Você está na página 1de 6

Texto Bíblico: João 17.

20-22
Tema: “TODOS SEJAM UM”

INTRODUÇÃO
1
Na Teologia Sistematica, estudamos a Doutrina da Trindade. Nela
encontramos dois termos distintos porém diferentes: Primeiro termo é a
TRINDADE - refere-se à tríplice manifestação de Deus, na pessoa do Pai,
do Filho e do Espírito Santo; e o segundo termo é TRIUNIDADE – é o
tríplice modo da existência de Deus, ou seja, três em um.

Sobre isso surgem indagações do tipo: É um Deus que se manifesta em


três maneiras diferentes? São três pessoas diferentes com uma só
essência? São três deuses?

Não! A Triunidade de Deus é a existência de três pessoas eternas, que são


iguais no ser, em essência, mas são distintas em personalidade.

Quatro coisas nós temos que ter em mente:

a) Quanto ao seu ser , essência ou substância, Deus é um;


b) Quanto à sua personalidade, Deus é três;
c) Quanto a sua divindade, cada um é plenamente Deus;
d) Não podemos dividir a essência de Deus, nem confundir as
pessoas.
A palavra TRINDADE não se encontra na bíblia, mas está implicita em toda a
bíblia. Por exemplo:

A Trindade está no início de tudo. Primeiro versículo da Bíblia que diz: “No
princípio criou Deus o céu e a terra” (Gn 1.1), a palavra utilizada aqui para
Deus, é Elohim. E Elohim é um termo plural.

A Trindade está na criação do homem. “Façamos o homem à nossa


imagem, conforme a nossa semelhança” (Gn 1.26). Vemos que havia
alguém ao lado de Deus (façamos); que esse alguém vivia em harmonia com
Deus, alguém igual a Deus, porque ele diz: conforme à nossa imagem.

A Trindade está implícita no casamento. Em Gn 2.24 nos diz: “Por essa


razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se
tornarão uma só carne”. A palavra “único”, no original, é Echad. Echad é
uma unidade grupal ou composta. utilizada pra dizer que o homem e a
mulher se tornarão uma só carne (duas pessoas – uma só carne). Esta
unidade composta, “Echad”, também se aplica na expressão monoteísta
em Dt 6.4 que diz: “Ouça ó Israel, o Senhor teu Deus é o único Deus”.
A Trindade está no batismo de Jesus. " ... e eis que se lhe abriram os
céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre
Ele(Jesus). E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado,
em quem me comprazo(Deus)" (Mt 3.16-17).
2
A Trindade está inserida na Grande Comissão. Jesus diz aos discípulos que
eles devem ir e fazer "discípulos de todas as nações, batizando-os em
nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo" (Mt 28.19).

Se mesmo assim está difícil entender temos analogias do tipo: O tempo =


passado, presente e futuro (3 em 1); Espaço = Altura, largura e
profundidade (3 em 1); Átomo= prótons, neutros e elétrons (3 em 1);
Estados da matéria= sólido, líquido e gasoso (3 em 1); música= melodia,
harmonia e rítimo (3 em 1). A conclusão que a ciência chega é que a
natureza foi criada e tem como característica 3 em 1. Portanto quem a
criou é também 3 em 1. Pela fé, a bíblia diz que foi Deus. E Deus é Pai,
Filho e Espirito Santo, ou seja, 3 em 1.

A trindade ou triunidade de Deus é um grande mistério, algo totalmente


além da possibilidade de uma explicação completa. Como um ser “finito”,
nós, podemos entender o ser “infinito”, Deus? Impossível!

Se não podemos explicar porque estudar sobre a Trindade? Na realidade a


Trindade não é para ser explicada, mas é para ser experimentada e imitada.
Como assim? A Trindade nos convida para vivermos em relacionamento. E
ela passa a ser o padrão, o exemplo a ser observado e ser praticado pela
Igreja de Cristo.

Quando observamos como o Pai se relaciona com o Filho, o Filho com o


Pai e ambos com o Espírito Santo, somos tomados de aplicações práticas
de como devemos também nos relacionarmos. A pergunta é! Como a
Trindade se relaciona?

I – A PRIMEIRA COISA QUE OBSERVAMOS NA TRINDADE É QUE DEUS É


AMOR. (I Jo 4.16) – “Assim conhecemos o amor que Deus tem por nós e
confiamos nesse amor. Deus é amor. Todo aquele que permanece no
amor permanece em Deus, e Deus nele”

Pr Timoty Keller disse: “Se Deus fosse uma só pessoa, antes de criar
outros seres não haveria amor, já que o amor exige relacionamento. Se
Deus não tivesse amado alguém antes da criação, ele só saberia o que é
amar, se relacionar, após ter criado alguma coisa, desta forma, ele teria
aprendido algo e não seria perfeitamente imutável, não seria Deus”. (Mq
3.6). O amor não surgiu por causa da criação, a criação surgiu porque o
amor já existia.
Se a Trindade não existe, como afirmam alguns, quem Deus poderia ter
amado antes da criação se nada existia a não ser ele próprio? Ou com
quem que Deus poderia ter se relacionado antes da criação se não havia
3
ninguém com quem ele pudesse se relacionar? A resposta se encontra em
João 15:9 Jesus disse: “Assim como o Pai me amou, Eu da mesma forma
vos amei”. Antes da criação de tudo, Jesus existia o Espírito Santo se fazia
presente e o amor era o elo da Trindade. O amor é a resposta, a maior
prova para a existência da Trindade.

C.S Lewis disse que a Trindade é uma dança que vemos o Pai glorificando
o Filho, o Filho glorificando o Pai e o Espirito Santo glorificando o Pai e o
Filho. E Eles vivem uma eterna dança de amor”.

O que aprendemos com a Trindade? Aprendemos que Deus ama


“relacionamentos”. A solidão e o individualismo não fazem parte dos
planos de Deus. Que devemos “amar o próximo como a nós mesmos”.
Que não seja fingido e nem por interesse, mais movido pelo amor do próprio
Deus por nós.

O desejo de Deus para o seu povo, para sua igreja, para a noiva de Cristo é
que sejamos todos um, como a Trindade o é. É um caminho arduo mais
necessário. Que nas questões ESSENCIAIS, aja sempre UNIDADE; nas
questões não ESSENCIAIS, tenhamos LIBERDADE; Mas que em TUDO,
pratiquemos o AMOR.

II – A SEGUNDA OBSERVAÇÃO SOBRE A TRINDADE É QUE ELES SÃO


“UM NÓS”. João 17.22 diz: “...para que eles sejam um, assim como nós
somos um:”

Deus é “um nós”! Deus não é a solidão de um, mas a comunhão de três
pessoas - Pai, Filho e Espirito Santo.

O mundo começou com “um nós”. Somos frutos do “um nós”. Antes do
pecado existir havia unidade e comunhão entre iguais. Entre Deus, Adão e
Eva havia uma relação de amor. Mas o pecado fez romper com tudo isso.
Antes do pecado o homem e a mulher “eram uma só carne”. Após o pecado o
“próximo” virou o “outro”, o outro virou o “diferente”, e o diferente virou o seu
“inimigo” e perdemos com isso o poder de exercer a praticidade da Trindade
em nós.

Passamos ser ‘individualistas”. O homem passou a viver na TRIOLOGIA


SATÂNICA – O meu “desejo”, o meu “direito” e a minha “vontade”.
No mundo do “um nós” Adão disse a Eva: “Você é osso e carne da minha
carne”. Agora no mundo do “eu” - Eva “você pra mim é problema seu”. Adão
- “você pra mim é problema seu”.
4
No mundo do “um nós”, Deus os visitava todos os dias na virada do dia,
onde havia unidade, comunhão e amor. Após o pecado no mundo do “eu”.
Adão e Eva dizem para Deus – “O Senhor pra nós é problema seu”.

Mas Deus não vive no mundo do eu, mais na Trindade do mundo do “UM
NÓS!” E por isso Deus olha para nós e diz – Vocês para mim, não são
problema seu, são problema meu. Por isso irei trazê-los de volta a mim.

Efésios 2.1; 13-14 diz: “Vocês estavam mortos em suas transgressões e


pecados…. Mas agora, em Cristo Jesus, vocês, que antes estavam longe,
foram aproximados mediante o sangue de Cristo. Pois Ele é a nossa paz
o qual de ambos fez um e destruiu a barreira, o muro de inimizade”. Onde
abundou o pecado no mundo do eu, superabundou a graça de Deus no
mundo do UM NÓS.

O desejo do coração de Deus é que “sejamos todos um”. Que sejamos “UM
NÓS”. Por quê? Porque a Trindade é assim, e porque esse era o propósito
original que um dia foi desfeito pelo pecado.

Um dos primeiros corinhos que aprendi na minha vida cristã diz: “Eu preciso
de você, você precisa de mim. Nós precisamos de Cristo até o fim. Sem
parar, sem cessar, sem vacilar, sem tremer, sem chorar”.

Porque tenho que me envolver com o outro? Fazer parte da vida do outro,
ter relação com o outro, ter unidade e comunhão com o outro, porque?
Primeiro. Sem o outro, você não é ninguém. Segundo – você poderá estar a
um passo de se tornar um demônio.

O que é um demónio? É um ego absoluto. O que é um ego absoluto? É


aquela pessoa onde o “eu” se basta. Onde o mundo gira em torno de si,
conforme seus caprichos e vontades.

O que é a Trindade? É UM NÓS! O que é UM NÓS? É a dor do outro sendo


nossa, a tristeza do outro, a alegria do outro, as tribulações do outro, as
perdas e as vitórias do outro sendo nossas também.

Você não pegou Covid, nós pegamos. Não estou passando necessidade, nós
estamos. Jesus não é o meu Salvador. Jesus é o nosso Salvador. Não é Pai
meu, é Pai nosso. Não é pão meu, é pão nosso. Não é perdoa as minhas
dividas, mas as nossas e livra-nos do mal. Não é “um eu”, mas “um nós”.

Porque eu tenho que lutar pela UNIDADE? Porque “um nós” não é coletivo
de “eu”, é a morte do “eu” vivendo o desejo de Deus – “todos sejam um”.
No Reino de Deus não tem a primeira pessoa no singular – “eu”. No Reino de
Deus é sempre na primeira pessoa do plural – Nós.

Por que devo batalhar pela COMUNHÃO? Porque você pra mim, não é
5
problema seu! Você pra mim é problema meu! É problema nosso!. Porque
somos “UM NÓS”, como a Trindade o é. “Somos todos um só corpo e
temos todos o mesmo Espírito e fomos todos chamados para uma
mesma esperança. Existe um só Senhor, uma só fé, um só batismo.
Temos um só Deus, que é Pai de todos nós, que está acima de todos e
que vive em nós e através de nós”. (Ef 4.4-6).

Por que devo abraçar e viver a comunidade da Trindade do “UM NÓS”?


Para que não venhamos ter os olhos de Caim. Em Gênesis 4.9 diz: Então o
Senhor perguntou a Caim: “Onde está seu irmão Abel?”. Respondeu ele:
“Não sei, sou eu o responsável por meu irmão?”.

Enquanto não entendermos isso, seremos não uma Igreja vivendo o desejo
de Deus, todos sejam um, mas um amontoados de “um eu”, vivendo uma
aparência falsa de “um nós”.

III – A TERCEIRA OBSERVAÇÃO SOBRE A TRINDADE É QUE DEUS É


ETERNAMENTE FELIZ

Pergunta: Por que Deus criou o homem? Ele precisa de nós ou de alguma
coisa? Atos 17:24,25 nos diz: “O Deus que fez o mundo e tudo que nele
há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por
mãos de homens; Nem tampouco é servido por mãos de homens, como
que necessitando de alguma coisa; pois ele mesmo é quem dá a todos a
vida, e a respiração, e todas as coisas;”

O Pr Jonatan Edward, sobre isso comenta dizendo: “A razão que levou


Deus a criar, não foi satisfazer uma carência em si mesmo. Deus é
totalmente seguro em quem Ele é. Deus é completo em Si. Nunca foi
insatisfeito com sua propria existência. Ap 4.11 diz“…porque todas as
coisas tu criaste, sim, por causa da tua vontade vieram a existir e foram
criadas”.
Por causa da sua vontade tudo foi criado, para expandir uma perfeita
comunicação da beleza e do amor do Deus Triuno. A alegria, a felicidade
e o deleite de Deus ante as perfeições divinas, se expressão
externamente através do relacionamento desse deleite aos seus filhos. O
universo é uma explosão da glória de Deus. Amor, beleza e bondade
perfeitos irradiam de Deus e fazem a sua criação a partilharem cada vez
mais a alegria do deleite divino. Assim a finalidade suprema da criação é
a união de Deus e das criaturas em seu amor”.
Se nós, nunca tivéssemos existido, Deus ainda seria Deus. Mas apesar de
não precisar, Deus escolheu nos criar. Para dividir conosco um pouco
daquilo que Deus vivencia na Trindade – UNIDADE, COMUNHÃO,
ALEGRIA, FELICIDADE E AMOR em toda a sua plenitude.
6
CONCLUSÃO

C.S. Lewis sobre a Trindade disse: “A Trindade pode ser experimentada,


quando você entra no seu quarto e dobra os seus joelhos, pois está
entrando na presença do Deus Pai Criador. Mas não podemos entrar na
presença de Deus, pois somos pecadores. Mas por intermédio remidor de
seu Único Filho e pelo seu sacrifício remidor por nós, pela sua cruz,
podemos entrar. E como não sabemos orar como convém, o Espírito
Santo intercede por nós e nos conecta com Deus. Saímos do mundo do
“eu”, entramos e experimentados o mundo do “um nós”.
A Trindade não é algo para ser explicado. Muito mais do que isso, a Trindade
é algo para ser experimentado e vivenciado numa dança eterna entre “UM
NÓS” divino com “UM NÓS” humano. Amém!

Ig Batista Centenário
19/11/2020.