Você está na página 1de 13

TEORIA DA CONSTITUIÇÃO

Aula 1: Evolução Histórica dos Direitos Fundamentais

- Direitos humanos são universais;


* Conhecimento empírico: experiências vividas;
* Conhecimento científico (direito): é a ciência da vida e da justiça;

- Período Axial – 600 a.C - 480 a.C


* O ser humano passa a ser tratado com igualdade (razão e liberdade);
* Buda – India: Defendia o fim da sociedade de caça;
* Confusio – China: questão moral/comportamento humano;
* Zara Tustia – Persia (Irã);
* Isaias – Israel: Defendia o amor (ame o próximo como a si mesmo);
* Pitágoras – Grécia.

Todos defendiam a igualdade, ou seja, ninguém é superior.

- Filosofia: ser racional (igualdade)


- Religião: cristianismo (amor universal)

Roma (Família):
* Latinos
* Sabinos
* Estruscos
* Gregos
* Troianos

- S. Tomás de Aquino (1225-1274): Criou o Princípio da Igualdade


Essencial, apoiava a virtude da justiça.

-> Instituição do governo deve ser informado ao Estado.

* Solidariedade – Atuações
-> Dentro de um grupo social;
-> Relacionamento extremo entre grupos, povos e nações;
-> Entre as sucessivas gerações na História
Pensador: Montesqui

Kant (1724-1804): Conceito de pessoa como Sujeito de Direitos


Universais, ou seja, basta ser humano para ter direitos.
- Imperativo categórico: dignidade humana
* Frase de Kant:
“ Age de modo a tratar a humanidade, na sua como na pessoa de outrem,
sempre como fim jamais como meio.”.
“ Age segundo uma máxima que passa a valer ao mesmo tempo como lei
de sentido universal.”.
(Ninguém é substituível).

Direitos humanos:
- Não se pode vender;
- São direitos fundamentais;
- Não há uma hierarquia entre eles.

➔ Essência da personalidade humana: não se confunde com a função


ou papel que cada um exerce na vida (somos únicos).

Etapas Históricas
- Idade Média:
* Magna Carta (1215): Surgimento dos direitos humanos e redução dos
poderes do rei;
- Judicialidade:
* Mandato Judicial;
* Limitação do poder;
* Somente o juiz pode prender, rei perde o poder;
- Petition of Rights:
* Revolução Inglesa
* Estabulear (estado democrático de Direito).

Registro dos Direitos Humanos – Bom povo da Virginia (1736)


Art. 1º: Declaração de Direitos da Virginia
"Todos os seres humanos são, pela sua natureza, igualmente livres e
independentes, e possuem certos direitos inatos, dos quais, ao entrarem no
estado de sociedade, não podem, por nenhum tipo de pacto, privar ou
despojar sua posteridade; nomeadamente, a fruição da vida e da liberdade,
com os meios de adquirir e possuir a propriedade de bens, bem como de
procurar e obter a felicidade e a segurança".
* Impor limites ao Estado, para garantir minha liberdade;
* Igualdade, liberdade, propriedade e segurança.
Aula 2: Teoria da Constituição

1º Dimensão: Liberdade -> Direitos individuais, crises e políticos;


2º Dimensão: Igualdade -> Econômica, social e cultural;
3º Dimensão: Solidariedade -> Paz e meio ambiente saudável.

Internacionalização dos Direitos Humanos

- Direito humanitário: Convenção de Guariba (1869);


- Luta contra a escravidão: Conferência de Bruxelas (1880).

Regulação dos Direitos do Trabalho Assalariado

- OIU (1919);
- ONU (1945);
- DUMS (1948).

1820 – Revolução do Porto (Constituição)


- Liberalismo;
- Liberdade Pessoal, individualismo e tolerância;
- Direitos Econômicos;
- Representação Política.

● Liberalismo Europeu: Ideologia revolucionária articulada por


novos setores emergentes e formada na luta contra os privilégios da
nobreza.
● Liberalismo Brasileiro: Caracterizado e adequado para servir de
suporte aos interesses das oligarquias.

Constituição de 1824 (Brasil)


- Voto censitário: somente quem tem dinheiro;
- Cidadão: somente quem vota;
- Monarquia Constitucional: império, tendo quatro poderes (legislativo,
executivo, judiciário e moderador).
- Imperador manda em tudo;
- Estado Unitário;
“Confessional” religião oficial (católica).

Constituição de 1891
- Promulgada;
- Paradigma – Const. EUA;
- República: mandato;
- Presidência Mista: unipessoal;
- Federação: autonomia aos estados;
- Estado Laico: fim do voto censitário.

Getúlio Vargas
- 1890 – Código Penal;
- Lei Áurea;
- 03/10/1930 – Getúlio chega ao Rio (positivista);
* Governo provisório: estabelece a partir de um decreto (Lei n. 19.398/30).

“Toda constituição é, em si, uma obra humana incompleta, além de ser obra
se compromisso entre as forças sociais e grupos pluralistas que participam
de sua formação.”.
* Existe mais de um constitucionalismo.
* Garantir direitos.

Norma pragmática: é um objetivo a ser atingido, ele leva em conta o


direito de segunda dimensão.
Norma que não possui fundamento serve para o apaziguamento social
(ela ainda requer efetividade).
Ex.: Salário mínimo – deveria garantir o sustentamento, porém não é isso
que acontece.

Clausula Pétrea: são limitações materiais ao poder de reforma da


constituição de um Estado. Em outras palavras, são dispositivos que não
podem haver a alteração, nem mesmo por emenda.

Direito Constitucional: é o principal ramo do direito público


- Princípio da Humanidade

Decodificação do sistema constitucional: cria microssistemas para


acrescentar outros direitos.

Canotilho: teoria ou ideologia que ergue o princípio do governo limitado


indisponível à garantia dos Direitos em dimensão estruturante da
organização política social de uma comunidade. Nesse sentido, o
constitucionalismo moderno representará uma técnica específica da
limitação do poder com fins garantísticos.
Textos Constitucionais
- Regras de Limitação;
- Ao poder autoritário;
- Prevalência aos Direitos Fundamentais.

Aula 3: Constituições

A Constituição organiza a sociedade.

- Constituição no sentido sociológico:


* Sempre existiu;
* Ideia do fato social;
* Conforme a sociedade se altera, a constituição se altera junto.

- Constituição no sentido político:


* Não necessita ser seguida, o governante pode mudar;
* Organiza o Estado.

- Constituição no sentido jurídico:


* Obrigação de a ela se submeter;
* Responsabilidade jurídica;
* Deve ser seguida;
* Constituição atual.

-> Normas pragmáticas: objetivos a serem atingidos.

Classificação de Constituição

1. Constituição Material: é um conjunto de normas pertinentes à


organização do poder (executivo, legislativo e judiciário).
Ex.: Distribuição de competência, forma de governo, exercício da
autoridade, forma de estado, direitos da pessoa humana, etc.

Ferdinand Lassale: É a favor da constituição sociológica. “Uma


constituição em sentido real ou material todos os países, em todos os
tempos, a possuíram.”.
Para ele, a Constituição escrita não passa de uma folha de papel. Para
uma Constituição ser legitima, deve representar o poder sociológico.

Karl Schimitt: É a favor da constituição no sentido político.


- Constituição: só se refere à decisão política fundamental;
- Leis Constitucionais: inseridas no texto do documento constitucional
que não contém matéria de decisão política fundamental.

Kelsen: É a favor da constituição no sentido jurídico.


- Constituição é norma pura (DEVER SER);
- Afasta qualquer aspecto sociológico,etc.
- A Constituição Federal está acima das outras áreas do Direito (a
norma hipotética fundamental que dá sentindo a Constituição Federal).

A Constituição em seu aspecto material diz respeito ao conteúdo, mas


tão somente, ao conteúdo das determinações mais importantes, únicas
merecedoras segundo o entendimento dominante de serem designadas
rigorosamente como matéria constitucional.

2. Constituição Formal: É quando uma matéria que não é


propriamente constitucional, ganha forma constitucional por estar
dentro da Constituição.
Ex.: Art. 242, parag. 2º.
3. Constituições Rígidas x Constituições Flexíveis
- Rígidas: aquelas constituições que não podem ser modificadas da
mesma maneira que as leis ordinárias. É a nossa constituição atual.
- Flexíveis: Ex.: Constituição da Inglaterra (parte escrita).
* Quem pode alterar a Constituição: O Presidente da República; 
um terço, no mínimo, dos membros da Câmara dos Deputados; um
terço, no mínimo, dos membros do Senado Federal.
4. Constituição Costumeira x Constituição Escrita
- Costumeira: feita de normas não escritas
* Inglaterra:
-> Direito estatutário;
-> Direito prudencial;
-> Costume da natureza parlamentar;
-> Convenções Constitucionais.
- Escrita: são aquelas que foram promulgadas ou outorgadas pelo
órgão competente.

* Constituição não escrita: aquelas que a prática ou costume são


impostos na sociedade.
* Normas Constitucionais: oriunda de costumes.

5. Quanto à sistemática
- Constituições Codificadas:
* Começou com o Código de Napoleão;
* São aquelas constituições que estão dentro de um só documento ou em
um único corpo de lei;
* Todas as constituições do Brasil são codificadas;

As constituições geralmente começam com o Preâmbulo, que prolonga


na história o que nortearam os constituintes na elaboração da
Constituição. Também tem a parte introdutória, que é do art. 1º até o art.
4º da C.F. Depois tem a parte orgânica, que explica as competências dos
poderes (legislativo, executivo e judiciário). Algumas possuem a parte
dogmática que representa a parte social individualista. E a última parte
são as disposições transitórias, que são artigos que mostram as
transições de uma constituição para outra.

- Constituição Legal
São as constituições escritas que se apresentam esparsas ou fragmentada
em vários textos.
Ex. Constituição Belga – 1830.

6. Quanto à origem

- Constituições Outorgadas
É uma constituição imposta.
* Ponto de vista jurídico: ato unilateral de uma vontade política
soberana;
* Ponto de vista político: representa uma concessão do soberano, pois
ele limita o poder.
Ex.: C.F – 1824, 1937,1967.

- Constituição Pactuada
É quando temos duas forças politicas e uma não se sobrepõe sobre a
outra, mas consegue limitar o poder do outro.
Ex.: Magna Carta – 1215.
Nessa constituição o equilíbrio é precário.

- Constituição Promulgada
É aquela que expressa à extensão de que o governo deve traduzir as
vontades dos representados.
Ex.: C.F – 1946, 1984 e a atual.
7. Quanto à extensão

- Constituição Concisa
É uma constituição básica, breve e sintética. Possui base principio
lógica forte (gerais).

- Constituição Prolixa/ Analítica:


É uma constituição desenvolvida, longa, larga etc. Ela detalha tudo e
traz muita matéria que não condiz com a ideia de uma constituição
material.
Ex.: C.F – 1988, Constituição Mexicana – 1917

8. Quanto à Finalidade

- Constituição Garantia
Busca proteger a liberdade.
Ex.: Constituições Liberais Burguesas, C.F – 1981.

- Constituição de Balanço
Busca proteger a igualdade (países socialistas).
Ex.: Constituição Mexicana – 1917.

- Constituição Dirigente
Estabelece um projeto de Estado. Além de estabelecer os direitos
sociais/ individuais, ela estabelece as normas programáticas.

9. Quanto à Correspondência com a Realidade (o que o Estado


cumpre na C.F)

- Constituição Normativa:
Realiza o que está previsto na C.F.

- Constituição Nominativa
Realiza de forma não tão eficaz o que está previsto na C.F.

- Constituição Semântica
Não realiza o que está previsto na C.F.

Aula 4: Poder Constituinte


- Sempre existiu;
- Fases: força bruta, divina, monarca, povo.

* Siyes: Soberania nacional (nação); representatividade; democracia


representativa (nação é o 3º Estado);
* Rosseu: Soberania popular (CF – ATUAL).

● Poder Constituinte Originário/ 1º Grau:

- Inaugura o Estado;
- Não há limitação (apenas a sociedade) -> POVO

Características
- Inicial;
- Autônoma;
- Incondicional;

Faz surgir uma constituição a partir de:


- Revolução;
- Termino de guerra;
- Independência das colônias;
- Mudança de regimes.

Schid Maluf: “Poder Constituinte é o poder de constituir e reconstituir ou


retomar ordem jurídica estatal.”.

Celso Batos: “Poder Constituinte consiste na faculdade que todo povo


possui de fixar linhas mostras e fundamentais sob as quais deseja viver.”.

● Poder Constituinte Derivado/ 2º Grau:

- Modificação/ atualização da Constituição;


- Quem limita é o Poder Constituinte Originário.

Características
- Derivado (PC Originário);
- Subordinado;
- Condicionado (possui limitações, art. 60, CF: clausulas pétrea).

Pedro Lenza: “Poder Constituinte pode ser citado como poder de elaborar
ou autorizar uma constituição, mediante a supressão, modificação ou
acréscimo de normas constitucionais.”.
* Poder Constituinte Formal: grupo que formaliza as regras da
Constituição;
* Lei Orgânica: A lei orgânica age como uma Constituição Municipal,
sendo considerada a lei mais importante que rege os municípios e o Distrito
Federal. Cada município brasileiro pode determinar as suas próprias leis
orgânicas, contanto que estas não infrinjam a constituição e as leis federais
e estaduais.
* Os limites existem para a garantia de criação de um Estado.

● Poder Constituinte Decorrente/ 3º Grau

- Subordinado;
- Secundário, porque ele se posiciona abaixo do PC Originário e Derivado;
- Condicionado;

ADCT, Art. 11: Cada Assembleia Legislativa, com poderes constituintes,


elaborará a Constituição do Estado, no prazo de um ano, contado da
promulgação da Constituição Federal, obedecidos os princípios desta.

Reforma:
- Efeito da atividade derivada;
- Introdução de alterações de textos na CF;
- Mas não se pode mexer de qualquer maneira;
- CF Reformada: alteração no texto da constituição;
- Não há limite quantitativo para a reforma.

Revisão: 
- Quórum: maioria absoluta; 
- Inversão unicameral;
- Depois de cinco anos só pode fazer uma revisão, pra ver se a teoria condiz
com a pratica;
- Não implica necessariamente na alteração do texto. 

Emenda: é a materialização da reforma constitucional

Art. 60. A Constituição poderá ser emendada mediante proposta:


I - de um terço, no mínimo, dos membros da Câmara dos Deputados ou do
Senado Federal;
II - do Presidente da República;
III - de mais da metade das Assembleias Legislativas das unidades da
Federação, manifestando-se, cada uma delas, pela maioria relativa de seus
membros.

Mutação: quando é alterada a constituição sem mudar o texto da


constituição, basta mudar a interpretação que se faz desse texto. Já que o
mesmo texto em contexto diferente pode ter sentido diferentes.
É um processo não formal e a interpretação feita pelos tribunais. 

Regulamentação: são as leis ordinárias ou leis complementares que são


editadas para dar aplicabilidade aos textos constitucionais. Ex.: ECA,
Direito do Consumidor , etc. 

Limitações ao Poder Derivado/ De reforma da constituição 


- Limitação Formal:
* Surge da legitimidade da iniciativa.
Art. 60. A Constituição poderá ser emendada mediante proposta:
I - de um terço, no mínimo, dos membros da Câmara dos Deputados ou do
Senado Federal;
II - do Presidente da República;
III - de mais da metade das Assembleias Legislativas das unidades da
Federação, manifestando-se, cada uma delas, pela maioria relativa de seus
membros.
* Quórum para discussão e aprovação.
Art. 60, § 2º. A proposta será discutida e votada em cada Casa do
Congresso Nacional, em dois turnos, considerando-se aprovada se obtiver,
em ambos, três quintos dos votos dos respectivos membros.
* Da casa onde deve ser apresentado o projeto.
Art. 64 . A discussão e votação dos projetos de lei de iniciativa do
Presidente da República, do Supremo Tribunal Federal e dos Tribunais
Superiores terão início na Câmara dos Deputados.

* Órgão promulgador.
Art. 60, § 3º - A emenda à Constituição será promulgada pelas Mesas da
Câmara dos Deputados e do Senado Federal, com o respectivo número de
ordem.
*Art. 60, § 5º - A matéria constante de proposta de emenda rejeitada ou
havida por prejudicada não pode ser objeto de nova proposta na mesma
sessão legislativa.

- Limitação Circunstancial: em períodos de intranquilidade/ instabilidade


social, não convém alterar a constituição 
Art. 60, 1º - A Constituição não poderá ser emendada na vigência de
intervenção federal, de estado de defesa ou de estado de sítio.

- Limitação Temporal: limitação de reforma durante um determinado


tempo

- Limitação Material ou Substancial: proibição de reformar determinados


dispositivos da constituição (cláusulas pétreas).
* Explícita:
Art. 60, § 4º Não será objeto de deliberação a proposta de emenda tendente
a abolir:
I - a forma federativa de Estado;
II - o voto direto, secreto, universal e periódico;
III - a separação dos Poderes;
IV - os direitos e garantias individuais.
IV - os direitos e garantias individuais.

* Implícita: Não está explícita. Ex.: mudar o mandato da presidência da


república (não pode mudar a democracia). 

Validade:
- A norma é válida quando entra no sistema jurídico, a partir da sua
promulgação; 
- Não tem vacatio legis na constituição; 
- A norma pode ser válida, mas ainda não ser vigente; 
- Uma norma pode ser válida, vigente, mas não ser eficácia (porém é ideal
que isso não aconteça na constituição, se isso acontecer é porque é uma
constituição semântica).

Recepção: Serve para dar segurança jurídica e recepciona tudo que não
seja contrário ao que está na constituição. 

Repristinação:
- É a retomada de vigência de uma norma jurídica, porque a norma que a
revogara no passado foi revogada;
- No Direito brasileiro não há repristinação (a própria lei define isso).
Apenas se tiver previsto em uma 3º norma a entrada em vigor da 1º norma
novamente.

Desconstitucionalização: É um fenômeno dizendo que algumas normas da


constituição anterior permaneceriam vigente, mas sobre a forma de lei
ordinária, a maioria dos autores não admite isso. 

Classificação das Normas Constitucionais (STF ADOTA) 


- Normas Constitucionais de Eficácia Plena: são aquelas que estão aptas
a produzir todos os seus efeitos desde a entrada em vigência, ou seja, elas
não precisam de regulamentação.
Art. 5º, inc. II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma
coisa senão em virtude de lei;
- Normas Constitucionais de Eficácia Contida: são aquelas normas assim
como de eficácia plena que produz todos os seus efeitos, mas podem ser
restringidas pelas leis infraconstitucionais.
Art. 5º, inc. XIII - e livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou
profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer;
- Normas Constitucionais de Eficácia Limitada: para que elas possam
produzir efeitos deve ser regulamentados pela norma infraconstitucional
para complementar.
Art. 37, inc. VII - o direito de greve será exercido nos termos e nos limites
definidos em lei específica.