Você está na página 1de 14

PEÇA PROFISSIONAL

Em razão de grande apelo popular, em fevereiro deste ano, a Governadora do Estado da


Esperança, Sra. Lara Mara, sancionou a Lei Estadual 555/21, que determinou a redução
obrigatória e proporcional das mensalidades das escolas da rede privada de ensino durante o
Plano de Contingência da COVID-19 no âmbito do estado, em razão do momento de
isolamento social que todos estão vivenciando, sustentando que as aulas não estariam
ocorrendo de forma presencial, de maneira que os custos das escolas foram diminuídos,
justificando, portanto, tal medida.
O presidente do Partido Político “Brasil Legal”, com representação no Congresso Nacional,
indignado, sustentou que a referida lei é inconstitucional, e, inclusive, destacou que já há lei
tratando sobre tema, a Lei Federal 1268/20, responsável por estabelecer o Regime Jurídico
Emergencial e Transitório das relações jurídicas de Direito Privado no período da pandemia
do Coronavírus, de observância obrigatória por todos os entes.
Dessa forma, o Partido Político “Brasil Legal”, por seu Diretório Nacional, sustenta que a Lei
Estadual 555/21 violou dispositivos constitucionais basilares e, então, pretende questionar a
qualidade da referida legislação, atentando para a necessidade de tutela de urgência.
Considerando a narrativa acima, na condição de advogado(a) do Partido Político, elabore a
petição inicial da medida judicial objetiva cabível. (Valor: 5,00)

Obs.: a peça deve abranger todos os fundamentos de Direito que possam ser utilizados para
dar respaldo à pretensão. A simples menção ou transcrição do dispositivo legal não confere
pontuação.
QUESTÃO 01

Roberta Matos logrou êxito no vestibular de Medicina da Universidade Federal do


Estado AAA, autarquia federal, em maio de 2021. Quando foi apresentar a
documentação necessária à matrícula na referida instituição, foi surpreendida com a
cobrança de uma suposta “taxa de matrícula”, instituída como “ajuda de custo” para
compra de materiais de limpeza, higiene e demais utensílios de escritório, como papéis,
canetas e lápis, em que pese se tratar de um estabelecimento oficial, mantido pela
União Federal.
Na iminência do início das aulas, Roberta, então, procurou um advogado que informou
que há, inclusive, súmula vinculante do Supremo Tribunal Federal indicando que a
cobrança de taxa de matrícula nas universidades públicas viola o disposto no art. 206,
IV, da Constituição Federal.
Diante da situação hipotética apresentada, e considerando que Roberta precisa iniciar
os estudos, garantindo o seu direito de ingresso na Universidade imediatamente, sem
ter que pagar quaisquer valores referentes a “taxa de matrícula”, e que ontem recebeu a
negativa pelo Reitor da Universidade, por escrito, responda aos seguintes
questionamentos:

a) Na qualidade de advogado contratado por Roberta, qual é a peça judicial aplicável ao caso
para garantir que ela efetue a matrícula imediatamente, sem ter que pagar a referida “taxa de
matrícula”? Fundamente e justifique. (0,65)
b) A Universidade Federal do Estado AAA poderia, de alguma forma, pedir o cancelamento do
enunciado da súmula vinculante do STF mencionada pelo advogado, alegando a necessidade
de arrecadação dos valores? Explique. (0,60)
QUESTÃO 02

Fernando Lobo, depois de sofrer diversas ameaças e vários atentados, foi brutalmente
executado em abril de 2018 na praia de Pedrinhas, localizada no litoral sul do Estado
ABC. O homicídio foi motivado pela sua constante atuação contra o crime organizado,
especialmente contra grupos de extermínio que, de acordo com dados divulgados,
agiam impunes há mais de uma década na divisa do Estado ABC com o Estado DEF.
Em razão do relatado e diante do inconformismo com o fato de seu irmão ter sido
cruelmente assassinado, enquanto desempenhava a sua função como Promotor de
Justiça no âmbito daquele estado, Priscila Lobo o contrata como advogado (a) para que
apresente a medida cabível para que a investigação, processamento e o julgamento dos
executores de Fernando sejam deslocados para o âmbito da Polícia e da Justiça
Federal.
Sua cliente sustenta que a Polícia Civil do estado não prosseguiu com as
investigações, paralisadas há desde junho de 2018, e que há suspeita de que o
mandante do crime seja da área de segurança pública.
Com base no caso hipotético narrado acima, responda aos seguintes questionamentos:

a) Qual o instrumento jurídico hábil a promover tal deslocamento? Fundamente. Na qualidade


de advogado de Priscila, você poderá apresentar o pedido diretamente ao órgão competente?
Justifique. (Valor: 0,65)
b) Quais são os requisitos necessários para que haja a possibilidade do deslocamento?
(Valor: 0,60)
QUESTÃO 03

Paulo Roberto, viciado em jogos de azar, contraiu dívidas com Marcelo a fim de pagar
seu adversário, a quem devia cem mil reais em razão de vultosas apostas em moeda
corrente. Paulo Roberto sabe que tem direito constitucional à liberdade, já que a
Constituição Federal de 1988 não admite a prisão civil por dívida de tal espécie. Ocorre
que na última semana foi publicada a Lei 123/21, que veio a restringir o direito de
liberdade do cidadão, autorizando a prisão em tal caso, em afronta à Constituição.
Paulo Roberto está sofrendo ameaça de lesão a seu direito à liberdade, assegurado
constitucionalmente, podendo se socorrer do Poder Judiciário para evitar a incidência
da norma violadora de seu direito. Em paralelo, tem-se a informação de que o Conselho
Federal da Ordem dos Advogados do Brasil pretende questionar a constitucionalidade
de tal legislação perante o STF.
Diante do caso hipoteticamente apresentado, responda fundamentadamente:

a) Explique as diferenças entre o sistema de controle de constitucionalidade que poderá ser


suscitado em juízo por Paulo Roberto, e o controle de constitucionalidade que poderá vir ser
realizado pelo Conselho Federal da OAB, considerando que esta, no caso, não é lesada.
(Valor: 0,65)
b) O objeto principal das duas ações será o pedido de declaração de inconstitucionalidade da
Lei 123/21? Explique. (Valor: 0,60)
QUESTÃO 04

A vacatio constitutionis é o período de tempo entre a publicação de uma nova


Constituição e a sua entrada em vigor. Não é, em regra, adotado no país, muito embora
a Constituição de 1967, promulgada no dia 24 de janeiro de 1967, o tenha estabelecido
expressamente: “Art. 189. Esta Constituição será promulgada, simultaneamente, pelas
Mesas das Casas do Congresso Nacional e entrará em vigor no dia 15 de março de
1967”.
Sobre os temas relacionados a nova Constituição e o Direito anterior, responda
fundamentadamente aos seguintes questionamentos:

a) Em que consiste a Teoria da revogação global? Justifique. (Valor: 0,65)


b) O que preceitua a Teoria da repristinação? Qual a diferença entre a repristinação e os
efeitos repristinatórios? Explique. (Valor: 0,60)

Você também pode gostar