Você está na página 1de 89

PERIGOSAS

BOSS
1
AVA G. SALVATORE

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Sinopse

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Reece
Eu sou o chefe e eu faço o que eu quero. Na sala de reuniões e na
cama eu domino.

A minha fama de playboy me precede. O que eu posso dizer?

Até Abby entrar na minha vida.

Eu não posso tirar os meus olhos dela. Suas curvas tentadoras estão
me deixando louco.

Eu nunca senti esse desejo. Eu nunca quis nada como eu a quero.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Abby
Ele é o meu chefe. E isso é muito errado.

Reece Cuttler é o cara mais bonito que eu já vi na minha vida. A sua


reputação o precede, mas isso não me impede de cair em seus braços.

Reece vai tomar o que ele quer sem pedir licença. Eu só espero que
ele não quebre o meu coração.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 1

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Abby
Sentei-me no sofá com uma taça de vinho, e abri o meu laptop para
uma nova busca de emprego.
Eu estava desempregada há duas semanas. A empresa em que eu
trabalhava fechou, e felizmente eu tinha feito uma pequena reserva para
emergências como essa. Mas a minha conta bancária não duraria para
sempre, e eu precisava encontrar um novo trabalho rápido.
O meu telefone tocou quando eu estava pesquisando em um site de
ofertas de empregos. Eu o alcancei, e o nome da minha mãe apareceu na
minha tela.
- Oi, mamãe. – Eu respondi.
- Olá, querida. Como você está?
- Estou bem. E você e o papai?
- Estamos bem, embora eu tenha que dizer que estamos com muitas
saudades da nossa menina.
- Eu também estou com muita saudade de vocês. E assim que eu
puder eu vou visitá-los.
- O seu pai quer sair de férias em duas semanas. Ele quer fazer um
tour pela Europa, e estamos pensando. O que você acha?
- Isso é ótimo, mamãe. Vocês merecem descansar um pouco e fazer
essa viagem. Tudo o que vocês fazem é trabalhar, está na hora de ter um
pouco de diversão. – Eu falei sorrindo ao telefone.
- É verdade, querida. Assim que decidirmos, eu avisarei. Tudo bem,
eu vou desligar, liguei só para desejar boa noite, ursinha.
Eu ri com o apelido carinhoso. – Obrigada, mamãe. Boa noite. Eu
amo vocês.
- Nós também te amamos muito, querida.
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Depois de desligar, eu encontrei um anúncio para uma vaga de


assistente pessoal na Cuttler.
A Cuttler é uma empresa fabricante de periféricos, hardwares,
softwares e todos os tipos de parafernálias ligadas à internet. Fundada em
2000 por Jeremy Cuttler, a empresa americana que possuí filiais em diversos
países, e tem um novo CEO.
Reece Cuttler é o mais novo CEO da Cuttler Inc. E ele está recrutando
candidatas para o cargo de assistente pessoal. As especificações são básicas,
mas com disponibilidade para trabalhar todos os dias da semana, caso seja
necessário.
Eu termino de preencher os dados requisitados pelo site, e anoto o
endereço para comparecer à empresa com todos os documentos.
Eu termino o meu vinho e vou para a cama sorrindo. Essa parece uma
boa oportunidade. E eu não vou deixar escapar.
Trabalhar para a Cuttler pode ser a oportunidade perfeita para
ascensão da minha carreira. Eu terminei o meu curso de Economia e
Negócios, e nunca tive a oportunidade de exercer a minha função, mas a
Cuttler é uma empresa que possibilita o crescimento profissional. E eu espero
fazer parte dessa equipe.

***

Na manhã seguinte, eu caminho para dentro do grande edifício das


empresas Cuttler, e um homem sorri para mim, assim que eu passo pela
porta.
- Bom dia. Como posso ajudá-la?
- Bom dia. Eu tenho uma entrevista marcada no Departamento De
Pessoal. – Eu falo casualmente.
- Você irá pegar o elevador até o décimo quarto andar. E lá você vai

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

procurar pela senhorita Thompson. – Ele fala sorridente.


- Obrigada. – Eu sorri agradecida, e caminhei em direção ao elevador.
Eu saio do elevador, e caminho em direção há uma jovem ruiva que
está sentada logo a minha frente.
- Bom dia. Como posso ajudá-la? – A ruiva pergunta com um leve
sorriso.
- Bom dia. Eu estou aqui para uma entrevista para a vaga de assistente
pessoal.
- Tudo bem. Você pode sentar enquanto eu a anuncio.
- Obrigada. – Sorrio e sento em um dos sofás ao lado.
- Qual é o seu nome? – A ruiva pergunta, assim que eu me sento.
- Abigail. Abigail Moretti. – Eu falo.
A ruiva pega o telefone e disca algum ramal e anuncia para a pessoa
do outro lado da linha à minha chegada.
De repente, uma mulher muito bonita aparece e sorri para mim. –
Você é Abigail Moretti? – Ela pergunta, e eu me levanto.
- Sim. Eu preenchi o questionário para a vaga de assistente pessoal. E
foi me informado para comparecer à empresa para uma entrevista pessoal.
- Sim. Está vaga ainda está em aberto. Venha comigo, por favor. – Ela
indicou o caminho, enquanto falava com sua assistente. – Segure as minhas
ligações, Meg.
Eu entrei na sua sala, e ela veio logo atrás de mim. – Sente-se, por
favor. Eu sou Amanda Thompson.
- Prazer em conhecê-la, Amanda.
- Igualmente, Abby. Posso te chamar de Abby?
- Claro. É assim que todos me chamam. – Eu sorri agradecida pela
quebra do gelo.
- Por favor, fique à vontade. Você gostaria de algo para beber?

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Não, obrigada.
- Você trouxe os documentos?
- Sim. – Eu falei, e entreguei a pasta contendo os documentos
necessários para a contratação.
Amanda era uma mulher muito bonita. Os seus longos e cabelos
pretos combinavam com o verde dos seus olhos. Ela tinha basicamente a
minha altura. E parecia estar na casa dos trinta.
Havia algo sobre Amanda que me deixou muito confortável. Ela
parecia ser uma boa mulher. E isso me deixou um pouco mais relaxada. Não
que eu tivesse com medo ou nada do tipo, mas eu detestava entrevistas de
emprego. Elas sempre me deixavam nervosa, e eu acabava esquecendo tudo
que eu precisava falar.
- Aqui diz que você tem um grau em Economia e Negócios pela
faculdade de Yale. – Amanda falou um pouco admirada.
- Sim. Eu me formei há um ano. Eu estava trabalhando como Gerente
de Contas da Patron. Mas como você sabe, ela fechou e aqui estou eu à
procura de um novo trabalho.
- Eu soube. É uma pena. A Patron era uma excelente empresa. E eu
estou impressionada com o seu curriculum. Você é muito qualificada para um
cargo simples de assistente pessoal. O que te faz querer essa vaga? – Ela
perguntou curiosa.
- Bem, o mercado de trabalho está bastante exigente. E uma
oportunidade para trabalhar com a Cuttler não deve ser desperdiçada. Embora
que não seja no cargo que eu esteja acostumada. Eu adoro aprender, e essa
será uma grande oportunidade para crescer junto com a empresa. Mas é claro
que eu penso em uma ascensão de cargo. Porém isso virá com muito trabalho
e tempo.
- Você é perfeccionista, Abby?

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Eu poderia dizer que sim, e não.


- O que quer dizer. – Ela se recostou em sua cadeira esperando pela
minha resposta.
- Bem, eu sou perfeccionista quando preciso ser. Mas não sou uma
louca obsessiva que vai pirar se alguém mover algo do seu lugar. – Eu sorri
nervosamente. Eu estava divagando, mas eu tinha que ser sincera, ou isso não
iria funcionar.
O sorriso que ela me deu me deixou mais aliviada. – Eu gostei de
você, Abby. E confesso que seríamos loucos se não a contratássemos. Mas eu
tenho que adverti-la de que o trabalho com o senhor Cuttler pode ser
cansativo, às vezes. – Ela falou com um suspiro cansado.
- Eu entendo a sua preocupação. Mas com todo respeito, eu li muito
sobre a Cuttler, e posso dizer que já lidei com todo o tipo de pessoa que você
possa imaginar. E eu não sou de desistir fácil. – Eu falei confiante.
- Você está ciente de que a vaga requer que você esteja disponível
todos os dias da semana, caso seja necessário?
- Sim. Eu estou ciente, e para ser honesta, eu estou acostumada a esse
tipo de trabalho. Eu quase não tenho mais vida social.
Ela ri. – Eu sei como é. Às vezes temos que abrir mão de certas coisas
para conseguir outras.
- É verdade. Mas eu tenho certeza de que a Cuttler será uma grande
oportunidade de aprendizado e crescimento para mim. Estou muito confiante
de que essa é uma oportunidade ímpar na minha vida, e não vou deixá-la
escapar.
- Você é muito determinada. E eu gosto disso. Eu tenho certeza de
que você será uma grande escolha para a Cuttler.
- Obrigada. – Eu sorrio agradecida.
- Eu acho que não tenho mais perguntas. Você está contratada, Abby.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Oh meu Deus! – Eu gritei entusiasma.


- Seja bem-vinda à Cuttler, Abby.
- Muito obrigada. – Eu sorri e me levantei quando ela se levantou
também.
- Você pode começar na próxima segunda?
- Sim. Segunda parece perfeito.
- Ótimo. Eu quero que você vá até o setor de Recursos Humanos na
próxima sala ao final do corredor, para fazer a sua identificação e assinar os
papeis da contratação.
Eu não poderia estar mais feliz. Está era uma grande oportunidade
para a minha carreira, e eu não iria desperdiçar.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 2

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Reece
Eu estava atrasado para jantar com o meu irmão e a minha cunhada,
Amanda.
Quando eu entrei no Ward, eles já estavam sentados em uma mesa
bem reservada aos fundos.
- É pedir muito que você chegue na hora? – O meu irmão Damon me
repreendeu assim que puxei a minha cadeira para sentar.
Fazendo o meu melhor para ignorá-lo, eu beijei Amanda na bochecha
antes de me sentar. – Boa noite para você também, Damon. – Eu sorri
tentando chateá-lo ainda mais.
- O que é tão engraçado? – Perguntou irritado.
- Você, e todo o seu estresse adicional.
- Você é um idiota. – Ele sorriu.
- É preciso outro para reconhecer.
- Meninos, por favor. – Amanda cortou a nossa troca de ofensas
educadas.
- Eu contratei uma nova assistente pessoal para você. Ela começa na
segunda. – Amanda falou tomando um gole da sua água.
- Bom. Espero que ela não seja como as outras que você contratou. –
Falei.
O garçom chegou à nossa mesa. – Vocês estão prontos para pedir?
- Ainda não, mas eu gostaria de ter um uísque com gelo, por favor.
Ele anotou o meu pedido e saiu.
- Eu escolho as melhores assistentes. O problema é que elas caem na
sua lábia afiada, e depois não conseguem separar trabalho da vida pessoal.
Eu sorri com a sua colocação. É uma forma muito gentil e educada de
me chamar de safado.
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Eu não sei como elas ainda caem na sua conversa. – Damon


ironizou.
- O que eu posso fazer? – Eu sorri. – E para registro, nem todas caem
na minha.
- Claro que não. Apenas as que você não consegue enlouquecer com o
seu mau humor crônico. – Damon revirou os olhos em exasperação.
- É verdade. Você tem a reputação de ser um idiota como chefe. –
Amanda concordou.
- Eu não sou um péssimo chefe, apenas não tolero certas idiotices.
- Sei. – Amanda sorriu descrente.
A conversa fluiu e depois de alguns minutos o garçom veio anotar os
nosso pedidos para jantar.
- Então, como vão as coisas no hospital? – Perguntei ao meu irmão,
que é médico cirurgião no Hospital Geral de Boston.
- Uma loucura. Você não faz ideia de quantas pessoas eu atendo por
dia. – Ele fala com um suspiro.
- Tendo uma crise de identidade, irmão? – Eu o provoquei.
- Não. Eu apenas gostaria de descansar um pouco. Estamos
precisando de mais dois cirurgiões, mas o hospital se recusa a contratar no
momento. Eles alegam que o momento não é apropriado.
- Isso é muito ruim. – Amanda disse.
- É sim, mas eu não consigo sair de férias e deixar tudo nas mãos dos
residentes. É uma carga muito grande.
- E sem falar que você não para de falar em seus pacientes e seu
departamento. Eu acho que vou programar nossas próximas férias para passar
no Hospital.
- Eu me preocupo com o que pode acontecer na minha ausência. Isso
faz de mim uma pessoa ruim? – Damon pergunta exasperado.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Não, irmãozinho. Isso faz de você um maldito herói. – Respondo.


- Eu não sou um herói. Apenas faço o meu trabalho. – Ele se defende.
- É a mesma coisa. E então, como é a minha nova assistente? – Eu
pergunto para Amanda, que inclina a cabeça para mim. Os seus olhos me
fitando com desaprovação. – Ela é muito bonita e inteligente. E o seu
curriculum é impecável.
- Eu acho que estou apaixonado. – Eu sorrio fingindo ser atingido por
uma flecha do amor.
- Você é um idiota.
- Eu também te amo, Amanda.

***

Quando o nosso jantar termina, eu digo adeus a minha cunhadinha e o


meu irmão, e vou para casa.
O dia foi cansativo, e eu precisava obter algum alívio, mas não estava
no clima para chamar uma das meninas, então optei por afogar minha
frustação em uma garrafa de uísque.
Eu preciso de férias.
A última garota com quem eu saí, já estava pensando em ter algo
sério comigo. E isso foi mais um motivo para enviar-lhe algumas flores e
agradecer pelo tempo que passamos juntos.
Eu sei que eu pareço ser um idiota insensível, mas é quem eu sou. Eu
sempre fui honesto com elas sobre não querer algo sério, mas elas parecem
esquecer isso depois de algum tempo, ou fingem esquecer.
Eu não sou um idiota completo. Mas eu não sou do tipo que se
compromete. E não quero contribuir para falsas esperanças. Então eu corto
logo o mal pela raiz.
Eu amo bucetas, mas nenhuma me fez querer me estabelecer. E eu

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

acho que nunca chegará esse dia.


Eu suspiro e tomo mais um gole do meu companheiro de todas às
horas, o uísque.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 3

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Abby
Quando voltei para casa, fui direto para o chuveiro.
O meu dia tinha começado muito bem, e eu gostaria de comemorar.
Eu não podia acreditar que eu tinha conseguido o trabalho. Quero
dizer, eu sei das minhas qualificações, mas há muito gente boa por aí. E
trabalhar na Cuttler é uma oportunidade incrível.
O mundo dos negócios é muito vasto, mas há também muita
competitividade. Todos querem se sobressair. Trabalhar em multinacional me
dará uma gama de experiência, assim como, muitos contatos.
Eu termino o meu banho e ligo para a minha melhor amiga, Samirah.
- Bem, olha quem está viva. – Ela brinca.
- Desculpe, eu tenho andado ausente, mas estava ocupada procurando
trabalho, e a busca pode ser exaustiva, mas agora eu estou de volta.
- Eu sei querida. Você conseguiu um novo trabalho/ - Ela perguntou.
- Sim. Eu tenho um trabalho! – Eu gritei.
- Oh meu Deus! Isso é maravilhoso. Precisamos comemorar. – Ela
grita animada.
- É sim, e eu começo na próxima segunda.
- Então nós temos que sair hoje para comemorarmos, vadia.
Sorrio. – Parece ótimo.
- E como é o seu novo chefe?
- Eu ainda não o conheci, mas é Reece Cuttler. O novo CEO da
Cuttler Inc.
- Oh meu Deus! – Ela gritou. – Você vai trabalhar com o bilionário
mais cobiçado de Boston. Vadia de sorte.
- Eu não estou interessada no meu chefe, Sam. E sim, ele é muito
bonito pelo que vi nos tabloides, mas eu sou apenas sua assistente pessoal.
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Sei. Então, que horas eu passo para te pegar?


- Que tal por volta das 20h00min?
- Perfeito. Eu te ligo quando estiver á caminho.
Eu disse adeus à Samirah e desliguei. Essa noite eu iria comemorar
muito. E precisava de um pouco de sono para recuperar as energias que eu
vou perder mais tarde.
O meu novo chefe é considerado o playboy mais cobiçado de todos os
tempos. E ele tem uma fama de seduzir as suas assistentes. Eu só espero não
cair nos seus truques.
Sorrindo eu visto o meu pijama favorito, e defino o meu despertador
para às 18h00min. Fechei as cortinas do meu quarto, e caí na cama.
Esse seria um ótimo cochilo.

***

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Reece
Acordei com um humor terrível.
Hoje eu tinha uma centena de reuniões, e era o primeiro dia da minha
nova assistente pessoal.
Eu tenho muito trabalho para fazer, e não estou no clima de parar para
ensinar o que ela deve fazer. Espero que ela não seja tão estúpida quanto às
outras.
Tomei banho, e depois de me trocar, eu desci para tomar café. A
minha empregada já tinha à mesa posta com um grande Buffet.
Normalmente, eu sentava para apreciar a sua comida, mas hoje não
estava com vontade de nada, apenas de uma xícara de café preto, e muito
forte.
A minha casa é enorme. Eu gosto do amplo espaço que eu tenho aqui.
E das comodidades é claro. Mas confesso que é um pouco solitário ás vezes.
Depois de tomar o meu café, eu chamo o meu motorista, Lucian. E o
deixo saber que estarei pronto para sair em dez minutos.
Lucian é um ex-fuzileiro, ele é muito qualificado e tem experiência
em segurança. Na verdade, Lucian é uma verdadeira máquina humana. O cara
não fala muito, mas ele é como um ninja humano. Lucian trabalha para mim
há três anos. Eu o contratei quando decidi assumir o lugar do meu pai na
Cuttler. Eu o contratei como motorista, mas ele é um faz tudo. E a sua
descrição é a melhor parte.
Eu saio e encontro Lucian do lado de fora do carro com as mãos
cruzadas na frente. – Bom dia, Lucian. – Eu o cumprimento, enquanto ele
abre a porta do carro.
- Bom dia, senhor. – Ele responde formalmente.
O meu dia não tinha começado bem, e para piorar o trânsito estava
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

infernal. Apesar de Lucian escolher uma rota alternativa para chegar até a
empresa, ainda cheguei atrasado. Eu odeio atrasos, mesmo que eu seja o
chefe.
Eu tomei o elevador para chegar ao escritório. Segundos depois a
porta se abriu e eu andei pelo salão em direção à minha sala.
- Aí está você. – Amanda falou para mim. – Conheça a sua nova
Assistente, Abby.
Olhei para a figura na minha frente, e o meu pau ficou duro
rapidamente. O meu corpo tencionou, e imediatamente eu fiquei sem ar.
Porra!
- É um prazer trabalhar para o senhor. – Abby sorriu e estendeu a mão
para me cumprimentar.
Eu grunhi e fiz uma careta. – Em meu escritório, agora! – Ordenei, e
entrei no meu escritório, sem me incomodar com o sermão que levaria da
minha cunhada mais tarde. Eu tinha sido um completo idiota, mas eu não
consegui me segurar.
Eu não era esse idiota, mas de alguma forma Abby me deixou
perturbado. Eu não sabia como lidar com ela. E nós nem trocamos duas
palavras. A pobre mulher olhou com aqueles olhos azuis arregalados. Ela
estava nervosa, e eu acabei de piorar a situação.
- Que diabos, Reece? – Amanda protestou.
- Agora não, Amanda. – Eu gritei ao contornar à minha mesa.
- Não se preocupe. Tudo vai correr bem. – Amanda tranquilizou
Abby, e depois saiu me deixando sozinho com a beleza loira.
Abby estava congelada na porta.
- Feche a porta e sente-se! – Apontei para as cadeiras à frente da
mesa.
Ela estava tremendo. Eu podia sentir o seu coração batendo

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

rapidamente. E me senti um lixo por ser tão idiota com alguém que não tinha
me feito nada.
- Eu estou tendo um dia de merda, e não tenho tempo para ensinar
quais são as suas funções como minha assistente. Então sugiro que você tire
quaisquer dúvidas antes de começarmos. Ou você pode dar meia volta e ir
para casa. Eu não tenho tempo para essas merdas, e você não vai querer ficar
no meu caminho.
Ela estava me olhando com aqueles olhos azuis que agora tinham um
brilho sombrio. Eu a irritei. – Senhor, eu sei quais são as minhas funções, e o
senhor não precisa se preocupar comigo. Contudo, eu gostaria que soubesse
que eu não desisto fácil. – Ela desabafou.
- Você está certa. Eu não a conheço, mas espero que faça o seu
trabalho corretamente. Então, estamos entendidos?
- Sim, senhor. – Ela disse calmamente. E o meu pau deu um salto
dentro das minhas calças.
Porra! Essa mulher era diferente. Eu nunca me senti assim com
nenhuma outra. E isso estava me deixando em alerta.
- Eu quero passar por cima de algumas coisas com você. – Eu estendi
a mão e abri a gaveta da minha mesa, e tirei o celular empresarial.
- Isto não é para uso pessoal. Eu espero conseguir falar com você
sempre que eu precisar. O meu número, assim como o de Amanda já estão
programados. Você entendeu?
- Sim, senhor. – Eu entendo.
- Bom. Você também vai estar aqui às oito horas em ponto. E você
deve estar disponível em todos os momentos.
- Sim, senhor.
- Você está ciente do seu salário?
- Sim, o contrato foi assinado na sexta-feira passada, senhor.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Bom, eu vou ligar para o RH, e informar que você receberá um extra
quando passar do seu horário normal de trabalho.
- Não será necessário, senhor.
- Eu insisto. Afinal de contas, eu posso ser bastante abusivo com
relação ao seu tempo. E isso está fora de discursão.
- Tudo bem. – Ela assentiu.
- Sem mas, senhorita Moretti. Você pode começar com os arquivos
que estão no seu computador.
- Sim, senhor.
- E pelo amor de Deus, por favor, pare de me chamar de “senhor”. Eu
não sou tão velho assim. Chame-me de Sr. Cuttler.
- Como quiser, Sr. Cuttler. – Ela falou e eu senti todo o sangue do
meu corpo escorrer para o meu pau.
Porra! Eu precisava me controlar, ou eu ia acabar na cadeia acusado
de assédio sexual.
Tudo que eu queria nesse momento era dobrar Abby sobre a minha
mesa, e fodê-la sem sentido, até que ela me implorasse para parar. Eu tentei
afastar os pensamentos sujos da minha mente, e dispensei Abby.
- Você está liberada.
Ela se levantou da cadeira, e saiu fechando à porta atrás de si. Eu me
encostei sobre a cadeira e respirei pesadamente.
Esse ia ser um longo dia.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 4

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Abby
O meu chefe era um completo idiota.
O cara nem mesmo me cumprimentou decentemente. Ele apenas ficou
lá e gritou ordens para mim. Se eu não precisasse desse trabalho, eu o
mandaria se foder. Embora eu tenha que dizer que ele é de longe o homem
mais lindo que eu já vi na minha vida. Quando eu o vi ali de pé na minha
frente, as minhas pernas fraquejaram, e o meu núcleo tremeu. Eu nunca senti
nada tão intenso na minha vida. Mas ele foi um completo idiota.
Eu voltei para a minha mesa e comecei a trabalhar. Havia muita coisa
para ser feita. As assistentes anteriores só fizeram o trabalho pela metade. E
isso me renderia pelo menos uma semana para colocar tudo em dia.
A manhã passou rapidamente, e logo chegou a hora do almoço. Eu
deixei uma nota antes de sair, e fui até a delicatesse do outro lado da rua.
O meu telefone pessoal vibra na minha bolsa. Eu rapidamente alcanço
e vejo o nome de Samirah na tela.
- Hugh, eu nunca mais vou beber na vida. Como está sendo o seu
primeiro dia de trabalho?
- Bem, mas o meu chefe é um completo idiota.
- Que novidade! Isso nós já sabíamos. – Ela resmunga do outro lado
da linha.
- Como foi á noite com as meninas? – Pergunto.
- Foi divertida, só faltou você. E apesar da minha ressaca dos
infernos, eu queria saber como está sendo o seu primeiro dia na Cuttler.
- O meu chefe chegou com um humor ímpar. E não parou de gritar
ordens para mim. Agora eu estou no meu horário de almoço.
- Idiota. Manda ele se foder.
Eu sorrio. – Eu estou com muita vontade de fazer isso, mas tenho que
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

me segurar.
O telefone da empresa toca. E o nome do Sr. Cuttler aparece na tela. –
Sam, o meu chefe está me ligando, e eu preciso atender. Eu te ligo mais tarde.
Eu te amo.
- Eu também te amo, se cuide. – Eu desligo, e atendo ao Sr. Cuttler.
- Olá.
- Onde você está? – Cuttler berra do outro lado da linha.
- Estou no meu horário de almoço, senhor.
- Ah, certo. Eu esqueci. Quando você voltar, traga-me um café preto
duas colheres de açúcar e um sanduiche de peru. Basta dizer que é para mim,
e eles vão colocar na conta da empresa.
- Sim, Sr. Cuttler. Algo mais?
- Não. É só isso. – E com isso ele desliga. Nem um, por favor, ou
obrigado, foram usados.
Este trabalho está se tornando um desafio maior do que eu imaginei.
Mas isso nunca me impediu antes.
Eu termino o meu almoço, e vou para a delicatesse.
Eu chego ao escritório, mas ele não está em nenhum lugar á vista. Eu
coloco o seu pedido sobre a mesa, e saio.
Ás cinco horas eu comecei a recolher as minhas coisas. Eu não sabia
se o Sr. Cuttler iria precisar de mim para ficar fora do horário, então eu
demorei mais do que o necessário para fazer o que estava terminando. Eu
queria que ele soubesse que eu não tinha medo do trabalho.
Talvez seja por isso que ele é tão rude comigo. Ele deve ter passado
por esse tipo de coisa antes. E eu não posso culpá-lo. Mesmo que seja injusto
comparar as pessoas.
A sala do escritório do Sr. Cuttler se abre e ele sai glorioso
carregando à sua pasta. – Você pode ir para casa. Eu não vou precisar mais de

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

você hoje.
- Sim, Sr. Cuttler.
Ele sai e eu suspiro. O homem tem algo que me deixa quente e
ofegante, e ao mesmo tempo, me deixa muito irritada.
Eu terminei de arrumar minhas coisas e corri para casa.
No meu caminho para casa, eu parei na minha pizzaria favorita e pedi
para viagem. Eu não estava com humor para cozinhar. Tudo que eu queria era
um bom banho e cama.

***

Eu terminei o meu banho e sentei para comer, assistindo a primeira


temporada de Gilmore Girls. Eu amo essa série, e estou vendo pela milésima
vez.
Quem não ama as garotas Gilmores?
O meu telefone apita, informando uma nova mensagem. Era do meu
chefe.
Eu tenho que fazer uma viagem hoje á noite e não tenho certeza de
quando vou voltar. Eu quero que você termine os relatórios que eu enviei
para o seu e-mail da empresa, e me envie de volta o mais rápido possível.
Eu respondo rapidamente.
Sim, senhor.
Aproveite o resto da sua noite, Abby. Obrigado.
Obrigada, senhor. Você também.
Alguns dias longe do senhor trovão. Isso era uma coisa boa. Eu
precisava de espaço para trabalhar, e esse homem estava me consumindo em
quase todos os sentidos. Eu não parei de pensar nele um só minuto, e preciso
colocar a minha cabeça em foco, ou eu vou ser demitida em um piscar de
olhos. E corro o risco de ser mais uma na sua lista interminável de mulheres.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Além do mais, ele nem me vê da mesma forma. Mas por alguma


razão, eu não estava totalmente feliz com a sua ausência. Foi apenas o meu
primeiro dia, mas foi bem intenso.

***

Reece Eu não pude deixar de sorrir quando estava digitando as


mensagens para Abby.
Eu não precisava enviar as mensagens, ela saberia na parte da manhã
quando chegasse ao escritório, mas por alguma razão doentia, eu não
conseguia para de pensar nela.
Abby é linda e tão jovem. Tudo que eu posso pensar é adorar todo o
seu corpo, enquanto ela grita o meu nome sem parar, quando eu a levo uma e
outra vez ao êxtase.
Eu tinha sido um estúpido, idiota com ela hoje. E eu queria de alguma
forma me desculpar, mas não sabia se deveria.
Eu já cruzei essa linha muitas vezes, e nunca foi uma boa ideia. Eu
gostei de Abby. Amanda tinha razão. Ela era muito boa no seu trabalho. Em
menos de um dia de trabalho, ela fez mais trabalho do que todas as minhas
antigas assistentes em todo o período de trabalho. E ela é boa demais para
mim.
Terminei de tomar o meu uísque, enquanto esperava o meu voo para
Seattle. Eu iria passar pelo menos quatro dias lá para supervisionar um novo
empreendimento em uma de nossas filiais. E eu não queria designar essa
função á ninguém.
Será que ela vai sentir a minha falta?

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 5

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Abby
O meu telefone vibra na minha gaveta, mas a Cuttler Inc. tem uma
política severa sem telefones na hora do trabalho para os assistentes e
secretários, a menos que seja um caso de vida ou morte. Então eu decido
ignorá-lo.
O meu chefe ainda está viajando, mas eu não quero dar sorte para o
azar. Mas o telefone vibra novamente. Quem quer que seja, quer muito falar
comigo.
Eu dou uma boa olhada ao redor, para ver se ninguém está à vista.
Eu rapidamente o alcanço e vejo um milhão de mensagens da minha
amiga Samirah.
S: Ei, como está a sua manhã?
S: Estou com uma ressaca miserável. Eu nunca mais vou beber.
S: Você está aí?
S: Está ocupada?
S: E o seu chefe idiota, como vai?
S: Talvez ele precise de uma boa foda para deixar de encher o seu
saco.
Todos as mensagens são assim. Samirah é uma rebelde nata, e quando
eu comentei sobre a política de não usar o telefone na hora do trabalho, ela se
rebelou, e disse que me mandaria mil mensagens todos os dias.
Ela é louca.
Eu estou verificando as demais mensagens e – - Abby? – A sua voz
me faz congelar no lugar.
O senhor Cuttler está bem atrás de mim parecendo delicioso e furioso,
vestindo um terno azul marinho com uma gravata dourada, e camisa branca.
Eu coloco o telefone para dentro da minha gaveta. – Sim, Sr. Cuttler?
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

– Eu tento soar confiante, mas por dentro eu estou tremendo.


- Eu quero você na minha sala, agora! – Ele ruge como um leão
furioso.
Eu engulo em seco, e sigo logo atrás dele.
A Cuttler Inc. tem um código de vestimenta formal, e recebemos até
um pequeno auxilio para a compra de roupas para trabalhar. O que é uma
coisa boa.
Hoje eu estou vestindo uma saia lápis cinza, que é bastante apertada e
mostra as minhas curvas perfeitamente. Uma blusa de seda preta, com saltos
médios. Eu optei por usar o meu cabelo em um rabo de cavalo alto, e pouca
maquiagem.
Eu pensei que ele só voltaria na próxima semana, mas com a minha
sorte, ele tinha que me pegar quebrando a regra de não telefonemas.
O meu estômago está dando nós, e eu sinto que vou ficar doente.
- Entre e feche a porta. – Ele comanda. E eu faço, em seguida, viro-
me para encontrá-lo em sua cadeira atrás da sua mesa de mogno polido.
Eu cruzo as minhas mãos e obrigo-me a ficar calma, mas os meus
nervos não parecem me ouvir. Eu sei que estou encrencada.
- A Cuttler Inc. tem uma política de não usar telefone na hora do
trabalho, e eu acredito que você está ciente disso. – Diz ele recostado em sua
cadeira com os olhos azuis grudados em mim.
O meu coração dispara, e eu respiro fundo antes de responder.
- Sim, senhor. Eu peço desculpas, eu esqueci de desligar, e pensei que
poderia ser algo sério, então verifiquei. Não acontecerá novamente. – Eu
tentei soar convincente. Esse trabalho era muito importante para mim, e eu
não gostaria de ser demitida na minha primeira semana por quebrar as regras
da empresa.
O que diabos você estava pensando, Abby?

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Ele acena, ainda segurando o meu olhar.


- Bom. – Ele suaviza.
Eu respiro pesadamente, tentando fazer o sangue chegar ao meu
cérebro.
- Eu chamei você aqui porque nós temos um novo cliente com um
projeto muito grande e um curto prazo. – Ele diz.
Eu pisco os meus olhos surpresa. Esse será a oportunidade de
trabalhar em algo realmente grande na Cuttler Inc.
- O Departamento de Polícia de Boston quer um novo sistema de
dados para ampliar a capacidade de armazenamento de dados, e eles querem
que a Cuttler Inc. para esse trabalho, mas eles querem para os próximos
quinze dias.
Eu aceno um pouco mais do que o necessário, empolgada com a ideia
de fazer parte de algo tão grande.
- Eu vou precisar que você chegue mais cedo, e saia um pouco mais
tarde que o habitual. – Ele diz.
- Claro, senhor. Eu ficarei muito feliz em ajudar em algo tão grande. –
Eu respondo, e seus olhos se arregalam.
Merda. Isso soou um pouco indecente.
O Sr. Cuttler apenas acena.
- Eu quero que você informe ao setor de engenharia, e chame todos
para uma reunião de emergência hoje à tarde.
Eu aceno.
- E cancele todos os meus compromissos desta semana.
- Claro, considere feito. Mais alguma coisa, senhor?
Ele me dá um longo e lento olhar. Os seus olhos percorrem o meu
corpo, e eu sinto a temperatura da sala aumentar, ou seria a minha
temperatura corporal com o seu olhar fulminante?

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Eu não sei porque, mas eu acabo olhando para o seu colo, e por um
momento eu penso ver o contorno de seu pau, duro contra o tecido caro.
Eu engulo em seco, e desvio o olhar.
- Isso é tudo, por agora. – Ele diz com um rosnado.
Eu sinto a minha calcinha encharcar com a ideia de ver o seu longo
pau, duro e pronto para lamber.
Deus! O que há de errado comigo? Por que eu estou pensando no meu
chefe idiota dessa forma?
Eu aperto as minhas pernas juntas, tentando parar o frenesi. – Eu
tenho isso. – Eu digo, minha voz tremendo, e me viro para sair, mas a sua voz
me para.
- Abby. – Ele diz, e o meu coração dispara.
Eu me viro para encará-lo. Ele se inclina sobre a mesa, os seus olhos
azuis mortalmente sérios.
- Sim, senhor? – Pergunto.
- Você está fazendo um bom trabalho aqui. – Ele diz com a voz baixa.
– Continue assim e você irá muito longe.
O meu coração dispara, e eu tento processar o elogio.
- Obrigada, senhor. – Eu digo e saio do seu escritório, e então eu
posso respirar de novo.
Quando foi que o meu corpo começou a reagir ao meu chefe idiota? E
porque ele me afeta tanto?
Muito errado, Abby.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 6

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Reece
Eu vejo Abby sair do meu escritório balançando a sua bunda
deliciosa, e o meu pau dá um salto.
Porra!
Isso não vai acontecer, eu sei disso. Abby é linda, jovem e muito
autossuficiente, ela não é uma garota de apenas uma foda. Mas quando estou
perto dela, tudo o que eu posso pensar é dobrá-la sobre a superfície mais
plana, e foder a sua doce buceta.
Eu estou fodidamente louco por ela. Os seu olhos, os seus lábios
rosados, o seu corpo magro e cheio de curvas.
Eu preciso tirá-la do meu sistema, ou vou ter um sério problema de
bolas azuis.
Eu verifico a minha caixa de entrada, e respondo alguns e-mails, mas
a minha mente ainda está tendo visões de Abby em minha mesa, com a bunda
perfeita empinada, enquanto eu a fodo por trás. Ela rolando os olhos para trás
quando eu a faço gozar mais duro do que ela já veio antes.
Eu tento dissipar os pensamentos sujos da minha mente para voltar ao
trabalho, mas não está sendo fácil.
Eu vou até o banheiro que há na minha sala. Inclino-me contra o
azulejo do banheiro, e liberto o meu pau. Que praticamente salta em minha
mão quando eu o seguro.
Eu fecho os olhos e imagino-a com os olhos vendados fodendo o meu
pau com a sua boca perfeita. – Porra! – Eu me acaricio mais forte.
Eu ranjo os meus dentes para me impedir de gritar. Eu não quero que
todos dentro da empresa saibam que o seu chefe está batendo uma no horário
de trabalho. Eu visualizo Abby, em pé no meu escritório, ofegante e tomando
mais do meu pau em sua garganta.
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Abby algemada e com os olhos vendados na minha cama. Eu


bombeio o meu pau mais rápido. O meu corpo aperta e eu venho com um
grunhido explosivo, o fluxo espesso espalhado por toda à parede do meu
banheiro.

***

Eu fico até tarde naquela noite, mas envio Abby às cinco para casa.
Eu não estou em condições de tê-la tão perto de mim por horas afim a sós.
Eu vou acabar fazendo algo que me arrependerei, e Abby é uma
excelente assistente. Eu não quero perdê-la. Ou ser acusado de assédio
sexual.
Isso seria ridículo.
Então, eu apenas assisti a sua bela bunda caminhar para fora da minha
sala.
Eu tento retomar o trabalho, mas é difícil quando você tem outras
coisas na cabeça.
Abby. Você está fodendo com a minha cabeça.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 7

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Abby
Eu chego em casa depois de um dia agitado no trabalho.
O senhor Cuttler estava muito estranho hoje. Primeiro ele me pega
quebrando uma das regras da empresa, e graças à Deus, ele não me demitiu.
E logo em seguida, ele me olha com intensidade por mais do que o habitual.
Isso me deixou um pouco confusa e excitada. Então para finalizar ele me
pede para ficar depois do trabalho, e muda de ideia, me enviando para casa.
Homem confuso.
Eu vou para o quarto e tiro a minha roupa. Ainda posso ver os seus
olhos em mim. E isso me deixa excitada. Faz tanto tempo que estive com um
cara que nem sei mais como funciona.
O meu último namorado tinha uma mania estranha de chupar o meu
dedo do pé depois que gozava.
Que nojento!
Ele era muito gentil, mas isso me tirava do sério. Eu não conseguia
parar de pensar que quando terminássemos de transar, ele iria chupar o meu
dedo do pé. E isso me deixava muito desconfortável.
Quando eu finalmente criei coragem para lhe falar que isso me
irritava, ele disse que nós não estávamos na mesma página, então era melhor
terminarmos.
Eu fiquei um pouco chocada com a sua atitude, mas ele estava certo.
Nem de longe estávamos na mesma página. E desde então, eu tenho estado
sozinha.
Eu encho a banheira para um longo e relaxante banho de espuma. Os
meus pés estão me matando de passar o dia todo para lá e para cá dentro da
Cuttler Inc., em cima de saltos altos.
Quando a banheira enche completamente, eu adiciono os meus sais de
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

banhos preferidos, e entro. – Oh Deus! – Eu gemo em apreciação. A


temperatura da água está excelente, e eu sinto os meus músculos começarem
a relaxar.
Eu fecho os meus olhos, e deixo a minha mente vagar.
O meu corpo está totalmente relaxado agora. A minha mão escorrega
por entre as minhas dobras, e eu esfrego o meu broto dolorido.
Sinto-me ousada, e sexy, enquanto me masturbo pensando no senhor
Cuttler. Imagino que são os seus dedos acariciando-me.
Eu círculo o meu clitóris mais forte, e mordo os meus lábios. Arrepios
cobrem o meu corpo molhado. Eu insiro um dedo dentro da minha buceta
pulsante, e gemo quando um orgasmo se constrói.
Eu esfrego com força, adicionando um segundo dedo, os meus sucos
se misturam com a água.
A minha respiração está ofegante, e eu me sinto chegando mais perto
da borda. Imagino-o, se masturbando enquanto me observa. O seu longo pau
em sua mão, acariciando-se para cima e para baixo.
- Reece... – Eu imploro.
Eu estou ansiosa. Eu mordo os meus lábios, enquanto os meus dedos
me fodem com força. Mas não é o suficiente. Eu preciso de mais.
Eu preciso de Reece Cuttler.
Eu choramingo pensando no seu pau me fodendo duro.
Então eu me lembro que isso é tudo que eu posso ter: uma fantasia
com o meu chefe idiota.
Eu paro por um momento, e me sento na banheira. Eu não posso ter
fantasias eróticas com alguém que é um completo idiota.
Frustrada, eu termino o meu banho rapidamente, e deito na minha
cama com um suspiro pesado. Eu preciso tirar esses pensamentos sujos com o
meu chefe da minha mente.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Eu me levanto e procuro na minha gaveta de meias, e encontro o meu


pau de mentira. É muito real, e com a vantagem de que não vai quebrar o
meu coração.
Eu deito na minha cama, e fecho os olhos, esfregando-o contra o meu
clitóris inchado. Eu deslizo o vibrador longo e grosso pelos lábios da minha
buceta inchada, e empurro dentro de mim.
É tão bom!
Os meus quadris saem da cama. E eu posso sentir a minha buceta
pulsar ao redor do meu amiguinho de plástico.
Eu deslizo dentro e fora em um ritmo lento, então eu aumento as
estocadas. Eu me sinto preenchida. É incrível.
O meu corpo está tremendo com o orgasmo eminente, e a minha
mente brinca comigo mais uma vez. Imagino o senhor Cuttler me fodendo
rápido e duro, então eu venho gritando o seu nome. – Reece... – Eu estou
acabada. O meu corpo está mole, e eu tenho um grande sorriso de satisfação.
Os espasmos se acalmam, e eu puxo o vibrador para fora de mim, e
coloco-o ao lado, ainda em êxtase.
Eu estou tão fodida.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 8

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Reece
Não dormir está se tornando um hábito.
A noite toda eu passei rolando na cama pensando na minha assistente.
Eu não consigo tirar Abby da minha cabeça, e isso está afetando a
minha vida de uma forma estrondosa. Mas eu não a quero fora da minha vida
também.
E esse é o maior problema. Por que eu não sei o que fazer.
Eu chego ao escritório, e Abby já está sentada na sua mesa, vendo
algo em seu computador. Ela está vestindo uma saia e uma blusa que a
combinação perfeita para derrubar qualquer homem.
Porque ela tem que ser tão malditamente sexy?
Abby olha para mim quando eu entro, e eu tenho um vislumbre do
que ela está lendo antes que ela tenha a oportunidade de fechar a janela.
Ele me dobra sobre a mesa, suas mãos estão por toda parte. Eu quero
que ele me foda duro.
Eu quase tenho um ataque cardíaco. Será que ela sente o mesmo que
eu. Ou isso é para outra pessoa?
- Bom dia, senhor Cuttler. – Ela fecha a janela rapidamente, e me
cumprimenta com um sorriso.
Eu Tento recuperar a compostura.
- Bom dia, Abby. – E caminho para minha sala rapidamente. O meu
pau está pulsando dentro das minhas calças.
Eu estou feliz com a gama de trabalho que eu tenho para fazer hoje.
Passo o dia todo preso em reuniões, e estou grato por não ter tempo suficiente
para pensar em outras coisas que não sejam, foder a minha assistente em
cima da minha mesa.
O dia passa rapidamente, e quando me dou conta, já são sete da noite.
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Eu olho para fora do escritório e vejo que quase todos já foram embora.
Não todos, é claro. Abby está sentada em sua mesa com uma pilha de
papeis, digitando furiosamente. Ela está tão absorta em sua tarefa que nem
mesmo me nota parado encarando-a.
- Abby. – Eu chamo.
Ela olha por cima do ombro. Então se levanta e caminha para o meu
escritório.
- Sim, senhor?
Eu não me incomodo em fingir que não estou olhando para a forma
como os seus peitos suculentos se movem. Essa mulher vai ser a minha
morte.
Ela vai fechando a porta quando eu a impeço. – Pode deixar aberta.
Eu vou até o meu armário e puxo para fora uma garrafa de uísque 12
anos, e dois copos. Foi um dia muito agitado, e acredito que nós merecemos
isso.
Abby levanta as sobrancelhas em confusão, mas não diz nada. Eu
derramo o líquido marrom em cada copo, e a entrego um.
- Eu não... – Ela não sabe o que dizer, e eu não sei se isso é uma coisa
boa ou não.
- Por favor, nós tivemos um dia cansativo, e precisamos de um pouco
de álcool.
Abby sorri, e o meu pau dá espasmos dentro das minhas calças.
Porra!
Ela leva o copo, agitando o líquido suavemente, e eu assisto
hipnotizado.
- Tem um cheiro tão bom. – Ela diz, seus olhos passando rapidamente
para mim.
- O gosto é ainda melhor. – Eu tomo um gole do meu.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Ela sorri, e toma um gole da sua própria bebida. E depois lambe os


seus lábios carnudos, então leva o copo mais uma vez à boca, e toma o
restante de uma só vez.
- É muito bom. – Ela diz sorrindo.
Eu estou duro como pedra, e eu sei que ela pode ver a barraca armada
nas minhas calças, enquanto os seus olhos percorrem o meu escritório. Ela
está respirando pesadamente. E eu sei que ela está tão afetada quanto eu.
Eu empurro a pilha de papéis que estão em cima da minha mesa, e
tomo o restante do meu uísque para me dar mais coragem.
Abby assiste tudo com os olhos arregalados.
- Venha aqui, Abby. – Eu comando.
- Sim, senhor. – Ela chega mais perto da minha mesa, e eu sinto o
tremor do seu corpo.
- Eu sei que isso pode parecer loucura, mas eu não consigo tirar isso
da minha mente fodida. Então eu vou te dar duas opções. – Eu digo baixo. –
Você pode dar meia volta e ir para casa, então vamos esquecer que isso
aconteceu amanhã de manhã.
Eu vejo quando ela engole duro, seus lábios se abrem, e eu me perco
no olhar de luxúria que ela me dá.
- E qual é a segunda opção? – Ela sussurra com a voz rouca.
Eu dou a volta na mesa, e fico atrás dela, e sinto o seu corpo
estremecer quando eu sussurro ao seu ouvido. – Você fica como uma boa
menina, e faz o que eu digo. – Murmuro.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 9

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Abby

Eu seguro a minha respiração, e sinto as minhas bochechas corarem.


Eu sei que isso não é o efeito da bebida, mas o poder que esse homem tem
sobre mim.
Eu sinto a umidade encharcar a minha calcinha. Enquanto eu tento me
recompor.
Eu sou uma boa menina, mas nesse momento eu quero ser uma
menina muito má. Eu sei que isso é muito errado. Ele é o meu chefe, e ainda
de quebra, é um completo idiota, mas eu o quero.
E como eu o quero.
Eu me viro e fico de frente para ele. Os seus olhos estão cheios de
luxúria, e eu não posso parar o tremor que percorre o meu corpo com a ideia
do que está por vir.
Ele coloca um dedo sob o meu queixo, inclinando a minha cabeça
para encontrar os seus olhos.
Ele move o dedo pelo meu corpo, lentamente pelo meu colo, ombros
e em direção aos botões da minha blusa. Um arrepio percorre o meu corpo
quando ele passa o dedo entre os meus seios.
- Eu quero que você se sente na borda da mesa. – Ele comanda, e eu
faço o que ele me pede como uma boa menina.
Ele abre todos os botões da minha blusa, e o meu sutiã de renda preta
fica amostra. Eu fecho os meus olhos em oração. Eu preciso que ele me
toque.
Eu sinto quando ele abaixa um dos bojos do meu sutiã, e lambe,
lentamente um dos meus mamilos. E eu suspiro com a sensação.
Porra! Isso está mesmo acontecendo? O meu chefe está prestes a me

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

foder contra a sua mesa, e eu vou permitir?


Sim! Deus, sim.
Ele chupa o meu mamilo, e minhas mãos estão em seus cabelos. Eu
faço o melhor que posso para não gritar, mas a sensação é muito boa. Eu
quero ele tanto que posso sentir o sangue correr pelas minhas veias.
Eu abro os meus olhos quando ele morde o meu mamilo, e depois
solta. Há um brilho de luxúria em seus olhos azuis. Ele começa a tirar o seu
casaco, e depois a gravata. Então ele está debruçado sobre mim.
O brilho nos seus olhos é quase animalesco.
- Você é uma boa menina, Abby? – Ele aperta o meu mamilo, e eu
choro ao mesmo tempo que uma onda de eletricidade percorre o meu corpo.
Eu não posso falar. Mas eu preciso disso. Ele liberta o outro mamilo e
repete o ritual. Eu gemo desesperada por mais. Eu preciso de mais.
- Por favor, Sr. Cuttler. – Eu imploro.
Ele se afasta, e eu vejo como ele abre o zíper das suas calças, e tira o
seu pau livre.
É enorme, longo, grosso e duro como aço.
Eu suspiro.
É ainda maior do que eu imaginei. A minha buceta pulsa com
necessidade.
- Eu quero que você tire a sua saia e fique de joelhos. – Ele ordena,
acariciando o seu pau grosso.
As minhas pernas estão moles, mas eu consigo me firmar no chão e
fazer o que ele me mandou. Alcanço o zíper da minha saia e deslizo para
baixo, expondo a minha calcinha que combina com o sutiã.
Ele me observa com luxúria, e continua acariciando o seu pau para
cima e para baixo.
É sujo. É errado. Mas eu o quero mesmo assim.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Ele empurra a cabeça grossa do seu pau entre os meus lábios, e eu


saboreio o seu sabor almiscarado. Uma gota está vazando, e eu lambo sem
pudor. Ele tem um gosto delicioso. Viril e salgado.
O Sr. Cuttler geme baixinho, enviando uma onda de eletricidade para
a minha buceta. As suas mãos se enroscam em meu cabelo, e ele empurra o
seu pau ainda mais fundo na minha garganta.
Eu levo tudo dele. Lambendo e chupando o seu mastro glorioso.
Deus, esse homem é perfeito.
Ele se afasta e se deita no chão acarpetado, e me coloca sobre ele. Ele
rasga a minha calcinha de um puxão. E seus dedos hábeis exploram a minha
buceta encharcada.
O seu pau na minha boca enquanto ele me fode com os dedos está me
deixando louca. Ele afunda um dedo dentro da minha cavidade pulsante.
Enquanto o seu polegar trabalha no meu clitóris.
Ele está me levando a loucura usando apenas os dedos.
De repente, a sua boca está na minha buceta. Ele está me saboreando
lentamente, enquanto eu o levo mais fundo na minha garganta.
O meu corpo treme, eu atinjo o pico quando ele insere a língua dentro
da minha buceta e aperta o meu clitóris.
Eu venho rebolando contra o seu rosto. O meu orgasmo é tão forte
que eu não consigo ver direito mesmo depois que os espasmos se acalmam.
Todo o meu corpo está tremendo, e ele continua empurrando o seu pau mais
fundo na minha garganta. Ele grunhe e geme quando eu o lambo de cima para
baixo, dando alguma atenção as suas bolas.
As suas mãos apertam o meu cabelo, e eu sei que atingi um ponto
sensível. Eu invisto mais forte e massageio sua bolas um pouco mais. Ele
vem grunhindo como um animal, e goza em toda a minha garganta. Eu
engulo tudo, e assisto o seu corpo recuperar debaixo de mim.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Ele parece uma bagunça quente quando nos afastamos.


Isso não foi nada profissional. Mas foi incrível.
- Eu vou chamar o meu motorista para te deixar em casa. – Ele diz ao
me ajudar a levantar.
Eu não sei o que dizer. Então apenas balanço a cabeça. Eu nem
mesmo sei se ainda tenho o meu trabalho. E de repente eu sinto o meu
coração disparar.
O que você fez, Abby?
Eu procuro a minha roupa, e me visto rapidamente, enquanto ele faz o
mesmo. O seu telefone acende mostrando alguma mensagem.
- O meu motorista está lá embaixo esperando-a. – Ele diz, e coloca o
telefone de volta na mesa.
Eu aceno com a cabeça, e quando eu estou saindo, eu paro na porta e
arrisco dizer algo.
- Até amanhã, Sr. Cuttler?
- Claro. – Ele diz, e eu sinto que posso respirar de novo. Então a sua
voz me para novamente.
- Abby. – Ele chama, e eu me viro. – Boa noite.
Eu sorrio travessa.
- Eu já tive uma boa noite. – Eu falo, então saio do seu escritório e
vou para casa.
Quando eu saio da empresa, o seu motorista está me esperando em
seu Rolls-Royce. Eu sorrio agradecida quando ele abre a porta para mim, e eu
subo no banco de trás do carro luxuoso.
Eu recosto a minha cabeça no banco e sorrio para o que acabou de
acontecer.
Eu sei que é errado, mas eu não posso evitar.
Essa foi a melhor noite que eu já tive em muito tempo.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Quando eu chego em casa eu ligo para a minha melhor amiga,


Samirah.
- Olá, bonita. – Ela atende.
- Eu fiz sexo oral no meu chefe idiota. – Eu gemo ao telefone.
A linha fica muda por alguns segundos, então eu verifico para ver se
eu não desliguei sem querer. Mas a ligação ainda está lá. – Sam? – Eu chamo.
- Oh merda, Abby. – Ela finalmente fala.
- Eu sei. – Suspiro caindo no sofá. – O pior é que nós não falamos
sobre isso depois que terminamos. E eu não sei como vou conseguir trabalhar
com ele agora.
- Eu estou chegando em meia hora com o vinho. – Ela diz e desliga.
Eu estou tão ferrada.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 10

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Reece
Eu pensei que ao ter um gosto de Abby eu poderia tirá-la da minha
mente, mas isso só piorou as coisas ainda mais.
Eu não paro de pensar no seu gosto. Na forma como ela chupou o
meu pau. Eu tive que ir para Seattle por dois dias, mas o tempo todo eu não
consegui parar de pensar em seu gemidos sensuais quando eu lambi e chupei
a sua buceta suculenta.
Amanda vai me matar se descobrir que eu acabei me envolvendo com
Abby. Ela parece gostar muito da minha assistente, mas eu não posso evitar.
Essa mulher tem um efeito em mim que nenhuma outra teve.
Ela é diferente.
Eu não sou um maldito santo, e eu sei que não a mereço, mas eu não
posso suportar a ideia de não tê-la.
Eu cheguei hoje de viajem e fui direto para a empresa para vê-la, mas
ela não estava na sua mesa. E de repente o pânico tomou conta de mim.
Será que eu passei dos limites e ela se demitiu?
Deus, não!
Eu entro na minha sala rapidamente, e ligo para Amanda.
- Onde está a minha assistente? – Eu soou desesperado, mas eu não
me importo.
- Bom dia para você também. – Amanda diz com um suspiro. – Abby
está na sala de reuniões com os engenheiros do projeto Vime. Ela soa
entediada.
- E por que eu não fui avisado dessa reunião? – Eu sou um bastardo
eu sei.
- Abby tentou entrar em contato com você, mas o seu telefone estava
desligado, então ela deixou uma mensagem na sua caixa de mensagem.
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- O meu celular morreu quando eu estava saindo do hotel, e eu não


tive tempo para carregar. – Eu me recosto contra a minha cadeira e suspiro
aliviado que ela não foi embora.
- Eu tenho que ir, estão me esperando. Você vai participar da reunião?
- Não. Eu vejo os relatórios depois. Qualquer coisa me comunique
imediatamente.
- Ok. – Então eu desligo.
Eu termino uma chamada de conferência quando ouço uma batida na
porta.
- Entre. – Eu chamo.
Abby entra parecendo linda e tímida. Os seus olhos encontram os
meus e eu sinto um arrepio percorrer a minha espinha. Ela dá um passo para
frente, então fecha a porta.
Eu me recosto na cadeira e espero. O meu pau já está a meio mastro
apenas de vê-la.
- Eu trouxe a ata da reunião para que o senhor tenha uma ideia do que
foi discutido. – Ela diz com a voz baixa. E coloca os papéis sobre a mesa. Ela
está deliciosa vestindo uma saia justa, mostrando todas as suas curvas
exuberantes, e eu não posso ignorar o quão perfeita ela é.
- Obrigado, Abby. – Eu falo suavemente.
- Mais alguma coisa, Sr. Cuttler? – Ela indaga um pouco afetada.
Eu vejo quando os seus lábios se separam, os olhos dela olham como
se me quisesse tanto.
Estamos no meio da tarde, mas eu não me importo. Eu sei que
qualquer um que passar não poderá nos ouvir por conta da acústica dentro da
minha sala. Eu mandei implantar depois de uma série de incidentes.
- Venha aqui. – Eu digo.
Os seus quadris balançam, e ela obedece como uma boa menina. O

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

meu pau está muito duro dentro das minhas calças. E eu vejo quando os seus
olhos caem sobre ele. A luxúria, o desejo e a fome que eu vejo, são os
mesmos que eu sinto quando penso nela.
Abby chega na borda da mesa. E espera.
Eu abro o zíper e solto o meu pau livre. A cabeça está tão inchada que
está quase roxa. Uma gota goteja para fora da ponta, e eu acaricio-o sem tirar
os olhos dela.
Abby olha para mim como se estivesse morrendo de fome, e como se
o meu pau fosse a sua refeição. Eu sei que deveria parar, mas quando ela abre
a boca, eu a puxo para os meus lábios. A minha língua desliza dentro da sua
boca, provocando-a.
Essa mulher vai ser a minha morte.
- Eu quero isso. – Ela diz ofegante, e eu tiro a sua blusa e sutiã, e
exponho os seus mamilos perfeitos.
- Você é perfeita. – Eu apeto os seus seios e continuo beijando-a sem
parar. O gosto dela é viciante. E eu não posso obter o suficiente.
- Oh, Deus! – Ela geme quando eu chupo a sua língua e aperto os
bicos dos seus seios ao mesmo tempo.
- Você gosta duro, não é senhorita Moretti?
- Só com você. – Ela geme.
As suas mãos delicadas estão acariciando o meu pau. E eu tremo em
seu domínio. Suas pequenas mãos me apertam e envolvem a circunferência
do meu pau.
- Foda-se! – Eu gemo quando ela aperta mais forte. Os meus dedos
brincam com os seus mamilos rosados. E ela se contorce em meus braços.
Eu escorrego uma mão para debaixo da sua saia, e encontro a sua
buceta nua. – Porra! Você está tentando me matar mulher. – Eu gemo e
belisco o seu bichano. – Ela se esfrega contra os meus dedos, e eu escorrego

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

um dedo dentro da sua buceta molhada.


Eu a fodo com os meus dedos. Nossas bocas ainda unidas, e eu não
quero parar nunca. O meu dedo trabalha dentro e fora da sua buceta gulosa, e
os seus músculos internos me apertam.
Ela está perto. A sua buceta vibra e ela vem com um grito quando eu
bato mais uma vez no seu ponto doce. A sua espinha se estica e ela joga a
cabeça para trás com um grito. Eu coloco as mãos em volta da sua cintura
para impedi-la de cair.
- Eu quero o meu pau na sua boca, Abby. – Eu comando, e ela cai de
joelhos na minha frente, tomando o meu pau em seus lábios rosados. Tudo
parece perfeito, até que alguém bate na porta.
- Sr. Cuttler. – Alguém diz do outro lado da minha porta.
Abby solta o meu pau, e se levanta rapidamente. Ela pega a sua blusa
e veste apressadamente.
- Foda! – Eu grito enfiando o meu pau completamente duro dentro das
minhas calças.
Eu olho para Abby, mas ela não está prestando atenção em mim. Os
seus olhos estão voltados para o chão. Ela toma acento à minha frente
enquanto eu ordeno para quem está do outro lado da porta entrar.
- Desculpe incomodá-lo, Sr. Cuttler, mas eu preciso que o senhor veja
isso. – Uma das engenheiras entra com um tablet em suas mãos me
mostrando algo sobre o novo projeto, mas os meus olhos estão em Abby
quando ela sai da minha sala rapidamente.
- Seja breve senhorita Hart, eu tenho muito trabalho para fazer. – Eu
cuspo com desdenho. Eu amo o meu trabalho, mas nesse momento eu queria
que tudo isso explodisse. Tudo que eu queria era ter a boca de Abby envolta
do meu pau, enquanto ela chupava toda a frustação sexual que eu tenho por
ela.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Porra!

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 11

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Abby

Que porra você está fazendo Abigail Moretti?


Você está se tornando a puta do seu chefe, e quase foi pega em plena
ação.
Eu bato a minha cabeça contra a minha mesa e gemo em frustação.
Porque eu não posso tirá-lo da minha mente?
Eu ouço a maçaneta da porta do seu escritório se abrir, então me
recomponho. E tento fingir que estou trabalhando em algo. A engenheira
poderia ter nos flagrado, mas por sorte ele é o chefe e todos batem antes de
entrar em sua sala.
- Obrigada pelo seu tempo, senhor Cuttler. – Ela soa um pouco
afetada. E quem não estaria? Esse homem é o sexo ambulante.
- Sem problemas. Me mantenha informado sobre o progresso. – Ele
soa profissional.
- Eu vou, obrigada. – Ela se vira e sai em direção aos elevadores, e
direto para o seu andar.
- Eu tenho uma reunião fora da empresa, e não sei a que horas vou
voltar. Anote os meus recados, e cancele os compromissos de hoje à noite,
senhorita Moretti. – Ele diz atrás de mim, e eu sinto as minhas pernas
fraquejarem.
- Sim, senhor. – Eu respondo sem olhar para trás.
Ele sai sem olhar para trás, parecendo impecável em seu terno de três
peças. E a minha buceta aperta com a visão dele.
Eu respiro fundo e volto ao trabalho.
Faço o que ele pediu, e cancelo os seus compromissos do dia, e anoto
todos os seus recados.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Ao final do dia eu termino tudo que eu tenho para fazer, e vejo que o
senhor Cuttler não retorno do seu encontro. Será um encontro de negócios, ou
ele foi ver alguém fora do trabalho.
De repente eu sinto o meu almoço revirar no meu estômago com a
ideia dele ver alguém. Por que eu me importo? Eu não sou nada para ele,
além de alguém fácil para ele foder quando quiser.
Deus, como eu sou idiota.
Eu vou para casa, e passo o final de semana lamentando a minha falta
de controle perto desse homem. Eu preciso ser mais forte e resistir as suas
investidas. Isso está errado. E nós não podemos continuar.

***

Eu tinha um discurso todo ensaiado para dar ao Cuttler quando ele


chegasse, mas bastou vê-lo sair do elevador que eu esqueci de tudo, até de
quem eu era.
O homem tem esse magnetismo que me deixa paralisada, e encantada
ao mesmo tempo.
Foco, Abby. Você precisa resolver essa situação, antes que tome
proporções não esperadas, e você acabe perdendo o seu emprego. Se bem,
que eu corro o risco de perder também ao terminar com seja lá o que isso for.
Que confusão, Abigail.
- Bom dia, Abby. – Ele diz ao passar em direção à sua sala.
- Bom dia, senhor. – Eu o sigo e tranco a porta atrás de mim.
Ele senta-se na sua cadeira executiva e tira o seu laptop da pasta. Eu
tomo uma respiração profunda e crio coragem para falar.
- Nós precisamos conversar, senhor. – Eu solto, e ele continua o que
está fazendo em seu computador sem levantar a cabeça para mim.
- Nós precisamos? – Questiona.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Eu... Nós precisamos parar com isso que estamos fazendo, senhor.
Não está certo, e isso pode confundir as coisas. – Eu tento soar convincente,
então ele levanta a cabeça. Os seus olhos encontram os meus, e tudo que eu
vejo é pura luxúria.
Eu mordo o meu lábio. Não sei o que dizer ou fazer quando ele me
olha assim. Então ele se levanta e caminha em minha direção.
Eu engulo em seco.
- Sr. Cuttler -
- Tudo que eu tenho pensado desde que você entrou na minha vida foi
você. Eu não consigo dormir ou trabalhar, tudo que eu posso ver ou ouvir são
os seus gemidos quando eu fiz você gozar com os meus dedos, ou com a
minha boca, e eu estou ficando louco, Abby.
Ele para na minha frente, e leva o meu queixo para cima. Os meus
olhos estão aflitos, eu não sei o que fazer. Quando ele me toca eu perco toda
a compostura.
Ele esfrega o seu polegar direito nos meus lábios, sem tirar os olhos
dos meus. E eu juro que quase gozo só de observar a intensidade do seu
olhar.
- Não é certo, Sr. Cuttler. – Eu sussurro.
- Você está errada, Abby. Isso é tão fodidamente certo que nem
consigo ver direito. – Ele passa a mão pelo meu cabelo que está preso em um
rabo de cavalo alto, e enrola a sua mão, dando um leve puxão, que me faz
ficar colada ao seu peito forte.
A sua boca ataca a minha antes mesmo que eu consiga processar o
que está acontecendo. A sua língua pede passagem, e eu abro de bom grado.
Eu sou fraca, e ele sabe como me deixar aso seus pés.
O nosso beijo é urgente, e necessitado. Ele me quer tanto quanto eu o
quero.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

De repente, ele quebra o nosso beijo e me coloca de frente para a sua


mesa, a mão presa no meu cabelo dá um leve puxão. Ele me curva sobre a
mesa, e empurra a minha saia até a minha cintura, expondo as meias que eu
estou usando.
- Foda-se! – Ele geme quando vê a cinta-liga que eu coloquei essa
manhã.
Ele puxa o meu cabelo mais forte fazendo-me ofegar quando inseri
um dedo dentro da minha buceta.
- Shh! – Ele ordena, empurrando um segundo dedo dentro de mim.
O meu corpo todo está tremendo. Eu seguro nas bordas da mesa para
não cair. Cuttler coloca o meu pescoço de lado, e planta beijos ao longo da
minha orelha e pescoço.
Ele trabalha dentro e fora os seus dedos hábeis, e eu me vejo mais
perto do clímax.
- Isso é certo, Abby. – Ele diz, puxando a minha cabeça para trás e
empurrando os seus quadris para baixo, onde eu posso sentir a ponta do seu
pau enorme na minha entrada encharcada.
- Sim! – Eu grito desesperada para tê-lo dentro de mim.
- Você é minha, Abby. E eu vou foder a sua doce buceta tão duro que
você não vai ter mais dúvidas de que somos certos. – Ele diz, a sua respiração
afetada.
Eu sinto todo o seu pau quando ele empurra com força dentro da
minha buceta, e ele geme.
- Você vai tomar o meu pau grande, como uma boa menina, e você
vai ficar quieta enquanto eu fodo essa buceta apertada. – Seus lábios fazem
cócegas no meu ouvido, e eu mordo os meus lábios para me impedir de
gritar.
Cuttler empurra uma e outra vez dentro de mim, e eu quero gritar. É

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

tão bom. Ele é enorme, e a minha buceta ainda está tentando se acostumar ao
seu tamanho. Enchendo-me até o limite, eu nunca senti nada igual. É tão bom
que eu só quero mais, mesmo que isso seja totalmente inapropriado.
Ele continua sendo o meu chefe.
Cuttler agarra a minha cintura e empurra mais fundo dentro de mim.
As minhas costas se erguem quando eu sinto suas bolas baterem contra a
mim. Ele está tão profundo dentro de mim.
- A sua buceta é tão apertada, baby. – Ele sussurra em meu ouvido. –
Você gosta de ter o meu pau profundamente dentro de você?
Ele tem uma boca tão suja, e eu amo isso. Ninguém nunca falou
comigo assim. A minha buceta aperta, e eu monto o seu pau com mais força.
- Diga-me. – Ele dá um puxão no meu cabelo me incentivando.
- Sim. – Eu sussurro perdida em completa luxúria. – Eu amo isso, Sr.
Cuttler.
Ele se move mais rápido dentro de mim, e as minhas paredes internas
apertam o seu pau.
- Oh meu Deus! – Eu não consigo segurar o grito quando ele bate tão
fundo que chegou a doer.
- Shh! – Ele ordena batendo selvagemente dentro de mim. Ele está
literalmente me fodendo sem piedade. E eu amo isso.
- Isso! Foda-me tão duro que eu ande engraçado pelo resto da semana.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 12

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Reece

Porra!
Eu ouço-a implorar, e quase me perco totalmente dentro da sua buceta
apertada.
Eu diminuo as investidas, saboreando o momento. Eu assisto o meu
pau entrar e sair da sua buceta rosada. Os seus sucos brilhando e pingando no
meu pau. A visão me deixa completamente louco.
Eu sou um bastardo, eu sei disso. Mas eu não posso me conter quando
se trata de Abby. Essa mulher virou o meu mundo de cabeça para baixo, e eu
quero tudo dela.
- Oh meu Deus! – Ela geme quando eu esfrego o seu botão sensível.
Ela rebola no meu pau, e eu aumento as investidas, preenchendo-a
completamente.
Eu não vou durar muito mais tempo. Ela é muito boa, a sua buceta
está estrangulando o meu pau, sugando todo o meu suco.
- Eu vou gozar. – Ela sussurra entre gemidos. E eu afundo as minhas
bolas na sua buceta maravilhosa, e assisto quando ela perde totalmente o
controle e goza rebolando furiosamente no meu pau, me puxando para um
orgasmo monumental.
Eu puxo o meu pau para fora, e atiro a minha carga nas suas costas.
Nós fomos imprudentes ao não usar preservativo, mas eu não posso ver
direito quando ela está em questão. Isso é o mínimo que eu posso fazer.
Os nossos corpos atingem o clímax juntos. Os tremores e espasmos
explodindo através dos nossos corpos. Eu a seguro para impedi-la de cair.
Nós ficamos assim por um momento para recuperarmos o fôlego.
Eu enfio o meu pau de volta nas calças e vou para o banheiro pegar

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

algumas toalhas para limpá-la.


Eu limpo todo o esperma que agora está escorrendo pelas suas costas,
e depois baixo a sua saia.
- Nós não deveríamos ter feito isso. – Ela sussurra ofegante.
Eu puxo-a para mais perto e seguro o seu rosto com as duas mãos. –
Eu quero que você venha jantar comigo amanhã à noite na minha casa. – Eu
falo e depois a beijo para que ela não possa arranjar uma desculpa para não ir.
Eu sei o que ela está pensando de tudo isso, mas eu quero que ela saiba que é
diferente dessa vez.
- Sr. Cuttler... – Ela tenta, mas eu a corto.
- Reece. – Eu falo beijando-a novamente. – Me chame de Reece.
Ela sorri. Olha para baixo, e acena.
- Estamos combinados? – Pergunto para saber se ela não mudou de
ideia. Eu não quero que ela pense que é apenas mais uma transa sem sentido.
Ela cora, e passa as mãos pelo cabelo antes de responder. – Sim.
- Ótimo. Agora vista-se que temos muito trabalho para fazer. – Eu
sorrio e bato na sua bunda quando ela se vira e vai para o eu banheiro.
Ela se vira e me dá um sorriso que me dá vontade de dobrá-la mais
uma vez sobre a minha mesa e transar com ela até que um de nós desmaie.
Deus! Eu não posso obter o suficiente dessa mulher.

***

O resto do nosso é preenchido com muito trabalho e reuniões.


Eu quase não tive a oportunidade de ficar a sós com ela, mas sempre
que estávamos próximos, eu arriscava acariciá-la por debaixo da mesa, ou de
qualquer forma que eu pudesse.
Às cinco da tarde, ela saiu para atender um dos nossos clientes com
Amanda. Ela estava tão empolgada com a ideia que me fez sorrir. Abby

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

parecia uma criança que acabou de ganhar o melhor presente de Natal.


Vê-la feliz com algo tão simples me deixou imensamente feliz. E isso
era novo para mim. Coisas como essas não costumavam chamar a minha
atenção. Mas com ela tudo era diferente.
Eu não podia esperar para chegar amanhã, onde eu posso tê-la de
todas as formas no conforto da minha casa. Sem interrupções ou empecilhos.
À noite depois de jantar e tomar banho eu enviei um texto para ela. Eu
já estava sentindo à sua falta, e queria saber o que ela estava fazendo.
R: Como está a sua noite?
A: Um pouco confusa.
R: Não pense nisso. Amanhã falaremos com mais calma sobre isso
que estamos vivendo.
A: Ok.
R: Eu queria que você estivesse aqui.
A: Eu gostaria disso também.
R: Boa noite, Abby. Sonhe comigo.
A: Eu vou, obrigada.
Eu dormi como um bebê durante toda a noite. Eu nunca me senti tão
leve em toda a minha vida. Isso era o efeito que Abby tinha em mim.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 13

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Abby

Os meus nervos estavam a flor da pele.


A ideia de jantar na casa de Reece estava me deixando mais ansiosa
que normalmente sou.
O meu chefe mandão e exigente não veio para o escritório hoje. Ele
tinha algumas reuniões de negócios.
O meu dia foi bastante corrido, e com Reece fora da empresa eu
trabalhei ainda mais. Passei o dia todo com o pessoal da engenharia anotando
todos os detalhes do novo software, para que Reece tivesse uma ideia
completa de todo o processo de produção, e cada etapa.
O cara é um maníaco por controle. E gosta de tudo bem feito.
Eu sai da empresa as cinco da tarde como de costume, e corri para
casa. As minhas unhas já estavam feitas, mas ainda tinha muita coisa para
fazer. Lavar e secar o cabelo, depilar todo o meu corpo, e ainda escolher o
que usar.
Não que isso fosse importar de qualquer maneira. Reece não parecia
ser o homem que se preocupava com esse tipo de coisa. Mas eu não queria
parece ruim em nosso primeiro encontro, ou seja lá o que isso seja.
Eu confesso que estou um pouco nervosa e confusa com tudo isso.
Quero dizer, ele é o solteiro mais cobiçado de todos os tempos. É lindo de
morrer, e poderia ter a mulher que ele quisesse, mas por alguma razão
estranha ele me quer.
Eu não sei se isso me deixa feliz ou preocupada. E quando ele se
cansar de mim, assim como fez com as demais conquistas suas?
Eu tento afastar os pensamentos negativos e me concentro em
escolher a roupa certa. Eu queria que Sam estivesse aqui para me ajudar nesse

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

dilema, mas ela está viajando à trabalho e só volta na próxima semana.


Eu vasculho o meu armário procurando a roupa perfeita, mas nada
parece chamar a minha atenção.
Eu finalmente decidi usar um vestido de renda preto que fluía em
volta dos meus joelhos, e dava uma boa levantada nos meus seios. Depois eu
entrei no chuveiro e me ensaboei até ficar cheirando divinamente.
Eu podia sentir a minha pele macia e cheirosa. Apliquei um pouco de
óleo de jasmim no meu corpo para dar um ar sensual ao meu corpo. Então
sequei e alisei o meu cabelo, deixando-o cair solto em meus ombros.
Apliquei um pouco de maquiagem, e coloquei o meu par de brincos
de ouro branco que a minha mãe me deu de presente de aniversário. Eu tinha
escolhido usar uma lingerie de senda, mas decidi ser ousada e não usar nada
por baixo. O vestido não necessitava de um sutiã, então foi a combinação
perfeita. E para finalizar um par de Louboutins vermelhos.
Sexy e elegante.
Enquanto eu estava me preparando, eu me peguei olhando para o
espelho por mais de alguns minutos, e fiquei espantada com o que eu vi.
Eu estou basicamente fenomenal. A minha pele está sedosa como
seda, o meu vestido caiu perfeitamente nas minhas curvas, e o sorriso no meu
rosto estava refletindo tudo que eu estava sentindo naquele momento.
Eu estou terminando os últimos retoques quando o meu telefone
anuncia uma nova mensagem.
R: Lucian estará chegando para te buscar em dez minutos.
A: Ok J
R: vejo você em breve, querida. J
A: Até mais J
Eu rapidamente pego a minha bolsa e desço para esperar o seu
motorista. Ansiedade está tomando conta de mim. Eu sei que nós já pulamos

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

várias etapas, mas isso não me deixa menos nervosa. Afinal de contas, eu
estou indo conhecer a sua casa. Isso é muito íntimo, e eu não posso ignorar
esse sentimento.
Como prometido, o seu motorista chega em dez minutos
precisamente. Eu sorrio e agradeço quando ele abre a porta do carro para
mim.
Durante o trajeto para a sua casa eu tento pensar em coisas idiotas
para distrair a minha mente. Eu não quero parecer ansiosa demais, mas está
ficando complicado a cada sinal que passamos.
Reece vive em uma mansão em um bairro nobre. E meia hora depois
o seu motorista atravessa portões de ferro forjado.
O lugar é incrível, e eu não posso deixar de pensar o quão errado isso
é. Quero dizer, ele é tão rico, e sou nada. A minha família é bastante simples.
E no nosso mundo não há mansões ou esse tipo de vida.
Eu sinto o meu estômago agitar, mas logo a visão dele ali de pé na
soleira da porta me faz esquecer todas as minhas preocupações.
Reece está vestindo calças pretas e uma camisa azul com gola em V,
que mostra todos os seus músculos abdominais e dos braços.
O homem é delicioso.
O seu motorista sai do carro e abre a porta para mim. E eu assisto
hipnotizada quando Reece leva o seu tempo me bebendo com luxúria em seus
olhos. Ele me olha dos pés à cabeça, e eu sinto a minha buceta apertar.
Eu respiro fundo e caminho em sua direção.
- Abby. – Ele sussurra o meu nome. E eu sinto uma corrente elétrica
percorrer o meu corpo. Os seus olhos são pura luxúria. Um desejo primal.
- Reece.
Ele se aproxima e me puxa para o seu peito duro. Eu absorvo o seu
cheiro inebriante, e me delicio no calor dos seus braços.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Os seus lábios quentes contra os meus. Ele me beija suavemente, e eu


sinto as minhas pernas fraquejarem com a promessa não dita em seu beijo.
Ele está tentado me fazer esquecer o quão isso é errado. E está fazendo um
ótimo trabalho.
- Você está muito linda. – Ele fala quando nos afastamos.
- Obrigada. Você também. – Eu sorrio.
- Bem-vinda ao meu humilde lar. – Ele planta outro beijo e me
conduz para dentro.
Eu tento controlar as batidas desenfreadas do meu coração. Eu me
sinto como uma adolescente em seu primeiro encontro.
- Nossa! – Eu falo abismada com a beleza da sua casa.
Ela é ainda maior por dentro do que eu tinha imaginado. Um estilo
palaciano. E eu não posso deixar de notar os toques sutis da arquitetura
Italiana.
- Você gostou? – Ele pergunta procurando os meus olhos.
- É lindo.
- Venha, depois eu vou te dar um passeio pela casa. Você deve estar
faminta. – Ele me conduz até a sala de estar, e eu dou de cara com uma mesa
decorada com velas e rosas vermelhas. E sorrio. – Oh meu Deus! Isso é
perfeito, Reece.
Ele não diz nada, apenas sorri um grande sorriso genuíno e me beija
antes de puxar a cadeira para mim.
- Obrigada. – Eu sorrio agradecida com o gesto tão cavalheiro.
- A comida está quase pronta. Eu comecei antes para que não
tivéssemos que esperar muito.
Eu aceno e sorrio. A ideia dele parar o seu dia para fazer uma refeição
para nós significa tanto para mim que eu nem sei como reagir a tudo isso.
- Como foi o dia na empresa hoje? – Ele pergunta colocando um

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

pouco de vinho em nossas taças.


- Foi bem agitado, mas correu tudo bem. E o seu?
- Foi tudo bem também, mas eu senti sua falta. – Ele responde com os
olhos em mim. E eu sinto o meu rosto esquentar.
Reece nos serve, e nós conversamos entre uma mordida e outra. A
comida está deliciosa. Eu digo isso a ele, e ele apenas sorri agradecido.
O jantar flui normalmente. Reece e eu conversamos sobre as nossas
famílias, sobre coisas favoritas e todo tipo de bobagem que a gente acha
interessante.
A ansiedade que eu senti ao longo não era mais um problema. Eu
estava muito confortável em sua casa, aproveitando uma boa refeição e uma
excelente companhia.
Quando terminamos de comer, eu o ajudo a lavar a louça. Ele não
queria, mas eu insisti. Nós rimos e conversamos mais sobre o trabalho e a
maneira estúpida que ele me tratou no primeiro dia, mas ele me explicou que
se sentiu tão atraído que não sabia o que fazer, então deu uma de idiota.
- Obrigada. A comida estava maravilhosa. – Eu sorri agradecida.
- Só a comida? – Ele faz biquinho.
- Não seu bobo. A sua companhia foi a melhor parte. – Eu dou um
leve empurrão de brincadeira.
- Mulher selvagem. – Ele me agarra pela cintura, fazendo-me gritar.
- Pare, Reece. – Eu grito quando ele me ergue e começa a fazer
cócegas.
Ele ri e me coloca para baixo. Os nossos olhos se encontram, e o meu
coração acelera, minha respiração tremula, e eu sinto as minhas pernas
fraquejarem.
- Beije-me. – Ele pede suavemente.
Os meus lábios encontram os seus, e eu o beijo com tudo que eu

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

tenho. As nossas línguas em uma dança feroz.


Todas as preocupações são esquecidas, e eu me perco nos seus lábios
sedosos. Não há nada além de nós nesse momento. Reece passa os braços ao
redor da minha cintura e me puxa mais para perto. Se é que há algum espaço
entre nós.
Eu sinto as suas mãos pelo meu corpo, em direção aos meus seios, e o
nosso beijo torna-se um só.
Eu gemo quando sinto a sua ereção. Ele está tão duro para mim.
De repente ele me ergue nos braços sem quebrar o nosso beijo e nos
leva em direção à sala de estar. Eu coloco as minhas pernas em volta da sua
cintura, de modo que quando ele senta eu estou montando-o. A minha buceta
aperta com necessidade, e eu preciso tê-lo dentro de mim.
As suas mãos acariciam os meus seios por cima do vestido, e eu
monto-o com mais força, esfregando descaradamente a minha buceta contra a
ereção que ele ostenta em suas calças.
- Você é tão linda, Abby. Eu quero tudo de você. Tudo. – Ele diz
contra os meus lábios. E o beijo mais forte, minhas mãos em seus cabelos
puxando-o para mais perto de mim.
A sua mão escorrega para debaixo do meu vestido, e ele geme quando
agarra a minha bunda nua.
- Porra, querida. Você está tentando me matar? – Ele morde o meu
lábio e continua alisar a minha bunda nua.
Eu gemo quando ele passa o dedo entre as minhas dobras
encharcadas, e inseri um dentro de mim.
- Oh Reece! – Eu gemo e me contorço em seu colo.
- Baby, eu preciso estar dentro de você. – Ele geme e me envolve em
sua cintura, me leva em direção ao seu quarto, direto para a sua cama.
Eu me coloca sobre a cama e retira a sua roupa sem tirar os olhos de

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

mim. Quando termina ele está em cima de mim, me beijando


possessivamente. Ele retira o meu vestido lentamente beijando cada parte do
meu corpo.
Eu me contorço. O toque dos seus lábios macios contra a minha pele
em chamas está me deixando louca. Os seus lábios encontram os meus seios,
e ele leva um mamilo à sua boca, enviando uma sensação inebriante direto
para a minha entrada encharcada.
Reece beija todo o meu corpo. – Você cheira tão bem. – Ele geme.
Eu choramingo e sinto o meu orgasmo se construir a cada segundo. –
Reece, por favor. – Eu imploro.
Eu corro as minhas mãos pelo seu cabelo macio. Eu estou embriagada
de desejo. Esse homem me deixa louca. Eu sei que não deveria ter caído nos
seus encantos, mas eu não poderia estar melhor.
Este momento. Eu nunca fui a garota que fode todo mundo, mas
Reece é diferente. Eu não sei o que é, mas com ele eu me sinto selvagem.
Desinibida. Sensual. Ele desperta o melhor de mim.
Ele arrasta os dedos entre as minhas dobras me provocando, e os
meus quadris empurram para encontrar os movimentos.
- Reece. – Eu estou ofegante.
- Você é tão linda. Eu poderia provocá-la durante toda a noite. – Ele
esfrega o meu clitóris enquanto passa a sua língua nas minhas dobras.
As minhas costas se erguem. Eu estou louca, desesperada para ter mais
dele.
Nada nunca foi tão bom antes.
Eu gemo, empurrando os quadris por mais.
Ele puxa para trás e sorri. – Tão ansiosa.
- Oh Deus, me foda Reece. – Eu suspiro.
Ele está saboreando a minha buceta, e eu sou uma bagunça prestes a

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

gozar na sua boca. – É tão bom. – Eu fala através da minha luxúria.


A visão do seu rosto entre as minhas pernas é a visão mais quente que
eu já vi na minha vida.
Ele esfrega o meu clitóris mais forte, enquanto beija os lábios da
minha buceta. Eu não sei se vou aguentar por muito mais tempo.
Reece toma os meus quadris e se ergue sobre mim. Inclinando-se para
me beijar. Eu posso sentir o meu gosto em seus lábios. E gemo de prazer.
Ele segura a sua ereção pulsante, e esfrega sobre as minhas dobras em
chamas. E um grito gutural deixa a minha garganta. Eu levanto os meus
quadris, desesperada para tê-lo dentro de mim. – Reece, por favor!
Ele empurra para dentro de mim com um impulso. – Foda-se! – Ele
geme.
- Não pare. – Eu gemo quando ele bate mais forte dentro de mim.
- Nunca! – Ele grita e bate mais forte.
Reece entrelaça as nossas mãos, e as coloca acima da minha cabeça.
Ele bate dentro e fora da minha buceta atingindo o meu ponto sensível.
Eu nunca amei tanto algo na minha vida. O seu longo e duro pau
acertando o meu ponto doce com precisão.
Eu não consigo ter o suficiente dele. Eu levanto os meus quadris para
encontrar os seus movimentos.
A minha buceta aperta o seu pau, e eu sinto o meu orgasmo se
aproximando. Reece me beija possessivamente. Estamos respirando
pesadamente.
Ele parece tão sexy.
Ele leva um mamilo à sua boca, e depois o outro.
O meu corpo começa a convulsionar quando o meu orgasmo rasga
através de mim.
- Deus, eu nunca tive nada assim. – A minha voz sai rouca e baixa.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

A minha buceta está estrangulando o seu pau, mas eu quero que ele
venha comigo. Então cravo as minhas unhas em suas costas, e arqueio as
minhas costas, e fico em cima dele. Eu estou montando-o com tudo que
tenho. O seu pau está tão profundo dentro de mim.
Reece segura os meus quadris, e eu o empalo até o talo. E bombeio
para cima e para baixo até que sinto os seus músculos tensos debaixo de mim.
Ele goza duro debaixo de mim, e eu venho junto gritando o seu nome.
- Porra! – Ele diz quando termina.
- Isso foi incrível. – Eu gemo, tentando encontrar a minha respiração.
Ele se inclina e toma os meus lábios. Beijando-me lentamente. – Eu
acho que você me quebrou, mulher. – Ele sussurra sorrindo.
Eu rio e me aconchego em seu peito suado. – Você é louco.
Os seu braços deslizam em volta da minha cintura. – Louco por você.
Se isso for um sonho eu não quero acordar nunca. Eu sorrio e derivo e
fecho os meus olhos deixando o sono me levar.
Feliz e muito satisfeita.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 14

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Abby

Eu acordo com Reece me beijando. E é a melhor forma de acordar.


- Graças a Deus que você está viva. Eu pensei que tinha sido bruto
demais com você. – Ele me dá um sorriso satisfeito, e eu bato em seu braço
sorrindo.
- Você é tão bobo. – Eu sorrio.
- Apenas para você, querida.
- Você sabe que as pessoas vão falar, não é? – Eu falo enquanto Reece
planta beijos ao longo do meu pescoço e ombro.
- Eu não me importo. Eu sou o chefe. – Ele faz pouco caso.
- Reece, eu estou falando sério. Todo mundo vai achar que eu sou
uma interesseira, que está tentado dar um golpe no chefe.
Reece se move e fica em cima de mim, a sua boca esmaga a minha.
Quando ele se afasta eu estou ofegante.
- Eu não me importo, Abby. Eu só me preocupo com o que você
pensa. – Ele diz muito sério, e eu acredito.
- Ok. – Eu digo.
- Agora que estamos entendidos. Eu quero te mostrar algo mais
interessante.
Depois de um sexo alucinante, Reece e eu transamos lento e
preguiçoso. Não há pressa. Ele e eu atingimos o clímax juntos.
Eu me aconchego em seus braços, e inalo o seu cheiro.
Ele cheira tão bem. Algo amadeirado.
Reece me abraça, e não há nenhum espaço entre nós.

***

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Reece não me deixou dormir por muito mais do que uma hora. O
homem é insaciável. Eu estou dolorida, mas de uma forma deliciosa.
Está quase amanhecendo, e nós não tivemos quase nada de sono.
Algo que eu não estou reclamando. Reece me deu mais orgasmos na
noite passada do que jamais imaginei ser humanamente possível.
- Você já se apaixonou? – Eu pergunto curiosa.
- Não. – Ele é rápido e curto.
- Nem quando estava no colégio? – Eu insisto.
- Nunca. – Ele se contorce e eu sei que estou entrando em uma linha
desconfortável.
- Isso te incomoda?
- O que? – Ele fingi não prestar atenção.
- O fato de nunca ter se apaixonado.
- Não, eu nunca procurei isso em alguém. E não, isso não me
incomoda.
- Ok. – Eu decido dar um tempo nessa linha de pensamento. Mas em
algum momento vou trazê-la à tona em breve.
- Você está com fome? – Ele pergunta se levantando da cama.
- Um pouco. – Confesso.
- Ok. Eu vou preparar algo para comermos.
Reece faz um delicioso café da manhã, e nós comemos em silêncio. O
clima ficou estranho quando perguntei se ele já tinha se apaixonado. Eu não
sei por que ele ficou tão bolado com isso, mas agora eu me sinto estranha em
pressioná-lo.
- Lucian vai te levar e esperar até que você fique pronta para ir para o
trabalho. – Ele diz e toma um gole do seu café.
- Não é necessário. – Eu não preciso da sua caridade.
- Eu insisto, Abby. – Ele é firme.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Ok. – Eu decido não bater de frente. Se ele quer ficar de cara


emburrada, eu não vou ser a pessoa que vai fazê-lo mudar de ideia.
A noite passada foi tão boa que eu estou começando a imaginar que
tudo foi um sonho, e que eu acabei de acordar.
Reece ficou distante durante o restante do café da manhã. E como
prometido, o seu motorista me levou em casa e me esperou para me levar à
Cuttler Inc.
Reece me deu um beijo casto nos lábios, e abriu a porta do carro para
mim. Ele ainda estava distante, e todos os pensamentos negativos sobre isso
que estamos tendo veio com força total.
Eu respirei fundo e rezei para que ele não quebrasse o meu coração.

***

A Cuttler Inc. estava lançando um novo software, e o Departamento


de Marketing organizou uma grande recepção para mostrar o seu produto.
O dia estava agitado na empresa. Eu quase não tive a chance de ficar a
sós com Reece. Ele estava de mal humor, e eu não queria ficar na sua mira,
então optei por fazer o meu trabalho quieta.
Eu vou para o meu almoço e na volta trago o seu café com um
sanduiche. Eu sei que ele ainda não teve tempo de parar para comer.
Eu bato na sua porta. – Entre. – Ele grita do outro lado.
Reece está sentado com uma pilha de papéis em cima da mesa. Eu
dou a volta e coloco o seu café em um espaço pequeno na borda da mesa.
- Obrigado. – Ele diz sem tirar os olhos dos documentos que ele está
analisando.
- De nada, você precisa de mais alguma coisa.
- Não.
Eu começo a sair, mas ele me para. – Como foi o seu almoço?

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Eu me viro. – Foi legal. Obrigada pela carona com o seu motorista.


- Não foi nada.
- Ok. – Eu dou um sorriso forçado e me afasto.
- Você pode sair mais cedo hoje, Abby.
- Tudo bem, obrigada.
- Apenas se certifique que você tenha as correções feitas antes de sair.
- Eu vou, obrigada. – Eu falo e saio deixando-o voltar ao trabalho.
Eu não sei o que fazer. De repente ir para essa festa é a última coisa
que eu quero nesse momento. Eu não consigo entender como fomos de
amantes à estranhos.
Eu afasto esses pensamentos da minha cabeça e volto ao trabalho.
Às cinco eu termino tudo e arrumo as minhas coisas e vou para casa.
Eu deixei uma nota na minha mesa caso ele fosse me procurar. Ele estava em
uma vídeo conferência e pediu para não ser incomodado.

***

Eu tomei um banho rápido e comecei a me preparar. Eu sequei o meu


cabelo e fiz um coque arrumado deixando alguns fios soltos. Apliquei uma
maquiagem leve com uma boca vermelha bem sensual.
Eu estava me sentindo a própria Marilyn Monroe. O meu vestido era
de seda vintage. O que combinava perfeitamente com as minhas sandálias de
strass.
Samirah me enviou uma mensagem dizendo que chegaria em dois
dias. Eu não via a hora da minha amiga estar de volta. Ela faz tanta falta.
Eu terminei de me arrumar e verifiquei o meu telefone para ver se
havia alguma mensagem de Reece, mas não tinha nada.
Eu coloquei o batom e o celular na bolsa e desci para esperar o táxi
que já estava chegando.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

O táxi chegou dois minutos depois. Eu disse o meu destino para o


motorista e ele me levou para o Boston Center.
O táxi me deixou na porta, e eu segui para dentro do salão luxuoso.
Tudo parecia incrível. Avistei Amanda que estava com um homem muito
bonito e sorri quando ela acenou para mim com uma taça de champanhe.
- Oh meu Deus! Você está maravilhosa, Abby. – Taylor do setor de
Marketing falou quando se aproximava.
- Obrigada. Você também está muito bonita, Taylor. – Eu sorri
agradecida.
- Obrigada. Vem, vamos nos misturar. – Ela me puxou pelo braço e
me levou para onde estavam algumas pessoas do setor de Marketing da
Cuttler Inc.
- Você está linda, Abby. – Mark sorriu enquanto beijava minha
bochecha.
- Obrigada.
- Eu amo o seu vestido, e a forma como ele abraça as suas curvas. –
Kathy do setor de RH falou.
- Obrigada, Kathy. Você está muito bonita também, e eu amo essa cor
em você. – Eu falei. Kathy tem um tom de pele bronzeado, e estava usando
um vestido longo cor de oliva. O que destacou a sua pele ainda mais. Ela
estava deslumbrante.
Eu olhei em volta, e o meu estômago caiu quando eu vi Reece com as
mãos na cintura de uma ruiva peituda. Kathy percebeu e bufou. – O chefe não
perde tempo. O cara é o maior mulherengo de todos os tempos.
Eu desviei o olhar e tentei me focar na conversa, mas não estava
dando certo. Eu sabia que isso não era uma boa ideia.
Reece Cuttler não é um homem de apenas uma mulher. E
principalmente de alguém que é a sua assistente pessoal. Eu segurei as

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

lágrimas que ameaçaram cair, e decidi aproveitar a festa. Amanhã eu daria


um basta em tudo isso, mas hoje eu vou desfrutar dessa festa como se fosse a
única.
Um garçom passou com uma bandeja de bebidas e eu peguei uma taça
de champanhe. Álcool funciona como coragem líquida na maioria das vezes.
Então aqui vamos nós.
A festa está linda. E eu não vou deixá-lo arruinar a minha noite. Eu
cometi um erro, mas não estou disposta a continuar pecando.
Taylor conhecia muita gente dentro e fora da Cuttler Inc. Ela fez
questão de nos apresentar à todos os caras solteiros que estavam na festa.
O álcool estava fazendo o seu efeito, e eu estava me sentindo mais
leve e sorridente. Eu precisava de mais uma bebida, então eu fui até o bar
para reabastecer o meu copo.
Quando eu terminei de pedir ao barman, alguém se aproximou, mas
eu não me preocupei em virar para ver quem era.
- O que uma mulher tão bonita faz em uma festa como essa sozinha?
– Uma voz grossa e sensual fala atrás de mim.
- Tentado obter alguma bebida. – Eu falo sem olhar.
O estranho ri e insiste. – Eu sou Jack.
- Bom para você. – Eu já estou bêbada.
- Essa doeu. – Ele soa magoado, e eu me sinto mal por ter sido tão
grossa, então me viro para encontrar o dono do par de olhos verdes mais
lindos que eu já vi na minha vida. O cara é deslumbrante. Não como Reece,
porque não há qualquer homem capaz de vencê-lo nesse quesito, mas ele é
muito bonito.
- Eu sinto muito, eu estou tendo um dia ruim. – Eu tentei me
desculpar.
- Está tudo bem. – Ele sorri.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Eu sou Abby. – Eu falei tomando um gole da minha bebida que o


barman trouxe.
- Muito prazer em conhecê-la, Abby.
Jack e eu iniciamos uma conversa. De fato ele era um homem muito
interessante. Ele me fez rir e pela primeira vez hoje, eu me senti relaxar.
Eu não estava interessada nele, mas foi muito bom ter alguém para
conversar e ocupar a minha mente além de Reece Cuttler.
- Se você me der licença, eu tenho que usar o banheiro. – Eu falei e
caminhei em direção aos banheiros. O caminho para os banheiros estava com
as luzes baixas, o que dava ao ambiente um clima mais romântico e íntimo.
Depois de usar o banheiro, eu cavei através da minha bolsa pelo meu
batom para retocar a minha maquiagem. O banheiro estava vazio, então os
únicos sons eram de passos do lado de fora. A minha cabeça se ergueu e eu vi
Reece com o rosto vermelho através do espelho.
Os seus olhos estavam sombrios.
- Que merda você pensa que está fazendo, Abby? – Ele rugiu.
Eu olhei para ele sem saber do que ele estava falando, e esperei que
ele continuasse.
- Responda-me, Abby? – O cara estava louco.
- Do que você está falando? – Perguntei confusa.
- Não se faça de desentendida, Abby. – Ele cerrou os dentes e deu um
passo para perto de mim.
- Você está bêbado? – Eu me virei para encará-lo.
- Não me teste, Abby. – Ele rosnou.
Eu balancei a cabeça e coloquei o meu batom de volta na bolsa. –
Quando você estiver no seu estado normal a gente pode conversar, mas até lá
eu estou indo. – Eu falei e tentei passar por ele, mas ele não me deixou.
- Você não vai a lugar algum. – Ele deu um passo para a minha frente.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Você está louco, Reece?


- Sim. Eu estou fodidamente louco. – Ele fechou a distância que havia
entre nós, o que me deixou sem ter como me mover.
- Saia do meu caminho, Reece. – Eu pedi, já perdendo a paciência.
- Não até você me dizer o que diabos você quer com Jack Stone. – Ele
rosnou como um homem possuído.
- Eu não quero nada com Jack. Eu apenas acabei de conhecê-lo. E
quem você pensa que é para dizer o que eu tenho que fazer ou não? – Eu
estava farta.
- Você é minha, Abby. Minha! – Ele gritou me pressionando mais
contra a parede.
- Eu não sou nada sua. – Eu empurrei o seu peito, mas ele nem se
mexeu.
- Não brinque comigo, Abby. – Ele estava furioso.
- Brincar com você? O que diabos você quer de mim, Reece? Por que
durante todo o dia você me ignorou e me tratou como se não me conhecesse,
e agora vem aqui batendo nos peitos como um homem das cavernas achando
que tem o direito de ditar o que eu faço ou não. – Eu cutuquei o seu peito
com o dedo para fazer o meu ponto.
- Eu não ignorei você. Eu estava ocupado. – Ele rugiu.
- Você espera que eu acredite nessa merda? – Eu falei.
- Sim. – Ele rugiu.
Eu senti o meu rosto esquentar. – Eu não acredito nessa merda, e você
não manda em mim.
- Eu não quero você perto de Jack.
- Bem, eu odeio dizer isso Reece, mas você não manda em mim. – Eu
estava além de irritada com a sua reação.
- É mesmo? – Ele colocou a mão sobre o meu seio e apertou o

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

mamilo. A minha respiração desacelerou, e a minha buceta apertou.


- Ele é apenas alguém que eu conheci, Reece. Eu não estou indo
transar com ele. Ele moveu a sua outra mão para debaixo do meu vestido, e
encontrou o meu clitóris.
Ele estava tentando me distrair com sexo, mas eu não podia permitir.
Eu sai do seu agarre, e abri caminho e sai correndo para fora do banheiro.
Eu não preciso disso. Reece Cuttler está costumado a ter tudo que ele
quer, mas eu não como as mulheres que ele costuma usar e depois descartar.
Eu sou melhor do que isso e vou provar não só para ele, mas também para
mim.
Render-me aos encantos do meu chefe foi o maior erro que eu cometi
em muito tempo, mas isso estava prestes a mudar. Amanhã será um novo dia,
e eu vou fazer tudo diferente.

Continua ...

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

NOTA DA AUTORA

Para saberem mais sobre esse e outros livros de Ava G.


Salvatore, acessem e sigam os seus canais nas Redes Sociais:
Instagram:https://www.instagram.com/avagsalvatore/
Twitter: https://twitter.com/avagsalvatore
Facebook: https://www.facebook.com/avagsalvatore/

NACIONAIS-ACHERON

Você também pode gostar