Você está na página 1de 7

PROGRAMA: FORMAÇÃO OU CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO DE EXTENSÃO: O planejamento de aula para plataformas de educação online

RESUMO:

O projeto tem por objetivo a elaboração de videoaula pelos acadêmicos dos cursos de
licenciatura, formação pedagógica e segunda licenciatura, conforme a área de
concentração da disciplina de Estágio Curricular Obrigatório em que estiver matriculado.
Ao pensar nas plataformas de educação online como mais uma opção, o docente poderá
exercer com maior eficiência a mediação entre objetivos da disciplina, conteúdos e
metodologias necessária para estimular no aluno no processo de ensino e aprendizagem.

PALAVRAS-CHAVE: Videoaula. Educação. Planejamento. Plataforma online.

1 INTRODUÇÃO

A introdução de recursos tecnológicos na educação reforça a perspectiva de uma


intervenção multiprofissional e interdisciplinar. As plataformas de educação online implicam
em novas formas didáticas condizentes com a contemporaneidade que as novas
tecnologias apresentam (FRANÇA, 2009).
Investimentos em plataformas de aprendizagem on-line ascendem em diversos
países para atender às necessidades que sinalizam práticas pedagógicas coerentes com o
intuito de atender as indigências atuais (ARAÚJO, 2007). Para este momento, damos
destaque à necessidade do isolamento social para conter disseminação do coronavírus
(COVID-19), e com isso, a necessidade da realização de atividades pedagógicas não
presenciais.
Para tal contexto, as plataformas de educação online podem ser facilitadores da
aprendizagem ao otimizar o tempo que deixa de ser do professor e passa a ser do aluno, o
espaço que ultrapassa os limites da sala de aula e a compreensão que aprofunda e amplia
a resolução de problemas complexos. Estes recursos devem ser utilizados para facilitar o
processo de ensino e aprendizagem e possibilitar a produção do conhecimento,
ultrapassando o simples acúmulo de informações.
Sendo assim, o acadêmico deverá apresentar no formato de videoaulas alternativas
de planejamento direcionado à professores da Educação Básica compreendendo
estratégias e recursos facilitadores para realização das atividades escolares.
Para Whitaker (1979), o planejamento não é uma finalidade em si, mas sim, um
instrumento para que o aprendizado se realize, é uma atividade permanente e que permeia
todo o processo de ensino e aprendizagem em seu tempo de atuação. O planejamento é
de fundamental importância e pode ocorrer em várias situações (WHITAKER, 1979), como
por exemplo, o planejamento registrado para cada aula; estudo prévio de software; a
elaboração do plano de aula utilizando ferramentas online, entre outras situações.
Sendo assim, a elaboração de videoaula pelo acadêmico deve contemplar as
diretrizes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), no atendimento dos direitos de
aprendizagem a partir dos eixos estruturais e do componente curricular previsto para os
segmentos da Educação Infantil (Interações e Brincadeiras); Ensino Fundamental – Anos
Iniciais e Finais a partir das seguintes áreas do conhecimento (Linguagens, Matemática,
Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Ensino Religioso).
Para tanto, o acadêmico deverá ter em mente a área de concentração escolhida para
delimitar a temática da videoaula referente a disciplina de Estágio Curricular Obrigatório em
que estiver matriculado.
Compreendemos que o processo de ensino e aprendizagem é mais do que um
conjunto de elementos: ele constitui uma estrutura dotada de uma certa coerência na qual
cada um dos elementos vem apoiado pelos restantes (GIL et al. 2018). Para tal é essencial
um bom planejamento. Sendo assim, a aprendizagem pode residir fora de nós (em uma
organização ou um banco de dados) e está centrada em conectar conjuntos especializados
de informações e as conexões que nos permitem aprender mais são mais importantes do
que nosso atual estado de conhecimento (SIEMENS, 2020).
Para Turvey (2010), reconhecer, capturar e explicar os processos pedagógicos
decorrentes da interação entre as novas tecnologias de comunicação e espaços on-line
estão entre as competências necessárias ao professor imerso no novo contexto
educacional.
2 OBJETIVOS

 Apresentar uma proposta de planejamento de aula para ser desenvolvida em


plataforma de educação online.

 Elaborar videoaula pedagógica adequada ao componente curricular selecionado,


conforme a área de concentração da disciplina de estágio curricular obrigatório em
que estiver matriculado;

 Demonstrar por meio de videoaula alternativas de planejamento de aula direcionado


a professores do ensino infantil e ou fundamental, considerando estratégias e
recursos facilitadores para utilização de plataformas de educação online.

 Analisar e organizar, sob a forma de videoaula, materiais e métodos coerentes com


as competências a serem atingidas;

 Colaborar com as ações preventivas à propagação da COVID-19;

 Fortalecer entre a comunidade acadêmica valores como ética e cidadania;

 Fomentar a participação de acadêmicos como protagonistas no planejamento e


avaliação das atividades extensionistas;

 Aplicar o conhecimento acadêmico para o benefício da comunidade.

3 JUSTIFICATIVA

A UNIASSELVI possui uma política de extensão instituída e consolidada, que


garante a promoção do processo educativo, tecnológico e cultural, que articulado com o
ensino e a iniciação científica viabilizam uma interação transformadora entre a Instituição e
a sociedade, conforme orienta o plano nacional de extensão.
Associada à política de extensão, a Instituição também institucionalizou o Núcleo de
Programas de Extensão –NUPEX –, com vasta experiência e atuação junto à comunidade
acadêmica e à sociedade. Assim, as atividades de extensão permitem aos acadêmicos o
aprofundamento acerca das teorias discutidas em sala e complementam a aprendizagem
com a aplicação prática, inclusive de forma não presencial, dada sua experiência com o
uso de meios e tecnologias de informação e comunicação, sobretudo nos cursos da
modalidade EaD. Além disso, divulga o conteúdo e a experiência aprendida à comunidade,
prestando-lhe serviços e assistência, ao mesmo tempo que gera oportunidades de
aperfeiçoamento e engrandecimento de saberes da própria sociedade. Esse intercâmbio
favorece a revisão e a renovação dos conteúdos curriculares e ações da IES, orientando-a
para o atendimento das comunidades onde está presente, nos vários municípios brasileiros,
de norte a sul do país.
Neste sentido, acredita-se que as atividades de extensão corroboram na formação
de profissionais de nível superior especializado, na sua formação integral, objetivam o bem-
estar e a valorização do ser humano. Como também, o desenvolvimento de competências,
habilidades socioemocionais e técnicas, bem como sua aproximação com o futuro ambiente
de trabalho e aplicação dos conhecimentos acadêmicos de forma concreta. Além disso,
são essenciais para a efetiva interação da IES com as demandas da sociedade.
Em contrapartida, a comunidade beneficia-se com as ações planejadas pela IES, ao
tempo, em que alimenta e incita a mudança nos currículos, tendo em vista que os
acadêmicos, ao finalizarem as ações extensionistas, trazem consigo perspectivas que vão
da satisfação à inquietude.

4 MÉTODOS E PROCEDIMENTOS

A videoaula deverá ser elaborada, tendo em vista as orientações previstas no anexo


template da videoaula.
O acadêmico precisará acessar a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a partir
dos eixos estruturais e do componente curricular previsto para os segmentos da Educação
Infantil (Interações e Brincadeiras); Ensino Fundamental – Anos Iniciais e Finais
percebendo as seguintes áreas do conhecimento (Linguagens, Matemática, Ciências
Humanas, Ciências da Natureza e Ensino Religioso) o acadêmico deverá escolher uma
unidade temática para desenvolver o planejamento de aula, direcionado para uma única
disciplina.
Veja, o exemplo que segue: para 1º ano, disciplina de ciências, unidade temática:
vida e evolução. É importante lembrar que para cada unidade temática existe objetos do
conhecimento, porém, a unidade temática é o eixo norteador para elaboração do
planejamento de aula.
Atentar! Os links das duas videoaulas deverão ser anexados ao paper de estágio
(cada videoaula corresponde a uma unidade temática).

5 RESULTADOS OU PRODUTOS ESPERADOS

A elaboração da videoaula deverá auxiliar:

 no enfrentamento das dificuldades percebidas por muitas escolas públicas de


Educação Básica, durante o período de isolamento social, ao apresentar aos
professores propostas de atividades não presenciais, elaboradas pelos acadêmicos
matriculados na disciplina de Estágio Curricular Obrigatório;
 na realização de atividades pedagógicas não presenciais, mediadas por tecnologias
digitais de informação e comunicação, enquanto persistirem restrições sanitárias
para presença de estudantes nos ambientes escolares, garantindo ainda os demais
dias letivos que previstos no decurso dos mínimos anuais/semestrais;
 na realização de atividades pedagógicas não presenciais, para que se evite o
retrocesso de aprendizagem por parte dos estudantes e a perda do vínculo com a
escola o que pode levar à evasão e abandono.

6 RECURSOS FINANCEIROS, HUMANOS E FÍSICOS E EQUIPAMENTOS DISPONÍVEIS

Como o projeto contempla a elaboração de uma videoaula não haverá custos, sendo
necessário apenas que o acadêmico tenha acesso a computador desktop ou notebook.

7 CRONOGRAMA DE 2020
Com relação ao cronograma, é importante destacar que as entregas seguirão as
datas já publicadas no cronograma, na disciplina de Estágio Curricular Obrigatório no qual
o aluno estiver matriculado.

REFERÊNCIAS

ARAÚJO SILVA, M. M. O pensamento complexo: desafios emergentes para a


educação on-line. Revista Brasileira de Educação. Vol12, 36, 2007, p.515.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (Versão Final).


Ministério da Educação, Brasília, DF: MEC, 2018. Disponível em:
<http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.p
df.>. Acesso em: 29 abril 2020.

CENTRO UNIVERSITÁRIO LEONARDO DA VINCI – UNIASSELVI. Resolução n. 019-C.


Aprova a Política de Extensão do Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI.
Indaial, 18 de abril de 2018.

FRANÇA, G. Os ambientes de aprendizagem na época da hipermídia e da Educação a


distância. In: Perspectivas em Ciência da Informação. v.14, nº1, p.55-65, jan/abr,
2009.

GIL, D.; FURIÓ, C., GAVÍDIA V. El Profesorado y la reforma educativa en España,


Investigación en la escuela, n. 36, p. 49-64, 2018.

SIEMENS, G. A learning theory for the digital age. Disponível em:


http://www.elearningspace.org/articles/connectivism.htm. Acesso em 08 fev. 2020.

TURVEY, K. Pedagogical-research designs to capture the symbiotic nature of


professional knowledge and learning about e-learning in initial teacher education in
the UK. In: Computer & Education, v.54, n.3, 2010, p. 783-790.

WHITAKER, Francisco. Planejamento Sim e Não. Ed. Paz Terra. Rio de Janeiro,1979.

PARECER SOBRE REORGANIZAÇÃO DOS CALENDÁRIOS ESCOLARES E


REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES PEDAGÓGICAS NÃO PRESENCIAIS DURANTE O
PERÍODO DE PANDEMIA DA COVID-19.