Você está na página 1de 4

Série de estudos Intimidade com Deus

Lição 03- Como Orar?


Algumas pessoas têm muita dificuldade para orar. Outras acham que sabem, mas, no fundo do coração, não
se sentem satisfeitas com o seu desempenho. Já ouvi pessoas dizendo: “minha oração não passa do teto”.
Na verdade, orar é bater papo com o grande amigo Jesus Cristo. É preciso senti-Lo como uma pessoa que
está presente para uma boa conversa. É preciso treinar a mente para isso.
Desejo compartilhar com você dicas sobre como desenvolver uma intimidade maior com Deus na oração.

Cada um tem a sua maneira, mas, para quem ainda não pegou o jeito, que tal praticar agora?
Então, vamos lá:
1. Coloque-se de joelhos – é importante você estar em um lugar em que se sinta confortável e seguro. Uma
pessoa se ajoelha diante de Deus não para fazer um tipo de penitência, e sim para demonstrar que reconhece
a soberania dEle.
2. Permaneça de olhos abertos (se desejar) – apenas por alguns segundos para observar a atmosfera do
ambiente. Cante um hino (pode ser um corinho) para que você se envolva no clima espiritual.
3. Agora feche os olhos – procure sentir a presença dos anjos e principalmente do Espírito Santo.
4. Lembre-se de suas necessidades – avalie sua vida nas áreas emocional, física, material e espiritual.
5. Lembre-se das necessidades das pessoas pelas quais você deseja interceder – avalie em quais áreas
necessitam do socorro divino.
6. Pense no que você tem para agradecer a Deus – concentre-se nas bênçãos e veja como Ele tem sido
bondoso e misericordioso com você.
7. Comece a conversar com Deus:
– Continue agradecendo;
– Interceda pelas pessoas que você se lembrou;
– Peça por você mesmo;
– Fale sobre idéias, planos e sonhos;
– Conclua, reconhecendo a soberania e o socorro divino.
8. Abra os olhos e permaneça ajoelhado – observe como Deus está presente.
9. Abra a Bíblia, ainda ajoelhado (se for de sua preferência), e comece a ler até que você encontre um texto
que represente uma resposta direta de Deus para você.
10. Levante-se (se estiver ajoelhado) e encontre um lugar confortável para meditar sobre a resposta de Deus.
Invista o tempo que desejar.
E, depois que você terminar, continue falando com Deus durante o restante do dia. “Orai sem cessar” (1
Tessalonicenses 5:17).
Ouvi uma pessoa dizendo: “Deus sabe do que eu preciso. Então, quando faço algum pedido, peço uma vez
somente, não fico insistindo. O Senhor me atenderá quando quiser.”
O que você acha? É certo ou errado insistir com Deus por alguma bênção?
Jesus, ensinando sobre a oração, disse algo incrível: “Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e, a
quem bate, abrir-se-lhe-á” (Mateus 7:8). Procurando compreender um pouco mais, identifiquei três objetivos
que podem ser aplicados na oração:
1. Pedir (para receber bênçãos) – Jesus amplia o conceito dizendo: “Ou qual dentre vós é o homem que, se
porventura o filho lhe pedir pão, lhe dará pedra? Ou, se lhe pedir um peixe, lhe dará uma cobra? Ora, se vós,
que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas
coisas aos que lhe pedirem?” (Mateus 7:9-11). Todas as pessoas necessitam receber bênçãos materiais,
físicas e espirituais. Deus é um Pai de amor que se preocupa e também supre as necessidades de Seus filhos;
2. Buscar (para encontrar respostas) – O Mestre dá na medida certa a seguinte orientação: “buscai, pois, em
primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6:33).
Somente encontra respostas para a vida, aquele que as busca. Quando buscamos diariamente o reino de Deus,
passamos a viver com discernimento e a ter respostas para importantes decisões;
3. Bater (para entrar no Reino) – O grande anseio de Jesus era que todos compreendessem que existe uma
porta que se abre para todo aquele que deseja fazer parte do Reino de Deus. Ele convida: “Entrai pela porta
estreita (larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por
ela), porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam
com ela” (Mateus 7:9-13-14). O imenso privilégio de fazer parte do reino de Deus começa aqui. Cristo
promete abrir a porta à todo aquele que bater. Ainda que ela seja estreita, nos conduzirá à experiência de
sermos cidadãos do reino celeste.
Pelo que posso perceber, nos três casos encontro, de forma implícita, a persistência para se obter a graça.
Você concorda comigo? Percebo em minha própria vida que existem bênçãos que são concedidas mediante
persistentes orações. Outras são entregues com intensidade menor de preces.

Sugestões para administrar interferências no momento de oração:


1. O vizinho liga o som:
- A música entra na mente sem a pessoa desejar. Procure um lugar silencioso ou passe a acordar mais cedo.
Mas, se não tiver saída, ore em voz alta. Vai ajudar.
2. A lembrança de um compromisso que não pode ser esquecido:
- Anote o compromisso num papel e você saberá que não vai esquecê-lo.
3. Pensamentos indecentes:
- Se vierem pensamentos indevidos, não desista da oração por causa da natureza pecaminosa. Eles são apenas
o resultado do que está no seu coração. Deus deseja substituir tudo por pensamentos sublimes, mas requer
renúncia e perseverança. Uma dica: cante um hino ou ore em voz alta.
4. Dificuldade de concentração:
- Fale com Deus em voz alta e depois leia um texto bíblico.
5. Muita ansiedade:
- Pense que sua única saída é Jesus, que Ele é capaz e deseja ajudar-lhe. Fale com Deus sobre sua ansiedade
e sobre tudo que incomoda o seu coração.

Observe alguns benefícios exclusivos da oração:


1. Muda o coração do homem;
2. Santifica sua vontade;
3. Quebranta a alma (Salmos 51:17);
4. Abre o caminho para a recepção da bênção;
5. Intensifica a atuação de Deus.
Precisamos entender que Deus está empenhado em nos reeducar para a vida. Suas melhores oportunidades
para nos ensinar todas as coisas que nos conduzem à salvação acontecem justamente quanto passamos por
vales profundos e desafiadores em nossa existência. O que o Senhor Deus realiza de milagres e transformações
enquanto se luta pela bênção, muitas vezes pode ser mais importante do que a recepção da própria bênção.
Vamos fazer um rápido teste. Por gentileza, responda à seguinte questão: Você tem em mãos uma picareta.
Existe um tesouro protegido por uma tampa de concreto de 1centrímetro. Quantas batidas serão necessárias
para quebrá-la, com o objetivo de obter o tesouro? E, se a espessura da tampa fosse de 30 centímetros,
quantas batidas seriam necessárias?
A conclusão é óbvia – quanto mais espessa à tampa que esconde o tesouro, mais batidas serão necessárias
para se chegar ao objetivo final.
Fazendo uma analogia, o que corresponderia a tampa que impede o acesso ao tesouro?
Veja algumas sugestões bíblicas (Oséias 4:1):
- O orgulho;
- Pecados não confessados e abandonados;
- Resistência ao plano de comunhão com Deus;
- Hábitos nocivos arraigados;
- Distância de Deus…
Deus age com cada ser humano de forma personalizada. Cada pedido atendido, adiado ou negado por Deus
compreende todo o Seu cuidado para conduzi-lo à salvação. Quando pedimos uma graça ao Senhor
necessitamos nos recordar que não estamos sozinhos. A nossa vida está ligada a uma teia complexa que envolve
o presente e o futuro de outras vidas também.
Continue buscando, pedindo e batendo à porta da graça de Cristo Jesus. Esse é o plano para o crescimento
da fé e o fortalecimento da experiência pessoal com Deus. Com certeza, os que oram com insistência receberão
sempre muito mais, porque se sentem dependentes das providências do Senhor.
Por estas e outras razões, o Espírito Santo convoca Seu povo para interceder com muita vontade e viver uma
riqueza de experiências maravilhosas na utilização de tão poderosa ferramenta. Mesmo que você esteja
necessitando tanto de intercessão, não se esqueça de que também pode interceder por outras pessoas. Faça
uso da oração como do oxigênio para respirar e descubra que há muito mais poder à sua disposição do que
você sempre imaginou. Ore de verdade e seja feliz!
Autor: Manassés Queiroz