Você está na página 1de 30

ANÁLISE MACROECONÔMICA

1
Teoria e Política Macroeconômica: Introdução
Definição: trata da evolução da economia como um todo, analisando
a determinação e o comportamento dos agregados econômicos. Os
principais agregados são:
• Renda • Poupança
• Emprego • Taxa de Juros
• Produto Nacional • Consumo
• Desemprego • Balanço de Pagamentos
• Investimento • Nível Geral de Preços
• Estoque de Moeda • Taxa de Câmbio
Negligencia o comportamento das unidades econômicas individuais,
porém permite estabelecer relações entre os agregados e melhor
compreensão das interações entre estes. 2
Por que estudar Macroeconomia?

Os fatos macroeconômicos afetam a vida de todos nós:

o Os executivos que planejam a demanda por seus


produtos devem fazer uma estimativa da rapidez com
que a renda dos consumidores vai crescer;
o Os idosos que vivem com rendas fixas se preocupam
com a velocidade que os preços sobem;
o Os trabalhadores desempregados buscam emprego
com a esperança de que a economia irá melhorar e
que as firmas irão contratar.
o Todos são afetados pelas condições da economia.
3
Por que estudar Macroeconomia?

A influência dos fatos econômicos sobre a política evidencia-se


nas épocas das eleições presidenciais:

o A política econômica fornece o tema principal do


debate entre os candidatos;
o A situação da economia tem forte influência nos
resultados das eleições;
 Não estudamos macroeconomia apenas para explicar os
fatos econômicos
 Também queremos aperfeiçoar a política econômica.

4
Quais as preocupações principais dos
Macroeconomistas?

 Estabilidade de Preços

 Crescimento e desenvolvimento econômico

 Desemprego

 Distribuição de renda

5
ESTABILIDADE DE PREÇOS

 Inflação: aumento contínuo e generalizado do


nível geral de preços.
o inflação controlada não significa inflação zero;
o inflação alta acarreta distorções, principalmente, sobre
as classes baixas e sobre as expectativas.

 Consequências da inflação:
o Distorções na alocação de recursos da economia.
o Perde-se a noção de preços relativos.
o Efeito negativo sobre o incentivo a investir.
o Efeito negativo sobre a distribuição da renda.
6
CRESCIMENTO DO ECONÔMICO

 Crescimento econômico é a ampliação quantitativa da


produção (do PIB) de modo continuado ao longo do
tempo.

 Se existe desemprego e capacidade ociosa então o


governo pode aumentar o produto nacional por meio de
políticas econômicas que estimulem a atividade
produtiva.

 No entanto, feito isso, há um limite à quantidade que se


pode produzir com os recursos disponíveis.

 Aumentar o produto exigirá: aumento dos recursos ou


avanço tecnológico. 7
DESEMPREGO

 Desemprego - número de pessoas que não tem


emprego e que realiza um esforço para o obter.

 Taxa de desemprego - Percentagem da


população ativa desempregada.

8
DISTRIBUIÇÃO DE RENDA

 Embora seja difícil argumentar que a sociedade


deva remunerar igualmente todos, não se pode
deixar de atribuir à melhoria da distribuição de
renda como um objetivo de política econômica

 Distribuir de forma justa a renda gerada pela


sociedade, evitando a intensificação dos
distanciamentos entre as classes sociais.

9
POLÍTICAS ECONÔMICAS

 É o conjunto de medidas tomadas pelo governo de um


país com o objetivo de :

 Promover o desenvolvimento econômico,


pleno emprego;

 Garantir a estabilidade de preço, controle


da inflação;

 Equilibrar o volume financeiro das


transações econômicas com exterior;

 Promover a distribuição de riqueza e das


rendas. 10
AS PRINCIPAIS POLÍTICAS ECONÔMICAS

 Os governos possuem várias medidas que podem


influenciar os objetivos macroeconômicos:

 Política Fiscal

 Política Monetária

 Políticas Cambial

 Política Comercial

 Política de Rendas

11
Política Fiscal

 Referem-se às decisões do governo quanto ao


gasto público e aos impostos para influir sobre o
nível de atividade econômica.

 Objetivos da Política Fiscal:


 manter elevados os níveis de emprego;
 elevadas taxas de crescimento econômico;
 estabilidade de preços.
12
Política Fiscal Expansionista:
 O governo está contribuindo para aumentar a
demanda, estimulando o consumo via:
 Aumento dos gastos públicos;
 Redução da carga tributária.

o Os gastos são diretamente um dos elementos da


demanda agregada; dessa forma, quanto maior o gasto
público, maior a demanda e maior o produto.
o Assim, se a economia apresenta tendência para a
queda no nível de atividade, o governo pode estimulá-
la, cortando impostos e/ou elevando gastos.
13
Política Fiscal Contracionista:
 Redução os gastos da sociedade, através:
 Redução dos gastos públicos
 Aumento da carga tributária (inibe consumo)

o A arrecadação de impostos afeta o nível da demanda


ao influir na renda disponível que os indivíduos
poderão destinar para o consumo e poupança.
o Dado um nível de renda, quanto maiores os impostos,
menor será a renda disponível e, portanto o consumo.

14
Política Fiscal
 A política fiscal apresenta maior eficácia quando o
objetivo é uma melhoria na distribuição de renda,
pelo fato de taxar as rendas mais altas ou aumentar
os gastos do governo em setores menos favorecidos.

15
Política Fiscal

Exemplo:(Redução IPI)
DE PARA DESCRIÇÃO
20% 10% Máquina de Lavar
15% 5% Geladeira
10% 0% Tanques reservatórios
5% 0% Fogão

16
Política Monetária

 É a atuação do governo sobre a quantidade de moeda, de


crédito e das taxa de juros. É uma política de curto prazo
com o objetivo de estabilizar o nível geral de preços.

 Os instrumentos:

 Controle do volume das emissões de moeda


 Depósitos compulsórios: percentual sobre os depósitos à
vista que os bancos comerciais são obrigados a depositar no
Banco Central.
 Open market (compra/venda de títulos públicos)
 Redescontos (empréstimo do Bacen aos bancos comerciais)

17
Regulamentação sobre crédito e taxa de juros.
Política Monetária Restritiva

Engloba um conjunto de medidas que tendem a


reduzir o crescimento da quantidade de moeda, e a
encarecer os empréstimos com o objetivo de
desaquecer a economia e evitar a aumento de preço:

1. Redução da quantidade de moeda em circulação;


2. Elevação das taxas de juros;
3. Aumento da taxa de reservas compulsórias;
4. Venda de títulos no open market.

18
Política Monetária Expansionista

São medidas que tendem a aumentar a quantidade


de moeda em circulação com o objetivo de aquecer a
demanda e incentivar o crescimento econômico:

1. Redução das taxas de juros;


2. Redução da taxa de reservas compulsórias;
3. Compra de títulos no open market;
4. Ampliação da emissão de moeda pelo BACEN.

19
Vantagens da Política Monetária Sobre a Política Fiscal

oTem efeitos imediatos;

oDepende apenas de decisões das autoridades


monetárias;

oNão depende de votações no Congresso Nacional;

oPodem ser implementadas imediatamente, sem


precisar observar o Princípio da Anterioridade da
lei.

20
Política Cambial
O conjunto de ações do Governo que influem no
comportamento do mercado de câmbio e da taxa de
câmbio.

Objetivo: manter equalizado o poder de compra do país


em relação aos outros com os quais este mantenha
relações de troca.

 Taxa de câmbio pode ser:

o Fixa: determinada pelas autoridade monetárias;

o Flexível: determinada pelo mercado de divisas.


21
Política Cambial
O que é taxa de câmbio?
• A taxa de câmbio pode ser definida como o preço em
moeda doméstica da moeda estrangeira.
• Portanto um aumento na taxa de câmbio significa um
aumento no custo da moeda estrangeira, portanto uma
queda no preço da moeda doméstica, isto é, uma
desvalorização.
• Uma queda na taxa de câmbio representa uma redução
do custo da moeda estrangeira, portanto um aumento
do preço da moeda doméstica, isto é, uma valorização.

22
Política Cambial
o Como todo preço, a taxa de câmbio é basicamente
determinada pela “lei da oferta e da procura”.

o Se a procura é maior que a oferta, o preço do dólar,


em reais, sobe.

o Se a oferta é maior que a procura,


consequentemente, o preço cai.

o São vários os fatores que podem influenciar a


oferta/demanda por dólares, daí a dificuldade que os
economistas têm em prever o comportamento da
taxa de câmbio. 23
Política Cambial
o O Banco Central é quem define a política ou regime cambial.
Existem duas políticas cambiais :

 Política de câmbio fixo: é uma taxa com que os países se comprometem


a manter o mesmo poder de paridade. O Banco Central se compromete
a satisfazer qualquer oferta ou demanda por dólares que o mercado
possa necessitar.
 Ex: o Banco Central entra no mercado de câmbio e diz que,
para ele, o dólar vale dois reais e trinta e quatro centavos
(2.34 R$/US$), e garante a compra ou venda de qualquer
quantidade de dólares que o mercado ofertar a esse preço.
 Neste caso o dólar fica parado em 2.34 R$/US$, porque o Banco Central
anula, comprando ou vendendo dólares, qualquer seja a pressão de
aumento ou queda de seu preço.
24
Política Cambial
 Política de câmbio flutuante: As taxas flutuam livremente,
respondendo aos efeitos da oferta e da procura.

 Existe, ainda, um outro tipo de política cambial, que seria


intermediária entre o câmbio fixo e o câmbio flutuante,
que é a política de bandas câmbio.

 O Banco Central não define um preço único para o


dólar, e sim um intervalo (banda), dentro do qual ele
pode flutuar livremente.

 Exemplo: Se a banda for fixada entre 2.20 R$/2.50 R$,


o Banco Central só entra no mercado se o dólar cair a
R$2.20, entra comprando dólares, ou subir a R$2.50
entra vendendo dólares. 25
Política Comercial

Refere-se aos instrumentos de estímulo ou


desestímulo às exportações e importações:

 Estímulos fiscais e creditícios às exportações


(isenção de impostos, crédito subsidiado, taxas de
juros subsidiadas, etc.);

 Controle das importações (tarifas e barreiras


sobre importações).

26
Política de Rendas
o É o conjunto de medidas que visa a redistribuição de
renda e justiça social.

o Mecanismos da intervenção direta do Estado na


formação da renda através:

 Controle sobre preços;

 Controle sobre salários;

 Congelamento de preços e salários.

27
Política de Rendas

o Principais objetivos:

 Propiciar ganhos de poder aquisitivo ao salários;

 Redistribuir a renda;

 Garantir a renda mínima a determinados setores ou


classes sociais;

 Reduzir o nível das tensões inflacionárias.

28
Política de Rendas

o Dimensão patrimonial: acesso à terra, à casa própria, aos bens


de consumo durável e aos fundos de previdência.

o Dimensão dos rendimentos: inserção no mercado de trabalho,


carga tributaria e transferências públicas.

o Dimensão dos direitos sociais: acesso aos serviços de saúde,


segurança, transporte etc.; acesso aos equipamentos de lazer;
acesso à educação e cultura.

29
Política de Rendas são em Geral
Políticas Anti-inflacionárias:
Exemplos:
 Política de fixação do salário mínimo;

 Atuação da Secretaria Especial de Abastecimento e


Preços no controle de preços;

 Congelamentos de preços e salários nos planos


econômicos das décadas de 1980 e 1990 no Brasil.

30

Você também pode gostar