Você está na página 1de 25

SOC1

Aluno: ____________________________________________
Série: _________ Turma: _________ Data: ______

Questão 1

Os conceitos de alienação, física social e solidariedade mecânica estão relacionados,


respectivamente, a quais teóricos?

a) Parsons, Merton, Weber


b) Simmel, Bourdieu, Spencer
c) Tonnies, Nobert Elias, Durkheim
d) Marx, Weber, SombartAl
e) Marx, Comte e Durkheim

Questão 2

Assinale a alternativa correta quanto às principais características da sociedade capitalista.

a) feudo, mais-valia, escravos


b) salário, mercadoria, mais-valia
c) corveia, renda fundiária, servos
d) solidariedade mecânica, alienação e corporações de ofício
e) ócio, comércio, cavaleiros

Questão 3

O capitalismo modificou os costumes das sociedades tradicionais e incentivou a competição social.


Com o crescimento da sociedade capitalista, as relações de mobilidade social:

A) ganharam um espaço importante para se compreender as crises existentes na produção dos


valores econômicos.

B) construíram uma hierarquia definidora das relações de poder, destruindo as possibilidades de


desigualdades.
C) são aceitas sem problemas pelas administrações públicas, não havendo políticas que objetivem
alterá-las.

D) revelam situações de conflito entre grupos de valor apenas econômico, sem maiores problemas
sociais.

E) mostram a força do capitalismo e das suas verdades que garantem a felicidade humana.

Questão 4

Qual corrente da teoria política atribui ao Estado a função e o papel de aparelho ideológico e
repressivo a serviço das classes econômicas dominantes?

(A) Idealista
(B) Liberal
(C) Comunitarista
(D) Positivista
(E) Marxista

Questão 5

Leia os depoimentos a seguir:

• Sou um ser livre, penso apenas com minhas ideias, da minha cabeça, faço só o que desejo, sou
único, independente, autônomo. Não sigo o que me obrigam e pronto! Acredito que com a força dos
meus pensamentos poderei realizar todos os meus sonhos, e o meu esforço ajuda a sociedade a
progredir.
(Jovem estudante e trabalhadora em uma loja de shopping).

• Sou um ser social, o que penso veio da minha família, dos meus amigos e parentes, gostaria de
fazer o que desejo, mas é difícil! Às vezes faço o que quero, mas na maioria das vezes sigo meu
grupo, meus amigos, minha religião, minha família, a escola, sei lá... Sinto que dependo disso tudo e
gostaria muito de ser livre, mas não sou!
(Jovem estudante em uma escola pública que trabalha em empregos temporários).

• Sinto que às vezes consigo fazer as coisas que desejo, como ir a raves, mesmo que minha mãe não
permita ou concorde. Em outros momentos faço o que me mandam e acho que deve ser assim
mesmo. É legal a gente viver segundo as regras e ao mesmo tempo poder mudá-las. Nas raves
existem regras, muita gente não percebe, mas há toda uma estrutura, seguranças, taxas etc. Então,
sinto que sou livre, posso escolher coisas, mas com alguns limites.
(Jovem estudante e office boy).

Assinale a alternativa que expressa, respectivamente, as explicações sociológicas sobre a relação


entre indivíduo e sociedade presentes nas falas.

a) Solidariedade mecânica, fundada no funcionalismo de E. Durkheim; individualismo metodológico,


fundado na teoria política liberal; teoria da consciência de classe, fundada em K. Marx.

b) Teoria da consciência de classe, fundada em K. Marx; sociologia compreensiva, fundada no


conceito de ação social e suas tipologias de M. Weber; teoria organicista de Spencer.

c) Individualismo, fundado no liberalismo de vários autores dos séculos XVIII a XX; funcionalismo,
fundado no conceito e consciência coletiva de E. Durkheim; sociologia compreensiva, fundada no
conceito de ação social e suas tipologias de M. Weber.

d) Sociologia compreensiva, fundada no conceito de ação social e suas tipologias de M. Weber; teoria
da consciência de classe, fundada em K. Marx; funcionalismo, fundado no conceito dos três estados
de Augusto Comte.

e) Corporativismo positivista, fundado em Augusto Comte; individualismo, fundado no liberalismo de


vários autores dos séculos XVIII a XX; teoria da consciência de classe, fundada em K. Marx.

Questão 6

De acordo com Florestan Fernandes:

A concepção fundamental de ciência, de Émile Durkheim (1858-1917), é realista, no sentido de


defender o princípio segundo o qual nenhuma ciência é possível sem definição de um objeto próprio e
independente.

(FERNANDES, F. Fundamentos empíricos da explicação sociológica. Rio de Janeiro: Cia Éditora


Nacional, 1967. p. 73).

Assinale a alternativa que descreve o objeto próprio da Sociologia, segundo Emile Durkheim (1858-
1917).

a) O conflito de classe, base da divisão social e transformação do modo de produção.

b) O fato social, exterior e coercitivo em relação à vontade dos indivíduos.

c) A ação social que define as inter-relações compartilhadas de sentido entre os indivíduos.


d) A sociedade, produto da vontade e da ação de indivíduos que agem independentes uns dos outros.

e) A cultura, resultado das relações de produção e da divisão social do trabalho.

Questão 7

De acordo com Max Weber, a Sociologia significa: “uma ciência que pretende compreender
interpretativamente a ação social e assim explicá-la casualmente em seu curso e em seus efeitos.”
Por ação social entende-se as ações que: “quanto ao seu sentido visado pelo agente, se refere ao
comportamento dos outros, orientando-se por este em seu curso”.

(WEBER, M. Economia e sociedade. Traduzido por Regis Barbosa e Karen Elsabe Barbosa. vol. I.
Brasília: Editora UnB, 2000. p. 3.)

Com base no texto, considere as afirmativas a seguir:

I. “Mesmo entre gente humilde, porém, funcionava o sistema de obrigações recíprocas. O


nonagentário Nhô Samuel lembrava com saudade o dia em que o pai, sitiante perto de Tatuí, lhe
disse que era tempo de irem buscar a novilha dada pelo padrinho... Diz que era costume, se o pai
morria, o padrinho ajudar a comadre até ‘arranjar a vida’. Hoje, diz Nhô Roque, a gente paga o
batismo e, quando o afilhado cresce, nem vem dar louvado (pedir a benção)”.
(CANDIDO, A. Os Parceiros do Rio Bonito. São Paulo: Livraria Duas Cidades, 1982. p. 247.)

II. “O sertanejo é, antes de tudo, um forte. Não tem o raquitismo exaustivo dos mestiços
neurastênicos do litoral. A sua aparência, entretanto, ao primeiro lance de vista, revela o contrário.
Falta-lhe a plástica impecável, o desempeno, a estrutura corretíssima das organizações atléticas”.
(CUNHA, E. Os Sertões. São Paulo : Círculo do Livro, 1989. p. 95.)

III. “Não há assim por que considerar que as formas anacrônicas e remanescentes do escravismo,
ainda presentes nas relações de trabalho rural brasileiro, [...], dando com isso origem a relações
semifeudais que implicariam uma situação de ‘latifúndios de tipo senhorial a explorarem camponeses
ainda envolvidos em restrições da servidão da gleba’. Isso tudo não tem sentido na estrutura social
brasileira”.
(PRADO Jr., C. A Revolução Brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1987. p. 106.)

IV. “O coronel, antes de ser um líder político, é um líder econômico, não necessariamente, como se
diz sempre, o fazendeiro que manda nos seus agregados, empregados ou dependentes. O vínculo não
obedece a linhas tão simples, que se traduziriam no mero prolongamento do poder privado na
ordem pública [...] Ocorre que o coronel não manda porque tem riqueza, mas manda porque se lhe
reconhece esse poder, num pacto não escrito”.
(FAORO, R. Os donos do poder. v. 2. Porto Alegre: Editora Globo, 1973. p. 622.)

Correspondem ao conceito de ação social citado anteriormente somente as afirmativas


a) I e IV.
b) II e III.
c) II e IV.
d) I, II e III.
e) II, III e IV.

Questão 8

Segundo Braverman:

O mais antigo princípio inovador do modo capitalista de produção foi a divisão manufatureira do
trabalho [...] A divisão do trabalho na indústria capitalista não é de modo algum idêntica ao fenômeno
da distribuição de tarefas, ofícios ou especialidades da produção [...].

(BRAVERMAN, H. Trabalho e capital monopolista. Tradução Nathanael C. Caixeiro. Rio de Janeiro:


Zahar, 1981. p. 70.)

O que difere a divisão do trabalho na indústria capitalista das formas de distribuição anteriores do
trabalho?

a) A formação de associações de ofício que criaram o trabalho assalariado e a padronização de


processos industriais.

b) A realização de atividades produtivas sob a forma de unidades de famílias e mestres, o que


aumenta a produtividade do trabalho e a independência individual de cada trabalhador.

c) O exercício de atividades produtivas por meio da divisão do trabalho por idade e gênero, o que leva
à exclusão das mulheres do mercado de trabalho.

d) O controle do ritmo e da distribuição da produção pelo trabalhador, o que resulta em mais riqueza
para essa parcela da sociedade.

e) A subdivisão do trabalho de cada especialidade produtiva em operações limitadas, o que conduz ao


aumento da produtividade e à alienação do trabalhador.

Questão 9

Sobre a exploração do trabalho no capitalismo, segundo a teoria de Karl Marx (1818-1883), é correto
afirmar:

a) A lei da hora extra explica como os proprietários dos meios de produção se apropriam das horas
não pagas ao trabalhador, obtendo maior excedente no processo de produção das mercadorias.

b) A lei da mais-valia consiste nas horas extras trabalhadas após o horário contratado, que não são
pagas ao trabalhador pelos proprietários dos meios de produção.

c) A lei da mais-valia explica como o proprietário dos meios de produção extrai e se apropria do
excedente produzido pelo trabalhador, pagando-lhe apenas por uma parte das horas trabalhadas.

d) A lei da mais-valia é a garantia de que o trabalhador receberá o valor real do que produziu durante
a jornada de trabalho.

e) As horas extras trabalhadas após o expediente constituem-se na essência do processo de produção


de excedentes e da apropriação das mercadorias pelo proprietário dos meios de produção.

Questão 10

Max Weber, sociólogo alemão, conceituou três tipos ideais de dominação: dominação legal,
dominação tradicional e dominação carismática. São tipos ideais porque são construções conceituais
que o investigador utiliza para fazer aproximações entre a teoria e o mundo empírico.

Leia a seguir o trecho da Carta Testamento de Getúlio Vargas:

Sigo o destino que é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e
financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. Iniciei o trabalho de libertação e
instaurei o regime de liberdade social. Tive de renunciar. Voltei ao governo nos braços do povo.

(VARGAS, G. Carta Testamento. Disponivel em:


http://www.cpdoc.fgv.br/dhbd/verbetes_htm/5458_53.asp. Acesso em: 17 nov. 2007.)

Com base nos conhecimentos sobre os tipos ideais de dominação e levando em consideração o texto
citado e as características históricas e políticas do período, assinale a única alternativa que apresenta
a configuração correta do tipo de dominação exercida por Getúlio Vargas.

a) Dominação carismática e tradicional.


b) Dominação tradicional que se opõe à dominação carismática.
c) Dominação tradicional e legal.
d) Dominação legal e carismática.
e) Dominação legal que reforça a dominação tradicional.
Questão 11

Leia o texto a seguir:

Os partidos socialistas, com o apoio das classes trabalhadoras em expansão de seus países, e
inspirados pela crença na inevitabilidade histórica de sua vitória, representavam essa alternativa na
maioria dos Estados da Europa. Aparentemente, só era preciso um sinal para os povos se levantarem,
substituírem o capitalismo pelo socialismo, e com isso transformarem os sofrimentos sem sentido da
guerra mundial em alguma coisa mais positiva: as sangrentas dores e convulsões do parto de um
novo mundo. A Revolução Russa, ou mais precisamente, a Revolução Bolchevique de outubro de
1917, pretendeu dar ao mundo esse sinal. Tornou-se portanto tão fundamental para história [do
século XX] quanto a Revolução Francesa de 1789 para o século XIX.

(HOBSBAWM, Eric. Era dos extremos: o breve século XX, 1914-1991. São Paulo: Companhia das
Letras, 1995, p. 62.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, é correto afirmar que a Revolução Russa de
1917 é fundamental para a história do século XX porque

a) alterou radicalmente a organização da sociedade, da economia e do Estado, através da


mobilização de milhares de pessoas, camponeses e operários, que ocuparam o governo e iniciaram
novas experiências de organização e participação política, tornando-se referência para outros países
que realizaram suas revoluções.

b) produziu uma inversão no sentido das mudanças sociais, imprimindo um ritmo mais lento ao
processo de organização dos operários, camponeses e oprimidos, que ocuparam os espaços culturais,
regionais e civis, tornando-se modelo para as contrarrevoluções pacíficas e comunistas.

c) mudou a mentalidade do operariado, que passou a lutar mais pelas mudanças de direitos
individuais e menos pelos direitos universais e corporativos, levando os movimentos radicais a
disputarem os cargos dos governos em uma clara concordância com o “jogo democrático burguês”.

d) ajudou a criar estruturas de personalidades tolerantes com o curso do capitalismo que levaria
todos à igualdade social na proporção em que as agitações comunistas influenciassem os operários e
camponeses.

e) proporcionou a crença no direito positivo, na propriedade privada e nos processos de convulsão


social do mercado estratificado que, à semelhança da Revolução Francesa, estimularia a mobilidade e
ascensão social das burguesias pactuadas com os operários e camponeses.

Questão 12

No capitalismo, os trabalhadores produzem todos os objetos existentes no mercado, isto é, todas as


mercadorias; após havê-las produzido, entregam-nas aos proprietários dos meios de produção,
mediante um salário; os proprietários dos meios de produção vendem as mercadorias aos
comerciantes, que as colocam no mercado de consumo; e os trabalhadores ou produtores dessas
mercadorias, quando vão ao mercado de consumo, não conseguem comprá-las. [...] Embora os
diferentes trabalhadores saibam que produziram as diferentes mercadorias, não percebem que, como
classe social, produziram todas elas, isto é, que os produtores de tecidos, roupas, alimentos [...] são
membros da mesma classe social. Os trabalhadores se veem como indivíduos isolados [...], não se
reconhecem como produtores da riqueza e das coisas.

(CHAUÍ, M. Convite à Filosofia. 13 ed. São Paulo: Ática, 2004. p. 387.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre alienação e ideologia, considere as afirmativas a
seguir:

a) A consciência de classe para os trabalhadores resulta da vontade de cada trabalhador em superar


a situação de exploração em que se encontra sob o capitalismo.

b) É no mercado que a exploração do trabalhador torna-se explícita, favorecendo a formação da


ideologia de classe.

c) A ideologia da produção capitalista constitui-se de imagens e ideias que levam os indivíduos a


compreenderem a essência das relações sociais de produção.

d) As mercadorias apresentam-se de forma a explicitar as relações de classe e o vínculo entre o


trabalhador e o produto realizado.

e) O processo de não identificação do trabalhador com o produto de seu trabalho é o que se chama
alienação. A ideologia liga-se a este processo, ocultando as relações sociais que estruturam a
sociedade.

Questão 13

Dois são os lugares do planeta no firmamento, o aparente e o verdadeiro. O aparente é determinado


pela linha reta traçada do olho do observador pelo centro do planeta observado e o verdadeiro é
aquele marcado pela linha reta lançada do centro da terra pelo centro do planeta observado. A
paralaxe não é outra coisa que aquele espaço no céu (ângulo α) que está compreendido entre as
duas linhas, a do lugar aparente e a do lugar verdadeiro.
(Adaptado de: Carta de Galileu Galilei a Francisco Ingoli. São Paulo: Scientiae Studio. v. 3, n. 3, p.
481-482. 2005.)

A distinção entre “aparente” e “verdadeiro” no texto de Galileu Galilei é retomada, com outra
conotação, nas primeiras teorias sociológicas como, por exemplo, em Karl Marx (1818-1883) quando
formula uma definição própria de ideologia. Para este, tal noção supõe que na sociedade burguesa a
realidade dos fatos sociais contém a forma fenomênica (aparente) e a forma oculta
(verdadeira/essência), sendo a ideologia expressão da primeira.
Analise as afirmativas a seguir, identificando aquelas que, na perspectiva de Marx, constituem
exemplos de representação ideológica da realidade.

I. Os Estados nacionais continuam a ser o espaço no qual os interesses de classe se manifestam e


buscam sua representação. Mesmo com a globalização das economias eles se mantêm, em última
instância, como os Estados da classe dominante.

II. No Brasil, o conflito social se constituiu com a chegada ao território nacional dos imigrantes
europeus, sobretudo anarquistas, a partir do século XIX. Até então, a população brasileira era pacífica
e ordeira, mesmo quando sofredora.

III. Na produção capitalista o salário não representa uma troca igual entre capitalista e trabalhador, já
que o valor recebido pelo último equivale a um montante inferior àquele que ele produz na sua
jornada de trabalho.

IV. Nem todos são feitos para refletir, é preciso que haja sempre aqueles voltados ao exercício e à
cultura do pensamento e, inversamente, aqueles voltados à ação, ao trabalho manual.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e II são corretas.


b) Somente as afirmativas I e III são corretas.
c) Somente as afirmativas II e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, III e IV são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

Questão 14

Leia o texto a seguir:

A aluna Geisy Villa Nova Arruda, 20, não poderá mais frequentar o prédio em que estudava antes do
dia 22 de outubro, quando foi perseguida, encurralada, xingada e ameaçada por cerca de 700 alunos,
no campus de São Bernardo (de uma Universidade particular), alegadamente por causa do
microvestido que trajava.

(Adaptado de: Folha de São Paulo. (Universidade particular) decide “exilar” Geisy em outro prédio.
Caderno cotidiano, C1, 11 nov. 2009.)

A matéria refere-se a recente episódio, de repercussão nacional na mídia e que teve como desfecho a
readmissão da aluna à referida instituição, após o posicionamento da opinião pública.
Com base no texto e nos conhecimentos sobre o pensamento de Durkheim, é correto afirmar que o
acontecimento citado revelou
a) a consolidação de uma nova consciência coletiva, de bases amplas, representada pelos alunos da
referida instituição.

b) o desprezo da consciência coletiva dominante na sociedade em relação aos destinos individuais, no


caso, à aluna que foi alvo dos ataques dos estudantes.

c) a força da consciência coletiva da sociedade que se impôs aos comportamentos morais desviantes
com a finalidade de resgatar a harmonia social, preservando as instituições.

d) a presença de um quadro de profunda anomia social e o quanto os valores sociais de decência


foram perdidos pela consciência coletiva que se posicionou favoravelmente à estudante.

e) o perigo representado pela presença de uma consciência coletiva forte e majoritária atuando como
obstáculo para o desenvolvimento da vida social sadia ao impedir que alguns indivíduos defendessem
os melhores valores morais.

Questão 15

A questão das classes sociais na Sociologia tem diferentes formas de explicação. Dentre as
explicações clássicas, as de Marx e Weber. Atualmente encontramos estudiosos que analisam a
estrutura social brasileira de diferentes maneiras:

I. A Classe C é a classe central, abaixo da A e B e acima da D e E. [...] a faixa C central está


compreendida entre os R$ 1.064 e os R$ 4.561 a preços de hoje na grande São Paulo. A nossa classe
C está compreendida entre os imediatamente acima dos 50% mais pobres e os 10% mais ricos na
virada do século. [...] A nossa classe C aufere em média a renda média da sociedade, ou seja, é
classe média no sentido estatístico. A classe C é a imagem mais próxima da média da sociedade
brasileira. Dada a desigualdade, a renda média brasileira é alta em relação aos estratos inferiores da
distribuição.

(Adaptado de: NERI, M. C.; COUTINHO DE MELO, L. C. (coordenadores). Miséria e a nova classe média
na década da igualdade. Rio de Janeiro: FGV/IBRE, CPS, 2008, p. 34-35.)

II. A reorganização do processo de acumulação no Brasil [após os anos de 1990] acarreta


consequências imediatas nas relações sociais, no trabalho, no emprego e nas classes sociais dele
resultantes. Assim, podemos concordar que o operariado industrial perdeu o seu peso relativo na
nossa sociedade [...]. É certo que a classe trabalhadora
[...] se multiplicou em diferentes grupos sociais, uns talvez mais atomizados ou desorganizados [...].
Também percebe-se, [...] que houve um processo de financeirização da classe hegemônica brasileira,
que acabou reduzindo ainda mais os setores dominantes, sobretudo entre os banqueiros, as
multinacionais e os grupos econômicos,
mesclados entre si com o capital financeiro e o capital internacional.

(Adaptado de: OLIVEIRA, F. et al. Classes sociais em mudança e a luta pelo socialismo.
São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2002, p. 27-28.)

Considerando as duas teorias e os dois tipos de análise dos estudiosos, é correto afirmar que as
análises de

a) I e II concordam com Max Weber simultaneamente.


b) I e II concordam com Karl Marx simultaneamente.
c) II concorda com Max Weber e as de I com Karl Marx.
d) I e II discordam igualmente com Karl Marx e com Max Weber.
e) II concorda com Karl Marx e as de I concordam com Max Weber.

Questão 16

Ao separar completamente o patrão e o empregado, a grande indústria modificou as relações de


trabalho e apartou os membros das famílias, antes que os interesses em conflito conseguissem
estabelecer um novo equilíbrio. Se a função da divisão do trabalho falha, a anomia e o perigo da
desintegração ameaça todo o corpo social e quando o indivíduo, absorvido por sua tarefa se isola em
sua atividade especial, já não percebe os colaboradores que trabalham ao seu lado e na mesma obra,
nem sequer tem ideia dessa obra comum.
(DURKHEIM, E. A Divisão Social do Trabalho. Apud QUINTEIRO, T.; BARBOSA, M. L. O.; OLIVEIRA, M. G.
M. Toque de Clássicos. vol 1. Durkheim, Marx e Weber. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2007. p. 91.)

Assinale a alternativa que corretamente define a função moral da divisão do trabalho social segundo
E. Durkheim.

a) Ampliar a anomia social.


b) Estimular o conflito de classes.
c) Promover a consciência de classe.
d) Estreitar os laços de solidariedade social.
e) Reproduzir formas de alienação social.

Questão 17

Ao separar completamente o patrão e o empregado, a grande indústria modificou as relações de


trabalho e apartou os membros das famílias, antes que os interesses em conflito conseguissem
estabelecer um novo equilíbrio. Se a função da divisão do trabalho falha, a anomia e o perigo da
desintegração ameaça todo o corpo social e quando o indivíduo, absorvido por sua tarefa se isola em
sua atividade especial, já não percebe
os colaboradores que trabalham ao seu lado e na mesma obra, nem sequer tem ideia dessa obra
comum.
(DURKHEIM, E. A Divisão Social do Trabalho. Apud QUINTEIRO, T.; BARBOSA, M. L. O.; OLIVEIRA, M. G.
M. Toque de Clássicos. vol 1. Durkheim, Marx e Weber. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2007. p. 91.)

De acordo com K. Marx, uma situação semelhante à descrita no texto, em que trabalhadores isolados
em suas tarefas no processo produtivo “não percebem seus colaboradores na mesma obra, nem tem
ideia dessa obra comum”, é explicada pelo conceito de:

a) Alienação.
b) Ideologia.
c) Estratificação.
d) Anomia social.
e) Identidade social.

Questão 18

Leia o texto a seguir:

O sistema Linux é um artesanato público. O kernel (núcleo de software) do código Linux está
disponível a todos, pode ser utilizado e adaptado por qualquer um: as pessoas se oferecem
voluntariamente e doam seu tempo para aperfeiçoá-lo. O Linux contrasta com o código utilizado na
Microsoft, cujos segredos até recentemente eram entesourados como propriedade intelectual de uma
só empresa. [...] Ao ser criado na década de 1990, o Linux tentava resgatar um pouco do espírito de
aventura dos primeiros dias da informática
na década de 1970. Ao longo dessas duas décadas, a indústria de software metamorfoseou-se em
pouco tempo num conjunto de poucas empresas dominantes, adquirindo o controle de concorrentes
menores ou expulsando-os do mercado. Nessa dinâmica, os monopólios pareciam fabricar em série
produtos cada vez mais medíocres.

(SENNET, R. O Artífice. Rio de Janeiro: Record, 2009, p.35.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, é correto afirmar:

a) As configurações dos processos de invenção no mercado da informática não dependem da lógica


de acumulação capitalista, pois se miram nos princípios de liberdade e de simetria nas formas de
apropriação.

b) Os processos de criação e produção de conhecimentos e produtos na era da revolução


microeletrônica não são neutros, pois podem ocorrer segundo a lógica da acumulação privada ou da
lógica da apropriação pública.

c) Os modos de apropriação dos softwares e seus códigos passam pela garantia de inovação,
revolução e acumulação de conhecimentos que eles comportam, pois são esses elementos que
determinam seu uso social.

d) As formas de circulação e de acesso aos produtos diretamente ligados aos progressos da


informática não estão subordinadas aos processos e engenharias que hierarquizam os detentores e
não detentores do capital.

e) Os sistemas de elaboração de técnicas e mecanismos no meio virtual são indiferentes em suas


formas de aplicação seguindo lógicas distintas, mas que convergem para a apropriação pública dos
processos e resultados.

Questão 19

Partindo dos princípios da lei da mais-valia absoluta e relativa em Marx, um industrial, para aumentar
seus lucros deve

a) investir em novas tecnologias e diminuir a jornada de trabalho dos empregados, intensificando o


ritmo e diminuindo a quantidade de horas de produção, com aumento de salários.

b) ampliar a jornada de trabalho dos empregados, intensificando o ritmo e aumentando a quantidade


de horas de produção, com aumento de salários.

c) investir em novas tecnologias, diminuindo o ritmo e a quantidade de horas de produção, sem


aumento de salários, pois as novas tecnologias são suficientes para aumentar os lucros.

d) aumentar o tempo das horas extras do empregados, com aumento de salários, estimulando a
melhoria do ritmo e da intensidade da produção sem introdução de novas tecnologias.

e) investir em novas tecnologias e ampliar a jornada de trabalho dos empregados, intensificando o


ritmo e aumentando a quantidade de horas de produção, sem aumento de salários.

Questão 20

"Segundo Durkheim, a divisão do trabalho deveria, em geral, provocar uma relação de cooperação e
de solidariedade entre os homens. No entanto, como as transformações socioeconômicas ocorriam
velozmente nas sociedades europeias, inexistia, ainda, de acordo com ele, um novo e eficiente
conjunto de ideias morais que pudesse guiar o comportamento dos indivíduos. Tal fato dificultava o
'bom funcionamento' da sociedade."
MARTINS, Carlos B. O que é Sociologia? 28 ed. São Paulo: Brasiliense, 1991. p. 48

Com base na concepção do sociólogo francês Émile Durkheim, a respeito da noção de divisão social
do trabalho, assinale a alternativa CORRETA.

A) A solidariedade mecânica cumpre a função de proporcionar coesão a sociedades. Essas, por sua
vez, revelam-se cada vez mais heterogêneas, em consequência de processos de divisão social do
trabalho e de complexificação social.

B) A consciência coletiva, entendida como a totalidade de crenças e sentimentos comuns à maior


parte dos membros de uma dada sociedade, é a fonte primordial de solidariedade nas sociedades
modernas industriais.

C) A divisão social do trabalho assumiu, nas sociedades modernas industriais, o papel, até então,
exercido pela consciência coletiva nas sociedades primitivas, proporcionando-lhes laços de
solidariedade de tipo orgânico.

D) A solidariedade orgânica, da qual deriva a consciência coletiva preponderante nas sociedades


primitivas, é o conjunto de crenças comuns à média dos membros de uma mesma sociedade.

Questão 21

“Pode-se sintetizar, dizendo que a dialética apanha principalmente relações, processos e estruturas.
Apanha os fatos enquanto nexos de relações sociais, relações essas que os constituem. É na trama
das relações sociais que os indivíduos se constituem como operário e burguês, professor ou aluno, pai
ou filho. A mercadoria não é tal por si, em si; mas pelas relações sociais estabelecidas entre
produtores, vendedores e compradores”.

IANNI, Otávio. Dialética e Capitalismo – Ensaio sobre o Pensamento de Marx. 3 ed. Petrópolis Vozes,
1988. p. 145
.
A partir do trecho e da análise de Karl Marx acerca do capitalismo, assinale a alternativa INCORRETA.

A) Dimensões econômicas, ideológicas e até familiares são, intrinsecamente, relacionais, o que exige,
em alguma medida, legitimidade para existirem.

B) Dentre os fenômenos sociais capitalistas, um, pelo menos, está imune à mercantilização: o Estado,
por ser uma esfera pública de realização do bem comum.

C) As relações sociais que produzem a forma mercadoria supõem uma separação reiterada entre
produtores diretos e meios de produção.

D) A esfera jurídica no capitalismo comporta a ampliação de direitos civis, políticos e sociais, mas não
o horizonte da supressão da propriedade privada.
Questão 22

Segundo Max Weber, “Uma economia racional é uma organização funcional orientada para os preços
monetários que se originam nas lutas de interesse dos homens no mercado. [...] Quanto mais o
mundo da economia capitalista moderna segue suas próprias leis imanentes, tanto menos acessível é
a qualquer relação imaginável com uma ética religiosa de fraternidade. Quanto mais racional, e
portanto impessoal, se torna o capitalismo, tanto mais ocorre isso.”

WEBER, Max. Ensaios de sociologia. 5 ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan, 1982. pp. 379-380.

Com base nos preceitos teóricos da sociologia de Max Weber, assinale a alternativa CORRETA.

A) Relações sociais de tipo carismático são as peças-chave das organizações burocráticas modernas,
na medida em que se assentam em bases afetivas e emocionais.

B) Diferentemente da ação racional referente a valores, a ação racional referente a fins é aquela em
que o agente se orienta com base na crença e na santidade das tradições.

C) O processo de desencantamento do mundo é o resultado inexorável da crescente importância das


éticas religiosas nas sociedades modernas ocidentais, tais como o catolicismo e o protestantismo.

D) Dentre todas as éticas das religiões mundiais, a ética protestante revelou-se a mais fundamental
para a formação e a consolidação do tipo de racionalidade preponderante nas sociedades modernas
ocidentais.

Questão 23

Segundo Durkheim, o crime é um fato social presente em toda sociedade. Para esse autor, nem todo
o crime é anômico, mas apenas aquele que corresponde a uma crise de coesão social.

De acordo com essas informações, marque a alternativa correta sobre anomia em Durkheim.

A) Conceito que descreve a ocorrência, nas sociedades modernas, industrializadas, de um estado de


complementaridade e interdependência entre os indivíduos, o que leva a uma menor divisão do
trabalho social e ao fortalecimento das instituições sociais.

B) Ocorre, quando há, nas sociedades modernas, com seus intensos processos de mudança, uma
situação em que o conjunto de regras, valores e procedimentos é reconhecido por todos os
indivíduos, levando ao desenvolvimento da sociedade.

C) Descreve os sentimentos de falta de objetivos e de desespero, provocados pelo processo de


mudanças do mundo moderno, os quais resultam no enfraquecimento da influência das normas
sociais sobre o comportamento individual.
D) Ocorre, quando os sentimentos de falta de objetivos e de desespero, provocados pelo processo de
mudanças do mundo moderno, resultam no fortalecimento da coesão social e no fortalecimento da
influência das normas sociais sobre o comportamento individual.

Questão 24

“Ao longo da última década, os hackers passaram por uma transformação gradual – de uma
população pouco conhecida de entusiastas em computação a um grupo de desviantes, alvo de
maledicência, que se acredita venha a ameaçar a própria estabilidade da era da informação.”

GIDDENS, Anthony. Sociologia. Porto Alegre: Artmed, 2005. p.172.

Em sua análise do ato criminoso, Durkheim vinculou-o à consciência coletiva e às suas


manifestações na vida social.

De acordo com o pensamento desse autor, marque a alternativa INCORRETA.

A) A consciência coletiva abrange estados fortes e definidos de pensamento e sentimento


compartilhados. Um ato é criminoso quando ofende esses estados da consciência coletiva.

B) A consciência coletiva refere-se ao conjunto das crenças e dos sentimentos comuns à média dos
membros de uma sociedade. A classificação de um ato como criminoso não depende das consciências
particulares.

C) A consciência coletiva, na modernidade, recobre toda consciência individual, anulando-a. A noção


de ato criminoso está presente em todos os indivíduos mentalmente normais.

D) A consciência coletiva corresponde, de certa forma, à moral vigente na sociedade. Um ato não é
reprovado por ser criminoso, mas é criminoso por ser reprovado.

Questão 25

Analise as informações descritas abaixo e, a seguir, faça o que se pede.

1 - Colisão involuntária entre dois automóveis.


2 - Homem mata sua esposa levado por súbito sentimento de ciúmes.
3 - Pessoas reverenciam a rainha, de acordo com os costumes do país.
4 - Soldados tomam o quartel inimigo cumprindo ordens do comandante.
5 - Devotos oram publicamente convictos de sua salvação eterna.

Essas informações exemplificam diferentes tipos de ação, de acordo com a teoria sociológica de Max
Weber.

Marque a ÚNICA alternativa que aponta as informações, as quais descrevem, respectivamente, uma
ação não-racional e uma ação racional com relação a fins.

A) As informações 1 e 5.
B) As informações 2 e 3.
C) As informações 2 e 5.
D) As informações 1 e 4.

Questão 26

Entre os fatores históricos responsáveis pela formação da Sociologia como ciência da vida social,
destaca-se o fator da dinâmica do próprio “sistema de ciências”.

A respeito desse fator, marque a alternativa INCORRETA.

A) No século XIX, o conceito de leis deterministas, característico do modelo newtoniano de ciência,


tornara-se paradigma dominante no mundo do conhecimento, mas, aplicado ao conhecimento da
sociedade, não se afigurava útil à defesa da ordem vigente.

B) A formação das ciências sociais no mundo moderno está ligada à concepção, segundo a qual, os
métodos das ciências da natureza deviam e podiam ser estendidos aos estudos das questões
humanas e sociais.

C) A formação das ciências sociais no mundo moderno está ligada à concepção, segundo a qual, os
fenômenos sociais podiam ser classificados e medidos.

D) No século XIX, as ciências naturais, fundadas em um trabalho experimental e empírico, chamaram


para si uma legitimidade sociointelectual, influenciando a distinção entre conhecimento científico da
sociedade e conhecimento filosófico da sociedade.

Questão 27

Émile Durkheim (1858-1917) introduz no primeiro capítulo da sua obra As regras do método
sociológico o conceito de:

a) caos social.
b) realidade social.
c) fato social.
d) arrogância social.
e) ganância social.

Questão 28

O modo de produção que se caracteriza pela relação entre trabalho assalariado e capital é
definido como modo de produção:

a) asiático.
b) camponês.
c) feudal.
d) capitalista.
e) socialista.

Questão 29

Enumere a segunda coluna, de acordo com a primeira, relacionando as obras com seus respectivos
autores e em seguida marque a opção que contém a sequência correta da segunda coluna.

Primeira coluna Segunda coluna


(1) O suicídio ( ) Karl Marx (1818 - 1883)
(2) A ética protestante e o ( ) Émile Durkheim (1858 -
espírito do capitalismo 1927)
(3) O capital ( ) Max Weber (1864 - 1920)

a) 3, 1, 2
b) 2, 3, 1
c) 1, 2, 3
d) 2, 1, 3
e) 3, 2, 1
Questão 30

Na concepção de Weber, a política é uma atividade geral do ser humano. A atividade política se
desenvolve no interior de um território delimitado e a autoridade política reivindica o direito de
domínio, ou seja, o direito de poder usar a força para se fazer obedecer. Se há obediência às ordens,
ocorre uma situação de dominação.

Sobre os tipos de dominação, assinale a alternativa correta.

A) A dominação legal racional é a mais impessoal, pois se baseia na aplicação de regras gerais aos
casos particulares.

B) O patrimonialismo é o tipo mais característico de dominação legal racional.

C) A forma mais típica de dominação tradicional é a burocracia.

D) A dominação carismática constitui um tipo bastante comum de poderio, na medida em que se


baseia na crença em qualidades pessoais corriqueiras.

Questão 31

O conceito de Estado não é consensual na sociologia e, conforme a abordagem teórica adotada,


pode-se refletir sobre um tipo específico de Estado.

A partir dessa afirmação, assinale a alternativa correta.

A) Para Weber, o Estado é racional e estruturado a partir dos interesses privados na organização e
gestão da administração burocrática.

B) O Estado como aparato de interesse de classes nas sociedades capitalistas é a principal


contribuição de Weber ao tema.

C) O Estado como agente garantidor da organização moral e o Estado subordinado à sociedade são
duas características para se pensar o conceito em Durkheim, ou seja, o autor trata o Estado como
fato social.

D) O Estado marcado pelos interesses de classes caracteriza o único fator comum do conceito entre
Marx, Weber e Durkheim.
Questão 32

Émile Durkheim e Max Weber são dois dos principais sociólogos presentes na formação e no
estabelecimento da sociologia como conhecimento científico. O primeiro, pela construção do fato
social como objeto central da sociologia, e o segundo, pela criação do tipo ideal como recurso para
compreender as ações sociais, suas motivações e sentidos.

Assim, é correto afirmar que:

A) o fato social tem sua principal caracterização na neutralidade axiológica.

B) fato social e tipo ideal são conceitos fundamentais para a compreensão do método sociológico,
respectivamente, em Durkheim e Weber.

C) a sociologia como campo do conhecimento dentro das ciências sociais não requer método para sua
produção de conhecimento.

D) Marx, em sintonia com Weber e Durkheim, considera que o valor do pesquisador faz parte do
desenvolvimento da pesquisa, eliminando a possibilidade de metodologia para a pesquisa sociológica.

Questão 33

De acordo com Durkheim, para se garantir a objetividade do método científico sociológico, torna-se
necessário que o pesquisador mantenha certa distância e neutralidade em relação aos fatos sociais,
os quais devem ser tratados como “coisas”.

Considerando a frase anterior, assinale a alternativa correta sobre fato social.

A) Corresponde a um conjunto de normas e valores que são criados diretamente pelos indivíduos para
orientar a vida em sociedade.

B) Corresponde a um conjunto de normas e valores criados exteriormente, isto é, fora das


consciências individuais.

C) É desprovido de caráter coercitivo, uma vez que existe fora das consciências individuais.

D) É um fenômeno social difundido apenas nas sociedades cuja forma de solidariedade é orgânica.
Questão 34

Segundo Marx, o fator fundamental do desenvolvimento social assenta-se nas contradições da vida
material, na luta entre as forças produtivas da sociedade e as relações sociais de produção que lhe
correspondem.

Analisando a frase acima, assinale a alternativa correta sobre as relações sociais de produção e
forças produtivas em Marx.

A) Dizem respeito às relações sociais que os homens estabelecem entre si para utilizar os meios de
produção, transformando a si mesmos e a natureza.

B) Correspondem às relações entre os homens no âmbito estritamente econômico posto que a esfera
econômica determina a estrutura social.

C) Dizem respeito às ações individuais dos homens no livre mercado, o qual é marcado pelas leis de
oferta e procura.

D) Correspondem a uma relação social definida pela lógica do mercado, na qual os homens orientam
individualmente suas ações em um determinado sentido.

Questão 35

Segundo Durkheim, o crime é um fato social presente em toda sociedade. Para o autor, nem todo
crime é anômico, mas apenas aquele que corresponde a uma crise de coesão social.

A partir do exposto anteriormente, assinale a alternativa correta sobre o significado de anomia social
em Durkheim.

A) Ocorre quando há, nas sociedades modernas, com seus intensos processos de mudança, uma
situação em que o conjunto de regras, valores e procedimentos são reconhecidos por todos os
indivíduos, levando ao desenvolvimento da sociedade.

B) Conceito que descreve os sentimentos de falta de objetivos e de desespero provocados pelo


processo de mudanças do mundo moderno, os quais resultam na perda da influência das normas
sociais sobre o comportamento individual.

C) Conceito que descreve a ocorrência, nas sociedades modernas, com seus intensos processos de
mudança, de um estado de complementaridade e interdependência entre os indivíduos, o que leva a
uma menor divisão do trabalho social e ao fortalecimento das instituições sociais.

D) Ocorre quando os sentimentos de falta de objetivos e de desespero provocados pelo processo de


mudanças do mundo moderno resultam no fortalecimento da coesão social e da influência das
normas sociais sobre o comportamento individual.

Questão 36

Ao tratar do método utilizado por Karl Marx para compor O Capital, Jacob Gorender afirma que “[...]
Marx não partiu do conceito de valor, mas da mercadoria, isto é, da célula germinativa do modo de
produção capitalista”.

Diante do exposto e dos seus conhecimentos acerca da obra desse teórico, assinale a alternativa
INCORRETA.

A) O fetiche da mercadoria reflete aos homens as características sociais do seu trabalho como se
fossem propriedades do próprio produto. Por este motivo, o fetiche da mercadoria provém de seu
valor de uso.

B) O valor de uso é o suporte físico do valor das mercadorias.

C) O caráter duplo do valor de uso e do valor de troca resulta do caráter também do próprio trabalho
que o produz: trabalho concreto e trabalho abstrato.

D) Na sociedade capitalista, a riqueza pode ser compreendida como uma imensa coleção de
mercadorias.

Questão 37

Conforme Aranha e Martins, o materialismo de Karl Marx diferencia-se do materialismo mecanicista.


Analisando estas diferenças as autoras concluem:

"[...] segundo o materialismo dialético, o espírito não é consequência passiva da ação da matéria,
podendo reagir sobre aquilo que determina. Ou seja o conhecimento do determinismo liberta o
homem por meio da ação deste sobre o mundo, possibilitando inclusive a ação revolucionária."

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando. São Paulo, Ed. Moderna,
2000, p. 241.

Com base em seus conhecimentos e nas informações, assinale a alternativa correta.

A) Diferentemente dos idealistas, Marx considera que as manifestações espirituais humanas derivam
da estrutura material ou econômica da sociedade, mas não de modo absoluto, pois o espírito pode se
libertar.

B) Como em Marx, a estrutura material ou econômica determina as manifestações do espírito, que


será, em consequência, sempre passivo diante desta estrutura.

C) Marx entende que o espírito é resultado da estrutura material ou econômica da sociedade, por isso
jamais pode modificá-la.

D) A dialética materialista de Marx sintetiza os momentos da realização da razão na história e não o


agir histórico que realiza os conteúdos da razão.

Questão 38

“Alegando ver ‘um conjunto de regras diabólicas’ e lembrando que ‘a desgraça humana começou por
causa da mulher’, um juiz de Sete Lagoas (MG) considerou inconstitucional a Lei Maria da Penha e
rejeitou pedidos de medidas contra homens que agrediram e ameaçaram suas companheiras.” (Folha
de S. Paulo, 21 de outubro de 2007).

O trecho supracitado refere-se à temática da violência contra a mulher. Tendo como referência a
sociologia de Èmile Durkheim e sua concepção de sociedade, podemos afirmar que a violência contra
a mulher é:

A) um fenômeno de ordem sagrada, uma regra divina, como forma de punição à mulher face à sua
culpa pela expulsão dos humanos do Jardim do Éden.

B) um fenômeno natural, originado nas diferenças biológicas entre homens e mulheres, as quais
instituem a superioridade masculina e a fragilidade feminina.

C) um fenômeno moral, embasado em padrões socialmente estabelecidos, os quais regulam as


relações sociais entre homens e mulheres.

D) consequência de um desequilíbrio emocional na personalidade masculina, o que requer tratamento


individual com profissionais especializados.

Questão 39

“A polícia da república, como toda a gente sabe, é paternal e compassiva no tratamento das pessoas
humildes que dela necessitam; e, sempre, quer trate de humilde, quer de poderosos, a velha
instituição cumpre religiosamente a lei. Vem-lhe daí o respeito que aos políticos os seus empregados
tributam e a procura que ela merece desses homens, quase sempre interessados no cumprimento
das leis que discutem e votam.”
BARRETO, L. Como o “homem” chegou. Em: Contos reunidos. Belo Horizonte: Crisálida, 2005. p. 72.

Considerando o tom irônico da citação, assinale o que for correto.

01) Do ponto de vista sociológico, há uma relação direta entre criminalidade e pobreza, pois as
pessoas de baixa renda são mais propensas à violência.
02) Para a perspectiva marxista, o Estado moderno pode ser compreendido como uma organização
política que representa os interesses das classes dominantes.
04) O problema da criminalidade, de acordo com as teorias sociais, advém de distúrbios mentais que
motivam condutas impróprias a qualquer sociedade.
08) Do ponto de vista sociológico, o Estado moderno pode ser analisado como um modo de
dominação que é considerado legítimo pela sociedade.
16) Para a sociologia brasileira, os recentes programas de assistência social permitiram ao Estado
superar as desigualdades e injustiças sociais.

Questão 40

“No Brasil, todos os homens, no ano em que completam 18 anos de idade, são obrigados ao
alistamento militar. Caso essa obrigação não seja observada, o jovem é considerado ‘refratário’ e,
nessa condição, não receberá o certificado de reservista, documento exigido para tirar título de
eleitor ou passaporte, prestar concurso público, abrir conta bancária ou matricular-se na
universidade. Os selecionados para o serviço militar obrigatório que não se apresentarem tornam-se
‘insubmissos’, sujeitos às penalidades previstas pela justiça militar.”
CASTRO, C. A resistência à implantação do serviço militar obrigatório no Brasil. Em: GOMES, A. C.
(coord.). Direitos e Cidadania: justiça, poder e mídia. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007. p. 239.

Considerando o texto, assinale o que for correto sobre o tema das instituições sociais.

01) O alistamento militar promove um tipo de coerção social que impõe aos jovens o ingresso no
serviço militar.
02) Aqueles que desobedecem à obrigatoriedade do serviço militar sofrem imposição de limites para
o exercício de uma cidadania plena, como a que permite aos jovens participarem dos processos
eleitorais.
04) A condição de alistado, refratário ou insubmisso é uma escolha possível para todos os jovens que
devem, ao completarem 18 anos, alistar-se no serviço militar, revelando a dimensão individual e
social de nossas escolhas diante de regras que são criadas por instituições.
08) As regras que criam a obrigatoriedade do serviço militar exemplificam que o Estado usa suas
instituições para garantir que as vontades individuais sejam respeitadas.
16) Para os jovens brasileiros, a universalização da exigência de certificado de reservista condiciona,
inclusive, a possibilidade de continuar os estudos na fase da vida em que o desejarem.