Você está na página 1de 47

ENFERMAGEM

TEORIAS DE ENFERMAGEM

Livro Eletrônico
NATALE SOUZA

Enfermeira, graduada pela UEFS – Universidade


Estadual de Feira de Santana – em 1999;
pós-graduada em Saúde Coletiva pela UESC –
Universidade Estadual de Santa Cruz – em 2001,
em Direito Sanitário pela FIOCRUZ em 2004; e
mestre em Saúde Coletiva.
Atualmente, é servidora pública da Prefeitura
Municipal de Salvador e atua como Educadora/
Pesquisadora pela Fundação Osvaldo Cruz –
FIOCRUZ – no Projeto Caminhos do Cuidado.
Além disso, é docente em cursos de pós-
graduação e preparatórios para concursos há 16
anos, ministrando as disciplinas: Legislação do
SUS, Políticas de Saúde, Programas de Saúde
Pública e específicas de Enfermagem.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

SUMÁRIO
Teorias de Enfermagem................................................................................4
Apresentação da Professora..........................................................................4
Introdução.................................................................................................5
1. Teorias de Enfermagem............................................................................6
1.1. Estruturação das Teorias de Enfermagem..................................................6
1.2. Níveis de Teorias...................................................................................9
2. Teoria Ambiental – Florence Nightingale (1820/1910)................................. 10
2. Teoria das Necessidades Básicas – Virgínia Henderson................................ 15
3. Teoria do Autocuidado – Dorothea Orem................................................... 18
3.1. Teorias inter-relacionadas.................................................................... 18
4. Teoria da Adaptação – Sister Calista Roy (1939)........................................ 25
5. Teoria das Relações Interpessoais – Hildegard Peplau (1952)....................... 27
6. Teoria Holística – Myra E. Levine (1967)................................................... 31
7. Teoria das Necessidades Humanas Básicas – Wanda Horta.......................... 33
8. Teoria do Alcance dos Objetivos (Metas) – Imogenes King (1923-2007)........ 41
Referências Bibliográficas........................................................................... 44

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 3 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

TEORIAS DE ENFERMAGEM

Apresentação da Professora

Sou a Professora Natale Souza, enfermeira, graduada pela Universidade Es-

tadual de Feira de Santana (UEFS), em 1999; pós-graduada em Saúde Coletiva

pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), em 2001, e em Direito Sanitário

pela FIOCRUZ, em 2004; e mestre em Saúde Coletiva.

Atualmente, sou funcionária pública da Prefeitura Municipal de Salvador e atuo

como Educadora/Pesquisadora pela Fundação Osvaldo Cruz (FIOCRUZ) no Projeto

Caminhos do Cuidado e há 16 anos na docência em cursos de pós-graduação e

preparatórios de concursos, ministrando as disciplinas: Legislação do SUS, Políticas

de Saúde, Programas de Saúde Pública e Específicas de Enfermagem.

Autora dos livros: Legislação do SUS para concursos – pela editora Con-

cursos Psicologia; Legislação do SUS – comentada e esquematizada/Políti-

cas de Saúde, Legislação do SUS e Saúde Coletiva 500 questões, pela edi-

tora Sanar. De capítulos nos seguintes livros: 1000 Questões Comentadas de

Enfermagem – Editora Sanar; 1000 Questões Residências em Enfermagem

– Editora Sanar; e em fase de finalização de mais três obras.

Iniciei a minha trajetória em concursos públicos desde que saí da graduação,

tanto como “concurseira” quanto como docente, sendo aprovada em mais de 12

concursos e seleções públicas. Apaixonei-me pela docência e hoje dedico meu tem-

po ao estudo dos Conhecimentos específicos de Enfermagem, da Legislação Especí-

fica do SUS e aos milhares de profissionais que desejam ingressar em uma carreira

pública.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 4 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

Nesta aula, abordaremos o tema Teorias de Enfermagem, de forma que você

saiba o que realmente é cobrado nos certames do conteúdo. Fique atento(a) aos

grifos e caixas de textos, além dos comentários das questões.

Introdução

A viabilidade da organização da assistência de enfermagem está direcionada

as ações sistematizadas e inter-relacionadas, ou seja, o Processo de Enfermagem

(PE) representa uma abordagem ética e humanizada de enfermagem, focando a

resolução de problemas dirigidos às necessidades de cuidados de enfermagem e

saúde de um cliente. A SAE é uma atividade regulamentada pela Lei do Exercício

Profissional da Enfermagem, como apontam Horta (1979) e Duarte (2007). O mé-

todo mais usual no Brasil foi teorizado, estudado e desenvolvido na década de 1960

por Wanda de Aguiar Horta, designando Processo de Enfermagem (PE), dirigindo

a assistência ao ser humano e dividindo-o em fases: histórico de enfermagem;

diagnóstico de enfermagem; plano assistencial; plano de cuidados; evolu-

ção; e prognóstico de enfermagem (VENTURINI et al., 2009).

Por meio da Lei do Exercício Profissional (Lei n. 7.498/1986), em seu artigo

8°, a legislação brasileira dispôs a participação do enfermeiro na elaboração,

execução e avaliação dos planos assistenciais de saúde. A Resolução do COFEN

n. 272/2002, revogada pela n. 358/2009, discorrendo sobre a Sistematização da

Assistência de Enfermagem (SAE) nas Instituições de Saúde Brasileira, colaborou

com a necessidade de normatização desta prática. A SAE é a principal forma para

a melhoria da qualidade da assistência e fortalecimento da enfermagem como

profissão (TAYLOR, 2007).

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 5 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

Conforme Taylor (2007), os propósitos da SAE são: permitir utilizar o conheci-


mento e habilidade de forma organizada e orientada; viabilizar a comunicação do en-
fermeiro com outros profissionais e demais colegas de outras especialidades, englo-
bando os problemas atuais no cotidiano do cuidado; prover um cuidado abrangente
e qualificativo para o paciente; avançar no combate para a autonomia profissional; e
desmitificar a ideia que a prática de enfermagem é apenas baseada na pres-
crição médica. Justifica-se esta temática em virtude de que, na literatura científica,
não foram encontrados nenhum periódico citando a realização da SAE na região Nor-
te, e devido a sua obrigatoriedade na Lei do Exercício Profissional e da Resolução do
COFEN, as quais tornaram obrigatória a SAE em instituições de saúde pública ou pri-
vada e em qualquer ambiente em que haja cuidados de enfermagem. Dessa forma,
este estudo teve como objetivo realizar uma revisão sistemática da literatura sobre
as teorias/teóricas de enfermagem e sua importância na implementação da SAE.

1. Teorias de Enfermagem

1.1. Estruturação das Teorias de Enfermagem

Meleis (2007 apud TANNURE e PINHEIRO, 2015, p. 18) define teoria de enfer-
magem como um conjunto de afirmações sistemáticas, relacionadas com questões
importantes de uma disciplina, que são comunicadas de modo coerente, sendo
compostas por conceitos que se relacionam entre si.
Ainda de acordo com a referência citada, as teorias devem direcionar as ações do
enfermeiro, de modo que se possa responsabilizá-lo pelos cuidados a serem pres-
tados aos pacientes, não mais de forma empírica.

As teorias de enfermagem possuem elementos que as caracterizam e são indispen-


sáveis para torná-las completas.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 6 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

De acordo com Tannure e Pinheiro (2015), as teorias completas possuem con-

texto, conteúdo e processo.

Componentes das Teorias de Enfermagem

As teorias contêm elementos fundamentais que representam sua estrutura cen-

tral. De acordo com Tannure e Pinheiro (2015), esses elementos são denominados

metaparadigmas da enfermagem e se constituem em quatro:

Metaparadigmas da Enfermagem

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 7 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

1. (FCC/TRT – 13ª REGIÃO/2014) Para implantar a Sistematização da Assistência

de Enfermagem em uma unidade ambulatorial, os enfermeiros da unidade, inicial-

mente, devem adotar um marco conceitual que fundamente a prática assistencial

que o serviço almeja alcançar. Este marco denomina-se

a) Teoria de Donabedian.

b) Regimento de Enfermagem

c) Diagnóstico de Enfermagem.

d) Manual de Normas e Rotinas de Enfermagem.

e) Teoria de Enfermagem.

Letra e.

Observe que uma banca tradicional no mundo dos concursos cobra o assunto de

forma fácil.

De acordo com Meleis (2007 apud TANNURE e PINHEIRO, 2015, p. 18), as teorias

devem direcionar as ações do enfermeiro, de modo que se possa responsabilizá-lo

pelos cuidados a serem prestados aos pacientes, não mais de forma empírica.

Depreende-se do parágrafo que as teorias de enfermagem servem como marco

conceitual para que os enfermeiros possam nortear a prática assistencial.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 8 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

1.2. Níveis de Teorias

Segundo Dickoff et al. (1968 apud TANNURE e PINHEIRO, 2015, p. 20), as teo-

rias são classificadas em quatro níveis de acordo com sua finalidade, quais sejam:

2. (UNA CONCURSOS/PREFEITURA DE SÃO SEBASTIÃO DO CAÍ-RS/ENFERMEI-

RO/2015) Sobre a classificação dos níveis da teoria de enfermagem assinale a

alternativa correta:

a) Nível I: Exige a correlação ou a associação de fatores de tal maneira que repre-

sentem significativamente uma situação maior.

b) Nível II: Produtora de situações, controla ou faz mais do que explicar, descrever

ou prever.

c) Nível III: Relacionamento de situações, explica e prevê como as situações estão

relacionadas.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 9 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

d) Nível IV: É descritivo por natureza, envolve a denominação ou a classificação de

eventos.

Letra c.

Uma questão recorte e cole, que nos possibilita recordar os níveis das teorias. A

assertiva correta é a letra “c”, que está de acordo com o referencial teórico adotado

em nossa aula. As outras assertivas estão com suas definições embaralhadas.

Partindo das contribuições teóricas apresentadas até o momento, consoante os

elementos necessários para a validação de uma teoria, bem como os metaparadig-

mas da enfermagem, que são elementos inerentes às teorias, vamos nos aprofun-

dar e conhecer um pouco mais as teorias de enfermagem mais cobradas em prova.

2. Teoria Ambiental – Florence Nightingale (1820/1910)

Haddad e Santos (2011) afirmam que o princípio fundamental do legado de Flo-

rence para a prática da profissão é a questão do ambiente. Os ideais referentes a

esse princípio foram fundamentados na Teoria Ambientalista e foram considerados

primordiais para o sucesso do trabalho de Florence e suas aprendizes, sendo veri-

ficados na eficaz redução do número de mortes de soldados feridos por infecção e

na recuperação de pacientes.

Florence introduziu uma visão de enfermagem não só de intervenção direta no do-


ente, mas da mesma forma ampliou as funções para o meio ambiente, organi-
zando os serviços de lavanderia, rouparia, cozinha, dietética, almoxarifado e limpeza,
tendo o controle deste [ambiente hospitalar] por meio de observação e supervisão
rigorosas: organizou a hierarquia do serviço e introduziu o rigor da disciplina na Enfer-
magem (FORMIGA e GERMANO, 2005).

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 10 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

Segundo George et al. (1993), há quatro conceitos principais que refletem a visão

de Florence, trazendo significação à sua teoria; tais conceitos conferem um amplo

espectro de mundo, no qual devemos contextualizar o profissional de enfermagem:

• homem ou indivíduo – possui poderes reparadores vitais para lidar com

a doença;

• enfermagem – a meta é colocar o indivíduo na melhor condição à ação da

natureza que se dá, basicamente, por meio do impacto sobre o ambiente;

• saúde/doença – o foco recai sobre o processo reparador de melhora;

• sociedade/ambiente – envolve aquelas condições externas que afetam a

vida e o desenvolvimento da pessoa. O foco recai sobre a ventilação, o calor,

os odores, os barulhos e a iluminação.

Resumo da Teoria Ambiental de Florence

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 11 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

3. (FUNCAB/SESACRE/ENFERMEIRO/2013) O conceito básico mais característico

dos trabalhos escritos por Florence Nightingale é o de:

a) energia.

b) ambiente.

c) cultura.

d) interação.

e) diagnóstico.

Letra b.

O princípio fundamental do legado de Florence para a prática da profissão é a ques-

tão do ambiente.

4. (INSTITUTO AOCP/EBSERH/ENFERMEIRO – SAÚDE DO TRABALHADOR – HU-U-

FJF/2015) Considerando as teorias de enfermagem, é correto afirmar que a Teoria

Ambientalista foi proposta por

a) Hildegard Peplau.

b) Florence Nightingale.

c) Madeleine Leiningher.

d) Imogene King.

e) Dorothea Orem.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 12 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

Letra b.

A teoria proposta por Florence Nigtingale também é conhecida como teoria ambien-

talista, para a qual o princípio fundamental para a prática da profissão é a questão

do ambiente.

5. (AMEO-SC/PREFEITURA DE PALMA SOLA-SC/2016) A teoria ambiental tem como

foco principal o Ambiente e descreve que o homem é um indivíduo cujas defesas

naturais são influenciadas por um ambiente saudável ou não. Essa teoria foi desen-

volvida por:

a) Dorothea Orem.

b) Irmã Calista Roy.

c) Wanda Horta.

d) Florence Nightingale.

Letra d.

A teoria proposta por Florence Nightingale também é conhecida como teoria am-

bientalista, para a qual o princípio fundamental para a prática da profissão é a

questão do ambiente.

6. (EXATUS/IF-TO/2012) A história da enfermagem teve seu início com Florence

Nightingale na sua teoria sobre o ambiente, ventilação, limpeza, luz e etc. O perí-

odo desta teórica da enfermagem é compreendido como:

a) 1870 a 1914.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 13 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

b) 1820 a 1910.

c) 1900 a 1967.

d) 1860 a 1945.

Letra b.

É uma questão simples, mas quem não prestar atenção nos detalhes pode se con-

fundir. O período da teórica Florence Nightingale foi de 1820 a 1910.

7. (IDECAN/CNEN/2014) A teoria ambiental, descrita por Florence Nightingale

(1820/1910), dispõe que a enfermagem deve trabalhar para modificar os aspectos

não saudáveis do ambiente, a fim de colocar o paciente na melhor condição para

ação da natureza. O homem, nesta teoria, é considerado como

a) indivíduo que luta para reduzir a tensão gerada pelas necessidades.

b) indivíduo de necessidades humanas com significado e valor singular a cada

pessoa.

c) indivíduo cujas defesas naturais são influenciadas por um ambiente saudável

ou não.

d) ser social, mental, espiritual e físico, afetado por estímulos do ambiente interno

e externo.

e) indivíduo que utiliza o autocuidado para manter a vida e a saúde, recupera-se

da doença e consegue enfrentar seus defeitos.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 14 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

Letra c.

De acordo com a Teoria Ambiental de Nightingale, o homem é um indivíduo cuja

defesas naturais são influenciadas por um ambiente saudável ou não.

2. Teoria das Necessidades Básicas – Virgínia Henderson

Segundo Araújo et al. (2013), Virgínia Henderson baseia a sua concepção de

enfermagem nos seguintes pressupostos:

• tanto o enfermeiro como a pessoa valorizam a independência sobre a depen-

dência;

• a saúde tem um significado social, bem como um significado individual;

• toda pessoa tende a alcançar o mais alto nível de saúde ou, na sua impossi-

bilidade, uma morte serena;

• quando a pessoa tem conhecimento, força e/ou vontade, tende a alcançar a

saúde;

• tanto a pessoa como o enfermeiro devem definir objetivos congruentes;

• os cuidados de enfermagem devem basear-se na satisfação de 14 necessida-

des básicas;

• o enfermeiro deve ter em conta o plano terapêutico prescrito pelo médico ao

definir os objetivos dos cuidados;

• a prática profissional do enfermeiro deve basear-se nos contributos gerados

pela investigação em enfermagem/conhecimento.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 15 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

Ainda de acordo com os autores supracitados, para Virgínia Henderson, todas

as necessidades se encontram relacionadas, sendo a satisfação de qualquer uma

delas diferente de pessoa para pessoa, variando de acordo com os fatores psicoló-

gicos, sociais, culturais, e também de acordo com sua percepção do que é certo ou

normal.

Segundo Henderson (2004, p. 114 apud ARAÚJO et al. 2013), as 14 necessida-

des básicas são:

• respirar normalmente;

• comer e beber adequadamente;

• eliminar os resíduos corporais;

• mover-se e manter posturas corretas;

• dormir e descansar;

• vestir-se e despir-se, selecionando vestuário adequado;

• manter a higiene e proteção da pele;

• evitar perigos ambientais e evitar que prejudiquem os outros;

• comunicar-se com os outros, expressando emoções, necessidades, receios e

opiniões;

• viver segundo crenças e valores;

• trabalhar de forma a obter realização e satisfação;

• participar de diferentes atividades recreativas;

• aprender, descobrir ou satisfazer a curiosidade que conduz ao desenvolvi-

mento normal e a saúde, utilizando os meios disponíveis;

• manter a temperatura corporal, adaptando o vestuário e modificando o am-

biente.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 16 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

Resumo da Teoria das Necessidades Básicas, de Vírginia Henderson

8. (QUESTÃO INÉDITA/2018) Acerca das teorias de enfermagem, julgue os itens a

seguir:

Virgínia Henderson baseia a sua concepção de enfermagem no pressuposto de que

os cuidados de enfermagem devem basear-se na satisfação de 14 necessidades

básicas.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 17 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

Certo.

Entre outros fatores, Virgínia Henderson baseia a sua concepção de enfermagem

no pressuposto de que os cuidados de enfermagem devem basear-se na satisfação

de 14 necessidades básicas.

3. Teoria do Autocuidado – Dorothea Orem

Segundo Diógenes e Pagliuca (2003), a teoria de enfermagem do déficit de

autocuidado (teoria geral de enfermagem de Orem) é composta de três teorias

inter-relacionadas, a saber: a do autocuidado; a do déficit de autocui-

dado; e a dos sistemas de enfermagem. Incorporados a essas três teorias,

Orem preconizou seis conceitos centrais e um periférico. Os seis conceitos

centrais são: autocuidado, ação de autocuidado, déficit de autocuidado,

demanda terapêutica de autocuidado, serviço de enfermagem e sistema

de enfermagem. A autora determinou, como conceito periférico, os fatores con-

dicionantes básicos, que são relevantes para a compreensão de sua teoria geral

da enfermagem.

3.1. Teorias inter-relacionadas

A teoria do autocuidado

Diógenes e Pagliuca (2003) afirmam que, no intuito de entendermos a teoria do au-

tocuidado, é necessário definir os conceitos relacionados, como os de autocuidado,

ação de autocuidado, fatores condicionantes básicos e demanda terapêutica de

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 18 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

autocuidado. Para os autores, o autocuidado é a atividade que os indivíduos praticam

em seu benefício para manter a vida, a saúde e o bem-estar. Ainda de acordo com os

autores, a ação de autocuidado é a capacidade de o homem engajar-se no autocuidado.

São fatores condicionantes básicos, quando se trata de autocuidado:

• idade;

• sexo;

• estado de desenvolvimento;

• estado de saúde, a orientação sociocultural; e

• fatores do sistema de atendimento de saúde (DIÓGENES e PAGLIUCA, 2003).

A teoria do déficit de autocuidado

Para Diógenes e Pagliuca (2003), o déficit de autocuidado ocorre quando o ser

humano se acha limitado para prover autocuidado sistemático, necessitando de

ajuda de enfermagem. Dessa forma, constitui-se a essência da teoria geral de en-

fermagem de Orem, pois possibilita apontar a necessidade de enfermagem.

A teoria dos sistemas de enfermagem

De acordo com Diógenes e Pagliuca (2003), essa teoria subdivide-se em:

• sistema totalmente compensatório: quando o ser humano está incapaz de

cuidar de si mesmo e a enfermeira o assiste, substituindo-o, sendo suficiente

para ele;

• sistema parcialmente compensatório: quando a enfermeira e o indivíduo par-

ticipam na realização de ações terapêuticas de autocuidado;

• sistema de apoio-educação: quando o indivíduo necessita de assistência na

forma de apoio, orientação e ensinamento.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 19 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

Resumo da Teoria do Autocuidado

9. (FUNCAB/SESACRE/2013) A teórica Dorothea Orem identificou três classifica-

ções de sistemas de enfermagem para satisfazer aos requisitos de autocuidado do

paciente. Os sistemas são os seguintes:

a) hospitalar, domiciliar para o autocuidado e de autoajuda.

b) psicobiológico, psicossocial e psicoespiritual.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 20 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

c) sociais (sociedade), interpessoais (grupos) e pessoais (indivíduos).

d) totalmente compensatório, parcialmente compensatório e de apoio-educação.

e) de ação, reação e interação.

Letra d.

Questão interessante. Temos que lembrar de algumas divisões importantes na Te-

oria de Orem.

A teoria proposta por Orem possui três teorias relacionadas, quais sejam:

• autocuidado;

• déficit do autocuidado;

• sistemas de enfermagem.

A teoria de sistemas de enfermagem é dividida em sistema totalmente compensa-

tório, quando o ser humano está incapaz de cuidar de si mesmo e a enfermeira o

assiste, substituindo-o, sendo suficiente para ele; sistema parcialmente compensa-

tório, quando a enfermeira e o indivíduo participam na realização de ações terapêu-

ticas de autocuidado; e sistema de apoio-educação, quando o indivíduo necessita

de assistência na forma de apoio, orientação e ensinamento.

10. (IFC/IFC-SC/2012) Assinale alternativa CORRETA. Segundo Orem (2006), a

teoria de enfermagem do déficit do autocuidado está constituída por três teorias de

sua autoria.

a) Teoria do autocuidado, teoria do déficit do autocuidado e teoria das ações de

enfermagem.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 21 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

b) Teoria do autocuidado, teoria do déficit do autocuidado e teoria do sistema de

enfermagem.

c) Teoria do autocuidado, teoria do déficit do autocuidado e teoria da demanda do

autocuidado terapêutico

d) Teoria do déficit do autocuidado, teoria das ações de enfermagem e teoria do

sistema de enfermagem.

e) Teoria do déficit do autocuidado, teoria das ações de enfermagem e teoria da

demanda do autocuidado terapêutico.

Letra b.

Essa questão requer apenas a leitura com atenção.

Sabemos que Orem elaborou a Teoria do Autocuidado inter-relacionando outras

três, sendo:

• autocuidado;

• déficit do autocuidado;

• sistemas de enfermagem.

11. (CESGRANRIO/UNIRIO/ENFERMEIRO/2016) As teorias de enfermagem podem

ajudar a compreender a prática.

A teoria do deficit de autocuidado foi desenvolvida por

a) Madeleine Leininger.

b) Virgínia Henderson.

c) Betty Neuman.

d) Jean Watson.

e) Dorothea Orem.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 22 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

Letra e.

Questão interessante. Temos que lembrar de algumas divisões importantes na Te-

oria de Orem.

As três teorias relacionadas são:

• autocuidado;

• déficit do autocuidado;

• sistemas de enfermagem.

12. (IADES/CORREIOS/2017) O sistema de enfermagem planejado pelo profissio-

nal tem base nas necessidades de autocuidado e na capacidade do paciente para

a execução de atividades de autocuidado. Para satisfazer os requisitos de autocui-

dado do indivíduo, Dorothea Orem identificou três classificações de sistemas de

enfermagem, que são o sistema

a) totalmente compensatório, o sistema parcialmente compensatório e o sistema

de apoio-educação.

b) totalmente compensatório, o sistema parcialmente compensatório e o sistema

livre de compensação.

c) parcial de autonomia, o sistema total de autonomia e o sistema de apoio-edu-

cação.

d) parcial de autonomia, o sistema total de autonomia e o sistema interligado de

autonomia.

e) de autocuidado parcial, o sistema de autocuidado total e o sistema de autocui-

dado complementado.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 23 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

Letra a.

A Teoria do Autocuidado, de Dorothea Orem, é composta por três teorias inter-re-

lacionadas:

• Teoria do autocuidado;

• Teoria do déficit do autocuidado;

• Teoria dos sistemas de enfermagem: os sistemas de enfermagem são siste-

mas formados por enfermeiros, por meio do exercício de sua atividade. Pres-

supõe-se que o indivíduo esteja nas seguintes condições:

− totalmente compensatório = indivíduo incapaz de cuidar de si, portanto, é

necessário o fazer pelo paciente;

− parcialmente compensatório = indivíduo é capaz de cuidar de si, mas pre-

cisa de ajuda para fazê-lo;

–– apoio-educação = o indivíduo é plenamente capaz, necessitando, contudo,

de orientação.

13. (CONSULPLAN/TRF – 2ª REGIÃO/2017) A educação para o autocuidado requer

não apenas o treinamento de práticas de autocuidado, mas também o desenvolvimen-

to de conhecimentos, habilidades e atitudes positivas relacionadas ao autocuidado. O

processo de se autocuidar é fundamental para o equilíbrio de diversas condições pato-

lógicas, principalmente as crônicas, como a hipertensão arterial, o Diabetes mellitus, a

insuficiência renal, entre outras. A teoria de enfermagem que apresenta como conceito

básico a prática de atividades executadas pelo próprio indivíduo em seu benefício, para

manutenção da vida, da saúde e do bem-estar é conhecida como Teoria

a) de Neuman.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 24 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

b) de Wanda Horta.

c) de Dorothea Orem.

d) de Hildegard Peplau.

Letra c.

Orem (1971 apud REMOR et al., 1986) define autocuidado como “(...) a prática de

atividades que indivíduos pessoalmente iniciam e desempenham em seu próprio

benefício para manter a vida, saúde e bem-estar”.

4. Teoria da Adaptação – Sister Calista Roy (1939)

Segundo afirma Rodrigues et al. (2004), Roy desenvolveu um modelo conceitual

para a enfermagem a partir de sua experiência como enfermeira pediátrica, admi-

tindo que o conceito de adaptação poderia se constituir como um eixo orientador

para a prática de enfermagem. Sob a influência dos escritos de Dorothy Johnson

sobre modelos conceituais de enfermagem e baseada na Teoria do Nível de Adap-

tação, de Helson’s (1964), Roy publicou seu primeiro manuscrito, conceitualizando

homem como sistema adaptativo. Mais tarde, influenciada pela socióloga Ralph

Turner, Roy derivou sua explicação do autoconceito e função de papéis.

Ainda de acordo com os autores supracitados, durante o ano de 1990, como pro-

fessora e teórica da Escola de Enfermagem da Faculdade de Boston, Roy focalizou

sua atenção nos movimentos contemporâneos sobre conhecimento de enfermagem

e aprofundou a espiritualidade com uma compreensão do papel da enfermagem

na promoção da adaptação. Roy considera como metaparadigmas em seu modelo:

pessoa, ambiente, saúde e meta de enfermagem.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 25 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

Além desses quatro grandes conceitos que constituem o domínio da enferma-

gem, Roy descreve uma classe de estímulos que interagem com a pessoa: es-

tímulos focais, definidos como estímulos internos ou externos, que confrontam

imediatamente a pessoa; contextuais, estímulos que influenciam a situação; e

residuais, estímulos presentes ou não na pessoa, relevantes à situação, mas cujos

efeitos são indefinidos (RODRIGUES et al., 2004).

Resumo da Teoria da Adaptação, de Sister Calista Roy

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 26 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

14. (QUESTÃO INÉDITA/2018) Acerca das Teorias de Enfermagem, julgue o item


a seguir:
A Teoria da Adaptação, de Sister Calista Roy, conceitualiza o homem como sistema
adaptativo e considera como metaparadigmas: pessoa, ambiente, saúde e meta de
enfermagem.

Certo.
A Teoria da Adaptação, de Sister Calista Roy, conceitualiza o homem como sistema
adaptativo e considera como metaparadigmas: pessoa, ambiente, saúde e meta de
enfermagem. A afirmação está de acordo com o teor da teórica em questão.

5. Teoria das Relações Interpessoais – Hildegard Peplau (1952)

Peplau, em sua teoria, define homem como um organismo que “luta à sua pró-
pria maneira para reduzir a tensão gerada pelas necessidades” e, ainda, estabelece
saúde como “uma palavra simbólica que implica o movimento adicional da perso-
nalidade e de outros processos humanos em curso na direção de uma vida criativa,
construtiva, produtiva, pessoal e comunitária” (GEORGE, 1993).
Dessa forma, sobre as interações terapêuticas oriundas do processo de relação
interpessoal ou relacionamento enfermeiro-cliente, Peplau conceitua como sendo
aquelas em que duas pessoas chegam a se conhecer suficientemente para enfren-
tar os problemas que surjam de forma cooperativa. Para que a dinâmica da rela-
ção interpessoal possa acontecer, é necessário que as ações do enfermeiro sejam
destinadas às pessoas que necessitem de cuidados, de tal modo que essas possam

refletir na comunidade em que vivem (MORAES et al., 2006).

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 27 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

Morais et al. (2006) afirmam, ainda, que, em sua teoria, Peplau explica o processo
de relação interpessoal da enfermagem em quatro fases sequenciais: orientação,
identificação, exploração e solução. Essas etapas estão superpostas e devem
ser consideradas de forma relacionada, à medida que o processo evolui na direção
de uma solução, e podem ser correlacionadas com as etapas tradicionais do proces-
so de enfermagem, a saber: levantamento de dados, diagnósticos de enfermagem,
planejamento e implementação de intervenções e avaliação, respectivamente.

Resumo da Teoria das Relações Interpessoais, de Hildegard Peplau

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 28 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

15. (FUNRIO/IF-PIP/2014) Uma teoria de enfermagem é uma conceitualização de

alguns aspectos da enfermagem que descrevem, explicam, preveem ou prescre-

vem os cuidados de enfermagem. Dentre as teóricas de enfermagem, assinale

aquela cuja teoria é concentrada sobre as relações interpessoais entre a enfermei-

ra, o paciente e a família do paciente e no desenvolvimento da relação enfermeira-

paciente.

a) Florence Nightingale.

b) Virgínia Henderson.

c) Dorothea Orem.

d) Hildegard Peplau.

e) Madeleine Leininger.

Letra d.

Sobre as interações terapêuticas oriundas do processo de relação interpessoal ou

relacionamento enfermeiro-cliente, Peplau conceitua como sendo aquelas em que

duas pessoas chegam a se conhecer suficientemente para enfrentar os problemas

que surjam de forma cooperativa. Para que a dinâmica da relação interpessoal

possa acontecer, é necessário que as ações do enfermeiro sejam destinadas às

pessoas que necessitem de cuidados, de tal modo que essas possam refletir na

comunidade em que vivem (MORAES, 2006).

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 29 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

16. (CESGRANRIO/UNIRIO/2016) As definições e as teorias de enfermagem po-

dem ajudar a compreender a prática profissional.

A concepção teórica de Enfermagem desenvolvida por Hildegard Peplau

a) concentrou-se nas relações interpessoais entre a enfermeira, o paciente e a

família.

b) promoveu a teoria da diversidade cultural de cuidados e universalidade.

c) definiu a enfermagem como a ajuda ao indivíduo, doente ou sadio, no desempe-

nho das atividades que ele realizaria sem ajuda, se tivesse a força, a vontade, ou

os conhecimentos necessários.

d) apresentou a teoria do autocuidado baseada no modelo de sistemas.

e) discutiu o cuidado transpessoal.

Letra a.

O foco principal da teoria de Peplau tem como foco principal a relação interpessoal

enfermeiro/cliente

17. (INSTITUTO AOCP/EBSERH/ENFERMEIRO – SAÚDE DO TRABALHADOR – HD-

T-UFT/2015) A Teoria das Relações Interpessoais introduziu um novo paradigma

para enfermagem, que se processa entre a enfermeira e o paciente. A autora dessa

teoria é

a) Hildegard Peplau.

b) Wanda Horta.

c) Madeleine Leininger.

d) Imogene King.

e) Dorothea Orem.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 30 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

Letra a.

O foco principal da teoria de Peplau é a relação interpessoal enfermeiro/cliente.

6. Teoria Holística – Myra E. Levine (1967)

Segundo Piccoli e Galvão (2005), em seu modelo conceitual, Levine desenvol-

veu quatro princípios de conservação: de energia; da integridade estrutural;

da integridade pessoal; e da integridade social do paciente. O modelo con-

ceitual de Levine centraliza-se na intervenção da enfermagem, na adaptação e na

reação dos pacientes à doença.

Segundo Leonard (1993 apud PICCOLI e GALVÃO, 2005), Levine entende que

o ser humano deve ser visto como um todo, o que leva a definição de indivíduo a

um ser complexo, que é dependente de sua relação com os outros. As dimensões

dessa dependência estão ligadas com os quatro princípios de conservação. Essa

dependência existe em todas as passagens de sua existência e na sobrevivência.

Afirma também que o enfermeiro deve estar consciente dessa dependência e estar

preparado para atuar na transformação que o estresse causado por algum dese-

quilíbrio pode causar no funcionamento do organismo humano. Levine acredita que

o enfermeiro deve assumir a ajuda ao paciente para transformá-lo e auxiliá-lo na

adaptação às mudanças oriundas da doença.

A conservação da energia que consiste no primeiro princípio, refere-se ao equilí-


brio entre a energia de saída e a energia de entrada, com o propósito de evitar cansaço
excessivo utilizando repouso, nutrição e exercícios adequados. Levine acrescenta que a
habilidade do corpo humano, é dependente do seu balanço de energia, e a energia exi-
gida pelas alterações fisiológicas durante a doença, representa uma exigência adicional
nos sistemas de produção para a cura.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 31 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

O segundo princípio, conservação da integridade estrutural, refere-se à manu-


tenção ou recuperação da estrutura do corpo, ou seja, a prevenção do colapso físico e
a promoção da cura.
O terceiro princípio, conservação da integridade pessoal, refere-se à manutenção
ou recuperação da identidade e autoestima do paciente, sendo que para Levine o senso
de identidade é a mais completa evidência de totalidade.
O último princípio, conservação da integridade social, consiste no reconhecimento
do paciente como um ser social, envolve a interação humana, particularmente aquelas
que são importantes ao paciente (LEVINE, 1973 apud PICCOLI e GALVÃO, 2005).

Segundo essa teoria, a integridade do homem é conseguida por sua adaptação a

quatro níveis de resposta do organismo, as quais são fisiologicamente determinadas

para que haja a interação do homem com seu ambiente interno e externo, a saber:

Resumo da Teoria Holística, de Myra E. Levine

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 32 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

18. (CESPE/CORREIOS/2011) Tendo em vista que o processo de enfermagem,

também conhecido como metodologia de assistência, consiste em um conjunto de

ações sistematizadas e holísticas empregado com a finalidade de melhorar a assis-

tência prestada ao indivíduo, à família e à comunidade, julgue os itens seguintes.

De acordo com a teoria de Levine, o paciente deve ser auxiliado pelo enfermei-

ro quanto ao alcance do autocuidado terapêutico, estendendo-se esse auxílio aos

membros da família e da comunidade.

Errado.

O modelo conceitual de Levine centraliza-se na intervenção da enfermagem, na

adaptação e na reação dos pacientes à doença.

Segundo Orem, o enfermeiro auxilia o indivíduo a maximizar, progressivamente,

seu potencial para o autocuidado.

7. Teoria das Necessidades Humanas Básicas – Wanda Horta

O trabalho de Wanda Horta é baseado na teoria da motivação humana de

Abraham Maslow, a qual está fundamentada nas necessidades humanas básicas.

Para ela, o ser humano é o único dotado de particularidades e características que o

diferenciam de qualquer outro ser existente no universo (HORTA, 1979 apud OLI-

VEIRA, 2001).

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 33 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

Horta (1979, p. 29 apud OLIVEIRA, 2001) conceitua a enfermagem como

a ciência e a arte de assistir o ser humano. No atendimento de suas necessidades


básicas, de torná-lo independente desta assistência, quando possível pelo ensino do
autocuidado, de recuperar, manter e promover a saúde em colaboração com outros
profissionais.

A partir do conceito visto anteriormente, a enfermagem reconhece o ser hu-

mano como elemento participante e ativo no seu cuidado. Então, Horta divide as

funções do enfermeiro em três áreas:

• específica: ato de assistir o ser humano nas suas necessidades básicas, en-

sinando-lhe o autocuidado;

• interdependência com outras profissões: ato de manter, promover e re-

cuperar a saúde;

• social: diz respeito ao ensinar, pesquisar e administrar com responsabilidade,

dentro dos preceitos éticos-legais, devendo ser membro integrante de asso-

ciações de classe.

O ser humano deve ser compreendido como indivíduo, família e comunidade, constituin-
do o mesmo tema central da Teoria das Necessidades Humanas Básicas, proposta por
Wanda de Aguiar Horta (OLIVEIRA, 2001).

As Necessidades Humanas Básicas (NHB) são entendidas como “estados de ten-

são. Conscientes ou inconscientes, resultantes dos desequilíbrios hemodinâmicos

dos fenômenos vitais” (Horta, 1979, p. 39 apud OLIVEIRA, 2001).

O Processo de Enfermagem é definido por Horta (1979) como “a dinâmica das

ações sistematizadas e inter-relacionadas, visando a assistência ao ser humano” e

corresponde à relação do profissional com a clientela, por meio de um método que

se compõe de seis fases ou passos inter-relacionados e de igual importância.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 34 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

Horta (1979 apud OLIVEIRA, 2001) propõe, como metodologia para o processo

sistematizado de enfermagem, as seguintes fases, baseando-se no processo de

enfermagem:

• histórico;

• diagnóstico de enfermagem;

• plano de assistência;

• prescrição;

• evolução;

• prognóstico.

Resumo da Teorias das Necessidades Humanas Básicas

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 35 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

19. (CESGRANRIO/PETROBRAS/2014) No histórico de enfermagem foi informado

que o trabalhador teve afetada sua necessidade básica por ter apresentado proble-

mas respiratórios ao desenvolver trabalho em espaço confinado.

Nessa forma de registro, o informe da enfermeira está sustentado na teoria de

a) Sister Callista Roy.

b) Wanda de Aguiar Horta.

c) Marjorie Gordon.

d) Madeleine Leininger.

e) Martha Rogers.

Letra b.

O enunciado já traz o que devemos analisar, quando se refere à necessidade básica.

A Teoria das Necessidades Humanas básicas foi desenvolvida por Wanda de Aguiar

Horta e diz que: “Enfermagem é a ciência e a arte de assistir o ser humano no aten-

dimento de suas necessidades básicas”.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 36 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

20. (IADES/EBSERH/2014) O processo de enfermagem consiste em um método

utilizado para ordenar a assistência de enfermagem e é composto por fases. O au-

tor que divide esse processo em seis fases é

a) Imogene King.

b) Rosalinda Alfaro Lefevre.

c) Wanda de Aguiar Horta.

d) Florence Nightingale.

e) Patricia Iyer.

Letra d.

Segundo Wanda Horta, o processo de enfermagem é composto por seis fases: histórico;

diagnóstico de enfermagem; plano de assistência; prescrição; evolução; e prognóstico.

21. (FCC/TCE-PI/2014) De acordo com a teoria das necessidades humanas básicas

de Maslow, no planejamento da assistência de enfermagem ao indivíduo doente, o

enfermeiro deve considerar que

a) as necessidades humanas básicas fisiológicas consistem em hidratação, nutri-

ção, eliminação, sono e oxigênio, dentre outras.

b) o indivíduo precisa satisfazer as necessidades de nível superior para sentir a

necessidade de atender as de nível inferior.

c) as necessidades humanas básicas estão hierarquizadas em cinco níveis, de-

nominadas fisiológicas, de segurança e proteção, de propriedade e de afeição, de

poder e de autorrealização.

d) as intervenções a serem executadas devem ser baseadas nas necessidades co-

letivas dos indivíduos.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 37 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

e) ao satisfazer uma necessidade de nível superior do indivíduo, concomitante-


mente, estará contemplando as necessidades de nível inferior.

Letra a.
Podemos observar que a teoria de Wanda Horta foi construída tendo como referen-
cial os trabalhos desenvolvidos por Maslow.
Segundo Horta, são NECESSIDADES PSICOBIOLÓGICAS:
• oxigenação;
• hidratação;
• nutrição;
• eliminação;
• sono e repouso;
• exercícios e atividades físicas;
• sexualidade;
• abrigo;
• mecânica corporal;
• integridade cutaneomucosa;
• integridade física;
• regulação: térmica, hormonal, neurológica, hidrossalina, eletrolítica, imuno-
lógica, crescimento celular, vascular;
• locomoção;
• percepção: olfativa, visual, auditiva, tátil, gustativa, dolorosa;
• ambiente.

Lembre-se: a essência da teoria de Wanda Horta está ligada ao trabalho desenvol-


vido por Maslow.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 38 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

22. (INSTITUTO AOCP/EBSERH/ENFERMEIRO – HC-UFG/2015) Os modelos teóri-

cos e as teorias de enfermagem são ferramentas que possibilitam a operacionaliza-

ção da sistematização da assistência de enfermagem por meio da aquisição de um

referencial teórico. No Brasil, Wanda Horta, fundamentada na teoria da motivação

humana de Maslow, elaborou o modelo conceitual

a) do déficit do autocuidado.

b) da ciência humanista da enfermagem.

c) das necessidades humanas básicas.

d) do cuidado transcultural.

e) do processo interpessoal.

Letra c.

Wanda Horta traz o conceito de enfermagem como a ciência e a arte de assistir o

ser humano no atendimento de suas necessidades básicas.

23. (COPEVE-UFAL/UFAL/2012) Em relação aos princípios e características da Teo-

ria das Necessidades Humanas Básicas de Wanda de Aguiar Horta, assinale a opção

incorreta.

a) Cada necessidade será conceituada à luz dos conhecimentos científicos que as

determinam, os sinais e os sintomas que caracterizam seu não atendimento ou a

inadequação dos meios para sua satisfação.

b) Em todas as necessidades estudadas serão incluídos os fatores que modificam

suas manifestações e atendimento, a correlação entre eles e os seus níveis de sa-

tisfação.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 39 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

c) Essa teoria se fundamenta em três leis gerais, são elas: lei do equilíbrio (home-

ostase ou hemodinâmica); lei da adaptação; e lei do holismo.

d) O processo de enfermagem proposto por Horta é constituído de cinco etapas:

1) levantamento de dados; 2) diagnóstico de enfermagem; 3) Plano de cuidados;

4) prescrição de enfermagem; e 5) Prognóstico.

e) O objetivo da enfermagem é auxiliar os seres humanos a manterem seu equilí-

brio dinâmico, seja prevenindo estados de desequilíbrio ou revertendo desequilíbrio

em equilíbrio no tempo e no espaço, pois a finalidade é alcançar o mais alto grau

de bem-estar.

Letra d.

Segundo Wanda Horta, o processo de enfermagem é composto por seis fases: his-

tórico; diagnóstico de enfermagem; plano de assistência; prescrição; evolução; e

prognóstico.

24. (IBFC/SEAP-DF/2013) Considerando as necessidades humanas básicas (NHB),

assinale a alternativa correta.

a) A teoria do Autocuidado visa a identificação das NHB, que as classifica em três

níveis: necessidades psicobiológicas, necessidades psicossociais e necessidades es-

pirituais.

b) Segundo João Mohana, em teoria da motivação humana, afirma que todo ser

humano tem necessidades comuns que motivam o seu comportamento.

c) A teoria de Maslow classifica as NHB em dois níveis: necessidades psicobiológi-

cas e necessidades psicossociais.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 40 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

d) Para Horta, as NHB são conceituadas como estado de tensões, conscientes ou in-

conscientes, que resultam dos desequilíbrios hemodinâmicos dos fenômenos vitais.

Letra d.

As Necessidades Humanas Básicas (NHB) são entendidas como “estados de tensão.

Conscientes ou inconscientes, resultantes dos desequilíbrios hemodinâmicos dos

fenômenos vitais” (Horta, 1979, p. 39 apud OLIVEIRA, 2001).

8. Teoria do Alcance dos Objetivos (Metas) – Imogenes King


(1923-2007)

O pressuposto filosófico da teoria de King considera que o objeto de estudo na

enfermagem são as interações dos seres humanos com o ambiente, as quais os

levam a um estado de saúde que permite o desempenho de seus diferentes papéis

sociais. Pressupõe ainda que os seres humanos são seres sociais, conscientes,

racionais, perceptivos, que reagem e que têm objetivos orientados para a ação e

orientados no tempo (MOURA et al., 2004).

King apresenta a enfermagem como um processo de interação enfermeira/cliente

que colabora para o alcance dos objetivos no ambiente natural. Baseou-se na teoria

dos sistemas, apoiando a ideia de que há um sistema social, interpessoal e pessoal.

Segundo Moura et al. (2004), para descrever a teoria do alcance de metas, King

trabalhou com os conceitos de interação, percepção, comunicação, transação, self

ou ego, papel, estresse, crescimento e desenvolvimento, espaço e tempo, tornando

sua teoria relativamente simples, uma vez que estes conceitos estão claramente

definidos e inter-relacionados de maneira lógica e coerente.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 41 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

Ainda de acordo com os autores supracitados, as proposições da Teoria do Al-

cance de Metas estão apresentadas de forma bastante explícita, ao King afirmar

que: se a percepção é acurada nas interações, ocorrerão as transações; se o en-

fermeiro e cliente fazem transações, os objetivos serão alcançados; se os objetivos

forem alcançados, ocorrerá satisfação; se ocorrerem transações nas interações, o

crescimento e o desenvolvimento serão fortalecidos; se as expectativas do papel

e seu desempenho são percebidos pelo enfermeiro e pelo cliente e forem con-

gruentes, ocorrem transações; se houver conflito de papéis, ocorre estresse; se

o enfermeiro, com conhecimentos e habilidades especiais, comunica informações

apropriadas, haverá alcance mútuo de objetivos.

Resumo da Teoria do Alcance dos Objetivos

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 42 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

25. (AMEO-SC/PREFEITURA DE PALMA SOLA-SC/2016) Com relação às teoristas de

enfermagem e suas teorias desenvolvidas, é incorreto o que se afirma em:

a) Teoria das necessidades básicas: Virgínia Henderson.

b) Teoria Holística: Myra E. Levine.

c) Teoria do Modelo Conceitual do Homem: Martha Rogers.

d) Teoria das Relações Interpessoais de Enfermagem: Imogenes King.

Letra d.

Imogenes King desenvolveu a Teoria do Alcance dos Objetivos (metas).

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 43 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AMANTE, L. N.; ROSSETTO, A. P.; SCHNEIDER, D. G. Sistematização da Assistência

de Enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva sustentada pela Teoria de Wanda

Horta. Rev. esc. enferm. USP, v. 43, p. 54-64, 2009.

AMERICAN NURSES ASSOCIATION (ANA). Processandout.com criteria of selec-

ted diagnosis. Kansas City; 1995.

ANJOS, K. F. et al. Implementação informatizada da Sistematização da Assistência

de Enfermagem: uma proposta na evolução do cuidar. ConScientiae Saúde, v. 9,

p. 147-154, 2010.

BITTAR, D. B.; PEREIRA, L. V.; LEMOS, R. C. A. Sistematização da Assistência de

Enfermagem ao Paciente Crítico: Proposta de Instrumento de Coleta de Dados.

Texto Contexto Enferm, v. 15, p. 617-628, 2006.

BRASIL. Conselho Federal de Enfermagem. Código de Ética dos Profissionais de

Enfermagem. Rio de Janeiro: COFEN; 1986.

______. Conselho Federal de Enfermagem. Resolução COFEN n. 272/2002.

______. Conselho Federal de Enfermagem. Resolução COFEN n. 358/2009

CARVALHO, E. C.; GARCIA, T. R. Processo de enfermagem: o raciocínio e o julga-

mento clínico no estabelecimento do diagnóstico de enfermagem. In: Anais III

Fórum Mineiro de Enfermagem: sistematizar o cuidar. Uberlândia: UFU, 2002.

p. 29-40.

CARRARO, T. E.; WESTPHALEN, M. E. A. (Org.). Metodologias para a assistência de

enfermagem: teorização, modelos e subsídios para a prática. Goiânia: Ed. AB, 2001.

CASTILHO, N. C.; RIBEIRO, P. C.; CHIRELLI, M. Q. A implementação da sistema-

tização da assistência de enfermagem no serviço de saúde hospitalar do Brasil.

Texto contexto enferm., v. 18, p. 280-289, 2009.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 44 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

CRUZ; D. M. Processo de enfermagem e classificações. In: GAIDZINSKI, R. R.

Diagnóstico de enfermagem na prática clínica. Porto Alegre: Artmed, 2008.

DUARTE, A. P. P.; ELLENSOHN, L. A operacionalização o processo de enfermagem

em terapia intensiva neonatal. RevEnferm UERJ, v. 15, p. 48-53, 2007.

FORMIGA, J. M. M.; GERMANO, R. M. Por dentro da história: o ensino de administra-

ção em enfermagem. Rev Bras Enferm., v. 58, n. 2, p. 222-226, mar./abr. 2005.

GARCIA, T. R.; NÓBREGA, M. M. L. Processo de enfermagem: da teoria à prática

assistencial e de pesquisa. Esc Anna Nery Ver Enferm, v. 13, p. 188-193, 2009.

______. Contribuição das teorias de enfermagem para a construção do conheci-

mento da área. RevBrasEnferm, v. 57, p. 228-232, 2004.

GEORGE, J. B. et al. Teorias de enfermagem: dos fundamentos para à prática

profissional. 4.ed. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

GUEDES-SILVA, D.; ALVES, V. L. S. As dificuldades encontradas pelo enfermeiro

na implantação da sistematização da assistência de enfermagem. 10º SINADEN,

2010.

HERMIDA, P. M. V.; ARAÚJO, I. E. M. Sistematização da Assistência de Enferma-

gem: subsídios para implantação. RevBrasEnferm, v. 59, p. 675-679, 2006.

HORTA, W. A. Memorial. São Paulo: EPU, 1973.

______. Processo de enfermagem. São Paulo: EPU, 1979.

KRAUZER, I. M. Sistematização da Assistência de Enfermagem – um instru-

mento de trabalho em debate. 2009. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) –

Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

LEOPARDI, M. T. Teorias de enfermagem: instrumentos para a prática. Florianó-

polis: Papa-Livros; 1999.

______. Teorias e método em assistência de enfermagem. 2. ed. Florianópo-

lis: Soldasoft, 2006.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 45 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

MARQUIS, B. L., HUSTON, C. J. Administração e liderança em enfermagem:

teoria e aplicação. 2. ed. Porto Alegre: Artes Médicas Sul; 1999.

MELEIS, A. I. Nursingtheory: anelusivemirageor a mirrorof reality. In: ______.

Theoretical nursing development & progress. Philadelphia: J. B. Lippincott,

1985. p. 169-194.

PAIM, L. et al. Conceitos e visões teóricas. Florianópolis: REPENSUL/ESPENSUL,

1998.

MURTA, Genilda Ferreira. Saberes e Práticas: Guia para Ensino e Aprendizado de

Enfermagem. 3. ed. São Caetano do Sul: Difusão Editora, 2007. v. 3, p.253-266.

PESUT, D.; HERMAN, J. Clinical reasoning: the art and Science of critical and cre-

ative thinking. Albany: Delmar, 1999. p.54-62.

PIRES, S. M. B. Sistematização do Cuidado em Enfermagem: uma análise da

implementação. 2007. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Paraná,

Curitiba, 2007.

SANTOS, I. et al. Enfermagem fundamental: realidade, questões, soluções. São

Paulo: Atheneu, 2001. v. 1, p. 12.

SOUZA, M. T. As teorias de Enfermagem e sua influência nos processos cuidativos.

In: CIANCIARULLO, T. I.; GUALDA, D. M. R.; MELLEIRO, M. M. Sistematização

da assistência de enfermagem: evolução e tendências. 3. ed. São Paulo: Ícone,

2001.

SOUZA, M. F. Teorias de enfermagem: importância para a profissão. Acta Paul

Enferm, v. 1, p. 63-65, 1988.

TANNURE, M. C.; PINHEIRO, A. M. SAE: Sistematização da Assistência de Enferma-

gem. Guia Prático. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 46 de 47
ENFERMAGEM
Teorias de Enfermagem
Prof.ª Natale Souza

TAYLOR, C.; SPARKS, S. R. Manual de diagnóstico de enfermagem. Rio de Ja-

neiro: Guanabara Koogan, 2007.

VENTURINI, D. A.; MATSUDA, L. M.; WAIDMAN, M. A. P. Produção científica bra-

sileira sobre sistematização da assistência de enfermagem. Ciência, cuidado e

saúde, v. 8, n. 4, p. 704-715, out./dez. 2009.

O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Patricia eduardo santos - 46364790330, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 47 de 47

Você também pode gostar