Você está na página 1de 26

FACULDADE ANHANGUERA DE ANÁPOLIS

ENGENHARIA MECÂNICA

TRANSFERÊNCIA DE CALOR

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS: TRANSFERÊNCIA DE CALOR

PROFESSOR: JOÃO BENTO

ANÁPOLIS, 08/04/2015.
SUMÁRIO
ETAPA 1 .................................................................................................................................... 1
Aula-tema: Introdução ao estudo da transferência de calor. ................................................... 1
Passo 1 .................................................................................................................................... 1
Conceito .................................................................................................................................. 2
Processos:................................................................................................................................ 2
Passo 2 .................................................................................................................................... 2
Mecanismos de transferência de calor ........................................................................................ 3
Condução ................................................................................................................................ 3
Convecção ............................................................................................................................... 5
Radiação .................................................................................................................................. 6
ISOLANTES TÉRMICOS ......................................................................................................... 8
APLICAÇÕES ........................................................................................................................... 9
Lã de Rocha ............................................................................................................................ 9
Fibra de vidro .......................................................................................................................... 9
Passo 3 .................................................................................................................................. 10
Relatório 1 – Introdução ao estudo da transferência de calor. .............................................. 10
ETAPA 2 .................................................................................................................................. 10
Aula-tema: Condução e convecção unidimensional em regime estacionário. ...................... 10
Passo 1 .................................................................................................................................. 11
Passo 2 .................................................................................................................................. 11
Passo 3 .................................................................................................................................. 11
Experimento de condução térmica ........................................................................................ 11
Procedimento inicial ............................................................................................................. 12
Resultados obtidos ................................................................................................................ 14
Experimento de convecção térmica ...................................................................................... 15
Procedimento inicial ............................................................................................................. 15
Resultados obtidos ................................................................................................................ 17
Experimento de radiação térmica ......................................................................................... 17
Procedimento inicial ............................................................................................................. 18
Resultados obtidos ................................................................................................................ 19
Passo 4 .................................................................................................................................. 20
Relatório 2: Experimentos de mecanismos de transferência de calor................................... 20
BIBLIOGRAFIA ........................................................................................................................... 22
1

ETAPA 1

Aula-tema: Introdução ao estudo da transferência de calor.

Abordando os conceitos básicos dos mecanismos de transferência de calor e suas


propriedades térmicas, este documento tem como objetivo apresentar o estudo realizado para
a elaboração das atividades práticas supervisionadas relacionada a matéria de transferência de
calor, em específico, isolantes térmicos. Com o intuito de observar as vantagens e
desvantagem dos isolantes térmicos apresentados neste trabalho.

Passo 1

Pesquisar em bibliotecas e laboratórios de informática, ler capítulos de livros e artigos


acadêmicos sobre os conceitos básicos e mecanismos de transferência de calor e as
propriedades térmicas da matéria, em específico isolantes térmicos.
2

Conceito

É o processo de propagação de calor no qual a energia térmica é transmitida de


partícula para partícula do meio, sempre do ponto de maior temperatura para o ponto de
menor temperatura. O calor pode ser transmitido, transferido ou propagado por três tipos de
processos:

Processos:

i. Condução;

ii. Convecção;

iii. Radiação.

Passo 2

Discutir com o grupo a pesquisa realizada no passo anterior e elaborar dois quadros
resumos, um sobre os mecanismos de transferência de calor, contendo no mínimo: definição
dos mecanismos de transferência de calor, exemplos, figura ilustrativa e equação para cálculo
do calor transmitido e, outro, sobre isolantes térmicos, contendo no mínimo: tipos, aplicações,
vantagens e desvantagens.
3

Mecanismos de transferência de calor

Mecanismos de Transferência de Calor


Modo Lei Mecanismo Coeficiente de
Transporte
Condução Fourier Difusão de energia devido ao k
movimento molecular aleatório. (W/mK)
Convecção Newton Acrescido da transferência de h
(resfriamento) energia em função do movimento (W/m2K)
macroscópico.
Radiação Stefan- Transferência de energia por ε
Boltzmann ondas eletromagnéticas. hr (W/m2K)

Condução

A condução ocorre dentro de uma substância ou entre substâncias que estão em


contato físico direto. Na condução a energia cinética dos átomos e das moléculas, é
transferida por colisões entre átomos e moléculas vizinhas, o calor flui das temperaturas mais
altas para as temperaturas mais baixas. A capacidade das substâncias para conduzir calor varia
consideravelmente, de maneira geral os sólidos são melhores condutores que os líquidos e os
líquidos são melhores condutores que os gases.

Por exemplo: coloca-se uma das extremidades de uma barra metálica na chama de
fogo. Após alguns instantes, percebe-se que a outra extremidade também esquenta, mesmo
estando fora da chama de fogo. Esse fato ocorre porque as partículas que formam o material
receberam energia e, dessa forma, passaram a se agitar com maior intensidade. Essa agitação
4

se transfere de partícula por partícula e se propaga em toda a barra até alcançar a outra
extremidade.

Esse tipo de transferência ocorre com maior ou menor facilidade dependendo da


constituição atômica do material, a qual faz com que ele seja classificado condutor ou isolante
de calor. Nas substâncias condutoras esse processo de transferência acontece mais rápido
como, por exemplo, nos metais.

Um ótimo exemplo de condução térmica é a colocação de um metal em contato com


uma fonte de calor, o que ocorrerá é mostrado, abaixo, na figura 1.

Figura 1 - Condução Térmica

O calor é conduzido através da barra de metal até chegar a outra extremidade, fazendo
assim a transferência de calor por condução.

Para calcularmos essa condução temos que usar a fórmula elaborada por Fourier como
descrita a seguir:

∆𝑇
𝑞𝑥 = 𝐴 . 𝐾 .
𝐿

Onde:

qx = taxa de transferência de calor.

A = Área

K = Coeficiente de condutividade térmica.


5

∆𝑇 = Intervalo de tempo.

L = Espessura do objeto.

Convecção

A convecção somente ocorre em líquidos e gases, consiste na transferência de calor


dentro de um fluído através de movimentos do próprio fluído. O calor recebido na camada
mais baixa da atmosfera terrestre através de radiação ou condução é transferido por
convecção. A convecção ocorre como consequência de diferenças na densidade da água.
Quando o calor é conduzido da superfície relativamente quente para a água sobrejacente, esta
água torna-se mais quente que a água sobrejacente. Como a água quente é menos densa que a
água fria, a água fria e densa desce e força a água mais quente e menos densa a subir. A água
mais fria é então aquecida pela superfície e o processo é repetido.

Desta forma, a circulação convectiva da água transporta calor verticalmente da


superfície quente para cima. O calor é também transportado horizontalmente, por movimentos
convectivos horizontais, conhecidos por advecção. O termo convecção é usualmente restrito à
transferência vertical de calor.

Um ótimo exemplo de convecção é o aquecimento da água dentro de um recipiente, o


ocorrido interno acontece da seguinte forma:

O líquido que está aquecido fica mais leve e sobe, por contra partida, o líquido que
está frio desce para ser aquecido, assim gerando um ciclo de troca de calor chamado
convecção térmica como mostrado, abaixo, na figura 2.
6

Figura 2 - Convecção.

Para calcularmos a taxa de calor transferida pela convecção, temos que usar a fórmula
elaborada por Newton, chamada lei de Newton do resfriamento, como descrita a seguir:

𝑞𝑥 = ℎ. 𝐴. (𝑇𝑠 − 𝑇𝑖 )

Onde,

Qx = taxa de transferência.

H = Coeficiente de filme.

A = Área.

Ts = Temperatura do fluido.

Ti = Temperatura do corpo.

Radiação

A radiação consiste de ondas eletromagnéticas viajando com a velocidade da luz.


Como a radiação é a única que pode ocorrer no espaço vazio, esta é a principal forma pela
qual o sistema Terra-Atmosfera recebe energia do Sol e libera energia para o espaço. A
energia do campo de radiação é transportada pelas ondas eletromagnéticas e não exige um
7

meio material para que ocorra, sendo mais eficiente quando no vácuo. O fluxo máximo
(W/m2) que pode ser emitido por uma superfície radiante é dado pela Lei de Stefan-
Boltzmann.

A transferência de calor por radiação geralmente envolve a faixa do espectro


conhecida por infravermelho (IV). Qualquer objeto libera energia radiante. Objetos a uma
maior temperatura liberam mais energia radiante que objetos a uma menor temperatura.

Um ótimo exemplo de radiação é o envio do calor em forma de raios, ultravioleta


(UV), enviados pelo sol para a terra e acontece como, abaixo, na figura 3:

Figura 3 - Radiação.

Para calcularmos a taxa de calor transferida pela radiação, temos que usar a fórmula
elaborada por Stefan-Boltzmann, como descrita a seguir:

4
𝑞𝑟𝑎𝑑 = ℎ𝑟 . 𝐴. (𝑇𝑠 − 𝑇𝑣𝑖𝑧 )

Onde,

Qrad = Taxa de transferência de calor.

Hr = Coeficiente de radiação.

A = Área.

Ts = Temperatura do corpo.
8

Tviz = Temperatura da vizinhança.

ISOLANTES TÉRMICOS

Isolante térmico é o nome dado a um material ou estrutura que dificulta a dissipação


de calor, usado na construção e caracterizado por sua alta resistência térmica. Estabelece uma
barreira à passagem do calor entre dois meios que naturalmente tenderiam rapidamente a
igualarem suas temperaturas. O melhor isolante térmico conhecido é o vácuo, mas devido à
grande dificuldade para obter-se e manter condições de vácuo, é empregado em muito poucas
ocasiões, em escala. Na prática se utiliza o ar, que graças a sua baixa condutividade térmica e
um baixo coeficiente de absorção da radiação, constitui um elemento muito resistente à
passagem de calor. Por várias razões são utilizados como isolamento térmico materiais
porosos ou fibrosos, capazes de imobilizar o ar seco e confiná-lo no interior de células, mais
ou menos, estanques. Ainda que na maioria dos casos o gás enclausurado seja ar comum, em
isolantes de células fechadas, formados por bolhas não comunicantes entre si, o gás utilizado
como agente espumante é o que fica finalmente enclausurado. Também é possível utilizar
outras combinações de gases distintas, mas seu emprego é muito pouco extenso. Há vários
tipos de materiais sólidos que podem ser bons isolantes, isso depende da utilidade dada, a
temperatura de trabalho, ao local de instalação entre outros. Podem-se utilizar como isolantes
térmicos: Desses isolantes pesquisados, podemos ressaltar dois (2) tipos que são os mais
utilizados nas indústrias.

1- Lã de rocha;
2- Fibra de vidro;
9

APLICAÇÕES

Lã de Rocha

A lã de rocha é um material isolante térmico, incombustível e imputrescível. Este


material se diferencia de outros isolantes, pois é um material resistente ao fogo, com um ponto
de fusão superior aos 1.200 °C.

A lã de rocha possui algumas vantagens como, Resistência ao fogo, proteção,


custo/benefício favorável, absorção acústica e segurança. A lã de rocha é fácil de manusear,
tem boa resiliência (recupera a espessura original após a retirada da força que causou a
deformação), é resistente a vibrações e é quimicamente neutro. Porém não podemos deixar de
ressaltar algumas desvantagens com o aparecimento de problemas durante a instalação do
isolamento. Ao manusear a lã de rocha, evite o contato direto com as mãos. Embora não
represente um perigo imediato, isso pode resultar em prurido, e desconfortos menores. Além
disso, poeira pode ser liberada ao instalar a lã de rocha, use máscaras e óculos de proteção
adequados, para evitar acidentes ou ferimentos, e tenha uma ventilação adequada.

Fibra de vidro

Permite a produção de peças com grande variedade de formatos e tamanhos, tais como
placas para montagem de circuitos eletrônicos, cascos e hélices de barcos, fuselagens de
aviões, caixas d’água, piscinas, pranchas de surf, recipientes de armazenamento, peças para
inúmeros fins industriais em inúmeros ramos de atividade, carrocerias de automóveis, na
construção civil e em milhares de outras aplicações.
10

A fibra de vidro possui algumas vantagens como, altas propriedades mecânicas,


leveza, alta rigidez dielétrica, flexibilidade de aplicação, estabilidade dimensional, resistência
a corrosão, fácil integração, moldes simples e baixo custo. Porém, Algumas das desvantagens
da fibra de vidro são: Módulo da elasticidade reduzido, elevada massa específica,
sensibilidade à abrasão, sensibilidade a temperaturas elevadas e baixa resistência a fadiga.

Passo 3

Relatório 1 – Introdução ao estudo da transferência de calor.

Os modos de propagação de calor como, condução, convecção e radiação são


utilizadas individuais ou todos ao mesmo tempo, pois, dependendo do tipo de propagação de
calor que estamos procurando ou traçando, elas poderão ser encontradas todas ao mesmo
tempo. Porém, a propagação de calor pode ser também isolada para melhorar a eficiência de
retenção ou evitar a entrada de temperaturas diferentes nos ambientes, fazendo o uso
adequado de materiais que ajudam a manter o ar praticamente estático, pois o ar é um
elemento de baixa condutividade térmica, ou seja, não permite a passagem excessiva de
qualquer temperatura de calor diminuindo a propagação de calor entre os ambientes.

ETAPA 2

Aula-tema: Condução e convecção unidimensional em regime estacionário.


11

Passo 1

Pesquisar em laboratórios de informática, ler capítulos de livros e artigos acadêmicos,


assistir vídeos sobre experimentos de mecanismos para transferência de calor: condução,
convecção e radiação.

Passo 2

Reunir com o grupo e discutir sobre a pesquisa realizada no passo anterior e escolher
um experimento de cada mecanismo que deverá ser executado pelo grupo.

Passo 3

Realizar os experimentos selecionados, elaborando o protocolo para cada um deles e o


relatório final. Mostrar os resultados obtidos e considerações do grupo para cada experimento
através de uma tabela constando as variáveis que foram consideradas, conforme a sugestão
abaixo.

Experimento de condução térmica


12

Materiais utilizados:

01 Vela.

05 Tachinhas de latão.

01 Pedaço de 20 cm de arame.

01 Fita adesiva.

01 Suporte de pedra.

01 Vidro de cola escolar.

01 Caixa de fósforo.

Procedimento inicial

Fixar as 05 tachinhas no arame com cola escolar com a distância de 01 centímetro


entre elas, logo após, fixar com fita adesiva o arame de 20 cm no suporte de pedra e por fim
acender a vela e quando começado o contato da chama com o arame foi iniciada a contagem
no cronômetro.

Foram tomados os cuidados para não incendiar o ambiente ao redor.


13

Após 10 segundos obtivemos a queda da primeira tachinha.

Após 22 segundos obtivemos a queda da segunda tachinha.

Após 45 segundos obtivemos a queda da terceira tachinha.


14

Após 89 segundos obtivemos a queda da quarta tachinha.

Após 203 segundos obtivemos a queda da quinta tachinha.

Resultados obtidos

Tempo Distância Observações


10 segundos 01 centímetro Queda da primeira tachinha após o primeiro
contato da chama com o arame.
22 segundos 02 centímetros Queda da segunda tachinha.
45 segundos 03 centímetros Queda da terceira tachinha.
89 segundos 04 centímetros Queda da quarta tachinha.
203 segundos 05 centímetros Queda da quinta tachinha.
205 segundos - Fim do experimento.
15

Neste experimento não foi possível mensurar a temperatura, pois não tínhamos um
termômetro para a realização desse procedimento.

Notamos que na constante de transferência de calor por condução, o calor vai


passando da molécula mais quente para a mais fria derretendo a cola aplicada para a fixação
das tachinhas e por fim removendo-as de sua fixação anterior.

Experimento de convecção térmica

Materiais utilizados:

01 Prato plástico.

01 Vela.

01 Copo com água.

01 Caixa de fósforos.

01 Jarro de vidro.

Procedimento inicial

Colocamos o prato de plástico em uma superfície plana, fixamos a vela com a própria
cera, acrescentamos 100 mililitros de água dentro do prato, acendemos o palito de fósforo e
transferimos a chama para a vela e por fim posicionamos o jarro de vidro cobrindo a vela.
16

Após 21 segundos o ar aquecido e o oxigênio consumido geram uma redução da


chama.

Após 31 segundos os ciclos da convecção dão espaço aos vapores de água


possibilitando que, os mesmos, apaguem a chama restante na vela.
17

Resultados obtidos

Tempo Observações
00 segundo Cobertura da vela com chama acesa.
21 segundos Oxigênio consumido internamente.
31 segundos Vapores de água apagam a chama.
Percebemos neste experimento como a convecção funciona dentro de um recipiente
isolado por ar e água, quando acrescido de uma vela com a chama acesa notamos a redução
acelerada do oxigênio dando espaço aos vapores de água e possibilitando a extinção da
chama, anteriormente, em atividade constante.

Experimento de radiação térmica

Materiais utilizados:

01 Bocal de lâmpada.
18

01 Lâmpada de 60v.

02 Latas de 200 mililitros.

01 Lata de tinta branca.

01 Lata de tinta preta.

02 Termômetros de mercúrio.

200 mililitros de água.

Energia elétrica.

Procedimento inicial

Fizemos a pintura das duas latas, uma de branco e outra de preto, logo após fizemos a
montagem da lâmpada no bocal e separamos as latas na mesma distância da lâmpada,
introduzimos um termômetro em cada lata com 100 mililitros de água cada e acendemos a
lâmpada. Os valores dos termômetros iniciais eram de 36,5ºC.

Após 05 (cinco) minutos que a lâmpada se manteve acesa obtivemos a temperatura das
latas, branca e preta, com os seguintes resultados:
19

38,5ºC para a lata pintada de branco.

39ºC para a lata pintada de preto.

Resultados obtidos

Cor da Lata Tempo Temperatura


Branco 05 minutos 38,5ºC
Preto 05 minutos 39ºC
20

Notamos que com o passar do tempo que a lâmpada irradiava as duas latas nas
mesmas distancias a lata com a pintura preta tinha a condição de armazenagem de calor maior
por conseguir reter melhor o calor e a branca não obtinha essa eficiência por refletir o calor.

Passo 4

Relatório 2: Experimentos de mecanismos de transferência de calor.

Concluímos que nos três experimentos obtivemos as transferências de calor desejadas


por condução, convecção e radiação, sendo elas por contato, circulação e distância.

No primeiro experimento notamos que na transferência de calor por condução temos


que utilizar materiais sólidos para conseguir essa transferência e obter os resultados desejados.
O mais perceptível deste experimento foi que em 203 segundos e com 05 obstáculos de cola
escolar mais as tachinhas foi possível que o calor se propagasse em 05 centímetros de arame
derrubando as tachinhas que estavam fixadas.

No segundo experimento notamos que os gases quando circulados por meio da


convecção, aqueceram o ar a chama consumiu todo o oxigênio que continha dentro do
recipiente, depois de aquecido o ar, o mesmo, possibilitou a subida dos gases de água e por
fim apagando o a chama restante no recipiente.

No terceiro experimento notamos que a radiação transfere calor para os recipientes


com água e os recipientes com a coleta desse calor aumentam a temperatura da água que
contem internamente, porém o recipiente de cor branca reflete uma quantidade de calor para o
meio externo reduzindo a conservação desse calor na água que possui internamente, ao
contrário, o recipiente de cor preta retém com mais eficiência o calor transferido pela
lâmpada, pois o mesmo tem uma condição menor de reflexão ajudando na conservação do
calor transferido para a água.
21

Por fim notamos a importância de saber que tipos de transferência de calor estamos
lidando para melhor aproveitar suas propriedades e condições, possibilitando uma melhor
comodidade e execução da tarefa desejada.
22

BIBLIOGRAFIA

Incropera, Frank P./DeWitt, David P./Bergman, Theodore L./Lavine, Adrianne S -


Fundamentos de Calor e de Massa, 6° Edição-Rio de Janeiro, 2011.

MECANISMOS DE TRANSFERENCIA DE CALOR

http://fisica.ufpr.br/grimm/aposmeteo/cap2/cap2-9.html

Data de acesso 01/04/2015

RADIAÇÃO

http://fisicand.blogspot.com.br/2010/04/radiacao-em-fisica-radiacao-e.html

Data de acesso 01/04/2015

CONDUÇÃO TÉRMICA

http://www.geocities.ws/saladefisica8/termologia/conducao.html

Data de acesso 01/04/2015

ISOLANTES TÉRMICOS

http://pt.wikipedia.org/wiki/Isolante_térmicos

Data de acesso 02/04/2015

Portal dos Laboratórios Virtuais de Processos Químicos.

http://labvirtual.eq.uc.pt/siteJoomla/index.php?option=com_content&task=view&id=248&Ite
mid=422

Data de acesso 03/04/2015

Prof. Carlos Boabaid Neto, M. Eng. 2010. Instituto Federal de Santa Catarina.

http://wiki.sj.cefetsc.edu.br/wiki/images/e/e8/Apostila_TCL_V3_2010_Parte_1.pdf

Data de acesso 05/04/2015


23

Propagação Térmica.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Propaga%C3%A7%C3%A3o_t%C3%A9rmica

Data de acesso 05/04/2015

Santos, Marco Aurélio da Silva

http://meuartigo.brasilescola.com/fisica/conducao-conveccao-irradiacao.htm

Data de acesso 05/04/2015