Você está na página 1de 10

Aquele que conta a história: Apresenta o contexto

Personagem (1ª pessoa – narra e da narrativa


participa dos fatos); Narrativa curta que envolve (personagens, espaço,
Observador (3ª pessoa -somente conta a apenas um conflito. Apesar tempo e primeiros
história); de breve, é uma narrativa acontecimentos).
Onisciente (3ª pessoa – além de narrar,
conhece o passado, futuro e pensamento
completa, com início, meio
e fim.
Introdução
das personagens.

Narrador Desenvolvimento
Personagens Apresenta as ações
que modificam o
Executam e sofrem estado inicial da
ações durante o narrativa.
enredo das
narrativas. Clímax
Tempo Apresenta o auge do

Época em que Conclusão problema. As ações


tomadas definirão o
acontece a história
ou tempo de
Conflito rumo da história.

duração das ações.


Situação problema Apresenta o final da
Espaço Enredo vivenciada
personagens.
pelas
No
história. Pode mostrar
que o problema foi
Sequência das conto, costuma ser solucionado ou não.
ações que compõe único.
a história.
Cenário no qual as
personagens executam
e sofrem as ações.
 Temas livres, fantásticos; Representa um gênero da literatura
 Ruptura da realidade-ficção; fantástica (realismo mágico ou
 Oposição entre os dois planos: maravilhoso) com origem no século
real e irreal; XVII. Nos países latino-americanos a
 Presença de alegorias; partir do século XX, como forma de
 Realidade ilógica; denunciar a realidade opressiva
 Enredo não linear, utilização vivido pelos anos de ditadura.
de flashback.
  Enredo: Tema livre – fantástico x real;
 Predomínio do tempo
Geralmente é ziguezagueante, não linear.
psicológico;
Presença de magias e poderes sobrenaturais.

  Personagens: Podem ser: monstros,
fantasmas, seres invisíveis, mágicos,
mitológicos, folclóricos, etc.
 Tempo: presente, passado e futuro se
mesclam por meio de flashback. Tempo
 Magia capaz de mudar os
psicológico (medido pelas emoções, não pelo
acontecimentos;
relógio/calendário).
 Sofrimento do herói;
  Espaço: realidade composta de elementos
 Não há limites para a
maravilhosos, inverossímeis, imaginários,
imaginação;
extraordinários.
 Linguagem simples e direta;
  Foco narrativo: é o tipo de narrador que
 Narrativa curta;
pode ser um personagem da trama, um
 Ações se encaminham para
observador ou ainda onisciente.
um só desfecho;
 Ações em um só espaço, um
  Aluísio de Azevedo, (1857-1913) em sua
só conflito;
obra de contos "Demônios" (1895);

  Machado de Assis (1839-1908) em seu
conto intitulado “O espelho”, pertencente à
obra "Papéis Avulsos" (1892);
  Carlos Drummond de Andrade (1902-1987)
em seu livro "Contos de Aprendiz" (1951),
texto como “Flor, telefone, moça”;
  Murilo Rubião (1916-1991) na obra "O ex-
mágico" (1947).
Macabros, doentios, densos,
Temática densa e singular; extraordinários, sobrenaturais;
Narrativa literária ficcional
Mistério, suspense e medo; Rodeados de mistérios, cheios de
Fatos inexplicáveis;
Narrativa verossímil (próxima
que visa provocar
sentimentos de medo no Personagens dúvidas e vacilos.
leitor.
da realidade);
Desfecho surpreendente,
atemorizador ou inesperado. Tempo
Psicológico – influência de
emoções, situações e
sentimento determinam a
passagem do tempo.

Segue a estrutura dos


Cenário
contos: situação inicial,
desenvolvimento, clímax e Lugares assustadores:
desfecho. casarões abandonados,
Narrador florestas sinistras, porões,
cemitérios, dentre outros.
Narra a história por meio de dúvidas,
 O terror surge do medo do tornando-a enigmática (pode ser
desconhecido. Não é a morte em si, mas personagem ou observador).
a dúvida do que virá depois. É o som
perturbador no quarto vazio ao lado,
causado por não se sabe o quê. Não é a
escuridão em si, mas o fato que ela
esconde perigos, de forma que não
podemos nos preparar nem proteger.
 O medo está relacionado ao
desconforto; é uma sensação instintiva e
profunda, capaz de nos fazer abandonar
quem deveríamos ajudar ou nos paralisar
quando deveríamos correr.
Reis, rainhas, príncipes,
Temática: ascensão social; princesas, herói, meninos,
Não possui a presença de gigantes, monstros, animais
fadas;
Narrativa originária do falantes, gênios e magos.
Situações escapam do nosso
entendimento de espaço e
tempo;
Oriente que ressalta um
problema social ou um
Personagens
Não obedece às leis naturais problema da vida prática. Normalmente é
do planeta. indefinido, começando
por “era uma vez...”,
Tempo “Há muito
atrás...”
tempo

Bosques, montanhas
encantadas, reinos
desconhecidos e
distantes.

Segue a estrutura dos


Lugar
contos: situação inicial,
desenvolvimento, clímax e
Narrador Narrado em 3º pessoa, com
narrador onisciente ou
desfecho.
mesmo em 1ª pessoa
(personagem)

Aladim; As mil e uma


noites; Simbad, o
marujo; Ali Babá e os O Conto Maravilhoso difere do Conto de
40 ladrões. Fadas e do Conto de Encantamento pelo seu
enredo, que gira em torno de um herói que
se distancia de casa, cai numa armadilha,
vence o vilão, volta para casa e se casa. Sua
ênfase é na materialidade, no sensorial e
ético do ser humano.
Presença de seres mágicos como Narrativa curta de origem Agressor: executa uma maldade
bruxas, fadas, duendes, etc. celta que possui um (vilão);
Linguagem simbólica; elemento “maravilhoso” em Doador: doa magia para o herói
Heróis e vilões – bem x mal; sua composição, isto é, algo vencer seus obstáculos;
Núcleo problemático existencial (o mágico ou sobrenatural. Auxiliar: ajuda o herói a vencer seus
herói busca a realização pessoal); desafios.
Inícios e finais parecidos. Princesa e sua família: em torno
Personagens dos quais gira a história.
Mandatário: pratica um crime a
mando de outro;
Herói: aquele que vai restabelecer a
situação de paz. É sempre vencedor
nas provas que lhe são impostas.
Falso herói: tenta se passar por
herói, mas só pretende causar mais
Segue a estrutura dos
conflitos.
contos: situação inicial,
desenvolvimento, clímax e
desfecho.
Tempo
Normalmente é indefinido,
começando por “era uma
Cinderela, João e Maria, vez...”.
Rapunzel, Branca de Neve,
etc. Narrador
3ª pessoa,
Lugar
geralmente
onisciente. Os principais cenários são:
florestas/bosques,
Os contos de fadas possuem funções que vão castelos/palácios,
além de encantar quem as ouve. Elas ensinam pequenos vilarejos.
às crianças valores importantes, como superar
problemas como a morte ou separação de um
ente querido e a lutar pela vida. Também são
responsáveis por fazê-los perceber lições de
moral e a diferença entre o bem e o mal. Além
disso, o tão famoso final feliz mostra que elas
devem sempre ter esperança num futuro
melhor.
São variados, com a
Forma inicial: “Era uma vez...” presença de reis, rainhas,
remete a um passado distante e serve príncipes e princesas, fadas
de entrada para o mundo da fantasia. e animais falantes.
Não apresenta com precisão um Há sempre um personagem
lugar determinado: “um palácio”, que foi vítima de um feitiço
“uma floresta”, etc. de transformação física que
Um dos personagens apresenta uma Narrativa curta que que
apresenta metamorfoses deve enfrentar desafios de
transformação por meio de feitiço, mudança pessoal para
que deve ser quebrado; ou transformações por
meio de encantamentos. conseguir retomar sua forma
Sempre aparece um elemento física original.
mágico;
O final costuma ser “... e foram
felizes par sempre. Personagens Impreciso, remetendo
a um passado
distante.

Tempo
Geralmente impreciso,
sendo um palácio distante,
uma floresta ou vilarejo.
Narrador Lugar
Segue a estrutura dos
contos: situação inicial, 3ª pessoa,
desenvolvimento, clímax e geralmente
desfecho. onisciente.

A Bela e a Fera, Gato de


Botas, O Príncipe Sapo,
Pinóquio.
Os Contos de Encantamento
diferem dos Contos de Fadas por
serem restritos à presença de
seres que sofrem metamorfoses,
sendo, no restante, semelhantes
a eles.
 Fala sobre o que realmente
acontece ou está acontecendo;
 Atenção à detalhes do conto;
 Imagem real das personagens,
como o caráter; É aquele cujas ações
correspondem ao que É importante levar em
 Materialismo do amor, algo consideração que um conto
poderia acontecer no
sem sentimento verdadeiro; realista não apresenta fatos
mundo real.
verdadeiros, mas plausíveis. Os
eventos nele retratados podem
ser explicados de acordo com os
critérios da realidade diária do
leitor.

 Materialismo do amor, algo


sem sentimento verdadeiro;
 Linguagem dentro da
realidade, clara, natural; Pode ser personagem,
observador ou onisciente,
 Explicação lógica para as
atitudes das personagens. Narrador dependendo do conto.

Segue a estrutura dos


contos: situação inicial,
desenvolvimento, clímax e
Personagens
desfecho.
Apresentam descrições
Espaço Tempo precisas, condizentes com a
época em que se passa a
história.
Descrito conforme são os Preciso, baseado na época
ambientes da época em que a história foi
retratada no conto. escrita.
Animais, que apresentam
características humanas;  Narrativas passadas de geração para
seres mágicos; heróis e Texto narrativo, geralmente geração;
vilões. Os elementos curto, criado e enriquecido  Não tem autor conhecido;
sobrenaturais ocupam pela imaginação popular e  Cada história é aumentada e modificada à
Observador ou que procura deleitar, medida que vai sendo repetida;
posição secundária, dando
onisciente (3ª entreter ou educar o  Relatam conteúdos comuns, referentes à
destaque ao humano que
pessoa). ouvinte. essência dos homens;
pode apresentar
características cômicas, Possui complexidade, arte e capacidade de
seduzir seus ouvinte.
satíricas ou empolgantes.
Narrador
Personagens Conto
Popular
Segue a estrutura dos
contos: situação inicial,
desenvolvimento, clímax e
Espaço desfecho.

O lugar pode variar Tempo


conforme a forma em que é
contado, mas sua essência
permanece a mesma,
Não possui um tempo
preciso para o
Curiosidades!
fazendo com que ele seja acontecimento dos fatos, O Conto Popular é uma expressão que pertence
compreendido em qualquer pois vive sofrendo a um contexto de sonho e fantasia, de magia e
época ou lugar. transformações, fazendo mistério. Cada história é aumentada e
com que ele seja atual modificada à medida que vai sendo repetida,
em qualquer época. fato que deu origem à expressão “Quem conta
um conto, aumenta um ponto”. A sua
autoria é atribuída ao povo – folk, em inglês.
Daí se origina a palavra folclore.
 Retrata situações comuns, extraídas do
Narrativa em que o escritor cotidiano;
compõe cenas engraçadas,  É cômico e divertido;
surpreendentes e que se  Texto agradável e engraçado;
Observador ou identificam com o cotidiano  Humor leve e refinado;
onisciente (3ª do leitor. Pode trazer uma crítica a determinado
São pessoas comuns, que
pessoa). contexto social em seu enredo.
se envolvem em situações
engraçadas das mais
variadas.
Narrador
Personagens Conto de
Humor
Segue a estrutura dos
contos: situação inicial,
desenvolvimento, clímax e
Espaço desfecho.

A história pode se passar Tempo


em qualquer lugar. Não
apresenta
específico,
um
mas
cenário
este
contribui para gerar o
Cronológico,
e curto.
sequencial
Não confunda!
Contos de humor não são
humor. piadas! O humor se
constrói por meio de
mecanismos linguísticos,
figuras de linguagem,
quebra de expectativas e
conhecimentos de
mundo.
Narrativa cujo fato
principal está

Foco central da narrativa.


Personagem (1ª
pessoa) ou Onisciente
(3ª pessoa)
relacionado
lembranças
sentimentos
às
e
dos
Você Sabia?
São pessoas comuns que personagens. O conto psicológico
enfrentam algum dilema apresenta ao menos duas
existencial/emocional. histórias: uma visível para o

Narrador leitor e outra oculta, para que

Conto
ele possa desvendá-la ao
final da leitura.

Personagens

Físico:
Espaço
contribui para a Tempo
Psicológico Segue a estrutura dos
contos: situação inicial,
desenvolvimento, clímax e
desfecho.

caracterização da personagem;
Psicológico: mente da Psicológico: não segue
personagem  aspectos a ordem natural dos
morais, psicológicos, culturais fatos; passado, presente
 Valorização dos aspectos mentais e
e socioeconômicos. e futuro se entrelaçam
emocionais da personagem;
livremente.
 Reflexões e dilemas provocados por fatos
aparentemente sem importância;
 Foco na investigação do mundo interior da
personagem.