Princípio da Boa-fé Objetiva:
» Art. 4º, I, das Política Nacional das » Exigência de respeito e lealdade, com o dever de correção e
Relações de Consumo fidelidade, respeitando as expectativas legítimas do outro, nas
⤷ Uma vez identificada a presença de relações jurídicas de consumo.
consumidor, a vulnerabilidade passa a » A aplicação se restringe aos contratos de consumo
ser presumida » Para se caracterizar a violação, é essencial a análise do caráter
» Art. 2º, 17 e 29, CDC volitivo das partes
» Não se aplica à fase pré-contratual
» Reconhecimento de um direito a cumprir em favor do titular
passivo da obrigação.

Direitos Básicos do Consumidor


» Art. 6º: Direitos à proteção da vida, saúde e » Revisão por fato superveniente:
segurança ⤷ No código civil, há previsão de que o fato
⤷ Proteção contra publicidade enganosa e abusiva superveniente deve ser imprevisível, já no Código
⤷ Direito à modificação e revisão dos contratos do Consumidor, NÃO há essa previsão.
⤷ Direito à inversão do ônus da prova
⤷ Direito do consumidor à ampla informação » Tese repetitiva 610 do STJ:
⤷ Dever de informar sobre periculosidade e ⤷ Quando o consumidor busca reconhecer o
nocividade (caiu na OAB XXVII ). caráter abusivo em contrato de trata sucessivo, o
pedido correto é o ressarcimento do pagamento
1. Revisão Contratual: indevido.
⤷ Submetido ao prazo prescricional e NÃO
» Decorre do direito ao equilíbrio contratual.
decadencial.
» Possibilidade de modificação das cláusulas
contratuais que estabeleçam prestações
» Princípio da preservação dos contratos:
desproporcionais ou sua revisão em razão de fatos
⤷ Art. 51, §2º, CDC: A nulidade de uma cláusula
supervenientes que as tornem onerosas em
contratual abusiva NÃO INVALIDA o contrato,
excesso.
EXCETO quando de sua ausência, apesar dos
» Art. 51, CDC: Diante de abusividade, o consumidor
esforços de integração, decorrer ônus excessivo
pode buscar a nulidade da cláusula, a sua modificação
a qualquer das partes.
ou sua anulação (Que violaram o equilíbrio do
contrato desde a contratação).
» No direito do consumidor, basta mostrar a
desproporção, sem precisar invalidar tudo. 252
2. Inversão do ônus da prova: » Convenção sobre a distribuição do ônus:
» Suportar o risco pela falta de prova de um fato ⤷ Art. 373, §3º, CPC:
pertinente. Inconformidade com as relações de consumo
Essa inversão decorre de lei (ope legis)
Art. 12 a 14, CDC: Responsabilidade pelo fato do ⤷ Art. 51, VI, CDC:
produto ou serviço Considera-se nula de pleno direito, a cláusula que
Art. 6º, VII : Determinação judicial (ope judicis) estabeleça a inversão do ônus da prova em
prejuízo do consumidor.
» Hipóteses:
1) Quando for verossímil a afirmação
2) Quando o consumidor for hipossuficiente.

» Quando ocorre?
⤷ Art. 357, CPC: Na fase de saneamento do
processo, ou, assegurando-se à parte que não
pertencia o encargo, a reabertura da oportunidade
para apresentar as provas.

Proteção Contratual no Cdc


» O CDC garante a igualdade nas » As declarações de vontade presentes nos escritos
contratações, possibilitando modificação ou particulares, recibos e pré-contratos relativos às relações de
supressão de cláusulas contratuais consumo, vinculam o fornecedor, ensejando inclusive
desproporcionais, que provoquem exceção específica (art. 54)
desequilíbrio entre o consumidor e o
fornecedor. » Cláusulas abusivas:
Art. 51: rol exemplificativo.
» Conhecimento prévio (art. 46) Serão considerados nulos de pleno direito as cláusulas que
» Conhecimento eficaz contrariem as normas estabelecidas na lei de proteção ao
» Cláusulas claras (art. 46) consumidor.
» Interpretação mais favorável ao
consumidor (art. 47) » Garantia contratual: complementa a legal e é conferida
» Adjetos contratuais (art. 48) através de termo escrito. Deve ser padronizado e esclarecer
» Direito de arrependimento (art. 49) em que consiste, sua forma, prazo e lugar que poderá ser
» Garantia contratual (art. 50) executada, os ônus do consumidor.
⤷ Será preenchido e entregue pelo fornecedor, na data do
fornecimento, com manual de instrução, de instalação e uso
do produto.
⤷ STJ: Deve-se contar inicialmente com a garantia contratual
e ao final, com a garantia legal.
253
Responsabilidade pelo fato do produto e do serviço
» Art. 12, 13, 14 e 17, CDC » Quem é responsabilizado?
Fornecedor: mencionados no art. 12
» A responsabilidade pelo fato do produto ou serviço também É objetiva, exceto dos profissionais liberais, que se dará mediante
protege o consumidor em relação aos prejuízos patrimoniais. verificação de culpa.
Comerciante: mencionados no art. 13
» Também chamada de responsabilidade pelos acidentes de
consumo decorrente de falhas no dever de segurança. » Excludentes de responsabilidade civil:
Inversão do ônus da prova
» Decorre de danos provocados por produtos ou serviços.
» Furto em shoppings, supermercados e estabelecimentos:
» O produto é defeituoso quando não oferece a segurança ⤷ Súmula 130, STJ
que dele se espera de maneira legítima.
» Fraudes e delitos praticados por terceiros:
» Atos fraudulentos não eximem o fornecedor de ⤷ Não cabe alegação de caso fortuito pois o dever de segurança
responsabilidade, ou seja, não configura culpa exclusiv a de é inerente à atividade, o que configuraria fortuito interno.
terceiro). ⤷ Súmula 479, STJ

Responsabilidade pelo vício do produto e do serviço


» Art. 18, 19 E 20, do CDC. » Quem é responsabilizado?
Fornecedor: 30 dias para sanar o vício do
» STJ: “O vício do produto é aquele que afeta apenas a sua funcionalidade ou
a do serviço, sujeitando-se ao prazo decadencial do art. 26, CDC. produto (também é direito do
fornecedor)
» Quando esse vício for grave a ponto de repercutir sobre o patrimônio
material ou moral do consumidor, a hipóteses será de responsabilidade pelo
» O vício NÃO lhe dará o direito à
fato do produto e o prazo será o prescricional do art. 27.
substituição imediata do produto.
» A responsabilidade pelos vícios dos produtos e serviços refere-se a seu » Se o vício não for sanado nos 30 dias,
adequado funcionamento e a sua adequação aos fins que se destinam, ou seja, o consumidor pode fazer uso das
devem funcionar bem, atender às legítimas expectativas do consumidor.
alternativas do parágrafo 1º do art. 18.
» Modalidades de vícios:
1) Aqueles que tornam o produto impróprio ao consumo » Art. 18: vícios ao fornecedor de serviços
2) Aqueles que tornam o produto inadequado ao consumo » Art. 19: vícios de quantidade
3) Aqueles que lhe diminuam o valor
» Art. 20: vícios na prestação de serviços
4) Aqueles em desconformidade com o que foi informado sobre eles.

254
Práticas Abusivas
» Art. 10: Colocação no mercado de » Art. 39:
produto ou serviço com alto grau de a) Venda casada
nocividade ou periculosidade; b) Venda condicionada
» Art. 18, §6º e 20, §2º: Comercialização c) Recusa de fornecimento
de produtos impróprios; d) Remessa de produto ou fornecimento de serviço sem prévia
» Art. 21: Não-emprego de peças de solicitação
reposição adequadas; e) Prevalecimento da fraqueza ou ignorância do consumidor
» Art. 32: Falta de componentes e peças f) Exigir vantagem excessiva
de reposição; g) Execução de serviços sem prévio orçamento
h) Repasse de informação depreciativa sobre o consumidor no
exercício de seus direitos
i) Descumprimento de normas expedidas por órgãos oficiais
j) Recusa de venda de bens ou prestação de serviços
k) Elevação injustificada de preços
l) Prazos
m) Reajustes

Súmulas do STJ

Súmula 37: São cumuláveis as indenizações por dano material e dano moral oriundos do mesmo fato.

Súmula 227: A pessoa jurídica pode sofrer dano moral.

Súmula 370: Caracteriza dano moral a apresentação antecipada de cheque pré-datado.

Súmula 385: Da anotação irregular em cadastro de proteção ao crédito, não cabe indenização por dano moral, quando
Preexistente legítima inscrição, ressalvado o direito ao cancelamento.

Súmula 387: É lícita a cumulação das indenizações de dano estético e dano moral.

Súmula 388: A simples devolução indevida de cheque caracteriza dano moral.

255
13.
ECA

@contemdireito_
256
Poder Familiar 3) Perda e suspensão:
1) Poder Familiar: » Legitimidade: MP ou parte interessada.
2) Acolhimento institucional ou
» Art. 25, caput, ECA
» Art. 21, ECA. abrigamento: » Só podem ser decretadas
» Direito e dever dos pais » Decisão judicial judicialmente
ou responsáveis, em » As crianças e adolescentes que tiveram » Se injustificadamente descumpridos os
relação aos deveres seus direitos violados e necessitam ser deveres de sustento, guarda e educação
pessoais e patrimoniais afastados temporariamente da convivência » Juiz da vara da infância e juventude
com relação ao filho não familiar determina citação em 10 dias, para
emancipado » Antes, deve ser avaliado a possibilidade de indicação de provas
» Exercido, em igualdade afastar o agressor do convívio familiar ou da » Citação é pessoal, salvo se não for
de condições, pelo pai e colocação da criança ou adolescente em encontrado
pela mãe família extensa. » Processo deve tramitar em no máximo
» Deveres: » Direito a visitas 120 dias.
1) Dever de sustento » Tempo máximo: 18 meses, salvo ⤷ Contra outrem igualmente titular
2) Dever de guarda comprovada necessidade que atenda ao do mesmo poder FAMILIAR
3) Dever de educação seu superior interesse, devidamente ⤷ Condenação por crime doloso com
fundamentada pela autoridade judiciária pena de reclusão
» Reavaliação a cada 3 meses. ⤷ Contra outro descendente
⤷ Contra filho ou filha

Família Natural Família Extensa


» É aquela formada além da unidade pais e
» É a comunidade formada pelos
filhos, com parentes próximos, nos quais a
pais ou qualquer deles e seus
criança ou adolescente convive e mantém
descendentes, com parentesco
vínculos de afeto.
biológico.

Família Substituta
Modalidades: GUARDA:
1) Guarda » Art. 33, ECA
2) Tutela » Regulariza a convivência de fato, atribuindo ao guardião
3) Adoção um vínculo e representação jurídica relacionados a criança
» Art. 28 e 29, ECA e ao adolescente.
» Todas precisam de decisão judicial » Pode ser revogada a qualquer momento, ouvido o MP
» Grupos de irmãos não são separados TUTELA:
» Crianças indígenas: tem acompanhamento de » Art. 36, ECA
antropólogos e de agentes da FUNAI. » Pressupõe, a prévia destituição ou suspensão do poder
» Gestantes que pretendem entregar o filho à adoção: familiar dos pais (família natural). 257
é encaminhada à Justiça da Infância e Juventude, e é » Até 18 anos.
ouvida por equipe interprofissional. » Tutor nomeado por testamento ou documento autêntico.
Adoção
» Art. 39, ECA
» É PROIBIDA a adoção por procuração.
» Ato jurídico que estabelece o estado de filiação e
» É obrigatório o consentimento dos pais ou
paternidade, e que depende de uma decisão judicial
representante?
constitutiva, criando um vínculo IRREVOGÁVEL com
Em regram SIM. Excepcionalmente, se forem pais
os mesmos efeitos de uma filiação biológica.
desconhecidos ou destituídos do poder familiar ou o
1) Requisitos:
adotando for + 18.
a) Adotante:
i- Emancipado não pode adotar 2) Estágio de convivência:
ii) + 18 anos, independente do estado civil
1) Adotante no Brasil:
iii) Deverá ser capaz
⤷ Prazo: 30 dias, prorrogável por + 1 vez em igual período,
iv) Diferença de 16 anos em relação ao adotado
através de decisão fundamentada.
b) Adotado:
i- Qualquer pessoa
2) Adotante fora do Brasil:
ii- Órfãos ou com pais desconhecidos sem ninguém
⤷ Prazo mínimo: 30 dias, prorrogável por + 1 vez em igual
com possibilidade de adotar na família extensa
período, através de decisão fundamentada.
iii) + 12 anos, é necessário seu consentimento
⤷ Prazo máximo: 45 dias
* Se for adoção de maior de idade, sempre será
» Dispensa do estágio: se o adotante já estiver tempo
consensual
suficiente sobre a guarda ou tutela e já constitua vínculo.
* STJ: Adoção de maior de idade não precisa de
» Guarda de fato: não autoriza a dispensa sozinha.
consentimento dos pais biológicos (INFO 558)..

3) Guarda Conjunta: 5) Falecimento de adotante:


» É indispensável que os adotantes sejam casados
civilmente ou mantenham união estável, e » A adoção poderá ser deferida ao adotante que, após
comprovem a estabilidade da família. inequívoca manifestação de vontade, vier a falecer no
» Os divorciados, os judicialmente separados e os curso do procedimento, antes de prolatada a sentença).
ex-companheiros podem adotar conjuntamente?
Sim, porém, devem:
1) Fazer acordo quanto a guarda e o regime de
visitas
2) O estágio de convivência tenha sido iniciado na
constância do período de convivência
3) Comprovada a existência de vínculos de afinidade
e afetividade com aquele não detentor da guarda,
que justifiquem a excepcionalidade da concessão.
4) Guarda Compartilhada:
» Responsabilização conjunta do exercício de
direitos e deveres do pai e da mãe que não vivem
sob o mesmo teto.
258
Adoção Internacional
3) Guarda Conjunta:
» Pessoa ou casal postulante e residente ou domiciliado fora do Brasil.
» Brasileiros residentes no exterior terão preferência aos estrangeiros
⤷ Casos de adoção internacional de adotante brasileiro.
» Colocação em família substituta é mais adequada ao caso
» Esgotadas todas as possibilidades de colocação do adotante em família Brasileira
⤷ Após consulta aos cadastros

Medidas de Proteção
» Art. 98, ECA
» Serão aplicadas (art. 101, ECA): » Princípios:
» São aplicáveis sempre que os
direitos reconhecidos as crianças 1) Encaminhamento aos pais e I) Condição da criança e do
e adolescentes, são violados ou responsáveis adolescente como sujeitos de direitos;
ameaçados. 2) Orientação e acompanhamento II) Proteção integral e prioritária;
» Espécies: 3) Matrícula e frequência à escola III) Responsabilidade primária e solidária
1) Por ação ou omissão da 4) Inclusão em serviços e programas do poder público;
sociedade ou do Estado oficiais ou comunitários IV) Interesse superior da criança e do
2) Por falta, omissão ou abuso dos 5) Requisição de tratamento médico adolescente;
pais ou responsável 6) Acolhimento institucional* V) Privacidade;
3) Em razão de sua conduta 7) Inclusão em programa de VI) Intervenção precoce;
» Podem ser aplicadas isoladas ou acolhimento familiar VII) Intervenção mínima;
cumulativamente, e substituídas a 8) Colocação em família substituta* VIII) Proporcionalidade e atualidade;
qualquer tempo *São provisórios e excepcionais IX) Responsabilidade parental;
X) Prevalência da família;
XI) Obrigatoriedade da informação;
XII) Oitiva obrigatória e participação.

Medidas aos pais ou responsáveis


» Art. 129 e 130, ECA 6) Obrigação de encaminhar a criança ou adolescente
» Aplicadas quando eles violam os direitos das suas a tratamento especializado
crianças e adolescentes. 7) Advertência
» São elas: 8) Perda da guarda
1) Encaminhamento a serviços e programas oficiais ou 9) Destituição da tutela
comunitários de proteção, apoio e promoção da família 10) Suspensão ou destituição do pátrio poder familiar
2) Inclusão em programa oficial ou comunitário de auxílio,
orientação e tratamento a alcoólatras e toxicômanos » Art. 130: Medida cautelar de afastamento do agressor
3) Encaminhamento a tratamento psicológico ou da moradia.
psiquiátrico ⤷ Acontecerá quando verificado maus-tratos,
4) Encaminhamento a cursos ou programas de orientação opressão ou abuso sexual, e se os agressores forem
5) Obrigação de matricular o filho ou pupilo e acompanhar os pais ou os responsáveis. 259
sua frequência e aproveitamento escolar.
Conselho Tutelar
» Art. 131, ECA » Impedidos de servir no mesmo Conselho:
» Órgão permanente e autônomo, não jurisdicional.
» Função de zelar pelo cumprimento dos direitos da 1) Marido e mulher
criança e do adolescente. 2) Ascendente e descendente
» Composição: 3) Sogro, genro, nora, irmãos, cunhados, tio,
⤷ 5 membros sobrinho, padrasto, madrasta ou enteada
⤷ Mandato de 4 anos, permitida reeleição (sem 4) Autoridade judiciária
limitações) 5) Representante do MP que atue na Vara da
⤷ Idade mínima de 21 anos Infância e da Juventude
⤷ Deve haver idoneidade moral
⤷ Residir no mesmo município

Medidas Socioeducativas
» Art. 112, ECA » Espécies:
» Competência para formular, instituir, coordenar e » Medidas de meio aberto:
manter o Sistema Municipal de Atendimento 1) Advertência
Socioeducativo: Municípios! 2) Obrigação de reparar o dano
» Competência para executar as medidas: Juízo da 3) Prestação de serviço à comunidade
Infância e da Juventude. 4) Liberdade assistida
» Não tem natureza de pena » Medidas restritivas de liberdade:
» Aplicada conforme necessidade de proteger e 1) Semiliberdade
reintegrar o adolescente ao convívio social, por meio de 2) Internação
ações pedagógicas e educacionais. » Lei nº. 12.594/2012 (SINASE)
⤷ Na aplicação, devem ser consideradas a capacidade do ⤷ Regulamenta a execução das medidas
adolescente de cumprir, as circunstâncias do fato e a socioeducativas
gravidade do ato. ⤷ Fiscalizado pelo CONANDA
⤷ Gerido pela SDH/PR
» Súmula nº 265, STJ: É necessária a oitiva do
adolescente antes da regressão de regime (a privação
de liberdade tem limite de 3 meses).
» Súmula nº 338, STJ: Prescrição penal das medidas
socioeducativas.
» Súmula nº 342, STJ: É nula a desistência de outras
provas em face da confissão do adolescente

260
Espécies
1) Advertência: 2) Obrigação de reparar o dano:
» Art. 115, ECA » Art. 116, ECA
» Admoestação verbal, reduzida a termo e » Ato infracional com reflexos patrimoniais
assinada
» Hipóteses: » Aplicação: A autoridade judiciária determina que o
Para atos infracionais leves adolescente restitua a coisa, faça o ressarcimento do
Para adolescentes que sem histórico de práticas dano ou compense o prejuízo da vítima.
ilícitas ⤷ Se for impossível, a medida poderá ser substituída.
» Aplicação: MP, na instauração, no curso da
ação, na instrução ou na sentença, pela
autoridade judiciária.

3) Prestação de serviço à comunidade: 4) Liberdade assistida:


» Art. 117, ECA » Art. 118 e 119, ECA
» Realização de tarefas gratuitas de interesse geral, » Designação de orientador para acompanhar, auxiliar
por um período menor que 6 meses, em entidades e orientar o adolescente.
assistenciais, hospitais, escolas, programas » Aplicação: art. 13 do SINASE
comunitários ou governamentais. A direção do programa de prestação de serviços à
» Aplicação: De acordo com as aptidões dos comunidade ou de liberdade assistida é que seleciona
adolescentes e são cumpridas em jornada de 8h os orientadores e recebe o adolescente e seus pais,
semanais, aos sábados, domingos e feriados ou dias para promover o direcionamento social, a matrícula
úteis. e demais medidas.
⤷ Não pode prejudicar a frequência na escola ou a
jornada normal de trabalho.

5) Regime de semiliberdade: 6) Internação:


» Art. 120, ECA » Art. 121 a 125, ECA
» Aplicação: Determinado desde o » Mais grave, pois é medida privativa de liberdade.
início, como maneira de transição da » Aplicação: Atingido os 3 anos, o adolescente é colocado em regime de
internação para o meio aberto, semiliberdade ou de liberdade assistida (visitas permitidas).
possibilitando a realização das tarefas. Se ele tiver 21 anos, será liberdade compulsória.
⤷ Não tem prazo determinado. » Será ouvido o MP.
⤷ De dia, o adolescente faz atividades » Hipóteses:
normais e de noite, fica na unidade de 1) Tratar-se de ato infracional cometido mediante grave ameaça ou
internação (prazo máximo de 3 anos). violência a pessoa;
⤷ Reavaliação a cada 6 meses. 2) Por reiteração no cometimento de outras infrações graves;
3) Por descumprimento reiterado e injustificável de medida imposta
anteriormente.
261
Apuração de irregularidades em entidade de
atendimento
» Procedimento: » Na instrução:
Pode ser instaurado por portaria do Juiz da 5 dias para alegações finais
Infância e Juventude ou a partir de Sentença
representação do Ministério Público ou ⤷ Pode determinar o afastamento (definitivo ou provisório) do
Conselho Tutelar. dirigente e, inclusive, aplicação de advertência ou multa.

» Quem responde? Recursos do ECA:


O dirigente (pode ser afastado liminarmente)
Regra: todos, em 10 dias.
⤷ Defesa em 10 dias, para indicar provas.
Exceção: embargos de declaração, em 5 dias.

Crimes praticados contra criança e adolescente


» Art. 228 a 244, ECA 5) Submeter criança ou adolescente a vexame ou
» Todos são de Ação Pública Incondicionada (não constrangimento.
precisa de representação pela vítima)
6) Deixar a autoridade competente de ordenar imediata
» São eles: liberação de criança ou adolescente no conhecimento da
1) O encarregado de serviço ou dirigente de ilegalidade da apreensão.
estabelecimento de saúde deixar de fornecer
declaração de nascimento, intercorrências no parto 7) Descumprir injustificadamente os prazos de benefícios a
ou desenvolvimento do neonato. adolescente privado de liberdade.

2) Médico, enfermeiro ou dirigente de saúde, deixar 8) Impedir ou embaraçar ação do judiciário, Conselho Tutelar
de identificar corretamente o neonato e a mãe ou ou Ministério Público.
deixar de fazer os exames necessários.
9) Subtrair criança ou adolescente.
3) Privar crianças ou adolescente de sua liberdade de
forma incorreta, ou aquele que procede na 10) Prometer ou efetivar entrega de filho ou pupilo mediante
apreensão sem observar as formalidades. pagamento. Incide na mesma pena quem faz o pagamento.

4) Deixar a Autoridade policial de comunicar ao Juiz 11) Promover ou auxiliar a efetivação de ato destinado ao
e a família apreensão de criança ou adolescente. envio de criança ou adolescente para o exterior sem
observar as leis ou afim de obter lucro. A pena aumenta se
houver ameaça, violência ou fraude.
262
12) Produzir, reproduzir, dirigir, fotografar, filmar 15) Adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio,
ou registrar, por qualquer meio, cena de sexo fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena
explícito ou pornográfica, envolvendo criança ou de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou
adolescente. Incorre na mesma pena: que adolescente. A pena é diminuída se for pequena quantidade de
agencia, facilita, recruta. Aumenta a pena se: o material. Não há crime se A FINALIDADE é comunicar às
agente comente o crime: autoridades quando for:
a) No exercício de cargo ou função pública. a) agente público no exercício de sua função.
b) Prevalecendo de relações domésticas até 3º b) Membro de entidade, legalmente constituída, onde sua
grau, por adoção, tutor, curador ou guarda. finalidade seja de processar e encaminhar notícias de crimes.
c) Representante legal e funcionários responsáveis de provedor
13) Vender ou expor à venda fotografia, vídeo ou de acesso ou serviço por rede de computadores até o
outro registro que contenha cena de sexo recebimento do material pelo Ministério Público, autoridade
explícito ou pornográfica envolvendo criança ou policial ou Poder Judiciário.
adolescente.
16) Simular a participação de criança ou adolescente em cena
14) Oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, de sexo explícito ou pornográfica por meio de adulteração,
distribuir, publicar ou divulgar por qualquer meio, montagem ou modificação de fotografia, vídeo ou qualquer
inclusive por meio de sistema de informática ou outra forma de representação visual.
telemático, fotografia, vídeo ou outro registro Incorre nas mesmas penas quem vende, expõe à venda,
que contenha cena de sexo explícito ou disponibiliza, distribui, publica ou divulga por qualquer meio,
pornográfica envolvendo criança ou adolescente. adquire, possui ou armazena o material produzido.
Na mesma pena incorre quem:
a) Assegura os meios de serviços para 17) Aliciar, assediar, instigar ou constranger, por qualquer meio
armazenamento. de comunicação, criança, com o fim de com ela praticar ato
b) Assegura acesso por rede de computadores. libidinoso. Nas mesmas penas incorre quem:
Só são puníveis de responsabilização quando o a) Facilita ou induz o acesso à material com cena de sexo
responsável legal pela prestação do serviço, explícito ou pornográfico.
oficialmente notificado, deixa de desabilitar o b) Pratica as condutas com o fim de induzir a criança a se exibir
acesso ao conteúdo ilícito. de forma pornográfica.

18) Vender, fornecer, ainda que gratuitamente ou 20) Corromper ou facilitar a corrupção de menor de 18
entregar, de qualquer forma, a criança ou (dezoito) anos, com ele praticando infração penal ou induzindo-
adolescente arma, munição ou explosivo. o a praticá-la. Incorre também quem pratica utilizando-se de
quaisquer meios eletrônicos, inclusive salas de bate-papo da
19) Vender, fornecer, servir, ministrar ou entregar, internet.
ainda que gratuitamente, de qualquer forma, a
criança ou a adolescente, bebida alcoólica ou, sem
justa causa, outros produtos cujos componentes
possam causar dependência física ou psíquica.

20) Vender, fornecer, ainda que gratuitamente


ou entregar, de qualquer forma, a criança ou
adolescente fogos de estampido ou de artifício,
exceto aqueles que, pelo seu reduzido potencial,
sejam incapazes de provocar qualquer dano físico 263
em caso de utilização indevida.
Infrações Administrativas
1) Deixar o médico, professor ou responsável por 5) Transportar criança ou adolescente, por qualquer
estabelecimento de atenção à saúde e de ensino meio, com inobservância da lei.
fundamental, pré-escola ou creche, de comunicar à
autoridade competente os casos de suspeita ou 6) Deixar de afixar em local visível na entrada:
confirmação de maus-tratos. informação sobre natureza da diversão ou espetáculo e
a faixa etária.
2) Quem divulgar total ou parcialmente sem autorização
nome, ato ou documento que envolva ato infracional. 7) Anunciar peças teatrais, filmes ou quaisquer
Incorre na mesma pena: representações ou espetáculos, sem indicar os limites
a) Quem divulgar fotografia, vídeo, ilustração que de idade a que não se recomendem. Pena para a casa
permitam identificar direta ou indiretamente. de espetáculo e aos órgãos de divulgação.
b) Se o fato for praticado por órgão de imprensa ou
emissora de rádio ou televisão, além da pena prevista, a 8) Transmitir, através de rádio ou televisão, espetáculo
autoridade judiciária poderá determinar a apreensão da em horário diverso do autorizado ou sem aviso de sua
publicação. classificação. Em caso de reincidência poderá haver a
suspensão da programação até 2 dias.
3) Descumprir, dolosa ou culposamente com os deveres
do poder familiar ou determinações da autoridade 9) Exibir filmes, trailer, peça, amostra ou congênere
judiciária ou Conselho Tutelar. classificado pelo órgão competente como inadequado às
crianças ou adolescentes admitidos ao espetáculo.
4) Hospedar criança ou adolescente desacompanhado
dos pais ou responsável, ou sem autorização escrita
desses ou da autoridade judiciária, em hotel, pensão,
motel ou congênere.

10) Vender ou locar a criança ou adolescente fita de


programação em vídeo, em desacordo com a
classificação atribuída pelo órgão competente.

11) Deixar a autoridade competente de providenciar a


instalação e operacionalização dos cadastros de adoção.

12) Deixar o médico, enfermeiro ou dirigente de


estabelecimento de atenção à saúde de gestante de
efetuar imediato encaminhamento à autoridade judiciária
de caso de que tenha conhecimento de mãe ou
gestante interessada em entregar seu filho para adoção.
Incorre na mesma pena o funcionário de programa oficial
que deixa de informar.
264
Ato Infracional
» Ato infracional cometido por adolescente (art. 103, » O adolescente não pode ser privado de liberdade, salvo
ECA) ou ato infracional praticado por criança. em flagrante:
a) Flagrante ato infracional.
Crianças: medidas de proteção b) Ou por ordem escrita, baseada em indícios suficientes
Adolescentes: medidas socioeducativas ou de de autoria e materialidade,
proteção demonstrada a necessidade imperiosa da medida.

Teoria da Atividade: considera-se a idade do Internação antes da sentença não pode passar de 45 dias.
adolescente na data do fato, não importando se
completou a maio idade penal posteriormente ou Direitos assegurados:
durante o processo de verificação de ato infracional. a) Conhecimento do ato, através da citação
c) Defesa técnica e gratuidade da justiça
d) Direito de ser ouvido pela autoridade competente.
» Não gera condenação criminal e nem reincidência
e) Direito de solicitar a presença dos pais ou responsáveis
(mas, é possível verificar os antecedentes do f) Impossibilidade de ser conduzido em compartimento fechado
adolescente). de veículo policial (art. 178)
g) Vedação da internação em sistema prisional (art. 185).

» Procedimento de apuração do ato infracional: » Medidas do MP, após ouvir o adolescente:

a) Flagrante: o adolescente é apreendido enquanto a) Promover o arquivamento dos autos


praticava o ato infracional, ou logo após ter praticado b) Conceder a remissão
(art. 106 e 172 ECA). c) Representar à autoridade judiciária para aplicação
de medida socioeducativa
b) Por ordem judicial: a autoridade judiciária
competente determina a apreensão do adolescente » Audiência: 3 dias para defesa prévia
(art. 106, do ECA). » O juiz poderá:
a) Aplicar a remissão
c) Indícios de participação em crime envolvendo b) Não aplicar nenhuma medida
adultos: se identificado que adolescente tem coautoria c) Aplicar medida socioeducativa
com maior, é realizado remessa do relatório das
investigações e documentos juntados ao Ministério
Públicos (art. 173).

265
Conseguimos!

Últimas considerações:

Parabéns oabeiro(a)! Você ainda tem dúvidas de que está no caminho


certo? Olha onde nós chegamos!

Agora que terminamos o cronograma e revisamos todo o assunto, vamos


focar mais em controlar o nosso nervosismo?

Como faremos isso? Te convido a fazer simulados até o dia da prova. Esse é
um projeto que eu, a Ste @oabdaora e a Let @rotinaforense criamos para
nos ajudar a equilibrar a ansiedade e o nervosismo, simulando a prova todos
os finais de semana até o grande dia!

Então, fica de olho nos nossos igs e não perde, hein? Ah, e mais uma coisa:

VOCÊ PODE MAIS DO QUE IMAGINA E VAI CHEGAR MAIS LONGE DO QUE
ESPERA! Eu confio no seu potencial, e você?

"Entreguem todas as suas preocupações a Deus,


pois Ele cuida de vocês."
Mateus 6.11

@contemdireito_
266
Referências
Bibliográficas
1 Como se preparar para o Exame de Ordem - Teoria Resumida /
Coordenadores Vauledir Ribeiro Santos e Ana Clara Fernandes -
Salvador: Editora JusPodivm, 576 p., 2020.

2 Como se preparar para o Exame de Ordem - Caderno de


Questões / Coordenadores Vauledir Ribeiro e Ana Clara
Fernandes - Salvador: Editora JusPodivm. 952 p., 2020.

3 OAB primeira fase esquematizado: volume único / Pedro Lenza...


[et al.].-6. ed. - São Paulo : Saraiva Educação, 2019. (coleção
esquematizado / Coordenador Pedro Lenza).

4 Vade Mecum Saraiva / obra coletiva de autoria da Editora


Saraiva com a colaboração de Livia Céspedes e Fabiana Dias da
Rocha. - 25. ed. atual. e ampl. - São Paulo : Saraiva Educação,
2018.

@contemdireito_ 267