Você está na página 1de 1

12:20 , sob o número WCOR17000000660.

fls. 1746
1422

de rever atos anteriores que, se eventualmente em choque com os princípios


estabelecidos no artigo 37 da Constituição Federal (legalidade,
impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência), estão sujeitos não
só ao controle externo, como também ao controle interno da administração,

0010229-53.2016.8.26.0068 e código EA9563.


ainda que originados de processos encerrados com o mesmo objeto, as
mesmas partes e a mesma causa de pedir. Essa a doutrina dos mais renomados

BAGNOLI.
administrativistas, como HELY LOPES MEIRELLES (Direito
Administrativo Brasileiro, Malheiros, p. 625), CELSO ANTONIO

e DEBORAàs
BANDEIRA DE MELLO (Curso de Direito Administrativo, Malheiros, p.

em 29/06/2017
421), OSWALDO ARANHA BANDEIRA DE MELLO (Princípios Gerais
de Direito Administrativo, FORENSE, p. 197), ANDRÉ RAMOS
TAVARES, (Curso de Direito Constitucional, Saraiva, p. 503), entre outros.

de Sao Paulo
Discorrendo sobre a revisão dos atos administrativo,

protocolado
legítimos ou ilegítimos, o nobre Desembargador RUI STOCO, hoje
aposentado, deixou assentado nas Redes Sociais, acesso em 28 de janeiro de

Estado
6096606.
2017:

Paulo,
o processo
de Saodo
Questão que vem sendo intensamente questionada e

e código
de Justica
discutida refere-se ao poder de revisão dos atos administrativos, seja

informe
por parte da própria autoridade que o editou, seja por parte do Poder

do Estado
https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0035547-39.2016.8.26.0100
Judiciário, através de sua atividade jurisdicional e, ainda, do

por Tribunal
Para conferir o original, acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/pastadigital/sgcr/abrirConferenciaDocumento.do,
CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, no exercício do controle
administrativo desse Poder, por força do que dispõe o art. 103-B, § 4º da

de Justica
Constituição Federal, com redação da Emenda Constitucional nº 45, de

digitalmente
8 de dezembro de 2004.

e Tribunal
Está-se falando da revisão de atos administrativos
sejam eles legítimos, hipótese em que tal ocorre para atender ao

assinado
interesse da Administração, no que se refere à oportunidade e

BAGNOLI
conveniência dos atos discricionários, ou ilegítimos, por vício de forma
ou de substância, em que se exerce o controle de regularidade e

do original
legalidade.
DEBORA
A discussão não é nova mas assumiu relevância a
cópia
partir da explicitação legal, ou seja, a partir da fixação por lei de limite
às 12:33, épor

temporal para a revisão dos atos administrativos praticados por


assinado digitalmente

qualquer órgão de poder, ou emanados de autoridades com funções


administrativas como atividade primária ou atividade-fim, como sói
ocorrer com o Poder Executivo, ou como atividade secundária, no
em 26/06/2017

âmbito dos poderes Legislativo e Judiciário.


Cabe, contudo, delimitar o tema, e fixá-lo no âmbito
da legislação posta e do entendimento que vem sendo delineado
do original,

hodiernamente no plano doutrinário, por juristas de escol e pelo


protocolado

trabalho de construção e modulação exercido por nossos Pretórios,


notadamente pela Suprema Corte e por parte do Conselho Nacional de
foicópia

Justiça (http://www.conteudojuridico.com.br/artigo,revisao-dos-atos-
Este documento é