Você está na página 1de 16

0

Abdurremane Cajaja
Assane Roberto Matola
Carimo M. M. Fazenda
Hélio André T. A. Zembene
Moniz Luís F. Camuticauma
Samuel Manuel António

Energia Eólica e Uma Reflexão de Uso de Energia eólica em Moçambique

(Licenciatura em Ensino de Física com Habilidades a Energias Renovável)

Universidade Rovuma

Nampula

2020
1

Abdurremane Cajaja
Assane Roberto Matola
Carimo M. M. Fazenda
Hélio André T. A. Zembene
Moniz Luís F. Camuticauma
Samuel Manuel António

Energia Eólica e Uma Reflexão de Uso de Energia eólica em Moçambique

Trabalho de carácter avaliativo da cadeira de


Elaboração de Projecto de Energias Renováveis, do
curso de Licenciatura em Ensino de Física, 4º ano a
ser entregue no departamento de Ciências Naturais e
Matemática, leccionada por: Dr. Nassone Guambe

Universidade Rovuma

Nampula

2020
2

Índice
1. Introdução...................................................................................................................................3
2. ENERGIA EÓLICA...................................................................................................................4
3. Aplicações de Energia Eólica.....................................................................................................4
4. Características da tecnologia eólica............................................................................................5
5. Geração......................................................................................................................................5
6. Princípio de transformação em Energia......................................................................................5
7. TURBINA EÓLICA...................................................................................................................6
10. Análise de uma turbina eólica.................................................................................................7
11. PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO...................................................................................9
12. Tipos de Torres.....................................................................................................................10
13. Vantagens de Energia Eólica................................................................................................10
14. Desvantagens de Energia Eólica...........................................................................................10
15. Estratégia de negócio............................................................................................................11
16. Reflexão Sobre Energia eólica em Moçambique..................................................................11
17. 4,5 GW DE CAPACIDADE TOTAL, DOS QUAIS 1,1 GW COM POTENCIAL DE
LIGAÇÃO IMEDIATA À REDE....................................................................................................13
18. Conclusão.............................................................................................................................14
19. Bibliografia...........................................................................................................................15
3

1. Introdução
Este trabalho apresenta os resultados de uma pesquisa bibliográfica que teve por finalidade
analisar os Conceito, geração, Natureza, Aplicação, Princípios de transformação, Vantagens e
desvantagens para a geração energia eólica e perspectivas para ampliação da geração deste
tipo de fonte de energia para Moçambique. Para tanto foi realizada uma revisão sistemática de
estudos sobre a temática e, na sequência, uma análise e síntese. Este estudo contribui para o
planejamento e a tomada de decisão quando da instalação de novos parques eólicos em
Moçambique ainda não exploradas para esta finalidade, mas que podem ter um potencial de
geração de energia que atenda os interesses locais.

Esta pesquisa contribui para o conhecimento de panejamento e a tomada de decisão das


nações quando da instalação de novos parques eólicos em regiões ainda não exploradas para
esta finalidade, mas que podem ter um potencial de geração de energia que atenda os
interesses locais. A base para estas discussões é a análise da situação energética actual
associada aos Mapas Eólicos e aos projectos de Mecanismos de Desenvolvimento Limpo
(MDL). Embora a energia através dos ventos seja utilizada há muitos anos, existem muitas
possibilidades de crescimento com a investigação de novas tecnologias e/ou a implantação de
sistemas em locais pouco explorados.
4

2. ENERGIA EÓLICA
2.1. Conceito de Energia Eólica
Segundo RIBEIRO (2012) ,diz que Energia eólica é a transformação da energia do vento em
energia útil, tal como na utilização de aerogeradores para produzir electricidade, moinhos de
vento para produzir energia mecânica ou velas para impulsionar veleiros. A energia eólica,
enquanto alternativa aos combustíveis fósseis, é renovável, está permanentemente disponível,
pode ser produzida em qualquer região, é limpa, não produz gases de efeito de estufa durante
a produção e requer menos terreno. O impacto ambiental é geralmente menos problemático do
que o de outras fontes de energia. Energia cinética das massas de ar (ventos) provocadas pelo
aquecimento desigual na superfície da Terra.

Os parques eólicos são conjuntos de centenas de aerogeradores individuais ligados a uma rede


de transmissão de energia eléctrica. Os parques eólicos de pequena dimensão são usados na
produção de energia em áreas isoladas. As companhias de produção eléctrica cada vez mais
compram o excedente eléctrico produzido por aerogeradores domésticos. Existem também
parques eólicos ao largo da costa, uma vez que a força do vento é superior e mais estável que
em terra e o conjunto tem menor impacto visual, embora o custo de manutenção seja bastante
superior. Em 2010, a produção de energia eólica era responsável por mais de 2,5% da
electricidade consumida à escala global, apresentando taxas de crescimento na ordem dos
25% por ano, AMARANTE (2001).

A energia do vento é bastante consistente ao longo de intervalos anuais, mas tem variações
significativas em escalas de tempo curtas. À medida que cresce a proporção de energia eólica
numa determinada região, torna-se necessário aumentar a capacidade da rede de modo a
absorver os picos de produção, através do aumento da capacidade de armazenamento, e de
recorrer à importação e exportação de electricidade para regiões adjacentes quando há menos
procura ou a produção eólica é insuficiente. As previsões meteorológicas auxiliam o
ajustamento da rede de acordo com as variações de produção previstas.

3. Aplicações de Energia Eólica


De acordo AMARANTE (2001) tem as seguintes aplicações:
 Alimentação de cargas isoladas;
 Centrais de grande porte conectadas à rede instaladas em terra;
 Centrais de grande porte conectadas à rede instaladas no mar.
5

4. Características da tecnologia eólica


Tecnologia altamente sofisticada:
 Grandes desenvolvimentos na área de controle, aerodinâmica e materiais;
 Alto crescimento no tamanho das pás e potência da turbina;
 Materiais mais resistentes e menos ruidosos;
 Aplicações em terra e no mar;
 Significativa redução nos custos com políticas de incentivo.

5. Geração
O Gerador Eólico é um equipamento capaz de transformar a energia cinética do eixo em
energia eléctrica, JOHN (2015).
O gerador é a parte principal responsável pela energia eólica produzida, é um equipamento
simples, em geral consiste de um condutor e de imãs.

Fonte: www.cresesb.cepel.br

6. Princípio de transformação em Energia 


Na actualidade utiliza-se a energia eólica para mover aerogeradores- grandes turbinas
colocadas em lugares de muito vento. Essas turbinas têm a forma de um cata-vento ou um
moinho. Esse movimento, através de um gerador, produz energia. Precisam agrupar-se
em parques eólicos, concentrações de aerogeradores, necessários para que a produção de
energia se torne rentável, mas podem ser usados isoladamente, para alimentar localidades
6

remotas e distantes da rede de transmissão. É possível ainda a utilização de aerogeradores de


baixa tensão quando se trate de requisitos limitados de energia eléctrica, JOHN (2015).
A energia eólica pode ser considerada uma das mais promissoras fontes naturais de energia,
principalmente porque é renovável, ou seja, não se esgota, limpa, amplamente distribuída
globalmente e, se utilizada para substituir fontes de combustíveis fósseis, auxilia na redução
do efeito estufa. Em países como o Brasil, que possuem uma grande malha hidrográfica, a
energia eólica pode se tornar importante no futuro, porque ela não consome água, que é um
bem cada vez mais escasso e que também vai ficar cada vez mais controlado. Em países com
uma malha hidrográfica pequena, a energia eólica passa a ter um papel fundamental já nos
dias actuais, como talvez a única energia limpa e eficaz nesses locais. Além da questão
ambiental, as turbinas eólicas possuem a vantagem de poderem ser utilizadas tanto em
conexão com redes eléctricas como em lugares isolados, não sendo necessário a
implementação de linhas de transmissão para alimentar certas regiões (que
possuam aerogerador).  

7. TURBINA EÓLICA
As Turbinas eólicas ou aerogeradores, têm como função transformar a energia cinética do
vento em energia mecânica e consequentemente em energia eléctrica.

Fonte: www.cresesb.cepel.br
8. Componentes da Turbina Eólica
 Rotor
 Embreagem
 Torre
 Fundação
 Lâminas
 Gerador
7

A torre da turbina eólica suporta o nascele e o rotor. Geralmente, é vantajoso usar uma torre
alta, uma vez que a velocidade do vento aumenta com a distância ao solo. Uma turbina
moderna de 1 MW tem uma torre com 50 a 80 metros (corresponde à altura de um edifício
com cerca de 17 – 27 andares).

As torres podem ser tubulares (tal como as mostradas nas figuras) ou torres em treliça. As
torres tubulares são mais seguras para os técnicos que efetuam a manutenção das turbinas, já
que podem utilizar uma escada interior para alcançar o seu topo.

9. O gerador eléctrico das turbinas eólicas


O gerador da turbina eólica converte a energia mecânica em energia elétrica. Os geradores
para turbinas eólicas não são muito comuns, quando comparados com outras unidades
geradoras ligadas à rede elétrica. A razão deve-se ao facto do gerador ter de utilizar uma fonte
de energia (o rotor da turbina) que fornece energia mecânica muito variável (torque).

Fonte: DWTMA 1998

10. Análise de uma turbina eólica


A curva de potência de uma turbina eólica consiste numa representação gráfica da variação da
potência eléctrica, PT fornecida pela turbina (quantidade de energia por segundo) com a
velocidade do vento. As curvas de potência de uma determinada turbina eólica são fornecidas
pelos fabricantes. Na verdade, o procedimento experimental consiste em sujeitar a turbina
eólica (ligada electricamente a uma carga exterior conhecida) à acção do vento. Para cada
valor da velocidade do vento, o fabricante mede a queda de potencial U e a intensidade da
corrente elétrica I que atravessa essa carga externa. A potência PT é igual ao produto da
queda de potencial U pela intensidade da corrente elétrica I que atravessa essa carga externa :
PT = U × I.
A figura mostra a curva de potência de uma turbina eólica (potência nominal = 600 kW) com
altura de 50 m e cujo diâmetro do rotor é igual a 43 m ( área de giro ≅ 1452,2 m2 ).
8

Potencia (kw) Curva da potencia da turbina

Velocidade do vento (m/s)

Fonte: Joaquim Carneiro


9

11. PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO

Fonte: Joaquim Carneiro


10

12. Tipos de Torres

Fonte: atlas das energias renováveis de moçambique, 2014

13. Vantagens de Energia Eólica


 Energia limpa (não gera quaisquer emissões poluentes);
 Permite diminuir a dependência energética do petróleo na geração de energia eléctrica;
 Permite distribuição de riqueza em zonas carenciadas;
 Acrescenta valor a áreas até agora sem qualquer perspectiva de desenvolvimento
económico;

14. Desvantagens de Energia Eólica


 Fonte flutuante de produção dificilmente previsível;
 Elevado investimento inicial;
 Não dá garantia de potência (ou dá muito pouca);
 Redução de áreas de cultivo;
11

 Os aerogeradores são ruidosos.

15. Estratégia de negócio


 Para a implantação de um campo eólico requere Robustez financeira, como também
uma extensa área.
 Estudo do mercado.
 Elaboração do Plano de negócio.

16. Reflexão Sobre Energia eólica em Moçambique


Com vista a melhorar outros tipos de sistemas energéticos em Moçambique, nesta parte
fizemos uma avaliação do potencial energético, tendo em conta que muitos projectos de
vários níveis não estão a ser implementados. Esta avaliação é caracterização do potencial para
a produção de energia eléctrica dos recursos renováveis existentes (eólico).

Em termos globais, Moçambique apresenta um enorme potencial renovável de


mais de 23 TW e milhares de possíveis projectos, desde pequenos projectos de
electrificação rural até às grandes hídricas do Zambeze. Deste potencial,
cerca de 7 GW ou seja mais de 500 projectos, maioritariamente
hidroeléctricos, mas também eólicos, solares, de biomassa e geotérmicos,
constituem soluções e alternativas para o sistema eléctrico de Moçambique.
(ATLAS DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS DE MOÇAMBIQUE, 2014).

Em Moçambique os sistemas Eólicos, Biomassas e Geotérmicas apenas existem em projectos,


faltando assim a sua materialização já que estão comprovados que o potencial é competitivo.
Esta abordagem remete-nos a olhar nos sistemas disponíveis como recursos hídricos. A passo
que energia solar Fotovoltaica e Térmica esta sendo usada como nos referimos a prior. Falta
apenas a sua maximização, tendo em vista que maior parte dos projectos feitos atinentes a
energia solar visam melhorar o potencial fornecido a partir da HCB que é dito como fraco e
não sustentável para a industrialização em Moçambique.

Moçambique apresenta um regime de ventos de intensidade média-baixa com velocidades


predominantemente entre os 4 e os 6 metros por segundo a 80 metros acima do nível do solo
(a.n.s.), com excepção da zona sul do país e das zonas altas no centro e norte do país onde os
ventos atingem valores mais elevados.

Junto à costa o clima de ventos é essencialmente influenciado pelas brisas marítimas durante
o dia e as brisas terrestres durante a noite, verificando-se maior intensidade do vento no final
12

do dia e de madrugada. O regime de ventos nas zonas costeiras apresenta-se bastante estável
ao longo do ano com maior intensidade nos meses de Setembro a Novembro.
Nas zonas de montanha o clima é tropical de altitude. Nas zonas de montanha interiores,
em particular na província de Tete, os ventos apresentam uma maior oscilação sazonal com
uma redução mais significativa no período de Dezembro a Março.
O maior potencial eólico Pode observar-se nas Províncias de maputo, tete, Litoral de sofala,
de Inhambane e de gaza.
Foram identificados e visitados mais de 60 locais ao longo de mais de 8.500 km em todo o
território moçambicano.

O primeiro mapeamento do potencial eólico para Moçambique foi realizado a partir do


modelo de Mesoscala MM5, com base nos dados globais do Projecto Reanalysis
NCEP/NCAR.
Com base no mapeamento de vento em mesoescala, das principais condicionantes
ambientais, legais e técnicas, bem como da orografia, foram identificados e visitados mais de
60 locais ao longo de mais de 8.500 km em todo o território moçambicano. Foram
seleccionadas 35 localizações onde foram instaladas estações meteorológicas para medição
do recurso eólico.
Durante mais de um ano foram recolhidos e analisados mensalmente os dados de medição
das 35 estações.
Com base nas medições do recurso eólico, registadas ao longo de mais de um ano, e tendo
em conta as principais restrições e condicionantes, foram seleccionados os locais com maior
potencial para o desenvolvimento de parques eólicos.
Para estes locais foi simulada a velocidade média do vento utilizando grelhas de recurso com
uma resolução entre 10 x 10 m e 20 x 20 m para áreas entre os 100 km2 e os 400 km2 em
redor das estações de medição.
Com o resultado do mapeamento das velocidades médias do vento, e tendo em linha de conta
as perdas por efeitos de esteira entre os aerogeradores, foram optimizadas as localizações
dos aerogeradores e simuladas as estimativas de produção eólica aerogerador a
aerogerador.
13

17. 4,5 GW DE CAPACIDADE TOTAL, DOS QUAIS 1,1 GW COM POTENCIAL


DE LIGAÇÃO IMEDIATA À REDE
Dos 1,1 GW de projectos com potencial de ligação imediata à rede, cerca de 230 MW são
considerados projectos com elevado potencial, caracterizando-se por apresentar mais de 3.000
horas equivalentes à potência nominal (NEPs).
Os restantes 3,4 GW de potenciais projectos eólicos identificados apresentam como principal
constrangimento ao seu desenvolvimento a débil rede eléctrica de Moçambique, (ATLAS DAS
ENERGIAS RENOVÁVEIS DE MOÇAMBIQUE, 2014).
14

18. Conclusão
O papel crescente de fontes renováveis intermitentes, como a energia eólica, provoca
preocupações sobre a confiabilidade do sistema e levanta a questão de o quanto esses recursos
podem contribuir para reduzir a dependência dos combustíveis fósseis, diminuir as emissões
de carbono no sector eléctrico e aumentar a diversidade de geração. São muitos os desafios à
plena integração das fontes intermitentes, sendo o principal o atendimento à carga em todos os
momentos dado a natureza não controlável destes recursos. Contudo, uma série de
possibilidades surge para auxiliar sua inserção, como a ampliação da transmissão, o
armazenamento de energia, a gestão de carga, a flexibilização da carga, entre outras. Neste
contexto, o importante a considerar é a necessidade de compreender o tamanho do problema,
o valor de cada opção dentro das características e limitações de cada sistema, e a importância
do planejamento energético visando comtemplar o melhor conjunto de soluções mantendo as
premissas de funcionamento dos sistemas eléctricos (como confiabilidade, modicidade
tarifária e universalização do atendimento).

“Segundo NAMBURETE (2014) Moçambique sempre apostou e continuará a apostar no


aproveitamento do seu potencial de energia renovável”
15

19. Bibliografia
AMARANTE, O. A. C. et al. Atlas do Potencial Eólico Brasileiro, 2001.

ABDI. Mapeamento da Cadeia Produtiva da Indústria Eólica no Brasil. Brasil: ABDI, 2014.

ABNT. ABNT NBR IEC 61400-21Turbinas eólicas - Parte 21: Medição e avaliação das
características da qualidade da energia de aerogeradores conectados à rede, 22 out. 2010.

ATLAS DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS DE MOÇAMBIQUE, Recursos e Projectos


para Produção de Electricidade, 1a Edição 2000/2014 , Copyright © Gesto-Energia, S.A.
RIBEIRO, H. C. M. Projecto de Mecanismo de Desenvolvimento Limpo-Revista de
administracao, contabilidade e sustentabilidade-Vol.2- 2 Edicao Especial Rio, Agosto de
2012.
Atlas das energias Renováveis de Moçambique, Funae, Ministério de energia.
Atlas of África, Energy Resources, 2017.
Annual Report - HCB (2010 -2017).
John Twidell & Tony Weir, Renewable Energy Resources. 2nd Edition. Taylor & Francis,
2006.
John Twidell & Tony Weir, Renewable Energy Resources. 3nd Edition. Taylor & Francis,
2015.
Boeker Grondelle & Rienk van Grondelle, Environmental Physics. Sustainable Energy and
Climate Change. 3rd Edition, John Wiley, 2012.

Você também pode gostar