Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO
DISCIPLINA: INSTITUIÇÕES DE DIREITO
PROFESSORA: CRISTIANE AQUINO DE SOUZA
ATIVIDADE 6

1.Aplica-se a regra constitucional à inviolabilidade do domicílio, pois o escritório é


domicílio profissional. Prevê a CF em seu artigo 5o, XI: “a casa é asilo inviolável do
indivíduo, ninguém nela podendo penetrar sem consentimento do morador, salvo em
caso de flagrante delito ou desastre, ou para prestar socorro, ou, durante o dia, por
determinação judicial”. Logo, é possível ingressar no escritório durante o dia com
autorização judicial. Essa afirmação está certa ou errada?
2. Em quais casos é possível ingressar no domicílio tanto durante o dia quanto durante a
noite, conforme a CF/88?
3.Disciplina o artigo 5o, XII, CF: “é inviolável o sigilo da correspondência e das
comunicações telegráficas, de dados e das comunicações telefônicas, salvo, no último
caso, por ordem judicial, nas hipóteses e na forma que a lei estabelecer para fins de
investigação criminal ou instrução processual penal”. A inviolabilidade apenas é
relativizada, no caso de ordem judicial, em relação às comunicações telefônicas,
conforme expressamente prevê a Constituição. Contudo, vale ressaltar que o
entendimento do STF é de que o sigilo de correspondência deve ser garantido apenas
quando ela estiver em trânsito, pois chegando ao seu destino se torna um documento
como outro qualquer e pode ser apreendido (HC nº 7.814/SP). Essa afirmação está certa
ou errada?
4. Quais os requisitos da interceptação telefônica, conforme a Lei 9296/96?
5. Qual a distinção entre a interceptação telefônica e a gravação clandestina?
6. Cite uma exceção ao sigilo de dados bancários/fiscais.
7. Sobre o princípio da presunção de inocência, responda:
a) Transcreva o princípio da forma como foi estabelecido na CF/88.
b) Explique o que você entendeu em relação a esse princípio.
c) Cite uma hipótese de prisão preventiva.

1 Como toda regra, no entanto, essa também comporta exceções. Isso porque, a
inviolabilidade da casa do indivíduo poderá ser quebrada em quatro situações: (i)
em caso de flagrante delito; (ii) em caso de desastres; (iii) para prestação de
socorro às vítimas; e/ou (iv) por determinação judicial, apenas durante o dia, o
que remete ao mandado de busca e apreensão, disciplinado no art. 243 do Código
de Processo Penal ("CPP"). Considerando que a CF e o ordenamento jurídico como
um todo devem zelar pelos direitos individuais de cada um, as exceções devem
ser entendidas e interpretadas sempre de forma restritiva, ou seja, aplicáveis a
um menor número de situações possível.

2 ao modo de ingressar no domicílioA qualquer hora do dia isso é possível,


independente da exibição do mandato judicial, nas hipóteses: a) com o
consentimento do morador; b) flagrante delito; c) em casos de desastre, como
incêndio, inundação etc.; e d) para prestar socorro.
3. A afirmação está errada.

4 . destaca os principais requisitos legais para o deferimento da interceptação


telefônica são: a) Ordem do juiz competente para o julgamento da ação principal; b)
Indícios razoáveis de autoria ou participação em infração penal; c) Que a infração
penal seja crime punido com reclusão; d) Que não exista outro meio de se produzir a
prova; e) Que tenha por finalidade instruir investigação policial ou processo criminal.

5. A interceptação telefônica é uma gravação telefônica feita por terceiro, sem o


conhecimento dos interlocutores. ... A gravação clandestina é, como a própria
nomenclatura sugere, a gravação da comunicação feita por um dos interlocutores,
sem conhecimento do outro.
6. A primeira exceção ao sigilo bancário decorre da própria Constituição Federal
(CF/88). No artigo 5º, inciso XII, a Carta Magna estabelece que a inviolabilidade
do sigilo de dados pode ser restringida por ordem judicial.
7. a.  Princípio da presunção de inocência está devidamente exposto
na Constituição Federal de 1988, em seu artigo 5º, inciso LVII, que dispõe que
“ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal
condenatória”. seu extremo, não deveria condenar ninguém como culpado.

b. O princípio da presunção de inocência, visa resguardar o direito à liberdade do indivíduo


acusado de cometer ato ilícito. De acordo com esse, o acusado é considerado inocente até que
se prove o contrário. Assim somente haverá prisão do indivíduo após o trânsito em julgado da
sentença penal condenatória.

C. o Art. 313 do Código de Processo Penal  que, presentes os pressupostos e


fundamentos, a prisão preventiva será determinada quando se tratar de: crimes
dolosos punidos com pena máxima superior a quatro anos (inciso I); Reincidente em
crime doloso (inciso II); Crimes que envolvam violência doméstica e familiar contra
mulher, criança, adolescente,idoso, enfermo ou pessoa portadora de deficiência, para
garantir as medidas protetivas (inciso III); indivíduo que crie dúvidas acerca da
identidade civil ou não fornece elementos suficientes para esclarecê-la

Você também pode gostar