Você está na página 1de 4

Nome: Glen Lucas Etelvino Lucas

Ficha de leitura: Procedimento Administrativo

1. Obras de Referência
 AMARAL, Diogo Freitas. Curso de Direito Administrativo. v. 1. Coimbra:
Almedina, 1992.
 DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella, Direito administrativo, - 27. ed. - São Paulo:
Atlas, 2014
 MACIE, Albano, Lições do Direito Administrativo moçambicano, Escolar Editora,
Referências 2012
Bibliográficas 2. Legislação
 Lei n. 14/2011, de 10 de Agosto - regula a formação da vontade da Administração
Pública, estabelece as normas de defesa dos direitos e dos interesses dos particulares

Conceito
De acordo com Diogo Freitas do Amaral, Procedimento Administrativo é a sequência
juridicamente organizada de actos e formalidades tendentes á preparação da prática de
um acto da Administração ou da sua execução.
Deste conceito, pode-se extrair os seguintes elementos:
1. O Procedimento é uma sequência: quer isto dizer que os vários elementos que o
integram não se encontram organizados de qualquer maneira
2. O Procedimento constitui uma sequência juridicamente ordenada: É a lei que
determina quais os actos a praticar e quais as formalidades a observar; é também a lei
Síntese que estabelece a ordem dos trâmites a cumprir, o momento em que cada deve ser
efectuado, quais os actos antecedentes e os actos consequentes.
3. O Procedimento Administrativo traduz-se numa sequência de actos e
formalidades:
Na verdade, não há nele apenas actos jurídicos ou tão-só formalidades: no
Procedimento Administrativo tanto encontramos actos jurídicos como meras
formalidades.
4. O Procedimento Administrativo tem por objecto um acto da Administração. A
expressão “acto de Administração” engloba genericamente todas as categorias. O
que dá carácter administrativo ao procedimento é, precisamente, o envolvimento da
Administração Pública e o facto de o objecto dele ser um acto da Administração
5. O Procedimento Administrativo tem por finalidade preparar a prática de um acto
ou respectiva execução. Daqui decorre a distinção entre procedimentos decisórios e
executivos.
De acordo com Albano Macie, Procedimento Administrativo é um sistema de actos e
formalidades de conteúdo, função e intervenientes diversos, autonomamente relevantes,
mas interconexionados ou encadeados numa sequência lógico-temporal, com vista a
formação e manifestação da vontade da Administração Pública na prossecução do
interesse posto por lei a seu cargo.
Conceito Legal
A Lei n. 14/2011, de 10 de Agosto, que regula a formação da vontade da Administração
Pública, estabelece as normas de defesa dos direitos e dos interesses dos particulares,
define, no seu Glossário, o procedimento Administrativo como sendo “uma sucessão
ordenada de actos e formalidades com vista a formação e manifestação da vontade da
Administração Pública ou á sua execução”.

Características
 Procedimento escrito mas sem formalismo rígido
 Procedimento secreto
 Procedimento de colaboração de diversos órgãos e agentes administrativos
 Procedimento que permite a participação dos particulares
 Ponderação de interesses público e privado
 Procedimento inquisitório
Objectivos da Regulamentação Jurídica do Procedimento Administrativo
De acordo com o artigo 2 da Lei do Procedimento Administrativo, este tem como
objectivo fundamental “regular a formação da vontade da Administração Pública e
estabelecer as normas de defesa dos direitos e deveres dos particulares.
Natureza
1. Para a tese processualista, advogada por Marcello Caetano, Marques Guedes, Rui
Machete e Alberto Xavier, o procedimento administrativo é um autêntico processo,
espécie de processo no verdadeiro sentido. Daí, defende o Professor Marcello
Caetano que, “O processo administrativo, portanto, pode ser gracioso ou
contencioso”.
2. Tese antiprocessualista, defendida por Afonso Queiró e Rogério Soares, o
procedimento não é um processo; procedimento administrativo e processo (judicial)
não são duas espécies do mesmo gênero, mas sim, dois gêneros diferentes,
irredutíveis uns ao outro.
Concluindo, o procedimento administrativo é uma sucessão ordenada de actos e
formalidades que compõe o processo; neste caso, o processo administrativo
“gracioso”; contrapondo-se a este processo administrativo, o processo que corre nos
tribunais administrativos (processo contencioso administrativo), e nos tribunais
comuns (processo judicial).
Princípios
1. Princípio da iniciativa
2. Princípio da celeridade
3. Princípio da publicidade
4. Princípio da gratuidade
5. Princípio da Administração aberta
Espécies
De acordo com Diogo Freitas do Amaral, as especíes são divididas nas seguintes
categorias:
1. Quanto a Iniciativa: quando se determina o sujeito que dá início ao procedimento
Administrativo.
a) Iniciativa pública: susceptíveis de início oficioso
b) Iniciativa particular: aquele que é iniciado ou começado pelo particular
2. Quanto ao objecto:
a) Procedimento decisório: visam a tomada de uma decisão administriva
b) Procedimento executório: tem por finalidade assegurar a projecção dos efeitos
de uma decisão administrativa
Subdivide-se em:
 Procedimento administrativo clássico ou tradicional
 Procedimento administrativo comum: que é regulado pela lei geral do
procedimento administrativo
 Procedimento administrativo especial: quando existem leis específicas para
tratar determinadas matérias
Âmbito do Procedimento Administrativo
1. Procedimento Administrativo para formação da vontade da
Administração Pública (Actos administrativos)
2. Procedimento administrativo para formação da manifestação da vontade
ao nível de contratação Administrativa

Procedimento Administrativo é “a sequência juridicamente organizada de actos e


formalidades tendentes á preparação da prática de um acto da Administração ou da sua
execução. (AMARAL, Diogo Freitas do, Curso de Direito Administrativo, p. 323)
De acordo com Albano Macie, Procedimento Administrativo é “um sistema de actos e
Citações formalidades de conteúdo, função e intervenientes diversos, autonomamente relevantes,
mas interconexionados ou encadeados numa sequência lógico-temporal, com vista a
formação e manifestação da vontade da Administração Pública na prossecução do
interesse posto por lei a seu cargo.” (MACIE, Albano, Lições do Direito Administrativo
moçambicano, volume I, p. 20)
Há que realçar uma discussão doutrinária que surge em relação á nome de
Procedimento/Processo. O Procedimento é uma sucessão ordenada dos actos e
Análise crítica formalidades visando a formação da vontade da Administração Pública; o Processo é a
materialização daquela sequência de actos em papel, formando documentos.

Você também pode gostar