Você está na página 1de 38

Universidade Estadual da Paraíba

Centro de Ciências Biológicas e da Saúde


Departamento de Enfermagem
Processo de Cuidar em Saúde do Adulto I
Docente: Alex do Nascimento Alves
Discentes: Layra Brenda Lacerda Santos,
Sara Lorrany Aquino da Silva, Suéllen Farias Barbosa
Choque
E S E U S T I P O S
Choque
D E F I N I Ç Ã O

O choque pode ser definido como um estado fisiológico em que existe fluxo
sanguíneo inadequado para fornecer oxigênio e nutrientes destinados ao
funcionamento dos órgãos vitais e da função celular.

→ Bomba cardíaca adequada.


Fluxo sanguíneo adequado
→ Sistema circulatório efetivo.
para os tecidos e células
→ Volume sanguíneo suficiente.

(SMELTZER, BARE 2014)


Choque e seus tipos 2
Alterações Celulares

→As células carecem de um suprimento


sanguíneo adequado.
→Produz energia através do metabolismo
anaeróbico.
→Função celular cessa.

(SMELTZER, BARE 2014)


Choque e seus tipos 3
Alterações nos Sistemas Fisiológicos

Sistema Hematológico Ativação da cascata de coagulação.

SNC libera as catecolaminas para aumentar a


Sistema Cardiovascular
Frequência Cardíaca e a vasoconstricção periférica.
Os rins estimulam o Sistema Renina Angiotensina
Sistema Renal
Aldosterona (SRAA).

Sistema Neuroendócrino O sistema endócrino libera o hormônio ADH.


(SMELTZER, BARE 2014)
Choque e seus tipos 4
Estágios do

O choque progride ao longo de um continuum de estágios:

1 2 3
ESTÁGIO ESTÁGIO ESTÁGIO
COMPENSATÓRIO PROGRESSIVO IRREVERSÍVEL

(SMELTZER, BARE 2014)


Choque e seus tipos 5
E S T Á G I O
Compensatório

PA normal Pele fria e pegajosa

da vasoconstrição, FC e contratilidade dos sons intestinais e do débito urinário

DC adequado Alcalose respiratória compensatória

Desvio de sangue para órgãos vitais Alterações no estado mental

(SMELTZER, BARE 2014)


Choque e seus tipos 6
E S T Á G I O
Progressivo

PAM baixa (PAS < 90mmHg) Efeitos Respiratórios

Arritmias e Isquemia cardíaca Efeitos Neurológicos

Falência da bomba cardíaca Efeitos Renais e Hepáticos

da permeabilidade vascular Efeitos Gastrointestinais

do consumo de oxigênio Efeitos Hematológicos

(SMELTZER, BARE 2014)


Choque e seus tipos 7
E S T Á G I O
Irreversível

PA permanece baixa Ventilação e Oxigenação inadequada

Acidose metabólica avassaladora Icterícia e inconsciência

Reservas de ATP esgotadas Disfunção orgânica progressiva

Falência de múltiplos órgãos

(SMELTZER, BARE 2014)


Choque e seus tipos 8
Choque
H I P O V O L Ê M I C O

→ O choque hipovolêmico é o tipo de choque mais comum;


→ .Caracteriza-se pela redução do volume intravascular em torno de:

15% A 30%

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Hipovolêmico 9
CHOQUE HIPOVOLÊMICO
causado por:

Perdas híbridas Deslocamento de


externas líquidos internos

→ Traumas;
→ Passaram por cirurgia;
Pessoas que apresentam: → Diabetes insípido;
→ Hemorragias;.
→ Queimaduras.
(SMELTZER, BARE 2014)
Tipos de choque: Choque Hipovolêmico 10
QUEDA DA VOLEMIA QUEDA DA VOLEMIA QUEDA DA VOLEMIA
DISCRETA (<20%) MODERADA (20-40%) GRAVE (>40%)

→ Alterações mentais
→ Sensação de frio; → Sensação de sede; → Taquicardia
→ Sudorese fria; → Hipotensão; (>120bpm);
→ Palidez. → Oligúria. → Pulso irregular;
→ Parada Cardíaca.

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Hipovolêmico 11
→ Restauração do volume intravascular para reverter o quadro
que condiz à perfusão tecidual inadequada.
→ Utilização de soluções cristaloides:

Ringer Lactato Cloreto de Sódio a 0,9%

→ Medicamentos vasoativos: → Falência cardíaca


→ Desidratação

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Hipovolêmico 12
→Administrar líquidos para restaurar o volume intravascular;
→Posicionar o paciente de forma correta – posição de
Trendelenburg modificada;
→Prevenção primária;
→Monitorar complicações.

Posição de Trendelenburg modificada (SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Hipovolêmico 13
Choque
C A R D I O G Ê N I C O

→ O choque cardiogênico ocorre quando a


capacidade do coração para se contrair
e bombear o sangue se mostra
comprometida.

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Cardiogênico 14
CHOQUE CARDIOGÊNICO
as causas podem ser:

Coronárias Não-coronárias

condições que
estressam o miocárdio
→ Acidose;
→ São mais comuns;
→ Hipoglicemia;
→ Pacientes acometidos
→ Miocardiopatias;
por infarto agudo do
→ Lesão valvular;
miocárdio
→ Tamponamento cardíaco.

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Cardiogênico 15
Dor da angina Arritmias

Fadiga Instabilidade hemodinâmica

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Cardiogênico 16
→ Consiste em limitar a lesão miocárdica preservando miocárdio saudável, melhorando a função cardíaca.
→ Pacientes com choque cardiogênico:
→ terapia trombolítica; → corrigir a causa subjacente
Coronário → terapia com bomba por Não-coronário de uma válvula defeituosa;
balão intra-aórtico. → correção da arritmia

→ Terapia farmacológica:
→ Oxigenação: taxa de 2 a 6 l/min para Dobutamina → aumentar a força da contração cardíaca.
atingir saturação superior a 90%;
→ Controle da dor: morfina IV; Nitroglicerina → age como vasodilatador venoso.
pode ser usada com a dobutamina e
Dopamina →.
nitroglicerina para melhorar perfusão tecidual
(SMELTZER, BARE 2014)
Tipos de choque: Choque Cardiogênico 17
→Identificar precocemente os pacientes de risco;
→Promover oxigenação adequada do músculo cardíaco;
→Monitorar estado hemodinâmico;
→Administrar medicamentos;
→Manutenção da contra pulsação por balão intra-aórtico.

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Cardiogênico 18
Choque
C I R C U L A T Ó R I O

→ O choque circulatório é ocasionado quando o volume sanguíneo se represa nos


vasos sanguíneos periféricos levando a uma perfusão tecidual inadequada.
→ A vasodilatação inicial no choque circulatório propicia para a subclassificação
de 3 tipos de choque:

CHOQUE SÉPTICO CHOQUE NEUROGÊNICO CHOQUE ANAFILÁTICO


(SMELTZER, BARE 2014)
Tipos de choque: Choque Cardiogênico 19
Choque
S É P T I C O

→ O choque séptico é o tipo mais comum de choque circulatório;


→ É uma das maiores causas de mortes em UTI;
→ Consiste em uma condição severa decorrente de uma sepse grave.

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Séptico 20
CHOQUE SÉPTICO
→ Bactérias gram-negativas;
Microrganismos → Bactérias gram-positivas;
→ Vírus;
liberam toxinas
→ Fungos.

Dilatação dos vasos


sanguíneos

Falência múltipla
dos órgãos
(SMELTZER, BARE 2014)
Tipos de choque: Choque Séptico 21
ESTÁGIO INICIAL (choque quente) ESTÁGIO AVANÇADO (choque frio)
Extremidades quentes e ruborizadas DC baixo com vasoconstrição
PA normal ou discretamente reduzida PA não responde aos tratamentos
Frequência cardíaca e respiratória Temperatura normal ou hipotermia
Náuseas, vômitos e diarreia Pele fria e pálida
Alterações sutis do estado mental Disfunção orgânica
Débito Urinário normal ou diminuído Progressão para a morte

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Séptico 22
→ A rápida identificação da fonte infecciosa é essencial.

Amostras de sangue

Amostras de escarro

Amostras de urina

Drenagem de feridas

Extremidades de cateteres invasivos

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Séptico 23
TERAPIA DE REPOSIÇÃO TERAPIA TERAPIA
DE LÍQUIDOS FARMACOLÓGICA NUTRICIONAL

Correção da → Escolher antibióticos de → A suplementação


hipoperfusão tecidual amplo espectro; nutricional;
com cristaloides de → Recomendava-se administração → Recomenda-se
20ml/kg/h. da proteína C humana ativada alimentações
recombinante (Drotrecogina). enterais.

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Séptico 24
→ Higienizar corretamente as mãos;
→ Realizar os procedimentos invasivos com técnicas assépticas;
→ Monitorar os sinais que podem indicar infecção;
→ Monitorar as punções arteriais e venosas, as incisões cirúrgicas, as
feridas traumáticas, os cateteres urinários e as lesões por pressão;
→ Monitorar e relatar os níveis sanguíneos;
→ Administrar as medicações e dietas prescritas.

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Séptico 25
Choque
N E U R O G Ê N I C O

→O choque neurogênico ocorre em decorrência de um desequilíbrio das


estimulações simpáticas e parassimpáticas do cérebro.
Estimulação simpática
=
Estimulação parassimpática
X
predominante
Estimulação parassimpática

→Ocorrência de vasodilatação de longo período.


(SMELTZER, BARE 2014)
Tipos de choque: Choque Neurogênico 26
CHOQUE NEUROGÊNICO

→ Lesões no sistema nervoso


→ Lesões na medula espinal Sistema Nervoso Central
→ Anestesia espinal
Alteração no Sistema Comando do tônus
→ Ação depressora de medicamentos vascular
Nervoso Autônomo
→ Hipoglicemia

FC PA

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Neurogênico 27
Vasodilatação arterial Hipotensão Bradicardia

Pele seca e quente Taquipneia superficial

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Neurogênico 28
→ Deve ser iniciado o mais rápido possível a fim de evitar uma maior gravidade.

Restaurar o tônus simpático

Estabilização das lesões; Administração de corticoide;

Infusão de cristaloides; Administração de heparina;

Administração de atropina;

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Neurogênico 29
→ Elevar e manter a cabeceira do leito a 30°;
→ Imobilizar o paciente para evitar danos adicionais à medula espinal;
→ Aplicar meias de compressão e elevar os pés;
→ Verificar a presença de dor, rubor ou calor nos membros inferiores;
→ Administrar as medicações prescritas.

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Neurogênico 30
Choque
A N A F I L Á T I C O

→O choque anafilático é a forma mais grave de uma


reação alérgica.
→Ocorre em decorrência de uma exposição anterior à
edema
=
um antígeno no qual o organismo produziu anticorpos.
→Deve-se atentar para as alergias conhecidas e para a
sua exposição subsequente ao antígeno. prurido

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Anafilático 31
CHOQUE ANAFILÁTICO = Alergia Grave Exposição a uma
substância estranha

Corpo Luta contra


→ Venenos;
Libera Histamina → Medicamentos;
→ Alimentação;
→ Picadas.

Exagerado do
Sistema Imunológico

Vasodilatação
(SMELTZER, BARE 2014)
Tipos de choque: Choque Anafilático 32
→ Hipotensão;
→ Pulso fraco;
→ Sofrimento respiratório;
→ Parada cardíaca;
→ Prurido e ardor na pele;
→ Edema generalizado;
→ Comprometimento neurológico

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Anafilático 33
Administração de adrenalina

Remoção do antígeno

Intubação endotraqueal ou traqueostomia Intubação endotraqueal Traqueostomia

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Anafilático 34
→ Colocar o paciente em posição confortável;
→ Monitorar a saturação de oxigênio;
→ Observar as reações do paciente após a administração
de medicamentos;
→ Realizar a reanimação cardiopulmonar em casos de
parada cardiorrespiratória;
→ Explicar ao paciente e sua família acerca do ocorrido.

(SMELTZER, BARE 2014)


Tipos de choque: Choque Anafilático 35
→ SMELTZER, S. C.; BARE, B. G. Brunner & Suddarth: tratado de
enfermagem médico cirúrgica. 12. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,
2014. v. I e II.

36
37

Você também pode gostar