Você está na página 1de 2

Nome: _Letícia Caroline Ribeiro

RA: D51IJI9
Data: 23/02/2021

Texto 1- Ancona-Lopez, M.O contexto geral do diagnostico psicológico:

O texto 1 inicia trazendo a idéia do termo diagnóstico, sendo uma palavra


originada do grego, ela possui um sentido amplo, um diagnostico não se limita a
idéia de consultório mas traz a idéia de que ao expressarmos nossa compreensão
sobre algum fenômeno é possível destrinchar e ver características, aspectos e
relações que compõem o fenômeno observado. E ao se pensar em diagnostico
psicológico também vem o ato de investigar e destrinchar o fenômeno e construir
saberes psicológicos, visto que a psicologia é uma ciência humana, que pode
agregar a outros saberes, mas com o reconhecimento de que determinadas funções
são exercício exclusivos da psicologia, como o psicodiagnóstico.
Para falar sobre psicologia clinica e diagnostica é necessário voltar ao
conceito de loucura e no século XVII a loucura saiu dos calabouços e iniciou os
hospitais psiquiátricos, saindo do conceito de castigo divino e possessões e surgindo
o alienismo que deu espaço para a psiquiatria. E com a psiquiatria voltada nesses
estudos surge a psicopatologia, onde se estuda o sofrimento psíquico e como
decorrência, surgiu a psicologia clinica onde tem a função de prevenir, tratar e
acolher pessoas em sofrimento psíquico.
Ao desenvolver a psicopatologia ouve diferentes modelos para tentar
compreender e lidar as doenças da mente como: O modelo médico que consistia em
analisar biologicamente, fatores exógenos e endógenos nos comportamentos
considerados disfuncionais; O modelo psicrométrico, onde a ênfase eram nos testes
aplicados e sendo um campo exclusivo de atuação profissional do psicólogo
consolidando a profissão, e os testes tinham a função de identificar, classificar e
medir características genéricas do ser humano e que eram consideradas
praticamente imutáveis; O modelo Behaviorista trouxe a idéia de que o
comportamento não é inato e sim adquirido e com a capacidade de ser modificado,
também declarando que o comportamento observável era o único material possível
de ser considerado.
E de forma paralela, o ato de observar, categorizar, e pensar a mente humana
também surgiam outras correntes como a humanista e a psicologia fenomenológica
existencial, onde a humanista vê os diagnósticos e testes de forma descartável pois
o enfoque é no relacionamento estabelecido e na visão de ser humano onde o
objetivo é compreender o mundo que o mesmo está inserido. E para a psicologia
fenomenológica existencial ela vê utilidade em testes e diagnósticos para
autoconhecimento, contudo não se prende a isso, possui aspectos mais interventivos
na vida do cliente. E também existe a psicanálise que vem com a intenção de ser
uma revolução da psicologia e completamente oposta a outras correntes, ela traz os
conceitos de inconsciente, e onde ocorrem processos intra-psiquícos e graças ao
desenvolvimento da psicanálise surgiram grandes influencias para o
psicodiagnóstico como a pratica da entrevista, utilização de observações e técnicas
projetivas.

Você também pode gostar