Você está na página 1de 31

AUTO-REGULAÇÃO

Giulia Cebrian | Luiza Lavieri | Manuela Pedro | Paloma Licht


AGENDA

Understanding
Regulation

Auto-Regulação
Profissional e
Administração Pública

Exemplos de Auto-
Regulação no Brasil

2
Understanding Regulation
(Robert Baldwin, Martin
Cave and Martin Lodge)
Capítulo 8 - pp. 137 a 146
Auto-Regulação

Grupo de
empresas ou
Regulação é
indivíduos Regimes com
feita por
exerce controle diferentes
instituições
sobre seus arranjos e
auto-
próprios variações
reguladoras
membros e seu
comportamento

Pode constituir uma resposta às


ameaças do governo

4
Variáveis da Auto-Regulação

Natureza Extensão do papel Grau de força


governamental dos auto- jurídica vinculante
• Puramente privado reguladores • Informal, não
• Governamental • Função plena: vinculante e voluntário

Pode apresentar promulgação de • Legalmente


restrições regras, aplicação vinculante
e monitoramento Regras
• Combinação de
ambos • Função restrita: executáveis por
limita-se a apenas tribunais
uma função

5
Vantagens da Auto-Regulação

Eficiência
Expertise

6
Vantagens da Auto-Regulação

Níveis altos de
especialização,
conhecimento

Eficiência
técnico e Expertise
experiência

Demandas mais
aceitáveis e
conformidade
voluntária

7
Vantagens da Auto-Regulação

Controles mais

Eficiência
eficientes, custos
Expertise mais baixos,
relativa
informalidade e
maior
confiabilidade

8
Preocupações da Auto-Regulação

Mandates

Accountability Fairness of
Procedure

9
Preocupações da Auto-Regulação

Objetivos
relevantes podem
ser pensados por
Mandates órgãos sem
legitimidade
democrática

Accountability Fairness of
Procedure

10
Preocupações da Auto-Regulação

Ausência de
consensualidade
sobre a
responsabilidade
Mandates
dos órgãos de
autorregulação
perante à revisão
judicial.

Accountability Fairness of
Procedure

11
Preocupações da Auto-Regulação
Injustiça na
medida em que os
não membros
podem ser
afetados por
Mandates decisões
regulatórias às
quais têm pouco
ou nenhum acesso

Accountability Fairness of
Procedure

12
Auto-Regulação
Profissional e
Administração Pública
(Vital Moreira)
Pp. 45 a 57
Formas de Regulação Estadual

Decréscimo da
soberania

Estado
Descentralizaçã
o política
Organizações
Entidades Internacionai
Territoriais s
Infra- e
estaduais Supranaciona
Globalização da
is economia

14
Formas de Regulação Estadual

Decréscimo da
Problema do Desenho Institucional soberania

● Repartição das Estado


atribuições
regulatórias entre o Estado e as
entidades infra-estaduais, por um
Descentralizaçã
lado, e a UE de outro
o política
● Princípio da subsidiariedade
Organizações
Entidades Internacionai
Territoriais s
Infra- e
estaduais Supranaciona
Globalização da
is economia

15
Formas de Regulação Estadual
Agência Reguladora

Multiplicação Keynes Instâncias Regulatórias


A multiplicação e Fiel ao paradigma liberal da 1. Governo
diferenciação das instâncias separação entre o Estado e a 2. Organismos Dependentes
regulatórias não se releva economia 3. Organismos Independentes
menor quando se atenta na a. Orgânica
repartição das funções b. Funcional
reguladores a nível do Estado

Agência Reguladora Organismos Reguladores Independentes


Esfera de atuação limitada a Principal característica → autonomia e a independência dos
certa área ou a determinada respectivos membros
política regulatória Estrutura orgânica → simples
Ex.: Independent Regulatory Vantagens → especialização, flexibilização, celeridade, agilidade
Commissions (EUA)/Interstate Desvantagens → “captura pelos regulados, falta de accountability;
Commerce Commission (ICC) vested interests

“Creio que em muitos casos o tamanho ideal da
unidade de controle e organização [da economia] se
situa algures entre o indivíduo e o Estado
moderno. Entendo por isso que o progresso está na
criação e reconhecimento de organismos
semipúblicos dentro do Estado (...). Proponho, por
assim dizer, um regresso às concepções medievais das
autonomias separadas.” - Keynes (1926)
17
Auto-regulação Profissional

AUTO- Regulados são também


REGULAÇÃO reguladores

Forma de
regulação

Forma de
regulação
coletiva

Forma de
regulação
não-
18 estadual
Auto-regulação profissional
Auto-equilíbrio dos mecanismos
econômicos

Regulação
Auto- VS
estadual
regulação .
Auto-regulação é tão
artificial quanto a
regulação estadual

Auto-regulação compete
aos próprios agentes
econômicos
Simultaneamente autores
e destinatários
19 da
Auto-regulação profissional

Privada Naturez Pública


a

Instâncias de auto-regulação Instâncias de auto-regulação


são estabelecidas por impostas ou reconhecidas
autovinculação dos oficialmente pelo Estado,
interessados, de forma dotadas de poderes de
voluntária, na base do normação e disciplina
direito privado e da obrigatória idênticos aos do
liberdade negocial Estado

Auto-regulação nesse sentido Auto-regulação nesse sentido


opõe-se a regulação opõe-se à regulação estadual,
pública ou oficial por um lado, e auto-regulação
privada, por outro

20
Auto-regulação profissional
Grau de autonomia das instâncias auto-
regulatórias em relação ao Estado

Máxima Máxima
autonomia dependência

Liberdade para
Iniciativa da
definir linha de
criação
ação

Receitas Reconhecida ou Liberdade de


próprias regulada pelo modificação
Estado

Decisões
Aplica Decide podem ser
sanções definitivamente recorridas
21
Auto-regulação profissional

Regulação interna das Auto-


Auto-
relações regulação Conceitos como:
regulação
interempresariais

Contratos relacionais vs. contratos Participação → titularidade das


ocasionais funções regulatórias continua a ser do
Estado

Auto-regulação → estabelecida por uma Co-determinação → interessados não


instituição associativa ou representativa são os titulares da função regulatória
dos próprios agentes regulados

Relações de hierarquia não são abarcadas Concertação → decisão final pertence


pelo conceito de auto-regulação → formalmente às autoridades públicas
separação entre regulador e regulado
22
Auto-Regulação no Brasil
Exemplos de entidades auto-
reguladoras
Auto-regulação no Brasil

Regime Regime
obrigatório voluntário

24
Auto-regulação no Brasil
SEGUROS

Decreto nº 73/1966 ● Criação em 2019


estabelece a existência de ● Única autorreguladora
entidades autorreguladoras ● Responsável por
para auxiliar a supervisão estabelecer os critérios
do mercado de registro, manter e dar
sequência aos cadastros
de corretores
25
Auto-regulação no Brasil
SEGUROS

Decreto nº 73/1966
estabelece a existência de Revogação da norma que
entidades autorreguladoras dava poderes a IBRACOR
para auxiliar a supervisão em 05/2020
do mercado

26
Auto-regulação no Brasil
PUBLICIDADE

Fiscalizar a ética da
propaganda comercial
veiculada no Brasil

● Desde 1980
● Iniciativa privada 302 processos em
● Livre adesão do segmento
● Modelo Jurídico Misto 2019
● Código de
75% → punição ao anunciante
Autorregulamentação
Publicitária

27
Auto-regulação no Brasil
PUBLICIDADE

Fonte: O
Globo

28
Auto-regulação no Brasil
ESPORTE

Interpretação do texto
constitucional (art.
217, I)

Não há linearidade na ● Organiza o Campeonato


definição dos limites da Brasileiro de Futebol
● Práticas sujeitas às:
autonomia pela
● Federações estaduais
jurisprudência
● Agremiações que
participam do torneio
29
Auto-regulação no Brasil
ESPORTE

No Supremo
Tribunal Federal

ADI nº 2.937 ADI nº 5.450


Questionou o Estatuto de Defesa do Questionou a Lei PROFUT
Torcedor ● Texto legal fere a autonomia das
● Regras de transparência entidades de adm. do esporte
● Sanções para entidades de adm.
do esporte
Provimento parcial
● Imposições para garantir a
Ação improcedente habilitação nos
● A autonomia não impede campeonatos ferem
que a lei imponha autonomia
limitações às entidades ● Razoabilidade,
desportivas probidade e
30
transparência da gestão
Obrigada!

Você também pode gostar