Você está na página 1de 5

Identificação dos Elementos do Grupo Curso/Turno Data

Número Nome
13403 Cristiano Gazdarun ETO
11799 Diogo Palman ETO
11792 Francisco Almeida ETO
13403 Ricardo Pires ETO

RESUMO
Nesta aula pratica objectivo é ver a temperatura maxima que a agua cheiga dentro da
lata e tambem saber a quantidade que foi utilizada de combustivel a partir da massa da
vela.
Para fazer esta experiemcia foi preciso uma lata de aluminio e uma vela de cera e
comecou se a pesar a massa da vela que vai ajudar a calcular o calor de combustão
da parafinamassa que foi utilizado este experencia.Depois colocou -se a lata numa
garra e por baixo a vela e acendeu-se a vela e medinos a temperatura inicial que a
agua estava, e esperou-se que a temperatura da agua chegar ao maxino possivel
antes que a a temperatura começa-se a descer e vimos a temperatura maxina.
E voltamos a fazer a mesma experiencia mas desta vez a massa da vela era diferente a
massa inicial da vela, mas a agua que estva dentro da lata despejo se e colocamos
outra com o mesmo volume que a anterir que era de 100 ml de agua.

Introdução
Este trabalho pretende ilustrar a determinação experimental do calor de combustão da
parafina, um hidrocarboneto de fórmula molecular C 25H52. Trata-se de um estudo
calorimétrico com um design muito simples, mas que permite a compreensão da
natureza exotérmica das reacções de combustão e que, uma vez que envolve
medições quantitativas, se tenha sempre presente a necessidade de rigor nessas
medições e no registo dos respectivos valores.
Parte Experimental
Material

Lata de alumínio, suporte com garra, termómetro, proveta de 100  mL.

Reagentes
Vela.

Procedimento

Monte a lata verticalmente num suporte, segurando-a com uma garra. Tenha em conta
que a parte de baixo da lata de alumínio deve ficar posicionada a cerca de 1 cm acima da
ponta da chama. Evite que a montagem esteja colocada num local em que existam
correntes de ar que façam movimentar a chama da vela.

Pese rigorosamente um vidro de relógio e registe o valor. Pese rigorosamente a vela


usando o mesmo vidro de relógio, registando o valor obtido. Meça e registe também a
temperatura ambiente.

Usando a proveta de 100 mL, coloque 100 mL de água na lata de alumínio tomando
todo o cuidado para não verter para o exterior da lata. Agite a água usando, com muito
cuidado, o termómetro; leia o mais rigorosamente possível a temperatura da água e
registe-a.

Acenda a vela e coloque-a por debaixo da lata com água, tendo o cuidado de centrar a
chama na parte debaixo da lata de alumínio. Esta deve estar posicionada cerca de 1
cm acima da ponta da chama. Continue a agitar a água com o termómetro e a ler a
temperatura da água. Quando atingir uma temperatura de cerca de 20ºC acima da
temperatura ambiente retire a vela de debaixo da lata e apague a chama. Continue a
verificar a temperatura e registe o valor mais alto atingido.

Espere que a vela arrefeça e volte a pesá-la registando a massa obtida. Neste
momento tem os dados necessários para calcular o calor de combustão da parafina,
usando os valores tabelados do calor específico da água.

No fim da experiência deite fora a água e observe a parte de baixo da lata. Use esta
observação na discussão dos resultados obtidos.

Repita a experiência pelo menos uma vez. Se as experiências forem executadas com
cuidado, os valores obtidos para a variação de temperatura da água dividido pela
variação de peso da vela, em cada experiência, não devem variar mais de 10%.

Registo de Resultados

Mln= 14,872 g

Mv= 10,635 g

Mlc= 112,881g
Mvidro=34,770 g

Mvidro +vela= 45,415- 44,472= 0,043g (1 experiencia)

44,472 – 44,214= 1,201g (2 experiencia)

Temperatura inicial: 21 ºc

Temperatura final: 44ºc

Tratamento de Resultados
C25H52 + 38O2 -> 25CO2 +26H2O Log= 01kg

Combustao da parafina (c25H52)

DeltaH= Delta final –Delta inicial ou Hprodutos- H reagentes

DeltaH combustivel= 416 +38*0+25(-393.5=+26(-285.5)=1,68*104 KJ/Mol

H(C25H52)= 0416 Kj/mol

H(O2)= 0 Kj/mol

H(CO2)= -393,5 KJ/mol

H(H2O= -222,5 KJ/mol

Qagua= 0,1*4186*(47-20)= 8372 j

Qrecibido=Qcaldido = 8372 – Qparafina = Qparafina =-8372 j

Conclusão
No final concluimos que a combustao da parafina por baixo da lata vai varia consoante
o tempento que a vela estiver acesa porque a parafina no estado solido vai converter a
enrgia que esta no estado solido em estado liquido que vai variar a temperatura maxina
na agua como podemos averiguar no final da primeira experiencia se formou um liquido
dentro da vela que nao deixou a chama ter mais intencidade para a temperatua
maxima subir
Questão (Food for thought)
Suponha que coloca 50 mL de água na lata em vez de 100 mL e que a aquece 40
graus em vez de 20 graus. De que forma, se houver, é que isso afetaria os resultados
da experiência? E se usasse 200 mL de água e só a aquecesse 10 graus? Consegue
pensar em vantagens ou desvantagens na utilização de 50 mL ou 200 mL de água
nesta experiência?

Questão

Assumindo que a temperatura final é 47ºC, ao diminuir a massa de água de 100g para
50g, e aumentar a temperatura que esta aquece de 20ºC para 40ºC, calculando o valor
do calor podemos ver que este diminui, pois é necessário menos energia para evaporar
as 50g de agua. Se a massa de água for 200g e a temperatura que a aquece é 10ºC,
calculando o valor do calor chegamos a conclusão que será necessário mais energia
para evaporar as 200g de água.

Portanto, uma quantidade de massa elevada a aquecer a uma temperatura baixa, é


uma desvantagem, pois será necessário mais energia para evaporar essa massa de
água.

c.a.

0,1x4186x(47-20)= 11302,2J

0,05x4186x(47-40)= 1465,1J

0,1x4186x(47-10)= 30976,4J

Você também pode gostar