Você está na página 1de 28

RESSONÂNCIA MAGNÉTICA

OMBRO

JOEL NETO
INDICAÇÕES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO

 Anormalidades da medula: contusões ósseas, osteonecrose, síndromes , edemas


e fraturas de estresse;
 Distúrbios sinoviais: sinovite, cistos, tenossinovite, bursite, e ganglionares;
 Infecções ósseas, articulações ou tecidos moles: osteomielite, osteoartrite,
osteocondrose;
 Avaliação de suspeitas de defeitos cartilaginosos;
 Avaliação intra-articulares de possíveis corpos livres;
 Neoplasias de ossos, articulações ou tecidos moles;
 Necrose avascular;
 Invasão do nervo;
 Fraturas em crianças;
 Massas de tecidos moles;
 Rupturas de ligamentos.
CONTRA-INDICAÇÕES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO

 Qualquer implante eletricamente, magneticamente ou mecanicamente


ativado (por exemplo, marca-passo cardíaco, bioestimulador, bomba de
Insulina, neuroestimulador, implante coclear e aparelhos auditivos)
 Clips de aneurisma intracraniano (exceto de titânio)
 Gravidez (risco X benefício a ser avaliado)
 Clipes ou grampos cirúrgicos ferromagnéticos
 Corpo estranho metálico no olho
 Estilhaços de metal ou de bala
PREPARO DO PACIENTE DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO

 Um formulário de consentimento escrito satisfatório deve ser retirado


do paciente antes de entrar na sala de RM
 Peça ao paciente para remover todos os objetos de metal, incluindo chaves,
moedas, carteira, cartões com tiras magnéticas, joias, aparelhos auditivos e
presilhas de cabelo, relógio
 Se possível fornecer um acompanhante para pacientes claustrofóbicos (por
exemplo, familiar ou pessoal)
PREPARO DO PACIENTE DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO

 Contraste apresenta riscos e benefícios e devem ser explicados ao paciente


antes do exame
 Gadolínio só deve ser administrado ao paciente se TFG>30
 Oferecer tampões de ouvido ou fones de ouvido, possivelmente com música
 Explicar o procedimento ao paciente
 Instrua o paciente para manter-se imóvel o máximo possível
 Tomar nota do peso do paciente
POSICIONAMENTO DO PACIENTE DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO

 Posicionar o paciente em decúbito dorsal com a cabeça voltada para o magneto


(head first)
 Posicionar o ombro D ou E do paciente sobre a bobina de ombro ou bobina
flexível e imobilizar com almofadas
 Procurar estabilizar o máximo possível o ombro para evitar movimentos
 Centralize o localizador de feixe laser sobre a articulação do ombro ou o meio
da bobina
LOCALIZADOR DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO

 Utilizar um localizador de três planos, coronal, sagital e axial


 Localizar e planejar as sequencias nos três planos
 São constituídos de imagens ponderadas em T1 de baixa resolução
PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T2* OU DP FATSAT AXIAL

 Planejar os cortes axiais no plano coronal


 O bloco dos cortes em perpendicular a articulação glenoumeral
 Verificar a posição do bloco nos outros planos
PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T2* OU DP FATSAT AXIAL
 FOV: 180mm (articulação acromioclavicular até colo cirúrgico do úmero)
 No plano sagital o centro do bloco perpendicular a cabeça do úmero
 Bandas de saturação sobre o peito
 Direção de Fase: Anterior>Posterior

TR TE SLICE FLIP PHASE MATRIZ FOV GAP NXA

1000-1200 30 3mm 40 A>P 320X256 150-180 10% 2


PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T2* OU DP FATSAT AXIAL
PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T2* OU DP FATSAT AXIAL
PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T1 TSE CORONAL

 Planejar os cortes coronais no plano axial


 O bloco dos cortes em paralelo ao tendão supra-espinhal
 Verificar a posição do bloco nos outros planos
PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T1 TSE CORONAL
 FOV: 180mm (porção anterior do processo coracóide até a cabeça do úmero)
 No plano sagital o centro do bloco paralelo a cabeça do úmero
 Bandas de saturação sobre o peito
 Direção de Fase: Anterior>Posterior

TR TE SLICE FLIP PHASE MATRIZ FOV GAP NXA

400-600 15-25 3mm 130 A>P 320X320 150-180 10% 2


PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T1 TSE CORONAL
PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T1 TSE CORONAL
PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T2* OU DP FATSAT CORONAL

 Planejar os cortes coronais no plano axial


 O bloco dos cortes em paralelo ao tendão supra-espinhal
 Verificar a posição do bloco nos outros planos
PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T2* OU DP FATSAT CORONAL
 FOV: 180mm (porção anterior do processo coracóide até a cabeça do úmero)
 No plano sagital o centro do bloco paralelo a cabeça do úmero
 Bandas de saturação oblíqua sobre o peito
 Direção de Fase: Anterior>Posterior

TR TE SLICE FLIP PHASE MATRIZ FOV GAP NXA

1000-1200 30 3mm 40 A>P 320X256 150-180 10% 2


PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T2* OU DP FATSAT CORONAL
PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T2* OU DP FATSAT CORONAL
PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T2 STIR CORONAL

 Planejar os cortes coronais no plano axial


 O bloco dos cortes em paralelo ao tendão supra-espinhal
 Verificar a posição do bloco nos outros planos
PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T2 STIR CORONAL
 FOV: 180mm (porção anterior do processo coracóide até a cabeça do úmero)
 No plano sagital o centro do bloco paralelo a cabeça do úmero
 Bandas de saturação oblíqua sobre o peito
 Direção de Fase: Superior>Inferior

TR TE SLICE FLIP PHASE MATRIZ FOV GAP NXA TI

3000-4000 110 3mm 130 S>I 320X256 150-180 10% 2 130


PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T2 STIR CORONAL
PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T2 STIR CORONAL
PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T2 FATSAT SAGITAL

 Planejar os cortes sagitais no plano axial


 O bloco dos cortes em perpendicular ao tendão supra-espinhal
 Verificar a posição do bloco nos outros planos
PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T2 FATSAT SAGITAL
 FOV: 180mm (músculo deltoide à cavidade glenoide)
 No plano coronal o centro do bloco paralelo à articulação glenoumeral
 Bandas de saturação oblíqua sobre o peito
 Direção de Fase: Superior>Inferior

TR TE SLICE FLIP PHASE MATRIZ FOV GAP NXA FATSAT

3000-4000 110 3mm 130 S>I 256X256 150-180 10% 2 SPAIR


PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T2 FATSAT SAGITAL
PROTOCOLO SUGERIDO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE
OMBRO – T2 FATSAT SAGITAL

Você também pode gostar