Você está na página 1de 5

Situação 1:

Em uma tarde de sexta-feira, a professora do quarto ano resolveu levar


os alunos para brincar no pátio da escola. Por saber que no pátio já estavam
outras crianças, muito menores, a professora explicou a situação para sua
turma e, por uma questão de segurança, orientou a todos para que não
corressem. No entanto, Gabriel, um menino normalmente muito ansioso, se
deparou com seu brinquedo predileto e “saiu em disparada”, tropeçando em
uma criança menor e machucando-a “sem querer”.
Diante desta situação, o que deve fazer a professora de Gabriel,
pensando em sua função de educadora?
Situação 2:
Ao conversar com Gabriel, a professora olhou bem em seus olhos e,
dizendo para ele que nela poderia confiar, pediu para que dissesse o que,
realmente, aconteceu. Afirmou que seria “um segredo entre ambos”. Gabriel,
então, confessou que sua agressão, na verdade, foi intencional. Sua explicação
foi a de que sua “vítima” houvera agredido sua irmã menor, de modo que, ao
“vingar-se”, fez valer a orientação de seu pai, ou seja, a de que deveria
proteger sua irmã. Finalmente, utilizou o “dia da brincadeira” para dar a
impressão de que não foi intencional.
PS: A professora sabe que, conforme o regimento da escola, as
agressões físicas são “imperdoáveis”.
Situação 3:
Ao conversar com a responsável da turma do aluno que foi agredido, a
professora de Gabriel ficou sabendo que, na verdade, a irmã de Gabriel
houvera sido a agressora, e não a vítima. Deste modo, o garoto que foi chutado
por Gabriel “apanhou duas vezes”. Na verdade, a irmã de Gabriel queria
“chamar a atenção”, visto que tem muito ciúmes do irmão.
Há algo de diferente a ser feito?
Situação 4:
Embora Gabriel tenha tropeçado no menino “sem querer”, a situação
adquiriu gravidade, visto que o mesmo quebrou o braço e, assim, não poderá
frequentar a escola por um bom tempo...
Ao saber desta situação, Gabriel não demonstrou qualquer remorso,
agindo de modo apressado para que pudesse desfrutar do brinquedo predileto.
De que modo aquilo que falta à Gabriel pode ser desenvolvido
pedagogicamente?
Por que o corpo docente negligencia a corpo em suas práticas pedagógicas?

Por que a escola continua trabalhando corpo e mente separados?

Por que a sexualidade e a agressão são pulsões fundamentais?

É necessária uma conscientização sobre a importância da educação física, não somente


pela escola em si, mas pelos pais e todo o sistema de educação?

Qual é o grau de importância de movimentos corporais na educação infantil?

Qual a importância de demonstrar as relações dos conteúdos da disciplina Educação


Física e os das demais disciplinas?

Qual é o papel do professor independentemente de qual seja sua disciplina?

Você também pode gostar