Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS

CAMPUS DE PORTO NACIONAL


PROGRAMA DE PÔS-GRADUAÇÃO EM LETRAS

LUCIANA SEVERINO DA SILVA.

O ato de se comunicar surgiu da necessidade do homem em busca da


sobrevivência, as primeiras produções da linguagem escrita, surgiram e evoluíram com
o tempo. Desse modo vários modelos de escrita foram surgidos desde as antiguidades
civilizadas até o presente momento de uma sociedade contemporânea. Ademais para se
chegar ao método alfabético muitos estudiosos de diferentes áreas buscaram explicar
esse processo de evolução e surgimento da escrita através de pesquisas e descobertas.
Com a evolução da escrita durante muito tempo o método de alfabetização absorver-se
no ensino do código escrito, ou seja, eram transmitidos para a sociedade o ensino apenas
da leitura e escrita.

O intuito dessa educação era ensinar a codificação e decodificação da língua


escrita, mediados por um ensino tradicional em um método mecânico na qual o
professor era considerado o detentor do saber e o aluno o receptor com mínimos
conhecimentos valorizados. Diante disso e com o passar do tempo o aprimoramento do
saber se tornou necessário, o método tradicional foi se modificando surgindo-se novas
concepções de ensino envolvendo a escrita e leitura do mundo de diferentes olhares e
interpretações, desse modo a sociedade e estudiosos passaram a conceituar esse novo
método de Letramento.

O Letramento surgiu para ampliar e modificar as formas de alfabetização, através


de diferentes modos de ensino e por meio do seu uso da escrita e interpretação, uma vez
que houve a necessidade de atualização dessas práticas para a transformação da
sociedade contemporânea, sobre tudo diferentemente da alfabetização que se limitava
apenas na escrita de código de tal forma que não alcançou grandes eficácias em épocas
passadas, inserindo grande parte da população ineficaz no mercado de trabalho devido
suas grandes dificuldades de compreensão e analfabetismo.
O uso da escrita, leitura e intepretação através do letramento são utilizados em
diversos contexto, visto que eles se manifestam em nossa habitual rotina. Além disso
existem diferentes níveis de letramento afirma Soares:

Um adulto pode ser analfabeto e letrado: não sabe ler nem escrever...,
mas conhece as funções da escrita e usa-a lançando mão do
alfabetizado. Uma pessoa pode ser alfabetizada e não ser letrada: sabe
ler e escrever, mas não cultiva nem exerce práticas de leitura e
escrita.... (Soares 2005, p.47).

No Brasil Paulo Freire se tornou um grande defensor de diferentes métodos de


ensino da alfabetização. Em suas obras o mestre nos apresenta que a alfabetização ela
pode ser ensinada não tão somente por meio de códigos, mas pela valorização dos
conhecimentos prévios do mundo em que o aluno vive. Os métodos de alfabetização
utilizados por Freire descritos em suas diferentes obras são importantes para uma
reflexão, cada obra transmite um conhecimento que o professor deve se beneficiar.
Freire mostra a realidade do ensino e defende uma alfabetização letrada na qual o
sujeito é o centro da formação, o professor tem um papel fundamental e se torna um
mediador entre o aluno e a escola. Dessa forma baseando em suas obras observa-se que
também o autor realiza um despertar para a forma do ensino do letramento. Em outras
palavras o educador reflete em uma educação Humana, emancipadora e eficaz.
Contribui enriquicedamente para a transformação da educação da alfabetização e do
letramento.

Em suma a alfabetização e o letramento estão associados a competências a qual


os educandos devem estar preparados para esse processo. Os estudos sobre esse tema
são diversos e os conhecimentos adquiridos através dos diferentes meios ocorrem
diariamente, é preciso saber que o ser humano está em constante transformação e
necessita que a leitura e a escrita estejam juntos em um mesmo proposito.

Você também pode gostar