Você está na página 1de 104

Interpretação

dos
Exames Bioquímicos

Professora Maísa M Silva


Maisa.cbb@ucg.br
UCG
Corpo Humano
Principais
Exames Bioquímicos
• Glicemia; • Eletroforese de
• Hemoglobina proteínas;
glicosilada; • Perfil lipídico;
• Frutosamina; • Perfil hepático;
• Provas de função renal; • Perfil pancreático;
• Ácido úrico; • Perfil cardíaco;
• Proteinograma ; • Perfil muscular;
• Eletrólitos;
Exame de Glicose
Glicemia
• Avalia o metabolismo dos carboidratos;

Exames mais solicitados:

1.Glicemia de jejum (12-14 horas): avalia


os níveis glicêmicos 24 horas anteriores;

2.Glicemia TOTG/pós-prandial: avalia os


níveis glicêmicos após sobrecarga;
Homeostase da Glicose
VR de Glicemia
1. Pacientes normoglicêmicos
• GJJ:<100mg/dL / TOTG 2h:<140mg/dL
2. Pacientes com tolerância ↓ a glicose (Pré-
Diabético)
• GJJ:100mg/dL-125mg/dL / TOTG 2h:140mg/dL-
199mg/dL

3. Pacientes hiperglicêmicos
• GJJ: >125 mg/dL / TOTG 2h:>199 mg/dL
4. Pacientes hipoglicêmicos
• GJJ: ≤45mg/dL / TOTG 5h: ≤50mg/dL
Hiperglicemia
Hiperglicemia
1. DM Tipo 1 (DM-1);
2. DM Tipo 2 (DM-2);
3. Outros tipos específicos de DM
a) Defeitos genéticos;
b) Pancreatopatias;
c) Endocrinopatias;
d) Drogas ou agentes químicos;
e) Síndromes genéticas, outros.
4. Diabetes gestacional (DMG)
Diagnóstico de Hiperglicemia
 Para pacientes adultos

• Glicemia de jejum > 125 mg/dL;


 confirmada em 2 ocasiões diferentes.
• Glicemia plasmática casual > 199mg/dL
• TOTG 2h > 199mg/dL;
Diagnóstico de Hiperglicemia

 Para pacientes grávidas

• Glicemia de jejum > 125 mg/dL;


• TOTG 2h ≥ 140 mg/dL.
Hipoglicemia
Letargia
Ansiedade
Cefaléia
Sudorese Confusão
Alteração de
Palpitação
comportamento
Tremor Distúrbio visuais
Síncope
Fome
Convulsões
Coma
Hipoglicemia
1. Insulinoma;
2. Superdosagem de insulina no diabético;
3. Alterações hormonais (HGH e Cortisol);
4. Privação prolongada de carboidratos;
5. Tus não-pancreáticos (neoplasias abdominais);
6. Alcoolismo
7. Alimentar (cirurgia gástrica);
8. Diabética (DM subclínico/inicial tipo II);
9. Funcional ou “síndrome pós-prandial idiopática”;
Diagnóstico de Hipoglicemia
Tríade de Whipple

• Glicose < 45 mg/dL;


• Sintomas hipoglicêmicos;
• Reversibilidade dos sintomas após
administração de glicose.

 TOTG 5h:<50mg/dL
Fatores Interferentes dos
Exames de Glicemia
• Preparo do paciente;
• Obtenção da amostra;
• Interferentes na amostra;
• Armazenamento da amostra;
• Medicamentos;
• Análise (erros laboratoriais);
Exame de Hemoglobina
Glicosilada (HbG)
HbG
• Muito útil para acompanhamento clínico do
diabético e não diagnóstico;

• Avalia o controle metabólico dos níveis


glicêmicos até 2 meses anteriores ao teste;

 VR: 5,3 a 8,0%.


Caso Clínico
• Paciente ZBSR, sexo F, 42 anos.
Medicamentos: Captopril.
Exames:
1.Glicemia de JJ=87mg/dL;
2.TOTG 2h=128mg/dL;
3.HbG=5,5%;
4.Uréia=25mg/dL;
5.Creatinina=0,91mg/dL
Interpretação Clínica

1. Glicose x HbG N: bom controle nos


últimos 2 meses;

2. Glicose N x HbG : controle inadequado


nos últimos 2 meses.
Fatores Interferentes dos
Exames de HbG

• Anticoagulantes;
• Interferentes na amostra;
• Hemoglobinopatias;
• Anemias;
• Análise (erros laboratoriais).
Exame de Frutosamina
Frutosamina
• Muito útil para acompanhamento clínico do
diabético, associado ou não ao exame de
HbG;

• Avalia o controle metabólico dos níveis


glicêmicos 2 a 3 semanas anteriores ao
teste;

 VR: 205 a 285µmol/L


Interpretação clínica

1. Controle satisfatório até 318µmol/L;

2. Controle medíocre até 367µmol/L;

3. Controle inadequado maior que 367µmol/L.


CASO CLÍNICO
Paciente NMR, sexo F, 49 anos.
No dia 15 de outubro de 2008, a paciente NMR, sexo
feminino, 49 anos, obesa, foi atendida no ambulatório
do Hospital Santa Madalena na cidade de Palmas. A
paciente, moradora de uma vila próxima a Capital,
relatou ao médico que estava sentindo dores de cabeça
freqüentes, dor no peito, tonturas, visão embaçada,
além de cansaço e muita fraqueza. Durante a avaliação
clínica o médico detectou uma PA de 150/100mmHg e
encaminhou a paciente para a avaliação laboratorial.
Foram solicitados os exames:

01. Glicemia de jejum; 06. Proteinograma;


02. Glicemia pós-prandial; 07. Perfil lipídico;
03. Uréia; 08. Cálcio;
04. Creatinina; 09. Sódio;
05. Ácido úrico; 10. Potássio.
Interpretação dos Exames
Paciente NMR, sexo F, 49 anos
Obesidade e Hipertensão

1. GJJ= 246mg/dL
2. GPP= 295mg/dL
Conclusão= ?
Exame de Uréia
Uréia
• Avalia principalmente a função renal;
• É um CNNP, sintetizado no fígado a partir do
catabolismo das proteínas, e, excretado
pelos rins;
• Pode ser avaliada no soro e em outros
líquidos biológicos (urina);
• VR uréia (soro): 15 a 40 mg/dL
• VR uréia (urina): 26 a 43 g/24h
Uremia
1. UREMIA PRÉ-RENAL
ICC grave, hemorragias, dieta rica em Proteínas,
febre, hemorragia gastrintestinal maciça, etc.
2. UREMIA RENAL
Doença renal aguda ou crônica (Glomérulo nefrite).
3. UREMIA PÓS-RENAL
Obstruções do trato urinário (cálculos).

 VALORES DIMINUÍDOS DE URÉIA


• Hepatopatia grave
Exame de Creatinina
Creatinina
• Avalia principalmente a função renal;
• É um CNNP derivado da desfosforilação da
creatina-P no músculo, e, excretada pelos
rins;
• Pode ser avaliada no soro e em outros
líquidos biológicos (urina);
• VR creatinina (soro): 0,4 a 1,3 mg/dL
• VR creatinina (urina): ♂ 21-26 mg/Kg/24h
♀ 16-22 mg/Kg/24h
Hipercreatinemia
1. HIPERCREATINEMIA PRÉ-RENAL
Doenças e lesões musculares, acidose diabética, uso
excessivo de diuréticos, ICC, etc.

2. HIPERCREATINEMIA RENAL
Doença renais (lesões glomerulares e tubulares).

3. HIPERCREATINEMIA PÓS-RENAL
Obstruções do trato urinário (hipertrofia prostática e
compressões dos ureteres).

 Teores diminuídos: sem significado clínico.


Interpretação dos exames
Paciente NMR, sexo F, 49 anos
Obesidade, Hipertensão e DM

3. Uréia= 112 mg/dL;


4. Creatinina= 4,26 mg/dL

Conclusão= ?
Exame de Ácido Úrico
Ácido úrico
• Avalia não só a função renal, mas várias outras
condições patológicas, como a gota;
• É um composto derivado do catabolismo das
purinas (adenina e guanina);
• Esta diretamente associado a dieta, sexo,
obesidade e classe social;
VR ácido úrico (soro) ♂: 2,5 a 7,0mg/dL;
♀: 1,5 a 6,0 mg/dL
Hiperuricemia
1. Gota;
2. Doenças Renais (IRC);
3. Drogas (Diuréticos benzotiazídicos);
4. Álcool, exercícios intensos, toxemia da gravidez e DM
(cetoacidose);
5. Síndromes mieloproliferativas, leucemia linfocítica crônica;
mieloma, psoríase, etc;
6. Terapia com drogas citotóxicas.
Hiperuricemia

• Obesidade;
• Cardiopatia aterosclerótica;
• Diabetes mellitus;
• Hipertensão arterial.
Interpretação dos exames

Paciente NMR, sexo F, 49 anos


Obesidade, Hipertensão, DM e IR

5. Ácido úrico= 8,8 mg/dL

Conclusão= ?
Proteínas
Proteínas
• Avaliam as principais proteínas séricas que
podem ser afetadas por vários processos
patológicos;
• A albumina avalia o estado nutricional e a
função hepática;
• As globulinas avaliam processos agudos,
crônicos e neoplásicos em várias patologias;
VR de proteínas totais: 6,0 a 8,0 g/dL;
VR albumina: 3,5 a 5,5 g/dL.
Hiperproteinemia
1. Vômito e diarréia intensos;
2. Doença de Addison;
3. Acidose diabética;
4. Mieloma múltiplo;
5. Macroglobulinemia de Waldenström;
6. LES;
7. Cirrose hepática.
Hipoproteinemia
1. Hiperhidratação;
2. Desnutrição grave;
3. SMA;
4. Enfermidades hepáticas;
5. Síndrome nefrótica;
Interpretação dos exames

Paciente NMR, sexo F, 49 anos


Obesidade, Hipertensão, DM e IR

6. Proteínas totais= 5,7 g/dL


Albumina= 3,1 g/dL
Globulinas= 2,6 g/dL
Conclusão= ?
Perfil Lipídico

Exames que compõem o perfil lipídico:

1.Triglicérides;
2.Colesterol total;
3.HDL;
4.LDL;
5.VLDL.
Exame de Triglicérides
Triglicérides
• A determinação de triglicérides é significativa no
reconhecimento e tratamento das
hiperlipoproteinemias;
• Constituem as principais frações dos quilomícrons,
das VLDL e pequena parte das IDL presentes no
plasma sanguíneo;
 VR: <150 mg/dL ótimo;
150-200 mg/dL limítrofe;
200-499 mg/dL alto;
≥500 mg/dL muito alto.
Hipertrigliceridemia
1. Hipertrigliceridemia familiar;
2. Obesidade;
3. Doenças cardiovasculares;
4. DM;
5. Hepatopatias colestáticas crônicas;
6. Síndrome nefrótica;
7. Alcoolismo;
8. Hipotireoidismo;
9. Síndrome de Cushing;
Variabilidade Biológica

• A concentração de triglicérides pode ser


influenciada por:
a) hábitos dietéticos recentes;
b) consumo de álcool;
c) variação do peso corporal;
d) exercício físico.
Exame de Colesterol
Colesterol
• Avalia o risco para desenvolvimento de DAC;

• Compõem principalmente as lipoproteínas de


baixa densidade (LDL);

 VR: <200mg/dL desejável;


200-239 levemente aumentado;
>240 alto.
Hipercolesterolemia
1. Hipercolesterolemia familiar;
2. Aterosclerose;
3. DM;
4. Síndrome nefrótica;
5. Hipotireoidismo;
6. Doenças colestáticas do fígado.

 O nível do colesterol sérico, juntamente com a


hipertensão, o diabetes e o fumo constituem fatores de
risco de aterosclerose e doença arterial coronariana.
Variabilidade Biológica

• A concentração de colesterol pode ser


influenciada por:
a) dieta;
b) exercícios físicos;
c) idade;
d) sexo;
e) raça.
Colesterol HDL e LDL
HDL
• As HDL tem ação protetora contra a doença
arterial coronariana, pois atuam especialmente
no retorno do colesterol dos tecidos periféricos
para o fígado;
• VR HDL ♂: >55 mg/dL desejável;
35-55 mg/dL risco moderado;
<35 mg/dL alto risco.
VR HDL ♀: >65 mg/dL desejável;
45-65 mg/dL risco moderado;
<45 mg/dL alto risco.
LDL
• As LDL são as partículas mais aterogênica no
sangue e seus níveis séricos estão diretamente
associados no prognóstico de risco de aterosclerose
coronariana;

 VR: < 100 mg/dL ótimo;


100-129 mg/dL próximo a ótima;
130-159 mg/dL levemente aumentada;
160-189 mg/dL alta;
>190 mg/dL muito alta
Interpretação dos Exames
Paciente NMR, sexo F, 49 anos
Obesidade, Hipertensão, DM e IR

7. Perfil lipídico
Triglicérides= 626 mg/dL;
Colesterol total=259 mg/dL;
HDL=32 mg/dL;
LDL=?;
VLDL=?
Conclusão: ?
Cálcio
Cálcio

• É o mineral mais abundante do corpo;


• É encontrado principalmente nos ossos,
músculos e no LEC;
• É regulado principalmente pelo HPT;

 VR: 8,8 a 11,0 mg/dL.


Hipercalcemia

1. Hiperparatireoidismo;
2. Doenças neoplásicas;
3. Intoxicação por vitamina D;
4. Doença de Paget;
5. Drogas (Diuréticos Tiazídicos).
Hipocalcemia
1. Hipoparatireoidismo;
2. Hipovitaminose D;
3. Tetania neonatal;
4. Pancreatite aguda;
5. IR;
6. Osteoporose;
7. Drogas (corticoesteróides).
Interpretação dos Exames

Paciente NMR, sexo F, 49 anos


Obesidade, Hipertensão, DM, IR
Dislipidemia

8. Cálcio= 8,1 mg/dL

Conclusão= ?
Sódio
Na
• É o principal cátion do LEC;
• Indicador de alterações do equilíbrio
hídrico, pressão osmótica e excitabilidade
neuromuscular;
• A regulação ocorre principalmente por via
renal e sistema renina-angiotensina-
aldosterona;

 VR : 135 – 149 mEq/L.


Hipernatremia

1. Ingestão deficiente de água;


2. Diabetes insípidus;
3. Diurese osmótica;
4. Sudorese excessiva;
5. Queimaduras;
6. Diarréia intensa ou vômito prolongado;
Hiponatremia
1. Diarréia intensa ou vômito prolongado;
2. Sudorese excessiva;
3. Queimaduras extensas;
4. IR;
5. Cetoacidose diabética;
6. Doença de Addison;
 Pseudo-Hiponatremia: Hiperglicemia,
Hiperlipidemia, Hiperproteinemia.
Potássio
K

• É o principal cátion do LIC;


• Indicador de alterações no metabolismo
celular e função neuromuscular;
• A regulação ocorre principalmente por via
renal e aldosterona;

 VR : 3,5 – 4,9 mEq/L.


Hipercalemia

1. Ingestão excessiva de K (dieta);


2. Desidratação;
3. IR;
4. Doença de Addison;
5. Cetoacidose diabética.
Hipocalemia
1. Alcoolismo;
2. SMA;
3. Diuréticos;
4. Síndrome de Conn;
5. Síndrome de Cushing;
6. Diarréia e vômito;
7. Drogas (insulina).
Interpretação dos Exames

Paciente NMR, sexo F, 49 anos


Obesidade, Hipertensão, DM, IR
Dislipidemia

09. Na=134 mEq/L


10. K=5,8 mEq/L
Conclusão= ?
Perfil Pancreático
• Avaliam a função exócrina do pâncreas;
• Exames do perfil pancreático:
1.Amilase
• Catalisa amido e glicogênio da dieta;
• É composta das formas isoenzimáticas P e S;
VR: 60 a 160 U/dL (Somogyi).
2. Lipase
• Catalisa lipídios (triglicerídeos);
VR: 2 a 18 UI (Colorimetria-In vitro)
Hiperamilasemia
1. Pancreatite Aguda;
2. Carcinoma de Pâncreas;
3. Insuficiência Renal;
4. Neoplasias de pulmão e ovário;
5. Caxumba;
6. Colecistite aguda;
7. Macroamilasemia.
Hiperlipasemia

1. Pancreatite Aguda;
2. Pancreatite Crônica;
3. Carcinoma Pancreático;
4. Úlceras Duodenais;
5. Insuficiência Renal Aguda ou Crônica;
6. Cálculos Biliares
Interpretação dos Exames

Paciente NMR, sexo F, 49 anos


Obesidade, Hipertensão, DM, IR
Dislipidemia

• E se esta paciente fosse submetida a uma


prova de função pancreática?
1.Amilase=?
2.Lipase=?
Perfil Hepático
• Avaliam alterações hepatocelulares e
hepatobiliares;

• Exames do perfil hepático:


1.AST e ALT
• Indicadoras de danos hepatocelulares;
• A ALT é indicadora de danos celulares mais
extensos e superficiais, enquanto AST indica
lesões mais graves e profundas.

VR ASAT: até 40 U/L (IFCC-Biosystens)


ALAT: até 41 U/L (IFCC-Biosystens)
Aumento de ALT e AST
1. Hepatite aguda;
2. Cirrose hepática;
3. Colestase;
4. Carcinoma de fígado;
5. Infarto do miocárdio;
6. Distrofia muscular;
7. ICC;
8. Pancreatite, dentre outras.
Exames do perfil hepático:

2. ALP
• São úteis na investigação das doenças
hepatobiliares e ósseas;
• É composta das formas isoenzimáticas hepática,
óssea, placentária e intestinal.

 VR ALP adulto: 13-43U/L (Roy modificado);


ALP criança até 12 anos: 56-156U/L (Roy
modificado).
Aumento da ALP
1. Obstrução Extra-hepática;
2. Obstrução Intra-hepática;
3. Lesão hepatocelular aguda;
4. Doença de Paget;
5. Osteomalácia;
6. Raquitismo;
7. Hiperparatireoidismo;
8. Tumores ósseos osteoblásticos.

 Crianças e adolescentes em crescimento e mulheres grávidas no terceiro


trimestre têm níveis de ALP séricos “fisiologicamente” elevados.
 Níveis mais baixos de ALP podem ser observados em pacientes
desnutridos.
Exames do perfil hepático:

3. GGT
• Indicadora de doenças inflamatórias e lesão
hepática e está significativamente elevada nas
doenças obstrutivas das vias biliares.
• Tem sido recomendada como método de
triagem para o alcoolismo.

 VR GGT ♂: <55 U/L (IFCC-Biosystens);


GGT ♀: <38 U/L (IFCC-Biosystens).
Aumento da GGT
1. Icterícia obstrutiva;
2. Colangite;
3. Colecistite;
4. Hepatite infecciosa ;
5. Esteatose hepática (fígado gorduroso);
6. Infarto agudo do miocárdio;
7. Pancreatite aguda;
8. Drogas (anticonvulsivantes).
Exames do perfil hepático:

4. Bilirrubinas
• Avalia as icterícias e doenças hepáticas
obstrutivas;
• Nas icterícias o aumento das bilirrubinas pode
ser devido a bilirrubina direta (hiperbilirrubinemia
conjugada) e as custas da bilirrubina indireta
(hiperbilirrubinemia não conjugada);

 VR Bilirrubina Direta: até 0,25mg/dL


 VR Bilirrubina Total: até 1,0mg/dL
Hiperbilirrubinemia Não
Conjugada
1. Icterícia Fisiológica do RN;
2. Icterícia do Leite Materno;
3. Icterícia hemolítica do RN;
4. Anemia hemolítica;
5. Síndrome de Gilbert;
6. Crigler-Najjar.
Hiperbilirrubinemia
Conjugada
1. Colestase Intra-Hepática
• Hepatites colestáticas: vírus, drogas e álcool;
• Hepatite alcoólica grave;
• Cirrose.
2. Colestase Extra-Hepática
• Causas intrínsecas: cálculos no colédoco, carcinoma do
ducto biliar e estenoses benignas pós cirúrgicas ou pós-
traumáticas.
• Causas extrínsecas: carcinoma de pâncreas, carcinoma
metastático e pancreatite aguda e crônica.
• Causas congênitas: atresia biliar e cisto do colédoco.
Hiperbilirrubinemia X Idades

 0 a 5: Dça Hemolítica, defeitos de


conjugação;
 5 a 30: Hepatite;
 30 a 50: Litíase biliar e hepatite;
 > 50: Neoplasias.
Interpretação dos exames
Paciente NMR, sexo F, 49 anos
Obesidade, Hipertensão, DM, IR
Dislipidemia

• E se esta paciente fosse submetida a uma prova


de função hepática?
1.AST e ALT= ?
2.ALP= ?
3.GGT= ?
4.Bilirrubinas= ?
Perfil Cardíaco
• Avaliam alterações cardíacas;
• Exames do perfil cardíaco:
1.CK;
2.CK-MB;
3.LD;
4.AST;
Troponinas:
• cTnT;
• cTnI;
• Mioglobina .
1. CK
• Indicadora de danos musculares;
• Possui as formas isoenzimáticas MM, MB e BB;
 VR CK ♂: 26-189 U/L (CK-NAC Liquiform)
CK ♀: 26-155 U/L (CK-NAC Liquiform)

2. CK-MB
• Indicadora de danos musculares cardíacos;
• Índice relativo: CKMB/CK x 100.
 VR CK-MB: 0-24 U/L (CK-MB Liquiform)
Aumento da CK
1. IAM;
2. Lesões musculares esqueléticas ou cardíacas;
3. Esforço físico prolongado e/ou intenso;
4. Pós-parto;
5. Trauma, injeções e cirurgias;
6. Administração de certas drogas;
7. Cateterismo;
8. Eletrochoque.
3. LD
• Indicadora de danos cardíacos,
musculares, hepáticos, renais e
eritrocitários;
• Possui as formas isoenzimáticas 1,2,3,4 e
5;

 VR LD: 207-414 U/L (CE-Piruvato


Biosystens)
Aumento de LD
1. IAM;
2. ICC; 7. Cirrose;
3. Miocardite; 8. Icterícia obstrutiva;
4. Insuficiência 9. Doenças malignas;
Circulatória; 10. Distrofias
5. Anemia musculares;
megaloblástica; 11. Trauma muscular;
6. Hepatite viral; 12. Embolia pulmonar;
Troponinas

• Marcadoras precoces do IAM;


• cTnT e cTnI: detectam o IAM após 3 a
12h;
• Mioglobina: detecta o IAM após 1 a 4h;
Interpretação dos exames
Paciente NMR, sexo F, 49 anos
Obesidade, Hipertensão, DM, IR
Dislipidemia
• E se esta paciente fosse submetida a uma
prova de função cardíaca?
1.CK= ?
2.CK-MB= ?
3.LD= ?
4.AST= ?
Perfil Muscular
• Avaliam alterações musculares;
• Exames do perfil muscular:
1. ALS, CK e LD.

Aldolase (ALS)
• Indicadora de danos musculares;
• Possui as formas isoenzimáticas A
(músculo esquelético), B (fígado) e C
(cérebro);
VR adulto: 3-7 UI/L (Sibley-Lehninger)
Aumento de ALS

1. Distrofia Muscular;
2. Dermatomiosite;
3. Polimiosite;
4. Esclerose Múltipla;
5. IAM;
6. Hepatite viral aguda;
Interpretação dos exames
Paciente NMR, sexo F, 49 anos
Obesidade, Hipertensão, DM, IR
Dislipidemia
• E se esta paciente fosse submetida a uma
prova de função muscular?
1.Aldolase= ?
2.CK= ?
3.LD= ?
Atividade:
Interprete o caso clínico
• Um paciente do sexo masculino, 53 anos, foi internado no Hospital
de Goiânia apresentando dores intensas na região abdominal,
taquicardia, PA de 80/50 mmHg, dispnéia e febre. Os médicos
solicitaram imediatamente os seguintes exames que uma vez
realizados, apresentaram os respectivos resultados:

Glicose=205mg/dL (<100mg/dL); Amilase=593U/L (25 a 125 U/L);


Lipase=282 UI (2 a 18 UI); ALT=112U/L(<40U/L);
AST=92U/L(<41U/L); GGT=376U/L(<55U/L);
ALP=195U/L(13 a 43U/L); Bilirrubina total=3,07mg/dL (≤1,2mg/dL);
Bilirrubina direta=1,98 mg/dL(≤ 0,4mg/dL); LD=75U/L(5-33U/L);
Uréia=82mg/dL(15-40mg/dL); creatinina=1,68mg/dL(0,4-1,3mg/dL);
Cálcio=7,9 mg/dL (8,8-11,0mg/dL); Proteinas totais=5,9g/dL e
Albumina=3,0g/dL(3,5-5,5g/dL)

Você também pode gostar