Você está na página 1de 25

logo

CELISA BERANGERCURSOSCURRÍCULOÁUDIOS E
VÍDEOSLIVROSARTIGOSINFORMAÇÕES DO
CÉUHORÁRIOS DE VERÃOFOTOSCONTATO

Eclipses – Seus Ciclos e Sequência no Mapa


Natal
Eclipses – Seus Ciclos e Sequência no Mapa Natal
Eclipses – Seus Ciclos e Sequência no Mapa Natal
20/10/2009by masterartigosNo Comment
Celisa Beranger em 20 de outubro de 2009

(Palestra no II Congresso Internacional de Cosmobiologia


25/09/2009 – Arequipa – Perú)

Os eclipses são, na verdade, Luas Novas e Cheias


especiais. Quando ocorrem os eclipses, o Sol, a Terra e a
Lua estão perfeitamente alinhados sobre o plano da
eclíptica e foi este fato que deu ao caminho aparente do
Sol a designação de eclíptica – quer dizer, o plano onde
ocorrem os eclipses.

eclipses
Para que ocorra um eclipse é preciso que a Lua, cuja
latitude varia entre 5° norte e 5° sul, esteja situada
muito próxima da latitude zero, portanto na eclíptica,
onde está o Sol, que não tem latitude. Podemos dizer
então que é a posição da Lua que promove os eclipses.

eclipses2

Além disso, como os nodos lunares são os dois pontos


de encontro da órbita da Lua com a eclíptica, os eclipses
ocorrem sempre perto destes nodos (até 10° para
eclipses totais e 18° para os parciais do Sol, e até 5° para
os totais e 12° para os parciais da Lua).

Os eclipses constituíam a fonte de presságios mais


importante da Babilônia porque eram considerados
como sinais muito especiais do céu para indicar
acontecimentos coletivos muito marcantes: guerras,
fome, epidemias, nascimento ou morte de reis ou outras
pessoas de grande importância.

Algumas vezes as pessoas nascidas em dias de eclipses


do Sol deixam sua marca na humanidade. Isto talvez seja
devido a que se trata de pessoas mais ousadas.
Por exemplo: Alexandre o Grande e Karl Marx nasceram
em dias de eclipses do Sol. O Papa João Paulo II teve
tanto seu nascimento como sua morte marcada pelos
eclipses. Ele nasceu em 18 de maio de 1920 e morreu em
02 de abril de 2005. Seu enterro foi no dia do eclipse
total do Sol de 08 de abril.

A família real da Inglaterra tem uma forte marca de


eclipses. O futuro rei, príncipe William da Inglaterra,
nasceu em dia de eclipse solar, 21 de junho de 1982. Sua
mãe, a princesa Diana, morreu em 31 de agosto de 1997,
véspera de um eclipse do Sol. Seu pai, Charles, queria
casar-se com Camila Parker Bowles no dia 08 de abril de
2005, dia do eclipse solar e do enterro do Papa. As
bodas não foram nesse dia porque Charles teve que
representar sua mãe no enterro.

Os computadores permitiram a descoberta da trajetória


de visibilidade dos eclipses em qualquer tempo. As
investigações têm demonstrado que, para as pessoas
nascidas em dia de eclipse solar, algumas vezes a
visibilidade vincula a pessoa aos lugares percorridos
pelo eclipse de seu nascimento.

Por exemplo, Alexandre o Grande conquistou com seus


exércitos todas as áreas do trajeto do eclipse de seu
nascimento. O eclipse do dia de nascimento de Karl
Marx obscureceu toda a Rússia, país que foi muito mais
impactado por seus escritos do que Alemanha ou
França, os países que ele havia pretendido afetar.

eclipses3Os ciclos dos eclipses

A importância dada aos eclipses fez com que os grandes


observadores e compiladores da Babilônia, já no século
VI a.C., descobrissem que os eclipses não são aleatórios,
mas possuem um ciclo próprio, que é conhecido como
ciclo de Saros. Este ciclo é constituído por diversas
séries, cada uma composta por 70 ou 71 eclipses e, em
sua totalidade, a serie dura cerca de 1260 anos.

A Astrologia utiliza, unicamente para os eclipses solares,


38 séries de Saros, 19 de nodo norte e 19 de nodo sul,
indicando o polo da Terra onde a serie têm início.

Os eclipses de uma dada série começam em um polo


como parciais, depois na medida em que vão baixando
em latitude, passam a ser anulares, continuam baixando
e, ao se aproximarem do Equador, são totais. Já no
outro hemisfério seguem como totais, depois passam a
ser anulares e, ao se aproximarem do polo oposto,
voltam a ser parciais, até que a série termina.
Muitos anos antes do término de uma série, sua
substituta começa. Por isso algumas vezes ocorrem dois
eclipses em lunações sucessivas, como ocorreu agora
com os eclipses lunares de 7 de julho, em 15° de
Capricórnio, e de 5 de agosto, em 15° de Aquário.

Eclipses que pertencem a uma mesma série ocorrem a


cada 18 anos e 10 dias (ou 11 dias em função dos anos
bissextos) e duas ou três vezes seguidas voltam a ser
visíveis em um mesmo local.

Existem autores, como Robert Jansky e Bernadette


Brady, que consideram o primeiro eclipse de uma série
como sua marca. Estes autores sugerem que o grau
deste eclipse de origem seja localizado no mapa natal e
utilizado como ponto de partida para a interpretação de
qualquer eclipse da série, mas hoje em dia isto é muito
pouco aceito.

Depois dos babilônios, em 432 a .C., outro ciclo para os


eclipses foi descoberto por Meton na Grécia antiga. Na
realidade o ciclo descoberto por Meton se refere à
repetição de luas novas e cheias a cada 19 anos. A
repetição ocorre no mesmo dia e grau do zodíaco.
Considerando que os eclipses são luas novas e cheias
especiais, o ciclo de Meton poderia valer também para
os eclipses, mas para estes ele não é preciso como o
ciclo de Saros porque para os eclipses, a repetição a cada
19 anos ocorre somente em 75% dos casos.

Quando para uma pessoa, pelo ciclo de Meton, ocorre a


repetição de um eclipse que toca uma posição
importante de seu mapa, é possível buscar o que
ocorreu na ocasião do eclipse, 19 ou 38 anos antes, para
obter uma ideia do que poderá ocorrer agora. Lógico
que a pessoa estará em outro momento de sua vida,
mas ainda assim, é possível usar a referência para
refinar a previsão.

Este ano os eclipses solares seguiram o ciclo metonico.

O eclipse solar de 26 de janeiro de 2009 repetiu o de 26


de janeiro de 1990, em 6° de Aquário.

O de 21 de julho passado, em 29° de Câncer, repetiu o


de 19 anos atrás, em 21 de julho de 1990.

Isto também acontecerá com o eclipse de 15 de janeiro


de 2010 porque neste mesmo dia, em 1991, tivemos um
eclipse do Sol nos mesmos 25° de Capricórnio.
Eclipse Pré-natal

A Astrologia clássica considerava muito importante o


grau da Lua Nova ou Cheia imediatamente anterior ao
nascimento e disto deriva a importância também do
ponto do eclipse chamado pré-natal. Normalmente, é
considerado somente o eclipse solar, mas alguns
astrólogos levam em conta também o eclipse lunar, caso
esteja mais próximo da data do nascimento.

Na verdade o grau do eclipse pré-natal tem a mesma


importância que os graus dos planetas.

A casa do mapa natal na qual se localiza o eclipse é


indicativa dos temas que precisam ser muito bem
desenvolvidos durante a vida. Mesmo sem conter
planetas, a casa do mapa natal, onde está situado o grau
do eclipse pré-natal, parece estar sempre ativa, porque
é mobilizada pelas lunações, trânsitos ou progressões.

Muitas vezes a casa do eclipse pré-natal é a mesma de


um dos nodos porque, como já vimos, os eclipses
ocorrem sempre próximos a eles.
Quando há um planeta no ponto do eclipse pré-natal ou
em quadratura, trígono ou oposição, com orbe até 5°, o
planeta está enfatizado e seus significados e assuntos da
casa na qual ele está localizado têm que ser utilizados
para o desenvolvimento dos temas da casa do eclipse
pré-natal.

O retorno do eclipse pré-natal é indicativo de um tempo


importante para a vida e a evolução pessoal.

Vejamos como exemplo a carta do Presidente americano


John Kennedy: 29 de maio de 1917, 15:15 (EST +05:00)
Brookline, MA – USA (Latitude 49°N19’ e Longitude
071°W07’).

eclipses4

Seu eclipse solar pré-natal ocorreu em 23 de janeiro de


1917, em 2°45’ de Aquário, situado na casa 4 de sua
carta natal, em conjunção com sua Parte da Fortuna e
em oposição com Netuno na casa 10. Portanto, enfocava
a necessidade de que ele se ocupasse das questões
familiares com sensibilidade, criatividade, compaixão e
até sacrifício.
Além do mais, a interação da casa 4 com a casa 10
indicava que o desenvolvimento das questões familiares
teria consequências em sua atuação no mundo.

O eclipse pré-natal retornou pela primeira vez quando


Kennedy tinha quase 8 anos, em 24 de janeiro de 1925.
Portanto, não seguiu o ciclo de Meton, mas de qualquer
maneira foi importante porque nesse ano nasceu seu
irmão Robert.

O eclipse pré-natal retornou duas vezes mais em


intervalos do ciclo metonico. Ambos os retornos foram
muito relevantes na vida de Kennedy. O primeiro, em 25
de janeiro de 1944, o ano em que seu irmão Joseph
morreu na guerra. Isso alterou a direção de sua vida
porque seu pai pensava preparar Joseph para a carreira
política e John teve que tomar o seu lugar. O segundo
ocorreu em 25 de janeiro de 1963, dez meses antes de
sua morte.

A seqüência dos eclipses no mapa natal

Em função do ciclo de Meton, em 19 anos os eclipses


percorrem o mapa natal promovendo a revisão dos
temas de todas as casas.
Na realidade, os eclipses atuam como marcas no
caminho para nos ajudar a cumprir nossos propósitos na
vida. Às vezes o fazem nos afastando de um caminho
cômodo e outras vezes nos surpreendendo com uma
boa oportunidade.

Os eclipses chamam nossa atenção para a verificação do


que é preciso rever, modificar ou suprimir em cada uma
das casas. O assunto da casa, onde se localiza o eclipse,
que tiver sido reprimido ou deixado de lado, se tornará
evidente e terá que ser considerado e resolvido.

A conotação de revisão dos eclipses vem do fato de que


seu movimento ocorre sempre para trás, portanto no
sentido contrário ao do zodíaco, tomando sempre graus
anteriores.

Por exemplo: o eclipse solar de 02 de agosto de 2008 foi


em 9° de Leão, o seguinte, em 26 de janeiro de 2009, em
6° de Aquário.

O eclipse de 21 de julho passado foi em 29° de Câncer, e


o próximo, em 15 de janeiro de 2010, será em 25° de
Capricórnio. Podemos observar que, de um dado ponto,
o eclipse vai ao ponto oposto (+ ou – 180°), em seguida
se movimenta cerca de 170° pra trás e de novo vai ao
ponto oposto.

Mas esta sequencia não é perfeita e algumas vezes os


eclipses não a seguem exatamente.

Por exemplo, o eclipse de 07 de fevereiro de 2008, em


17° de Aquário, sucedeu ao eclipse de 11 de setembro
de 2007, em 18° de Virgem, portanto voltou para trás
150° e não 180 ou 170°. O eclipse de 1º de agosto de
2008 não alcançou o ponto oposto em 17° de Leão, mas
foi em 9° de Leão, portanto voltando para trás 188°.

Além disso, devido à simultaneidade de uma mesma


série de Saros, a antiga e a substituta, podem ocorrer
dois eclipses em lunações sucessivas, como citamos
antes.

Devido ao seu movimento, os eclipses percorrem uma


mesma polaridade de casas em até três anos. Este
tempo é indicativo de ativação e mudanças nos temas
das casas da polaridade.

De qualquer forma, fazendo ou não aspectos com os


planetas do mapa natal, os eclipses promovem atenção
e revisão nos assuntos das casas nas quais estão
situados. Suas questões serão acentuadas, seus assuntos
enfatizados e terão que ser resolvidos seja por
mudanças ou finalização.

Considerando que os eclipses percorrem ritmicamente a


carta natal, o processo pode ser visto como um
caleidoscópio, que vai girando e apontando para facetas
diferentes: os temas das casas.

Quando os eclipses do Sol e da Lua estão na mesma


polaridade, os assuntos das casas do eixo estarão mais
concentrados e poderão ser solucionados com mais
rapidez. Mas quando os eclipses solares e lunares não
estão na mesma polaridade, a atenção está dividida
entre as duas polaridades e isso dificulta a resolução dos
assuntos.

Também é necessário considerar que os temas da casa


em que ocorre o primeiro eclipse solar da polaridade
podem ser os motivadores principais da revisão dos
assuntos das duas casas que constituem a polaridade.

Os eclipses por polaridade de casas


EIXO 1 – 7 – A ênfase ocorre na combinação da
necessidade de desenvolvimento pessoal e da
participação em alianças e parcerias.

Quando o primeiro eclipse da polaridade mobiliza a casa


1, o fortalecimento da identidade pessoal e do próprio
desenvolvimento capacita para o estabelecimento de
alianças mais satisfatórias.

Quando a casa 7 é a primeira a ser ativada, a revisão da


participação em alianças e parcerias desperta para a
necessidade de desenvolvimento pessoal.

EIXO 2 – 8 – Há Ênfase nos recursos pessoais e


compartilhados, sejam eles físicos ou materiais. Há
movimento em questões econômicas, recursos e
propriedades.

Quando existem aspectos difíceis, podem ocorrer crises


ou perdas.

Quando a casa 2 é a primeira, o foco nos próprios


recursos, propriedades e perspectivas materiais levam à
revisão da partilha dos recursos físicos e materiais. Se
qualquer forma, devem ser desenvolvidas ações para
obtenção da segurança material.
Quando a casa 8 é a primeira, o estímulo se dá no plano
dos recursos compartilhados. Existe a possibilidade de
lidar com heranças, partilhas de dinheiro e pagamentos
a outros ou instituições. Também há estímulos à
sexualidade.

EIXO 3 – 9 – Enfoca o desenvolvimento mental e


intelectual, deslocamentos, questões referentes ao
ambiente próximo (casa 3), ao estrangeiro ou ainda de
natureza legal (casa 9).

Na casa 3 há estímulos para a comunicação e a busca da


aprendizagem. Experiências relativas ao ambiente
próximo, irmãos, parentes e vizinhos. Deslocamento
próximo e contato com outros ambientes.

Na casa 9, questões de educação superior e outros


conhecimentos.

Viagens distantes e assuntos relativos ao estrangeiro


estão enfatizados e são revisados, bem como os
assuntos de natureza legal, ética, filosófica ou religiosa.
EIXO 4 – 10 – A segurança pessoal através de melhores
condições familiares e de moradia tem que ser
combinada com a busca de uma posição satisfatória no
mundo. Nesta polaridade será preciso rever o equilíbrio
entre a vida pessoal e a vida social e profissional.

Quando a casa 4 é a primeira, as mudanças para obter


melhores condições familiares ou de moradia levam à
revisão da posição social e profissional.

Quando a casa 10 é a primeira, as mudanças para obter


uma posição social mais satisfatória levam à revisão e
modificações nas condições domésticas e familiares.

EIXO 5 – 11 – Nesta polaridade é preciso equilibrar as


questões afetivas e de prazeres com os planos e
projetos.

Neste período é importante que, além de pessoal, o


amor também alcance a esfera social.

Na casa 5 o foco está no agradável e no afetivo, nos


prazeres, nos amores, nos filhos e na criatividade. É
importante equilibrar o dar com o receber o amor.
Quando a casa 11 é a primeira a ser ativada a
participação em grupos ou a valorização das amizades
contribuem para uma expressão mais elevada do amor
pessoal.

Além disso, os planos e projetos pessoais promovem


revisão nas questões afetivas.

EIXO 6 – 12 – Enfatiza os temas de saúde, serviços,


obrigações e trabalho. Pode ocorrer contato com
hospitais ou viver situações difíceis.

Na casa 6, as questões relativas ao trabalho,


empregados, saúde e animais de estimação são fatores
de revisão. As imperfeições referentes a qualquer uma
destas questões surgirão para serem solucionadas.

Na casa 12, situações que ainda não se apresentaram


podem aparecer. Existe a possibilidade de envolvimento
em situações difíceis, tais como enganos e fraudes, além
de questões de saúde para si mesmo ou de outras
pessoas.

Observações:
Quando os eclipses tocam por aspecto de quadratura ou
trígono, com orbe até 5°, planetas em outras casas, os
temas destas casas são envolvidos com aqueles da casa
do eclipse.

A atuação dos eclipses começa 20 dias antes da data em


que ocorrem.

Os eclipses da Lua, na Lua Cheia, são considerado nas


duas casas do eixo e o eclipse solar somente na casa em
que ocorre.

Exemplo 1: Mulher 26/07/1967, 17:30 (BZT2 + 3:00) –


Rio de Janeiro – Brasil (Latitude 22°S54’ e Longitude
043°W14’)

eclipses5

O trajeto do eixo 2-8 começou em março de 1997, com o


eclipse solar de 18° de Peixes, na casa 2, oposto ao
Plutão, em 18° de Virgem, na casa 8. Em julho de 1999
ocorreu o último eclipse da polaridade 2-8.

Nestes dois anos a senhora se associou em uma empresa


profissional e assumiu sua administração financeira,
depois deixou primeiro a administração do negócio e
logo também a sociedade.

A mudança da polaridade 8-2 para 7-1 teve inicio em


agosto de 1999, com o eclipse de 18° de Leão na casa 7,
mas fazendo quadratura a Netuno em 21° de Escorpião,
na casa 10. O período no eixo 7-1 terminou em
novembro de 2000.

Neste período, a senhora se divorciou de seu marido e


enquanto os eclipses percorriam a polaridade, ela
buscou outro parceiro.

Exemplo 2: Mulher 22/03/1978, 22:30 (BTZ2 +3:00)


Volta Redonda, Rio de Janeiro – Brasil (Latitude 22°S31’
e Longitude 044°W07’).

eclipses6

O trajeto da polaridade 5-11 começou com o eclipse


solar de 19 de abril de 2004, em 29°45’ de Áries na casa
5. Neste mesmo ano, a jovem senhora e seu parceiro
começaram a pensar em ter seu primeiro filho, mas, por
questões de trabalho ela decidiu deixar o projeto para o
ano seguinte.
É curioso observar que neste tempo o eclipse lunar em
14°42’ de Escorpião foi na polaridade 12-6, portanto
dividindo a atenção com o eclipse solar na casa 5.

Em abril de 2005, os eclipses do Sol e da Lua ocorreram


na polaridade 5-11. Do Sol, no dia 8, em 19°06’ de Áries,
conjunção com Mercúrio e Vênus na casa 5. O eclipse da
Lua, no dia 24 em 4°20’ de Escorpião, na polaridade 11-
5. Em maio, a senhora descobriu que estava grávida.

Em 2006, o eclipse solar de 24 de setembro, em 29°20’


de Virgem foi na casa 10 e mudou a polaridade para as
casas 10- 4. A atenção da senhora se voltou para a
retomada de sua carreira profissional. Ela decidiu que
não queria voltar a dar aulas na universidade, mas
queria voltar a trabalhar e pensou em comprar uma
franquia comercial. Como não encontrou o que queria
desistiu.

Durante o trajeto por esta polaridade, a casa 4 foi


ativada por agitação em sua vida doméstica. Primeiro
seu cunhado e depois sua irmã passaram uns meses em
sua casa e depois sua mãe teve um problema de saúde.
Em 2008 ocorreu uma nova mudança de polaridade. O
eclipse solar de 7 de janeiro, em 17°44’ de Aquário foi
em sua casa 3, trígono com Plutão na casa 11.

O eclipse na casa 3 levou a senhora a estudar para um


concurso público, mas ainda não estava segura de que
isto fosse o melhor, porque também pensava na
possibilidade de um segundo filho. Na verdade, a
ativação de Plutão na casa 11 indicava que poderia
ocorrer uma mudança de planos.

O eclipse solar seguinte, primeiro de agosto de 2008, em


9° de leão, foi em conjunção com a cúspide da casa 9,
mas ativou seus nodos lunares, em 6°16’ de Libra-Áries,
nas cúspides 11-5.

Em outubro a senhora descobriu que estava grávida e


desistiu de fazer o concurso.

Conclusão

Podemos afirmar que a sequencia dos eclipses através


do mapa natal promove atenção, revisão e correção em
todos os temas da vida.
Contudo, outras técnicas astrológicas podem reforçar ou
não a polaridade dos eclipses. Uma casa forte na
Revolução Solar que se situa na mesma polaridade dos
eclipses; a presença da Lua progredida secundária em
uma das duas casas da polaridade indicada pelos
eclipses, um trânsito de Urano ou Plutão nas casas
ativadas pelos eclipses.

Fica então claro que os babilônios tinham total razão ao


conceder uma extrema importância aos eclipses. Aquele
que não se preocupa com eles poderá desconhecer sua
envergadura, mas quem os dedique atenção, constatará
sua relevância.

Bibliografia
BRADY, Bernadette. Predictive Astrology, The Eagle and
the Lark. York Beach : Samuel Weiser Inc., 1992.
JANSKY, Robert. Interpretación de los Eclipses. Málaga:
Editorial Sirio, 1988.
LINEMAN, Rose. Eclipse Interpretation Manual
Astrological Guidepost. Tempe: AFA, 1986 e 1984.
TEAL, Celeste. Eclipses. Woodbury: Llewellyn
Publications, 2006.
Agradecimento: A Angela Nunes que fez a tradução do
texto original em espanhol.

Rio de Janeiro, 20 de outubro de 2009.

É proibida a reprodução total ou parcial deste texto.

ARTIGOS
Coronavírus e o o Ano Astrológico 2020
26/03/2020
Introdução às Estrelas Fixas
27/01/2020
2020 – Concentração de Relevantes Eventos Celestes
16/10/2019
O Governo Bolsonaro e o Brasil
28/09/2019
Perspectivas para 2019, a caminho de 2020
04/04/2019
As Revoluções dos Planetas
17/12/2018
CÉU DO MÊS
Julho 2020
01 – Saturno em Capricórnio

05 – Lua Cheia – Eclipse Penumbral da Lua 01:46h –


13°38’ Capricórnio/Câncer

08 – Mercúrio quadratura Marte 06°06’ Câncer/Áries

12 – Mercúrio direto 05°29’ Câncer

12 – Sol trígono Netuno 20°51’ Câncer/Peixes

12 – Lua no apogeu (maior distância da Terra)

12 – Quarto Minguante 20:30h – 21°03’ Áries/Câncer

14 – Sol oposição Júpiter 22°20’ Câncer/Capricórnio

15 – Sol oposição Plutão 23°44’ Câncer/Capricórnio

20 – Lua Nova 14:34h – 28°27’ Câncer

20 – Sol oposição Saturno 28°38’ Câncer/Capricórnio


22 – Sol em Leão

22 – Mercúrio em máxima elongação 20° Oeste

25 – Lua no perigeu (menor distância da Terra)

27 – Quarto Crescente 09:34h – 04°56’ Escorpião/Leão

27 – 2º sextil Júpiter/Netuno 20°39’ Capricórnio/Peixes

27 – Vênus quadratura Netuno 20°39’ Gêmeos/Peixes

27 – Mercúrio quadratura Marte 16°20’ Câncer/Áries

30 – Mercúrio oposição Júpiter 20°18’


Câncer/Capricórnio

30 – Mercúrio trígono Netuno 20°35’ Câncer/Peixes

EVENTOS
FOTOS
Com Vânia CarvalhoCom Regina Fernandes

ASSINE NOSSA NEWSLETTER


Nome

E-mail

Espaço do Céu 2019 / 2020. Todos os direitos


reservados.Celisa Beranger

Você também pode gostar