Você está na página 1de 42

Exercícios de Eletromagnetismo

1. Um professor de Física mostra aos seus alunos 3 barras de metal AB, CD e EF que podem
ou não estar magnetizadas. Com elas faz três experiências que consistem em aproximá-las e
observar o efeito de atração e/ou repulsão, registrando-o na tabela a seguir.

Após o experimento e admitindo que cada letra pode corresponder a um único polo magnético,
seus alunos concluíram que
a) somente a barra CD é ímã.
b) somente as barras CD e EF são ímãs.
c) somente as barras AB e EF são ímãs.
d) somente as barras AB e CD são ímãs.
e) AB, CD e EF são ímãs.

2 [ 123828 ]. O professor Lúcio pretende demonstrar o efeito de indução eletromagnética.


Para isso, ele usa um fio condutor retilíneo, encapado com material isolante, no qual
estabelece uma corrente elétrica i cujo valor varia com o tempo. Ele coloca um anel metálico
próximo ao fio em três situações distintas, descritas a seguir.

a) Na situação 1, o professor sustenta o anel na horizontal e coloca o fio na vertical, passando


pelo centro do anel, como representado na figura. Nessa situação, existe corrente induzida
no anel? JUSTIFIQUE sua resposta.

b) Na situação 2, o professor Lúcio coloca o anel e o fio sobre uma superfície plana, um ao lado
do outro, como representado na figura. Na situação 2, existe corrente induzida no anel?
JUSTIFIQUE sua resposta.

c) Na situação 3, o professor Lúcio coloca o fio sobre o anel, passando pelo seu centro, como
representado na figura. Na situação 3, existe corrente induzida no anel? JUSTIFIQUE sua
resposta.
3 [ 119968 ]. Um gerador homopolar consiste de um disco metálico que é posto a girar com
velocidade angular constante em um campo magnético uniforme, cuja ação é extensiva a toda
a área do disco, conforme ilustrado na figura abaixo.

Ao conectar, entre a borda do disco e o eixo metálico de rotação, uma lâmpada L cuja
resistência elétrica tem comportamento ôhmico, a potência dissipada no seu filamento, em
função do tempo, é melhor representada pelo gráfico

a)

b)

c)

d)

4 [ 123374 ]. Um equipamento, como o esquematizado na figura abaixo, foi utilizado por


J.J.Thomson, no final do século XIX, para o estudo de raios catódicos em vácuo. Um feixe fino
de elétrons (cada elétron tem massa m e carga e) com velocidade de módulo v0, na direção
horizontal x, atravessa a região entre um par de placas paralelas, horizontais, de comprimento
L. Entre as placas, há um campo elétrico de módulo constante E na direção vertical y. Após
saírem da região entre as placas, os elétrons descrevem uma trajetória retilínea até a tela
fluorescente T.

Determine
a) o módulo a da aceleração dos elétrons enquanto estão entre as placas;
b) o intervalo de tempo Δt que os elétrons permanecem entre as placas;
c) o desvio Δy na trajetória dos elétrons, na direção vertical, ao final de seu movimento entre
as placas;
d) a componente vertical vy da velocidade dos elétrons ao saírem da região entre as placas.

Note e adote: Ignore os efeitos de borda no campo elétrico; Ignore efeitos gravitacionais.

5 [ 122940 ]. Um feixe é formado por íons de massa m1 e íons de massa m2, com cargas
elétricas q1 eq2, respectivamente, de mesmo módulo e de sinais opostos. O feixe penetra com

velocidade V, por uma fenda F, em uma região onde atua um campo magnético uniforme B,
cujas linhas de campo emergem na vertical perpendicularmente ao plano que contém a figura e
com sentido para fora. Depois de atravessarem a região por trajetórias tracejadas circulares de
raios R1 e R2  2  R1, desviados pelas forças magnéticas que atuam sobre eles, os íons de
massa m1 atingem a chapa fotográfica C1 e os de massa m2 a chapa C2.

Considere que a intensidade da força magnética que atua sobre uma partícula de carga q,
movendo-se com velocidade v, perpendicularmente a um campo magnético uniforme de
módulo B, é dada por FMAG  q  v  B.
Indique e justifique sobre qual chapa, C1 ou C2, incidiram os íons de carga positiva e os de
carga negativa.
m1
Calcule a relação entre as massas desses íons.
m2

6 [ 111163 ]. Os ímãs têm larga aplicação em nosso cotidiano tanto com finalidades práticas,
como em alto-falantes e microfones, ou como meramente decorativas. A figura mostra dois
ímãs, A e B, em forma de barra, com seus respectivos polos magnéticos.

Analise as seguintes afirmações sobre ímãs e suas propriedades magnéticas.


I. Se quebrarmos os dois ímãs ao meio, obteremos quatro pedaços de material sem
propriedades magnéticas, pois teremos separados os polos norte e sul um do outro.
II. A e B podem tanto atrair-se como repelir-se, dependendo da posição em que os colocamos,
um em relação ao outro.
III. Se aproximarmos de um dos dois ímãs uma pequena esfera de ferro, ela será atraída por
um dos polos desse ímã, mas será repelida pelo outro.
É correto o que se afirma em
a) I, apenas.
b) II, apenas.
c) I e II, apenas.
d) I e III, apenas.
e) II e III, apenas.
7 [ 112042 ]. Uma bobina chata representa um conjunto de N espiras que estão justapostas,
sendo essas espiras todas iguais e de mesmo raio. Considerando que a bobina da figura
abaixo tem resistência de R  8 , possui 6 espiras, o raio mede 10 cm, e ela é alimentada por
um gerador de resistência interna de 2 e força eletromotriz de 50 V, a intensidade do vetor
indução magnética no centro da bobina, no vácuo, vale:
Dado: μo  4 π . 107 T.m / A (permeabilidade magnética no vácuo)

a) 2π . 105 T
b) 4 π . 105 T
c) 6 π . 105 T
d) 8 π . 105 T
e) 9 π . 105 T

8 [ 119104 ].

Para vender a fundições que fabricam aço, as grandes indústrias de reciclagem separam o
ferro de outros resíduos e, para realizar a separação e o transporte do ferro, elas utilizam
grandes guindastes que, em lugar de possuírem ganchos em suas extremidades, possuem
a) bobinas que geram corrente elétrica.
b) bobinas que geram resistência elétrica.
c) dínamos que geram campo magnético.
d) eletroímãs que geram corrente elétrica.
e) eletroímãs que geram campo magnético.

9 [ 108897 ]. O freio eletromagnético é um dispositivo no qual interações eletromagnéticas


provocam uma redução de velocidade num corpo em movimento, sem a necessidade da
atuação de forças de atrito. A experiência descrita a seguir ilustra o funcionamento de um freio
eletromagnético. Na figura 1, um ímã cilíndrico desce em movimento acelerado por dentro de
um tubo cilíndrico de acrílico, vertical, sujeito apenas à ação da força peso. Na figura 2, o
mesmo ímã desce em movimento uniforme por dentro de um tubo cilíndrico, vertical, de cobre,
sujeito à ação da força peso e da força magnética, vertical e para cima, que surge devido à
corrente elétrica induzida que circula pelo tubo de cobre, causada pelo movimento do ímã por
dentro dele. Nas duas situações, podem ser desconsiderados o atrito entre o ímã e os tubos, e
a resistência do ar

Considerando a polaridade do ímã, as linhas de indução magnética criadas por ele e o sentido
da corrente elétrica induzida no tubo condutor de cobre abaixo do ímã, quando este desce por
dentro do tubo, a alternativa que mostra uma situação coerente com o aparecimento de uma
força magnética vertical para cima no ímã é a indicada pela letra

a) b) c) d) e)

10 [ 109622 ]. Um anel condutor de raio a e resistência R é colocado em um campo


magnético homogêneo no espaço e no tempo. A direção do campo de módulo B é
perpendicular à superfície gerada pelo anel e o sentido está indicado no esquema da figura a
seguir.

No intervalo t  1 s , o raio do anel varia de metade de seu valor.


Calcule a intensidade e indique o sentido da corrente induzida no anel. Apresente os cálculos.
11 [ 110419 ].

Um ciclista pedala sua bicicleta, cujas rodas completam uma volta a cada 0,5 segundo. Em
contato com a lateral do pneu dianteiro da bicicleta, está o eixo de um dínamo que alimenta
uma lâmpada, conforme a figura acima. Os raios da roda dianteira da bicicleta e do eixo do
dínamo são, respectivamente, R = 50 cm e r = 0,8 cm. Determine

a) os módulos das velocidades angulares ωR da roda dianteira da bicicleta e ωD do eixo do


dínamo, em rad/s;
b) o tempo T que o eixo do dínamo leva para completar uma volta;
c) a força eletromotriz E que alimenta a lâmpada quando ela está operando em sua potência
máxima.
NOTE E ADOTE π  3
O filamento da lâmpada tem resistência elétrica de 6  quando ela está operando em sua
potência máxima de 24 W. Considere que o contato do eixo do dínamo com o pneu se dá em
R = 50 cm.

12 [ 116353 ]. Dentro do tubo de imagem de um televisor, a corrente elétrica, numa bobina,


aplica sobre um elétron passante um campo magnético de 5  104 T, de direção perpendicular
à direção da velocidade do elétron, o qual recebe uma força magnética de 1 1014 N. Qual o
módulo da velocidade desse elétron? (Considere o módulo da carga do elétron como
1,6  1019 C. )
a) 3,34  103 m s
b) 1,60  105 m s
c) 7,60  106 m s
d) 4,33  107 m s
e) 1,25  108 m s

13 [ 116961 ]. Sob a ação exclusiva de um campo magnético uniforme de intensidade 0,4 T,


um próton descreve um movimento circular uniforme de raio 10 mm em um plano
perpendicular à direção deste campo. A razão entre a sua massa e a sua carga é de
108 kg C. A velocidade com que o próton descreve este movimento é de:
a) 4  105 m s
b) 2  105 m s
c) 8  104 m s
d) 6  104 m s
e) 5  103 m s
14 [ 109921 ]. Um feixe de elétrons, com velocidade v, de carga e massa individuais q e m,
respectivamente, é emitido na direção y, conforme a figura abaixo. Perpendicularmente ao feixe
de elétrons, entrando no plano da página, está um campo magnético de intensidade B,
representado pelos x na figura. Inicialmente, o campo magnético está desligado e o feixe segue
paralelo ao eixo y.

Quando o campo magnético B é ligado


a) a trajetória do feixe continua retilínea e é fortemente perturbada pelo campo magnético.
b) a trajetória do feixe continua retilínea e os elétrons são perturbados levemente pelo campo
magnético.
c) o feixe de elétrons descreve uma trajetória circular, cujo raio é dado por R=(mv)/(Bq).
d) os elétrons movimentam-se paralelamente ao campo magnético, após descreverem uma
trajetória circular de raio R=(mv)/(Bq).

15 [ 105766 ]. Com relação ao campo magnético terrestre e à orientação geográfica, analise


as alternativas abaixo e assinale o que for correto.
01) O polo Sul magnético terrestre situa-se na região do polo Norte geográfico terrestre.
02) As linhas de campo magnético do campo magnético terrestre emergem do polo, na região
do polo Sul geográfico.
04) O magma, presente na litosfera terrestre, e a revolução da Terra em torno do Sol são as
fontes do campo magnético terrestre.
08) Os fenômenos atmosféricos das auroras Boreal e Austral são observados em função da
existência do campo magnético terrestre.
16) Na Groenlândia, situada entre as latitudes 60º e 80º norte, o fluxo magnético associado ao
campo magnético terrestre é menor do que o fluxo magnético existente no Brasil, que está
situado entre as latitudes 20º e 50º sul.

16 [ 102743 ]. Uma partícula de massa m e carga q positiva, em movimento retilíneo uniforme,


penetra em uma região na qual há um campo magnético uniforme, vertical e de módulo B. Ao
sair da região, ela retoma um movimento retilíneo uniforme.
Todo o movimento se processa em um plano horizontal e a direção do movimento retilíneo final
faz um ângulo  com a direção do movimento retilíneo inicial. A velocidade da partícula é
grande o bastante para desprezarmos a força gravitacional, de modo a considerarmos apenas
a força magnética sobre ela.

a) Determine a razão v’ / v entre o módulo v’ da velocidade do movimento retilíneo final e o


módulo v da velocidade do movimento retilíneo inicial.
b) Calcule quanto tempo a partícula demora para atravessar a região em que há campo
magnético em função de q, m, B e  .
17 [ 104512 ]. Um condutor retilíneo de comprimento l percorrido por uma corrente elétrica i é
imerso em um campo magnético uniforme B. Na figura a seguir, estão disponibilizadas as
seguintes situações I, II, III, IV e V.

Nessas condições, o conjunto que melhor representa o sentido da força magnética que atua
sobre o condutor nos itens I, II, III, IV e V, respectivamente, é

a)

b)

c)

d)

e)

18 [ 103787 ]. Um dos componentes fundamentais para uma boa qualidade de som é o alto-
falante, que consiste basicamente de um cone (geralmente de papelão), uma bobina e um ímã
permanente, como mostrado nas figuras abaixo.
A respeito do funcionamento do alto-falante, assinale a(s) proposição(ões) correta(s).
01) A intensidade do campo magnético criado pela bobina depende unicamente do número de
espiras da mesma.
02) O movimento do cone do alto-falante é consequência da lei de Lenz.
04) A vibração do cone cria no ar regiões de altas e baixas pressões, que se propagam na
forma de ondas transversais.
08) A altura do som reproduzido pelo alto-falante depende da frequência do sinal elétrico
enviado pelo aparelho de som.
16) A intensidade da onda sonora reproduzida pelo alto-falante é proporcional à intensidade da
corrente elétrica que percorre a bobina.
32) A corrente elétrica enviada ao alto-falante percorre a bobina, gerando um campo magnético
que interage com o ímã permanente, ocasionando o movimento do cone na direção axial
da bobina.

19 [ 104255 ]. Os eletroímãs, formados por solenoides percorridos por correntes elétricas e


um núcleo de ferro, são dispositivos utilizados por guindastes eletromagnéticos, os quais
servem para transportar materiais metálicos pesados. Um engenheiro, para construir um
eletroímã, utiliza um bastão cilíndrico de ferro de 2,0 metros de comprimento e o enrola com
um fio dando 4 x106 voltas. Ao fazer passar uma corrente de 1,5 A pelo fio, um campo
magnético é gerado no interior do solenoide, e a presença do núcleo de ferro aumenta em
1.000 vezes o valor desse campo.
Adotando para a constante μ 0 o valor 4 π x 10−7 T.m/ A , é correto afirmar que, nessas
circunstâncias, o valor da intensidade do campo magnético, no interior do cilindro de ferro, em
tesla, é de:
a) 24 π x 102 b) 12 π x 102 c) 6 π x 102 d) 3 π x 102 e) π x 102

20 [ 102134 ]. Em 2011 comemoram-se os 100 anos da descoberta da supercondutividade.


Fios supercondutores, que têm resistência elétrica nula, são empregados na construção de
bobinas para obtenção de campos magnéticos intensos. Esses campos dependem das
características da bobina e da corrente que circula por ela.

a) O módulo do campo magnético B no interior de uma bobina pode ser calculado pela
expressão B =  0ni, na qual i e a corrente que circula na bobina, n e o número de espiras
Tm
por unidade de comprimento e 0  1,3  10 6 . Calcule B no interior de uma bobina de
A
25000 espiras, com comprimento L = 0,65 m, pela qual circula uma corrente i = 80 A.

b) Os supercondutores também apresentam potencial de aplicação em levitação magnética.


Considere um ímã de massa m = 200 g em repouso sobre um material que se torna
supercondutor para temperaturas menores que uma dada temperatura critica T C. Quando o
v
material é resfriado até uma temperatura T < T C, surge sobre o ímã uma força magnética Fm .
v 
Suponha que Fm tem a mesma direção e sentido oposto ao da força peso P do ímã, e que,
inicialmente, o ima sobe com aceleração constante de módulo aR = 0,5 m/s2, por uma
v
distância d = 2,0 mm , como ilustrado na figura abaixo. Calcule o trabalho realizado por Fm ao
longo do deslocamento do ímã.
21 [ 101350 ]. De quanto deverá ser a magnitude do choque elétrico (f.e.m. induzida) se
segurarmos as extremidades de uma bobina composta por 10 espiras de área A = 1 [m 2] e
deixarmos passar ortogonalmente por esta bobina uma densidade de fluxo magnético
constante com módulo dado por B = 11 [T]?
a) 0 [Volts]
b) 10 [Volts]
c) 110 [Volts]
d) 220 [Volts]
e) 100 [Volts]

22 [ 105367 ].

Uma haste condutora, de comprimento igual a 1,0m e de peso igual a 10,0N, cai a partir do
repouso, deslizando nos fios metálicos dispostos no plano vertical e interligados por um resistor
de resistência elétrica igual a 1,0Ω , conforme a figura.
Desprezando-se a forças dissipativas e sabendo-se que o conjunto está imerso na região de
um campo magnético uniforme de intensidade igual a 1,0T, o módulo da velocidade máxima
atingida pela haste é igual, em m/s, a
a) 10,0
b) 15,0
c) 21,0
d) 25,0
e) 30,0

23 [ 108589 ]. O manual de funcionamento de um captador de guitarra elétrica apresenta o


seguinte texto:

Esse captador comum consiste de uma bobina, fios condutores enrolados em torno de um ímã
permanente. O campo magnético do ímã induz o ordenamento dos polos magnéticos na corda
da guitarra, que está próxima a ele. Assim, quando a corda é tocada, as oscilações produzem
variações, com o mesmo padrão, no fluxo magnético que atravessa a bobina. Isso induz uma
corrente elétrica na bobina, que é transmitida até o amplificador e, daí, para o alto-falante.
Um guitarrista trocou as cordas originais de sua guitarra, que eram feitas de aço, por outras
feitas de náilon. Com o uso dessas cordas, o amplificador ligado ao instrumento não emitia
mais som, porque a corda de náilon
a) isola a passagem de corrente elétrica da bobina para o alto-falante.
b) varia seu comprimento mais intensamente do que ocorre com o aço.
c) apresenta uma magnetização desprezível sob a ação do ímã permanente.
d) induz correntes elétricas na bobina mais intensas que a capacidade do captador.
e) oscila com uma frequência menor do que a que pode ser percebida pelo captador.

24 [ 101731 ]. Um gerador eletromagnético é constituído por uma espira com seção reta e
área S, que gira com velocidade angular  no interior de um campo magnético uniforme de
intensidade B. À medida que a espira gira, o fluxo magnético  que a atravessa varia segundo
a expressão  (t) = B.S.cos  t onde t é o tempo, produzindo uma força eletromotriz nos
terminais do gerador eletromagnético, cujo sentido inverte-se em função do giro da espira.
Assim, a corrente no resistor R, cujo sentido inverte a cada meia volta, é denominada corrente
alternada.

Considere a espira com seção reta de 10 cm2, girando à razão de 20 voltas por segundo, no
interior de um campo magnético de intensidade igual a 2 x 10–5 T.
Trace o gráfico do fluxo magnético  (t) que atravessa a espira em função do tempo, durante
T T 3T
um período (T) indicando os valores do fluxo magnético nos instantes , , e T.
4 2 4

25 [ 106501 ]. Considere um elétron partindo do repouso e percorrendo uma distância


retilínea, somente sob a ação de um campo elétrico uniforme gerado por uma ddp U, até
passar por um orifício e penetrar numa região na qual atua somente um campo magnético
uniforme de intensidade B. Devido à ação desse campo magnético, o elétron descreve uma
semicircunferência atingindo um segundo orifício, diametralmente oposto ao primeiro.
Considerando o módulo da carga do elétron igual a q e sua massa igual a m, o raio da
semicircunferência descrita é igual a
2 1 12
Bq  Bq  1  2mU  2  2mU 
a) b)   c)    d)  
mU  mU  B  q   Bq 

26 [ 91419 ]. Biomagnetismo estuda a geração e interação de campos magnéticos com a


matéria viva. Uma de suas mais recentes aplicações é o uso de partículas magnéticas – as
nanopartículas, em especial – na administração de medicamentos. Em vez de deixar uma
medicação circulando livremente pelo corpo humano, com o risco de efeitos colaterais
prejudiciais à saúde, a ideia é “grudar” a medicação em partículas magnéticas, injetá-las na
corrente sanguínea e guiá-las com um ímã até o local foco da doença.
Organizar esses materiais exige habilidades multidisciplinares para escolher e preparar as
partículas magnéticas apropriadas; escolher e preparar o invólucro e o modo como os
medicamentos serão absorvidos. Geralmente os farmacêuticos é que lidam com os materiais
do invólucro, enquanto os médicos investigam a reação nos seres vivos. Aos físicos, químicos
e engenheiros de materiais, cabe a preparação das partículas magnéticas.

Sobre os conceitos e aplicações da Eletricidade e do Magnetismo, é CORRETO afirmar que:


a) As linhas de indução do campo magnético geradas pelo ímã são linhas contínuas que, fora
do ímã, vão do polo norte para o polo sul.
b) O medicamento associado à partícula magnética pode ser guiado até o local da doença
através de um campo elétrico constante.
c) Se o campo magnético orientador se formasse devido a uma corrente elétrica contínua, ele
teria variação proporcional ao quadrado da distância entre o fio que conduz a corrente e as
partículas magnéticas.
d) Qualquer substância metálica pode ser utilizada como partícula magnética.
e) A única forma de se obter um campo magnético para orientar a medicação é através da
utilização de ímãs permanentes.

27 [ 94517 ]. Os fornos de micro-ondas usam um gerador do tipo magnetron para produzir


micro-ondas em uma frequência de aproximadamente 2,45 GHz (2,45 x 10 9 Hz). Ondas
eletromagnéticas desta frequência são fortemente absorvidas pelas moléculas de água,
tornando-as particularmente úteis para aquecer e cozinhar alimentos. Em um experimento em
laboratório, deseja-se mover elétrons em órbitas circulares com a frequência de 2,45 GHz,
usando um campo magnético.

Assinale a alternativa que representa corretamente o valor do módulo do campo magnético


necessário para que isso ocorra.
a) 2,70 x 1021 T
b) 8,77 x 10-2 T
c) 2,32 x 10-20 T
d) 8,77 x 10-21 T
e) 2,70 x 102 T

28 [ 95311 ]. O cíclotron é um acelerador em que partículas carregadas executam movimento


circular em um plano perpendicular a um campo magnético uniforme de módulo B. Se o campo
magnético for o único campo aplicado, a velocidade angular do movimento circular resultante
depende somente da razão carga/massa e de B. Em um acelerador típico, o valor de B é de 1
tesla e as partículas percorrem uma trajetória de raio de 50 cm.

Qual a ordem de grandeza da velocidade da partícula (dados: carga igual a 1,6 x 10 -19C e
massa igual 1,67 x 10-27 kg)?
a) 103 m/s
b) 105 m/s
c) 107 m/s
d) 109 m/s

29 [ 90232 ]. Uma tecnologia capaz de fornecer altas energias para partículas elementares
pode ser encontrada nos aceleradores de partículas, como, por exemplo, nos cíclotrons. O
princípio básico dessa tecnologia consiste no movimento de partículas eletricamente
carregadas submetidas a um campo magnético perpendicular à sua trajetória. Um cíclotron foi

construído de maneira a utilizar um campo magnético uniforme, B , de módulo constante igual

a 1,6 T, capaz de gerar uma força magnética, F , sempre perpendicular à velocidade da
partícula. Considere que esse campo magnético, ao atuar sobre uma partícula positiva de
massa igual a 1,7 x 10–27 kg e carga igual a 1,6 x 10–19 C, faça com que a partícula se
movimente em uma trajetória que, a cada volta, pode ser considerada circular e uniforme, com
velocidade igual a 3,0 x 104 m/s. Nessas condições, o raio dessa trajetória circular seria
aproximadamente
a) 1 x 10–4 m.
b) 2 x 10–4 m.
c) 3 x 10–4 m.
d) 4 x 10–4 m.
e) 5 x 10–4 m.

30 [ 95916 ]. Um espectrômetro de massa é um aparelho que separa íons de acordo com a


razão carga elétrica/massa de cada íon. A figura mostra uma das versões possíveis de um
espectrômetro de massa. Os íons emergentes do seletor de velocidades entram no

espectrômetro com uma velocidade v . No interior do espectrômetro existe um campo

magnético uniforme (na figura é representado por Be e aponta para dentro da página  ) que
deflete os íons em uma trajetória circular. Íons com diferentes razões carga elétrica/massa
descrevem trajetórias com raios R diferentes e, consequentemente, atingem pontos diferentes

(ponto P) no painel detector. Para selecionar uma velocidade v desejada e para que o íon
percorra uma trajetória retilínea no seletor de velocidades, sem ser desviado pelo campo
magnético do seletor (na figura é representado por e aponta para dentro da página  ), é

necessário também um campo elétrico ( Es ), que não está mostrado na figura. O ajuste dos
sentidos e módulos dos campos elétrico e magnético no seletor de velocidades permite não só
manter o íon em trajetória retilínea no seletor, como também escolher o módulo da velocidade

v . De acordo com a figura e os dados a seguir, qual o sentido do campo elétrico no seletor e o

módulo da velocidade v do íon indicado?
Dados: • Es = 2 500 V/m
• Bs = 5,0 x 10–2 T

31 [ 93339 ]. Num aparelho de um laboratório de física nuclear, um elétron e um próton estão


confinados numa região em que há um campo magnético uniforme. Ambos estão em
movimento circular uniforme e as linhas do campo magnético são perpendiculares ao plano da
circunferência descrita pelas duas partículas. Suponha que as duas partículas estão
suficientemente separadas, de modo que uma não interfere no movimento da outra. Considere
que a massa do próton é 1830 vezes maior que a massa do elétron, e que a velocidade escalar
do elétron é 5 vezes maior que a velocidade escalar do próton.

a) Deduza uma expressão algébrica para a razão dos raios das circunferências descritas pelo
próton e pelo elétron.
b) Calcule o valor numérico dessa razão.

32 [ 90319 ]. O acelerador LHC colidiu dois prótons, girando em trajetórias circulares com
sentidos opostos, sendo um no sentido horário e o outro no sentido anti-horário, veja a figura.
Considere que as trajetórias dos prótons antes da colisão eram mantidas circulares devido
unicamente à interação de campos magnéticos perpendiculares ao plano das órbitas dos
prótons. Com fundamentos no eletromagnetismo, é correto afirmar:

01) A finalidade do campo magnético é apenas mudar a direção da velocidade dos prótons.
02) A finalidade do campo magnético é aumentar a energia cinética dos prótons.
04) O próton que está girando no sentido anti-horário está submetido a um campo magnético
que possui um sentido que está entrando no plano da página.
08) A força magnética aplicada em cada próton possui direção tangente à trajetória.
16) A força magnética aplicada em cada próton não realiza trabalho.

33 [ 97097 ]. Com o objetivo de separar isótopos de um determinado elemento químico, pode-


se usar o dispositivo esquematizado abaixo.
Os isótopos ionizados com carga q são acelerados por uma diferença de potencial V. Em
seguida, passam por uma região, o filtro, onde estão aplicados um elétrico E e um campo
magnético B, perpendiculares entre si. Considerando o exposto e desprezando os efeitos
gravitacionais, calcule a massa do isótopo que chega ao coletor em função de q, V E e B.

34 [ 93605 ]. Uma partícula carregada negativamente com carga de módulo igual a 1,6.10−19C,
movendo-se com velocidade de módulo 1,0.107 m/s, penetra em uma região na qual atua um
campo magnético uniforme, de intensidade igual a 1,5.10−3 T, conforme a figura.

Sabendo-se que a partícula descreve uma trajetória circular de raio igual a 4,0 cm, calcule a
sua massa, desprezando a ação gravitacional.

35 [ 97413 ]. Um feixe de partículas eletrizadas P1 e P2, de mesma massa, penetra em um



campo magnético B com mesma velocidade v. Observa‐se que o feixe, ao penetrar no campo
magnético, divide‐se em dois, percorrendo trajetórias circulares de raios R1 = 2 R2, conforme
figura a seguir.

É CORRETO afirmar:
a) a força magnética que atua nas partículas eletrizadas P1 é maior que a força magnética que
atua nas partículas eletrizadas P2, e por isso descrevem uma trajetória de raio R1 maior que
R2.
b) a força magnética que atua nas partículas eletrizadas P2 é maior que a força magnética que
atua nas partículas eletrizadas P1, e por isso descrevem uma trajetória de raio R2 menor que
R1.
c) as cargas elétricas das partículas P1 e P2 são de mesmo sinal, sendo a carga da partícula P1
maior que a da partícula P2.
d) as cargas elétricas das partículas P1 e P2 são de sinais contrários, sendo a carga da
partícula P2 menor que a da partícula P1.
36 [ 98390 ]. A declinação do Campo Magnético Terrestre em Fortaleza, CE, é de
aproximadamente 21o para o oeste, e a sua componente horizontal é de aproximadamente 0,25
G. Se um elétron é atirado com velocidade 106 m/s, verticalmente para cima, a magnitude, a
direção e o sentido da força magnética atuando sobre ele são dados por

DADOS:
1 G = 10-4 T, cos(21o) = 0,93, sen(21o) = 0,36, e = 1,6×10-19 C
a) 4,05 x10-18 N na direção a 21o para o Norte da direção Leste-Oeste, sentido Leste.
b) 3,78 x10-18 N na direção a 21o para o Sul da direção Leste-Oeste, sentido Leste.
c) 1,45 x10-18 N na direção a 21opara o Leste da direção Norte-Sul, sentido Norte.
d) 4,05 x10-18 N na direção a 21o para o Leste da direção Norte-Sul, sentido Sul.

37 [ 93729 ]. O Efeito Hall consiste no acúmulo de cargas dos lados de um fio condutor de
corrente quando esse fio está sujeito a um campo magnético perpendicular à corrente. Pode-se

ver na figura (i) uma fita metálica imersa num campo magnético B , perpendicular ao plano da
fita, saindo do papel. Uma corrente elétrica atravessa a fita, como resultado do movimento dos

elétrons que têm velocidade v , de baixo para cima até entrar na região de campo magnético.

Na presença do campo magnético, os elétrons sofrem a ação da força magnética, FB ,
deslocando-se para um dos lados da fita. O acúmulo de cargas com sinais opostos nos lados
da fita dá origem a um campo elétrico no plano da fita, perpendicular à corrente. Esse campo

produz uma força elétrica FE , contrária à força magnética, e os elétrons param de ser
desviados quando os módulos dessas forças se igualam, conforme ilustra a figura (ii).
Considere que o módulo do campo elétrico nessa situação é E = 1,0×10−4 V/m .

a) A fita tem largura L = 2,0 cm. Qual é a diferença de potencial medida pelo voltímetro V na
situação da figura (ii)?

b) Os módulos da força magnética e da força elétrica da figura (ii) são dados pelas expressões
FB = qvB e FE = qE , respectivamente, q sendo a carga elementar. Qual é a velocidade dos
elétrons? O módulo do campo magnético é
B = 0,2 T.

38 [ 91494 ]. Uma bobina composta de 10 espiras circulares, de área A cada uma, é colocada
entre os polos de um grande eletroímã onde o campo magnético é uniforme e forma um ângulo
de 30º com o eixo da bobina (como mostra a figura a seguir). Reduzindo-se o campo
magnético com uma taxa igual a 0,5 T/s, o módulo da força eletromotriz induzida na bobina,
durante a variação do campo magnético, é:
5A
a)
2
5 3A
b)
2
5 3A
c)
20
5A
d)
20

39 [ 91083 ]. Um campo magnético cuja intensidade varia no tempo atravessa uma bobina de
100 espiras e de resistência elétrica desprezível. A esta bobina está conectada em série uma
lâmpada cuja resistência elétrica é de 10,0 Ω e que está dissipando 10,0 W. A variação
temporal do fluxo magnético através de cada espira é, em módulo, de
a) 0,01 Wb/s.
b) 0,10 Wb/s.
c) 1,0 Wb/s.
d) 10,0 Wb/s.
e) 100,0 Wb/s.

40 [ 95207 ]. Um transformador tem os seguintes valores nominais: 110 V, 220 V e 2200 W.


Sabendo que o enrolamento cujos terminais indicam 110 V tem 250 espiras, determine:

a) o número de espiras do enrolamento correspondente à força eletromotriz de 220 V;


b) a intensidade da corrente em cada terminal quando se utiliza esse transformador para ligar
uma televisão, com valores nominais de 220 V e 880 W, a uma tomada que fornece 110 V;
c) a intensidade máxima da corrente em cada terminal.

41 [ 101690 ]. Há vários tipos de tratamentos de doenças cerebrais que requerem a


estimulação de partes do cérebro por correntes elétricas. Os eletrodos são introduzidos no
cérebro para gerar pequenas correntes em áreas específicas. Para se eliminar a necessidade
de introduzir eletrodos no cérebro, uma alternativa é usar bobinas que, colocadas fora da
cabeça, sejam capazes de induzir correntes elétricas no tecido cerebral.

Para que o tratamento de patologias cerebrais com bobinas seja realizado satisfatoriamente, é
necessário que
a) haja um grande número de espiras nas bobinas, o que diminui a voltagem induzida.
b) o campo magnético criado pelas bobinas seja constante, de forma a haver indução
eletromagnética.
c) se observe que a intensidade das correntes induzidas depende da intensidade da corrente
nas bobinas.
d) a corrente nas bobinas seja contínua, para que o campo magnético possa ser de grande
intensidade.
e) o campo magnético dirija a corrente elétrica das bobinas para dentro do cérebro do paciente.
42 [ 101703 ]. Os dínamos são geradores de energia elétrica utilizados em bicicletas para
acender uma pequena lâmpada. Para isso, é necessário que a parte móvel esteja em contato
com o pneu da bicicleta e, quando ela entra em movimento, é gerada energia elétrica para
acender a lâmpada. Dentro desse gerador, encontram-se um imã e uma bobina.

O princípio de funcionamento desse equipamento é explicado pelo fato de que a


a) corrente elétrica no circuito fechado gera um campo magnético nessa região.
b) bobina imersa no campo magnético em circuito fechado gera uma corrente elétrica.
c) bobina em atrito com o campo magnético no circuito fechado gera uma corrente elétrica.
d) corrente elétrica é gerada em circuito fechado por causa da presença do campo magnético.
e) corrente elétrica é gerada em circuito fechado quando há variação do campo magnético.

43 [ 91352 ]. Aproxima-se um ímã de um anel metálico fixo em um suporte isolante, como


mostra a figura. O movimento do ímã, em direção ao anel,

a) não causa efeitos no anel.


b) produz corrente alternada no anel.
c) faz com que o polo sul do ímã vire polo norte e vice versa.
d) produz corrente elétrica no anel, causando uma força de atração entre anel e ímã.
e) produz corrente elétrica no anel, causando uma força de repulsão entre anel e ímã.

44 [ 91714 ]. A figura a seguir mostra o esquema de um instrumento (espectrômetro de



massa), constituído de duas partes. Na primeira parte, há um campo elétrico E , paralelo a esta

folha de papel, apontando para baixo, e também um campo magnético B1 , perpendicular a
 
esta folha, entrando nela. Na segunda, há um campo magnético, B2 de mesma direção que B1
, mas em sentido oposto. Íons positivos, provenientes de uma fonte, penetram na primeira parte

e, devido ao par de fendas F1 e F2 , apenas partículas com velocidade v , na direção
 
perpendicular aos vetores E e B1 , atingem a segunda parte do equipamento, onde os íons de
massa m e carga q tem uma trajetória circular com raio R.

a) Obtenha a expressão do módulo da velocidade v em função de E e de B1.
b) Determine a razão m/q dos íons em função dos parâmetros E, B1, B2 e R.
c) Determine, em função de R, o raio R’ da trajetória circular dos íons, quando o campo
magnético, na segunda parte do equipamento, dobra de intensidade, mantidas as demais
condições.

NOTE E ADOTE:
Felétrica  q E (na direção do campo elétrico).
  
Fmagnética  q v B senθ (na direção perpendicular a v e a B ; θ e o angulo formado por v e

B ).

45 [ 84795 ]. Em 2008, o maior acelerador de partículas já construído foi colocado em


funcionamento. Em seu primeiro teste, um feixe de prótons foi mantido em movimento circular
dentro do grande anel, sendo gradativamente acelerado até a velocidade desejada.

A figura mostra uma secção reta desse anel. Admita que um feixe de prótons esteja sendo
conduzido de modo acelerado no sentido do eixo y. De acordo com as leis do
eletromagnetismo, os campos elétrico e magnético, nessa ordem, na origem do sistema de
eixos indicado, têm sentidos que apontam para o:
a) positivo de y e negativo de z.
b) positivo de y e positivo de z.
c) positivo de y e positivo de x.
d) negativo de y e positivo de z.
e) negativo de y e negativo de x.

46 [ 84815 ]. Para estimar a intensidade de um campo magnético B0, uniforme e horizontal, é


utilizado um fio condutor rígido, dobrado com a forma e dimensões indicadas na figura, apoiado
sobre suportes fixos, podendo girar livremente em torno do eixo OO'. Esse arranjo funciona
como uma "balança para forças eletromagnéticas". O fio é ligado a um gerador, ajustado para
que a corrente contínua fornecida seja sempre i = 2,0 A, sendo que duas pequenas chaves, A e
C, quando acionadas, estabelecem diferentes percursos para a corrente. Inicialmente, com o
gerador desligado, o fio permanece em equilíbrio na posição horizontal. Quando o gerador é
ligado, com a chave A, aberta e C, fechada, é necessário pendurar uma pequena massa M 1 =
0,008 kg, no meio do segmento P3 - P4, para restabelecer o equilíbrio e manter o fio na posição
horizontal.

a) Determine a intensidade da força eletromagnética F1, em newtons, que age sobre o


segmento P3P4 do fio, quando o gerador é ligado com a chave A, aberta e C, fechada.
b) Estime a intensidade do campo magnético B0, em teslas.
c) Estime a massa M2, em kg, necessária para equilibrar novamente o fio na horizontal, quando
a chave A está fechada e C, aberta. Indique onde deve ser colocada essa massa, levando em
conta que a massa M1 foi retirada.

NOTE E ADOTE:
F = iBL
Desconsidere o campo magnético da Terra.
As extremidades P1, P2, P3 e P4 estão sempre no mesmo plano.

47 [ 84829 ]. Uma haste metálica com 5,0 kg de massa e resistência de 2,0 Ω desliza sem
atrito sobre duas barras paralelas separadas de 1,0 m, interligadas por um condutor de
resistência nula e apoiadas em um plano de 30° com a horizontal, conforme a figura. Tudo
encontra-se imerso num campo magnético B , perpendicular ao plano do movimento, e as
barras de apoio têm resistência e atrito desprezíveis.
Considerando que após deslizar durante um certo tempo a velocidade da haste permanece
constante em 2,0 m/s, assinale o valor do campo magnético.

a) 25,0 T
b) 20,0 T
c) 15,0 T
d) 10,0 T
e) 5,0 T
48 [ 84922 ]. Um transformador possui 50 espiras no enrolamento primário e 200 espiras no
secundário.
Ao ligar o primário a uma bateria de tensão contínua e constante de 12 V, o valor da tensão de
saída, no enrolamento secundário, é igual a:
a) 12 V, pois a tensão de saída é igual à tensão de entrada.
b) zero, pois o número de espiras do enrolamento secundário é maior do que o dobro do
número de espiras do primário.
c) zero, pois não há força eletromotriz induzida nas espiras do secundário.
d) 72 V, pois a razão entre a tensão de saída e a tensão de entrada é igual à razão entre o
número de espiras do enrolamento secundário e o número de espiras do enrolamento
primário.
e) 48 V, pois a razão entre a tensão de entrada e a tensão de saída é igual à razão entre o
número de espiras do enrolamento primário e o número de espiras do enrolamento
secundário.

49 [ 84959 ]. A base do funcionamento de muitos eletrodomésticos está na rotação inerente


aos motores elétricos. Tal movimento é facilmente constatado em ventiladores ou
liquidificadores, mas também está presente em outros mecanismos, não percebidos
cotidianamente, tal como, por exemplo, aquele que movimenta os vidros elétricos. De fato, o
rotor do motor precisa de um torque para iniciar o seu giro. Este torque (momento) geralmente
é produzido por forças magnéticas desenvolvidas entre os polos magnéticos do rotor e aqueles
do estator (parte fixa). Forças de atração ou de repulsão, desenvolvidas entre estator e rotor,
"puxam" ou "empurram" os polos móveis do rotor, produzindo torques, que fazem o rotor girar,
até que os atritos ou cargas ligadas ao eixo reduzam o torque resultante ao valor zero, quando
o rotor passa a girar com velocidade angular constante.
Considere uma bobina circular de raio igual a 5 × 10-2 m, com 200 voltas de fio de cobre,
conduzindo uma corrente elétrica de 2 A, no sentido anti-horário.

Ao ser colocada perpendicularmente ao campo magnético uniforme de intensidade igual a 3 T,


os valores do módulo do momento magnético e do torque sobre a bobina, serão,
respectivamente,
a) 0,6 A . m2 e 4,5 N . m.
b) 0,6 A . m2 e 5,4 N . m.
c) 3,0 A . m2 e 9,0 N . m.
d) 3,0 A . m2 e 4,5 N . m.
e) 30,0 A . m2 e 4,5 N . m.

50 [ 104454 ]. Na figura, uma placa quadrada de lado L = 2,0 cm, de material condutor, é
percorrida por uma corrente elétrica no sentido y crescente. Ao aplicarmos um campo
magnético constante de módulo B = 0,80 T, os portadores de carga em movimento, que
originam a corrente de intensidade i, são deslocados provocando um acúmulo de cargas
positivas na borda de trás e negativas na da frente, até que a diferença de potencial entre
essas bordas se estabilize com valor ΔV  4,0.10 7 V , o que resulta em um campo elétrico
uniforme na direção x, decorrente dessa separação de cargas, que compensa o efeito defletor
do campo magnético. Esse fenômeno é conhecido como efeito Hall.


Determine o módulo do vetor campo elétrico E , gera do na direção x, e o módulo da média das
velocidades dos portadores de carga na direção y.
51 [ 79976 ]. Um objeto de ferro, de pequena espessura e em forma de cruz, está
magnetizado e apresenta dois polos Norte (N) e dois polos Sul (S). Quando esse objeto é
colocado horizontalmente sobre uma mesa plana, as linhas que melhor representam, no plano
da mesa, o campo magnético por ele criado, são as indicadas em

52 [ 77988 ]. Três fios flexíveis e condutores, a, b e c, paralelos, encontram-se fixos em suas


extremidades e separados por uma pequena distância d. Quando percorridos,
simultaneamente, por correntes de mesma intensidade nos sentidos indicados na figura, suas
configurações são melhor representadas na alternativa:

53 [ 83099 ]. Uma espira quadrada de 10 cm de lado é formada por quatro resistores de


resistência r = 1,25 mΩ cada. Ela é colocada numa determinada região onde existe um campo
magnético variável no tempo dado por B(t) = 0,5 + 0,02.t, sendo B dado em unidades do
Sistema Internacional. A direção do campo magnético é perpendicular ao plano da espira.
Nestas condições, determine:
a) o fluxo magnético que atravessa a espira no instante t = 5,0 s;
b) a intensidade da força eletromotriz induzida na espira;
c) a potência dissipada pelos resistores.
54 [ 78433 ]. O fluxo magnético que atravessa cada espira de uma bobina cilíndrica com 50
espiras, em função do tempo, é dado pela expressão Φ = 2t , entre os tempos t = 1 e t = 10s ,
em que o fluxo é dado em Wb. Para esse intervalo de tempo, determine:
a) o módulo da força eletromotriz média induzida.
b) o sentido da corrente induzida, considerando que o campo magnético está "entrando" no
plano do papel, e o plano transversal da bobina é o próprio plano do papel.

55 [ 74168 ]. A radioatividade é um fenômeno em que átomos com núcleos instáveis emitem


partículas ou radiação eletromagnética para se estabilizar em uma configuração de menor
energia. O esquema a seguir ilustra as trajetórias das emissões radioativas α, β +, β- e γ quando
penetram em uma região do espaço onde existe um campo magnético uniforme B que aponta
perpendicularmente para dentro da página. Essas trajetórias se acham numeradas de 1 a 4 na
figura.

Sendo α um núcleo de hélio, β+ um elétron de carga positiva (pósitron), β- um elétron e γ um


fóton de alta energia, assinale a alternativa que identifica corretamente os números
correspondentes às trajetórias das referidas emissões, na ordem em que foram citadas.
a) 1 - 2 - 4 - 3 b) 2 - 1 - 4 - 3 c) 3 - 4 - 1 - 2 d) 4 - 3 - 2 - 1 e) 1 - 2 - 3 - 4

56 [ 73512 ]. A figura mostra uma espira retangular imersa em um campo magnético uniforme,
elemento básico de um motor elétrico de corrente contínua.

O plano da espira é paralelo ao vetor campo magnético, B. A extremidade da espira junto ao


ponto F está ligada ao polo positivo da bateria e a extremidade D ao polo negativo; a corrente
percorre o circuito no sentido de F para D.
São dados:
- intensidade da corrente que percorre a espira: i = 0,80 A;
- resistência do fio no trecho FECD: R = 2,5 Ω.
- módulo do vetor campo magnético: B = 0,50 T;
- comprimento dos lados da espira: CD = EF = 0,050 m.
Determine:
a) a diferença de potencial entre os pontos F e D.
b) o módulo da força magnética que atua em um dos lados, CD ou EF.
57 [ 73362 ]. A foto mostra uma lanterna sem pilhas, recentemente lançada no mercado. Ela
funciona transformando em energia elétrica a energia cinética que lhe é fornecida pelo usuário -
para isso ele deve agitá-la fortemente na direção do seu comprimento. Como o interior dessa
lanterna é visível, pode-se ver como funciona: ao agitá-la, o usuário faz um ímã cilíndrico
atravessar uma bobina para frente e para trás. O movimento do ímã através da bobina faz
aparecer nela uma corrente induzida que percorre e acende a lâmpada.

O princípio físico em que se baseia essa lanterna e a corrente induzida na bobina são,
respectivamente:
a) indução eletromagnética; corrente alternada.
b) indução eletromagnética; corrente contínua.
c) lei de Coulomb; corrente contínua.
d) lei de Coulomb; corrente alternada.
e) lei de Ampere; correntes alternada ou contínua podem ser induzidas.

58 [ 80358 ]. Nos ímãs, que são feitos de materiais criadores de campo magnético, como o
ferro, os spins (ímãs elementares) dos elétrons apontam sempre na mesma direção: para cima
ou para baixo. O que determina esse fator é a influência de outro campo magnético, como o da
Terra.
("Revista Galileu", junho 2005.)

Em relação ao campo magnético, é correto afirmar que:


a) as linhas de indução em um campo magnético coincidem com as trajetórias descritas por
cargas elétricas nele abandonadas.
b) o norte magnético de uma bússola aponta para o norte geográfico da Terra, próximo à região
onde fica o norte magnético do imenso ímã que é nosso planeta.
c) em torno de uma espira circular em que circule corrente elétrica, origina-se um campo
magnético, análogo ao de um ímã.
d) o campo magnético no interior de um solenoide é praticamente nulo e, externamente, é
quase totalmente uniforme.
e) um ímã imerso em um campo magnético uniforme desloca-se, o que também ocorre com
uma partícula carregada num campo elétrico.

59 [ 80373 ]. Um procedimento para estimar o campo magnético de um ímã baseia-se no


movimento de uma grande espira condutora E através desse campo. A espira retangular E é
abandonada à ação da gravidade entre os polos do ímã de modo que, enquanto a espira cai,
um de seus lados horizontais (apenas um) corta perpendicularmente as linhas de campo. A
corrente elétrica induzida na espira gera uma força eletromagnética que se opõe a seu
movimento de queda, de tal forma que a espira termina atingindo uma velocidade V constante.
Essa velocidade é mantida enquanto esse lado da espira estiver passando entre os polos do
ímã. A figura representa a configuração usada para medir o campo magnético, uniforme e
horizontal, criado entre os polos do ímã.
As características da espira e do ímã estão apresentadas na lista a seguir. Para a situação em
que um dos lados da espira alcança a velocidade constante V = 0,40 m/s entre os polos do
ímã, determine:
a) A intensidade da força eletromagnética F, em N, que age sobre a espira, de massa M,
opondo-se à gravidade no seu movimento de queda a velocidade constante.
b) O trabalho realizado pela força de gravidade por unidade de tempo (potência), que é igual à
potência P dissipada na espira, em watts.
c) A intensidade da corrente elétrica i, em amperes, que percorre a espira, de resistência R.
d) O campo magnético B, em tesla, existente entre os polos do ímã.

Espira:
Massa M: 0,016 kg
Resistência R: 0,10 Ω

Dimensões do imã:
Largura a: 0,20 m
Altura b: 0,15 m

NOTE E ADOTE
P = F V ; P = i2R ; F = Biℓ
(Desconsidere o campo magnético da Terra).

60 [ 63257 ]. Uma espira, locomovendo-se paralelamente ao solo e com velocidade constante,


atravessa uma região onde existe um campo magnético uniforme, perpendicular ao plano da
espira e ao solo. O fluxo magnético registrado, a partir do instante em que a espira entra nessa
região até o instante de sua saída, é apresentado no gráfico da figura.

Analisando o gráfico, pode-se dizer que a força eletromotriz induzida, em volts, no instante t =
0,2 s, é
a) 80. b) 60. c) 40. d) 20. e) 0.
61 [ 67097 ]. A figura a seguir representa dois diodos emissores de luz, ligados em paralelo a
um solenoide.

Os diodos foram ligados em oposição um ao outro, de modo que, quando a corrente elétrica
passa por um deles, não passa pelo outro. Um ímã em forma de barra é movimentado
rapidamente para dentro ou para fora do solenoide, SEMPRE pelo lado direito do mesmo,
como está indicado na figura.
Ao se introduzir o ímã no solenoide, com a orientação indicada na figura (S-N), observa-se que
o diodo 1 se acende, indicando a indução de uma força eletromotriz, enquanto o diodo 2 se
mantém apagado.
A respeito dessa situação, considere as seguintes afirmações.

I - Ao se retirar o ímã do solenoide, com a orientação indicada (S-N), o diodo 2 se acenderá e o


diodo 1 se manterá apagado.
II - Ao se introduzir o ímã no solenoide, com a orientação invertida (N-S), o diodo 1 se acenderá
e o diodo 2 se manterá apagado.
III - Ao se retirar o ímã do solenoide, com a orientação invertida (N-S), o diodo 2 se acenderá e
o diodo 1 se manterá apagado.

Quais estão corretas?


a) Apenas I.
b) Apenas II.
c) Apenas III.
d) Apenas I e II.
e) Apenas II e III.
Gabarito:

Resposta da questão 1:
[B]

Se as barras CD e EF se repelem, ambas estão magnetizadas. Se a barra AB é atraída por


qualquer das extremidades de CD, ela não está magnetizada.
Conclusão: somente as barras CD e EF são ímãs.

Resposta da questão 2:
a) Não há corrente induzida no anel, pois as linhas de indução são circunferências
concêntricas com o fio, em plano paralelos ao do anel, não havendo variação do fluxo
magnético através dele.
b) Há corrente induzida no anel, pois há variação do fluxo magnético através dele.
c) Não há corrente induzida no anel, pois o fluxo magnético na parte de cima do anel tem
sentido oposto ao fluxo na parte de baixo, como indicado na figura. Por simetria, o fluxo
magnético resultante é nulo.

Resposta da questão 3:
[C]

Ao rotacionar o disco metálico imerso no campo magnético perpendicular ao disco, é gerado


entre a extremidade do disco e o seu centro uma FEM (E) induzida dependente da velocidade
angular do disco. Considerando a velocidade angular do disco, a FEM (E) induzida também
será constante. Assim, a potência dissipada no resistor é dada por:

E2
P
R

Sendo a resistência (R) da lâmpada constante (resistor ôhmico), podemos concluir que a
potência dissipada na lâmpada será constante.

Resposta da questão 4:
Dados: Δx  L; q  e  q  e .

a) A força resultante sobre o elétron é a força elétrica:


Fres  Felet  m a | q | E  m a | e | E 
| e|E
a .
m
b) Como a força elétrica atua apenas no eixo y, no eixo x a componente da velocidade
permanece constante, igual a v0. Então:
L
Δx  v 0 Δt  L  v 0 Δt  Δt  .
v0
c) No eixo y, o movimento é uniformemente variado. Sendo v0y = 0:
2
1 2 1 e E L  e E L2
Δy  a t  Δy     Δy  .
2 2 m  v0  2 m v 02
d) Aplicando a função horária da velocidade no eixo y, com voy = 0:
eE L eE L
vy  a t  vy    vy  .
m v0 m v0

Resposta da questão 5:
Pela regra da mão esquerda, íons de carga positiva sofrem, inicialmente, forma magnética
para a direita, atingindo a placa C1; os íons de carga negativa sofrem, inicialmente, força
magnética para a esquerda, atingindo a placa C2.

A força magnética age como resultante centrípeta:


m v2 m v
FMAG  Fcent  |q| v B   R .
R |q| B
 m1 v
R1 
 | q1 | B R1 m1 R1 m
     1 
 m2 v R2 m2 2 R1 m2
R2  | q | B
 2

m1 1
 .
m2 2

Resposta da questão 6:
[B]

I. Incorreta. Os polos de um ímã são inseparáveis.


II. Correta.
III. Incorreta. A esfera de ferro será atraída por qualquer um dos polos.

Resposta da questão 7:
[C]

Calculando a corrente elétrica da bobina, i  V/  r  R   50/  2  8   50/10  5 A.

O campo magnético de uma bobina com N espiras é

B  N  μ0  i/2R  6 x 4 π  10 7 x 5 / 0,2  120 π  10 7 / 0,2  600 π.107  6 π  105 T

Resposta da questão 8:
[E]

Os eletroímãs usam o efeito magnético da corrente elétrica para atrair metais ferromagnéticos.

Resposta da questão 9:
[A]

Primeiramente, temos que analisar o sentido das linhas de indução magnética. Fora do ímã,
elas são direcionadas no Norte para o Sul. Isso nos deixa apenas com as alternativas [A] e [E].
Conforme afirma o enunciado, a força magnética deve frear o ímã, então ela deve ter sentido
oposto ao do peso, isto é, vertical e para cima, Assim, a corrente induzida deve ter sentido tal,
que exerça sobre o ímã uma força de repulsão, criando então um polo sul na sua face superior.
Pela regra da mão direita nº1 (ou regra do saca-rolha), o sentido dessa corrente é no sentido
horário, como indicado na figura da opção [A].
Podemos também fazer a análise do fluxo magnético. À medida que ímã desce, o polo sul
aproxima-se das espiras que estão abaixo dele. Então, está aumentando o fluxo magnético
saindo dessas espiras. Ora, pela lei de Lenz, a tendência da corrente induzida é criar um fluxo
induzido no sentido de anular essa variação, ou seja, criar um fluxo entrando. Novamente, pela
regra do saca-rolha, essa corrente deve ter sentido horário.

Resposta da questão 10:


ΔΦ
Lei de Faraday: ε   ; onde:
Δt
ε = tensão elétrica.
Δt = 1s.
ΔΦ  Φ  Φ0  B.S  B.S0  B.(S  S0 )

Como S  π.a2 (área do círculo), teremos:


a 3
ΔΦ  B.( π.( )2  π.a2 )   .B.π.a2
2 4

Substituindo na lei de Faraday:


3
 .B.π.a2
ΔΦ
ε  4
Δt 1
3
ε  .B.π.a2
4

ε
De acordo com a definição de resistência elétrica: R  ; concluímos:
i
3
.B.π.a2
ε ε 4
R i i
i R R
3.B.π.a2 (com unidades no S.I.), no sentido horário.
i
4.R

Nota: o sentido foi determinado pela "regra da mão direita".

Resposta da questão 11:


a) Dado: π  3 ; TR = 0,5 s; R = 50 cm; r = 0,8 cm.
2π 2  3
ωR    ωR  12 rad / s.
TR 0,5
Como não há escorregamento relativo entre a roda e o eixo do dínamo, ambos têm mesma velocidade
linear. Então:
ωR R 12  50 
vD  vR  ωD r  ωR R  ωD    ωD  750 rad / s.
r 0,8

b) Usando novamente a expressão que relaciona o período de rotação e a velocidade angular:


2π 2π 2  3
ωD   T   T  8  10 3 s.
T ωD 750

c) Dados: P = 24 W; R  6Ω .
ε2 ε2
P  24   ε2  144  ε  12 V.
R 6

Resposta da questão 12:


[E]

Dados: B = 5  10–4 T; q = 1,6  10–19 C; F = 1  10–14 N; θ = 90°.


Da expressão da força magnética:
F 1,4  10 14
F | q | v B senθ  v   
q B sen90 1,6  1019  5  10 4
F  1,25  108 m / s.

Resposta da questão 13:


[A]

A força magnética é a força centrípeta. Portanto:

v2 qBR  q 
qvB  m v    BR  v  108 x0,4x10x10 3  4,0x105 m/s.
R m m

Resposta da questão 14:


[C]

Quando o campo magnético é ligado, surge uma força magnética que é simultaneamente
perpendicular ao campo e a velocidade. Pela regra da mão esquerda, essa força, inicialmente,
é para direita, obrigando a partícula a se desviar em cada ponto, realizando trajetória circular. A
figura mostra a trajetória do elétron e a força magnética em alguns pontos.

Como essa força é radial, ela age como resultante centrípeta.

m v2 m v2
Fmag  Rcent  qv B  R 
R q vB
mv
R .
qB

Resposta da questão 15:


01 + 02 + 08 = 11

01) Correto. Uma bússola colocada próxima a um ímã tem o seu polo norte atraído pelo polo
sul do ímã. Portanto o polo norte de uma bússola imersa no campo magnético deve ser
atraído pelo polo Sul do grande ímã que é o planeta que está localizado no Norte
geográfico.

02) Correto. As linhas de campo magnético de um ímã emergem do polo Norte magnético que
é o polo Sul geográfico.

04) Errado. A revolução da Terra em torno do Sol não tem nada a ver com isto.
08) Certo. Os campos magnéticos desviam partículas emitidas pelo Sol que colidem com a
atmosfera terrestre

16) Errado. Quanto mais próximo dos polos mais intenso é o campo magnético.

Resposta da questão 16:


a) Como a força magnética age como resultante centrípeta, ela altera apenas a direção da
velocidade da partícula; seu módulo permanece constante. Assim:
v'
v'  v   1.
v

b) Sendo a força magnética a própria resultante centrípeta, a trajetória da partícula é circular.


Calculemos o raio da trajetória:
m v2 mv
Fmag  Rcent  qvB  r (I).
r qB

O espaço percorrido (S) pela partícula no campo magnético é igual ao arco por ela descrito.
Da definição de ângulo em radiano:
S
rad   S  r rad (II).
r

Substituindo (I) em (II):


mv
S  rad (III)
qB

Sendo:
S S
v  t  . (IV)
t v

Substituindo (III) em (IV):


m v

q B rad
t  
v
m
t  rad .
qB

Resposta da questão 17:


[D]
  
A força magnética sobre um fio é dada pela expressão: F  i.xB .
A regra da mão direita dá a direção e o sentido da força.
Utilizando a regra da mão direita concluímos a força em cada caso, como mostra a figura
abaixo:

Resposta da questão 18:


08 + 16 + 32 = 56.

01) Incorreta: a intensidade do campo magnético criado por uma bobina depende da corrente
que a atravessa (i), da quantidade de espiras (n) e do raio da bobina (R).

 n 0 i 
B  .
 2R 
02) Incorreta: o movimento do cone ocorre devido a forças magnéticas que surgem da
interação do campo magnético do ímã permanente com o campo magnético da corrente
elétrica que percorre a bobina.
04) Incorreta: ondas sonoras são longitudinais.
08) Correta.
16) Correta.
32) Correta.

Resposta da questão 19:


[B]

N 6
B  1000.μ 0 . .i  B  1000.4 π.10 7. 4x10 .1,5  12 πx102 T .
 2

Resposta da questão 20:


a) Dados: 0 = 1,3  10–6 T.m/A; N = 25.000 espiras; L = 0,65 m; i = 80 A.
N 6 25.000
B = 0 n i  B = 0 i = 1,3  10   80 
L 0,65
B = 4,0 T.

b) Dados: m = 200 g = 0,2 kg; d = 2 mm = 2  10–3 m; aR = 0,5 m/s2; g = 10 m/s2.


Se o imã sobe em movimento acelerado, Fm > P.

Do Princípio Fundamental da Dinâmica:


Fm – P = m aR  Fm = m aR + m g = 0,2 (0,5 + 10)  Fm = 2,1 N.
Calculando o trabalho:
WFv  Fm d  2,1 2  10 3  WFv  4,2  10 3 J.
m m

Resposta da questão 21:


[A]

Se o fluxo é constante, não há força eletromotriz induzida.

Resposta da questão 22:


[A]

Utilizando a Lei de Faraday-Lenz concluímos que, com a queda da haste, a área da espira
aumentará, produzindo uma variação do fluxo do campo e gerando uma fem que produzirá a
corrente indicada na figura. Demonstra-se que a fem induzida na barra vale   Bv . Com a
passagem da corrente, a barra será submetida a uma força voltada para cima de módulo
F  Bi . A barra parará de acelerar quando a força magnética for igual ao seu peso.

F  Bi  mg
 Bv mgR 10 x1
 Bv   B. .  mg  v  2 2  2 2  10m / s .
i  R B  1 x1
R R 

Resposta da questão 23:


[C]

De acordo com o enunciado: “O campo magnético do ímã induz o ordenamento dos polos
magnéticos na corda da guitarra...”. Trocando-se as cordas de aço (material ferromagnético)
por cordas de nylon, o efeito de magnetização torna-se muito fraco, desprezível, não enviando
sinais ao amplificador.

Resposta da questão 24:


Dados: S = 10 cm2 = 10–3 m2; B = 2  10–5 T; f = 20 Hz.

O período do movimento é:
1 1
T  s  T = 5  10–2 s.
f 20

Calculando a velocidade angular:


 = 2 f = 2(20) = 40 rad/s.

Substituindo esses valores na função dada,


 = B  S cos  t, vem:
 = (2  10–5) (10–3) cos 40 t   = 2  10–8 cos 40 t.

Para t = 0 o fluxo é máximo e vale:


máx = 2  10–8 cos 0°  máx = 2  10–8 Wb.

T
Para t = o fluxo é mínimo e vale:
2
mín = – 2  10–8 Wb.

Construindo o gráfico:
Resposta da questão 25:
[C]

O módulo da velocidade do elétron ao final do campo elétrico é dado pelo teorema da energia
cinética.
1
mv 2 mv 2 2qU  2qU  2 (I)
WR   qU   v 2
 v   .
2 2 m  m 

Ao penetrar no campo magnético, o movimento é circular uniforme, portanto a força magnética


atua como resultante centrípeta.
mv 2 mv
FMag  FRcent  qvB   R . (II)
R qB

Substituindo (I) em (II):


1
m  2qU  2 1  m2 2qU 
R   2   
qB  m  B q m 
1
1  2mU  2
R   .
B q 

Resposta da questão 26:


[A]

a) Correta.
b) Errada. O campo elétrico somente exerce força sobre partículas eletrizadas. Como o próprio
enunciado afirma, as nanopartículas devem ser conduzidas por ímãs, ou seja, por campo
magnético.
c) Errada. O campo magnético de um fio é proporcional ao inverso da distância.
d) Errada. Apenas substâncias metálicas ferromagnéticas podem ser utilizadas.

Resposta da questão 27:


[B]

Dado: f = 2,45  109 Hz.


Consideremos: massa do elétron: m = 9  10–31 kg; carga do elétron: q = –1,6  10–19 C.
Como se trata de movimento circular uniforme, a força magnética atua como força resultante
centrípeta. Se as órbitas são circulares, a velocidade deve ser perpendicular ao campo
magnético ( = 90°). Assim:
m v2 m
Fmag = Rcent  | q | v B sen   | q | B sen90  (2 R  f ) 
R R
2 m f 2(3,14)(9  1031 )(2,45  109 )
B=   B = 8,66  10–2 T.
|q| 1,6  10 19
Resposta da questão 28:
[C]

Dados: B = 1 T; r = 50 cm = 0,5 m; q = 1,6  10–19 C; m = 1,67  10–27 kg.


Uma partícula lançada perpendicularmente a um campo magnético descreve movimento
circular, porque a força magnética age como resultante centrípeta:

m v2 m v2 | q | B r 1,6  1019  1 0,5


Fmag   |q | v B   v   v  4,8  10 7 m / s 
r r m 1,67  10 27
v  107 m / s.

Resposta da questão 29:


[B]

Como o movimento é circular uniforme, a força magnética age como resultante centrípeta:
Fmag = RC 
mv 2 mv (1,7  1027 )  (3  10 4 )
| q | vB  r  r   1,875  10 4  r  2  10 4 m .
r |q|B 19
(1,6  10 )  (1,6)

Resposta da questão 30:

Se ao entrar no espectrômetro o íon é desviado para cima, aplicando a regra da mão direita,
concluímos tratar-se de um íon positivo.

No Seletor esse íon tem trajetória retilínea. Assim, a força magnética, que é para cima, deve
ser equilibrada pela força elétrica, que, então, é dirigida para baixo.

Se o íon é positivo a força elétrica tem o mesmo sentido do campo elétrico.



Conclusão: o campo elétrico E s é para baixo, conforme indicado na figura.
Calculando v:

Dados: Es = 2.500 V/m; Bs = 5  10–2 T.


E 2.500
Fmag = Felet  | q | v B | q | E  v =   v = 5  104 m/s.
B 5  102

Resposta da questão 31:


a) Se ambos, próton e elétron estão em movimento circular uniforme, a força magnética age
como resultante centrípeta. Assim:
m v2 mv
RCent  FMag  | q | vB  R  .
R | q | B

Sendo me; mp; ve; vp; Re e Rp as massas, velocidades e raios das trajetórias do elétron e do
próton, respectivamente. Lembrando que ambos têm cargas de mesmo módulo, fazendo a
razão entre os raios, obtemos:

Rp mp v p | q|B Rp mp v p
    .
Re | q | B me v e R e me v e

b) Dados: mp = 1.830 me; ve = 5 vq.

Substituindo esses dados na expressão deduzida no item anterior, temos:


Rp 1.830 me v p Rp 1.830
    366 .
Re me 5 v p Re 5

Resposta da questão 32:


01+ 04 + 16 = 21

(01) Correta. A força magnética sobre uma partícula eletrizada tem direção simultaneamente
perpendicular ao campo e à velocidade. Assim sendo, Essa força exerce a função apenas
de força centrípeta, alterando somente a direção do movimento, não alterando a
velocidade. Logo, ela não transfere energia cinética às partículas, não realizando trabalho.
(02) Errada. Já justificado em (01).
(04) Correta. Basta aplicar a “regra da mão direita”.
(08) Errada. Já justificado em (01).
(16) Correta. Já justificado em (01).

Resposta da questão 33:


 
A figura abaixo mostra as forças elétrica FE    
e magnética FM agindo sobre um íon positivo.

FM

v v

FE

Para um íon que é coletado, essas forças se equilibram, pois o movimento é retilíneo e
uniforme. Seja, então, v o módulo da velocidade do íon.
E
Fm = FE  q v B  q E  v = .
B

Sendo o W o trabalho da força elétrica no interior do acelerador, aplicando o teorema da


energia cinética, temos:
2 2
m v2 mE B
W = EC  q V =  qV =  m = 2qV   .
2 2  B  E
Resposta da questão 34:
Dados: |q| = 1,6  10–19 C; B = 1,5  103 T; v = 107 m/s; r = 4 cm = 4  10–-2 m.
v
Uma partícula eletrizada com carga q movendo-se, com velocidade v no interior de um campo
v v
magnético B está sujeita a uma força magnética F , que atua na direção perpendicular ao
v v v v
plano que contém v e B , com sentido perpendicular ao giro de v para B , se a carga é
positiva e, oposto, se a carga é negativa. O módulo dessa força é dado por:
v v
F  q v B sen , sendo  é o ângulo entre v e B .

v v
No caso em questão, v  B  sen  = 1.
v v v
Uma vez que F  v , na ausência de outras forças, F age sobre a partícula como resultante
centrípeta não realizando trabalho sobre ela, alterando apenas a direção da sua velocidade,
obrigando-a a descrever a trajetória circular, conforme mostra a figura.

Desse modo tem-se:

q v Bm
v2
m  q B R 
 
1,6  10 19  0,0015  0,04 

R v 107
31
m  9,6  10 kg.

Resposta da questão 35:


[B]

A força magnética age nas partículas eletrizadas, P1 e P2, como resultante centrípeta. Assim:

mv 2
Fmag = . Como as partículas têm mesma velocidade e mesma massa, as que descrevem
R
trajetória de menor raio sofrem força magnética de maior intensidade; no caso, as partículas P2.

Podemos ainda concluir pela regra da mão direita (mão espalmada ou regra do ”tapa”) que as
partículas P2 estão eletrizadas positivamente e as partículas P1, negativamente.

Também, da expressão do raio:

mv
R= , podemos concluir que, se as partículas P1 descrevem trajetória de raio R1 = 2 R2, as
|q|B
cargas elétricas estão na razão inversa, ou seja:

mv mv
R2 = e R1 = . Dividindo uma expressão pela outra, vem:
| q2 | B | q1 | B
R1 m v | q2 | B 2 R2 | q2 |
     |q2| = 2 |q1|  q2 = – 2 q1.
R2 | q1 | B m v R2 | q1 |

Resposta da questão 36:


[A]

OBS: a questão foi classificada como de média dificuldade devido às dificuldades de


interpretação do enunciado e das opções de resposta, pois não é fornecido que a declinação
magnética é o ângulo entre o norte magnético e o norte geográfico. Além disso, foram
fornecidos sen 21° e cos 21°, que não entram no cálculo, pois o sen  que entra na fórmula da

  
força magnética é entre o vetor indução magnética B e o vetor velocidade  v  . Como já é
dada a componente horizontal do vetor indução magnética, e a velocidade é vertical,  = 90°.

Dados: BHor = 0,25 G = 0,25  10–4 T; v = 106 m/s; |q| = 1,6  10–19 C.

Aplicando a expressão da força magnética:

F = |q| v B sen   F = 1,6  10–19  106  0,25  10–4 sen 90°  F = 4  10–18 N.

A figura ilustra a direção e o sentido dessa força: formando 21° com a direção leste-oeste, com
componentes para o leste e para o norte.

Resposta da questão 37:


a) Dados: E = 1,0  10–4 V/m; L = 2,0 cm = 2,0  10–2 m.

Sendo U a ddp indicada pelo voltímetro V, temos:


U = E L = 10–4  2  10–2  U = 2  10–6 V 
U = 2 V.
E 1,0x10 4
b) No equilíbrio: FE = FB  qE  qvB  v   
B 0,2
v = 5  10–4 m/s.

Resposta da questão 38:


[B]

ΔB
Dados: N = 10;  = 30°; = – 0,5 T/s;
Δt
De acordo com a lei de Faraday-Neumann, a força eletromotriz induzida () em N espiras de

área A, sendo  o ângulo entre a normal ao plano das espiras e o vetor indução magnética ( B
), é dada por:
 B
=   N A cos   10( 0,5)A cos30 
t t
5 3 A
= .
2

Resposta da questão 39:


[B]

Dados: P = 10 W; R = 10 ; n = 100.
A força eletromotriz () induzida na bobina alimenta a lâmpada. Da expressão da potência
elétrica, vem:
2
P =    = P R = 100   = 10 V.
R
Da lei de Lenz, a força eletromotriz induzida numa bobina com n espiras é dada por:
 
=n , na qual representa a variação temporal do fluxo magnético através de cada
t t
espira. Então, substituindo:

10 = 100 
t

= 0,10 Wb/s.
t

Resposta da questão 40:


a) Dados: U1 = 110 V; U2 = 220 V; N1 = 250 espiras.

Sendo N2 o número de espiras correspondente a 220 V, da equação do transformador, vem:

U1 U2 110 220
    N2 = 500 espiras.
N1 N2 250 N2

b) Dado: P = 880 W.
Desprezando perdas nas transformações, temos:
P = U2 I2  880 = 220 I2  I2 = 4 A.
P = U1 I1  880 = 110 I1  I1 = 8 A.

c) Dado: Pmáx = 2.200 W.


Pmáx = U2 I2máx  2.200 = 220 I2máx  I2máx = 10 A;
Pmáx = U1 I1máx  2.200 = 110 I1máx  I1máx = 20 A.

Resposta da questão 41:


[C]

A intensidade da corrente induzida depende da variação do fluxo magnético gerado pela


corrente na bobina: quanto mais intensa for a corrente na bobina, maior será a intensidade da
corrente induzida no cérebro.

Resposta da questão 42:


[E]
De acordo com a lei de Faraday-Neumann, a corrente elétrica induzida num circuito fechado
ocorre quando há variação do fluxo magnético através do circuito.

Resposta da questão 43:


[E]

A aproximação do ímã provoca variação do fluxo magnético através do anel. De acordo com a
Lei de Lenz, sempre que há variação do fluxo magnético, surge no anel uma corrente induzida.
Essa corrente é num sentido tal que produz no anel uma polaridade que tende a ANULAR a
causa que lhe deu origem, no caso, o movimento do ímã. Como está sendo aproximado o polo
norte, surgirá na face do anel frontal ao ímã, também um polo norte, gerando uma força de
repulsão entre eles.

Resposta da questão 44:


a)

A figura mostra as forças que agem sobre um íon: a força elétrica no mesmo sentido do
campo elétrico, pois os íons são positivos; pela regra da mão direita encontramos a força
magnética, oposta à força elétrica. Para o íons que passam pela fenda F 2 essas forças se
equilibram. Então:

Fmag  Felet   q v B1  q E 
E
v .
B1

' 
b) A força magnética (Fmag ) devida a B 2 exerce o papel de resultante centrípeta. Então:
m v2 m B2 R
Rcent = Fmag 
'
 q v B2   . Substituindo o v pela expressão encontrada no
R q v
 E
item anterior  v   , vem:
 B1 
m B2 R
 
q E
B1
m B1 B2
 R.
q E

'
c) Dado: B 2 = 2 B2.
Isolando R na expressão obtida no item anterior, obtemos:

mE
R .
q B1 B2

O novo raio, R’ é, então:


mE mE
R'   R'  .
q B1 2 B2 2 q B1 B2

A razão entre esses raios é:

R' mE q B1 B2 R' 1
    
R 2 q B1 B2 mE R 2
R
R'  .
2

Resposta da questão 45:


[A]

Resolução
Se os prótons, que são positivos, viajam na direção e sentido do eixo y, e são mantidos assim
pelos campos elétrico e magnético, então o campo elétrico deve ter o mesmo sentido do eixo y
para acelerar o próton e o campo magnético deve apontar para o sentido negativo do eixo z
para que a força magnética aponte (pela regra da mão direita) para o centro do anel,
funcionando assim como resultante centrípeta.

Resposta da questão 46:


A força magnética equilibra a força peso então F1 = P1 = M1.g = 0,008.10 = 0,08 N
Sabemos que F = i.B.L  0,08 = 2.B.0,2  B = 0,2 T
Com a inversão das chaves, sem a ação de outra força que não a magnética, ocorrerá a
formação de um binário de forças de módulo 0,08 N. Para neutralizar o binário a força peso da
massa M2 deverá ter o torque de mesmo módulo, mas sentido oposto. Posicionando a ação da
massa no ponto médio do segmento P3P4 a massa M2 deverá ser o dobro de M1 e logo M2 =
2.0,008 = 0,016 kg. A figura a seguir mostra a situação final.

Resposta da questão 47:


[E]

A componente do peso paralela ao plano inclinado é equilibrada pela força magnética.


m.g.sen30 = B.i.L
m.g/2 = B.i.L
Além disto i = B.L.v/R, então:
m.g/2 = B.(B.L.v/R).L
m.g/2 = B2.L2.v/R
10 2
5. = B2.12.
2 2
2
25 = B B=5T

Resposta da questão 48:


[E]

Resolução

200
Como a razão entre o número de espiras é = 4 a tensão secundária sofrerá aumento de 4
50
vezes em relação à tensão primária.

Como a tensão primária é de 12 V a secundária será de 48 V.

Resposta da questão 49:


[C]

Resolução
O momento magnético  é dado pelo produto da intensidade de corrente e pela área
equivalente da bobina. Esta área equivalente corresponde a área total de 200 círculos de
cobre. Assim:
 = i.n.A = 2.200.(.25.10-4) = 3,14 A.m2

O torque magnético é produto entre o momento magnético e o campo magnético, T = .B =


3,14.3 = 9,42 N.m

Resposta da questão 50:


Dados: ΔV  4  10 –7 V; L  2 cm  2  10 –2 m.
V 4  10 7
E L  V  E  
L 2  102
E  2  105 V / m.

Quando atinge essa compensação, a força magnética e a força elétrica atingem a mesma
intensidade. Assim:
E 2  10 5
Fmag  Felet  | q | v B | q | E  v  
B 0,8
v  2,5  105 m / s.

Resposta da questão 51:


[A]
Resposta da questão 52:
[A]

Resposta da questão 53:


a) 6,0 × 103 Wb.

b) 2,0 × 104 V.

c) 8,0 × 106 W.

Resposta da questão 54:


a) Pela lei de Faraday-Neumann, o módulo da força eletromotriz média induzida é 2 V. Como
temos 50 espiras, esse valor deve ser multiplicado por 50, resultando em 100V.

b) No intervalo de tempo mencionado, o fluxo magnético aumenta com o tempo, ou seja, cada
vez mais linhas de campo atravessam as espiras da bobina. De acordo com a lei de Lenz, a
corrente induzida deve ter um sentido de tal forma que origine um campo magnético, que deve
ocasionar um fluxo que se oponha ao aumento de fluxo. Portanto, a corrente induzida deve ter
um sentido anti-horário na bobina, do ponto de vista de quem olha o papel.

Resposta da questão 55:


[B]

Resposta da questão 56:


a) 2 V.
b) F mag = 0,02N

Resposta da questão 57:


[A]

Resposta da questão 58:


[C]

Resposta da questão 59:


a) 1,6 × 101N
b) 6,4 × 102 W
c) 8,0 × 101A
d) 1,0T

Resposta da questão 60:


[E]

Resposta da questão 61:


[A]

Você também pode gostar