Você está na página 1de 138

APOSTILA ESQUEMATIZADA - FUNSAÚDE

PROF. DÉCIO FERNANDES

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 2


DICAS PARA SUA PROVA!

1. Avalie o seu dia a dia:


O primeiro passo para criar um plano de estudos que seja eficiente é avaliar a
sua rotina. Considere os seguintes pontos: Quanto tempo tenho disponível na
semana? Quais as prioridades ? Melhor local para estudos: cursinho ou em casa?
Turno que tenho melhor rendimento?

Crie um calendário semanal e inclua nele as suas obrigações!

2. Elaborar um cronograma semanal com as disciplinas a serem estudadas:


Agora é o momento de listar todas as disciplinas que serão cobradas na sua
prova e estruturar os seus estudos. Faça um cronograma de acordo com sua
disponibilidade e recursos disponíveis, tais como: curso online e conteúdos
impressos, assim como as matérias que pretende estudar por dia. Tente
intercalar disciplinas em que você tem mais facilidade com aquelas que exigem
um esforço maior.

3. Perfil da banca de prova:


É de suma importância conhecer sua banca a fim de otimizar seus estudos, visto
que muitas seguem perfil firmado de elaboração de questões. Contudo é
indispensável resolver provas de bancas semelhantes com objetivo de
incrementar o automatismo na hora da prova. Pense que nossa mente precisa de
treino, portanto quanto mais você treina, mais rápido será o processamento
dessas informações.

4. Cuidado com as distrações:


Muito cuidado na hora de cumprir seu cronograma com as distrações do seu
ambiente de estudo, principalmente o uso do celular nas redes sociais. Primordial
que seu momento de estudar para concurso seja focado e com a maior atenção
possível, a fim de otimizar seu rendimento no dia da prova e no decorrer da sua
preparação. Sugestão é ligar MODO AVIÃO durante o momento de estudos de
acordo com seu planejamento, outro ponto importante são pequenas pausas a
cada 1 ou 2 horas de estudo. LEMBRE-SE: FOCO É TUDO!

3. Metodologias de estudo:
Na sua rotina de estudos procure variar as formas de aprendizagem, tais como:
leitura de referências, artigos de revisão, esquemas e resumos, mapas mentais e
muitas, mas eu disse inúmeras questões de concursos. Essas questões e muitas
provas podem ser acessadas gratuitamente por alguns sites: pciconcursos.com.br
e qconcursos.com.
Portanto siga o método 3F: FORÇA, FOCO E FÉ!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 3


CONTEÚDO ESPECÍFICO DE FISIOTERAPEUTA GERAL

1. Fundamentos de fisioterapia.

2. Métodos e técnicas de avaliação, tratamento e procedimentos em fisioterapia.

3. Provas de função muscular, cinesiologia e biomecânica.

4. Técnicas básicas em cinesioterapia motora, manipulações e cinesioterapia respiratória.

5. Análise da marcha, técnicas de treinamento em locomoção e deambulação.

6. Indicação, contraindicação, técnicas e efeitos fisiológicos da mecanoterapia, hidroterapia,

massoterapia, eletroterapia, termoterapia superficial e profunda e crioterapia.

7. Prescrição e treinamento de órteses e próteses.

8. Anatomia, fisiologia e fisiopatologia.

9. Semiologia e procedimentos fisioterápicos.

10. Fisioterapia em Promoção da Saúde / preventiva.

11. Fisioterapia em ortopedia, neurologia, ginecologia/obstetrícia, cardiorrespiratória e pediátrica.

12. Ventilação mecânica invasiva e não invasiva.

13. Fisioterapia em pré e pós-operatório.

14. Assistência fisioterapêutica domiciliar.

15. Reabilitação Baseada na Comunidade (RBC).

16. Ética e legislação profissional: ética profissional, responsabilidade e trabalho em equipe. Portaria

nº 2.436/2017: aprova a Política Nacional de Atenção Básica – PNAB.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 4


ÉTICA E LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL: ÉTICA PROFISSIONAL, RESPONSABILIDADE E TRABALHO EM EQUIPE

Caro concurseiro da Fisioterapia, foi publicado no último dia 07 de Julho de 2021 uma nova resolução do
COFFITO (Resolução 532 de 24/06/2021) alterando os Códigos de Ética e Deontologia da Fisioterapia e da
Terapia Ocupacional. Esta resolução autoriza a divulgação de imagens, textos e áudios relativos a
procedimentos fisioterapêuticos e terapêuticos ocupacionais, devido às mídias sociais ganharam enorme
expressão e repercussão como veículo de divulgação de assuntos de interesse das profissões. Fique atento aos
trechos a seguir:

Art. 1º Fica autorizada a divulgação de imagens, textos e áudios autênticos de pacientes/clientes/usuários


acompanhados ou não do fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional responsável que realizou o procedimento,
desde que com autorização prévia deste ou de seu representante legal, através de Termo de Consentimento
Livre e Esclarecido – TCLE.

OBS: Muito atento para meio de autorização para as devidas publicações→ Termo de Consentimento Livre e
Esclarecido – TCLE. A banca pode colocar declaração ou algum termo similar. CUIDADO!

Art. 2º Fica autorizada a divulgação de imagens, textos e áudios, autênticos, relativos à assistência
fisioterapêutica ou terapêutica ocupacional pelo profissional responsável pela realização do procedimento,
desde que com autorização prévia do paciente/cliente/usuário ou de seu representante legal, através de Termo
de Consentimento Livre e Esclarecido.

OBS: CUIDADO, artigos 1 e 2 bem similares na escrita e informação!

Art. 3º Fica proibido o uso de expressões escritas ou faladas que possam caracterizar o sensacionalismo, a
concorrência desleal, a promessa de resultado infalível ou restrições previstas no código de ética profissional.

OBS: O artigo 3 consiste numa proibição.

Art. 4º Em todas as publicações de imagens, textos e áudios deverão constar o nome do profissional e o seu
número de inscrição, além da data das imagens, textos e áudios, sendo vedada a divulgação de casos clínicos de
autoria de terceiros.

OBS: O mais perigoso de cair na prova, visto que pode ser muito bem alterado sua escrita, tais como: afirmar
que pode apenas com nome do profissional ou apenas com número de inscrição, é necessário ambos: NOME e
NÚMERO de INSCRIÇÃO. Além da data na referida publicação!

Art. 5º Em todas as hipóteses, será considerada infração ética, de manifesta gravidade, a divulgação de imagens,
textos e áudios de pacientes em desacordo com essa norma e demais normas pertinentes.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 5


De acordo com Teló (2021), temos alguns pontos levemente alterados do código de ética:

Art. 6º O Código de Ética e Deontologia da Fisioterapia, Resolução nº 424, de 8 de julho de 2013, passa a vigorar
com as seguintes alterações:

“Art. 10 …………………………………………………………………………………

V – divulgar, para fins de autopromoção, declaração, atestado, imagem, áudio, ou carta de agradecimento
emitida por cliente/paciente/usuário ou familiar deste, em razão de serviço profissional prestado; SALVO
QUANDO EXPRESSAMENTE AUTORIZADO PELO CLIENTE/PACIENTE/USUÁRIO OU SEU RESPONSÁVEL LEGAL;

“Art. 15 …………………………………………………………………….

V – inserir em anúncio ou divulgação profissional, bem como expor em seu local de atendimento/trabalho,
nome, iniciais de nomes, endereço, fotografia, inclusive aquelas que comparam quadros anteriores e
posteriores ao tratamento realizado, ou qualquer outra referência que possibilite a identificação de
cliente/paciente/usuário, SALVO COM A AUTORIZAÇÃO FORMAL PRÉVIA DO CLIENTE/PACIENTE/USUÁRIO OU
DO RESPONSÁVEL LEGAL.

ATENÇÃO → Parágrafo único. Havendo autorização formal, a divulgação de imagens, textos e áudios de
cliente/paciente/usuário poderá ser reproduzida, em quaisquer meios de comunicação, inclusive para
finalidade comercial, vedada, ainda assim, qualquer forma de identificação, exceto se expressamente
autorizada pelo cliente/paciente/usuário, observando-se, em qualquer hipótese, a dignidade da profissão e do
paciente, além da autenticidade da imagem.” (NR)

“Art. 32 …………………………………………………………………….

III – fazer referência a casos clínicos identificáveis, exibir cliente/paciente/usuário, sua imagem ou áudio em
anúncios profissionais ou na divulgação de assuntos fisioterapêuticos em qualquer meio de comunicação, salvo
quando autorizado expressamente pelo cliente/paciente/usuário ou seu responsável legal, observando a
dignidade da profissão e do paciente.” (NR)

“Art. 41. No exercício da docência, preceptoria, pesquisa, produção científica e em eventos de natureza
acadêmica, o fisioterapeuta deverá nortear sua prática de ensino, pesquisa e extensão nos princípios
deontológicos, éticos e bioéticos da profissão e da vida humana, observando:
…………………………………………………………………………………” (NR)

“Art. 46. Ao promover publicamente os seus serviços, em qualquer meio de comunicação, o fisioterapeuta deve
fazê-lo com exatidão e dignidade, VEDADA A PROMESSA DE RESULTADO INFALÍVEL, observando os preceitos
deste Código, bem como as normas do Conselho Federal de Fisioterapia e de Terapia Ocupacional.” (NR)

Portanto, muita atenção com a nova resolução do COFFITO para não perder a questão certa!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 6


1. (FURB / Universidade Regional de Blumenau-SC / 2021) Em relação à ética, afirma-se:
I- Os principais valores compreendidos na ética da saúde global são justiça social, equidade e solidariedade.
II- A ética se refere a toda e qualquer ação ou atividade realizada ou exercida de forma coerente e em consonância
com critérios como justiça e equidade.
III- A ética é uma teorização do agir. Assim, contribui de uma forma abrangente no que se requer a uma
perspectiva puramente individual. É correto o que se afirma em:
A) I, apenas.
B) II, apenas.
C) III, apenas.
D) I e II, apenas
E) I, II e III.
COMENTÁRIOS: Questões sobre ética são comuns em muitas bancas de concursos e para diversos cargos da
saúde, portanto alguns pontos precisam ser revisados, conforme o resumo prático a seguir:
RESUMO PRÁTICO - ÉTICA PROFISSIONAL

Definição → A ética não é apenas uma teorização do agir, da moral, ela é uma prática que está vinculada
diretamente à ação humana na sociedade. Logo, ela é evidenciada em contextos diferentes na sociedade, como
por exemplo, no político, no social, no econômico e no educacional. Assim contribui de uma forma abrangente
no que se requer a uma perspectiva coletiva e não puramente individual.

A ética busca a fundamentação teórica para buscar uma melhor forma de viver e conviver em uma sociedade.

Ela não pode ser confundida com uma lei, mesmo que algumas leis tenham base em princípios éticos. Ser ético é
agir de forma correta perante as situações do cotidiano, tomando decisões que não prejudiquem ninguém e
cumpra com os valores estabelecidos pela sociedade em que se vive.
Mediante o esboço acima vamos analisar os devidos quesitos:
I- Os principais valores compreendidos na ética da saúde global são justiça social, equidade e solidariedade.
Item VERDADEIRO: Considerou-se que a saúde, como bem público global, tem a justiça social, a equidade e a
solidariedade como seus valores éticos orientadores. Tais valores levantam questões a serem aprofundadas pela
reflexão ética.

II- A ética se refere a toda e qualquer ação ou atividade realizada ou exercida de forma coerente e em consonância
com critérios como justiça e equidade.
Item VERDADEIRO: Colocação essencial do que propõem a ética profissional.
OBS: Lembre-se de resolver questões pelo BOM-SENSO!

III- A ética é uma teorização do agir. Assim, contribui de uma forma abrangente no que se requer a uma
perspectiva puramente individual.
Item FALSO: Fica o lembrete→ ÉTICA é de forma abrangente no que se requer a uma perspectiva COLETIVA e não
puramente individual.

2. (IDCAP / Prefeitura de Pedrão-BA / 2021) Acerca da ética profissional na fisioterapia, marque a alternativa
CORRETA:
A) Não é necessário que o fisioterapeuta comunique à chefia imediata da instituição em que trabalha ou à
autoridade competente, fato que tenha conhecimento que seja tipificado como crime, contravenção ou infração
ética.
B) É proibido ao fisioterapeuta divulgar, para fins de autopromoção, declaração, atestado, imagem ou carta de
agradecimento emitida por cliente/paciente/usuário ou familiar deste, em razão de serviço profissional prestado.
C) É permitido ao fisioterapeuta negar a assistência ao ser humano ou à coletividade mesmo em caso de
indubitável urgência.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 7


D) O fisioterapeuta não deve manter segredo sobre fato sigiloso de que tenha conhecimento em razão de sua
atividade profissional, nem exigir o mesmo comportamento do pessoal sob sua direção.
COMENTÁRIOS: Caro candidato, preste atenção a respeito de algumas proibições, visto que tivemos atualização
sobre essa temática com a Resolução 532 de 24/06/2021.
O artigo 10 da Resolução 424 foi alterado e deve ser observado que a partir dessa atualização é permitido
divulgar, para fins de autopromoção, declaração, atestado, imagem, áudio, ou carta de agradecimento emitida por
cliente/paciente/usuário ou familiar deste, em razão de serviço profissional prestado; SALVO QUANDO
EXPRESSAMENTE AUTORIZADO PELO CLIENTE/PACIENTE/USUÁRIO OU SEU RESPONSÁVEL LEGAL, ou seja,
paciente assinando o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido – TCLE será permitido tal ato pelo profissional
de Fisioterapia e/ou Terapia Ocupacional.
A referida questão apesar de ser 2021 foi elaborada antes dessa atualização de 07 de Julho de 2021, por isso no
gabarito oficial consta item B. Segue referência dos demais itens:
A) Art. 7º → O fisioterapeuta deve comunicar à chefia imediata da instituição em que trabalha ou à autoridade
competente, fato que tenha conhecimento que seja tipificado como crime, contravenção ou infração ética.
B) Art. 10º. É proibido ao fisioterapeuta: I - negar a assistência ao ser humano ou à coletividade em caso de
indubitável urgência;
D) Art. 9º → IV - manter segredo sobre fato sigiloso de que tenha conhecimento em razão de sua atividade
profissional e exigir o mesmo comportamento do pessoal sob sua direção, salvo situações previstas em lei;

3. (VUNESP / Prefeitura de Itanhaém - SP / 2017) O parâmetro básico para fixação de honorários do
fisioterapeuta, de acordo com o Código de Ética Profissional, é
A) o salário-base de enfermeiros.
B) o piso salarial da FENAFITO.
C) o salário-mínimo nacional.
D) o salário-base de profissionais de saúde.
E) a referência nacional de procedimentos fisioterapêuticos.

Lembre-se: Art. 37. O fisioterapeuta, na fixação de seus honorários, deve considerar como parâmetro básico o
REFERENCIAL NACIONAL DE PROCEDIMENTOS FISIOTERAPÊUTICOS.

4. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) De acordo com o Código de Ética Profissional de Fisioterapia e
Terapia Ocupacional, é proibido ao Fisioterapeuta e ao Terapeuta Ocupacional
A) dispensar honorários da pessoa que viva sob dependência econômica.
B) delegar suas atribuições, salvo por motivo relevante.
C) desempenhar sua função com exação.
D) responsabilizar‐se pelo desempenho técnico de pessoal sob sua direção.
E) informar ao cliente o diagnóstico e o prognóstico fisioterápico.
COMENTÁRIOS: Questão elaborada com base na RESOLUÇÃO COFFITO Nº 10, 3 DE JULHO DE 1978. O item correto
tem por base o artigo 8º → É proibido ao fisioterapeuta e ao terapeuta ocupacional, nas respectivas áreas de
atuação:
Inciso XIV – delegar suas atribuições, salvo por motivo relevante;
Os demais itens podem ser analisados pelo:

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 8


5. (VUNESP / Prefeitura de Itanhaém - SP / 2017) Assinale a alternativa correta com relação à Ética Profissional.
A) O fisioterapeuta deve portar sua identificação profissional apenas se trabalhar com pacientes domiciliares.
B) O fisioterapeuta deve portar sua identificação profissional apenas se trabalhar em hospital.
C) O fisioterapeuta deve portar sua identificação profissional apenas se trabalhar em clínicas.
D) O fisioterapeuta deve portar sua identificação profissional sempre que estiver no exercício da função.
E) É facultativo ao fisioterapeuta portar sua identidade profissional, devendo utilizá-la apenas nas eleições do
conselho.
COMENTÁRIOS: Cuidado com os primeiros artigos da Resolução 424, visto que são abordados por muitas bancas.
CAPÍTULO II – DAS RESPONSABILIDADES FUNDAMENTAIS

Artigo 3º – Para o exercício profissional da Fisioterapia é obrigatória a inscrição no Conselho Regional da


circunscrição em que atuar na forma da legislação em vigor, mantendo obrigatoriamente seus dados cadastrais
atualizados junto ao sistema COFFITO/CREFITOS.

§ 1º: O fisioterapeuta deve portar sua identificação profissional sempre que em exercício.

§ 2º: A atualização cadastral deve ocorrer MINIMAMENTE A CADA ANO, respeitadas as regras específicas quanto
ao recadastramento nacional.

ATENÇÃO → Artigo 4º- O fisioterapeuta presta assistência ao ser humano, tanto no plano individual quanto
coletivo, participando da promoção da saúde, prevenção de agravos, tratamento e recuperação da sua saúde e
cuidados paliativos, sempre tendo em vista a qualidade de vida, sem discriminação de qualquer forma ou
pretexto, segundo os princípios do sistema de saúde vigente no Brasil. Cuidado com este artigo, muitas
organizadores costumam trocar alguns termos da escrita.

Artigo 5º – O fisioterapeuta avalia sua capacidade técnica e somente aceita atribuição ou assume encargo quando
capaz de desempenho seguro para o cliente/paciente/usuário, em respeito aos direitos humanos.

Artigo 6º – O fisioterapeuta protege o cliente/paciente/usuário e a instituição/programa em que trabalha contra


danos decorrentes de imperícia, negligência ou imprudência por parte de qualquer membro da equipe de saúde,
advertindo o profissional faltoso.

§ Único: Se necessário, representa à chefia imediata, à instituição, ao Conselho Regional de Fisioterapia e de


Terapia Ocupacional e/ou outros órgãos competentes, a fim de que sejam tomadas as medidas cabíveis para
salvaguardar a saúde, a participação social, o conforto e a intimidade do cliente/paciente/usuário e das famílias ou
a reputação profissional dos membros da equipe.

ATENÇÃO → Artigo 7º – O fisioterapeuta deve comunicar à chefia imediata da instituição em que trabalha ou à
autoridade competente, fato que tenha conhecimento que seja tipificado como crime, contravenção ou infração
ética. Esses termos podem ser trocados pelas bancas, cuidado!

6. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) A Resolução nº 10/1978, estabelece o


Código de Ética e Deontologia da Fisioterapia. No Art. 7º, são definidas as respectivas áreas de atuação do
fisioterapeuta e do terapeuta ocupacional. Com base no Art. 7º da referida Resolução, assinale a afirmativa
correta.
A) Cumprir parâmetros assistenciais e o referencial estadual de procedimentos fisioterapêuticos normatizados
pelo Crefitos.
B) Oferecer seus serviços profissionais de forma compatível com a dignidade da profissão e a leal concorrência,
inclusive a divulgação de procedimentos que comparem os quadros anteriores e posteriores ao tratamento
realizado.
C) Colocar seus serviços profissionais à disposição da comunidade em caso de guerra, catástrofe, epidemia ou
crise social, sem pleitear vantagem pessoal.
D) Avaliar sua capacidade técnica e somente aceitar atribuição ou encargo quando for especialista para um
desempenho seguro para o cliente/paciente/usuário, em respeito aos Direitos Humanos.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 9


COMENTÁRIOS: Cuidado com enunciado das questões de ética, pois temos duas resoluções básicas que podem
ser citadas no texto do enunciado, tais como: Resolução nº 10 de 1978 e Resolução 424 de 2013. Além disso,
preste atenção quanto à nova Resolução 532 de 24/06/2021. Visto que a referida questão cita a Resolução 10 de
1978, vamos ter ela como base para a resposta.
Art. 7º. São deveres do fisioterapeuta e do terapeuta ocupacional nas respectivas áreas de atuação:

I – exercer sua atividade com zelo, probidade e decoro e obedecer aos preceitos da ética profissional, da moral,
do civismo e das leis em vigor, preservando a honra, o prestígio e as tradições de suas profissões;

II – respeitar a vida humana desde a concepção até a morte, jamais cooperando em ato em que voluntariamente
se atente contra ela, ou que coloque em risco a integridade física ou psíquica do ser humano;

III – prestar assistência ao indivíduo, respeitados a dignidade e os direitos da pessoa humana,


independentemente de qualquer consideração relativa à etnia, nacionalidade, credo político, religião, sexo e
condições sócio-econômica e cultural e de modo a que a prioridade no atendimento obedeça exclusivamente a
razões de urgência;

IV – utilizar todos os conhecimentos técnicos e científicos a seu alcance para prevenir ou minorar o sofrimento do
ser humano e evitar o seu extermínio;

V – respeitar o natural pudor e a intimidade do cliente;

VI – respeitar o direito do cliente de decidir sobre sua pessoa e seu bem estar;

VII – informar ao cliente quanto ao diagnóstico e prognóstico fisioterápico e/ou terapêutico ocupacional e
objetivos do tratamento, salvo quanto tais informações possam causar-lhe dano;

CUIDADO EM PROVAS → VIII – manter segredo sobre fato sigiloso de que tenha conhecimento em razão de sua
atividade profissional e exigir o mesmo comportamento do pessoal sob sua direção;

IX – colocar seus serviços profissionais à disposição da comunidade em caso de guerra, catástrofe, epidemia ou
crise social, sem pleitear vantagem pessoal;

X – assumir seu papel na determinação de padrões desejáveis do ensino e do exercício da fisioterapia e/ou terapia
ocupacional;

XI – oferecer ou divulgar seus serviços profissionais de forma compatível com a dignidade da profissão e a leal
concorrência;

XII – cumprir e fazer cumprir os preceitos contidos neste Código e levar ao conhecimento do Conselho Regional de
Fisioterapia e Terapia Ocupacional o ato atentório a qualquer de seus dispositivos.

7. (FGV / SUSAM-AM / 2014) Com relação ao Código de Ética profissional do Fisioterapeuta, analise as afirmativas
a seguir.
I. É proibido ao fisioterapeuta prestar assistência a preço ínfimo, salvo nos casos previstos na legislação.
II. É dever do fisioterapeuta pertencer a, no mínimo, uma entidade associativa da classe e⁄ou a um sindicato.
III. É permitido ao fisioterapeuta emprestar seu nome e receber por serviços prestados por outros profissionais.
Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
E) se todas as afirmativas estiverem corretas.
COMENTÁRIOS: Vamos analisar os itens a seguir:

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 10


Item Verdadeiro → I. É proibido ao fisioterapeuta prestar assistência a preço ínfimo, salvo nos casos previstos na
legislação.
Artigo 39 – É proibido ao fisioterapeuta prestar assistência profissional gratuita ou a preço ínfimo, ressalvado o
disposto no artigo 38, entendendo-se por preço ínfimo, valor inferior ao Referencial Nacional de Procedimentos
Fisioterapêuticos.

Item Falso → II. É dever do fisioterapeuta pertencer a, no mínimo, uma entidade associativa da classe e⁄ou a um
sindicato.
Cuidado, não é dever, mas RECOMENDADO conforme Artigo 34 – É recomendado ao fisioterapeuta, com vistas à
responsabilidade social e consciência política, pertencer a entidades associativas da classe, de caráter cultural,
social, científico ou sindical, a nível local ou nacional em que exerce sua atividade profissional.

Item Falso → III. É permitido ao fisioterapeuta emprestar seu nome e receber por serviços prestados por outros
profissionais. QUESTÃO DE BOM SENSO!

8. (AOCP / Prefeitura de João Pessoa-PB / 2021) Referente ao código de ética e deontologia de fisioterapia,
assinale a alternativa correta.
A) É proibido divulgar, para autopromoção profissional, imagem ou carta de agradecimento de paciente referente
ao serviço prestado.
B) Deve-se cobrar comissão de um colega fisioterapeuta, quando for encaminhado paciente para ele.
C) A atualização cadastral no respectivo conselho deve acontecer minimamente a cada cinco anos, respeitadas as
regras específicas quanto ao recadastramento nacional.
D) Não é obrigatório colocar seus serviços profissionais à disposição da comunidade em caso de epidemia ou crise
social.
E) Não é responsabilidade fundamental cabível ao fisioterapeuta cumprir o referencial nacional de procedimentos
fisioterapêuticos normatizados pelo COFFITO. Os valores são sugestões a serem cobradas, cabendo ao
fisioterapeuta decidir valores de atendimentos e sessões de fisioterapia.
COMENTÁRIOS: Aqui podemos observar mais uma questão de 2021 elaborada antes da atualização do código de
ética. Portanto cuidado para a banca FGV, revisem a Resolução 532 de 24/06/2021. Pelo gabarito consta item A
correto na questão, visto ter sido feita antes da publicação da nova resolução.
Para os demais itens podemos utilizar o BOM SENSO!

Art. 6º O Código de Ética e Deontologia da Fisioterapia, Resolução nº 424, de 8 de julho de 2013, passa a vigorar
com as seguintes alterações:
“Art. 10 …………………………………………………………………………………
V – divulgar, para fins de autopromoção, declaração, atestado, imagem, áudio, ou carta de agradecimento
emitida por cliente/paciente/usuário ou familiar deste, em razão de serviço profissional prestado; SALVO
QUANDO EXPRESSAMENTE AUTORIZADO PELO CLIENTE/PACIENTE/USUÁRIO OU SEU RESPONSÁVEL LEGAL;
“Art. 15 …………………………………………………………………….
V – inserir em anúncio ou divulgação profissional, bem como expor em seu local de atendimento/trabalho,
nome, iniciais de nomes, endereço, fotografia, inclusive aquelas que comparam quadros anteriores e
posteriores ao tratamento realizado, ou qualquer outra referência que possibilite a identificação de
cliente/paciente/usuário, SALVO COM A AUTORIZAÇÃO FORMAL PRÉVIA DO CLIENTE/PACIENTE/USUÁRIO OU
DO RESPONSÁVEL LEGAL.

9. (VUNESP / Prefeitura de Campinas - SP / 2021) A respeito do Código de Ética e Deontologia da Fisioterapia, é


correto afirmar que
A) o fisioterapeuta presta assistência ao ser humano, tanto no plano individual quanto no coletivo, participando
da promoção da saúde, prevenção de agravos, tratamento e recuperação da sua saúde e cuidados paliativos.
B) o fisioterapeuta não é obrigado a colocar seus serviços profissionais à disposição da comunidade em caso de
guerra, catástrofe, epidemia ou crise social, sem pleitear vantagem pessoal.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 11


C) o fisioterapeuta não pode ser responsabilizado quando um erro for cometido na coletividade de uma instituição
ou de uma equipe.
D) não é obrigatório ao fisioterapeuta portar sua identificação profissional quando em exercício.
E) é um ato antiético representar um colega fisioterapeuta à chefia ou ao Conselho Regional de Fisioterapia que
cometeu um ato de imperícia, negligência ou imprudência.
COMENTÁRIOS: Vamos revisar alguns artigos da resolução 424 de 2013:
Artigo 4º- O fisioterapeuta presta assistência ao ser humano, tanto no plano individual quanto coletivo,
participando da promoção da saúde, prevenção de agravos, tratamento e recuperação da sua saúde e cuidados
paliativos, sempre tendo em vista a qualidade de vida, sem discriminação de qualquer forma ou pretexto, segundo
os princípios do sistema de saúde vigente no Brasil. Item A correto.
Artigo 9º. V – colocar seus serviços profissionais à disposição da comunidade em caso de guerra, catástrofe,
epidemia ou crise social, sem pleitear vantagem pessoal incompatível com o princípio da bioética de justiça. Item
B incorreto.
Artigo 18 – A responsabilidade do fisioterapeuta por erro cometido em sua atuação profissional, não é diminuída,
mesmo quando cometido o erro na coletividade de uma instituição ou de uma equipe, e será apurada na medida
de sua culpabilidade. Item C incorreto.
Artigo 6º – O fisioterapeuta protege o cliente/paciente/usuário e a instituição/programa em que trabalha contra
danos decorrentes de imperícia, negligência ou imprudência por parte de qualquer membro da equipe de saúde,
advertindo o profissional faltoso. § Único: Se necessário, representa à chefia imediata, à instituição, ao Conselho
Regional de Fisioterapia e de Terapia Ocupacional e/ou outros órgãos competentes, a fim de que sejam tomadas
as medidas cabíveis para salvaguardar a saúde, a participação social, o conforto e a intimidade do
cliente/paciente/usuário e das famílias ou a reputação profissional dos membros da equipe. Item D incorreto.

10. (VUNESP / Prefeitura de Sertãozinho - SP / 2017) Conforme o capítulo 5 do código de ética, que refere-se à
responsabilidade no exercício da fisioterapia, é proibido ao fisioterapeuta:
A) atuar em consonância com a política nacional de saúde, promovendo os preceitos da saúde coletiva no
desempenho das suas funções, cargos e cidadania, independentemente de exercer a profissão no setor público ou
privado.
B) divulgar e declarar possuir títulos acadêmicos que não possa comprovar ou de especialista profissional que não
atenda às regulamentações específicas editadas pelo Conselho Federal de Fisioterapia e de Terapia Ocupacional.
C) empenhar-se na melhoria das condições da assistência fisioterapêutica e nos padrões de qualidade dos serviços
de Fisioterapia, no que concerne às políticas públicas, à educação sanitária e às respectivas legislações.
D) ser solidário aos movimentos em defesa da dignidade profissional, seja por remuneração condigna, seja por
condições de trabalho compatíveis com o exercício ético profissional e seu aprimoramento.
E) ser pontual no cumprimento das obrigações pecuniárias inerentes ao exercício da Fisioterapia.
COMENTÁRIOS: Vamos revisar o capítulo V da Resolução 424 de 2013:
Artigo 26 – O fisioterapeuta deve atuar em consonância à política nacional de saúde, promovendo os preceitos da
saúde coletiva no desempenho das suas funções, cargos e cidadania, independentemente de exercer a profissão
no setor público ou privado. Cuidado que as bancas costumam trocar esse termo destacado, item A.

Artigo 27 – O fisioterapeuta deve empenhar-se na melhoria das condições da assistência fisioterapêutica e nos
padrões de qualidade dos serviços de Fisioterapia, no que concerne às políticas públicas, à educação sanitária e às
respectivas legislações. Item C.

Artigo 28 – O fisioterapeuta deve ser solidário aos movimentos em defesa da dignidade profissional, seja por
remuneração condigna, seja por condições de trabalho compatíveis com o exercício ético profissional e seu
aprimoramento. Item D.

Artigo 29 – O fisioterapeuta deve ser pontual no cumprimento das obrigações pecuniárias inerentes ao exercício
da Fisioterapia. Item E.

Importante ressaltar que um dos temas mais cobrados em provas sobre ética diz respeito às proibições:

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 12


Artigo 30 – É proibido ao fisioterapeuta:
I – promover ou participar de atividade de ensino ou pesquisa que não esteja de acordo com as normas
reguladoras da ética em pesquisa.

II – divulgar e declarar possuir títulos acadêmicos que não possa comprovar ou de especialista profissional que
não atenda às regulamentações específicas editadas pelo Conselho Federal de Fisioterapia e de Terapia
Ocupacional. Conforme enunciado podemos observar o item B correto.

III – utilizar para fins de identificação profissional titulações outras que não sejam aquelas reconhecidas pelo
Conselho Federal de Fisioterapia e de Terapia Ocupacional, salvo titulação acadêmica strictu sensu, ou omitir sua
titulação profissional sempre que se anunciar em eventos científicos, anúncio profissional e outros;

IV – substituir a titulação de fisioterapeuta por expressões genéricas, tais como: terapeuta corporal, terapeuta de
mão, terapeuta funcional, terapeuta morfoanalista, terapeuta holístico, repegista, quiropraxista, osteopata,
pilatista, bobatiano, esteticista, entre outros;

V – exigir de maneira antiética, de instituição ou cliente/paciente/usuário, outras vantagens além do que lhe é
devido em razão de contrato, honorários ou exercício de cargo, função ou emprego, como também receber, de
pessoa física ou jurídica, comissão, remuneração, benefício ou vantagem por encaminhamento de
cliente/paciente/usuário ou que não corresponda a serviço efetivamente prestado;

VI – deixar de comunicar formalmente ao Conselho Regional de Fisioterapia e de Terapia Ocupacional da região da


recusa do registro por parte de instituição ou serviços obrigados a tal registro.

VII – deixar de comunicar formalmente à instituição onde trabalha da necessidade de registro no Conselho
Regional de Fisioterapia e de Terapia Ocupacional da circunscrição, salvo nos casos das empresas legalmente
desobrigadas de tal registro;

VIII – trabalhar ou ser colaborador de entidade na qual sejam desrespeitados princípios éticos, bioéticos e a
autonomia profissional, bem como condições de adequada assistência ao cliente/paciente/usuário;

IX – promover ou participar de atividade de ensino ou pesquisa em que direito inalienável do ser humano seja
violado, ou acarrete risco à vida ou de dano a sua saúde, respeitando as normas éticas, bioéticas e legais em vigor.

X – utilizar equipamentos terapêuticos que não sejam reconhecidos pelo COFFITO de acordo com resolução
específica.

XI – usar formulários de instituições públicas para prescrever ou atestar fatos verificados em serviço privado.

XII – sob qualquer forma, a transmissão de conhecimento, ensinar procedimentos próprios da Fisioterapia visando
à formação profissional de outrem, que não seja, acadêmico ou profissional de Fisioterapia.

DICA: Revise esses artigos da Resolução 424/2013 → 10, 15, 25, 30, 32, 35, 39, 40 e 44.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 13


11. (FGV / OSASCO-SP / 2014) Com relação à caixa torácica, assinale V para a afirmativa verdadeira e F para a
falsa.
( ) O manúbrio e o corpo esternal possuem articulação fibrocartilaginosa, o que permite uma ação de alavanca do
corpo esternal durante a respiração.
( ) O movimento respiratório conhecido como “alça de balde” é possível devido, exclusivamente, à existência e à
ação das costelas flutuantes.
( ) Os músculos intercostais internos têm origem na borda inferior de uma costela superior e possuem a função
de deprimir as costelas. As afirmativas são, respectivamente,
A) F, V e F.
B) F, V e V.
C) V, F e V.
D) V, V e F.
E) F, F e V.
COMENTÁRIOS: Anatomia é uma das matérias básicas essenciais para qualquer concurso de Fisioterapia. Em
relação aos itens vamos analisar cuidadosamente:
( V ) O manúbrio e o corpo esternal possuem articulação fibrocartilaginosa, o que permite uma ação de alavanca
do corpo esternal durante a respiração.
Articulação manúbrio-esternal é classificada como anfiartrose do tipo sincondrose ou sínfise. Cuidado que a banca
citou esta como sendo articulação fibrocartilaginosa, ou seja, ela entra dentro da classificação mista, incomum em
provas. Vamos revisar de acordo com site auladeanatomia.com:

ANFIARTROSE
Sincondroses Sínfises

Os ossos de uma articulação do tipo sincondrose estão As superfícies articulares dos ossos unidos por
unidos por uma cartilagem hialina. Muitas sincondroses sínfises estão cobertas por uma camada de
são articulações temporárias, com a cartilagem sendo cartilagem fibrosa ou fibrocartilagem. Entre os ossos
substituída por osso com o passar do tempo (isso ocorre da articulação, há um disco fibrocartilaginoso, sendo
em ossos longos e entre alguns ossos do crânio). As essa a característica distintiva da sínfise. Esses discos
articulações entre as dez primeiras costelas e as por serem compressíveis permitem que a sínfise
cartilagens costais são sincondroses permanentes. absorva impactos. A articulação entre os ossos
púbicos e a articulação entre os corpos vertebrais são
exemplos de sínfises.

Sincondrose cranianas: Esfeno-etmoidal, Sínfise: *Manúbrio-esternal, Intervertebrais,


esfeno-petrosa, intra-occipital anterior e intra-occipital Sacrais, Púbica e Mentoniana.
posterior.
Sincondrose Pós-cranianas: Epifisiodiafisárias,
Epifisiocorporal, Intra-epifisária, Esternais,
*Manúbrio-esternal, Xifoesternal e Sacrais

OBS:

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 14


( F ) O movimento respiratório conhecido como “alça de balde” é possível devido, exclusivamente, à existência e à
ação das costelas flutuantes.
Da 7ª à 10ªcostelas (as 11ª e 12ª costelas não possuem tubérculo e, portanto, não têm articulações
costotransversais) as facetas articulares destas e dos respectivos processos transversos são planas, o que leva o
tubérculo costal a se deslocar superior e inferiormente sobre o processo transverso, ao longo de um eixo que vai
da articulação costovertebral à articulação esternocondral ou intercondral. Este movimento, associado à
obliqüidade das costelas, faz com todo o arco costal se mova lateralmente, aumentando assim o diâmetro
látero-lateral do tórax e é tradicionalmente conhecido como “alça de balde”, por lembrar o movimento de uma
alça de balde em torno de suas dobradiças. Portanto esse movimento não é dependente das costelas flutuantes.
( V ) Os músculos intercostais internos têm origem na borda inferior de uma costela superior e possuem a função
de deprimir as costelas.
Os músculos intercostais internos e externos se cruzam em “X”. As fibras dos intercostais externos se dirigem de
superior para inferior e de posterior para anterior. Já as fibras dos intercostais internos se dirigem de superior para
inferior e de anterior para posterior.

12. (IBFC / EBSERH / 2020) A caixa torácica durante a inspiração realiza dois movimentos: no primeiro movimento
ocorre um aumento do diâmetro transverso do tórax devido à elevação das costelas e no segundo movimento
ocorre um aumento do diâmetro ântero-posterior do tórax devido à elevação e à projeção anterior do esterno.
Assinale a alternativa correta que corresponde, respectivamente, ao primeiro e segundo movimentos citados
acima.
A) alça de balde e braço de bomba.
B) braço de bomba e alça de balde.
C) elevação e depressão.
D) alça de balde e braço de bomba.
E) bomba e balde.

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 15


13. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) O oxigênio e o dióxido de carbono se
movem entre o ar e o sangue por uma difusão simples. A Lei de Fick afirma que a quantidade de gás que se move
por meio de uma lâmina de tecido é proporcional à área dessa lâmina, mas inversa à sua espessura. Quando o
oxigênio difunde de gás alveolar, através da membrana alvéolo-capilar, para a hemoglobina, ele atravessa as
seguintes camadas:
A) epitélio alveolar, surfactante, interstício, endotélio, plasma e membrana eritrocitária.
B) surfactante, epitélio alveolar, interstício, endotélio, plasma e membrana eritrocitária.
C) epitélio alveolar, surfactante, interstício, membrana eritrocitária, plasma e endotélio.
D) surfactante, endotélio alveolar, interstício, epitélio, plasma e membrana eritrocitária.
COMENTÁRIOS: A membrana alvéolo-capilar é muito fina e tem uma área entre 50 e 100 m2. Portanto, é bem
capacitada para a sua função de troca gasosa. Observe a imagem a seguir:

A sequência das camadas visualizando


pela seta da imagem é:
Camada de Surfactante → epitélio
alveolar → interstício → endotélio →
plasma e por fim membrana
eritrocitária. Portanto, item B correto!

14. (IBADE / IAPEN-AC / 2020) A difusão dos tecidos é descrita pela lei de Fick. É CORRETO afirmar sobre a Lei de
Fick:
A) a lei de Fick afirma que a taxa de transferência de gás através de uma lâmina de tecido é inversamente
proporcional a área tecidual.
B) a lei de Fick afirma que a taxa de transferência de gás através de uma lâmina de tecido é proporcional a área
tecidual.
C) a lei de Fick afirma que a taxa de transferência de gás através de uma lâmina de tecido é inversamente
proporcional a diferença entre as pressões parciais de gás.
D) a lei de Fick afirma que a taxa de transferência de gás através de uma lâmina de tecido é inversamente
proporcional a área e proporcional a espessura.
E) a lei de Fick afirma que a massa de gás ocupa um volume inversamente proporcional a lâmina do tecido.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 16


COMENTÁRIOS: A Lei de Fick afirma que a quantidade ou taxa de transferência de gás que se move por meio de
uma lâmina de tecido é proporcional à área dessa lâmina e diferença parcial dos gases, mas inversamente à sua
espessura.

15. (FGV / OSASCO-SP / 2014) Leia o fragmento a seguir. “A maior atividade metabólica do tecido resulta em
_____ dos níveis de _____ e em diminuição dos níveis de _____ no sangue venoso misto que é devolvido ao
pulmão.” Assinale a alternativa cujos itens completam corretamente as lacunas do fragmento acima.
A) aumento – O2 – Co2
B) manutenção – O2 – CO2
C) aumento – CO2 – O2
D) diminuição – CO2 – O2
E) manutenção – CO2 – O2
COMENTÁRIOS: Usando a lógica nessa questão podemos afirmar que maior atividade metabólica resulta em
AUMENTO dos níveis de CO2 e consequentemente redução dos níveis de O2. Mamão com açúcar para item C!

16. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) O surfactante é um fosfolipídio


produzido e excretado pelos pneumócitos tipo II. Assinale a opção que indica as consequências da perda do
surfactante nos pulmões de um indivíduo.
A) Aumento da elastância pulmonar, áreas de atelectasia e alvéolos cheios de transudado.
B) Redução da elastância pulmonar, áreas de atelectasia e os alvéolos cheios de transudado.
C) Aumento da elastância pulmonar, áreas de hiperinsuflação e redução da tensão superficial.
D) Redução da elastância pulmonar, áreas de hiperinsuflação e aumento da tensão superficial.
COMENTÁRIOS: A perda do Surfactante irá acarretar: redução de complacência pulmonar, consequentemente
aumento da elastância pulmonar, perda de volume pulmonar gerando áreas de atelectasia e alvéolos cheios de
transudato.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 17


17. (FGV / OSASCO-SP / 2014) O surfactante é um composto químico sintetizado por células alveolares tipo II e
sua produção é estimulada pelo estiramento do epitélio alveolar. No paciente neonatal, ele possui algumas
particularidades. A esse respeito, analise as afirmativas a seguir.
I. No pulmão fetal, sua produção é iniciada normalmente entre a 18ª e a 22ª semanas de gestação.
II. Crianças nascidas entre a 28ª e a 32ª semanas de gestação podem apresentar ausência desse elemento.
III. Sua ausência pode causar hipoxemia e aumento do trabalho respiratório em bebês prematuros. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
E) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas
COMENTÁRIOS: O surfactante é produzido no pneumócito tipo II. A reserva de surfactante pulmonar aumenta
com a idade gestacional a partir da 20ª semana de gestação, o feto humano está acumulando surfactante, entre a
22ª e a 24ª semanas de gestação algumas células vão se diferenciando em células alveolares tipo II. Da 25ª a 26ª
semana, o amadurecimento anatômico e bioquímico pulmonar é cada vez mais acelerado, na 28ª semanas o feto
já está bem preparado para respirar as células alveolares maduras do tipo II secretam ativamente material
tensoativo ou surfactante.Essas células participam em minoria do epitélio alveolar que é constituído de células
alveolares tipo I. É na 33ª semana de gestação que se inicia a formação dos alvéolos pulmonares, as paredes
alveolares estão formadas pelos capilares, células alveolares do tipo I e grande número de células tipo II, da 34ª
até a 36ª semana de gestação o amadurecimento progressivo dos alvéolos.
Analisando os itens podemos afirmar:
I → FALSO: No pulmão fetal, sua produção é iniciada normalmente entre a 18ª e a 22ª semanas de gestação.
A produção inicia por volta da 20ª semana de gestação.
II → VERDADEIRO: Crianças nascidas entre a 28ª e a 32ª semanas de gestação podem apresentar ausência desse
elemento.
III→ VERDADEIRO: Sua ausência pode causar hipoxemia e aumento do trabalho respiratório em bebês
prematuros.

18. (FGV / OSASCO-SP / 2014) “Capacidade que o pulmão tem de se expandir, relacionando pressão e volume, e
que se realiza um mínimo de esforço.” O fragmento apresenta o conceito de
A) tensão superficial. B) elastância pulmonar.
C) resistência pulmonar. D) complacência pulmonar.
E) impedância pulmonar.
COMENTÁRIOS: Questão simples da banca: citou capacidade de expansão pode correlacionar com
COMPLACÊNCIA PULMONAR. Revise os demais conceitos:
● Tensão superficial → é uma resistência elástica que aparece na interface entre duas fases de um sistema. A
tensão de superfície é elástica como uma mola;
● Elastância Pulmonar → é a capacidade que um pulmão possui de retornar ao seu estado inicial, após sofrer uma
deformação externa, ou seja, é a capacidade desses sistemas das vias aéreas de resistirem ao fluxo.
● Resistência pulmonar → resistência dos tecidos pulmonares e vias aéreas a passagem do fluxo de ar.
● Impedância pulmonar → resistência elástica dos tecidos, da interface gás/líquido do alvéolo e do atrito entre a
parede da via aérea e o fluxo de ar.

19. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Assinale a opção que indica o receptor considerado sensível ao estímulo de
estiramento muscular.
A) Orgão tendinoso de Golgi
B) Corpúsculos de Meissner
C) Fuso neuromuscular
D) Corpúsculos de Merkel
E) Corpúsculos de Pacini

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 18


COMENTÁRIOS: Receptores são uma temática pouco estudada pelos concurseiros, portanto merece uma breve
revisão:
RECEPTORES MUSCULARES

RECEPTORES CUTÂNEOS

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 19


20. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) Sobre os diferentes tipos de neurônios, analise as afirmativas a
seguir.
I. Os interneurônios decodificam e gerenciam as informações provenientes de outros tipos de neurônios.
II. Os neurônios eferentes levam as informações do sistema nervoso central para os músculos.
III. Os neurônios aferentes levam as informações dos receptores até o sistema nervoso central. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
D) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
E) se todas as afirmativas estiverem corretas.

LEMBRE-SE: NEURÔNIO EFERENTE → EFETUA AÇÃO → SNC PARA MÚSCULOS, PORTANTO NEURÔNIO MOTOR!

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

21. (FGV / FUNARTE / 2014 / ADAPTADA) Reflexos são respostas estereotipadas a um determinado estímulo e
podem ser classificados em monossinápticos ou polissinápticos. São exemplos de monossinápticos:
A) patelar e retirada;
B) bicipital e tricipital;
C) patelar e flexor;
D) flexor e Moro;
E) retirada e flexor.
COMENTÁRIOS: Quando encontramos apenas um neurônio sensitivo e um neurônio motor, dizemos que é um
arco reflexo monossináptico (apenas uma sinapse). Quando ocorre a presença de um ou mais neurônios de
associação, chamamos de arco reflexo polissináptico (várias sinapses).

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 20


22. (FGV / SUSAM-AM / 2014) O sistema nervoso central possui diversas áreas onde são realizadas variadas e
complexas funções do corpo humano. Relacione, a seguir, algumas destas áreas às suas respectivas funções.
1. Tálamo
2. Medula oblonga
3. Hipotálamo
4. Mesencéfalo
( ) Controla a liberação de hormônios do sistema endócrino
( ) Controla as funções autonômicas, como o vômito
( ) Auxilia a coordenação dos movimentos oculares
( ) Influencia os movimentos do corpo que estão relacionados à ansiedade e à dor. Assinale a opção que indica a
sequência correta, de cima para baixo.
A) 3 – 2 – 4 – 1
B) 2 – 3 – 4 – 1
C) 3 – 4 – 1 – 2
D) 4 – 1 – 2 – 3
E) 2 – 1 – 4 – 3
COMENTÁRIOS: Questão de fácil resolução, vamos correlacionar os itens:
(3 - Hipotálamo) → Controla a liberação de hormônios do sistema endócrino
(2 - Bulbo ou medula Oblonga) → Controla as funções autonômicas, como o vômito
(4 - Mesencéfalo) → Auxilia a coordenação dos movimentos oculares
(1 - Tálamo) → Influencia os movimentos do corpo que estão relacionados à ansiedade e à dor.

23. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Com relação ao feixe retículo-espinhal pontino, assinale a afirmativa correta.
A) É responsável pelos ajustes posturais antecipatórios.
B) É responsável pelos movimentos apendiculares voluntários.
C) É responsável pelo controle do movimento ocular.
D) É responsável pela orientação sensório-motor da cabeça.
E) Pertence ao subsistema lateral das vias aferentes do encéfalo.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 21


COMENTÁRIOS: O feixe reticuloespinhal pontino tem origem na formação reticular pontina, e sua função principal
é realizar ajustes posturais antecipatórios. Observe os demais itens:
B) É responsável pelos movimentos apendiculares voluntários → trato corticoespinhal lateral.
C) É responsável pelo controle do movimento ocular → mesencéfalo.
D) É responsável pela orientação sensório-motor da cabeça → trato tectoespinhal
DICA: TESTA → TECTO → CONTROLE DA CABEÇA
E) Pertence ao subsistema lateral das vias aferentes do encéfalo → trato espinocerebelar e trato espinotalâmico
lateral.

24. (FGV / FUNARTE / 2014) Um segmento da medula espinal engloba a porção da medula que pertence a um
determinado nervo espinal. De acordo com as funções neurais aferentes e eferentes, é correto afirmar que:
A) aferências: entram pela raiz dorsal no corno posterior - fibras sensitivas;
B) eferências – entram pela raiz ventral no corno anterior - fibras sensitivas;
C) aferências: entram pela raiz ventral no corno anterior - fibras sensitivas;
D) eferências – entram pela raiz dorsal no corno posterior - fibras motoras;
E) aferências: entram pela raiz ventral no corno anterior - fibras motoras;

LEMBRE-SE: NEURÔNIO EFERENTE → EFETUA AÇÃO → SNC PARA MÚSCULOS, PORTANTO NEURÔNIO MOTOR!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 22


25. (FGV / SUSAM-AM / 2014) A osteocinemática descreve os movimentos fisiológicos ósseos nos três principais
planos do corpo humano. Em cada plano são realizados alguns tipos de movimento. Correlacione os planos com
seus respectivos movimentos.
1. Plano Sagital
2. Plano Frontal
3. Plano Horizontal
( ) Rotação axial
( ) Desvio radial e ulnar
( ) Dorsiflexão e flexão plantar
( ) Eversão e inversão Assinale a opção que indica a sequência correta, de cima para baixo.
A) 1 – 2 – 3 – 2
B) 2 – 3 – 1 – 1
C) 3 – 2 – 1 – 2
D) 3 – 2 – 1 – 1
E) 1 – 3 – 3 – 2

LEMBRE-SE: Plano das rotações / pronação e supinação / adução e abdução horizontal → plano transversal ou
horizontal → eixo longitudinal ou céfalo-caudal.

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 23


26. (AOCP / Prefeitura de João Pessoa-PB / 2021) Sobre os eixos e planos anatômicos, assinale a alternativa
correta.
A) O plano transversal divide o corpo em duas partes iguais.
B) O eixo longitudinal permite movimentos de flexão e extensão.
C) O plano sagital divide o corpo em parte superior e inferior.
D) O plano coronal divide o corpo em anterior e posterior.
E) O eixo anteroposterior permite movimentos de rotação.

27. (FGV / FUNARTE / 2014 / ADAPTADA) As articulações podem ser classificadas de acordo com a forma das
faces articulares ou com o número das possibilidades de movimento, determinado pelos eixos do movimento
humano, em uniaxial, biaxial e triaxial. São exemplos de articulações uni, bi e triaxiais, respectivamente:
A) radiulnar proximal, radiocarpal e glenoumeral;
B) radiocarpal, carpometacarpal do polegar e coxo femural;
C) carpometacarpal do polegar, femurotibial e sinfíse púbica;
D) atlantoaxial mediana, carpometacarpal do polegar e glenoumeral;
E) femurotibial, radiocarpal e intervertebral.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 24


28. (AOCP / Prefeitura de João Pessoa-PB / 2021) As articulações corpóreas são importantes para produzir
movimentos, fazer a manutenção do equilíbrio e manter a postura corporal. Assinale a alternativa correta que
apresenta corretamente subtipos de articulações fibrosas.
A) Suturas e sindesmoses.
B) Suturas e sínfise.
C) Sínfise e sincondroses.
D) Em sela e gínglimo.
E) Trocoide e condilar.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 25


TEORIA DE JOÃO E MARIA PARA LEI DO CÔNCAVO-CONVEXO!

A teoria de João rolamento e Maria deslizamento afirma que Maria deslizamento somente irá acompanhar João
rolamento quando a rua for CÔNCAVA, visto que Maria deslizamento não gosta de andar pela rua CONVEXA.
Portanto João Rolamento e Maria deslizamento estarão na mesma direção quando a superfície em movimento for
CÔNCAVA, caso seja CONVEXA, João e Maria terão direções opostas!
Ah, lembre-se que João Rolamento segue sempre a direção do OSSO, seja pela RUA CONVEXA ou CÔNCAVA.

29. (FGV / FUNARTE / 2014) As técnicas de mobilizações articulares periféricas, utilizadas na fisioterapia, para o
ganho de amplitude de movimento, devem recuperar a mobilidade artrocinemática. Sobre os movimentos
artrocinemáticos de rolamento e deslizamento é correto afirmar que:
A) quando a superfície do osso móvel é convexa, o deslizamento se dá na mesma direção do movimento angular
do osso;
B) quando a superfície do osso móvel é côncava o rolamento dá na direção oposta do movimento angular do osso;
C) quando a superfície do osso móvel é côncava o deslizamento dá na direção oposta do movimento angular do
osso;
D) independente da superfície do osso móvel o rolamento se dá sempre na direção oposta do movimento angular
do osso;
E) quando a superfície do osso móvel é côncava o deslizamento dá na mesma direção do movimento angular do
osso.
LEMBRE-SE DA TEORIA DE JOÃO E MARIA!

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 26
30. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) Com relação aos exercícios em cadeia cinética fechada, assinale V
para a afirmativa verdadeira e F para a falsa.
( ) Estimulam um número maior de mecanoreceptores e desenvolve a propriocepção.
( ) Recrutam maior número de contrações musculares exclusivamente concêntricas.
( ) Exercem maior força compressiva articular que resulta em menor cisalhamento. As afirmativas são,
respectivamente,
A) F, V e F. B) F, V e V.
C) V, F e V. D) V, V e F.
E) F, F e V.
COMENTÁRIOS: Conforme esquema acima podemos afirmar que:
( V ) Estimulam um número maior de mecanoreceptores e desenvolve a propriocepção → CCF
( F ) Recrutam maior número de contrações musculares exclusivamente concêntricas → CCA
( V ) Exercem maior força compressiva articular que resulta em menor cisalhamento → CCF
Portanto, alternativa C correta!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 27


31. (FGV / SUSAM-AM / 2014) Os conceitos de Cadeia Cinética Fechada (CCF) e Cadeia Cinética Aberta (CCA) já
foram incorporados à prática dos fisioterapeutas. Abaixo estão algumas características comuns de ambos os tipos
de exercícios. Correlacionar o tipo de cadeia com suas respectivas características.
I. CCF II. CCA
( ) Contrações musculares predominantemente concêntricas
( ) Maiores forças de compressão articular que desencadeiam menor cisalhamento
( ) Estabilização originada por meios externos
( ) Resistência aplicada em múltiplos segmentos.
Assinale a opção que indica a sequência correta, de cima para baixo.
A) I – II – I – II
B) II – I – II – I
C) I – I – II – II
D) II – II – I – I
E) II – I – I – II
COMENTÁRIOS: Consultar a tabela anterior e fazer as associações!

32. (FGV / OSASCO-SP / 2014) Relacione os exercícios em Cadeia Cinética Fechada (CCF) e Cadeia Cinética Aberta
(CCA) às respectivas características.
1. CCF 2. CCA
( ) Estabilização dinâmica com maior contenção postural e apoio adicional para a articulação.
( ) Realização de um movimento livre no espaço de um segmento distal de uma extremidade.
( ) Realização de atividades com forças de distração e rotacionais mais intensas.
( ) Propriocepção aprimorada em virtude de maior número de mecanorreceptores estimulados. Assinale a opção
que apresenta a relação correta de cima para baixo.
A) 1 – 1 – 2 – 2
B) 1 – 2 – 1 – 2
C) 1 – 2 – 2 – 1
D) 2 – 1 – 2 – 1
E) 2 – 2 – 1 – 1
COMENTÁRIOS: Perceba que a banca FGV tem agrado por esse tema em suas provas de Fisioterapia, portanto
revise esse conteúdo. Correlacionando os itens, podemos observar:
(CCF - 1) Estabilização dinâmica com maior contenção postural e apoio adicional para a articulação.
(CCA - 2) Realização de um movimento livre no espaço de um segmento distal de uma extremidade.
(CCA - 2) Realização de atividades com forças de distração e rotacionais mais intensas.
(CCF - 1) Propriocepção aprimorada em virtude de maior número de mecanorreceptores estimulados.
Por isso, a resposta correta é o item C.
OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 28


33. (FGV /FUNARTE / 2014) A musculatura estriada esquelética pode ser classificada, de acordo com a função e a
histologia, em musculatura vermelha e branca ou tipo 1 e tipo 2. De acordo com a quantidade de mitocôndrias, o
metabolismo e a tendência a ocorrer quando não utilizada, é correto afirmar que:
A) tipo 1 – alta concentração mitocondrial, metabolismo anaeróbio e tendência à atrofia;
B) tipo 1 – baixa concentração mitocondrial, metabolismo aeróbio e tendência a encurtar;
C) tipo 2- alta concentração mitocondrial, metabolismo anaeróbio e tendência à atrofia;
D) tipo 2- baixa concentração mitocondrial, metabolismo anaeróbio e tendência a encurtar;
E) tipo 2- baixa concentração mitocondrial, metabolismo anaeróbio e tendência à atrofia.
COMENTÁRIOS: As fibras musculares dividem-se em: Tipo I, de contração lenta ou vermelhas, e isto devido à
densidade capilar e ao conteúdo em mioglobina. Denominadas de fibras tônicas, encurtam-se com relativa
lentidão e geram energia predominantemente através do metabolismo aeróbico. São mais resistentes à fadiga e
bem apropriadas para o exercício aeróbio prolongado e que exijam maior resistência.
Tipo II, de contração rápida ou fibras brancas, chamadas também de fibras fásicas. Nas fibras deste tipo, a
energia é gerada através de processos anaeróbicos para contrações rápidas e vigorosas. São rotuladas como fibras
de grande velocidade de encurtamento e altas propriedades. Possuem um número reduzido de mitocôndrias, uma
capacidade limitada de metabolismo aeróbio e poucos capilares. Além disso, apresentam tendência mais rápida
para atrofia muscular.
Esses fatores contribuem para que essas fibras possuam baixa resistência à fadiga, se comparadas com as fibras do
tipo I. No entanto, são ricas em enzimas glicolíticas, que proporcionam uma grande capacidade anaeróbia,
requerida em atividades que necessitam de uma fonte de energia rápida. Podem ser subdivididas em dois tipos:
tipo IIA – fibra que possui características intermediárias (aeróbias e anaeróbias) e tipo IIB – fibra que possui maior
potencial anaeróbio do que aeróbio.

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 29


34. (VUNESP / Prefeitura de Cerquilho-SP / 2019) Um fator importante para a avaliação muscular é o
conhecimento dos 3 tipos de fibras musculares. Estes são encontrados em proporções variáveis nos músculos
esqueléticos e são diferenciados entre si histológica, metabólica, morfológica e mecanicamente. Assim, a
caracterização correta das fibras musculares é:
A) glicolítica de contração lenta ou fibras vermelhas de contração lenta, fibras do tipo II.
B) oxidativas de contração rápida ou fibras brancas de contração rápida, fibras do tipo IIa.
C) oxidativas de contração lenta ou fibras brancas de contração lenta, fibras do tipo I.
D) glicolíticas oxidativas (ou intermediárias) de contração rápida ou fibras vermelhas de contração rápida, fibras do
tipo IIa.
E) glicolíticas de contração lentas ou fibras vermelhas de contração lenta, fibras do tipo IIa.
DICA: Cuidado que as fibras do tipo IIA são nomeadas fibras vermelhas de contração rápida, fique atento!

35. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) O manguito rotador é composto por um grupo de músculos que
formam uma “trama” musculotendínea em torno da articulação do ombro. Eles atuam na estabilização dinâmica
da cabeça do úmero. Assinale a alternativa que indica somente os músculos que fazem parte deste grupo.
A) Peitoral maior, peitoral menor, supraespinhal e infraespinhal.
B) Subescapular, supraescapular, redondo maior e redondo menor.
C) Latíssimo do dorso, peitoral maior e redondo maior.
D) Supraespinhal, infraespinhal, redondo menor e subescapular.
E) Deltoide, peitoral menor, redondo menor e subescapular.
Não esqueça: SUB / SUPRA / INFRA E REDONDO o ….

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 30


36. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) A estabilidade da articulação do joelho é devida aos músculos e
ligamentos que a cercam, além de uma cápsula fibrosa que é revestida por uma membrana sinovial. Sobre a
referida estabilidade, analise as afirmativas a seguir.
I. O ligamento colateral tibial resiste ao stress em varo e limita a rotação lateral da tíbia.
II. O ligamento cruzado anterior tem a função de evitar a translação anterior da tíbia sobre o fêmur.
III. A função do ligamento patelar é reforçar a cápsula articular anteriormente. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
D) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
E) se todas as afirmativas estiverem corretas.
COMENTÁRIOS: Os ligamentos estabilizam a articulação do joelho, evitando movimentos anormais, auxiliados
pelos meniscos, que além de estabilizarem o joelho, atuam também como amortecedores das cartilagens que
envolvem esta articulação, absorvendo impactos e choques. Os ligamentos estão tensos em praticamente todos
os movimentos do joelho e, além de impedir o cisalhamento do mesmo, atuam de maneira a guiar a flexão e
rotação. Observe o quadro a seguir:
Ligamento Cruzado Anterior (LCA) – origina-se anteriormente à eminência intercondilar da tíbia e sobe
posteriormente para a face interna do côndilo femoral lateral, com a função de: estabilizar o joelho em
extensão, impedir que a tíbia deslize para frente denominado de gaveta anterior, ser o principal ligamento do
joelho responsável por movimentos finos desta articulação, impedir a anteriorização da tíbia em relação ao
fêmur, impedir a rotação externa anormal, controlar a hiperextensão e hiperflexão (forçada do joelho),
controlar a rotação interna e a mobilidade lateral em flexão e extensão.

Ligamento Cruzado Posterior (LCP) – origina-se posteriormente à eminência intercondilar, cruza por trás o
ligamento anterior e insere-se na face interna do côndilo femoral medial, com a função de estabilizar o joelho
em flexão e impedir que a tíbia deslize para trás (gaveta posterior).

Os ligamentos colaterais têm a função de estabilidade látero-lateral em extensão e são assim subdivididos:
a) Ligamento colateral medial - insere-se superiormente no epicôndilo femoral medial inferior na tíbia abaixo
da cartilagem articula. Atua limitando o estresse em valgo do joelho.
b) Ligamento colateral lateral - estende-se do epicôndilo lateral do fêmur até a cabeça da fíbula. Limita o
estresse em varo do joelho.
I (FALSO) → O ligamento colateral tibial resiste ao stress em varo e limita a rotação lateral da tíbia.
Ligamento colateral tibial ou medial resiste ao estresse em VALGO, já o ligamento colateral fibular ou lateral
resiste ao estresse em VARO.
II (VERDADEIRO) → O ligamento cruzado anterior tem a função de evitar a translação anterior da tíbia sobre o
fêmur.
III (VERDADEIRO) → A função do ligamento patelar é reforçar a cápsula articular anteriormente.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 31


37. (FGV / SUSAM-AM / 2014) O ligamento cruzado posterior (LCP) é o responsável pela contenção primária
contra a subluxação posterior da tíbia sobre o fêmur. Isso assegura cerca de 95% de resistência contra a translação
tibial posterior. A respeito desse ligamento e de suas possíveis desordens, analise as afirmativas a seguir.
I. Em ação conjunta com o ligamento cruzado anterior (LCA), o LCP auxilia no controle do centro instantâneo de
rotação do joelho.
II. Em seguida a uma lesão do LCP, o paciente pode apresentar ausência de movimento, fraqueza muscular,
alteração do equilíbrio e da coordenação.
III. A avaliação da lesão do LCP é muito fácil devido à repetição dos fatores que desencadeiam ou agravam estas
lesões. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
E) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
COMENTÁRIOS: Os ligamentos cruzados são intrínsecos, ficam dentro da articulação no espaço intercondilar, e
controlam o movimento ântero-posterior e rotatório na articulação. Vamos analisar os itens:
I (VERDADEIRO) → Em ação conjunta com o ligamento cruzado anterior (LCA), o LCP auxilia no controle do centro
instantâneo de rotação do joelho.
Ambos atuam para controlar o eixo rotacional do joelho.

II (VERDADEIRO) → Em seguida a uma lesão do LCP, o paciente pode apresentar ausência de movimento,
fraqueza muscular, alteração do equilíbrio e da coordenação.
No momento da lesão, o paciente geralmente se queixa mais comumente “estalido” (popping) ou “rangido”
(cracking) dentro da articulação. Simultaneamente, o paciente sente que há uma sensação de falseio, “giving
way”, seguindo de uma incapacidade de deambular sobre a extremidade.

III (FALSO) → A avaliação da lesão do LCP é muito fácil devido à repetição dos fatores que desencadeiam ou
agravam estas lesões.
Bom-senso, na verdade a avaliação não é tão simples como aparece no referido item!

38. (FGV / SUSAM-AM / 2014) A coluna vertebral possui um conjunto de ligamentos que apresentam funções
diferenciadas. Correlacione, a seguir, os ligamentos com as suas respectivas funções.
1. Ligamento amarelo
2. Ligamento intertransversário
3. Ligamento longitudinal anterior
4. Ligamento longitudinal posterior
( ) Limita a flexão lateral contralateral
( ) Limita a flexão
( ) Aumenta a estabilidade vertical da coluna vertebral
( ) Limita a lordose excessiva da região lombar. Assinale a opção que indica a sequência correta, de cima para
baixo.
A) 1 – 2 – 3 – 4
B) 2 – 3 – 4 – 1
C) 3 – 4 – 1 – 2
D) 4 – 1 – 2 – 3
E) 2 – 1 – 4 – 3
COMENTÁRIOS: Os corpos vertebrais estão unidos em uma articulação classificada como cartilagínea secundária e
3 estruturas garantem tanto essa união como a estabilidade estática e dinâmica entre os elementos vertebrais.
São eles: Os Discos Intervertebrais, Ligamento Longitudinal Anterior e Ligamento Longitudinal Posterior.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 32


RESUMO PRÁTICO

LIGAMENTO LONGITUDINAL ANTERIOR: Mantém a estabilidade


das articulações entre os corpos vertebrais e ajuda a impedir a
hiperextensão da coluna vertebral.

LIGAMENTO LONGITUDINAL POSTERIOR: Ajuda a impedir a


hiperflexão da coluna lombar e a herniação e protrusão posterior
dos discos.

LIGAMENTO AMARELO: Impedem a separação da lâmina


evitando, normalmente, a lesão dos discos intervertebrais. Os
fortes ligamentos amarelos elásticos ajudam a preservar as
curvaturas normais da coluna vertebral e auxiliam a endireitar a
coluna após a flexão.

LIGAMENTO INTERTRANSVERSÁRIO: Impedem a separação dos


processos transversos, ou seja, o movimento de inclinação
lateral.

LIGAMENTO SUPRA-ESPINHAL E INTERESPINHAL: Impedem a


separação dos processos espinhosos, ou seja, o movimento de
flexão da coluna.
Sugestão de Revisão: https://www.auladeanatomia.com/novosite/pt/sistemas/sistema-articular/diartroses/articular-coluna-vertebral/

Vamos fazer a correlação da questão:


1. Ligamento amarelo
2. Ligamento intertransversário
3. Ligamento longitudinal anterior
4. Ligamento longitudinal posterior
( 2 ) Limita a flexão lateral contralateral
( 1 ) Limita a flexão
( 4 ) Aumenta a estabilidade vertical da coluna vertebral
( 3 ) Limita a lordose excessiva da região lombar.

39. (FGV / SUSAM-AM / 2014) Os músculos cervicais centrais realizam suas respectivas funções de forma
conjunta, com o objetivo de proporcionar estabilidade segmentar profunda da coluna cervical, além de manter a
postura adequada da cabeça sobre o pescoço. Esses músculos permitem a realização de movimentos delicados
específicos da cabeça sobre o pescoço. Assinale a opção que identifica esses músculos abaixo e assinale a
alternativa correta:
A) Flexores laterais profundos e rotadores superficiais.
B) Flexores profundos e extensores profundos.
C) Rotadores profundos e flexores laterais superficiais.
D) Extensores superficiais e flexores superficiais.
E) Extensores profundos e rotadores profundos.
OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 33


COMENTÁRIOS: A coluna cervical é cercada por um conjunto de músculos que contribuem para o controle
estático e dinâmico da cabeça e do pescoço. Apesar disso, devido à diferença da morfologia entre as camadas de
músculos que encapsulam a coluna vertebral, existe uma variação no seu efeito mecânico sobre a coluna. Dentro
dos músculos anteriores, tem-se argumentado que os músculos flexores crânio-cervicais profundos, longo da
cabeça e longo do pescoço, que possuem uma importante função no controle dos elementos articulares e ósseos
da coluna vertebral, que não consegue ser realizada pelos músculos mais superficiais anteriores, pois,
anatomicamente, os músculos flexores crânio-cervicais profundos estão relacionados intimamente com estes
elementos, além dos extensores cervicais profundos atuarem na estabilidade central da cervical.

40. (VUNESP / Prefeitura de Itapevi - SP / 2019) Com base no conhecimento da coluna vertebral, assinale a
alternativa correta.
A) Dentro do canal vertebral passa a medula espinhal. A junção da raiz ventral sensitiva com a raiz dorsal motora
forma os nervos espinhais.
B) Quanto menor a proporção entre a espessura do disco e a altura do corpo vertebral, maior a mobilidade do
segmento da coluna.
C) A estabilização dinâmica da postura é realizada primariamente pelas estruturas ósseas e ligamentares, ação
importante para a manutenção do corpo contra a ação da gravidade.
D) O ligamento longitudinal anterior limita a extensão, enquanto que os ligamentos amarelo, intratransversos
contralaterais e os capsulares limitam a inclinação lateral.
E) Uma postura com aumento da lordose lombar está associada com a retroversão da pelve e retificação da coluna
lombar que pode acarretar em diminuição da flexibilidade de músculos extensores de quadril e enfraquecimento
de músculos abdominais. Além disso, causa sobrecarga no ligamento longitudinal posterior.
COMENTÁRIOS: Com base nos seus conhecimentos de Cinesiologia da coluna vertebral vamos analisar os itens:
A - INCORRETA → Dentro do canal vertebral passa a medula espinhal. A junção da raiz ventral sensitiva com a raiz
dorsal motora forma os nervos espinhais.
A junção da raiz ventral MOTORA com a raiz dorsal SENSITIVA forma os nervos espinhais.

B - INCORRETA → Quanto menor a proporção entre a espessura do disco e a altura do corpo vertebral, maior a
mobilidade do segmento da coluna.
Quanto menor a proporção entre a espessura do disco e a altura do corpo vertebral, MENOR será a mobilidade do
segmento da coluna.

C - INCORRETA → A estabilização dinâmica da postura é realizada primariamente pelas estruturas ósseas e


ligamentares, ação importante para a manutenção do corpo contra a ação da gravidade.
A estabilização dinâmica da postura é realizada primariamente pelos músculos que circundam o segmento.

D - CORRETA → O ligamento longitudinal anterior limita a extensão, enquanto que os ligamentos amarelo,
intratransversos contralaterais e os capsulares limitam a inclinação lateral.
Sugestão de Revisão: https://www.auladeanatomia.com/novosite/pt/sistemas/sistema-articular/diartroses/articular-coluna-vertebral/

E) Uma postura com aumento da lordose lombar está associada com a retroversão da pelve e retificação da coluna
lombar que pode acarretar em diminuição da flexibilidade de músculos extensores de quadril e enfraquecimento
de músculos abdominais. Além disso, causa sobrecarga no ligamento longitudinal posterior.
O aumento da lordose lombar está associado com anteversão pélvica, já a retificação da lombar relaciona-se com
a retroversão da pelve. Além disso, o aumento da lordose lombar provoca sobrecarga no ligamento longitudinal
anterior.
OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 34


41. (FGV / FUNARTE / 2014) Um ciclo de marcha é definido como um intervalo de tempo durante o qual se
completa uma sequência de eventos que ocorre em sucessão recorrente e regular. De acordo com os períodos da
marcha e suas funções, é correto afirmar que:
A) a transferência de peso é feita no período de apoio simples;
B) o movimento do centro de massa para frente ocorre na oscilação terminal;
C) na oscilação inicial, o membro avança para frente do corpo;
D) na fase de oscilação inicial, ocorre a desaceleração do membro;
E) no período de apoio duplo inicial, ocorre a transferência de peso.
COMENTÁRIOS: O ciclo de marcha é dividido em fases de apoio e balanço.

A fase de apoio é caracterizada pelo contato do membro inferior ao solo e corresponde, na deambulação normal,
a cerca de 60% do ciclo. Dentro da fase de apoio, existem períodos de apoio simples (contato de apenas um
membro ao solo) e duplo apoio (contato de ambos os membros ao solo). Os períodos de duplo apoio ocorrem nos
10% iniciais e finais da fase de apoio, enquanto nos 40% centrais, o apoio é simples. Na fase de balanço, não existe
contato do membro com o solo, e tal fase corresponde a cerca de 40% do ciclo de marcha.

Sugestão de revisão: https://statics-submarino.b2w.io/sherlock/books/firstChapter/130040916.pdf

Analisando as alternativas da questão:


A - INCORRETA → a transferência de peso é feita no período de apoio DUPLO;
B - INCORRETA → o movimento do centro de massa para frente ocorre na oscilação INICIAL;
C - INCORRETA → na oscilação inicial, o membro avança para TRÁS do corpo;
D - INCORRETA → na fase de oscilação inicial, ocorre a ACELERAÇÃO do membro;
E - CORRETA → no período de apoio duplo inicial, ocorre a transferência de peso. NA FASE DE DUPLO APOIO QUE
OBSERVAMOS A TRANSFERÊNCIA DE PESO!

42. (AOCP / Prefeitura de João Pessoa-PB / 2021) Sobre biomecânica e conceitos cinemáticos da marcha,
preencha as lacunas e assinale a alternativa correta. O/A __________ é o espaço compreendido entre o contato
inicial de um pé no solo e o novo contato inicial do mesmo pé. Assim, essa fase da marcha corresponde a dois /
duas _______.
A) ciclo de marcha / passadas
B) passada / passos
C) cadência / passadas
D) passo / passadas
E) ciclo de marcha / cadências

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 35


COMENTÁRIOS: O ciclo da marcha é dividido em duas fases - fase de apoio e balanço – e dois períodos de apoio
duplo. Em uma marcha normal, a fase de apoio constitui 60% e a fase de balanço 40%. Contato do calcanhar,
apoio plantar, apoio médio, saída do calcanhar e saída dos dedos compõem a fase de apoio da marcha, já a fase
de balanço consiste em balanço inicial ou aceleração, balanço médio e balanço terminal ou desaceleração.
Comprimento do passo: distância entre a batida de calcanhar de um membro e o toque do calcanhar do outro
membro.
Ciclo da marcha ou comprimento da Passada (2 PASSOS): distância entre o ponto onde o calcanhar de um
membro contata o solo e o ponto em que este mesmo calcanhar volta a tocar o solo.
Cadência: é a quantidade de passos por minuto.
Fase de apoio: definida como o intervalo no qual o pé do membro de referência se acha em contato com o solo.
Fase de balanço: segmento da marcha no qual o membro de referência não entra em contato com o solo.

43. (FENAZ DO PARÁ / Prefeitura de Magalhães Barata-PA / 2019) Durante a marcha humana, a distância entre
dois pontos de contato sucessivos em pés opostos é chamada de:
A) Comprimento do passo.
B) Toque do calcanhar.
C) Comprimento da passada.
D) Cadência.

44. (FGV / FUNARTE / 2014) Na fase de contato inicial da marcha alguns grupamentos musculares precisam estar
em bom funcionamento para que não haja alterações funcionais na locomoção. A avaliação biomecânica de
incapacidade nessa fase da marcha estaria relacionada com o mau funcionamento dos seguintes músculos:
A) dorsiflexores do tornozelo, flexores do quadril e extensores do joelho;
B) dorsiflexores do tornozelo, extensores do quadril e flexores do joelho;
C) flexores do tornozelo, extensores do joelho e abdutores do quadril;
D) dorsiflexores do tornozelo e flexores do joelho e quadril;
E) flexores de tornozelo, extensores de joelho e de quadril.
COMENTÁRIOS: Marcha sempre será um tema de muita complexidade, ainda mais se tratando de ação muscular.
Consideramos que essa questão poderia ter sido anulada, visto que na fase de contato inicial não observamos
atividade dos flexores de joelho. Observe o quadro a seguir:

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 36


Sugestão de revisão: https://blogfisioterapia.com.br/o-ciclo-da-marcha-pre-balanco-e-balanco/

45. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) Durante as atividades funcionais ocorre uma variação do peso do
corpo sobre a articulação do quadril. Relacione o tipo de atividade com as variações do peso do corpo.
1. Caminhada em terreno plano
2. Correr
3. Subir escadas
4. Apoio unilateral
( ) cinco vezes o peso do corpo
( ) duas vezes e meia a três vezes e meia o peso do corpo
( ) duas vezes o peso do corpo
( ) aproximadamente duas vezes e meia o peso do corpo. Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de
cima para baixo.
A) 3 – 1 – 2 – 4
B) 1 – 4 – 2 – 3
C) 2 – 3 – 4 – 1
D) 2 – 4 – 3 – 1
E) 4 – 3 – 2 – 1

COMENTÁRIOS: Sinceramente, não achamos nada que mencione algo parecido sobre a referida questão!
DOIDEIRA!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 37


46. (FGV / FUNARTE / 2014) Os exercícios excêntricos devem ser instituídos após o estágio subagudo da
inflamação ter sido atingido e que se sigam à tolerância bem-sucedida de treinamento isométrico e algum
treinamento concêntrico. Um continuum de exercícios com demandas progressivas em fases deve respeitar o tipo
de exercício relacionado com a amplitude de movimento (ADM), tendo como estágio inicial e final,
respectivamente, os exercícios:
A) isométricos de arco curto e isotônicos de ADM total;
B) isotônicos de ADM total e isocinéticos concêntricos de ADM total (máximo);
C) isométricos de ângulo múltiplo (esforço submáximo) e isocinéticos concêntricos de ADM total (máximo);
D) isométricos de ângulo múltiplo (esforço submáximo) e isotônicos de ADM total;
E) isométricos de ângulo múltiplo (esforço máximo) e isocinéticos excêntricos de ADM total (máximo).
COMENTÁRIOS: Questão sem muito nexo de referências da banca FGV. Analisando o caso, é notório observar que
no estágio inicial de prescrição de exercícios iremos utilizar primariamente isométricos em vários ângulos, com
esforço submáximo, já na fase final de progressão de exercícios é primordial o trabalho isocinético concêntrico de
ADM total a fim de otimizar o fortalecimento muscular e retorno gradual de atividades. Lembrando que questão
da banca sem muita referência, por isso considerado item C correto pela organizadora. Mas caberia recurso!

47. (FENAZ DO PARÁ / Prefeitura de Magalhães Barata-PA / 2019) Os exercícios terapêuticos de amplitude de
movimento (ADM) passivo tem como objetivo:
A) Prevenir a atrofia muscular.
B) Aumenta a força ou resistência à fadiga.
C) Auxiliar a circulação na mesma extensão de ativação que a contração muscular voluntária.
D) Manter a mobilidade da articulação e do tecido conjuntivo.

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 38



48. (IDCAP / Prefeitura de Pedrão-BA / 2021) Em relação aos exercícios terapêuticos, marque a alternativa
CORRETA:
A) Os programas de exercícios terapêuticos elaborados por fisioterapeutas não devem ser individualizados para
cada paciente, devem ser sempre executados de forma coletiva.
B) O ambiente no qual os exercícios terapêuticos são realizados não afeta a segurança do paciente.
C) Exercício terapêutico é o treinamento de movimentos corporais, posturas ou atividades físicas com vistas ao
proporcionar o paciente unicamente a prevenção de deficiências.
D) São exemplos de intervenções com exercícios terapêuticos: Controle postural, biomecânica e exercícios de
estabilização, exercícios de equilíbrio e treino de agilidade.

49. (FGV / FUNARTE / 2014) Os movimentos fortes e rápidos envolvendo pré-alongamento ou contra movimentos
que ativam o ciclo alongamento encurtamento, como, por exemplo, pular corda e saltar um banco, é a base dos
exercícios denominados:
A) pliométricos;
B) excêntricos;
C) concêntricos;
D) proprioceptivos;
E) balísticos.
COMENTÁRIOS: Um método de treinamento cujas atividades encontram-se dentro do ciclo de alongamento-
encurtamento é o pliométrico. Segundo (BLOOMFIELD et al., apud CHAGAS et al., 2001) a pliometria tem sido
vista como uma ponte entre o desenvolvimento da força e potência, e tem sido considerada como um método de
treinamento que aumenta diretamente a performance competitiva. Outra vantagem do treinamento pliométrico é
a melhora da coordenação intramuscular que leva a um rápido ganho de força em função da alta intensidade de
cargas, mas sem aumento da massa muscular ou aumento de peso. Isto é significativo em todas as modalidades
esportivas nas quais a força explosiva tem um papel importante.
Sugestão de revisão: ROSSI, Luciano Pavan; BRANDALIZE, Michelle. Pliometria aplicada à reabilitação de atletas. Revista
Salus, v. 1, n. 1, 2007.

Conceitue os demais tipos de exercícios:


Excêntricos →

Concêntricos →

Proprioceptivos →

Balísticos →

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 39


50. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Em relação à técnica de Maitland, assinale a opção que indica os graus utilizados
para aliviar a dor.
A) 0 e 1
B) 1 e 2
C) 2 e 3
D) 3 e 4
E) 4 e 5
COMENTÁRIOS: A Técnica de Maitland preconiza aplicação de movimentos passivos, acessórios e oscilatórios para
tratar a dor e rigidez de natureza mecânica, visando restaurar movimentos de rotação e deslizamento entre as
superfícies articulares e são classificadas de acordo com sua amplitude:
Grau I: mobilização de pequena amplitude que não chega à barreira restritiva;
Grau II: mobilização de grande amplitude que não chega à barreira restritiva;
Grau III: mobilização de grande amplitude que chega a barreira restritiva;
Grau IV: mobilização de pequena amplitude que chega a barreira restritiva;
Grau V: mobilização de pequena amplitude feita em alta velocidade após a barreira restritiva, conhecida como
manipulação, são aplicadas em eixo ântero-posterior ou transversal independente do ângulo da articulação.
Atenção: I e II ( analgesia) III e IV ( ADM)

51. (FGV / FUNARTE / 2014) Ao avaliar movimentos passivos, o examinador deve aplicar sobrepressão no final da
amplitude de movimento para determinar a qualidade do end feel (a sensação que o examinador identifica na
articulação quando ela atinge o fim da amplitude de movimento) de cada movimento passivo. End feel anormal
de estiramento tissular, capsular rígido e vazio estão presentes, respectivamentes, nas seguintes lesões:
A) contração muscular, ombro congelado e bursite subacromial aguda;
B) bursite subacromial aguda, ombro congelado e contração muscular;
C) sinovite, osteófito e espasmo muscular;
D) edema, sinovite e ombro congelado;
E) contração muscular, ombro congelado e edema.
COMENTÁRIOS: Cyriax e Cyriax (2001) descreveram end-feels normais e anormais. Os três principais normais são:
Osso com osso (rígido) - sensação "dura"e inflexível, sendo indolor, sugerindo o contato de osso com osso;
Aproximação de tecidos moles (mole) - sensação suave, que impede um movimento mais amplo, a interrupção
dos movimentos se dá por compressão dos tecidos moles, especialmente os músculos;
Estiramento Tissular (firme) - Existe um movimento duro, ou firme, que cede discretamente à pressão. É
produzido no final da ADM. Pode ser observado quando a cápsula articular, o músculo e/ou o ligamento são os
principais responsáveis pela restrição do movimento. Esse tipo de end-feel; e o mais encontrado no corpo
humano.
Alguns end-feels anormais podem incluir:
Espasmo muscular - parada súbita e rígida do movimento;
Capsular - é semelhante ao estiramento tissular, mas não ocorre no local esperado;
Osso com osso - também não ocorre no local esperado, como por exemplo na osteofitose cervical;
Vazio - não há resistência real, mas sim a incapacidade de completar o movimento por motivos de dor.
Cuidado que a banca aqui errou a citar estiramento tissular como END FEEL ANORMAL, quando na verdade ele é
considerado NORMAL. Analisando a questão poderia ter sido anulada devido este detalhe, contudo a banca
considerou item A correto!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 40


52. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) A Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva é uma abordagem
terapêutica que se utiliza de padrões de movimento, procedimentos e técnicas com o objetivo de alcançar ou
aprimorar alguma função. Assinale a alternativa que contém a técnica cujo objetivo é a co‐contração dos
antagonistas.
A) Estabilização rítmica.
B) Reversão de agonistas.
C) Contrair e relaxar.
D) Iniciação rítmica.
E) Manter e relaxar.
COMENTÁRIOS: A FNP é um conceito de tratamento fisioterapêutico baseado nos princípios do aprendizado e
controle motor, com foco na funcionalidade e nas necessidades individuais dos sujeitos. Consiste em princípios
que promovem estímulo manual, verbal e visual, estiramento, resistência, irradiação e reforço, tração e
aproximação, sincronização de movimentos e padrões.
A estabilização rítmica é definida como sendo contrações isométricas alternadas contra uma resistência, por meio
da co-contração dos antagonistas. Apresenta como objetivos: aumentar a passiva do movimento, aumentar força
muscular, estabilidade e equilíbrio, além de reduzir a dor.

Sugestão de Revisão:https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/2151934/mod_resource/content/7/apostila%20PNF%20parte%201.pdf

53. (FGV / FUNARTE / 2014) As técnicas de facilitação neuromuscular proprioceptivas usadas para alongamento,
também chamadas de alongamento ativo ou alongamento facilitativo, integram propositalmente contrações
musculares ativas nas manobras para facilitar ou inibir a ativação muscular e aumentar o alongamento. Entre elas
encontra-se a contração do agonista, que implica:
A) contrair isometricamente o músculo que está limitando a amplitude;
B) contrair excentricamente o músculo que está limitando a amplitude;
C) contrair concentricamente o músculo oposto ao que está limitando a amplitude;
D) contrair isometricamente o músculo oposto ao que está limitando a amplitude;
E) contrair concentricamente o músculo que está limitando a amplitude.
COMENTÁRIOS: Questão de fácil entendimento. Contração do agonista → quando paciente contrai o músculo
oposto ao músculo retraído contra resistência. Isso provoca uma inibição recíproca do músculo retraído e esse se
alonga facilmente à medida que o músculo se move. É efetivo quando o músculo retraído tem dor ou em estágio
iniciais de recuperação.


54. (FGV / SUSAM-AM / 2014) A avaliação fisioterapêutica do paciente crítico deve ser realizada de forma muito
criteriosa devido aos numerosos aspectos que estão incluídos nesse procedimento, como, por exemplo, a
inspeção estática. Sobre este item da avaliação, analise as afirmativas a seguir.
I. Faz parte da avaliação sem analisar os movimentos respiratórios.
II. Inclui o nível de suporte ventilatório.
III. Avalia o grau de alerta comportamental que o paciente apresenta. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
E) se todas as afirmativas estiverem corretas.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 41


55. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) Durante a avaliação dinâmica do tórax,
os fisioterapeutas avaliam o padrão ventilatório dos pacientes, seja na posição sentado ou na posição decúbito
dorsal no leito. Assinale a opção que indica o padrão ventilatório que tem como causa a insuficiência cardíaca, a
hipertensão intracraniana, o acidente vascular encefálico e o traumatismo craniano.
A) Respiração ataxia ou Biot.
B) Cheyne-stokes.
C) Hiperpneia.
D) Kussmaul.
COMENTÁRIOS: Cuidado que a banca costuma cobrar esse assunto, portanto vamos revisar:
Respiração de biot , chamada também de respiração atáxica, é causada por hipertensão intracraniana e lesões
do sistema nervoso central.

Ritmo de cheyne-stokes caracteriza-se por um aumento progressivo da amplitude das incursões respiratórias
até atingir um ponto máximo. Em seguida, as incursões respiratórias começam a decrescer até chegar a um
novo período de apneia. causado pela insuficiência cardíaca congestiva grave, intoxicação por morfina e lesões
do sistema nervoso central tensão intracraniana.

Hiperpneia é caracterizada por respirações profundas e rápidas, causadas principalmente por acidose
metabólica, coma, infarto agudo do miocárdio, lesão de ponte e ansiedade.

Respiração de Kussmaul é composta por quatro fases. A primeira, é caracterizada por inspirações ruidosas, a
segunda por apneia em inspiração, a terceira por expiração ruidosa e, finalmente, a quarta, apneia em
expiração. Dentre as suas possíveis causas, a principal é a vigência de acidose, com destaque para a acidose
diabética, complicação possível da Diabetes Melitus, principalmente do tipo I (DM1).

56. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Paciente portador de cardiomiopatia dilatada com disfunção grave do ventrículo
esquerdo deu entrada na emergência do hospital geral, apresentando hipoperfusão periférica, hipotensão arterial,
congestão pulmonar, cansaço ao repouso e respiração irregular e cíclica, que se iniciava com aumento gradativo
da amplitude respiratória seguido por outra fase de diminuição progressiva, até chegar à apneia, esta durando
alguns segundos. As informações descritas caracterizam a
A) respiração assincrônica →
B) respiração de Cheyne-Stokes
C) respiração de Kussmaul
D) platipneia →
E) respiração paradoxal →

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 42


57. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Normalmente a radiografia de tórax é realizada em inspiração, porém o médico
solicita o RX em expiração. Assim, é correto concluir que ele pretende avaliar a existência de
A) pneumonia em ápice pulmonar.
B) derrame pleural.
C) derrame pericárdico.
D) edema pulmonar.
E) pequeno pneumotórax.
COMENTÁRIOS: Exames e diagnóstico de pneumotórax → O raio X de tórax geralmente confirma o diagnóstico
através da presença de faixa de ar entre a parede torácica e/ou diafragma e a pleura visceral. A radiografia com
incidência lateral é útil em algumas situações, podendo ser complementada pela radiografia obtida durante
expiração forçada, que pode evidenciar pequenos volumes de ar no espaço pleural, não visualizados na
radiografia convencional.

58. (AOCP / Prefeitura de João Pessoa-PB / 2021) Teste / sinal utilizado na avaliação ortopédica do paciente, com
o intuito de avaliar possível laceração do subescapular. Realizado com o paciente sentado, braço acometido
flexionado e posicionado atrás das costas, com a região dorsal da mão tocando a coluna torácica, solicita-se ao
paciente elevar o braço sem tocar nas costas. O teste / sinal é positivado se o paciente for incapaz de realizar o
comando de afastar o membro superior do corpo. O enunciado refere-se ao
A) teste de Neer.
B) teste da lata cheia.
C) sinal de Hornblower.
D) sinal da queda.
E) teste de Gerber.
COMENTÁRIOS: Teste de Gerber avalia disfunção do subescapular. É realizado solicitando ao paciente que coloque
o dorso da mão ao nível de L5 e procure ativamente afastá-la das costas rodando internamente o braço, a
incapacidade de executar o teste ou de manter o afastamento é considerado positivo.

Cuidado com os demais testes:


A) teste de Neer → Avalia a presença da síndrome do impacto.
B) teste da lata cheia → Avalia a tendinite do supraespinhal.
OBS: O teste do ombro com os polegares direcionados para cima (lata cheia) é
melhor para a contração máxima do supraespinhal.
C) sinal de Hornblower → Utilizado na avaliação do ombro, na suspeita de
lesão no músculo redondo menor.
D) sinal da queda → Avalia ruptura do supraespinhal.

59. (FGV / FUNARTE / 2014) O teste de gaveta anterior do tornozelo é feito


para se avaliar as instabilidades ligamentares. Esse teste identifica a integridade do ligamento:
A) deltoide → O teste de Kleiger serve para avaliar este ligamento.
B) calcâneofibular;
C) tibiofibular anterior;
D) talofibular anterior;
E) tibionavicular posterior
COMENTÁRIOS: Testes clínicos de estabilidade para ruptura ligamentar são realizados. O teste da gaveta anterior é
usado para verificar a integridade do LTFA (Lig. talofibular anterior) e o teste da inclinação em inversão ou tilt talar
é empregado para examinar tanto o LTFA (Lig. talofibular anterior) como o LCF (Lig. calcaneofibular).
Sugestão de vídeo: https://eaulas.usp.br/portal/video?idItem=8916
OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 43


60. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) O teste de Lachman é utilizado, na prática clínica, para avaliar a integridade do
ligamento
A) acromicoclavicular.
B) transverso inferior.
C) tibiofibular anterior → Teste de gaveta anterior e Tilt talar.
D) cruzado posterior → Teste de Godfrey e gaveta posterior.
E) cruzado anterior → Teste de Lachman, teste da gaveta anterior e teste do pivot shift.
COMENTÁRIOS: Questão mamão com açúcar. Lembre-se: LaChmAn → L C A !

61. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) De acordo com a Lei de Dubois Reymond, a variação da densidade
de corrente
A) provoca a despolarização dos nervos ou do tecido muscular.
B) desencadeia a repolarização da membrana celular.
C) indica que a taxa de elevação do pulso deve ser lenta para favorecer a acomodação.
D) requer que a duração da corrente deva ser curta para o nervo se despolarizar.
E) impede a despolarização de um nervo ou de um músculo.

62. (INSTITUTO CONSULPLAN / Prefeitura de Suzano – SP / 2019) A aplicação da corrente elétrica com fins
terapêuticos em geral e, especialmente, para combater a dor oferece uma história muito extensa. Já na
Antiguidade, Egito, 2750 a.C., descargas de peixes elétricos foram utilizadas com finalidade terapêutica. Galen
(130 a.C.) recomendava como agente calmante da dor o choque produzido por uma espécie de peixe elétrico que
vive no Mediterrâneo. Luigi Galvani aparece como um dos primeiros fisiologistas a investigar as correntes de
excitação nervosa. A impedância (Z) cutânea (resistência) constitui o maior obstáculo à passagem das correntes de
baixa frequência empregadas na eletroestimulação. São considerados fatores relevantes na variável de
impedância, EXCETO:
A) Suor e gordura.
B) Temperatura e umidade.
C) Superfície dos eletrodos.
D) Pilosidade é um fator irrelevante.
COMENTÁRIOS: Questão mamão com açúcar, porém cuidado que a questão pede “EXCETO”. A quantidade de
pelos é relevante na passagem da corrente elétrica, visto que aumenta a resistência à passagem da corrente no
tecido do paciente. Portanto o item D é a resposta!
OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 44


63. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) A modalidade termoterapêutica que desencadeia um exercício
vascular, por meio de um ciclo de vasodilatação seguido de vasoconstrição da área tratada, é denominada
A) diatermia profunda.
B) TENS.
C) fototerapia.
D) banho de contraste.
E) crioterapia.
COMENTÁRIOS: Banho de contraste é uma técnica fisioterapêutica que promove alternância entre dilatação e
constrição dos vasos sanguíneos por meio do uso intercalado de modalidades de calor e frio, respectivamente. É
indicado para lesões articulares, em que há formação evidente do edema. Por realizar uma espécie de drenagem
do edema, esta técnica é usada nas lesões das articulações distais do corpo, como tornozelo e punho. São usados
dois recipientes dentro dos quais os locais atingidos devem caber por inteiro; em um deles coloca-se água quente,
porém não insuportavelmente quente, e no outro, água gelada.

64. (FGV / SUSAM-AM / 2014) Analise o fragmento a seguir. “Para a utilização da estimulação elétrica
transcutânea do nervo (TENS) foram criados alguns parâmetros elétricos. A faixa de 0‐100 mA refere‐se à _____;
a faixa de 1‐150 pps refere‐se à _____; e a faixa 10‐500 µs refere‐se à _____.” Assinale a opção que completa
corretamente as lacunas do fragmento acima.
A) intensidade – modalidade – variação
B) modalidade – duração – frequência do pulso
C) frequência – Intensidade – duração do pulso
D) intensidade – frequência do pulso – duração do pulso
E) modalidade – variação – intensidade
COMENTÁRIOS: Questão envolvendo os termos básicos de eletroterapia, observe:
mA → intensidade
pps ou Hz → frequência de pulso
µs ou milliseg → duração do pulso

TEORIA DAS COMPORTAS - TENS

Melzack e Wall propuseram, em 1965, a teoria do controle da comporta, que é explicada da seguinte maneira:
impulsos de dor passam através de uma “comporta” para alcançar o sistema espino-talâmico lateral. Impulsos
dolorosos são transmitidos por fibras nervosas de grande e de pequeno diâmetro. A estimulação das fibras de
grande diâmetro ATRAVÉS DO TENS não permite que as de pequeno calibre transmitam sinais. Em um indivíduo
com dor aguda, o estímulo das fibras de maior calibre é capaz de suprimir a sensação de dor.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 45


65. (FGV / FUNARTE / 2014) O TENS (Transcutaneous Electrical Nerve Stimulation) revela-se um importante aliado
do fisioterapeuta no controle da dor. Seu efeito analgésico pode ser explicado pela:
A) teoria das comportas, estimulando seletivamente as fibras C menores;
B) estimulação antidrômica dos neurônios eferentes;
C) inativação do tronco cerebral mediada por opiáceos;
D) teoria das comportas. estimulando seletivamente as grandes fibras A-alfa e A-beta;
E) estimulação antidrômica, que libera o influxo nociceptivo para a medula espinal.
Ficou fácil acertar a questão!

66. (FGV / OSASCO-SP / 2014) Com relação à Estimulação Elétrica Transcutânea do Nervo (TENS), assinale V para a
afirmativa verdadeira e F para a falsa.
( ) A aplicação da TENS no nível motor moderado não aumenta, de forma significativa, o fluxo sanguíneo no local.
( ) A cafeína não compete com a adenosina, que é o principal mediador da redução da dor induzida pela TENS.
( ) A TENS reduz a condutividade e a transmissão dos impulsos dolorosos das pequenas fibras de dor para o SNC.
As Afirmativas são, respectivamente,
A) F, V e F.
B) F, V e V.
C) V, F e V.
D) V, V e F.
E) F, F e V.
COMENTÁRIOS: Os efeitos fisiológicos da eletroterapia sobre o sistema neuromúsculo-esquelético são: analgesia,
estimulação muscular, vasodilatação, redução de edema, diminuição da inibição reflexa, facilitação na cicatrização
de lesões em tecidos moles e facilitação da consolidação de fraturas. Vamos analisar os itens a seguir:
(VERDADEIRO) A aplicação da TENS no nível motor moderado não aumenta, de forma significativa, o fluxo
sanguíneo no local.
(FALSO) A cafeína não compete com a adenosina, que é o principal mediador da redução da dor induzida pela
TENS.
A cafeína compete com a adenosina pelos seus receptores de dor. Apenas um NÃO deixa esse item errado.
(VERDADEIRO) A TENS reduz a condutividade e a transmissão dos impulsos dolorosos das pequenas fibras de dor
para o SNC.
Atuação da teoria das comportas por meio do TENS.

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 46


67. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) A diatermia por microondas produz calor através da conversão de
energia eletromagnética de alta frequência. Sobre essa modalidade terapêutica, analise as afirmativas a seguir.
I. Os tecidos superficiais tendem a se aquecer mais que os mais profundos em consequência da absorção de
energia.
II. A radiação das microondas não consegue penetrar na camada adiposa, como ocorre com as ondas curtas.
III. O aquecimento ocorre em decorrência da resposta do dipolo criado dentro da membrana celular. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
D) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
E) se todas as afirmativas estiverem corretas.
COMENTÁRIOS: O termo mais apropriado quando utilizamos as ondas eletromagnéticas na faixa das microondas
com fins terapêuticos, é a diatermia por microondas, onde a diatermia significa "produção de calor". A diatermia
por microondas é capaz de produzir aumento de temperatura tecidual, quando a mesma passa pela resistência
oferecida pelos tecidos, a isto denominamos conversão.
O aquecimento produzido pela diatermia por microondas pode ser observado tanto na superfície da pele, quanto
nos tecidos mais profundos, embora a eficiência de profundidade conseguida seja menor do que a eficiência
obtida pela sonidoterapia ou diatermia por ondas curtas.
As microondas são uma forma de radiação eletromagnética, e assim como as ondas curtas, as microondas
também fazem parte do espectro eletromagnético, cuja sua frequência está na faixa de 2450 MHz e comprimento
de onda de 12,25 cm. Ela situa-se entre as ondas curtas e as radiações geradas pelas lâmpadas infravermelhas.
Vamos analisar os itens:
I (VERDADEIRO) → Os tecidos superficiais tendem a se aquecer mais que os mais profundos em consequência da
absorção de energia.
Apesar de ser modalidade de aquecimento profundo, o MO é mais rapidamente absorvido pelos tecidos e por isso
aquece tecidos mais superficiais se comparado às ondas curtas.

II (VERDADEIRO) → A radiação das microondas não consegue penetrar na camada adiposa, como ocorre com as
ondas curtas.
Se a camada de tecido adiposo for superior a 1 cm, irá concentrar muito calor na superfície e pouco calor será
produzido profundamente.

III (VERDADEIRO) → O aquecimento ocorre em decorrência da resposta do dipolo criado dentro da membrana
celular.
Princípio fisiológico de aquecimento do MO.

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 47
68. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) A massoterapia é um recurso terapêutico de fácil obtenção cuja
eficácia depende da habilidade técnica do terapeuta. O efeito de mobilização dos músculos e de separação dos
tecidos é conseguido por meio da manobra de
A) amassamento.
B) vibração.
C) deslizamento.
D) tapotamento.
E) fricção.
COMENTÁRIOS: A massoterapia é um conjunto de toques e manobras exercidas com as mãos e outras partes do
corpo ou até com auxílio de aparelhos específicos , sobre uma ou mais partes do corpo. Tem finalidades
terapêuticas, relaxamento, estética e esportiva.
Massagem possui três grandes efeitos:
Mecânicos – movimentos de toque com o cliente passivo auxilia nos movimentos circulatórios do corpo.
Reflexos – Toques no sistema sensitivo como exemplo sola dos pés auxilia contrações involuntárias.
Metabólicos - sustentação do toque e massagem para reduz frequência cardíaca e auxiliar resposta
parassimpática e melhora a digestão.
Segue abaixo esquema com tipos de manobras da Massoterapia:

AMASSAMENTO
Existem várias técnicas de amassamento como compressão, rolamento e torção. Essa técnica permite que os
músculos sejam trabalhados num nível profundo e mostra-se eficaz em particular quando realizada em áreas
com bastante tecido muscular como panturrilha, quadril, coxa, ombro e as gorduras localizadas do abdômen, e
as celulites do glúteo.
O amassamento é aplicado entre os dedos de uma mão e o polegar da outra, e os tecidos são simultaneamente
erguidos e retorcidos de leve, no sentido horário ou anti-horário. Depois, a pressão é liberada e a posição das
mãos invertida

VIBRAÇÃO
É uma técnica praticada com uma ou duas mãos, em que um delicado movimento de agitação, ou tremor, é
transmitido aos tecidos pela mão ou pelas pontas dos dedos. A vibração é um movimento que objetiva
principalmente ajudar a soltar as secreções nos pulmões. A vibração também pode ser usada como técnica
estimulante sobre o tecido muscular, visto que pode estimular o reflexo do estiramento. A pressão é baixa e
aplicada muito rapidamente, para criar movimentos de vibração fina. Essa técnica diferencia-se dos
movimentos de percussão por não causar uma contração reflexa dos músculos esqueléticos, embora afete os
músculos involuntários.

EFFLEURAGE (DESLIZAMENTO SUPERFICIAL)


Effleurage (deslizamento) é o nome da técnica aplicada sempre no início e no final da massagem. Seus
movimentos lentos e suaves, essenciais para que a pessoa se acostume com o contato de suas mãos, são
utilizados para espalhar o óleo em todo o corpo. Além disso, permite que as mãos deslizem delicadamente
ligando um movimento ao seguinte.
O deslizamento superficial pode ser aplicado em qualquer parte do corpo e em geral não tem sentido
obrigatório. A palma de uma, ou das duas mãos, desliza devagar pelo corpo, moldando-se a seus contornos
Sugestão de Revisão:
http://www.luzimarteixeira.com.br/wp-content/uploads/2009/09/livro-mario-paul-cassar-manual-de-massagem-terapeutica.pdf
OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 48
PERCUSSÃO
A percussão consiste em uma variedade de movimentos nos quais os músculos são estimulados por várias
partes das mãos, como os lados, as palmas ou até mesmo os punhos cerrados. Os movimentos de percussão
são realizados apenas nas áreas mais carnudas, com mais tecido muscular – nunca nas áreas
predominantemente ósseas.
O termo comum utilizado para técnicas do tipo percussivo é tapotagem, palavra oriunda do francês
tapotement, que significa "pancadinhas leves". Outros termos e técnicas incluem a percussão, a
punho-percussão e o dedilhamento. Esses movimentos têm um efeito hiperêmico (produzem aumento na
circulação local) na pele. Eles também estimulam os terminais nervosos, o que resulta em pequenas contrações
musculares e aumento generalizado do tônus. Como regra geral, a maioria dos pacientes considera movimentos
de percussão muito revigorantes, embora alguns os consideram relaxantes.

FRICÇÃO
As técnicas de fricção são executadas nos tecidos tanto superficiais quanto profundos. Usando a ponta dos
dedos ou o polegar, e na maioria dos casos apenas uma mão, os tecidos mais superficiais são mobilizados sobre
as estruturas subjacentes. A manobra de fricção pode ser efetuada em diversas direções: circular, transversal
(entre as fibras) ou em uma linha reta ao longo das fibras, embora as duas últimas sejam geralmente os
métodos preferidos. Embora nem sempre aplicável, um ritmo pode ser incorporado ao movimento pela
coordenação entre a ação do corpo e a das mãos.

69. (FGV / SUSAM-AM / 2014) A massoterapia, se bem recomendada e realizada com precisão, é um recurso
terapêutico manual que tem seu valor no programa terapêutico. Com base no fragmento acima, assinale a opção
que correlaciona corretamente a manobra massoterapêutica à sua respectiva indicação.
A) Deslizamento – equimose na área tratada.
B) Fricção – aderência de tecidos subcutâneos.
C) Percussão – na presença de hipotonia muscular.
D) Vibração – edema crônico nas extremidades.
E) Amassamento – hiperestesia local.
COMENTÁRIOS: A técnica de fricção apresenta como efeitos:
1. Dispersão dos depósitos patológicos → As manobras de fricção dispersam depósitos patológicos
(calcificações), em particular em torno das articulações (por exemplo, nas áreas atingidas por gota ou
reumatismo).
2. Alongamento e liberação de aderências → Liberar aderências entre camadas de tecidos, como entre a fáscia e
os músculos, entre a fáscia e o osso e entre fibras musculares, e ajudam o tecido fibroso a ceder e a se alongar.
3. Redução do edema → Ajudam a reduzir o edema crônico. A consistência do edema progressivo tende a mudar
para um estado mais sólido e, portanto, mais difícil de dispersar; os movimentos de fricção podem ser aplicados
nesses casos.
4. Efeitos gastrintestinais → Os movimentos de fricção também podem ser aplicados para tratar o cólon, desde
que as técnicas sejam confortáveis para o paciente.
5. Efeitos neurológicos → Em alguns casos especiais, os movimentos de fricção são usados para o tratamento dos
principais nervos, como o ciático. A ponta dos dedos é colocada ao lado do nervo, e pequenas fricções circulares
são executadas, então, ao longo do trajeto do nervo.
6. Alívio da neuralgia persistente → Uma das causas desta condição são aderências minúsculas, que repuxam o
nervo ou fazem pressão sobre ele. A redução das aderências pela massagem por fricção, portanto, pode aliviar a
neuralgia.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 49


OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

70. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Assinale a opção que indica os efeitos terapêuticos que podem ser produzidos pela
massagem friccional transversa.
A) Hiperemia traumática, alívio da dor e redução no tecido cicatricial.
B) Aumento da força muscular, redução do edema e redução no tecido cicatricial.
C) Redução do edema, redução da amplitude articular e hiperemia.
D) Redução da dor, hipotrofia do colágeno e aumento da força muscular.
E) Hiperemia, alívio da dor e hipotrofia do colágeno.
COMENTÁRIOS: A técnica de fricção transversal → A pressão de pequena amplitude com a ponta dos dedos
costuma ser utilizada para a massagem por fricção. Com os dedos bem abertos, são efetuados toques curtos, para
a frente e para trás, com a ponta dos dedos. A pressão é regulada durante todo o tratamento, começando de
forma suave e progredindo gradualmente. A fricção com a ponta dos dedos é realizada, por exemplo, entre as
fibras dos músculos intercostais. Os principais efeitos terapêuticos dessa massagem são:
*A liberação dos tecidos, alongamento, alívio da dor, aumento de ADM, a hiperemia traumática se justifica pela
liberação do tecido aderente e cicatricial, redução de edemas (principalmente crônicos).
Cuidado que não há como efeito hipotrofia do colágeno, mas a quebra de fibras com consequente liberação do
tecido cicatricial.
Segredo nessa questão: BOM SENSO!

71. (CETREDE / Trairi-CE, / 2016) A Massagem Sueca é uma massagem muito comum em todo o Ocidente e usa
em torno de 5 movimentos básicos para melhorar a circulação e remover toxinas dos músculos. Dentre esses
movimentos, podemos identificar, EXCETO.
A) Effeurage. B) Regece.
C) Petrissage. D) Tapotement.
E) Fricção.
COMENTÁRIOS: Massagem sueca é muito comum em todo o Ocidente e foi desenvolvida nos anos 1800 por
Henrik Ling, considerado o pai da educação física moderna. Esta incorpora uma variedade de técnicas de
massagem específicas para tratar dores musculares, tensão, stress e má circulação. Os 5 movimentos básicos são:
Effeurage → mais conhecido da massagem sueca. Consiste em realizar pressões longas e deslizantes que
podem ser firmes ou suaves, dependendo do objetivo desejado.
Petrissage, ou amassamento → são realizadas pressões leves a fim de comprimir e relaxar a musculatura,
melhorando a circulação.
Tapotement → movimento realizado com intuito de “estapear” os músculos com movimentos percussivos.
Vibração → auxilia eliminando a tensão e ajudando na circulação.
Fricção → movimentos profundos nos músculos com os dedos, cotovelo, ou com a base da palma da mão com
objetivo aumentar a flexibilidade e liberar as tensões musculares.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 50


OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

72. (CETREDE / Canindé-CE / 2018) A massagem terapêutica é benéfica devido à sua influência sobre diversos
processos orgânicos. Sobre os efeitos da massoterapia, identifique a alternativa CORRETA.
A) A conexão entre a manipulação do tecido mole e a função orgânica não está relacionada com o suprimento
neural nos dermátomos e miótomos.
B) O relaxamento conquistado com a massagem tem um efeito indireto sobre o sistema nervoso autônomo (SNA)
e, em particular, sobre a divisão parassimpática.
C) A massagem diminui o fluxo do sangue oxigenado e detritos celulares proporcionando uma diminuição da
nutrição e desenvolvimento dos músculos.
D) O toque provoca uma resposta do sistema nervoso parassimpático mandando informações via eferente para o
sistema nervoso central, o qual prepara o indivíduo para mobilizar ou defender-se.
E) Fatores como idade, emoção, costume religioso, gênero, cultura não influenciam nem diferenciam a
interpretação do toque para cada paciente.
COMENTÁRIOS: Muita atenção com as questões sobre massagem visto que as mesmas são extraídas de arquivos
da internet. A terminologia moderna para a descrição das técnicas de massagem deriva das línguas inglesa e
francesa, onde a técnica de massagem ajusta-se a um dos seguintes nomes: técnicas de effleurage ou
deslizamento; técnicas de compressão; técnicas de massagem linfática; técnicas de percussão; técnicas de fricção;
técnicas de vibração e agitação; técnicas de trabalho corpora. Além do relaxamento e do apoio emocional que
oferece, a massagem terapêutica é benéfica devido à sua influência sobre diversos processos orgânicos. Essas
consequências ou efeitos são considerados mecânicos, neurais, químicos e fisiológicos ou simplesmente
mecânicos e reflexos.
A conexão entre a manipulação do tecido mole e a função orgânica está estreitamente relacionada com o
suprimento neural nos dermátomos e miótomos (Alternativa A incorreta). Essas distribuições segmentais
ocorrem como parte do desenvolvimento embrionário e representam a inervação dos tecidos periféricos pelos
nervos da coluna.
O relaxamento conquistado com a massagem tem um efeito indireto sobre o sistema nervoso autônomo e, em
particular, sobre a divisão parassimpático. (Alternativa B correta). O relaxamento profundo supostamente
aumenta a estimulação parassimpática, e parece que, quanto mais relaxado o indivíduo torna-se durante e após a
massagem, maior a estimulação. Um centro primário nesse circuito complexo é o hipotálamo, que controla a
maior parte do sistema nervoso autônomo e o integra ao sistema endócrino.
A massagem AUMENTA o fluxo do sangue oxigenado e detritos celulares proporcionando uma melhor nutrição e
desenvolvimento dos músculos (Alternativa C incorreta). Através do aumento da excitabilidade torna mais
sensíveis os indivíduos aos impulsos nervosos, diminuindo a fadiga, com melhora da coordenação e aumento da
produção do ácido lático fazendo recuperação desses músculos. Porém, se a técnica aplicada for de forma
excessiva e agressiva pode gerar fadiga e deformação das fáscias.
O toque era uma resposta ao sistema nervoso simpático enviando informações via AFERENTE para o sistema
nervoso central(SNC),o qual prepara o indivíduo para mobilizar-se ou defender-se (Alternativa D incorreta). A
resposta do estímulo do sistema nervoso parassimpático através da massagem pode promover benefícios como a
redução da ansiedade,depressão,dor e aumento da imunidade. Fatores como idade, emoção, costume religioso,
gênero, cultura PODEM INFLUENCIAR e DIFERENCIAR a interpretação do toque para cada paciente (Alternativa E
incorreta).

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 51


73. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) Existem várias abordagens terapêuticas para a hidroterapia. A
que se utiliza das propriedades físicas da água, como a flutuação e a turbulência, para realizar exercícios de
relaxamento, de estabilização e de resistência progressiva, é denominada:
A) Watsu.
B) Bad Ragaz.
C) Halliwick.
D) Ai Chi.
E) Zen shiatsu.

74. (FGV / SUSAM-AM / 2014) Com relação às reações fisiológicas desencadeadas pela imersão de um paciente
em uma piscina terapêutica, durante o repouso, analise as afirmativas a seguir.
I. A taquicardia é um efeito cardiovascular esperado.
II. A diurese é aumentada.
III. O sangue é desviado para áreas vitais. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
E) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas
COMENTÁRIOS: As propriedades físicas da água oferecem muitas vantagens em um programa de reabilitação,
como promoção de relaxamento muscular, redução da sensibilidade à dor, redução dos espasmos musculares,
aumento da facilidade do movimento articular, aumento da força e resistência muscular, aumento da circulação
periférica, melhora da musculatura respiratória, melhora da consciência corporal e equilíbrio. São alguns efeitos
fisiológicos do corpo em imersão em PISCINA TERAPÊUTICA:
Diminuição da dor; Aumento da circulação periférica;
Relaxamento muscular; Aumento da freqüência cardíaca;
Aumento da freqüência respiratória; Melhora do retorno venoso;
Diminuição da pressão sanguínea; Aumento da taxa metabólica;
Aumento do suprimento de sangue para os Aumento do filtrado glomerular.
músculos;
Aumento do metabolismo muscular;

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 52


75. (NEOEXITUS / Forquilha-CE / 2013) Exercício aquático, refere-se ao uso de piscinas ou tanques de imersão
com diferentes profundidades que facilitam a aplicação de várias intervenções terapêuticas estabelecidas, como
alongamento, fortalecimento, mobilização articular, treinamento de equilíbrio, treino de marcha e
condicionamento físico. Tirando como base as propriedades físicas da água, associe a coluna B pela coluna A.
COLUNA A
I. Flutuabilidade.
II. Pressão hidrostática.
III. Viscosidade.
IV. Tensão superficial.
COLUNA B
( ) É a força ascendente que trabalha em oposição à gravidade.
( ) Age como uma membrana sob tensão e é medida como força por unidade de comprimento.
( ) É a pressão exercida sobre objetos imersos.
( )Retira de forma relativa, o peso do paciente e a carga das articulações, permitindo o desempenho de
movimentos ativos com maior facilidade.
( ) É o atrito que ocorre entre as moléculas de líquido resultando em resistência ao fluxo.
( ) Sua resistência é proporcional à velocidade do movimento através do líquido.
Marque a opção que indica a sequência CORRETA.
A) III – II – IV – II – I – IV.
B) IV – II – III – I – II – III.
C) I – IV – II – I – III – III.
D) II – I – IV –II – IV – I.
E) I – III – II – IV – I – II.
COMENTÁRIOS: A Hidroterapia é definida como o uso externo da água com propósitos terapêuticos, essa
modalidade de tratamento possui algumas propriedades que são bem frequentes em concursos, vejamos:
Flutuação: é a força experimentada como o empuxo para cima, que atua em sentido oposto à força da gravidade.
Promove no paciente a descarga de peso nas articulações, proporcionando melhor execução dos movimentos.
Pressão hidrostática: é definida como a força (F) exercida por unidade de área (A), sendo exercida igualmente
sobre toda área da superfície de um corpo imerso em repouso, a uma dada profundidade.
Viscosidade: é definida quando diferentes líquidos são caracterizados por diferentes quantidades de atração
molecular, e quando as camadas de líquidos são postas em movimento, criando uma resistência (atrito) ao
movimento. Quanto maior a velocidade de movimentação dentro da piscina terapêutica, maior será a resistência
(atrito).
Tensão superficial: é a força exercida entre as moléculas da superfície de um líquido. Atua como leve resistência à
mudança de meio.

76. (FGV / OSASCO-SP / 2014) A ausculta pulmonar é parte integrante e essencial da semiologia e da avaliação
funcional respiratória. Para uma correta interpretação destes sons corporais, o fisioterapeuta deve saber distinguir
o tipo de som e suas respectivas características. A esse respeito, correlacione os tipos de sons às suas
características.
1. Vesicular
2. Adventício crepitante
3. Sibilo
4. Brônquico
( ) Resulta da constricção das vias aéreas.
( ) A inspiração é mais audível do que a expiração.
( ) A expiração é mais prolongada do que a inspiração.
( ) Ocorre precocemente durante a inspiração com asma.
Assinale a opção que indica a relação correta, de cima para baixo.
A) 4 – 2 – 1 – 3

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 53


B) 2 – 3 – 4 – 1
C) 3 – 4 – 1 – 2
D) 3 – 1 – 4 – 2
E) 2 – 1 – 4 – 3
COMENTÁRIOS: A ausculta pulmonar é um método semiológico básico no exame físico do tórax. Deve ser
realizada em ambiente silencioso, de preferência com o tórax desnudo, iniciando no ápice pulmonar e descendo
bilateralmente (para a comparação bilateral) até o 6º espaço intercostal anteriormente, até o 10º posteriormente,
e nas laterais do tórax correspondentes aos pulmões. Deve-se orientar que o sujeito avaliado respire
profundamente pela boca, para que não haja interferência dos ruídos da via aérea superior. Para o fisioterapeuta
respiratório a ausculta pulmonar constitui-se na mais importante ferramenta disponível tanto na avaliação
específica. Os sons pulmonares são divididos em sons normais e ruídos adventícios (RA):
Sons pulmonares Normais
Som traqueal: de caráter tubular, auscultado nas duas fases do ciclo respiratório, à altura da traqueia; mais
intenso na expiração;
Som brônquico: variante do som traqueal, ouvido sobre as zonas de projeção dos brônquios maiores, nas duas
fases do ciclo respiratório. Sons brônquicos são normalmente audíveis sobre a região interescapulovertebral
direita, pois a traqueia é contígua ao brônquio principal direito, e isso não ocorre nesta região à esquerda.
Auscultado sobre a laringe e traquéia, caracterizados como sons altos, de alta frequência, cuja fase expiratória é
maior que a inspiratória.
Som respiratório normal ou som vesicular ou murmúrio vesicular: é o som ouvido na periferia pulmonar
durante a respiração não forçada. Ao contrário dos anteriores, ele é ouvido apenas durante a inspiração e no
início da expiração.

Sons pulmonares Adventícios ou Anormais


SONS CONTÍNUOS: de caráter musical, SONS DESCONTÍNUOS: explosivos, intermitentes e de
sobrepõem-se ao som vesicular, podendo ser curta duração (abaixo de 20 ms). São representados pelas
audíveis em qualquer fase da respiração. crepitações ou estertores finos ou grossos
O termo ronco é usado para denominar os sons Crepitações finas (alta tonalidade, baixa amplitude, e
graves, e sibilos para os sons agudos. curta duração) e crepitações grossas (baixa tonalidade,
RONCOS (baixa tonalidade) → Os roncos podem ser alta amplitude e longa duração). Estertores são sons
audíveis em indivíduos com excesso de secreções em anormais que podem ser audíveis na inspiração e na
vias aéreas e originam-se nas vibrações das paredes expiração.
brônquicas e do conteúdo gasoso, quando há ESTERTORES FINOS → ocorrem no meio ou final da
estreitamento desses ductos, seja por espasmo ou inspiração, têm frequência alta, ou seja, são agudos e de
edema da parede ou, principalmente, por secreções curta duração; não se modificam com a tosse e podem
a ela aderidas. Ocorrem tanto na inspiração quanto ser comparados ao ruído produzido pelo atrito de um
na expiração. punhado de cabelos junto ao ouvido, e são
SIBILOS (alta tonalidade) → Originam-se de predominantemente audíveis nas bases pulmonares. São
vibrações das paredes bronquiolares e de seu comuns nas pneumonias, edema pulmonar e doenças
conteúdo gasoso, e ocorrem tanto na inspiração, intersticiais.
quanto na expiração. São múltiplos e disseminados, ESTERTORES GROSSOS → têm frequência menor e
quando observados em doenças que acometem toda duração maior que os finos. Sofrem nítida alteração com
a árvore brônquica, como o que acontece na asma, a tosse e podem ser ouvidos em todas as regiões do
bronquite, neoplasias endobrônquicas ou com corpo tórax. São audíveis no início da inspiração e em toda a
estranho nas vias aéreas, ocluindo a luz do brônquio. expiração. Parecem ter origem na abertura e fechamento
O estridor é um som musical de alta frequência, que de vias respiratórias que contêm secreção viscosa e
pode ser observado em indivíduos com edema de espessa. São comuns nas bronquiectasias e nas
glote ou com laringite. bronquites.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 54


Outro som anormal é o atrito pleural, e representa um som de duração maior e frequência baixa, de tom grave,
o que torna fácil, portanto, distingui-lo dos estertores. Audível no final da inspiração e no início da expiração, é
comparado ao ranger de couro novo. É encontrado nos casos de pleurite seca, devido ao espessamento dos
folhetos pleurais inflamados deslizando na inspiração e expiração.
Mediante a breve revisão vamos correlacionar os itens da questão:
(3 - Sibilo) → Resulta da constricção das vias aéreas.
(1 - Vesicular) → A inspiração é mais audível do que a expiração.
(4 - Brônquico) → A expiração é mais prolongada do que a inspiração.
(2 - Adventício crepitante) → Ocorre precocemente durante a inspiração com asma

Sugestão de Revisão: BASSO, Renata Pedrolongo et al. AUSCULTA PULMONAR: uma perspectiva teórica. Fisioterapia em Movimento, v. 21,
n. 4, 2017.
http://eu-ireland-custom-media-prod.s3-eu-west-1.amazonaws.com/Brasil/Downloads/25-03/esample-3.pdf

77. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) Paciente JPC, sexo masculino, 72 anos, é
internado para uma cirurgia eletiva, em um hospital geral,. No pós-operatório imediato, o paciente foi
encaminhado para a UTI. A gasometria colhida imediatamente após a internação na UTI é a seguinte: pH7,24;
PaO2 76 mmHg; PaCO2 62 mmHg; HCO3- 24,8 mEq/L. Assinale a opção que indica a melhor descrição do estado
ácido-básico do paciente.
A) Acidose respiratória causada pela elevação da PaCO2, que reduz a relação HCO3-/PaCO2, diminuindo, dessa
forma, o pH. ]
B) Acidose respiratória causada pela redução da PaCO2, que aumenta a relação HCO3-/PaCO2, diminuindo, dessa
forma, o pH.
C) Acidose metabólica causada pela elevação do íon bicarbonato (HCO3-), que aumenta a relação HCO3-/PaCO2,
diminuindo, dessa forma, o pH.
D) Acidose metabólica causada pela manutenção da PaCO2 e pela redução do íon bicarbonato (HCO3-),
diminuindo a relação HCO3-/PaCO2, reduzindo dessa forma o pH.
COMENTÁRIOS: Na acidose respiratória a Pco2 está aumentada, reduzindo a relação HCO3-/Pco2 e assim
diminuindo o pH. A retenção de CO2 pode ser causada por hipoventilação ou desigualdade de
ventilação-perfusão. Sempre que a Pco2 subir, o bicarbonato deve também aumentar em alguma extensão,
devido à dissociação do ácido carbônico produzido. Persistindo a acidose respiratória o rim conserva HCO3-. Ele é
conduzido a fazer isso pelo aumento da Pco2 nas células tubulares renais, as quais passam a excretar uma urina
mais ácida, por meio da secreção de íons H+. Na alcalose respiratória ocorre uma queda na Pco2, provocada pela
ventilação excessiva dos pulmões aumentando a relação HCO3-/Pco2 e elevando assim o pH.
A compensação renal ocorre por uma excreção aumentada de bicarbonato, assim fazendo a relação HCO3-/Pco2
voltar ao normal.
A acidose metabólica refere-se a todos os outros tipos de acidose além daquelas causadas pelo excesso de CO2
nos líquidos corporais, provocando uma queda na proporção de HCO3- para Pco2, diminuindo assim o pH. A
compensação respiratória acontece pelo aumento da ventilação diminuindo a Pco2 e elevando a relação
HCO3-/Pco2 que estava deprimida.
Na alcalose metabólica ocorre um aumento no HCO3- aumentando a relação HCO3-/Pco2 e consequentemente o
pH. A compensação respiratória na alcalose metabólica é com frequência pequena, podendo estar ausente. O
excesso de base está aumentado. Perturbações mistas respiratórias e metabólicas podem acontecer, dificultando
a elucidação da sequência de eventos.

Sugestão de Revisão: WEST, John B. Fisiologia respiratória: Princípios básicos. Artmed Editora, 2013.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 55


78. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) “A gasometria arterial, se associada a dados clínicos do paciente,
é uma importante aliada na elaboração do plano terapêutico mais adequado. Os valores de referência podem
sofrer variações segundo o sexo e a idade. Porém, os considerados normais são: PaO2 _____; PaCO2_____ e pH
_____.” Assinale a alternativa cujos valores completam corretamente as lacunas da afirmativa acima.
A) = 69 + (idade x 0,4) / = 35‐45 mmHg / = 7,35‐7,45
B) = 96 – (idade x 0,4) / = 35‐45 mmHg / = 7,35‐7,45
C) = 96 – (idade x 0,4) / = 53‐54 mmHg / = 7,35‐7,45
D) = 96 – (idade x 0,4) / = 35‐45 mmHg / = 3,75‐4,75
E) = 69 – (idade x 0,4) / = 53‐54 mmHg / = 3,75‐4,75
COMENTÁRIOS: Questão teoricamente fácil que podemos resolver pelo bom senso e por eliminação de itens.
Analisando valores de pH: 7.35 - 7.45 já eliminamos letra D e E, valores de PaCO2 entre 35 e 45 mmhg eliminamos
item C, por fim fórmula para cálculo de PaO2 estimada pode ser feita:
PaO2= 104 – (0.27 x idade)
PaO2 = 100 – [(0.32x(idade)] +- 5 mmhg
PaO2= 96 - (idade x 0,4 )
OBS: Sabemos que atualmente essa fórmula foi deixada de lado, devido o déficit de evidências, contudo para
concursos precisamos atentar para as bancas que cobram sobre essa temática, fique atento!
Sugestão de link: http://www.medicinaintensiva.com.br/IRpA.htm

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 56


79. (FGV / SUSAM-AM / 2014) A gasometria arterial é utilizada para avaliar o equilíbrio ácido‐base do paciente. A
respeito da gasometria arterial, assinale V para afirmativa a verdadeira e F para a falsa.
( ) Um dos seus valores de referência é o seguinte: HCO3: 22‐26 mEq⁄L (22‐26 mmol⁄L).
( ) O sistema tampão atua por meio da alteração de íons de hidrogênio.
( ) O pH > 7,45 é considerado aumentado. As afirmativas são, respectivamente,
A) F, V e F. B) F, V e V.
C) V, F e F. D) V, V e V.
E) F, F e V.
COMENTÁRIOS: Questão mamão com açúcar né pessoal. Vamos a resolução:
(VERDADEIRO) Um dos seus valores de referência é o seguinte: HCO3: 22‐26 mEq⁄L (22‐26 mmol⁄L).
O sistema do bicarbonato é o mais abundante e extremamente importante na neutralização dos ácidos formados
pelo metabolismo celular.
(VERDADEIRO) O sistema tampão atua por meio da alteração de íons de hidrogênio.
Os tampões são substâncias que dificultam as alterações do pH pela adição de ácidos ou bases. São fundamentais
para o organismo, porque o metabolismo gera muito ácido. A regulação do equilíbrio ácidobase no organismo,
depende da atuação dos sistemas tampão existentes no sangue (líquido intravascular), nos tecidos (líquido
intersticial) e no interior das células (líquido intracelular).
(VERDADEIRO) O pH > 7,45 é considerado aumentado.

Sugestão de revisão:https://ppgbqa.ufsc.br/files/2011/07/material-para-estudo-de-Equilibrio-acido-base.pdf

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 57


80. (FGV / OSASCO-SP / 2014) Com relação à oxigenoterapia, analise as afirmativas a seguir.
I. Os sistemas de baixo fluxo independem da existência de um reservatório anatômico.
II. Na presença de shunt, a hipoxemia deve ser corrigida administrando-se 100% de oxigênio.
III. A oferta de oxigênio em porcentagem é superior à presente no ar ambiente. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
E) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
COMENTÁRIOS: Segundo a “American Association for Respiratory Care” (AARC), as indicações básicas de
oxigenoterapia são:
PaO2 < 60 mmHg ou SatO2 < 90 % (em ar ambiente); SatO2 < 88% durante a deambulação, exercício ou sono
em portadores de doenças cardiorrespiratórias; IAM; Intoxicação por gases (monóxido de carbono);
Envenenamento por cianeto.

O oxigênio pode ser ofertado para enriquecer a concentração do ar inspirado por meio de sistemas de baixo fluxo
e de alto fluxo.
SISTEMAS DE OXIGENIOTERAPIA
Baixo Fluxo
Os sistemas de baixo fluxo dependem da existência de um reservatório anatômico (cavidade nasal e oral) ou
artificial de oxigênio, do fluxo de gás fornecido, da frequência respiratória, do volume corrente e do volume
minuto do paciente.
Cânulas Nasais
São confortáveis e permitem que o paciente possa falar, tossir e se alimentar durante o uso, podendo atingir
FiO2 que varia entre 24 a 44% com fluxo de 1 a 6 L/min. O uso de fluxos superiores neste sistema, não é indicado
devido risco de irritação local e dermatites. Além das cânulas nasais simples, dois outros tipos de cânulas têm
sido preconizadas: As cânulas nasais com reservatório (projetadas para conservar oxigênio) e as cânulas tipo
microfones.

Cateter nasal
Este dispositivo deveria atingir a úvula; no entanto, sua inserção geralmente se faz às cegas até uma
profundidade igual à distância entre o nariz e o lóbulo da orelha. Como este cateter afeta a produção de
secreção, deverá ser removido e substituído por um novo pelo menos a cada 8 horas e preferencialmente, na
narina oposta.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 58


Máscara Simples
Aumentam o reservatório artificial de oxigênio, permitindo uma maior inalação de gás na inspiração. Essas
máscaras simples apresentam um reservatório de 100 a 200 mL de oxigênio, que permite obter uma FiO² de 40 a
60% com fluxos de 5 a 8 L/min. Fluxos inferiores a 5 L/min aumentam o risco de reinalação de CO² e deve ser
evitado. As máscaras simples apresentam pequenos orifícios que permitem a entrada e saída de gases.
Alto Fluxo
Os sistemas de alto fluxo fornecem uma determinada concentração de oxigênio em fluxos iguais ou superiores
ao fluxo inspiratório máximo do paciente, assim asseguram uma FiO2 conhecida.
Máscara de Venturi
Esse tipo de máscara utiliza um alto fluxo de oxigênio, suficiente para exceder o pico de fluxo inspiratório do
paciente. O ar ambiente é arrastado em volta do jato de oxigênio por orifícios laterais.

Essa máscara é utilizada quando se deseja uma concentração de oxigênio mais consistente e previsível, atingindo
valores de FiO2 de 24 a 50% com fluxo de 5 a 12 L/min.
Sugestão de Revisão: Bases da fisioterapia respiratória: terapia intensiva e reabilitação – Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012.
https://siteantigo.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/fisioterapia/oxigenoterapia/26287
http://www.szpilman.com/CTI/protocolos/Oxig%C3%AAnio%20e%20ventila%C3%A7%C3%A3o%20n%C3%A3o%20invasiva.pdf

Analisando os itens a seguir:


I (FALSO) → Os sistemas de baixo fluxo independem da existência de um reservatório anatômico.
Os mesmos DEPENDEM! Cuidado!
II (FALSO) → Na presença de shunt, a hipoxemia deve ser corrigida administrando-se 100% de oxigênio.
Na presença de Shunt ideal é uso de pressão positiva!
III (VERDADEIRO) → A oferta de oxigênio em porcentagem é superior à presente no ar ambiente
Em ar ambiente a fração de O2 é em torno de 20,9% e na administração de O2 acima desse percentual.
OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
81. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Quanto à sequência da resposta fisiológica que pode ocorrer no tratamento da
hipoxemia quando o paciente é submetido a uma alta FiO2 (fração inspirada de oxigênio) por tempo prolongado,
assinale a afirmativa correta.
A) Alta FiO2 por período longo pode resultar na diminuição do shunt, levando a uma hipóxia, culminando na
necessidade de uma FiO2 ainda maior.
B) Aumento da relação ventilação/perfusão leva à necessidade de altas FiO2 , o que resulta na toxicidade do
parênquima pulmonar pelo O2 , culminando em um aumento da PaO2 , que leva a um aumento ainda maior do
shunt.
C) Alta FiO2 por período longo leva à toxicidade do parênquima pulmonar, o que resulta em lesão pulmonar,
podendo levar a uma baixa relação ventilação/perfusão, resultando na piora da hipoxemia.
D) Hipoxemia leva à necessidade de uma alta FiO2 , que reduz o shunt alveolar, resultando em lesão do
parênquima pulmonar, o que leva a uma hipoxemia.
E) Alta FiO2 por período prolongado leva à toxicidade do parênquima pulmonar, o que resulta em derrame pleural,
que leva a um aumento da relação ventilação/perfusão, resultando na piora da hipoxemia.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 59


COMENTÁRIOS: O paciente exposto a uma O2 elevada durante um período prolongado apresenta sinais clínicos
de lesão do parênquima pulmonar, com aparecimento de infiltrados irregulares presentes na radiologia torácica,
evidenciando lesão alveolar consequente à lesão do endotélio capilar, edema intersticial e espessamento da
membrana alvéolo-capilar. Com a sequência do processo, as células alveolares tipo I são destruídas e as células
tipo II se proliferam. Segue-se uma fase exsudativa, acarretando níveis V/Q baixos, derivações fisiológicas e
hipoxemia. Nos estágios finais, ocorre desenvolvimento de fibrose e hipertensão pulmonar. Se esta hipoxemia
progressiva for tratada com suplementação de oxigênio, os efeitos tóxicos somente pioram. Sabe-se que a
toxicidade do oxigênio causa produção exagerada de radicais livres e se não controlados, ocasionam morte celular.

82. (FGV / OSASCO-SP / 2014) Uma técnica utilizada para desobstrução das vias aéreas é a Técnica de Expiração
Forçada. A esse respeito, analise as afirmativas a seguir.
I. Só deve ser realizada na posição sentada ou de lado, indicada pelo fisioterapeuta.
II. É feita com uma inspiração média ou grande, utilizando-se a região torácica inferior.
III. A tosse tem que ser evitada para prevenir o colapso prematuro das vias aéreas. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
E) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
COMENTÁRIOS: A técnica de expiração forçada (TEF) tem sido utilizada como parte das manobras desobstrutivas,
principalmente quando a tosse espontânea não é eficiente e trata-se de um paciente hipersecretor.
Objetivo → A mobilização e eliminação de secreção em pacientes hipersecretivos e tem se mostrado bastante
eficaz na higiene brônquica de indivíduos com instabilidade das vias aéreas durante a tosse normal, como é o caso
dos pacientes com fibrose cística (FC).
Descrição → Consiste em um ou dois esforços expiratórios (huffs) realizados com a glote aberta com objetivo de
remoção de secreções brônquicas com a menor alteração da pressão pleural e menor probabilidade de colapso
bronquiolar. São expirações forçadas a partir de médio volume inspiratório e com a glote aberta, aumentando
assim o fluxo expiratório e favorecendo a tosse. Analisandos itens a seguir:
I (FALSO) → Só deve ser realizada na posição sentada ou de lado, indicada pelo fisioterapeuta.
A técnica pode ser usada em qualquer posição, de acordo com a disponibilidade do paciente.
II (VERDADEIRO) → É feita com uma inspiração média ou grande, utilizando-se a região torácica inferior.
São expirações forçadas a partir de médio a altos volumes inspiratórios.
III ( VERDADEIRO) → A tosse tem que ser evitada para prevenir o colapso prematuro das vias aéreas.
Cuidado que a tosse deve ser instruída a ser realizada no final da manobra para favorecer a saída das secreções.
OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
83. (FGV / OSASCO-SP / 2014) Para auxiliar na mobilização das secreções, partindo da periferia em direção à
traqueia para expectoração, utiliza-se
A) a vibração e o shaking.
B) a percussão e a PEP.
C) o shaking e a VPPNI.
D) a vibração e a respiração frenolabial
E) o huffing e a respiração fracionada.
COMENTÁRIOS: Questão de fácil resolução! Contudo merece atenção quanto aos recursos que utilizam a pressão
positiva expiratória, como a máscara PEP, a EPAP e o Flutter®. Estes têm sido utilizados para a remoção de
secreções e ventilação pulmonar em pacientes com fibrose cística, com faixas etárias diversas e tempo de
intervenção diferenciado. A banca considerou item A, vibração e Shaking para remoção de STB da periferia para
traqueia.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 60


84. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) Em uma Unidade de Tratamento Intensivo, a utilização da
ventilação não‐invasiva é muito frequente. Relacione os fatos a seguir com suas respectivas situações.
1. Indicação
2. Objetivos
3. Contra‐indicação relativa
4. Contra‐indicação absoluta
( ) Diminuição do trabalho ventilatório.
( ) Instabilidade hemodinâmica.
( ) Necessidade de sedação.
( ) Atelectasia. Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo.
A) 1 – 3 – 2 – 4
B) 1 – 4 – 2 – 3
C) 4 – 2 – 3 – 1
D) 2 – 4 – 3 – 1
E) 4 – 3 – 2 – 1
COMENTÁRIOS: Questão de simples raciocínio da banca FGV.

INDICAÇÃO OBJETIVOS
Redução de volume Reduzir o trabalho
alveolar (Atelectasia) ventilatório
Correlacionando os itens:

(2) Diminuição do trabalho ventilatório.


(4) Instabilidade hemodinâmica.
(3) Necessidade de sedação.
(1) Atelectasia.

85. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) Com relação aos efeitos adversos da pressão positiva expiratória
final (PEEP), analise as afirmativas a seguir.
I. Pode causar aumento da resistência vascular periférica intra‐ alveolar
II. Pode aumentar o retorno venoso e, consequentemente, o débito cardíaco
III. Pode promover hiperinsuflação pulmonar comprometendo os músculos respiratórios. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta
B) se somente a afirmativa II estiver correta
C) se somente a afirmativa III estiver correta
D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas
E) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas
COMENTÁRIOS: Questão bem recorrente em provas de concurso e não será diferente pela FGV, atenção!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 61


EFEITOS DA PEEP
FISIOLÓGICOS DELETÉRIOS

↑ CRF Barotrauma
↑ Complacência pulmonar ↓ Retorno venoso, Débito cardíaco e PA
↑ PaO2 Hiperdistensão alveolar (efeito espaço morto)
Redistribuição do líquido alveolar e intersticial para o ↑ do espaço morto
espaço vascular. Prejudica as trocas gasosas
Recrutamento alveolar ↑ Resistência vascular periférica
Desloca o PIP para VA mais centrais Alteração da biomecânica dos mm respiratórios
Redução da pré e pós-carga do VE ↓ débito urinário
I (VERDADEIRO) → Pode causar aumento da resistência vascular periférica intra‐ alveolar
II (FALSO) → Pode aumentar o retorno venoso e, consequentemente, o débito cardíaco.
Efeito adverso é reduzir o DC, retorno venoso e PA.
III (VERDADEIRO) → Pode promover hiperinsuflação pulmonar comprometendo os músculos respiratórios

86. (FGV / OSASCO-SP / 2014) Com relação à pressão expiratória positiva (PEP), analise as afirmativas a seguir.
I. As pressões entre 10 e 20 cm H2O são ótimas para realizar a pressão positiva e mobilizar as secreções.
II. A respiração frenolabial impede a ocorrência adequada da pressão expiratória.
III. É utilizada, tradicionalmente, para aumentar a drenagem das secreções pulmonares. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
E) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
COMENTÁRIOS: Observe o trecho a seguir sobre a PEP:

I (VERDADEIRO) → As pressões entre 10 e 20 cmH2O são ótimas para realizar a pressão positiva e mobilizar as
secreções.
II (FALSO) → A respiração frenolabial impede a ocorrência adequada da pressão expiratória.
O Freno labial permite a adequada pressão expiratória.
III (FALSO DE ACORDO COM A BANCA) → É utilizada, tradicionalmente, para aumentar a drenagem das secreções
pulmonares.
Mediante os itens avaliados não concordamos com o gabarito oficial que considerou item III falso. Ora, sabemos
que um dos objetivos da PEP é justamente promover a mobilização das secreções, a menos que a banca tenha
colocado DRENAGEM ao pé da letra, não duvido!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 62


87. (FGV / SUSAM-AM / 2014) Analise as afirmativas que apresentam algumas indicações da ventilação mecânica
não invasiva.
I. Edema pulmonar cardiogênico – com PEEP e pressão de suporte.
II. Insuficiência respiratória hipoxêmica – desde que haja monitoração e agilidade para intubação traqueal e
ventilação invasiva.
III. Doença pulmonar obstrutiva crônica – primeira escolha na agudização deste quadro. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
E) se todas as afirmativas estiverem corretas.
COMENTÁRIOS: Ventilação Não Invasiva utiliza uma pressão inspiratória para ventilar o paciente através de
interface naso-facial (IPAP e ou PSV) e uma pressão positiva expiratória para manter as vias aéreas e os alvéolos
abertos para melhorar a oxigenação (EPAP e ou PEEP).
VENTILAÇÃO MECÂNICA NÃO-INVASIVA

RECOMENDAÇÃO
O uso de VNI deve ser monitorado por profissional da saúde à beira- -leito de 0,5 a 2 horas. Para ser
considerado sucesso, deve ser observado diminuição da f, aumento do VC, melhora do nível de consciência,
diminuição ou cessação de uso de musculatura acessória, aumento da PaO2 e/ou da SpO2 e diminuição da
PaCO2 sem distensão abdominal significativa

CONTRAINDICAÇÕES
Absolutas (sempre evitar) - Necessidade de intubação de emergência - Parada cardíaca ou respiratória;
Relativas (analisar caso a caso risco x benefício) - Incapacidade de cooperar, proteger as vias aéreas, ou
secreções abundantes - Rebaixamento de nível de consciência (exceto acidose hipercápnica em DPOC) -
Falências orgânicas não respiratórias (encefalopatia, arritmias malignas ou hemorragia digestivas graves com
instabilidade hemodinâmica) - Cirurgia facial ou neurológica - Trauma ou deformidade facial - Alto risco de
aspiração - Obstrução de vias aéreas superiores - Anastomose de esôfago recente (evitar pressurização acima
de 20 cmH2O).

INDICAÇÕES

VNI na exacerbação da Asma


Sugestão: A VNI pode ser utilizada em conjunto com terapia medicamentosa para melhorar à obstrução do fluxo
aéreo e diminuir esforço respiratório em pacientes em crise asmática moderada e acentuada.

VNI na exacerbação aguda do DPOC


Recomendação: Deve-se usar VNI no tratamento da DPOC agudizada para diminuir a necessidade de intubação
(risco relativo de 0,41 [IC 95% 0,33-0,53]), diminuição do tempo de internação no hospital e diminuição da
mortalidade com um RR de 0,52 (IC de 95% 0,35-0,76).

Edema agudo de pulmão cardiogênico


Recomendação: Deve-se usar VNI (BIPAP com EPAP 5-10 e IPAP até 15 cm H2O) e ou CPAP de 5 a 10 cmH20nos
pacientes com Edema Agudo de Pulmão de origem cardiogênica visando diminuir a necessidade de intubação
endotraqueal (RR de 0,53 [IC 95% 0,34-0,83]) e redução na mortalidade hospitalar (RR de 0,6 [IC 95%
0,45-0,84]).

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 63


VNI Na SARA
Sugestão: Pode-se utilizar a VNI na SARA, especialmente nos casos de SARA Leve, com os cuidados de se
observar as metas de sucesso de 0,5 a 2 horas. No caso de não sucesso evitar retardar a intubação.1,6
Recomendação: Na SARA Grave evitar utilizar VNI, devido à alta taxa de falência respiratória e necessidade de
IOT, especialmente em pacientes com PaO2/FIO2 < 140 e SAPS II > 35.

VNI na Pneumonia Adquirida na Comunidade Grave (PAC grave):


Sugestão: Pode-se utilizar a VNI em PAC grave com insuficiência respiratória hipoxêmica, especialmente nos
portadores concomitantes de DPOC com os cuidados de se observar as metas de sucesso de 0,5 a 2 horas. No
caso de não sucesso evitar retardar a intubação.

VNI em Pós-Operatório
Recomendação: A VNI para Tratamento da IRpA no pós-operatório imediato de cirurgia abdominal e torácica
eletivas deve ser utilizada estando associado à melhora da troca gasosa, redução de atelectasias e diminuição
do trabalho respiratório, além de diminuição da necessidade de IOT e possivelmente da mortalidade. Deve ser
utilizada com cautela, respeitando-se as limitações e contra indicações para sua utilização.
Sugestão: Em cirurgias esofágicas pode-se usar VNI para se evitar IRpA, mantendo-se pressões inspiratórias
mais baixas (EPAP < 8 e IPAP < 15). A mesma sugestão vale para Cirurgia Torácica, Cirurgia Abdominal, Cirurgia
Cardíaca, e Cirurgia Bariátrica.
Sugestão de Revisão FGV: DIRETRIZES BRASILEIRAS DE Ventilação Mecânica – 2013.

I (VERDADEIRO) → Edema pulmonar cardiogênico – com PEEP e pressão de suporte.


II (VERDADEIRO) → Insuficiência respiratória hipoxêmica – desde que haja monitoração e agilidade para
intubação traqueal e ventilação invasiva.
III (VERDADEIRO) → Doença pulmonar obstrutiva crônica – primeira escolha na agudização deste quadro

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
88. (AOCP / Prefeitura de João Pessoa-PB / 2021) Sobre ventilação mecânica não invasiva, assinale a alternativa
correta.
A) Deve-se evitar sua utilização em pacientes com aumento da produção de secreção traqueobrônquica, com
baixo reflexo de tosse e sem proteção de vias aéreas.
B) Deve ser feita em pacientes com rebaixamento do nível de consciência, independente se for devido à
hipercapnia ou outro fator.
C) É obrigatória sua utilização pós-extubação de pacientes mecanicamente ventilados.
D) É contraindicada para pacientes com doenças neurodegenerativas.
E) Um dos sinais de melhora e sucesso após sua colocação é a redução do volume corrente e o aumento da FR.

QUESTÃO DE BOM SENSO!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 64


89. (FGV / CUIABÁ - MT / 2015) Em relação à VNI (Ventilação Não Invasiva), assinale a afirmativa correta.
A) A obstrução de vias aéreas superiores é considerada uma indicação.
B) É contraindicada no edema agudo de pulmão.
C) A incapacidade de proteger as vias aéreas é considerada uma contraindicação.
D) A agitação não interfere na administração da técnica.
E) É indicada nos casos de edema agudo de pulmão com instabilidade hemodinâmica.
COMENTÁRIOS: Fazendo análise e correção dos itens:
A) A obstrução de vias aéreas superiores é considerada uma CONTRAINDICAÇÃO.
B) É INDICADA no edema agudo de pulmão.
D) A agitação SIM interfere na administração da técnica.
E) É indicada nos casos de edema agudo de pulmão SEM instabilidade hemodinâmica.
CONSULTAR TABELA ACIMA E COMEMORAR O ACERTO!

90. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) Em relação à ventilação mecânica por
pressão positiva, a mudança da fase inspiratória para a fase expiratória pode ser realizada por meio das variáveis
de volume, pressão, fluxo e tempo. Em relação à fase ciclagem, assinale a afirmativa correta.
A) Por pressão, o volume corrente é predeterminado e o fluxo é livre.
B) Por tempo, a inspiração termina quando a pressão predeterminada é alcançada.
C) A volume, o tempo inspiratório depende do volume corrente e independe da taxa de fluxo inspiratório.
D) A fluxo, o volume corrente depende do esforço do paciente e do nível da pressão estabelecida.
COMENTÁRIOS: O ciclo ventilatório durante a ventilação mecânica com pressão positiva pode ser dividido em:

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 65


CICLO VENTILATÓRIO
1) Fase inspiratória: Corresponde à fase do ciclo em que o ventilador realiza a insuflação pulmonar,
conforme as propriedades elásticas e resistivas do sistema respiratório. Válvula inspiratória aberta;
2) Mudança de fase (ciclagem): Transição entre a fase inspiratória e a fase expiratória;
3) Fase expiratória: Momento seguinte ao fechamento da válvula inspiratória e abertura da válvula
expiratória, permitindo que a pressão do sistema respiratório equilibre-se com a pressão expiratória
final determinada no ventilador;
4) Mudança da fase expiratória para a fase inspiratória (disparo): Fase em que termina a expiração e
ocorre o disparo (abertura da válvula ins) do ventilador, iniciando nova fase inspiratória.
A mudança da fase inspiratória para a expiratória (ciclagem) ocorre de acordo com a variável de ciclagem.
A ventilação pode ser ciclada a volume, tempo inspiratório, fluxo ou pressão:

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 66


91. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) O ciclo respiratório durante a ventilação
mecânica é dividido em fases inspiratória e expiratória. A fase inspiratória é subdividida em fases. Com relação ao
disparo e à ciclagem, assinale a afirmativa correta.
A) O disparo pode ser realizado somente por pressão e fluxo.
B) Na ciclagem por tempo, a transição é influenciada pelas características elásticas e resistivas do sistema
respiratório.
C) Na ciclagem por volume, a inspiração termina quando há uma relação pré-estabelecida entre a pressão e o
tempo inspiratório.
D) Na presença de vazamentos no sistema, modos disparados por pressão ou fluxo podem apresentar assincronia
de autodisparo.
COMENTÁRIOS: Vamos corrigir os itens a seguir:
A - INCORRETA → O disparo pode ser realizado por PRESSÃO, FLUXO E TEMPO.
Durante a ventilação mecânica, uma variável de disparo pré-determinada deve ser alcançada para iniciar a
inspiração. Com a ventilação controlada, a variável é o tempo e é independente do esforço do paciente. Nos
modos que permitem ciclos assistidos e espontâneos, a inspiração começa quando se alcança um nível de pressão
ou fluxo pré-determinado (sensibilidade).
B - INCORRETA → Na ciclagem por tempo, a transição é influenciada pelas características elásticas e resistivas do
sistema respiratório.
Fase inspiratória: Corresponde à fase do ciclo em que o ventilador realiza a insuflação pulmonar, conforme as
propriedades elásticas e resistivas do sistema respiratório.
C - INCORRETA → Na ciclagem por volume, a inspiração termina quando há uma relação pré-estabelecida entre a
pressão e o tempo inspiratório.
Essa relação pré-estabelecida entre a pressão e o tempo inspiratório ocorre na ciclagem a tempo.
D - CORRETA → Na presença de vazamentos no sistema, modos disparados por pressão ou fluxo podem
apresentar assincronia de autodisparo.
Auto-Disparo: o ventilador é disparado sem que haja esforço do paciente. Pode ocorrer por ajuste excessivamente
sensível do ventilador, por vazamento no sistema, presença de condensado no circuito gerando alterações no fluxo,
detecção dos batimentos cardíacos e de grandes variações da pressão torácica pela ejeção do volume sistólico.

92. (FGV / OSASCO-SP / 2014) Relacione os tipos ou modos de ciclagem com suas respectivas definições.
1. Ciclagem por pressão
2. Ciclagem por volume
3. Ciclagem por tempo
4. Ciclagem por fluxo
( ) A pressão de pico relaciona-se diretamente com o volume corrente e com o fluxo inspiratório.
( ) A transição inspiração/expiração ocorre quando o tempo predeterminado é atingido.
( ) O volume corrente depende do nível da pressão estabelecida e do esforço do paciente.
( ) O volume corrente e o tempo inspiratório relacionam-se com a complacência do aparelho. Assinale a opção
que apresenta a relação correta, de cima para baixo.
A) 4 – 2 – 1 – 3
B) 2 – 3 – 4 – 1
C) 3 – 4 – 2 – 1
D) 3 – 1 – 4 – 2
E) 2 – 4 – 3 – 1
COMENTÁRIOS: Conforme o “Esquema Preferido” citado anteriormente vamos correlacionar:
(2 - Ciclagem por volume) A pressão de pico relaciona-se diretamente com o volume corrente e com o fluxo
inspiratório.
(3 - Ciclagem por tempo) A transição inspiração/expiração ocorre quando o tempo predeterminado é atingido.
(4 - Ciclagem por fluxo) O volume corrente depende do nível da pressão estabelecida e do esforço do paciente.
(1 - Ciclagem por pressão) O volume corrente e o tempo inspiratório relacionam-se com a complacência do
aparelho.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 67


93. (FGV / SUSAM-AM / 2014) Com relação aos modos de ventilação mecânica, assinale V para a afirmativa
verdadeira e F para a falsa.
( ) O modo A⁄C oferta ciclos controlados que dependem da frequência respiratória máxima programada.
( ) No modo PSV, todos os ciclos são assistidos adicionando a pressão de suporte; pode ser usado no desmame.
( ) A ventilação mandatória intermitente sincronizada é um modo híbrido entre o A⁄C e o PSV. As afirmativas são,
respectivamente,
A) F, V e F.
B) F, V e V.
C) V, F e F.
D) V, V e F.
E) F, F e V.
COMENTÁRIOS: Questão de bom senso sobre ventilação mecânica, mas que merece uma breve revisão do
assunto:
VCV: Nesta situação, a frequência respiratória pode variar de acordo com o disparo
decorrente do esforço inspiratório do paciente, porém mantêm-se fixos tanto o
volume corrente como o fluxo. Caso o paciente não atinja o valor pré-determinado
de sensibilidade para disparar o aparelho, este manterá ciclos ventilatórios de acordo
com a freqüência respiratória mínima indicada pelo operador

Assistido-Controlado PCV: Neste modo ventilatório, fixa-se a frequência respiratória, o tempo inspiratório
ou a relação inspiração:expiração (relação TI/TE), e o limite de pressão inspiratória. O
disparo continua pré-determinado de acordo com a frequência respiratória indicada,
porém a ciclagem agora acontece de acordo com o tempo inspiratório ou com a
relação TI/TE. O volume corrente passa a depender da pressão inspiratória
pré-estabelecida, das condições de impedância do sistema respiratório e do tempo
inspiratório selecionado pelo operador.

O ventilador oferece ciclos mandatórios a uma frequência pré-determinada, porém


permite que ciclos espontâneos (ciclos ventilatórios disparados e ciclados pelo
paciente) ocorram entre eles. Quando o ventilador permite que o disparo dos ciclos
SIMV mandatórios ocorra em sincronia com pressão negativa ou fluxo positivo realizado
pelo paciente, chamamos este modo de ventilação mandatória intermitente
sincronizada (SIMV, do inglês synchronized intermittent mandatory ventilation), que
é o modo presente em todos os ventiladores modernos.

Todos os ciclos ventilatórios são espontâneos, ou seja, disparados e ciclados pelo


paciente. A ventilação espontânea contínua pode ser assistida pelo ventilador (o
Ventilação espontânea ventilador busca alcançar pressões pré-determinadas durante a inspiração -
contínua ventilação com pressão de suporte - PSV) ou não assistida pelo ventilador (o
ventilador mantém uma pressão positiva durante todo o ciclo respiratório, tanto da
inspiração como na expiração - pressão positiva nas vias aéreas - CPAP).
Sugestão de Revisão: CARVALHO, Carlos Roberto Ribeiro de; TOUFEN JUNIOR, Carlos; FRANCA, Suelene Aires. Ventilação mecânica:
princípios, análise gráfica e modalidades ventilatórias. Jornal brasileiro de pneumologia, v. 33, p. 54-70, 2007.

Analisando os itens podemos constatar:


(FALSO) → O modo A⁄C oferta ciclos controlados que dependem da frequência respiratória máxima programada.
(VERDADEIRO) → No modo PSV, todos os ciclos são assistidos adicionando a pressão de suporte; pode ser usado
no desmame.
(VERDADEIRO) → A ventilação mandatória intermitente sincronizada é um modo híbrido entre o A⁄C e o PSV.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 68


94. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) A respeito das características dos modos
ventilatórios, analise as afirmativas a seguir.
I. A principal semelhança entre o modo assisto-controlado a volume (VCV) e o modo assisto controlado a pressão
(PCV) é que em ambos o pico de fluxo inspiratório é livre, e a principal diferença é que no modo VCV a pressão de
pico é livre e no PCV a pressão é limitada.
II. A ventilação com Pressão de Suporte (PSV) é uma modalidade ventilatória parcial que auxilia os ciclos
espontâneos do paciente por meio de uma pressão positiva pré-determinada e variável durante a inspiração.
III. No modo assisto-controlado à pressão (PCV), o Tempo Inspiratório (Ti) é predeterminado e o pico de fluxo
inspiratório variável; consequentemente o volume corrente é variável.
Está correto o que se afirma em
A) I, apenas.
B) II, apenas.
C) III, apenas.
D) I e II, apenas.
COMENTÁRIOS: Tema bastante recorrente pela banca FGV, portanto foco no seu planejamento de estudos para
esse assunto tão cobrado em provas. No modo VCV ocorre que a frequência respiratória pode variar de acordo
com o disparo decorrente do esforço inspiratório do paciente, porém mantêm-se fixos tanto o volume corrente
como o fluxo, portanto o item I incorreto.
A modalidade Ventilação com pressão de suporte, também chamada de ventilação mecânica espontânea, ou seja,
modalidade ventilatória total disparada e ciclada pelo paciente, em que o ventilador assiste à ventilação através
da manutenção de uma pressão positiva pré-determinada durante a inspiração até que o fluxo inspiratório do
paciente reduza-se a um nível crítico, normalmente 25% do pico de fluxo inspiratório atingido. Isto permite que o
paciente controle a frequência respiratória e o tempo inspiratório e, dessa forma, o volume de ar inspirado. Assim,
o volume corrente depende do esforço inspiratório, da pressão de suporte pré-estabelecida e da mecânica do
sistema respiratório, por conseguinte item II incorreto. No Modo PCV o operador regula a frequência respiratória,
o tempo inspiratório ou a relação inspiração:expiração (relação TI:TE), porém o fluxo é variável assim como
volume corrente, por isso item III correto.
OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
95. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) Em relação aos modos avançados de
ventilação mecânica, assinale a afirmativa correta.
A) O modo Volume Controlado com Pressão Regulada é um modo ventilatório ciclado a volume e limitado a
pressão; a cada ciclo o ventilador reajusta o limite de pressão, baseado no volume corrente obtido no ciclo prévio,
até alcançar o volume corrente alvo ajustado pelo fisioterapeuta.
B) A Ventilação Assistida Proporcional (PAV) é um modo espontâneo que utiliza a equação do movimento para
oferecer pressão inspiratória (Pvent) proporcional ao esforço do paciente (Pmus); o modo PAV tem o potencial de
melhorar a interação paciente-ventilador e é uma alternativa ao PCV para pacientes com assincronia significativa,
disfunção de musculatura respiratória acentuada e necessidade de uso de bloqueador neuromuscular.
C) A ventilação com liberação de pressão nas vias aéreas (APRV) é um modo limitado a pressão e ciclado a tempo,
sendo considerado um modo espontâneo; o fisioterapeuta ajusta a pressão superior (PEEP high) e a pressão
inferior (PEEPlow) e a relação PEEP high/PEEPlow, bem como a frequência de alternância entre os dois níveis de
pressão, sendo, obrigatoriamente, o tempo em PEEPhigh superior ao tempo de PEEPlow. Pode-se adicionar
Pressão de Suporte (PSV).
D) A Ventilação Assistida Ajustada Neuralmente (NAVA, em inglês) é um modo ventilatório que captura a atividade
elétrica do diafragma e a utiliza como critério para disparar o ventilador, oferecendo suporte inspiratório
proporcional à atividade elétrica do diafragma; para o disparo do modo NAVA, é preciso que seja colocado um
eletrodo transcutâneo com sensores posicionados, capazes de captar a atividade elétrica do diafragma. O NAVA
proporciona uma melhora da sincronia com o ventilador em comparação com o PCV.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 69


COMENTÁRIOS: Cuidado com esse tema modos avançados de ventilação mecânica. Essa questão da banca foi
elaborada com base nas diretrizes de VM (2013). Observe o resumo a seguir:
É um modo ventilatório ciclado a tempo e limitado à pressão. A cada ciclo, o
Volume controlado com
ventilador reajusta o limite de pressão, baseado no volume corrente obtido no
pressão regulada - (PRVC )
ciclo prévio, até alcançar o volume corrente alvo ajustado pelo operador.

O modo ventilação assistida proporcional (PAV, sigla do inglês proportional assist


Ventilação assistida ventilation) é um modo espontâneo que utiliza a equação do movimento para
proporcional - PAV oferecer pressão inspiratória (Pvent) proporcional ao esforço do paciente (Pmus).
Caso a Pmus se reduza, a Pvent também se reduz e vice-versa.

O modo ventilação com liberação de pressão nas vias aéreas (APRV, do inglês
airway pressure-release ventilation) é limitado a pressão e ciclado a tempo,
Ventilação com liberação
sendo considerado um modo espontâneo. O operador ajusta a pressão superior
de pressão nas vias aéreas
(PEEPhigh) e a inferior (PEEPlow) e a relação PEEPhigh: PEEPlow, bem como a
(APRV)
frequência de alternância entre os dois níveis de PEEP, sendo obrigatoriamente o
tempo em PEEPhigh superior a tempo de PEEPlow.

A NAVA (sigla do inglês neurally adjusted ventilatory assist) é um modo


ventilatório que captura a atividade elétrica do diafragma e a utiliza como critério
Ventilação assistida
para disparar e ciclar o ventilador, oferecendo suporte inspiratório proporcional à
ajustada neuralmente -
atividade elétrica do diafragma. Para funcionar, o modo NAVA precisa que seja
NAVA
locado um cateter esofagogástrico com sensores posicionados no um terço distal
do esôfago, capazes de captar a atividade elétrica do diafragma.

ATENÇÃO PARA CÁLCULOS DE MECÂNICA PULMONAR!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 70


96. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) A monitorização da mecânica
ventilatória deve ser realizada de rotina em todo paciente submetido a suporte ventilatória invasivo,
especialmente nos pacientes acometidos pela COVID19. Por exemplo, paciente ATA, sexo masculino, 41 anos, está
internada com COVID-19 na UTI de um hospital geral. Foi incubada e ventilada mecanicamente em modo VCV.
Após a realização do procedimento de intubação orotraqueal, foi realizada a monitorização da mecânica
ventilatória: modo VCV, onda de fluxo quadrada e pausa ao final da inspiração. Foram obtidos os seguintes
parâmetros: - pressão de pico = 36 cmH2O; - pressão de plato= 20 cmH2O; - volume corrente: 520 mL; - fluxo
inspiratório constante= 30 L/min; - PEEP= 10 cmH2O. Baseado nos valores supracitados, assinale a opção que
indica o valor da complacência estática e da resistência das vias aéreas, respectivamente.
A) 52 ml/cmH2O e 17,3 cmH2O/L/s.
B) 20 ml/cmH2O e 32 cmH2O/L/s.
C) 20 ml/cmH2O e 17,3 cmH2O/L/s.
D) 52 ml/cmH2O e 32 cmH2O/L/s.
COMENTÁRIOS: Primeiro passo para resolver essa questão é destacar os dados essenciais:
Pressão de pico = 36 cmH2O;
Pressão de platô= 20 cmH2O;
Volume corrente: 520 mL; -
Fluxo inspiratório constante= 30 L/min; -
PEEP= 10 cmH2O
A questão solicita valor da Comp. Estática e Resistência das vias aéreas, portanto vamos a resolução!
OBS: Para calcular RAW é preciso transformar o fluxo de
L/min para L/seg, portanto: 30/60s → FLUXO (0,5 L/seg).
Comp. Estática = VC/ platô-PEEP
RAW= Platô-Pico/Fluxo (L/s)
CE=520/20-10 → CE=520/10 → Comp. Est=52
RAW= 36-20/0,5L/s
RAW=16/0,5L/s → RAW=32

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

97. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) Assincronia paciente-ventilador é a


incoordenação entre os esforços e as necessidades ventilatórias do paciente em relação ao que é ofertado pelo
ventilador mecânico. O esforço inspiratório do paciente, que não é suficiente para disparar o ventilador, é definido
como disparo ineficaz. Assinale a opção que apresenta o procedimento que contribui para a ocorrência do disparo
ineficaz durante a ventilação.
A) Ajuste inadequado da sensibilidade do ventilador mecânico, secreção no tubo endotraqueal (TOT), fraqueza
muscular respiratória, presença de auto-PEEP e fuga aérea pelo baronete do TOT.
B) Fraqueza muscular inspiratória, presença de auto-PEEP, elevada necessidade de alto fluxo inspiratório pelo
paciente e tempo inspiratório mecânico curto.
C) Ajuste inadequado da sensibilidade do ventilador mecânico, fuga aérea pelo baronete do TOT, tempo
inspiratório neural maior que o tempo inspiratório mecânico e presença de autoPEEP.
D) Ajuste inadequado da sensibilidade do ventilador mecânico, fraqueza muscular respiratória, depressão do
comando neural e presença de hiperinsuflação dinâmica.
COMENTÁRIOS: Conforme já comentamos, mais uma questão é referenciada a partir das diretrizes de VM (2013),
revise esse documento!
PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 71
Assincronia paciente-ventilador é a incoordenação entre os esforços e as necessidades ventilatórias do paciente
em relação ao que é ofertado pelo ventilador. Vamos revisar as assincronias de disparo:

Disparo Ineficaz
Definição - O esforço inspiratório do paciente não é suficiente para disparar o ventilador. Pode ocorrer por
ajuste inadequado da sensibilidade ou por fatores do paciente, como fraqueza da musculatura respiratória,
depressão do comando neural, presença de hiperinsuflação dinâmica (auto-PEEP) ou tempo inspiratório
mecânico prolongado maior que o tempo neural do paciente.
Recomendação - Para resolução da assincronia de disparo, a sensibilidade deve ser ajustada para o valor mais
sensível possível, evitando-se, porém o autodisparo, ou ainda modificar o tipo de disparo de pressão para fluxo
(geralmente mais sensível).

Duplo Disparo
Definição - Ocorrem dois ciclos consecutivos disparados pelo mesmo esforço do paciente. O tempo inspiratório
mecânico do ventilador é menor que o tempo inspiratório neural do paciente.
Recomendação - Em VCV, deve-se aumentar o fluxo inspiratório e/ou o volume corrente, respeitando-se os
limites de segurança. Outra opção é a mudança para a modalidade PCV ou PSV, nas quais o fluxo inspiratório
ofertado varia conforme os esforços do paciente. Caso o duplo disparo ocorra na PCV, pode-se aumentar o
tempo inspiratório e/ou o valor da pressão controlada (PC). Na PSV, pode-se tentar aumentar o nível de pressão
ou reduzir a porcentagem do critério de ciclagem.

Autodisparo
Definição - O ventilador é disparado sem que haja esforço do paciente. Pode ocorrer por ajuste excessivamente
sensível do ventilador, por vazamento no sistema, presença de condensado no circuito gerando alterações no
fluxo, detecção dos batimentos cardíacos e de grandes variações da pressão torácica pela ejeção do volume
sistólico.
Recomendação - Descartadas ou corrigidas as presenças de vazamentos ou condensado no circuito, deve-se
reduzir progressivamente a sensibilidade o suficiente para que autodisparos desapareçam.

98. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) Assincronia paciente-ventilador é a


incoordenação entre os esforços e as necessidades ventilatórias do paciente em relação ao que é ofertado pelo
ventilador. São eventos frequentes que se associam a prolongamento da ventilação mecânica e da internação na
unidade de terapia intensiva (UTI). A assincronia denominada duplo disparo ocorre quando dois ciclos
consecutivos são disparados pelo mesmo esforço do paciente. Por exemplo, um paciente sedado, intubado e
ventilado em PCV na UTI, pode apresentar a assincronia de duplo disparo. Para resolver essa assincronia entre o
paciente e o ventilador, o fisioterapeuta deve
A) aumentar a sensibilidade.
B) diminuir o tempo inspiratório.
C) aumentar o tempo inspiratório.
D) alterar o modo ventilatório para VCV.
COMENTÁRIOS: Para correção do duplo disparo é recomendado:
VCV → deve-se aumentar o fluxo inspiratório e/ou o volume corrente, respeitando-se os limites de segurança.
Outra opção é a mudança para a modalidade PCV ou PSV, nas quais o fluxo inspiratório ofertado varia conforme os
esforços do paciente.
PCV → pode-se aumentar o tempo inspiratório e/ou o valor da pressão controlada (PC).
PSV → pode-se tentar aumentar o nível de pressão ou reduzir a porcentagem do critério de ciclagem.
OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 72


99. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) O fisioterapeuta é chamado para avaliar um paciente de 42 anos pesando 60 kg,
que está mal adaptado a prótese ventilatória no modo VCV, com os seguintes parâmetros: VC: 500 mL/kg; FR: 20
irpm; fluxo: 35 L/min e FiO2 : 0,30%. Logo é identificado que o paciente está desconfortável, fazendo uso da
musculatura acessória da respiração. Imediatamente o fisioterapeuta verifica a necessidade de fazer um ajuste no
respirador. Assinale a opção que indica o ajuste que deve ser feito para melhorar o sincronismo
paciente-respirador.
A) Aumentar o volume corrente.
B) Aumentar o tempo inspiratório.
C) Aumentar a FiO2 .
D) Aumentar o fluxo.
E) Aumentar a pressão.
COMENTÁRIOS: Para o caso acima descrito podemos que o fluxo recebido pelo paciente é inferior à sua demanda
ventilatória, portanto é recomendado corrigir as causas de aumento da demanda ventilatória, tais como febre,
dor, ansiedade e acidose. Aumentar o fluxo inspiratório na VCV, observando o conforto e a conformação da curva
pressão versus tempo; mudança do modo para PCV ou PSV, que têm fluxo livre; ajuste da velocidade com que a
pressão limite é alcançada nas vias aéreas (rise time - tempo de subida ou ascensão ou aumentando o valor de
pressão controlada).

100. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Criança do sexo feminino de 7 anos, com peso estimado em 27 kg, foi vítima de
acidente automobilístico que resultou em trauma cranioencefálico. Na monitorização cerebral constata-se
hipertensão intracraniana; a criança está plenamente sedada e respirando com auxílio de ventilação mecânica no
modo VC-CMV, com VC: 270 mL, FR: 15 irpm e FiO2 : 70%. Sua gasometria arterial revela PaO2 : 90 mmHg, PaCO2
: 40 mmHg e SaO2 : 96%. Para reduzir a PIC (Pressão Intracraniana), o médico solicita ao fisioterapeuta que ajuste
a ventilação, com o intuito de reduzir a PaCO2 para, aproximadamente, 30 mmHg. Assinale a opção que indica a
alteração que deve ser realizada nos parâmetros ventilatórios.
A) Aumentar o VC para 350 mL.
B) Aumentar a FR para 20 irpm.
C) Reduzir o VC para 150 mL.
D) Reduzir a FR para 12 irpm.
E) Aumentar o VC para 380 mL e a FR para 25 irpm.
COMENTÁRIOS: Observe que a referida questão faz menção a fórmula da FR ideal:

Utilizando a fórmula podemos fazer seguinte cálculo:


FR ideal: 15 (FR VM) x 40 (PaCO2 gaso) / 30 (PaCO2 desejada)
FR ideal= 15x40/30 → FR ideal=600/30 → FR=-20ipm
Portanto, a estratégia é aumentar a FR para 20 irpm.

101. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) A estratégia ventilatória invasiva na
posição prona é uma manobra utilizada para reverter a hipoxemia nos pacientes com síndrome do desconforto
respiratório agudo (SDRA). Assinale a opção que apresenta as contraindicações do uso da posição prona.
A) Hipertensão intracraniana, fratura membros superiores, equipe inexperiente, pneumotórax drenado e P/F
menor que 100.
B) Hipertensão intracraniana, fratura pélvica, fratura de coluna vertebral, tórax instável e instabilidade
hemodinâmica grave.
C) Fratura de coluna vertebral, atelectasia importante, fratura membros superiores, equipe inexperiente,
pneumotórax drenado e P/F menor que 100.
D) Hipertensão intracraniana, traqueostomia, fratura de coluna vertebral, tórax instável e P/F menor que 100.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 73


COMENTÁRIOS: A posição prona deve ser utilizada precocemente (até nas primeiras 48 horas, de preferência nas
primeiras 24 horas), em pacientes que apresentem SDRA e alteração grave da troca gasosa, caracterizada por uma
relação entre pressão parcial de oxigênio arterial - PaO2 e fração inspirada de oxigênio - FiO2 (PaO2/FiO2) inferior
a 150 mmHg. Quando adotada, deve ser mantida por pelo menos 16 horas (podendo atingir 20 horas), antes de
retornar o paciente para posição supina.

OBS: Se você lembrar que relação P/F < 100 é indicação, já elimina os itens A, C e D da jogada!

102. (FGV / CUIABÁ - MT / 2015) Paciente clínica e hemodinamicamente estável, em desmame da ventilação
mecânica, traqueostomizado e acoplado à ventilação mecânica no modo PSV, apresenta os seguintes parâmetros:
PSV: 10 cmH2O; PEEP: 5 cmH2O; FiO2 : 25%. Gasometria arterial com pH: 7,40; PaO2 : 99 mmHg; PaCO2 : 37
mmHg; HCO3 : 22; BE: 0; SaO2 : 100%. Ventilometria (realizada sem a pressão de suporte): FR: 18 irpm; VM: 9
L/min. Com base nos dados acima, calcule o IRRS (Índice de Respiração Rápida e Superficial) e analise se esse
índice é preditivo para o desmame da ventilação mecânica. Assinale a opção que indica, respectivamente, o valor
do IRRS e se esse índice é preditivo para o sucesso no desmame.
A) IRRS = 50 / não é preditivo de sucesso no desmame.
B) IRRS = 120 / é preditivo de sucesso no desmame.
C) IRRS = 65 / não é preditivo de sucesso no desmame.
D) IRRS = 36 / é preditivo de sucesso no desmame.
E) IRRS = 105 / é preditivo de sucesso no desmame.
COMENTÁRIOS: Questão de desmame é comum pelas organizadoras de concursos, portanto não dê bobeira!
Primeiro passo nessa questão é descobrir VC para fórmula do IRRS - FR/VC (litros).
VC= VM/FR → VC=9000ml/18 → VC=500 ml, após cálculo do VC vamos inserir na fórmula do IRRS (Tobin).
IRRS=FR/VC(litros) → 18/0.5litros → IRRS=36, portanto preditivo de sucesso no desmame.
*VC= 500ml ou 0,5 litros
OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 74


103. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) Dentre os índices preditivos para
desmame da prótese respiratória, o mais utilizado é o Índice de Respiração Rápida e Superficial (IRRS) ou Índice de
Ventilação Superficial Rápida (IVSR). Analise a avaliação da função respiratória de um paciente internado na UTI: 1.
Manovacuometria: Pimax= - 45 cmH2O, Pemax= + 50 cmH2O; 2. Ventilometria: Volume-minuto= 5400 ml,
Frequência Respiratória (FR)= 18 irpm 3. Peak Flow= 160 lpm Baseado na avaliação da função respiratória
supracitada, assinale a opção que representa o valor do IRRS ou IVSR.
A) 45 irpm/L.
B) 60 irpm/L.
C) 80 irpm/L.
D) 160 irpm/L.
COMENTÁRIOS: Com base na questão anterior vamos calcular?

Resolução
Dados:
VM=5400ml

FR=18

VC?

IRRS?

104. (FGV / CUIABÁ - MT / 2015) Paciente em processo de desmame, ventilando por tubo orotraqueal acoplado à
ventilação mecânica em modo PSV, com os seguintes parâmetros: PSV: 10 cmH2O, PEEP: 5 cmH2O, FiO2 : 0,3.
Gasometria arterial: pH: 7.35, PaO2 : 90 mmHg, PaCO2 : 42 mmHg, HCO3 : 23, BE: +1 e SaO2 : 97%. Com base nos
dados acima, calcule a PaO2/FiO2 e assinale a opção que indica, respectivamente, o valor da relação PaO2/FiO2 e
se esse índice é preditivo para o desmame da ventilação mecânica.
A) PaO2/FiO2 = 238 / é preditivo de sucesso no desmame.
B) PaO2/FiO2 = 270 / é preditivo de sucesso no desmame.
C) PaO2/FiO2 = 120 / não é preditivo de sucesso no desmame.
D) PaO2/FiO2 = 300 / é preditivo de sucesso no desmame.
E) PaO2/FiO2 = 430 / não é preditivo de sucesso no desmame.
COMENTÁRIOS: Vamos fazer sinapse?

Resolução
Dados:
Pao2/FiO2?

PaO2= 90

Fio2=0,3

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 75


105. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) O desmame da ventilação mecânica deve ser realizado de forma
muito precisa e cuidadosa sob pena de haver danos ao paciente. Sobre este importante momento da ventilação
mecânica, assinale V para a afirmativa verdadeira e F para a falsa
( ) Um critério de tolerância é quando o padrão ventilatório for estável, ou seja, FR>30‐35 irpm e aumento > 50%.
( ) Uma das técnicas para a efetivação do desmame é a ventilação mandatória intermitente sincronizada (SIMV).
( ) A PEEP pode ser utilizada após o desmame visando a melhora da capacidade residual funcional e a relação
V/Q. As afirmativas são, respectivamente,
A) F, V e F.
B) F, V e V.
C) V, F e F.
D) V, V e F.
E) F, F e V.
COMENTÁRIOS: Critérios para considerar a aptidão para o desmame:
Recomendação: realizar a Busca Ativa incluindo os seguintes tópicos:
Causa da falência respiratória resolvida ou controlada;
PaO2 ≥60 mmHg com FIO2 ≤0,4 e PEEP ≤5 a 8 cmH2O;
Hemodinâmica estável, com boa perfusão tecidual, sem ou com doses baixas de vasopressores, ausência de
insuficiência coronariana descompensada ou arritmias com repercussão hemodinâmica;
Paciente capaz de iniciar esforços inspiratórios;
Balanço Hídrico zerado ou negativo nas últimas 24 horas;
Equilíbrio ácido-básico e eletrolítico normais.
Adiar extubação quando houve programação de transporte para exames ou cirurgia com anestesia geral nas
próximas 24h. Vamos analisar os itens da questão:
(FALSO) → Um critério de tolerância é quando o padrão ventilatório for estável, ou seja, FR>30‐35 irpm e
aumento > 50%.
Tolerável é FR menor que 30 com FiO2 menor que 50%.
(FALSO) → Uma das técnicas para a efetivação do desmame é a ventilação mandatória intermitente sincronizada
(SIMV).
Bom senso né galera, é totalmente incorreto usar SIMV para desmame! Contudo a banca considerou (V).
(VERDADEIRO) → A PEEP pode ser utilizada após o desmame visando a melhora da capacidade residual funcional
e a relação V/Q.
Deve-se fazer uso de VNI imediatamente após a extubação, de forma preventiva, em pacientes selecionados como
de maior risco, especialmente nos hipercápnicos.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 76


PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 77
106. (FGV / OSASCO-SP / 2014) Com relação ao desmame da ventilação mecânica, assinale V para a afirmativa
verdadeira e F para a falsa.
( ) A demanda ventilatória deve apresentar uma relação VD/VT < 0,60.
( ) A PI máxima deve ser sempre menor que menos 30 cm H2O.
( ) O padrão respiratório deve apresentar o índice de Tobin entre 60 e 105. As afirmativas são, respectivamente,
A) F, V e F.
B) F, V e V.
C) V, F e V.
D) V, V e F.
E) F, F e V.
COMENTÁRIOS: A seguir observamos alguns critérios que comumente são cobrados em provas sobre desmame da
VM. Muita atenção para valores e sinais matemáticos a fim de evitar erros de interpretação!

Analisando os itens podemos observar:


(VERDADEIRO) → A demanda ventilatória deve apresentar uma relação VD/VT < 0,60.
(FALSO) → A PI máxima deve ser sempre menor que menos 30 cm H2O.
Pacientes com valores de PImáx MAIORES que -30cmH2O predizem mais sucesso no desmame. Valores abaixo de -
30 a -40cmH2O indicam fraqueza muscular inspiratória .Valores abaixo de - 20 cmHO – indicam falência muscular
inspiratória
(VERDADEIRO) → O padrão respiratório deve apresentar o índice de Tobin entre 60 e 105.
O valor do IRRS como preditor de sucesso deve ser menor que 105.

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 78


107. (FGV / CUIABÁ - MT / 2015) Com relação às causas de insucesso no desmame da ventilação mecânica,
assinale V para afirmativa verdadeira e F para a falsa.
( ) Drive central ventilatório aumentado pode contribuir para a dependência da ventilação mecânica.
( ) A disfunção do VE (ventrículo esquerdo), independentemente do grau, é um fator que não interfere no
desmame da ventilação mecânica.
( ) Ansiedade, estresse e medo são questões que podem contribuir para o insucesso do desmame da ventilação
mecânica. As afirmativas são, respectivamente,
A) V, V e F. B) V, F e F. C) F, F e V. D) F, V e F. E) V, F e V.
COMENTÁRIOS: Segundo Gambaroto (2006) desmame é o processo de transição da ventilação mecânica para a
ventilação espontânea. O III consenso de Ventilação Mecânica (2007) relata a definição dos termos a seguir:
desmame que se refere ao processo de transição da ventilação artificial para a espontânea nos pacientes que
permanecem em ventilação mecânica invasiva por tempo superior a 24 horas e sucesso do desmame que é a
ventilação espontânea durante pelo menos 48 horas após a interrupção da ventilação artificial. Considera-se
fracasso ou falência do desmame, se o retorno à ventilação artificial for necessário neste período.

Analisando os quesitos podemos constatar:


(VERDADEIRO) → Drive central ventilatório aumentado pode contribuir para a dependência da ventilação
mecânica.
(FALSO) → A disfunção do VE (ventrículo esquerdo), independentemente do grau, é um fator que não interfere no
desmame da ventilação mecânica.
Causas cardíacas são uma das principais falhas no processo de desmame da VM, apresentando diretamente nesse
processo.
(VERDADEIRO) → Ansiedade, estresse e medo são questões que podem contribuir para o insucesso do desmame
da ventilação mecânica.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 79


108. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) A insuficiência respiratória aguda (IRA)
é a incapacidade de manter a oferta e a remoção de O2 e CO2 normal dos tecidos. Assinale a opção que indica a
causa mais comum da insuficiência respiratória aguda tipo I ou hipoxêmica.
A) Shunt com a P(A-a)O2 (diferença alvéolo-arterial) aumentada e resposta mínima ao aumento da FiO2.
B) Hipoventilação com P(A-a)O2 diminuída e mínima resposta ao aumento da FiO2.
C) Shunt com a P(A-a)O2 diminuída e resposta acentuada ao aumento da FiO2.
D) Hipoventilação com a P(A-a)O2 aumentada e mínima resposta ao aumento da FiO2.

OBSERVE O ESQUEMA PREFERIDO A SEGUIR E DETONE A QUESTÃO 108!

109. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) A principal função dos pulmões é realizar as trocas gasosas, ou
seja, captar oxigênio e liberar gás carbônico para manter os valores da pressão parcial de O2 (PaO2) e da pressão
parcial de CO2 (PaCO2) ambas no sangue arterial, dentro dos limites necessários para manter o metabolismo
tecidual. Quando isso não ocorre adequadamente, estamos diante da condição clínica de:
A) insuficiência respiratória.
B) asma brônquica.
C) cor pulmonale.
D) bronquite.
E) enfisema pulmonar
COMENTÁRIOS: A insuficiência respiratória aguda (IRpA) é a incapacidade do sistema respiratório em manter a
oxigenação e/ou ventilação ocasionando falha no suprimento das demandas metabólicas do organismo.
A insuficiência respiratória pode ser classificada, quanto à fisiopatologia, em:
1. Insuficiência respiratória hipoxêmica (tipo I), na qual existe alteração nas trocas gasosas pulmonares na região
da barreira alvéolo arterial, acarretando hipoxemia.
2. Insuficiência respiratória ventilatória (tipo II), em que existe diminuição da ventilação alveolar e consequente
hipercapnia.
OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 80
110. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) A partir de 2012, a Síndrome da
Angústia Respiratória Aguda (SARA) ou Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA) passou a ser
classificada como SDRA leve, moderada e grave (Definição de Berlim). Em relação à classificação, assinale a
afirmativa que caracteriza a SDRA grave.
A) Aparecimento ou piora dos sintomas respiratórios dentro de uma semana após exposição a fator de risco;
hipoxemia (PaO2/FiO2) menor ou igual a 100 com PEEP maior ou igual a 5 cmH2O; insuficiência respiratória não
claramente explicada por insuficiência cardíaca ou sobrecarga volêmica e anormalidades radiológicas com
opacidade bilaterais.
B) Alterações pulmonares de aparecimento súbito dentro de uma semana após a exposição ao fator de risco;
hipoxemia (PaO2/FiO2) entre 101-200, com PEEP maior ou igual a 10 cmH2O; opacidade bilaterais na radiografia
de tórax e pressão do capilar pulmonar menor que 18 mmHg.
C) Aparecimento ou piora dos sintomas respiratórios dentro de duas semanas após exposição a fator de risco;
hipoxemia (PaO2/FiO2) menor ou igual a 100, com PEEP maior ou igual a 10 cmH2O; insuficiência respiratória não
claramente explicada por insuficiência cardíaca ou sobrecarga volêmica, anormalidades radiológicas com
opacidade bilaterais e pressão do capilar pulmonar menor que 18 mmHg.
D) Alterações pulmonares de aparecimento súbito dentro de duas semanas após a exposição ao fator de risco;
hipoxemia (PaO2/FiO2) entre 101-200, com PEEP maior ou igual a 5 cmH2O; opacidade bilaterais na radiografia de
tórax e pressão do capilar pulmonar maior que 18 mmHg.

COMENTÁRIOS: Consulte o “esquema preferido” acima!

111. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Assinale a opção em que as variáveis são parâmetros ventilatórios usados para
tratar hipoxemia independentemente de qual seja o modo ventilatório escolhido.
A) FR e Fluxo
B) PEEP e FiO2
C) FIO2 E VC
D) Pressão de pico e PEEP
E) VC e Fluxo
COMENTÁRIOS: Questão de simples raciocínio. Em qualquer modo VM, seja assisto-controlado ou espontâneo
teremos parâmetros em comum que são ajustados: PEEP e Fio2!
Observe o enunciado: Quais os parâmetros ventilatórios usados para tratar hipoxemia independentemente de
qual seja o modo ventilatório escolhido? FiO2 e PEEP!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 81


112. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Paciente de 70 anos deu entrada na emergência, ansioso, com queixa de dor
torácica do tipo pontiaguda na região lateral do tórax, que piora com a inspiração profunda. Apresenta padrão
respiratório diafragmático, SpO2 : 94%; FC: 96 bpm e PA: 100 x 60 mmHg. Com base nas informações acima,
assinale a opção que indica o diagnóstico provável.
A) Angina instável
B) Infarto agudo do miocárdio
C) Edema agudo de pulmão
D) Pneumonia
E) Acidente Vascular Cerebral
COMENTÁRIOS: A dor torácica de origem pulmonar está relacionada com alterações dos vasos ou do parênquima
pulmonar, e do tecido pleural. A dor torácica ocorre associada à pneumonia em 30% dos casos e,assim como no
câncer pulmonar e na sarcoidose a sua manifestação isolada é pouco frequente. Associa-se, usualmente, com
outra sintomatologia como: febre, tosse, e dispnéia. De acordo com o enunciado e descrição do quadro podemos
observar o diagnóstico mais provável para PNEUMONIA!

Sugestão de Revisão sobre Dor torácica: BARBOSA, Ana Carolina et al. Diagnóstico diferencial da dor torácica: ênfase em causas não
coronarianas. Rev Med Minas Gerais, v. 20, n. 2, p. S24-S29, 2010.

113. (FGV / OSASCO-SP / 2014) Relacione as doenças listadas a seguir às respectivas características.
1. Enfisema pulmonar 2. Asma 3. Bronquite Crônica 4. Bronquiectasia
( ) Inflamação das vias aéreas repletas de secreção purulenta.
( ) Obstrução reversível ao fluxo de ar nas vias aéreas pulmonares.
( ) Dilatação anormal e irreversível das vias aéreas distais aos bronquíolos terminais.
( ) Tosse produtiva persistente por mais de três meses por ano, por pelo menos dois anos. Assinale a opção que
apresenta a relação correta, de cima para baixo.
A) 4 – 2 – 1 – 3 B) 2 – 3 – 4 – 1 C) 3 – 4 – 1 – 2 D) 4 – 1 – 2 – 3 E) 2 – 1 – 4 – 3
COMENTÁRIOS: Muita atenção com os conceitos de patologias, visto que muitas organizadoras cobram sobre essa
temática nas provas. Observe a tabela a seguir:
ENFISEMA PULMONAR BRONQUITE CRÔNICA
Pode ser definido como um processo obstrutivo É definida como uma tosse, que dura pelo menos 3
crônico, resultante de importantes alterações de toda meses em dois anos consecutivos. A causa mais
a estrutura distal do bronquíolo terminal, denominado comum é o tabagismo, embora a exposição a
ácino, seja por dilatação ANORMAL E IRREVERSÍVEL substâncias irritantes no trabalho também possa
dos espaços aéreos, seja por destruição da parede causar esta condição. A bronquite crônica é um tipo de
alveolar, ocasionando a perda da superfície doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).
respiratória e de irrigação sangüunea, diminuição do
recolhimento elástico e hiperexpansão pulmonar.

ASMA BRONQUIECTASIA
É uma doença inflamatória crônica caracterizada por A bronquiectasia consiste na dilatação e destruição de
hiperresponsividade (HR) das vias aéreas inferiores e brônquios de grosso calibre causada pela infecção e
por limitação variável ao fluxo aéreo, reversível inflamação crônica. As causas comuns são: fibrose
espontaneamente ou com tratamento, cística, defeitos imunes e infecções recorrentes,
manifestando-se clinicamente por episódios. embora em alguns casos parece ser idiopática. Os
recorrentes de sibilância, dispnéia, aperto no peito e sintomas são tosse crônica e expectoração purulenta,
tosse, particularmente à noite e pela manhã ao mas alguns pacientes podem apresentar também
despertar. Resulta de uma interação entre genética, febre e dispneia. O diagnóstico baseia-se na história e
exposição ambiental e outros fatores específicos que exames de imagem, habitualmente a tomografia
levam ao desenvolvimento e manutenção dos computadorizada (TC) de alta resolução, embora as
sintomas. radiografias de tórax convencionais possam ser
diagnósticas.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 82


114. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) A DPOC é uma doença comum, passível
de prevenção e tratamento, que apresenta sintomas característicos: dispneia, tosse e/ou expectoração. Ao realizar
o exame radiológico, os pacientes que possuem enfisema pulmonar em estágio avançado apresentam alterações
do estado fisiológico. Nesse contexto, assinale a opção que apresenta a alteração radiológica característica do
enfisema pulmonar.
A) Retificação das cúpulas diafragmáticas bilaterais.
B) Aumento do tamanho do mediastino.
C) Diminuição da hipertransparência.
D) Diminuição dos espaços intercostais.
COMENTÁRIOS: Lembre-se do “esquema preferido”...

115. (FGV / SUSAM-AM / 2014) Doença pulmonar obstrutiva crônica que se caracteriza pela dilatação dos
alvéolos pulmonares e pela diminuição das trocas gasosas, o que leva à perda da elasticidade dos alvéolos e à
destruição dos capilares que os nutrem. Essa doença é denominada
A) enfisema pulmonar.
B) tuberculose pulmonar.
C) pneumonia.
D) bronquiectasia.
E) fibrose cística.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 83


COMENTÁRIOS: Lembre-se do “esquema preferido”...
ENFISEMA PULMONAR
Pode ser definido como um processo obstrutivo crônico, resultante de importantes alterações de toda a
estrutura distal do bronquíolo terminal, denominado ácino, seja por dilatação ANORMAL E IRREVERSÍVEL dos
espaços aéreos, seja por destruição da parede alveolar, ocasionando a perda da superfície respiratória e de
irrigação sangüunea, diminuição do recolhimento elástico e hiperexpansão pulmonar.
B) tuberculose pulmonar → A tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível que afeta prioritariamente os
pulmões, embora possa acometer outros órgãos e/ou sistemas. A doença é causada pelo Mycobacterium
tuberculosis ou bacilo de Koch.
C) pneumonia → É uma infecção que se instala nos pulmões, órgãos duplos localizados um de cada lado da caixa
torácica. Pode acometer a região dos alvéolos pulmonares onde desembocam as ramificações terminais dos
brônquios e, às vezes, os interstícios (espaço entre um alvéolo e outro). Basicamente, pneumonias são provocadas
pela penetração de um agente infeccioso ou irritante (bactérias, vírus, fungos e por reações alérgicas) no espaço
alveolar, onde ocorre a troca gasosa.
D) bronquiectasia → A bronquiectasia consiste na dilatação e destruição de brônquios de grosso calibre causada
pela infecção e inflamação crônica. As causas comuns são: fibrose cística, defeitos imunes e infecções recorrentes,
embora em alguns casos parece ser idiopática. Os sintomas são tosse crônica e expectoração purulenta, mas
alguns pacientes podem apresentar também febre e dispneia.
E) fibrose cística → Fibrose cística, também chamada de mucoviscidose, é uma doença genética autossômica
recessiva. É uma doença genética autossômica-recessiva, cujas manifestações clínicas resultam da disfunção de
uma proteína denominada cystic fibrosis transmembrane condutance regulator (CFTR).As formas “clássicas”, que
cursam usualmente associadas com insuficiência pancreática exócrina, doença sino-pulmonar crônica e elevação
da concentração de cloretos no suor.

Sugestão de revisão: DE CÁSSIA FIRMIDA, Mônica; MARQUES, Bruna Leite; DA COSTA, Cláudia Henrique. Fisiopatologia e manifestações
clínicas da fibrose cística. Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto (TÍTULO NÃO-CORRENTE), v. 10, n. 4, 2011.

116. (FGV / OSASCO-SP / 2014) Com relação à embolia pulmonar, analise as afirmativas a seguir.
I. Está intimamente ligada à trombose venosa profunda.
II. Clinicamente apresenta apneia de começo lento e dor.
III. Pode ocorrer hemoptise, o que indica infarto pulmonar. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
E) se todas as afirmativas estiverem corretas.
COMENTÁRIOS: A embolia pulmonar (EP) ocorre como consequência de um trombo, formado no sistema venoso
profundo, que se desprende e, atravessando as cavidades direitas do coração, obstrui a artéria pulmonar ou um
de seus ramos, daí o termo adotado por muitos grupos de doença venosa tromboembólica.
Fatores de risco → As situações em que prevaleçam um ou mais componentes da tríade de Virchow (estase
venosa, lesão endotelial e estado de hipercoagulabilidade) são as propícias ao desenvolvimento da trombose.
Os principais fatores de risco para o tromboembolismo venoso são: trauma não cirúrgico e cirúrgico; idade maior
que 40 anos; tromboembolismo venoso prévio; imobilização; doença maligna, insuficiência cardíaca; infarto do
miocárdio; paralisia de membros inferiores; obesidade; veias varicosas; estrogênio; parto; doença pulmonar
obstrutiva crônica.
Quadro clínico → A apresentação clínica da EP é geralmente inespecífica, dificultando o diagnóstico. Os sinais e
sintomas dependem, fundamentalmente, da localização e tamanho do trombo e do estado cardiorrespiratório
prévio do paciente. A possibilidade de embolia pulmonar deve ser sempre considerada quando houver dispnéia
súbita ou dor torácica pleurítica não explicada. Os sintomas mais comuns são dispnéia, dor torácica
ventilatório-dependente, tosse e hemoptise.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 84


Achados clínicos nas embolias pequenas (submaciças): dor torácica, dor pleurítica, dispnéia, taquipnéia, tosse,
hemoptise / hemoptóicos, taquicardia, febre, cianose.
Achados clínicos nas embolias grandes (maciças): Síncope, hipotensão arterial / choque, taquicardia, dispnéia,
cianose.
analisando os itens da questão podemos afirmar:
I - VERDADEIRO → Está intimamente ligada à trombose venosa profunda.
II - FALSO → Clinicamente apresenta apneia de começo lento e dor.
A possibilidade de embolia pulmonar deve ser sempre considerada quando houver dispnéia súbita ou dor torácica
pleurítica.
III - VERDADEIRO → Pode ocorrer hemoptise, o que indica infarto pulmonar.

Sugestão de Revisão: CORRÊA, Thiago Domingos; CAVALCANTI, Alexandre Biasi; DO AMARAL BARUZZI, Antonio Cláudio. Embolia pulmonar:
epidemiologia e diagnóstico. Parte 1, Albert Einstein. 2007; 5(3):288-293.
VOLSCHAN, André et al. Diretriz de embolia pulmonar. Arq Bras Cardiol, v. 83, n. Suppl 1, p. 1-8, 2004.

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

117. (EDUCA / Maturéia-PB / 2016) O repouso prolongado no leito é um fator pré determinante para o
surgimento de inúmeras patologias, inclusive a Trombose Venosa Profunda (TVP). Nessa patologia existe a
presença de três mecanismo: A estase venosa, lesão endotelial e a hipercoagulabilidade. Estes mecanismos
caracterizam a:
A) Tríade de Charcot.
B) Tríade de Beck.
C) Tríade de Virchow.
D) Tríade de Cushing.
E) Tríade de Adams.
COMENTÁRIOS: Consulte a questão anterior e detone essa questão!

118. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) Os volumes pulmonares podem ser
medidos por meio de um espirômetro. Os espirômetros digitais, diferentemente dos selados em água, baseiam-se
na medida direta dos fluxos por dispositivos como pneumotacógrafos, turbinômetros ou termistores. Baseado nas
medidas de volumes e capacidades pulmonares por meio de um espirômetro, assinale a opção que indica a
variável que não pode ser medida com um espirômetro simples.
A) Volume corrente.
B) Capacidade inspiratória.
C) Capacidade residual funcional.
D) Volume de reserva inspiratório.
COMENTÁRIOS: A espirometria (do latim spirare = respirar + metrum = medida) é a medida do ar que entra e sai
dos pulmões. Pode ser realizada durante respiração lenta ou durante manobras expiratórias forçadas. A
espirometria é um teste que auxilia na prevenção e permite o diagnóstico e a quantificação dos distúrbios
ventilatórios. A espirometria deve ser parte integrante da avaliação de pacientes com sintomas respiratórios ou
doença respiratória conhecida.

OBS: A CPT e o VR não podem ser medidos por espirometria, logo não podemos mensurar a CRF(VR+VRE)!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 85


Sugestão de Revisão: SOCIEDADE BRASILEIRA DE PNEUMOLOGIA E TISIOLOGIA et al. Diretrizes para testes de função pulmonar. J pneumol,
v. 28, n. Suppl 3, p. S1-S238, 2002.

119. (FGV / OSASCO-SP / 2014) A quantidade de ar que um indivíduo consegue inspirar ou expirar a cada vez que
respira, a velocidade com que o faz e a forma não invasiva e indolor de avaliar estas funções são medidas :
A) pela pletismografia.
B) pela espirometria.
C) pela capacidade vital forçada.
D) pelo volume expiratório forçado. QUESTÃO →
E) pela capacidade residual funcional.
COMENTÁRIOS: Defina os termos ABAIXO!

PLETISMOGRAFIA →

CAPACIDADE VITAL FORÇADA →

VOLUME EXPIRATÓRIO FORÇADO →

CAPACIDADE RESIDUAL FUNCIONAL →

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 86


120. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Com relação à espirometria, assinale a opção que indica a análise correta quanto
à relação VEF1/CVF.
A) Ao analisar a relação VEF1/CVF, somente o paciente com doença obstrutiva irá expirar menos que 70% da CVF
no primeiro segundo.
B) Ao analisar a relação VEF1/CVF, somente o paciente com doença restritiva irá expirar menos que 60% da CVF no
primeiro segundo.
C) Ao analisar a relação VEF1/CVF, somente o paciente com doença obstrutiva irá expirar pelo menos 85% da CVF
no primeiro segundo.
D) Ao analisar a relação VEF1/CVF, somente o paciente com doença restritiva irá expirar menos que 50% da CVF
no primeiro segundo.
E) Ao analisar a relação VEF1/CVF, somente o paciente com doença obstrutiva irá expirar pelo menos 80% da CVF
no primeiro segundo.
COMENTÁRIOS: Os testes de função pulmonar são indicados para:
Avaliar a progressão da doença,
Monitorizar a efetividade da terapêutica;
Avaliar pacientes em pré-operatório em situações selecionadas;
Rastrear pessoas em risco de doença pulmonar, como fumantes ou pessoas com exposição ocupacional a
substâncias tóxicas ou em levantamentos ocupacionais;
Monitorizar os efeitos potencialmente tóxicos de certos medicamentos ou substâncias químicas (amiodarona,
berílio);
Avaliar sinais e sintomas de doença pulmonar, como tosse, dispnéia e sibilância.

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 87


121. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) O enfisema subcutâneo é caracterizado
pela presença de “bolhas“ de ar debaixo da pele. A técnica para reconhecê-lo é a palpação, deslizando-se a mão
sobre a região suspeita. A presença de bolhas de ar dará a sensação de crepitação muito característica. Nos
pacientes internados no CTI, o enfisema subcutâneo pode ter diferentes causas. Assinale a opção que apresenta
essas causas.
A) Atelectasia após intubação orotraqueal e aspiração do tubo orotraqueal.
B) Atelectasia após aspiração do tubo orotraqueal e percussão torácica.
C) Derrame pleural pós drenagem de tórax e aspiração do tubo orotraqueal.
D) Pneumotórax pós punção e barotrauma.
COMENTÁRIOS: O enfisema subcutâneo é caracterizado pelo acúmulo de ar no subcutâneo e planos faciais da
parede torácica ou cervical. É considerado uma complicação e suas causas geralmente estão relacionadas a
técnicas invasivas, procedimentos cirúrgicos e alguns traumas. Portanto, podemos afirmar que Pneumotórax pós
punção e barotrauma são causas desse tipo de complicação.

122. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Assinale a opção que caracteriza complicações do procedimento de aspiração
endotraqueal.
A) Arritmias cardíacas, trauma da mucosa traqueal e aumento da PIC (Pressão Intracraniana).
B) Parada cardiorrespiratória, hiperinsuflação pulmonar e diminuição da resistência das vias aéreas artificiais.
C) Atelectasia, estimulação vagal e redução da PIC.
D) Broncoespasmo, aumento na saturação periférica de O2 e distensão gástrica.
E) Infecção, hemorragia e aumento da complacência pulmonar.
COMENTÁRIOS: A aspiração de secreções pulmonares no paciente com via aérea artificial é realizada para garantir
sua perviabilidade, prevenindo obstruções no trato respiratório, que provocam, principalmente, aumento do
trabalho ventilatório, atelectasia e infecções pulmonares. É um procedimento de rotina e de alta aplicabilidade,
porém pode causar alguns efeitos indesejáveis, como a diminuição da complacência dinâmica e da capacidade
residual funcional, atelectasia, arritmias cardíacas hipoxemia, trauma de mucosa brônquica, tosse excessiva,
broncoespasmo, instabilidade cardiovascular, aumento da pressão intracraniana, dor, ansiedade, dispneia e
arritmias cardíacas.

123. (FUNRIO / Analista-Fisioterapia / 2014) Entre as possíveis complicações decorrentes da aspiração traqueal,
não se inclui
A) A atelectasia.
B) A arritmia cardíaca.
C) O trauma mecânico.
D) O aumento da pressão intracraniana.
E) O enfisema iatrogênico.
PRINCIPAIS COMPLICAÇÕES DA ASPIRAÇÃO TRAQUEAL

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 88


124. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Com relação ao Cuff (balonete encontrado nos tubos orotraqueais e nas cânulas
traqueais para pacientes sob ventilação invasiva), assinale a opção que melhor expressa sua função e por que sua
pressão deve ser mantida entre 20 e 25 cmHO2 .
A) Evitar fuga aérea, garantindo a pressão positiva dentro dos pulmões, ao mesmo tempo em que impede a
aspiração de secreções das vias aéreas inferiores – evita lesões de esôfago.
B) Evitar fuga aérea, garantindo a pressão negativa dentro dos pulmões, ao mesmo tempo que impede a aspiração
de secreções das vias aéreas superiores – evita lesões de traqueia.
C) Evitar fuga aérea garantindo a pressão negativa dentro dos pulmões, ao mesmo tempo em que impede a
aspiração de conteúdo gástrico – evita lesões de esôfago.
D) Evitar fuga aérea, garantindo a pressão positiva dentro dos pulmões, ao mesmo tempo em que impede a
aspiração de secreções das vias aéreas inferiores – evita lesões de brônquios e bronquíolos, muitas vezes causadas
pela fuga aérea.
E) Evitar fuga aérea, garantindo a pressão positiva dentro dos pulmões, ao mesmo tempo em que impede a
aspiração de secreções das vias aéreas superiores – evita lesões de traqueia.
COMENTÁRIOS: Questão de fácil resolução que se deve usar BOM SENSO!
Pontos importantes sobre cuff:
Manter a pressão entre 20 a 25 ou 25 a 30 a depender da referência de literatura, a mesma serve para selar a via
aérea durante uso de VM (pressão positiva), evita que secreções das vias aéreas superiores migrem para interior
da traqueia, além de evitar lesão traqueal.

125. (FGV / SUSAM-AM / 2014) Derrame pleural é o acúmulo excessivo de líquido na cavidade pleural. Com
relação a esse evento patológico, analise as afirmativas a seguir.
I. A pneumonia é a causa primária do derrame pleural, frequentemente.
II. A pirexia é uma de suas características clínicas e pode estar associada à infecção.
III. O transudato ocorre quando há uma diminuição da pressão capilar pulmonar. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
E) se todas as afirmativas estiverem corretas.
COMENTÁRIOS: O acúmulo de líquido na cavidade pleural chama-se derrame pleural. A formação do derrame
pleural envolve um ou mais dos mecanismos capazes de aumentar a entrada ou de diminuir a saída de líquido no
espaço pleural. Os derrames pleurais costumam ser classificados como: Transudatos e Exsudatos.
Os derrames transudativos são provocados por alguma combinação de aumento da pressão hidrostática e
diminuição da pressão oncótica na circulação pulmonar ou sistêmica. A insuficiência cardíaca é a causa mais
comum, seguida pela cirrose com ascite por hipoalbuminemia, geralmente em decorrência da síndrome nefrótica .
Os derrames exsudativos são provocados por processos locais, causando aumento da permeabilidade capilar e
resultando em exsudação de líquido, proteína, células e outros constituintes séricos. As causas são diversas, mas
as mais comuns são pneumonia , doença maligna, embolia pulmonar , infecções virais e tuberculose.
Analisando os itens:
I (FALSO) → A pneumonia é a causa primária do derrame pleural, frequentemente.
Creio que a banca considerou este item falso devido à causa primária!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 89


II (VERDADEIRO) → A pirexia é uma de suas características clínicas e pode estar associada à infecção.
Os sintomas costumam ser os de infecção aguda do aparelho respiratório: febre, dor ventilatório dependente e
dispnéia.
III (FALSO) → O transudato ocorre quando há uma diminuição da pressão capilar pulmonar.
Os derrames transudativos são provocados por alguma combinação de aumento da pressão hidrostática e
diminuição da pressão oncótica na circulação pulmonar ou sistêmica. As causas mais comuns: insuficiência
cardíaca, cirrose com ascite e hipoalbuminemia (geralmente em decorrência da síndrome nefrótica).
Os derrames exsudativos resultam de maior permeabilidade capilar, levando à perda de proteínas, células e outros
constituintes séricos. As causas mais frequentes são: pneumonia, câncer, embolia pulmonar e tuberculose.

126. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) Com relação à Espinha Bífida, analise as afirmativas a seguir.
I. É um grave acometimento do sistema nervoso, causado pelo fechamento incompleto da coluna vertebral.
II. Trata‐se de uma doença adquirida durante a gestação e ocorre mais comumente na região lombo‐sacra.
III. Poderá ocorrer paraparesia acima do nível da lesão, se atingir as raízes nervosas subjacentes ao segmento
vertebral. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
E) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
COMENTÁRIOS: A Mielomeningocele (MMC) ou Espinha Bífida é uma malformação que ocorre ainda no útero, até
a quinta semana de gestação, por consequência de uma falha no fechamento do tubo neural, ocasionando a uma
protrusão da medula espinhal e meninges que ocorre ainda no desenvolvimento embrionário. O defeito de fusão
ocorre durante um período muito precoce da gestação, geralmente entre a 3ª e 5ª semana de vida intra-uterina e
nem sempre é diagnosticada durante a gravidez, sendo esta responsável por 85% dos casos.
ETIOLOGIA → “A etiologia é desconhecida, mas apresenta características multifatoriais (genéticas e ambientais).
Esse defeito ocorre como consequência da associação de fatores genéticos, ambientais, sendo que muitas causas
têm sido propostas, tais como deficiência de folato, diabetes materna, deficiência de zinco e ingestão de álcool
durante os três primeiros meses de gravidez.
TIPOS → Existem dois tipos de Espinhas Bífidas, sendo elas a cística e a oculta. A Espinha Bífida Cística que nada
mais é que uma malformação congênita devido ao um erro no desenvolvimento da coluna vertebral, e não ocorre
a fusão dos arcos vertebrais, originando em um fechamento incompleto do canal vertebral. A espinha bífida
oculta ocorre através de um defeito nos corpos vertebrais na linha média, não ocorrendo a protrusão da medula
espinhal ou meninges.
QUADRO CLÍNICO → O quadro clínico da mielomeningocele se manifesta através de alterações ortopédicas,
neurológicas e geniturinárias; as ortopédicas ocorrem sob a forma de contraturas musculares generalizadas,
deformidades da coluna espinhal, hipercifose e escoliose, as quais posteriormente geram dores articulares. As
alterações neurológicas estão intimamente relacionadas à localização e magnitude da falha, sendo a sede mais
frequente, na mielomeningocele, a região lombossacra. As seguintes manifestações podem ser observadas no
lactente ou em crianças: paralisia flácida, diminuição da força muscular, atrofia muscular, diminuição dos reflexos
tendíneos, diminuição ou abolição da sensibilidade exteroceptiva e proprioceptiva, além de deformidades de
origem paralítica e congênita.
DIAGNÓSTICO → o diagnóstico pode ser feito durante a gestação, com o exame de ultrassonografia, para detectar
defeitos no tubo neural, caracterizando até o nível de acometimento.
I (VERDADEIRO) → É um grave acometimento do sistema nervoso, causado pelo fechamento incompleto da
coluna vertebral.
II (FALSO) → Trata-se de uma doença adquirida durante a gestação e ocorre mais comumente na região
lombo‐sacra.
EB apresenta etiologia desconhecida, não sendo diretamente ligada à gestação.
III (FALSO) → Poderá ocorrer paraparesia acima do nível da lesão, se atingir as raízes nervosas subjacentes ao
segmento vertebral. Paraparesia abaixo do nível da lesão.
PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 90
PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 91
127. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) As lesões de nervos periféricos agudas são classificadas em três
tipos. A esse respeito, assinale V para a afirmativa verdadeira e F para a falsa.
( ) Neurotmese – A degeneração walleriana ocorre no segmento proximal e não há necessidade de correção
cirúrgica
( ) Axionotmese – Há degeneração walleriana distalmente ao local da lesão e, em pequena extensão,
proximalmente
( ) Neuropraxia – Não há degeneração walleriana mas apenas um dano discreto do nervo com perda transitória
As afirmativas são, respectivamente,
A) F, V e F.
B) F, V e V.
C) V, F e F.
D) V, V e F.
E) F, F e V.
COMENTÁRIOS: Vamos à definição de cada tipo de lesão nervosa de acordo com a classificação de Seddon.
*Neuropraxia: ocorre uma alteração da mielina sem perda da continuidade do nervo. Não ocorre degeneração
deste. O mecanismo pode ser uma contusão ou compressão. O comprometimento é motor, considerando-se a
sensação e as reações autônomas. Pode-se recuperar a função em dois meses
*Axonotmese: é uma lesão mais grave que a neuropraxia. Mesmo que não se perca a continuidade anatômica do
nervo, este apresenta interrupções tanto na mielina como no axônio, com degeneração walleriana distalmente ao
local da lesão. Além do comprometimento motor, encontramos alteradas a sensibilidade e as reações autônomas.
A recuperação da função pode demorar mais de um ano.
*Neurotmese: Nesta lesão perde-se a continuidade anatômica, geralmente produzida por secção ou
arrancamento do nervo. Estão comprometidos a bainha e o axônio. Para que se produza a recuperação é
necessária uma reparação cirúrgica (sutura, enxertos). De todas as formas, é possível que não se recupere
totalmente a força e que a sensibilidade permaneça um pouco alterada. Habitualmente mantemos o tratamento
fisioterápico até um máximo de dois anos depois da intervenção. Não é raro.
(FALSO) Neurotmese – A degeneração walleriana ocorre no segmento proximal e não há necessidade de correção
cirúrgica.
Na Neurotmese ocorre ruptura total do nervo, sendo o reparo de forma cirúrgica.
(VERDADEIRO) Axonotmese – Há degeneração walleriana distalmente ao local da lesão e, em pequena extensão,
proximalmente.
(VERDADEIRO) Neuropraxia – Não há degeneração walleriana mas apenas um dano discreto do nervo com perda
transitória.
OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

128. (FGV / FUNARTE / 2014) Os nervos periféricos constituem um tipo especial de tecido inerte, pelo fato de não
serem tecido contrátil, porém são necessários para o funcionamento normal dos músculos voluntários. O
examinador deve ter em mente a possibilidade de lesão do tecido nervoso ao examinar tanto o tecido contrátil
como o inerte. As lesões nervosas podem ser classificadas em três tipos. Quando a arquitetura interna do nervo
está preservada, mas os axônios estão tão danificados, que ocorre degeneração walleriana, a lesão será avaliada
como uma:
A) neuropraxia;
B) neurólise;
C) axoniotmese;
D) neurotmese;
E) degeneração neural.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 92


COMENTÁRIOS: De acordo com Seddon, as lesões nervosas periféricas são classificadas em:
*Neuropraxia — lesão leve com perda motora e sensitiva, sem alteração estrutural causada geralmente por
uma contusão ou compressão, assim como distúrbios metabólicos e patologias desmielinizantes.
Axonotmese — é comumente vista em lesões por esmagamento, estiramento ou por percussão. Há perda de
continuidade axonal e subsequente degeneração Walleriana do segmento distal. Nesse tipo de lesão não
ocorre perda de Schwann, e a recuperação irá depender do grau de desorganização do nervo e também da
distância do órgão terminal;
Neurotmese — separação completa do nervo, com desorganização do axônio causada por uma fibrose tecidual
com consequente interrupção do crescimento axonal. A recuperação espontânea é pobre sem intervenção
cirúrgica.

129. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Assinale a opção que indica a manifestação clínica da lesão do VII nervo craniano.
A) Paralisia da hemiface contralateral. B) Paralisia da hemiface ipsilateral.
C) Paralisia facial de quadrante superior contralateral. D) Paralisia facial de quadrante superior ipsilateral.
E) Paralisia facial de quadrante inferior.
COMENTÁRIOS: Observe o “esquema preferido” e resolva a questão!

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
130. (FGV / FUNARTE / 2014) As lesões cervicais são comuns na prática esportiva e têm como manifestações
alterações sensoriais, dependendo no nível da lesão, na cabeça e nos membros superiores. De acordo com os
dermátomos referentes às raízes da coluna cervical é correto afirmar que:
A) o dermátomo de C5 corresponde à região lateral de braço e antebraço;
B) o dermátomo de C3 corresponde à região anterior de face;
C) o dermátomo de C4 corresponde à região axilar;
D) o dermátomo de C6 corresponde à região posterior de braço;
E) o dermátomo de C7 corresponde à região tênar.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 93


COMENTÁRIOS: Cuidado em provas para não confundir dermátomo com miótomo. Dermátomo está associado
com a inervação da pele de determinada raiz nervosa, por sua vez o miótomo corresponde àquele músculo chave
de cada raiz. Principais dermátomos:
C5: Região lateral do ombro e braço; L2: margem medial da coxa
C6: margem lateral do braço e polegar; L3: côndilo femoral, acima do joelho
C7: dedo médio; L4: face anterior do joelho, maléolo medial e margem
C8: dedo anular e mínimo, margem medial do medial do hálux
antebraço; L5: margem ântero-lateral da perna e dorso do pé
T1: margem medial do braço; S1: margem lateral do pé
T4: mamilos; S2: fossa poplítea
T10: umbigo; 3: tuberosidade isquiática.
T12: ligamento inguinal.
Analisando item por item podemos observar:
A - CORRETA → o dermátomo de C5 corresponde à região lateral de braço e antebraço;
Um detalhe que essa foi alternativa mais correta, cuidado, pois a depender da referência algumas bancas
consideram C5 como região lateral do braço e outras braço com antebraço.
B - INCORRETA → o dermátomo de C3 corresponde à FACE ANTERIOR DE PESCOÇO;
C - INCORRETA → o dermátomo de T2 corresponde à região axilar;
D - INCORRETA → o dermátomo de C7 corresponde à região posterior de braço;
E - INCORRETA → o dermátomo de C6 corresponde à região tênar.

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 94


131. (FGV / FUNARTE / 2014) O plexo lombossacral termina em três nervos periféricos primários que são
responsáveis pela inervação dos tecidos dos membros inferiores. São eles o nervo femoral e obturatório, do plexo
lombar e o isquiático do plexo sacral. As lesões no quadril secundárias a traumas esportivos podem afetar o
funcionamento destes e trazer complicações funcionais. A relação correta entre o nervo e a sua perda funcional
primária é:
A) nervo femoral – perda de controle de tornozelo e pé;
B) nervo obturatório – fraqueza para a extensão de joelho;
C) nervo isquiático – flexão do joelho fraca;
D) nervo femoral – dificuldade para cruzar as pernas;
E) nervo isquiático – comprometimento da rotação externa de coxa;
COMENTÁRIOS: O plexo lombar está situado na parte posterior do músculo psoas maior, anteriormente aos
processos transversos das vértebras lombares. É formado pelos ramos ventrais dos três primeiros nervos lombares
e pela maior parte do quarto nervo lombar (L1, L2, L3 e L4) e um ramo anastomótico de T12, dando um ramo ao
plexo sacral. O Nervo Isquiático é o mais calibroso e mais extenso nervo do corpo humano, pois suas fibras podem
descer até os dedos dos pés. Esse nervo é constituído por duas porções, que são os nervos Fibular Comum (L4, L5,
S1 e S2) e Tibial, formado por L4, L5, S1, S2 e S3. O Nervo Fibular Comum já na fossa poplítea dirige-se
obliquamente para baixo e lateralmente se bifurcando em nervos fibulares superficial e profundo.

Analisando os itens podemos constatar:


A - INCORRETA → nervo femoral – perda de controle de tornozelo e pé;
Nesse caso seria lesão de nervo fibular comum e tibial, que inervam os músculos da perna:
N. Fibular superficial → músculos fibular longo e curto; N. Fibular profundo → músculos tibial anterior, extensor
longo dos dedos e extensor longo do hálux; N. Tibial → músculos posteriores da perna, tais como: tibial posterior.
B - INCORRETA → nervo obturatório – fraqueza para a extensão de joelho;
N. obturatório inerva maior parte dos adutores de quadril.
C - CORRETA → nervo isquiático – flexão do joelho fraca;
Este nervo inerva os isquiotibiais que são flexores de joelho.
D - INCORRETA → nervo femoral – dificuldade para cruzar as pernas;
N. femoral inerva o iliopsoas, pectíneo, sartório e quadríceps femoral.
E - INCORRETA → nervo isquiático – comprometimento da rotação externa de coxa;
Do plexo sacral nervo para o músculo piriforme (S1 e S2);

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 95


132. (FGV / OSASCO-SP / 2014) A síndrome caracterizada pela perda ipsilateral da função motora e do sentido
posicional, bem como pela perda contralateral da sensibilidade dolorosa muitos níveis abaixo da lesão, é a
A) Síndrome do Cone Medular.
B) Síndrome Centro Medular.
C) Síndrome Brown-Sequard.
D) Síndrome da Artéria Espinal Anterior.
E) Síndrome Cordonal Posterior
COMENTÁRIOS: Tema bastante comum em muitos certames, revise o quadro a seguir para resolução da questão!

Dica: Apareceu na prova HEMISSECÇÃO DA MEDULA → SÍNDROME DE BROWN-SEQUARD!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 96


133. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Em relação ao Acidente Vascular Encefálico, assinale V para a afirmativa
verdadeira e F para a falsa.
( ) Vertigem, náusea, vômito, disartria, dificuldade na marcha e cefaleia são sintomas comuns no infarto
cerebelar agudo.
( ) Êmbolos nas artérias vertebrais intracranianas geralmente causam infarto cerebelar.
( ) A artéria basilar, quando parcialmente ocluída gravemente, poderá causar síndrome do encarceramento.
( ) Alterações da personalidade com hemiplegia contralateral podem ser resultado da oclusão dos ramos
cortinais da artéria cerebral anterior. As afirmativas são, respectivamente,
A) V, F, V e F.
B) F, V, F e V.
C) V, V, V e F.
D) F, V, F e F.
E) V, V, V e V
COMENTÁRIOS: As síndromes arteriais carotídeas compreendem o acometimento dos seus principais ramos, a
saber: oftálmica, coroidéia anterior, cerebral anterior e média, e suas manifestações clínicas mais importantes
estão resumidas na tabela a seguir. Nas síndromes vértebro-basilares pode ocorrer envolvimento das artérias
vertebral, basilar, cerebral posterior e cerebelares póstero-inferior, ântero-inferior e superior. Podemos concluir
como forma de estudo que todos os itens acima estão corretos!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 97


134. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Ao avaliar um paciente com AVE, o fisioterapeuta verifica que há um aumento
considerável do tônus muscular, com resistência ao movimento passivo. Essa descrição é compatível, na escala de
Ashworth modificada, com o grau:
A) 0. B) 1. C) 2. D) 3. E) 4.
COMENTÁRIOS: Questão de fácil acesso mediante a escala abaixo! Se liga que essa escala é rotineiramente
abordada pelas bancas de concurso!

135. (FGV / SUSAM-AM / 2014) Assinale a opção que indica a patologia que apresenta, dentre suas manifestações
clínicas, a rigidez, a bradicinesia e a instabilidade postural.
A) Coreia
B) Esclerose lateral amiotrófica
C) Doença de Parkinson
D) Esclerose múltipla
E) Síndrome de Guillain‐Barré
COMENTÁRIOS: A DOENÇA DE PARKINSON é uma doença degenerativa, lenta e progressiva que afeta o sistema
nervoso central, ocorrendo perda de neurônios. Seu mecanismo fisiopatológico consiste na disfunção dos núcleos
da base (substância negra e o núcleo estriado) com consequente redução da dopamina na via nigroestriatal. A
tríade da DP consiste em: tremor de repouso, rigidez (sinal de roda denteada ou cano de chumbo) e bradicinesia.
Este sinal pode ser definido como lentidão extrema e dificuldade para manter o movimento, ou seja, consiste de
movimentos lentos ou reduzidos no portador de Parkinson.
VAMOS REVISAR?
COREIA→

ELA →

ESCLEROSE MÚLTIPLA →

SÍNDROME DE GUILLAIN BARRÉ →

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 98


136. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Tremor, rigidez e bradicinesia são considerados a tríade clássica da
A) Doença de Huntington.
B) Doença de Ménière.
C) Esclerose Lateral Amiotrófica.
D) Doença de Parkinson.
E) Doença de Alzheimer.
COMENTÁRIOS: A tríade da DP consiste em tremor de repouso, rigidez (sinal de roda denteada ou cano de
chumbo) e bradicinesia.

QUESTÃO →

VAMOS REVISAR?
DOENÇA DE HUNTINGTON →

DOENÇA DE MÉNIÈRE →

ELA →

DOENÇA DE ALZHEIMER →

137. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) Caracterizada por lesões em diferentes áreas com perda de
mielina disseminada pelo SNC, inicialmente na substância branca, de etiologia desconhecida, manifesta‐se
geralmente em adultos jovens e sua prevalência varia de acordo com a localização geográfica estudada. Essas
manifestações são características da seguinte patologia:
A) Parkinson.
B) Alzheimer.
C) Epilepsia.
D) Esclerose múltipla.
E) TDHA.
COMENTÁRIOS: A Esclerose Múltipla (EM)→ É uma doença de caráter geralmente progressivo, de etiologia
desconhecida, que consiste em uma inflamação crônica com característica marcante de afecção desmielinizante
do SNC. Afetando principalmente adultos jovens entre 20 e 40 anos.
A incidência dos sintomas iniciais em ordem decrescente de frequência é (1) fraqueza motora, (2) neurite
retrobulbar, (3) parestesia, (4) marcha instável, (5) visão dupla, (6) vertigem, e (7) distúrbio da micção. A fadiga é
um dos mais frequentes e incapacitantes sintomas.
Alterações sensitivas: parestesias nos membros, tronco e face assim com sinal de Lhermitte.
Tríade de Charcot: tremor intencional, fala escandida(disartria) e nistagmo.
*O calor na EM pode exacerbar os sintomas, sendo contraindicado (Sintoma de Uthoff).
OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

DICA: ESCLEROSE MÚLTIPLA → DOENÇA DESMIELINIZANTE → ACOMETIMENTO DA SUBSTÂNCIA BRANCA DO SNC


→ SINAL DE LHERMITTE → ETIOLOGIA DESCONHECIDA → AFETA ADULTOS JOVENS
PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 99
138. (CONSULPAM / CASCAVEL-CE / 2021) Jean Charcot definiu a Esclerose múltipla (EM) através de seus achados
clínicos e patológicos característicos, como paralisia e sinais cardinais, conhecidos como tríade de Charcot, que
são:
A) Rigidez em roda denteada, diplopia e bradicinesia.
B) Tremor intencional, fala escandida e nistagmo.
C) Acinesia, instabilidade postural e nistagmo.
D) Tremor essencial, visão dupla e fraqueza ou paralisia dos membros.
COMENTÁRIOS: Cuidado que existem duas tríades de Charcot, uma relacionada com a colangite e outra com
esclerose múltipla.
TRÍADE DE CHARCOT DA ESCLEROSE MÚLTIPLA TRÍADE DE CHARCOT DA COLANGITE
Tremor intencional, fala escandida(disartria) e nistagmo Icterícia, dor abdominal e febre

139. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) A respeito dos fundamentos da neurologia, relacione os tipos de doenças a seguir
às respectivas consequências.
I. Esclerose lateral amiotrófica
II. Esclerose múltipla
III. Síndrome de Guillain-Barré
( ) Desmielinização do SNC.
( ) Desmielinização do SNP.
( ) Destrói os neurônios motores superiores e inferiores da medula espinhal e do tronco encefálico
bilateralmente. Assinale a opção que indica a relação correta, de cima para baixo.
A) I – III – II B) III – I – II C) II – III – I D) I – II – III E) II – I – III
COMENTÁRIOS: Questão teoricamente fácil da banca FGV. Porém cuidado com seguinte detalhe a seguir:
EM → Doença que afeta bainha de mielina no SNC → Célula afetada → Oligodendrócitos.
SGB → Doença que afeta bainha de mielina no SNP → Célula afetada → Schwann
ELA → Doença que acomete neurônio motor: superior e inferior.
(II → Esclerose múltipla) → Desmielinização do SNC.
(III → Síndrome de Guillain-Barré) → Desmielinização do SNP.
(I → Esclerose lateral amiotrófica) → Destrói os neurônios motores superiores e inferiores da medula espinhal e
do tronco encefálico bilateralmente

140. (FGV / Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - SP / 2021) Na Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA),
doença do neurônio motor de caráter degenerativo, pode ocorrer Insuficiência Respiratória por falência da
musculatura. A maioria dos pacientes morre de complicações respiratórias com curso variável. Segundo as
Diretrizes Brasileiras de Ventilação Mecânica/2013, assinale a opção que descreve os critérios para indicação de
início do suporte ventilatório.
A) Capacidade vital: > 50% do previsto. PImax > -30 cmH2O ou < 60% do previsto. PFE (Pico de Fluxo Expiratório) >
270 L/min. PCO2 > 45 mmHg. Hipoventilação noturna.
B) Capacidade vital: < 50% do previsto. PImax < -30 cmH2O ou < 60% do previsto. PFE (Pico de Fluxo Expiratório) <
270 L/min. PCO2 > 45 mmHg. Hipoventilação noturna.
C) Capacidade vital: < 50% do previsto. PImax > -30 cmH2O ou > 60% do previsto. PFE (Pico de Fluxo Expiratório) <
270 L/min. PCO2 > 45 mmHg. Hipoventilação noturna.
D) Capacidade vital: > 50% do previsto. PImax < -30 cmH2O ou > 60% do previsto. PFE (Pico de Fluxo Expiratório) <
270 L/min. PCO2 < 45 mmHg. Hipoventilação noturna.
COMENTÁRIOS: Esclerose lateral amiotrófica (ELA) é uma doença do neurônio motor, de caráter degenerativo,
podendo ocorrer insuficiência respiratória por falência da musculatura no decorrer dela. Aspiração crônica por
disfunção da musculatura bulbar e tosse ineficaz são complicações adicionais. A maioria dos pacientes morre de
complicações respiratórias com curso variável.
Recomendação - Critérios para indicação de início do suporte ventilatório levam em consideração a CV: <50% do
previsto, PImax <-30cmH2 O ou <60% do previsto, pico de fluxo expiratório (PFE) <270L/min, PCO2 > 45 mmHg e
hipoventilação noturna.
PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 100
141. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) Com relação ao desenvolvimento neonatal, assinale V para a
afirmativa verdadeira e F para a falsa.
( ) A hipotonia global está diretamente relacionada com o tempo de prematuridade.
( ) O nascimento a termo promove, geralmente, flexão e adução nas extremidades.
( ) O bebê prematuro apresenta uma forte flexão fisiológica da coluna vertebral. As afirmativas são,
respectivamente,
A) F, V e F.
B) F, V e V.
C) V, F e F.
D) V, V e F.
E) F, F e V.
COMENTÁRIOS: A prematuridade como causa de mortalidade infantil tem sido estudada em diferentes países, e
os estudos constatam que inúmeras são as causas que levam um bebê a nascer prematuro, especialmente as
relacionadas ao aparelho genital feminino, alterações placentárias (placenta prévia e descolamento prematuro) e
excesso de líquido amniótico. Outros fatores incluem: a idade materna (maior incidência em mães mais jovens),
infecções maternas, primiparidade (mais frequente no primeiro filho). Porém, na maioria dos casos, a causa é
desconhecida. Desenvolvimento neonatal é assunto bastante recorrente em provas e merece tópico de revisão
nos seus estudos. Vamos analisar os itens a seguir:
(VERDADEIRO) → A hipotonia global está diretamente relacionada com o tempo de prematuridade.
(VERDADEIRO) → O nascimento a termo promove, geralmente, flexão e adução nas extremidades.
(FALSO) → O bebê prematuro apresenta uma forte flexão PATOLÓGICA da coluna vertebral.

Sugestão de Revisão: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas.
Atenção à saúde do recém-nascido : guia para os profissionais de saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde,
Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – 2. ed. – Brasília : Ministério da Saúde, 2012.

142. (FGV / OSASCO-SP / 2014) As particularidades anatômicas e fisiológicas do sistema respiratório do neonato,
observadas mais frequentemente em prematuros, analise as afirmativas a seguir.
I. O ritmo respiratório é irregular.
II. A superfície alveolar fica aumentada.
III. Nota-se maior fadiga diafragmática. Assinale
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
E) se todas as afirmativas estiverem corretas.
COMENTÁRIOS: Sabe-se que o desenvolvimento e o crescimento pulmonar fetal relacionam-se diretamente com a
idade gestacional. Assim, os pulmões de um RN pré-termo apresentam uma série de características que os tornam
susceptíveis à lesão. A estrutura básica para as trocas gasosas é rudimentar, não existindo, ainda, os verdadeiros
alvéolos. As células epiteliais não desenvolveram a capacidade plena para produzir e secretar o surfactante e as
vias aéreas, com frequência, estão preenchidas de líquido por causa da imaturidade da barreira alvéolo-capilar.
Além disso, a caixa torácica é instável por causa do desenvolvimento incompleto da estrutura musculoesquelética.
Analisando os itens podemos observar:
I - CORRETA → O ritmo respiratório é irregular.
Os chamados batimentos cardíacos prematuros são uma outra forma de ritmo irregular

II - INCORRETA → A superfície alveolar fica aumentada.


A superfície alveolar fica REDUZIDA.

III - CORRETA → Nota-se maior fadiga diafragmática.


O RN prematuro apresenta alta fatigabilidade desse músculo.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 101


143. (FGV / SUSAM-AM / 2014) Com relação à habilidade motora das crianças normais nos primeiros dois anos de
vida, analise as afirmativas a seguir.
I. As meninas apresentam melhor desempenho que os meninos em alguns aspectos da maturidade física.
II. Entre sete e nove meses de idade, a criança já consegue sentar sem apoio e engatinhar.
III. As habilidades motoras finas só aparecem depois dos vinte e quatro meses de idade. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
E) se todas as afirmativas estiverem corretas.
COMENTÁRIOS: O desenvolvimento motor na infância caracteriza-se pela obtenção de um vasto repertório de
movimentos, possibilitando que a criança adquira um amplo domínio dos elementos da motricidade como
motricidade fina e global, equilíbrio, esquema corporal, organização espacial e temporal e lateralidade. O
desenvolvimento motor está relacionado às áreas cognitiva e afetiva do comportamento humano, sendo
influenciado por muitos fatores. Dentre esses fatores, além dos já citados (aspectos ambientais e biológicos),
podemos citar ainda que a criança sofre influência da família como determinante nesse processo de
desenvolvimento. Analisando os itens a seguir podemos observar:
I - VERDADEIRO → As meninas apresentam melhor desempenho que os meninos em alguns aspectos da
maturidade física.
Em determinadas atividades a menina apresenta um desenvolvimento mais acelerado, tais como própria
linguagem. Contudo vale ressaltar que alguns autores defendem que esse desenvolvimento irá depender de
algumas variáveis, dentre elas o próprio ambiente dessa criança.
II - VERDADEIRO → Entre sete e nove meses de idade, a criança já consegue sentar sem apoio e engatinhar.
Alguns autores relatam o marco inicial do sentar com apoio por volta dos 6 meses e dos 7 aos 9 sentar sem apoio.
III - FALSO → As habilidades motoras finas só aparecem depois dos vinte e quatro meses de idade.
Geralmente essas habilidades se desenvolvem por volta dos 12 a 14 meses.

144. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) Neonato é um bebê em seu primeiro mês de vida. Sua saúde
pode ser avaliada pela Escala de Apgar. Relacione os aspectos observados nessa escala, com a característica do
escore atribuído
1. Frequência cardíaca
2. Taxa respiratória
3. Tônus muscular
4. Resposta a estimulação dos pés
( ) Escore 2 – Choro
( ) Escore 2 – Choro forte e respiração regular
( ) Escore 1 – Alguma flexão das extremidades
( ) Escore 0 – Ausente. Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo.
A) 1 – 3 – 2 – 4 B) 1 – 4 – 2 – 3 C) 4 – 2 – 3 – 1 D) 2 – 4 – 3 – 1 E) 4 – 3 – 2 – 1
COMENTÁRIOS: A avaliação clínica do recém-nascido (RN) foi proposta por Virginia Apgar em 1953 e 1958, tendo
sido muito útil no julgamento da necessidade da ressuscitação do mesmo, quando aplicada com 1 minuto de vida
e, novamente, com 5 minutos. É um dos métodos mais utilizados para a avaliação imediata do recém-nascido
(RN), principalmente, no primeiro e no quinto minutos de vida, sendo avaliado em 5 sinais objetivos do
recém-nascido, atribuindo a cada sinal uma pontuação de 0 a 2. Os sinais avaliados são: coloração da pele, pulso,
irritabilidade reflexa, esforço respiratório, tônus muscular, conforme mostra a tabela abaixo. O somatório da
pontuação (no mínimo 0 e no máximo 10) resultará no Escore de Apgar.
Interpretação dos resultados
De 0 a 3 – Asfixia grave
De 4 a 6 – Asfixia moderada
De 7 a 10 – Boa vitalidade, boa adaptação

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 102


Fazendo a correlação acima:
(4 - Resposta a estimulação dos pés ou irritabilidade reflexa) Escore 2 – Choro
(2 - Taxa de Respiração) Escore 2 – Choro forte e respiração regular
(3 - Tônus Muscular) Escore 1 – Alguma flexão das extremidades
(1 - Frequência Cardíaca) Escore 0 – Ausente.
Cuidado que a banca quis confundir o candidato informando: RESPOSTA A ESTIMULAÇÃO DOS PÉS!

145. (FGV / OSASCO-SP / 2014) Para um neonato em condições de normalidade, relacione os parâmetros
fisiológicos a seguir aos respectivos valores.
1. Frequência cardíaca (bpm)
2. Frequência respiratória (rpm)
3. Saturação de oxigênio baixa (%)
4. Pressão arterial sistólica (mmHg)
( ) 60-90
( ) 40-60
( ) 87-89
( ) 120-200
Assinale a opção que indica a relação correta, de cima para baixo.
A) 4 – 2 – 1 – 3
B) 4 – 2 – 3 – 1
C) 3 – 4 – 2 – 1
D) 3 – 1 – 4 – 2
E) 2 – 4 – 3 – 1
COMENTÁRIOS: Cuidado com esse tema candidato visto que alguns autores podem variar os valores dos referidos
sinais vitais. Para essa questão em si eles consideram da seguinte forma:
FC → 120 a 200 (Alguns autores variam de 100 a 160 ou 80 a 200)
FR → 40 a 60 IRPM (Alguns pode citar de 40 a 50)
SaO2 baixa → 87 a 89 (Muitos autores citam valor de normalidade entre 85 a 95%)
PAS → 60 a 90 (Parâmetro mais subjetivo nas literatura)
Observe a correlação a seguir:
(4 - PAS) → 60-90
(2 - FR) → 40-60
(3 - SaO2 baixa) → 87-89
(1 - FC) → 120-200

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 103


146. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) A administração de elevada FiO2 por tempo prolongado em recém-nascidos
pré-termo está relacionada à
A) displasia broncopulmonar.
B) coqueluche.
C) taquipneia transitória do recém-nascido.
D) asma.
E) fibrose cística.
COMENTÁRIOS: A assistência ventilatória é caracterizada pela otimização das trocas gasosas com o mínimo
possível de fração inspirada de oxigênio (FiO2) e pressão. Pode ser divida em invasiva e não invasiva, tendo ambas
a mesma finalidade de melhora de oxigenação e redução da retenção de CO2 com otimização do trabalho
respiratório. As principais complicações relacionadas ao uso do oxigênio suplementar→ Displasia
broncopulmonar e retinopatia da prematuridade.

Sugestão de Revisão: http://www.me.ufrj.br/images/pdfs/protocolos/enfermagem/assistencia_ventilatoria_do_recem_nascido.pdf

147. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) O reflexo primitivo e adaptativo que desaparece aos seis meses
de idade, é o reflexo de
A) busca.
B) Babinski.
C) marcha.
D) preensão
E) moro.
COMENTÁRIOS: O reflexo de Moro deve estar presente em recém nascidos de, pelo menos, 37 semanas. A criança
deve ser colocada em posição supina sobre uma superfície lisa e acolchoada. Em seguida, a cabeça deve ser
suavemente levantada com suporte o suficiente para levantar minimamente o corpo da criança do colchão. A
cabeça é, então, liberada subitamente, possibilitando que ocorra um movimento rápido de queda. Em seguida, a
cabeça deve ser novamente sustentada pela mão do examinador. O reflexo de Moro pode estar diminuído ou
exacerbado por vários distúrbios do sistema nervoso central. A assimetria do reflexo pode ser observada em
pacientes com paralisia do plexo braquial, trauma de clavícula e ombro e nos casos de lesão motora assimétrica do
trato piramidal superior. O reflexo de Moro deve desaparecer após 5 meses de vida!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 104


PRINCIPAIS REFLEXOS COBRADOS EM CONCURSOS

Reflexo de preensão palmar e plantar - É pesquisado estimulando-se a palma da mão (região


metacarpofalangianas) com um dedo ou objeto e a criança como resposta flexiona os quirodáctilos;
estimulando-se a região plantar do pé na base dos pododáctilos (região metatarsofalangianas) estes irão fletir.
Está presente no recém-nascido, o palmar desaparece aos três meses enquanto o plantar só vai desaparecer do
sétimo ao nono mês.

Reflexo de Sucção – obtido tocando os lábios da criança com o dedo mínimo (com luva) ou com um bastão e ela
tende a sugar (pode ser examinado através do ato de mamar). Está presente no recém nato, mesmo nos
prematuros e desaparece entorno do terceiro mês de vida.

Reflexo cruzado de extensão – criança deitada em supino, estimula-se o terço médio da face interna da coxa ou
da borda externa do pé, e como resposta há uma flexão da perna oposta e uma extensão sobre a outra cruzando.
Na criança patológica há um aumento de tonus extensor, a criança aduz e roda internamente o membro podendo
cruzar ou não. Está presente no recém-nato e desaparece em torno de dois meses.

Reflexo da marcha – Suspende a criança pelas axilas, estimula-se a face plantar do pé sobre uma superfície
inclinando o tronco um pouquinho para frente. A criança responde dando alguns passos. Presente no
recém-nascido e vai embora aos três meses de vida.

Reflexo de Moro – Consiste em dar um susto na criança (deitada em supino), ou batendo palmas; ou puxando o
lençol que está por baixo dela; ou dando pancadinhas no abdômen; ou ainda suspendendo a criança, cabeça
alinhada ao corpo, soltamos um pouco, bem rápido a mão que está segurando a cabeça. A criança responde
fazendo uma extensão/abdução dos membros seguido de flexão-adução. Está presente no recém-nascido e de
três a quatro meses está desaparecendo. Alguns autores afirmam que desaparece por volta dos 6 meses!

Reflexo de Gallant – A criança em decúbito ventral, estimula-se a região lombar entre a 12ª costela e a crista
ilíaca. A resposta é uma flexão do tronco para o lado do estímulo. Desaparece em torno do segundo mês de vida.

Reflexo de Landau – Este reflexo é uma combinação dos reflexos de endireitamento e reflexos tônicos.
Suspende-se a criança em decúbito ventral e a criança faz uma extensão da cabeça, tronco, quadril é membros (1a
fase) e, se flexionarmos a cabeça da criança, ela fará uma flexão do tronco e das extremidades (2a fase). É
esboçada aos quatro meses de vida, aos seis meses está presente nas duas fases e aos dez meses está mais forte,
desaparecendo em torno de um ano. O Landau precede a marcha.

Reflexo Tônico Cervical Assimétrico (RTCA) – A criança em decúbito dorsal, gira-se a cabeça para um lado, fixando
a pelve. Para o lado em que a face está olhando, há uma aumento do tônus extensor nos membros e no lado
oposto (occipital) há um aumento do tônus flexor. Inicia-se no RN, está mais forte no segundo mês de vida e
desaparece no 3- 4 mês de vida.

Reflexo Tônico Cervical Simétrico (RTCS) – Em decúbito dorsal, ao fletirmos a cabeça da criança ele flete os MMSS
e estende os MMII. Ao estendermos a cabeça, ela estende os MMSS e flexiona os MMII. É mais evidenciado em
crianças patológicas e está presente no RN e desaparece do quinto para o sexto mês.

Reflexo Tônico Labiríntico (RTL) – Quando a criança está em decúbito dorsal há um aumento do tônus extensor e
em decúbito ventral aumento do tônus flexor. É mais evidenciado em crianças patológicas, por isso não tem data
de aparecimento e desaparecimento.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 105


148. (FGV / SUSAM-AM / 2014) Com relação aos bebês de baixo peso natal (BPN), assinale V para a afirmativa
verdadeira e F para a falsa.
( ) No longo prazo, as meninas apresentam menos efeitos do baixo peso natal do que os meninos.
( ) Os bebês com mais de seis semanas de prematuridade, geralmente, apresentam baixo peso natal.
( ) Nenhum bebê com 37 semanas completas de gestação apresenta baixo peso natal.
As afirmativas são, respectivamente,
A) F, V e F.
B) F, V e V.
C) V, F e F.
D) V, V e F.
E) F, F e V.
COMENTÁRIOS: O BPN é definido como peso ao nascer abaixo de 2500g, e considerado um indicador da
qualidade da assistência à saúde reprodutiva da mulher. A prevalência mundial é de 15,5%, mas sua distribuição é
desigual entre as regiões do mundo, sendo maior em regiões subdesenvolvidas e menor nas desenvolvidas. Os
principais fatores de risco relacionados ao BPN são a prematuridade, a idade materna, gestações de risco (como
hipertensão arterial e diabetes), gestações múltiplas, número de filhos nascidos vivos, sexo do feto, acesso às
consultas de pré-natal, o peso materno prévio à gestação, o tabagismo e o consumo de álcool na gestação, além
do parto induzido, e da exposição à agrotóxicos.
Em relação ao peso ao nascer por sexo, notam-se maiores médias entre crianças do sexo masculino. Não está
claro na literatura como o sexo da criança influencia o peso de nascimento; sabe-se, porém, que as meninas
apresentam menor peso que os meninos de mesma idade gestacional e maior risco de restrição de crescimento
intrauterino, conforme já documentado em outros estudos.
Vamos analisar os quesitos acima:
(VERDADEIRO) → No longo prazo, as meninas apresentam menos efeitos do baixo peso natal do que os meninos.
A banca considerou correto, contudo não está bem esclarecido ainda na literatura! Complicou FGV !
(VERDADEIRO) → Os bebês com mais de seis semanas de prematuridade, geralmente, apresentam baixo peso
natal.
A maior parte dos casos descritos na literatura.
(FALSO) → Nenhum bebê com 37 semanas completas de gestação apresenta baixo peso natal.
Use a lógica nesse quesito: Dizer NENHUM, será mesmo? Bom senso pessoal!

Sugestão de artigo: NASCIMENTO, Rosiane Cosme; BARBOSA, Míriam Carmo Rodrigues; CORRÊA, Márcia Mara. Baixo-peso ao nascer:
estudo de fatores associados em um hospital terciário da grande Vitória, ES, Brasil. DEMETRA: Alimentação, Nutrição & Saúde, v. 14, p.
43508, 2019.

149. (FGV / OSASCO-SP / 2014) Com relação à displasia broncopulmonar, assinale V para a afirmativa verdadeira e
F para a falsa.
( ) Caracteriza-se por inflamação do parênquima pulmonar, que pode ser aguda.
( ) Ocorre principalmente em bebês prematuros, com peso inferior a 1.200 g.
( ) O risco de desenvolver essa doença aumenta com a diminuição da idade gestacional. As afirmativas são,
respectivamente,
A) F, V e F.
B) F, V e V.
C) V, F e V.
D) V, V e V.
E) F, F e V.
COMENTÁRIOS: A displasia broncopulmonar (DBP) é uma doença pulmonar crônica com características clínicas,
radiológicas e histológicas próprias. Acomete, em geral, os recém-nascidos prematuros submetidos a
oxigenoterapia e ventilação mecânica nos primeiros dias de vida. A DBP representa a resposta de pulmões
imaturos à lesão pulmonar aguda provocada pela ventilação mecânica, pelo oxigênio e por vários outros fatores. A
patogênese da DBP é multifatorial. Acredita-se que esses diversos fatores atuam de forma aditiva ou sinérgica,
gerando inflamação e lesão pulmonar. A agressão ao tecido pulmonar em desenvolvimento resulta em fibrose e
PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 106
desorganização do processo maturativo normal, a prevalência da DBP é inversamente proporcional à idade
gestacional de nascimento. A imaturidade pulmonar, portanto, é um dos fatores mais importantes na
etiopatogenia da doença.
Analisando os itens podemos afirmar:
(VERDADEIRO) → Caracteriza-se por inflamação do parênquima pulmonar, que pode ser aguda.
(VERDADEIRO) → Ocorre principalmente em bebês prematuros, com peso inferior a 1.200 g.
(VERDADEIRO) → O risco de desenvolver essa doença aumenta com a diminuição da idade gestacional.

Sugestão de artigo: MONTE, Luciana F. Velloso et al. Displasia broncopulmonar. Jornal de Pediatria, v. 81, n. 2, p. 99-110, 2005.

150. (FGV / OSASCO-SP / 2014) A vasoconstrição pulmonar que ocorre imediatamente após o nascimento e
resulta em um shunt intrapulmonar de sangue do lado direito para o esquerdo, com fluxo diminuído nos pulmões,
que leva à hipoxemia central e à cianose e não responde às altas concentrações do oxigênio inspirado, caracteriza
A) a hipertensão pulmonar persistente.
B) a asma brônquica neonatal.
C) a fibrose cística.
D) a insuficiência respiratória.
E) a bronquiolite infantil.
COMENTÁRIOS: A hipertensão pulmonar persistente do recém-nascido é um distúrbio grave em que as artérias
que chegam aos pulmões permanecem contraídas depois do parto, limitando a quantidade de sangue que flui
para os pulmões e, assim, a quantidade de oxigênio na corrente sanguínea.
A hipertensão pulmonar persistente neonatal - HPPN é uma síndrome caracterizada pela presença de elevada
resistência vascular pulmonar e shunt direito-esquerdo pelo canal arterial e/ou forame oval. Contrário à
hipertensão arterial pulmonar primária do adulto, a síndrome do recém-nascido não é definida por uma pressão
específica da circulação pulmonar. Qualquer que seja a pressão arterial pulmonar, desde que acompanhada de
shunt direito-esquerdo e ausência de anomalias congênitas do coração, confirma o diagnóstico da HPPN. Esse
conceito é muito importante, pois não somente a elevação da resistência vascular pulmonar, mas também a
habilidade do ventrículo direito de vencer essa resistência, são fatores determinantes na hipertensão pulmonar
neonatal.
VAMOS REVISAR?
ASMA BRÔNQUICA →

FIBROSE CÍSTICA →

INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA →

BRONQUIOLITE INFANTIL →

Sugestão de artigo: CABRAL, Joaquim EB; BELIK, Jaques. Hipertensão pulmonar persistente neonatal: recentes avanços na fisiopatologia e
tratamento. Jornal de Pediatria, v. 89, n. 3, p. 226-242, 2013.
OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 107


151. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Criança de 10 anos chega ao hospital agitada, taquidispneica e taquicárdica. Após
analisar a gasometria arterial, o pediatra de plantão faz o diagnóstico de Insuficiência Respiratória (IR) tipo I.
Assinale a opção que indica o principal tratamento para IR tipo I.
A) Ventilação mecânica invasiva em modo controlado à pressão.
B) Oxigenoterapia.
C) Ventilação mecânica invasiva em modo controlado a volume.
D) Ventilação mecânica invasiva no modo PSV.
E) Nebulização com soro fisiológico.
COMENTÁRIOS: Principal meio para tratamento da IR tipo 1 ou Hipoxêmica será oxigenioterapia ou VNI. Porém
nas opções correto é marcar OXIGENIOTERAPIA! Bom senso e lógica nessa questão da FGV!

Sugestão de artigo: DA FONSECA, Jaisson Gustavo; SETTE, Adrianne Mary Leão; OLIVEIRA, Alexandre Rodrigues Ferreira. Avaliação e manejo
inicial da insuficiência respiratória aguda na criança. Rev Med Minas Gerais, v. 23, n. 2, p. 196-203, 2013.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 108


152. (FGV / OSASCO-SP / 2014) Com relação à síndrome de aspiração do mecônio, analise as afirmativas a seguir.
I. Geralmente está associada a distúrbios circulatórios.
II. Define-se pela presença de mecônio abaixo das cordas vocais.
III. Seu risco diminui de acordo com o avanço da gestação. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
E) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
COMENTÁRIOS: O mecônio está presente no líquido amniótico em cerca de 10 a 15% dos partos, sendo que cerca
de 5% dos recém-nascidos com líquido amniótico meconial desenvolverão SAM. Mesmo após a aspiração das vias
aéreas pelo obstetra e pelo pediatra, alguns bebês que nascem com líquido amniótico meconial desenvolvem
SAM. Seu tratamento é inespecífico e consiste no suporte ventilatório necessário e manejo das complicações.
Suspeita-se do diagnóstico diante de insuficiência respiratória após o parto e de líquido amniótico meconial, o
qual é confirmado pela radiografia de tórax. Lactentes com desconforto respiratório costumam ser entubados e
colocados sob ventilação mecânica.
A SAM tipicamente se apresenta como disfunção respiratória, taquipnéia, gemência, batimento de asas do
nariz, tempo expiratório prolongado e hipoxemia logo após o nascimento em um recém-nascido com história de
mecônio espesso no líquido amniótico, impregnação por mecônio nas unhas, cabelos e cordão umbilical, ou ainda
presença de mecônio espesso abaixo das cordas vocais na aspiração traqueal sob visualização direta.
Analisando os itens a seguir podemos observar:
I VERDADEIRO → Geralmente está associada a distúrbios circulatórios.
Os antecedentes materno-fetais mais frequentemente relacionados são: hipertensão arterial, doença
cardiovascular ou pulmonar crônica, hipotensão aguda, descolamento prematuro de placenta, placenta prévia,
partos laboriosos, presença de nós, circulares e prolapsos de cordão, asfixia intra-uterina crônica, cesárea eletiva,
apresentação pélvica.
II VERDADEIRO → Define-se pela presença de mecônio abaixo das cordas vocais.
Na SAM ocorre a presença de mecônio espesso abaixo das cordas vocais na aspiração traqueal.
III FALSO → Seu risco diminui de acordo com o avanço da gestação.
Seu risco AUMENTA de acordo com avanço da gestação.

Sugestão de Revisão: COLVERO, Mauricio Obal et al. Novas opções terapêuticas na síndrome de aspiração de mecônio. Revista Brasileira de
Saúde Materno Infantil, v. 6, p. 367-374, 2006.

153. (FGV /CUIABÁ-MT / 2015) Em relação à SAM (Síndrome de Aspiração do Mecônio), assinale a afirmativa
correta.
A) O recém-nascido com SAM pode apresentar sinais de impregnação do mecônio na pele, na unha e no cordão
umbilical.
B) O mecônio é encontrado no trato urinário fetal a partir da décima semana de gestação.
C) A SAM é caracterizada pela impregnação de mecônio no fígado e no pulmão.
D) A presença de mecônio no líquido amniótico no segundo trimestre de gestação se torna necessariamente uma
indicação de sofrimento fetal e de ventilação mecânica invasiva controlada.
E) O mecônio é encontrado do trato gastrintestinal fetal a partir da segunda semana de gestação.
COMENTÁRIOS: A síndrome de aspiração meconial (SAM) é uma doença caracterizada por vários graus de
insuficiência respiratória. A presença de mecônio no líquido amniótico ocorre em 5% a 15% de todos os
nascimentos, enquanto que a SAM em, aproximadamente, 2% a 3%, sendo mais frequente em recém-nascidos
(RN) pequenos para a idade gestacional, nascidos de termo ou pós-termo. A presença do mecônio no líquido
amniótico é mais comum quanto maior a idade gestacional e em recém-nascidos pequenos para a idade
gestacional. Nas gestações com mais de 42 semanas, ocorre em aproximadamente 30% dos partos. O mecônio
aparece primeiramente no íleo fetal entre a décima e a décima-sexta semanas de gestação como um líquido

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 109


viscoso e esverdeado composto por secreções gastrointestinais, restos celulares, sucos gástrico e pancreático,
muco, sangue, lanugo e vérnix.
A SAM tipicamente se apresenta como disfunção respiratória, taquipnéia, gemência, batimento de asas do
nariz, tempo expiratório prolongado e hipoxemia logo após o nascimento em um recém-nascido com história de
mecônio espesso no líquido amniótico, impregnação por mecônio nas unhas, cabelos e cordão umbilical, ou ainda
presença de mecônio espesso abaixo das cordas vocais na aspiração traqueal sob visualização direta.

Sugestão de Leitura: SIMÕES, DANDARA RODRIGUES et al. Síndrome de aspiração meconial: fatores de risco e a assistência de enfermagem.
ANAIS ELETRÔNICO CIC, v. 17, n. 1, 2019.
COLVERO, Mauricio Obal et al. Novas opções terapêuticas na síndrome de aspiração de mecônio. Revista Brasileira de Saúde Materno
Infantil, v. 6, p. 367-374, 2006.

154. (FGV / FUNARTE / 2014) Em crianças com paralisia cerebral, observa-se uma resistência à passagem para
novas amplitudes de movimento e certa dificuldade de adaptação respiratória. A esse respeito, assinale a
afirmativa correta.
A) A necessidade de oxigênio aumenta ao dominar o alinhamento postural mais vertical.
B) Em uma caminhada, o oxigênio exigido é o mesmo que nas atividades mais curtas.
C) O controle uniforme dos movimentos corporais independe da oxigenação tecidual.
D) O suporte respiratório diminui automaticamente para permitir padrões de movimentos mais fracos.
E) Deve-se deixar a criança encontrar seu padrão respiratório sozinha, em uma nova postura.
COMENTÁRIOS: Questão bem complexa e sem muita literatura a respeito, com escassa literatura sobre o assunto.
Fazendo análise lógica da questão podemos observar:
A - CORRETO → A necessidade de oxigênio aumenta ao dominar o alinhamento postural mais vertical.
Observação importante para criança com PC é a reserva de oxigênio e gasto energético que aumenta com
alinhamento postural na vertical.
B - INCORRETO → Em uma caminhada, o oxigênio exigido é o mesmo que nas atividades mais curtas.
A caminhada requer maior consumo de oxigênio nesses pacientes.
C - INCORRETO → O controle uniforme dos movimentos corporais independe da oxigenação tecidual.
Esse controle obviamente depende da oxigenação tecidual.
D - INCORRETO → O suporte respiratório diminui automaticamente para permitir padrões de movimentos mais
fracos.
Este suporte respiratório tende a elevar para permitir esses padrões.
E - INCORRETO → Deve-se deixar a criança encontrar seu padrão respiratório sozinha, em uma nova postura.
Sempre otimizar o padrão respiratório com evolução do paciente, avaliando o padrão postural com a respiração.

155. (AVANÇASP / Prefeitura de Pereiras-SP / 2019) Como se sabe, em crianças com paralisia cerebral é possível
observar uma resistência à passagem para novas amplitudes de movimento, além de certa dificuldade de
adequação respiratória. No que se refere ao tema, assinale a alternativa correta:
A) Deve-se deixar a criança encontrar seu padrão respiratório sozinha, através de uma nova postura.
B) O suporte respiratório diminui automaticamente para permitir padrões de movimentos mais fracos.
C) A necessidade de oxigênio aumenta ao dominar o alinhamento postural mais vertical.
D) O controle uniforme dos movimentos corporais não depende da oxigenação tecidual.
E) Em uma caminhada, o oxigênio exigido é o mesmo que nas atividades mais curtas.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 110


156. (FGV / FUNARTE / 2014) As respostas posturais automáticas constituem um dos componentes motores do
equilíbrio. A esse respeito, assinale a afirmativa correta.
A) Elas provocam um desvio para a esquerda, além da linha média, se o indivíduo é empurrado para a direita.
B) Elas correspondem ao estímulo em termos de direção e de amplitude.
C) Elas sempre ocorrem em resposta a um estímulo conhecido e informado anteriormente.
D) Elas sempre estão sob o controle voluntário imediato, apesar de ocorrerem rapidamente.
E) Elas agem mantendo o centro de gravidade do corpo além da base de apoio corporal.
COMENTÁRIOS: No componente motor se observa que a postura corporal envolve equilíbrio, coordenação
neuromuscular e adaptação que representa um determinado movimento corporal, e as respostas posturais
automáticas são dependentes do contexto, ou seja, são ajustadas para ir ao encontro das necessidades de
interação entre os sistemas de organização postural (equilíbrio, neuromuscular e adaptação) e o meio ambiente.
Equilíbrio postural é o estado no qual todas as forças atuantes sobre o corpo estão equilibradas e o corpo tende a
permanecer na posição e orientação desejada (equilíbrio estático), podendo se movimentar de uma forma
controlada (equilíbrio dinâmico). Os principais componentes desse ato de equilíbrio são: força muscular, direção,
amplitude, tônus muscular, propriocepção e sistema neural, além do sistema visual que otimiza processamento
dessas reações automáticas.

157. (FGV / FUNARTE / 2014) Existem dois tipos de tecido ósseo. Nas fraturas, a lesão é primariamente recoberta
por um tecido fibrocartilaginoso. Em algumas semanas forma-se uma “cicatriz”, que consiste no depósito de osso
primário. Nos meses subsequentes, este calo é reestruturado, osso secundário, adotando a forma original de osso.
Durante o processo de cicatrização da lesão, pode ocorrer a formação de uma “falsa” articulação. Osso primário,
osso secundário e falsa articulação correspondem, respectivamente, a:
A) disco metafisário, periósteo e calo ósseo instável;
B) osso lamelar, osso reticular e calo ósseo instável;
C) osteócito, osteoclastos e pseudoartrose;
D) osso reticular, osso lamelar e pseudoartrose;
E) osteócito, osteoblastos e osteoclastos.
COMENTÁRIOS: Reconhecem-se dois tipos de tecido ósseo, denominados:
a) Osso imaturo, primário ou RETICULAR;
b) Osso maduro, secundário ou LAMELAR.
O osso imaturo é sempre o que primeiro se forma: durante a vida fetal, durante a remodelação óssea, durante a
consolidação de fraturas. Em adultos existe só em poucos locais do corpo, como por exemplo nos alvéolos
dentários.
O osso maduro que gradativamente substitui o osso imaturo é o tipo que predomina no adulto.
Principais diferenças histológicas entre os dois tipos:
Osso imaturo ou não lamelar:
– as fibras colágenas da matriz se dispõem em muitas direções, sem nenhuma organização específica.
Osso maduro ou lamelar
– as fibras colágenas estão organizadas em delgadas lâminas denominadas lamelas ósseas. No interior de cada
lamela as fibras colágenas se dispõem paralelamente entre si. No entanto, comparando lamelas adjacentes, os
conjunto de fibras colágenas de uma lamela mantêm angulação em relação às fibras da lamelas vizinhas.
Dica: Lembre-se do partido PR → PRIMÁRIO → RETICULAR
PSEUDOARTROSE → Pseudoartrose é a não consolidação de uma fratura, isto é, o osso ‘não cola’. Também
definida como falsa articulação, a pseudoartrose caracteriza-se então pela falta de consolidação óssea em relação
a uma fratura ou mesmo a uma artrose.

Sugestão de revisão: https://www.unifal-mg.edu.br/histologiainterativa/tecido-osseo/

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 111


158. (AOCP / Prefeitura de João Pessoa-PB / 2021) Fratura caracterizada por apresentar muitas partes lesionadas,
múltiplos fragmentos, com dificuldade de fixação por procedimento cirúrgico. Normalmente, há lesão do
periósteo. Assinale a alternativa que melhor define o tipo de fratura descrito no enunciado.
A) Fratura cominutiva.
B) Fratura em galho verde.
C) Fratura linear.
D) Fratura transversa.
E) Fratura oblíqua.
DICA: Farelo → vários pedaços → fratura cominutiva!
COMENTÁRIOS: Nem precisa comentar com essa dica acima e uma questão MAMÃO COM AÇÚCAR NÉ?!

159. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) Fratura é a perda da solução de continuidade do osso dividindo‐o
em dois ou múltiplos fragmentos. Existem vários tipos de fraturas. Correlacionar o tipo de fratura com sua
respectiva característica.
1. Cominutiva
2. Em galho verde
3. Por compressão
4. Por estresse
( ) Impactação da superfície de dois ossos.
( ) Um lado do osso quebra e o outro se encurva.
( ) Resultado da repetição de impacto sobre o osso.
( ) Apresenta múltiplos fragmentos. Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo.
A) 3 – 1 – 2 – 4
B) 3 – 2 – 4 – 1
C) 2 – 3 – 4 – 1
D) 4 – 2 – 3 – 1
E) 4 – 2 – 1 – 3
COMENTÁRIOS: As fraturas podem ser definidas como uma ruptura parcial ou total do osso e podem ser
classificadas em abertas ou fechadas, de acordo com o lesionamento da pele ou não. Uma fratura fechada é
quando não ocorre o rompimento da pele, já a exposta é quando a pele é rompida e o osso apresenta-se exposto.
(3 → IMPACTAÇÃO → COMPRESSÃO) Impactação da superfície de dois ossos.
(2 → GALHO VERDE) Um lado do osso quebra e o outro se encurva.
(4 → ESTRESSE) Resultado da repetição de impacto sobre o osso.
(1 → COMINUTIVA) Apresenta múltiplos fragmentos → (DICA: Farelo → vários pedaços → fratura cominutiva!)
PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 112
160. (FGV / FUNARTE / 2014) O diagnóstico por imagem geralmente é utilizado para confirmar uma suspeita
clínica. Como nos outros exames, os de imagem devem ser vistos como parte da avaliação e devem ser utilizados
quando úteis para a confirmação ou o estabelecimento de um diagnóstico. As fraturas por estresse são de difícil
diagnóstico e o exame que a consegue identificar, mesmo com uma perda óssea mínima é a:
A) tomografia computadorizada;
B) cintilografia;
C) ressonância nuclear magnética;
D) ultrassonografia;
E) radiografia.
COMENTÁRIOS: A fratura por estresse foi descrita inicialmente em soldados prussianos por Breithaupt em 1855 e
ocorre como o resultado de um número repetitivo de movimentos em determinada região que pode levar a fadiga
e desbalanço da atuação dos osteoblastos e osteoclastos e favorecer a ruptura óssea.
Os fatores extrínsecos estão relacionados → ao gesto esportivo, aos hábitos nutricionais, aos equipamentos
usados e ao tipo de solo.
Os fatores intrínsecos estão relacionados → a possíveis variações anatômicas, condições musculares, estado
hormonal, gênero, etnia e idade.
Na radiografia (RX) simples a fratura de estresse aparece como uma linha de fratura radioluzente, focal esclerose
devido à formação de calo endósteo, reação periosteal ou como um calo external. É um exame simples, de baixo
custo e de fácil acesso, porém é necessário que haja troca na densidade óssea para que os sinais típicos de fratura
de estresse sejam evidenciados. Por isso, em fases iniciais, em torno de 80% das fraturas de estresse não são
evidentes com esse método complementar, sendo que entre uma e três semanas a sensibilidade aumenta para
em torno de 50%. A cintilografia óssea possui alta sensibilidade diagnóstica para fratura de estresse, visto que
detecta a fase inicial da patologia (>95% de positivos em < 24h), quando há alteração do remodelamento ósseo,
motivo pelo qual precede o diagnóstico radiológico em 7 a 14 dias, porém possui menor especificidade que o RX.
Sugestão de artigo: ASTUR, Diego Costa et al. Fraturas por estresse: definição, diagnóstico e tratamento. Revista Brasileira de Ortopedia, v.
51, p. 03-10, 2016.
KEMPFER, Gérson Luís et al. Fratura de estresse e a medicina nuclear. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 10, p. 529-531, 2004.

161. (FGV / FUNARTE / 2014) Ao estabelecermos um diagnóstico diferencial entre a degeneração do manguito
rotador, ombro congelado, instabilidade atraumática e espondilose cervical, é correto afirmar que:
A) na lesão do manguito rotador, existe dor e fraqueza no movimento isométrico resistido de abdução e rotação
interna;
B) na espondilose cervical, o teste de apreensão é positivo;
C) na instabilidade atraumática, a amplitude de movimento passiva está reduzida;
D) no ombro congelado, o teste de Spurling é positivo;
E) a lesão do manguito rotador tem teste da queda do membro superior positivo.
COMENTÁRIOS: As lesões do manguito rotador constituem a causa mais comum de dor no ombro, acometem
principalmente mulheres entre a 4ª e 5ª décadas de vida, e são eventualmente bilateral. Caracterizam-se por dor
na face ântero-lateral do ombro, e que se exacerba à abdução com rotação externa ou interna da articulação. As
causas mais frequentes de lesões do manguito rotador são: síndrome do impacto, alterações degenerativas e
traumatismos. Além disso, na região próxima à inserção do músculo supraespinhoso, existe uma área de
hipovascularização (área crítica), o que torna essa região mais vulnerável à lesão e de reparo precário. Com
relação aos sinais clínicos, os pacientes apresentam geralmente história de dor intermitente, que piora à noite
pelo estiramento das partes moles. Constata-se, também, arco doloroso entre 70 e 120 graus, crepitação e
diminuição na força muscular, principalmente nos movimentos de abdução e rotação externa. Avaliando os itens:
A - INCORRETA → na lesão do manguito rotador, existe dor e fraqueza no movimento isométrico resistido de
abdução e rotação interna;
Redução de força principalmente para abdução e rotação externa do ombro.
B - INCORRETA → na espondilose cervical, o teste de apreensão é positivo;
Esse teste avalia a instabilidade anterior do ombro.
C - INCORRETA → na instabilidade atraumática, a amplitude de movimento passiva está reduzida;
O componente mais prejudicado com esse tipo de instabilidade é do movimento ativo.
PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 113
D - INCORRETA → no ombro congelado, o teste de Spurling é positivo;
O teste de Spurling é utilizado para avaliar compressão radicular na cervical.
E - CORRETA → a lesão do manguito rotador tem teste da queda do membro superior positivo.
Teste clássico para ruptura do manguito rotador, especialmente no tendão do supraespinhoso.

162. (FGV / FUNARTE / 2014) As lesões tendinosas são frequentes na prática desportiva, tanto pela sobrecarga
como pelas alterações estruturais. Dentre elas destacam-se as tendinites e as tendinoses que podem ser definidas,
respectivamente, como:
A) degeneração sintomática com sintomas inflamatórios e degeneração com tumefação da bainha tendinosa;
B) degeneração sintomática com sintomas inflamatórios e degeneração por atrofia e com frequência
assintomática à palpação;
C) degeneração assintomática sem sintomas inflamatórios e inflamação com tendão palpável sintomático;
D) inflamação apenas no paratendão com sinais inflamatórios e degeneração sintomática do tendão com sintomas
inflamatórios;
E) inflamação com tendão palpável sintomático e degeneração resultante da atrofia com sinais inflamatórios.
COMENTÁRIOS: A tendinite é uma degeneração sintomática do tendão com alteração vascular e resposta
inflamatória de reparo. Especificamente, a tendinose é definida como uma degeneração intratendinosa resultante
de atrofia (envelhecimento, microtrauma, comprometimento vascular) cujos achados histológicos incluem
degeneração não inflamatória do colágeno intratendinoso com desorientação das fibras, hipocelularidade,
crescimento vascular difuso ou necrose local ocasional ou calcificação. Com frequência, o tendão palpável é
assintomático, sem edema da bainha tendinosa.

Sugestão de artigo: http://www.inicepg.univap.br/cd/INIC_2007/trabalhos/saude/inic/INICG00149_02O.pdf

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 114


163. (FGV / OSASCO-SP / 2014) Uma tendinose é caracterizada por degeneração do tendão cujo achado
histológico está descrito a seguir. Assinale-o.
A) Inflamação do colágeno intratendinoso.
B) Perda do colágeno com inflamação.
C) Reorientação das fibras de colágeno.
D) Hipocelularidade e crescimento vascular disperso.
E) Células inflamatórias no tecido areolar paratendinoso.
COMENTÁRIOS: Tendões são capazes de suportar cargas intensas. Contudo, se as cargas se tornarem repetitivas,
podem resultar em lesões. As tendinopatias (falhas no tendão) podem ser classificadas pela etiologia (macro ou
microtrauma), duração (aguda ou crônica) ou pela histopatologia (tendinite, paratendinite, tendinose).
A tendinose → definida como uma degeneração intratendinosa resultante de atrofia (envelhecimento,
microtrauma, comprometimento vascular) cujos achados histológicos incluem degeneração não inflamatória do
colágeno intratendinoso com desorientação das fibras, hipocelularidade, crescimento vascular difuso ou necrose
local ocasional ou calcificação. Com frequência, o tendão palpável é assintomático, sem edema da bainha
tendinosa.

164. (FGV / FUNARTE / 2014) O paciente que sofreu um mecanismo brusco de queda da própria altura e realizou
um movimento excessivo de flexão plantar e inversão em tornozelo direito, e com isso houve laceração de poucas
fibras musculares de fibular curto e laceração de aproximadamente metade do ligamento talo fibular anterior,
apresenta as respectivas lesões musculoesqueléticas:
A) distensão de 2º grau e entorse de 1º grau;
B) distensão de 1º grau e entorse de 2º grau;
C) entorse de 1º grau e distensão de 2º grau;
D) entorse de 2º grau e distensão de 1º grau;
E) distensão de 2º grau e entorse de 3º grau.
COMENTÁRIOS: A entorse de tornozelo é uma das lesões musculoesqueléticas frequentemente encontradas na
população ativa, que geralmente envolve lesão dos ligamentos laterais. Ocorre com maior frequência nos atletas
de futebol, basquete e vôlei, correspondendo a cerca de 10% a 15% de todas as lesões do esporte. A estabilidade
lateral do tornozelo é dada pelo mecanismo contenção dos ligamentos talofibular anterior, posterior e
calcaneo-fibular, associada ao terço distal da fíbula. O mecanismo de lesão habitual é a inversão do pé com
flexão plantar do tornozelo, numa intensidade além do normal, que acontece geralmente ao pisar em terreno
irregular ou degrau. Este movimento anômalo proporciona uma lesão que se inicia no ligamento talo-fibular
anterior e pode progredir para uma lesão do ligamento calcâneo-fibular, com o aumento da energia do trauma. A
lesão do ligamento talofibular posterior é rara, ocorrendo apenas na luxação franca do tornozelo. Observe a
gravidade da lesão na tabela a seguir:
Grau 1 Grau 2 Grau 3
Lesões de grau I envolvem Uma lesão de grau II é ruptura Uma lesão de grau III é uma
alongamento do ligamento ligamentar macroscópica ruptura ligamentar completa
com mínimo de ruptura parcial com dor moderada, com edema importante,
macroscópica, pouco edema edema e sensibilidade sobre a hemorragia e sensibilidade.
ou sensibilidade, com perda estrutura envolvida. Há alguma Ocorre perda de função
mínima ou sem perda perda na mobilidade articular e articular e evidente mobilidade
funcional e sem instabilidade instabilidade articular de leve a articular anormal e
articular mecânica. moderada. instabilidade

Pela descrição podemos classificar :


Laceração de poucas fibras musculares de fibular curto → Distensão grau 1
Laceração de aproximadamente metade do ligamento talo fibular anterior → Entorse grau 2

Sugestão de revisão: RODRIGUES, Fábio Lucas; WAISBERG, Gilberto. Entorse de tornozelo. Revista da associação médica Brasileira, v. 55, n.
5, p. 510-511, 2009.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 115


165. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Paciente chega ao ambulatório com queixa de dor acentuada na região medial do
joelho direito, relatando ter sofrido uma queda dois dias antes. Relata ainda sensação de queimação na região
medial da mesma perna, que piora à noite. No exame físico, ao realizar a flexão resistida do joelho, a dor aumenta.
O quadro clínico relatado é sugestivo de
A) neuropraxia do nervo safeno.
B) lesão do corno posterior menisco medial.
C) lesão de ligamento cruzado anterior.
D) tendinite da pata-de-ganso.
E) distensão muscular do solear.
COMENTÁRIOS: Questão pouco confusa da banca, visto que na literatura o nervo safeno é puramente sensitivo.
Como o nervo safeno é puramente sensorial, uma lesão isolada nesse nervo não deve resultar em fraqueza. O
nervo safeno é o maior ramo cutâneo do nervo femoral. Este nervo viaja com a artéria e veia femoral superficial e
passa pelo canal adutor. Do canal adutor, continua em direção à pele da parte inferior medial da perna e do pé. O
assoalho do nervo safeno é composto pelo adutor longo e magno, e esse nervo se limita ântero-lateralmente ao
vasto medial. O nervo safeno inerva o sartório e o vasto medial. Pela descrição é correto afirmar item A correto!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 116


166. (FGV / FUNARTE / 2014) As lesões de tecido mole são classificadas em seus estágios agudos, subagudo e
crônico, de acordo com as características e sinais clínicos. É correto afirmar que:
A) no estágio agudo, os alongamentos não são indicados;
B) no estágio subagudo, os exercícios não devem ser realizados;
C) no estágio crônico, existe inflamação tardia;
D) no estágio agudo, a massagem deve ser contraindicada;
E) no estágio crônico, os exercícios de flexibilidade estão contra indicados.
COMENTÁRIOS: Questão clássica de Carolyn Kisner. Observe a imagem a seguir e detone a questão!

167. (FGV / FUNARTE / 2014) O comprometimento do espaço subacromial ou supra-umeral em decorrência de


função muscular inadequada, relações posturais e mecânica articular falhas, lesão de tecidos moles nessa região
ou anomalias estruturais do acrômio leva à Síndrome do Impacto. Neste espaço encontram-se as seguintes
estruturas anatômicas:
A) músculo infraespinal e bursa subdeltóidea;
B) músculo deltoide e bursa subacromial;
C) músculo supraespinal e bursa subdeltóidea;
D) músculo supraespinal e porção longa do músculo bíceps braquial;
E) músculo infraespinal e bursa subacromial.
COMENTÁRIOS: A síndrome do impacto no ombro consiste em uma patologia de compressão de alguma
estrutura no ombro ou de atrito mecânico, caracterizada pela inflamação ou degeneração na região
umeroacromial. As estruturas mais afetadas na síndrome do impacto no ombro são o tendão supra-espinhal, o
tendão do bíceps, a bursa subacromial e a articulação acromioclavicular, nas quais podem ocorrer lesões,
compressão ou impacto.

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 117


168. (FGV / SUSAM-AM / 2014) Com relação à escoliose, assinale V para a afirmativa verdadeira e F para a falsa.
( ) A amiotonia congênita pode ser uma das causas da escoliose estrutural.
( ) A escoliose histérica é classificada como escoliose não estrutural permanente.
( ) A direção da curva é designada de acordo com a concavidade primária da escoliose. As afirmativas são,
respectivamente,
A) F, V e F.
B) F, V e V.
C) V, F e F.
D) V, V e F.
E) F, F e V.
COMENTÁRIOS: A escoliose é um desvio da coluna no plano frontal acompanhado de uma rotação e de uma
gibosidade. Esse desvio postural pode ser classificado de acordo com a estruturação da curva em não-estruturada
ou estruturada.
1. Não-estruturada → Caracteriza-se pela flexibilidade e pelo potencial de reversão, uma vez corrigida a causa.
a) Escolioses posturais: frequentes em adolescentes, as curvas são leves e desaparecem por completo com a flexão da coluna
vertebral ou bem com o decúbito.
b) Escolioses secundárias e dismetria: a diferente longitude dos membros inferiores levam a uma obliqüidade pélvica e
secundariamente a uma curva vertebral. A curva desaparece quando o paciente senta-se ou ao compensar a dismetria com a
alça do sapato correspondente.
2) Escoliose estruturada transitoriamente:
a) Escoliose ciática: secundária a uma hérnia discal, pela irritação das raízes nervosas. Na cura da lesão desaparece a curva.
b) Escoliose histérica: requer tratamento psiquiátrico.
c) Escoliose inflamatória: em casos de apendicite ou bem abscessos perinefrítico.
3. Estruturada → Caracterizada pela fixação ou rigidez da deformidade.
a) Escoliose idiopática: hereditária na maioria dos casos. Provavelmente se trata de uma herança multifatorial. É o grupo mais
frequente das escolioses.
Analisando os quesitos podemos constatar:
(VERDADEIRO) → A amiotonia congênita pode ser uma das causas da escoliose estrutural.
Doenças neuromusculares apresentam escoliose estrutural.
(FALSO) → A escoliose histérica é classificada como escoliose não estrutural permanente.
Esse tipo de escoliose é classificada como estrutural transitória.
(FALSO) → A direção da curva é designada de acordo com a concavidade primária da escoliose.
Direção da curva é pela CONVEXIDADE!

169. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Assinale a opção que indica a estrutura que é acometida pela doença de Iselin,
comumente encontrada em crianças mais velhas que praticam atividade esportiva.
A) Patela
B) Polegar
C) Quarto metacarpo
D) Quinto metatarso
E) Calcâneo
COMENTÁRIOS: Patologia pouco cobrada em provas de concurso, portanto revise alguns tópicos essenciais
conforme a tabela a seguir:
DOENÇA DE ISELIN
Definição É uma apofisite da placa de crescimento da base do 5º metatarso.
Sintomatologia Dor relacionada com atividade, localizada na base do 5º metatarso.
Exames de Imagem As radiografias podem excluir outras causas de dor na parte lateral do pé.
Diagnóstico Diferencial Fratura do tipo Salter; Fratura de Jones; Osteomielite; Tendinite fibular curto.
DICA: ISELIN → QUINTO METATARSO

Sugestão de leitura: SKINNER, Harry B.; MCMAHON, Patrick J. CURRENT: Diagnóstico e tratamento: Ortopedia-5. AMGH Editora, 2014.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 118


170. (FGV / SUSAM-AM / 2014) Com relação à artrite reumatoide, analise as afirmativas a seguir.
I. Trata‐se de uma doença sistêmica e autoimune que se caracteriza por sinovite erosiva crônica, espessamento e
inflamação da membrana sinovial.
II. Tem início insidioso com rápida progressão dos sintomas, incapacitando os doentes em poucos dias de
instalação.
III. As alterações articulares são reversíveis se a doença regride em um ano e não ocorreram deformidades
estruturais. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
E) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
COMENTÁRIOS: A artrite reumatoide (AR) é uma doença sistêmica, autoimune, de evolução crônica, caracterizada
pelo acometimento simétrico das articulações periféricas, sobretudo dos pés e das mãos. As deformidades mais
comuns da AR são:
Dedo em botoeira → hiperextensão das metacarpofalangeanas, flexão de articulações interfalangeanas proximais
é hiperextensão de articulações interfalangeanas distais.
Dedo em pescoço de cisne → hiperextensão da interfalângica proximal e flexão da interfalângica distal.
Dedo em martelo → deformidade do dedo causada por um traumatismo que lesiona o tendão extensor da
falange distal, acarretando flexão da interfalângica distal. Observe os itens a seguir:
I - VERDADEIRO→ Trata‐se de uma doença sistêmica e autoimune que se caracteriza por sinovite erosiva crônica,
espessamento e inflamação da membrana sinovial.
Conceito e fisiopatologia da AR.
II - FALSO → Tem início insidioso com rápida progressão dos sintomas, incapacitando os doentes em poucos dias
de instalação.
O início da artrite reumatóide geralmente é insidioso, começando com sintomas sistêmicos e articulares. Os
sintomas sistêmicos incluem: rigidez matutina das articulações afetadas, fadiga generalizada à tarde e mal-estar,
anorexia, fraqueza geral e, ocasionalmente, febre baixa. Os sintomas articulares incluem dor, edema e rigidez.
Incapacidade desses indivíduos é de evolução crônica!
III - VERDADEIRO → As alterações articulares são reversíveis se a doença regride em um ano e não ocorreram
deformidades estruturais.
As manifestações articulares da AR podem ser reversíveis em sua fase inicial, porém a sinovite persistente não
controlada determina destruição óssea e cartilaginosa, lesões tendinosas e ligamentares irreversíveis.

Sugestão de artigo: MOTA, Licia Maria Henrique da et al. Diretrizes para o diagnóstico da artrite reumatoide. Revista Brasileira de
Reumatologia, v. 53, p. 141-157, 2013.

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 119


171. (FGV / OSASCO-SP / 2014) A artrite reumatoide provoca diversas alterações nas estruturas do esqueleto
humano. Com relação a essas alterações, assinale V para a afirmativa verdadeira e F para a Falsa.
( ) Espessamento na cartilagem
( ) Erosão óssea
( ) Enfraquecimento muscular. As afirmativas são, respectivamente,
A) F, V e F.
B) F, V e V.
C) V, F e V.
D) V, V e F.
E) F, F e V.
COMENTÁRIOS: A artrite reumatoide (AR) é uma doença inflamatória sistêmica, crônica e progressiva, que
acomete preferencialmente a membrana sinovial das articulações, podendo levar à destruição óssea e
cartilaginosa. A queixa clínica é de dor, inchaço e limitação dos movimentos das articulações acometidas. Ao
exame físico, observa-se presença de dor, aumento de volume das articulações, derrame intra-articular, calor e,
eventualmente, rubor. Vamos corrigir os itens a seguir:
(FALSO) → Espessamento na cartilagem
Cuidado, o espessamento é da MEMBRANA SINOVIAL!
(VERDADEIRO) → Erosão óssea
A evolução da AR leva a destruição ou erosão óssea.
(VERDADEIRO) → Enfraquecimento muscular
Diante da sintomatologia e progressão da doença é uma consequência o déficit muscular nesses pacientes.

172. (FGV / CUIABÁ-MT / 2015) Alguns pacientes com artrite reumatoide podem apresentar síndrome de Sjogren.
Essa síndrome é caracterizada por
A) lacrimejamento, mialgias e nódulos articulares.
B) leucopenia, cefaleia e hepatosplenomegalia.
C) ressecamento nos olhos, boca e outras mucosas.
D) leucopenia, edema e conjuntivite.
E) xerostomia, dor e parestesia crural.
COMENTÁRIOS: Enfermidade pouquíssimo explorada pelas bancas de concurso, por isso iremos revisar alguns
tópicos essenciais da Síndrome de Sjogren.
SÍNDROME DE SJOGREN
É uma doença sistêmica inflamatória crônica, de provável etiologia auto-imune, com
Definição
distribuição mundial.
As glândulas lacrimais e salivares são os principais órgãos afetados pela infiltração
linfo-plasmocitária, originando disfunções que desencadeiam quadro clássico de
Sintomatologia xeroftalmia (olhos secos) e xerostomia (boca seca). Outras glândulas exócrinas
também podem ser acometidas como o pâncreas, glândulas sudoríparas, glândulas
mucosas dos tratos respiratório, gastrointestinal e urogenital.
Para a confirmação do diagnóstico, além de todos os sintomas já mencionados o
paciente deverá apresentar alterações laboratoriais (exames de sangue), radiológicos
Diagnóstico
e/ou anátomo-patológicos (biópsia das glândulas salivares menores feita no lábio)
e/ou de medicina nuclear (cintilografia das glândulas parótidas).
Oculares, orais, musculoesqueléticas, respiratórias, genitourinárias, cutâneas,
Manifestações
vasculares e psiquiátricas.

Sugestão de artigo: FELBERG, Sergio; DANTAS, Paulo Elias Correa. Diagnóstico e tratamento da síndrome de Sjögren. Arquivos brasileiros
de oftalmologia, v. 69, n. 6, p. 959-963, 2006.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 120


173. (FGV / FUNARTE / 2014) A Osteoartrite (OA) e a Artrite Reumatoide (AR) são lesões articulares frequentes e
têm características distintas quanto ao envolvimento articular, aos sinais e aos sintomas articulares e sistêmicos;
são elas:
A) a OA afeta muitas articulações, apresenta rigidez matinal e nódulos reumatoides;
B) a AR afeta muitas articulações, apresenta edema e febre;
C) a OA afeta poucas articulações, com rigidez matinal prolongada e edema;
D) a AR apresenta sinovite inflamatória e nódulos inflamatórios, sem sinais sistêmicos;
E) a OA apresenta, em geral, rigidez matinal por menos de 30 minutos, edema e nódulos reumatoides.
COMENTÁRIOS: Cuidado com essas duas enfermidades reumatológicas, pois são extremamente cobradas nas
provas! Portanto, observe o “esquema preferido” a seguir
ARTRITE REUMATÓIDE OSTEOARTROSE/OSTEOARTRITE
Sendo a idade média geralmente entre 50 e 55 >50 anos e em mulheres;
anos; Início gradativo, com dores articulares geralmente
História de dor bilateral e simétrica; piorando com atividades físicas e levantamento de
Poliarticular; Inchaço das articulações pequenas das peso;
mãos e pés por >6 semanas; Dor na articulação não aparece em período de
Rigidez matinal que dura >1 hora; repouso ou à noite; (dor à noite pode ser um
Nódulos reumatoides sobre as superfícies alerta para uma etiologia diferente ou gravidade);
extensoras dos tendões ou envolvimento da pele Rigidez matinal por <30 minutos;
vasculítica, podem ser observadas, mas são menos Normalmente, não se apresenta de forma
comuns; simétrica;
Deformidade de pescoço de cisne é observada em Inchaço na articulação ou dificuldades funcionais;
AR avançada (raro ultimamente devido ao Pode ser mono ou poliarticular;
tratamento); Locais mais comuns são: 1º CMP, IFP e IFD, coluna
Locais mais comuns: MCF, IFP, MTF, punhos, vertebral, joelho e coxofemorais;
cotovelos, ombros e joelhos; Achados sistêmicos: Deformidades ósseas; Sem achados sistêmicos;
febre baixa, anorexia, emagrecimento, fadiga, Amplitude de movimentos limitada (amplitude de
adenomegalia. movimento articular ativa como a passiva).

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 121


174. (UFRN / Técnico-administrativo / 2017) Os exames de imagem das articulações de pacientes com artrite
reumatóide ajudam a entender o comprometimento funcional desses doentes. Em relação à radiografia de mãos
de pacientes com artrite reumatóide, analise as afirmativas abaixo.
I A lesão em saca bocado e a dactilite são encontradas de maneira tardia nas radiografias.
II A osteopenia periarticular, as deformidades e erosões marginais são achados esperados nessas radiografias.
III A esclerose subcondral e osteófitos marginais ocorrem de maneira precoce nas radiografias.
IV O desalinhamento articular e o aumento de tecidos moles são achados de exame nessas radiografias.
Em relação ao exposto, são verdadeiras as afirmativas:
A) II e III.
B) II e IV
C) I e II.
D) I e III.
COMENTÁRIOS: A Artrite Reumatóide é uma doença autoimune inflamatória e crônica, sendo caracterizada por
sinovite com envolvimento preferencial de articulações de mãos e punhos, de caráter simétrico e aditivo. As
manifestações clínicas da AR podem ter início em qualquer idade, embora sejam observadas com mais frequência
na quarta e quinta décadas de vida. As articulações mais frequentemente afetadas são as sinoviais periféricas,
como metacarpo e metatarsofalangianas, tornozelos e punhos. No entanto, também pode haver
comprometimento de joelhos, ombros, cotovelos e quadris. Além dos sintomas articulares, manifestações
extra-articulares são observadas em aproximadamente 50% dos pacientes, sendo a síndrome de Sjögren a mais
comum. Outra manifestação extra articular típica da AR é os nódulos reumatoides, nódulos de Heberden (IF distal)
e Bouchard (IF proximal). O diagnóstico da AR é estabelecido considerando-se achados clínicos e exames
complementares. Nenhum teste isolado, seja laboratorial, de imagem ou histopatológico, confirma o diagnóstico.
Observe os itens seguir:
I (FALSO) → A lesão em saca bocado e a dactilite são encontradas de maneira tardia nas radiografias.
Essas manifestações acometem pessoas com síndrome de Reiter, esta é uma doença inflamatória pertencente ao
grupo das espondiloartropatias soronegativas, doenças assim conhecidas pela ausência do fator reumatoide.
II (VERDADEIRO) → A osteopenia periarticular, as deformidades e erosões marginais são achados esperados
nessas radiografias.
Dentre outros achados radiográficos podemos citar no estágio inicial o aumento de partes moles periarticulares de
forma fusiforme e simétrica, refletindo a sinovite, congestão e edema da membrana. Com a progressão da doença,
a proliferação sinovial que destrói a superfície condral promove redução do espaço articular e erosões ósseas
subcondrais marginais e centrais. Em estágios mais avançados, subluxações, deformidades e anquilose óssea
podem ser vistas na radiografia, representando a perda da função articular.
III (FALSO) → A esclerose subcondral e osteófitos marginais ocorrem de maneira precoce nas radiografias.
Esses achados são encontrados tardiamente nos exames radiográficos da AR.
IV (VERDADEIRO) → O desalinhamento articular e o aumento de tecidos moles são achados de exame nessas
radiografias.

175. (FGV / SUSAM-AM / 2014) A fisiologia do envelhecimento se caracteriza por alterações bem definidas ao
longo da idade avançada. A respeito dessas características, analise as afirmativas a seguir.
I. No envelhecimento pode ser observado, no ligamento cruzado anterior, o aumento de enxofre e a diminuição de
cálcio, fósforo e magnésio.
II. No envelhecimento há diminuição da taxa metabólica basal e da massa muscular esquelética.
III. No envelhecimento há perda da elasticidade e redução da complacência arterial. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
E) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 122


COMENTÁRIOS: O envelhecimento normal leva a várias modificações fisiológicas em todo o organismo, havendo
uma relevância de doenças crônicas nestes indivíduos, que constituem a maior parcela de pessoas que necessitam
de atendimento nos serviços de saúde.

Analisando os itens:
I - FALSO → No envelhecimento pode ser observado, no ligamento cruzado anterior, o aumento de enxofre e a
diminuição de cálcio, fósforo e magnésio.
Envelhecimento causa redução da acidez gástrica, levando a menor absorção de vitamina B12, ferro, cálcio, ácido
fólico e zinco.
II - VERDADEIRO → No envelhecimento há diminuição da taxa metabólica basal e da massa muscular esquelética.
Processo evolutivo chamado sarcopenia.
III - VERDADEIRO → No envelhecimento há perda da elasticidade e redução da complacência arterial.
Uma das principais alterações fisiológicas decorrentes do envelhecimento.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 123


176. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) Leia o fragmento a seguir. “A redução da função cardiovascular ‐
_____ ‐ em função da idade, que pode ser observada durante o esforço, é atribuída, dentre várias alterações à
_____, aumento da massa adiposa, da frequência cardíaca, frente a um esforço _____.” Assinale a alternativa
cujos itens completam corretamente as lacunas da afirmativa acima.
A) VO2 Max – osteoporose – médio
B) VO2 Min – osteopenia – máximo
C) VO Max– sarcopenia – mínimo
D) VO2 Min – osteopenia – médio
E) VO2 Max – sarcopenia – máximo
COMENTÁRIOS: Questão teoricamente fácil! As alterações fisiológicas decorrentes da idade incluem também uma
redução na função cardiovascular, acompanhado de menor elasticidade da rede vascular periférica, além de um
decréscimo no consumo de oxigênio (VO2max), processo este decorrente da perda de massa muscular chamado
SARCOPENIA. Este aumento no tempo de esforço (esforço máximo) e na capacidade de resistência em função do
treinamento de força é acompanhado por um aumento no consumo de oxigênio (VO2 máx.)
Muitas pesquisas têm demonstrado que durante o processo de envelhecimento, características fisiológicas, tais
como, a diminuição do consumo máximo de oxigênio (VO2máx), redução no volume de ejeção, diminuição do
débito cardíaco, alteração da frequência cardíaca de repouso e máxima, diminuição da diferença artério-venosa,
aumento da pressão arterial, obtenção prematura do limiar anaeróbio e perda de força muscular, entre outros,
são fatores que podem gerar a perda da funcionalidade das pessoas que atingem a terceira idade.

Sugestão de revisão: http://www.portaldoenvelhecimento.com/acervo/artieop/Geral/artigo3.htm

177. (FGV / OSASCO-SP / 2014) Com relação à osteoporose (OP), analise as afirmativas a seguir.
I. Não possui sinais clínicos patognômicos.
II. A etnia negra é um fator de risco mais valorizado.
III. A TRH é eficiente na prevenção da OP pós-menopausa. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
E) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
COMENTÁRIOS: A osteoporose é uma doença caracterizada pela fragilidade óssea e alterações na sua
microarquitetura, tem como desfecho clínico mais importante a ocorrência de fraturas por baixo impacto e afeta
mais de 200 milhões de pessoas em todo o mundo. A osteoporose não apresenta manifestações clínicas
específicas até que ocorra a primeira fratura. Portanto, a história clínica e o exame físico detalhados devem ser
feitos em todos os pacientes com o objetivo de identificar fatores que possam contribuir para a perda de massa
óssea, bem como avaliar fatores preditivos para futuras fraturas e excluir causas secundárias de osteoporose.
Alguns fatores de risco são passíveis de reversão.
Os fatores de risco mais importantes relacionados à osteoporose e a fraturas na pós-menopausa são: idade,
sexo feminino, etnia branca ou oriental, história prévia pessoal e familiar de fratura, baixa DMO do colo de fêmur,
baixo índice de massa corporal, uso de glicocorticoide oral (dose ≥ 5,0 mg/dia de prednisona por período superior
a três meses), fatores ambientais, inclusive o tabagismo, ingestão abusiva de bebidas alcoólicas (≥ três unidades
ao dia), inatividade física e baixa ingestão dietética de cálcio.
I - VERDADEIRO → Não possui sinais clínicos patognômicos.
Patognomônico: sinal ou sintoma característico de determinada doença.
II - FALSO → A etnia negra é um fator de risco mais valorizado.
Um dos fatores de risco para OA é etnia branca ou oriental
III - VERDADEIRO → A TRH é eficiente na prevenção da OP pós-menopausa.
Os estrogênios desempenham papel anti reabsortivo importante no metabolismo ósseo das mulheres na
pré-menopausa. O hipoestrogenismo, que ocorre após a menopausa, promove perda acelerada de massa óssea,
mas pode ser atenuado com uso de terapia de reposição hormonal (TRH).

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 124


178. (AOCP / Prefeitura de João Pessoa-PB / 2021) Assinale a alternativa que apresenta a célula responsável pela
reabsorção do tecido ósseo no processo de remodelação óssea e que pode se apresentar com função exacerbada
em pacientes com osteoporose.
A) Condroblastos.
B) Osteossíntese.
C) Osteócito.
D) Osteoblasto.
E) Osteoclasto.
COMENTÁRIOS: Fisiologicamente o osso é continuamente depositado por osteoblastos e absorvido nos locais
onde os osteoclastos estão ativos. Normalmente, a não ser nos ossos em crescimento, há equilíbrio entre
deposição e absorção óssea; na osteoporose existe desproporção entre atividade osteoblástica e osteoclástica,
com predomínio da última.
Osteócitos → Esses se localizam nas popularmente conhecidas lacunas, que nada mais são do que cavidades na
matriz óssea. Estas são capazes de ceder espaço para somente um osteócito. A comunicação entre essas células
ocorre entre os canalículos e realizam trocas de moléculas e íons através das junções celulares gap.
Osteoblasto → Responsável pela produção orgânica na matriz óssea, essas células têm a função de depósito de
fosfato de cálcio e assim integram a mineralização da matriz. A localização dessas se dá lado a lado uma da outra
na superfície óssea.
Osteoclasto → Células consideradas volumosas, móveis e bastante ramificadas, estas são dotadas de diversos
núcleos, contendo citoplasma granuloso, em alguns casos com vacúolos. Elas são pouco basófilas quando jovens e
acidófilas quando adultas. Responsáveis pela reabsorção do tecido ósseo.

Sugestão de artigo: RADOMINSKI, Sebastião Cézar et al. Diretrizes brasileiras para o diagnóstico e tratamento da osteoporose em mulheres
na pós-menopausa. Revista Brasileira de Reumatologia, v. 57, p. s452-s466, 2017.
GALI, Julio Cesar. Osteoporosis. Acta Ortopédica Brasileira, v. 9, p. 53-62, 2001.

179. (FGV / FUNARTE / 2014) Com relação às adaptações fisiológicas ao treinamento de endurance
cardiorrespiratória, assinale V para a afirmativa verdadeira e F para a falsa.
( ) O volume sistólico diminui.
( ) O débito cardíaco máximo diminui.
( ) A hemoglobina total aumenta. As afirmativas são, respectivamente,
A) F, V e F. B) F, V e V.
C) V, F e V. D) V, V e F.
E) F, F e V.
COMENTÁRIOS: O exercício físico gera estresse fisiológico no organismo ao elevar consideravelmente as
demandas energéticas em relação ao repouso. As atividades físicas podem ocasionar, por exemplo, adaptações
específicas na musculatura esquelética, como o aumento da massa muscular; adaptações cardiovasculares
morfológicas, como hipertrofia cardíaca, e funcionais, como bradicardias e alterações respiratórias, a exemplo do
aumento do consumo de oxigênio (VO2max), o qual pode ser causado pela elevação da taxa metabólica do
praticante.
Nesse sentido as adaptações cardiovasculares causadas pelo exercício aeróbio dinâmico se dão em sua maioria
pelo aumento da atividade nervosa simpática e pela redução da parassimpática, que ocorrem principalmente
por causa da ativação do comando central e de mecanorreceptores musculares e articulares, essas alterações
neurais resultam no aumento da frequência cardíaca, do volume sistólico e, consequentemente do débito
cardíaco, e ainda, durante a prática de exercício aeróbio ocorre vasodilatação na musculatura ativa provocada,
principalmente pela liberação de óxido nítrico, o que promove queda da resistência vascular periférica, dessa
forma, durante o exercício aeróbio observa-se aumento da pressão arterial sistólica e manutenção ou queda da
pressão arterial diastólica. O aumento na capacidade de transporte e consequente oferta de O2 é devido ao maior
número de hemoglobinas, que ocorre como adaptação ao treinamento, aumenta o VO2 máx.

Sugestão de revisão: ANDRELLA, J. L; NERY, S. S. Respostas e adaptações cardiovasculares ao treinamento resistido dinâmico.
EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires - Año 17 - Nº 168 - Mayo de 2012.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 125


180. (FGV / FUNARTE / 2014) Às diretrizes de tratamento para a reabilitação pós-operatória, incluindo
comprometimentos comuns que precisam ser abordados, prevêm um plano de tratamento. Com a sugestão de
metas e intervenções para cada fase da reabilitação (fase de proteção máxima, fase de proteção moderada e fase
de proteção mínima), com o objetivo de manter e ganhar a mobilidade articular e de tecidos moles, prevenindo
sua rigidez, os recursos indicados , respectivamente, para cada fase descrita são:
A) exercícios isométricos, exercícios em cadeia cinética aberta e mobilização articular;
B) alongamento, cinesioterapia passiva e mobilização articular;
C) alongamento, exercícios em cadeia cinética aberta e exercícios em cadeia cinética fechada;
D) mobilização passiva contínua no pós operatório imediato, cinesioterapia ativa assistida e auto alongamento;
E) alongamento, cinesioterapia resistida e treino de equilíbrio e coordenação.
COMENTÁRIOS: Questão de bom senso e lógica candidato:
Fase de proteção máxima → mobilização passiva contínua no pós-operatório imediato.
Fase de proteção moderada → cinesioterapia ativa assistida.
Fase de proteção mínima → Auto Alongamento.

181. (FGV / OSASCO-SP / 2014) Com relação ao infarto agudo do miocárdio (IAM), analise as afirmativas a seguir.
I. Nos IAM não-Q ocorre maior necrose do tecido miocárdico do que nos transmurais do miocárdio.
II. Alterações na onda T ou no segmento ST, associadas a onda Q, no ECG, podem significar IAM recente.
III. A sensação de pressão na região epigástrica, com duração acima de 30 minutos, é um sintoma de IAM.
Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
E) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
COMENTÁRIOS: O termo infarto agudo do miocárdio (IAM) significa basicamente a morte de cardiomiócitos, que
resulta quase sempre da aterosclerose coronariana com oclusão das artérias coronárias, é uma afecção isquêmica
do miocárdio que acarreta necrose secundária a redução do fluxo sanguíneo coronário de um segmento do
miocárdio. O quadro clínico é caracterizado por dor precordial em aperto, irradiada para o membro superior
esquerdo, de grande intensidade e prolongada (maior do que 20 minutos), que não melhora ou apenas tem
alívio parcial com repouso ou nitratos sublinguais. A irradiação para mandíbula, membro superior direito, dorso,
ombros e epigástrio também é possível. Em pacientes diabéticos, idosos ou no período pós-operatório, o infarto
pode ocorrer na ausência de dor, mas com náuseas, mal-estar, dispnéia, taquicardia ou até confusão mental.
O infarto pode ser: Transmural e Não transmural.
Infartos transmurais envolvem toda a espessura do miocárdio, do epicárdio ao endocárdio, e costumam ser
caracterizados por ondas Q anormais no ECG.
Os infartos não transmurais (como os subendocárdicos) não atravessam a parede ventricular e provocam apenas
alterações no segmento ST e na onda T (ST-T). Normalmente, os infartos subendocárdicos envolvem o terço
interno do miocárdio, onde a tensão de parede é mais elevada e o fluxo sanguíneo miocárdico é mais vulnerável
às alterações circulatórias. Tais infartos podem ocorrer após hipotensão prolongada.
Analisando os itens podemos afirmar:
I - FALSO → Nos IAM não-Q ocorre maior necrose do tecido miocárdico do que nos transmurais do miocárdio.
Infartos transmurais envolvem toda a espessura do miocárdio, do epicárdio e endocárdio,
II - VERDADEIRO → Alterações na onda T ou no segmento ST, associadas à onda Q, no ECG, podem significar IAM
recente.
Os principais achados no ECG .
III - VERDADEIRO → A sensação de pressão na região epigástrica, com duração acima de 30 minutos, é um
sintoma de IAM.
Geralmente, o primeiro sintoma do infarto é a dor subesternal, visceral e profunda, descrita como dor ou pressão,
irradiada para dorso, mandíbula, braço esquerdo ou direito, ombros ou todas essas áreas.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 126


182. (FGV / FUNARTE / 2014) O tratamento cirúrgico de condições musculoesqueléticas engloba muitos
procedimentos operatórios e envolvem grande variedade de tecidos e estruturas. O fisioterapeuta ao receber
estes pacientes deve ter o conhecimento sobre que tipo de intervenção foi realizado para estabelecer seus
critérios de avaliação e condutas. Entre os métodos cirúrgicos para reconstrução ou substituição tecidual,
utilizados na reabilitação das lesões musculoesquelética, podem-se citar:
A) meniscectomia, artroplastia e tenorrafia;
B) artrodese, miotomia e sinovectomia;
C) tenoplastia, condroplastia e artroplastia;
D) capsulectomia, condroplastia e artrodese;
E) tenólise, condroplastia e capsulotomia.
COMENTÁRIOS: Cuidado com esses termos relacionados às condições musculoesqueléticas. Vamos aos termos:
PLASTIA → processo cirúrgico destinado a reparar ou restaurar um órgão. Portanto, métodos cirúrgicos para
reconstrução ou substituição tecidual → tenoplastia, condroplastia e artroplastia.
Ectomia: significa retirar parcial ou totalmente um órgão. Ex: Capsulectomia.
Rafia: significa sutura. Ex: Tenorrafia.
Dese: Do gr. désis, ação de ligar. Ex. artrodese – fixação cirúrgica de uma articulação.

183. (GS ASSESSORIA E CONSULTORIA / Prefeitura de Saltinho-SC / 2021) Acerca da FISIOTERAPIA NO PRÉ E PÓS
OPERATÓRIO DE CIRURGIAS TORÁCICAS marque V ou F e assinale a alternativa correta:
( ) A cirurgia torácica não-cardíaca abrange o tratamento das doenças que afetam os órgãos da cavidade torácica e
pode ser utilizada, também, como via de acesso ao abdome.
( ) A fisioterapia deve começar no pré-operatório através do conhecimento da história clínica e exame físico,
identificando os fatores de risco e o planejamento do pós-operatório, o que reduz significativamente a evolução
desfavorável, devido às complicações pulmonares.
( ) A reabilitação é um componente essencial antes do transplante pulmonar, cirurgia redutora de volume,
ressecção pulmonar e qualquer outra cirurgia torácica eletiva.
( ) Reabilitar o paciente, de forma parcial ou total, e possibilitar a continuidade do cuidado com intervenções
terapêuticas que permitam o restabelecimento de suas funções e atividades, promovendo autonomia e
independência funcional, bem como a recuperação de suas sequelas.
( ) Avaliar, de forma global, por meio de atuação interdisciplinar, as necessidades do paciente, considerando sua
situação de dependência e os seus objetivos de funcionalidade e autonomia definidos periodicamente.
A) V,F,V,F,V
B) V,V,V,V,F
C) F,V,F,V,F
D) V,V,V,V,V
COMENTÁRIOS: A fisioterapia pode integrar o tratamento dos pacientes no pós-operatório, utilizando-se de
diversas técnicas, as quais visam contribuir para amenizar a deterioração funcional do paciente. A cinesioterapia
respiratória visa melhorar o padrão respiratório, aumentar a expansão pulmonar, a força dos músculos
respiratórios, a capacidade residual funcional e o volume de reserva inspiratório prevenindo ou tratando as
complicações pulmonares. Além disso, auxilia no posicionamento geral e na mobilidade na cama, auxilia na
deambulação precoce do paciente, prevenção de limitação da amplitude de movimento ou postura viciosa
secundária às incisões ou tubos, alívio da dor, a oxigenoterapia ideal e a umidificação são de grande importância.
As principais complicações pulmonares encontradas no pós-operatório são em primeiro lugar pneumonia (34%),
seguida por atelectasia (24%), broncoespasmo (17%), insuficiência respiratória aguda (13%), ventilação
mecânica e entubação (9%), e infecção brônquica (2%). Analisando os itens podemos resolver com:

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 127


(VERDADEIRO) → A cirurgia torácica não-cardíaca abrange o tratamento das doenças que afetam os órgãos da
cavidade torácica e pode ser utilizada, também, como via de acesso ao abdome.
(VERDADEIRO) → A fisioterapia deve começar no pré-operatório através do conhecimento da história clínica e
exame físico, identificando os fatores de risco e o planejamento do pós-operatório, o que reduz significativamente
a evolução desfavorável, devido às complicações pulmonares.
(VERDADEIRO) → A reabilitação é um componente essencial antes do transplante pulmonar, cirurgia redutora de
volume, ressecção pulmonar e qualquer outra cirurgia torácica eletiva.
(VERDADEIRO) → Reabilitar o paciente, de forma parcial ou total, e possibilitar a continuidade do cuidado com
intervenções terapêuticas que permitam o restabelecimento de suas funções e atividades, promovendo
autonomia e independência funcional, bem como a recuperação de suas sequelas.
(VERDADEIRO) → Avaliar, de forma global, por meio de atuação interdisciplinar, as necessidades do paciente,
considerando sua situação de dependência e os seus objetivos de funcionalidade e autonomia definidos
periodicamente.

Sugestão de artigo: ZANCAN, Mariana; FOZZA, Franciele Cristine. Fisioterapia no pré e pós-operatório de cirurgia abdominal e torácica.
EFDeportes, v. 18, n. 179, p. 1, 2013.
SILVA, Daísa Carla Bezerra; DA SILVA FILHO, Luciano Santos. Fisioterapia respiratória no pós-operatório de cirurgia abdominal alta: uma
revisão de literatura. Revista de Atenção à Saúde (ISSN 2359-4330), v. 16, n. 55, p. 115-123, 2018.

184. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) Os cuidados pós‐operatórios de uma cirurgia cardíaca são
realizados por uma equipe multiprofissional, ainda no centro cirúrgico. Após uma avaliação criteriosa e bem
fundamentada, o fisioterapeuta irá intervir de acordo com as necessidades e possibilidades do paciente. A esse
respeito, analise as afirmativas a seguir.
I. O nível de pressão inspiratória final para recrutamento alveolar não deve ser menor que 80 cm H2O.
II. As manobras de recrutamento alveolar contribuem para a diminuição do shunt intrapulmonar.
III. A aplicação de PEEP isolada pode ser utilizada na tentativa de melhorar a troca gasosa. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
E) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
COMENTÁRIOS: As principais cirurgias cardíacas mais realizadas em pacientes adultos são a revascularização
miocárdica, o tratamento das doenças orovalvares e o tratamento de doenças da aorta. A fisioterapia no pré e
pós-operatório faz parte do tratamento de pacientes sujeitos a cirurgias cardíacas, agindo principalmente nas
subpopulações que apresentam maior risco de desenvolver complicações cardiorrespiratórias pós-operatórias.
Esse atendimento abrange diversas técnicas e as mais comumente utilizadas no período do pós-operatório
imediato incluem exercícios de deambulação precoce, cinesioterapia, posicionamento, padrões ventilatórios e
estímulo à tosse. Utilizando o bom senso e a lógica na resolução da questão podemos observar:
I - FALSO → O nível de pressão inspiratória final para recrutamento alveolar não deve ser menor que 80 cm H2O.
Nem precisa dizer absurdo de usar peep < 80! Desnecessário ?!
II - VERDADEIRO → As manobras de recrutamento alveolar contribuem para a diminuição do shunt intrapulmonar.
Uso da pressão positiva é indicada nas alterações de ventilação-perfusão ou shunt pulmonar, com consequente
hipoxemia e atelectasia.
III - VERDADEIRO → A aplicação de PEEP isolada pode ser utilizada na tentativa de melhorar a troca gasosa.
Para otimizar as trocas é realizada utilização de pressão positiva nas vias aéreas (CPAP), como forma de reversão.

Sugestão de Revisão: SOARES, Jainy Lima; DE SOUSA, Anderson Moura Bonfim; DA SILVA MEDEIROS, Joelson. Tratamento Fisioterapêutico
no pré e pós-operatório de cirurgia cardíaca: revisão integrativa. Revista Ciência & Saberes-UniFacema, v. 3, n. 3, p. 624-629, 2017.
OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 128


185. (FGV / SUSAM-AM / 2014) Após uma cirurgia torácica ou abdominal, a tosse deve ser assistida para evitar
dor e outros possíveis prejuízos decorrentes deste ato. A respeito desses procedimentos, assinale V para a
afirmativa verdadeira e F para a falsa.
( ) Elevar a cabeceira da cama para aumentar a vantagem inspiratória na fase inicial da tosse.
( ) Pressionar a caixa torácica inferior para cima e tossir, no caso de dor persistente.
( ) Posicionar o paciente em decúbito lateral com flexão dos membros inferiores. As afirmativas são,
respectivamente,
A) F, V e F.
B) F, V e V.
C) V, F e V.
D) V, V e F.
E) F, F e V.
COMENTÁRIOS: Questão confusa e sem resposta adequada da banca. Na avaliação dos itens eles consideraram da
seguinte forma:
(*FALSO) → Elevar a cabeceira da cama para aumentar a vantagem inspiratória na fase inicial da tosse.
Contudo podemos observar que a tosse pode ser assistida através de uma manobra simultânea de compressão da
base do tórax e/ou do abdómen, de forma a acelerar o fluxo aéreo e torná-la mais eficaz. É preferencialmente
realizada na posição sentada. Indicada sobretudo em crianças, doentes debilitados ou fatigados. Na minha
avaliação consideraria este item CORRETO!

(VERDADEIRO) → Pressionar a caixa torácica inferior para cima e tossir, no caso de dor persistente.
(*VERDADEIRO) → Posicionar o paciente em decúbito lateral com flexão dos membros inferiores.
Item que discordamos do gabarito oficial, visto que esse posicionamento aumentaria a pressão intra abdominal, o
que é contra indicado neste pós-operatório.
*Gabarito oficial FGV

186. (CETREDE / Aquiraz-CE / 2017) Pacientes submetidos à cirurgia cardíaca desenvolvem, em sua maioria,
disfunção pulmonar pós-operatória com redução importante dos volumes pulmonares, prejuízos na mecânica
respiratória, diminuição na complacência pulmonar e aumento do trabalho respiratório. Sobre a atuação da
fisioterapia cardiorrespiratória, marque a alternativa INCORRETA.
A) A fisioterapia cardiorrespiratória é frequentemente utilizada na prevenção e no tratamento de complicações
pós-operatórias como retenção de secreções, atelectasias e pneumonia.
B) A fisioterapia pré-operatória em cirurgia cardíaca inclui avaliação funcional, orientação dos procedimentos a
serem realizados e a relação destes com a capacidade respiratória para recuperação do paciente, além de verificar
possíveis riscos de complicações respiratórias no pós-operatório.
C) A fisioterapia, apesar de necessária, não é frequentemente utilizada no pós-operatório de cirurgia cardíaca para
o tratamento de complicações pulmonares como atelectasia, derrame pleural e pneumonia, na tentativa de
acelerar o processo de recuperação da função pulmonar que ocorre normalmente apenas 45 dias após o
procedimento cirúrgico.
D) Alguns recursos podem ser utilizados para realizar a fisioterapia respiratória no pós-operatório, tais como
manobras fisioterapêuticas, pressão positiva contínua, pressão aérea positiva de dois níveis, pressão expiratória,
respiração intermitente com pressão positiva e incentivador respiratório que são seguros, fáceis de aplicar e
podem ser utilizados durante todo período pós-operatório.
PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 129
E) A fisioterapia respiratória é parte integrante na gestão dos cuidados do paciente cardiopata, atuando no
pré-operatório com técnicas específicas, como o treinamento muscular inspiratório por meio da espirometria de
incentivo, que visam à prevenção das complicações pulmonares e, no pósoperatório, com manobras de higiene e
reexpansão pulmonar como exercícios de respiração profunda e espirometria de incentivo.
COMENTÁRIOS: Pacientes submetidos à CC desenvolvem, em sua maioria, disfunção pulmonar pós-operatória
(PO) com redução importante dos volumes pulmonares, prejuízos na mecânica respiratória, diminuição na
complacência pulmonar e aumento do trabalho respiratório.
A redução dos volumes e capacidades pulmonares contribui para alterações nas trocas gasosas, resultando em
hipoxemia e diminuição na capacidade de difusão. Atelectasia e hipoxemia encontram-se entre as principais
complicações pulmonares no pós operatório de CC, porém, outras complicações como, tosse seca ou produtiva,
dispnéia, broncoespasmo, hipercapnia, derrame pleural, pneumonia, pneumotórax, reintubação e insuficiência
ventilatória também são observadas.
A fisioterapia respiratória é frequentemente utilizada na prevenção e tratamento de complicações pós-operatórias
como: retenção de secreções, atelectasias e pneumonia (Alternativa A).
A duração e frequência da fisioterapia respiratória para pacientes cirúrgicos são variadas, dependendo das
necessidades individuais, preferência terapêutica e prática institucional. A fisioterapia pré-operatória em cirurgia
cardíaca inclui avaliação funcional, orientação dos procedimentos a serem realizados e a relação destes com a
capacidade respiratória para recuperação do paciente, além de verificar possíveis riscos de complicações
respiratórias no pós-operatório (Alternativa B).
A FISIOTERAPIA É FREQUENTEMENTE utilizada no pósoperatório de cirurgias cardíacas para o tratamento de
complicações pulmonares como atelectasia, derrame pleural e pneumonia, na tentativa de acelerar o processo de
recuperação da função pulmonar, que ocorre normalmente apenas 15 DIAS após o procedimento cirúrgico,
observe que a banca apenas inseriu um NÃO e trocou 15 dias para 45 dias na alternativa C, fique atento para
esses termos trocados.
Alguns recursos podem ser utilizados para realizar a fisioterapia respiratória no pós-operatório de cirurgia
cardíaca, tais como manobras fisioterapêuticas, pressão positiva contínua, pressão aérea positiva de dois níveis,
pressão expiratória, respiração intermitente com pressão positiva e incentivador respiratório, que são seguros,
fáceis de aplicar e podem ser utilizados durante todo período pós-operatório (Alternativa D).
A fisioterapia respiratória é parte integrante na gestão dos cuidados do paciente cardiopata, tanto no pré quanto
no pós operatório, pois contribui significativamente para um melhor prognóstico desses pacientes, atuando no pré
operatório com técnicas que visam à prevenção das complicações pulmonares e, no pós-operatório com
manobras de higiene e reexpansão pulmonar (Alternativa E).

Sugestão de artigo: CAVENAGHI, Simone et al . Fisioterapia respiratória no pré e pós-operatório de cirurgia de revascularização do
miocárdio. Rev Bras Cir Cardiovasc, São José do Rio Preto , v. 26, n. 3, p. 455-461, Sept. 2011

187. (FGV / SUSAM-AM / 2014) A cardiopatia congênita complexa do tipo cianótica, que possui como morfologia
estenose pulmonar, defeito do septo interventricular, dextroposição da aorta e hipertrofia ventricular, é
denominada
A) insuficiência cardíaca. B) tetralogia de Fallot.
C) miocardiopatia. D) pericardite.
E) endocardite
COMENTÁRIOS: A Tetralogia de Fallot é considerada uma das cardiopatias congênitas cianóticas mais frequentes
na população pediátrica após o primeiro ano de vida. Sua fisiopatologia consiste de quatro características típicas:
Obstrução de saída do ventrículo direito (estenose pulmonar).
Dextroposição da aorta.
Comunicação entre os ventrículos (interventricular).
Hipertrofia do ventrículo direito.
As principais consequências hemodinâmicas da TF são shunt DE, redução do fluxo sanguíneo pulmonar e aumento
dos volumes aórticos. A gravidade clínica desta patologia irá depender em grande parte do grau obstrução do
fluxo de saída pulmonar.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 130


188. (IMPARH / Instituto José Frota-CE / 2016) As cardiopatias congênitas podem ser classificadas quanto ao fluxo
pulmonar. Crianças com tetralogia de Fallot e com defeito do septo atrioventricular apresentam, respectivamente:
A) hiperfluxo e hipofluxo pulmonares.
B) hipofluxo e hiperfluxo pulmonares.
C) normofluxo e hiperfluxo pulmonares.
D) hiperfluxo e normofluxo pulmonares.
COMENTÁRIOS: Muita atenção com esse tema sobre as cardiopatias congênitas visto que é cobrado em prova e
pode ocasionar dúvidas no momento da resolução. Nas cardiopatias de hiperfluxo pulmonar ou acianóticas há
um desbalanceamento nessa relação, o que permite que o sangue do lado esquerdo chegue ao lado direito
(Shunt E → D), causando assim, um maior aporte sanguíneo aos pulmões. Essa tendência do sangue se desviar
para o lado direito é explicada pela menor pressão dessas câmaras.
As cardiopatias de hipofluxo pulmonar ou cianótica são aquelas onde há uma diminuição do fluxo sanguíneo
pulmonar. Trata-se de uma grande variedade de cardiopatias, onde alterações na anatomia do coração fazem com
que o sangue se desvie do lado direito ao lado esquerdo (Shunt D → E) do coração. São cardiopatias complexas
onde a principal complicação é a diminuição do oxigênio circulante, a chamada hipoxemia, que leva ao sinal
característico dessas doenças que é a cianose – coloração arroxeada da pele decorrente da baixa saturação de
oxigênio no sangue.
Analisando a questão podemos afirmar que a tetralogia de Fallot por se tratar de cardiopatia cianótica apresenta
hipofluxo pulmonar, já o defeito do septo atrioventricular decorre com hiperfluxo pulmonar.
BIZU: hiperfluxo pulmonar → cardiopatia acianótica → Shunt E → D / hipofluxo pulmonar → cardiopatia
cianótica → Shunt D → E.

189. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) A atividade física é recomendada para grande parte da
população, inclusive com idade avançada, obviamente respeitando as limitações impostas por esta condição
fisiológica. Para as gestantes, por exemplo, existem riscos que devem ser considerados. Correlacione os riscos
maternos listados a seguir com os riscos fetais.
Maternos
1. Fadiga crônica
2. Hipoglicemia
3. Trabalho de parto pré‐termo
4. Complicações cardiovasculares
Fetais
( ) Peso reduzido ao nascer
( ) Angústia
( ) Hipóxia
( ) Malformações. Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo.
A) 3 – 1 – 2 – 4
B) 1 – 4 – 2 – 3
C) 4 – 2 – 3 – 1
D) 2 – 4 – 3 – 1
E) 4 – 3 – 2 – 1
COMENTÁRIOS: Questão de difícil literatura a respeito do assunto. Contudo analisando os itens, podemos associar
dois itens básicos e achar resolução:
3. Trabalho de parto pré‐termo → Peso reduzido ao nascer.
4. Complicações cardiovasculares → Malformações.

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 131


190. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) Relacione os tipos de incontinência urinária listados a seguir com
algumas de suas características ou com o respectivo tratamento.
1. Incontinência Mista
2. Incontinência de estresse
3. Incontinência funcional
4. Incontinência de urgência
( ) Pequeno vazamento de urina com a tosse e/ou espirro.
( ) Moderado ou grande vazamento de urina com ânsia de urinar.
( ) Fortalecimento para as extremidades inferiores.
( ) Vazamento variável de urina com o exercício, dentre outras situações. Assinale a alternativa que mostra a
relação correta, de cima para baixo
A) 3 – 1 – 2 – 4 B) 1 – 4 – 2 – 3 C) 4 – 2 – 3 – 1 D) 2 – 4 – 3 – 1 E) 4 – 3 – 2 – 1
COMENTÁRIOS: A incontinência urinária (IU) pode ser definida como qualquer perda involuntária de urina que
determine desconforto social ou higiênico e seja demonstrável de modo objetivo. Observe o quadro a seguir:

A incontinência funcional ocorre quando uma pessoa reconhece a necessidade de urinar, mas está impossibilitada
de ir ao banheiro devido a alguma doença ou complicação que a impede de chegar ao banheiro por conta própria.
Vamos correlacionar os itens a seguir:
(2 - Incontinência de estresse ou esforço) → Pequeno vazamento de urina com a tosse e/ou espirro.
(4 - Incontinência de urgência) → Moderado ou grande vazamento de urina com ânsia de urinar.
(3 - Incontinência funcional) → Fortalecimento para as extremidades inferiores (Pouco sem nexo da banca).
(1 - Incontinência Mista) → Vazamento variável de urina com o exercício, dentre outras situações.

OBS: Apenas sabendo o primeiro item já acharia a resposta da questão, item D!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 132


191. (IBFC / Prefeitura de Divinópolis - MG / 2018) Correlacione corretamente os tipos de incontinência urinária
descritos a seguir.
1. Incontinência urinária.
2. Incontinência urinária de esforço.
3. Incontinência urinária mista.
4. Incontinência por urgência.
A. Queixa de perda involuntária de urina durante o esforço ou exercício físico, tosse ou espirro.
B. Queixa de perda de urina durante ou imediatamente precedida de urgência miccional.
C. Queixa de perda involuntária de urina a esforços (exercício físico, esforço, espirro, tosse) associada à urgência.
D. Queixa de qualquer perda involuntária de urina.
A correlação correta é:
A) 1A, 2B, 3D, 4C
B) 1B, 2A, 3C, 4D
C) 1D, 2A, 3C, 4B
D) 1C, 2D, 3A, 4B
COMENTÁRIOS: Questão semelhante a anterior, portanto vamos correlacionar os devidos itens:
1. Incontinência urinária → D. Queixa de qualquer perda involuntária de urina.
2. Incontinência urinária de esforço → A. Queixa de perda involuntária de urina durante o esforço ou exercício
físico, tosse ou espirro.
3. Incontinência urinária mista → C. Queixa de perda involuntária de urina a esforços (exercício físico, esforço,
espirro, tosse) associada à urgência.
4. Incontinência por urgência → B. Queixa de perda de urina durante ou imediatamente precedida de urgência
miccional.

192. (VUNESP / Prefeitura de Cananéia - SP / 2020) Durante o segundo e o terceiro mês de gestação e nos 3
meses pós-parto, 1/3 das mulheres apresenta incontinência urinária. O fisioterapeuta deve conhecer a
fisiopatologia da incontinência urinária gestacional e pós-parto para elaborar a intervenção apropriada. A respeito
da incontinência urinária em gestantes e no pós-parto, é correto afirmar:
A) o aumento na tensão nos músculos do assoalho pélvico para o nascimento num parto vaginal é insignificante e
não causa lesão muscular.
B) vários fatores estão associados com a incontinência urinária pós-parto como a idade, obesidade maternal,
doenças pulmonares crônicas, tabagismo, trauma perineal, entre outros.
C) o relaxamento dos músculos e ligamentos do assoalho pélvico causado pela relaxina não tem associação com a
incontinência urinária.
D) a constipação, frequente durante a gestação, pode aumentar a pressão sobre o assoalho pélvico, mas esse fator
não tem nenhum efeito sobre a incontinência urinária.
E) a episiotomia reduz consideravelmente a incontinência urinária após o parto vaginal.
COMENTÁRIOS: Fatores de risco citados para o desenvolvimento de incontinência urinária de esforço incluem:
idade avançada; raça branca; obesidade materna; partos vaginais quando, na passagem do feto, podem ocorrer
danos à musculatura e inervação locais; partos traumáticos com o uso de fórceps e/ou episiotomias;
multiparidade e gravidez em idade avançada, deficiência estrogênica, condições associadas a aumento da pressão
intra abdominal; tabagismo; diabetes, doenças pulmonares, doenças do colágeno; neuropatias e histerectomia
prévia.
Lembre-se: Algumas questões podem ser resolvidas com:

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 133


193. (FGV / SUSAM-AM / 2014) A diástase do músculo reto abdominal pode ocorrer durante a evolução da
gestação. Para corrigi-la e melhorar a relação comprimento‐tensão deste músculo, deve‐se orientar a paciente a
se posicionar de forma adequada e realizar um exercício terapêutico. Com relação à posição e seu respectivo
exercício, assinale a afirmativa correta.
A) Quatro apoios – elevar um membro inferior e um membro superior alternadamente.
B) Decúbito dorsal – elevar os membros inferiores com os joelhos dobrados.
C) De lado – flexionar a região cervical e os membros inferiores com os joelhos dobrados.
D) Decúbito dorsal – aproximar a região mentoniana da esternal com os pés apoiados.
E) Decúbito dorsal – levantar a cabeça com os membros inferiores esticados.
COMENTÁRIOS: A gestação é um período onde ocorrem mudanças expressivas no organismo materno que
acometem os sistemas respiratório, digestivo, nervoso, circulatório e urinário, além do músculo esquelético. As
alterações provocadas pela progesterona, estrogênio e relaxina, associadas ao crescimento do útero podem
ocasionar o estiramento dos músculos abdominais, principalmente no músculo reto do abdome. Além disso, as
alterações posturais, a exemplo da anteversão pélvica associada ou não a hiperlordose lombar levam a alterações
biomecânicas na inserção dos músculos abdominais e pélvicos, o que causa uma deficiência na sustentação dos
órgãos pélvicos-abdominais.
A DMRA trata-se de uma alteração que apresenta incidência maior nos últimos três meses de gestação (66%),
sendo consequência do volume abdominal maior. No entanto, também pode ser observada no segundo trimestre
da gestação ou ainda no período pós-parto.
A atuação do fisioterapeuta tanto na prevenção como no tratamento da DMRA, possibilita a melhoria da
qualidade de vida da paciente e trazem benefícios como a diminuição e a prevenção das lombalgias, melhora no
condicionamento físico, restrição do ganho de peso, melhora da imagem corporal, além de melhor recuperação
física pós-parto. Assim, podem ser utilizados exercícios que proporcionam o fortalecimento da musculatura
abdominal, a exemplo da contração isométrica dos mesmos, um desses exercícios aparece descrito no item D:
Decúbito dorsal – aproximar a região mentoniana da esternal com os pés apoiados.

194. (FGV / SUSAM-AM / 2014) A base da orientação da postura do trabalhador durante a realização de sua
atividade laboral deve ser iniciada pelas medidas antropométricas, considerando sua posição sentada e de pé,
dentre outras. Correlacione as medidas às suas respectivas finalidades.
1. Altura assento‐cotovelo
2. Largura dos ombros
3. Altura solo‐assento
4. Comprimento antebraço‐mão
( ) Promover a postura adequada para digitadores.
( ) Determinar a largura dos assentos e locais de passagem.
( ) Determinar a altura dos apoios de braços das cadeiras.
( ) Posicionamento de acessórios indispensáveis à atividade laboral.
Assinale a opção de indica a sequência correta, de cima para baixo.
A) 1 – 2 – 3 – 4
B) 2 – 3 – 4 – 1
C) 3 – 2 – 1 – 4
D) 2 – 1 – 3 – 4
E) 3 – 4 – 1 – 2.
COMENTÁRIOS: Questão com pouca referência literária. Para essa questão vamos utilizar lógica de interpretação:
(3 - Altura solo-assento) → Promover a postura adequada para digitadores.
A altura deve ser regulada pela posição do cotovelo e deve ser determinada após o ajuste de atua da cadeira.
Recomenda-se que esteja de 3 a 4 cm acima do nível do cotovelo, na posição sentada. Para mesas de altura fixa, a
cadeira deve ter altura regulável.
(2 - Largura dos ombros) → Determinar a largura dos assentos e locais de passagem.
A largura dos assentos diversos é feita pela medida da largura dos ombros.
(1 - Altura assento-cotovelo) → Determinar a altura dos apoios de braços das cadeiras.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 134


Altura do cotovelo a partir do assento: distância vertical entre o assento até olécrano da ulna
(4 - Comprimento antebraço-mão) → Posicionamento de acessórios indispensáveis à atividade laboral.
Medida essencial para as atividades laborais.

195. (FGV / Assembleia Legislativa - MT / 2013) A Ergonomia tem sido objeto de estudo dos fisioterapeutas,
dentre outros, devido à atuação na saúde do trabalhador e pela proximidade dos conhecimentos biomecânicos.
Relacione os tipos de ergonomia apresentados a seguir com suas respectivas descrições.
1. De concepção
2. Participativa
3. De correção
4. De conscientização
( ) modifica os elementos parciais do posto de trabalho.
( ) organizada pelo Comitê Interno de Ergonomia.
( ) estimula o trabalhador a usufruir os benefícios de seu posto de trabalho.
( ) permite a inserção do usuário no projeto do posto de trabalho. Assinale a alternativa que indica a sequência
correta, de cima para baixo.
A) 3 – 1 – 2 – 4 B) 3 – 2 – 4 – 1 C) 2 – 3 – 4 – 1 D) 4 – 2 – 3 – 1 E) 4 – 2 – 1 – 3
COMENTÁRIOS: A ergonomia é uma palavra de origem grega, sendo que o termo ERGOS – refere-se a trabalho e
NOMOS às leis, normas e regras. A ergonomia pode apresentar os seguintes objetivos:
Controlar a introdução de novas tecnologias nas organizações e sua adaptação às capacidades e habilidades da força
laboral existente.
Aumentar a satisfação e motivação no trabalho.
Adaptar o local e as condições de trabalho em relação às características do trabalhador.
Definir requisitos para a compra de máquinas, equipamentos ergonômicos e outros materiais.
Identificar, analisar e minimizar os riscos ocupacionais. As definições de ergonomia, na sua maioria, questionam dois
objetivos fundamentais conforme citados a seguir:
O conforto e a saúde dos trabalhadores – quando aplicado para evitar os riscos (acidentais e ocupacionais) e para diminuir
a fadiga.
Eficácia – utilizada pela organização para medir as suas diferentes dimensões (produtividade e qualidade), sendo
dependente da eficiência humana.

Sugestão de Revisão: Franceschi, Alessandro. Manual de Ergonomia / Alessandro de Franceschi. – Santa Maria : Universidade Federal de
Santa Maria, Colégio Técnico Industrial de Santa Maria ; Rede e-Tec Brasil, 2013.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 135


196. (UFRN / SÃO RAFAEL-RN / 2016) A ginástica laboral é uma atividade física orientada, praticada durante o
horário de expediente, que visa benefícios pessoais no trabalho e pode ser classificada de acordo com o período
no qual é realizada. Desse modo, a ginástica laboral realizada no meio do expediente é classificada como:
A) preparatória, cuja finalidade é preparar as estruturas osteomioarticulares para a segunda etapa da jornada de
trabalho.
B) compensatória, cuja finalidade é compensar a tensão muscular adquirida pelo uso excessivo ou inadequado das
estruturas osteomusculares.
C) relaxante, cuja finalidade é relaxar o organismo, liberar as tensões, recarregando o corpo para a continuidade
das tarefas.
D) terapêutica, cuja finalidade é promover os benefícios terapêuticos da atividade física minimizando as desordens
adquiridas pelo mau alinhamento das estruturas.
COMENTÁRIOS: A ginástica laboral pode ser entendida como a atividade física orientada e praticada no ambiente
de trabalho, podendo ser realizada antes, durante ou ao final do expediente de labor e com o objetivo de
minimizar os impactos negativos do sedentarismo e amenizar os efeitos deletérios do trabalho.
Cinco etapas para que a implantação da ginástica laboral tenha êxito:
1. Avaliação e diagnóstico, analisando a aptidão física, qualidade de vida, biomecânica e ergonômica, a fim de
permitir uma correta adequação da atividade física;
2. Planejamento e estruturação do programa, prevendo inclusive a motivação, compreensão da validade, aval e
aceitação do programa por parte dos funcionários;
3. Conscientização de todos os funcionários da empresa sobre os problemas provenientes da má postura (dentro e
fora do trabalho), sua prevenção e o incentivo à prática regular da atividade física;
4. Implantação do projeto piloto, possibilitando ajustes antes da sua expansão a outros setores.
5. Avaliação dos resultados, incluindo os ares da qualidade empresarial, produtividade e qualidade de vida.
A GL pode ser classificada quanto ao horário de execução e quanto ao objetivo que possui. A primeira classificação
divide o expediente de trabalho em três momentos: Preparatório (no começo do expediente de trabalho), o
compensatório (no meio do expediente), e o relaxante (no fim do expediente).
A segunda classificação diferencia os objetivos para a aplicação da ginástica em: GL preparatória (prepara o
trabalhador para atividades de força, velocidade ou resistência), ginástica de compensação (previne a instalação
de vícios posturais), ginástica corretiva (restabelece o equilíbrio muscular e articular) e ginástica de conservação
ou manutenção (mantém o equilíbrio fisiomorfológico).

Ginástica Laboral preparatória ou de aquecimento


É a ginástica realizada no início da jornada de trabalho, ou seja no início do turno da manhã, da tarde ou da
noite;
normalmente realizada no posto de trabalho. Esta é classificada desta forma, visto que prepara o trabalhador
para atividades de velocidade, força e resistência.
A mesma ativa fisiologicamente o organismo, melhora o nível de concentração e disposição, elevando a
temperatura do corpo, oxigenando os tecidos e aumentando a frequência cardíaca.
Tem a duração aproximada de 10 a 12 minutos.
Inclui exercícios de coordenação, equilíbrio, concentração, flexibilidade e resistência muscular.

Ginástica laboral compensatória


Sua execução objetiva impedir que se instalem os vícios posturais das atividades da vida diária e do ambiente
de trabalho. Esta pausa ativa deve utilizar atividades compensatórias específicas para cada setor da empresa,
de acordo com as características do ambiente de trabalho. Desta forma esta ginástica alcança o equilíbrio físico
e mental para a execução das tarefas.
Fisiologicamente a sua principal finalidade é compensar todo e qualquer tipo de tensão muscular adquirida
pelo uso excessivo ou inadequado das estruturas musculoligamentares.

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 136


Tem o objetivo de melhorar a circulação com a retirada de resíduos metabólicos, modificarem a postura no
trabalho, reabastecer os depósitos de glicogênio e prevenir a fadiga muscular.
São sugeridos exercícios de alongamento e flexibilidade, respiratórios e posturais com duração de 5 a 10
minutos durante a jornada de trabalho.

Ginástica laboral de relaxamento


É a GL realizada no final da jornada de trabalho, com duração aproximada de 10 a 12 minutos, tem como
objetivo a redução do estresse, alívio das tensões, redução dos índices de desavenças no trabalho e em casa,
com consequente melhora da função social.
São realizadas automassagens, exercícios respiratórios, exercícios de alongamento, flexibilidade e meditação.

Sugestão de Revisão: http://www.efdeportes.com/efd144/ginastica-laboral-uma-breve-revisao.htm

197. (FGV / SUSAM-AM / 2014) Algumas lesões provocadas por doenças ocupacionais relacionadas ao trabalho
podem ser evitadas, se as causas forem detectadas antes da instalação delas. Correlacione os tipos de lesões e as
prováveis causas ocupacionais.
1. Síndrome do canal ulnar
2. Tendinite do supraespinhoso
3. Síndrome do canal de Guyon
4. Tenossinovite de DeQuervain
( ) Elevação com abdução dos ombros com força
( ) Compressão da face medial do punho
( ) Manutenção do polegar em pinça com desvio ulnar do carpo com força
( ) Grande flexão do cotovelo com ombro em abdução. Assinale a opção que indica a sequência correta, de cima
para baixo.
A) 1 – 2 – 3 – 4
B) 2 – 3 – 4 – 1
C) 2 – 4 – 3 – 1
D) 2 – 1 – 3 – 4
E) 3 – 4 – 1 – 2
COMENTÁRIOS: As lesões por esforços repetitivos e os distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho são,
por definição, um fenômeno relacionado ao trabalho. Ambos são danos decorrentes da utilização excessiva,
imposta ao sistema musculoesquelético, e da falta de tempo para recuperação. Caracterizam-se pela ocorrência
de vários sintomas, concomitantes ou não, de aparecimento insidioso, geralmente nos membros superiores, tais
como dor, parestesia, sensação de peso e fadiga. Abrangem quadros clínicos do sistema musculoesquelético
adquiridos pelo trabalhador submetido a determinadas condições de trabalho. Diante das enfermidades acima
descritas vamos correlacionar os itens da questão:
(2 - Tendinite do supraespinhal) → Elevação com abdução dos ombros com força
(3 - Síndrome do canal de Guyon) → Compressão da face medial do punho
(4 - Tenossinovite de DeQuervain) → Manutenção do polegar em pinça com desvio ulnar do carpo com força
(1 - Síndrome do canal ulnar ou túnel cubital) → Grande flexão do cotovelo com ombro em abdução.

Sugestão de Revisão: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/dor_relacionada_trabalho_ler_dort.pdf

OBS:_________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 137


198. (FGV / SUSAM-AM / 2014) Com relação à assistência fisioterapêutica domiciliar, analise as afirmativas a
seguir.
I. Pode ser definida como um conjunto de ações fisioterapêuticas hospitalares que podem ser realizadas na
residência do paciente.
II. Este tipo de assistência é inadequado, pois não tem à disposição todo o aparato necessário para atender
minimamente à terapêutica dos pacientes.
III. Esta forma de tratar permite uma maior integração entre a equipe, o cuidador e a família, beneficiando
sobremaneira os pacientes. Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta.
D) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
E) se todas as afirmativas estiverem corretas
COMENTÁRIOS: Assistência Fisioterapêutica domiciliar é um conjunto de ações que busca a prevenção de um
agravo à saúde, a sua manutenção por meio de elementos que fortaleçam os fatores benéficos ao indivíduo e,
concomitantemente, a recuperação do cliente já acometido por uma doença ou sequela. Conteúdo pouco
explorado pela banca, mas que você caro aluno consegue resolver com:

I - INCORRETO → Pode ser definida como um conjunto de ações fisioterapêuticas hospitalares que podem ser
realizadas na residência do paciente.
A Assistência domiciliar (home care), definida como um conjunto de procedimentos hospitalares possíveis de
serem realizadas na casa do paciente, abrange ações de saúde desenvolvidas por equipe interprofissional.
II - INCORRETO → Este tipo de assistência é inadequado, pois não tem à disposição todo o aparato necessário
para atender minimamente à terapêutica dos pacientes.
Bom senso na análise desse quesito, totalmente incorreto! Os recursos são limitados, mas não assistência
inadequada!
III - CORRETO → Esta forma de tratar permite uma maior integração entre a equipe, o cuidador e a família,
beneficiando sobremaneira os pacientes.
Bom senso!

199. (CPCON / Prefeitura de Boa Ventura - PB / 2019) O Sr. Manoel Lins está no 2º dia de um pós-operatório de
cirurgia reconstrutora do tendão de Aquiles do membro inferior esquerdo. Considerando os recursos disponíveis
para uma apropriada assistência fisioterapêutica domiciliar imediata, é CORRETO recomendar
A) Exercício resistido com Theraband.
B) Manipulação passiva para ganho de amplitude de movimento.
C) Infravermelho.
D) Compressa de gelo.
E) Compressa de água quente.
COMENTÁRIOS: Questão simples mas que requer atenção quanto ao enunciado da mesma. Paciente encontra-se
em 2 dia de PO, fase aguda da lesão, portanto aqui já não usaremos calor (itens C e E incorretos). Em relação à
assistência domiciliar imediata e considerando o estágio atual do paciente, assim como os recursos em domicílio,
o mais coerente será indicação da compressa de gelo. Por isso, alternativa C correta!

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 138


GABARITOS

1D 21B 41E 61A 81C 101B 121D 141D 161E 181E


2B 22A 42B 62D 82E 102D 122A 142D 162B 182C
3E 23A 43A 63D 83A 103B 123E 143D 163D 183E
4B 24A 44B 64D 84D 104D 124E 144C 164B 184E
5D 25C 45C 65D 85E 105B* 125B 145B 165A 185B
6C 26D 46C 66C 86A 106C 126A 146A 166A 186C
7A 27A 47D 67E 87E 107E 127B 147E 167C 187B
8A 28A 48D 68E 88A 108A 128C 148D 168C 188B
9A 29E 49A 69B 89C 109A 129B 149D 169D 189A
10B 30C 50B 70A 90D 110A 130A 150A 170E 190D
11C 31B 51A 71B 91D 111B 131C 151B 171B 191C
12D 32C 52A 72B 92B 112D 132C 152D 172C 192B
13B 33E 53C 73B 93B 113A 133E 153A 173B 193D
14B 34D 54E 74E 94C 114A 134D 154A 174B 194C
15C 35D 55B 75C 95C 115A 135C 155A 175E 195B
16A 36D 56B 76D 96D 116D 136D 156B 176E 196B
17E 37D 57E 77A 97D 117C 137D 157D 177D 197B
18D 38E 58E 78B 98C 118C 138B 158A 178E 198C
19C 39B 59D 79D 99D 119B 139C 159B 179E 199D
20E 40D 60E 80C 100B 120A 140B 160B 180D
*Gabarito Oficial

PreparaFisio – Preparatório para Concursos de Fisioterapia Página 139

Você também pode gostar