Você está na página 1de 3

AUTOMAÇÃO DE PROCESSOS 4.

0
ESTUDO DE CASO – valendo 2,5
Implantação em uma empresa a Gestão por Processos

Uma importante empresa situada num próspero município da Região do Nordeste, resolve a
partir de seu Diretor-Presidente implementar a Automação de Processos, mas para isso, foi
necessário seguir alguns passos que passo a relatar:

O Diretor-Presidente afirmou em palavras não tão agressivas, mas de forte conteúdo, que a
empresa não poderia mais continuar com discussões intermináveis por parte de seus
principais gestores sobre questões que, por vezes, nem relevantes eram. O Diretor-
Presidente deu a determinação em reunião com todos os 26 gestores. Disse apenas:

“Quero em poucos dias, nossa empresa atuando com base numa muito bem idealizada
gestão por processos. Lógico que a nossa estrutura organizacional está OK, não me
preocupa, nem deve preocupar vocês. Vou sair e deixo o Paulino, como gestor financeiro,
como gestor desta reunião com o firme propósito de montar uma equipe que em 15 dias me
passará o projeto para implementação em mais 15 dias. Isso significa dizer que em 30 dias
teremos uma nova empresa. Boa sorte”.

Paulino pergunta quem gostaria de fazer parte da equipe e foi objetivo ao afirmar que os
candidatos deveriam conhecer a gestão por processos. Não mais do que 14 gestores
levantaram o dedo, informados da disponibilidade e do conhecimento dessa importante
função, conforme é entendimento do Diretor-Presidente.
A equipe foi fechada com cinco nomes e Paulino pediu a três algum detalhamento para
futura elaboração do projeto. O Gestor de Recursos Humanos (RH) foi indicado e aceitou
ser o coordenador dos trabalhos.

A primeira reunião ficou para o dia seguinte e lá estavam todos. As primeiras conversas
foram em torno do nada, como acontece com alguma frequência. Mais à frente, Carina
sugere que o trabalho deveria ser iniciado com uma ação de reengenharia, ou seja, “zerar”
todos os processos e começar tudo de novo. “Em seguida, a gente faz um trabalho de gestão
da qualidade total. Para tanto, a técnica que sugiro será composta de um diagrama, o
Business Process Diagram (BPD) ou Diagrama do Processo do Negócio (Diagrama de
Contexto), que pode ser usado de forma mais simples, mas com elementos para representar
comportamentos mais complexos dos processos. Sendo assim, a modelagem utilizando a
técnica do BPM, o processo irá representar o conjunto de atividades, e realizaríamos o
mapeamento dos seguintes processos:

a) Os processos fim
b) Os processos meio
c) Os processos gerenciais
A dificuldade está em como mapear os processos? Quais símbolos utilizar? Quais
ferramentas utilizar? Por qual processo começar (fim, meio ou gerencial)?

Décio interrompeu dizendo que sabia de caminhos para utilização do mapeamento, mas
achava que não concordava com a aplicação da reengenharia e, em seguida, a utilização da
conhecida gestão pela Qualidade Total. Carina disse que tinha resposta, mas preferia que a
equipe se encontrasse no dia seguinte e pedia que todos procurassem a literatura sobre o
que estava sendo conversado ou mesmo conversasse com pessoas amigas de outras
organizações para auxiliar nos trabalhos. Sandra disse que conhecia gente de uma empresa
e que tinha feito uma pós-graduação sobre esse assunto e que tinha tido sucesso na
implementação na sua empresa.

Desejamos saber se você ou seu grupo (como consultores) se for o caso, teria caminhos
para dar suporte às primeiras proposições de Carina e se apoiariam ou não o Décio.
E mais, se haveria alternativa para que em pouco tempo fosse possível a implementação da
Gestão por Processos que resultasse altamente positiva na busca do objetivo do Diretor-
Presidente em ter uma excelência organizacional?

QUESTÕES PARA DEBATE E JUSTIFICATIVAS:

1. O estabelecimento da Missão e Visão de Futuro pelo Diretor-Presidente seriam


necessárias para implementação de uma gestão pro processos?
2. A sugestão da Carina em implantar a reengenharia, “zerando” todos os processos, e
como ficariam os processos em desenvolvimento? Será que os clientes esperariam a
implantação desses novos processos?
3. Quanto a alternativa do Décio, qual a sua opinião. É viável ou não?
4. Ser a favor da descentralização do poder decisório na gestão por processos, significa
que a organização se torna mais flexível e o atendimento às demandas agrega e cria
um diferencial competitivo?
TRABALHO FINAL – ETAPA I (valendo 2,5)
Livre escolha de uma organização de porte médio ou pequeno ou um empreendedor

Elaborar um Plano de Negócio que contenha

1) Missão do Negócio;
2) Visão de Futuro;
3) Estabelecimento de estratégias das seguintes áreas que criem um diferencial
competitivo e que agreguem valor aos clientes, acionistas e ao ambiente que a
mesma vivencia:
3.1) Administrativa;
3.2) Financeira;
3.3) Produção;
3.4) Comercial
3.5) Recursos Humanos

4) Fazer o mapeamento dos processos (AS IS) dessas estratégias