Você está na página 1de 44

Disciplina Operações Unitárias I (COEQ 0037). Profa. Dra.

Lamia Zuniga Linan


CAPÍTULO I. TRANSPORTE DE FLUIDOS
Capítulo 21, Foust, 1982
Capítulo 2. Isenmann, 2013
1
Disciplina Operações Unitárias I (COEQ 0037). Profa. Dra. Lamia Zuniga Linan
Tópicos principais
1. Bombas: transporte de fluidos incompressíveis
1.1 Introdução, Conceito e partes de uma bomba
1.2 Classificação
1.3 Curvas características das bombas
1.4 Critérios de seleção
1.5 Curva do projeto ou sistema
1.6 Ponto de trabalho
1.7 Cavitação
1.8 Associação de bombas

2. Compressores e ventiladores: transporte de fluidos


compressíveis:
2.1 Classificação
2.2 Critérios de seleção
2
❖ CAVITAÇÃO
❖ ASSOCIAÇÃO DE BOMBAS

3
CAVITAÇÃO

4
CAVITAÇÃO
◉ Fenômeno físico que ocorre no interior de
sistemas hidráulicos, que consiste na formação
de bolhas de vapor no meio do fluido
transportado.

◉ NA BOMBA a cavitação apresenta-se quando a


pressão absoluta local, em qualquer ponto é
reduzida abaixo da pressão de vapor do líquido.
❖ Quando as bolhas atinjam regiões de maior pressão,
colapsarão voltando a condensar. O colapso das
bolhas forma ondas de choque que geram a cavitação.

5
Pressão de vapor
◉ Pressão de vapor é a pressão exercida por
um vapor quando este está em equilíbrio
termodinâmico com o líquido que lhe deu origem, ou
seja, a quantidade de líquido (solução) que evapora
é a mesma que se condensa.
◉ A pressão de vapor é uma medida da tendência
de evaporação de um líquido. Quanto maior for a
sua pressão de vapor, mais volátil será o líquido,
e menor será sua temperatura de ebulição
relativamente a outros líquidos com menor pressão
de vapor à mesma temperatura de referência.
Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Press%C3%A3o_de_vapor. Acesso em
29-09-2020

6
Causas secundárias da cavitação

a) Deficiências de projeto, operação ou


manutenção.
b) Distúrbios na sucção da bomba (bloqueio
parcial do escoamento do líquido).
c) Distúrbios causados pelo desvio do fluido na
orientação principal, na saída da voluta.
d) Bomba operando fora da vazão de projeto.

7
Características da cavitação

Barulho e vibração
Alteração das curvas características
Remoção das partículas metálicas da
bomba (Pitting)

8
Deterioro da bomba por cavitação (deterioro do
impelidor)

9
◉ Durante um processo normal de bombeamento, a
pressão no olho do rotor da bomba é reduzida, gerando
um aumento da velocidade do fluido. Existe o perigo de
que as bolhas se formem tanto na entrada do rotor
ou na própria linha de aspiração.
10
Principal região de cavitação
◉ ENTRADA DO IMPELIDOR ( “olho” da bomba)
❖ Aqui, a energia de pressão do fluido é mínima.

11
Observação

◉ Quando a bomba opera, no “olho” do rotor é produzida


uma diminuição da pressão (vácuo), para promover a
entrada do fluido para a bomba.
◉ No olho do rotor, a pressão do fluido é menor do que na
entrada da sucção.
◉ Assim, as chances do fluido evaporar são altas nesta
secção da bomba.

12
Variação da pressão do fluido dentro
da bomba

13
Como evitar/reduzir a cavitação?
1) Aprimorando o projeto da bomba
Utilizar materiais resistentes à corrosão por cavitação
(Aço fundido, Aço cromo, ligas de aço inoxidáveis)
Revestir o rotor com materiais que absorvam o impacto
das colisões (poliuretano, estireno-butadieno,
materiais cerâmicos de alta dureza)

2) Aprimorando o projeto da linha de sucção


Projetar o transporte do fluido de forma que se diminua
o aparecimento de regiões da baixas pressões na linha

14
Bomba não afogada Projeto da linha de sucção

A altura de aspiração está


acima do eixo da bomba

A altura de aspiração
está abaixo do eixo da Bomba afogada
bomba

Normalmente, em bombas afogadas, a cavitação é NULA!

15
NPSH_diponível e NPHS_requerida

◉ NPSH: do inglês Net Positive Suction Head.

◉ NPSH_disponível: Equivale à energia (em


unidades de comprimento) que o fluido possui
no flange da sucção da bomba. DEPENDE DO
SISTEMA
◉ NPSH_requerida: Equivale à energia (m) que se exige da bomba
para aspirar o fluido do poço da sucção. Valor mínimo de
energia requerida pela bomba para operar com segurança,
pois com esta vencerá as perdas por atrito na entrada do
impelidor). FORNECIDA PELO FABRICANTE em função da
vazão

16
Não haverá cavitação

(A energia do fluido na (Energia da bomba na sucção


sucção da bomba) ou olho do impelidor)

❑ Em bombas centrífugas industriais pequenas (capacidade


de 24000 L/h) o NPSH_req oscila entre (1,5 - 3) m.
❑ O NPSH_ req aumenta com a capacidade da bomba.

17
MODELO MATEMÁTICO DE NPSH_disponível

18
Saldo positivo de carga de sucção, NPSH_disponível

◉ Diferença entre a carga na entrada da sucção da bomba


e a carga correspondente à pressão do vapor do líquido
na entrada da bomba.
◉ Representa a energia que o fluido possui na sucção da
bomba por cima da pressão de vapor do próprio fluido

Pressão de
vapor do fluido

As perdas por atrito consideradas são


SOMENTE desde a partida até a sucção
da bomba
z1 será positivo (+) ou negativo (-) a depender da leitura geométrica
considerando o eixo de sucção da bomba como referencia
19
MODELO MATEMATICO DE NPSH_requerido

◉ Define-se em função da:


a) Carga de aceleração na sucção da bomba;
b) Carga de aceleração no olho-rotor da bomba.

20
Haverá cavitação
◉ Quando a energia disponível do fluido até a sucção
(carga do fluido) for menor ou igual à pressão de
vapor do fluido, O QUE EQUIVALE A:

21
Não haverá cavitação

◉ Os valores das velocidades dependem da vazão, assim,


a ocorrência da cavitação pode ser evitada mediante
o ajuste das vazões

22
Curvas NPSH_diponível e NPHS_requerida
versus vazão volumétrica
NPSH

Haverá cavitação Q

23
ASSOCIAÇÃO DE BOMBAS

24
◉ A configuração das bombas busca
suprir/resolver problemas distintos em cada
processo.
•Associação em SÉRIE

•↑ Altura manométrica (H)
•↓ Vazão (Q)

•Associação em PARALELO

•↓ Altura manométrica (H)
•↑ Vazão (Q)

25
SÉRIE

◉ A descarga de uma bomba será conectada à


sucção da seguinte:
❖ A vazão total do sistema = a vazão da bomba de menor vazão
(como se existisse somente uma bomba)
❖ Q_total = Q_menor (entre as vazões)
❖ A pressão de descarga total = soma das pressões de
descarga de cada bomba; →
❖ H_total= (Hbomba1 + Hbomba2 + Hbomba3)
26
CURVA HXQ RESULTANTE DA ASSOCIAÇÃO
DAS BOMBAS EM SÉRIE (DUAS BOMBAS)

Para os cálculos, deve-se


considerar:
• Q1 = Q2 = Q3 = ....Qn

27
PARALELO

◉ Duas ou mais bombas enviam simultaneamente altas


vazões requeridas pelo sistema:
❖ A sucção e a descarga de cada bomba são
independentes
❖ O sistema em paralelo garante que na falha de uma
bomba, a outra continue enviando o fluido sem que
aconteça colapso no sistema pela falta de
fornecimento .
28
CURVA HXQ RESULTANTE DA ASSOCIAÇÃO
DAS BOMBAS EM PARALELO (DUAS BOMBAS)

❖ Vazão do sistema = Qsistema = Q1 + Q2 + Qn +


...
❖ H máx do sistema= Hmenor entre as H das bombas

29
Exercício
◉ Um derivado de petróleo deverá ser transferido de um vaso
no processo, (cuja pressão manométrica é de 0,30 kgf/cm2, e
cuja cota de sucção da bomba é 1.367 mm) até um
reservatório onde a pressão é atmosférica e cuja cota é de
6.008 mm.
◉ A vazão de operação necessária para que o processo seja
contínuo é de 19 m3/h.
◉ O produto a ser bombeado tem peso específico de 0,75
gf/cm3 e pressão de vapor de 0,50 kgf/cm2, na temperatura
de escoamento. A perda de carga entre a o vaso e a sucção
da bomba é 4,5 m.
◉ A pressão atmosférica local é de 0,97 atm
◉ Se for utilizada a bomba, cujo NPSH_req está representado
na curva a seguir. Indique se este equipamento poderá operar
sem a ocorrência do fenômeno de cavitação?

30
P2 = Patm = 0,97 atm

P1_man = 0,30 kgf/cm2


z2 = 6.008 mm

z1 = 1.367 mm

hL até (2) = 4,5 m

31
Resolução
• Dados do problema:

• Vazão de operação necessária para que o processo seja


contínuo = 19 m3 /h
• Peso específico do fluido γ = 0,75 gf/ cm3
• Pv do fluido = 0,50 kgf/ cm2 na temperatura do escoamento;
• Perda de carga no trecho entre o vaso e a entrada do olho do
impelidor, hLT = 4,5 m;
• A pressão atmosférica local = 0,97 atm

• Lembrando que :
γ = (ρ x g)

Por exemplo: Para a água, γ_água= 9810 N/m3 a condições de 1 atm e


20 C; ρ = 1000 kg/m3

32
0,90

19 m3 /h

33
Resolução

◉ Para sabermos se às condições de operação, a bomba não


entrará em cavitação, deve-se calcular a NPSH_disponível e
compará-la com a NPSH_requerida, à vazão de trabalho

• Calculando NPSH_disponível (a energia até a entrada no olho do rotor da


bomba:

• Cálculo da P_abs_1

34
Resolução

• Expressando o peso especifico nas unidades do SI:

• Substituindo na equação de NPSH_disponível:

6,67
14,15
35
Resolução

• Lendo NPSH_req para a vazão de 19 m3 /h, resulta em 0,90 m:

(7,48 m) > (0,90 m) Resposta

36
Exercício
◉ Em uma indústria de café solúvel é necessário transportar
extrato de café na concentração de 20° Brix, a 40 °C,
usando a planta de processo ilustrada na Figura.
◉ A tubulação de sucção tem diâmetro nominal de 6”,
Schedule 40 (DI = 154,06 mm), enquanto a tubulação de
recalque tem diâmetro nominal de 4” Schedule 40
(DI=102,26 mm).
◉ O medidor de vazão, tipo venturi apresenta uma relação de
diâmetros D2/D1 = (102,26 mm/154,06 mm), e a leitura no
manômetro acoplado é de 54 cm de coluna de líquido
manométrico (ρm = 2780 kg/m3); o coeficiente do tubo
venturi fornecido pelo fabricante é Cd = 0,97.
◉ A perda de energia mecânica total é 32,54 J.kg-1,
enquanto que a perda de energia mecânica na sucção é
9,34 J.kg-1.
37
◉ A planta processadora encontra-se em um local cuja pressão
atmosférica é 1,024x102 kPa.
◉ A tubulação é de aço inoxidável e sua rugosidade pode ser
considerada próxima do zero.
◉ As propriedades do extrato de café são obtidas a partir de
equações preditivas: μ = 1,45x10-3 Pa.s, ρ = 1062,7 kg/m3, Pv
= 4,37 kPa
◉ Determine:
❖ a) Ocorrerá cavitação? Considerando que o catálogo
da bomba fornece NPSHbomba = 3 m.c.a. (metros de
coluna de água)
❖ b) Velocidade média do fluido nas linhas de sucção e de
recalque, e as vazões mássica e volumétrica do extrato de
café (Resposta: 1,97 m/s e 4,47 m/s e 39 kg/s)
❖ c) Qual a potência da bomba? (Resposta 2480 watt)

38
39
Resolução

• Para saber se a bomba cavitará, deve-se comparar o NPSH_disponível


com o NPSH_requerida para o sistema:

◉ P1 = PA no sistema = Patm = 1,024x102 kPa


◉ z1 : distância desde o ponto A até a linha de referencia da
bomba, z1 = (1 + 7 ) m = 8 m

◉ hLT = hsucção : Perda de carga desde o ponto A até a entrada


da bomba (sucção)

• Substituindo na equação de calculo de NPSH:

40
Resolução

Propriedades para a água às Propriedades para o fluido do


mesmas condições do sistema sistema

41
Resolução

Resposta

42
o!
t u d
Es Exercício de curva de bombas (potencia
absorvida versus vazão)
Dada a curva de potência em função da vazão de uma bomba,
representada no gráfico a seguir, e sabendo-se, ainda, que o fluido tem
massa específica de 0,84 g/cm3, calcular:

a) O rendimento da bomba e a potência útil cedida ao fluído, quando


operando com vazões de 30, 35 e 40 m3/h, que correspondem a
alturas manométricas respectivas de 212, 208 e 204 m,
considerando impelidor de diâmetro 12 ½”;
b) O rendimento da mesma, quando operando com vazões de 30, 35
e 40 m3/h, que correspondem a alturas manométricas respectivas
de 98, 92 e 82 m, considerando impelidor de diâmetro 9 ½”.

Dados adicionais:
1 kg = 2,2 lb; 1 m3 = 35,31 ft3; 1 m = 3,28 ft

43
Curva de potencia absorvida Pabs (para o exercício)
BHP: Brake Horse Power
1 BHP =1,014 HP

(1). Impelidor de 12 1/2”

(2). Impelidor de 9 1/2”

44

Você também pode gostar