Você está na página 1de 50

No

MEMÓRIA DE CÁLCULO -
CLIENTE OU USUÁRIO PÁGINA

1 de 50
PROJETO OU PROGRAMA REV:
0
RESPONSÁVEL TECNICO ART REFERÊNCIA:

TÍTULO PROJETO:

VIGA DE IÇAMENTO DE PONTEIRA DE DUTOS CHAMINÉ


CALDEIRA DE FORÇA E DUTOS WLP – CAP. 7t CONTRATO:
Nº DESENHO REFERÊNCIA

- O.S.: -

ÍNDICE DE REVISÕES

REV DESCRIÇÃO

0 EMISSAO INICIAL

ORIGINAL REV. A REV. B REV. C REV. D REV. E REV. F REV. G REV. H

DATA
PROJETO
EXECUTADO
VERIFICADO
APROVADO
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

1.- Objetivo
Este documento visa analisar uma estrutura denominada “Viga p/ Içamento de Ponteira de Dutos – Chaminé
Caldeira de Força e Dutos WLP”.

1.1.- Normas de Referência


ABNT NBR 8800/2008 - Aços laminados e soldados:

AWS D1.1/2015- American Welding Society.

ASME IID/2019 - "ASME Boiler and Pressure Vessel Code – Material Properties".

1.1.1.- Conclusão
A análise realizada determinou tensões e deformações máximas inferiores aos seus respectivos
valores admissíveis. Face ao exposto, pode-se considerar a estrutura em questão aprovada.

1.2.- Resposta Admissível das Variáveis de Controle (Aço-Carbono ASTM A-36).


Limite elástico mínimo do material: 250MPa;
Limite elástico efetivo do material: 372MPa;
Tensão de flexão admissível máxima: 204MPa (ASME IID na Tabela 5, Linha 13).
Deformação estrutural admissível máxima: Lx/400 = 11200/400 = 28mm  6,17mm < 28mm (Atende)

1.3.- Modelo de Cálculo


Considerados os estados-limites últimos (ELU) e os estados limites de serviço (ELS). Os estados-limites
últimos estão relacionados com a segurança da estrutura sujeita às combinações mais desfavoráveis de
ações previstas em toda a vida útil projetada, durante a construção ou quando atuar uma ação especial ou
excepcional. Os estados-limites de serviço estão relacionados com o desempenho da estrutura sob
condições normais de utilização. (NBR8800:2008)
O método dos estados-limites utilizado para o dimensionamento de uma estrutura exige que nenhum
estado-limite aplicável seja excedido quando a estrutura for submetida a todas as combinações
apropriadas de ações. Se um ou mais estados-limites forem excedidos, a estrutura não atende mais aos
objetivos para os quais foi projetada. (NBR8800:2008)

1.4.- Software
CYPE 3D - 2020.e

Página 2
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

1.5.- Geometria

Figura 1 - Geometria da estrutura a ser analisada.

1.6.- Diagrama de Momento (My)

Figura 2 - Diagrama de momento resultante (My)

1.7.- Diagrama de Deslocamento Máximo

Figura 3 - Diagrama de deslocamento máximo da estrutura a ser analisada.

1.8.- Diagrama de Efeito Cortante

Figura 4 - Diagrama dos efeitos cortantes na estrutura.

Página 3
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

2.- Estrutura
2.1.- Geometria
2.1.1.- Barras

2.1.1.1.- Descrição

Descrição
Material Barra Peça Comprimento LbSup. LbInf.
Perfil (Série) bxy bxz
Tipo Designação (Ni/Nf) (Ni/Nf) (m) (m) (m)
Aço
A-36 250Mpa N3/N19 N3/N4 W 610 x 113 (I) 0.600 1.00 1.00 - -
laminado
N19/N4 N3/N4 W 610 x 113 (I) 0.600 1.00 1.00 - -
N4/N5 N4/N5 W 610 x 113 (I) 1.000 1.00 1.00 - -
N5/N6 N5/N6 W 610 x 113 (I) 1.000 1.00 1.00 - -
N6/N7 N6/N7 W 610 x 113 (I) 1.000 1.00 1.00 - -
N7/N8 N7/N8 W 610 x 113 (I) 1.000 1.00 1.00 - -
N8/N9 N8/N9 W 610 x 113 (I) 1.000 1.00 1.00 - -
N9/N10 N9/N10 W 610 x 113 (I) 1.000 1.00 1.00 - -
N10/N1 N10/N1
W 610 x 113 (I) 1.000 1.00 1.00 - -
1 1
N11/N1 N11/N1
W 610 x 113 (I) 1.000 1.00 1.00 - -
2 2
N12/N1 N12/N1
W 610 x 113 (I) 1.000 1.00 1.00 - -
3 3
N13/N1 N13/N1
W 610 x 113 (I) 1.000 1.00 1.00 - -
4 4
N14/N2 N14/N1
W 610 x 113 (I) 0.600 1.00 1.00 - -
0 5
N20/N1 N14/N1
W 610 x 113 (I) 0.600 1.00 1.00 - -
5 5
N15/N1
N15/N2 W 610 x 113 (I) 0.930 1.00 1.00 - -
8
N18/N2 N15/N2 W 610 x 113 (I) 0.300 1.00 1.00 - -
N1/N16 N1/N3 W 610 x 113 (I) 0.300 1.00 1.00 - -
N16/N3 N1/N3 W 610 x 113 (I) 0.930 1.00 1.00 - -
N17/N1 N17/N1
W 410 x 46.1 (I) 1.979 1.00 1.00 - -
9 9
N21/N2 N21/N2
W 410 x 46.1 (I) 1.979 1.00 1.00 - -
0 0
Notação:
Ni: Nó inicial
Nf: Nó final
bxy: Coeficiente de flambagem no plano 'XY'
bxz: Coeficiente de flambagem no plano 'XZ'
LbSup.: Espaçamento entre travamentos do banzo superior
LbInf.: Espaçamento entre travamentos do banzo inferior

Página 4
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

2.1.1.2.- Características mecânicas

Tipos de peça
Ref
Peças
.
1 N3/N4, N4/N5, N5/N6, N6/N7, N7/N8, N8/N9, N9/N10, N10/N11, N11/N12, N12/N13, N13/N14,
N14/N15, N15/N2 e N1/N3
2 N17/N19 e N21/N20

Características mecânicas
Material A Avy Avz Iyy Izz It
Ref. Descrição
Tipo Designação (cm²) (cm²) (cm²) (cm4) (cm4) (cm4)
A-36 1 145.3 57.8 3426.0
Aço laminado W 610 x 113, (I) 59.17 88196.00 116.50
250Mpa 0 0 0
2 23.9
W 410 x 46.1, (I) 59.20 23.52 15690.00 514.00 20.06
8
Notação:
Ref.: Referência
A: Área da seção transversal
Avy: Área de esforço cortante da seção segundo o eixo local 'Y'
Avz: Área de esforço cortante da seção segundo o eixo local 'Z'
Iyy: Inércia da seção em torno do eixo local 'Y'
Izz: Inércia da seção em torno do eixo local 'Z'
It: Inércia à torção
As características mecânicas das peças correspondem à seção no ponto médio das mesmas.

2.1.1.3.- Tabela de ferro

Tabela de ferro
Material Compriment
Peça Volume Peso
Perfil (Série) o
Tipo Designação (Ni/Nf) (m³) (kg)
(m)
Aço
A-36 250Mpa N3/N4 W 610 x 113 (I) 1.200 0.017 136.87
laminado
N4/N5 W 610 x 113 (I) 1.000 0.015 114.06
N5/N6 W 610 x 113 (I) 1.000 0.015 114.06
N6/N7 W 610 x 113 (I) 1.000 0.015 114.06
N7/N8 W 610 x 113 (I) 1.000 0.015 114.06
N8/N9 W 610 x 113 (I) 1.000 0.015 114.06
N9/N10 W 610 x 113 (I) 1.000 0.015 114.06

Página 5
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Tabela de ferro
Material Peça Compriment Volume Peso
Perfil (Série) o
Tipo Designação (Ni/Nf) (m³) (kg)
(m)
N10/N1
W 610 x 113 (I) 1.000 0.015 114.06
1
N11/N1
W 610 x 113 (I) 1.000 0.015 114.06
2
N12/N1
W 610 x 113 (I) 1.000 0.015 114.06
3
N13/N1
W 610 x 113 (I) 1.000 0.015 114.06
4
N14/N1
W 610 x 113 (I) 1.200 0.017 136.87
5
N15/N2 W 610 x 113 (I) 1.230 0.018 140.29
N1/N3 W 610 x 113 (I) 1.230 0.018 140.29
N17/N1
W 410 x 46.1 (I) 1.979 0.012 91.96
9
N21/N2
W 410 x 46.1 (I) 1.979 0.012 91.96
0
Notação:
Ni: Nó inicial
Nf: Nó final

2.1.1.4.- Tabela resumo

Tabela resumo
Material Comprimento Volume Peso
Séri Materia
Perfil Perfil Série Material Perfil Série Perfil Série Material
Tipo Designação e l
(m) (m) (m) (m³) (m³) (kg) (kg) (kg)
(m³)
W 610 x 113 0.21
14.860 1694.94
6
W 410 x 0.02
3.958 183.92
46.1 3
0.23 1878.8
18.818
I 9 6
Aço A-36
18.818 0.239 1878.86
laminado 250Mpa

2.2.- Cargas

Página 6
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

2.2.1.- Nós

Cargas em nós
Cargas concentradas Direção
Referência Hipótese
(kN) X Y Z
0.00 0.00
N9 Carga Trabalho 68.67 -1.000
0 0

2.3.- Resultados
2.3.1.- Barras

2.3.1.1.- Resistência
Origem dos esforços desfavoráveis:
- G: Verticais
- GV: Verticais + vento

h: Aproveitamento da resistência. A barra cumpre as condições de resistência da Norma se cumprir que h £


100 %.

Verificação de resistência
Esforços desfavoráveis
h Posição
Barra N Vy Vz Mt My Mz Origem Estado
(%) (m)
(kN) (kN) (kN) (kN·m) (kN·m) (kN·m)
N3/N19 11.73 0.600 81.855 0.000 69.137 0.00 -79.01 0.00 G Passa
N19/N4 20.75 0.000 -87.273 0.000 -60.958 0.00 -145.55 0.00 G Passa
N4/N5 15.95 0.000 -87.273 0.000 -59.951 0.00 -109.28 0.00 G Passa
N5/N6 8.10 0.000 -87.273 0.000 -58.273 0.00 -50.17 0.00 G Passa
N6/N7 9.81 1.000 -87.273 0.000 -54.916 0.00 63.02 0.00 G Passa
N7/N8 16.99 1.000 -87.273 0.000 -53.238 0.00 117.10 0.00 G Passa
N8/N9 23.95 1.000 -87.273 0.000 -51.559 0.00 169.50 0.00 G Passa
N9/N10 23.95 0.000 -87.273 0.000 51.446 0.00 169.50 0.00 G Passa
N10/N11 17.00 0.000 -87.273 0.000 53.124 0.00 117.21 0.00 G Passa
N11/N12 9.84 0.000 -87.273 0.000 54.802 0.00 63.25 0.00 G Passa
N12/N13 8.04 1.000 -87.273 0.000 58.159 0.00 -49.71 0.00 G Passa
N13/N14 15.88 1.000 -87.273 0.000 59.838 0.00 -108.71 0.00 G Passa
N14/N20 20.67 0.600 -87.273 0.000 60.845 0.00 -144.92 0.00 G Passa
N20/N15 12.11 0.000 80.526 0.000 -70.854 0.00 -82.04 0.00 G Passa
N15/N18 7.52 0.000 80.526 0.000 -69.847 0.00 -39.83 0.00 G Passa
N18/N2 0.05 0.000 0.000 0.000 -0.504 0.00 -0.08 0.00 G Passa
N1/N16 0.05 0.300 0.000 0.000 0.504 0.00 -0.08 0.00 G Passa
N16/N3 7.34 0.930 81.855 0.000 68.130 0.00 -37.83 0.00 G Passa
N17/N19 28.11 1.979 -213.271 0.000 6.675 0.00 -15.13 0.00 G Passa
N21/N20 26.68 1.979 -213.260 0.000 4.593 0.00 -11.87 0.00 G Passa

Página 7
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

2.3.1.2.- Verificações E.L.U. (Completo)

Nota: Mostra-se o relatório completo de verificações realizadas para o perfil W410x46,1 com maior coeficiente
de aproveitamento.

Barra N17/N19
Perfil: W 410 x 46.1
Material: Aço (A-36 250Mpa)
Nós Características mecânicas
Comprimento
(m) Área Ix(1) Iy(1) It(2)
Inicial Final
(cm²) (cm4) (cm4) (cm4)
N17 N19 1.979 59.20 15690.00 514.00 20.06
Notas:
(1)
Inércia em relação ao eixo indicado
(2)
Momento de inércia à torção uniforme

Flambagem Flambagem lateral


Plano ZX Plano ZY Aba sup. Aba inf.
b 1.00 1.00 0.00 0.00
LK 1.979 1.979 0.000 0.000
Cb - 1.000
Notação:
b: Coeficiente de flambagem
LK: Comprimento de flambagem (m)
Cb: Fator de modificação para o momento crítico

Limitação do índice de esbeltez (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.4)

O índice de esbeltez das barras comprimidas, tomado como a maior relação entre o
comprimento de flambagem e o raio de giração, não deve ser superior a 200.

  200 l : 67.2

Onde:
l: Índice de esbeltez.
K L lx : 12.2

r ly : 67.2
Sendo:
1.97
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo X. Kx·Lx : 9 m
1.97
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo Y. Ky·Ly : 9 m
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos principales X, Y, 16.2
respectivamente. rx : 8 cm
ry : 2.95 cm

Página 8
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Resistência à compressão (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3)

Deve satisfazer:

Nc,Sd
 1 h: 0.216
Nc,Rd

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N17, para a


combinação de ações 1.5·PP+1.5·CargaTrabalho.
Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 214.13 kN

A força axial de compressão resistente de cálculo, Nc,Rd, deve ser determinada pela
expressão:

  Q  A g  fy
Nc,Rd  Nc,Rd : 993.38 kN
 a1

Onde:
c: Fator de redução total associado à resistência à compressão. c: 0.803
Q: Fator de redução total associado à flambagem local. Q: 0.920
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 59.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa
ga1: Coeficiente de segurança do material. ga1 : 1.10

Fator de redução c: (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3)

2
   1.5    0.6580 c: 0.803

Onde:
l0: Índice de esbeltez reduzido.

Q  A g  fy
0  l0 : 0.725
Ne

Sendo:
Q: Fator de redução total associado à flambagem local. Q: 0.920
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 59.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa
Ne: Força axial de flambagem elástica. Ne : 2590.95 kN

Força axial de flambagem elástica: (ABNT NBR 8800:2008, Anexo E)


A força axial de flambagem elástica, Ne, de uma barra com seção transversal
duplamente simétrica ou simétrica em relação a um ponto, é dada pelo menor valor
entre os obtidos por (a), (b) e (c): Ne : 2590.95 kN

Página 9
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

(a Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de inércia X da


) seção transversal:

2  E  Ix
Nex  Nex : 79089.41 kN
 Kx  L x 
2

Onde:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo X. Kx·Lx : 1.979 m
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo X. Ix : 15690.00 cm4
E: Módulo de elasticidade do aço. E: 200000 MPa
(b Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de inércia Y da
) seção transversal:

2  E  Iy
Ney  Ney : 2590.95 kN
K  Ly 
2
y

Onde:
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo Y. Ky·Ly : 1.979 m
Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo Y. Iy : 514.00 cm4
E: Módulo de elasticidade do aço. E: 200000 MPa
(c) Para flambagem por torção em relação ao eixo longitudinal Z:

1  2  E  Cw 
Nez  
r0   K z  L z 
2 2
 G  J
 Nez : ¥

Onde:
Kz·Lz: Comprimento de flambagem por torção. Kz·Lz : 0.000 m
E: Módulo de elasticidade do aço. E: 200000 MPa
Cw: Constante de empenamento da seção transversal. Cw : 196571.00 cm6
G: Módulo de elasticidade transversal do aço. G: 77000 MPa
J: Constante de torção da seção transversal. J: 20.06 cm4
r0: Raio de giração polar da seção bruta em relação ao centro de
cisalhamento.

r0  r2
x  ry2  x20  y20  r0 : 16.54 cm

Onde:
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos principales X, rx : 16.28 cm
Y, respectivamente.
ry : 2.95 cm
X0,Y0: Coordenadas do centro de cisalhamento na direção X0 : 0.00 mm
dos eixos principales X, Y, respectivamente.
Y0 : 0.00 mm

Flambagem local de barras axialmente comprimidas: (ABNT NBR 8800:2008,


Anexo F)

Página 10
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

As barras submetidas a força axial de compressão, nas quais os elementos


componentes da seção transversal possuem relações entre largura e espessura (b/t)
maiores que os valores limites dados na Tabela F.1, têm o fator de redução total Q
dado por:

Q  Qs  Qa Q: 0.920

Onde:
Qs: Fator de redução que tem em conta a flambagem local dos elementos
AL. Quando existem dois ou mais elementos AL com fatores de redução Q s
diferentes, adota-se o menor destes fatores. Qs : 1.000
Mesa: Elemento do Grupo 4 da Tabela F.1.
E
 b / t  0.56 
fy
6.25 £ 15.84

Qs  1.000 Qs : 1.000

Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 6.25
Onde:
b: Largura. b: 70.00 mm
t: Espessura. t: 11.20 mm
E: Módulo de elasticidade do aço. E: 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa

Qa: Fator de redução que leva em conta a flambagem local dos elementos
AA.

A ef
Qa  Qa : 0.920
Ag

Sendo:
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 59.20 cm²
Aef: Área efetiva da seção transversal da barra. Aef : 54.46 cm²
A ef  A g    b  bef   t

Alma: Elemento do Grupo 2 da Tabela F.1.


E
 b / t  1.49  54.37 > 42.14
fy

E  c E
bef  1.92  t   1  a   b bef : 312.91 mm
fy  b/t fy 

Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 54.37

Página 11
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Onde:
b: Largura. b: 380.60 mm
t: Espessura. t: 7.00 mm
E: Módulo de elasticidade do aço. E: 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa
Ca: Coeficiente para elementos que não sejam mesas ou almas
de seções tubulares retangulares. Ca : 0.34

Resistência à flexão eixo X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)

Deve satisfazer:

MSd
 1 h: 0.075
MRd

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N19, para a combinação


de ações 1.5·PP+1.5·CargaTrabalho.

MSd-: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd- : 15.13 kN·m

Já que 'l £ lr', deve-se considerar viga de alma não-esbelta (ABNT NBR 8800:2008,
54.37 £ 161.22
Anexo G).
Onde:
h
 
tw l: 54.37
Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distância entre as faces internas das h : 380.60 mm
mesas.

tw: Espessura da alma. tw : 7.00 mm

E
 r  5.70  lr : 161.22
fy

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa

O momento fletor resistente de cálculo MRd de vigas de alma não-esbelta deve ser
tomado como o menor valor entre os obtidos nas seguintes seções: MRd : 202.52 kN·m
(a Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR 8800:2008, Artigo
) 5.4.2.2):

Página 12
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

1.50  W  fy
MRd  MRd : 265.45 kN·m
 a1

Onde:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da seção transversal em Wx : 778.66 cm³
relação ao eixo de flexão.

fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa


ga1: Coeficiente de segurança do material. ga1 : 1.10
(b Estado-límite último de flambagem lateral com torção, FLT (ABNT NBR
) 8800:2008, Anexo G):
Não é necessário, pois o comprimento de flambagem lateral é nulo.
(c Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida, FLM (ABNT
) NBR 8800:2008, Anexo G):
  p 6.25 £ 10.75

Mpl
MRd  MRd : 202.52 kN·m
 a1

Onde:

bf 2
  l: 6.25
tf

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida. bf : 140.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 11.20 mm

E
 p  0.38  lp : 10.75
fy

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa

Mpl  Z  fy
Mpl : 222.78 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 891.10 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa
ga1: Coeficiente de segurança do material. ga1 : 1.10
(d Estado-limite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT NBR
) 8800:2008, Anexo G):
  p 54.37 £ 106.35
Mpl
MRd 
 a1 MRd : 202.52 kN·m

Página 13
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Onde:

h
  l: 54.37
tw

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distância entre as faces h : 380.60 mm
internas das mesas.

tw: Espessura da alma. tw : 7.00 mm

E
 p  3.76  lp : 106.35
fy

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa

Mpl  Z  fy Mpl : 222.78 kN

Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 891.10 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa
ga1: Coeficiente de segurança do material. ga1 : 1.10

Resistência ao esforço cortante Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)

Deve satisfazer:

VSd
 1 h: 0.017
VRd

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N19, para a combinação


de ações 1.5·PP+1.5·CargaTrabalho.

VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd : 6.67 kN


A força cortante resistente de cálculo, VRd, é determinada pela expressão:
  p 54.37 £ 69.57
Vpl
VRd 
 a1 VRd : 384.68 kN
Onde:
h
 
tw l: 54.37

Página 14
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distância entre as faces internas h : 380.60 mm
das mesas.

tw: Espessura da alma. tw : 7.00 mm

kv  E
 p  1.10  lp : 69.57
fy

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa

Vpl  0.60  A w  fy Vpl : 423.15 kN

Sendo:
Aw: Área efetiva ao cisalhamento.

A w  d  tw Aw : 28.21 cm²

d: Altura total da seção transversal. d : 403.00 mm


ga1: Coeficiente de segurança do material. ga1 : 1.10

Resistência ao esforço axial e flexão combinados (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.1.2)

Deve satisfazer:

1 h: 0.281

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N19, para a combinação


de ações 1.5·PP+1.5·CargaTrabalho.

Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 213.27 kN


Mx,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. Mx,Sd- : 15.13 kN·m
My,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. My,Sd- : 0.00 kN·m

NSd / NRd  0.2 0.215 ³ 0.200

Nc,Sd 8  Mx,Sd My,Sd 


     1 h: 0.281
Nc,Rd 9  Mx,Rd My,Rd 

Página 15
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Onde:
Nc,Rd: Força axial resistente de cálculo de compressão (ABNT NBR 8800:2008,
Artigo 5.3). Nc,Rd : 993.38 kN
Mx,Rd,My,Rd: Momentos fletores resistentes de cálculo, respectivamente em Mx,Rd : 202.52 kN·m
relação aos eixos X e Y da seção transversal (ABNT NBR 8800:2008, Artigo
5.4.2). My,Rd : 16.69 kN·m
Nota: Mostra-se o relatório completo de verificações realizadas para o perfil W610x113 com maior coeficiente de
aproveitamento.
Barra N8/N9

Perfil: W 610 x 113


Material: Aço (A-36 250Mpa)
Nós Características mecânicas
Comprimento
(m) Área Ix(1) Iy(1) It(2)
Inicial Final
(cm²) (cm4) (cm4) (cm4)
N8 N9 1.000 145.30 88196.00 3426.00 116.50
Notas:
(1)
Inércia em relação ao eixo indicado
(2)
Momento de inércia à torção uniforme

Flambagem Flambagem lateral


Plano ZX Plano ZY Aba sup. Aba inf.
b 1.00 1.00 0.00 0.00
LK 1.000 1.000 0.000 0.000
Cb - 1.000
Notação:
b: Coeficiente de flambagem
LK: Comprimento de flambagem (m)
Cb: Fator de modificação para o momento crítico

Limitação do índice de esbeltez (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.4)

O índice de esbeltez das barras comprimidas, tomado como a maior relação entre o
comprimento de flambagem e o raio de giração, não deve ser superior a 200.

  200 l : 20.6

Onde:
l: Índice de esbeltez.
K L lx : 4.1

r ly : 20.6
Sendo:
1.00
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo X. Kx·Lx : 0 m
1.00
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo Y. Ky·Ly : 0 m
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos principales X, Y, 24.6
respectivamente. rx : 4 cm
ry : 4.86 cm

Página 16
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Resistência à compressão (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3)

Deve satisfazer:

Nc,Sd
 1 h: 0.029
Nc,Rd

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação de


ações 1.5·PP+1.5·CargaTrabalho.

Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 87.27 kN

A força axial de compressão resistente de cálculo, Nc,Rd, deve ser determinada pela
expressão:

  Q  A g  fy
Nc,Rd  Nc,Rd : 3035.36 kN
 a1

Onde:
c: Fator de redução total associado à resistência à compressão. c: 0.979
Q: Fator de redução total associado à flambagem local. Q: 0.939
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 145.30 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa
ga1: Coeficiente de segurança do material. ga1 : 1.10

Fator de redução c: (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3)

2
   1.5    0.6580 c: 0.979

Onde:
l0: Índice de esbeltez reduzido.

Q  A g  fy
0  l0 : 0.225
Ne

Sendo:
Q: Fator de redução total associado à flambagem local. Q: 0.939
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 145.30 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa
Ne: Força axial de flambagem elástica. Ne : 67626.53 kN

Força axial de flambagem elástica: (ABNT NBR 8800:2008, Anexo E)

Página 17
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

A força axial de flambagem elástica, Ne, de uma barra com seção transversal
duplamente simétrica ou simétrica em relação a um ponto, é dada pelo menor valor
entre os obtidos por (a), (b) e (c): Ne : 67626.53 kN
(a Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de inércia X da
) seção transversal:

2  E  Ix
Nex  Nex : 1740919.26 kN
 Kx  L x 
2

Onde:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo X. Kx·Lx : 1.000 m
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo X. Ix : 88196.00 cm4
E: Módulo de elasticidade do aço. E: 200000 MPa
(b Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de inércia Y da
) seção transversal:

2  E  Iy
Ney  Ney : 67626.53 kN
K  Ly 
2
y

Onde:
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo Y. Ky·Ly : 1.000 m
Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo Y. Iy : 3426.00 cm4
E: Módulo de elasticidade do aço. E: 200000 MPa
(c) Para flambagem por torção em relação ao eixo longitudinal Z:

1  2  E  Cw 
Nez  
r0   K z  L z 
2 2
 G  J
 Nez : ¥

Onde:
Kz·Lz: Comprimento de flambagem por torção. Kz·Lz : 0.000 m
E: Módulo de elasticidade do aço. E: 200000 MPa
Cw: Constante de empenamento da seção transversal. Cw : 2981078.00 cm6
G: Módulo de elasticidade transversal do aço. G: 77000 MPa
J: Constante de torção da seção transversal. J: 116.50 cm4
r0: Raio de giração polar da seção bruta em relação ao centro de
cisalhamento.

r0  r2
x  ry2  x20  y20  r0 : 25.11 cm

Onde:
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos principales X, rx : 24.64 cm
Y, respectivamente.
ry : 4.86 cm
X0,Y0: Coordenadas do centro de cisalhamento na direção X0 : 0.00 mm
dos eixos principales X, Y, respectivamente.
Y0 : 0.00 mm

Página 18
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Flambagem local de barras axialmente comprimidas: (ABNT NBR 8800:2008,


Anexo F)
As barras submetidas a força axial de compressão, nas quais os elementos
componentes da seção transversal possuem relações entre largura e espessura
(b/t) maiores que os valores limites dados na Tabela F.1, têm o fator de redução
total Q dado por:

Q  Qs  Qa Q: 0.939

Onde:
Qs: Fator de redução que tem em conta a flambagem local dos elementos
AL. Quando existem dois ou mais elementos AL com fatores de redução
Qs diferentes, adota-se o menor destes fatores. Qs : 1.000
Mesa: Elemento do Grupo 4 da Tabela F.1.
E
 b / t  0.56  6.59 £ 15.84
fy

Qs  1.000 Qs : 1.000

Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 6.59
Onde:
b: Largura. b: 114.00 mm
t: Espessura. t: 17.30 mm
E: Módulo de elasticidade do aço. E: 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa

Qa: Fator de redução que leva em conta a flambagem local dos elementos
AA.

A ef
Qa  Qa : 0.939
Ag

Sendo:
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 145.30 cm²
Aef: Área efetiva da seção transversal da barra. Aef : 136.40 cm²
A ef  A g    b  bef   t

Alma: Elemento do Grupo 2 da Tabela F.1.


E
 b / t  1.49 
fy
51.20 > 42.14

E  c E
bef  1.92  t   1  a   b bef : 493.98 mm
fy  b/t fy 

Sendo:

Página 19
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 51.20


Onde:
b: Largura. b: 573.40 mm
t: Espessura. t: 11.20 mm
E: Módulo de elasticidade do aço. E: 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa
Ca: Coeficiente para elementos que não sejam mesas ou almas
de seções tubulares retangulares. Ca : 0.34

Resistência à flexão eixo X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)

Deve satisfazer:

MSd
 1 h: 0.225
MRd

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N9, para a combinação


de ações 1.5·PP+1.5·CargaTrabalho.

MSd+: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd+ : 169.50 kN·m

Já que 'l £ lr', deve-se considerar viga de alma não-esbelta (ABNT NBR 8800:2008,
51.20 £ 161.22
Anexo G).
Onde:

h
  l: 51.20
tw

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distância entre as faces internas das h: 573.40 mm
mesas.

tw: Espessura da alma. tw : 11.20 mm

E
 r  5.70  lr : 161.22
fy

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa

O momento fletor resistente de cálculo MRd de vigas de alma não-esbelta deve ser
tomado como o menor valor entre os obtidos nas seguintes seções: MRd : 752.93 kN·m
(a Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR 8800:2008, Artigo
) 5.4.2.2):
1.50  W  fy
MRd 
 a1
Página 20
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

MRd : 989.04 kN·m

Onde:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da seção transversal em Wx : 2901.18 cm³
relação ao eixo de flexão.

fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa


ga1: Coeficiente de segurança do material. ga1 : 1.10
(b Estado-límite último de flambagem lateral com torção, FLT (ABNT NBR
) 8800:2008, Anexo G):
Não é necessário, pois o comprimento de flambagem lateral é nulo.
(c) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida, FLM (ABNT
NBR 8800:2008, Anexo G):
  p 6.59 £ 10.75

Mpl
MRd  MRd : 752.93 kN·m
 a1

Onde:

bf 2
  l: 6.59
tf

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida. bf : 228.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 17.30 mm

E
 p  0.38  lp : 10.75
fy

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa

Mpl  Z  fy
Mpl : 828.23 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 3312.90 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa
ga1: Coeficiente de segurança do material. ga1 : 1.10
(d Estado-limite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT NBR
) 8800:2008, Anexo G):
  p 51.20 £ 106.35

Mpl
MRd  MRd : 752.93 kN·m
 a1

Página 21
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Onde:

h
  l: 51.20
tw

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distância entre as faces h: 573.40 mm
internas das mesas.

tw: Espessura da alma. tw : 11.20 mm

E
 p  3.76  lp : 106.35
fy

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa

Mpl  Z  fy Mpl : 828.23 kN

Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 3312.90 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa
ga1: Coeficiente de segurança do material. ga1 : 1.10

Resistência ao esforço cortante Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)

Deve satisfazer:

VSd
 1 h: 0.057
VRd

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N8, para a combinação


de ações 1.5·PP+1.5·CargaTrabalho.

VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd : 53.24 kN


A força cortante resistente de cálculo, VRd, é determinada pela expressão:
  p 51.20 £ 69.57
Vpl
VRd 
 a1 VRd : 928.58 kN
Onde:
h
 
tw l: 51.20
Sendo:

Página 22
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

h: Altura da alma, tomada igual à distância entre as faces internas h: 573.40 mm


das mesas.

tw: Espessura da alma. tw : 11.20 mm

kv  E
 p  1.10  lp : 69.57
fy

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 MPa

Vpl  0.60  A w  fy Vpl : 1021.44 kN

Sendo:
Aw: Área efetiva ao cisalhamento.

A w  d  tw Aw : 68.10 cm²

d: Altura total da seção transversal. d: 608.00 mm


ga1: Coeficiente de segurança do material. ga1 : 1.10

Resistência ao esforço axial e flexão combinados (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.1.2)

Deve satisfazer:

1 h: 0.239

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N9, para a combinação


de ações 1.5·PP+1.5·CargaTrabalho.

Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 87.27 kN


+
Mx,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. M x,Sd : 169.50 kN·m
-
My,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. My,Sd : 0.00 kN·m

NSd / NRd  0.2 0.029 < 0.200

Nc,Sd M M 
   x,Sd  y,Sd   1 h: 0.239
2  Nc,Rd M 
 x,Rd My,Rd 

Onde:
Nc,Rd: Força axial resistente de cálculo de compressão (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.3). Nc,Rd : 3035.36 kN

Página 23
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Mx,Rd,My,Rd: Momentos fletores resistentes de cálculo, respectivamente em Mx,Rd : 752.93 kN·m


relação aos eixos X e Y da seção transversal (ABNT NBR 8800:2008, Artigo
5.4.2). My,Rd : 68.30 kN·m

Página 24
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

2.3.1.3.- Verificações E.L.U. (Resumido)

VERIFICAÇÕES (ABNT NBR 8800:2008) Estado


Barras
l Nt Nc Mx My Vx Vy NMxMy T NMVT s t f

x: 0.6 m x: 0.6 m x: 0.6 m PASSA


N3/N19 N.A.(1) h = 2.5 N.A.(2) N.A.(3) N.A.(4) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
h = 10.5 h = 7.4 h = 11.7 h = 11.7
l £ 200.0 x: 0 m x: 0 m x: 0 m PASSA
N19/N4 N.A.(8) h = 2.8 N.A.(3) N.A.(4) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
Passa h = 19.3 h = 6.6 h = 20.7 h = 20.7
l £ 200.0 x: 0 m x: 0 m x: 0 m PASSA
N4/N5 N.A.(8) h = 2.9 N.A.(3) N.A.(4) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
Passa h = 14.5 h = 6.5 h = 16.0 h = 16.0
l £ 200.0 x: 0 m x: 0 m x: 0 m PASSA
N5/N6 N.A.(8) h = 2.9 N.A.(3) N.A.(4) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
Passa h = 6.7 h = 6.3 h = 8.1 h = 8.1
l £ 200.0 x: 1 m x: 0 m x: 1 m PASSA
N6/N7 N.A.(8) h = 2.9 N.A.(3) N.A.(4) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
Passa h = 8.4 h = 6.1 h = 9.8 h = 9.8
l £ 200.0 x: 1 m x: 0 m x: 1 m PASSA
N7/N8 N.A.(8) h = 2.9 N.A.(3) N.A.(4) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
Passa h = 15.6 h = 5.9 h = 17.0 h = 17.0
l £ 200.0 x: 1 m x: 0 m x: 1 m PASSA
N8/N9 N.A.(8) h = 2.9 N.A.(3) N.A.(4) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
Passa h = 22.5 h = 5.7 h = 23.9 h = 23.9
l £ 200.0 x: 0 m x: 1 m x: 0 m PASSA
N9/N10 N.A.(8) h = 2.9 N.A.(3) N.A.(4) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
Passa h = 22.5 h = 5.7 h = 23.9 h = 23.9
l £ 200.0 x: 0 m x: 1 m x: 0 m PASSA
N10/N11 N.A.(8) h = 2.9 N.A.(3) N.A.(4) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
Passa h = 15.6 h = 5.9 h = 17.0 h = 17.0
l £ 200.0 x: 0 m x: 1 m x: 0 m PASSA
N11/N12 N.A.(8) h = 2.9 N.A.(3) N.A.(4) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
Passa h = 8.4 h = 6.1 h = 9.8 h = 9.8
l £ 200.0 x: 1 m x: 1 m x: 1 m PASSA
N12/N13 N.A.(8) h = 2.9 N.A.(3) N.A.(4) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
Passa h = 6.6 h = 6.3 h = 8.0 h = 8.0
l £ 200.0 x: 1 m x: 1 m x: 1 m PASSA
N13/N14 N.A.(8) h = 2.9 N.A.(3) N.A.(4) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
Passa h = 14.4 h = 6.4 h = 15.9 h = 15.9
l £ 200.0 x: 0.6 m x: 0.6 m x: 0.6 m PASSA
N14/N20 N.A.(8) h = 2.8 N.A.(3) N.A.(4) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
Passa h = 19.2 h = 6.6 h = 20.7 h = 20.7
x: 0 m x: 0 m x: 0 m PASSA
N20/N15 N.A.(1) h = 2.4 N.A.(2) N.A.(3) N.A.(4) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
h = 10.9 h = 7.6 h = 12.1 h = 12.1
x: 0 m x: 0 m x: 0 m PASSA
N15/N18 N.A.(1) h = 2.4 N.A.(2) N.A.(3) N.A.(4) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
h = 5.3 h = 7.5 h = 6.5 h = 7.5
x: 0 m x: 0 m PASSA
N18/N2 N.A.(1) N.A.(8) N.A.(2) N.A.(3) N.A.(4) N.A.(9) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
h < 0.1 h = 0.1 h = 0.1
x: 0.3 m x: 0.3 m PASSA
N1/N16 N.A.(1) N.A.(8) N.A.(2) N.A.(3) N.A.(4) N.A.(9) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
h < 0.1 h = 0.1 h = 0.1
x: 0.93 m x: 0.93 m x: 0.93 m PASSA
N16/N3 N.A.(1) h = 2.5 N.A.(2) N.A.(3) N.A.(4) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
h = 5.0 h = 7.3 h = 6.3 h = 7.3
l £ 200.0 x: 0 m x: 1.979 m x: 1.979 m x: 1.979 m PASSA
N17/N19 N.A.(8) N.A.(3) N.A.(4) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
Passa h = 21.6 h = 7.5 h = 1.7 h = 28.1 h = 28.1
l £ 200.0 x: 0 m x: 1.979 m x: 1.979 m x: 1.979 m PASSA
N21/N20 N.A.(8) N.A.(3) N.A.(4) N.A.(5) N.A.(6) N.A.(7)
Passa h = 21.6 h = 5.9 h = 1.2 h = 26.7 h = 26.7

Página 25
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

VERIFICAÇÕES (ABNT NBR 8800:2008) Estado


Barras
l Nt Nc Mx My Vx Vy NMxMy T NMVT s t f
Notação:
l: Limitação do índice de esbeltez
Nt: Resistência à tração
Nc: Resistência à compressão
Mx: Resistência à flexão eixo X
My: Resistência à flexão eixo Y
Vx: Resistência ao esforço cortante X
Vy: Resistência ao esforço cortante Y
NMxMy: Resistência ao esforço axial e flexão combinados
T: Resistência à torção
NMVT: Resistência ao momento de torção, força axial, momento fletor e cortante
s t f: Resistência a interações de esforços e momento de torção
x: Distância à origem da barra
h: Coeficiente de aproveitamento (%)
N.A.: Não aplicável
Verificações desnecessárias para o tipo de perfil (N.A.):
(1)
A verificação não procede, já que não há força axial de compressão.
(2)
A verificação não será executada, já que não existe esforço axial de compressão.
(3)
A verificação não será executada, já que não existe momento fletor.
(4)
A verificação não será executada, já que não existe esforço cortante.
(5)
A verificação não é necessária, já que não existe momento torsor.
(6)
Não há interação entre a esforço axial, momento fletor, esforço cortante e momento torsor. Portanto, a verificação não é necessária.
(7)
Não há interação entre os dois esforços cortantes nem entre o momento torsor, esforço axial, momentos fletores e esforços cortantes.
Portanto, a verificação não é necessária.
(8)
A verificação não será executada, já que não existe esforço axial de tração.
(9)
Não existe interação entre o esforço axial e o momento fletor nem entre momentos fletores em ambas as direções para nenhuma
combinação. Portanto, a verificação não é necessária.

2.4.- Ligações
2.4.1.- Memória de Cálculo das Ligações

2.4.1.1.- Tipo 1

a) Detalhe

Página 26
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

b) Descrição dos componentes da ligação


Perfis
Geometria Aço
Peça Descrição Altura Largura da Espessura Espessura
fy fu
Esquema total aba da mesa da alma Tipo
(MPa) (MPa)
(mm) (mm) (mm) (mm)

Viga W 610 x 113 608 228 17.3 11.2 A-36 250Mpa 250.0 400.0

Elementos complementares
Geometria Furos Aço
Peça Largura Altura Espessura Diâmetro fy fu
Esquema Quantidade Tipo
(mm) (mm) (mm) (mm) (MPa) (MPa)

Chapa
230 610 19 12 27 A-36 250Mpa 250.0 400.0
frontal

Parafusos
Geometria Aço
Descrição Comprimento fy fu
Esquema Diâmetro Classe
(mm) (MPa) (MPa)

1"x3 1/4", Tipo 1, ASTM A325T


1", ASTM A563, C 1" 82.6 ASTM A325 635.0 825.0
2 1", ASTM F436, Tipo 1

c) Verificação

1) Viga (a) W 610 x 113

Verificações de resistência
Componente Verificação Unidades Desfavorável Resistente Aprov. (%)
Chapa frontal Tração por flexão kN 97.88 198.07 49.42
Esmagamento kN 339.10 896.45 37.83
Aba
Tração kN 26.27 448.23 5.86
Alma Tração kN 97.88 190.91 51.27

Página 27
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Soldas (ABNT NBR 8800:2008)

Limitações (ABNT NBR 8800, 6.2.6)


Comprimento
Descrição Tipo P.S. t Chanfro
(mm) lw,min lw (mm)
(mm) (mm)
Solda da aba superior Em bisel simples SMAW 17 68 228 17
Solda da alma Em bisel simples SMAW 11 44 540 11
Solda da aba inferior Em bisel simples SMAW 17 68 228 17
P.S.: Procedimento de soldagen.
t: Menor espessura do metal-base.
lw: Comprimento total da solda.

Verificação de cordões de soldadura


Metal - Cisalhamento (Metal da Coeficientes de
Eléctrode Tensões (Metal-base)
base solda) ponderação
Descrição Perna t lw
(mm) (mm) (mm) fw fy Sd Rd Aprov. Sd Rd Aprov. g
(N/mm²) (N/mm²) (N/mm²) (N/mm²) (%) (N/mm²) (N/mm²) (%) a1 gw1 gw2
Solda da
E70XX A solda em bisel gera um cordão cuja resistência é igual à
aba 17 17 228 250.0
(485.0) menor resistência das peças a unir.
superior
Solda da E70XX A solda em bisel gera um cordão cuja resistência é igual à
11 11 540 250.0
alma (485.0) menor resistência das peças a unir.
Solda da E70XX A solda em bisel gera um cordão cuja resistência é igual à
17 17 228 250.0
aba inferior (485.0) menor resistência das peças a unir.
Sd: Solicitação de cálculo
Rd: Resistente de cálculo
- Tração ou compressão paralelas ao eixo da solda, não precisa ser considerado.

Plano xy Plano xz
Rigidez rotacional inicial
(kN·m/rad) (kN·m/rad)
Calculada para momentos positivos 91847.71 1167883.41
Calculada para momentos negativos 91847.71 1167883.41

Página 28
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Comportamento da ligação para flexão simples no plano xz

Verificação Unidades Desfavorável Resistente Aprov. (%)


Relação entre modos 1 e 3 -- 1.08 1.80 59.93
Momento resistente kNm 169.50 384.12 44.13
Capacidade de rotação mRad 31.524 667 4.73

2) Viga (b) W 610 x 113

Verificações de resistência
Componente Verificação Unidades Desfavorável Resistente Aprov. (%)
Chapa frontal Tração por flexão kN 97.88 198.07 49.42
Compressão kN 339.10 896.45 37.83
Aba
Tração kN 26.27 448.23 5.86
Alma Tração kN 97.88 190.91 51.27

Página 29
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Soldas (ABNT NBR 8800:2008)

Limitações (ABNT NBR 8800, 6.2.6)


Comprimento
Descrição Tipo P.S. t Chanfro
(mm) lw,min lw (mm)
(mm) (mm)
Solda da aba superior Em bisel simples SMAW 17 68 228 17
Solda da alma Em bisel simples SMAW 11 44 540 11
Solda da aba inferior Em bisel simples SMAW 17 68 228 17
P.S.: Procedimento de soldagen.
t: Menor espessura do metal-base.
lw: Comprimento total da solda.

Verificação de cordões de soldadura


Metal - Cisalhamento (Metal da Coeficientes de
Eléctrode Tensões (Metal-base)
base solda) ponderação
Descrição Perna t lw
(mm) (mm) (mm) fw fy Sd Rd Aprov. Sd Rd Aprov. g
(N/mm²) (N/mm²) (N/mm²) (N/mm²) (%) (N/mm²) (N/mm²) (%) a1 gw1 gw2
Solda da
E70XX A solda em bisel gera um cordão cuja resistência é igual à
aba 17 17 228 250.0
(485.0) menor resistência das peças a unir.
superior
Solda da E70XX A solda em bisel gera um cordão cuja resistência é igual à
11 11 540 250.0
alma (485.0) menor resistência das peças a unir.
Solda da E70XX A solda em bisel gera um cordão cuja resistência é igual à
17 17 228 250.0
aba inferior (485.0) menor resistência das peças a unir.
Sd: Solicitação de cálculo
Rd: Resistente de cálculo
- Tração ou compressão paralelas ao eixo da solda, não precisa ser considerado.

Parafusos (ABNT NBR 8800:2008, 6.3)

Página 30
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Disposições constructivas
Diâmetro do Distâncias de um furo às bordas Distâncias entre furos
Parafuso Descrição furo x y x y
(mm) (mm) (mm) (mm) (mm)
1 1"x3 1/4", Tipo 1, ASTM A325T 27.0 66 -- 99 75
2 1"x3 1/4", Tipo 1, ASTM A325T 27.0 66 -- 99 75
3 1"x3 1/4", Tipo 1, ASTM A325T 27.0 66 -- 99 75
4 1"x3 1/4", Tipo 1, ASTM A325T 27.0 66 -- 99 75
5 1"x3 1/4", Tipo 1, ASTM A325T 27.0 66 -- 99 75
6 1"x3 1/4", Tipo 1, ASTM A325T 27.0 66 -- 99 75
7 1"x3 1/4", Tipo 1, ASTM A325T 27.0 66 -- 99 75
8 1"x3 1/4", Tipo 1, ASTM A325T 27.0 66 -- 99 75
9 1"x3 1/4", Tipo 1, ASTM A325T 27.0 66 -- 99 75
10 1"x3 1/4", Tipo 1, ASTM A325T 27.0 66 -- 99 75
11 1"x3 1/4", Tipo 1, ASTM A325T 27.0 66 -- 99 75
12 1"x3 1/4", Tipo 1, ASTM A325T 27.0 66 -- 99 75
--: Não precisa ser considerado.

Resistência
Interação
tração e
Aprov. Máx.
Cisalhamento Tração esforço
(%)
Parafus transvers
o o
Desfavoráv Resistent Aprov Verificaçã Desfavoráv Resistent Aprov
Verificação Aprov.
el e . o el e . (%)
(kN) (kN) (%) (kN) (kN) (%)
Seção
29.976 123.862 24.20 Espiga 73.087 238.924 30.59
1 transversal 30.59 30.59
Esmagamento 29.919 324.351 9.22 Punção 73.087 471.820 15.49
Seção
29.976 123.862 24.20 Espiga 73.087 238.924 30.59
2 transversal 30.59 30.59
Esmagamento 29.919 324.351 9.22 Punção 73.087 471.820 15.49
Seção
14.568 123.862 11.76 Espiga 77.473 238.924 32.43
3 transversal 32.43 32.43
Esmagamento 14.568 324.351 4.49 Punção 77.473 471.820 16.42
Seção
14.568 123.862 11.76 Espiga 77.473 238.924 32.43
4 transversal 32.43 32.43
Esmagamento 14.568 324.351 4.49 Punção 77.473 471.820 16.42
Seção
5.821 123.862 4.70 Espiga 61.092 238.924 25.57
5 transversal 25.57 25.57
Esmagamento 5.821 324.351 1.79 Punção 61.092 471.820 12.95
Seção
5.821 123.862 4.70 Espiga 61.092 238.924 25.57
6 transversal 25.57 25.57
Esmagamento 5.821 324.351 1.79 Punção 61.092 471.820 12.95
Seção
5.821 123.862 4.70 Espiga 35.525 238.924 14.87
7 transversal 14.87 14.87
Esmagamento 5.678 324.351 1.75 Punção 35.525 471.820 7.53
8 Seção 5.821 123.862 4.70 Espiga 35.525 238.924 14.87 14.87 14.87
transversal

Página 31
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Resistência
Interação
tração e
Aprov. Máx.
Cisalhamento Tração esforço
(%)
Parafus transvers
o o
Desfavoráv Resistent Aprov Verificaçã Desfavoráv Resistent Aprov
Verificação Aprov.
el e . o el e . (%)
(kN) (kN) (%) (kN) (kN) (%)
Esmagamento 5.678 324.351 1.75 Punção 35.525 471.820 7.53
Seção
5.821 123.862 4.70 Espiga 45.367 238.924 18.99
9 transversal 18.99 18.99
Esmagamento 5.821 324.351 1.79 Punção 45.367 471.820 9.62
Seção
5.821 123.862 4.70 Espiga 45.367 238.924 18.99
10 transversal 18.99 18.99
Esmagamento 5.821 324.351 1.79 Punção 45.367 471.820 9.62
Seção
27.458 123.862 22.17 Espiga 42.994 238.924 17.99
11 transversal 22.17 22.17
Esmagamento 27.458 324.351 8.47 Punção 42.994 471.820 9.11
Seção
27.458 123.862 22.17 Espiga 42.994 238.924 17.99
12 transversal 22.17 22.17
Esmagamento 27.458 324.351 8.47 Punção 42.994 471.820 9.11

Plano xy Plano xz
Rigidez rotacional inicial
(kN·m/rad) (kN·m/rad)
Calculada para momentos positivos 91847.71 1167883.41
Calculada para momentos negativos 91847.71 1167883.41

Página 32
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Comportamento da ligação para flexão simples no plano xz

Verificação Unidades Desfavorável Resistente Aprov. (%)


Relação entre modos 1 e 3 -- 1.08 1.80 59.93
Momento resistente kNm 169.50 384.12 44.13
Capacidade de rotação mRad 31.524 667 4.73

d) Quantit.

Soldas
Lado Comprimento de cordões
Classe de resistência Execução Tipo
(mm) (mm)
12 1080
E70XX Em oficina De topo em bisel simples
18 912

Chapas
Dimensões Peso
Material Tipo Quantidade
(mm) (kg)
Chapas 2 230x610x19 41.85
A-36 250Mpa
Total 41.85

Página 33
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Elementos para aparafusar


Tipo Material Quantidade Descrição
Parafusos ASTM A325 12 1"x3 1/4", Tipo 1, ASTM A325T
Porcas Grau C 12 1", ASTM A563
Anilhas Tipo 1 24 1", ASTM F436

2.5.- Tipo 2

1) Viga W 610 x 113

Esbeltez do painel de alma (Critério de CYPE Ingenieros)

Deve satisfazer a condição:


hw 51 £
 70
tw 70

onde:
hw: Altura da alma, tomada como a distância entre faces internas das mesas. hw : 573 mm
11.
tw: Espessura da alma. tw : 2 mm

Cisalhamento do painel de alma (ABNT NBR 8800:2008, 5.7.7)

Deve satisfazer a condição:


Fx,Sd  Fx,Rd 93.64 £
963.38

Fz,Sd  Fz,Rd 89.54 £


928.58

onde:
FSd: Força cortante solicitante de cálculo, transmitida pelas mesas da viga. Fx,Sd : 93.64 kN
Fz,Sd : 89.54 kN
FRd: Força cortante resistente de cálculo. Fx,Rd : 963.38 kN
Fz,Rd : 928.58 kN
- para FSd  0, 4Npl : FRd  VRd

-  F 
FSd  0, 4Npl : FRd  VRd 1, 4  Sd 
para  Npl 

onde:
Npl: Força axial de compressão correspondente ao escoamento da Npl : 3302.27 kN
seção transversal do pilar.
0,4·Npl : 1320.91 kN
VRd: Força cortante resistente de cálculo do painel. Vx,Rd : 963.38 kN

Página 34
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Vz,Rd : 928.58 kN
0.60 A w fy
VRd 
 a1

onde:
Aw: Área efetiva de cisalhamento. Ax,w : 7065 mm²
Az,W : 6810 mm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 N/mm²
ga1: Coeficiente de ponderação da resistência para estados-limites
últimos. ga1 : 1.10

x
z

- Rigidificador inferior

Tensão de Von Mises em enrijecedores (ABTN NBR 8800:2008, 5.5.2.3)

Deve satisfazer a condição:


f 14.51 N/mm² £ 227.27
2  3 2  y
 a1 N/mm²

onde:
s: Tensão normal s : 14.51 N/mm²
F

L  ·t

F^: Esforço de cálculo normal à seção. F^ : 15.37 kN


L^: Largura efetiva do lado normal ao esforço. L^ : 82 mm
t: Tensão tangencial t: 0.00 N/mm²
F||

L||  t

F||: Esforço de cálculo tangencial à seção. F|| : 0.00 kN


L||: Largura efetiva do lado tangencial ao esforço. L|| : 89 mm
t: Espessura. t: 13.0 mm

Página 35
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 N/mm²


ga1: Coeficiente de ponderação da resistência para estados-limites últimos. ga1 : 1.10

- Rigidificador superior

Tensão de Von Mises em enrijecedores (ABTN NBR 8800:2008, 5.5.2.3)

Deve satisfazer a condição:


f 32.03 N/mm² £ 227.27
2  3 2  y
 a1 N/mm²

onde:
s: Tensão normal s : 32.03 N/mm²
F

L  ·t

F^: Esforço de cálculo normal à seção. F^ : 33.93 kN


L^: Largura efetiva do lado normal ao esforço. L^ : 82 mm
t: Tensão tangencial t: 0.00 N/mm²
F||

L||  t

F||: Esforço de cálculo tangencial à seção. F|| : 0.00 kN


L||: Largura efetiva do lado tangencial ao esforço. L|| : 89 mm
t: Espessura. t: 13.0 mm
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 N/mm²
ga1: Coeficiente de ponderação da resistência para estados-limites últimos. ga1 : 1.10

- Rigidificador inferior

Tensão de Von Mises em enrijecedores (ABTN NBR 8800:2008, 5.5.2.3)

Deve satisfazer a condição:


f 14.51 N/mm² £ 227.27
2  3 2  y
 a1 N/mm²

onde:
s: Tensão normal s : 14.51 N/mm²
F

L  ·t

F^: Esforço de cálculo normal à seção. F^ : 15.37 kN

Página 36
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

L^: Largura efetiva do lado normal ao esforço. L^ : 82 mm


t: Tensão tangencial t: 0.00 N/mm²
F||

L||  t

F||: Esforço de cálculo tangencial à seção. F|| : 0.00 kN


L||: Largura efetiva do lado tangencial ao esforço. L|| : 89 mm
t: Espessura. t: 13.0 mm
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 N/mm²
ga1: Coeficiente de ponderação da resistência para estados-limites últimos. ga1 : 1.10

- Rigidificador superior

Tensão de Von Mises em enrijecedores (ABTN NBR 8800:2008, 5.5.2.3)

Deve satisfazer a condição:


f 32.03 N/mm² £ 227.27
2  3 2  y
 a1 N/mm²

onde:
s: Tensão normal s : 32.03 N/mm²
F

L  ·t

F^: Esforço de cálculo normal à seção. F^ : 33.93 kN


L^: Largura efetiva do lado normal ao esforço. L^ : 82 mm
t: Tensão tangencial t: 0.00 N/mm²
F||

L||  t

F||: Esforço de cálculo tangencial à seção. F|| : 0.00 kN


L||: Largura efetiva do lado tangencial ao esforço. L|| : 89 mm
t: Espessura. t: 13.0 mm
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 N/mm²
ga1: Coeficiente de ponderação da resistência para estados-limites últimos. ga1 : 1.10

- Verificações por ligação com elemento ''

- Aba

Esforço transversal no banzo pelos enrijecedores (ABTN NBR 8800:2008, 5.5.2.3)

Página 37
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Deve satisfazer a condição:


f 54.75 N/mm² £ 227.27
2  3 2  y
 a1 N/mm²

onde:
s: Tensão normal s : 54.75 N/mm²
t: Tensão tangencial t: 0.00 N/mm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 N/mm²
ga
ga1: Coeficiente de ponderação da resistência para estados-limites últimos. 1 : 1.10

Soldas (ABNT NBR 8800:2008)

Limitações (ABNT NBR 8800:2008, 6.2.6)

6.2.6.2 Soldas de filete

6.2.6.2.1 O tamanho mínimo da perna de uma solda de filete é dado na Tabela 10, em função da parte
menos espessa soldada.

6.2.6.2.2 O tamanho máximo da perna de uma solda de filete que pode ser usado ao longo de bordas de
partes soldadas é o seguinte:
a) ao longo de bordas de material com espessura inferior a 6,35 mm, não mais do que a espessura
do material;

b) ao longo de bordas de material com espessura igual ou superior a 6,35 mm, não mais do que a
espessura do material subtraída de 1,5 mm, a não ser que nos desenhos essa solda seja indicada
como reforçada durante a execução, de modo a obter a espessura total desejada da garganta.

6.2.6.2.3 O comprimento efetivo de uma solda de filete, dimensionada para uma solicitação de cálculo
qualquer, não pode ser inferior a 4 vezes seu tamanho da perna e a 40 mm.

AWS D1.1/D1.1M, Complementary specifications.


2.3.3.7 Effective Throat of Skewed T-Joints.

The effective throat of a skewed T-joint in angles between 60° and 30° shall be the minimum distance
from the root to the diagrammatic face, less the Z loss reduction dimension. The effective throat of a
skewed T-joint in angles between 80° and 60° and in angles greater than 100° shall be taken as the
shortest distance from the joint root to the weld face.

Página 38
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Força resistente de cálculo (ABNT NBR 8800:2008, 6.2.5)


6.2.5.1 A força resistente de cálculo, Fw,Rd, dos diversos tipos de solda está indicada na Tabela 8, na qual
Aw é a área efetiva da solda, AMB é a área do metal-base (produto do comprimento da solda pela espessura
do metalbase menos espesso), fy é a menor resistência ao escoamento entre os metais-base da junta e f w
a resistência mínima à tração do metal da solda.

Força resistente de cálculo das soldas, Tabela 8


Tipo de Força resistente de
Tipo de solicitação e orientação
solda cálculo, Fw,Rd
Não precisa ser
Tração ou compressão paralelas ao eixo da solda.
considerado.
Metal-base deve
Cisalhamento na seção efetiva (a solicitação de atender a 6.5
Filete cálculo é igual à resultante vetorial de todas as
forças de cálculo na junta que produzam tensões onde: 0.6 fy A g  a1
normais ou de cisalhamento na superfície de contato
Metal da
das partes ligadas). 0.6 A wfw  w2 2)
solda:
2)
O valor de gw2 é igual a 1,35 para combinações normais, especiais ou de construção e igual a 1,15 para
combinações excepcionais.

6.2.4 Exigências relativas ao metal da solda e aos procedimentos de soldagem


6.2.4.1 Na Tabela 7, extraída da AWS D1.1, são apresentados alguns metais-base e eletrodos de solda
que podem ser usados em procedimentos de soldagem pré-qualificados. Mais informações podem ser
obtidas na AWS D1.1.

Limitações (ABNT NBR 8800, 6.2.6)


Comprimento Perna
Descrição Tipo P.S. t
(mm) lw,min lw dw,min dw,max dw
(mm) (mm) (mm) (mm) (mm)
Solda do enrijecedor inferior às mesas De ângulo SMAW 13 40 89 6 13 7
Solda do enrijecedor inferior à alma De ângulo SMAW 11 40 541 5 11 7
Solda do enrijecedor superior às mesas De ângulo SMAW 13 40 89 6 13 7
Solda do enrijecedor superior à alma De ângulo SMAW 11 40 541 5 11 7
Solda do enrijecedor inferior às mesas De ângulo SMAW 13 40 89 6 13 7
Solda do enrijecedor inferior à alma De ângulo SMAW 11 40 541 5 11 7
Solda do enrijecedor superior às mesas De ângulo SMAW 13 40 89 6 13 7
Solda do enrijecedor superior à alma De ângulo SMAW 11 40 541 5 11 7
P.S.: Procedimento de soldagen.
t: Menor espessura do metal-base.
lw: Comprimento total da solda.
dw: Perna da solda.

Página 39
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Verificação de cordões de soldadura


Metal - Cisalhamento (Metal Coeficientes de
Eléctrode Tensões (Metal-base)
Perna t lw base da solda) ponderação
Descrição
(mm) (mm) (mm)
fw fy Sd Rd Aprov. Sd Rd Aprov. ga1 gw1 gw2
(N/mm²) (N/mm²) (N/mm²) (N/mm²) (%) (N/mm²) (N/mm²) (%)
Solda do
enrijecedor E70XX
7 13 89 250.0 55.8 215.6 25.88 39.4 136.4 28.92 1.10 1.25 1.35
inferior às (485.0)
mesas
Solda do
E70XX
enrijecedor 7 11 541 250.0 8.4 215.6 3.90 5.9 136.4 4.36 1.10 1.25 1.35
(485.0)
inferior à alma
Solda do
enrijecedor E70XX
7 13 89 250.0 55.8 215.6 25.88 39.4 136.4 28.92 1.10 1.25 1.35
superior às (485.0)
mesas
Solda do
E70XX
enrijecedor 7 11 541 250.0 8.4 215.6 3.90 5.9 136.4 4.36 1.10 1.25 1.35
(485.0)
superior à alma
Solda do
enrijecedor E70XX
7 13 89 250.0 55.8 215.6 25.88 39.4 136.4 28.92 1.10 1.25 1.35
inferior às (485.0)
mesas
Solda do
E70XX
enrijecedor 7 11 541 250.0 8.4 215.6 3.90 5.9 136.4 4.36 1.10 1.25 1.35
(485.0)
inferior à alma
Solda do
enrijecedor E70XX
7 13 89 250.0 55.8 215.6 25.88 39.4 136.4 28.92 1.10 1.25 1.35
superior às (485.0)
mesas
Solda do
E70XX
enrijecedor 7 11 541 250.0 8.4 215.6 3.90 5.9 136.4 4.36 1.10 1.25 1.35
(485.0)
superior à alma
Sd: Solicitação de cálculo
Rd: Resistente de cálculo
- Tração ou compressão paralelas ao eixo da solda, não precisa ser considerado.

2) Peça W 410 x 46.1

- Chapa frontal

Seções quaisquer submetidas a momento de torção, força axial, momentos fletores e forças cortantes (ABNT
NBR 8800:2008, 5.5.2.3)

A tensão resistente de cálculo para os estados-limites últimos a seguir deve ser igual ou superior à
tensão solicitante de cálculo, expressa em termos de tensão normal, sSd, ou de tensão de
cisalhamento, tSd, determinadas pela teoria da elasticidade, utilizando-se as combinações de ações de
cálculo. Assim:
f
Sd2  3  ||,Sd  t,Sd   y 71.17 N/mm² £ 227.27
2

 a1 N/mm²

onde:
Sd  FSd A c
sSd : 14.22 N/mm²

Página 40
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

||,Sd  VSd A v
t||,Sd : 40.26 N/mm²

TSd  t
t,Sd  tt,Sd : 0.00 N/mm²
J

onde:
FSd: Força axial de compressão solicitante. FSd : 59.76 kN
VSd: Força cortante solicitante. VSd : 169.13 kN
TSd: Momento de torção solicitante. TSd : 0.00 kN·m
t: Espessura. t: 7.0 mm
J: Constante de torção. J : 582671 mm4
Ac: Área submetida a força axial. Ac : 4201 mm²
Av: Área submetida a forças cortantes. Av : 4201 mm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.00 N/mm²
ga1: Coeficiente de ponderação da resistência para estados-limites últimos. ga1 : 1.10

Soldas (ABNT NBR 8800:2008)

Limitações (ABNT NBR 8800:2008, 6.2.6)

6.2.6.2 Soldas de filete

6.2.6.2.1 O tamanho mínimo da perna de uma solda de filete é dado na Tabela 10, em função da parte
menos espessa soldada.

6.2.6.2.2 O tamanho máximo da perna de uma solda de filete que pode ser usado ao longo de bordas de
partes soldadas é o seguinte:
a) ao longo de bordas de material com espessura inferior a 6,35 mm, não mais do que a espessura
do material;

b) ao longo de bordas de material com espessura igual ou superior a 6,35 mm, não mais do que a
espessura do material subtraída de 1,5 mm, a não ser que nos desenhos essa solda seja indicada
como reforçada durante a execução, de modo a obter a espessura total desejada da garganta.

6.2.6.2.3 O comprimento efetivo de uma solda de filete, dimensionada para uma solicitação de cálculo
qualquer, não pode ser inferior a 4 vezes seu tamanho da perna e a 40 mm.

AWS D1.1/D1.1M, Complementary specifications.


2.3.3.7 Effective Throat of Skewed T-Joints.

The effective throat of a skewed T-joint in angles between 60° and 30° shall be the minimum distance
from the root to the diagrammatic face, less the Z loss reduction dimension. The effective throat of a
skewed T-joint in angles between 80° and 60° and in angles greater than 100° shall be taken as the
shortest distance from the joint root to the weld face.

Página 41
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Força resistente de cálculo (ABNT NBR 8800:2008, 6.2.5)


6.2.5.1 A força resistente de cálculo, Fw,Rd, dos diversos tipos de solda está indicada na Tabela 8, na qual
Aw é a área efetiva da solda, AMB é a área do metal-base (produto do comprimento da solda pela espessura
do metalbase menos espesso), fy é a menor resistência ao escoamento entre os metais-base da junta e f w
a resistência mínima à tração do metal da solda.

Força resistente de cálculo das soldas, Tabela 8


Tipo de Força resistente de
Tipo de solicitação e orientação
solda cálculo, Fw,Rd
Não precisa ser
Tração ou compressão paralelas ao eixo da solda.
considerado.
Metal-base deve
Cisalhamento na seção efetiva (a solicitação de atender a 6.5
Filete cálculo é igual à resultante vetorial de todas as
forças de cálculo na junta que produzam tensões onde: 0.6 fy A g  a1
normais ou de cisalhamento na superfície de contato
Metal da
das partes ligadas). 0.6 A wfw  w2 2)
solda:
2)
O valor de gw2 é igual a 1,35 para combinações normais, especiais ou de construção e igual a 1,15 para
combinações excepcionais.

6.2.4 Exigências relativas ao metal da solda e aos procedimentos de soldagem


6.2.4.1 Na Tabela 7, extraída da AWS D1.1, são apresentados alguns metais-base e eletrodos de solda
que podem ser usados em procedimentos de soldagem pré-qualificados. Mais informações podem ser
obtidas na AWS D1.1.

Limitações (ABNT NBR 8800, 6.2.6)


Comprimento Perna
Descrição Tipo P.S. t
(mm) lw,min lw dw,min dw,max dw
(mm) (mm) (mm) (mm) (mm)
Solda da aba superior De ângulo SMAW 11 44 140 10 18 11
Solda da alma De ângulo SMAW 7 40 500 5 7 7
Solda da aba inferior De ângulo SMAW 11 44 140 10 18 11
P.S.: Procedimento de soldagen.
t: Menor espessura do metal-base.
lw: Comprimento total da solda.
dw: Perna da solda.

Verificação de cordões de soldadura


Metal - Cisalhamento (Metal da Coeficientes de
Eléctrode Tensões (Metal-base)
Perna t lw base solda) ponderação
Descrição
(mm) (mm) (mm)
fw fy Sd Rd Aprov. Sd Rd Aprov. ga1 gw1 gw2
(N/mm²) (N/mm²) (N/mm²) (N/mm²) (%) (N/mm²) (N/mm²) (%)
Solda da E70XX
11 11 140 250.0 37.7 215.6 17.48 12.7 136.4 9.31 1.10 1.25 1.35
aba superior (485.0)
Solda da E70XX
7 7 500 250.0 46.6 215.6 21.60 32.9 136.4 24.14 1.10 1.25 1.35
alma (485.0)

Página 42
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Verificação de cordões de soldadura


Metal - Cisalhamento (Metal da Coeficientes de
Eléctrode Tensões (Metal-base)
Perna t lw base solda) ponderação
Descrição
(mm) (mm) (mm)
fw fy Sd Rd Aprov. Sd Rd Aprov. ga1 gw1 gw2
(N/mm²) (N/mm²) (N/mm²) (N/mm²) (%) (N/mm²) (N/mm²) (%)
Solda da E70XX
11 11 140 250.0 14.8 215.6 6.86 5.0 136.4 3.65 1.10 1.25 1.35
aba inferior (485.0)
Sd: Solicitação de cálculo
Rd: Resistente de cálculo
- Tração ou compressão paralelas ao eixo da solda, não precisa ser considerado.

Parafusos (ABNT NBR 8800:2008, 6.3)

6.3.3.1 Tração

A força de tração resistente de cálculo de um parafuso tracionado ou de uma barra redonda rosqueada
tracionada é dada por:

Abe fub
Ft,Rd 
 a2
onde:
fub: Resistência à ruptura do material do parafuso ou barra redonda rosqueada à tração.
Abe: Área efetiva.

6.3.3.2 Cisalhamento

A força de cisalhamento resistente de cálculo de um parafuso ou barra redonda rosqueada é, por plano de
corte, igual a:

a) para parafusos de alta resistência e barras redondas rosqueadas, quando o plano de corte passa pela
rosca e para parafusos comuns em qualquer situação:
0, 4 Ab fub
Fv,Rd 
 a2
onde Ab é a área bruta, baseada no diâmetro do parafuso ou barra redonda rosqueada, d b, dada em 6.3.2.2.

6.3.3.3 Pressão de contato em furos

A força resistente de cálculo à pressão de contato na parede de um furo, já levando em conta o


rasgamento entre dois furos consecutivos ou entre um furo extremo e a borda, é dada por:

a) no caso de furos-padrão, furos alargados, furos pouco alongados em qualquer direção e furos muito
alongados na direção da força:
- quando a deformação no furo para forças de serviço for uma limitação de projeto

Página 43
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

1,2L f t fu
Fc,Rd   2, 4 db t fu  a2
 a2
onde:
Lf: Distância, na direção da força, entre a borda do furo e a borda do furo adjacente ou a borda livre.
db: Diâmetro do parafuso.
t: Espessura da parte ligada.
fu: Resistência à ruptura do aço da parede do furo.

6.3.3.4 Tração e cisalhamento combinados

Quando ocorrer a ação simultânea de tração e cisalhamento, deve ser atendida a seguinte equação de
interação:

2 2
 Ft,Sd   Fv,Sd 
      1,0
 Ft,Rd   Fv,Rd 
onde:
Ft,Sd: Força de tração solicitante de cálculo por parafuso ou barra redonda rosqueada.
Fv,Sd: Força de cisalhamento solicitante de cálculo no plano considerado do parafuso ou barra redonda
rosqueada.
Ft,Rd e Fv,Rd são dados respectivamente em Fv,Rd
Alternativamente ao uso da equação da interação, a força de tração solicitante de cálculo (F t,Sd) por parafuso
ou barra redonda rosqueada deve atender às exigências:

Limitação adicional do valor da força de tração solicitante


Meio de ligação
de cálculo por parafuso ou barra redonda rosqueada
Ft,Sd  fub Ab  a2  1,90 Fv,Sd (1)

Parafusos ASTM A325


Ft,Sd  fub Ab  a2  1,50 Fv,Sd (2)

(1)
Plano de corte passa pela rosca.
(2)
Plano de corte não passa pela rosca.

6.3.7 Pega longa

Exceto nos casos dos parafusos de alta resistência montados com protensão inicial, quando o
comprimento de pega excede 5 db, a força de cisalhamento resistente de cálculo dos parafusos ou barras
redondas rosqueadas deve ser reduzida em 1% para cada 1,5 mm adicionais de pega (d b é o diâmetro do
parafuso ou barra redonda rosqueada).

6.3.9 Espaçamento mínimo entre furos

A distância entre centros de furos-padrão, alargados ou alongados, não pode ser inferior a 2,7 d b, sendo
db o diâmetro do parafuso ou barra redonda rosqueada.

6.3.10 Espaçamento máximo entre parafusos

Página 44
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

O espaçamento máximo entre parafusos que ligam uma chapa a um perfil ou a outra chapa, em contato
contínuo, deve ser determinado como a seguir:

a) em elementos pintados ou não sujeitos à corrosão, o espaçamento não pode exceder 24 vezes a
espessura da parte ligada menos espessa, nem 300 mm;
b) em elementos sujeitos à corrosão atmosférica, executados com aços resistentes à corrosão, não
pintados, o espaçamento não pode exceder 14 vezes a espessura da parte ligada menos espessa, nem
180 mm.

6.3.11 Distância mínima de um furo às bordas

6.3.11.1 Furos-padrão

A distância do centro de um furo-padrão a qualquer borda de uma parte ligada não pode ser inferior ao
valor indicado na Tabela 14, na qual db é o diâmetro do parafuso ou barra redonda rosqueada.

Tabela 14 - Distância mínima do centro de um furo-padrão à borda


Diâmetro db Borda cortada com serra ou tesoura Borda laminada ou cortada a maçarico
pol (mm) (mm)

7/8" 38 29

6.3.12 Distância máxima de um parafuso ou barra rosqueada às bordas

Para qualquer borda de uma parte ligada, a distância do centro do parafuso, ou barra redonda rosqueada,
mais próximo até essa borda não pode exceder a 12 vezes a espessura da parte ligada considerada, nem
150 mm.

Disposições constructivas
Diâmetro Distâncias de um furo às bordas Distâncias entre furos
Parafuso Descrição do furo x y x y
(mm) (mm) (mm) (mm) (mm)
1 7/8"x2 3/4", Tipo 1, ASTM A325T 23.8 45 -- 91 94
2 7/8"x2 3/4", Tipo 1, ASTM A325T 23.8 45 -- 91 94
3 7/8"x2 3/4", Tipo 1, ASTM A325T 23.8 45 -- 91 94

Página 45
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Disposições constructivas
Diâmetro Distâncias de um furo às bordas Distâncias entre furos
Parafuso Descrição do furo x y x y
(mm) (mm) (mm) (mm) (mm)
4 7/8"x2 3/4", Tipo 1, ASTM A325T 23.8 45 -- 91 94
5 7/8"x2 3/4", Tipo 1, ASTM A325T 23.8 45 -- 91 94
6 7/8"x2 3/4", Tipo 1, ASTM A325T 23.8 45 -- 91 94
7 7/8"x2 3/4", Tipo 1, ASTM A325T 23.8 45 -- 91 94
8 7/8"x2 3/4", Tipo 1, ASTM A325T 23.8 45 -- 91 94
9 7/8"x2 3/4", Tipo 1, ASTM A325T 23.8 45 -- 91 94
10 7/8"x2 3/4", Tipo 1, ASTM A325T 23.8 45 -- 91 94
--: Não precisa ser considerado.

Resistência
Interação
tração e
Aprov. Máx.
Cisalhamento Tração esforço
(%)
Parafus transvers
o o
Desfavoráv Resistent Aprov Verificaçã Desfavoráv Resistent Aprov
Verificação Aprov.
el e . o el e . (%)
(kN) (kN) (%) (kN) (kN) (%)

Seção
16.913 94.832 17.83 Espiga 0.000 182.150 0.00
1 transversal 17.83 17.83
Esmagamento 16.913 252.871 6.69 Punção 0.000 351.530 0.00
Seção
16.913 94.832 17.83 Espiga 0.000 182.150 0.00
2 transversal 17.83 17.83
Esmagamento 16.913 252.871 6.69 Punção 0.000 351.530 0.00
Seção
16.913 94.832 17.83 Espiga 0.000 182.150 0.00
3 transversal 17.83 17.83
Esmagamento 16.913 252.871 6.69 Punção 0.000 351.530 0.00
Seção
16.913 94.832 17.83 Espiga 0.000 182.150 0.00
4 transversal 17.83 17.83
Esmagamento 16.913 252.871 6.69 Punção 0.000 351.530 0.00
Seção
16.913 94.832 17.83 Espiga 0.000 182.150 0.00
5 transversal 17.83 17.83
Esmagamento 16.913 252.871 6.69 Punção 0.000 351.530 0.00
Seção
16.913 94.832 17.83 Espiga 0.000 182.150 0.00
6 transversal 17.83 17.83
Esmagamento 16.913 252.871 6.69 Punção 0.000 351.530 0.00
Seção
16.913 94.832 17.83 Espiga 0.000 182.150 0.00
7 transversal 17.83 17.83
Esmagamento 16.913 252.871 6.69 Punção 0.000 351.530 0.00
Seção
16.913 94.832 17.83 Espiga 0.000 182.150 0.00
8 transversal 17.83 17.83
Esmagamento 16.913 252.871 6.69 Punção 0.000 351.530 0.00

Página 46
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Resistência
Interação
tração e
Aprov. Máx.
Cisalhamento Tração esforço
(%)
Parafus transvers
o o
Desfavoráv Resistent Aprov Verificaçã Desfavoráv Resistent Aprov
Verificação Aprov.
el e . o el e . (%)
(kN) (kN) (%) (kN) (kN) (%)

Seção
16.913 94.832 17.83 Espiga 0.000 182.150 0.00
9 transversal 17.83 17.83
Esmagamento 16.913 252.871 6.69 Punção 0.000 351.530 0.00
Seção
16.913 94.832 17.83 Espiga 0.000 182.150 0.00
10 transversal 17.83 17.83
Esmagamento 16.913 252.871 6.69 Punção 0.000 351.530 0.00

Plano xy Plano xz
Rigidez rotacional inicial
(kN·m/rad) (kN·m/rad)
Calculada para momentos positivos 4987.49 72424.80
Calculada para momentos negativos 4987.49 98195.04

Página 47
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Comportamento da ligação para flexão simples no plano xz

Relação entre a resistência do banzo da peça em T em modo 1 e modo 3 (Critério de CYPE Ingenieros,
baseado em ENV 1993-1-1:1996, Anexo J.3.8)

Deve satisfazer a condição:


  1,8 0.88 £
1.80

FT,Rd1 :

FT,Rd3 b 0.88

Página 48
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

onde:
: 321.4 k
FT,Rd1: Resistência do banzo da peça em T em modo 1. FT,Rd1 3 N
: 364.3 k
FT,Rd3: Resistência do banzo da peça em T em modo 3. FT,Rd3 0 N

Valor de cálculo do momento resistente de juntas viga-coluna e de juntas de continuidade (EN 1993-1-
8:2005, 6.2.7)

Na ausência de Norma Brasileira aplicável, se realiza a comprovação de acordo com o Eurocode 3 Part 1-
8.

O valor de cálculo do momento aplicado, Mj,Ed, deverá satisfazer:


Mj,Ed 0.13 £
 1, 0 ...(6.23)
Mj,Rd 1.0

O valor de cálculo do momento resistente, Mj,Rd, de uma junta viga-coluna com ligação aparafusada e com
chapa de extremidade poderá ser determinado a partir de:
Mj,Rd   hr Ftr,Rd
r

onde:
Ftr,Rd: Valor de cálculo da resistência à tração efetiva da fiada de parafusos r;
hr: Distância entre a fiada de parafusos r e o centro de compressão;
r: Número da linha de parafusos.

Capacidade de rotação (Critério de CYPE Ingenieros, baseado em ENV 1993-1-1:1996, Anexo J.3.8)

Deve satisfazer a condição:


Ed 2 0.02 £

Cd 3 0.67

fEd: Rotação correspondente ao momento solicitante fEd : 0.15 mRad


10.1
fCd: Capacidade de rotação da ligação fCd : 9 mRad
10, 6  4· 
Cd 
1,3·h

onde:
h: Distância entre o centro de compressão e a linha de parafusos h : 534 mm
b: Relação entre a resistência da fila em modo 1 e modo 3 b : 0.88

Página 49
Memória de Cálculo
Viga Içamento Ponteira de Duto Chaminé Caldeira de Força e Dutos WLP

Página 50

Você também pode gostar