Você está na página 1de 3

SUGESTÃO DE SOLUÇÃO P2 (01/12/09)

MA-224 Z: RESOLUÇÃO DE PROBLEMA MATEMÁTICOS

Pergunta 1. Resolver a siguente equação exponencial: 32x · 52x−3 = 7x−1 · 4x+3 .

Solução 1. Seja log o logarı́tmo em alguma base fixada. Então 2x log 3 + (2x − 3) log 5 =
(x − 1) log 7 + (x + 3) log 4. Logo x(log 9 + log 25 − log 7 − log 4) = log 64 + log 125 − log 7,
e x satisfaz x log 225
28
= log 8000
7

Pergunta 2. Sejam A e B números reais tais que tan A e tan B são raı́zes da equação
quadrática x2 + px + q = 0 com q 6= 1. Achar o valor de F em função de q, onde

F = sin2 (A + B) + p sin (A + B) cos (A + B) + q cos2 (A + B) .

Solução 2. Temos tan A + tan B = −p e tan A tan B = q. Temos que tan(A + B)


está definido pois q 6= 1. De fato tan(A + B) = (tan A + tan B)/(1 − tan A tan B) =
−p/(1 − q) = p/(q − 1). Em particular, (q − 1) sin(A + B) = p cos(A + B). Logo

F = sin2 (A + B) + (q − 1) sin2 (A + B) + q cos2 (A + B) = q .

Pergunta 3. Resolver a equação 2x4 + 5x3 + x2 + 5x + 2 = 0.

Solução 3. Observe que cada raı́z x da equação é não nula. Dividendo por x2 obtemos
2(x2 + 1/x2 ) + 5(x+ 1/x) + 1 = 0 (∗). Seja t = x+ 1/x. Observamos que t2 = x2 + 2 + 1/x2.
Logo (∗) se reduz 2(t2 − 2) + 5t + 1 = 0 ou seja 2t2 + 5t − 3 = (t + 3)(2t − 1) = 0 e
pelo tanto t = −3 (∗1) ou t = 1/2 (∗2). Se (∗1), −3 = x + 1/x; i.e., x2 + 3x + 1 = 0 e
√ √
pelo tanto: x = (−3 + 5)/2, x = (−3 − 5)/2. No caso (∗2) temos 1/2 = x + 1/x; i.e.

2x2 − x + 2 = 0. Aqui o discriminante é -15 e pelo tanto as raı́zes são (1 + 15i)/4 e

(1 − 15i)/4.

Pergunta 4. Quantas soluções reais para x tem a equação x−x+m=0 ?

Solução 4. Temos x = x − m e assem, se x é raiz necessariamente x ≥ m (∗). Temos
x = (x − m)2 ; i.e., x2 − (2m + 1)x + m2 = 0 (∗1). O discriminante desta equação é
1
2

∆ = 4m + 1. Vemos que para m < −1/4, não existem soluções reais. Agora para ∆ ≥ 0,
√ √
as raı́zes reais de (∗1) são x1 = (2m + 1 + ∆)/2 e x2 = (2m + 1 − ∆)/2. Se ∆ = 0 (ou
equivalentemente m = −1/4), x1 = x2 e satisfazem (∗); assem para m = −1/4 existe uma
única solução real. Agora seja ∆ > 0 (ou equivalentemente m > −1/4). Neste caso x1

sempre satisfaz (∗); porem x2 satisfaz (∗) se e somente se 1 ≥ ∆; i.e. para m ≤ 0. Pelo
tanto se −1/4 < m ≤ 0 existem dois soluções reais e para m > 0 somente uma solução
real.

Pergunta 5. Conside um triangulo de vértices A, B e C. Sejam a, b e c as longitudes


¯ AC
dos segmentos BC, ¯ e AB
¯ respetı́vamente. Seja α o ángulo emtre os segmentos CA¯ e
¯ Provar o “teorema geralizado de Pitágoras”: c2 = a2 + b2 − 2ab cos α.
CB.

¯ Seja P o ponto de
Solução 5. Considerar a reta que pasa por A e é perpendicular a BC.
¯ . Sejam
interseção emtre essa reta e o tal segmento. Seja h a longitude do segmento AP
¯ e P¯B. Aplicamos o teorema de
x e y respetı́vamente as longitudes dos segmentos CP
Pitágoras ao triangulo de vértices A, P e C e obtemos h2 = b2 − x2 ; de forma similar,
h2 = c2 − y 2. Assem, c2 − y 2 = b2 − x2 ; i.e., c2 = b2 + (y − x)(y + x) = b2 + (a − 2x)a.
Mas, x = b cos α e o resultado segue-se.

Pergunta 6. Considere o polinomio p(z) = z 2 + z + 1. Verificar:

(1) p(reθi) = r(2r cos θ + 1)eθi + (1 − r 2 );


(2) |p(reθi) − 1| ≤ r(2r + 1) + r 2 .

Solução 6. (1) p(reθi ) = r 2 e2θi + reθi + 1. Temos e2θi = cos 2θ + i sin 2θ = (cos2 θ −
sin2 θ) + i(2 sin θ cos θ). Logo

p(reθi) = r 2 (cos2 θ − sin2 θ + 2i sin θ cos θ) + r(cos θ + i sin θ) + 1

= 2r 2 cos2 θ + r cos θ + (2r 2 sin θ cos θ + r sin θ)i + 1 − r 2

= r(2r cos θ + 1) cos θ + (r(2r cos θ + 1) sin θ)i + 1 − r 2

e temos a verificação .

(2) De (1), |p(reθi) − 1| ≤ r(2r + 1) + r 2 pela desigualdade triangular e os fatos: |eθi | = 1,


| cos θ| ≤ 1|, |r| = r e | − r 2 | = r 2 .
3

Você também pode gostar