Você está na página 1de 1

Atividade Filosofia – Kaio dos Santos Machado - 1º TII

Questões sobre o texto 1:


1 – Trata-se de um conjunto de narrativas que falam de deuses e heróis, ou seja, de dois tipos de
personagens que as cidades antigas cultuavam.
2 - A importância da religião grega para compreendermos a mitologia grega se dá no ponto que as duas
eram politeístas. Acreditando em vários deuses, as pessoas tinham acesso a mitologia grega por meio da
religião. A mitologia era importantíssima para entendimento da vida e o pensamento do povo grego, já
que por meio crença em mitos e na religião, podemos ter a dimensão de muitas coisas sobre este período.
3 – Como semelhança se destaca o fato de ambos se basearem na fé e não na razão. E a principal diferença
é que as religiões cristãs são monoteístas (acreditam em um só deus), já os gregos eram politeístas
(acreditavam em vários deuses).

Questões sobre o texto 2:


1 - "Assim, mais do que uma substância, o plástico é a própria ideia da sua transformação infinita, é a
ubiquidade tornada visível, como o seu nome vulgar o indica; e, por isso mesmo, é considerado uma
matéria milagrosa: o milagre é sempre uma conversão brusca da natureza. O plástico fica
inteiramente impregnado desse espanto: é menos um objeto do que o vestígio de um movimento."
2 – Algumas lendas sobre determinados heróis nacionais, ideias de criação do mundo, etc.
3 – Ele se refere ao mito contemporâneo. O autor coloca o mito como uma das questões centrais de suas
discussões.

Em busca do conceito:
1 – Enquanto a mitologia tem como ponto principal histórias imaginárias de deuses e heróis, já a religião é
um conjunto de crenças, em sua maioria amparadas por um texto, compreendidas como revelação de deus
ou de um grupo de deuses aos seres humanos.
2 – Tanto a Filosofia, quanto a Mitologia são maneiras de explicar a nossa realidade. Porém, utilizam de
métodos diferentes, a filosofia se baseia na razão, na busca de conhecimento, já a mitologia tem como
ponto principal histórias baseadas no uso do senso comum, essas que não podem ser comprovadas.
3 – O senso comum faz parte do pensamento filosófico, pois o senso comum é o ponto de partida da
filosofia. É o conhecimento adquirido por meio de experiências vividas no decorrer do tempo, e a filosofia
produz um olhar analítico e crítico sobre o senso comum, logo, o senso comum faz parte da filosofia.