Você está na página 1de 3

Sintaxe da oração

 Dependendo do tipo do verbo, o predicado é diferente.

 A frase mais simples é composta de sujeito e predicado.

 Há verbos que necessitam de um complemento que integre ou complete sua significação


(transitivos) e os que dispensam qualquer complemento (intransitivo). Essa necessidade ou não de
um verbo ter um complemento e o tipo de complemento exige o estabelecimento de cinco padrões
frasais:

 Os 5 tipos de padrões frasais:

I. Sujeito + verbo transitivo


II. Sujeito + verbo transitivo + OD + AA
III. Sujeito + verbo transitivo + OI + AA
IV. Sujeito + verbo transitivo + OD + OI + AA
V. Sujeito + verbo de ligação + predicativo + AA

Verbo
De ação intransitivo
Verbo transitivo direto
Verbo Verbo
transitivo
Verbo transitivo indireto
De ligação
Verbo transitivo direto e

Predicado

 Predicado é o termo da oração que traz a informação sobre o sujeito.

 Ele é tudo o que não é o sujeito.

 Predicado verbal: quando há presença de verbo transitivo direto ou indireto, que sempre indiquem
ação. Nesse caso, o verbo é o sujeito.

 Predicado nominal: quando há presença de um verbo de ligação. Isso quer dizer que o
predicado será uma qualidade ou estado do sujeito, e não uma ação como no caso anterior. 

 Predicado verbo-nominal: quando há presença de dois núcleos, um sendo verbo e o outro


sendo o nome.

 Predicativo: é o termo que confere ao sujeito ou ao objeto uma qualidade ou característica.


Geralmente é por meio de um verbo de ligação.
Exemplos: Sujeito: O deputado.

1. O deputado permaneceu em silêncio.  Predicado: permaneceu em silêncio.

Verbo de ligação: permaneceu.

Predicativo do sujeito: em silêncio.

Sujeito: o chefe
2. O chefe ouviu tudo calado.
Predicado: ouviu tudo calado.

Predicativo do sujeito: calado

Objeto

 Objeto direto e indireto são complementos verbais que completam o sentido dos verbos
transitivos. 

 Objeto direto: é o complemento que se liga ao verbo transitivo sem auxílio de preposição.

Pergunta: o que?
Quem?
 Objeto indireto: é o complemento que se liga ao verbo transitivo através de uma preposição. Ele
inicia pela preposição.

Pergunta: a quem? A que? De quê? Para quê? De quem? Para


quem?

Exemplos:

1. João informou o incidente ao cliente. (“o incidente” é objeto direto, “ao cliente” é objeto
indireto).

2. Ana emprestou o livro ao colega. (“o livro” é objeto direto, “ao colega” é objeto indireto).

3. Prefiro doce a salgado. (“doce” é objeto direto, "a salgado" é objeto indireto)
Adjunto adverbial
(AA)

 O adjunto adverbial é o termo que se refere ao verbo, ao adjetivo e ao advérbio.

 Vem no final da frase e por isso, não muda sua estrutura.

 Tem como função indicar uma circunstância: lugar, tempo, modo, meio, causa, finalidade,
intensidade, frequência, companhia...

Exemplos:

1. Adjunto adverbial indicando lugar: Eu estudei na sala.

2. Adjunto adverbial indicando tempo: Eu estudei ontem.

3. Adjunto adverbial indicando modo: Eu estudei concentradamente.

4. Adjunto adverbial indicando intensidade: Eu estudei pouco.

5. Adjunto adverbial indicando companhia: Eu estudei com a Milena.

6. Adjunto adverbial indicando frequência: Eu estudei todos os dias.

7. Adjunto adverbial indicando finalidade: Eu estudei para o teste. 

Complemento nominal

 É responsável por completar o sentido de um nome (substantivo, adjetivos ou advérbios) contido


na oração com o uso de preposições. Ou seja, é ligado ao nome por meio de uma preposição.

Exemplos:

1. Frituras fazem mal ao fígado (“ao fígado” completa o adjetivo “mal”).

2. Estamos ansiosos com a sua chegada (“com a sua chegada” completa o sentido de
“ansiosos”).

3. Alguém tem notícias dela? (“dela” completa o sentido do substantivo “notícias”).