Você está na página 1de 33

CAPA

2020

© Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos à Editora Sanar
Ltda. pela Lei no 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998. É proibida a duplicação ou repro-
dução deste volume ou qualquer parte deste livro, no todo ou em parte, sob quais-
quer formas ou por quaisquer meios (eletrônico, gravação, fotocópia ou outros), essas
proibições aplicam-se também à editoração da obra, bem como às suas características
gráficas, sem permissão expressa da Editora.

Título | Guia Prático em Cirurgia Geral


Editor | Guilherme Melo
Diagramação | Agência DWG
Capa | Mateus Machado
Revisão ortográfica | Lindsay Viola
Conselho Editorial | Caio Vinicius Menezes Nunes
Paulo Costa Lima
Sandra de Quadros Uzeda
Silvio Jose Albergaria da Silva

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação


(CIP) Tuxped Serviços Editoriais (São Paulo-SP)

B238g Barbosa, Leonillson Joanh Paullo Vilarinho.


Guia Prático em Cirurgia Geral / Leonillson Joanh Paullo Vilarinho Barbosa, Talita de
Lima Aquino Nogueira, Vilarinho e Tamires Guimarães Cavalcante Carlos de Carvalho.–
1. ed.- Salvador : Editora Saúde, 2020. 512 p.

ISBN 978-65-86246-24-7
1. Cirurgia Geral. 2. Guias. 3. Medicina. 4. Saúde. I. Título. II. Assunto. III. Barbosa, Leonill-
son Joanh Paullo, Vilarinho. IV. Vilarinho, Talita de Lima Aquino Nogueira. V. Carvalho,
Tamires Guimarães Cavalcante Carlos de. CDD 617.9
CDU 616-089

ÍNDICE PARA CATÁLOGO SISTEMÁTICO


1. Medicina: Cirurgias ( técnicas, equipamentos, material ).
2. Medicina: cirurgias diversas.

Ficha catalográfica elaborada pelo bibliotecário Pedro Anizio Gomes CRB-8 8846
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
BARBOSA, Leonillson Joanh Paullo Vilarinho; VILARINHO, Talita de Lima Aquino No-
gueira; CARVALHO, Tamires Guimarães Cavalcante Carlos de. Guia Prático em Cirurgia
Geral. 1. ed. Salvador, BA: Editora Sanar, 2020.

Editora Sanar Ltda.


Rua Alceu Amoroso Lima, 172
Caminho das Árvores,
Edf. Salvador Offiace & Pool, 3º andar.
CEP: 41820-770, Salvador - BA.
Telefone: 71.3052-4831
www.editorasanar.com.br
atendimento@editorasanar.com.br
AGRADECIMENTOS

A ideia e produção do livro “GUIA PRÁTICO EM CIRURGIA GERAL” demons-


tra o desejo de levar aos profissionais de saúde alguns dos tópicos mais
relevantes dentro de patologias com abordagem e segmento cirúrgico.
Esperamos, após a conclusão deste livro, que o leitor tenha uma ferramen-
ta do conhecimento a qual possa dar-lhe uma percepção mais abrangente
no campo da cirurgia geral.

Agradecemos a todos os profissionais envolvidos no processo de pro-


dução deste livro, acreditamos que apenas com um estudo adequado e
continuado podemos melhorar como profissionais, e, portanto, oferecer
um tratamento mais adequado para aqueles que são o foco principal dos
nossos esforços: os pacientes
Que este livro estimule os leitores.

Talita de Lima Aquino Nogueira Vilarinho - Coordenadora


AGRADECIMENTOS

À Deus,
Por ter criado nossa moradia nesse universo e ter me permitido habitar e
evoluir nele. Agradecimento especial por sempre me iluminar com a Sua
presença.

Aos meus pais Dr. Taniusmar e Rosimary,


Expresso a minha eterna gratidão, por estarem comigo nessa jornada ter-
rena e por partilharem o conhecimento, generosidade, sabedoria, amor,
virtudes diversas e me apoiarem em todos os momentos de minha vida.

Aos meus irmãos, Dr. Deyvid, Dr. Rodrigo e Dr. Diego,


Pelo companheirismo, amor e proteção eterna.

Aos familiares,
Meus agradecimentos. Meu tio Dr. Wilmar e minha tia Lêda, extraordiná-
rios e sábios seres humanos a quem amo e tenho enorme carinho.

Agradeço, também, à ótima e esforçada equipe que me acompanhou na


construção e disseminação dessa ferramenta de conhecimento.

Tamires Guimarães Cavalcante Carlos de Carvalho - Coordenadora


APRESENTAÇÃO

"Guia prático em cirurgia geral" é um livro idealizado para os estudantes


e profissionais de saúde com o intuito de nortear alguns dos principais
tópicos dessa área médica.

A construção deste livro envolveu vários profissionais empenhados em


dar ao leitor uma experiência ampla, profunda e agradável durante a sua
leitura.

Trata-se de um conjunto de temas da área cirúrgica, organizados em capí-


tulos teóricos e práticos, escolhidos baseados na prevalência e relevância
com que se apresentam nas emergências hospitalares.

Esperamos que o leitor possa usar este material de maneira prática e intui-
tiva, seja por leitura "do início ao fim", seja por pesquisas direcionadas. O
objetivo é permanecer em constante aprendizado, buscando sempre me-
lhorar seus conhecimentos em prol dos pacientes.

Desejo-lhes empenho, sede de conhecimento e, a partir de agora, uma


boa leitura.

Leonillson Joanh Paullo Vilarinho Barbosa


Talita de Lima Aquino Nogueira Vilarinho
Tamires Guimarães Cavalcante Carlos de Carvalho
AUTORES COORDENADORES

Leonillson Joanh Paullo Vilarinho Barbosa


Médico Formado pela Universidade Federal do Ceará – UFC (2007-2013).
Cirurgião Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Universidade Fe-
deral do Ceará – UFC (2017-2019). Especialização em Saúde da Família pela
Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação da UFC (2014-2016). Experiencia
Profissional: Cirurgião Geral do Hospital Regional Norte - HRN. Cirurgião
Geral da Santa Casa de Misericórdia de Sobral – SCMS. Médico do Serviço
de Atendimento Móvel de Urgência – Samu/Sobral. Instrutor do Prehospi-
tal Trauma Life Support – PHTLS.

Talita de Lima Aquino Nogueira Vilarinho


Médica Formada pela Universidade Federal do Ceará /Sobral – UFC (2010-
2016). Cirurgiã Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Universida-
de Federal do Ceará – UFC (2017-2019). Experiência Profissional: Cirurgiã
Geral do Hospital Regional Norte - HRN. Cirurgiã Geral da Santa Casa de
Misericórdia de Sobral – SCMS. Médica do Serviço de Atendimento Móvel
de Urgência – Samu/Sobral. Médica Emergencista do Hospital da Unimed.
Médica do Serviço de Procura de Órgãos e Tecidos da Santa Casa de Mise-
ricórdia de Sobral – OPO/SCMS. Preceptora da Graduação e do Internato
do Curso de Medicina do Centro Universitário Inta- Uninta.

Tamires Guimarães Cavalcante Carlos de Carvalho


Interna do curso de medicina da Universidade Nove de Julho. Integrou a
diretoria e a coordenação do Centro Acadêmico César Timo-Iaria (C.A.C.T.I.)
nos anos de 2017, 2018 e 2019. Foi coordenadora geral do XIV Congresso
Médico Acadêmico da Universidade Nove de Julho e diretora do V Con-
gresso Acadêmico de Neurociências. Atuou nas Ligas acadêmicas de:
Neurologia e Neurocirurgia, Ginecologia e Obstetrícia e Oncologia, sendo
diretora desta. É membro acadêmico da American Academy of Neurology
desde 2018. Atual coordenadora local de estágios e vivências (CLEV Sul 2).
Tem interesse nas áreas cirúrgicas, de neurociências e educação.
AUTORES COLABORADORES

Adriana Santos de Oliveira


Médica formada pela Universidade de São Paulo (2006-2011). Cirurgiã ge-
ral (2014-2016) e cirurgiã de Cabeça e Pescoço (2016-2018) pela Universi-
dade de São Paulo.

Aldenir Rocha de Oliveira Filho


Médico Formado pela Universidade Federal do Ceará /Sobral – UFC (2009-
2015). Residente de Clínica Médica pela Santa Casa de Misericórdia de
Sobral- SCMS (2019-2021). Mestrando em Ciências da Saúde pela Univer-
sidade Federal do Ceará – UFC (2019-2020). Pós - Graduado em Medicina
de Família pela Universidade Federal do Ceará- UFC (2016-2017). Experiên-
cia Profissional: Médico Emergencista Clínico do Hospital Regional Norte
- HRN.

Alessandra Marques Figueira Muoio Gonzalez


Graduação em Medicina pela Universidade de Mogi das Cruzes (2000).
Atualmente é professora na Universidade Nove de Julho. Tem experiência
na área de Medicina, com ênfase em Cirurgia Geral, Cirurgia do Trauma
e Cirurgia Plástica (mais especificamente cirurgia reconstrutora). Douto-
randa no Departamento de Biofotônica Aplicada à área da Saúde na Uni-
versidade Nove de Julho, iniciado no primeiro semestre de 2019. Atuação
como docente da Faculdade de Medicina da Universidade Nove de Julho
nas unidades curriculares de Cirurgia Geral e suas Especialidades, Técnica
Operatória e Propedêutica Cirúrgica.

Alexandre Araújo Aguiar


Médico pelo Centro Universitário Christus -Unichristus (2010-2016). Re-
sidente de Cirurgia Geral na Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Uni-
versidade Federal do Ceará – UFC (2019 - 2021). Experiência Profissional:
Médico do Pronto Atendimento Clínico e Cardiológico Prontocárdio (2017-
2018). Médico do Pronto Atendimento do Hospital São Raimundo (2017-
2018). Médico do Pronto Atendimento Hapvida (2018-2019). Médico do
Pronto Atendimento do Hospital Central Freelife (2017-2019). Médico do
Programa de Saúde da Família de Caucaia (2017-2018). Médico Genera-
lista da Marinha do Brasil desde 2018. Médico Regulador do Cresus Macro
Fortaleza e sobral.

Ana Cristina Fiuza De Albuquerque


Médica Formada pela Universidade Técnica Privada Cosmo – UNITEPC
(1997-2003). Cirurgiã Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Uni-
versidade Federal do Ceará – UFC (2010-2012). Experiencia Profissional: Ci-
rurgiã Geral do Hospital Regional Norte - HRN. Cirurgiã Geral da Santa Casa
de Misericórdia de Sobral – SCMS. Preceptora da Graduação e do Internato
do Curso de Medicina do Centro Universitário Inta- Uninta.

Ana Dimitria Gomes Ponte


Médica Formada pela Universidade Federal do Ceará /Sobral – UFC (2010-
2015). Cirurgiã Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Universida-
de Federal do Ceará – UFC (2017-2019). Experiencia Profissional: Cirurgiã
Geral do Hospital Regional Norte - HRN. Cirurgiã Geral da Santa Casa de
Misericórdia de Sobral – SCMS.

Anderson José Vieira Da Silva


Médico Formado pela Escola Latino Americana – ELAM (2002-2008). Cirur-
gião Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Universidade Federal
do Ceará – UFC (2018-2020). Experiência Profissional: Médico do Serviço
de Atendimento Móvel de Urgência – Samu/Ceará. Coordenador Médico
da Emergência do Hospital Ana Lima, Maracanaú – Ceará. Médico Chefe de
Equipe Upa Canidezinho e Upa Messejana.

Antônio Robson Gomes Ximenes


Médico Formado pela Universidade Federal do Ceará /Sobral – UFC (2009-
2014). Cirurgião Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Universi-
dade Federal do Ceará – UFC (2016-2018). Experiência Profissional: Cirur-
gião Geral do Hospital Regional Norte - HRN. Cirurgião Geral da Santa Casa
de Misericórdia de Sobral – SCMS

Arnaldo Paula Pessoa Azevedo Júnior


Residência em Clínica Médica HPS 28 de Agosto/UNL De Manaus - AM. Re-
sidência em Endoscopia pelo Hospital Oncológico Ophir Loiola da Univer-
sidade Estadual do Pará-Uepa. Membro da Sociedade Brasileira de Endos-
copia Digestiva – SOBED. Experiência Profissional: Médico Endoscopista no
Hospital da Unimed de Sobral. Médico Endoscopista do Hospital Regional
Norte – HRN. Médico da Endogastro de Sobral.

Artur Guimarães Filho


Médico Formado pela Universidade Federal do Ceará – UFC (1977-1982).
Cirurgião Geral Pelo Hospital Geral de Fortaleza/Universidade Federal do
Ceará – UFC (2017-2019). Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgia – TCRC.
Mestrado em Cirurgia pela Universidade Federal do Ceará- UFC. Doutora-
do em Cirurgia pela UFC. Ex Coordenador da Residência de Cirurgia Geral
da Santa Casa de Misericórdia de Sobral- SCMS. Experiencia Profissional:
Presidente da Comissão e Controle de Infecção do Hospital da Unimed So-
bral. Professor Titular do Curso de Medicina da Universidade Federal do Ce-
ará – UFC. Cirurgião Geral da Santa Casa de Misericórdia de Sobral – SCMS.
Cirurgião Geral do Hospital da Unimed Sobral. Autor do Livro Pesquisa Rá-
pida em Enfermaria Cirúrgica.

Breiner Rodrigues de Almeida Ferro


Médico formado pela Universidade Federal de Goiás - UFG (2008-2013);
Cirurgião Geral pela Universidade de Brasília - UnB (2014-2015); Urologista
pelo Hospital Geral de Goiania- HGG (2017 - 2019); Experiência profissio-
nal: Cirurgião Geral do hospital regional do gama-df (HRG)

Breno Alexander Bispo


Interno do curso de Medicina do Instituto e Centro de Pesquisas São Leo-
poldo Mandic Campinas (SP). Ex presidente da Liga de Cirurgia Geral São
Leopoldo Mandic - LCSLM (2019); Diretor Científico e de estágios da Liga
de Neurologia e Neurocirurgia São Leopoldo Mandic - LANN (2019); Mem-
bro Fundador da Liga Acadêmica de Anatomia Humana São Leopoldo
Mandic - LAANATO (2017); Diretor de Marketing da IV Gestão do Centro
Acadêmico André Ricardo Ribas Freitas - C.A.A.R.R.F. (2017); Presidente e
Organizador do 1º Congresso "Inovações em Cirurgia: Para onde Vamos?"
(2018); Idealizador e Organizador do Curso: "Imersão em Cirurgia Plástica
para o Cirurgião Geral" (2019). Observership em Neurocirurgia na Technis-
chen Universität Dresden - Department of Neurosurgery (2020).

Cádmo Silton Andrade Portella


Médico Formado pela Universidade Federal do Ceará – UFC (1981-1987).
Cirurgião Geral pelo Hospital César Cals em Fortaleza (1988-1989). For-
mado em Administração Hospitalar pela Universidade Estadual do Cea-
ra – UECE (1985). Formado em Medicina do Trabalho pela UFC. Formado
em Endoscopia Digestiva pelo Instituto Nacional do Câncer – Inca (1995).
Experiência Profissional: Cirurgião Geral da Santa Casa de Misericórdia de
Sobral – SCMS. Cirurgião Geral do Instituto José Frota – IJF/Fortaleza. Pro-
fessor Concursado do Curso de Medicina da Universidade Federal do Ce-
ará/Sobral.

Caio Plácido Arcanjo


Médico Formado pela Universidade de Fortaleza– UNIFOR (2011-2017). Ci-
rurgião Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Universidade Fe-
deral do Ceará – UFC (2018-2020). Experiencia Profissional: Médico Emer-
gencista do Hospital Regional Norte - HRN.

Danilo Frota Guimarães


Médico Formado pela Universidade de Fortaleza. Cirurgião Geral pelo Hos-
pital Ana Nery pela Universidade Federal da Bahia- UFBA (2013-2014) Resi-
dência em Endoscopia pelo Hospital Universitário Walter Cantídio/Univer-
sidade Federal do Ceará – HUWC/UFC (2015-2016). Membro da Sociedade
Brasileira de Endoscopia Digestiva – SOBED. Experiência Profissional: Cirur-
gião e Endoscopista no Hospital da Unimed de Sobral. Médico Endosco-
pista do Hospital Regional Norte – HRN. Médico da Endogastro de Sobral.

Diego De Aragão Bezerra


Médico Formado pela Universidade Federal do Ceará – UFC/Sobral (2001-
2006). Cirurgião Geral pelo Hospital Geral César Cals-/Universidade Federal
do Ceará -HGCC /UFC (2009-2011), Cirurgião Oncológico pelo Instituto do
Câncer do Ceará – ICC/UFC- (2011-2014) Mestre em Ciências da Saúde pela
UFC /Sobral. Doutorando pelo Departamento de Cirurgia - UFC. Experiên-
cia Profissional: Cirurgião Geral do Hospital Regional Norte - HRN. Cirur-
gião Oncológico na Santa Casa de Misericórdia de Sobral - SCMS. Professor
Efetivo de Oncologia do Curso de Medicina da UFC /Sobral.

Eduardo Fausto de Andrade Filho


Médico formado pela Universidade do Vale do Sapucaí (1990). Mestrado
em Cirurgia Plástica Reparadora pela Escola Paulista de Medicina (1999).
Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Craniomaxi-
lofacial. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Cirurgia Plás-
tica e Restauradora, atuando principalmente no seguinte tema: Cirurgia
reparadora pós ressecção de tumores. Atualmente é Professor Assistente
da Disciplina de Cirurgia Plástica do Instituto e Centro de Pesquisas São
Leopoldo Mandic de Campinas/SP e Coordenador da Liga Acadêmica de
Cirurgia Plástica São Leopoldo Mandic– LACIRPL-SLM.

Elson Arruda Linhares


Médico Formado pela Universidade Federal do Ceará – UFC (1978-1983).
Cirurgião Geral pelo Hospital Geral Cesar Cals/Universidade Federal do
Ceará – UFC (1986-1988). Experiencia Profissional: Diretor Clínico do Hos-
pital Santa Casa de Misericórdia de Sobral. Diretor Clínico do Hospital da
Unimed. Coordenador da Residência de Cirurgia Geral da SCMS. Cirurgião
Geral da Santa Casa de Misericórdia de Sobral – SCMS. Cirurgião Geral do
Hospital da Unimed.

Eneivaldo Soares Mororó


Médico Formado pela Universidade Estadual Do Piauí – UESPI (2003-2010).
Cirurgião Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Universidade Fe-
deral do Ceará – UFC (2011-2013). Cirurgião Cabeça e Pescoço pela Santa
Casa de Misericórdia de Fortaleza - SCMF/Universidade Federal do Ceará
– UFC (2014-2015) Experiência Profissional: Cirurgião Geral da Santa Casa
de Misericórdia de Sobral – SCMS. Cirurgião Cabeça e Pescoço do Serviço
de Oncologia da SCMS. Preceptor do Internato do Curso de Medicina da
Universidade Federal do Ceará – UFC. Preceptor do Internato do Curso de
medicina do centro Universitário Inta- Uninta. Preceptor da Residência em
Cirurgia Geral da SCMS.

Erika Silva Spessirits


Médica Formada pelo Centro Universitário do Pará (2010-2016). Cirurgiã
Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Universidade Federal do
Ceará – UFC (2018-2020). Experiência Profissional: Médica Plantonista do
Hospital da Unimed Sobral. Médica Plantonista do Hospital Dom Walfrido.

Fábio Goussain Labat


Graduação em medicina pela USP em 1992. Residencia médica em cirurgia
geral pela USP no Hospital das Clínicas de SP. Médico preceptor da Resi-
dência médica em cirurgia geral e do aparelho digestivo no hospital do
Mandaqui desde 1997.
Professor facilitador do internato em cirurgia geral da Uninove desde 2007.
Médico coordenador do serviço de cirurgia geral e do aparelho digestivo
no CHM.
Fábio José Bonafé Sotelo
Cirurgião Vascular com títulos MEC/AMB, Doutorado pela Universidade
Federal de São Paulo, UNIFESP, Coordenador da Disciplina de Cirurgia Car-
diovascular da Universidade Nove de Julho, Diretor do Departamento de
Cirurgia do Hospital Ipiranga UGA-II São Paulo, Coordenador do Progra-
ma de Residência Médica em Cirurgia Vascular do Hospital Ipiranga UGA-II
São Paulo, Vice-diretor De Defesa Profissional da Sociedade Brasileira de
Angiologia e Cirurgia Vascular da regional de São Paulo (SBACV – SP), Vi-
ce-Presidente do COREME do Hospital Ipiranga UGA-II São Paulo, Membro
Internacional da Society for Vascular Surgery (SVS), Revisor Convidado da
Revista Einstein e Clinics, Diretor da Clínica Sotelo São Paulo.

Felipe Barbosa Rios


Médico Formado pela Universidade Federal do Acre – UFAC (2012-2017).
Cirurgião Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Universidade Fe-
deral do Ceará – UFC (2018-2020). Experiência Profissional: Médico Emer-
gencista do Hospital Regional Norte – HRN.

Francisco Wendel De Sousa Arruda


Médico Formado pela Universidade Federal do Ceará /Sobral – UFC (2005-
2010). Cirurgião Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Univer-
sidade Federal do Ceará – UFC (2011-2013). Coloproctologia pelo Hos-
pital Universitário Walter Cantídio/Universidade Federal do Ceará – UFC
(2014-2017). Endoscopia Digestivopelo Hospital Geral de Fortaleza/Escola
de Saúde Pública do Ceará (2017-2018). Experiência Profissional: Pronto
Socorro Hospital Unimed Sobral (2012-2013). Samu e Outros Atendimen-
tos Pré-Hospitalares (2012-2015). Cirurgião Geral em Hospitais Públicos e
Privados (2013-2019). Preceptoria em Cirurgia Geral (2013-2019). Serviço
de Endoscopia do Hospital Regional Norte - HRN.

Gabriel Bernardo Rena


Interno do curso de Medicina do Instituto e Centro de Pesquisas São Le-
opoldo Mandic Campinas/SP. Recebeu bolsa para pesquisa científica da
FAPESP. Apresentou trabalho científico no congresso American Associa-
tion for Cancer Research em Austin/TX.Foi monitor do curso de Medicina
do Instituto e Centro de Pesquisas São Leopoldo Mandic Campinas/SP na
cadeira de Habilidades Médicas I e II.
Geterson Bezerra Moreira
Médico Formado pela Universidade Federal do Ceará /Sobral – UFC (2001-
2006). Cirurgião Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Univer-
sidade Federal do Ceará – UFC (2007-2009). Especialista em Endoscopia
Digestiva pela Faculdade de Ciências Médicas de Juiz De Fora (2014-2015)
com Certificado de Área de Atuação em Endoscopia Digestiva pela SO-
BED/AMB. Especialista em Doenças Funcionais e Manometria do Aparelho
Digestivo pelo Hospital Israelita Albert Einstein. Experiência Profissional:
Cirurgião Geral da Santa Casa de Misericórdia de Sobral – SCMS. Professor
do Curso de Medicina do Uninta. Supervisor do Programa de Residência
Médica em Cirurgia Geral da SCMS/UFC. Atuou como Cirurgião Geral no
Centro de Especialidades Médicas, Policlínica Bernardo Félix e Hospital Re-
gional Norte. Endoscopista da Clínica Geterson Moreira.

Gilberto Sadala Mendes


Formado pela Faculdade Estadual de Medicina do Pará (1987-1992), Mé-
dico Anestesiologista pelo Cet Integrado De Santos / Hospital da Benefici-
ência Portuguesa de Santos, Título de Especialista em Anestesiologia pela
SBA, Preceptor de Anestesiologia pela Uninove

Giovana Battaglia
Estudante do quinto ano de Medicina da Universidade Nove de Julho,
campus Vergueiro.

Guilherme Pinho Mororó


Graduando do 9 Semestre do Curso de Medicina da Universidade Federal
do Ceará – UFC.

Gustavo Nader Guidoux


Médico formado pela Universidade José do Rosário Vellano - UNIFENAS
(2000-2005). Cirurgia geral no Hospital Belo Horizonte (2006-2009). Pós
Graduação em Videolaparoscopia (2009-2010). Especialista em Cirurgia
Geral pelo Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Professor da Faculdade de Me-
dicina do IMEPAC - Araguari. Cirurgião Geral do Hospital Santa Genoveva
- Uberlândia-MG.

Higor Chagas Cardoso


Cirurgião vascular e Ecografista - SBAC/CBR/AMB. Professor mestre - Facul-
dade de Medicina UFG/UniEVANGÉLICA
Isabela Alcântara Rocha
Estudante do 6º ano de Medicina, em formação pela IMEPAC - Com inte-
resse especial em anestesiologia e também nas áreas de terapia intensiva
e medicina de urgência e emergência

Ivan Kirche Duarte


Médico pela Universidade Nove de Julho (UNINOVE) - campus Vergueiro
(2010-2015), cirurgião geral pelo Conjunto Hospitalar do Mandaqui (2016-
2018), residente de Urologia pelo Hospital Edmundo Vasconcelos (2020-
2023).

Jackeline Ribeiro Oliveira Guidoux


Médica formada pela Universidade José do Rosário Vellano - Unifenas, Al-
fenas, MG (1999-2004). Cirurgião geral pelo Hospital Universitário Alzira
Velano, Alfenas/MG. Mastologista pelo Hospital Mater Dei, Belo Horizonte/
MG. Título de especialista em Mastologia -TEMA, pela Sociedade Brasileira
de Mastologia. Mestre em Ciências da Saúde pela UFG. Docente do cur-
so de Medicina do Imepac Centro Universitário, Araguari/MG. Docente do
curso de Medicina do Imepac Itumbiara.

Janiel Carvalho Ponte


Médico Formado pela Universidade Federal do Ceará /Sobral – UFC (2004-
2010). Cirurgião Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Universi-
dade Federal do Ceará – UFC (2011-2013). Experiência Profissional: Cirur-
gião Geral do Hospital Regional Norte - HRN. Cirurgião Geral da Santa Casa
de Misericórdia de Sobral – SCMS. Médico do Serviço de Atendimento
Móvel de Urgência – Samu/Sobral. Cirurgião Geral do Hospital da Unimed.
Preceptor da Graduação e do Internato do Curso de Medicina do Centro
Universitário Inta- Uninta. Preceptor da Residência Médica de Cirurgia Ge-
ral da SCMS.

Janssen Loiola Melo Vasconcelos


Médico Formado pela Universidade Federal do Ceará – UFC/Sobral (2008-
2013). Cirurgião Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Universi-
dade Federal do Ceará – UFC (2014-2016). Cirurgião Oncológico pelo Insti-
tuto do Câncer do Ceará – ICC/UFC- (2017-2019). Experiência Profissional:
Cirurgião Geral do Hospital Regional Norte - HRN. Cirurgião Oncológico na
Santa Casa de Misericórdia de Sobral- SCMS. Cirurgião Geral da Santa Casa
de Misericórdia de Sobral – SCMS. Cirurgião Geral do Hospital da Unimed
Sobral.
Joannillson Taygon Vilarinho Barbosa
Médico Formado pela Universidade Federal do Cariri – UFCA (2012-2018).
Experiência Profissional: Diretor Clínico e Plantonista do Hospital Munici-
pal Antônio Ribeiro da Silva. Prescritor da Clínica Médica no Hospital Muni-
cipal Dr. Abelardo Gadelha da Rocha.

João José Da Ponte Portela


Médico Formado pela Universidade Federal do Ceará – UFC (1982-1988).
Cirurgião Geral pelo Hospital Geral de Fortaleza/Universidade Federal
do Ceará – UFC (1988-1989). Urologista pelo Hospital Geral de Fortaleza
(1990-1992). Experiencia Profissional: Cirurgião Geral e Urologista da San-
ta Casa de Misericórdia de Sobral – SCMS. Cirurgião Geral e Urologista do
Hospital da Unimed. Preceptor da Residência Médica de Cirurgia Geral da
SCMS. Cirurgião Geral e Urologista da Secretaria de Saúde de Fortaleza.

João Paulo Ribeiro Silva


Médico Formado pela Estácio FMJ – Juazeiro do Norte (2006-2012). Cirur-
gião Geral pelo Hospital Universitário Walter Cantídio HUWC/UFC-Fortale-
za (2012-2014). Título de Especialista pelo Colégio Brasileiro de Cirurgiões
– CBC. Experiência Profissional: Cirurgião Geral Emergencista no Hospital
Regional Norte – HRN. Cirurgião Geral pela Secretaria de Saúde de Fortale-
za. Preceptor da Graduação e do Internato do Curso de Medicina do Centro
Universitário Inta- Uninta.

João Victor Maretti


Interno do curso de Medicina da Universidade Nove de Julho (UNINOVE
- campus Vergueiro). Foi membro do Centro Acadêmico César Timo-Iaria
(C.A.C.T.I.) e vice-presidente do XIII Congresso Médico Acadêmico UNI-
NOVE. Atuou na Liga de Neurologia e Neurocirurgia, tendo permanecido
também como membro titular da Liga de Cirurgia Oncológica da mesma
instituição.

José Alberto Guilherme Frota Júnior


Médico Formado pela Universidade De Fortaleza – UNIFOR (2013 – 2018).
Residente de Cirurgia Geral na Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Uni-
versidade Federal do Ceará – UFC (2019 - 2021).
Juarez Jucá De Queiroz Neto
Médico Formado pela Unichristus (2013 – 2018). Residente de Cirurgia Ge-
ral na Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Universidade Federal do Cea-
rá – UFC (2019 - 2021). Experiência Profissional: Médico Emergencista do
Hospital da Unimed de Sobral.

Karla Orlany Costa Gomes Aires


Nutricionista pela Universidade Federal do Piauí – UFPI (2009-2014). Espe-
cialista com Residência Multiprofissional em Urgência e Emergência pela
Santa Casa de Misericórdia de Sobral – SCMS (2015-2017). Especialista em
Terapia Nutricional e Nutrição Clínica pelo Instituto GANEP (2016-2018).
Experiência Profissional: Nutricionista da Unimed Medicina Preventiva em
Sobral-CE. Nutricionista do NASF em Sobral-CE.

Laís Siqueira de Magalhães


Estudante de Medicina da Universidade Nove de Julho (UNINOVE) - Cam-
pus Vergueiro (2015-2020). Intercambista em programas de pesquisa cien-
tífica (Universidad Autónoma de Nuevo León, Monterrey, México - 2017),
de estágio hospitalar (Semmelweis University, Budapeste, Hungria - 2018)
e de trabalho voluntário (ONG Volunteering Solutions, Cusco, Peru - 2019).
Participou da organização de congressos acadêmicos, bem como apresen-
tou trabalhos em congressos de âmbito nacional.

Lara Ranulfo de Mendonça


Graduanda em Medicina na Universidade de Rio Verde campus Aparecida
de Goiânia. Fundadora e Diretora da Liga Acadêmica do Aparelho Digesti-
vo, membro da Liga do Aparelho Digestivo e membro da Liga de Cirurgia
Geral. Afinidade pelas áreas de Cirurgia, Infectologia e de Medicina Inte-
grativa.

Larissa Miranda Rocha


Interna de medicina do IMEPAC Centro Universitário, Araguari/ MG
Leandro do Couto Aguiar

Leandro do Couto Aguiar


Graduado em Medicina pela UFG (Universidade Federal de Goiás).
7/1/2010 Especialista em Cirurgia Geral e Cirurgia do cirurgia plastica pela
universidade federal de São Paulo UNIFESP- EPM fev/2011-marco/2016.
Especialização (fellowship) em rinoplastia estruturada funcional e estéti-
ca por 2 anos. Mar 2016-fev 2018. Fellowship em reconstrucao de mama
por 1 ano. Marc2017-mar 2018. Membro titular da sociedade brasileira de
cirurgia plastica - SBCP. Professor da Habilidades medicas (TO e ambulato-
rio de cirurgia) pela UNiRV. Corpo clínico de Cirurgia Plástica do Hospital
Órion-Einstein.

Leticia Maria Casagrande de Oliveira


Graduanda do curso de medicina do 5° ano na Universidade Nove de Julho
campus Vergueiro. Interessada em cirurgia geral, especialmente emergên-
cia e trauma.

Mariane de Castro Michielin


Interna do curso de Medicina do Instituto e Centro de Pesquisas São Leo-
poldo Mandic Campinas/SP. Atual Vice-Presidente da Associação Brasileira
das Ligas de Cirurgia Plástica – ABLCP, braço acadêmico da Sociedade Bra-
sileira de Cirurgia Plástica – SBCP. Membro Acadêmico da Sociedade de
Medicina e Cirurgia de Campinas – SMCC. Ex-Presidente da Liga Acadêmi-
ca de Cirurgia Plástica São Leopoldo Mandic – LACIRPL-SLM (2018-2019).
Fez parte da Diretoria de outras ligas acadêmicas, como Vice-Presidente da
Liga de Dermatologia São Leopoldo Mandic – LADERM-SLM (2018) e Dire-
tora de Marketing da Liga de Anatomia Humana – LAANATO-SLM (2017).
Organizou congressos e cursos na área de Cirurgia Plástica e Dermatologia,
com destaque ao “V Encontro Nacional da SBCP e ABLCP” (2020) e Curso
de Extensão: “Imersão em Cirurgia Plástica para o Cirurgião Geral” da SLM
– Presidência (2019), e campanhas nacionais voluntárias de promoção à
saúde. Além disso, realizou diversas produções científicas e apresentações
de trabalhos no âmbito da Cirurgia Plástica e Dermatologia.

Marina Rodrigues Lima


Interna do Curso de Medicina do Centro Universitário Uninta.

Octavio Henrique Arcos Campos


Médico pela Universidade de Brasília (2002-2008). Cirurgião Geral pela
Unesp (2010-2011). Urologista pelo HSPM (2012-2015). Membro Titular
da SBU, possui Certificação em Cirurgia Robótica. Urologista Assistente do
HSPM e Professor de Urologia da UniNove.
Patrick Teles Frota Capote
Médico Formado pela Universidade Federal Do Maranhão – UFMA (2000-
2006). Cirurgião Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Univer-
sidade Federal do Ceará – UFC (2010-2012). Endoscopia Digestivo pelo
Hospital Geral de Fortaleza/Escola de Saúde Pública Do Ceará (2014-2015).
Experiência Profissional: Cirurgião Geral da Santa Casa de Misericórdia de
Sobral – SCMS. Cirurgião Geral do Hospital da Unimed. Preceptor do Inter-
nato do Curso de Medicina do Centro Universitário Inta- Uninta. Preceptor
da Residência Médica de Cirurgia Geral da SCMS. Coordenador do Serviço
de Cirurgia do HRN. Coordenador do Serviço de Endoscopia do Hospital da
Unimed /Sobral. Médico do Serviço de Endoscopia do HRN.

Paula Daher Rassi Guimarães


Acadêmica de medicina da UniEVANGÉLICA. Ex-presidente da Liga Aca-
dêmica de Gastroenterologia de Anápolis. Com interesse em pediatria e
gastroenterologia.

Petrônio Fonteles Andrade


Médico Formado pela Universidade Federal do Ceará (2013 – 2018). Resi-
dente de Cirurgia Geral na Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Universi-
dade Federal do Ceará – UFC (2019 - 2021). Experiência Profissional: Médi-
co Emergencista do Hospital da Unimed de Sobral.

Rafael Aires de Castro


Médico Formado pela Universidade Federal do Ceará /Sobral – UFC (2009-
2015). Cirurgião Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Universi-
dade Federal Do Ceará – UFC (2016-2018). Residente de Cirurgia Vascular
do Hospital da Restauração - UPE/Recife. Experiência Profissional: Cirur-
gião Geral do Hospital Regional Norte - HRN. Cirurgião Geral da Santa Casa
de Misericórdia De Sobral – SCMS.

Rafael Azeredo Bastos


Interno do 6 ano de medicina da Universidade Nove de Julho

Rafael Bernardo Da Silva


Médico Formado pela Universidade Estadual do Ceará– UECE (2005-2010).
Pediatra pelo Hospital Infantil Albert Sabin (2012 -2014). Cirurgião Geral
pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Universidade Federal do Ceará –
UFC (2018-2020). Experiencia Profissional: Médico Emergencista do Hospi-
tal Geral de Fortaleza – HGF. Emergencista Pediátrico do Hospital Regional
Norte – HRN.

Raimundo Nonato Araújo


Médico Formado pela Universidade Federal do Ceará – UFC /(1988). Médi-
co Cirurgião Geral da Santa Casa de Misericórdia de Sobral – SCMS. Médico
Cirurgião Geral e do Serviço de Ultrassonografia do Hospital da Unimed
de Sobral.

Renato Kátrio Policarpo Carvalho


Médico Formado pela Universidade Federal de Campina Grande – UFCG
(2004-2010). Cirurgião Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/
Universidade Federal Do Ceará – UFC (2017-2019). Experiência Profissio-
nal: Cirurgião Geral do Hospital Regional Norte - HRN. Cirurgião Geral da
Santa Casa de Misericórdia de Sobral – SCMS.

Rhuce Pedrosa Carvalho


Médica Formada pela Unichristus (2013 – 2018). Residente de Cirurgia Ge-
ral na Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Universidade Federal do Cea-
rá – UFC (2019 - 2021). Experiência Profissional: Médica Emergencista do
Hospital Ana Lima – Rede Hapvida e Hospital Infantil de Fortaleza. Médica
Emergencista do Pronto Atendimento de Forquilha – CE.

Ricardo Pagrion Neto


Estudante do 5 ano de medicina pela Universidade Nove de Julho- Ver-
gueiro. Interessado em Cirurgia Geral, seguido de Urologia.

Roberto Salvador Martins


Médico formado pela Faculdade de Medicina de Botucatu - Universidade
Estadual Paulista – UNESP (1991 a 1996). Pediatra e Intensivista Pediátrico
formado na Faculdade de Medicina de Botucatu - Universidade Estadual
Paulista – UNESP (1997 a 1999), Titulado pela AMIB em 2000. Mestre em
Farmacologia pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP em
2017. Experiência profissional: Foi Referência Técnica da UTI Pediátrica de
2002 a 2018, é Médico Assistente da UTIP do Hospital Municipal Dr. Mário
Gatti desde o ano 2000. Docente da Faculdade de Medicina São Leopoldo
Mandic de Campinas/SP, no curso de Medicina, desde 2013. Instrutor dos
cursos PALS, BLS e ACLS – American Heart Association.
Rogério Fortunato de Barros
Formado em Medicina pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
(PUC-SP). Concluiu a residência de Cirurgia Geral no Hospital Municipal de
Campinas Dr. Mario Gatti em 2005. Concluiu a residência de Cirurgia Infantil
na Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas) em 2008.
Concluiu Doutorado da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) em
2012. Trabalha no Hospital Universitário de Jundiaí com vínculo municipal
obtido por concurso público como Cirurgião Infantil. Professor voluntário
da Faculdade de Medicina de Jundiai, realiza cirurgias semanais com os
residentes e internos da Faculdade. Trabalhou 7 anos na PUC-Campinas
como Cirurgião Infantil assistente e foi coordenador da residência médica
3 anos (2011-2014). Trabalha no Hospital Dr Mário Gatti com vínculo mu-
nicipal obtido por concurso público como Cirurgião Infantil. Atualmente é
professor coordenador da disciplina de cirurgia pediátrica da faculdade de
Medicina São Leopoldo Mandic. Desde janeiro de 2015 assumiu a coorde-
nação do departamento de cirurgia pediátrica da Sociedade de Medicina
e Cirurgia de Campinas (SMCC). Coordena com o apoio da SMCC o site Pe-
dline (www.pedline.org.br) em projeto filantrópico de prevenção precoce
de doenças na infância. Coordena a Liga de Cirurgia da Faculdade de Medi-
cina São Leopoldo Mandic. Em Julho de 2017 assumiu a coordenação das
ligas acadêmicas da Faculdade de Medicina São Leopoldo Mandic.

Saulo Pinto Nunes


Médico Formado pela Universidade Federal da Paraíba (2011-2017). Resi-
dente de Cirurgia Geral na Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Universi-
dade Federal do Ceará – UFC (2019 - 2021). Experiência Profissional: Médi-
co Chefe de Equipe da Upa /Sobral

Tárcilla Pinto Passos Bezerra


Médica Formado pela Universidade Federal do Ceará - UFC/Sobral (2001-
2006). Residência em Clínica Médica pelo Hospital Universitário Walter
Cantídio – HUWC/UFC (2010-2011), Pós-graduação em Cuidados Paliativos
(2013-2014). Experiência Profissional: Professora Efetiva de Semiologia e
Clínica Médica do Curso de Medicina da UFC/Sobral. Médica Diarista da
Unidade de Cuidados Especiais do Hospital Regional Norte – UCE /HRN.

Thais Vasconcelos
Médica Formada pela Universidade Federal do Piauí – UFPI (2011-2017).
Cirurgiã Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Sobral/Universidade Fe-
deral do Ceará – UFC (2018-2020). Experiencia Profissional: Médica Planto-
nista do Hospital da Unimed Sobral. Médica Plantonista do Hospital Dom
Walfrido.

Thales Resende Damião


Médico formado pelo Centro Universitário Barão de Mauá (2000 - 2005).
Anestesiologista (TEA - Título de Especialista em Anestesiologia) pelo Hos-
pital de Base de São José do Rio Preto - H.B/FAMERP - FUNFARME (2006
- 2008). Médico Anestesiologista do Hospital de Clínicas de Uberlândia-
-MG. Médico Anestesiologista da CLINEST LTDA Araguari-MG. Professor de
Anestesiologia do IMEPAC Araguari-MG

Victor Costa Monteiro


Acadêmico do curso de Medicina do Instituto Master de Ensino Presidente
Antônio Carlos em Araguari - MG, monitor de técnica cirúrgica e semiolo-
gia médica desde 2018. Fundou a Liga Acadêmica de Nutrologia (LANUT)
e integrou a diretoria das ligas acadêmicas de: Cirurgia, Cardiologia e Pe-
diatria. Fundador do Projeto de Práticas Estudantis Cirúrgicas (PROPEC) da
respectiva instituição. Criador do aplicativo "MINHA SAÚDE APP" que está
disponível gratuitamente para a população.
SUMÁRIO

Parte 1: Princípios Básicos


da Cirurgia Geral 29
01. Cirurgia segura.......................................................................................... 31
02. Nomenclatura e terminologia em cirurgia...................................... 38
03. Ambiente cirúrgico e seus profissionais........................................... 42
04. Resposta endócrina e metabólica do trauma................................ 54
05. Distúrbios hidroeletrolíticos e ácido-base....................................... 60
06. Nutrição em cirurgia................................................................................ 75
07. Cicatrização de feridas............................................................................ 89
08. Cuidados pré operatórios e risco cirúrgico..................................... 104
09. Antibioticoprofilaxia e antibioticoterapia em cirurgia................ 117
10. Complicações da ferida operatória.................................................... 124
11. Cuidados com Drenos e sondas.......................................................... 141

Parte 2: Principais Temas Teóricos


da Cirurgia Geral 160
12. Abdome agudo......................................................................................... 162
13. Hérnias da parede abdominal.............................................................. 168
14. Afecções da vesícula e via biliar........................................................... 175
15. Neoplasias colônicas malignas............................................................ 195
16. Neoplasias gástricas benignas e malignas...................................... 204
17. Tumores e abscessos hepáticos........................................................... 213
18. Doenças diverticulardos cólons.......................................................... 227
19. Pancreatite aguda e crônica................................................................. 236
20. Doenças inflamatórias intestinais....................................................... 244
21. Apendicite aguda..................................................................................... 254
22. Tumores pancreáticos e neuroendócrinos...................................... 263
23. Doença do refluxo gastroesofágico................................................... 281
24. Câncer de esôfago................................................................................... 294
25. Doença ulcerosa péptica....................................................................... 314
26. Nódulos tireoidianos............................................................................... 328
Parte 3: Procedimentos Básicos da
Cirurgia Geral na Prática 337
27. Os anestésicos locais............................................................................... 339
28. Agulhas e fios............................................................................................. 349
29. Nós e suturas.............................................................................................. 363
30. Punção venosa periférica e central.................................................... 379
31. Procedimento de Pressão Arterial Invasiva (PAI)........................... 395
32. Acesso intraósseo..................................................................................... 405
33. Paracentese................................................................................................. 413
34. Punção lombar........................................................................................... 422
35. Toracocentese............................................................................................ 432
36. Drenagem torácica................................................................................... 439
37. Pericardiocentese..................................................................................... 445
38. Intubação orotraqueal............................................................................ 455
39. Cricotireoidostomia................................................................................. 470
40. Traqueostomia........................................................................................... 477
41. Técnica em Sondagem nasogástrica e nasoenteral..................... 484
42. Sondagem de alívio e vesical de demora........................................ 488
43. Cistostomia................................................................................................. 494
21
CAPÍTULO

APENDICITE AGUDA

Autores:
Leonillson Joanh Paullo Vilarinho Barbosa
Joannillson Taygon Vilarinho Barbosa

1. EPIDEMIOLOGIA

É a causa mais comum de abdômen agudo, sendo também a emer-


gência cirúrgica geral mais comum. A prevalência de apendicite du-
rante a vida é cerca de 7% em países ocidentais. O fator causal mais
importante de apendicite aguda é a obstrução luminal, tendo como
predileção em paciente do sexo masculino e faixa etária de adultos jo-
vens.

2. BASES ANATÔMICAS

O apêndice é uma formação em forma de dedo de luva que se pro-


jeta do ceco, aproximadamente a 2,5 cm abaixo da válvula ileocecal,
tendo como medidas, geralmente, 0,5 cm de largura e tamanho mé-
dio de 5 a 10 cm, mas podendo ser de um até 30 cm. Embora sua im-
plantação seja num ponto constante, a orientação do órgão como um
todo varia de acordo com a posição da sua ponta. Segundos estudos,
a maior prevalência é retrocecal (65,3%); seguidos de pélvica (31,6%);
subcecal (2,3%); dentre outros.

3. FISIOPATOLOGIA

Trata-se da inflamação aguda do apêndice vermiforme. A apendi-


cite aguda resulta da obstrução da luz do apêndice provocada por, na

254
APENDICITE AGUDA

grande maioria das vezes, hiperplasia linfoide, sendo este o fator mais
comum encontrado em pacientes menores de 20 anos, enquanto a
obstrução por fecálito é mais comum em idoso.
Causas de apendicite aguda:

OBSTRUÇÃO DA LUZ APENDICULAR


Coprólitos (mais comum) Restos de vegetais
Hipertrofia de tecidos linfoides Sementes de frutas
Cálculos Corpos extranhos (ossos etc.)
Parasitas intestinais
Bário espessado (enema opaco) (Ascaris, Oxyurus)
Idiopático

Após a obstrução, a pressão intraluminal aumenta, o que pode acar-


retar isquemia e desenvolvimento de processo inflamatório translumi-
nal. Com isso, pode ocorrer proliferação bacteriana, gangrena e perfu-
ração do apêndice cecal. Esse processo ocorre normalmente dentro de
24 horas.
Os principais achados histológicos são congestão vascular e edema,
exsudato fibrinoleucocitário e perfuração com abscesso em alguns ca-
sos.
Pode ser dividida em quatro fases por ordem:
1) Fase edematosa;
2) Fase fibrinosa;
3) Fase flegmonosa;
4) Fase perfurativa ou gangrenosa.

3.1.Bacteriologia

A apendicite aguda é uma infecção polimicrobiana, tendo a asso-


ciação de germes aeróbios e anaeróbios, sendo os principais agentes
encontrados nas culturas a Escherichia coli e o Bacteroides fragilis.

3.1.1. Diagnóstico

O diagnóstico de apendicite aguda é eminentemente clínico, por-


tanto, o conhecimento dos sinais e sintomas associados e a avaliação
precoce do cirurgião são importantes para que isso possa ser possível,
além de se possibilitar um bom manejo terapêutico e um bom prog-

255
CAPÍTULO 21

nóstico cirúrgico. Abaixo alguns sintomas comuns em apendicite agu-


da:

Dor abdominal iniciada em região periumbilical que posteriormente migra para


Fossa Ilíaca Direita (FID) – 50% a 60% dos pacientes, sendo o SINTOMA CLÁSSICO
de apendicite aguda

Anorexia (mais frequente)


Náuseas (frequente)
Vômito (incomum)
Discreta elevação da temperatura
Constipação ou Diarreia (menos comum)

No exame abdominal pode se observar percussão dolorosa no pon-


to de McBurney (ponto situado entre espinha ilíaca anterossuperior e
o umbigo, a dois terços de distância deste), além de defesa muscular
em QID. A seguir, alguns sinais semiológicos sugestivos de apendicite:

Blumberg Dor à descompressão abdominal súbita, sugestivo de peritonite

Rovsing Dor em FID após pressão em fossa ilíaca esquerda


Psoas Dor à extensão de coxa direita
Obturador Dor durante a rotação interna passiva da coxa direita flexionada
Aumento da temperatura axilar em 1°C em relação a temperatura
Lenander axilar
Dor a compressão da FID durante a elevação do membro inferior
Lapinsky direito
Summer Hiperestesia na FID
Dunphy Dor a percussão abdominal ou quando o paciente tosse

Idosos e imunossuprimidos podem não apresentar clínica sugestiva


para apendicite aguda, ocasionando muitas vezes retardo no diagnós-
tico e aumento das comorbidades.
Diagnósticos diferenciais sempre devem ser pensados na suspeita
de apendicite aguda:

Urinários Pielonefrite, ureterolitíase


Gravidez tubária rota, ruptura ou torção de cisto ovariano, abs-
Em mulheres cesso tubo-ovariano
Adultos jovens Ileíte de chron
Anatômicos Diverticulite colônica, divertículo de meckel
Infecciosos Enterocolite (yersinia,

256
APENDICITE AGUDA

Tumor carcinoide do apêndice, pseudo mixoma peritoneal, ade-


Oncológicos nocarcinoma em cólon direito
Em crianças e Pneumonia, otite média, Intussuscepção
idosos

Dunphy Dor a percussão abdominal ou quando o paciente tosse

Exames complementares laboratoriais e de imagem podem vir a ser


necessários para afastar ou confirmar outras suspeitas diagnósticas.

Hemograma Leucocitose moderada com neutrofilia


Sumário de urina Normal
Apêndice preenchido com gás, fecalito radiopaco, nível líqui-
Rx de abdome do, pneumoperitônio
Inflamação apendicular (sensibilidade de 75 a 90%) e especifi-
Ultrassonografia cidade de 86% a 100%
Tomografia Abscesso periapendicular
Videolaparoscopia Obesos, gestantes e idosos

Figura 1: RX simples de abdome.Alça sentinela na FID. Figura 2: RX simples de abdome. Nível hidroaéreo no
ceco e íleo terminal.

Fonte: Revista Hupe - UERJ.3 Fonte: Revista Hupe - UERJ.3

257
CAPÍTULO 21

Figura 3: Ultrassonografia abdominal. Imagem em alvo na FID (AA).

Fonte: Revista Hupe - UERJ.3

Como dito, o diagnóstico é clinico e pode ser realizados somente


com base na história, exame físico e tendo ainda a possibilidade de he-
mograma. Baseado nisso, Alvarado criou uma escala que é usada como
triagem para identificar pacientes com alto risco de apendicite aguda
(5 ou mais pontos) para prosseguir com avaliação radiológica quando
necessário:

Migração da dor 1
Sintomas Anorexia 1
Náuseas e/ou vômitos 1
Defesa de parede abdominal em QID 2
Sinais
Dor à palpação 1
Elevação da temperatura 1
Laboratório Leucocitose 2
Desvio à esquerda 1
Total 10

Uma pontuação de três para baixo (índice baixo) quase exclui apen-
dicite aguda (96,2% de achados normais na tomografia computado-
rizada). Com sete pontos ou mais (índice alto), encontramos 78% de
casos positivos em mulheres e 94% em homens. Entre quatro e seis
pontos (índice intermediário), a sensibilidade é de 35% de casos posi-
tivos para a apendicite.
258
APENDICITE AGUDA

Em locais de baixos recursos onde exames de imagem, tais como


ultrassonografia e tomografia computadorizada, valores menores ou
iguais a 3 pontos podem ter alta para casa com orientação de retorno
em 12 horas; entre 4 e 6 podem ser observados mais de perto e com
maior ou igual a 7 pontos na escala podem ser levados à cirurgia, to-
lerando um índice de erro diagnóstico entre 10% a 20%, em laparoto-
mias ou laparoscopias brancas (sem achados de apendicite).
A escala de Alvarado pode também ser útil na seleção de pacientes
para complementação diagnóstica por tomografia computadorizada,
sendo indicada nos casos intermediários (quatro a seis pontos) e dis-
pensável abaixo de três.

3.2. TRATAMENTO

O tratamento é cirúrgico, podendo ser cirurgia aberta ou videolapa-


roscópica (preferencial). Na cirurgia aberta há dois tipos de incisões
mais comuns: incisão de McBurney (oblíqua em FID) e de Davis (trans-
versa sobre o ponto de McBurney).

Figura 4: À esquerda, incisão de McBurney. À direita, incisão de Rockey-Davis.

Fonte: Baley & Love’s Short Practice of Surgery.

259
CAPÍTULO 21

Existe uma classificação videolaparoscópica da apendicite aguda


de acordo com os achados inflamatórios:
Grau 0 Normal
Grau 1 Hiperemia e edema
Grau 2 Exsudato fibrinoso
Grau 3 Necrose segmentar
Grau 4A Abscesso
Grau 4B Peritonite regional
Grau 4C Necrose da base do apêndice
Grau 5 Peritonite difusa

A terapia com antibiótico é utilizada de acordo com o estágio da


apendicite.
Apendicite não complicada CEFOXITINA EV (24 a 48 horas)
Para patógenos entéricos aeróbicos e anaeróbicos,
exemplo:
Apendicite gangrenosa ou METRONIDAZOL + GENTAMICINA OU AMPICILINA
perfurada + CLINDAMICINA – durante 7 dias ou até que fique
afebril e leucograma normal

Sendo diagnosticada e tratada de forma precoce, o prognóstico é


favorável. Entretanto, a frequência de complicações associadas à apen-
dicite não perfurada é em torno de 10% e de perfurada, 18%, sendo
mais comuns nos extremos etários. As principais complicações são in-
fecção de sítio cirúrgico precoce) e obstrução intestinal. A mortalidade
geral nos casos de apendicite perfurada é de 3%, podendo chegar a
15% em idosos.
Algoritmo para avaliação e tratamento de pacientes com possível
apendicite aguda.

260
APENDICITE AGUDA

Consulta cirúrgica para dor abdominal aguda

Probabilidade clínica de apendicite aguda

Alta Intermediária Baixa

Operar TC ou Ultrassom e Idosos Confiável


reexaminar e local
Não confiável
De longa
distância
+ Incerta -

Operar Laparoscopia Alta ou Reexaminar Alta


diagnóstica diagnóstico TC Acompa-
ou admitir/ alternativo/ nhamento
reexaminar tratamento de <24
horas
+ -

Operar Alta Acompanhamento


de <24 horas
Fonte: Tratado de cirurgia.5

261
CAPÍTULO 21

REFERÊNCIAS

1. Williams N, O’Connell PR, McCaskie A. Bailey & Love’s Short Practice of Surgery. 27th
edition. 2018.
2. Lima AP, et al. Perfil clínico-epidemiológico da apendicite aguda: análise retrospectiva
de 638 casos. Rev. Col. Bras. Cir. 2016; 43(4).
3. Freitas RG, et al. Abdome Agudo Não Traumático. Apendicite aguda. Revista do
Hospital Universitário Pedro Ernesto, UERJ. 2009; 8(1).
4. Goldman L, Ausiello D. Cecil Medicina Interna. 24. ed. Saunders Elsevier; 2012.
5. Sabiston. Tratado de cirurgia: A base biológica da prática cirúrgica moderna. 19. ed.
Saunders Elsevier.
6. Wakeley CP, et al. The position of the vermiform appendix as ascertained by an
analysis of 10,000 cases. Journal of Anatomy. 1933.
7. Jaffe BM, Berger DH. The appendix. In: Schwartz Principles of Surgery McGraw Hill
Medical Publishing Division. 11. ed. Schwartz’s Principles of Surgery. 2005. c. 30.

262