Você está na página 1de 27

Mapas Mentais

do Enem
E-book gratuito
Semana 2:
• Matemática • Biologia • Química • Física
Oi, estudante! Tudo bem?

Você tem em mãos um material incrível, produzido com todo o carinho pela nossa equipe de professores e
designers. Nele você vai encontrar mapas mentais dos conteúdos que mais caem no Enem.
Mas, talvez você esteja se perguntando: “Afinal, o que são mapas mentais?”
Mapas mentais são espécies de diagramas, onde organizamos informações sobre um tema central. Sendo
assim, eles são ótimos para você revisar rapidamente assuntos que são essenciais para mandar bem no Enem
e nos vestibulares.
Você pode estudar esses mapas mentais do seu jeito, no seu tempo, assim como todos os materiais do Blog
do Enem. Mas, podemos te dar algumas dicas?
Como dissemos acima, os mapas que você encontrará aqui trarão informações resumidas sobre os conteúdos
mais importantes. Portanto, eles são ideais para você concluir o estudo de uma disciplina, fazendo aquela
revisão final, que resume e organiza as ideias.
Para isso, você deve partir das palavras-chaves (em letras maiores) e seguir as setas, estudando cada
“thread” para relembrar informações importantes.
Ou você pode também inverter esse caminho. Comece fazendo sua revisão a partir do mapa mental. Assim,
você tem uma visão geral de um conteúdo e pode saber quais são os pontos mais importantes em que você
deve focar e se aprofundar. E para isso, você pode usar nossas aulas escritas disponíveis no site.
Como você pode ver, não tem mistério! Temos certeza de que esses mapas mentais irão facilitar sua
preparação par o Enem. Então, bora estudar?

Abraços,
Equipe Blog do Enem
Grandezas Proporcionais Volumes de alguns
e Porcentagem Sólidos

MATEMÁTICA

Áreas de Função Função


Figuras Planas Afim Quadrática
A regra de três simples envolve
Grandeza é definida duas grandezas.
como algo que pode ser A regra de três pode ser
medido ou contado. simples ou composta:
A regra de três composta envolve
mais do que duas grandezas.

Razão é uma divisão


entre duas grandezas.
Os conceitos de grandeza, razão A regra de três pode ser ainda
e proporção são utilizados na diretamente proporcional ou
resolução de uma regra de três. inversamente proporcional
(dependerá das grandezas envolvidas).

Proporção é uma
igualdade entre razões.
Grandezas Proporcionais Utilizamos o esquema
de flechas para

e Porcentagem
Porcentagem auxiliar na resolução
também pode ser da regra de três.
calculada através
de regra de três.
10 100
Porcentagem nada mais 50 x
é do que uma razão com
denominador 100 e a As grandezas podem ser classificadas em: diretamente
As ideias de matemática financeira proporcionais e inversamente proporcionais.
representamos por %.
estão associadas à porcentagem
(por exemplo, acréscimo, desconto, Grandezas diretamente proporcionais:
juros, etc) aquelas que variam "no mesmo sentido" a
=k
se relacionam através de divisão b
1 Acréscimo:
%= p Grandezas inversamente proporcionais:
100 x + p%x = ( 1 + )x x é o valor inicial a.b=k
100 aquelas que variam "em sentidos opostos"
e p é o valor que
Desconto: acompanha o se relacionam através de multiplicação
p
x - p%x = ( 1 - )x símbolo % k é a constante de
100 proporcionalidade

MATEMÁTICA 1
Cubo
c
d=a√3
a h
St = 6 a²
b r
V = a³
a a
a

Paralelepípedo Cilindro
Sl = 2 π r h
d = √a² + b² + c²
S t = 2 π r (h + r)

Volume de alguns
St = 2(ab + ac +bc)
V = π r² h
V = a .b .c
No cilindro equilátero:
Sólidos g = h = 2r

Cone Pirâmide
g Sl = π r g
1 . h , com B sendo a
h V= B
r S t = π r ( g + r) 3
área da base.
1
V= π r² h
3

A área total da pirâmide é a soma da área lateral com a área da


No cone equilátero: g = 2r e h= r √ 3
base (os cálculos variam de acordo com o formato da pirâmide).

MATEMÁTICA 2
Área do losango
b
Área do retângulo D.d
S=
S=b. h Área do quadrado D 2
h
b S = l² d S = b .h

Área do paralelogramo h l
S = b .h

b
Área do trapézio

Áreas de
Área do círculo
( B + b) .h h r
S= S = π r²
2

B Figuras Planas
l
Área de um polígono regular α
r
S = p. m
Área do setor circular
apótema do polígono

Semiperímetro r Raio r e ângulo α em radianos conhecidos:


Área do α
do polígono
Área do triângulo segmento circular 2π rad – π . r²
.
b h a . b.c
S= ; S = p .r ; S= ; α rad - S setor
2 4R r²
S= (α - sen α)
2 Raio r e ângulo α em graus conhecidos:
S = √ p . (p - a). (p - b) . (p - c)
360º – π . r²
αº – S setor
b . c . sen ; S = a . c . senB;
1 1
S= Â
2 2 R Raio r e comprimento l do setor conhecidos:
r Área da coroa circular
a . b . senC
1 2π r – π r²
S= Â ; (depende de qual entre S = π (R² - r²)
2
 ou Â
os valores de Â,B C é conhecido). l – S setor

MATEMÁTICA 3
α : coeficiente angular
b : coeficiente linear

Função Afim Domínio

Contradomínio Imagem:

O valor de α está associado à


inclinação da reta em relação
ao eixo x e o valor de b indica
em que altura o gráfico da
função intersecta o eixo y.
O gráfico é uma reta:

é a raiz da função

é a raiz da Valores que α pode


função assumir:
α>0
α<0
a = tg α
Valores que b pode
α > 0 : função crescente α < 0 : função decrescente
assumir:
Assume valores negativos para Assume valores positivos para
valores de x menores que sua raiz; valores de x menores que sua raiz; b>0
Assume valores positivos para Assume valores negativos para b<0
valores de x maiores que sua raiz. valores de x maiores que sua raiz. b=0

MATEMÁTICA 4
O gráfico é uma parábola

Função Quadrática α : relaciona-se com a concavidade da parábola


b : relaciona-se com o "jeito" que a parábola intersecta o eixo y
c: indica em que altura o gráfico da função intersecta o eixo y

Domínio

Contradomínio b Δ
Vértice V (– ; – )
2a 4a
Delta ou discriminante
y y
Eixo de
simetria Raízes encontradas por:
Se:
x Δ > 0: a função possui 2 raízes reais e distintas;
Δ = 0: a função possui 2 raízes reais e iguais; x
Δ < 0: a função não possui raízes reais.
Eixo de
Vértice (V)
Se: simetria
b > 0: a função corta o eixo y "subindo";
α < 0 : parábola
α > 0 : parábola b = 0: a função corta o eixo y no vértice;
côncava para baixo;
côncava para b < 0: a função corta o eixo y "descendo".
cima;
Imagem da Imagem da
função O vértice é utilizado em exercícios que função
Vértice é o ponto Vértice é o ponto
[V, +∞) de mínimo envolvem encontrar um ponto de máximo de máximo (- ∞, V]
ou de mínimo de uma função quadrática

MATEMÁTICA 5
Humanidades e
meio ambiente Citologia

BIOLOGIA

Ecologia Evolução Conceitos de


Genética
Consequências Consequências
Consequências
Causas: Alterações no ciclo do Alteração dos ciclos
carbono; Alteração dos ciclos Causas:
biogeoquímicos;
Queima de combustíveis Potencialização do efeito biogeoquímicos;
Agrotóxicos; Transmissão de
nos veículos e indústrias - estufa; Infertilidade do
Esgoto doméstico; certas doenças;
liberação de CO2, CO e Aquecimento global solo;
fuligem; (aumento da temperatura Lixo; Eutrofização;
Transmissão de
Criação de animais para média, alterações Resíduos industriais; Perda de
certas doenças.
consumo de carne - climáticas, aumento do Excesso de biodiversidade;
liberação de gás metano. nível dos oceanos, Diminuição da
fertilizantes.
acidificação dos oceanos, disponibilidade de
perda de biodiversidade).
água potável para
Poluição do solo as populações.

Poluição do ar
Humanidades e Poluição da água

meio ambiente Magnificação trófica ou


Muitas ações humanas geram desequilíbrios ambientais,
bioacumulação
Desmatamento
alterando os ecossistemas e seus nichos ecológicos.
e queimadas
Fenômeno que ocorre quando há
acúmulo progressivamente maior
Consequências:

Perda de de uma substância tóxica de um


Alterações no ciclo
No Brasil, as principais causas são: biodiversidade; nível trófico para outro ao longo da
do carbono e no
Monoculturas; Destruição de cadeia alimentar por causa da
ciclo da água;
Criação extensiva de animais; habitats; redução da biomassa.
Alterações
Especulação imobiliária; Perda de nichos Desse modo os consumidores
climáticas.
Exploração madereira. ecológicos; apresentam maior concentração
Desequilíbrio nas dos produtos tóxicos que os
cadeias alimentares. produtores.

BIOLOGIA 7
Célula com núcleo organizado e
Sem carioteca, sem Membrana plasmática: organelas citoplasmática
núcleo organizado. membranosas.
delimitação e proteção da
Célula procarionte célula, permeabilidade seletiva.
Material genético Material genético dentro da
circular no citoplasma. carioteca (membrana nuclear).

Mitocôndria:
organela responsável pela
respiração celular.
Lisossomo:
realiza digestão
intracelular.

Citologia
Sem organelas
membranosas
Complexo de Golgi:
citoplasmáticas.
armazenamento e empacotamento
de substâncias secretadas pela célula.

Apenas ribossomos
(constituídos de RNAr). Retículo endoplasmático liso:
Produção de lipídeos e desintoxicação celular.

Retículo endoplasmático rugoso: Célula eucarionte


possui ribossomos aderidos - produção de proteínas.

BIOLOGIA 8
Níveis de organização
dos seres vivos

Indivíduo População Comunidade Ecossistema


Organismo. Conjunto de organismos Conjunto de organismos Componentes
da mesma espécie. da mesma espécie. bióticos + abióticos.

Ecologia
Local onde um
Cadeias alimentares ser vivo desempenha
Habitat
seu papel ecológico.

Conjunto de
Nicho ecológico comportamentos de um
Consumidor primário organismo/espécie.
Heterótrofo
Herbívoro
Relações ecológicas

Produtor Relações ecológicas que Relações ecológicas em


Relações Relações
Autótrofo ocorrem entre seres vivos que nenhum ser vivo sai
Consumidor intraespecíficas harmônicas
da mesma espécie. prejudicado.
secundário
Decompositores Heterótrofo Relações ecológicas que Relações ecológicas em
Heterótrofos Relações Relações
Carnívoro ocorrem entre seres de que um dos seres
interespecíficas desarmônicas
espécies diferentes. envolvidos é prejudicado.

BIOLOGIA 9
Formação dos cromossomos Cromossomos Homólogos
1. Dupla hélice de DNA duplicada; Cromossomos pertencentes ao mesmo
2. Enrola-se sobre si mesmo e sobre par. Geralmente possuem o mesmo
proteínas, como as histonas; tamanho e formato e têm genes
3. Formação de cromossomos. determinam um mesmo caráter.

Cariótipo
Conjunto de cromossomos de um
indivíduo/espécie.

Gene Genótipo

Conceitos de
Segmento de DNA com uma Conjunto de genes de um indivíduo
sequência específica de (sua total sequência de nucleotídeos).
nucleotídeos que codifica um
produto funcional específico.

Genética Fenótipo
Características expressadas
em um indivíduo.

Lócus gênico
Região do cromossomo onde se
encontra determinado alelo.
Gene Recessivo Gene Dominante
Gene que se expressa Gene que se expressa Alelos
apenas em homozigose tanto em homozigose
recessiva. quanto em heterozigose. Genes que ocupam o
mesmo lócus em
cromossomos homólogos.

BIOLOGIA 10
Para Darwin O MEIO SELECIONA os indivíduos com
características (preexistentes) mais aptas.

Seres vivos mais aptos sobrevivem por mais tempo e, assim, reproduzem-se mais,
gerando mais descendentes. Assim, com o tempo, suas características
passam a predominar nas gerações seguintes.

Em uma população há variações aleatórias entre os indivíduos.


Essas características podem se apresentar adaptadas ou não à novas condições ambientais.

Darwinismo

Evolução
Para Lamarck, o MEIO PROVOCA AS MUDANÇAS nos seres vivos.
E, assim, os seres vivos evoluem e tendem a ficar cada vez mais complexos.

Lei do Uso e Desuso:


O uso ou desuso repetitivo de uma estrutura do corpo causa a sua modificação ao longo
do tempo, levando ao seu desenvolvimento ou atrofia.

Lei dos caracteres adquiridos:


As características adquiridas por um indivíduo serão transmitidas aos seus
descendentes e se acumulam a cada geração.
Lamarckismo

BIOLOGIA 11
Forças Ligações
intermoleculares químicas

QUÍMICA

Modelos Reações
atômicos inorgânicas Termoquímica
Uma molécula, mesmo sendo apolar, possui muitos elétrons, que se movimentam
muito rápido. Pode ocorrer, em certo instante, de uma molécula estar com mais
elétrons de um lado do que do outro. Esta molécula estará momentaneamente
polarizada, e, por indução elétrica, irá provocar a polarização de uma molécula vizinha
(por isso o nome dipolo induzido), resultando em uma fraca atração entre elas.

Forças de Van der Walls


A intensidade com que as
Dipolo permanente moléculas interagem
define seu estado físico.

Forças
Ocorre entre
moléculas polares.
Ex: SO₂ e HCl

intermoleculares
Ligações Dipolo induzido
de hidrogênio
São forças que mantêm
unidas duas ou mais
Ocorre entre
Ocorrem em moléculas polares quando o
moléculas que interagem
moléculas apolares.
átomo de hidrogênio liga-se a um dos três por ligações covalentes. Ex: H₂ e CH₄
elementos químicos (F,O,N), mais
eletronegativos da tabela periódica. É a força
de maior intensidade devido a diferença de
eletronegatividade entre os elementos.
Ex: HF, NH₃

QUÍMICA 13
Segundo a regra do octeto, os átomos se ligam a
outros para obterem 8 elétrons na sua camada de
valência (exceto hélio e hidrogênio que ficam
estáveis com 2 elétrons na camada de valência).
A intensidade com que
as moléculas interagem
Ligação Metálica define seu estado físico.
Átomos se ligam para
atingir estabilidade.
Formação de
Ocorre entre
elétrons livres
metais e metais
=
Forma ligas Ligação iônica

Ligações
Teoria do Mar de
metálicas.
elétrons

Ocorre através da

Representa um aglomerado de átomos


neutros, cátions e elétrons livres. A ligação
metálica é o resultado da interação entre
químicas transferência de elétrons;
Os átomos envolvidos irão
ganhar ou perder elétrons.

os elétrons livres e os cátions fixos, ou


seja, um aglomerado de cátions As ligações iônicas ocorrem entre metais e ametais.
mergulhados em um mar de elétrons. Para isso, o metal perde elétrons e vira um cátion, e
o ametal ganha elétrons e vira um ânion.

•• ••

• O •• •
• S •• Ligação
covalente • ••
Compartilhamento
de elétrons
Na • Cl
••

O S O Na⁺ Cl⁻


Cátion Ânion
• •• • • Ocorre através do compartilhamento de
• •• • • pares de elétrons;


Compartilhamento
Ocorre enre ametais e ametais.
NaCl
de elétrons

QUÍMICA 14
450 a.c. 1808 1903 1911 1913
Modelo de Demócrito Modelo de Dalton Modelo de Thomson Modelo de Rutherford Modelo de Rutherford - Bohr
e Leucipo Bolinha maciça "Pudim com passas" Núcleo positivo, Elétrons girando ao
Baseado em baseado em dados elétrons incrustados em um elétrons girando em redor do núcleo com
conceitos filosóficos. experimentais.

mar de cargas positivas.
•• •••
- órbitas circulares. energia específica.

- + - • •
+ - + -
- + +- -
•-

Modelos
atômicos
Bola de bilhar; Esférico;
Átomo formado pelo Elétrons giram Descobriu os Subníveis de
Esférico, maciço Maciço;
núcleo (prótons e na sua órbita e Nêutrons. energia;
indivisível; Divisível;
nêutrons) e têm níveis de Estrutura
Indestrutível; Chamado de pudim de passas;
eletrosfera (elétrons). energia. Elíptica.
Sem carga. Descobriu os elétrons.

Dalton Thomson Rutherford Bohr Chadwick Sommerfeld

QUÍMICA 15
Simples troca (substituição) Dupla troca
A + BC → AC + B AB + CD →
AD + BC

Substância simples reage com Ocorrem trocas


uma substância composta, entre os reagentes.
formando uma nova

Reações
substância simples.
Exemplo:

HCl + NaOH → NaCl + H₂O


inorgânicas
Exemplo:

3 Mg + 2 FeCl₃ → 3 MgCl₂ + 2 Fe

Decomposição Síntese (adição)


AB →
A+B →
A + B AB

Uma substância composta Reagentes interagem e


origina vários produtos. formam um produto.

Exemplo: Exemplo:
NaCl → Na + Cl →
S + O₂ SO₂

QUÍMICA 16
Nos processos físicos de mudanças do estado sólido
Estuda a para o líquido e deste para o estado de vapor, temos um
transferência de calor processo endotérmico, com aumento de energia térmica.
E nos processos inversos, do estado de vapor para o
nas reações químicas.
líquido e deste para o sólido, temos um processo
exotérmico, com diminuição de energia térmica.

Cálculo da variação
de energia (ΔH)

Termoquímica ΔH = Hp - Hr

Reações endotérmicas
Reações exotérmicas Entalpia (H) Entalpia (H)

Hr Absorvem calor;
Liberam calor; Sensação de resfriamento.
Sensação de aquecimento. Hp

ΔH
ΔH

A→ B + calor
Hp Hr
A + calor →B
A → B ΔH < 0
Caminho da reação Caminho da reação
A →B ΔH > 0

QUÍMICA 17
Acústica Trabalho, Potência
e Energia

FÍSICA

Calorimetria Hidrostática Eletrodinâmica


Mecânicas = necessitam de um
meio para se propagarem; Composição harmônica Se relaciona ao volume
Longitudinal; produzida por Som forte = grande intensidade;
Tridimensional; determinada fonte; Som fraco: pequena intensidade.
Perceptíveis pela audição humana. Distingue sons para
determinada nota.

Ondas sonoras Timbre Intensidade

Acústica Altura ou tim

Velocidade de Se relaciona com a frequência


Alta frequência – som alto = agudo;
propagação do som
Baixa frequência – som baixo = grave.
Reflexão do som

sólido > líquido > gasoso Ecolocalização utilizada por


alguns animais e pelos sonares;
Quanto mais denso o meio Eco;
mais rápido. Reverberação;
Reforço.

FÍSICA 19
Trabalho de
força elástica Energia cinética
Variável Constante

Trabalho, potência
Energia
Mecânica
Trabalho de
uma força

e energia
Trabalho da
força peso
Potência
O trabalho da força
Energia Potencial
peso independe da
forma da trajetória.
Por isso utilizamos
sempre a aultura h.
Gravitacional Elástica

FÍSICA 20
Calor sensível Calor latente

Energia térmica transferida gerando Energia térmica responsável pelas


uma variação de temperatura. mudanças de estados físicos.
Calor

Capacidade
Calorimetria
térmica Calor específico

Quantidade de calor que um Troca de calor Quantidade de calor que cada


corpo precisa receber ou ceder unidade de massa do corpo precisa
para que sua temperatura receber ou ceder para que sua
varie uma quantidade. temperatura varie uma unidade.
Dois ou mais corpos com
temperaturas diferentes, quando
colocados em um calorímetro,
trocam calor entre si até
atingirem o equilíbrio térmico
(mesma temperatura).

FÍSICA 21
Princípio de Pascal

Empuxo → geralmente vertical para cima A variação da pressão é a


Densidade É o peso do líquido deslocado. mesma em todos os pontos.

Prensa hidráulica

Princípio de Arquimedes

Hidrostática
Altitude
Teorema de Stevin

Pressão
`Pressão
Mesmo líquido→ Mesma
atmosférica profundidade→ Mesma pressão

Pressão atmosférica é a Quão concentrada está a força.


força exercida, por
metro quadrado,
decorrente da coluna de
gás atmosférico acima
da superfície terrestre.

FÍSICA 22
Quantização da carga.
Potência de
um resistor
Carga elétrica Energia elétrica

Resistência
elétrica

Eletrodinâmica
Corrente elétrica Resistores
Potência elétrica

Transformam energia
elétrica em energia
térmica (calor).

Sentido
convencional (+).

FÍSICA 23
Mapas Mentais
do Enem
Semana 1: • Redação •E-book
Históriagratuito
• Geografia
• Português • Filosofia • Sociologia
Semana •2 Literatura
• Matemática • Biologia • Química • Física

Matemática - Professora Letícia Figueredo de Carvalho

Biologia - Professora Juliana Evelyn dos Santos


Uma produção do
Química - Professora Roseli Sanches Prieto

Física - Professora Tairine Favretto em parceria com

Organização - Juliana Evelyn dos Santos

Direção de conteúdo - Jade Phillipe dos Santos

Design - Amanda Silveira

Você também pode gostar