Você está na página 1de 8

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO


2ª Câmara Reservada de Direito Empresarial

Registro: 2021.0000660422

ACÓRDÃO

Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação Cível nº


0008183-45.2008.8.26.0271, da Comarca de Itapevi, em que é apelante ODELMO
MANHAS NASCENTE, é apelado CARLOS BERNARDES DOMINGUES.

ACORDAM, em sessão permanente e virtual da 2ª Câmara Reservada de


Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo, proferir a seguinte decisão:
Não conheceram do recurso e determinaram a remessa dos autos para
redistribuição. V. U., de conformidade com o voto do relator, que integra este
acórdão.

O julgamento teve a participação dos Desembargadores ARALDO TELLES


(Presidente) E GRAVA BRAZIL.

São Paulo, 17 de agosto de 2021.

JORGE TOSTA
Relator(a)
Assinatura Eletrônica
PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO
2ª Câmara Reservada de Direito Empresarial

APELAÇÃO Nº 0008183-45.2008.8.26.0271 ITAPEVI.


APTE.: ODELMO MANHAS NASCENTE.
APDOS.: CARLOS MANHAS NASCENTE.
JUÍZA PROLATORA: MARIAH CALIXTO SAMPAIO
MARCHETTI.
VOTO nº 1031-2021

Conflito de competência Ação exclusão de


sócio cumulada com pedido de indenização por
danos materiais e morais ao fundamento da
prática de atos de inegável gravidade
Prevenção da 8ª Câmara de Direito Privado,
em virtude da distribuição de recurso antes de
entrar em vigor a Resolução n. 538/2011, a
qual instituiu as Câmaras Reservadas de
Direito Empresarial - Inteligência do disposto
no Enunciado n. 98 da Súmula do TJSP e do
art. 105 do RITJSP Precedentes
RECURSO NÃO CONHECIDO. CONFLITO
NEGATIVO DE COMPETÊNCIA
SUSCITADO.

Trata-se de ação de rescisão contratual proposta


ODELMO MANHAS NASCENTE em face de CARLOS
BERNANDES DOMINGUES, na qual pretende a exclusão do requerido
da sociedade estabelecida entre as partes, além da condenação deste em
danos materiais e morais.

A r. sentença de fls. 618/621, cujo relatório ora


se adota, tem o seguinte dispositivo:

“Ante o exposto, julgo IMPROCEDENTES os


pedidos contidos na inicial e, em consequência, EXTINTO o processo,
com julgamento de mérito, nos termos do artigo 487, I, do Código de
Apelação Cível nº 0008183-45.2008.8.26.0271 -Voto nº 1031-2021 2
PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO
2ª Câmara Reservada de Direito Empresarial

Processo Civil. Sucumbente, arcará o requerente com as custas,


despesas processuais e honorários advocatícios, estes fixados em 10%
sobre o valor atualizado da causa, observado o art. 85, § 2º., do Código
de Processo Civil, bem como a suspensão do pagamento em razão da
gratuidade concedida”.

Apela ODELMO MANHAS NASCENTE (fls.


626/629). Sustenta que o juízo singular decidiu de forma equivocada, na
medida em que as circunstâncias narradas não foram compreendidas.
Alega que a existência de procedimento criminal deflagrado pelo réu é o
suficiente à perfeita caracterização do dever de indenizar.

Contrarrazões a fls. 633/640. Preliminarmente,


aduz a intempestividade do recurso. No mérito, pugna pela manutenção
do julgado, ante a ausência de provas do quanto alegado.

O recurso foi inicialmente distribuído à 8ª.


Câmara de Direito Privado, em vista da prevenção oriunda do Agravo de
Instrumento n. 0502848-54.2010.8.26.0000 (fl. 672). Em decisão
monocrática relatada pelo Douto Desembargador Silvério da Silva, foi
determinada a redistribuição do feito a uma das Câmaras Reservadas de
Direito Empresarial, tendo o nobre julgador asseverado que “a
competência dos diversos órgãos do tribunal forma-se em razão da
matéria (...)” e ainda “toda a causa de pedir da presente demanda é
decorrente de supostos atos desleais na atividade societária” (fls.
678/682).

Apelação Cível nº 0008183-45.2008.8.26.0271 -Voto nº 1031-2021 3


PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO
2ª Câmara Reservada de Direito Empresarial

É o relatório.
VOTO.

Trata-se de ação de rescisão contratual proposta


ODELMO MANHAS NASCENTE em face de CARLOS
BERNANDES DOMINGUES, na qual pretende a exclusão do requerido
da sociedade estabelecida entre as partes, além da condenação deste em
danos materiais e morais.

Com todo o respeito à posição adotada pela


Colenda 8ª Câmara de Direito Privado, este Relator entende que deve
prevalecer a prevenção do respectivo órgão julgador.

Compulsando-se atentamente os autos, constata-


se que o agravo de instrumento n. 599.781-4/2-00 foi distribuído em
17/09/2008 (fl. 171 - do apenso). Vê-se, ainda, que o apelo foi
direcionado à 8ª. Câmara em função de prevenção oriunda do agravo n.
0502848-54.2010.8.26.0000, cuja sua distribuição foi efetivada em
03.11.2010, ou seja, antes da criação das Câmaras Reservadas de Direito
Empresarial (Resolução n. 538/2011, de 09/02/2011).

E, em tais situações, deve prevalecer a


prevenção, conforme estabelece o enunciado da Súmula 98 desta
Egrégia Corte, verbis: Súmula 98: A competência das Câmaras
Reservadas de Direito Empresarial abrange apenas os processos
distribuídos após a sua instalação, ressalvada a prevenção estabelecida
no art. 102 do Regimento Interno.

Apelação Cível nº 0008183-45.2008.8.26.0271 -Voto nº 1031-2021 4


PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO
2ª Câmara Reservada de Direito Empresarial

Bem se vê que o enunciado ressalva


expressamente a ocorrência de prevenção, indo ao encontro do que
estatui o art. 105 do Regimento Interno do Tribunal de Justiça:

“Art. 105. A Câmara ou Grupo que primeiro


conhecer de uma causa, ainda que não apreciado o mérito, ou de
qualquer incidente, terá a competência preventa para os feitos
originários conexos e para todos os recursos, na causa principal,
cautelar ou acessória, incidente, oriunda de outro, conexa ou
continente, derivadas do mesmo ato, fato, contrato ou relação jurídica,
e nos processos de execução dos respectivos julgados.”

Nesse sentido, já decidiu a Colenda Turma


Especial deste Egrégio Tribunal de Justiça:

Conflito de Competência. Ação de


reparação por danos materiais e morais. Em
que pese se cuide de matéria de competência
das Câmaras Reservadas de Direito
Empresarial, a competência permanece com a
15ª Câmara de Direito Privado, tendo em vista
que a prevenção gerada antes da instalação
das Câmaras Reservadas de Direito
Empresarial. Inteligência do artigo 105 do
Regimento Interno (antigo artigo 102) e
Súmula 98 deste Egrégio Tribunal. Conflito de
competência acolhido para declarar
competente a 15ª Câmara de Direito Privado.
(Conflito de competência cível 0026598-
98.2017.8.26.0000, Grupo Especial da Seção
do Direito Privado, Relator Piva Rodrigues, j.
04/10/2017).

No mesmo sentido:

CONFLITO DE COMPETÊNCIA
Agravo de Instrumento. Decisão que
Apelação Cível nº 0008183-45.2008.8.26.0271 -Voto nº 1031-2021 5
PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO
2ª Câmara Reservada de Direito Empresarial

homologou o laudo pericial, em liquidação de


sentença. Prevenção da 9ª Câmara de Direito
Privado em razão do julgamento de recursos
anteriores. Inteligência da Súmula 98, deste E.
Tribunal, pois o primitivo recurso foi
distribuído antes da instalação das Câmaras
Especializadas -Resolução 538/11, que impede
o deslocamento da competência. Precedentes
deste C. Grupo Especial. Conflito acolhido
para declarar a competência da 9ª Câmara de
Direito Privado. (Conflito de competência
cível 0011037-29.2020.8.26.0000, Grupo
Especial da Seção do Direito Privado,
Relator Costa Netto, j. 17/04/2020).

E, em casos envolvendo a C. 8ª. Câmara de


Direito Privado:

CONFLITO DE COMPETÊNCIA.
Recurso de apelação. Causa relativa a direito
de propriedade industrial. Competência da 8ª
Câmara de Direito Privado, em virtude de
prevenção gerada por anterior Agravo de
Instrumento. Agravo que gerou a prevenção foi
interposto em 2010, antes da criação das
Câmaras Reservadas de Direito Empresarial
pela Resolução 538/11, o que obsta sua
redistribuição, nos termos da Resolução n.
623/13 e da Súmula n. 98 deste Tribunal.
Conflito acolhido, para declarar a
competência para o feito do Des. Relator da 8ª
Câmara de Direito Privado deste Tribunal de
Justiça. (Conflito de Competência n.º
0029690-21.2016.8.26.0000, Relator Francisco
Loureiro, Turma Especial, j. 05/08/2016).

CONFLITO NEGATIVO DE
COMPETÊNCIA AÇÃO DE PRESTAÇÃO
DE CONTAS LASTREADA EM CONTRATO
SOCIAL DE EMPRESA. Em que pese se cuide
de matéria de competência das Câmaras
Apelação Cível nº 0008183-45.2008.8.26.0271 -Voto nº 1031-2021 6
PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO
2ª Câmara Reservada de Direito Empresarial

Reservadas de Direito Empresarial, a


competência permanece com a 08ª Câmara de
Direito Privado, tendo em vista a prevenção
gerada antes da instalação das Câmaras
Reservadas de Direito Empresarial.
Inteligência do artigo 105 do Regimento
Interno (antigo artigo 102) e Súmula 98 deste
Egrégio Tribunal. Conflito de competência
acolhido para declarar competente a 08ª
Câmara de Direito Privado. (Conflito de
competência cível 0008775-09.2020.8.26.0000,
Grupo Especial da Seção do Direito Privado,
Relator Marcondes D'Angelo, j. 13/04/2020).

Agravo de instrumento contra


decisão que indeferiu pedido de concessão da
gratuidade. Ação de abstenção de prática de
concorrência desleal c.c. indenização.
Competência que, conquanto atribuída
preferencialmente ao Grupo de Câmaras
Reservadas de Direito Empresarial, por força
do art. 6º da Res. 623/2013, cede à regra
prevista na Súmula 98 desta E. Corte, eis que
o recurso que gerou a prevenção da C.
Câmara suscitada foi distribuído antes da
instalação das Câmaras especializadas.
Conflito de competência julgado procedente,
para declarar a competência da 8ª Câmara de
Direito Privado. (Conflito de competência
cível 0039766-02.2019.8.26.0000, Grupo
Especial da Seção do Direito Privado Relator
Gomes Varjão, j. 14/10/2019 destaques deste
Relator).

É o caso, portanto, de suscitar conflito negativo


de competência, a teor do que preconiza o art. 32, IV, do Regimento
Interno desta Colenda Corte de Justiça.

Apelação Cível nº 0008183-45.2008.8.26.0271 -Voto nº 1031-2021 7


PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO
2ª Câmara Reservada de Direito Empresarial

Posto isso e com fundamento no o art. 32, IV,


do Regimento Interno deste Tribunal, pelo meu voto, NÃO CONHEÇO
do recurso e SUSCITO CONFLITO NEGATIVO DE
COMPETÊNCIA, determinando a remessa dos autos à C. Turma
Especial deste Eg. Tribunal de Justiça.

JORGE TOSTA
Relator

Apelação Cível nº 0008183-45.2008.8.26.0271 -Voto nº 1031-2021 8