Você está na página 1de 13

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

PEDAGOGIA

SEMANA CULTURAL VIRTUAL

Barra do Bugres-MT
2021
SEMANA CULTURAL VIRTUAL

Produção Textual para o Curso de Pedagogia


apresentado à Universidade Pitágoras Unopar, como
requisito parcial para a obtenção de média bimestral nas
disciplinas de Educação e Artes; Aprendizagem da
Língua Portuguesa; Aprendizagem de Ciências Naturais;
Literatura Infanto-juvenil; Legislação Educacional;
Práticas Pedagógicas em Pedagogia: Práticas de
Alfabetização e Letramento; Aprendizagem da Geografia
e da História; e Estágio Curricular Obrigatório II: Anos
Iniciais do Ensino Fundamental

Tutor (a): Salete Regina Lugle e Márcia Amélia Costa

Barra do Bugres-MT
2021
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO.......................................................................................................3
2 DESENVOLVIMENTO...........................................................................................4
3 CONCLUSÃO........................................................................................................9
REFERÊNCIAS...........................................................................................................10
3

1 INTRODUÇÃO

O presente trabalho apresenta uma proposta de Projeto Interdisciplinar com


o intuito de viabilizar uma Semana Cultural Virtual a ser vivenciada com alunos dos
anos iniciais do Ensino Fundamental por meio de ferramentas digitais e metodologia
ativa de ensino híbrido (presencial/online). Considera, também, articular a temática
com as diferentes áreas do conhecimento curricular a fim de possibilitar a
aprendizagem interdisciplinar mediada pelas ferramentas digitais.
A temática deste projeto retrata o planejamento da Semana Cultural Virtual,
idealizado pela professora Gabriela que após o início do ensino remoto percebeu
que os alunos não despertavam tanto interesse pelas aulas, e que ficaram de certa
forma cansados da rotina escolar. Assim, a professora Grabriela propôs a direção da
escola, este projeto interdisciplinar cultural, de maneira remota, com o objetivo de
incentivar o engajamento dos alunos pelo tema, e que os mesmos pudessem
desenvolver habilidades investigativas e de análise crítico-reflexiva.
Desta maneira, a metodologia do PTG apresenta as etapas do projeto
descrevendo: o Tema “O respeito à diversidade cultural”, Público-alvo: alunos do 5º
ano do Ensino Fundamental; Justificativa; Objetivo geral; Objetivos específicos;
Metodologia; Recursos didáticos; Avaliação e Referências
4

2 DESENVOLVIMENTO

Com o fechamento das escolas motivado pelo advento da pandemia iniciada


no primeiro trimestre de 2020, no Brasil, e a adoção das aulas remotas estima-se
que houve uma ruptura potencialmente prejudicial para a educação de uma geração
de alunos. Mas um dos poucos resultados positivos dessa experiência é uma
oportunidade de repensar como as tecnologias digitais podem ser usadas para
apoiar o ensino e a aprendizagem nas escolas.
Com o grande avanço tecnológico que vivenciamos conseguimos continuar
o estudo remoto, que significa distanciamento geográfico. O ensino e considerado
remoto porque foi a maneira encontrada para prosseguir os estudos por meios
digitais substituir as aulas presencias por aulas mediadas por tecnologias.
A Educação infantil passa por um processo de estimulo com novas práticas
pedagógicas que utilizam recursos variados e estimulantes, incentivando o aluno a
dar continuidade aos estudos, temos vários tecnológicos meios que podemos usar
como: Celulares, tabletes e computadores e várias outras plataformas digitais como
slides, exercícios virtuais e web, o software, o groupware são uma das tecnologias
mais usadas por ter um suporte maior de usuários em grupo facilitando a
compreensão das ambas as partes.

Behar (2020, p1) faz uma reflexão deste novo cenário educacional e
conceitua:
O Ensino Remoto Emergencial e a Educação a Distância não podem ser
compreendidos como sinônimos, por isso é muito importante, no contexto
que estamos vivendo, clarificar esses conceitos. O termo “remoto” significa
distante no espaço e se refere a um distanciamento geográfico. O ensino é
considerado remoto porque os professores e alunos estão impedidos por
decreto de frequentarem instituições educacionais para evitar a
disseminação do vírus. É emergencial porquê do dia para noite o
planejamento pedagógico para o ano letivo de 2020 teve que ser
engavetado. (BEHAR, 2020, p1)

Os últimos meses de ensino remoto implementado às pressas pouco nos


dizem sobre como os sistemas escolares podem se tornar totalmente virtuais ou
operar em uma base “híbrida” (parte online, parte presencial). O fechamento de
escolas fez com que professores, alunos e famílias se reunissem para realizar
grandes feitos com tecnologias relativamente simples. Isso inclui a surpreendente
ascensão das mídias digitais como fonte de conteúdo da aprendizagem.
5

Este cenário imposto pela pandemia do Covid-19 trouxe desafios para as


escolas, principalmente na necessidade de manter os alunos motivados à medida
que precisaram adotar o ensino online. A falta de convivência e interações entre os
alunos e professores são facilitadores para que um aluno online fique
desestimulado, perdendo o interesse pelo aprendizado.
Nesse contexto, as ferramentas tecnológicas mostraram-se eficaz no ensino
mediado por metodologias ativas, as quais propiciam a participação ativa do aluno
no processo de aprendizagem. Com base nessas visões, a professora Gabriela fez
uma sugestão de coordenação pedagógica de elaborar um Projeto Interdisciplinar
com o tema “Semana cultural virtual” para fornecer aos alunos diferentes formas de
expressão artística e cultural e social, com o intuito de inspirar os alunos a
participarem de atividades remotas.
Sabe-se que o uso de mídias digitais, são ferramentas importantíssimas de
apoio as atividades dos professores, comunicação entre gestores e alunos para
promover a troca de informações, e para um ensino colaborativo quando da
utilização destes recursos tecnológicos.
A tecnologia fez mais do que modificar o currículo e as práticas escolares e
em tão pouco tempo. Embora possa ser difícil acompanhar todas as tendências em
tecnologia educacional, a mentalidade que se tem quando se trata de tecnologia em
ensino é tão importante quanto as tecnologias que utilizamos no dia a dia. Portanto,
aprimorando estes recursos de aula, pode-se fornecer aos alunos ferramentas e
oportunidades que de outra forma eles não teriam acesso.
Muitos educadores não estão motivados a realizar projetos por meios de
recursos digitais, geralmente porque não têm certeza de como usá-los de forma
eficaz ou não sabem dos benefícios, nem como conquistar o interesse dos alunos.
Em outro sentido, nossa situação geradora apresentada a professora
Grabriela, que se sente empolgada com a possibilidade de promover a Semana
Cultural Virtual, por meio da utilização destes recursos, e agora busca meios
objetivando despertar a atenção e a motivação para que os educandos participem
de maneira efetiva deste projeto, que deverá estar voltado dentro de um conceito
interdisciplinar.
O ensino interdisciplinar refere-se ao conceito de aprendizagem de um único
assunto a partir de múltiplas perspectivas. Comprovado por impulsionar os
resultados da aprendizagem e o entusiasmo em torno do assunto, o ensino
6

interdisciplinar permite que os alunos pensem criticamente, identifiquem seus


próprios preconceitos, aceitem o desconhecido e respeitem os dilemas éticos. Ele
também permite que os alunos entendam os insights de diferentes disciplinas,
sintetizar informações sobre um tópico e, em última análise, oferece uma
compreensão mais completa de um problema. O ensino interdisciplinar vai além do
ensino multidisciplinar, que requer apenas a consideração de diferentes perspectivas
e, muitas vezes, requer a colaboração entre vários educadores para ser executado
adequadamente.
A interdisciplinaridade permite que o aluno aprenda fazendo conexões entre
ideias e conceitos através de diferentes fronteiras disciplinares. Os alunos que
aprendem dessa forma são capazes de aplicar o conhecimento adquirido em uma
disciplina a outra disciplina diferente, como forma de aprofundar a experiência de
aprendizagem. A abordagem mais eficaz para o estudo interdisciplinar permite que
os alunos construam seu próprio caminho interdisciplinar, escolhendo cursos que
façam sentido para eles. Por exemplo, não é muito difícil encontrar um tema que
ultrapasse as fronteiras disciplinares em Português; Artes, História; Ciências e
Matemática. Estudar tópicos tematicamente é uma maneira de reunir ideias,
resultando em um aprendizado mais significativo.
Uma das maiores barreiras para alcançar o verdadeiro estudo interdisciplinar
no ambiente escolar é a necessidade de colaboração dos educadores. Isso pode ser
difícil de conseguir, mas não impossível. O ensino e a aprendizagem
interdisciplinares são maximizados quando profissionais de diferentes disciplinas
trabalham juntos para servir a um propósito comum e para ajudar os alunos a fazer
as conexões entre diferentes disciplinas ou áreas temáticas. Essa interação apoia o
paradigma construtivista, que permite a construção de novos conhecimentos e uma
compreensão mais profunda das ideias do que o estudo disciplinar.
Portanto, fazer conexões entre diferentes conceitos é essencial no estudo
interdisciplinar; haja visto que os alunos são altamente motivados, pois têm grande
interesse em buscar tópicos que sejam interessantes para eles. Como resultado, o
conteúdo é muitas vezes enraizado em experiências de vida, dando um propósito
autêntico para o aprendizado e conectando-o a um contexto do mundo real.
Ratifica Bonatto et al. (2012), apud Santos, Rosa e Darroz (2019, p 5) na a
interdisciplinaridade todos são beneficiados:
7

Todos ganham com a interdisciplinaridade, primeiramente pelo


conhecimento recuperar sua totalidade e complexidade; os professores pela
necessidade de melhorarem sua interação com os colegas e repesar da sua
prática docente; os alunos por estarem em contato com o trabalho em
grupo, tendo o ensino voltado para compreensão do mundo que os cerca;
por fim a escola, que tem sua proposta pedagógica refletida a todos instante
e ganham como grandes parceiros a comunidade, porque o entendimento
do mundo que está inserido os alunos, partem do princípio de se ouvir
também a comunidade.

Consequentemente, a aprendizagem torna-se significativa, objetiva e


mais profunda, resultando em experiências de aprendizagem que permanecem com
o aluno por toda a vida.
Que tipo de apreciações e experiências artísticas podem ser
vivenciadas com os alunos dos anos iniciais do Ensino Fundamental?
A BNCC destaca que para o Ensino Fundamental a
aprendizagem de Arte deve abranger vivências e experiências artísticas como
prática social, oportunizando que os alunos sejam os protagonistas no aprendizado.
As aulas de Arte devem contemplar as quatro linguagens, Artes
Visuais, Dança, Música e Teatro, as quais estão integradas as seis dimensões do
conhecimento artístico.
O ensino de Arte requer planejamento e intencionalidade
pedagógica, assegurando para que os alunos possam se expressar criativamente.
As experiências e vivencias artísticas devem estar centradas nos interesses das
crianças e nas culturas infantis, garantindo aos alunos o desenvolvimento das
competências relacionadas a alfabetização e letramento. A arte possibilita o acesso
à Leitura, a criação e produção de diferentes linguagens artísticas, proporcionando o
desenvolvimento de habilidades tanto na Linguagem verbal, e não verbal.
Como considerar a interdisciplinaridade no planejamento e
execução do projeto?
Na elaboração do projeto a interdisciplinaridade tem o objetivo
de proporcionar a integração dos conteúdos de diferentes disciplinas, com a
finalidade de fazer com que as áreas do conhecimento se complementem, e que os
conteúdos das disciplinas sirvam de base ao aprendizado uma das outras, tornando
a aprendizado mais significativo.
Ao elaborar o projeto o professor atua como facilitador, e os
estudantes devem participar de forma colaborativa e autônoma em todas as etapas
do projeto, e na construção do projeto os alunos utilizarão o conhecimento de
8

diferentes disciplinas com o objetivo de promover diálogos, reflexão e respeito as


diferentes culturas. Na escolha do tema deve-se pensar quais aspectos serão
abordados, exemplo: cultura, características regionais, hábitos alimentares,
economia, entre outras, e quais recursos serão utilizados para obter as informações
necessárias, como internet, jornais, livros, revistas etc.
Quais ferramentas digitais podem ser utilizadas?
As ferramentas digitais na educação possibilitam inovações e
mudanças significativas no processo de ensino e aprendizagem, e com pandemia
ficou nítido a importância de ferramentas digitais na educação, pois possibilitou que
os alunos continuassem seus estudos.
No mundo atual, em que é preciso
educar numa sociedade em que os dispositivos
tecnológicos e midiáticos produzem outras sensibilidades,
desvocalizam o saber, inauguram novas formas de
expressão, Comunicação e Educação caminham juntas.
(SARTORI; SOARES, 2013, p. 12).
Na educação são inúmeras as ferramentas digitais que podem
ser utilizados, no projeto por exemplo pode ser utilizada a plataforma Zoom,
Loopster, Animoto, youtube, entre outras.

Tema do
O respeito à diversidade cultural
projeto
Público-alvo Alunos do 5º ano do Ensino Fundamental
Diversidade cultural significa reconhecer e valorizar os diferentes
grupos e culturas que constituem o mosaico étnico mundial,
incentivando a interação dos diferentes grupos e tornando essa
Justificativa característica um fator de enriquecimento cultural.
O desenvolvimento deste projeto busca promover respeito as
diferenças, enriquecê-las e, ao mesmo tempo, valorizar a própria
cultura e as características regionais.
Reconhecer etnias diferentes, respeitar as diferenças regionais do
Brasil, combater o preconceito, a discriminação e a exclusão
Objetivo geral
social, estimular a tolerância, o respeito e a unidade para alcançar
a convivência harmoniosa.
9

- Promover momentos de reflexão a partir de curtas metragens


envolvendo a diversidade social e cultural brasileira.
- Pesquisar sobre diversidade cultural regional brasileira (música,
dança, folclore, hábitos alimentares, etc.).
- Pesquisar os grupos étnicos mais comuns no Brasil e suas
influências na cultura brasileira.
- Destacar os alimentos das principais etnias (procedência,
Objetivos alimentação mais saudável) que influenciaram na culinária
específicos brasileira.
- Identificar no mapa a diversidade existente do Brasil (africano,
italiano, alemão e outros locais com maior incidência)
- Promover debates online sobre os temas pesquisados abordando
questão da diversidade do povo brasileiro com foco tolerância e
respeito a diversidade.

LÍNGUA PORTUGUESA –
Os alunos serão estimulados a realizarem leitura e interpretação
de textos, imagens e assistirem vídeos e promoverem debates dos
assuntos abordados.

HISTÓRIA/GEOGRAFIA –
Os alunos realizarão pesquisas sobre as principais raças e sua
influência no desenvolvimento da população brasileira e
identificando no mapa as regiões brasileiras com maior impacto na
cultura trazida por estes povos.

MATEMÁTICA/ CIÊNCIAS –
Após as pesquisas de História/Geografia, os alunos elaborarão
Metodologia
gráficos representando quantitativamente as diferentes raças
brasileiras destacando suas culinárias tradicionais.

ARTE/EDUCAÇÃO FÍSICA –
Os alunos deverão pesquisar sobre a música, dança, arte e
esporte característico de cada grupo étnico e apresentar em slides
ou vídeos.

Na finalização da semana cultural virtual todas as produções serão


expostas em uma plataforma virtual e, também, os alunos e
professores realizarão um debate online resgatando a diversidade
social e cultural do brasileiro.

Humanos - professor e alunos;


Recursos
Materiais - computador; internet, slides de apresentação remota,
didáticos
vídeos do Youtube, plataforma ZOOM, Facebook, etc.
A avaliação será realizada com a participação dos alunos durante
a execução do projeto.
Avaliação A avaliação terá continuidade e obedecerá aos seguintes critérios:
participação, produção escrita, organização, exame oral,
aprovação da apresentação, trabalho artístico, participação.
10

Lopes de Lima, J. F. (2020). O pedagogo docente e o ensino de


arte na educação infantil e nos anos iniciais do ensino
fundamental. Educação Em Foco, 23(41), 110–127.
https://doi.org/10.24934/eef.v23i41.4838. Acesso em:
03/março/2021.

BARROSO, Felipe; ANTUNES, Mariana. Tecnologia na educação:


ferramentas digitais facilitadoras da prática docente. Pesquisa e
debate em educação, Juiz de Fora, v. 5, n. 1, 2015. Disponível em:
http://revistappgp.caedufjf.net/index.php/revista1/issue/view/12.
Referências Acesso em: 17/março/2021.

SANTOS, Melina Nymann dos.; ROSA, Cleci Teresinha Werner


da; DARROZ, Luiz Marcelo. Interdisciplinaridade no contexto
escolar: relato de uma atividade envolvendo um estudo sobre
diferentes países. Vivências. Vol 15, n. 28: p. 135-144, Mai. 2019.
Disponível em:
http://revistas.uri.br/index.php/vivencias/article/view/21. Acesso
em: 10/março/2021.
11

3 CONCLUSÃO

A produção textual traz a oportunidade da aplicação dos conceitos teóricos


das disciplinas norteadoras estudadas, dentro de uma situação hipotética
possibilitando a compreensão que a interdisciplinaridade permite abordar os
conteúdos disciplinares nas dimensões científica, cultural e social integrados com
outras áreas do conhecimento. Ao mesmo tempo, aborda as diferenças individuais
dos alunos e ajuda a desenvolver habilidades como pensamento crítico,
comunicação e análise.
Os sistemas educacionais estão servindo melhor aos alunos se permitirem e
incentivá-los a construir seu próprio caminho interdisciplinar. Essa abordagem
certamente promoverá o interesse pelo aprendizado, acenderá uma centelha de
entusiasmo e abordará as diferenças de aprendizado dos alunos.
Certamente são conceitos ora absorvidos e que serão levados em toda
nossa trajetória profissional.
12

REFERÊNCIAS

BEHAR, Patricia Alejandra. O Ensino Remoto Emergencial e a Educação a


Distância. Coronavírus. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2020.
Disponível em: https://www.ufrgs.br/coronavirus/base/artigo-o-ensino-
remotoemergencial-e-a-educacao-a-distancia/. Acesso em: 12 mar 2021.

LIMA, João Francisco Lopes de. O Pedagogo docente e o ensino de Arte na


Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Educação em Foco,
Belo Horizonte, ano 23, n. 41, set./dez. 2020. Disponível em:
https://revista.uemg.br/index.php/educacaoemfoco/article/view/4838. Acesso em: 04
mar. 2021.

BONATTO, Andréia; BARROS, Caroline R.; GEMELI, Rafael A.; LOPES, Tatiana B.;
FRISON, Marli D. Interdisciplinaridade no ambiente escolar. In: IX Seminário de
Pesquisa em Educação da região sul. 2012. Disponível em:
<http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/anpedsul/9anpedsul/paper/viewFile/24
14/501>. Acesso em: 04 mar. 2021

BARROSO, Felipe; ANTUNES, Mariana. Tecnologia na educação: ferramentas


digitais facilitadoras da prática docente. Pesquisa e debate em educação, Juiz de
Fora, v. 5, n. 1, 2015. Disponível em:
http://revistappgp.caedufjf.net/index.php/revista1/issue/view/12. Acesso em: 05 mar.
2021

SANTOS, Melina Nymann dos.; ROSA, Cleci Teresinha Werner da; DARROZ, Luiz
Marcelo. Interdisciplinaridade no contexto escolar: relato de uma atividade
envolvendo um estudo sobre diferentes países. Vivências. Vol 15, n. 28: p. 135-
144, Mai. 2019. Disponível em:
http://revistas.uri.br/index.php/vivencias/article/view/21. Acesso em: 10mar.2021.

Você também pode gostar