Você está na página 1de 11

Material Digital do Professor

Ciências – 9º ano
1º bimestre – Sequência didática 3

Biodiversidade e recursos naturais


Duração: 3 aulas
Referência do Livro do Estudante: Unidade 1, Capítulo 5

Relevância para a aprendizagem


Nesta sequência didática, o objetivo é compreender o conceito de biodiversidade e como as
unidades de conservação podem favorecer a preservação ambiental. Além disso, os estudantes serão
levados a refletir a respeito de como o conflito de interesses de diferentes atores sociais pode impactar
a preservação ambiental. Esses conceitos serão trabalhados por meio de discussões orais, exibição de
material audiovisual (se possível), pesquisas em grupo, estudo de meio (se possível) e elaboração de
cartazes, além de debate com representação de diferentes atores sociais.

Com esse aprendizado, os estudantes poderão compreender a importância da preservação


ambiental e refletir sobre a complexidade de fatores e os conflitos de interesse envolvidos no
estabelecimento de unidades de conservação. Esta sequência didática permite aos estudantes analisar
o mundo natural e fazer perguntas sobre ele com fundamento em informações confiáveis, levantando
argumentos lógicos que promovam a consciência socioambiental. Essa tomada de consciência pode
impactar as decisões futuras dos estudantes a respeito de atitudes que envolvam a preservação de
recursos naturais.

Objetivos de aprendizagem
• Desenvolver o conceito de biodiversidade.
• Entender a importância da preservação da biodiversidade.
• Compreender a classificação dos tipos de unidade de conservação.
• Relacionar a preservação da biodiversidade com o estabelecimento de unidades de
conservação.
• Entender os conflitos de interesse de diferentes atores sociais que podem impactar a
preservação do meio ambiente.
Material Digital do Professor
Ciências – 9º ano
1º bimestre – Sequência didática 3

Competências gerais e específicas (BNCC)


Competências
1. Valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente construídos sobre o mundo
físico, social, cultural e digital para entender e explicar a realidade, continuar
aprendendo e colaborar para a construção de uma sociedade justa, democrática e
inclusiva.
4. Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e
escrita), corporal, visual, sonora e digital –, bem como conhecimentos das
linguagens artística, matemática e científica, para se expressar e partilhar
Gerais
informações, experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir
sentidos que levem ao entendimento mútuo.
9. Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação, fazendo-
se respeitar e promovendo o respeito ao outro e aos direitos humanos, com
acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus
saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de qualquer
natureza.
1. Compreender as Ciências da Natureza como empreendimento humano, e o
conhecimento científico como provisório, cultural e histórico.
3. Analisar, compreender e explicar características, fenômenos e processos
relativos ao mundo natural, social e tecnológico (incluindo o digital), como também
as relações que se estabelecem entre eles, exercitando a curiosidade para fazer
perguntas, buscar respostas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos
conhecimentos das Ciências da Natureza.
Específicas 4. Avaliar aplicações e implicações políticas, socioambientais e culturais da ciência
e de suas tecnologias para propor alternativas aos desafios do mundo
contemporâneo, incluindo aqueles relativos ao mundo do trabalho.
5. Construir argumentos com base em dados, evidências e informações confiáveis e
negociar e defender ideias e pontos de vista que promovam a consciência
socioambiental e o respeito a si próprio e ao outro, acolhendo e valorizando a
diversidade de indivíduos e de grupos sociais, sem preconceitos de qualquer
natureza.

Objeto de conhecimento e habilidades (BNCC)


Objeto de conhecimento Habilidades
(EF09CI12) Justificar a importância das unidades de conservação para a
preservação da biodiversidade e do patrimônio nacional, considerando os
diferentes tipos de unidades (parques, reservas e florestas nacionais), as
Preservação da biodiversidade populações humanas e as atividades a eles relacionados.
(EF09CI13) Propor iniciativas individuais e coletivas para a solução de problemas
ambientais da cidade ou da comunidade, com base na análise de ações de
consumo consciente e de sustentabilidade bem-sucedidas.
Material Digital do Professor
Ciências – 9º ano
1º bimestre – Sequência didática 3

Desenvolvimento
Aula 1 – Estudo da preservação da biodiversidade
Duração: cerca de 45 minutos.
Local: sala de aula.
Organização dos estudantes: sentados em suas carteiras de modo individual na atividade 1, em grupos de até 4
estudantes na atividade 2.
Recursos e/ou material necessário: quadro de giz, giz, material audiovisual sobre a biodiversidade brasileira e unidades
de conservação, projetor de imagens ou televisor (se possível); lápis, caderno, caneta e borracha.

Antes de iniciar a primeira aula desta sequência, avalie a possibilidade de exibir material
audiovisual que mostre a diversidade de espécies presentes nos diferentes biomas brasileiros, assim
como explique alguns tipos de unidades de conservação, como parques nacionais, reservas e áreas de
preservação ambiental. Faça uma seleção de vídeos que possam ser utilizados atendendo à proposta
de revisar conceitos vistos, bem como retomar a importância da preservação da biodiversidade e
responder às questões da atividade 2 desta aula. Esse tipo de material pode ser encontrado nas
páginas do Ministério do Meio Ambiente, Ministério Público Federal, ICMBio, Ibama entre outros
órgãos do poder público. Caso não seja possível trabalhar com audiovisual, estude a possibilidade de
apresentar revistas ou materiais impressos que contenham dados e imagens sobre a diversidade de
seres vivos e unidades de conservação presentes em território brasileiro.

Atividade 1: Conceito de biodiversidade (15 minutos)

Ao iniciar a primeira aula, faça perguntas diagnósticas aos estudantes, visando retomar
conceitos e revisar objetos de ensino-aprendizagem, tais como: “Vocês lembram o que é
biodiversidade?”, “Como explicar a origem da biodiversidade?”, “Por que é importante preservar a
biodiversidade?”. Anote as respostas dos estudantes no quadro e vá construindo com eles os
conceitos. Conduza uma discussão de modo a explicar à turma que a biodiversidade pode ser definida
como a variabilidade de espécies de seres vivos existentes em determinado lugar ou no planeta como
um todo. Discuta brevemente a importância da biodiversidade, ressaltando as relações ecológicas
entre os seres vivos, a dependência do fluxo de energia das teias alimentares, entre outros pontos já
trabalhados no estudo de Ciências.

Atividade 2: Unidades de conservação (30 minutos)

Explique aos estudantes que uma maneira de preservar a biodiversidade é a implementação


de unidades de conservação. Se possível, exiba o material audiovisual aos estudantes e peça a eles que
anotem os principais pontos abordados no vídeo, além de dúvidas que surgirem. Após a exibição, peça
que leiam as anotações que fizeram e retome os principais conceitos abordados no vídeo, reforçando
explicações e complementando as informações. Evite a exposição de vídeos muito longos, priorizando
trabalhos ativos, como discussões coletivas.
Material Digital do Professor
Ciências – 9º ano
1º bimestre – Sequência didática 3

Ao final da exibição do material audiovisual, organize os estudantes em grupos de até 4


integrantes e solicite que discutam e respondam às questões a seguir.

1. Como é possível proteger a biodiversidade?

2. Qual a importância da proteção legal das áreas de preservação ambiental?

3. O que são crimes ambientais?

4. Como a definição de crime ambiental pode ajudar a prevenir a perda da biodiversidade?

Solicite a entrega das respostas em folhas avulsas, com o nome dos integrantes do grupo e
data da atividade. Sobre as respostas das perguntas, espera-se que os estudantes afirmem que: 1) A
biodiversidade pode ser protegida pela criação de áreas de preservação, em que ocorre o controle de
ações humanas que impactam a vida dos seres vivos, mantendo florestas e outras paisagens nativas.
2) As áreas de preservação são protegidas por lei para que não ocorra a ocupação ilegal, a caça ou
outras ações que possam diminuir a área de vegetação nativa, como o desmatamento. 3) Os crimes
ambientais são ações humanas que podem ser punidas por multas ou detenção, dependendo da
gravidade. 4) Classificando como crime atividades que impactem negativamente o ambiente de
maneira irregular, coíbe-se a prática dessas atividades.

Ao final da aula, explique à turma que as unidades de conservação são definidas e protegidas
por leis ambientais, que determinam que atividades configuram crimes contra o meio ambiente, tais
como: pesca e caça ilegal, desmatamento da mata ciliar (na margem dos rios), incêndios e descarte
irregular de lixo, entre outras. Discuta com os estudantes qual é o intuito dessas leis e por que elas são
importantes para preservar a biodiversidade. Faça a correção das atividades de forma coletiva,
anotando as principais ideias no quadro.

Aula 2 – Estudo de casos sobre unidades de conservação


Duração: cerca de 45 minutos.
Local: laboratório de informática ou sala de aula.
Organização dos estudantes: em grupos de até 4 integrantes.
Recursos e/ou material necessário: quadro de giz, giz, caderno, lápis e borracha, recursos digitais com acesso à internet
ou materiais impressos que tratem sobre a unidade de conservação mais próxima da localidade da escola.
Atividades opcionais:
Estudo de meio (se possível): lápis, borracha e caderno, recurso multimídia que permita o registro de fotografias.
Elaboração de cartazes: cartolina, canetas coloridas, imagens e fotografias etc.

Atividade 1: Conceito de unidades de conservação (15 minutos)

Para contextualizar o tema a ser desenvolvido na aula, retome com os estudantes alguns
pontos sobre a importância da preservação da biodiversidade no Brasil, abordando questões
relacionadas a impactos ambientais e suas consequências, como perda da biodiversidade e extinção
de espécies. Faça perguntas norteadoras, tais como: “Por que a biodiversidade é importante?”. Caso
seja necessário, explique aos estudantes que a biodiversidade é fundamental para a manutenção do
Material Digital do Professor
Ciências – 9º ano
1º bimestre – Sequência didática 3

equilíbrio ambiental; que é interessante para os seres humanos conhecer mais sobre a natureza; que
podemos encontrar na biodiversidade substâncias potencialmente úteis para a humanidade (como
substâncias que podem ser usadas em medicamentos, por exemplo); que a manutenção da
biodiversidade colabora para a preservação de populações tradicionais, que dependem diretamente
de recursos naturais para sobreviver. Reforce que a preservação da biodiversidade é uma ação ética,
que colabora com a vida em nosso planeta agora e também no futuro.

Pergunte então aos estudantes o que são unidades de conservação. Anote as principais
respostas no quadro e depois apresente o conceito tipificado pela Lei nº 9.985/2000, artigo 2o:

I. unidade de conservação: espaço territorial e seus recursos ambientais, incluindo


as águas jurisdicionais, com características naturais relevantes, legalmente
instituído pelo Poder Público, com objetivos de conservação e limites definidos,
sob regime especial de administração, ao qual se aplicam garantias adequadas de
proteção [...]
Disponível em: <www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9985.htm>. Acesso em: 25 out. 2018.

Ressalte que o objetivo da criação de áreas de conservação é proteger e valorizar os recursos


naturais, preservando a biodiversidade dos ecossistemas brasileiros. Na sequência, pergunte aos
estudantes o que eles sabem a respeito de iniciativas públicas de conservação da natureza. É esperado
que eles consigam relacionar os objetos de ensino-aprendizagem da aula anterior nessas respostas,
identificando a proteção legal, a definição de unidades de conservação e a tipificação dos crimes
ambientais. Em seguida, apresente os tipos de unidade de conservação, falando brevemente sobre as
suas características e dando alguns exemplos sobre atitudes proibidas por lei em cada um desses tipos
de unidade.

Diferencie as unidades de conservação em: unidades de conservação de proteção integral e


unidades de conservação de uso sustentável. Esclareça que as unidades de conservação de proteção
integral não podem sofrer nenhum tipo de exploração econômica. Elas incluem as Estações Ecológicas,
as Reservas Biológicas, os Parques Nacionais, os Monumentos Naturais e os Refúgios de Vida Silvestre.
Já nas unidades de conservação de uso sustentável é permitida a exploração econômica de recursos
naturais, desde que realizada de modo sustentável, ou seja, de maneira economicamente viável e
socialmente justa e que a diversidade do local e seus recursos renováveis sejam mantidos. São
exemplos desse tipo de unidade de conservação as Áreas de Proteção Ambiental, as Florestas
Nacionais, as Reservas Extrativistas, as Reservas de Fauna, as Reservas de Desenvolvimento
Sustentável, as Reservas Particulares do Patrimônio Natural e as Áreas de Relevante Interesse
Ecológico.

Caso julgue conveniente, peça aos estudantes que realizem como tarefa de casa uma pesquisa
sobre as particularidades de cada uma dessas modalidades de unidades de conservação, destacando
as atividades que são e as que não são permitidas em cada uma delas.
Material Digital do Professor
Ciências – 9º ano
1º bimestre – Sequência didática 3

Atividade 2: Estudo de caso sobre as unidades de conservação (30 minutos)

Nesta segunda parte da aula deve ser elaborado um estudo de caso sobre a unidade de
conservação que se localize mais próxima à comunidade escolar. Indique o nome dessa unidade de
conservação e peça aos estudantes que realizem uma pesquisa sobre ela, com base no roteiro a seguir.

Roteiro de pesquisa

1. Nome da unidade de conservação.

2. Tipo de unidade de conservação: de proteção integral ou de uso sustentável.

3. Atividades que são permitidas e as que são proibidas por lei na unidade de conservação.

4. Fatores que colocam em risco a preservação da unidade de conservação estudada


(exemplos: fragmentação da mata, poluição, mau uso da água e ausência de tratamento
de esgoto, desmatamento, construções irregulares e exploração irregular de recursos
naturais).
Caso haja disponibilidade, a pesquisa deve ser realizada com o uso de recursos digitais com
acesso à internet. Oriente os estudantes a buscar informações em sites confiáveis, como páginas
governamentais e de institutos de pesquisa e ensino. Caso esses recursos não estejam disponíveis,
separe previamente materiais impressos sobre o assunto e distribua-os aos grupos de estudantes.

Se julgar pertinente, a atividade pode ser ampliada com a elaboração de um mapeamento da


área, representado em maquetes topográficas, por exemplo, em uma atividade interdisciplinar com
Geografia, destacando aspectos do meio físico dessa área de conservação.

Se possível, complemente a atividade com um trabalho de campo, ou estudo do meio. Planeje


uma saída de campo para visitar essa unidade de conservação da localidade, caso seja aberta à
visitação; se não houver permissão de visitação a essa unidade, verifique a possibilidade de levar a
turma a outra unidade que também seja próxima. Durante a visitação, proponha aos estudantes uma
documentação fotográfica (se possível) e oriente-os a realizar anotações para, em casa, criar um
registro escrito com as características da unidade de conservação e, com base nas análises das
situações de risco, escrever propostas de ações humanas que ajudem a mantê-la preservada. Esse
registro também deve conter a impressão pessoal do estudante sobre o que ele achou do estudo de
meio e se esse estudo contribuiu para seu aprendizado sobre o assunto.

Atenção: é importante que você faça visitas prévias ao local, zelando pela segurança de todos
e organizando guias e/ou roteiros de campo que devem ser entregues aos estudantes para otimizar o
tempo da visita. Assim, a coleta de dados e o preenchimento de roteiros devem ser feitos de forma
direcionada e objetiva. Nesse material deve haver uma lista de normas para que os estudantes não
perturbem o meio ambiente, não joguem lixo no local, não retirem materiais e mantenham-se focados
na atividade de pesquisa.

Ao final das atividades extraclasse podem ser oferecidas aulas adicionais para a elaboração de
relatórios e a confecção de cartazes que contenham imagens (como as fotografias tiradas durante o
Material Digital do Professor
Ciências – 9º ano
1º bimestre – Sequência didática 3

estudo do meio), informações, gráficos e tabelas simples, que podem apresentar dados sobre a área
abrangida pela unidade de conservação, o número total de espécies, o número de espécies em risco
de extinção, entre outras informações.

Aula 3 – Aspectos socioambientais sobre a exploração de recursos naturais


Duração: cerca de 45 minutos.
Local: em sala de aula.
Organização dos estudantes: divididos em 5 grupos ou em rodas de discussão.
Recursos e/ou material necessário: lápis, fichas impressas com os casos, caneta, borracha e caderno para registro.

Elabore e imprima previamente folhas contendo um estudo de caso sobre impacto ambiental
de um empreendimento imobiliário ou industrial, preferencialmente real. Na ficha impressa deve
haver o contexto histórico da construção, o tipo de atividade desenvolvida, impactos ambientais
enumerados, benefícios econômicos para a população, problemas para populações tradicionais e
quaisquer implicações sociais do empreendimento. Um exemplo é o porto construído em São João da
Barra (RJ). Pode-se discutir as mudanças da paisagem, espécies afetadas com o empreendimento,
mudanças do leito de águas, efeitos no solo, enfim, quaisquer transformações que a obra possa causar
ao meio.

Atividade 1: Conflito de interesses (15 minutos)

Ao iniciar esta aula, mencione aos estudantes que será feito um debate transversal para
compreender como as disputas sociais impactam a preservação do meio ambiente. Comente com a
turma que a exploração do ambiente pode ser uma atividade muito lucrativa, como a mineração ou
extração de petróleo, gerando conflitos de interesse.

Para esta atividade de discussão coletiva, podem ser utilizadas como referência situações de
risco à unidade de conservação estudada na etapa anterior. Alternativamente, podem ser estudados
casos em que haja um claro conflito de interesses entre pessoas que desejam preservar o meio
ambiente e o grupo que deseja lucrar com a área da unidade de conservação. Por exemplo, pode ser
selecionado um caso real ou hipotético, que envolva o desmatamento de uma área para construir um
resort, hotel, supermercado, mina de extração de minério de ferro, estação de petróleo ou indústria.

Organize os estudantes em 5 grupos. Distribua as fichas com a explicação sobre o caso para
que eles avaliem o empreendimento e os possíveis impactos socioambientais. Proponha que discutam
e levantem os principais argumentos favoráveis ao empreendimento, os principais argumentos
contrários ao empreendimento e eventuais problemas legais. Cada grupo deverá representar um ator
social, como:

1. Cientistas ou ambientalistas;

2. Empresários;
Material Digital do Professor
Ciências – 9º ano
1º bimestre – Sequência didática 3

3. População tradicional que vive na localidade;

4. População urbana dos arredores;

5. Poder público.
Como exemplos dos conflitos de interesse que podem ocorrer, a população urbana da região
pode desejar empregos ou uma melhoria de condição financeira; o grupo dos empresários quer o
empreendimento para lucrar; os cientistas podem argumentar que é necessário preservar o local, sob
risco de desastre ecológico ou impacto ambiental; e a comunidade tradicional protesta que não tem
outro meio de subsistência além da unidade de conservação e defende a preservação da floresta
nativa. Circule pela classe, orientando cada grupo a elaborar argumentos de acordo com o ator social
que deve representar, mantendo a discussão vinculada apenas a fatos.

Atividade 2: Interpretação de papéis sociais e unidades de conservação (30 minutos)

A dinâmica da atividade deve ocorrer da seguinte maneira: os grupos devem apresentar os


argumentos e as justificativas que levantaram durante a atividade 1. O primeiro grupo de estudantes
– dos ambientalistas e/ou cientistas – deverá levantar argumentos em favor da preservação ambiental,
da sustentabilidade e do consumo consciente; o segundo grupo representará os empresários e deverá
argumentar a favor do empreendimento; o terceiro grupo representa a população urbana que tem
interesses diversos e pode tender para a proteção ambiental ou o empreendimento; o quarto grupo
deve representar uma comunidade indígena ou tradicional local que dependa do meio ambiente
natural para sobreviver; e o quinto grupo será o poder público – por exemplo, governantes e/ou poder
judiciário –, que deverá decidir o caso.

Importante ressaltar que o quinto grupo não apresenta argumentos, apenas decide com base
na discussão feita na dinâmica e deve justificar suas decisões após ouvir todos os argumentos. Pode
haver rodadas de réplicas e tréplicas, como um debate político, sendo respeitados os tempos de fala.
Ao final, as principais conclusões devem ser anotadas no quadro de giz e o quinto grupo emite sua
decisão sobre se o empreendimento deve ou não ser liberado e sob quais condições.

Para finalizar, faça um levantamento sobre os principais argumentos e explique como os casos
reais acontecem em formato de audiência pública. Pondere os pontos de vista apresentados e se
possível apresente consequências de casos reais ocorridos após esse tipo de audiência. Caso julgue
relevante, o debate pode ser complementado por alguma atividade de pesquisa, por exemplo, com o
seguinte roteiro: “Quais foram os impactos causados pela construção do porto do Açu em São João da
Barra? Houve alguma ameaça ao meio ambiente ou extinção de espécies? O porto gerou empregos e
melhorou a economia local? Como a cidade foi alterada após a obra? O que ocorreu com as populações
tradicionais?”. Os grupos devem entregar a pesquisa por escrito para ser avaliada a produção textual.
Material Digital do Professor
Ciências – 9º ano
1º bimestre – Sequência didática 3

Aferição do objetivo de aprendizagem


A aferição de aprendizagem deve ser feita de modo processual ao longo da sequência didática
e deve considerar tanto a aprendizagem de conteúdos quanto competências atitudinais.

Inicialmente, espera-se que o estudante consiga compreender o conceito de biodiversidade.


Isso pode ser verificado na aula 1 pela associação entre as respostas orais fornecidas durante a
construção do conceito.

Em seguida, os estudantes devem entender a importância de preservar a biodiversidade e qual


a relação entre o estabelecimento de unidades de conservação e a preservação ambiental. Isso pode
ser aferido durante a atividade 2 da aula 2 pelas respostas fornecidas durante a realização da atividade
em grupo. Observe se os estudantes conseguem prestar atenção ao material audiovisual sobre as
características das áreas de preservação e da biodiversidade dos ecossistemas brasileiros; isso poderá
ser aferido de acordo com as atitudes dos estudantes durante a exibição do vídeo. Avalie as hipóteses
dos estudantes e sua fundamentação na construção de argumentos.

Posteriormente, espera-se que os estudantes consigam compreender os conceitos de unidade


de conservação, medidas de proteção da biodiversidade e fatores de risco à preservação ambiental.
Isso pode ser verificado pela participação oral e pelas respostas fornecidas na atividade 2 da aula 1,
pela participação oral na atividade 1 da aula 2 e pelas produções escritas realizadas na atividade 2 da
aula 2. Caso tenha ocorrido estudo do meio, valha-se da atitude dos estudantes durante a atividade e
dos cartazes produzidos para avaliar essas aprendizagens.

Na terceira aula, é esperado que os estudantes entendam como o conflito de interesses de


diferentes setores da sociedade pode impactar a preservação do meio ambiente. Isso pode ser
verificado por meio do desempenho dos estudantes durante o debate realizado na atividade 2. Avalie
se os grupos conseguiram debater os temas de forma lógica e fundamentada. Verifique se houve uma
boa interpretação dos papéis sociais e levantamento de argumentos válidos. Observe se os estudantes
se empenharam para defender pontos de vista de forma embasada e se conseguiram compreender os
conceitos básicos apresentados nesta sequência didática.

Questões para autoavaliação

• O estudo sobre a unidade de conservação mais próxima da escola ajudou você a entender
a importância da biodiversidade e do estabelecimento de unidades de conservação? De
que forma?
• Qual dos assuntos trabalhados contribuiu mais para seu conhecimento sobre o tema? Por
quê?
• Você interagiu com os colegas de maneira satisfatória durante o trabalho em grupo? O
que poderia melhorar?
Material Digital do Professor
Ciências – 9º ano
1º bimestre – Sequência didática 3

Questões para auxiliar na aferição

1. Leia o fragmento de texto e responda às questões.


[...] Uma das grandes preocupações do governo é com as espécies brasileiras
ameaçadas de extinção, sobreexplotadas – exploração excessiva, não sustentável, com
consequências negativas que, cedo ou tarde, serão prejudiciais do ponto de vista
físico/quantitativo, qualitativo, econômico, social ou ambiental – ou ameaçadas de
sobreexplotação, requerendo políticas específicas de recuperação tanto de fauna
terrestre e aquática como de flora. Ocorre que o processo de extinção está relacionado
ao desaparecimento de espécies ou grupos de espécies em um determinado ambiente
ou ecossistema. [...]
MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Biodiversidade. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/biodiversidade.html>.
Acesso em: 8 out. 2018.

a) Por que a criação de unidades de conservação pode evitar a extinção de espécies?


b) De acordo com o texto, é correto deduzir que a prática de exploração excessiva de espécies
pode levar os seres vivos à extinção? Por quê?

2. Assinale a alternativa correta.


a) Não existe relação entre a extinção de uma espécie e a biodiversidade, que permanece
inalterada.
b) As unidades de conservação podem ser úteis para conservar o ambiente e, assim, a
biodiversidade.
c) A biodiversidade não é afetada pelas ações humanas que visam ao desenvolvimento urbano e
à criação de empregos.
d) Por interferir apenas na vegetação, o desmatamento ilegal não altera a biodiversidade e pode
ser feito sem restrições.

Gabarito das questões

1.
a) A criação de unidades de conservação permite a conservação de áreas nativas, servindo de
refúgio para espécies ameaçadas de extinção. Esse tipo de prática permite a manutenção de
relações ecológicas, evitando a extinção de várias espécies.
b) Sim, o uso indeterminado e irrestrito de espécies pode levar a um processo de extinção,
sendo prejudicial para a biodiversidade como um todo. As espécies que se alimentam da
espécie extinta também são diretamente prejudicadas, podendo haver um desequilíbrio
ambiental.
Material Digital do Professor
Ciências – 9º ano
1º bimestre – Sequência didática 3

2. Alternativa b. A alternativa a está incorreta, pois a extinção de uma espécie leva à diminuição da
biodiversidade. A alternativa c está incorreta porque as ações humanas podem causar impactos
ao meio ambiente e desequilíbrio ecológico, o que pode gerar a perda de biodiversidade. A
alternativa d está incorreta porque a retirada da vegetação gera impactos ambientais com efeitos
negativos para a biodiversidade.

Você também pode gostar