Você está na página 1de 9

LITERATURA BRASILEIRA II

Abaixo estão as questões e as alternativas que você selecionou:


QUESTÃO 1
Grande Sertão: Veredas foi o único romance escrito por João Guimarães Rosa e é considerado um marco na
Literatura Brasileira. O enredo que se passa no sertão mineiro conquistou leitores pelo mundo por meio das
traduções. Leia o excerto a seguir:
Na Serra do Cafundó - ouvir trovão de lá, e retrovão, o senhor tapa os ouvidos, pode ser até que chore, de
medo mau em ilusão, como quando foi menino. O senhor vê vaca parindo em tempestade. De em de, sempre,
Urucúia acima, o Urucúia - tão as brabas vai... Tanta serra, esconde a lua. A serra ali corre torta. A serra faz
ponta. (...) Hem? O senhor? Olhe: o rio Carinhanha é preto, o Paracatú moreno; meu, em belo, é o Urucúia -
paz das águas... É vida!
ROSA, J. G. Grande Sertão: veredas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001, p. 43.

Com base no excerto em questão é possível perceber como elementos de composição:

a)
Enredo complexo e linguagem sofisticada.

b)
Enredo não-linear, marcado pela descrição do cenário mineiro e linguagem sofisticada.

c)
Enredo e linguagem simples.

d)
Narrativa clássica (começo, meio e fim) e linguagem regida pela norma culta.

e)
Enredo simples e linguagem extremamente original e sofisticada.

Ver justificativa da resposta


Justificativa

A alternativa "Enredo simples e linguagem extremamente sofisticada" é a correta. Grande Sertão: Veredas é
construído a partir de um enredo simples e uma linguagem sofisticada, composta por uma mistura de
português medieval, fala local do sertão mineiro e latim. Este assunto é discutido na seção "12.2 - Grande
Sertão: Veredas".

QUESTÃO 2
Manuel Bandeira foi poeta, letrista, cronista e também crítico de arte e literatura. Ao analisar a composição
dos versos, em um de seus estudos, Bandeira nomeia os versos que não rimam e os que estão fora da medida.
São eles, respectivamente:
a)
Versos brancos e versos livres

b)
Versos livres e versos quadrados

c)
Versos brancos e versos quadrados

d)
Versos livres e versos quadrados

e)
Versos livres e versos soltos

Ver justificativa da resposta


Justificativa

A alternativa "versos brancos e versos quadrados" é a correta. Embora os versos modernistas serem muitas
vezes denominados versos livres, Bandeira define como versos brancos aqueles que não rimam e versos
quadrados aqueles que estão fora da medida. Esse assunto é discutido em "4.5 - O crítico de arte e literatura".

QUESTÃO 3
A obra de Oswald de Andrade é famosa por apresentar reciclagem de linguagem. Analise o poema "Erro de
Português", retirado do livro Primeiro Caderno do Aluno de Poesia de Oswald de Andrade:

Erro de português
Quando o português chegou
Debaixo de uma bruta chuva
Vestiu o índio
Que pena!
Fosse uma manhã de sol
O índio tinha despido
O português.
ANDRADE, O. Poesias Reunidas. 5. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978, p. 177. (Obras
Completas de Oswald de Andrade).

Com base no poema acima, quais elementos podem ajudar o autor a reutilizar a linguagem?

a)
Paródia e sonoridade.

b)
Linguagem do cinema e verso branco.

c)
Uso de paródia, noção de visualidade e corte.

d)
Musicalidade e linguagem do cinema.

e)
Verso livre e recorte de músicas populares.

Ver justificativa da resposta


Justificativa

A alternativa "Uso de paródia, noção de visualidade e corte" é a correta. A reciclagem da linguagem


presente na poesia oswaldiana é composta por elementos como a paródia, a noção de visualidade e o corte -
fatores importantes para a arte moderna além da influência da linguagem do cinema. Esse assunto é discutido
na seção "6.2 - O poeta".

QUESTÃO 4
O poeta cronista Manuel Bandeira também se destacou por ser um dos poetas mais musicados em sua
geração, pois

a)
ao utilizar a colagem, Bandeira conquistava o público da música popular da época, afastando-se
completamente do meio erudito e das formas tradicionais de composição poética.

b)
ao utilizar trechos de músicas populares de massa, por meio do processo de colagem, o poeta garantia sua
independência, indo contra o nacionalismo da câmara modernista, a qual pregava apenas o uso popular de
origem folclórica.

c)
ao utilizar trechos de músicas populares de massa, por meio do processo de colagem, Bandeira conquistou a
câmara modernista de pendores nacionalistas, a qual preconizava apenas o uso do popular de origem
folclórica anônima.

d)
trazia em suas estrofes uma crítica social, sendo que suas obras, nessa seara, priorizavam a música erudita.

e)
as composições musicais de Bandeira seguiam o mesmo padrão, ou seja, o poeta sempre entregava seus
poemas prontos para serem musicados por outros autores.
Ver justificativa da resposta
Justificativa

A alternativa "ao utilizar trechos de músicas populares de massa, por meio do processo de colagem, o poeta
garantia sua independência, indo contra o nacionalismo da câmara modernista, a qual pregava apenas o
uso popular de origem folclórica" é a correta. Manuel Bandeira é considerado o poeta mais musicado de sua
geração, pois utilizava da técnica modernista de colagem e realizava recortes de músicas populares da época.
Esse procedimento não condizia com os preceitos dos intelectuais modernistas de então, que preconizavam
apenas usar a música folclórica de origem anônima e não comercial. Esse assunto é discutido na seção "4.4 -
O letrista da canção".

QUESTÃO 5
O poema "Eu sou Trezentos", de Mário de Andrade, remete às multifaces do autor, que era poeta, ficcionista,
ensaísta etc. como podemos ver a seguir: 

Eu Sou Trezentos...
Eu sou trezentos, sou trezentos-e-cinquenta,
Mas um dia afinal eu toparei comigo...
Tenhamos paciência, andorinhas curtas,
Si um deus morrer, irei no Piauí buscar outro!
Abraço no meu leito as melhores palavras,
E os suspiros que dou são violinos alheios;
Eu piso a terra como quem descobre a furto
Nas esquinas, nos táxis, nas camarinhas seus próprios beijos!
Eu sou trezentos, sou trezentos-e-cinquenta,
Mas um dia afinal eu toparei comigo...
Tenhamos paciência, andorinhas curtas,
Só o esquecimento é que condensa,
E então minha alma servirá de abrigo.

ANDRADE, M. Poesias Completas. São Paulo: Martins Editora, 1955. p. 221.

a)
O poema traduz a personalidade fragmentada do homem contemporâneo brasileiro em uma cultura com
pouca diversidade.

b)
O poema apresenta a pouca diversidade na cultura brasileira.

c)
O poema caracteriza a necessidade do homem contemporâneo de se diferenciar, mesmo inserido em uma
cultura homogênea.

d)
O poema, além de simbolizar a diversidade cultural, salienta a personalidade simples do homem
contemporâneo.

e)
O poema representa a diversidade da cultura brasileira e também pode simbolizar a personalidade
fragmentada do homem contemporâneo.

Ver justificativa da resposta


Justificativa

A alternativa "o poema representa a diversidade da cultura brasileira e também pode simbolizar a
personalidade fragmentada do homem contemporâneo" é a correta. O poema de Mário de Andrade, além de
traduzir a diversidade da vasta cultura brasileira, traz, ainda, como símbolo, a personalidade fragmentada e
dividida do homem contemporâneo. Esse assunto é discutido na seção "5.1 - O poeta Mário de Andrade".

QUESTÃO 6
Escritora, jornalista, professora e pintora, Cecília Meireles é, hoje, considerada uma das maiores poetas do
Brasil. Sua obra apresenta um caráter intimista, assim como seus contemporâneos; entretanto, a autora se
aproxima dos limites da música abstrata, dispondo de elementos etéreos e fluidos. Desse modo, Cecília
Meireles acentua suas influências de correntes estéticas do passado, sendo elas:

a)
Classicismo, Barroco e Realismo.

b)
Classicismo, Romantismo e Simbolismo.

c)
Romantismo, Arcadismo e Realismo.

d)
Simbolismo, Naturalismo e Barroco.

e)
Indianismo, Naturalismo e Realismo.

Ver justificativa da resposta


Justificativa

A alternativa "Classicismo, Romantismo e Simbolismo" é a correta. As características simbolistas e


românticas de Cecília Meireles são evidentes com a utilização de elementos etéreos, musicais e fluidos,
enquanto algumas de suas obras dispõem de técnicas do Classicismo. Esse assunto é discutido na seção "7.4 -
Cecília Meireles".
QUESTÃO 7
Quanto ao romance brasileiro na segunda fase do Modernismo, podemos afirmar, exceto:

a)
Marques Rebelo, autor carioca, embora se demonstre um herdeiro da primeira fase do Modernismo, tem os
seus trabalhos guiados, muitas vezes, por temas e estilos que podem se inserir na mesma linha de escritores
como Machado de Assis e Lima Barreto.

b)
Rachel de Queiroz e José Lins do Rego são importantes nomes da prosa moderna dos anos 1930 e os
sertanejos da região Nordeste são a base contextual e temática de suas escrituras.

c)
Na segunda fase do Modernismo existe uma preocupação com a exploração de novas formas narrativas,
destacando-se nesse âmbito o romance regionalista de Guimarães Rosa e o psicológico de Clarice Lispector.

d)
Dentre as características do modernismo de 1930 podemos destacar a busca por temas nacionais ligados ao
interior, o interesse pela vida cotidiana de tipos regionais e a aproximação com uma linguagem mais
brasileira.

e)
A obra de Graciliano Ramos é caracterizada pela utilização de vocabulário seco, linguagem concisa, enxuta,
pela frase curta e pela contida adjetivação.

Ver justificativa da resposta


Justificativa

Tanto Guimarães Rosa quanto Clarice Lispector não pertencem à segunda geração modernista.

QUESTÃO 8
Soneto de separação
De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.
De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama.
De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente.
Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.
MORAES, V. Soneto de separação. Vinicius de Moraes. Disponível em:
<http://www.viniciusdemoraes.com.br/pt-br/poesia/poesias-avulsas/soneto-de-separacao>. Acesso em: 5 nov.
2018.

Escritor e compositor, Vinícius de Moraes é um dos nomes mais reconhecidos na literatura e na música
brasileiras. Os primeiros livros do autor seguiam a religiosidade neossimbolista de outros escritores da época,
mas a necessidade de uma escrita mais autobiográfica fizeram com que Vinícius deslocasse sua temática e
apresentasse, de maneira recorrente,

a)
a temática amorosa, o domínio requintado do verso sem menções à angústia existencial.

b)
a espiritualidade dos simbolistas, a perícia dos parnasianos e a liberdade dos modernos.

c)
quadros religiosos apresentados de maneira romântica e melódica, a temática social predominante e incursões
pela música popular, especialmente pela Bossa Nova.

d)
o cotidiano, o fôlego dos românticos e a espiritualidade dos parnasianos.

e)
questões sociais da vida no Rio de Janeiro, gosto popular e poesia exclusivamente pagã.

Ver justificativa da resposta


Justificativa

A alternativa "a espiritualidade dos simbolistas, a perícia dos parnasianos e a liberdade dos modernos" é a
correta. Vinícius de Moraes é conhecido pela dominância da temática amorosa, sensual e erótica em seus
textos, utilizando a musicalidade nos textos de maneira requintada, com a a espiritualidade dos simbolistas, a
perícia dos parnasianos e a liberdade dos modernos. Esse assunto é discutido na seção "7.6 - Vinicius de
Moraes".
QUESTÃO 9
Entre nós, o círculo vicioso se fechou numa mútua correspondência de influências: versos tristes, homens
tristes; melancolia do povo, melancolia dos poetas. A nossa primeira geração romântica já fora triste, porque
religiosa e moralizante, observou José Veríssimo; na segunda, a tendência se acentuou pelo cepticismo e
desalento dos chefes da escola. Perseguia-os a idéia contínua da morte próxima e, como a uma mulher
desejada, lhe faziam versos amorosos.
PRADO, P. Retrato do Brasil: ensaio sobre a tristeza brasileira, 1928. p.127. 

A obra de Paulo Prado, assim como a de Sérgio Buarque de Holanda e Gilberto Freyre, preocupa-se em
compreender os eventos do passado sob uma nova ótica, desfazendo-se de versões oficiais idealizadas da
história do Brasil.
Complementando a reflexão histórica, é possível admitir que outro objetivo dos ensaios sociológicos consiste
em

a)
apresentar as consequências da cópia de estéticas literárias europeias e como tal se refletiu nos parcos
movimentos literários existentes no Brasil até então.

b)
delimitar os passos a serem traçados pelas próximas gerações modernistas para desvincular a Literatura
Brasileira das influências europeias.

c)
criticar o caminho histórico traçado pela colonização portuguesa e aniquilação da cultura indígena.

d)
construir uma nova identidade nacional não ufanista por meio da compreensão dos fatos históricos sob uma
nova ótica, mais crítica e reveladora de uma identidade nacional e cultural.

e)
fazer abertamente uma crítica ao Romantismo, período que para os ensaístas contrastava com a beleza do
Brasil por se tratar de uma estética exageradamente melancólica.

Ver justificativa da resposta


Justificativa

A alternativa "construir uma nova identidade nacional não ufanista por meio da compreensão dos fatos
históricos sob uma nova ótica, mais crítica e reveladora de uma identidade nacional e cultural do país" é a
correta. Os intelectuais do modernismo tinham interesse na construção de uma identidade nacional autêntica
e relacionada aos processos históricos do Brasil. As obras de Paulo Prado, Sérgio Buarque de Holanda e
Gilberto Freyre objetivaram uma releitura crítica dos fatos históricos, e, com base nesse novo olhar para a
historia, contruibuir para essa construção. Esse assunto é discutido na seção "9.1 - O pensamento social e
antropológico no Modernismo".
QUESTÃO 10
Paulicéia Desvairada (1922) foi um marco para a literatura brasileira e também para seu autor, Mário de
Andrade. Além de ser considerado o primeiro livro de poesia moderna no Brasil, o escritor, influenciado
pelas vanguardas europeias, elabora uma maneira de ler a cidade que o cerca. Para atingir essa visão, o autor
utiliza da estética conquistada pelo Modernismo, que é o(a)

a)
métrica

b)
verso livre

c)
soneto

d)
verso decassílabo

e)
verso branco

Ver justificativa da resposta

Você também pode gostar