Você está na página 1de 3

Na segunda vídeo aula estudamos o ciclo PDCA, termo que vem o inglês: Plan

- Do - Check - Act ou Adjust. Vimos como ele é importante para a melhoria da


qualidade do serviço de engenharia clínica, pois além de ser simples, é uma
metodologia rápida de ser aplicada. Essa agilidade é particularmente
importante após uma auditoria in locu onde sejam informadas recomendações
de melhorias e ajustes.
Com base no conteúdo estudado e em sua trajetória profissional,
responda as questões abaixo:
a) O que o responsável pelo setor de engenharia clínica deve priorizar
após receber um relatório de auditoria in locu?
Verificar se as ações do setor e seus resultados estão de acordo com as
disposições planejadas, analisando as informações fornecidas com vistas à
melhoria do controle efetivo sobre as atividades do setor. Isso pode ser feito
através da análise e verificação das necessidades de melhoria ou de ações
apontadas no relatório como necessitando de medida
preventiva/corretiva/saneadora.
Pode-se verificar também a conformidade dos elementos de um sistema ou
serviço, verificando o cumprimento das normas e requisitos estabelecidos, bom
como o cumprimento da Legislação Federal, Estadual, Municipal e
normatização específica do setor saúde, com vistas às adequações
necessárias.

b) O que é o ciclo PDCA? Após a definição, cite e explique, com suas


palavras, cada etapa do ciclo.
O Ciclo PDCA é uma ferramenta de qualidade que facilita a tomada de
decisões com o objetivo de garantir o alcance das metas necessárias, bem
como à evolução dos produtos e serviços em termos de qualidade entregue
aos clientes
A sigla é formada pelas iniciais:
1. P, de “Plan”– Planejar – estabelecer os objetivos e processos
necessários para fornecer resultados de acordo com os requisitos e
políticas pré-determinados.
2. D, de “Do” – Fazer, executar – implementar as ações necessárias que
foram planejadas.
3. C, de “Check” – Checar, verificar – monitorar e medir os processos e
produtos em relação às políticas, às métricas, objetivos e aos requisitos
estabelecidos e registrar/relatar os resultados.
4. A, de “Act” – Agir – executar ações para promover continuamente a
melhoria dos processos, isso a partir dos indicadores obtidos no passo
de anterior de verificação.
Retorna-se então ao Planejamento, primeiro passo do ciclo, e deve-se
verificar se as ações do setor e seus resultados estão de acordo com as
disposições planejadas, analisando as informações fornecidas com vistas à
melhoria do controle efetivo sobre as atividades do setor. Isso pode ser feito
através da análise e adequação do planejamento, fechando e iniciando
novamente o ciclo PDCA.
Quando implementado corretamente, um verdadeiro processo de melhoria
contínua se instala e a elevação da qualidade ocorre contínua e
naturalmente.
c) Quais as vantagens da utilização dessa metodologia na rotina do
serviço de Engenharia Clínica?
O PDCA pode ser aplicado na Engenharia Clínica em vários níveis, por
exemplo:
1. A nível de equipes, com uma política de desenvolvimento,
capacitação e treinamento das equipes do hospital que precisam de
capacitação direta do corpo técnico da Engenharia Clínica;
2. A nível da gestão dos equipamentos médico hospitalares (EMH), se
utilizada de forma apropriada, o PDCA pode levar a gestão de
equipamentos a obter melhorias na implantação, comissionamento,
manutenção, calibração, limpeza,
3. A nível de documentação para controle e padronização das
operações e serviços, se maneira a ter um sistema de gestão da
qualidade adequado;
4. A nível de pessoas, para garantir sempre a continuidade do serviço
do setor de Engenharia Clínica, mesmo quando da substituição de
membros da equipe, treinamento e capacitação de novos
colaboradores para o serviço, ou até para verificar baixos níveis de
desempenho de acordo com as métricas definidas.
Outras possibilidades de aplicação do PDCA para atividades relacionadas à
Engenharia Clínica abrangem as seguintes atividades relacionadas aos EMH:
 Treinamentos;
 Qualificação de Equipamentos;
 Qualificação de instalação;
 Qualificação operacional;
 Qualificação de desempenho;
 Calibração de Equipamentos;
 Manutenção;
 Identificação de Conformidade;
Indicadores de Monitoramento da Engenharia Clínica, pois o serviço
relacionado a gestão da manutenção dos equipamentos da Engenharia Clínica
deve ser monitorado através de diversos indicadores para expressar o
funcionamento do setor e consequentemente todos os setores do EAS.
Portanto, o Engenheiro Clínico é o profissional indicado para assumir a
responsabilidade pela gestão da tecnologia durante todo o ciclo de vida do
Equipamento Médico Hospitalar (EMH) e deve estar diretamente envolvido na
qualidade e nas atividades de gerenciamento de processos.
O Engenheiro Clínico deve assumir o papel de gerente tecnológico para que os
processos da melhoria contínua sejam alcançados.