Você está na página 1de 4

FICHA 7

SUSTENTABILIDADE NA TERRA
RECURSOS HÍDRICOS E BIOLÓGICOS CIÊNCIAS NATURAIS | 8.° ANO

NOME N.º TURMA

PROFESSOR AVALIAÇÃO

1. A figura 1 representa, esquematicamente, o ciclo da água. 2.2. Classifica os recursos hídricos quanto ao ritmo de utilização.

D 2.3. Indica duas utilizações dos recursos hídricos pelo Homem.


C
D

NEVE
3. Lê atentamente os textos.

TEXTO A
E Os crocodilos são mortos por causa da sua pele: transformar-se-ão
LAGO
RIO em sacos, sapatos, carteiras... Estão a rarear. São protegidos, mas os
A
caçadores furtivos continuam a caçá-los.
SOLO In atelier.uarte.mct.pt

Fig. 1 TEXTO B
1.1. Identifica os fenómenos representados pelas letras na figura. O dramático processo de desflorestação é o resultado da intervenção
sistemática do Homem no meio ambiente. Mas a destruição dos
A– B–
ecossistemas florestais em tempos pré-históricos era lenta, e não
C– D– devastadora, como presentemente, com a moderna tecnologia.
E– In www.freipedro.pt

1.2. Elabora um texto que descreva o ciclo da água e que inclua os TEXTO C
fenómenos que identificaste na questão anterior. A agricultura biológica baseia-se no funcionamento do ecossistema
agrário e recorre a práticas – como rotações culturais e uso de predadores
– que fomentam o seu equilíbrio e biodiversidade; visa manter e melhorar
a fertilidade do solo a longo prazo, preservando os recursos naturais.
In www.agrobio.pt

2. Analisa atentamente o gráfico da figura 2. 3.1. Classifica o recurso natural descrito nos textos.

97,4
100

3.2. Indica duas causas da provável extinção dos crocodilos.


80

60

40
3.3. Explica o interesse do Homem pela floresta.
20
0,5 1,98 0,007 0,005 0,018
0
Água salgada Água Gelo, glaciares, Lagos Humidade Atmosfera,
– oceanos subterrânea calotes dos solos rios, seres
e mares polares vivos
Fig. 2
3.4. Relaciona o avanço tecnológico com a desflorestação.
2.1. Estabelece a correspondência entre a chave e as afirmações.
CHAVE:
I – Afirmação apoiada pelos dados.
II – Afirmação contrariada pelos dados. 3.5. Em relação à agricultura biológica indica:
III – Afirmação não relacionada com os dados.
3.5.1. duas práticas usadas.
AFIRMAÇÃO: 3.5.2. duas vantagens.
A – Cerca de 97,4% da água do planeta não é potável.
B – A menor percentagem de água utilizável pelos seres vivos 3.6. Critica a acção humana nos ecossistemas baseando-te nas
encontra-se na atmosfera. informações dos textos.
C – Só cerca de 0,6% da água do planeta é utilizável pelos seres
vivos.
D – Grande parte da água doce do planeta está contaminada.
E – A água captada por furos e poços é cerca de 0,5% da água do
planeta.
FICHA 8
SUSTENTABILIDADE NA TERRA
RECURSOS ENERGÉTICOS E MINERAIS CIÊNCIAS NATURAIS | 8.° ANO

NOME N.º TURMA

PROFESSOR AVALIAÇÃO

1. As imagens A, B e C da figura 1 representam recursos naturais. 2.5. Indica mais duas fontes de energia primárias a explorar no futuro
em Portugal.

2.5.1. Fundamenta as escolhas que efectuaste na questão anterior.

A B C
Fig. 1
3. Lê atentamente o texto.
1.1. Identifica os recursos naturais evidenciados nas imagens A, B e C. O sector mineiro tem vindo a diminuir de importância em Portugal, face
ao encerramento, a partir de meados da década de 80 do século XX, de
A– B–
importantes minas metálicas (de volfrâmio e de estanho), de carvão e de
C– metais preciosos. Das minas que encerraram ao longo do último decénio,
1.2. Selecciona os termos para classificar os recursos apresentados salientam-se as seguintes: a mina do Pejão, situada no distrito de Aveiro,
na figura. que foi um importante centro produtor de carvão, a mina de Jales, no
distrito de Vila Real, que foi durante um longo período de tempo a única
hídrico energético poluente geotérmico renovável produtora de minérios de ouro e prata em Portugal, e as minas de
não renovável não poluente
volfrâmio e de estanho, da Borralha, Argozelo e Montezinho.
A–
B– 3.1. Identifica os minerais metálicos referidos no texto.
C–

2. Analisa atentamente a tabela I. 3.2. Prevê uma justificação para o encerramento da mina do Pejão.

Produção de energia eléctrica a partir de energias primárias

Ano 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001


3.3. Indica uma utilização do ouro, do estanho e do carvão.
Hídrica 7962 14 207 12 537 12 488 7042 11 040 13 605

Eólica 16 21 21 89 122 168 256

Geotérmica 42 49 49 58 80 80 105

2.1. Indica a fonte primária de energia: 3.4. Explica de que forma as explorações mineiras contribuem para o
desequilíbrio dos ecossistemas.
2.1.1. mais utilizada na actualidade.
2.1.2. cuja utilização mais rapidamente tem aumentado.

2.2. Em 2001 nos Açores já existiam empreendimentos geotérmicos


como a Central Geotérmica da Ribeira Grande e as Estufas de
Ananases de São Miguel.
2.2.1. Define energia geotérmica. 4. O gráfico da figura 2 evidencia a variação das necessidades
humanas em recursos ao longo dos anos.
2400
Exigências em diferentes
actividades humanas

2100

2.2.2. Relaciona a localização geográfica dos Açores com o potencial 1800

geotérmico do arquipélago. 1500


1200
900
600
300
0
2.3. Indica uma vantagem da energia eólica relativamente à energia 1880 1900 1920 1940 1960 1980 2000 2020
Ano
hídrica. Fig. 2

4.1. Indica as actividades humanas evidenciadas no gráfico.

2.4. Os parques eólicos são construídos em zonas de elevada altitude.


Justifica a localização dos parques eólicos. 4.2. Descreve a variação das exigências ao longo do século XX.
MC7CNAAE2-02
FICHA 9
SUSTENTABILIDADE NA TERRA
PROTECÇÃO E CONSERVAÇÃO DO AMBIENTE CIÊNCIAS NATURAIS | 8.° ANO

NOME N.º TURMA

PROFESSOR AVALIAÇÃO

1. As imagens A, B, C, D e E da figura 1 ilustram diferentes formas de 3. A figura 2 representa uma ETAR.


tratamento de resíduos.
Tanque de
Digestor dosagem
Refugo Cal Sulfato de alumínio

Captação
Fossa

Manancial
de Tanque de
recepção floculação Tanque de
C decantação
Composto Lixiviado
terreno para Filtro
A Lixiviado B impermeável tratamento Cloro
Água Para o
impura reservatório

Água
potável
Até a água chegar a casa de cada um de nós, muitas coisas são
necessárias para garantir a sua qualidade e potabilidade.

D E Fig. 2
Fig. 1
3.1. Refere a(s) origem(ens) da água recolhida numa ETAR.
1.1. Identifica o tipo de resíduo tratado em qualquer dos processos
apresentados na figura 1.

3.2. Indica uma etapa usada no tratamento de águas residuais.


1.2. Identifica as formas de tratamento de resíduos ilustradas nas
imagens A, B, C, D e E.
A– B– 3.3. Sugere uma explicação para a adição de cloro no final do tratamento.
C– D–
E–

1.3. Indica o(s) tipo(s) de resíduo(s) tratado(s) em cada forma de trata- 4. A figura 3 representa áreas protegidas de Portugal continental.
mento.
A– B– 4.1. Indica dois exemplos de: Valença

C– D– Viana do a
Bragança
4.1.1. parques naturais. Castelo Rio
Lim Chaves
E– Braga
Guimarães
Vila Real
Porto uro Rio Do
1.4. Indica duas desvantagens da forma de tratamento ilustrada na Barca d’Alva

imagem D. Viseugo
Aveiro ond
e Guarda
M
Rio

Coimbra
Covilhã

4.1.2. reservas naturais. Leiria


1.5. Explica de que forma o tratamento de resíduos evidenciado na Castelo Branco

imagem A prejudica o meio ambiente.


Rio Tejo

Peniche Portalegre
Santarém

LISBOA

Almada Évora
na

1.6. Indica a cor de cada contentor, relacionando-a com os materiais


adia

Rio Alcácer do Sal


Gu

Sa
Rio

que armazenam.
do

4.1.3. paisagens protegidas. Sines


Beja
Serpa
Parques
Reservas
Áreas de
paisagem
Vila Real de protegida
Lagos Santo António
0 50 km
Sagres Faro

Fig. 3
2. O aparelho de GPS é uma inovação tecnológica.

2.1. Discute o impacto da descoberta do GPS na sociedade actual.


4.2. Explica a importância da criação de áreas protegidas.

2.2. Dá mais dois exemplos de inovações científicas e/ou tecnológicas


actuais.

4.3. Dá dois exemplos de espécies protegidas de Portugal continental.


PROPOSTA DE RESOLUÇÃO

2.3. Sucessão ecológica secundária. 3.1. Biológico.


2.3.1. “Após o fogo, nas regiões mediterrânicas, o coberto vegetal será formado 3.2. Caça desenfreada e destruição do seu habitat.
essencialmente por rebentos jovens de espécies que, libertas da competição 3.3. O Homem utiliza a madeira para a construção e indústria do papel.
das árvores dominantes e estimuladas pelas reservas dos órgãos subterrâneos 3.4. As novas tecnologias levam à desflorestação maciça.
resistentes ao fogo, formam matagais densos.”
3.5.1. Rotação de culturas e uso de predadores.
2.4. Ao longo do tempo os recursos do solo aumentam, facilitando a colonização por
3.5.2. Manutenção do equilíbrio dos ecossistemas e preservação dos recursos naturais.
espécies mais exigentes, e a diminuição da luz disponível à superfície dificulta o
3.6. Nos textos A e B o Homem actua na Natureza provocando o seu desequilíbrio,
desenvolvimento de espécies rasteiras, permitindo a proliferação de espécies de
enquanto o texto C revela um conjunto de atitudes benéficas para o equilíbrio natural.
maior porte.

3.1. A / C / B / D
3.2. Aumento da diversidade e da complexidade das espécies. FICHA 8
4.1. 1.1. A – Vento; B – Sol; C – Combustíveis fósseis.
• Comunidade clímax 1.2. A – Energético renovável e não poluente; B – Energético renovável e não
• Comunidade pioneira poluente; C – Energético não renovável e poluente.
A• • Maior biodiversidade
2.1.1. Hídrica.
B• • Menor número de seres vivos
C• • Comunidade intermédia 2.1.2. Eólica.
• Maior equilíbrio entre a comunidade biótica e o biótopo 2.2.1. Energia produzida a partir do calor interno da Terra.
2.2.2. Os Açores localizam-se sobre uma zona de rifte, logo próximo da saída de magma.
5.1. Rocha-mãe / Líquenes e musgos / Ervas / Urzes / Pinheiros / Carvalhos 2.3. A energia eólica não é tão condicionada pelas condições climáticas como
5.2.1. Líquenes e musgos. a energia hídrica.
5.2.2. Carvalhos. 2.4. Os parques eólicos localizam-se em grandes altitudes, porque são regiões ventosas.
2.5. Energia das marés e energia da biomassa.
2.5.1. A energia das marés utiliza a energia das ondas do mar, logo é não poluente
e renovável, e Portugal tem um extenso litoral. A energia da biomassa será uma
FICHA 6 alternativa no futuro, porque utiliza restos orgânicos, permitindo a reciclagem de
resíduos.
1.1. Natural climática.
1.2. Incêndios, desflorestação, diminuição do abastecimento de água urbano e 3.1. Volfrâmio, estanho, ouro e prata.
emissão de gases de efeito de estufa. 3.2. Escassez do minério ou baixa rentabilidade.

1.3. B e C. 3.3. Ouro – joalharia; Estanho – objectos decorativos; Carvão – produção de energia eléctrica.
1.4. Altas temperaturas e falta de humidade dos solos. 3.4. As escombreiras (lixos das minas) acumuladas junto às explorações mineiras
são uma fonte de poluição das águas e do solo da região.
2.1. À medida que aumenta a concentração de CO2 aumenta também a temperatura
global do planeta. 4.1. Transportes, pecuária e indústria
2.2. Aumento do tráfego, combustões industriais e centrais termoeléctricas. 4.2. Aumentou significativamente a partir de 1960.

2.3.1. O aumento de CO2 provoca uma maior retenção de calor na atmosfera,


aumentando o efeito de estufa.
2.3.2. O aumento do efeito de estufa provoca o aumento da temperatura global; esta FICHA 9
provoca o degelo dos glaciares, que leva ao aumento do nível médio das águas
1.1. Resíduos sólidos.
do mar.
1.2. A – Lixeira; B – Compostagem; C – Aterro sanitário; D – Incineração; E – Ecoponto.
3.1. Poluição da água. 1.3. A – Lixos diversos; B – Lixos orgânicos; C – Lixos diversos; D – Lixos perigosos;
3.2. Lixos domésticos e industriais e esgotos. E – Lixos diversos separados.
3.3. Morte da fauna e flora do curso de água; proliferação de doenças na população. 1.4. O tratamento por incineração liberta gases e poeiras que contaminam
a atmosfera e não é um método recomendado para alguns tipos de resíduos.
4.1. Filtrar as radiações ultravioleta nocivas aos seres vivos. 1.5. Nas lixeiras não há impermeabilização do terreno, o que provoca a contaminação
4.2. Uso de sprays com CFC. dos solos e dos cursos de água da região.
4.3. Diminuir a utilização dos produtos com CFC e aumentar a área florestada. 1.6. Verde – vidro; Azul – papel; Amarelo – embalagens.

5. 1 – B e C; 2 – B; 3 – A; 4 – C; 5 – A; 6 – B; 7 – A. 2.1. O GPS permite efectuar uma localização mais rápida e precisa de modo
a socorrer vítimas e chegar mais rapidamente ao destino.
2.2. Telemóvel e aparelhos de ressonância magnética.

FICHA 7 3.1. Esgotos domésticos e indústria.


3.2. Filtração.
1.1. A – Infiltração; B – Condensação; C – Transpiração / Respiração; D – Evaporação; 3.3. Eliminação dos microrganismos.
E – Precipitação.
1.2. A água da chuva infiltra-se no solo alimentando os lençóis de água, escorre pela 4.1.1. Montezinho e serra da Estrela.
superfície depositando-se em rios, mares e lagos e é usada pelos seres vivos. 4.1.2. Dunas de S. Jacinto e serra da Malcata.
Estes, através da transpiração e da respiração, libertam vapor de água para a 4.1.3. Serra do Açor e litoral de Esposende.
atmosfera. A água dos rios, lagos e mares evapora-se, acumulando-se na 4.2. Permite a preservação de espécies e a manutenção do equilíbrio dos
atmosfera. Se a temperatura baixar, o vapor de água condensa e forma as ecossistemas.
nuvens. Estas precipitam neve, granizo e chuva, reiniciando-se o ciclo da água. 4.3. Lince-ibérico e lobo-ibérico.

2.1. A – I; B – II; C – I; D – III; E – I.


2.2. Renovável.
2.3. Fins medicinais – águas termais e produção hidroeléctrica.