Você está na página 1de 8

Universidade Federal do Ceará

Instituto Universidade Virtual


Instituto UFC Virtual
Licenciatura em Química e Matemática
Disciplina: Física Introdutória I
Prof. Herbert Lima, herbert@virtual.ufc.br
Aluno: José Wilson Gomes dos Santos

AULA 05: MOVIMENTO CIRCULAR UNIFORME

01. Uma BMW Z3 pode ter uma “aceleração lateral” de 0,76g (g é a aceleração
da gravidade). Isso representa a aceleração centrípeta máxima sem que o carro
deslize para fora de uma trajetória circular. Se o carro se desloca a uma
velocidade constante de 38,5 m/s, qual é o raio máximo da curva plana, que
ele pode aceitar?

Dados do problema:
Aceleração centrípeta: 0,76g = 0,7 * 9,8 = 6,86 m/s²
Velocidade: 38,5 m/s
Raio?
Pela formula:
𝒗𝟐
𝜶𝒄𝒑 = = 𝜔²𝑅
𝑹

 0,76*g = 1482,25/R
0,76*9,8 = 1482,25/R
R = 199,013 m
Logo o raio é de 199,013 metros

02. Um ponto material descreve uma circunferência horizontal com velocidade


constante em módulo. O raio da circunferência é de 34 cm e o ponto completa
uma volta a cada 17 s. Calcule:
a) o período e a frequência;
T = 17s
f = 1/T
f = 1/17 Hz
b) a velocidade angular;
2𝜋
𝜔=
𝑇
2𝜋
𝜔= rad/s
17
c) a velocidade escalar linear;
v = 𝜔. 𝑅
2𝜋
v= 34 = 2 x 2𝜋 = 4𝜋 cm/s
17

A velocidade escalar linear é 4𝜋 cm/s

d) o módulo da aceleração centrípeta.

𝒗𝟐 (4𝜋)2 16𝜋 2 8𝜋 2
𝜶𝒄𝒑 = = = = cm/s²
𝑹 34 34 17
03. Duas polias ligadas por uma correia têm 12 cm e 25 cm de raio. A primeira
efetua 40 rpm. Calcule a frequência da segunda. Considere que não há
escorregamento da correia ao passar pelas polias.

1° Modo

Dados do problema:
𝑅1 = 12 𝑐𝑚
𝑅2 = 25 𝑐𝑚
𝑓1 = 40 𝑟𝑝𝑚
𝑓2 = ? 𝑟𝑝𝑚

Incorporando os dados a equações da velocidade 𝑣 = 𝜔. 𝑅, temos para as polias


1 e 2 respectivamente:
𝑣1 = 𝜔1 . 𝑅1
𝑣2 = 𝜔2 . 𝑅2

Como 𝑣1 = 𝑣2  𝜔1 . 𝑅1 = 𝜔2 . 𝑅2
2𝜋 2𝜋
Sendo 𝜔1 = = 2𝜋 𝑓1 𝑒 𝜔2 = = 2𝜋 𝑓2 ; temos que:
𝑇1 𝑇2

2𝜋. 𝑅1 . 𝑓1 = 2𝜋. 𝑅2 . 𝑓2

Cortando os 2𝜋 , vem
𝑅1 . 𝑓1 = 𝑅2 . 𝑓2
Substituindo com os dados do problema
12.40 = 25. 𝑓2
12 𝑥 40 = 𝑓2 . 25
480 = 𝑓2 . 25
𝑓2 = 480/25

𝑓2 = 19, 2 rpm
𝑐𝑜𝑛𝑐𝑙𝑢𝑖𝑚𝑜𝑠 𝑞𝑢𝑒 𝑓2 = 19,2 𝑟𝑝𝑚

2° modo regra de três simples

40rpm_________________________12 cm

𝑓2 Rpm_________________________25cm

Como 𝑎 𝑓𝑟𝑒𝑞𝑢ê𝑛𝑐𝑖𝑎 𝑑𝑒 𝑟𝑝𝑚 𝑓 é inversamente proporcional ao raio R logo


12.40 = 25. 𝑓2
12 𝑥 40 = 𝑓2 . 25
480 = 𝑓2 . 25
𝑓2 = 480/25

𝑓2 = 19,2 rpm
04. Uma pedra amarrada em um barbante realiza um movimento circular e
uniforme, em um plano horizontal, com velocidade de 3 m/s. Sendo o
valor da aceleração centrípeta igual a 18 m/s2 , determine o raio da
circunferência.

𝑣2
𝛼=
𝑅
18 = 3² / R
18 R = 9
R = 9 / 18
R = 0,5m

05. Um automóvel, numa pista, percorre uma curva de raio r igual a 280m, com
velocidade constante de 20m/s, num local onde g=10m/s2. Determine o menor
coeficiente de atrito estático entre os pneus e a pista horizontal para que
o carro não derrape.

𝑣=√ 𝑅𝑔

√ 200 𝑥 10 = 20

(√2000 )² = 20²2000 ² = 400 ² = 2 = 0,447

06. Uma massa m está presa a um fio inextensível, de peso desprezível e gira
num plano horizontal constituindo um pêndulo cônico. Se o comprimento do fio
é l = 4,8 m e o ângulo que o fio forma com a vertical é q = 60º determine
a velocidade angular w de rotação da massa m.
Na massa pendular atuam o peso P e a tração T sendo que a resultante centrípeta
Fcp é a soma de P e T.

Logo:

𝑭𝒄𝒑 = 𝒎. 𝑭𝒂𝒄𝒑 = 𝒎. 𝝎²𝑹

𝑭𝒄𝒑 𝑭𝒄𝒑 𝒎.𝝎²𝑹 𝝎2 𝑹


tan 𝜃 = 𝑃
= 𝑚𝑔 = 𝑚𝑔
= 𝒈

O raio R depende do comprimento l do fio

R = 𝑙. 𝑠𝑒𝑛𝜃

𝝎²𝑹 𝝎²𝒍. 𝒔𝒆𝒏𝜃


tan 𝜃 = =
𝑔 𝑔
sin 𝜃 𝝎²𝒍. 𝒔𝒆𝒏𝜃 g
= 𝝎² =
cos 𝜃 𝑔 𝒍. 𝒄𝒐𝒔𝜃

𝒈 𝟏𝟎
𝝎=√ =√ = 𝟐, 𝟖 𝒓𝒂𝒅/𝒔
𝒍. 𝒄𝒐𝒔𝜃 𝟑𝒄𝒐𝒔𝟔𝟎°

07. Se o coeficiente de atrito estático dos pneus numa rodovia é 0,25, com
que velocidade máxima um carro pode fazer uma curva plana de 47,5 m de raio,
sem derrapar?
Dados do problema:

= 0,25
raio = 47,5 m
g = 9,8m/s²
Fatrito = Fnormal

A força de atrito irá apontar para o centro da curva, sendo assim a resultante
centrípeta:

⃗ + 𝑃⃗ + ⃗⃗⃗
𝑁 𝐹𝑎 = 𝑚𝑎
N-P=0

𝑚 2
𝐹𝑎 = 𝑚𝑎  𝑚𝑔 = 

Fat = Fcp

𝑣 = √ 𝑅𝑔 = 70,78

𝑣 = √47,5 0,25 9,8 = √116,375 = 10,78 𝑚/𝑠


08. Um estudante de 68 kg, numa roda-gigante com velocidade constante, tem
um peso aparente de 550 N no ponto mais alto. (a) qual o seu peso aparente
no ponto mais baixo? (b) E no ponto mais alto, se a velocidade da
roda-gigante dobrar?

Ponto mais alto


P - N = Fcp I
Ponto mais baixo
N' - P = Fcp II

I:
680 - 550 = Fcp
Fc = 130N

II:
N' - 680 = 130
N' = 810N , peso aparente no ponto mais baixo.

I:
Se a velocidade dobrar
130 = m(2v)²/R
130 = 4mv²/R
Fc = 130/4 = 32,5N
N = P - Fcp
N = 680 - 32,5
N = 647,5 N

09. No modelo de Bohr do átomo de hidrogênio, o elétron descreve uma órbita


circular em torno do núcleo. Se o raio é 5,3x10-11 m e o elétron circula 6,6x1015
vezes por segundo, determine (a) a velocidade do elétron, (b) a aceleração
do elétron (módulo e sentido) e (c) a força centrípeta que atua sobre ele.
(esta força resultante da atração entre o núcleo, positivamente carregado,
e o elétron, negativamente carregado). A massa do elétron é 9,11x10-31 kg.

raio é 5,3x10-11 m
6,6x1015 vezes por segundo
a velocidade do elétron
m=9,11 x 10-31 kg.
t= 1s

A velocidade escalar linear;


2𝜋 2𝜋
𝑎)𝜔 = 𝜔 = = 2𝜋
𝑇 1

v = 𝜔. 𝑅
v = 2𝜋 5,3 x 10−11 m
b) a aceleração do elétron (módulo e sentido)
𝒗𝟐 (2𝜋 5,3 x 10−11 )2
𝜶𝒄𝒑 = = = 4𝜋² 5,3 x 10−11
𝑹 5,3 x 10−11
10. A figura a seguir representa três bolas, A, B e C, que estão presas entre
si por cordas de 1,0 m de comprimento cada uma. As bolas giram com
movimento circular uniforme, sobre um plano horizontal sem atrito, mantendo
as cordas esticadas. A massa de cada bola é igual a 0,5 kg, e a velocidade
da bola C é de 9,0 m/s.

Determine as velocidades tangenciais VA e VB das bolas


A e B e seus respectivos períodos TA, TB.
Bom Estudo !