Você está na página 1de 10

Universidade Eduardo Mondlane

Faculdade de Engenharia
Departamento de Engenharia Electrotécnica

Disciplina - Medidas Eléctricas I

FICHA 2 (Teórica)

Unidade I - GRANDEZAS ELÉCTRICAS FUNDAMENTAIS

2º Ano - 2015

1
Elaborao pelo Engº Luís C. Massango
1. Introcução
A eletricidade é um termo geral que abrange uma variedade de fenômenos resultantes da presença
e do fluxo de carga eléctrica.

A eletricidade fornece a energia que alimenta eletrodomésticos e outros dispositivos elétricos. A


corrente chega ao dispositivo por meio do fio "positivo" (geralmente preto) e retorna pelo fio neutro
(geralmente branco).

No entando, o surgimento ou análise da electricidade tem o seu início nos átomos. Estes que são
umas pequenas partículas indivisível que compõem as substâncias.

A energia é gerada num processo natural, está em todos os locais. Com isso, existem vários tipos de
energia: mecânica (movimento), eólica (ventos), hidráulica (água), solar(vinda do sol), atômica
(nuclear) e térmica (vapor). E todos esse tipos de energia podem gerar eletricidade.

1.1 Grandezas da Electricidade


Na realidade, a electricidade é invisível. O que conseguimos perceber são os seus efeitos. É por essa
razão que em determinadas circustâncias, só depois de levar um choque é que percebemos no
condutor existe corrente a percorré-lo.

Figura 1.1 - Presença da corrente eléctrica atravessando uma resistência eléctrica.

Os efeitos da electricidade só são possíveis graças à três grandezas principais:

Figura 1.2 – Principais grandezas elèctricas.

2
Elaborao pelo Engº Luís C. Massango
1.2 Origem da Electricidade
Sabe-se que a matéria é composta por pequenas partículas chamadas átomos. O átomo por sua vez,
é constituído por: protões (partículas carregadas positivamente), electrões (particula carregada
negativamente) e neutrões (partículas sem carga)

Assim, nos condutores, existem partículas invisíveis chamadas electrões livres, que estão em
constante movimento de forma desordenada.

Figura 1.3 – movimento desordenado dos electrões.

Para que estes electrões livres passem a se movimentar de forma ordenada, nos condutores, é
necessário ter uma força que os empurre. a esta força é dado o nome de “tensão eléctrica”.

Figura 1.4 – Movimento ordenado dos electrões.

Esse movimento ordenado dos electrões livres nos condutores, provocado pela acção da tensão,
forma uma corrente de electrões. Essa corrente de electrões livres é chamada de “corrente eléctrica”.

Figura 1.5 – Surgimento da corrente eléctrica.

3
Elaborao pelo Engº Luís C. Massango
A figura 1.6 mostra o que acontece antes e depois de aplicar-se uma tensão eléctrica nos terminais de
um condutor:

Figura 1.6 – Tensão sob um condutor.

Desta forma, podemos concluir que:

Tensão Eléctrica (U) – capacidade de uma carga elétrica de realizar trabalho ao alterar sua posição.
A quantidade de energia potencial elétrica armazenada em cada unidade de carga em dada posição.
Unidade SI: volt (V); o mesmo que joule por coulomb (J/C);

Corrente Eléctrica (I) – quantidade de carga que ultrapassa determinada secção por unidade de
tempo. Unidade SI: ampère (A); o mesmo que coulomb por segundo (C/s);

Potência Eléctrica (P) – quantidade de energia elétrica convertida por unidade de tempo. Unidade
SI: watt (W); o mesmo que joules por segundo (J/s); mas também pode ser definida como o produto
da ação da tensão e da corrente. Sua unidade é o volt-ampére.

P = I x U = [A][V]

Outros conceitos importantes com nomenclatura específica que dizem respeito à eletricidade são:

 Carga elétrica: propriedade das partículas subatômicas que determina a sua interação
eletromagnética. É matéria eletricamente carregada produz, e é influenciada por, campos
eletromagnéticos. Unidade SI (Sistema Internacional de Unidades): ampère segundo (A.s),
unidade também denominada coulomb (C);
 Campo elétrico: efeito produzido por uma carga no espaço que a contém, o qual pode
exercer força sobre outras partículas carregadas. Unidade SI: volt por metro (V/m); ou
newton por coulomb (N/C), ambas equivalentes;
 Energia elétrica: energia armazenada ou distribuída na forma elétrica. Unidade SI: a mesma
da energia, o joule (J);

4
Elaborao pelo Engº Luís C. Massango
 Eletromagnetismo: interação fundamental entre o campo magnético e a carga elétrica,
estática ou em movimento.

1.3 Tipos de Sinais Eléctricos e Simbologia


As variáveis elétricas básicas, utilizadas na análise de circuitos são duas - tensão e corrente, que são
funções do tempo, geralmente repetitivas, donde a denominação de formas de onda.
As formas de onda mais comumente utilizadas para essa duas grandezas são: contínua e alternada.

1.3.1 Onda Contínua

Tem um valor constante durante todo o tempo e é simbolizada por DC ou CC. A pilha e bateria são
exemplos de fontes de tensão contínua.

Figura 1.7 – Representação e Simbologia da tensão contínua.

1.3.2 Onda Alternada

É uma onda cujo valor varia no tempo de forma senoidal e é representada matematicamente por:
e (t) = A. sen (wt + ), onde t é o tempo, A é a amplitude, w é a freqüência e a fase.

Figura 1.8 – Representação e Simbologia da tensão alternada.

5
Elaborao pelo Engº Luís C. Massango
2. Circuito Eléctrico
É um caminho fechado por condutores elétricos ligando uma carga elétrica a uma fonte geradora
(pilhas ou tomada eléctrica).

Figura 2.1 - Esquema simples de um circuito elétrico.

Um exemplo prático e mais comum de um circuito eléctrico, é o caminho percorrido pela corrente
elétrica ao ligar uma lanterna.

Figura 2.2 - circuito elétrico – lanterna.

Onde no circuito, a corrente eléctrica: sai da pilha, passa pelo fio condutor, passa pelo interuptor,
caminha pelo filamento da lâmpada, retorna à pilha pelo condutor de entrada e o percurso continua
num processo rotativo.

2.1 Elementos dos circuitos elétricos


A sequência representa um caminho fechado da figura 2.2, ou seja um circuito elétrico, nele temos
os seguintes componentes do circuito eléctrico:

 Fonte geradora de eletricidade – a pilha;

 Aparelho consumidor de energia (carga elétrica) - lâmpada;

 Condutores (fios de conbre e tira de latão).

6
Elaborao pelo Engº Luís C. Massango
2.1.1 Fonte Geradora de Energia Eléctrica

Elemento eléctrico que gera ou produz energia elétrica, a partir de outro tipo de energia.

Exemplo: A pilha da lanterna, a bateria do automóvel, um gerador são fontes geradoras de energia.

Figura 2.2 – Fontes de tensão.

2.1.2 Aparelho consumidor

Aparelho consumidor, vulgarmente designado por carga eléctrica, é o elemento do circuito que
emprega a energia elétrica para realizar trabalho. A função do aparelho consumidor no circuito é
transformar a energia elétrica em outro tipo de energia.

Os consumudores ou carga eléctrica utilizam a energia elétrica para transformar a energia elétrica
recebida da fonte geradora, em outro tipo de energia.

Exemplo:

 Ferro de soldar - Transforma a energia elétrica em energia térmica (gera calor);


 Televisor - Transforma a energia elétrica em energia luminosa e sonora (gera sons e
imagens);
 Máquina de barbear - Transforma a energia elétrica em energia mecânica (gera
movimentos);
 Lâmpada - Transforma a energia elétrica em energia luminosa e energia térmica (gera
luz e calor).

2.1.3 Condutores

É o elemento eléctrico que faz a ligação entre o consumidor (carga) e a fonte geradora, permitindo a
circulação da corrente.

Cada tipo de condutor pode ser preparado com características variadas, dependendo de sua
aplicação. Podem ser rígidas ou flexíveis, isolados ou não, com proteção adicional (além do
isolamento) ou outras características.

7
Elaborao pelo Engº Luís C. Massango
Exemplo:

Figura 2.3 –condutores de baixada e de um berbequim.

2.2 Classificação dos Materias quanto à Condução


No geral, os materias quanto à condução de electricidade podem ser: Condutores (resistentes e
supercondutores), Isolantes, Semi-condutores e Materiais magnéticos.

2.2.1 Materiais condutores

Os materiais condutores são aqueles que melhor conduzem a corrente eléctrica porque têm muitos
electrões livres. Eles permitem facilmente a passagem de cargas elétricas.

O alumínio, a prata, o ouro, o ferro, o níquel, o cádmio, o estanho, o latão, ou seja, os metais são
exemplos de alguns materiais condutores. De acordo com a aplicação aplicação exige-se
determinado tipo diferente de condutor elétricos.

2.2.2 Materiais condutores resistentes

Os materiais resistentes são aqueles que, sendo condutores, apresentam intencionalmente uma
resistividade eléctrica maior com o objectivo de dificultar mais a passagem da corrente eléctrica e
produzir calor. Estes materiais tem aplicação no fabrico de resistências de aquecimento (exemplo,
ligas resistentes: níquel-crómio, grafite, manganina, mailhechort, constantan).

2.2.3 Materiais Supercondutores

Os materiais supercondutores são materiais considerados condutores perfeitos, isto é, sem


resistividade eléctrica, portanto conduzem a corrente eléctrica sem dissipação de energia calorífica.

8
Elaborao pelo Engº Luís C. Massango
Os supercondutores (óxidos de cobre com combinação de vários elementos ou materiais cerâmicos
diversos) só o são quando submetidos a temperaturas negativas da ordem de -40ºC.

2.2.4 Materiais Isolantes

Os materiais isolantes são aqueles que se opõem à passagem da corrente eléctrica porque não têm
electrões livres. Não há materiais 100% isolantes, por isso, há sempre pequenas correntes de fuga.

Alguns dos materiais isolantes: Policloreto de vinilo (PVC), porcelana, vidro, mica, plásticos,
borracha, verniz, papel.

2.2.5 Materiais Semicondutores

Os materiais semicondutores, em termos de resistividade eléctrica, encontram-se entre os materiais


condutores e isoladores. Actualmente, os semicondutores mais utilizados são o germânio (Ge) e o
Silício (Si). A sua principal aplicação é no fabrico de componentes para a electrónica.

2.2.6 Materiais Magnéticos

Os diferente meios podem ser caracterizados, do ponto de vista magnético, pela sua permeabilidade
magnética (µ), isto é, pela maior ou menor facilidade que os materiais têm em se deixarem atravessar
pelas linhas de força de um campo magnético. Alguns exemplos de materiais ferromagnéticos: aço
duro, ferro fundido, cobalto, níquel.

2.3 Variações do circuito elétrico


Apesar de no circuito temos o interuptor que pode assumir basicamente dois estados, podemos
verificar igualmente outros estados importantes a considerar: aberto, fecgado, desligado e
desenergizado.

2.3.1 Circuito Aberto

Verifica-se quando não temos continuidade, ou seja, quando não circula corrente devido a uma
interrupção no condutor. Neste caso, o consumidor ou carga não funciona.

9
Elaborao pelo Engº Luís C. Massango
Figura 2.5 a - Circuito aberto.

3.3.2 Circuito Fechado

Onde o circuito tem continuidade, porque nele a corrente pode circular. Aqui a carga eléctrica
funciona em pleno.

Figura 2.5 b - Circuito fechado.

3.3.3 Circuito Desligado

É aquele em que o dispositivo de manobra (interruptor) está na posição desligado.

Figura 2.5 c - Circuito desligado.

4 Circuito Desenergizado

É aquele em que a fonte geradora está desconectada do circuito ou não funciona.

Figura 2.5 d - Circuito desenergizado.

FIM...

10
Elaborao pelo Engº Luís C. Massango

Você também pode gostar