Você está na página 1de 3

alfaconcursos.com.

br

SUMÁRIO
ADJUNTO ADNOMINAL E COMPLEMENTO NOMINAL ...................................................................................... 2
ADJUNTO ADNOMINAL ................................................................................................................................. 2
CONCEITO BÁSICO ..................................................................................................................................... 2
COMPLEMENTO NOMINAL............................................................................................................................ 2
CONCEITO BÁSICO ..................................................................................................................................... 2

MUDE SUA VIDA!


1
alfaconcursos.com.br

ADJUNTO ADNOMINAL E COMPLEMENTO NOMINAL


ADJUNTO ADNOMINAL
CONCEITO BÁSICO
É o termo que modifica exclusivamente o substantivo (ou o pronome substantivo). Pode
vir representado por um artigo (definido ou indefinido), por um pronome adjetivo, por um
numeral, por um adjetivo ou locução adjetiva.
Ex.: A melhor aluna da classe ganhou muitos prêmios.
Ela é uma mulher de bom coração.
O adjunto adnominal sempre faz parte de uma função sintática. Exceção a essa regra:
quando o pronome oblíquo átono, com valor de posse, funciona estilisticamente como adjunto
adnominal.
Ex.: Você me machucou o coração. (= você machucou o meu coração.)

Adjunto Adnominal ≠ Complemento Nominal

Adjunto Adnominal e Complemento Nominal só se confundem quando uma expressão


preposicionada se liga a um substantivo abstrato. Para distinguir um do outro, sigas as
orientações seguir:
1. O complemento nominal só se liga a substantivos abstratos. Portanto, em se tratando de
substantivos concretos, a expressão preposicionada será adjunto adnominal.
Ex.: O livro de Pedro foi rasgado.
O substantivo “livro” é concreto; portanto, “de Pedro” é adjunto adnominal.
2. Não se esqueça de que o CN é sempre alvo. Portanto, o CN é termo paciente da ação
contida no substantivo abstrato a que se liga; o adjunto adnominal, ao contrário, é agente.
Veja.
Ex.: A descoberta da América mudou o mundo.
A descoberta de Colombo mudou o mundo.
No primeiro caso, “da América” é CN, pois a “América” não descobriu; ao contrário, foi
descoberta.
No segundo caso, “de Colombo” é Adj. Adn., pois “Colombo” não foi descoberto; ao
contrário, descobriu.

COMPLEMENTO NOMINAL
CONCEITO BÁSICO
É expressão, em geral preposicionada, que representa o alvo para o qual tende um
sentimento, disposição ou movimento. O complemento nominal é reclamado pela significação
transitiva, incompleta, de adjetivos, de advérbios e de certos substantivos (necessariamente
abstratos).

MUDE SUA VIDA!


2
alfaconcursos.com.br

1. CN de adjetivos – Qualquer expressão preposicionada referindo-se diretamente a um


adjetivo é Complemento Nominal.
Ex.: Ela sempre foi fiel ao marido. (fiel – adjetivo)
2. CN de advérbios – Qualquer expressão preposicionada referindo-se diretamente a um
advérbio (sobretudo quando terminado no sufixo modal –mente) é Complemento
Nominal.
Ex.: Ela sempre agiu fielmente ao marido. (Fielmente – advérbio)
3. CN de substantivos – Em se tratando de substantivos, só os abstratos admitem
complemento nominal, isto é, os substantivos que, em geral, indicam sentimento,
qualidade ou ação. Assim sendo, o Complemento Nominal se liga, geralmente, a
substantivos que contêm em sua estrutura um verbo ou um adjetivo transitivo.
Ex.: Ela sempre agiu com fidelidade ao marido. (Fidelidade – substantivo abstrato)

MUDE SUA VIDA!


3

Você também pode gostar