Você está na página 1de 2

IMPACTOS DO LIXO NO MEIO AMBIENTE

De acordo com a Constituição de 1988, todos os cidadãos possuem direito à


saúde. Contudo, na atual sociedade brasileira, há expressivos impactos ambientais
devido, majoritariamente, à negligência governamental e à má formação
socioeducacional.
Mormente, vale ressaltar o livro “Ética a Nicômaco”, do filósofo Aristóteles, ao
inferir que a política serve para garantir felicidade dos cidadãos, como o meio
ambiente limpo e sustentável. No entanto, é inegável a quebra desta garantia quanto
aos impactos do lixo nas comunidades, visto que a coleta ineficaz ou talvez inexistente
gera uma insalubridade nos locais, em especial em bairros de baixa renda. Assim, é
notória a ineficácia estatal na integração desse serviço para toda a população, pois,
com essas regiões periféricas carentes de políticas públicas, deixa em destaque uma
sociedade segregada, dado que, esses bairros necessitados têm as principais vítimas
de doenças como resultado do acúmulo de lixo e dispersão de baratas, moscas e
ratos.
Outrossim, alude-se ao pensamento do filósofo Immanuel Kant, ao evidenciar
que, “é no problema da educação que assenta o grande segredo do aperfeiçoamento
da humanidade.” Sob essa perspectiva, percebe-se a importância do estímulo nas
escolas na consciência dos jovens ao jogar lixo na rua ou no mar, haja vista que
existem muitas crianças e adolescentes que desconhecem os riscos que esses atos
trazem ao meio ambiente, como o acúmulo de lixos em bueiros, ruas alagadas e
infectadas. Dessa forma, as instituições de ensino possuem uma importante função na
melhora do meio ambiente, colaborando para que os cidadãos possuam clareza de
suas ações e o hábito de pensar no coletivo.
Destarte, urge ao Ministério do Meio Ambiente, aliado às esferas estadual e
municipal, minimizar esses impactos, por meio da ampliação das coletas de lixo em
todo o Brasil com a finalidade de permitir que toda a sociedade tenha esse acesso
prestado, sem haver distinção de serviços aos indivíduos de baixa renda. Ademais,
compete à Escola, em parceria com o governo, orientar os jovens à práticas
saudáveis, com intuito de cuidar do local onde se vive, por intermédio de projetos
pedagógicos (como atividades lúdicas, filmes e documentários) que elucidem sobre a
importância da preservação ambiental e como adquirir bons costumes, a fim de
aumentar a qualidade de vida do povo. Com isso, efetivar o que garante a Constituição
de 1988, melhorando a saúde pública e ambiental.

Você também pode gostar