Você está na página 1de 4

*3º DIA A VERDADE SOBRE OS ANJOS*

Quando falamos sobre a proteção de Deus sobre nós, seus filhos, não podemos nos esquecer
do ministério dos anjos. A promessa do Senhor no Salmo 91 é que “nenhum mal te sucederá,
praga nenhuma chegará à tua tenda. Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para
que te guardem em todos os teus caminhos” (Sl 91.10-11). A maneira como o Senhor nos
mantém a salvo das pragas é dando ordens aos anjos para que nos guardem. Quando fazemos
do Altíssimo a nossa morada, Ele nos envia anjos que nos cercam e nos protegem contra
ataques do maligno.

O mais interessante é que esse trecho do Salmo 91 foi mencionado pelo diabo quando tentava
Jesus no deserto. “O diabo levou o Senhor à Cidade Santa, colocou-o sobre o pináculo do
templo e lhe disse: Se és Filho de Deus, atira-te abaixo, porque está escrito: Aos seus anjos
ordenará a teu respeito que te guardem; e: Eles te susterão nas suas mãos, para não
tropeçares nalguma pedra. Respondeu-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor,
teu Deus” (Mt 4.5-7). Este é o único lugar na Palavra de Deus em que se diz que o diabo
mencionou as Escrituras. Mas o inimigo não citou o texto bíblico corretamente, ele omitiu uma
parte importante. O Salmo diz: “Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te
guardem em todos os teus caminhos”. Ele omitiu a expressão “para que te guardem em todos
os teus caminhos”. Em Provérbios 3.6, lemos: “Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele
endireitará as tuas veredas”.

O diabo omitiu essa expressão porque ele sabe que, se reconhecermos as ações dos anjos em
nosso caminho, estaremos reconhecendo a ação do Senhor e, quando reconhecemos o Senhor
em nosso caminho, Ele vai endireitar as nossas veredas. O alvo do diabo era levar o Senhor a
testar a proteção de Deus. O Senhor disse que isso é tentar a Deus. A promessa do Senhor, em
Marcos 16.18, por exemplo, é que, se bebermos alguma coisa mortífera, não nos causará mal
nenhum. Mas isso somente quando bebemos sem saber, porque se soubermos que algo é
venenoso não devemos beber. E se sabemos que é venenoso e ainda assim resolvemos beber
confiados na promessa, estaremos na verdade tentando a Deus. Certa vez, ouvi um
testemunho impactante de um pastor que trabalha num país muçulmano. Em muitos países
muçulmanos, os pais ou parentes costumam matar uma pessoa quando ela se converte e é
batizada. Então, esse pastor nos contou que um membro filho de muçulmanos resolveu,
depois de muito tempo, enfrentar seu pai e contar que havia se convertido. Depois de contar
para o seu pai, este lhe respondeu: “Eu já sei, meu filho, e esse caminho que você está
seguindo é realmente verdadeiro”.

O jovem ficou perplexo e perguntou: “Mas como o senhor chegou a essa conclusão?” O pai
respondeu: “Eu coloquei veneno em sua comida várias vezes e você comeu e não morreu”.
Isso é maravilhoso! Aquele jovem não tinha comido uma comida envenenada apenas para
provar que Deus o protegia. Nada disso, ele estava vivendo a sua vida normal, seguindo o seu
caminho, mas o anjo do Senhor o livrou do mal. Esta certamente é a história de todos os filhos
de Deus. Somos constantemente livrados pela ação de anjos, o problema é que não sabemos
disso. Mais são os que estão conosco A Palavra do Senhor conta que, nos dias do profeta
Eliseu, houve guerra entre Israel e a Síria (2 Rs 6). Aconteceu que o rei da Síria planejava suas
estratégias militares contra os israelitas, determinando um ataque num certo lugar e hora. O
problema era que, de forma surpreendente, os reis de Israel ficavam sabendo da emboscada e
passavam por outro caminho. Isso aconteceu várias vezes até que o rei da Síria ficou
exasperado. Ele disse: “Há um traidor entre nós”. Os seus oficiais, porém, lhe disseram que o
problema era o profeta Eliseu.

O profeta contava ao rei de Israel tudo o que o rei da Síria planejava no seu quarto (2 Rs 6.11-
12). O rei, então, mandou procurar o profeta Eliseu para que pudesse prendê-lo. Foi dito que o
profeta estaria em Dotã, então o rei enviou tropas de soldados a cavalo que chegaram e
cercaram a cidade. Quando o servo do profeta levantou-se de manhã, ele viu toda a cidade
cercada de soldados, carros e cavalos. Ele e Eliseu estavam completamente cercados pelo
exército sírio. O servo entrou em pânico e disse ao profeta: “Ai! Meu senhor! Que faremos?”
(2 Rs 6.15). Eu amo essa história. Somente a Palavra de Deus poderia conter algo tão
tremendo. O que você faria nessa situação? Literalmente, um exército inteiro se levantou
contra um único homem.

Provavelmente, estaríamos em pânico como o servo de Eliseu. Mas a resposta de Eliseu é


extraordinária. Ele respondeu: Não temas, porque mais são os que estão conosco do que os
que estão com eles. (2 Rs 6.16) Do ponto de vista do servo, não havia nenhuma lógica nas
palavras de Eliseu. Eram apenas dois contra um exército inteiro armado até os dentes. Eliseu,
então, fez uma oração simples para que o Senhor abrisse os olhos do seu servo. Orou Eliseu e
disse: SENHOR, peço-te que lhe abras os olhos para que veja. O SENHOR abriu os olhos do
moço, e ele viu que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu. (2 Rs
6.17) Nesse momento, o servo teve os olhos abertos para ver todo o monte cheio de cavalos e
carros de fogo em redor de Eliseu. Era o exército de anjos de Deus. Certamente, a beleza e a
majestade daqueles anjos estava muito além do que aquele servo poderia imaginar. Agora
compreendemos a razão da tranquilidade de Eliseu e o pânico do servo, eles viam coisas
diferentes.

A visão do servo era natural, por isso ele via apenas o exército inimigo, mas a visão de Eliseu
era espiritual, ele via o exército de Deus enviado para guardá-lo. Em tempos de luta e
tribulação, quero desafiá-lo a crer nessa verdade: “Mais são os que estão conosco do que os
que estão contra nós”. Fortaleça o seu coração com essa promessa. Lance fora toda ansiedade,
porque o Deus que dá ordem aos anjos está do seu lado. Toda arma forjada contra ti não
prosperará; toda língua que ousar contra ti em juízo, tu a condenarás; esta é a herança dos
servos do SENHOR e o seu direito que de mim procede, diz o SENHOR. (Is 54.17) Se
continuarmos lendo, veremos que aquele exército se levantou para atacar Eliseu, então ele
orou para que viesse cegueira sobre todos aqueles homens. Isso é sensacional! Para o servo, a
visão foi aberta, mas, para o inimigo, até a pouca visão que tinham eles perderam. Observe
que nessa batalha tudo é uma questão de visão. Os soldados ficaram cegos, mas o servo de
Eliseu também era cego. Quando nos prendemos apenas ao natural, somos derrotados, mas
quando nossos olhos são abertos, temos vitória.
*VALOROSOS EM PODER*

A proteção de Deus nem sempre será vista de forma tão espetacular, mas todos os dias sua
proteção está sobre nós. Contudo, isso é algo tão espontâneo que, na maior parte do tempo,
nem percebemos a presença angelical para nos proteger. Por causa dos quadros
renascentistas, fomos condicionados a pensar nos anjos como bebês gordinhos de cabelos
encaracolados voando com arco e flecha. Isso, porém, está muito longe da realidade. Bendizei
ao SENHOR, todos os seus anjos, valorosos em poder, que executais as suas ordens e lhe
obedeceis à palavra. Bendizei ao SENHOR, todos os seus exércitos, vós, ministros seus, que
fazeis a sua vontade. (Sl 103.20-21) Anjos são criaturas poderosas. O Salmo 103 diz que são
valorosos em poder. Em 2 Reis 19, lemos que, numa ocasião, Senaqueribe, rei da Assíria, veio
contra Jerusalém. Aconteceu que o rei Ezequias orou ao Senhor e o Senhor enviou um anjo à
noite, o qual matou 185 mil soldados do exército assírio. Isso dá para você entender a força de
um único anjo. Então, naquela mesma noite, saiu o Anjo do SENHOR e feriu, no arraial dos
assírios, cento e oitenta e cinco mil; e, quando se levantaram os restantes pela manhã, eis que
todos estes eram cadáveres. (2 Rs 19.35)

*CONSCIENTE DOS ANJOS*

Sobre os anjos, há duas coisas importantes das quais precisamos nos lembrar. O Salmo 91 diz
claramente que Deus dá ordem aos seus anjos, para que nos guardem em todos os nossos
caminhos. Nós não damos ordens aos anjos, mas Deus dá. Então, não precisa se preocupar em
falar com anjos. Você não precisa fazer isso, pois o Pai já os encarregou de cuidar de você.
Você não precisa saber o nome deles e nem falar com eles. Quando os soldados romanos
vieram prender o Senhor Jesus no Getsêmani, Pedro atacou o servo do sumo sacerdote. Mas o
Senhor disse-lhe: “Acaso, pensas que não posso rogar a meu Pai, e ele me mandaria neste
momento mais de doze legiões de anjos?” (Mt 26.53). Nesse texto, vemos claramente que o
Senhor oraria ao Pai e Ele enviaria os anjos. O Senhor tinha à sua disposição 72 mil anjos, mas
mesmo assim Ele não disse que daria ordem ao anjo, mas oraria ao Pai. O Senhor fez assim
para nos ensinar o padrão correto. A segunda coisa é que, apesar de não orarmos a anjos,
ainda assim é mais importante ter consciência da presença de anjos do que da presença de
demônios. Fico triste com irmãos que estão sempre cientes da ação de demônios, mas nunca
percebem a ação dos anjos de Deus.

*ATIVANDO OS ANJOS*

Creio que está claro que não oramos aos anjos, mas eu creio que nós podemos ativá-los para
agir em nosso favor. Como podemos fazer isso? Em primeiro lugar, ativamos os anjos quando
louvamos o Senhor. O anjo do SENHOR acampa-se ao redor dos que o temem e os livra. (Sl
34.7) O anjo do Senhor livra aquele que teme. Quando se trata de temor, muitos presumem
que o temor de Deus é ter medo d’Ele. Mas isso não é verdade. Para muitos, o temor de Deus
é o medo da punição e do castigo, por isso vivem atemorizados, porque ainda estão debaixo
de um espírito de escravidão. Mas para aqueles que clamam: “Aba, Pai”, o temor é apenas o
resultado do amor recebido. Em Mateus 4, quando o Senhor foi tentado pelo diabo, Ele
respondeu com um texto do livro de Deuteronômio. Em Mateus 4.10, Ele diz: “Ao Senhor, teu
Deus, adorarás, e só a ele darás culto”. Mas, quando lemos o texto que Ele está citando, está
um pouco diferente: “O Senhor, teu Deus, temerás, a ele servirás, e, pelo seu nome, jurarás”
(Dt 6.13). No Velho Testamento, está escrito “O Senhor teu Deus temerás”, mas Jesus mudou o
texto para “Ao Senhor teu Deus adorarás”. Ele trocou a palavra “temor” por “adoração”. Nós
não podemos fazer isso, mas Ele pode, pois Ele mesmo é o autor da Escritura. Isso significa que
a adoração é o verdadeiro temor de Deus. Quando nós adoramos a Deus, damos ocasião para
os anjos agirem. Invista tempo em adoração todos os dias.

No meio da dificuldade ou quando o medo vier, simplesmente cante ao Senhor. Quando


fazemos isso, focamos a nossa atenção no Senhor e os seus anjos nos cercam como um
escudo. A segunda coisa que eu creio vai ativar os anjos é a confissão da Palavra de Deus. O
Salmo 103.20 diz: “Bendizei ao SENHOR, todos os seus anjos, valorosos em poder, que
executais as suas ordens e lhe obedeceis à palavra”. Os anjos obedecem à palavra de Deus.
Mas quem dá voz à palavra de Deus? Somos nós. Cada vez que tomamos um versículo da Bíblia
em fé, estamos dando voz à palavra de Deus. Eu creio que os anjos respondem a isso. Não
creio que anjos possam saber o que pensamos, então precisamos falar a palavra. Você precisa
memorizar a Bíblia e confessá-la no seu dia a dia. Quando você sentir medo, abra a boca e fale
a palavra de Deus. Quando você declara a palavra, os anjos se encarregam de cumprir a
palavra de Deus em seu favor. Não são todos eles espíritos ministradores, enviados para
serviço a favor dos que hão de herdar a salvação? (Hb 1.14) O Senhor mesmo nos mostrou a
importância de confessar a palavra escrita quando no deserto Ele disse: “Está escrito”. Ele
simplesmente falou o que estava escrito e isso foi suficiente para derrotar o diabo. Portanto,
se falar a Palavra de Deus tem poder para derrotar o diabo, parece plausível crer que confessar
a palavra ativa os anjos de Deus. A minha oração hoje é a mesma de Eliseu, que o Senhor
possa nos abrir os olhos. Que possamos ver além da dimensão natural. Que possamos ver
legiões de anjos posicionados para nos proteger.