Você está na página 1de 95

PERIGOSAS

BOSS
Volume 3

AVA G. SALVATORE

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Tabela de Conteúdos

Sinopse
Capítulo um
Capítulo dois
Capítulo três
Capítulo quatro
Capítulo Cinco
Capítulo seis
Capítulo sete
Capítulo oito
Capítulo Nove
Capítulo dez
Capítulo Onze
Capítulo Doze
Capítulo Treze
Capítulo Quatorze
Capítulo Quinze
Capítulo dezesseis
Capítulo dezessete
Capítulo Dezoito
Epílogo

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Sinopse

Reece Cuttler e Abby se apaixonaram a primeira vista.


A química entre eles é inegável, mas algo ou alguém poderá destruir o
que eles têm de mais bonito.
Reece é um homem dominador, mas ele nunca negou o que sente por
Abby. Mas será que Abby estará ao seu lado quando algo do passado surge
para assombrá-lo?
A conclusão da história de amor entre uma assistente e o seu chefe
possessivo. Venha se apaixonar com Reece e Abby.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 1

Abby

Eu não sabia o que dizer. Reece estava muito irritado e pelo olhar em
seu rosto ele estava ferido também.
Eu queria explicar, mas ele não estava me dando à oportunidade.
- Reece, você precisa se acalmar. – Eu toquei o seu braço para que
pudéssemos entrar em seu escritório, mas ele se afastou do meu toque como
se estivesse com nojo de me tocar.
- Não me toque. – Ele cuspiu fora.
- Tudo bem, mas não podemos fazer isso aqui no corredor, onde todos
podem nos ouvir. – Eu falei, e ele deu as costas caminhando para dentro da
sua sala parecendo furioso.
- Fale. – Ele rosnou.
- Sim. Eu me encontrei com Jack, mas não é nada do que você está
pensando.
- Não. – Ele bufa.
- Jack tem sido um perfeito cavalheiro desde o momento em que nos
conhecemos. Ele me convidou para tomar um café e eu aceitei, mas foi

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

quando eu descobri que ele quer algo mais do que ser apenas meu amigo.
- Eu vou matar aquele desgraçado. – Reece pega o grampeador em
cima de sua mesa e o atira na parede ao fundo.
Eu me encolho diante da sua fúria.
- Você precisa se acalmar, Reece.
- Não me peça para me acalmar, Abby. Você me traiu. Agiu pelas
minhas costas se encontrando com aquele fodido desgraçado. – Ele rugiu.
- Eu não te traí. Embora eu não tenha certeza de que você fez o
mesmo comigo. Eu sei da longa lista de mulheres com quem você já saiu,
Reece. E eu nunca sei onde estamos.
- Você deve estar brincando comigo. Eu já te falei o que você
significa para mim, Abby. Eu nunca dei a outra mulher tanta atenção ou a
hora do meu dia como eu faço com você.
- Eu odeio o seu passado. Odeio a sua fama de playboy entediado que
tem o sabor do mês. Eu quero ser muito mais do que isso, Reece.
- Você é mais do que isso, Abby. Pelo menos para mim.
- Não aconteceu nada com Jack , e nunca vai acontecer. Não é ele que
eu quero Reece. Eu não entendo essa sua rixa com Jack, mas ele não é o
monstro que você pinta.
- Você não sabe o que está falando, Abby. – Ele parece furioso.
- Perfeito, então porque você não me conta a verdade.
- Eu não posso. – Ele parece derrotado.
- Isso não é uma boa resposta, Reece. Nada aconteceu. Eu já te falei
inúmeras vezes.
- Eu não acredito em você. – Ele grita, e eu estouro.
- Vá se foder. – Eu grito e saio da sua sala batendo a porta atrás de
mim, rezando para que ele não me siga. Eu preciso sair daqui.
Eu pego a minha bolsa e corro para fora.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Eu preciso de um pouco de ar.


Eu entrei no meu carro e dirigi até o parque. Eu preciso respirar um
pouco de ar frio e sentir a brisa fria contra a minha pele. Reece não me
seguiu, o que foi uma coisa boa. Eu acho.
Eu tirei os meus sapatos e andei pela grama fria da manhã, tentando
colocar os meus pensamentos em ordem.

***

Eu enviei uma mensagem para Amanda informando que eu não estava


me sentindo bem, e que não voltarei para a empresa hoje.
Amanda: O que houve? As pessoas estão comentando que você e
Reece tiveram uma briga feia. - Ela me responde rapidamente.
Pelo visto todos tinham ouvido a nossa briga.
Eu: Eu não quero falar sobre isso. Desculpe.
Amanda: Está tudo bem. Eu falo com você depois, fique bem.
- Eu vou, obrigada.
Eu coloquei o meu telefone ao lado e tentei não pensar em tudo que
tínhamos dito ao outro.
Eu passei o resto do dia deitada na minha cama com um pote de
sorvete de creme com passas, o meu favorito. A minha TPM estava na
estratosfera.
Reece não veio para o meu apartamento, e também não ligou. Eu
também não tentei entrar em contato com ele.
Eu queria ligar para Samirah, mas eu não fiz.
A minha mãe tinha me enviado uma mensagem informando que
chegaria ao final de semana. E eu estava feliz.
Eu precisava do colo da minha mãe.
Na manhã seguinte, eu fui para a empresa. Reece não apareceu e

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

ninguém sabia onde ele estava.


Algo dentro de mim me dizia que isso não era bom.
Reece é imprevisível. Eu nunca sei o que ele está pensando, ou o que
ele planeja fazer. E eu tenho medo de descobrir algo que vá me quebrar de
vez.
Eu decidi deixar o meu orgulho de lado e ligar para o seu celular, mas
ele foi direto para a caixa de mensagem.
Ansiedade estava tomando conta de mim.
Amanda me envia uma mensagem para passar em sua sala. Eu me
levanto e vou ao seu encontro.
A sua assistente me manda entrar direto, mas eu bato primeiro.
- Pode entrar. – Amanda fala lá de dentro.
- Ei, como você está? – Amando perguntou assim que eu entrei em
sua sala.
- Não muito bem. Você ouviu alguma coisa de Reece?
- Eu sei que ele ligou ontem à noite dizendo que precisava de um
tempo para pensar nas coisas, mas de acordo com Damon, ele só falou isso.
- E o que isso significa?
- Reece tem os seus demônios como todo mundo tem, Abby. Apenas
lhe dê algum tempo. Ele vai explicar tudo.
- Tudo bem. Obrigada, e me desculpe por ter saído ontem.
- Está tudo bem. – Ela sorri.
- Eu vou voltar ao trabalho. Se você souber de alguma coisa, por
favor, não deixe de me avisar.
- Eu avisarei. Não se preocupe.
- Obrigada.
Eu voltei para a minha mesa, mas a pouca atenção que eu trouxe
comigo para o trabalho estava agora completamente fora.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Eu tentei me concentrar e voltar ao trabalho, mas não estava sendo


fácil.
No final do dia, eu ainda não tinha ouvido nada dele, então liguei
novamente para o seu telefone, mas ele foi para a caixa de mensagem de
novo.
Eu não sabia o que fazer.
Eu poderia ir até a sua casa e vê se ele estava bem. Mas e se ele não
me quisesse lá? Ou se estivesse com alguém.
Eu afastei esses pensamentos para longe. E dirigi em direção à sua
casa. Eu precisava saber que ele estava bem.
Tudo estava escuro quando eu estacionei em frente ao portão. Eu
desci do carro e toquei a campainha, alguns segundos se passaram antes da
sua voz soar pelo interfone.
- O quê? – Ele perguntou zangado.
- Sou eu, Reece.
- Vá embora, Abby. Será melhor assim.
- Eu não posso. Eu vou ficar aqui até que você decida abrir a porta.
Ele bufou e suspirou. Parecia lutando contra algo, mas pouco tempo
depois o portão se abriu me permitindo passagem.
Eu pulei no meu carro e dirigi para dentro.
O lugar todo parecia uma casa assombrada, não havia luz em nenhum
lugar. Eu tive que ligar a lanterna do meu celular para poder chegar a casa
sem tropeçar em nada. Por sorte a piscina era na parte de trás da casa.
A porta da frente estava aberta. Eu respirei fundo e entrei. Mesmo no
escuro eu podia ver a figura de Reece na escuridão. E pela expressão largada
do seu corpo no sofá, e o copo na mão, eu diria que ele teve um dia ocupado
com o seu amigo uísque.
- Reece? – Eu dei um passo para frente, mas parei quando o cheiro de

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

álcool fervilhava no ar.


- Foi por isso que você não apareceu na empresa? – Eu perguntei me
aproximando.
Eu passei a lanterna por toda a sala e encontrei várias garrafas de
uísque jogadas pelo tapete. Ele tinha bebido além da conta. E ainda estava
com a roupa de dois dias atrás.
Reece não olhou para mim. Os seus olhos estavam fixos em algum
lugar na parede à nossa frente.
- Reece? O que está acontecendo?
O silêncio foi a sua resposta. Ele não estava interessado em falar, mas
eu não iria desistir.
- Você está começando a me assustar, Reece.
- Não se preocupe. – Ele tomou outro gole da sua bebida, mas não
olhou para mim.
- Você não atendeu nenhuma das minhas ligações. O que está
acontecendo? Porque você está bebendo?
- Eu precisava ficar sozinho, e a bebida é a única que me faz esquecer,
mesmo que por um breve momento.
- Eu não entendo. O que você quer esquecer?
- Isso não tem nada a ver com você, Abby. Apenas vá embora e me
deixe sozinho.
- Eu não vou a lugar nenhum. – Eu coloquei o meu celular na mesinha
e procurei o interruptor. Esse lugar estava uma bagunça, e eu acabaria
tropeçando em algo.
Quando as luzes se acenderam, eu pude ver que o desastre era ainda
maior do que eu pensei. Tudo estava quebrado e espalhado pelo chão da sua
sala.
- Oh meu Deus! O que aconteceu? Quem fez isso?

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Eu. – Ele falou e pela primeira vez olhou em minha direção. Quando
os nossos olhos se encontraram, eu vi a dor, o sofrimento e a culpa gravados
em seu rosto.
Ele parecia acabado.
Eu arfei, e dei um passo para frente, parando a centímetros dele.
- Reece?
- Eu sinto muito. – Ele balançou a cabeça e tomou mais um gole da
sua bebida. Eu queria arrancar esse copo da sua mão, mas eu sabia que ele
não me deixaria.
- Você sente muito? – Eu perguntei confusa. – Por quê? – Eu
perguntei ao sentar ao seu lado.
- Você estava certa. Eu sou um idiota, e não mereço você.
- O quê? Por que você está dizendo isso, Reece? – Parecia que alguém
tinha me dado um soco no estômago.
Ele olhou para mim, seus olhos tristes me encarando como se
estivesse com muita dor.
- Eu não sou um homem bom. Jack fodido Stone tinha razão, mas ele
também não é o homem certo para você. Você merece alguém muito melhor.
- Eu não entendo. O que Jack tem a ver com isso? E porque você acha
que não é bom para mim. Eu te amo, Reece.
- Isso não deveria ter acontecido. Eu não sou bom com
relacionamentos. Nunca fui.
- Não é verdade. Você é uma pessoa incrível, e eu te amo.
- Você não me conhece, Abby. Não sabe do que eu sou capaz.
- Do que você está falando? – Eu perguntei confusa.
Reece parecia derrotado. Um homem sem esperança, e isso doeu
muito. Eu estava acostumada com o homem confiante, poderoso e que não
teme nada.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Eu queria entender o que estava acontecendo, e de alguma forma eu


sabia que Jack tinha a ver com isso.
Eu só espero que ele confie em mim para contar o que está
acontecendo. Eu odeio vê-lo sofrer.
- Eu não vou a lugar nenhum até você me contar o que está
acontecendo.
- Tudo bem. – Ele colocou o copo para baixo em cima da mesa e
respirou fundo. Seja lá o que for não deve ser uma coisa fácil. O seu corpo
estava tenso, e ele parecia com muita dor.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 2

Abby
- Eu te falei para ficar longe dele. – Ele rosnou.
- O quê? – Eu não estava entendendo onde ele queria chegar com isso.
- Você não vai começar com isso de novo, Reece. Eu já te falei que
nada aconteceu. – Falei.
- Eu te avisei, Abby. E você me traiu. – Ele parecia derrotado.
- Eu não traí você. Jack e eu apenas conversamos, e você sabe disso.
Nada aconteceu. - Eu estava começando a entrar em pânico.
Ele estava trazendo de volta tudo que já tinha sido esclarecido. Pelo
menos para mim tinha sido.
Eu acho que me enganei.
- Você não entende. Ele não é quem você pensa que é.
- Engraçado. Ele falou a mesma coisa de você. – Eu falei, então ele se
virou para me encarar.
- Você acha que eu sou pior que ele? Você acha que eu tenho alguma
semelhança com aquele fodido? Se você acha isso, Abby, então eu me
enganei com você. – Ele parecia ofendido.
- Eu não disse que você é igual a ele.
- Isso não quer dizer que não pensa, Abby.
- Tudo que eu sei é que você é um caçador. Um playboy, Reece.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Isso é tudo que eu sou para você? – Ele pergunta me encarando.


- Eu não sei. – Eu falo encarando os seus olhos sombrios. – Você é
cheio de mistérios, Reece. Eu nunca sei onde estamos com esse
relacionamento. Se é que podemos chamar isso de relacionamento.
- Isso não é justo. Eu tenho feito tudo para esse relacionamento dar
certo. Eu sei que não sou perfeito, Abby. Mas eu estou fodidamente
tentando., enquanto você está confraternizando com o inimigo. – Ele fala
andando de um lado para o outro na sala.
- Eu não entendo isso. Por que você e Jack se odeiam tanto? O que
aconteceu com vocês?
- Você quer mesmo saber, Abby? Será que você está pronta para saber
que tipo de monstro Jack Stone realmente é? – Ele rugiu na minha cara, e de
repente eu não estava mais certa se queria saber.
- Eu preciso saber, Reece.
- Tudo bem, mas eu acho que você precisa se sentar. Por que eu estou
prestes a lhe falar não é uma coisa bonita. – Ele falou.
Ele baixou a cabeça e respirou fundo antes de olhar para cima e
encontrar o meu olhar . Eu queria lhe dar espaço enquanto ele tomava o seu
tempo, mas não poderia me afastar. Não agora.
- Eu estava no meu segundo ano da faculdade quando eu a conheci.
Ela era linda e cheia de vida. A garota mais linda que eu já tinha colocado os
olhos. Ela era uma caloura, mas tínhamos aula de Economia juntos, e foi
assim que nos aproximamos. – Ele começou a falar e depois parou como se
estivesse revivendo as memórias.
Eu senti o meu coração apertar. Eu sabia que algo terrível tinha
acontecido pela expressão em seu rosto. Então ele continuou.
- Aproximadamente uma semana depois nós estávamos juntos. Ela era
perfeita. Eu não podia acreditar que ela era minha, e que eu a tinha. E que ela

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

era toda minha. Mas quando completamos um ano juntos ela começou a
surtar. Ela não queria fazer nada além de ficar comigo todo o tempo. Ela não
frequentava mais as suas aulas e estava sempre grudada em mim. Eu estava
ficando louco, então decidi romper com ela. Eu não sabia que isso seria como
um gatinho para ela. Eu vi todos os sinais de uma pessoa depressiva, mas me
recusei a reconhecer que ela seria essa pessoa.
- Oh meu Deus! – Eu apertei a sua mão enquanto ele continuava a
falar.
- Marissa tinha depressão, e um quadro grave de anorexia. Um mês
depois ela foi internada e passou por um tratamento muito sério. A sua
família estava muito preocupada que ela não fosse sair dessa. Foi aí então que
eu descobri a verdade. Ela e Jack tinham namorado na escola. Ela tinha
apenas quinze anos quando eles começaram. Mas Jack não a tratava bem. Ele
só queria se divertir e nunca dava atenção para ela. Marissa parou de se
alimentar, e quase nunca saía de casa. Então um dia ela descobriu que estava
esperando um filho dele. Ela ficou tão feliz, e assustada ao mesmo tempo,
mas quando ela contou a Jack, ele a obrigou a abortar.
- Oh Deus! – Eu não podia acreditar que Jack seria capaz de algo
assim.
- Ele a obrigou a abortar e depois disso ela surtou de vez. A sua mãe a
levou para um médico que a diagnosticou com Depressão e Anorexia
Nervosa. Ela ficou internada por quase dois anos e teve que estudar no
hospital. – Ele parou por um momento, então uma lágrima escorreu pelo
canto do seu olho.
Eu a limpei.
- Quando ela estava bem para voltar a sua vida normal, ela foi aceita
na faculdade, então foi aí que tudo começou novamente. Eu não sabia da sua
condição, ou eu nunca teria rompido com ela. – Ele parecia com dor.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Eu estava arrasada também o vendo sofrer.


- Está tudo bem, Reece. Você não precisa contar mais nada. Eu
entendo. – Eu falei apertando a sua mão.
- Você precisa saber tudo que aconteceu. – Ele falou, então continuou.
– Marissa foi internada pela segunda vez, mas dessa vez ela não conseguiu.
Ela estava muito frágil e um mês depois ela faleceu. – Ele estava chorando.
Esse homem lindo e imponente estava devastado.
- Eu sinto muito Reece. – Eu o puxei para mim, e o abracei.
- Foi minha culpa. Ela morreu por minha causa. E eu não pude fazer
nada.
- Isso não é verdade, Reece. Ela estava doente, e não havia nada que
você pudesse fazer.
- Eu o odeio. Ele começou isso. Eu sei que eu também tenho a minha
parcela de culpa, mas se ela nunca tivesse conhecido aquele maldito, ela
poderia ainda estar viva.
- Está tudo bem. Tudo vai ficar bem, Reece. Eu sinto muito. – Eu falei
e deixei que ele colocasse para fora toda dor e mágoa que o prendia.
- Eu sei que não tenho direito de te impedir de vê-lo, mas eu tinha que
tentar. Ele é corrosivo. Ele destroi tudo aquilo que toca. E eu não quero que
nada de mal aconteça com você.
- Nada vai acontecer comigo, Reece. – Eu segurei o seu rosto e o
beijei suavemente.
Eu sabia que existia algo entre Reece e Jack, mas nunca pensei que
fosse tão triste. E vê-lo se desfazer assim partiu o meu coração. Reece tinha
todas as razões do mundo para não me querer perto de Jack.
Embora eu não conheça a versão de Jack, eu prefiro acreditar no que
Reece acabou de me confidenciar. Ele não mentiria com algo tão sério.
- Eu te amo. Obrigada por me contar isso. Eu sei que não foi fácil,

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

mas estou feliz que você confiou em mim com algo tão sério.
- Eu também te amo. – Ele me beijou de volta.
O nosso beijo de repente se transformou em algo mais. Reece nos
inclinou sobre o sofá e me beijou com paixão. As suas mãos percorrendo o
meu corpo arrancando as minhas roupas do meu corpo.
- Eu preciso de você. – Ele gemeu contra a minha boca.
- Você me tem. – Eu falei gemendo debaixo dele. – Tudo de mim. –
Eu falei e era verdade.
Reece Cuttler tinha me conquistado de uma maneira única. Nada
nunca foi tão intenso ou perfeito. E eu o queria também.
Tudo dele.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 3

Abby

Estou sentada no meu sofá, uma taça de vinho em minhas mãos e o


meu Kindle me fazendo companhia. Reece viajou a negócios hoje cedo e só
voltará amanhã no final do dia.
Eu estava tendo dificuldades para me concentrar em qualquer outra
coisa. Eu não conseguia parar de pensar no que ele tinha me dito. Eu sei que
perder Marissa foi devastador para ele, mas ele precisa se perdoar, até mesmo
porque ele não tinha como ajudá-la da forma que ela precisava.
Eu não posso imaginar o que ela passou. E como foi difícil para ela
suportar tudo isso.
Eu olho para o meu celular em cima da mesinha de centro pela
milésima vez nos últimos dez minutos, desejando que ele tocasse. Reece não
me ligou durante todo o dia, e eu estava ficando preocupada, mas queria lhe
dar espaço.
Eu já sinto falta dele.
Eu não sei como eu pude ser tão idiota e acreditar na conversa mole
do Jack.
O meu telefone vibra em cima da mesinha mostrando uma mensagem
de texto, e o meu coração pula em minha garganta.
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

R: Ei! Eu sinto a sua falta.


A: Eu também. Como você está?
R: Bem melhor agora que estou falando com você.
Eu tomo um gole do meu vinho e me inclino para trás contra o sofá
assim que outro texto vem.
R: Eu queria que você estivesse aqui comigo.
Eu sorrio e respondo.
A: Sinto muito. O meu chefe me mataria se eu faltasse ao trabalho.
R: O seu chefe é um babaca.
A: Eu te amo.
R: Eu também te amo, Abby. Boa noite.

***

Uma semana tinha se passado desde que tudo tinha estourado. Reece
estava viajando a trabalho, e tudo estava voltando a sua rotina normal.
Eu não ouvi nada de Jack. O que era uma coisa boa, eu também não
estava interessada em nada que viesse dele.
Que tipo de homem faz o que ele fez?
O meu telefone vibra em cima da mesa e o rosto da minha mãe
aparece na tela. Eu sinto muito falta deles.
- Ei, mamãe. – Eu falo ao atender.
- Oi, querida. Desculpe eu estar ligando em seu horário de trabalho,
mas o seu pai e eu gostaríamos que você viesse jantar com a gente amanhã à
noite. O que você acha? Nós estamos sentindo muito à sua falta e será uma
boa oportunidade para conhecer esse homem que fisgou o coração da minha
menina.
- Oh mamãe. Eu também estou morrendo de saudades de vocês. Eu
vou adorar jantar com vocês, mas Reece está viajando, porém vou fazer o

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

convite.
- Perfeito. Eu tenho que ir. Eu vejo você amanhã, querida. Eu te amo.
- Eu também te amo, mamãe. – Eu falo antes de desligar o telefone.
Eu amo muito os meus pais. E sino falta de viver com eles, mas eu já
sou bem grandinha e preciso do meu próprio lugar. Mas isso não me impede
de querer rastejar de volta para a segurança que é o colo deles.
Se há uma coisa que eu sei é que os pais são os nossos melhores
amigos. Eles nos dão todo amor e carinho, e não precisam de nada em troca.
É o sentimento mais puro e genuíno. Eu espero ser tão boa mãe
quanto eu tive e ainda tenho. A minha mãe é a mulher mais incrível do
mundo, e espero um dia me tornar metade do que ela foi para mim para os
meus filhos.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 4

Reece

Eu estava finalmente indo para casa, mas eu não liguei para Abby
para avisar. Eu queria surpreendê-la. Depois de contar a ela sobre Marissa eu
tive que viajar, e não podemos conversar melhor sobre tudo que tinha
acontecido.
Eu não gostava de tocar nesse tema, mas estava feliz que tinha
compartilhado. Abby significa muito para mim, e eu queria que ela
entendesse o quanto eu detesto Jack fodido Stone.
Eu posso ter sido um playboy prostituto, mas eu nunca quis machucar
nenhuma delas. Era só diversão. E eu sempre fiz questão de salientar isso.
Lucian dirigiu até o apartamento de Abby, ainda era apenas sete da
noite. Eu sabia que ela estava em casa porque ela havia me enviado uma
mensagem dizendo que estava caminho de casa e que sentia a minha falta.
Eu não queria estragar a surpresa, então enviei uma mensagem de
volta falando que estava em uma reunião, mas que ligaria assim que saísse.
Eu odiava mentir, mas essa era para uma boa causa.
Tudo na minha vida mudou de perspectiva quando Abby entrou em
cena. Ela é como um sopro de ar frio em um dia quente de verão.
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Eu a amo e quero viver ao seu lado pelo resto da minha vida, mas sei
que ainda temos um longo caminho a percorrer. E eu não quero ser egoísta e
atropelar os seus planos.
Abby merece o mundo, e eu vou lutar com tudo que eu tenho para
fazer dela a mulher mais feliz do mundo.
Eu me sentia como um adolescente, tão animado com a ideia de
surpreendê-la que quase tropecei quando sai do elevador.
Eu carregava um buquê de rosas vermelhas que eu comprei no
caminho para cá. E no meu bolso havia uma caixa de veludo com um anel de
diamantes e safiras que eu tinha encomendado especialmente para ela.
Eu queria propor agora mesmo, mas eu queria que tudo fosse perfeito.
Então por hora ela só teria as flores. Mesmo que a vontade de fazê-la minha
para sempre fosse muito maior, eu teria que esperar o momento certo para
pedi-la em casamento.
Eu tinha as chaves do seu apartamento, mas decidi bater. Eu queria
ver o seu rosto quando ela abrisse a porta e me visse.
A luz da sala estava acesa, o que significava que ela estava
trabalhando em casa. Ela gosta de sentar na frente da TV e trabalhar em seu
laptop enquanto passa as suas séries favoritas.
Eu não sei como ela consegue manter a atenção no trabalho e no que
está acontecendo na TV, mas ela consegue. Ela tem uma paixão pela série
Younger.
Eu bato na porta e espero.
Ouço o som dela praguejando enquanto tropeça no cobertor. E tento
conter o meu riso.
- Quem é? – Ela pergunta antes de abrir.
- Entrega para a senhorita Moretti. – Eu tento disfarçar a minha voz.
- Só um minuto. – Ela fala, e eu sei que ela está tentando olhar pelo

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

olho mágico, mas eu coloquei as flores na frente para que ela não pudesse me
ver.
Eu a ouço suspirar e logo ela começa a destravar as trancas da porta.
A porta se abre e eu tiro o buquê do meu rosto. Ela grita e pula em cima de
mim, beijando-me.
- Oh meu Deus! Eu pensei que você só viria amanhã. – Ela fala e
depois me beija novamente.
- Surpresa. Eu senti sua falta, querida. – Eu falo entre os seus lábios.
- Eu também senti a sua falta.
Eu dou um passo para dentro com ela enrolada em minha cintura e
fecho a porta atrás de nós com a ajuda do meu pé.
- Eu preciso de você. – Eu gemo entre os seus lábios.
- Oh Deus! – Ela geme quando eu aperto o seu seio, enquanto ela se
esfrega contra o meu pau.
- Reece. – Ela geme, e eu sei o que a minha mulher precisa.
- Eu vou cuidar de você, querida. – Eu a coloco sobre o sofá.
Havia algo erótico sobre foder no sofá. Eu adorava me enterrar
profundamente em sua buceta apertada quando ela estava inclinada sobre o
sofá.
Eu podia sentir o meu pau profundamente em seu calor quente,
enquanto as paredes da sua buceta me ordenhavam.
Eu estava morrendo para tê-la. Isso não ia ser doce ou suave. Eu
precisava fodê-la com força.
Abby entendia. Ela sabia que a besta dentro de mim a queria como se
ela fosse à última gota de água no deserto.
- Foda-me, Reece. – Ela gemeu contra a minha língua. E foi tudo que
eu precisei para entrar em ação.
Eu deslizei a minha mão por sua coxa e sob o seu vestido até que eu

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

cheguei a onde deveria estar a sua calcinha, mas ela não tinha uma.
Eu gemi e me afastei. Ela encontrou os meus olhos e sorriu.
- Eu estava pensando em você, então... – Ela corou e não conseguiu
terminar a frase. Eu sabia o que ela estava fazendo, mas queria ouvir da sua
linda boca.
- O que você fez, Abby? – Eu perguntei, a minha voz rouca.
- Eu... Eu me toquei pensando em você. – Ela fechou os olhos com
vergonha de me dizer que tinha se masturbado pensando em mim.
- Olhe para mim, querida. – Eu comandei, e ela fez. – Eu amo isso. Eu
estou feliz que você fodeu a sua buceta apertada pensando em mim, querida.
– Eu falo e a beijo de novo.
Eu deslizei o meu dedo pelas suas dobras. Ela estava tão excitada. Eu
empurrei o meu dedo indicador dentro e fora da sua buceta encharcada. Os
seus quadris ondularam para cima enquanto eu deslizava dentro e fora do seu
calor apertado.
Eu ansiava por estar dentro dela. Chupar os seus mamilos rosados, e
me enterrar profundamente dentro dela.
Eu beijei todo o caminho ao longo do seu pescoço e depois de volta
para a sua boca.
- Você é minha, Abby. – Eu sussurrei contra os seus lábios.
- Sim. – Ela gemeu se contorcendo contra os meus dedos. As suas
mãos foram para os meus cabelos, enquanto eu a beijava forte.
Eu senti o seu corpo tencionar debaixo de mim, e soube que ela estava
perto. Com a ajuda do meu dedo médio, eu esfreguei o seu clitóris inchado, e
ela apertou contra o meu dedo.
O seu aperto sobre o meu cabelo aumentou, e ela gozou.
Nada era mais sexy do que vê-la chegar ao clímax. Eu não poderia
aguentar mais. Eu abri o zíper e puxei o meu pau para fora, esfregando contra

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

as suas dobras molhadas e empurrei para dentro sem aviso.


- Reece. – Ela gemeu e apertou os meus cabelos.
- Foda! – Eu gemi quando o eu pau deslizou para dentro dela.
- É tão bom, Reece. – Ela geme debaixo de mim.
- Sim, querida. Você é tão apertada. – Eu bato mais forte dentro dela.
Ela empurra os quadris para encontrar os meus movimentos. Eu estou
sem fôlego, perdido em seu calor apertado.
O seu corpo arqueia, e eu bato mais forte. As paredes da sua vagina
apertam o meu pau, e ela vêm gritando o meu nome.
- Reece. Oh Deus! – Ela grita enquanto goza.
Eu bato mais forte dentro dela, o meu corpo estremece e com um
rugido eu gozo junto com ela. Os nossos fluidos se misturando. Nós não
usamos proteção. Nunca usamos, na verdade. Quando eu tive um gosto dela
sem nada, eu não consegui me parar. Eu nunca tive sexo sem proteção, e sei
que ela também está limpa. Mas vai muito mais além disso.
Eu quero um bebê. Eu quero que Abby carregue o meu bebê em seu
ventre.
É isso. Eu quero o pacote completo. Casamento, bebê, uma família. A
minha família.
Por mais alguns segundos eu permaneço dentro dela, então eu me
retiro e a puxo para ficar em cima de mim. O sofá é muito pequeno para nós
dois, mas eu não quero me mover para longe dela.
- Eu senti falta disso. – Ela fala contra o meu peito.
- Eu também, querida. – Eu sorrio, correndo as minhas mãos pelo seu
corpo.
- Os meus pais querem te conhecer. – Ela fala com cuidado, como se
estivesse esperando uma luta.
- Ok. – Eu falo.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Ok? – Ela ergue a cabeça para me encarar.


- Sim. Eu também quero conhecê-los. Na verdade, eu iria sugerir isso,
mas você foi mais rápida.
- Você está certo disso? Quero dizer, é um passo muito grande. – Ela
prece apreensiva.
- Querida, eu te amo, e quero passar o resto da minha vida ao seu
lado. E além disso você já conheceu o meu irmão. Agora é a minha vez.
- Tudo bem. – Ela sorri e volta a deitar contra o meu peito.
Eu estava realmente esperando em procurar os seus pais, e pedir a
mão dela em casamento. Essa será a oportunidade perfeita.
Eu não quero esperar mais um dia para fazê-la minha para sempre.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 5

Abby

Eu não podia acreditar que ele concordou em conhecer meus pais sem
dar um ataque. Normalmente os caras fogem desse tipo de encontro.
Conhecer os pais significa muito.
Eu não sabia que Reece tinha isso em mente. Talvez ele esteja
realmente tão comprometido quanto eu, nesse relacionamento.
Sorrindo eu passo pela porta da casa da minha mãe e ela vem me
cumprimentar.
- Você chegou mais cedo do que eu imaginei. – A minha mãe falou
me puxando para os seus braços.
- Sim. Reece está em uma conferência, e ele virá logo assim que
terminar.
- Não seria melhor ter esperado o pobre homem, Abby? – Ela me
repreende.
Eu ri. – Eu queria chegar aqui e ajudá-la com alguma coisa. E também
estava com vontade de matar a saudade um pouco.
- Oh, venha aqui minha princesa. – Ela me abraçou de novo.
- Eu senti falta de vocês. Como foi o cruzeiro?
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Foi maravilhoso, querida. E nós também sentimos muito a sua falta.


É difícil se acostumar com a ideia de que os filhos crescem e têm que seguir
as suas vidas. Mas você sempre será a nossa garotinha.
- Obrigada, mamãe. Eu amo tanto vocês.
- Eu também, minha querida. Então, me conte mais sobre esse homem
que roubou o coração da minha menina.
- Reece é lindo, inteligente, e muito bem sucedido. O que me assusta
um pouco às vezes.

- Ele é incrível. – Eu sorri. – Eu sei que ele é o meu chefe e que a


nossa relação pode ser vista por muitos como oportunista, mas não é assim.
Eu me apaixonei por ele, mamãe.
- Isso é incrível. Estou feliz que você tenha encontrado alguém que te
faça feliz, mas tem muito mais do que você está me contando. O que é?
- Ah mamãe. Eu não posso esconder nada de você não é? – Eu
perguntei sorrindo.
- Eu conheço você, Abby. E sei quando algo está errado com a minha
filha.
- Eu amo Reece, mas ele está acostumado com as mulheres se
jogando aos seus pés e fazendo tudo que ele quer. Eu não sou assim, e nunca
serei.
- Oh meu bem, mas ele tem agido assim com você?
- Não. Ele sempre foi perfeito comigo, mas eu tenho medo de não ser
tudo que ele quer ou precisa. Sabe?
- Não seja tão dura consigo mesma, Abby. Viva esse amor sem pensar
nas coisas erradas que poderiam acontecer. Seja feliz, minha menina. Você
merece.
- Obrigada. – Eu a beijei na bochecha e sorri.
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Venha. Eu fiz aquele pudim de chocolate que você ama.


Nós sentamos na ilha da cozinha enquanto ela me servia um pouco do
meu pudim favorito. Eu amava comer doce antes das refeições. Isso
aumentava o meu apetite.
Estranho. Eu sei.
A campainha toca, e eu sei que é Reece.
- Eu atendo. – Eu falo saltando do banquinho.
- Eu vou chamar o seu pai.
Eu respirei fundo antes de abrir a porta da frente. Fazia apenas
algumas horas que eu o tinha visto, mas os meus pensamentos estavam com
ele o dia todo. Eu queria que ele falasse mais sobre Marissa. Ás vezes falar
ajuda no processo de cura. E Reece precisa disso.
Eu abri a porta e o meu coração se encheu de amor quando olhei para
o homem que conquistou o meu coração de pé parecendo lindo com dois
buquês de rosas em suas mãos.
Reece sorriu mais amplo, e eu juro que os meus joelhos ficaram
moles. Esse homem tinha o poder de me deixar fraca apenas com um sorriso.
Inclinando-se, ele me beijou suavemente.
Ele colocou os braços em volta da minha cintura e me puxou para
mais perto do seu corpo. Então ele me beijou como se não pudesse ter o
suficiente de mim.
- Eu senti sua falta, querida. – Ele murmurou entre os meus lábios, e
eu gemi.
- Eu também senti a sua falta. – Eu estava quente e ofegante.
- Eu quero tanto estar dentro de você agora. – Ele encostou a testa
contra a minha e os seus olhos encontraram os meus.
- Mais tarde. – Eu sorri, e o puxei para dentro.

***
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Os meus pais adoraram Reece, assim como eu sabia que seria. A


minha mãe estava encantada, e o meu pai estava conversando com ele como
se fossem velhos amigos.
O que me deixou muito feliz. Eu não sei o que aconteceria se eles
reprovassem o meu relacionamento com Reece.
Reece foi um perfeito cavalheiro. O que deixou minha mãe fora dos
seus pés durante todo o jantar. Ele era muito bom nisso.
Depois do jantar eu lhe dei um tour pela casa onde eu tinha crescido.
Uma parada em meu quarto e estávamos nos agarrando quando uma batida na
porta quebrou completamente o clima.
- Abby. A sua mãe precisa de você na cozinha. – Era o meu pai. Eu
quase morri de vergonha. Mas Reece nem se moveu. Ele parecia muito
satisfeito consigo mesmo. Ele não estava uma bagunça como eu.
- Eu já estou indo, papai. – Eu falei com a voz rouca pelo orgasmo
que Reece tinha acabado de me dar.
O homem só precisa me tocar e eu já estou perdida.
Os meus lábios estavam inchados de tanto beijá-lo. O meu cabelo
estava assanhado, e eu tinha aquele olhar de quem acabou de gozar.
Eu tentei o melhor que pude para me ajeitar antes de abrir a porta e
encarar o meu pai do outro lado.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 6

Reece

Eu tinha passado todo o dia pensando em Abby, e na maneira como


ela me faia sentir. Eu nunca me senti assim com ninguém, e eu queria muito
mais do que tínhamos. Eu queria uma vida inteira ao seu lado, então quando
ela sugeriu jantar com os seus pais eu vi ali a oportunidade perfeita para fazer
isso certo.
Eu estava um pouco nervoso quando cheguei à casa dos seus pais,
mas bastou colocar os olhos nela para tudo ficar melhor.
Eu a queria aqui mesmo na casa dos seus pais, mas eu tinha que me
controlar. O jantar foi muito bom. Os pais de Abby eram como ela descreveu,
ambos eram muito amigáveis. A sua mãe era muito bonita e jovem, o que era
um bom presságio para mim.
Depois do jantar Abby me levou para um tour pela sua casa de
infância. O lugar não era a mansão que eu fui criado, mas tinha tanto amor
espalhado por todos os lugares que me fez desejar ter a conhecido quando
pequeno.
Eu nunca acreditei em alma gêmea, ou em destino, mas hoje eu estava
vendo isso com outros olhos. Abby era a minha alma gêmea. A minha outra
metade. E eu faria de tudo para fazer dela a mulher mais feliz do mundo.
Quando chegamos ao seu antigo quarto, eu não me contive. Eu a
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

pressionei contra a porta e a beijei com tudo que eu tinha. As minhas mãos
tinham vida própria, correndo pelo seu corpo perfeito.
Ela estava usando um vestido, o que me fez amá-la ainda mais. Eu
escorreguei a minha mão por debaixo do seu vestido. O seu corpo tremeu e
seus pelos se arrepiaram ao meu toque. O meu pau estava muito duro dentro
das minhas calças.
Eu precisava estar dentro dela.
Abby estava encharcada. O contorno da sua calcinha estava pingando.
E eu sabia que não poderia deixar a minha mulher assim. Eu precisava fazer
alguma coisa.
- Você está pingando para mim, querida. – Eu gemi contra os seus
lábios.
- Oh Deus. Sim! – Ele gemeu quando o meu dedo esfregou o seu
clitóris inchado.
- Eu vou cuidar de você, querida. – Eu abri o zíper e deixei o meu pau
saltar livre. Uma gota de pré-semên vazou, enquanto eu o acariciava para
cima e para baixo antes de chegar as suas dobras molhadas.
- Reece. – Ela gemeu quando eu empurrei para dentro do seu canal
apertado.
- Foda-se! Isso é tão bom, querida. – Eu falei batendo dentro dela
como se a minha vida dependesse disso.
O meu pau desliza dentro e fora da sua buceta apertada. É tão
fodidamente bom. As paredes da sua vagina apertam o meu pau, e eu bato
mais forte fazendo-a a porta tremer atrás de nós.
- Você gosta disso, Abby? – Eu bato mais forte e ela arqueia o corpo
contra mim.
- Sim! – Ela grita quando eu puxo para fora e depois bato mais forte
dentro dela.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Eu amo a sua buceta, querida. – Eu sussurrei contra o seu ouvido,


mordendo a sua orelha, sentindo o seu corpo tremer debaixo de mim.
- Foda-me, Reece. Foda-me forte.
- Sim, senhora. – Eu ri, e bati mais forte.
Eu sabia que era muito imprudente da nossa parte foder como animais
contra a porta do seu antigo quarto, onde seus pais estavam praticamente no
final do corredor, mas eu não podia me conter.
- Mais forte, Reece. – Ela pediu, e eu me perdi dentro dela.
O seu desejo será concedido. Eu bati mais forte, e ela gritou quando
forcei o meu pau mais fundo dentro dela, o que fez a porta balançar com o
impacto das minhas investidas dentro dela.
O seu corpo ficou tenso e ela puxou o meu cabelo. As nossas bocas
estavam em uma dança erótica de puro prazer e satisfação. O meu pau
deslizando dentro e fora do seu calor apertado.
Abby veio gritando o meu nome contra os meus lábios, e eu a segui.
Viemos juntos em um clímax explosivo. O seu corpo ainda estava tremendo
debaixo de mim quando uma batida na porta nos tirou do transe.
- Abby. A sua mãe precisa de você na cozinha. – Era o seu pai.
Eu sorri e deslizei para fora dela.
Ela estava tão linda.
- Eu já estou indo, papai. – Ela falou com a voz rouca, e ajustou a
roupa antes de correr as mãos pelo cabelo bagunçado.
Eu não podia esconder o riso. Ela parecia linda.
Abby abriu a porta e encarou o seu pai por alguns segundos antes de
correr para o andar de baixo. Eu queria rir, mas não fiz.
O seu pai estava vermelho. Ele sabia o que tínhamos acabado de
fazer. O que me deixou um pouco desconfortável.
Eu não queria que ele pensasse que eu era um idiota que não

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

respeitava a sua filha. Eu precisava concertar isso.


- Eu a amo, senhor. – Eu falei antes que ele pudesse sair. Ele se virou
e me encarou.
- Eu espero que sim, caso contrário, teremos um grande problema,
senhor Cuttler. – Ele falou.
- Eu queria conversar com o senhor. Eu sei que deveria fazer isso
quando estivemos a sós, mas eu não posso esperar mais. – Eu falei, e ele me
encarou com preocupação.
- Eu quero me casar com a sua filha, senhor. E eu gostaria da benção
de vocês para fazer o pedido. Eu sei que eu deveria falar com o senhor e a sua
esposa, mas eu não posso esperar mais um dia sem fazê-la minha
completamente.
- Eu entendo, filho. – Ele me olhou com simpatia. – Eu sei o que é
amar. Eu sei qual é a sensação de desejar passar o resto da vida ao lado da
pessoa que te faz mais feliz do que você imaginou um dia ser. E eu aprecio o
que você está fazendo. Abby é a minha princesinha, ela sempre será, e vi a
felicidade nos olhos da minha filha quando ela nos falou sobre você. A minha
mulher e eu queremos que você a faça feliz, isso é tudo que pedimos. – Ele
estendeu a mão para mim.
- Eu vou. Prometo. – Eu falei enquanto apertava a sua mão.
- Eu fico feliz. – Ele falou e saiu, deixando-me mais feliz do que eu
jamais pensei em ser.
Eu tinha planejado pedir a mão de Abby desde o momento que eu
soube que a amava. Eu não podia esperar mais para fazer isso. Eu tinha a
benção dos seus pais, agora era a hora de fazer o pedido.
Eu só espero que ela sinta o mesmo que eu.
Eu não posso imaginar a minha vida sem ela ao meu lado.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 7

Abby

O jantar na casa dos meus pais tinha sido um sucesso.


Hoje de manhã eu recebi uma mensagem da minha mãe dizendo o
quanto ela estava feliz por eu ter encontrado a minha lama gêmea.
Sorrindo eu enviei uma mensagem agradecendo por tudo que ele
fizeram por Reece e eu na noite passada. Eles foram perfeitos.
O meu pai sempre foi muito possessivo e cuidadoso comigo, mas ele
tinha se comportado muito bem com Reece.
Reece tem esse poder sobre as pessoas. Ele é incrivelmente
encantador, até mesmo para pais de meninas.
Quando nos despedimos dos meus pais, minha mãe me fez prometer
trazê-lo mais vezes. Reece prometeu visitá-los com mais frequência, o que
me deixou muito feliz e intrigada.
O que ele estava aprontando eu não sabia, mas tenho certeza que logo
descobrirei.
Tudo tinha sido perfeito, mesmo ser surpreendida pelo meu pai
quando Reece tinha acabado de me dar um orgasmo explosivo.
Eu estava envergonhada, e sem palavras, então não perdi tempo em
correr para encontrar a minha mãe na cozinha.
Eu não era mais uma garotinha, e os meus pais com certeza sabiam
que eu tinha uma vida sexual, mas eu não queria ser pega por qualquer um
deles em pleno ato. Seria embaraçoso e desrespeitoso em um nível
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

astronômico.
Eu não sei o que Reece e o meu pai conversaram lá em cima, mas eles
estavam sorrindo e conversando alegremente quando desceram as escadas.
Reece me levou para a sua casa, onde ele adorou o meu corpo toda a
noite. O homem era uma máquina do sexo.
Eu estava feliz por ele não ter o suficiente de mim.
Essa manhã quando nós chegamos à empresa, ele me pediu para
ajudar Robert do departamento de contas da empresa.
Eu estava surpresa e também preocupada. Será que ele quer me
substituir?
Afastando esses pensamentos para longe, eu me concentrei no
trabalho que eu tinha para fazer. Planilhas e relatórios financeiros estavam
espalhados por toda a mesa onde eu tinha passado todo o dia.
Eu nunca estive tão feliz na minha vida.
Era como estar de volta à faculdade.
Eu amo trabalhar com Reece, mas estar em um ambiente que eu
totalmente domino é outra coisa.
O dia passa rapidamente enquanto eu reviso as finanças da empresa
do último trimestre. A empresa está muito bem. O seu capital sólido está bem
empregado e não há gastos excedentes. O que é excelente.
O meu celular vibra em cima da mesa, e uma mensagem aparece na
tela.
R: Eu sinto a sua falta.
Sorrindo eu envio respondo.
A: Eu também, querido. Mas tenho que dizer, eu amo esse
departamento.
R: Fico feliz em saber disso. Eu tenho novidades.
Eu fico tensa de repente. Será que ele vai mesmo me substituir?

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

A: O que é? – Eu pergunto com medo da sua resposta.


R: Mais tarde. Eu tenho um evento para ir está noite, e gostaria que
você fosse comigo.
A: Claro.
R: Perfeito. Eu passo as sete para te pegar em casa.
A: Tudo bem, mas o que eu devo vestir? Que tipo de evento é?
Eu quase posso vê-lo sorrir para a tela do celular.
R: Qualquer coisa, querida. Você fica linda de qualquer jeito.
A: É muito lisonjeiro da sua parte, mas uma dica seria muito boa.
R: Nada muito formal.
A: Ok. Amo você.
R: Eu te amo mais. Vejo você mais tarde.

***

Eu corro para casa para me arrumar.


Eu não tenho muito tempo para experimentar todas as roupas do meu
guarda-roupa, então opto por usar um vestido bege de renda italiana que eu
comprei na semana passada. Ele é acima dos meus joelhos, e sem mangas e
tem um decote nos seios.
Estava em promoção em uma loja de alta costura no shopping, então
eu não pensei duas vezes. O valor ainda era muito alto para se gastar em um
vestido, mas eu comprei mesmo assim. Ele ficou perfeito no meu corpo.
Eu fico na frente do espelho, puxando o meu cabelo em um rabo de
cavalo alto. Reece adora beijar o meu pescoço, então eu estou dando uma
ajudinha, mantendo o meu cabelo tão longe quanto possível.
Só de pensar nele, o meu corpo treme lembrando-se do seu toque.
Eu aplico um pouco de base e pó. Eu não quero carregar na
maquiagem, então decido por um olho esfumaçado com um tom de sombra

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

champanhe com dourado.


Eu olho e vejo que destacou os meus olhos azuis ainda mais. Sorrio e
aplico um batom nude para dar um efeito leve na pele. Mais cedo eu tinha
colocado os cílios postiços médios que me davam um olhar sedutor.
Eu termino de aplicar um pouco mais de rímel, e coloco um pouco de
perfume em lugares estratégicos.
Eu estou usando uma sandália dourada para combinar.
Uma batida na porta me desperta. Eu dou uma última olhada antes de
ir atender à porta.
Eu abro a porta e estou momentaneamente tonta. Reece está parado na
minha frente parecendo lindo em seu terno de duas peças e sem gravata.
Ele parece incrível.
Calça preta, cinto, camisa branca e um blazer preto que abraça o seu
corpo musculoso perfeitamente. Ele não fez a barba, o que me faz o meu
corpo arrepiar com a ideia da sua barba roçando a minha pele.
Ele passa as mãos pelo cabelo, e eu desejo rastejar para cima dele e
me perder nele.
Ele é tão sexy.
Este homem a minha frente me tira o fôlego. Eu fico olhando para ele,
e não acredito que ele seja meu.
Sim. Meu.
Ele dá um passo para frente e estende uma única rosa para mim. Eu
nem tinha percebido que ele trazia alguma coisa em suas mãos.
- Você está linda. – Ele estende a rosa, e eu coro mil tons de
vermelho.
- Obrigada. – Eu aceito a flor e cheiro.
- Você está pronta? – A sua voz é pura luxúria.
- Sim. – Eu coloco a minha flor sobre a mesinha de centro e pego a

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

minha bolsa.
Reece nem mesmo me tocou direito, e eu já estou toda derretida. Esse
homem faz o meu sangue virar larva com um simples olhar. Ele coloca a mão
no arco das minhas costas e me leva pelo corredor em direção ao seu carro.
- Onde estamos indo? – Eu pergunto quando ele abre a porta do carro
para que eu possa entrar.
- É uma surpresa. – Ele sorri, mas é tudo que diz.
Reece dá a volta no carro e dirige em direção à sua casa. A noite está
linda. As luzes brilham nos edifícios, nas lojas e ruas.
É tudo tão lindo.
Eu estou tão perdida em meus pensamentos que nem percebi que
havíamos chegado. Eu olho para Reece, e ele está me observando
atentamente.
- O quê? – Eu pergunto sorrindo.
- Estou só admirando a quão linda a minha mulher é. – Ele fala
sedutoramente.
- São os seus olhos, querido. – Eu sorrio, e me inclino para beijá-lo.
Eu o beijo suavemente, e me afasto, mas Reece segura o meu rosto e
assume o controle. Ele me beija com paixão.
Pura luxúria.
- Eu te amo.
- Eu também te amo, querido. – Eu encaro os seus olhos cheios de
paixão.
- Venha. – Ele sai do carro, e corre para abrir a minha porta.
Reece me ajuda a descer do carro e seguimos para dentro. Então eu
quase paro de respirar quando vejo o que ele planejou para nós.
- Oh meu Deus! – Eu suspiro.
- Eu pensei que poderíamos ter um jantar a sós. – Ele me puxa para os

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

seus braços e me beija.


- Isso é incrível, Reece.
- Que bom que você gostou. – Ele sorri, e então me beija.
Eu não sei quando ele fez isso, mas estava absolutamente incrível.
Havia um caminho feito com rosas vermelhas e velas que levavam há uma
mesa com duas cadeiras.
Havia uma música suave tocando através do seu sistema de som
embutido nas árvores que cercam o seu jardim.
- Eu amei tudo isso, mas qual é a ocasião? – Eu pergunto ainda
confusa.
- Eu queria que essa noite fosse especial. A primeira de muitas que
virão em nossas vidas.
- Uau! Você está inspirado. – Sorrio.
Reece em um gesto cavalheiresco me puxa a cadeira. Ele sempre foi
um perfeito cavalheiro, mesmo quando está com raiva.
Reece nos serve um pouco de champanhe.
- A que vamos brindar? – Eu pergunto sorrindo.
- A nós. – Ele ergue a taça e eu faço o mesmo.
- A nós. – Eu faço o mesmo que ele e brindamos.
Um garçom que eu nem sabia que estava aqui nos serve uma comida
deliciosa. Reece e eu comemos e conversamos sobre tudo.
Ele me pergunta se eu gostei de trabalhar o Departamento de
Finanças, e eu conto tudo.
- Eu amo trabalhar com você, querido. Mas eu me senti
completamente em casa lá. Eu estava tão à vontade com tudo que nem
percebi a hora passar. Foi muito bom. Sempre que precisar você pode me
enviar para lá. – Eu sorrio e tomo um gole da minha bebida.
- Que bom. – Ele sorri.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Você está todo misterioso, senhor Cuttler. – Eu o provoco.


- O que você acha de trabalhar todos os dias? – Ele pergunta agora me
olhando atentamente.
- O quê? – Eu pergunto confusa. – Você vai me demitir? – O meu
estômago com a ideia de deixar a empresa. Eu amo trabalhar.
- Não. Claro que não, querida. – Ele se levanta e me puxa para os seus
braços. O meu coração está disparado.
- Eu não entendo. – Eu falo.
- Eu não vou demitir você, mas promover. – Ele diz encontrando os
meus olhos.
- O quê? Como assim?
- O Departamento de Finanças está precisando de um novo gerente. E
eu gostaria que você aceitasse a posição.
- Oh meu Deus! Sério? – Eu não posso acreditar.
- Sim. A vaga é sua se você quiser. – Ele diz.
- Oh meu Deus, Reece. Isso é incrível. – Eu grito e pulo em seus
braços, e o beijo desesperadamente.
- Que bom que você gostou querida, mas agora eu tenho outra
surpresa para você.
- Você está cheio de surpresa, senhor Cuttler. – Eu pisco sorrindo.
Reece fica sério de repente, e o meu estômago afunda.
- Eu sei que a nossa relação começou de uma forma nada comum,
mas eu me apaixonei por você quase que imediatamente. Eu te amo, Abby.
Eu sei que eu não mereço você, mas eu sou muito egoísta para deixá-la ir. E
eu não quero passar mais um dia sem fazê-la minha, para sempre.
- Eu também te amo, querido.
- Eu sei que eu não sou aquilo que você merecia. O meu passado não
foi nada bonito, e eu não me orgulho disso. Eu fiz muita bobagem, mas eu

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

não posso voltar atrás e mudar tudo.


- Eu te amo do jeito que você é, Reece.
- Você é a melhor coisa que já me aconteceu. E eu quero muito mais
do que temos. – Ele diz e pega uma caixinha de veludo do bolso do seu
casaco.
Todos os músculos do meu corpo se contraem. O meu coração
dispara, e lágrimas se reúnem em meus olhos.
- Eu quero você ao meu lado para sempre. Para amar e te respeitar.
Case comigo, Abby. – Ele diz e abre à caixa, um diamante rodeado de safiras
é posto a minha frente. Eu fico muda, as lágrimas que eu segurei estão agora
deslizando pelo o meu rosto.
- Oh meu...
- Case comigo, Abby. – Ele repetiu, desta vez puxando o anel, e
segurando-o na minha frente.
- Sim. – Eu falo.
Reece coloca o anel no meu dedo, enquanto eu assisto. O meu peito
está transbordando de amor por esse homem lindo.
O meu peito aperta de tanto amor. As lágrimas borram o meu rosto.
Inalo uma respiração profunda. Piscando lentamente, eu o vejo colocar o anel
no meu dedo.
Eu não posso acreditar que Reece Cuttler quer se casar comigo. Eu o
conheço apenas há alguns meses. Há tanto para aprendermos do outro.
Eu sei que Reece teve um passado, e que na maioria das vezes me
incomoda que ele tenha estado com tantas, mas eu não posso deixar de amá-
lo.
Eu o amo mais do que jamais imaginei.
Reece se inclina e me beija. Eu o beijo de volta, passando as mãos em
volta do seu pescoço. É um beijo apaixonado, cheio de amor e muita paixão.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

O meu corpo vibra, nossas almas unidas em uma só.


Esse homem me consome.
Ele me possui.
E eu amo isso.
Como eu poderia dizer não quando tudo que eu quero é ser sua para
sempre. É louco e emocionante o tanto que eu o amo.
Eu o amo.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 8

Abby

O mundo todo desapareceu.


Reece me levanta, e eu envolvo as minhas pernas em sua cintura. Ele
me embala em seus braços, e eu me agarro a ele. Ele me conduz para o seu
quarto. E suavemente me coloca sobre a cama.
Eu fecho os meus olhos, enquanto ele beija cada centímetro do meu
corpo, levando-me ao limite.
É lento.
Suave.
É genuíno.
Reece faz amor comigo, lento e apaixonado. Eu o beijo, agarrando-me
a esse homem lindo.
O meu homem.
- Você é minha para sempre. – Ele sussurra.
- Sua. Apenas sua. – Eu sorrio.
- Nunca esqueça. – Ele diz e desliza lentamente para dentro de mim.
Eu acho que eu nunca fui tão feliz em toda a minha vida. Sei que a gente
costuma dizer isso quando algo maravilhoso acontece em nossas vidas, mas
eu realmente sinto isso.
Eu me sinto a mulher mais feliz do mundo.
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

O meu coração está transbordando de amor.


Os nossos corpos se movem como se fossem um só.
É lindo.
Nada pareceu tão certo. Quando atingimos o clímax, estamos suados e
saciados. Reece sai de mim, puxando-me para ficar em cima do seu peito.
Eu sorrio, e os sons dos seus batimentos cardíacos me embalam em
um sono perfeito.

***

Eu acordo enrolada nos braços de Reece.


Sorrindo eu me viro para vê-lo. Ele parece tão lindo e pacífico. Eu
amo acordar ao seu lado.
A luz do sol atravessa as janelas, banhando a cama com os brilhos
quentes. Eu estendo a minha mão e olho para o meu anel.
É tão lindo.
Eu não posso acreditar que eu vou me casar com Reece. Eu preciso
ligar para os meus pais e Samirah.
Reece se mexe atrás de mim, e eu tento não me mover para que ele
possa ter um pouco mais de sono. Ele quase nunca dorme tanto. Mas os seus
olhos se abrem de repente, olhando ao redor, e quando os seus olhos
encontram os meus, tudo que eu vejo é muito amor.
Os seus braços rodeiam a minha cintura, e ele me puxa de volta para
cima dele.
- Ei. – Eu murmuro contra os seus lábios quando ele me beija.
- Bom dia. – Ele me aperta contra o seu corpo, e eu posso sentir a sua
ereção dura e pronta para mim.
- Melhor dia de todos. – Eu sorrio.
- Ele está apenas começando. Tem muito mais que eu quero mostrar.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

– Ele me rola para baixo, e com um movimento suave desliza para dentro de
mim.
O meu corpo desperta para recebê-lo.
É tão bom.
Eu deixo escapar um pequeno suspiro de satisfação, e os seus olhos
encontram os meus. Eles estão famintos. Eu sinto o meu corpo apertar,
enquanto ele bate dentro e fora de mim.
Ele desliza uma mão entre as minhas pernas, e esfrega o meu clitóris
inchado.
- Oh Deus!
- Você gosta disso, Abby? – Ele pergunta e esfrega mais forte,
enquanto o seu pau desaparece dentro e fora da minha buceta.
- Sim! – Eu grito quando sinto o meu corpo apertar.
Eu estou tão perto.
- Só... Não pare, Reece. – Eu gemo com os olhos fechados.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 9

Reece

Ela me pediu para não parar.


Eu não poderia. Nunca.
Quando estou dentro dela é como se estivesse completo.
Nada é tão perfeito.
Eu olho para ela que está mordendo aqueles lábios sensuais, então eu
me inclino sobre ela e a beijo mais forte, mordiscando e chupando os seus
lábios.
Eu sinto a sua buceta apertar o meu pau, e é muito bom. Os seus
quadris se encaixam perfeitamente nos meus criando uma fricção.
- Foda-se. – Eu gemo. – Porra! Você é tão gostosa, querida. Se você
continuar fazendo isso, eu vou explodir a qualquer momento.
- Oh Deus! – Ele geme debaixo de mim.
Eu nunca vou me acostumar em quão maravilhosa é a sensação de
estar dentro dela. Ela foi feita para mim.
Eu olho para ela. A mulher da minha vida, o seu cabelo espalhado
pela cama, parecendo incrivelmente perfeita, e eu me pergunto como eu tive
tanta sorte.
Abby é tudo para mim.
Ela olha para mim e sorri, e eu sei que é amor verdadeiro.
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Eu bato mais forte dentro dela. O seu corpo aperta, eu sei que ela está
muito perto, então eu chupo o seu mamilo, enquanto bato mais fundo dentro
da sua buceta apertada.
Ela está tão pronta. A sua buceta aperta o meu pau, e ela vêm gritando
o meu nome, e eu venho junto.
Eu gozo dentro dela, forte e quente, derramando a minha semente em
seu núcleo enquanto o seu corpo treme debaixo do meu.
Quando termina, eu caio para frente ao seu lado. Depois de alguns
segundos, eu deslizo o meu pau para fora dela, e a puxo contra o meu peito.
- Reece.
- Eu estou confortável. – Eu a puxo para mais perto, e acaricio as suas
costas.
- Nós vamos chegar atrasados. – Ela sorri contra o meu peito.
- Eu sou o chefe. – Eu beijo a sua cabeça, ela beija o meu peito e
sorri.
- Você é muito arrogante. – Ela sorri.
- Obrigado, baby.
Ela descansa a cabeça contra o meu peito, sua mão desenhando algo
sobre a minha pele.
- Tudo estava perfeito, Reece. Eu amei cada segundo.
- Eu te amo, Abby.
Mais do que jamais pensei um dia amar alguém.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 10

Abby

Eu estou exausta, mas imensamente feliz.


Reece me pega e me leva para o banheiro, e coloca-me sobre o
balcão.
- Eu amo ter você aqui comigo. – Ele diz e me beija.
- Eu também, querido. – Eu sorrio de volta, tentando não olhar para o
seu pau semiduro e agitando no ar enquanto ele se move através do banheiro
para encontrar uma toalhinha.
Eu ainda estou muito excitada. E a ideia de tê-lo dentro de mim mais
uma vez faz o meu núcleo apertar com desejo.
- Se você continuar me olhando assim, eu não serei capaz de ir há
qualquer lugar, muito menos você, senhora Cuttler. – Ele pisca um sorriso
malicioso.
- Desculpe. É que eu não consigo me conter. E eu ainda não sou a
senhora Cuttler.
- Você é muito mais do que isso para mim. É o meu amor, a mulher
da minha vida. – Ele diz e molha a toalha. – Agora, não se mexa. Deixe-me
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

limpar isso para você.


Eu quero dizer que poderemos fazer isso no chuveiro, mas eu não
faço. Reece passa a toalha morna entre as minhas pernas, e me limpa
delicadamente.
É tão natural.
Eu não posso imaginar a minha vida longe dele.
- Chuveiro? – Pergunta ao jogar o pano em cima da pia.
- Sim, senhor Cuttler. – Respondo sorrindo.
Reece sorri de volta e me ajuda a descer do balcão. Ele pega a minha
mão e me leva para o chuveiro, colocando-me sob o fluxo de água morna que
jorra do teto. Ele coloca um pouco de shampoo na palma da mão e espalha
antes de começar a lavar o meu cabelo.
Eu fecho os meus olhos e deixo que ele faça todo o trabalho.
É tão bom.
Eu alcanço o sabonete líquido e espalho um pouco em minhas mãos, e
espalho pelo seu corpo perfeito, tomando cuidado para lavar cada parte do
seu corpo. O seu peito bem definido. Os seus ombros e braços. Os seus
quadris e claro, o seu enorme pau.
Reece geme quando eu acaricio o seu pau, cobrindo-o com sabão, e é
tudo que ele precisa para me levar contra a parede de mármore escuro e me
foder como se não pudesse ter o suficiente de mim.
É tão cru, selvagem. E eu amo isso.
Quando terminamos, estamos suados, então tomamos um banho.
Reece envolve-me um roupão branco, e voltamos para o quarto.
O nosso primeiro dia oficialmente como um casal começa muito bem.
Reece e eu estamos atrasados, então decidimos pular o café da manhã e
seguir para a empresa.
Eu não consigo parar o sorriso que está estampado em meu rosto.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

***

Eu ainda tenho mais duas semanas antes de mudar para o


Departamento de Finanças. E o meu coração está apertadinho por ter que
deixar Reece.
Eu sei que ele só fez isso porque me ama, e eu aprecio demais, mas
vou sentir falta de ser sua assistente.
Quando eu cheguei a está empresa eu não imaginei encontrar o
homem da minha vida e viver o mais lindo amor que já existiu.
Eu posso estar exagerando, mas é assim que Reece me faz sentir.
Como a mulher mais feliz de toda a terra.
Eu não posso esperar para ser sua esposa. E juntos construirmos a
nossa família. Eu sei que Reece quer muitos filhos, e isso me deixa além de
feliz.
Um sonho que se tornou realidade.
Eu liguei para os meus pais mais cedo quando cheguei, e chorei junto
com a minha mãe. Ela e o papai estavam muito felizes. Eu liguei também
para a minha melhor amiga, e ela gritou muito de felicidade.
Eu a prometi sair hoje à noite para comemorar com uma noite de
meninas.
- Ei, você se importa de ir sem mim? Eu combinei de tomar uma
bebida com Samirah, e estou saindo agora. – Eu bato na porta do seu
escritório, e coloco a cabeça para dentro.
Reece parece tão lindo com uma pilha de papéis em cima da mesa.
Todo homem de negócios.
Ele sorri. – Eu vou sentir sua falta, mas eu sei que você precisa desse
tempo com a sua amiga. Eu vou pedir para Lucian a levar.
- Não precisa, querido. Samirah vai passar aqui para me pegar.
- Eu não quero que vocês saiam por aí sozinhas. Eu insisto.
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Tudo bem. Senhor protetor. – Eu falo e dou um passo para dentro.


Eu dou a volta na mesa e ele me puxa para o seu colo. – Eu não quero
que você beba demais. – Ele diz, então me beija.
- Eu não vou. – Eu o beijo de volta, e os seus braços envolvem-me.
Eu gemo em seus braços e de repente eu não quero ir a qualquer lugar. O meu
celular vibra em minha bolsa, e Reece geme em protesto.
- Não vá. – Ele diz contra os meus lábios.
- Eu tenho que ir, querido. – Sorrio e pulo do seu colo, deixando-o
com um olhar faminto e uma ereção muito evidente em suas calças.
- Mais tarde. Eu prometo. – Eu solto um beijo e corro para baixo.

***

- Eu estou tão feliz por você, Abby. – Samirah diz tomando um gole
da sua bebida.
- Obrigada. Eu também estou. Parece um sonho. Um que eu não quero
acordar nunca. – Eu sorrio e tomo mais um gole do meu Mojito de cereja.
- Está nervosa? – Ela pergunta.
- Um pouco. Reece e eu somos de mundos totalmente opostos. E eu
sei que as pessoas vão falar que eu sou uma interesseira. Que eu sou uma
caçadora de ouro. Interessada apenas na fortuna Cuttler.
- Ninguém vai pensar isso, Abby.
- Sim, eles vão pensar isso e muito mais. – Eu suspiro. – Reece me
conhece, e ele sabe que isso não é verdade, então eu tento afastar esses
pensamentos ruins para longe. Eu não quero que nada nesse mundo atrapalhe
a nossa felicidade.
- E o Jack? Você tem falado com ele?
Ao ouvir o nome de Jack, eu sinto o meu estômago embrulhar.
- Não. E estou feliz com isso.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- O quê? Por quê? – Ela pergunta curiosa.


- Jack acabou sendo alguém que eu nunca imaginei, e eu não quero
nenhum contato com ele. – É tudo que eu falo, mas a minha melhor amiga é
uma pessoas muito curiosa, e ela não vai deixar por isso mesmo.
- O que aconteceu? – Ela insiste.
- Eu não posso falar, mas ele não é quem diz ser.
- E como você soube disso?
- Reece e eu tivemos uma longa conversa, e ele me contou coisas do
seu passado. Jack e ele namoraram a mesma garota, e ela sofreu muito nas
mãos de Jack. Isso é tudo que eu posso te contar.
- Que idiota. – Ela diz e toma um gole da sua bebida.
- Muito. Vamos mudar de tema, porque eu não quero estragar a minha
noite com você.
- Então vamos beber. – Ela sorri e pede ao garçom para repor o seu
copo.
Samirah e eu conversamos por horas. O meu celular vibra e uma
mensagem de Reece aparece na tela.
R: Lucian está aí fora esperando por vocês.
Sorrindo do meu homem exagerado, eu lhe envio uma mensagem de
volta.
A: Obrigada, meu cavalheiro de armadura brilhante.
R: Quantos drinques você tomou, querida?
A: Alguns.
R: Coloque a sua bunda linda dentro do carro para que Lucian possa
trazê-la em segurança para casa.
Ele é tão mandão.
A: Sim, senhor.
Sorrindo, eu chamo o garçom e peço a conta. Samirah argumenta

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

comigo para pagar, mas eu digo que essa é por minha conta.
Quando chegamos do lado de fora, Lucian nos ajuda a subir no carro
e nos leva para casa. Eu não sabia que tinha bebido tanto, até que senti o
carro girar, e o riso bobo no meu rosto.
Lucian deixa Samirah em casa, e depois seguimos para a casa de
Reece.
Eu fecho os olhos por alguns segundos, e quando eu os abro
novamente, estou sendo carregada por Reece para o quarto.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 11

Reece

Eu queria gritar para o mundo que ela era minha. Mas eu ainda não
podia. Eu queria me casar o mais rápido possível.
Abby e eu ficamos noivos na semana passada e eu queria
compartilhar a boa notícia com os nossos parentes e amigos mais próximos.
Então decidimos oferecer um jantar para os pais dela, a sua melhor amiga, o
meu irmão e a sua noiva Amanda.
- Parabéns, irmão. – Damon me abraça.
- Obrigado, irmão. – Eu sorrio e abraço o meu irmão mais velho. Com
exceção de Abby, e Amanda. O meu irmão é tudo que restou da minha
família.
- Você tem uma boa mulher, Reece. Não estrague as coisas. –
Amanda adverte, e me abraça.
- Eu sei. Obrigada cunhadinha. Eu não vou estragar. Abby é a minha
vida. O ar que eu respiro, e sem ela eu não existo.
- Você está domado, irmãozinho. – Damon provoca.
- O que eu posso dizer? – Eu não posso conter o meu sorriso.
O jantar é servido e antes que todos comecem a se servirem, eu me
levanto e peço à atenção de todos.
- Eu gostaria de propor um brinde à luz da minha vida. A mulher que
eu amo com todo o meu ser. – Eu levanto o copo e todos fazem o mesmo. –
Abby, eu te amo agora e para sempre. Obrigada por ser o meu amor. – Eu
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

falo com os olhos grudados nos dela.


- À Abby. – Todos brindam.
Eu estava feliz em receber os nossos amigos e familiares, mas eu
estava mais ansioso para ficar a sós com a minha mulher. Ela estava
tremendamente linda em um vestido branco que abraça as suas curvas
perfeitamente. E tudo que eu poderia pensar era em rasgá-lo e me enterrar em
seu calor apertado.
Quando o último convidado saiu, eu não perdi tempo. Eu a prendi
sobre a parede e a beijei com força.
- Você é tão linda. – Eu sussurrei, e ela gemeu em minha boca
fazendo o meu pau crescer mais forte dentro das minhas calças.
- Reece. – Ela geme, e suas mãos foram para as minhas calças. Ela
desfez o cinto e abriu o zíper. O meu pau salto livre para fora.
Ela engasgou, acariciando-o para cima e para baixo.
Eu corri a minha mão ao longo do seu vestido e graças aos céus eu
encontrei o zíper, e o deslizei para baixo, deixando cair aos nossos pés.
- Foda-se! – Eu gemi quando vi o seu corpo completamente nu diante
de mim. Ela não estava usando nada por baixo daquele vestido.
- Você esteve desfilando nua por toda a noite? – Eu perguntei já
sabendo a resposta.
Abby gemeu e acenou com a cabeça. Os seus olhos insolentes
estavam brilhando, e ela parecia ainda mais linda.
Eu bati a minha boca contra a dela saboreando o gosto de champanhe
em seus lábios.
Ela desfez os botões da minha camisa e a jogou na pilha abaixo. O
meu coração bateu mais rápido e minhas mãos correram pelo seu corpo,
ombros e cabelo.
Eu enrolei uma grande mecha do seu cabelo em minha mão e puxei

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

para trás forçando-a inclinar-se mais contra mim. Então eu mergulhei mais
fundo em sua boca. Ela gemeu, se esfregando contra o meu pau que já estava
pronto para ela.
Eu a beijei com tudo. Eu a reclamei como minha. Para sempre.
- Eu amo o seu cheiro. – Sussurrei, esfregando o seu clitóris inchado.
De repente ela se afastou e caiu de joelhos na minha frente. Os seus olhos
estavam vidrados de pura excitação.
Eu arrastei o meu polegar sobre os seus lábios inchados, e eles se
separaram. – Eu amo a sua boca.
Ela sorriu, e deslizou a língua por todo o comprimento do meu pau,
fazendo-me estremecer com o prazer percorrendo as minhas veias como fogo
líquido.
- Foda! – Eu fechei os olhos e deixei que ela me levasse mais fundo
em sua garganta.
A nossa conexão era tão forte que eu sabia o que ela estava sentindo
ao chupar o meu pau como se fosse o seu doce preferido.
Um frenesi erótico chicoteou através de mim enquanto ela chupava e
lambia o meu pau. Eu usei a minha mão para forçá-lo mais fundo em sua
garganta, mas tomando cuidado para não machucá-la.
Abby dobrou as pernas e inclinou a cabeça mais forte para trás. Os
seus olhos famintos presos aos meus, então ela chupou mais forte.
Eu nunca tinha visto nada mais sexy que Abby nua de joelhos diante
de mim com o meu pau enterrado profundamente em sua boca.
Ela segurou a base do meu pau com uma de suas mãos, balançando o
meu comprimento para cima e para baixo dentro da sua boca, enquanto a sua
língua chupava com prazer.
O meu pau estava tão duro.
A sua língua tão macia contra o meu pau.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Ela se apoiou em seus joelhos, segurando as minhas coxas, e


continuou a empurrar o meu pau mais fundo dentro de sua garganta.
Apertando a ponta do meu pau em seus lábios, enquanto uma de suas mãos
deslizava por sua buceta molhada.
A visão diante de mim era como o paraíso.
Fogo ardia em seus olhos enquanto ela me chupava mais forte.
Eu estava tão perto.
Abby trabalhou o meu pau grosso dentro e fora de sua boca, saliva
cobrindo-o em um ritmo constante. Eu segurei em seus cabelos enquanto
batia mais forte dentro de sua garganta.
Eu não ia durar muito tempo de sua boca sexy e quente.
Eu fechei os olhos quando ela chupou mais forte. Os meus quadris
empurraram para frente.
- Eu vou gozar. – Eu disse, minhas palavras apertadas com prazer.
Os seus dedos enrolaram em minhas pernas. Os seus dentes
arranharam o meu pau, então eu explodi em sua boca.
Eu gozei em sua boca, derramando a minha semente enquanto ela
continuava ordenhar o meu pau com seus lábios quentes.
O meu corpo estava tremendo. Eu estava franco. Ela tinha sugado
toda a energia do meu corpo, mas eu não poderia estar mais feliz.
Abby engoliu cada gota, e deslizou a sua língua através do meu pau.
Os seus olhos presos nos meus o tempo todo.
Tão bom.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 12

Abby

Os olhos de Reece brilharam com amor, e eu não pude deixar de


sorrir. Esse homem lindo era meu. E em apenas alguns meses eu seria
completamente sua para todo o sempre. O meu coração estava transbordando
de tanto amor.
Ele parece absolutamente ainda mais bonito.
O meu olhar vagueou pelo seu corpo atraente e perigoso.
Reece Cuttler era poderoso em todos os sentidos da palavra.
Ele não me deu muito tempo para admirá-lo. Reece se moveu para
ficar entre as minhas pernas, então a sua boca caiu sobre o meu sexo. Eu
arquei o meu corpo quando a sua língua passou entre os lábios da minha
buceta.
- Oh Deus! – Eu gemi quando a sua língua macia escovou contra a
minha pele.
Eu não conseguia ficar quieta. O meu corpo estava em um frenesi
louco de prazer.
Reece era muito nisso. As suas mãos fortes apertando as minhas
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

coxas. Ele me recompensou com tanto prazer.


As minhas mãos estavam enroladas em punhos contra o lençol, a
minha cabeça batendo de um lado para o outro com o calor ardente de
felicidade que espalhava pelo meu corpo. Eu assisti a sua língua lamber cada
centímetro como se eu fosse à coisa mais deliciosa do mundo. Só a imagem
era demais para mim, então os seus olhos se abriram e ele olhou para mim.
Eles estavam cheios de desejo, paixão, amor.
Eu estremeci debaixo dele quando ondas de puro prazer dispararam
ao longo da minha pele. O orgasmo me bateu como um furacão.
Catastrófico.
Sedento.
Eu estava desossada. Reece não parou. A sua boca continuou a
provocar a minha carne sensível.
- Oh Deus. – Eu gemi.
Ele sorriu.
Quando os efeitos do poderoso orgasmo se desvaneceram, ele se
levantou, limpou os lábios e um lindo sorriso diabólico se estendeu pelo seu
rosto.
Reece me encarou, observando enquanto eu me recuperava. Os seus
olhos estavam cheios de luxúria e prazer. O meu corpo tremeu diante das
promessas não ditas.
- Eu quero que você fique de joelhos sobre a cama, querida. – Ele
comandou.
O meu corpo tinha mente própria. Ele obedecia ao seu comando como
se ele fosse o seu mestre. E ele era.
Eu fiz o que ele me pediu.
- Linda. – Ele me elogia, traçando a mão ao longo da minha espinha.
O meu corpo treme em antecipação. Eu preciso senti-lo dentro de

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

mim, mas ele não vai fazer.


Não agora.
- Eu vou fazer você se sentir tão bem. – Ele diz, suavemente
acariciando a curva da minha bunda, enquanto ele fala. – Você gosta disso? –
Ele pergunta quando bate na minha bunda levemente.
- Sim, senhor. – Eu respiro, tremendo quando ele bate uma segunda
vez, agora mais forte.
- Boa menina. – Ele diz, e bate uma vez mais.
O meu corpo está vibrando. O meu clitóris está pulsando. Eu posso
sentir os meus sucos escorrer pelas minhas coxas.
Eu estou tão excitada.
Eu fecho os meus olhos, e deixo que o desejo tome conta do meu
corpo, da minha alma. Fazia tempo que ele tinha me tomado assim.
Eu senti falta desse lado selvagem dele.
Eu o amo com todas as suas facetas.
Eu mordo o meu lábio quando a sua mão atinge a minha bunda
novamente. Dor e prazer misturados. O prazer é quase demais para aguentar.
Eu já estou pronta de novo. Mas ele não vai me deixar gozar. Não
antes de ele me dar todo o prazer que o meu corpo pode absorver.
- Você é minha, Abby. – Ele sussurra, enquanto bate uma última vez.
Suor escorrer pelo meu corpo. A minha bunda queima. Então, ele se
afasta, mas antes que eu possa protestar, a ponta do seu pau está esfregando
contra as minhas dobras encharcadas.
- Oh Reece. – Eu gemo, me movendo contra os seus quadris. Os meus
músculos internos estão tensos. Ondas de prazer prolongado percorrem as
minhas veias em direção ao meu núcleo.
- Linda. – Ele elogia, acariciando a ponta do seu pau contra a minha
abertura.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

É torturante.
- Reece. – Eu imploro.
Ele atende o meu pedido e empurra para dentro com um impulso. O
meu corpo arqueia para recebê-lo.
Ele é tão grande e grosso.
Um gemido de prazer escapa dos meus lábios quando ele começa a se
mover dentro de mim. Suas mãos estão em meus quadris me segurando no
lugar, enquanto ele bate forte dentro e fora de mim.
É tão bom.
- Foda-se! – Ele rosna, seu pau indo mais fundo dentro de mim.
O meu corpo balança. O seu pau bate dentro e fora de mim como se
estivesse me possuindo.
Eu não consigo me mexer. O meu orgasmo rasga através de mim. A
minha buceta aperta o seu pau. E eu grito.
- Venha para mim, Abby. – Ele comanda, e eu deixo as ondas de
prazer disparar pelo meu corpo.
O meu corpo treme, enquanto ele continua a me foder profundamente
e duramente, os seus quadris contra os meus. Eu posso sentir as suas bolas
batendo contra o meu clitóris.
Esse orgasmo se transforma no clímax mais longo que eu já tive. Eu
estou sem ar. O meu corpo está eufórico. Então eu sinto o seu dedo contra o
meu buraco enrugado, e gemo bem alto quando ele insere um dedo dentro da
minha bunda, esticando-me enquanto ele me fode sem parar.
- Oh meu Deus! – Eu grito, o meu orgasmo se molda há um novo. E
pela terceira vez eu gozo como nunca.
Eu estou exausta, mas não quero que ele pare nunca.
- Eu amo o seu corpo, Abby. – Ele geme batendo mais fundo dentro
de mim. O seu dedo na minha bunda me esticando.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Mais. – Eu imploro. – Mais forte.


Reece faz o que eu peço. O meu corpo balança com um novo prazer
se estabelecendo. Eu uivo uma longa exclamação quando uma onda violenta
de prazer inunda o meu corpo. Eu posso senti-lo pulsando dentro de mim
quando ele despeja a sua libertação profundamente dentro da minha buceta.
O seu dedo trabalhando dentro e fora da minha bunda. E eu venho junto.
Reece desaba ao meu lado, puxando-me para ficar em cima dele. O
seu dedo já não está na minha bunda, mas ele continua enterrado dentro de
mim. As minhas paredes internas pulsam contra o seu pau grosso. E quando
ele desliza para fora, os nossos sucos se misturam escorrendo pelas minhas
pernas.
Eu não posso me mover.
Felicidade pura escorre por minhas células.
- Eu já volto. – Ele beija o meu ombro e se levanta, poucos segundos
depois ele volta com uma toalha quente e úmida e limpa entre as minhas
pernas.
Eu me viro para lhe dar mais acesso. As minhas pernas se abrem para
que ele. Reece me faz sentir a mulher mais feliz do mundo. Ele abala o meu
mundo de muitas formas, e todas elas de uma maneira incrível.
- Eu mal posso esperar para ser sua para sempre. – Eu falo.
- Você já é, querida. Sempre foi. – Ele diz, com um sorriso confiante.
Eu sorrio de volta.
O jeito que ele olha para mim me faz sentir ainda mais amada.
Quando ele está satisfeito, joga a toalha no canto do quarto e sobe na cama,
puxando-me para os seus braços. Ele move os meus cabelos do meu rosto e o
acaricia suavemente.
- Eu te amo. – Ele diz e me beija.
- Eu também te amo. – Eu fecho os meus olhos e adormeço em seus

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

braços.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 13

Reece

Eu acordo com o som da campainha. Eu olho para o relógio, e são


apenas 01h00min da manhã. Abby, está deitada ao meu lado, mas desperta e
murmura algo.
- Volte a dormir, querida. – Eu sussurro e salto da cama.
Eu puxo o meu jeans e corro para a porta. Eu ligo o painel das
câmeras e pisco duas vezes tentando decifrar o que eu realmente estou vendo.
O que ele está fazendo aqui tão cedo? E porque não ligou antes?
Eu digito o código e o portão se abre. Ele salta dentro do seu carro e
dirige até a frente da casa.
Eu corro as mãos pelo meu cabelo, e abro a porta.
O meu irmão vem em minha direção e se choca contra mim. Ele me
abraça e eu fico tenso imediatamente.
- Damon? – Eu pergunto confuso.
- Eu vou ser pai, Reece. Você pode acreditar nisso? – Ele fala com a
voz embargada. Então eu relaxo, e o abraço de volta.
- Parabéns, irmão. – Eu o abraço.
Damon sempre foi o meu herói. Ele é esse tipo de cara de você
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

sempre pode contar. E ele cuidou de mim quando a gente não tinha mais
ninguém. Eu sei o que ser pai significa para ele, então eu o deixo chorar
como um menino em meus braços.
- Como Amanda está? – Eu pergunto.
- Ela está muito feliz. Um pouco assustada, mas estamos muito
felizes. Eu acho que vamos adiantar o casamento. Eu não quero que o meu
filho nasça sem estarmos casados. – Ele diz.
- Quer uma bebida? – Ofereço.
- Sim. – Ele sorri, e eu não posso deixar de sorrir.
Eu amo o meu irmão, e vê-lo feliz assim é muito bom. Eu sirvo-nos
de dois copos duplos de uísque, e o entrego um.
- A mamãe ficaria muito feliz. – Eu falo.
- Sim. Ela seria a avó mais incrível do mundo.
Ele bebe todo o conteúdo do copo apenas de uma vez. Os seus olhos
estão vidrados de emoção. Eu nunca vi o meu irmão tão feliz em toda a sua
vida.
- Eu quero que você seja o meu padrinho. – Ele coloca o copo sobre a
mesinha, e olha para mim.
- Então somos dois. Por que eu quero que você seja o meu. – Eu falo
com um sorriso.
- Eu estou feliz que você tenha encontrado a sua Amanda. Abby é
uma pessoa incrível. – Ele diz.
- Sim, ela é. – Eu concordo.
Ele suspira. – Eu não pensei que veria esse dia.
- As pessoas mudam, irmão mais velho. – Eu falo.
Ele me encara com o que se parece admiração.
- Isto é verdade. – Ele diz, e se move para encher o seu copo
novamente.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Damon e eu conversamos pela madrugada a fora. Quando ele saiu já


era quase 04h00min da manhã. Com um grande sorriso bobo eu subi para o
quarto, subi na cama e puxei Abby para os meus braços.
Eu mal podia esperar para que ela estivesse grávida também.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 14

Abby

Eu estou em cima da hora para chegar á empresa. Eu ainda tenho mais


uma semana como assistente de Reece até me mudar para o Departamento de
Finanças da empresa. Mas antes eu tenho que treinar a (o) nova (o) assistente.
Reece já está pronto e tomando café. Eu corro pelo quarto para
terminar de me arrumar. A culpa é dele. Ele drena toda a minha energia com
um sexo alucinante e no dia seguinte eu sou uma bagunça ambulante.
Eu sorrio me lembrando da noite passada.
Quando eu chego ao andar de baixo, Reece está falando ao telefone.
- Sim. Eu preciso do relatório do trimestre passado atualizado e
entregue na minha mesa até o final do dia. – Ele diz para quem está do outro
lado da linha.
- Você não quer que a sua assistente lide com isso para você? – Eu
pergunto dando a volta na mesa para cumprimentá-lo.
- Na. A minha assistente agora é uma mulher muito ocupada. – Ele
sorri quando se inclina para me beijar.
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Bom dia. – Eu falo me aproximando para beijá-lo antes de tomar o


meu lugar.
- Bom dia, querida. Como você dormiu? – Ele pergunta com um sorriso
presunçoso.
- Como um anjo. E você? – Eu pergunto tomando um gole do meu
café.
- Damon apareceu na noite passada, então ele me falou que eu vou ser
tio. – Ele diz encontrando o meu olhar.
- Oh meu Deus. Isso é incrível, parabéns. E Amanda como está?
- Eles estão muito felizes. Eu nunca vi o meu irmão tão feliz na vida.
- Um bebê. – Eu falo, e observo quando os olhos de Reece brilham.
- Você vai ficar linda grávida. – Ele diz com um sorriso.
- Você acha? – Sorrio.
- A mais linda de todas. – Ele diz, e eu sinto o meu coração
transbordar com tanto amor por esse homem lindo.
- Obrigada, querido.
Reece e eu terminamos o nosso café e seguimos para a empresa.
Quando chegamos ele vai para uma reunião enquanto eu vou até a sala de
Amanda. Ela quer que eu participe da escolha da pessoa que vai me substituir
como assistente de Reece.
Quando eu chego há vários candidatos sentados na sala de espera do
seu escritório.
- Pode entrar, Abby. – Ela diz com um sorriso.
- Ela está atendendo alguém? – Eu pergunto.
- Não. Ela pediu alguns minutos antes de começar as entrevistas. –
Ela fala.
- Ok. Obrigada. – Eu falo e bato na porta antes de entrar.
- Ei, pode entrar. – Amanda fala quando me vê.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Parabéns. Reece me contou a novidade. Estou tão feliz por vocês.


Vocês serão pais incríveis. – Eu falo puxando-a para um abraço.
Amanda e eu nos tornamos boas amigas ao longo desses meses. Ela é
uma pessoa maravilhosa. E essa criança terá muita sorte em tê-la como mãe,
e Damon como pai. Assim como eu sei que Reece e eu seremos um dia.
- Obrigada. Eu estou tão feliz e assustada ao mesmo tempo. – Ela diz
com emoção.
- Bobagem. Vocês vão tirar isso de letra. Essa criança tem muita sorte
de tê-los como pais. – Eu a tranquilizo.
- Obrigada, Abby. – Ela sorri.

***

Amanda e eu passamos toda a manhã escolhendo a pessoa para me


substituir como assistente de Reece.
Não foi fácil.
O nível dos candidatos estava muito alto, e cada um deles tinha algo
mais que nos encantou, mas decidimos escolher uma senhora que estava na
cada dos quarenta. Ela era mãe solteira e tinha dois filhos na faculdade. Marta
estava desempregada há mais de seis meses.
- Eu vou sair para comprar algo para comer. Você quer algo? – Eu
pergunto a Amanda.
- Não, obrigada. Eu estou meio sem fome. – Ela faz uma careta.
- Tudo bem. Deixe-me saber se precisar de algo. – Eu falo.
- Eu vou. Obrigada.
Quando eu dobro a esquina em direção à cafeteria, eu o vejo. Jack
está vindo em minha direção. Eu sinto o meu corpo ficar tenso
imediatamente.
- Como vai, Abby? – Ele diz com um sorriso.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- O que você está fazendo aqui, Jack?


- Eu pensei em passar para dar um oi.
- Eu não tenho nada para falar com você. – Eu cuspo fora.
- Ah. Então, você já sabe? – Ele pergunta sem emoção.
- Sim. Reece me contou tudo.
- Eu tenho certeza de que ele fez, mas nem tudo que ele falou é
verdade, Abby.
- Não? Você não seduziu, e depois a deixou quando ela mais precisou
de você? – Eu estou gritando agora.
As pessoas na rua estão olhando para nós, mas eu não me importo. Eu
estava com isso engasgado até agora.
- Você não entende. – Ele diz passando a mão pelo cabelo.
- Sim. Eu entendo que você é um ser desprezível. E que eu não quero
nunca mais te ver. Agora saia da minha frente antes que eu comece a gritar.
Ele dá um sorriso diabólico. – Você é uma cadela louca. – Ele diz e
saí me deixando de boca aberta.
Reece tinha razão. Esse idiota não vale a hora do dia.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 15

Reece

Abby e eu passamos o dia de Ação de Graças com os seus pais. Era o


meu primeiro Dia de Ação de Graças em anos que não passaria com o meu
irmão. Mas ele viajou para o sul da Flórida para ficar com os pais de
Amanda. Eles estavam eufóricos com a ideia de serem avós.
Eu tinha planejado para a nossa lua de mel um tour pela Europa,
incluindo uma parada em Aspen – CO. Abby me falou que adoraria esquiar,
então eu juntei o útil ao agradável.
Eu mal poderia esperar para fazê-la minha para sempre.
Estou no meu caminho para casa quando o meu telefone toca. É
Amanda. Eu atendo pelo dispositivo do carro para não me distrair.
- Sim. – Eu falo ao atender.
- Você já chegou em casa? – Ela pergunta.
- Estou no meu caminho. O que houve, Amanda?
- Eu só queria ter certeza de que você está bem. – Ela diz um pouco
ansiosa.
- Por que eu não estaria, Amanda? O que houve? – Eu começo a sentir
a tensão.
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Nada. – Ela suspira. – É só que... – Ela hesita.


- Amanda?
- É só que, Meg me contou que viu Jack abordando Abby hoje perto
da empresa. Ela não conseguiu ouvir o que eles falaram, mas segundo Meg,
Abby parecia bem chateada depois que ele saiu.
- Filho da puta! – Eu bato com a mão no volante.
- Ei, eu não quero que você faça nada precipitado. Eu só te contei
porque achei que deveria saber. Aquele cara é um nojento, e eu não o quero
perto da Abby.
- Não se preocupe, eu cuido disso. – Eu falo e desligo antes que ela
tenha a chance de dizer mais alguma coisa. Rapidamente eu faço o desvio e
sigo na direção oposta.
Eu já esperei tempo demais.
Durante o trajeto, a minha mente volta para Marissa. E a forma como
ela terminou. Eu sei que não deveria ter terminado com ela, mas eu também
não poderia ficar com ela apenas por pena. A minha mão bate no volante e o
carro desvia descontroladamente. Alguém buzina atrás de mim.
Idiota.
Eu aperto o botão que desce o vidro escuro, e dou o dedo médio para
o idiota que acabou de buzinar para mim e acelero.
O ar da noite preenche o meu rosto. A brisa fresca é como uma lufada
de ar em uma noite quente.
Quando eu chego ao meu destino, eu paro o carro na frente da casa e
corro para dentro. Antes que eu possa apertar a campainha, a porta se abre e
lá estava ele. Em um piscar de olhos, o meu punho estava em seu rosto.
Jack não teve tempo para se recuperar quando eu lhe dei outro golpe,
e depois uma série deles.
Sangue ferve nas minhas veias. Toda a raiva acumulada esses anos

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

todos está de volta. E eu não consigo parar.


Eu não quero.
Eu agarro a sua cabeça e trago o meu joelho até o seu nariz.
O covarde grita.
Sangue escorre pelo seu rosto. Ele tenta me agarrar, mas eu sou mais
rápido e bato a minha cabeça contra a sua fazendo-o tropeçar para trás
espirrando sangue por todos os lados.
Eu não me importo.
Jack cai no chão quase inconsciente.
- Se você chegar perto da Abby novamente, eu vou acabar com você.
– Eu pego um punhado de seu cabelo. – Você entendeu?
Ele me olha com puro terror gravado em seu rosto e balança a cabeça.
Eu solto a sua cabeça e ele bate contra o chão de madeira.
- Oh meu Deus! – Uma senhora aparece na porta e ela parece
aterrorizada com a cena.
- Você deve chamar um médico. – Eu falo passando para fora.
Eu entro no meu carro e aperto o acelerador. A minha mão dói como
uma cadela. Os nódulos estão ficando roxos, mas eu ignoro por enquanto.
Eu preciso fazer algo antes de cuidar do meu machucado.
Eu disco o número do meu advogado, e espero.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 16

Abby

A porta se abre e Reece vem para dentro parecendo um furacão. Ele


está furioso, eu posso sentir pela forma como ele amaldiçoa e bate a porta
com força.
Eu corro para baixo e o encontro na cozinha lavando a mão.
- Reece o que aconteceu? – Eu pergunto, e me aproximo.
Há sangue no chão e sua mão direita está muito inchada e roxa.
- Oh meu Deus! – Eu falo ajudando-o a lavar o sangue em suas mãos.
- Não foi nada, Abby. Não se preocupe. – Ele diz, mas eu não posso
acreditar.
- Como não foi nada, Reece? Você está furioso e machucado. O que
aconteceu? – Eu insisto.
- Por que você não me falou que Jack a abordou está tarde?
- O que? Como você sabe disso? – Eu pergunto com os olhos
arregalados.
- Não importa como eu soube. O importante aqui é, porque você não
me contou? – Ele rosna.
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Bem, eu não achei necessário. Ele não merece a hora do dia, então
não vi necessidade de chateá-lo. – Eu falo a verdade.
- Eu não quero que você esconda as coisas de mim porque acha que
vai me chatear, Abby. – Ele cospe fora.
- Tudo bem. Eu sinto muito. – Eu falo e vou em direção ao freezer. –
Venha, você precisa colocar um pouco de gelo nisso.
Ele não diz nada me deixa cuidar do machucado. Eu também não
pergunto o que aconteceu, porque eu já tenho uma breve ideia do que houve.
Depois de cuidar do machucado, eu coloco uma faixa em volta da sua mão.
A campainha toca e eu me levanto para ver quem é. Amanda entra
parecendo um furacão e um dos advogados da empresa vem junto com ela.
- Você ficou maluco? – Ela grita para Reece.
- Não comece, Amanda. Você está desperdiçando o seu tempo.
- Você não pode bater a merda fora de alguém e simplesmente achar
que está tudo bem, Reece. – Ela grita.
- Ele vai prestar queixa? – Reece pergunta irritado.
- Não, mas ele poderia se quisesse. Você não deveria ter feito isso.
- Eu já deveria ter feito isso há muito tempo. E não me venha dizer o
que eu posso ou não fazer. Essa é a minha vida, e eu faço o que eu quiser
com ela. – Ele grita.
- Ok, ok. Vocês precisam se acalmar. – Eu tento apaziguar a situação.
- Você poderia ter sido preso e processado por tentativa de
assassinato, Reece. – Amanda diz com pesar.
- Eu não me importo. Eu iria para a cadeia feliz, só de saber que
aquele idiota não vai chegar mais perto de qualquer um de nós.
Eu termino de fazer o curativo na mão de Reece e ele Amanda e o
advogado repassam o seu depoimento caso Jack decida prestar queixa contra
Reece. Segundo Amanda, a empregada de Jack o encontrou quando Reece

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

estava saindo e tentou chamar a polícia, mas Jack não permitiu. Como
Amanda soube disso eu não sei, mas a mulher é como uma ninja. Ela sabe
tudo.
Reece por outro lado, tratou logo de avisar ao seu advogado o que
tinha feito. Eu não aprovo de nenhuma maneira o que ele fez. Mesmo que
Jack tenha merecido, mas foi muito errado. Eu faço uma nota mental para
conversar com ele depois. Eu não quero que ele saia por aí socando as
pessoas.
Não é assim que resolvemos as coisas.
Depois de quase três horas de conversa, Amanda e o advogado vão
embora, e ficamos apenas Reece e eu.
Eu fecho a porta e subo para encontrá-lo no quarto.
- Como está a sua mão? – Eu pergunto.
- Eu vou ficar bem. – Ele responde sem olhar para mim, e eu sei que
algo está errado.
- Reece? Fale comigo.
- O que você quer que eu diga, Abby? – Ele grita.
- Eu não sei. Para começar, porque você não me fala o que deu em
você para sair socando a cara daquele idiota?
- O que deu em mim? – Ele ri sem humor. – Não se faça de
desentendida, Abby. Eu sei que ele te abordou hoje. Porque você não me
falou? – Ele ruge, seus olhos estão vidrados. Ele está prestes a explodir.
- Porque eu sabia que você reagiria assim. – Eu aponto para ele.
- Não me venha com essa, Abby. Nós vamos nos casar, eu não quero
que existam segredos entre nós. – Ele diz, e tem razão.
Eu suspiro e me aproximo. – Você está certo. Eu deveria ter te
contado. Eu só não queria que você agisse como um louco, mas aconteceu de
qualquer forma.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Venha aqui. – Ele abre os braços e eu me aconchego em seu peito.


Reece se inclina e os nossos lábios se tocam. De repente eu esqueço
tudo ao nosso redor. Nada mais tem importância.
Somos apenas ele e eu.
Para sempre.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 17

Abby

Hoje é o dia do nosso casamento.


O dia mais esperado de nossas vidas finalmente chegou.
O dia que eu me tornarei a senhora Cuttler para sempre. Eu nunca
imaginei que a minha vida tomaria esse rumo. E confesso que estou muito
feliz por ter encontrado a minha alma gêmea.
O amor da minha vida.
A minha mãe está uma pilha de nervos correndo para lá e para cá
cuidando dos últimos detalhes. Ela parece cansada, mas muito feliz. Eu nunca
a vi tão feliz em toda a minha vida.
O nosso casamento será realizado nos jardins da nossa casa. Reece
queria contratar um lugar para realizar a cerimônia e a festa, mas acabei
convencendo-o de fazer tudo em nosso jardim.
O lugar é muito lindo e cuidado. E eu queria que fosse um evento
apenas para familiares e amigos mais próximos.
Reece estava na casa da piscina. Ele se recusou a ir para um hotel ou
até mesmo para a casa de seu irmão. Ele disse a minha mãe que não ficaria
longe de mim, mesmo que tivesse que passar por cima dela.
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Eu não queria rir, mas não aguentei. Reece não acreditava nas
superstições de que o noivo não poderia ver a noiva antes do casamento, mas
ele estava fazendo essa concessão para agradar a minha mãe. Porém, ele se
recusou a dormir em quartos separados na noite passada quando a minha mãe
sugeriu. Foi muito bom vê-la em ação, mas Reece era osso duro de roer.
O meu homem é mais teimoso que uma mula.
Os meus pais e Samirah estavam hospedados em nossa casa. O que
facilitou a correria e o processo de preparar tudo.
Samirah e Amanda eram as minhas madrinhas de casamento. Damon
era o padrinho de Reece.
A minha mãe me acordou muito cedo e expulsou Reece de casa. Logo
em seguida chegaram os profissionais contratados. Por horas eu fui privada
de me ver no espelho, mas finalmente eu estava pronta.
- Oh, Abby. – Minha mãe diz com lágrimas nos olhos. – Você parece
uma princesa. – Ela diz com admiração.
Eu me olho no espelho e minha boca se abre. Eu realmente pareço
uma princesa. O vestido é tudo que eu sempre sonhei. É de renda e tem um
pequeno decote e ilusão, ele é modelo sereia com uma calda enorme e linda.
Há uma linda tiara em minha cabeça feita de brilhantes, que prendem o véu
longo.
Eu tenho que piscar para não chorar e borrar a maquiagem. Eu sei que
todos os produtos usados são à prova de água, mas eu não quero arriscar.
Eu não acredito que eu vou me casar com Reece.
Parece um sonho.
É perfeito.
- Oh, não. Não chore, querida. – Samirah fala e me entrega o buquê. –
Você está linda. Reece não vai saber o que lhe atingiu.
Isso me faz rir.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Há uma batida na porta. Amanda abre e o meu pai entra no quarto.


Ele está vestindo um terno escuro com uma camisa branca. O meu pai é um
dos homens mais bonitos que eu já vi na vida, e mesmo com a idade ele só
está ficando mais bonito. Os seus olhos estão cheios de orgulho, e isso quase
me faz chorar. Ele me beija suavemente no rosto.
- Você está linda, querida Bee. – Ele diz com os olhos cheios de
lágrimas. Bee é como ele costumava me chamar quando criança.
- Obrigada, papai. O senhor também está muito bonito. – Eu sorrio.
- Estou tão orgulhoso de você, e na mulher linda que você se tornou.
Você é a minha princesa e sempre será. – Ele segura a minha mão, e leva
tudo de mim para não desatar no choro.
A minha mãe entra em ação, e limpa a umidade entre os meus olhos.
– Você está maravilhosa, Abby. – Ela diz, mas ela também está muito linda.
O seu vestido azul combina com os seus olhos.
Eu sorrio e puxo os dois para um abraço. – Obrigada por tudo. Vocês
são os melhores pais que uma menina poderia pedir. Eu os amo demais, e um
dia, os nossos filhos os amaram tanto os seus avós queridos.
- Chegou a hora, Abby. – Amanda diz.
Quando nos afastamos, mamãe arruma o meu vestido, e o meu pai me
dá o seu braço. Eu respiro fundo e tomo o seu braço.
É hora do show.
O meu pai e eu descemos as escadas e seguimos para a porta. Todo o
lugar foi decorado com flores naturais.
Tudo está perfeito.
Quando chegamos à entrada, o meu pai se vira para mim. – Você está
pronta?
Eu aceno silenciosamente, eu não consigo falar. A emoção tomou
conta de mim. As portas se abrem, a música começa a tocar. Samirah

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

caminha em direção ao altar montado lá fora. E depois é a vez de Amanda.


Todo mundo está de pé, e olhando em nossa direção. Eu dou um
passo para fora e a primeira coisa que vejo é Reece. Ele parece absolutamente
lindo. Os seus olhos estão em mim.
A minha respiração é arrebatada.
Os meus pés tropeçam, e eu agarro-me ao meu pai para não cair. Ele
me segura e, nos movemos em direção ao meu futuro marido.
Quando chegamos ao altar, o meu pai levanta o véu e beija a minha
testa antes de se virar para Reece. – Cuide bem dela. – Ele diz com emoção.
- Eu prometo cuidar dela com a minha própria vida, senhor. – Reece
diz e toma o meu braço.
A cerimônia tem início. Eu não consigo parar de sorrir. A emoção
tomou conta do meu corpo, preenchendo todos os lugares com as promessas
de amor que Reece e eu trocamos para toda a eternidade.
- O que o Deus uniu, o homem não separa. Pode beijar a noiva. – O
padre diz, e é tudo que Reece precisa para selar o nosso compromisso eterno
na frente de todos os nossos familiares e amigos.
Ele me beija apaixonadamente. E eu retribuo. Os nossos lábios se
tocam e a mágica acontece.
Nada nunca foi tão certo.

***

Reece e eu passamos a nossa lua de mel por toda a Europa. A viagem


foi incrível. Conhecer todos esses lugares maravilhosos na companhia do
meu marido foi a melhor experiência da minha vida. E esta era a nossa última
parada antes de voltar para casa. Eu quase não acreditei quando ele me
contou que estaríamos indo para Aspen, CO.
Eu sempre sonhei em esquiar, e Reece fez acontecer. Eu tinha uma

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

surpresa para ele também, e eu mal podia esperar para lhe contar as
novidades. Reece e eu estamos casados há apenas três semanas, e eu nunca
me senti tão feliz.
- O que você quer fazer em nossa última noite antes de voltar para
casa, querida? – Reece pergunta me abraçando por trás e beijando o topo da
minha cabeça.
- Eu posso pensar em um monte de coisas que eu gostaria de fazer,
mas apenas uma tem ocupado toda a minha mente durante todo dia. – Eu falo
e me viro para ele sorrindo.
Reece se inclina e me beija. E isso é tudo que eu preciso, estar em
seus braços, e tê-lo me amando.
Hoje eu sou completamente feliz.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Capítulo 18

Reece

Abby coloca os braços em volta do meu pescoço enquanto eu a puxo


para mim. Tê-la em meus braços me faz sentir tão bem. Corri a palma da mão
pelo seu rosto suave, seus olhos lindos me encarando.
- Você não tem ideia do quanto eu te amo, senhora Cuttler. – Eu
escovo os meus lábios nos dela.
- Eu tenho uma ideia, porque eu sinto o mesmo por você, senhor
Cuttler. – Ela sorri contra os meus lábios.
Eu movo os meus lábios para o seu pescoço, e a guio em direção à
cama. Há deito com cuidado e rapidamente chuto os meus sapatos e saio da
minha calça e camisa. Pairando sobre ela, a minha mão percorre entre as suas
coxas até que meus dedos alcançam o tecido fino de sua calcinha. Ela estava
tão pronta e molhada para mim. Eu puxei a sua calcinha para baixo, e meus
dedos percorreram a carne lisa. Um gemido escapou do fundo de sua
garganta quando eu mergulhei um dedo dentro dela.
- Oh Reece. – Ela gemeu.
Os meus lábios encontraram os dela, movendo-se em perfeita
sincronia. Eu mergulhei outro dedo dentro dela e esfreguei o seu broto
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

inchado com outro. Ela gemeu e jogou a cabeça para trás. A minha língua
deslizou através da sua em uma dança erótica. A sua respiração esta afetada,
e seus gemidos ficaram mais altos. O meu pau está prestes a explodir dentro
da minha cueca.
- Eu quero que você goze para mim. – Sussurro.
- Sim, não pare, Reece. – Ela geme.
- Eu nunca vou parar. Você é minha, Abby. E eu vou fazer você se
sentir bem sempre, querida. – Eu esfrego mais forte, assim como os meus
dedos se movem dentro e fora dela.
Ela grita e eu sinto a sua umidade escorrer pelos meus dedos. O seu
corpo treme debaixo de mim. Ela parece ainda mais linda quando goza.
- Isso, baby. Goza para mim.
Quando ela desce do seu orgasmo, eu me levanto e puxo minha cueca
para baixo. Abby se levanta sem fôlego e abre o zíper do seu vestido,
jogando-o ao lado da cama. Eu desengancho o fecho do seu sutiã, e aperto os
seus seios firmes em minhas mãos. Ela se encolhe ao meu toque, e eu fico
tenso.
- O que houve? Eu te machuquei? – Eu pergunto encontrando o seu
olhar.
Ela sorri. – Não, querido. Você não me machucou. Eles estão
sensíveis, isso é tudo.
Eu diminuo o aperto entre eles e os levo à minha boca. Primeiro um e
depois o outro. Abby se inclina para que eu tenha o melhor acesso. A minha
boca explora os seus seios perfeitos antes de beijá-la para baixo até chegar a
sua buceta.
- Reece. – Abby geme.
A minha boca a devora lentamente. Eu passo a minha língua por suas
dobras circulando e chupando o seu clitóris inchado.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Abby segura os meus cabelos, puxando-os com força enquanto ela


monta o meu rosto. Eu adoro ver a minha garota em ação.
- Reece. Oh meu Deus. – Ela geme quando eu circulo ao redor do seu
ponto sensível levando-a ao seu segundo orgasmo.
Eu sorrio.
O meu pau já está prestes a explodir quando eu o alinho entre as suas
pernas. Provocando-a, eu esfrego a ponta contra a sua carne sensível e ela
treme. Sem esperar mais eu empurro para dentro. O seu calor envolvendo em
torno de mim.
Eu solto um gemido de puro prazer. Enquanto empurro dentro e fora
dela como se não pudesse me controlar. As suas mãos agora sobre as minhas
costas cravam a minha pele, quando o seu terceiro orgasmo rasga através
dela. Eu não posso segurar e empurro profundamente dentro dela,
encontrando assim a minha própria libertação. Eu derramo cada gota dentro
dela.
- Foda-se! – Eu gemo, desmoronando em cima dela.
O seu coração estava batendo muito rápido. Eu não poderia me
mover. Esse era o paraíso. O meu lugar favorito no mundo.
Eu a segurei em meus braços até que as nossas respirações voltaram
ao normal.
- Eu não consigo me mover. Você acabou comigo, senhor Cuttler. –
Ela sorri debaixo de mim.
- Engraçado, eu me sinto da mesma maneira, senhora Cuttler.
Eu virei à cabeça e olhei para ela. Um sorriso brilhante se estendeu
pelo seu rosto.
- Eu tenho uma surpresa para você. Espere aqui. – Ela fala e salta da
cama completamente nua.
Os meus olhos a acompanham enquanto ela vai até a sua bolsa e pega

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

uma caixa média de dentro da bolsa e trás para mim.


- Aqui. – Ela estende a caixa branca com um laço dourado em volta
dela.
- Para mim? – Eu pergunto surpreso. – Não é meu aniversário,
querida. – Eu brinco.
- Eu sei. Isso é outra coisa. – Ela parece ansiosa.
Eu olho para a pequena caixa e desfaço o laço, e por um momento eu
simplesmente olho sem acreditar.
- Isto é o que eu estou pensando? – Sussurro, incapaz de falar.
Ela sorri e balança a cabeça. Eu sorrio de volta e olhos para os
sapatinhos dentro da caixa, então eu a coloco sobre a cama e a agarro,
levantando-a no ar. Pura alegria dispara em minhas veias.
- Oh Abby. – Eu sussurro., colocando-a para baixo.
- Você será papai, senhor Cuttler. – Ela sorri e acaricia a sua barriga.
- Eu te amo. – Eu seguro o seu rosto e a beijo.
Hoje eu sou o homem mais feliz do mundo. Nada foi tão certo em
toda a minha vida. Eu não sei o que eu fiz para merecer alguém como Abby,
mas agradeço aos céus por me dar esse presente maravilhoso.
Eu fico de joelhos e beijo o lugar onde o nosso bebê está. Abby
acaricia o meu cabelo enquanto a emoção toma conta de mim. Tudo que eu
mais queria era um filho para completar a nossa felicidade.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

Epílogo

Reece

- Mamãe, papai chegou! – Zoe correu para me abraçar.


Sorrindo eu me ajoelhei para recebê-la. A nossa filha amada estava
agora com dois anos e já era mais esperta do que qualquer marmanjo que eu
conheço.
- Eu estou indo, querida! – Abby grita da cozinha, onde ela deve estar
assando os biscoitos favoritos da nossa princesa.
Zoe é a luz das nossas vidas. Eu não consigo lembrar de como era a
minha vida antes dela existir. No dia em que ela nasceu, eu renasci junto com
ela. Essa pequena mudou a minha vida de uma forma inacreditável.
Eu me pergunto o que será de mim quando ela decidir que está na
hora de namorar. Ou quando ela sair de casa para morar sozinha.
Eu sei que pode parecer cedo demais para pensar nisso, mas não é. O
tempo está passando tão rápido.
- Como foi o seu dia, papai? – Zoe pergunta mexendo na minha
gravata.
Eu sorrio. – O papai teve que lidar com um monte de coisas na
empresa. E você, o que fez hoje? – Eu pergunto e a levanto nos meus braços,
caminhando em direção à cozinha onde Abby está desenformando.
NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

- Mamãe me levou para ver os peixinhos. Eles são tão bonitinhos,


papai. – Ela diz gesticulando com as pequenas mãozinhas.
- É mesmo? E você gostou de ir ver os peixinhos? – Eu pergunto.
- Sim. Eu amei. Quando eu crescer, eu vou ser uma bioga. – Ela diz, e
eu rio. Ela ainda não consegue falar todas as palavras corretamente, e é muito
gostoso ouvir a sua própria linguagem. Bioga significa Bióloga.
- E o que aconteceu com a minha médica? – Eu pergunto já sabendo o
que ela vai dizer.
- Eu posso ser as duas coisas, papai. – Ela cruza os pequenos braços
com uma carranca.
- Tudo bem, querida. – Eu beijo bem no meio da sua testinha
enrugada e ela sorri quando eu começo a fazer cócegas.
Abby se aproxima e eu me inclino para beijar a minha outra garota
favorita neste mundo.
- Como foi o seu dia, querida? – Eu pergunto, e coloco Zoe em cima
da ilha da cozinha, onde ela pode pegar os biscoitos que Abby acabou de
assar.
- A sua filha é tão exigente quanto você, senhor Cuttler. Você acredita
que ela me fez ir até o centro para tomar o seu sorvete favorito. – Ela diz e
cutuca a barriga de Zoe, que ri e se contorce.
- Pala, mamãe. – Ela se contorce para longe das cócegas, e ri.
Eu a coloco para baixo e ela corre para fora para encontrar as suas
bonecas e brincar por horas até a chegar a hora de dormir.
- Ela está crescendo tão rápido. – Eu falo puxando Abby para os meus
braços, e beijando-a.
- Temos alguns minutos antes de ela vir aqui novamente, podemos
encomendar o segundo agora mesmo, senhor Cuttler. – Ela brinca.
- Essa é uma ótima ideia. – Eu gemo em sua boca, e a puxo para a

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

despensa onde Zoe não será capaz de nos dar um flagra como da outra vez.
Abby corre suas mãos pelo meu cabelo enquanto eu ataco a sua boca
gananciosamente. Ela tem um gosto divino em todos os lugares e eu passei
todo o dia querendo prová-la uma e outra vez.
A besta dentro de mim nunca se cansa do seu gosto.
É viciante.
Eu nunca me senti tão vivo.
Perdida em puro êxtase, Abby abre o zíper da minha calça e puxa o
meu pau para fora. Ela o acaricia fazendo-me gemer no processo.
Eu alcanço o zíper do seu vestido e o puxo para baixo. Os seus seios
saltam livres, eles parecem ainda melhores do que está manhã quando eu os
tive em minha boca.
Abby é perfeita. O seu corpo mudou um pouco depois da gravidez.
No começo ela se sentia reprimida, mas eu lhe assegurei que ela estava ainda
mais linda. E é a pura verdade. Os seus quadris estão mais largos, os seus
seios mais fartos e a sua buceta parece ainda mais apertada do que nunca.
O meu pau dá espasmos só com o pensamento me enterrar
profundamente em seu calor apertado. Gemendo, eu giro os seus mamilos
para trás e para frente fazendo-a jogar a cabeça para trás de puro prazer.
- Oh Reece. –Ela geme.
- Você é tão linda, querida. – Eu gemo quando levo um dos mamilos à
minha boca e o chupo, e depois repito o mesmo processo com o outro.
É tão bom.
Eu me ajoelho e arranco a sua pequena calcinha rendada que ela
estava usando. Minhas mãos espalham as suas pernas mais abertas e passo a
minha língua por suas dobras molhadas.
- Reece. – Ela geme, e começa a mover os quadris desesperadamente.
Eu agarro os lábios da sua buceta e os separo, expondo o feixe de

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

nervos rosado. Ela se contorce impaciente. Eu passo a minha língua de leve


por cima do seu clitóris e ela morde os lábios para não gritar.
Eu sei que está sendo difícil para ela não se soltar completamente,
mas a nossa filha tem os ouvidos muito bom, e ela poderia nos pegar aqui a
qualquer momento. Ela já fez isso uma vez, e eu quase não tive tempo para
subir as minhas calças.
Afastando as memórias do dia que a nossa filha quase nos flagrou, eu
continuei o meu ataque em seu clitóris inchado.
- Por favor! – Ela implora.
- O que você quer Abby?
- Foda-me, Reece. – Ela diz roucamente.
Eu sorrio contra a sua carne e movo a minha boca através da sua
buceta. Eu chupo e lambo gananciosamente a sua fenda encharcada enquanto
ela se desfaz em meus braços.
A minha língua se move através da sua carne, saboreando, chupando,
comendo cada parte dela. Os seus sucos escorrem por entre as suas pernas,
então eu aproveito para empurrar um dedo dentro dela, e ela começa a tremer.
O seu orgasmo rasgando através do seu corpo.
- Mamãe. – A voz de Zoe ecoa de algum lugar.
Eu congelo. Meu Deus! Não agora.
- Merda! – Ela tenta sair do meu agarre, mas eu aperto o meu domínio
sobre as suas coxas não permitindo que ela se afaste.
- Não se atreva a sair. Você está gozando, Abby. – Ordeno.
- Zoe vai nos pegar, Reece. – Ela sussurra em completo pânico.
- Não. Ela não vai. – Eu falo e volto a devorar a sua buceta enquanto
o meu dedo a fode.
- Mamãe, onde você está? – Zoe chama novamente, e eu posso ver a
minha esposa entrando em pânico para correr para a nossa menina. Então eu

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

chupo mais forte o seu clitóris fazendo-a perder o controle e gozar na minha
boca e dedo. As suas unhas cravem em meus ombros e ela se contém para
não gritar enquanto o orgasmo a leva para outro lugar.
Quando o seu corpo para de tremer, eu me levanto e ajudo-a a
recolocar o seu vestido para que ela possa ir até Zoe.
- Eu já volto para cuidar de você. – Ela sorri olhando para o meu pau
duro como aço.
- Não se preocupe. Vá cuidar da nossa menina. Você terá a sua chance
mais tarde. – Eu falo e a beijo antes dela sair com um sorriso satisfeito em
seu lindo rosto.
Eu respiro fundo e enfio o meu pau de volta nas minhas calças. E vou
para fora para encontrar Abby dando leite e mais biscoitos para a nossa
pequena princesa.
Eu olho para as duas mulheres da minha vida e não posso deixar de
agradecer ao universo por tudo.
Eu sou o homem mais feliz do mundo.

FIM.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

AGRADECIMENTOS

Um enorme agradecimento a todos vocês que me ajudaram a dar vida a esta


história.
Obrigado a todos vocês que me acompanham nesta jornada. Vocês leitores
lindos e amados que fazem o meu dia ainda melhor com suas mensagens de
carinho e respeito. Os seus comentários e orientações me ajudam a cada dia
criar novos personagens e lindos romances.

NACIONAIS-ACHERON
PERIGOSAS

NOTA DA AUTORA

Obrigada por fazer parte disso. Eu amo muito vocês. Para saberem
mais sobre esse e outros livros de Ava G. Salvatore, acessem e sigam os seus
canais nas Redes Sociais:
Instagram: https://www.instagram.com/avagsalvatore/
Twitter: https://twitter.com/avagsalvatore
Facebook: https://www.facebook.com/avagsalvatore/

NACIONAIS-ACHERON

Você também pode gostar