Você está na página 1de 8

Memórias Póstumas de Brás Cubas

FRASES
Ninguém se fie da felicidade presente; há nela uma gota da baba de Caim

Não importa ao tempo o minuto que passa, mas o minuto que vem. O minuto que vem é forte, jocundo, supõe trazer em si a
eternidade, e traz a morte, e perece como o outro, mas o tempo subsiste.

Aí vinham a cobiça que devora, a cólera que inflama, a inveja que baba, e a enxada e a pena, úmidas de suor, e a ambição, a
fome, a vaidade, a melancolia, a riqueza, o amor, e todos agitavam o homem, como um chocalho, até destruí-lo, como um
farrapo.

La Maison está moi, c’est á vous d’en sortir.

O que importa é a expressão geral do meio doméstico, e essa aí fica indignada – vulgaridade de caracteres, amor das
aparências rutilantes, do arruído, frouxidão da vontade, domínio do capricho, e o mais. Dessa terra e desse estrume é que
nasceu esta flor.

Marcela amou-me durante quinze meses e onze contos de reis, nada menos.

Ia mastigando o meu desespero, com uma espécie de gula mórbida

Presente de grego

Dormir, que é o modo interino de morrer

Talvez espante ao leitor a franqueza com que lhe exponho e realço a minha mediocridade; adivirta que a franqueza é a
primeira virtude de um defunto. Na vida, o olhar da opinião, o contraste dos interesses, a luta das cobiças obrigam a gente a
calar os trapos velhos, a disfarçar os rasgões e os remendos, a não estender ao mundo as revelações que faz à consciência; e
o melhor da obrigação é quando, à força de embaçar os outros, embaça-se um homem a si mesmo, porque em tal caso
poupa-se o vexame, que é uma sensação penosa, e a hipocrisia, que é um vício hediondo.

Senhores vivos, não há nada tão incomensurável como o desdém dos finados.

Volúpia do aborrecimento: decora esta expressão, leitor; guarda-a, examina-a, e se não chegares a entendê-la, podes
concluir que ignora uma das sensações mais sutis desse mundo e daquele tempo.

Cada estação da vida é uma edição, que corrige a anterior, e que será corrigida também, até a edição definitiva, que o editor
dá de graça aos vermes

Então considerei que as botas apertadas são uma das maiores venturas da terra, porque, fazendo doer os pés, dão azo ao
prazer de as descalçar. Mortifica os pés, desgraçado, desmortifica-os depois, e aí tens a felicidade barata, ao sabor dos
sapateiros e de Epicuro.

Em verdade vos digo que toda a sabedoria humana não vale um par de botas curtas.

Passo largo.

Solidariedade do aborrecimento humano.

Um galho de árvore ilustre

O último lampejo da alma expirante

A conclusão, portanto, é que há duas forças capitais: o amor, que multiplica a espécie, e o nariz, que a subordina ao
indivíduo. Procriação, equilíbrio.
A lei da equivalência das janelas, e estabeleci que o modo de compensar uma janela fechada é abrir outra, a fim de que a
moral possa arejar continuamente a consciência.

Prazeres que rematavam em dor, de aflições que desabrochavam em alegria

Resumia-o sobretudo naquela ocasião, em que exprimia mudamente tudo quanto pode dizer a pupila humana.

Não tremas assim, leitora pálida; descansa, que não hei de rubricar esta lauda com um pingo de sangue.

Queimas as pestanas (aplicar-se; estudar muito)

Cangalho de setenta invernos

O maior defeito deste livro és tu, leitor. Tu tens pressa de envelhecer, e o livro anda devagar; tu amas a narração direita e
nutrida, o estilo regular e fluente, e este livro e o meu estilo são como os ébrios, guinam à direita e à esquerda, andam e
param, resmungam, urram, gargalham, ameaçam o céu, escorregam e caem.

Minha camarada, a vida não se arranja à toa; não se come vento.

Trabalhava muito, queimando os dedos ao fogão, e os olhos ao candeeiro, para comer e não cair.

E o sacristão e a sacristã naturalmente lhe responderiam: “- Chamamos-te para queimar os dedos nos tachos, os olhos na
costure, comer mal, ou não comer, andar de um lado para outro, na faina, adoecendo e sarando, com o fim de tornar a
adoecer e sarar outra vez, triste agora, logo desesperada, amanhã resignada, mas sempre com as mãos no tacho e os olhos
na costura, até acabar um dia na lama ou no hospital; foi para isso que te chamamos, num momento de simpatia.

A princípio, o contentamento, sendo interior, era por assim dizer o mesmo sorriso, mas abotoado; andando o tempo,
desabotoou-se em flor e apareceu aos olhos do próximo. Simples questão de botânica.

E Deus sabe a força de um adjetivo, principalmente em países novos e cálidos.

Flores de antanho

GLOSSÁRIO
Déspota (pessoa que governa conforme lhe apraz os que lhe são dependentes, exigindo-lhes obediência passiva; que não
tolera que a sua vontade seja contraditada; que revela autoritarismo)

Corso (caça que os navios particulares dão aos navios mercantes da nação inimiga)

Mui (com grande intensidade, em geral empregue antes de adjetivos e advérbios)

Lazeira (desgraça, calamidade; lepra; fome, miséria; preguiça)

Estouvado (que ou quem pensa pouco nas consequências; que ou quem esquece levianamente as suas obrigações; que ou
quem só pensa em diversão)

Contrito (cheio de arrependimento, contristado)

Desamparar (deixar sem amparo; deixar de segurar; abandonar; privar)

Alamada (rua orlada de árvores; caminho orlado de árvores de sombra; passeio arborizado; bosque)

Ensejo (ocasião; oportunidade)

Propício (que favorece algo; disposto favoravelmente)


Interino (que exerce funções durante o impedimento ou falta de funcionário efetivo; não efetivo, provisório)

Estro (inspiração ou entusiasmo poético ou artístico; riqueza de imaginação)

Jururu (Melancólico, tristonho)

Diabrete (diminutivo de diabo; criança travessa)

Aragem (vento brando)

Esboroar (esmigalhar, reduzir a pequenos fragmentos)

Ilustre (célebre, notável; famoso; preclaro; insigne; nobre; distinto)

Cólera (violenta irritação contra o que nos contraria; força, violência, fúria, doença epidêmica manifestada por cãibras,
vômitos, dejeções)

Algibeira (bolsa; saquinho que as mulheres atavam à cintura)

Arredar (desviar de um lugar para outro; remover para trás; separar; desviar)

Acabrunhar (apoquentar, mortificar; cansar, fazer envelhecer)

Pungir (picar; estimular, incitar; atormentar. Afligir; magoar moralmente; sentir-se comovido por; sair com dor)

Reminiscência (lembrança vaga e quase apagada; faculdade de reter e reproduzir conhecimentos adquiridos; coisa de que se
guardou memória inconscientemente)

Roto (rompido; desbaratado; destruído; assaltado; quebrado; transgredido; esburacado; mal vestido)

Gatuno (vadio que se dá ao furto, larápio, ratoneiro)

Indagar (informar-se – perguntando -, procurar, descobrir, averiguar, pesquisar, esquadrinhar; proceder a indagações)

Olvidar (perder de memória, deixar cair no esquecimento; desaprender)

Andrajo (trapo velho; terno velho e esfarrapado)

Aterrar (aterrorizar; pôr um terreno em nível; descer à terra; afundar-se na terra)

Lobrigar (ver a custo; entrever, enxergar, bispar; ver ao longe; ver casualmente; notar, perceber)

Tolher (proibir, vedar, impedir, estorvar; obstar a. pôr obstáculo a; ficar ileso, ficar paralítico, perder o movimento dos
membros)

Patente (aberto, público, franco; manifesto, visível; claro, evidente; documento ou título oficial de concessão de posto ou
privilégio)

Insaciável (que nunca se farta. Sempre sequioso)

Cálidas (quente; ardente; sanguíneo; astuto, sagaz)

Canapé (assento longo de palhinha ou estofado, com braços e recosto)

Assaz (de maneira suficiente; em grau elevado)

Zelos (empenho solícito em procurar o bem próprio ou alheio; cuidado, interesse, desvelo)

Sôfrego (que come ou bebe com avidez; ansioso; ávido; impaciente; malsofrido)

Lascivas (libidinoso; sensual; travesso, folgazão)

Cangalho (pessoa, animal ou traste que não presta ou que já é velho)


Gamenho (indivíduo que se atavia para namorar, casquilho; fedelho; tunante)

Fâmulos (servidor, criado; funcionário subalterno de algumas comunidades religiosas)

Deliberadamente (de maneira proposital; em que há intenção; que tem certeza daquilo que pretende fazer)

Despeito ( ressentimento por desconsideração ou ofensa leve)

Forcejar (empregar força, esforçar-se; fazer todo o possível)

Sepulcro (sepultura, túmulo; o que cobre ou encerra como um túmulo)

Ébrio (bêbado, embriagado; apaixonado, alucinado, sedento)

Treslê (ler às avessas; perder o juízo, à força de ler e estudar; dizer tolices)

Alfarrabista (pessoa que coleciona alfarrábios ou que com eles negoceia)

Esgaravatar (remexer – a galinha – a terra com os dedos; meter o dedo em – nariz, ouvido, etc -; remexer)

Alçando (levantar do chão, ou de ponto baixo, para pôr em alto; erguer, dar maior altura a)

Coser (dar pontos de agulha em; chegar muito uma coisa a outra)

Fidúcia (confiança em si mesmo, atrevimento, ousadia; comportamento vaidoso)

Arranjar (pôr em ordem; obter, conseguir; adquirir)

Capadócios (trapaceiro, charlatão, parlapatão; indivíduo dado a serenatas)

Graçolas (gracejo insulso ou indecente)

Gretar (abrir greta em; fender-se, rasgar-se em gretas; estalar)

Obséquio (ato ou efeito de obsequiar; ato que demonstra benevolência, simpatia, bondade ou boa educação; ação gratuita
prestada ou recebida)

Escarlate (cor vermelha viva e rutilante, tecido que tem essa cor)

Antevéspera (dia que precede imediatamente a véspera)

Valsar (dançar a valsa)

Peralta (pessoa afetada na maneira de trajar e de andar)

Galhofa (risota; escárnio, troça; festa ruidosa e alegre)

Cogitar (pensar com insistência; cuidar; imaginar)

Compelir (obrigar, forçar, constranger)

Prorromper (sair com ímpeto; manifestar-se repentinamente)

Zangarrear (tocar na viola de forma desentoada; cantar com gritaria e desafinação; tocar à maneira de chula, sempre com o
mesmo ritmo e os mesmos acordes)

Efusão (derramamento; expansão, demonstrações de afeto, de alegria, de agrado)

Luzir (brilhar, resplandecer, refulgir; crescer, desenvolver-se, medrar; dar nas vistas; surgir de repente)

Desígnios (intenção, projeto, plano, propósito; combinações para obter um resultado; determinação)

Trivial (sabido de todos; comum, vulgar, ordinário, medíocre)


Grulha (pessoa que fala muito)

Frívolo (que não tem importância, que é sem valor; leviano, fútil; inconstante, volúvel)

Chufa (gracejo impertinente)

Remoque (dito picante que disfarçadamente encerra uma intenção repreensiva, ofensiva ou maliciosa)

Lépida (alegre, prazenteiro; lesto, ligeiro e alegre)

Fatídico (sinistro; funesto, trágico; vaticinador; que prediz o futuro)

Minar (abrir mina em; cavar por baixo de; corroer; invadir ocultamente)

Afetação (modo de dizer ou de fazer, que não é só não é natural, mas até forçado; destino, aplicação a um fim determinado)

Resignatário (que ou aquele que resigna ou renuncia a um cargo ou a uma dignidade)

Prezado (muito querido, muito estimado)

Amparar (ajudar a ficar de pé; proteger, resguardar)

Cálido (quente, ardente; sanguíneo; astuto)

Escrupulosa (quem tem escrúpulo, meticuloso, hesitante, cuidadoso, pontual)

Codicilo (disposições adicionais a um testamento)

Anciã (homem de idade e respeito; de idade avançada e de respeito; prudente, autorizado)

Rijo (duro, intenso, forte; que não se quebra facilmente)

Feitio (forma, configuração, feição, conformação; corte, açougue; espécie, laia, qualidade)

Primor (trabalho muito delicado ou feito com muita perfeição; grande cuidado na execução de algo; grande qualidade)

Carapuça (cobertura para a cabeça, geralmente de forma cônica)

Rapado (que se rapou; cortado rente à raiz)

Consternação (estado do espírito aflito e abatido por dor, pena, receio)

Colóquio (conversação; palestra entre duas ou mais pessoas)

Tragar (engolir sem mastigar; comer ou engolir com avidez; arrastar para dentro de si)

Voluptuosidade (qualidade do que é voluptuoso; sensualidade, deleite carnal, lascívia; prazer dos sentidos, sensação
deleitosa, gozo espiritual)

Maroto (homem de quem se não deve fazer caso; canalha, patife, brejeiro)

Pelintra (pessoa pobre ou mal vestida, mas que quer dar nas vistas; pessoa trapalhona)

Reprochava (lançar em rosto a alguém, exprobar, censurar)

Consumação (ato de consumar)

Abastança (abundância, quantidade suficiente de tudo o que é preciso)

Desacordo (falta de acordo, divergência, desarmonia, desafinação)

Despotismo (governo despótico, vontade imperiosa; mando absoluto e arbitrário)

Alhures (noutro lugar, algures)


Penachos (conjunto de penas levantadas na cabeça de algumas aves; enfeite de penas que se põe no chapéu, no capacete, na
cabeça dos cavalos

Papa-fina (excelente, saboroso; indivíduo ridículo)

Godemes (alcunha pejorativa dada aos ingleses)

Pé-rapado (homem de condição humilde; proletário)

Célebre (que tem grande fama; que se distingue pelas suas qualidades ou feitos)

Suplício (grave punição corporal ordenada por sentença; pena de morte; grande sofrimento)

Soberbo (que tem soberba; orgulhoso; majestoso)

Casmurro (que ou quem costuma teimar ou insistir numa ideia; que ou quem não mostra alegria ou tem tendência para se
isolar)

Resoluto (dissolvido, desfeito, que desapareceu pouco a pouco)

Incrédulo (que ou aquele que não crê no que muitos creem; descrente; ateu)

Antanho (no ano próximo passado; nos tempos passados)

Taciturno (sombrio, silencioso, tristonho)

Intrépido (que não trepida, que não tem medo)

Pulha (pessoa sem brio, bandalho; dito que se dirige cavilosamente a uma pessoa para que ela caia em fazer uma certa
pergunta à qual se responde alguma coisa equívoca ou escarnecedora; gracejo)

Outrora (noutro tempo)

Instar (estar instante ou próximo a acontecer; pedir com insistência; tornar-se indispensável)

Turbar (tornar turvo; escurecer; agitar, perturbar, desassossegar; embriagar)

Soalho (pavimento de madeira)

Ocioso (que está em ócio, que não trabalha; que não está em ação ou não serve para nada; quem ou quem não está ocupado)

Cáustico (que queima a pele, corrosivo; importuno; mordaz; conversação enfadonha)

Condigno (proporcional ao mérito, valor, serviços)

Garridamente (de modo garrido)

Pacato (que ou aquele que é amigo da paz; pacífico; ordeiro; sossegado; calmo)

Afabilidade (cortesia benévola aliada a franqueza; delicadeza)

Permeio (no meio; intervir; interromper; impedir)

Galgar (transpor, subindo ou passando por cima; passar para cima; andar a passa largo; ir além de)

Ufanar (tornar ufano; regozijar; envaidar; sentir ufania; gabar-se)

Verdugos (pessoa que inflige castigos físicos ou pena de morte; pessoa cruel, que inflige maus tratos a alguém)

Rochedo (mole de pedra muito alta e geralmente escarpada; rocha batida do mar, escolho)

Frivolidade (qualidade de frívolo; coisa frívola; ninharia; futilidade)

Ermo (lugar despovoado e solitário; retiro, solidão; crosta escamosa que se forma na cabeça das crianças)
Insular (transformar em ilha; isolar)

Escusado (inútil, desnecessário; dispensado; eximido; que não serve frequentemente)

Ojeriza (má vontade contra alguém)

Dissidência (dissentimento de opiniões; separação ou cisão em matéria religiosa ou política)

Derrear (fazer com que não se possam endireitar as costas; prostrar, extenuar, aleijar)

Pelintra (pessoa pobre ou mal vestida, mas que quer dar nas vistas; pessoa trapalhona)

Fidalgo (indivíduo que tem foros ou títulos de nobreza; aquele que vive dos seus rendimentos)

Fremir (estremecer, vibrar, tremer; perturbar-se; alvoroçar-se de alegria)

Esbaforido (ofegante)

Acalentar (acalmar; geralmente para adormecer e com afagos, com proximidade corporal ou com cantiga)

Aprazível (que apraz, que causa prazer; agradável)

Admoestação (observação crítica com o intuito de censurar, de repreender)

Aleive (Comportamento ou ato próprio de quem finge demonstrar amizade ou ajuda; falsidade. Acusação feita se
fundamento com o intuito de difamar; calúnia. Característica da pessoa que engana, trai; traição)

Enfastiar (provocar ou sentir fastio ou aborrecimento; entediar-se, enfadar-se)

Mofino (que não demonstra alegria; infeliz, desafortunado)

Idôneo (adequado, próprio, que convém perfeitamente)

Ruminar (Tornar a mastigar, remoer)

Casto (que guarda castidade; que se abstém de prazeres sexuais)

Vertiginosa (que perturba a razão ou a serenidade do espírito)

Garatujar (fazer garatujas, desenhos ilegíveis ou rudimentares; rabiscar)

Parca (a morte)

Obliterar (fazer desaparecer ou desaparecer uma coisa, pouco a pouco, até que dela não fique nenhum vestígio; fazer
esquecer ou cair no esquecimento)

PESQUISAR
Noite das Luminárias (festividade D. Pedro I)

Lei da equivalência das janelas

Farisaísmo na sinagoga